Issuu on Google+

Paróquia Nossa Senhora Aparecida

Jardim São Paulo

Ano VI - Edição nº 56 - Fevereiro de 2013 - Distribuição Gratuita - Mensal

2

Editorial

3

Encontro de Casais com Cristo ECC Cidadania e Igreja - Parte III

4

O que é ser Cristão?

5

Senhor, aumentai a nossa fé!

6

Campanha da Fraternidade - 2013 Aconteceu

7

Aniversariantes

8

Missas Confissões Atividades Datas Comemorativas


Editorial Do Nada para o Tudo Caríssimos irmãos paroquianos e amigos, a paz do Senhor esteja sempre convosco! Logo mais iniciaremos mais uma quaresma, momento oportuno para uma boa reflexão sobre nossa vida de fé. É importante termos este tempo de silêncio interior, para avaliarmos a nós mesmos. Qual nota você daria para sua vida de fé? Já pensou nisso? A frieza na vivência da fé de muita gente pode ser causada pela falta de uma formação eficaz, capaz de suportar os contratempos da caminhada. Desde nossa infância, período essencial para nosso desenvolvimento, faltou-nos possibilidades criadoras, cuja sociedade não incentivou por não se preocupar com a formação humana. Sempre preocupada em defender os interesses de uma minoria, esta sociedade pouco investiu na arte, na música, no esporte, na poesia, na liberdade cristã, na amizade e, em especial, na informação. O homem reage a partir de valores formados em sua personalidade ao longo do seu aprendizado. Se hoje há inversão de valores, é porque não houve compromisso em formar cristãos-cidadãos, com uma postura sólida e eficaz capaz de enraizar e impregnar a cultura da utopia, a partir da contribuição e esforço de cada indivíduo. Existem correntes filosóficas, a de Nietzsche principalmente, que

pregam pessimismo às gerações futuras e, assim, incentivam-nas a acreditar no nada.

a pena. Precisamos tirá-los do “nada e levá-los para o tudo”, isto é, Deus.

A grande missão da Igreja é anunciar a esperança a todos os povos da terra e, em especial, à juventude. Como bem disse o Papa Bento XVI, “o jovem não tem medo de desafio, o jovem tem medo de uma vida sem sentido”. Devemos motivá-los e incentivá-los a viver na responsabilidade e na obediência à Igreja, apresentando-lhes os desafios, mas afirmando que estes podem ser vencidos.

Os pais devem motivar os filhos, falar de Jesus, da Igreja, da comunhão e da obediência a esta Igreja, que assume status de genitora na fé. Mas além de falar, devem viver isso no dia a dia para que seus exemplos sejam seguidos.

Devemos despertar nos jovens a esperança de um futuro certo em Deus, para onde tudo converge. A esperança não decepciona, mas ao contrário, enche-nos de realizações. Deus tem muito mais coisa para oferecer à juventude do que podemos imaginar. Não é justo deixar os inimigos desvirtuá-los dessa vida divina.

Caríssimos, desejo a todos uma boa quaresma, cheia de reflexões e amadurecimento na fé. Padre Toninho

A Campanha da Fraternidade falará justamente da juventude, dos desafios para atraí-la, dos meios para redirecioná-la, solidificando a sua fé. O Papa encontrar-se-á com ela em julho, no Rio de Janeiro, em mais uma investida para dizer que Deus precisa dela. Mas Deus a quer saudável, consistente e consciente de sua missão no mundo. E por isso a chama para capacitá-la através da comunhão com a Igreja, continuadora da missão de Jesus Cristo na terra. Todos somos chamados a encher os jovens de uma esperança viva e verdadeira para que eles não caiam no desânimo e concluam que a vida não vale

moda masculina e feminina adulto e infantil Fone: (11) (11) 2283-1328 2283-1328 Fone: Av. Leôncio Leôncio de de Magalhães, Magalhães, 1236 1236 || Jd. Jd. São São Paulo Paulo Av.

Tratamento dos Pés

TRATAMENTOS DE CALOS, CALOSIDADES, UNHAS ENCRAVADAS, ORTONIQUIA (CORREÇÃO DE UNHAS), TRATAMENTO AUXILIAR P/ MICOSE DE UNHA, ESPECIALIZADO EM PÉ DIABÉTICO.

