Page 1

MAGAZINE • GLS

PÁGINA C4

O TEMPO

BELO HORIZONTE • SÁBADO • 12 DE NOVEMBRO DE 2005

Rodrigo escolheu Maicon para dar um belo beijo no programa "Beija Sapo", que vai ser reprisado na noite de hoje

Na semana passada, foi ao ar oespecial "Gay Meninas" em que aprincesa Loredana beijou Renata, também na MTV

Diferente da Globo, MTV mostra tudo Rodrigo Dal-vot, participante do "Beija Sapo Gay Meninos" fala sobre sua experiência no programa CINTHYA OllVEIRA

Na reta final da novela "América", o assunto mais comentado na mídia era se aconteceria ou não o tão esperado beijo entre os personagens Junior (Bruno Gagliasso) e o peão Zeca (Eram Cordeiro). A cena foi grarnda. mas não foi ao ar. para a decepção de toda comunidade gay e dos fãs do personagem que passou toda a trama dividido entre seus sentimentos e a pressão da sociedade. Mas. ao mesmo tempo, a MTV mostrou à Globo que boa parte do público não vê mais problema em demonstrações de afeto entre homossexuais na televisão. Três anos depois de ter exibido o primeiro beijo gay da TV brasileira. no programa "Fica Comigo". a emissora musical apresentou duas versões homossexuais do "Beija Sapo". O das garotas foi ao ar no último dia 2. enquanto o dos rapazes. que iria ao ar na semana que vem. foi antecipado para a última quarta-feira. O especial "Gay Meninos" atingiu a audiência média no target (faixa) "AB ... de 15 a 29 anos. de 2 pontos, com pico de 3,5, ficando à frente da Bancl e da Rede TV!. O príncipe. ou seja. o rapaz disputado, era Rodrigo Dal-vot. 25, um catarinense que mora em São Paulo há dois anos. onde traba-

lha com eventos e produções. No final do programa. ele beijou Maicon. 22. "Resolvi ir para a TV porque quando mostram eventos da cultura gay como a parada. a imprensa só exibe imagens de drag queens. que são ótimas. mas não representam toda comunidade. Fui com toda a coragem e estou gostando da repercussão. As pessoas têm me ligado. deixado recado no orkut, me elogiando pela atitude. Estou feliz em representar os homossexuais", conta Rodrigo.

Repulsa Segundo ele. seu objetivo era mostrar que não há porque sentir repulsa em ver um beijo entre dois homens. A manifestação de carinho e afeto é tão bela quanto a demonstrada incessantemente pela mídia em relação aos heterossexuais. "Me deu um friozinho na hora por não conhecer a pessoa. Tanto que fiquei surpreso no momento. Mas pensei: 'tenho que ir lá e dar o melhor de mim no beijo'. Afinal, veja quantos beijos heteros nós assistimos todos os dias. nas ruas, nas novelas. Por que o fato de eu dar um beijo em outro homem em uma rede aberta tem que dar toda essa polêmica?". questiona o rapaz de Sanxerê. pequena cidade próxima a Chapecó (SC) .

Rodrigo diz que não tinha noção de que sua participação no programa seria tão comentada e admite que sentiu receio em ser agredido por essa atitude. "Não vou negar que tive medo. Muitas pessoas são homofóbicas e acredito que elas têm algo a esconder ou tem problemas psicológicos ou familiares". afirma o rapaz. que assumiu sua homossexualidade para os pais há três anos e sempre teve total apoio de toda a famflia em relação à sua orientação sexual. O "príncipe" afirma ainda ter ficado bastante decepcionado com a atitude da Rede Globo em censurar o beijo do capítulo final de "América". "Para mim foi como uma bomba. pois a novela foi toda construída numa história para se banir o preconceito. Vários homossexuais se reuniram para assistir juntos ao capítulo porque havia a expectativa de que fosse acontecer o primeiro beijo gay em horário nobre da televisão". diz Rodrigo, que só beijou o "sapo" Maicon durante o programa.

