Issuu on Google+


Categoria

BROTHER


1 CPEMAS Verde e amarelo não é apenas a cor que a torcida brasileira veste, também é a junção da identidade de duas empresas juniores: Emas e CPE. O nome CPEMAS surgiu em um evento de forró entre seus membros, o Forró CPEMAS, evento que já aconteceu mais de uma vez e que é um símbolo de nossa união. O sentimento de Brother é consequência do bom relacionamento que vai além dos corredores do CPDEE, onde somos vizinhos. Fazemos e compartilhamos treinamentos de uma EJ para a outra, recentemente tivemos de liderança, gestão de contratos, negociação, comunicação de alto impacto e estratégia. Indicamos projetos que se complementam através de nossas áreas, como um projeto para o restaurante Baby Beef, o qual a Emas negocia um projeto hidráulico e indicou a CPE para o projeto elétrico. Temos Presidentes quase vizinhos que vivem dividindo Uber, irmãos Muniz que fazem parte da história das EJs e são monstros no EJogos, além de casais que já fazem jus ao nome, como Mari (Emas) e Luís (CPE), que se aproximaram numa festa Sempre Emas e estão juntos há quase um ano. Preocupados com o acompanhamento de seus membros, a CPE baseou todo o seu processo de Coaching no executado pela Emas, que compartilharam várias ideias. Motivados em alcançar mais resultados, a Emas buscou reestruturar seu organograma e contou com muita ajuda da CPE para isso. Com o sucesso do Mannequin Challenge, a CPE desafiou a Emas a entrar na brincadeira, e é claro que ela aceitou. Foi gravado o seu vídeo na famosa festa Sempre Emas. Somos conectados pelo mesmo desafio: sermos tão grandes quanto o Brasil! E nesse semestre a EMAS se tornou cliente da CPE, troca que contabilizou mais um projeto para uma empresa, e trouxe para a outra uma possibilidade de expandir seu mercado através de um novo website. Nunca duvide da conexão do MEJ e do sentimento Brother de CPEMAS!

2 UFMG Informática Jr. e RH Consultoria Jr. A parceria UFMG Informática Jr. e RH Consultoria Jr., informalmente chamada de “Treta Cabulosa”, existe há vários anos através do, até então, Processo Seletivo da Ijúnior. A RH Consultoria Jr. atuava com entrevistas individuais, dinâmica em grupo e questionário para levantamento do perfil dos candidatos, e tais documentos eram úteis na tomada de decisão quanto à aprovação, ou não, dos candidatos do Processo Seletivo. Essa parceria nestes moldes ocorreu até o final de 2015, quando em 2016 ocorreram


mudanças na forma que a UFMG Informática Jr. conduziria seu Processo Seletivo e Programa Trainee. Com as mudanças sendo implementadas no primeiro semestre de 2016 e, sabidamente sendo a Ijúnior uma empresa cujos projetos e atividades estão relacionadas à Tecnologia da Informação e, portanto, possuindo pouco know-how em processos para atração e seleção de candidatos, a Diretoria de Recursos Humanos, reconhecendo tais necessidades, recorreu a membros da RH Consultoria Jr. para trocar ideias, informações e dicas que norteiam o planejamento e a execução do Processo Seletivo da Ijúnior. Isso ocorreu devido ao fato da Ijúnior passar a realizar todas as etapas do Processo Seletivo, anteriormente executado pela RH Jr, com vistas a se aproximar dos candidatos em todas as etapas do PS, bem como ganhar conhecimentos e experiências quanto às práticas, metodologias e atividades relacionadas à atração e seleção de recursos humanos. A parceria se manteve ao longo de 2016, especialmente pela presteza e disponibilidade da RH Consultoria Jr. em auxiliar e apoiar a Diretoria de Recursos Humanos da Ijúnior em novas ações e iniciativas que foram implementadas dentro de nossa empresa júnior. Isso se percebe e se comprova através das novas capacitações inseridas por nossa Diretoria de RH nos eventos que envolveram nossas lideranças no segundo semestre de 2016, ou seja, atividades e informações para nossos gerentes e diretores quanto à Cultura do Feedback, de maneira a estimular práticas positivas de feedbacks entre os líderes e incentivar e propagar tal cultura dentro da empresa. A RH Consultoria Jr., representada neste caso pelo membro Amanda Muffato, disponibilizou materiais para apresentação sobre assunto, orientou a Diretoria de Recursos Humanos sobre como desenvolver as atividades, tirou dúvidas e sempre se mostram solícitas e disponíveis para a Ijúnior. Além disso, foi realizada uma “imersão” de feedbacks na sala 2029 do ICEx pelos membros da Diretoria Executiva, de maneira que cada um pudesse contribuir com a melhora da gestão da empresa e a propor planos de ações, sendo fruto das práticas que a RH Consultoria Jr. usa e nos indicou para potencializar melhores resultados. Em 2017, haverá mais “Treta Cabulosa”, uma vez que há dois membros, um de cada empresa júnior, que ocuparão cargos na Diretoria Executiva do Núcleo UFMG Jr., ou seja, RH Consultoria Jr. na Presidência e, UFMG Informática Jr. na Vice Presidência. A “Treta Cabulosa” não parou e chegou, também, no MEJ UFMG, prometendo ficar mais forte e conhecida no próximo ano. Portanto, a parceria vermelha e azul não se finalizou, ao contrário, ganhou novas formas e novos contornos e comprova que a UFMG Informática Jr., o azul, e a RH Consultoria Jr., o vermelho, continuam alinhadas, dispostas a contribuir entre si, envolvidas com o Movimento Empresa Júnior e unidas para tornar membros e empresas juniores maiores e melhores. Juntas nos momentos profissionais, nos eventos do Núcleo UFMG Jr., na Diretoria Executiva do Núcleo UFMG Jr. em 2017, nas reuniões presenciais da FEJEMG, colegas e amigos de ônibus para as RPs, no JEWC, EMEJ ou


SUDEJ, e tantas outras realizações reafirmam que estas duas EJs ainda são Brother e, por isso, estão em busca desta premiação como forma de reconhecimento que duas EJs, de cursos e áreas muitos distintas, podem se ajudar e contribuir para construir um MEJ mais colaborativo.

