Issuu on Google+

Plano de Actividades e Orçamento 2005 NÚCLEO DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA DO AMBIENTE

ASSOCIAÇÃO ACADÉMICA DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO

ÍNDICE


PERSPECTIVAS

PARA UM

N O V O A N O ....................................................................... pág.. 5

Direcção do Núcleo de Estudantes de Engenharia de Ambiente – AAUAv .................... pág. 6 1. Coordenação ............................................................................................................... pág. 6 1.1. Reuniões Gerais de Membros (RGM’s) ............................................................. pág. 7 1.2. Tesouraria .......................................................................................................... pág. 7 1.2.1. Gastos logísticos 1.2.2. Gastos financeiros 1.2.3. Aquisição de material 1.2.4. Quotização 1.2.5. Acompanhamento da participação do curso na Semana do Enterro e na organização da Semana de Integração do Caloiro de Ambiente (SICA) 1.2.6. Gestão dos cacifos dos alunos de EA 1.2.7. Apoio à Comissão de Finalistas 1.3. Relacionamento com a Direcção AAUAv ......................................................... pág. 8 1.4. Relacionamento com outros Núcleos de Curso .................................................. pág. 9 1.5. Relacionamento com outros Núcleos ................................................................. pág. 9 1.6. Relacionamento com a Comissão Pedagógica de Eng. Ambiente ..................... pág. 9 1.7. Processo Eleitoral ............................................................................................. pág. 10 1.8. Manutenção de uma base de dados de membros efectivos, extraordinários e honorários ............................................................ pág. 10 1.8.1. Identificação dos Membros 1.9. Relacionamento com o Dep.to de Ambiente e Ordenamento ........................... pág. 10 1.9.1. Obtenção de condições de trabalho 1.9.2. Obtenção de condições de estudo

Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente – AAUAv - Plano de Actividades e Orçamento 2005

2


1.10. Relacionamento com a Universidade de Aveiro ............................................ pág. 11 1.11. Relacionamento com a Câmara Municipal de Aveiro (CMA) ....................... pág. 11 1.12. Relacionamento Institucional ......................................................................... pág. 11 1.12.1. Instituto do Ambiente (IA) 1.12.2. Associação Nacional de Estudantes de Engenharia do Ambiente – ANEEA 1.12.3. Relacionamento com a Ordem de Engenheiros 1.12.4. Empresas da área do Ambiente Orçamento…………………. ……. ......................................................................... pág. 14 2. Secção Informativa ................................................................................................... pág. 15 2.1. Folha Informativa ............................................................................................. pág. 15 2.2. Site do NEEA ................................................................................................... pág. 16 2.3. Relacionamento com o Exterior ....................................................................... pág. 16 3. Secção Pedagógico-Formativa ................................................................................. pág. 17 3.1. Sessões de Esclarecimento ............................................................................... pág. 17 3.1.1. Sessão de esclarecimento sobre a ANEEA 3.1.2. Sessão de esclarecimento sobre os perfis de curso vigentes no 5º ano 3.2. Conferências ..................................................................................................... pág. 18 3.2.1. A utilização de zonas húmidas construídas para o tratamento de efluentes 3.2.2. Energias renováveis 3.3. Acções de Formação.... ..................................................................................... pág. 20 3.4. Visitas de estudo.... ............................................................................................ pág. 21 3.5. Biblioteca curricular de EA..... .......................................................................... pág. 21

Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente – AAUAv - Plano de Actividades e Orçamento 2005

3


4. Secção Académico-Desportiva ................................................................................. pág. 22 4.1. Participação de EA na Semana do Enterro do Ano .......................................... pág. 22 4.2. XI Semana de Integração do Caloiro de Ambiente (SICA) ............................. pág. 23 4.3. Emblema de curso ............................................................................................ pág. 24 4.4. Festas/ Jantares ................................................................................................. pág. 24 4.5. Feira Académica de Ambiente ......................................................................... pág. 25 4.6. Participação em Provas da AAUAv ................................................................. pág. 25 4.6.1. Torneio inter-cursos 4.6.2. Participação na Corrida de Bateiras da Semana do Enterro

Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente – AAUAv - Plano de Actividades e Orçamento 2005

4


Perspectivas para um novo ano

“o desenvolvimento que satisfaz as necessidades do presente sem comprometer a capacidade das gerações futuras de satisfazer as suas próprias necessidades” Relatório da comissão mundial de ambiente e desenvolvimento (Relatório Brundtland)

É isso mesmo, a nova direcção do NEEA espera corresponder a todas as necessidades dos actuais estudantes de Engenharia do Ambiente, sem por em causa as necessidades das gerações futuras. Sabemos que para isso é exigido um grande empenho por parte desta equipa. Apesar da juventude e da inexperiência de que tanto se falou durante a campanha eleitoral, estamos dispostos a mostrar que este continua a ser o melhor núcleo de curso. Iremos ministrar actividades extracurriculares de forma a complementarem o plano curricular do curso. As actividades propostas são as seguintes: ciclos de conferências/ debates, sessões de esclarecimento, acções de formação e visitas de estudo. Propomo-nos assegurar o lançamento da “Folha Informativa” e tornar o site do NEEA uma realidade, para que se possa criar um espaço de expressão de opiniões, divulgação de eventos e promoção do nosso curso na Academia. Queremos assim, confirmar a participação de todos nas actividades do NEEA. A nível académico-desportivo queremos impulsionar o espírito dos estudantes de Engenharia do Ambiente, estimulando a participação de todos nas actividades propostas (festas, jantares, torneios, etc). O NEEA colaborará nas tradicionais actividades académicas (SICA e Semana Académica). Para que a estabilidade financeira seja conservada, contamos com os apoios das seguintes entidades: Conselho Directivo do Departamento de Ambiente e Ordenamento, Reitoria da Universidade de Aveiro, Serviços de Acção Social da Universidade de Aveiro, AAUAv e empresas. E porque o Ambiente tem de ser uma preocupação de todos, todos os dias, eis uma direcção que nos vais ajudar a despertar para o que mais importa.

Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente – AAUAv - Plano de Actividades e Orçamento 2005

5


Núcleos de Estudantes de Engenharia do Ambiente – AAUAv

Direcção: Coordenador: João Américo Alves Soares

nº28001

Responsável Financeiro: Margarida Vidal da Silva Lopes

nº27519

Secção Pedagógico-Formativa: Daniel José Henriques Almeida Maria Elisa Seabra Azevedo Cunha e Sá

nº27822 nº28438

Secção Académico-Desportiva: Diogo Pinto de Oliveira Dâmaso Rute Adelaide da Silva Pinho Alves

nº31965 nº30957

Secção Formativa Marta Raquel Martins da Silva Couto

nº30557

Membros por inerência Bruno Manuel Pereira Coimbra nº21203 (Mestre de Curso) Mariana Faria Fernandes Araújo Pinheiro nº25629 (aluno da Comissão Pedagógica com assento no Conselho Pedagógico)

1. Coordenação

A estrutura da direcção do NEEA foi novamente alterada. Esta mudança compreende uma forte ligação entre o coordenador e o responsável financeiro, estando sempre em contacto com os restantes elementos da direcção assegurando um trabalho conjunto. Achamos também que a Secção Académico-Desportiva e a Secção PedagógicoFormativa necessitariam de duas pessoas a trabalhar conjuntamente para garantir boas condições de trabalho. Contamos com o nosso trabalho e a nossa dedicação no alcance dos nossos objectivos, afirmando assim, o bom e saudável funcionamento do núcleo, tanto a nível económico, como na gestão dos diversos recursos disponíveis.

Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente – AAUAv - Plano de Actividades e Orçamento 2005

6


1.1. Reuniões Gerais de Membros (RGM’s)

As RGM’s são o local adequado para que todos os estudantes de Engenharia do Ambiente intervenham de uma forma activa e participativa. Esperamos que este ano a adesão seja maior, até porque o que se tem vindo a observar é um maior interesse de todos os estudantes nas várias actividades do núcleo (primeiro ano em que houve três listas candidatas à direcção do NEEA). Qualquer grupo de alunos poderá solicitar a convocação de uma RGM para a apresentação e discussão de determinado tema relativo ao NEEA. A marcação da RGM é da responsabilidade do coordenador, deverão decorrer obrigatoriamente duas RGM’s: uma para apresentação e votação do Plano de Actividades e Orçamento e uma outra para aprovação do Relatório de Actividades e Contas. A Comissão Pedagógica de Engenharia do Ambiente estará à vontade para solicitar a marcação de RGM’s, quando necessário, já que esta zela pelos interesses dos estudantes de Engenharia do Ambiente.

1.2. Tesouraria

No âmbito financeiro pretendemos praticar uma gestão rigorosa dos meios financeiros do NEEA, apresentando com transparência, clareza e regularidade as contas do NEEA à direcção da AAUAv e aos alunos de Engenharia do Ambiente. Achamos necessário manter um relacionamento próximo com a tesouraria da AAUAv. É importante dar continuidade aos apoios existentes mas a procura de novos contactos é também nosso objectivo para um bom funcionamento a nível financeiro.

1.2.1. Gastos Logísticos

Para o funcionamento do NEEA existirão gastos logísticos, que são todas as despesas que se façam com material de escritório. Como nos anos anteriores, pretendemos garantir junto do Conselho Directivo o acesso ao fax, correio e fotocópias.

1.2.2. Gastos Financeiros

Entende-se por gastos financeiros as taxas cobradas pelos bancos e a aquisição de cheques.

Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente – AAUAv - Plano de Actividades e Orçamento 2005

7


1.2.3. Quotização

Tal como na direcção anterior a quotização será de 3,50 €/ano para membros efectivos e 7€ para membros extraordinários.

1.2.4. Acompanhamento da participação do curso na Semana do Enterro e na organização da Semana de Integração do Caloiro de Ambiente (SICA)

A grande importância da Semana do Enterro e da Semana de Integração do Caloiro de Ambiente (SICA), como actividades académicas, faz com que pretendamos colaborar financeiramente, a nível logístico e contabilístico nessas actividades. Temos como meta o cumprimento de todas as regras relacionadas com a prestação de contas e a existência de clareza e rigor na sua contabilidade, sendo necessário para tal uma boa comunicação entre as pessoas responsáveis e o NEEA.

1.2.5. Gestão dos cacifos dos alunos de Engenharia do Ambiente

A gestão dos cacifos vai ser feita de acordo com as condições em vigor, ou seja, cada estudante que requisite um cacifo pagará 6€ (5€ de caução e 1€ que reverterá para o núcleo).

1.2.6. Apoio à Comissão de Finalistas

Como tem acontecido nos anos anteriores, pretendemos garantir o apoio à comissão de finalistas, disponibilizando suporte documental para os seus donativos e patrocínios, cumprindo todas as regras inerentes à contabilidade do NEEA. As verbas ficarão na conta do NEEA até à realização da viagem.

1.3. Relacionamento com a Direcção da AAUAv

O NEEA considera importante manter o relacionamento próximo com a Direcção da AAUAv, para que a comunicação entre estas duas entidades seja melhorada. Mantendo um contacto regular e contínuo, o NEEA prestará contas, no final de todos os meses, à Direcção da AAUAv. O NEEA tem consciência das dificuldades financeiras atravessadas pela Direcção da AAUAv, por isso terá especial atenção aos gastos necessários para a realização das diversas actividades propostas. Assim, contamos com o apoio financeiro e logístico mínimo necessário para realização dessas actividades.

Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente – AAUAv - Plano de Actividades e Orçamento 2005

8


Em relação aos apoios financeiros, esperamos que este seja definido em tempo útil e que a sua atribuição aos Núcleos possa também ser sujeita a critérios claros, que passam naturalmente pelo cumprimento do seu Plano de Actividades, assim como, pela capacidade de dar resposta às diversas necessidades dos alunos dos respectivos cursos. Relativamente ao apoio logístico, contamos que, tal como no ano anterior, seja possível o acesso aos meios da AAUAv (dado que o horário de funcionamento do Departamento de Ambiente e Ordenamento pode, em alturas de maior actividade, ser limitativo da mesma), nomeadamente no que diz respeito aos transportes.