Cúpula Vale lembrar que durante toda a trama de "América". a autora Glória Perez apresentou o conflito sofrido pelo personagem Júnior. que na reta final assumiu sua homossexualidade para a família. Ela afirmou

Sem perder tempo, o Movimento Gay de Minas (MGM). com sede em Juiz de Fora. já está colocando em prática o projeto "Identidade: Valorizando a Cultura GLBT", que foi aprovado pelo Ministério da Cultura e inserido no programa "Cultura Viva". que prevê financiamento para grupos tidos como minorias e que tenham dificuldade em organizar e divulgar seus trabalhos. Dentre os 328 projetos aprovados para o programa em todo o país, o do MGM foi o único focado na cultura GLBT. Com o "Identidade: Valorizando a Cultura GLBT", o MGM torna-se um Ponto de Cultura do MinC. com o diferencial de ter suas atividades culturais todas relacionadas ao universo homossexual. Segundo Oswaldo Braga, presidente do MGM. as primeira ações do projeto abrangem as áreas do teatro e do canto coral. Apesar de o início das atividades estar previsto para fevereiro do próximo ano. a entidade já está articulando o formato dos cursos. sobretudo através do Grupo de Adolescentes Gays (GAG). o braço do MGM voltado para os jovens. O "Identidade: Valorizando a Cultura GLBT" terá duração de dois anos e meio. com turmas que se renovam a cada seis meses. Os alunos terão entre 12 e 20 horas/aula por semana. entre oficinas e ensaios. Cada aluno deverá receber uma bolsa referente a ajuda de custo .

Enfim o Congresso nos vê

O procurador do Ministério Público Sérgio Suiama reuniu-se na terçafeira com representantes de organizações não-governamentais de defesa dos direitos humanos para decidir o que será veiculado no horário do programa "Tardes Quentes", da Rede TV!, suspenso por decisão judicial no dia anterior, por expor homossexuais de forma inadequada. Fazem parte da comissão Fernando Quaresma, da Associação da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo, Joana Zilberstein, da ONG CDH, Giovana Mode, da Intervozes, e Marco Piva, da TV Cultura de São Paulo. Os programas deverão focar temas de interesse da comunidade GLS, como a luta contra a discriminação. "G MAGAZINE"/REPRODUÇÃO

DESEJADO André Rocha, capa da "G Magazine" deste mês, fictu conhecido COllO o Tiozinho do propna "H", de l.ucim Huck, e recentemente foi eleito o jogHor' mais cobiçado do "really show'' "Solteiros Desejados 3", exibido pelo mal PICO Wner Channel

(J

AGENDA - o "Beija Sapo Gay Meninos" tem reprise hoje, às 22h, na MTV.

SÁVIO REALE

Projeto do () o MGM valoriza cultura GLBT (J na TV! DANIEL BARBOSA

ter escrito a cena com o beijo (realizada várias vezes pelos atores). que foi cortada pela cúpula da Globo. No fim da semana passada. a Central de Comunicação da emissora disse não ter tido conhecimento sobre a existência da cena. Porém, na segunda-feira passada. a Globo admitiu ter sido a responsável pela não veiculação do beijo. Em nota. a emissora se diz orgulhosa "por ter sido pioneira e por ser ainda a única emissora a se utilizar da sua teledramaturgia para sistematicamente tratar de questões relevantes da realidade da nossa sociedade". A Globo diz ainda que não existe tabus em seus programas. já que tratou de assuntos como racismo, prostituição e até reforma agrária nas tramas. A nota fala também que "foram apresentadas gravações. com diferentes formatos. que permitiam entender. com mais ou menos intensidade, que estaria ocorrendo um beijo. A direção da TV Globo. ainda sim. determinou uma mudança na versão escolhida. optando pela abordagem que julgou mais apropriada para exibição numa novela das oito".

em São Paulo

Desde quinta-feira acontece a 13ª edição festival de cinema e vídeo da diversidade sexual, o Mix Brasil 2005, em São Paulo. Um curta e um média de François Ozon são dois dos destaques de amanhã: "Vestido de Verão", curta de 15 minutos, e "Veja o Mar'', com 52 minutos, produção de 1997 do cineasta francês. Na programação musical, a banda-fenõmeno Cansei de Ser Sexy se apresenta com o combo 1 Love Miami, de pop tosco. O festival vai atê o próximo dia 20, com uma programação de mais de 200 produções entre filmes e vídeos, longas e c:urtas.