Marcos S. Garcia PODÓLOGO

Instrumental Esterilizado a 180ºC Rua Paulo Maldi, 183 - Sala 3 - Parada Inglesa CEP 02303-050 - São Paulo / SP

Expediente Diretor espiritual: Pe. Toninho|Secretaria: Cleonice|Pastoral da Comunicação: Andrezza Tronco, Daniel de Paiva Cazzoli, Márcia Chequer Greppi Pellegrini, Luiz Carlos Spera, Valquíria Beltramini, Francisco Santos, Carlos Perpétuo Firmino|Projeto Gráfico: Valquíria Beltramini|Contribuição: Carlos Perpétuo Firmino, Márcia Chequer Greppi Pellegrini, Clemente Raphael Mahl, Andrezza Tronco, Luiz Garcia, Dom Sergio de Deus Borges, Henrique e Alba . Revisão das matérias: Daniel de Paiva Cazzoli|Rua Parque Domingos Luiz, 273 - Jd. São Paulo - tel: 2979-9270 |Site: www.nsaparecidajsp.com.br| E-mail: informativonsaparecida@yahoo.com.br|Twitter: @nsaparecidajsp

Tes.: (11) 2283-1576 Cel.: (11) 99688-1969 marcossgarcia@uol.com.br


Encontro de Casais com Cristo - ECC O ECC é um serviço da Igreja em favor da evangelização das famílias, que procura construir o reino de Deus aqui e agora. Procura mostrar pistas para que os casais se reencontrem com eles mesmos, com os filhos, com a comunidade e, principalmente com Cristo, tendo uma visão do que é “ser Igreja hoje” e de seu compromisso com a dignidade humana e a justiça social (Documento Nacional).

a fazer o ECC é o ponto de partida e não o de chegada. Se entendermos dessa forma podemos dar continuidade a tudo que vivenciamos durante os três dias de ECC, tempo esse que dedicamos a incluir Deus em nossa vida de casal e de família.

A Tônica do ECC se fundamenta em cinco pontos básicos: “doação, pobreza, simplicidade, alegria e oração.”

Em 2012 realizou-se o 4º ECC da Paróquia Nossa Senhora Aparecida do Jardim São Paulo. O próximo será realizado em setembro de 2013.

Teve início em 1970, na Paróquia Nossa Senhora do Rosário (Vila Pompeia, São Paulo-SP), por iniciativa do padre Alfonso Pastore. Podemos pensar que uma noite e dois dias que nos dedicamos

A família é um projeto de Deus. Por que não deixar que Ele se faça presente em nosso cotidiano familiar?

Agradecemos também o apoio de nosso Diretor Espiritual, Padre Antonio Bezerra Moura (Padre Toninho) e a todos os que estiveram conosco na realização do encontro e na sua continuidade do mesmo. Finalizamos convidando mais casais para conhecerem e continuarem com esse serviço que nos faz crescer em amor, dignidade e fé. Casal Pós-Encontro Henrique e Alba

Agradecemos ao Pai pelas bênçãos recebidas em 2012 e pedimos saúde, paz e boas realizações para nossas famílias em 2013.

Cidadania e Igreja - Parte III Dissemos, no artigo anterior, que buscávamos dois objetivos a respeito do tema acima: um elo entre o antigo Povo de Deus e o referido no Concílio Vaticano II e, simultaneamente, aproximar a nossa espiritualidade cristã ao conceito de Cidadania.

de um querer viver coletivo. É tendo a consciência de sua nacionalidade, que a coletividade se firma como um organismo ou agrupamento, distinto de qualquer outro, com vida própria, interesses especiais e necessidades peculiares.

a concepção de Nação é Um exemplo não distante de nossos fundamental para o aprofundamento dias são os judeus contemporâneos. da ideia de cidadania. Assim, iniciemos por Antes de 1948, ainda dispersos, sem um ela. Afinal, o que é nação? território que os abrigasse, conseguiram se manter como uma nação, devido O dicionário a define a partir do latim (natio, de Entendo que

natus = nascido), como a reunião de pessoas, geralmente do mesmo grupo étnico, falando o mesmo idioma e tendo os mesmos costumes, formando um povo, cujos componentes trazem consigo as mesmas características étnicas e se mantêm unidos pelos hábitos, tradições, religião e língua.