1.4. Relacionamento com outros Núcleos de Curso

Os Núcleos de Curso têm um campo de actuação bastante diferente dos restantes Núcleos e objectivos muito específicos no que diz respeito à promoção dos cursos e da Universidade de Aveiro, ao apoio efectivo às necessidades dos alunos, e da formação e saídas profissionais, objectivos estes partilhados pela própria Universidade. Vemos igualmente como positiva a organização de algumas actividades conjuntas, apesar de considerarmos que estas deveriam ter sido discutidas antes da elaboração dos respectivos PAO’s, mas encontramo-nos disponíveis, dentro das limitações impostas pelo nosso Plano de Actividades, para participar em iniciativas de promoção dos Núcleos de Curso ou noutras que sejam propostas. Esperando que a revisão estatutária esteja efectivamente na ordem do dia, fazemos votos que esta seja a impulsionadora de uma discussão de princípio sobre o conceito de Núcleo de Curso e o seu enquadramento na Associação Académica, seus objectivos e potencialidades, os recursos e as condicionantes existentes, que nos parece que seria de qualquer forma necessária, essencialmente quando se vislumbra o aumento do número dos Núcleos de Curso.

1.5. Relacionamento com outros Núcleos

A estrutura nuclear da AAUAv não se resume apenas aos núcleos de curso, por isso pretende-se aumentar o relacionamento com outros núcleos desta estrutura.

1.6. Relacionamento com a Comissão Pedagógica de Engenharia do Ambiente A direcção pretende colaborar com a Comissão Pedagógica apoiando-a não só com a marcação de RGM’s, e com a cedência do espaço de trabalho, mas fundamentalmente pela colaboração na recolha das sensibilidades e problemas do curso e na transmissão de informações e encaminhamento dos problemas detectados. Irá ainda dar o apoio de forma a que os interesses dos alunos do curso possam ser devidamente representados e respeitados nos órgãos indicados, como por exemplo na Assembleia Departamental. Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente – AAUAv - Plano de Actividades e Orçamento 2005

9


Espera-se também que a participação de um representante da Comissão Pedagógica no regular funcionamento do NEEA, permita que este possa melhor orientar as suas actividades de forma a corresponder às expectativas do curso.

1.7. Processo Eleitoral

Este processo, definido no Regulamento Interno do NEEA, está previsto decorrer nos seguintes moldes:  criação da Comissão Eleitoral, que será presidida pelo Coordenador da Direcção (podendo este delegar competências noutro elemento da mesma) e por um elemento de cada uma das listas candidatas;  terá lugar no final de Novembro de 2005, com período para recepção de listas candidatas, de campanha e acto eleitoral, e posteriormente, tomada de posse;  cada lista terá direito a uma pequena verba, para comparticipação nos gastos relativos à campanha eleitoral, sendo obrigatória a entrega dos respectivos documentos comprovativos.

1.8. Manutenção de uma base de dados de membros efectivos, extraordinários e honorários

Pretendemos estar em contacto com todos os estudantes de Engenharia do Ambiente. Temos o objectivo de manter actualizada a base de dados de membros, sendo um importante veículo de comunicação entre todos.

1.8.1. Identificação de Membros

Dando continuidade ao trabalho realizado pela direcção anterior, serão distribuídos cartões aos membros do NEEA, essencialmente para facilitar a diferenciação nas actividades, no caso de haver benefícios para estes.

1.9. Relacionamento com o Departamento de Ambiente e Ordenamento (DAO)

Devido à grande importância reconhecida do NEEA, ao longo dos anos da sua existência, pelo DAO, pretende-se dar continuidade às boas relações de funcionamento, no sentido de obtermos as ajudas de que estamos dependentes, tais como financeira, pedagógica e formativamente. O DAO, como estrutura impulsionadora, é fundamental para a realização das várias actividades desenvolvidas nos parâmetros acima referidos. Apesar da grande vontade de trabalhar, existem também lacunas de conhecimento que estamos convictos que possam ser preenchidas pelo DAO. Esperamos a continuação do trabalho conjunto para divulgação do curso dentro e fora da Universidade. Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente – AAUAv - Plano de Actividades e Orçamento 2005

10


1.9.1. Obtenção de condições de trabalho

Para melhorar as condições de trabalho está prevista uma mudança de instalações que proporcione ao Núcleo um espaço próprio. Espera-se, embora esta decisão dependa da direcção do Departamento, que se localize no bloco principal de modo a facilitar a interacção com os estudantes de Engenharia do Ambiente, e que seja o mais breve possível para facultar uma melhor integração da direcção. No sentido de assegurar um apoio contínuo aos alunos, será criado um horário de atendimento, que terá lugar todas as quartas feiras das 15h00 às 16h00.

1.9.2. Obtenção de condições de estudo Neste item apenas queremos realçar a disponibilidade do NEEA de servir de veículo de algumas das necessidades dos alunos relativamente às condições existentes dentro do DAO, nomeadamente as referentes às salas de estudo e dos computadores.

1.10. Relacionamento com a Universidade de Aveiro (UA)

O NEEA, sendo o representante dos alunos de Engenharia do Ambiente, pretende comunicar junto destes as decisões da Reitoria e Serviços de Acção Social.

1.11. Relacionamento com a Câmara Municipal de Aveiro (CMA)

O NEEA continua disponível a colaborar nas diversas iniciativas da Câmara Municipal de Aveiro. No que se refere à Casa Municipal da Juventude, gostaríamos que através desta estrutura fosse dada a possibilidade ao NEEA de interagir e colaborar com as diversas associações juvenis do Distrito.

1.12. Relacionamento Institucional

Tal como foi já referido, caberá à coordenação da equipa assegurar e/ ou acompanhar os relacionamentos do Núcleo com as diversas entidades com que este iniciará contactos. De entre as várias instituições com as quais o NEEA se relaciona / pretende relacionar iremos destacar algumas delas.

Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente – AAUAv - Plano de Actividades e Orçamento 2005

11


1.12.1. Instituto do Ambiente (IA)

Criado da fusão entre a Direcção Geral do Ambiente e o Instituto de Promoção Ambiental, o Instituto do Ambiente terá a competência de dar apoio às organizações / iniciativas que promovam a educação ambiental. Pretendemos à semelhança do verificado em anos anteriores, averiguar qual a possibilidade de cedência ao NEEA de alguma bibliografia e material pedagógico, assim como, divulgar alguma informação pertinente disponibilizada por este instituto.