na banca O ex-participante da terceira edição do "reality show" da Rede Globo "Big Brother Brasil", Edílson Buba, 33, posará nu para a revista "G Magazine". Provavelmente ele será visto na capa da edição de dezembro da publicação. Segundo o empresário, ele doará seu cachê para a ONG "Vida Limpa, Vida Livre", que trata de jovens sofrendo de dependência química. No começo do ano Buba foi preso sob acusação de tráfico de drogas no aeroporto de São José dos Pinhais, no Paraná. Ele deixou o cárcere três meses depois, negando todas as a~usações.

ncerrou-se ontem o XII EBGLT. encontro bienal que reuniu todos os matizes do ativismo homo. bi e transgênero do país. Dessa vez. a sede do evento foi Brasflia. sob a organização do grupo Estruturação e o imprescindível auxflio de colaboradores e voluntários. Durante encontros como esse vivese, pra valer. a diversidade. Até mesmo para aqueles que estão envolvidos com o ativismo, esta é uma ótima oportunidade para se passar da teoria à prática. despindo-se daquilo que nos resta de preconceito. Ali a palavra diversidade torna-se concreta e é exercitada em todos os momentos. É um constante aprendizado. que vai do café da manhã. passando pelos trabalhos nos auditórios da Câmara (onde aconteceram os trabalhos), até na hora da diversão noturna. que para muitos se resolvia no hotel em que todos estavam hospedados. Também os frequentadores da Câmara se viram obrigados a conviver com a diversidade. ainda que alguns deixassem entrever sua insatisfação com nossa presença durante aqueles quatro dias. Lésbicas. transexuais, travestis, trangêneros. bissexuais e gays transitaram não apenas pelos audUórios destinados às mesas e tribunas - onde marcaram presença alguns parlamentares. Muitos circulavam pelos gabinetes de deputados dos seus Estados de origem. pelos corredores e restaurantes da casa. Todo encontro tem também seu lado de celebração e essa foi uma festa cujo colorido, talvez. alguns dos funcionários. visitantes e parlamentares ainda não tivessem presenciado. Aquele lugar nunca mais será o mesmo depois deste encontro. que ali deveria ter lugar todos os anos. para que sejam obrigados a nos enxergar. saber quem somos. como somos e. que. além dos deveres. também temos direitos.

E

Conscientização Surpreendeu-me o nível de conscientização

das travestis e transexuais. sua capacidade de se articular, seu discurso coeso e seu grau de politização. Aliás. uma just8 homenagem foi prest.ada a algumas delas. já falecidas. e cujos nomes foram emprest.ados para cada um dos dias do encontro (Marcela Prado. do Dignidade. de Curitiba. Charla Novi. do Pela Vidda. do Rio de Janeiro, Janaína Dutra, do Grupo de Resistência Asa Branca. de Fortaleza). Odia de ontem. das plenárias. foi dedicado a Beth Calvert, do Coletivo de Lésbicas, do Rio de Janeiro. Outra homenagem foi ao Adamor Guedes. do Grupo Gay do Amazonas. vítima recente de crime de homofobia. assassinado em Manaus, e por cujo nome passará a ser conhecido o encontro de Brasflia. Era visível o crescimento de participantes nessa edição (cerca de 400), onde aconteceu uma demarcação constante das diferenças (ela é necessária, alegam os segmentos menos visíveis). paralelamente ao esforço e à necessidade de se somar forças. É necessário, porém. transpor as barreiras impostas pelas discussões de gênero - que sempre reaparecem e nunca parecem superadas - para dar mais lugar ao lado político. Ficou decidido em plenária uma nova sigla para o encontro. novas letras vieram a se somar. para demarcar as particularidades e trazer visibilidade a todos os segmentos. A partir de agora o encontro passa a ter a sigla GLITTB. de gays, lésbicas. travestis, transexuais. transgêneros e bissexuais. Outra novidade ficou a cargo de dois novos coletivos constituídos ao longo dos trabalhos. o das transgêneros. que estavam "Sempre a reboque das travestis e um de bissexuais. que parecem decididos e decididas a acabar de vez com a falta de visibilidade. Para a próxima edição, em 2007, a cidade escolhida foi Porto Alegre. embora os grupos mineiros presentes tenham esboçado o desejo de sediá-lo na capital mineira, dentro da lógica de rot.atividade por região do país..