3 Mult Jr. e PJ Consultoria e Assessoria Ser irmão não significa somente ter nas veias o mesmo sangue, ou qualquer tipo de ligação pré-determinada que relaciona as duas partes e deve ser cumprida. Brother é uma relação de admiração, é ser feliz com o sucesso do outro, é estar presente nos momentos em que precisam do nosso auxílio, é ajudar o outro a crescer e ensinar tudo o que podemos. A relação da Mult Jr – Consultoria e Projetos e da PJ Consultoria & Assessoria provavelmente deve ser mais antiga, mas que eu tenha registro, essa relação começou a se destacar no primeiro semestre de 2015. Em um momento que a Mult Jr não fechava um contrato de projetos há pouco mais de 6 meses e passava por um cenário financeiro bastante ruim, a PJ procurou a Mult Jr para indicar um projeto. O cliente em questão estava sendo atendido pela PJ para resolver problemas no processo de soldagem dos tanques de aquecedor solar produzidos, e gostaria também de estudar um problema de corrosão que estava acontecido devido à uma falha no revestimento de poliuretano aplicado nos tanques. Durante a execução desse projeto, o trabalho em cada área foi desenvolvido separadamente, porém as equipes tiveram bastante contato pois o início e término dos projetos foram em conjunto, sendo os resultados da consultoria apresentados também em conjunto pelas EJs. Como a Mult Jr passava por um período de crise financeira, essa aproximação feita pela PJ nos ajudou intensamente a retomar os nossos trabalhos. Com isso um sentimento de admiração e gratidão pela PJ foi inspirado nos membros da Mult e sempre que possível passamos a indicar clientes para a PJ. Nesse semestre em particular aconteceu um aprendizado intenso entre as EJs. Ao visitamos um cliente que oferecia soluções para análises clínicas percebemos que ele gostaria de elevar sua produção, principalmente por meio da aprimoração de um processo de envase das soluções que gerava uma espuma durante o preenchimento dos frascos que retardava o processo. Como já havia essa relação próxima construída anteriormente, chamamos a PJ para desenvolver uma proposta em parceria. Durante alguns meses trabalhamos desenvolvendo uma proposta de trabalho que tinha uma grande intersecção entre a Engenharia Química e a Engenharia de Produção, aprendendo muito sobre o método de negociação da PJ e sobre seu gerenciamento de projetos, inspirando mudanças na Mult Jr como a redação prévia de contratos para apresentar aos clientes junto as propostas e ao compartilhamento de documentos de


negociação entre demais pessoas da empresa para aprimorar a escrita dos mesmos. Apesar do projeto não ter sido fechado, o aprendizado ficou marcado nessa gestão e essa relação ainda irá render muitos frutos, como por exemplo mais um projeto foi recentemente fechado por indicação da PJ.

4 CRIAndo MULTiplas relações Durante muito tempo, a Mult foi vista como uma EJ pouco envolvida no MEJ e desde o ano passado, o engajamento com o movimento tem sido bastante fomentado. A Cria também estava se mostrando bastante aberta ao MEJ UFMG e para fortalecer o envolvimento com a rede, decidiu realizar um evento bastante especial e de muito significado: seu aniversário. Assim, a Mult recebeu o convite para comparecer ao piquenique da Cria e gostou tanto da ideia que os membros não só compareceram como também fizeram um cartão com o logo da empresa de várias cores com uma mensagem de parabéns e um catavento similar ao logo da EJ. A partir disso, começou a relação da Cria e da Mult. Algum tempo depois, foram alocados na mesma equipe do Ejogos em 2015/2 e isso resultou na vitória das duas EJs. Além de fazer surgir um sentimento de companheirismo entre os membros. Em 2016/1 esse relacionamento passou a envolver ainda mais pessoas quando Cria e Mult tiveram representantes trabalhando juntos no Núcleo e na FEJEMG e devido ao crescente envolvimento das empresas no movimento, os membros passaram a desenvolver relações de amizade além do ambiente de trabalho. Quando o Nicolas se candidatou à diretoria de projetos, por exemplo, em junho de 2016, buscou apoio não só na forma de benchs mas também com as lideranças da Cria para poder construir seu plano e conseguir fortalecer dentro da Mult a cultura de realização de projetos. No segundo semestre, a parceria entre as EJs continuou crescendo de novo com seus membros envolvidos no trabalho do Núcleo, agora com Clarissa, Micaela e Milena na Diretoria Executiva e Gustavo, Giovana e Brunna na Diretoria de Comunicação e Impacto. A aproximação foi ainda maior quando as EJs ficaram juntas de novo no EJogos! Os palmitos podem não ter ficado em primeiro lugar, mas com certeza ganharam no quesito animação, o que só evidencia a sinergia e a integração positiva entre as EJs. No EMEJ 2016, a Mult e a Cria passavam muito tempo juntos, entre troca de pirulitos, tinta, mix de sabores e de almoços com duas grandes mesas em conjunto. Essa relação se fortaleceu e a Mult tornou-se referência para a Cria, desde participação no movimento a resultados atingidos, assim como a Cria se tornou referência para a Mult em clima organizacional e realização de projetos. Relacionamentos como esse fazem com que as duas EJs cresçam juntas e compartilhem ainda mais do sentimento de pertencimento ao MEJ. Todas essas experiências foram capazes de conectar pessoas incríveis que criaram laços verdadeiros e tem se mostrado dispostas a ajudar umas às outras seja na vida pessoal ou profissional e talvez esses encontros nunca tivessem acontecido fora do MEJ. Mais uma vez as duas


EJs mostraram que a forรงa do nosso movimento estรก nas pessoas que fazem parte dele e essas pessoas tem feito Cria e Mult cada vez mais prรณximas.