1.12.2. Associação Nacional de Estudantes de Engenharia do Ambiente – ANEEA

Quando falamos da ANEEA, é bom referir o passado e assegurar o futuro, traçando novas linhas e dando continuidade às anteriores. A ANEEA assenta sobre dois objectivos primordiais. Um deles é criar um canal de comunicação entre os estudantes das várias instituições de ensino e as entidades que estão directamente ligadas ao ensino e ao exercício da profissão, através do qual os estudantes possam dar o seu contributo para as discussões e para as decisões que os afectam directamente. O segundo é informar os estudantes sobre os debates que estão a decorrer e sobre as questões mais problemáticas que afectam a Engenharia o Ambiente. Dando a conhecer um pouco do trabalho desenvolvido até agora e a dinâmica da própria Associação, é de realçar que, apesar da formação da ANEEA apenas se ter concretizado no passado dia 21 de Abril de 2004, já se verificou a adesão de mais um núcleo como membro efectivo: da ESAC (Escola Superior Agrária de Coimbra). E que existem dois novos núcleos observadores: o núcleo da FCTUC (Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra) e o Núcleo da ISA da UTL (Instituto Superior de Agronomia da Universidade Técnica de Lisboa) que ainda se encontram em fase embrionária. Ao nível de actividades organizadas, para além da própria Assembleia Constituinte onde se promoveu o debate sobre a sustentabilidade da profissão nos actuais moldes, não podemos deixar de mencionar o 1º Fórum Nacional de Estudantes de Engenharia do Ambiente (FNEEA), quer pela importância que teve para a ANEEA como para o próprio NEEA, demonstrando a capacidade de mobilização dos vários membros da ANEEA e a capacidade do NEEA de receber um evento dessa envergadura. Este evento serviu também para mostrar as fragilidades inerentes a esta estrutura ainda em fase de amadurecimento: a comunicação e trabalho conjunto entre os vários Núcleos não se encontram ainda optimizados, questão para a qual o NEEA pretende contribuir no próximo mandato.

Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente – AAUAv - Plano de Actividades e Orçamento 2005

12


Ainda no seguimento da organização do FNEEA, consideramos que é de salientar a importância de espaços de debate similares; através dos quais a posição da ANEEA possa vir a ser fundamentada. Também aí é necessário desenvolver mais esforços no sentido de envolver os estudantes e de se poder dar um melhor contributo para definição da estratégia de actuação da ANEEA, mais próxima das necessidades dos estudantes. No que diz respeito às eleições da ANEEA, é de referir que o NEEA apresentou uma candidatura ao Conselho Fiscal, do delegado Daniel Alves, e que este foi eleito como Presidente do referido órgão e também que já foram eleitos os delegados do NEEA em reunião de Direcção: Catherine Oliveira, Daniel Alves e João Soares. Estes alunos marcarão presença nas Assembleias-Gerais, dando a opinião e defendendo os interesses do NEEA e da Universidade de Aveiro No entanto, atendendo que o NEEA que partilha com o Namb (Núcleo de Ambiente da Universidade do Algarve) a responsabilidade de assegurar a representatividade do subsistema universitário público nos três órgãos sociais e de que gostaríamos que no futuro fosse possível manter o nível da participação do NEEA na Associação Nacional, consideramos essencial envolver mais elementos do curso na actividade regular da ANEEA, para além dos três delegados eleitos em reunião de Direcção e sem sacrifício dos objectivos traçados pela Direcção do NEEA, pelo que iremos lançar este desafio aos nossos colegas. Acreditamos que a ANEEA apenas poderá funcionar com o contributo de todos e iremos fazer o possível por preparar pessoas que possam vir a participar activamente, e com conhecimento das temáticas tratadas.

E planos para o futuro??? É preciso dar continuidade aos trabalho iniciado, no sentido de dar a conhecer a ANEEA, de angariar novos membros, para que a ANEEA possa vir a representar a totalidade dos cursos existentes em Portugal e de colaborar activamente na concretização do Plano Estratégico da ANEEA, documento orientador da actuação da Associação nas várias vertentes já identificadas. Encontro Nacional de Estudantes de Engenharia do Ambiente (ENEEA): Um dos objectivos da formação da ANEEA foi sem dúvida aumentar a capacidade de intervenção dos estudantes na organização do ENEEA. O ENEEA realizar-se-á nos dias 7, 8 e 9 de Abril e terá lugar no Porto. Pretendemos que o próximo encontro possa responder às necessidades dos estudantes, contamos por isso com o apoio da Universidade de Aveiro, com especial relevo no aluguer do autocarro, e contamos com o apoio do Departamento de Ambiente e Ordenamento nas necessidades que possam vir a existir. Continuamos a considerar que, atendendo ao número de reuniões efectuadas por ano, é incomportável que os representantes do NEEA suportem todos os custos inerentes à alimentação durante as mesmas, pois nem sempre estão disponíveis as cantinas das instituições de ensino superior anfitriãs. Pelo que o NEEA continuará a suportar uma parte das despesas de alimentação, para além das despesas de deslocação.

Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente – AAUAv - Plano de Actividades e Orçamento 2005

13


Quanto a encargos financeiros, para além daqueles já mencionados, relativos a deslocações e alimentação, é ainda de prever o pagamento da quota anual, cujo valor ainda não foi definido. Contamos ainda que a importância desta estrutura e os impactos positivos que pode vir a ter sejam reconhecidos pelo Departamento de Ambiente e Ordenamento, pela Universidade de Aveiro e pela Associação Académica.

1.12.3. Relacionamento com a Ordem dos Engenheiros

O estabelecimento de contactos com a Ordem de Engenheiros visa dar a conhecer esta entidade, bem como a sua área de actuação e projectos em desenvolvimento (nomeadamente Gabinete de Estágios), aos alunos de Engenharia do Ambiente, e disponibilizar a estes uma informação mais completa e actual.

1.12.4. Empresas da Área do Ambiente

O contacto directo com as Empresas da Área do Ambiente será um objectivo a privilegiar, para que todos os alunos de Engenharia do Ambiente tenham possibilidade de constatar a realidade da sua área de trabalho. As direcções cessantes muito contribuíram para tal. Esta direcção está disposta a manter e aumentar este relacionamento.

ORÇAMENTO > COORDENAÇÃO 1.1. Reuniões Gerais de Membros (RGM’s) Fotocópias 1.2. Tesouraria 1.2.1. Gastos Logísticos Telefones Fax Fotocópias Transportes Toner Impressora Subsídio DAO Subsídio AAUAv. 1.2.2. Gastos Financeiros Taxas e Cheques 1.2.3. Aquisição de Material de Escritório Material Perene Consumíveis 1.2.6. Gestão dos Cacifos dos Alunos de EA Aluguer 1.7. Processo Eleitoral Fotocópias (Comissão Eleitoral) Subsídios às Listas Concorrentes

DESPESAS

RECEITAS

50,00

500,00 50,00 60,00 15,00 70,00 600,00 15,00 40,00 20,00 50,00 15,00 10,00 50,00

Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente – AAUAv - Plano de Actividades e Orçamento 2005

30,00

14


1.8.