Entretanto, território, língua, religião, costumes e tradição, por si sós, não qualificam uma nação. São requisitos secundários, que se integram na sua formação. O elemento dominante, que se mostra condição subjetiva para a evidência de uma nação, assenta no vínculo que une estes indivíduos, determinando entre eles a convicção

ao imenso apego a suas tradições religiosas e culturais, além de uma esperança - ainda que remota - de um dia retornar a Israel, a Terra que lhes prometera Deus, de acordo com a tradição bíblica. Em dois mil anos de exílio, os judeus sempre constituíram minorias em outros países, sendo constantemente discriminados e perseguidos, haja vista as barbáries cometidas contra eles e contra outras minorias, como os ciganos e eslavos, durante a vigência dos regimes nazista e fascista, que provocaram a segunda guerra mundial. Continuaremos no próximo artigo. Luiz Garcia luizgcgarcia@bol.com.br


O que é ser cristão?... À luz do Documento de Aparecida (2007) “Foi em Antioquia [hoje Turquia] que os discípulos, pela primeira vez, receberam o nome de cristãos” (At 11,26).

1

Ser cristão é receber, por iniciativa e em nome da fé dos pais e padrinhos, o “dom do batismo” (DAp, 127), que faz da pessoa “membro do Corpo de Cristo” (idem), “animada pelo Espírito Santo” (DAp 149; cf. Mc 1,12-13).

2 3

Ser cristão é ser chamado a ser discípulo missionário de Jesus Cristo (DAp 153).

Ser cristão é deixar a força da Eucaristia conduzir a iniciação cristã à plenitude ( cf. Conc. Vat. II, SC, 17).

4 5 6 7

Ser cristão é confessar a Jesus como Filho de Deus e a chamar Deus “Abba” (DAp, 157). Ser cristão é seguir “a Jesus, Mestre de vida e verdade, na comunhão da Igreja” (DAp, 186). Ser cristão é participar das funções de Cristo: sacerdote, profeta e rei (DAp, 209).

Cristo, a reconhecer e seguir sua Presença com a mesma realidade e novidade, o mesmo poder de afeto, persuasão e esperança que teve seu encontro com os primeiros discípulos nas margens do Jordão há dois mil anos” (DAp).

16

Ser cristão é ser discípulo missionário que, “transbordando de gratidão e alegria, comunica o dom do encontro com Jesus Cristo” (DAp, 14).

17

Ser cristão é "contemplar a natureza, cuidar dela e utilizá-la, respeitando a ordem dada pelo Criador” (DAp, 125).

18

Ser cristão é viver a condição de discípulo, condição essa que brota de Jesus Cristo como sua fonte, pela fé e pelo batismo, e cresce na Igreja, comunidade em que todos os membros gozam de igual dignidade e participam de diversos ministérios e carismas ( cf. DAp, 184).

Ser cristão é aceitar a cruz de Cristo, “consciente de que morrer para o pecado é alcançar a vida” (DAp, 278b).

19

8

20

Ser cristão é não apenas estar purificado do pecado, mas renascer pelo efeito do batismo, conferindo à pessoa a vida nova em Cristo, que incorpora à comunidade dos discípulos e missionários (cf. DAp, 349). Vida nova que começa no batismo e chega à sua plenitude na ressurreição final (cf. DAp, 357).

9 10

Ser cristão é buscar a Cristo “como fonte de vida” (DAp, 350).

Ser cristão é acolher a Palavra de vida eterna, "alimentar-se do Pão descido do céu, viver a plenitude do amor” (DAp, 350).

11

Ser cristão é anunciar o Cristo “com a vida, com a ação, com a profissão de fé e com sua Palavra” (DAp, 377).

12

Ser cristão é não encantar-se por uma grande ideia, “mas pelo encontro de uma Pessoa (Jesus Cristo), que dá novo horizonte à vida” (DAp, 12).

13

Ser cristão é ser portador de dons a desenvolver em unidade com os dons dos outros (DAp, 162).

14 15

Ser cristão é buscar formação continuada (cf. DAP 276; 283ss). Ser cristão é fortalecer a fé. Todos os cristãos são chamados a “recomeçar a partir de

Ser cristão é encontrar-se de modo privilegiado com Jesus Cristo na Eucaristia (cf. DAp, 255). Ser cristão é alimentar-se da Palavra e da Eucaristia, cultivando profunda amizade com Jesus Cristo (DAp, 255).