Categoria

BUSCA POR AVENTURA


1 Luiza Ribeiro Melo (CPE) Luiza é atual assessora da GP, a Gerência de Pessoas da CPE. Antes desse cargo, ela já passou pela Diretoria Comercial, como consultora e posteriormente gerente de vendas. Dentro da empresa, ela inovou ao fazer um coaching personalizado com cada membro, trazendo uma visão diferente do que deveria ser tratado com eles. Ao invés de abordar apenas a motivação profissional, agora a CPE se preocupa também com as diversas áreas da vida pessoal de cada membro, que pode tirar um tempinho de vez em quando para refletir sobre sua trajetória. A Pirâmide e a Roda da Vida foram feitas com cada um, abordando tópicos desde relações familiares até quantidade de descanso. Todos os membros reconhecem muito o trabalho que Luiza tem feito em prol do bem estar de todos. Seu trabalho no RSE da CPE também é muito relevante e demonstra o espírito de querer fazer cada vez mais e inovar sempre que possível. Juntamente com Vinícius Braz, Luiza se empenhou de forma exemplar para encontrar atividades em que a CPE poderia se engajar, com cunho social e motivar a empresa inteira durante o prêmio Engenharia Solidária, vencido pela empresa pela segunda vez consecutiva. Vale ressaltar que o cargo no Núcleo RSE é facultativo e cumulativo com o de assessora da GP, o que demonstra sua busca por novas atividades. Para completar, Luiza tem uma participação importante no GECA (Grêmio de Engenharia de Controle e Automação), fazendo parte da equipe que resgatou a importância e proatividade do Grêmio. Foi somente depois de sua chegada que vários dos eventos que hoje os estudantes da Automação têm acesso passaram a acontecer. Dentre eles, destaca-se o Futurama, evento de empreendedorismo voltado ao ramo de Controle e Automação, organizado pelo GECA e com participação ativa de Luiza. Vários convidados de nome e boas palestras, organização e muita animação foram marcas de um evento que há muito tempo não acontecia no curso. Como resumo, pode-se dizer que Luiza sempre está buscando aprender coisas novas (e diferentes umas das outras): desenvolvimento pessoal dos seus colegas de trabalho, engajamento socioambiental da empresa que representa e organização de eventos voltados a alunos de seu curso, só para citar alguns exemplos. Sua proatividade e vontade de sair da zona de conforto são um orgulho para toda a CPE, e por isso a indicamos para o NAwards, na categoria Busca por Aventura.

2 Vinícius Santana Bráz (CPE) A CPE tem como um de seus valores a Ousadia, “encaramos as dificuldades como oportunidades, buscamos o inesperado e trabalhamos de maneira inovadora aceitando desafios”. Viver esse valor é intrínseco aos nossos membros, porém, um deles, sem dúvidas, foi quem mais se destacou nesse sentido.


Vinícius tinha um projeto começado no semestre anterior em que ele tinha investido muita esperança e, até então, poucas ações. Ao voltar do JEWC, no entanto, ele quis mudar essa realidade e começou a se entregar de fato ao projeto. Com algumas ações piloto, o 1NewThing foi tomando a forma que tem hoje. “Quando foi a última vez que você fez algo pela primeira vez?”. Essa é a pergunta que norteia todo o projeto. Essa é a pergunta que norteou o Vinícius esse semestre, no qual ele conseguiu impactar diretamente mais de 120 pessoas, em sua maioria do MEJ UFMG. Utilizando apenas estratégias guiadas pelo “Como criar um conteúdo como nunca criamos antes”, em seu cargo de Gerente de Comunicação ele conseguiu idealizar a maior campanha de marketing da história da empresa, nosso Black November. Os resultados foram imediatos e diretos para nossa empresa, por exemplo, batemos os indicadores relacionados ao Facebook com apenas uma postagem, a do Mannequin Challenge. Vinícius levou seu projeto para o REVIRA UFMG, um programa organizado pelo Núcleo. Todos que estavam lá presentes sentiram na pele a importância de sair da zona de conforto e buscar o desconhecido, todos descobriram a importância de ficar vulneráveis e crescer a partir disso. E foi o catalisador do desenvolvimento de cada um. Dentro da CPE temos atualmente um clima de muita inconformidade com os problemas e busca pelas soluções, de ação em frente aos desafios. Isso só foi possível devido ao trabalho direto da comunicação, liderada pelo Vinícius. Seu projeto 1NewThing direta ou indiretamente, colaborou muito para o desenvolvimento da empresa. Em suma, Vinícius ousou muito, teve a coragem de desbravar o desconhecido e buscar por novas aventuras. Mas o principal é que ele não fez isso sozinho, seu sonho é muito maior porque depende não somente do seu desenvolvimento, mas do desenvolvimento de todos ao seu redor.

3 Como fomentar o crescimento colaborativo dentro da EJ (Mult Jr.) Sempre muito preocupado e dedicado desde que entrou na Mult, em 2014, o Eduardo foi um membro que ao longo da sua passagem pela empresa começou a se preocupar não só com o crescimento desta, mas também das pessoas que passam por ela. Assumiu a Diretoria de Marketing para poder trabalhar mais diretamente nisso e, ao final de sua gestão, quis permanecer na Mult como assessor de AF para continuar contribuindo, tendo sido um membro muito importante para a atual reformulação do nosso Planejamento Estratégico. Não satisfeito, continuará na empresa no próximo semestre como Conselheiro.


Bom, mas vamos ao que interessa: o motivo que nos levou a indicá-lo para a categoria de “Busca por Aventura”. Como dito anteriormente, ele sempre se preocupou muito com as pessoas que passavam pela Mult, querendo que elas tivessem oportunidades de se desenvolver ao máximo. No último semestre, organizou sozinho um extenso treinamento de formação executiva, voltado para as futuras lideranças, mas aberto para toda a empresa. Não satisfeito, nesse semestre começou a colocar em prática uma outra ideia para ajudar todos os membros da Mult, e não só em aspectos relacionados à empresa, mas também à aspectos pessoais. Com o título “Domingo em 5”, o lema “Aprenda. Aplique. Alcance”, e sempre com a mensagem motivacional ao final “Chutem bundas, sempre”, o Edu começou a fazer um compilado de 5 sugestões/dicas/conselhos baseado nos seus diversos estudos e leituras – desde livros renomados até sites e aplicativos que só ele encontra, e temas que variam sobre desenvolvimento de habilidades até como aproveitar melhor a Black Friday. Inicialmente um compilado que era divulgado na rede social da empresa (Yammer), começou a ter uma adesão e interesse dos membros tão grande que se transformou em um mailing semanal enviado aos domingos àqueles que se “inscreveram” em seu “canal”. Aproveitando de algo que sempre foi uma característica muito forte – a vontade e curiosidade de aprender sobre tudo e a determinação de estudar sobre aquilo até atingir seu objetivo – o Edu criou uma forma extremamente simples mas ao mesmo tempo extremamente eficaz de contribuir para o crescimento dos membros, mostrando que o desenvolvimento colaborativo, um dos maiores valores do MEJ, pode ser trabalhado de diversas formas nas EJs, sem depender de grandes projetos ou equipes formadas por muitas pessoas, mas apenas alguém que tenha o conhecimento e a vontade de compartilhá-lo com os demais!