Manutenção de uma Base de Dados de Membros Efectivos e Extraordinários 1.8.1. Identificação dos Membros Cartões Inscrição de novos membros 1.12. Relacionamento Institucional 1.12.3. ANEEA Despesas de deslocação e alimentação – Assembleias-Gerais Despesas organização ENEEA Material de divulgação Gastos logísticos Subsidio DAO – UA Subsidio Reitoria da UA Subsidio AAUAv Patrocínios 1.12.4. Empresas na Área do Ambiente Deslocação Subsídio DAO TOTAL

30,00 70,00

250,00

200,00 120,00 80,00 250,00 200,00 150,00 250,00 125,00 1720,00

100,00 1680,00

2. Secção Informativa

Um dos maiores problemas com que o núcleo se depara é o facto de não conseguir chegar de modo eficaz ao público desejado, o que leva a que a informação e mesmo a participação em certas actividades fiquem restritas a um certo número de pessoas. É um objectivo fundamental desta secção reunir toda a informação que passa pelo NEEA e difundi-la através dos nossos meios de divulgação (folha informativa e site), fazendo-a chegar não só aos alunos de EA e a toda a academia, mas também tentar levá-la para fora do domínio da UA (Serviços de Relações Externas).

2.1. Folha Informativa

A sua edição continua a ser um grande objectivo do núcleo. Pretendemos que esta tenha uma periodicidade trimestral, podendo este período ser reduzido, caso haja necessidade. Nesta folha pretende-se promover as actividades e projectos do núcleo, divulgação de eventos e iniciativas realizadas por outras entidades assim como todas as informações relativas ao nosso curso e departamento.

Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente – AAUAv - Plano de Actividades e Orçamento 2005

15


Pretendemos continuar com a iniciativa anterior no que respeita à participação de professores e alunos do curso que queiram falar sobre projectos em que estejam envolvidos ou outros assuntos que acreditem ser do nosso interesse.

ORÇAMENTO> 4.1. FOLHA INFORMATIVA Folhas A3 versão desdobrável Trabalho do Design Apoios / Patrocínios Apoio do DAO TOTAL

DESPESAS 1000,00 50,00

RECEITAS

400,00 150,00 550,00

1050,00

2.2. Site do NEEA

A criação do site do NEEA é um “sonho” antigo do nosso núcleo e que está muito próximo de ser uma realidade. A nossa direcção pretende continuar com este projecto já que este é um dos meios fundamentais de informação e comunicação. O site encontra-se, ainda, associado à página da Sondar (a empresa que patrocina a edição da folha informativa) mas em breve terá o seu próprio endereço. Este será outro dos meios para a divulgação de todas as actividades do NEEA e dos alunos de EA, assim como toda a informação relevante do nosso curso e link’s que possam ser do interesse de todos. Além disso, pretendemos criar um espaço em que todos os alunos e professores de Eng.ª do Ambiente possam contribuir com ideias, críticas e sugestões.

ORÇAMENTO> 4.2. SITE DO NEEA Taxa de Registo do Domínio Trabalho do Design Apoios / Patrocínios TOTAL

DESPESAS 25,00 50,00

RECEITAS

75,00

50,00 50,00

2.3. Relacionamento com o exterior

Sabemos que é muito importante a divulgação do nosso curso dentro da nossa academia, mas acreditamos que também seria muito benéfica esta divulgação fora do domínio da UA. Assim, pretendemos manter um contacto muito próximo com os Serviços de Relações Externas para que o NEEA seja difundido no site da Universidade e promovido em outras escolas e universidades. É com muita pena que observamos o não preenchimento das vagas disponíveis para o curso de Engenharia do Ambiente da Universidade de Aveiro, assim pretendemos uma forte difusão junto das escolas secundárias.

Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente – AAUAv - Plano de Actividades e Orçamento 2005

16


3. Secção Pedagógico-Formativa

Uma vez mais, à semelhança de mandatos anteriores, enquadrou-se na estrutura organizativa do NEEA uma secção de carácter formativo mas que desta vez tem uma função mais abrangente e diversificada na medida em que compreende uma componente pedagógica. Trata-se pois de uma componente que nunca mereceu tanta atenção e que justifica por isso a mudança de nome da secção de Formativa para PedagógicoFormativa. A intenção da direcção do NEEA não é de modo nenhum a de se substituir à Comissão (pedagógica) de Curso ou mesmo ao representante dos alunos de E.A. no Conselho Pedagógico mas antes aproximar os alunos deste órgão através de uma campanha de informação e sensibilização para a sua importância. A qualquer engenheiro é exigido que resolva problemas e para tal este deve ter conhecimento dos instrumentos que tem ao seu alcance para encontrar resposta para os mesmos. Neste caso, o que pretendemos é demonstrar que os problemas pedagógicos podem e devem ser resolvidos na Comissão de Curso e no Conselho Pedagógico e incentivar os estudantes a participarem activamente nestes órgãos. Da parte do NEEA, o que podemos assegurar é um papel pró activo de colaboração com os referidos órgãos no sentido de se alcançar uma complementaridade que se materialize na resolução, pela melhor das vias, dos problemas pedagógicos que ainda subsistem no curso de Engenharia do Ambiente. No que diz respeito à componente formativa é nossa intenção dar continuidade ao trabalho que tem sido desenvolvido, nomeadamente através da organização de actividades de cariz extracurricular que potenciem o enriquecimento e complementaridade da formação curricular dos alunos de E.A. É nosso propósito utilizar para o efeito 4 instrumentos distintos: sessões de esclarecimento, conferências, acções de formação certificadas e visitas de estudo.

3.1. Sessões de Esclarecimento

Este tipo de iniciativa visa sobretudo expor determinado assunto de forma clara e objectiva de maneira a informar e esclarecer o público-alvo sobre a temática em questão.

3.1.1 Sessão de Esclarecimento sobre a ANEEA

Tal como anteriormente exposto é nossa preocupação motivar os estudantes da Engenharia do Ambiente da Universidade de Aveiro para a participação na Associação Nacional de Estudantes de Engenharia do Ambiente – ANEEA. Tendo consciência que a participação cívica antes de qualquer outra depende do nível de informação e esclarecimento relativamente aos assuntos, parece-nos adequado e útil proporcionar uma oportunidade de esclarecimento de dúvidas e inclusivamente de debate na sequência do esforço feito pela anterior direcção, nomeadamente através da coorganização do 1ºFórum Nacional de Estudantes de Engenharia do Ambiente.

Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente – AAUAv - Plano de Actividades e Orçamento 2005

17


ORÇAMENTO> 3.1.1 Sessão de esclarecimento sobre a ANEEA Cartaz 70x50, 2 cores, 200ex. Alimentação – Almoços Alimentação – Águas e Café Ofertas – 5 oradores Correio, Telefone, Fax Transportes Apoio AAUAv Apoio DAO – 60,00 Euros – géneros Apoio UA – 40,00 Euros – géneros Apoio SASUA – 80,00 Euros – géneros Patrocínios TOTAL

DESPESAS

RECEITAS

300,00 60,00 25,00 50,00 10,00 30,00 100,00 100,00 100,00 100,00 150,00 550,00

475,00

3.1.2 Sessão de Esclarecimento sobre os perfis de curso vigentes no 5º ano

É obviamente um dos assuntos de interesse de qualquer aluno do curso; quer daqueles que iniciaram há pouco o seu percurso curricular e que pretendem estar informados acerca das áreas de especialização que o curso oferece, quer dos que brevemente terão que optar por um dos 3 perfis. Tendo em conta que é o director de curso quem, por norma, promove a iniciativa, o NEEA está disponível para colaborar na organização da mesma.

ORÇAMENTO> 3.1.2 Sessão de esclarecimento sobre os perfis de curso vigentes no 5º ano Cartaz 70x50, 2 cores, 100ex. Alimentação – Águas e Café Ofertas – 3 oradores Correio, Telefone, Fax Transportes Apoio AAUAv Apoio DAO – 60,00 Euros – géneros Apoio UA – 40,00 Euros – géneros Apoio SASUA – 40,00 Euros – géneros TOTAL

DESPESAS

RECEITAS

150,00 25,00 30,00 10,00 20,00

235,00

100,00 100,00 50,00 50,00 300,00

3.2 Conferências

Em contexto não formal, as conferências constituem excelentes meios de partilha de conhecimento e saber. É partindo desta premissa que pretendemos promover conferências sobre temas pertinentes, com convidados prestigiados e com conhecimento de causa e deste modo suscitar e desenvolver o espírito crítico dos estudantes.

Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente – AAUAv - Plano de Actividades e Orçamento 2005

18


3.2.1 A utilização de zonas húmidas construídas para o tratamento de efluentes

Os nossos antepassados desde cedo utilizaram as zonas húmidas para tratamento das suas águas residuais mas foi somente a partir da segunda metade do século XX que foram desenvolvidos estudos de investigação de forma a averiguar o real potencial destes ecossistemas no tratamento de efluentes. Os sistemas de tratamento por leitos de macrófitas, também conhecidos por zonas húmidas construídas ou fito-ETARs, baseiam-se essencialmente na utilização de plantas aquáticas (macrófitas) para tratar biologicamente os efluentes domésticos de pequenos aglomerados populacionais ou como tratamento de afinação, a nível terciário, em diversas indústrias químicas, estações de tratamento de águas residuais e de lixiviados provenientes de aterros sanitários. Objectivos: • Demonstrar o princípio de funcionamento deste sistema de tratamento de efluentes; • Expor as vantagens e desvantagens da utilização de zonas húmidas construídas; • Testemunhar a experiência do uso deste tipo de tratamento de efluentes;

ORÇAMENTO> 3.2.1 A utilização de zonas húmidas construídas para o tratamento de efluentes Cartaz 70x50, 2 cores, 200ex. Certificados 100ex. Alimentação – Almoços Alimentação – Águas e Café Documentação Ofertas – 5 oradores Deslocações de Oradores Correio, Telefone, Fax Transportes Apoio AAUAv Apoio DAO – 60,00 Euros – géneros Apoio UA – 40,00 Euros – géneros Apoio SASUA – 80,00 Euros – géneros Patrocínios TOTAL

DESPESAS

RECEITAS

300,00 10,00 60,00 25,00 150,00 50,00 75,00 50,00 20,00

740,00

150,00 200,00 180,00 150,00 150,00 830,00

3.2.2 Energias renováveis

Segundo a directiva comunitária 077/CE/2001, 39% da energia eléctrica produzida em Portugal em 2010 terá de ter origem em fontes renováveis. Sabendo que estamos a 5 anos da data limite imposta pela Comunidade Europeia, é importante percebermos que perspectivas existem para o seu cumprimento e quais as estratégias que estão a ser adoptadas tanto pelas entidades governamentais como pelas empresas.

Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente – AAUAv - Plano de Actividades e Orçamento 2005

19


Objectivos: • Ao nível da legislação, perceber quais as estratégias políticas para o cumprimento da directiva comunitária e quais os apoios/ incentivos dados pelas entidades governamentais; • Tomar conhecimento do potencial eólico de Portugal, a sua contribuição em termos percentuais para atingir a meta dos 39%, os seus impactos, as suas vantagens e desvantagens; • Justificar o facto de Portugal ser um país com um grande potencial ao nível do aproveitamento da energia solar dada a sua localização geográfica e de esta fonte não estar a ser amplamente explorada; • Apresentar o caso do aproveitamento da energia das marés em Viana do Castelo.

ORÇAMENTO> 3.2.2 Energias renováveis Cartaz 70x50, 2 cores, 200ex. Certificados 100ex. Alimentação – Almoços Alimentação – Águas e Café Documentação Ofertas – 5 oradores Deslocações de Oradores Correio, Telefone, Fax Transportes Apoio AAUAv Apoio DAO – 60,00 Euros – géneros Apoio UA – 40,00 Euros – géneros Apoio SASUA – 80,00 Euros – géneros Patrocínios TOTAL

DESPESAS 300,00 10,00 100,00 25,00 150,00 50,00 100,00 60,00 30,00

RECEITAS

100,00 200,00 200,00 160,00 200,00 860,00

825,00

3.3 Acções de formação Esta é sem dúvida a actividade que vai ser mais difícil concretizar, à semelhança do que tem acontecido com as anteriores direcções. Contudo, é nosso firme propósito congregar interesses e apoios que possibilitem que os alunos de E.A. tenham ao seu dispor, a preços competitivos, formação profissional devidamente certificada em áreas que lhes permitam complementar o percurso curricular. Levando em linha de conta as dificuldades inerentes a este processo parece-nos realista apostar na realização de não mais que uma acção de formação.