21

Ser cristão é buscar a Jesus Cristo (Jo 1,38) e atender ao chamado dele (Mc 1,14; Mt 9,9; DAp, 278a).

22

Ser cristão é querer ardentemente que a influência de Cristo “chegue até os confins da terra” (DAp, 374).

23

Ser cristão é “ter a tarefa prioritária de dar testemunho do amor de Deus e ao próximo com obras concretas” (DAp, 386).

24

Ser cristão é crer e testemunhar que “a família é a imagem de Deus que em seu mistério mais íntimo não é uma solidão, mas uma família” (Doc. de Puebla 582 e DAp, 433).

25

Ser cristão é “ir em todas as direções para proclamar que o mal e a morte não têm a última palavra, que o amor é mais forte, que fomos libertos e salvos pela vitória pascal do Senhor da História, que ele nos convoca em Igreja, e quer multiplicar o número de seus discípulos na construção do seu Reino” (DAp, 548).

Clemente Raphael Mahl


Senhor, aumentai a nossa fé! Com as palavras “Senhor, aumentai a nossa fé”, Dom Odilo inicia a 2ª Carta Pastoral à Arquidiocese de São Paulo e convoca-nos a viver intensamente o Ano da Fé, o qual foi instituído pelo Santo Padre Bento XVI como “tempo favorável” para renovar o conhecimento e apreço pela fé que recebemos e professála com firmeza e alegria. Somos uma Igreja que vive pela fé. Homens e mulheres dobram os joelhos todos os dias, diante de Deus, Senhor da vida, e confessam que somente em Jesus está a esperança e a paz; participam, semanalmente, da Santa Missa com alegria porque é o momento único do encontro semanal com Ele: Jesus. Assim, a Fé sustenta a caminhada em família e na Comunidade, que é a grande família dos filhos de Deus. Vivemos pela fé e precisamos amar mais esta fé que sustenta nossa caminhada: “Para apreciar e amar mais nossa fé, é necessário conhecer melhor o que cremos. Só se valoriza e ama aquilo que se conhece. Por isso mesmo, neste Ano da Fé, somos convidados a conhecer mais e melhor o patrimônio da fé eclesial, explicada no Catecismo da Igreja Católica” (Dom Odilo, 9). Dom Odilo, citando o Santo Padre, salienta que nós valorizamos a fé pela oração e participação na vida da Igreja: além disso, nos convida a valorizá-la

também através do estudo do Catecismo e da Palavra, realizado principalmente na Comunidade. Para que todos tenham a possibilidade de conhecer melhor a fé, amar mais a Jesus, a Igreja – na Região Santana – preparou um programa especial de aprofundamento na fé em 2013. Esse programa terá início neste mês de fevereiro, com encontros de formação nos setores da Região. O estudo terá como referência a 2ª Carta pastoral de Dom Odilo à Arquidiocese, com as orientações sobre a vivência da fé, possibilitando a todos as graças especiais concedidas por ocasião da comemoração do Ano da Fé.

teologia e dogma. Assim, teremos melhores condições de confessar a fé no Senhor Ressuscitado em nossas igrejas, nas nossas casas e no meio das nossas famílias, no nosso ambiente de trabalho e nas ruas das nossas comunidades, para que cada um sinta, fortemente, a exigência de conhecer melhor e de transmitir às gerações futuras a fé de sempre (Cf. Porta Fidei, 8). Procurem as comunidades paroquiais para se inscreverem no encontro de formação sobre a fé e nas escolas de evangelização e de teologia. Vamos lá! Valerá o esforço!

Caso vocês não encontrem Àqueles que desejam apren- as informações em sua der a comunicar a fé que Comunidade, procurem a amam, haverá, no Centro de Cúria Regional através do site Formação Pastoral Santo Frei www.regiaosantana.org.br Galvão a Escola de Evange- ou do telefone 2991 5335. lização, que utilizará como Dom Sergio de Deus Borges texto base o Catecismo da Bispo auxiliar de São Paulo Igreja Católica. Serão encon- Vigário episcopal para a Região Santana tros semanais pelo período de um ano e auxiliarão o evangelizador a comunicar com entusiasmo e alegria a fé que salva e sustenta na caminhada. Para quem já comunica a fé com alegria, mas quer conhecer melhor o patrimônio da fé, continuará no Centro de Formação Pastoral Santo Frei Galvão a Escola de Teologia que proporciona a formação nas diversas áreas de nossa fé: Bíblia, moral,


Campanha da Fraternidade 2013 Será lançada no dia 13 de fevereiro, quarta-feira de Cinzas, mais uma edição da Campanha da Fraternidade (CF). Este

ano o tema será “Fraternidade e Juventude” e o lema “Eis-me aqui, envia-me!” (Is 6,8).