4 Gessé Pereira (Minas Jr.) A busca por aventura é um dos valores mais notáveis do Núcleo UFMG Jr.: é a capacidade de sair da sua zona de conforto e ir atrás de desafios, sempre crescendo e se desenvolvendo a partir de novas experiências. E é esse frio na barriga que o nosso membro Gessé não gosta de perder por um segundo sequer! Ele entrou na Minas Jr Consultoria Mineral no primeiro semestre de 2015 como Consultor Financeiro, e desenvolveu sua trajetória na empresa passando a ser em 2016/1 Vice-diretor Financeiro e em 2016/2, Diretor Financeiro. Sua busca por novas vivências foi ainda além: em 2015/2 assumiu o cargo de Coordenador Administrativo do Núcleo, levando seus conhecimentos para a organização; participou como assessor financeiro do Prêmio FEJEMG 2015 e na IX Semana da Geologia; e topou ainda o desafio de ser da Comissão de Reestruturação do Planejamento Estratégico da Minas Jr.


No primeiro semestre desse ano, foi eleito Diretor de Assunto Legais do Núcleo e foi auditor do programa Selo EJ da Brasil Júnior. Além disso, prospectou empresas como Assessor da Mercado em Conexão, foi Coordenador Geral da X Semana da Geologia e colaborou na fundação do Núcleo RSE da Minas Jr. O Gessé não impõe limites para si mesmo. Apesar de parecer impossível a realização de tantas funções, ele consegue dar seu melhor e entregar resultados ainda melhores do que o esperado. Ademais, esse semestre ele está na organização do Startup U 2017 e Jogos Minerários 2017, além de ser Assessor de Conteúdo e Programação do SUDEJ 2016. Ufa, quantas tarefas, não é? Não podemos esquecer ainda que ele se mantém como um excelente aluno na graduação em Engenharia de Minas. Duas características marcantes no Gessé são seu foco e determinação. De opinião sempre forte e concisa, sempre está em busca de evoluir profissionalmente e pessoalmente. É importante ressaltar que além de se envolver com projetos externos ao curso, nosso membro tem um grande coração. Sua generosidade e preocupação com o próximo são qualidades raras, que o fazem se dedicar a todas suas tarefas com muita alegria e gratidão. Por essa preocupação e a fim de levar suas experiências para toda a empresa que ele inicia no semestre que vem sua maior aventura: ser o Diretor Presidente da Minas Jr. Sua motivação está na possibilidade de transformar a realidade da empresa e de seus membros, pautando sempre o lado humano e social. Como ele mesmo pontuou em sua carta de intenção, ele quer ser sempre a mudança que ele gostaria de ver nos meios em que atua. Todos temos medo de sair de nossas zonas de conforto, e tudo bem que tenhamos! Mas que esse medo se torne coragem, vontade de se desafiar e de ir além. A busca por aventura é entusiasmo, é resistência. E por essas razões, não há pessoa que mais represente esse valor do nosso Núcleo UFMG Jr. do que o Gessé

5 Nathalia Prado (Minas Jr.) Quem nunca desejou ser a mudança que gostaria de ver à sua volta? Mas além dessa vontade, é preciso coragem para sair da zona de conforto e aceitar o desafio. Essa talvez seja a maior aventura que se pode ter: enfrentar o medo e ir além, buscando novos caminhos. Na Minas Jr atualmente, uma pessoa que destaca pela busca de novas vivências é a Nathalia, sempre evoluindo a partir de cada experiência. Em agosto de 2015, entrou na Minas Jr como consultora de Recursos Humanos. Um pouco tímida no início, foi conquistando seu espaço e se mostrando muito presente na empresa. Sempre com novas ideias, em 2016 teve papel fundamental no desenvolvimento e execução do novo processo de recrutamento, deixando sua marca junto à Diretora de RH.


A partir de então, ela não parou mais! Participou como Assessora da Mercado em Conexão onde se destacou por ter fechado com duas empresas, passando a terceira para outro assessor. Foi além e decidiu entrar no Núcleo UFMG Jr. como Coordenadora de Impacto, conseguindo alavancar a coordenadoria com ideias novas e muita dedicação. Uma característica marcante da Nath é sua determinação, extremamente corajosa e sem medo de desafios. Percebendo a baixa participação da Minas Jr no MEJ, ela trouxe resultados reais para nossa empresa, com um aumento significativo das nossas participações em eventos do Núcleo e na FEJEMG. Além disso, hoje ela também é Coordenadora Geral do Núcleo de Responsabilidade Social Empresarial, onde atua diretamente com práticas sociais e ambientais e assumiu para o próximo semestre sua maior aventura: ser a Diretora de Recursos Humanos da Minas Jr. Hoje ela trabalha cada vez mais consciente dos resultados e estratégias da empresa, tem grandes sonhos e está cada vez mais buscando aventuras.

6 Amanda Alves Marra (Cria UFMG) A Amanda é, basicamente, a personificação do Busca Por Aventura dentro da Cria! Inicialmente alocada para seguir como assessora de Redação e Qualidade, Amanda aceitou o maior desafio da gestão: assumir o cargo de Diretora de Administrativo Financeiro, núcleo que estava em vacância e para o qual ela não tinha participado do processo trainee. Mas Amanda não apenas aceitou o cargo e se deu por vencida: como Diretora, ela estudou muito, reformulou diversos processos do núcleo que nem aparentavam precisar de melhoras em gestões anteriores, otimizou processos e transformou o AF em um dos núcleos mais procurados pelo trainee que veio a seguir. Com tanta garra, dedicação, compromisso, proatividade e organização, Amanda inspirou não somente seus membros assessores do Administrativo Financeiro, mas a empresa como um todo - quem é que não lembrava de Amanda Marra e suas mil funções antes de reclamar que estava sobrecarregado?! Se a glória toda já não fosse merecida só por essa coragem de assumir um cargo de tamanha importância já em sua primeira gestão na empresa, nossa novíssima Diretora de AF se destacou por seu trabalho mais do que incrível em todos os núcleos de que participou! Essa menina fantásica se desdobrou como assessora no núcleo de Redação e ainda topou fazer parte do Comitê de Produção Gráfica. Para nós o dia tem 24hrs, para ela 72h.