SÁVIO REALE escreve esta coluna aos sábados. Comentários e críticas devem ser enviados para savioreale@bol.com.br ou Página GLS/Magazine, Jornal O TEMPO


CTNTHYA OUVEIRA

de o contato do Wladimir Medeiros (da Oficina Técnica de Iluminação) com outros membros da rede. os grupos começaram a trabalhar melhor a estética da luz em seus espetáculos. Nós ainda não fizemos um trabalho com ele, mas o Wladimir já veio dar uma palestra aqui na comunidade e influenciou bastante o trabalho dos meninos. Além disso, dois atores nossos fazem oficina de circo na Spasso. algo que só é possível com essa interação", diz il. Quem concorda com a importância da integração entre os 17 grupos é Clarice Libânio, coordenadora executiva da ONG Favela É Isso Aí, criada para apoiar, divulgar, valorizar e promover a produção cultural de artistas e grupos le\'antados pelo Guia Cultural das Vilas e Favelas. "Tem dois grupos com que trabalhamos que também fazem parte da rede. O Arte Favela conhecemos lá, enquanto o Aruê das Gerais já trabalhava conosco e desejava entrar na rede. Esse projeto entrou por nossa indicação", explica Clarice.

orno diz o diladu, a união faz a força. !<.: como o públICu poderá conferir hoje na li Festa Caia na Teia. a Lroca de informações e experiências entre grupos socioculLUrais só traz benefícios para artistas e as comunidéldes em l(Ue eles aluam O e\ento. que acuntece durante todo o dia na Casa do Conde. tem os objeli\Os de ser um espaço de escambo LUILUral e de mostrar o trabalho realizado dentro da Rede Telem1g Celular de Arte e Cidadania - projeto que reúnu 17 grupos com dpenas uma característica em comum a busca da transformação social por meio da arte. 8ssd é a ::iegundd festd promovida pela rede. "No ano passado, a proposta de troca de informações entre os grupos não saiu tão naturalmente durante o eYento ~las foi o primeiro e\·ento coleti\'O. Foi 11nportante para saber como cada m11 funciona, um aprendizado que ainda wntinua existindo. Foi uma possibilidade bacana dl se fazer algo junto. Mas a~ura vamos dar um passo mais construlivo. e estabelecer melhor essa troca''. afirma Leri Félria. diretor de comunicação e planejamento da Cia. SeráQuê? (uma das participantes da rede) e diretor artístico da festa. A prngramação da Festa Caia na Teia é bem diversificada e intensa, com apresentações diferenciadas a cada 15 minutos (veja quadro abaixo). O roteiro inclui shows. espetáculos. oficinas de arte e bazar uultural. Além dos membros da rede. a festa vai receber convidados especiais - entre eles o grupo Berimbrown, o radialista Elias Santos. a apresentadora de TV Rúbia e o Palhaço Popó. Entre as a lra\,ÓCs, c1 el(u1µe do pru1eto Favela É I so Aí \'dí projetar imagens de entrevistas feita durante a tesld 11um grande telão mstalado no circo. Alguns grupos também irão oferecer oficinas. com inscrições gratuitas feitas durante o evento. A segunda edi~·ão da Festa Caia na Teta apresenta algumas novidades. \ primeira é a criação do Quiosque· Cultural, um sistema de "classificados" em que os membros da Rede Telemig Celular de Arte e Cidadania divulgam suas demandas e ofertas por produtos e serviços. A segunda é a realização de um Leilão Lúdico. onde arremata a prenda oferecida (as p· ÇdS serão doJdas pl'lu::. grupos) quem fit;ur o lance mais di\ertido ou criativo, segundo a opinião do público.

Outro elo A rede não apenas ajuda a vida dos artistas e agentes culturais, como também é uma boa solução para o patrocinador. "Descobrimos que em vez de apoiar projetos isolados, seria melhor agrupar conceitos semelhantes em um projeto melhor. Espero que a rede consiga seguir os passos do Circuito e Conexão, outros dois programas da empresa que já estão mais consolidados'', diz Marcos Barreto, gerente de desenvolvimento cultural da Telemig Celular. Mas apesar do nome da empresa estar contido na rede, nem todos integrantes estão relacionados a ela. "A rede nasceu pelo fato dos projetos terem o mesmo patrocinador. Mas ao longo desses dois anos. as coisas foram mudando e não é esse o fator que nos une. A ONG Favela É Isso Aí não é mais patrocinada pela Telemig, mas continuamos na rede e temos um estande na festa". diz. Dos 17 grupos contidos na rede, 15 estarão presentes na festa de hoje. São eles: Aruê das Gerais, Arautos do Gueto. Kilombola, SeraQuê? Cultural. Circo de Todo Mundo. Centro Cultural Casa do Conde, Favela É Isso Aí. Grupo do Beco, Meninas de Sinhá. Negros da Unidade Consciente (NUC). Salão do Encontro, Spasso Escola Popular de Circo, Projeto Arte Favela, Oficina Técnica de Iluminação e Centro Multiculturalismo Comunitário (CMC) . Ficaram de fora Babaya - A Voz e o Instrumento e Associação de Amigos da Fundação de Educação Artística (Flama).