Após 21 anos da Campanha da Fraternidade de 1992, que abordou como tema central a juventude, a CF 2013, na sua 50ª edição, terá a mesma temática. A acolhida da temática “juventude” tem como objetivo ter mais um elemento além da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) para fortalecer o desejo de evangelização dos jovens. O presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Eduardo Pinheiro, explicou que

uma das metas principais da CF de 2013 é olhar a realidade juvenil, compreender a riqueza de suas diversidades, potencialidades e propostas, como também os desafios que provocam atitudes e auxílios aos jovens e aos adultos. O objetivo geral da CF é acolher os jovens no contexto de

mudança de época, propiciando caminhos para seu protagonismo no seguimento de Jesus Cristo, na vivência eclesial e na construção de uma sociedade fraterna, fundamentada na cultura da vida, da justiça e da paz. “Dentro do sentido da palavra ‘acolher’ está o valorizar, o respeitar o jovem que vive nesta situação de mudança de época e isso não pode ser esquecido”, destacou o presidente da Comissão da CNBB. Na arquidiocese de Aparecida (SP), o lançamento da CF 2013 será no dia 31 de janeiro, em Guaratinguetá. A abertura será feita pelo cardeal arcebispo de Aparecida e presidente da CNBB, dom Raymundo Damasceno Assis. A programação de lançamento nacional será em Brasília, na sede da CNBB e também na cidade de Natal (RN), arquidiocese que deu início à Campanha, em 1962. O arcebispo de Natal, dom Jaime Vieira da Rocha, falou da satisfação da arquidiocese em sediar o lançamento da CF 2013. “Será um momento de resgate da história da Campanha da Fraternidade, que começou aqui. Ficamos muito felizes pela compreensão da CNBB em nos conceder a alegria desse momento, na história da Campanha. Para nós, é muito

Aconteceu Encontro de Natal com as crianças da catequese

significativo”, disse o arcebispo. O secretário executivo da Campanha da Fraternidade, padre Luiz Carlos Dias, lembrou que a edição de 2013, além de ser um momento comemorativo, será também um momento de revisão da Campanha da Fraternidade. “A Campanha tem um forte poder de evangelização e, por isso, precisamos, cada vez mais, aprimorá-la”, ressaltou. Ele lembrou que a decisão de fazer o lançamento em Natal foi do Conselho Episcopal Pastoral (Consep), da CNBB. Para o lançamento, ficou definida uma visita ao município de Nísia Floresta (RN) – lugar onde a Campanha teve início, na manhã da quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013; ainda no dia 14, à tarde, haverá uma entrevista coletiva com a imprensa; no dia 15, será realizado um seminário sobre a temática da CF 2013 – “Fraternidade e Juventude”. Neste mesmo dia, às 17 horas, será realizada a solenidade oficial de lançamento, e, às 20 horas, na Catedral Metropolitana, será celebrada missa, seguida de um show. Segundo o padre Luiz Carlos, antes, no dia 13, quarta-feira de cinzas, em Brasília, a presidência da CNBB receberá a imprensa, em entrevista coletiva. Fonte: http://www.cnbb.org.br