Amanda encarou os três cargos que lhe foram atribuídos com empatia e determinação, motivos pelos quais fez um trabalho impecável todos os projetos de que participou! Seja como AF, Redatora ou membro da Produção Gráfica, ela sempre conseguia impulsionar a equipe, trazendo o melhor de todos que faziam parte dela. A resposta a todo esse esforço e dedicação com a empresa e seus membros trouxe resultados maravilhoso e vai continuar trazendo: Amanda acaba de ser eleita à Vice Presidência com nada mais nada menos do que 100% dos votos! Amanda inspirou muitos de nós como pessoas e como profissionais! Vimos nela um exemplo de que se jogar em algo que você não domina pode trazer frutos incríveis e aprendizado para uma vida inteira!


Categoria

INOVAÇÃO


1 Mannequin Challenge: De desafio viral a estratégia de Marketing (CPE) Indicadores de contratos assinados abaixo da meta, necessidade de fechar mais 6 contratos em um mês para atingir as metas de “EJ de Alto Crescimento”, um facebook voltado para clientes mas que nunca tinha feito nada para buscá-los. Essa foi nossa motivação para adotar práticas de vendas no nosso facebook. Nossa ideia foi transformar o que hoje era apenas uma rede social em um meio de atração de clientes, para ajudar as metas da Diretoria Comercial, utilizando uma estratégia de Black Friday e vídeos de divulgação. O resultado não podia ser melhor: Batemos o indicador de alcance diário do facebook com apenas uma publicação, crescemos em reconhecimento dentro do MEJ UFMG e também no MEJ mineiro e conseguimos um aumento gigantesco na quantidade de cliques em “fale conosco”, o que gerou valor para a marca CPE e ajudou a trazer projetos para e empresa. A equipe comunicação vinha de indicadores não atingidos quando se trata de rede social, não conseguimos atingir nossa meta de alcance diário da página no último mês e nenhuma de nossas publicações engajava o nosso público da maneira como gostaríamos. Na Diretoria Comercial, estávamos vivendo um período de inquietação, há dois meses não nos aproximávamos das metas de contratos fechados. Em setembro, apenas um contrato foi assinado, realidade muito distante da meta, que era de quatro contratos. Em outubro uma situação semelhante, apenas dois de cinco projetos foram fechados. Já em novembro, a situação era ainda mais crítica, a meta era de sete contratos e apenas um já havia sido assinado. Incomodados com esse cenário, a comunicação propôs uma estratégia de marketing ousada: um Black November, uma ideia muito utilizada em empresas seniores e pouco difundida nas empresas juniores. A inquietação que nos guiou para a criação de toda a campanha era: “O que podemos criar para mudar a realidade das duas diretorias e transformar nosso facebook em um provedor de leads?” Dessa maneira, coube a equipe de comunicação realizar toda a divulgação e idealizar maneiras de atingirmos nossos clientes de maneira eficiente e conseguindo gerar valor. A nossa estratégia de Black November era oferecer 10% de descontos em todos os projetos fechados no mês de novembro. Dentro da gerência, vivemos em um cenário muito motivador, o que contribuiu muito para a criação de novas ideias de postagens e maneiras para mudar nosso panorama de alcance e engajamento. Nos encontramos na seguinte situação: de um lado, existia a possibilidade de captar novos clientes, que poderiam fechar projetos conosco através de uma estratégia de desconto Black November e de uma publicação no facebook, porém, do outro lado, a nossa realidade era de não conseguir gerar engajamento e alcance suficiente para que


um anúncio desses chegasse a possíveis clientes. Naquele momento vivíamos um cenário em que, por mais que a estratégia do Black November fosse uma estratégia promissora, ela seria ineficaz e, muito provavelmente, não chegaria a nenhum possível cliente. Precisávamos, então, ir além, e, com esse cenário em mãos, começamos a abrir nossa cabeça para novas ideias e chegamos a uma conclusão: o Facebook é uma ferramenta extremamente robusta e, até hoje, nós só utilizamos um tipo de publicação que ele nos dispunha, que era a publicação de imagens. Começamos a avaliar onde e como essa inovação poderia acontecer, qual seria o tipo de publicação que nosso público ia se engajar mais e, como trazer um público que a nossa página ainda não tinha? Depois de várias pesquisas, vimos que o primeiro teste deveria ser a postagem de um vídeo. O Facebook utiliza um algoritmo chamado Edge Rank para impulsionar e rankear as publicações e, atualmente, vídeos são o tipo de publicação que o facebook melhor impulsiona organicamente. Vídeos são a comunicação do futuro, diz Mark Zuckerberg, fundador e CEO do Facebook. Quando estávamos dispostos de todo o conteúdo e estudos, decidimos colocar em prática o primeiro teste, um MVP. Nossa ideia era trabalhar em três frentes: apresentar a promoção Black November, criar estratégias para divulgar o Black November e aumentar nossa quantidade de curtidas. Para cada um desses pontos, utilizamos de alguns planos específicos. Decidimos, então, apresentar o projeto para o público em geral, e para tal, desenvolvemos um vídeo rápido e objetivo, com uma pegada diferente do nosso padrão, para que nosso envolvimento fosse maior. Depois, traçamos estratégias para conseguir mais curtidas e, por último, planejamos duas maneiras de divulgar e espalhar que nossa empresa estava em promoção: desenvolver uma capa de facebook para os membros usarem e, o nosso maior trunfo, fazer um Mannequin Challenge com os membros da CPE. Nossa primeira ação foi criar um vídeo de aproximadamente 20 segundos, passando a informação de que estávamos em promoção, apresentando nossas áreas de serviço e nosso contato. Só nesta publicação, nós tivemos um resultado em alcance e engajamento que a página da CPE nunca havia conhecido antes, foram 1500 visualizações, 7.090 pessoas alcançadas organicamente, 30 compartilhamentos, 339 reações e 25 comentários. Esse resultado surpreendente validou nossa ideia de começar a produzir vídeos e nos deu os insumos necessários para melhorar para os próximos. Com a primeira parte concluída com sucesso, decidimos partir para a segunda parte, nós precisávamos de mais pessoas para assistir o que nós queríamos entregar e, para isso, nossa ação principal foi engajar os membros e os trainees da empresa para convidarem amigos e conhecidos para curtir a página da CPE. A união e ajuda de cada uma das pessoas foi tanta que o resultado foi surpreendente, crescemos 17,1% em relação às semanas anteriores e conseguimos mais 390 curtidas na página.