ORÇAMENTO> 3.3 ACÇÕES DE FORMAÇÃO Divulgação Documentação Formador Inscrições – 20 pax. TOTAL

DESPESAS 50,00 100,00 350,00

RECEITAS

500,00

Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente – AAUAv - Plano de Actividades e Orçamento 2005

500,00 500,00

20


3.4 Visitas de Estudo

O último dos instrumentos de concretização de uma estratégia de formação extracurricular que definimos assenta na realização de visitas de estudo. Parece-nos importante que haja a oportunidade de observar in loco determinados processos de produção e técnicas, designadamente de tratamento de resíduos e/ ou efluentes, que elucidem os alunos de E.A.. Pretendemos ter o cuidado de dirigir estas acções para um público de anos superiores (tem havido esta preocupação nos mandatos anteriores) assegurando sempre que não estamos a repetir visitas promovidas pelos docentes de determinadas cadeiras nomeadamente Laboratórios. A novidade nesta actividade consiste apenas na tentativa que iremos fazer de aproximar muito mais o mercado de trabalho da universidade e sobretudo dos alunos que pretendem concluir brevemente o curso. Sentimos que esta é uma necessidade urgente, ainda mais quando o mercado dá sinais de grande agressividade e competitividade no que se refere à obtenção de emprego.

ORÇAMENTO> 3.4 VISITAS DE ESTUDO 3 Visitas de Estudo de 1 Dia Deslocação Divulgação Subsídio UA – 200,00 por visita TOTAL

DESPESAS

RECEITAS

600,00 50,00 600,00 600,00

650,00

3.5 Biblioteca Curricular de E.A.

Na sequência da preocupação desta direcção com a componente pedagógica inerente a qualquer processo ensino-aprendizagem decidimos criar aquela que será a Biblioteca Curricular de Engenharia do Ambiente. Na prática, pretende-se que em cada ano lectivo o NEEA disponha do material de estudo disponibilizado pelos colegas que frequentaram a cadeira no ano transacto, seja ele sebentas, apontamentos, acetatos, etc. Caso haja ainda essa possibilidade pretendemos inclusivamente criar uma rede onde seja possível comprar, vender e/ ou trocar manuais usados.

ORÇAMENTO> 3.5 BIBLIOTECA CURRICULAR DE E.A. Documentação Material de Arquivo Divulgação Apoio DAO TOTAL

DESPESAS 150,00 50,00 50,00

RECEITAS

250,00

Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente – AAUAv - Plano de Actividades e Orçamento 2005

200,00 200,00

21


4. Secção Académico-Desportiva Ao longo dos anos passados o curso de Engenharia do Ambiente tem vindo a ganhar um especial carisma juntos dos estudantes do curso e dos restantes estudantes da Academia. É da competência do mestre de curso e da comissão organizadora de praxe dar continuidade a estas actividades que visam no fundo fomentar o espírito académico à comunidade. O NEEA continuará a apoiar as tradicionais actividades académicas, de forma a assegurar uma forte ligação entre os caloiros e todos os outros estudantes do curso. Para além deste apoio, tentaremos proporcionar ocasiões através, da organização de festas e jantares, que promovam uma maior interacção entre os alunos de Engenharia do Ambiente. A participação do curso em provas organizadas pela AAUAv é uma realidade. É nossa intenção facilitar a presença do curso de Engenharia do Ambiente em actividades do género, assim como, envolver um maior número de alunos nestas. 4.1. Participação de EA na Semana do Enterro do Ano (2 a 6 de Maio de 2005) Engenharia do Ambiente é um curso que ao longo dos seus anos de existência tem vindo a criar uma tradição própria nas suas participações nos festejos da Semana do Enterro do Ano. No sentido de promover o espírito que tem estado por detrás das mesmas, e que tão boa reputação nos tem dado, assim como de assegurar uma “forte representação” do curso nestas festividades, o NEEA irá promover as diversas formas de participação (com natural destaque para o Desfile), através da discussão e organização no seio do curso, da disponibilização de enquadramento contabilístico para a angariação de apoios, para além da natural gestão dos fundos financeiros.

ORÇAMENTO > 4.1. PARTICIPAÇÃO NA SEMANA ENTERRO 4.1.1. Desfile Material do Carro Adereços Pólo de Ambiente (50 unidades) T-Shirt Ambiente 100 Transportes Apoios em Géneros Patrocínios Rifas 4.1.2. Jantar de Curso Refeições – 150 pax. 4.1.3. Barraquinha de Curso Aluguer do Espaço Aquisição de Produtos Material Decorativo Venda de Produtos TOTAL

DO

DESPESAS 300,00 200,00 250,00 400,00 30,00

RECEITAS

300,00 450,00 100,00 130,00 150,00

1030,00

1200,00

250,00 1300,00 80,00 3840,00

1900,00 4230,00

Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente – AAUAv - Plano de Actividades e Orçamento 2005

22


Caso nenhuma Comissão de Finalistas se mostre interessada em propor à Comissão Organizadora da Semana do Enterro (COSE), a exploração de uma “barraquinha” de Ambiente, o NEEA irá fazê-lo, em nome do curso, ficando esta decisão assumida em RGM, aquando da apresentação deste documento. Iremos sugerir que, em RGM a realizar em início de Abril, se definam competências e se designem os responsáveis pelas diversas tarefas, pois estas actividades são antes de mais actividades do Curso, sendo que os elementos da Direcção se disponibilizam à partida para trabalhar na sua concretização, conjuntamente com restantes elementos do curso.

4.2.