Natal - Missa do Galo

Aniversariantes 01 Izabel de Jesus Gomes Garcia 01 Pedro Vieira Lima 02 Emanoela Fiola Silva 02 Hermínia da Purificação Santos 02 Elaine da Silva Troiano 02 Clementina de Jesus Gomes 02 Andrezza Tronco 05 Jaqueline Espíndola Faria 06 José Francisco de Oliveira 08 Françoise Mazza 10 Maria da Penha Alves 10 Ana Maria Calesso Luiz 10 Ricardo Augusto de N. Taberneiro 11 Antonia F. Fernandes 13 Antonio Angelo Coelho 13 Lourdes Rodrigues Pedrão 13 Rosangela Aparecida G. Batista 16 Maria de Lourdes A. Ciongoli 17 Elza Pinheiro Andrade 18 Genesis Brambila Pereira 18 Wagner de Sales Mesquita 18 Carmem Silvia C. Lomonaco 18 Alba Freitas Araujo 18 Paulo de Oliveira Chagas Filho 18 Solange Mustafé B. Ferreine 20 Rodrigo Oliveira de Paula 22 Aline Troiano Pirolla 23 Antonio Carlos Quadrado 23 Remo Paradisi Lilian 24 Maria de Fátima Doná 25 José Carlos R. Gimenes 27 José Eduardo Moraes 28 Luzia Forner dos Santos 28 Maria Nilze Lopes 28 Ernane Joaquim Neto

Despachante JARDIM SÃO PAULO *Assessoria de Despachos *Licenciamento *Renovação de C.N.H. (11) 2971-0550 (11) 2283-4694 *Serviços Junto ao Detran

Paulo - Gisele

Cel: (11) 97891-6716 ID: 121*60415 Rua Carlos de Laet, 103 - Cep 02041-000 - Jd. São Paulo - SP (próx. ao Metrô - Esquina c/ Leôncio de Magalhães Alt. 1074)

Dra. Patrícia V. Cordeiro Quispe DERMATOLOGIA - MEDICINA OCUPACIONAL CRM 91836 Av. Nova Cantareira, 1984 sala 142 Tucuruvi - São Paulo SP

2597-8743 99312-6118

conceitodermatologia@gmail.com


Missas Segunda-Feira - 15h (com novena pelas almas) Terça-Feira - 20h Quinta-Feira - 20h Sexta-Feira - 8h Sábado - 17h Domingo - 8h/10h/19h

Confissões

Atividades da comunidade Dia 02

sáb

Atividade

Hor

Local

Nossa Senhora da Candelária - Bênção das velas

17h

Paróquia

03 dom São Brás - Bênção da garganta em todas as missas

Terça e sexta-feira, das 10h às 11h30. Caso haja necessidade de outro horário, agendar na secretaria.

Atividades regulares da paróquia

05 a 08 12

ter

Semana Catequética Missa em louvor à Nossa Senhora Aparecida

13 qua Quarta-feira de cinzas Missa com distribuição de cinzas

Pequeninos do Senhor

domingos

10h

Perseverança (crianças que já tenham feito a 1ª eucaristia)

domingos

9h às 10h

Reunião da Idade de Ouro

5ª feira

Inscrição para o Batismo

Paróquia

14h30 ou 20h

Cúria

20h

Paróquia

20h

Paróquia

13 qua Abertura da Campanha da Fraternidade 15

sex

Encontro do Arcebispo com todos os párocos

9h às 13h

14h às 17h

19

ter

Retorno da catequese - manhã e tarde

5ª feira

14h30 às 16h30

23

sáb

Encontro com os pais da catequese

Reunião da legião de Maria

5ª feira

15h às 16h30

Recitação de mil ave-marias

segunda 5ª feira do mês

8h

Grupo de oração

3ª feira

20h às 22h

Intercessão

4ª feira

20h

Missa do Sagrado Coração de Jesus e adoração

primeira 6ª feira do mês

15h

Adoração Eucarística com novena do Santíssimo

5ª feira

18h45-20h

Missa em louvor à N. Sra. Aparecida

dia 12 de cada mês

20h

Terço

4ª feira

15h

9h

Agostinianos

Salão Paroquial

Retorno catequese turma 2012 19/02/2013 - turmas de 3ª feira 23/02/2013 - turmas de sábado

CATEQUESE COM ADULTOS 2013 Você precisa fazer? Ah, outra pessoa que você conhece! Então convide. Inscrições na Secretaria desta Paróquia.

Atendimento social da paróquia - Centro Comunitário Bazar permanente

3ª e 5ª feira

9h às11h

Clube das mães

3ª feira

13h30 às 16h30

Plantão social

3ª feira

9h30 às 16h30

Datas Comemorativas 02 Apresentação do Senhor 02 Nossa Senhora dos Navegantes 03 São Brás 11 Nossa Senhora de Lourdes 13 Quarta-feira de Cinzas 22 Cátedra de São Pedro, Apóstolo


Jornal - fevereiro 2013