Com a página em sua força total, o passo final era criar uma publicação que atrairia muita gente e alcançaria números antes nem imaginados pela equipe de comunicação. Depois de pensar bastante, percebemos que poderíamos usar o Desafio do Manequim para atrair novas pessoas a nossa página. Produzimos um vídeo de 1 minuto fazendo o desafio nas salas da CPE e no corredor do CPDEE, desafio esse que envolveu mais de 20 membros e trainees da empresa e alcançou o inimaginável: 10.280 visualizações no vídeo, 23.004 de alcance orgânico, 52 compartilhamentos, 1341 reações e 203 comentários e, para finalizar, todos os membros da empresa trocaram a capa de facebook para uma que informava sobre o Black November, o que também gerou um impacto grande na nossa página. Em outubro fizemos 14 postagens e, mesmo com o esse número, nós não conseguimos atingir a meta de alcance de postagens, que era de 750 pessoas alcançadas por dia. No mês de novembro, apenas com a publicação do Mannequin Challenge, teríamos batido a meta do mês anterior. Fazer vídeos não só resolveu nossos problemas de alcance e engajamento, mas também aumentou em 900% os cliques na aba “Fale Conosco”, fato que nunca tinha acontecido na história da CPE. Além disso, essa mudança trouxe diversas pessoas novas para a nossa página, engajou outras empresas Juniores a fazerem o mesmo, fez com que muitas pessoas conhecessem a empresa, agregou valor à marca CPE, nos tornou mais visível em relação ao MEJ UFMG e ao MEJ mineiro e nós aproximou de toda a comunidade do Movimento Empresa Júnior como um todo. Depois de todo esse processo, já assinamos quatro contratos no mês de novembro, mostramos que práticas utilizadas por empresas seniores podem ser utilizadas também em EJs, desde que bem inseridas e pensadas, e conseguimos transformar nosso Facebook em um provedor ativo de demandas para a Diretoria Comercial. Além disso, nós conseguimos desafiar o algoritmo do facebook, conseguindo um alcance absurdo e isso, consequentemente, ajudou na gestão de marca. A empresa será lembrada de uma forma totalmente condizente aos valores do Núcleo como Orgulho, Hakuna Matata, Aprendizado e Inovação, não só nossa mas de outras EJ's que, vendo o resultado, podem também aplicar essa estratégia em outras oportunidades. Ainda estamos longe do ideal, aprendemos muito na questão de produção e utilização de vídeo no Facebook e vamos usar todo esse feedback para transformar nossas redes sociais em ferramentas para manutenção e impacto nas metas da empresa. Enfrentar uma realidade de problemas em relação a indicadores da nossa gerência foi vital para ver que nós deveríamos mudar o panorama da comunicação em relação ao Facebook. Era de grande necessidade transformá-lo em algo que impacte diretamente as outras diretorias e, por consequência, a própria empresa como um todo, e foi justamente isso que fizemos. A comunicação é um mundo aberto e cheio de oportunidades e nós acabamos de abrir a porta para esse mundo, onde ainda pretendemos explorar cada uma delas, sempre pensando em impactar a nossa empresa de maneiras positiva e engajando o MEJ em geral a fazer o mesmo.


2 Pitch na RG: compartilhar para crescer junto (Mult Jr.) No Movimento Empresa Júnior a ideia de compartilhamento de conhecimentos entre seus integrantes é muito presente, porém nem sempre isso se torna realidade. Com a correria da rotina e as tarefas que temos que realizar, acabamos não aproveitando as pessoas com as quais trabalhamos para aprender sobre assuntos que elas dominam ou com suas experiências. Além disso, muitas vezes menosprezamos nosso próprio conhecimento, acreditando que não temos nada a ensinar para as outras pessoas. A Mult Jr acredita que toda pessoa tem algo a ensinar, mas também que sempre podemos aprender algo mais. Foi com o intuito de tirar esse compartilhamento de conhecimentos do plano da ideia e transformá-lo em realidade que a diretoria de Recursos Humanos trouxe uma nova proposta para nossas Reuniões Gerais (RG). Um espaço no qual qualquer membro tem 5 minutos para apresentar um pitch sobre qualquer tema ou assunto que achar interessante compartilhar com toda a empresa. O primeiro teste desse novo momento na RG foi feito pela diretora de Recursos Humanos, que falou justamente sobre apresentações e sobre como todo mundo tem algo para ensinar, justamente com o intuito de estimular outras pessoas a fazer um pitch. Nas outras RG's em que o pitch aconteceu, um dos assessores da diretoria Administrativo- Financeira falou um pouco sobre o processo de tomada de decisão e como ele pode nos ajudar a assumir novos riscos, quando feito da forma adequada, e o diretor de Marketing explicou como foi a experiência de ser síndico aos 19 anos, falando dos desafios que enfrentou e também dos aprendizados que adquiriu. Além de compartilhar um conhecimento ou uma experiência com seus colegas de trabalho, os membros que fizeram o pitch tiveram uma oportunidade a mais para treinar a fala em público e a forma como fazem apresentações. Em relação a empresa como um todo, percebemos que esse momento na RG contribui para o clima durante nossas reuniões gerais e para o aumento da interação entre os membros. O Pitch na RG é uma forma concreta de mostrar para os membros da Mult que sempre temos algo a aprender, mas também que nossas experiências podem contribuir muito para outras pessoas. Para crescermos juntos, precisamos compartilhar nossos aprendizados e experiências com aqueles que estão a nossa volta.

3 Paint Nunca Mais (Cria UFMG) Os membros da Cria esse ano tiveram uma grande dificuldade em entender quais caminhos existem na comunicação e como poderiam fazer algo diferente dentro da nossa Empresa Júnior. Algo que não fosse um projeto de publicidade usual, como a criação de uma identidade visual ou um plano de comunicação. Queríamos empreender no sentido de mostrar aos nossos membros que existe um mundo a ser explorado e que eles poderiam utilizar a Cria para isso.