Na prática ü grnnde objetivo da festa é incenli\êtí o u:icambo entre us membros da re-

de ma~ essa troca du experiências já é recJli2ada em todo o ano. "O evento é mc1is do que uma festa. Até chegarmos à cuncrellzação das duas edições, várias clbcussões e reuniões foram realizadas. A Ca1<1 nd l'eld é uma confirmação dessa po,)s11J1lldade de transformação que tem dc1clo c~rlo. Se existe o evento. é porque a r1~dc realmente está caminhando". afirmr. ~il Cé:ic11. coordcBador do Grupo do fku>. formddo por atores da comunidade do \~h1mrn1do Satll<i Lúcia. O grupo utiJi,,< c1s mi· s cêniras como instrumento de ação social com jovens e crianças da comunidade. St'gundo ele. a troca não fica apenas nu pidllv da'i idéids. não se resume a uma mesa redonda de discussões. "Não são trocas genéricas. são práticas. Des-

EDITORIA DE ARTE

1

ATRAÇÕES DA FESTA CAIA NA TEIA 2005 Abertura

1

Circo de Todo Mundo: dois números de seu novo espetáculo entremeados com curtas íntervenções do palhaço Popó Spasso Escola de Circo: intervenções circenses Grupo dt dança Afro Arautos do Gueto: dança afro-brasileira com a apresentaçao do Núcleo de Dança do Grupo Arautos do Gueto, dirigido e coreografado por Marlene Silva SeráQuê? - O Grupo: conjunto artístico agregado à Incubadora Artística do SeráQuê? que apresentará uma cena curta de dança e encenação dramática

Aruê das Gerais: espetáculo contínuo de várias coreografias encadeadas ao som dos tambores. No palco, mais de 25 pessoas vão se apresentar simultaneamente

U Gueto/ Banda Arautos: grupo musical constituído por crianças da comunidade onde vive e trabalha o Grupo Arautos do Gueto apresentam composições próprias

Cia. SeráQuê? - Duo de Homens: pequeno recorte do espetáculo "Homens"

Leri Faria: apresentação

Leilão Lúdico: brincadeira para estimular a troca e brincar com o valor das coisas e objetos, que serão doados pelos grupos Berimbrown

music~l

Grupo do Beco: uma cena curta criada especialmente para o evento

Meninas de Sinhá: duas músicas cantadas no palco, seguida de uma brincadeira de roda, quando todo o público é convidado a participar

Cortejo: grande parada com os grupos de percussão Arautos, Kilombola, Aruê das Gerais, entre outros

Momento Hip Hop: diversas atrações como DJ Francis e grafite feito pelo Arte Favela durante a festa

Kilombola: Mescla de capoeira, cantos e tambores acompanhados pelos berimbaus

Negros da Unidade Consciente (NUC): fragmento de 15 minutos do seu repertório

Encerramento

Onde

---

----

Casa do Conde de Santa Marinha (rua Januária, 130, Floresta)

Quando Hoje, das 16h às 22h Quanto De graça Mafs nformaçaes www.tccartecidadania.com.br

"Escambo Cultural"; "Enfim o congresso nos vê" ; "Diferente da Globo, MTV mostra tudo"  

A matéria aborda a festa "Caia na Teia" - Cinthya Oliveira. Sávio Reale discute sua participação no 12 EBGLT em Brasilia, o evento agora mud...

"Escambo Cultural"; "Enfim o congresso nos vê" ; "Diferente da Globo, MTV mostra tudo"  

A matéria aborda a festa "Caia na Teia" - Cinthya Oliveira. Sávio Reale discute sua participação no 12 EBGLT em Brasilia, o evento agora mud...

Advertisement