XI

Semana

de

Integração

do

Caloiro

de

Ambiente

(SICA)

A coordenação da SICA está a cargo do Mestre de Curso e da comissão de faina que, além da SICA, se responsabiliza pela organização e coordenação das actividades de praxe. Desde a criação do NEEA, que esta estrutura assume também responsabilidades nesta organização, quer pelo que está definido no seu regulamento interno, quer pelo facto de ser responsável pela gestão dos fundos do curso. O NEEA fica então responsável pelo apoio logístico, e pelo contributo dos elementos da direcção, nomeadamente os responsáveis pela Secção Académico/ Desportiva e o responsável financeiro. Queremos que a SICA sustente o espírito de curso, visto que tem uma forte influência no processo de integração dos caloiros no curso e na universidade, e é por isso importante o envolvimento de um grande número de pessoas. Na nossa visão só assim se poderá “alargar” o espírito de curso, e contrariar a crescente apatia dos caloiros perante as actividades propostas. Vamos apostar na apresentação do núcleo e do curso, da Universidade e da cidade, para que a integração dos alunos de E.A. possa ser tão completa quanto possível e ajudar a proporcionar uma vivência repleta de experiências diferentes na Universidade e na Cidade, não só como estudantes mas também como elementos interventivos no meio que os rodeia. Iremos propor a apresentação das várias dinâmicas da AAUAv e nomeadamente a organização de actividades em conjunto com outros núcleos da AAUAv. Em suma: XI SICA – o mesmo Espírito! ORÇAMENTO > 4.2. XI SICA 4.2.1. Peddy Paper Material para as Provas Apoios em Géneros 4.2.2. Pack do Caloiro Guia do Caloiro Diploma do Caloiro Adereço Identificativo do Caloiro Apoios em Géneros

DESPESAS

RECEITAS

150,00 50,00 80,00 40,00 150,00 80,00

Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente – AAUAv - Plano de Actividades e Orçamento 2005

23


4.2.3. Passeio de Moliceiro Transporte para S. Jacinto Apoio da CM Aveiro Alimentação Taxa de Inscrição 5 Euros / pax. – 80 pax. 4.2.4. Jantar de Curso Refeições – 150 pax. 4.2.5. Almoço de Baptismo Refeições – 40 pax. 4.2.6. Outros Itens T-Shirt Ambiente 100 (os caloiros não pagam) Cartaz 2 cores 70x50cm, 200 uni. Material de Praxe Deslocações Apoio do Departamento Apoios / Patrocínios TOTAL

350,00 350,00 400,00 400,00 1030,00

1200,00

300,00

320,00

400,00

230,00

350,00 100,00 30,00

3380,00

200,00 400,00 3230,00

4.3. Emblema de Curso

Associado às tradições académicas está o uso do traje, muitas vezes adornado com emblemas e com pins, que os mais “académicos” exibem com um orgulho muito especial. É objectivo criar finalmente o emblema do curso de Engenharia do Ambiente da UA. ORÇAMENTO > EMBLEMA DE CURSO Trabalho de design Vendas TOTAL

DESPESAS 50,00 50,00

RECEITAS 40,00 40,00

4.4. Festas/Jantares

Como a vida de estudante não se limita ao estudo iremos promover festas com mais regularidade e também aliar festas a jantares. Pretende-se com isto, não só fomentar o espírito académico, mas também angariar receitas que permitam ao NEEA uma boa saúde financeira. Pretendem-se realizar alguns jantares com os estudantes de Engenharia de Ambiente em datas que acharmos convenientes, sendo de realçar o já habitual no final

Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente – AAUAv - Plano de Actividades e Orçamento 2005

24


dos exames (caso nenhuma comissão de finalistas se mostre interessada em o realizar), no Natal e os enquadrados na semana do enterro e na SICA.

ORÇAMENTO > JANTAR DE FIM DE EXAMES Divulgação Refeições – 120 pax. Sub-total ORÇAMENTO > JANTAR DE NATAL Divulgação Refeições – 40 pax. Sub-total ORÇAMENTO > FESTAS Divulgação Festas Sub-total TOTAL

DESPESAS 5,00 900,00 905,00

RECEITAS 960,00 960,00

5,00 280,00 285,00

320,00 320,00

10,00 10,00 1200,00

600.00 600,00 1880,00

4.5. Feira Académica de Ambiente

É nosso objectivo vender o material excedente das várias semanas académicas dos últimos anos que se tem vindo a acumular na sala do NEEA, e que para alguns dos mais velhos terá ainda um significado especial.

ORÇAMENTO > FEIRA ACADÉMICA DE AMBIENTE Divulgação Vendas TOTAL

DESPESAS 10,00 10,00

RECEITAS 40,00 40,00

4.6. Participação em Provas da AAUAv

Durante o ano lectivo realizam-se torneios de variados desportos para os diferentes cursos, em que a cada torneio é atribuído um número de pontos à equipa vencedora e no final de cada ano lectivo a equipa que obtiver um maior número de pontos será vencedora da taça de U.A.. Com isto o NEEA tentará estimular os alunos de forma a participar em actividades desportivas desenvolvidas pelo Sector responsável, bem como, pelos núcleos desportivos da AAUAv.

Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente – AAUAv - Plano de Actividades e Orçamento 2005

25


4.6.1. Torneio Inter-Cursos

Dada que esta participação é uma representação do curso de EA, consideramos justo que seja o dinheiro angariado pelo mesmo que ajude a suportar as despesas inerentes a esta. Pensamos que o Departamento deverá promover a prática desportiva dos seus alunos e também a representação do curso, pelo que nos parece relevante que este colabore nas despesas desta e de outras participações. Queremos dar a nossa colaboração para a aquisição de equipamentos desportivos quer para as equipas masculinas quer para as equipas femininas. Pretendemos para o início do próximo ano lectivo, procurar a reserva de uma hora semanal da nave do pavilhão Aristides Hall, para a prática de diversas modalidades (futsal, andebol, basquetebol…) pelos nossos alunos.

4.6.2. Participação na Corrida de Bateiras da Semana do Enterro

Como é já tradição no seio da comunidade estudantil de Aveiro, a Corrida de Bateiras é uma actividade de grande interesse, que proporciona um excelente entretenimento, quer aos estudantes, quer à população aveirense. No entanto, consideramos que as pessoas que maior divertimento obtém desta actividade, são os concorrentes. Fica desde já o desafio aos alunos de EA de integrarem a equipa, que o NEEA pretende formar e apoiar.

ORÇAMENTO > 4.6. PARTICIPAÇÃO AAUAV

EM

PROVAS

4.6.1. Torneio Inter-Cursos Taxa de Inscrição – masculino Taxa de Inscrição – feminino Quota Extraordinária Apoio do DAO 4.6.2. Corrida de Bateiras Taxa de Inscrição Quota Extraordinária TOTAL

DA

DESPESAS

RECEITAS

40,00 20,00 52,00 15,00 25,00 85,00

15,00 82,00

Núcleo de Estudantes de Engenharia do Ambiente – AAUAv - Plano de Actividades e Orçamento 2005

26


Plano de Actividades e Orçamento 2005