Com isso em mente, criamos uma ação chamada Empreende, Cria. Ela foi feita para testarmos coisas novas e o nosso núcleo de Direção de Arte foi o primeiro a tentar. Percebemos que muitas pessoas passam pela Cria e decidem que Agência não é a deles e a procuram um caminho no meio Acadêmico. Para darmos a chance das pessoas explorarem esse meio na Cria, foi criado o curso Paint Nunca Mais, em que os próprios membros da Direção de Arte dariam aulas, treinamentos, para o pessoal do MEJ UFMG. O curso foi todo planejado e divulgado para dar aos nossos membros e aos participantes uma experiência diferente. Ele ocorreu em novembro e foi um sucesso. As vagas esgotaram-se rapidamente, com gente pedindo por mais, e alguns dos membros já falaram que gostaram tanto de ensinar que pretendem continuar dando cursos, treinamentos ou até empregos como professores. Eles sentiram que a Cria abriu uma nova porta para eles, seja para dizer que não é isso ou que talvez seja o que querem para a vida. Como diz nossa missão, somos um espaço de aprendizado para os membros, com essa ação podemos realmente ser sesse espaço de diferentes aprendizados, do que vão além de projetos normais.

4 Spotted Dia dos Professores (AEROJR.) Introdução Na universidade, como alunos, vivemos sempre reclamando. Reclamando de ter que ir às aulas, reclamando das provas, da didática dos professores, da falta de suporte, da cobrança excessiva. Muitas vezes, nos perdemos nas reclamações e inclusive esquecemos de elogiar e agradecer aqueles professores que exercem com excelência sua função, que ensinam com respeito, que cobram com coerência, que ajudam com prontidão. Nesse último Dia dos Professores, porém, nossos objetivos eram agradecer e reconhecer. Reconhecer o trabalho de quem tanto fez por nós, ajudandonos e nos motivando a buscar soluções para os problemas e a nos tornarmos os melhores profissionais que podemos nos tornar. Agradecer por todo o aprendizado, muitas vezes não só relacionado à matéria lecionada, mas sim à vida. Contextualização O Dia dos Professores estava próximo e a Diretoria de Marketing tinha a missão de pensar em uma Ação para esse feriado. Tínhamos, inicialmente, o objetivo de atingir todo o curso (alunos e professores), aumentando nossa visibilidade como iniciativa extracurricular e melhorando nossa relação com nossos professores. Seguíamos o ponto


da nossa Visão de sermos reconhecidos como iniciativa de alto impacto pela engenharia aeroespacial da UFMG. Queríamos que fosse uma ação de alto impacto e baixo custo, estilo marketing de guerrilha. Nosso principal alvo eram realmente nossos professores, pois essa ação era parte de um plano maior, com a finalidade de melhorar a então desgastada relação com eles, herança deixada pelas primeiras gestões da empresa. Além disso, a impressão que deixaríamos nos alunos do nosso curso também era muito importante para nós, pois queríamos cada vez mais ser um exemplo e trazer mais pessoas interessadas para dentro da empresa, nos Processos Seletivos. Ideia Depois de muito brainstorming e muita discussão, surgiu a ideia de dar recadinhos de agradecimento e motivação aos professores. Na versão inicial, faríamos algo dentro do grêmio do curso e nas salas de aula, apenas com a participação dos alunos de engenharia aeroespacial. Porém, pensamos que seria ainda melhor impactar toda a Escola de Engenharia, juntando todas as empresas juniores de engenharia na ação, com o mesmo objetivo. Assim, faríamos a ação no Hall, o lugar de maior movimentação da engenharia, e enviaríamos todos os recados para os professores. Também tínhamos a ideia de filmar tudo e, ao final, fazer um vídeo promocional da ação, que seria publicado na nossa página do facebook no Dia dos Professores, para gerar movimentação na página e ter um registro qualitativo dos resultados gerados. Execução Reunimos todas as equipes de Marketing/Comunicação de todas as EJ’s de engenharia para apresentar a proposta, o porquê da ação e a logística de como ela iria funcionar. Além disso, pedimos sugestões e ideias para melhorarmos a estrutura da ação e como poderíamos atingir o maior número de alunos possível. Decidimos ainda que faríamos a ação em dois dias (terça e quarta feira) para abranger mais alunos, pois as matérias na engenharia costumam ser casadas (segunda e quarta / terça e quinta) e entregaríamos os recados aos professores na mesma semana, para ter uma boa folga para a edição do vídeo. Além disso, a pedidos, fizemos um form, para que quem quisesse enviar recados mas não pudesse ir à UFMG no dia ainda pudesse participar.


Com os materiais comprados, roteiro do vídeo pronto e divisão de horários determinada, começou nossa ação, chamada de Spotted de Dia dos Professores. Eram muitos recados de admiração e agradecimento, para professores dos mais variados departamentos da Escola de Engenharia. Tivemos também o cuidado de filtrar as mensagens de eventuais haters que apareceram e nos certificar que todas elas eram apreciativas. Ao todo, foram dois dias de campanha durante os intervalos das aulas, muitos post-its nos murais e muito movimento no stand. Resultados Tivemos um engajamento maravilhoso de grande parte dos alunos da engenharia. Ao final dos dois dias de Spotted, tivemos mais de 50 professores elogiados e quase 200 recados escritos, além de muitos elogios e comentários positivos sobre nossa ação. Gravamos algumas entregas dos recados a professores também, e vimos a reação de vários a receberem as mensagens. O vídeo postado na nossa página mostrou um pouco dessas reações lindas. Fomos muito elogiados por muitos professores do nosso curso e fizemos muitas pessoas felizes. Acredito que, ao final, o Spotted de Dia dos Professores resgatou um pouco daquele sentimento, de gratidão com nossos professores, que tanto faltava. Foi lindo ver que os alunos tinham tantas coisas boas a dizer e tanto a agradecer. Mas foi maravilhoso ver o sorriso no rosto de cada um dos professores recebendo suas mensagens e sabendo que seu trabalho estava sendo reconhecido. Ao final, ganhamos muito reconhecimento e melhoramos muito nossa relação e nossa imagem com nossos professores, dando um grande passo no caminho da nossa Visão. Foi com certeza uma das ações mais recompensadoras que já fizemos. Agradecimentos Gostaríamos de agradecer às equipes de Comunicação e Marketing da CPE Jr., Emas Jr., Minas Jr, Mult Jr. e PJ. A participação e o apoio de vocês foram imprescindíveis para que o Spotted de Dia dos Professores tenha dado tão certo! #brother

5 A implementação de debates no meio empresarial como ferramenta de desenvolvimento de membros (Minas Jr.) Introdução


Há uma missão muito valiosa no Movimento Empresa Junior: a formação de empreendedores capazes de gerar impacto por meio das ações que desempenham, promovendo transformações positivas e sustentáveis na sociedade. E foi, por essa motivação, que surgia no fim do ano de 2015 uma preocupação eminente na Minas Jr Consultoria Mineral: qual podia ser, afinal, o maior papel da empresa na construção da opinião de seus membros? A necessidade da criação de um núcleo de responsabilidade social era de consciência de todos os setores. O Setor de Comunicação, formado por representantes de diferentes minorias socioculturais, identificava ainda que tais responsabilidades não estariam relacionadas apenas ao meio ambiente e sociedade, mas também com o desenvolvimento de profissionais mais éticos e humanos a partir da vivência empresarial. Além disso, o cenário conservador dos cursos de Engenharia de Minas e Geologia alertava para a urgência na desconstrução de alguns discursos tradicionais. O setor então idealizou o projeto Minas Jr sem Preconceitos: uma roda de conversas para que os membros compartilhassem suas experiências, vivências e opiniões, seguindo um tema proposto. Implementação Inicialmente, cogitou-se a definição de um evento específico para a realização das discussões. No entanto, para que houvesse maior engajamento na iniciativa foi proposto então que sua realização acontecesse mensalmente após as reuniões gerais da empresa, ficando livre a escolha da participação. Assim, os membros já estariam reunidos e seria mais fácil convidá-los a permanecer para a roda. A dificuldade maior, entretanto, não era o comparecimento de grande parte dos nossos empresários juniores, mas o modo como a discussão deveria ser conduzida para que os participantes estivessem confortáveis para expressarem suas opiniões. Seria muito fácil apenas que minorias defendessem suas dores, além de limitar a riqueza de um debate composto por diferentes pontos de vista. A fim de solucionar esse ponto, foi realizada uma enquete para que temas que atrairiam a maioria fossem votados e definiram-se duas pessoas para conduzir o projeto em cada reunião. Os condutores deveriam representar o tema definido, para que fosse assegurado o desenvolvimento do tópico. Ademais, cada membro teria um tempo limite para expor seu ponto, mas de forma flexível para que a conversa fluísse. Contamos ainda com um pouco do risco, acreditando que a partir do andamento da discussão os membros passariam a se sentiriam à vontade. O primeiro Minas Jr sem Preconceitos abordou o tema Machismo, muito presente na realidade universitária e profissional. Por se tratar de um tópico muito amplo, pautas


mais direcionadas foram sendo estabelecidas naturalmente durante a conversa, que se estendeu até o limite máximo de tempo do projeto para aquele dia. A partir dessa edição, observou-se a necessidade de definir encaminhamentos antecipadamente. O evento seguinte, com o tema Diversidade Sexual, funcionou então com um sistema de perguntas e considerações sugeridas pelos próprios participantes. Antes do início da conversa, os membros escreveram suas propostas em papéis que foram misturados e colocados em uma caixa. Os condutores escolhiam um papel e o debate tinha um tempo total para cada pauta sorteada. Resultados Foi criado um formulário após a primeira edição para que os participantes opinassem sobre o tempo do debate, formato da discussão e possíveis temas, bem como sobre possíveis mudanças para um melhor modelo ser construído. Foram observados dois pontos mais críticos: o tempo para cada encaminhamento, antes de 20 (vinte) minutos, poderia ser reduzido para mais tópicos serem abordados; e a participação dos membros da empresa poderia ser maior.

Figura 1 – Membros participantes na primeira edição do projeto. A partir da realização do primeiro Minas Jr sem Preconceitos, verificamos o poder de divulgar o projeto a partir dos próprios presentes. Os membros participantes passaram a comentar com os demais sobre como funcionou o projeto e como foi positivo para quem participou, impactando na aceitação na reunião seguinte. No formulário de feedback, destacaram-se comentários como “ADOREI a iniciativa e ideia do projeto! Aos poucos vamos conseguindo melhorá-lo! ”, e, “Parabéns a todos pela iniciativa. Como havia dito, a Minas Jr. foi a primeira EJ a abrir esse espaço para debates de cunho social. Não há lugar melhor para se debater tais temas do que na universidade, lugar de onde sairão os futuros profissionais. Que a ideia se propague. ”.


Figura 2 – Membros participantes na segunda edição do projeto. Por meio da Figura 2, é possível verificar o aumento no número de participações. Além disso, percebemos que alguns membros começaram a ficar ansiosos para as próximas discussões, que tinham o potencial ainda de configurar as reuniões gerais como um momento mais leve entre os integrantes da empresa. A aproximação e desenvolvimento de empatia entre os membros também foi notável. No quesito de formação de opinião, os resultados foram ainda mais surpreendentes. Ouvimos durante os debates pessoas expondo dificuldades na desconstrução de seus conceitos, mas assumindo estarem presentes com a vontade e o interesse de se construírem como serem humanos melhores. Mostraram-se ainda pontos dos discursos tradicionais que carregam aspectos preconceituosos, não percebidos pela existência de uma cultura da sociedade que a maioria está inserido. Conclusões O Minas Jr sem Preconceitos ainda tem aspectos que precisam ser melhorados. Para as próximas edições, pretende-se ter um momento inicial onde serão apresentados dados estatísticos e mais informações sobre o tema, de forma a introduzir e encaminhar o debate. No Movimento Empresa Junior, percebe-se de forma clara o poder do desenvolvimento colaborativo. Esse formato de diálogo entre os membros mostrou-se, de maneira inegável, como uma ferramenta impressionante de desenvolvimento a partir do compartilhamento de experiências que tangem pessoalmente cada participante. O projeto, apesar de ser jovem e não ter adquirido ainda um modelo ideal, é muito gratificante. É uma forma direta da empresa promover o pensamento crítico e a formação de opiniões, cumprindo mais uma vez seu papel: formar profissionais mais capazes, inovadores, dinâmicos e, principalmente, mais humanos.



Case nawards 2016.2