Page 1

Boas Práticas EDIÇÃO 5 NOME DA EMPRESA

MAIO DE 2016

Tít ulo do artigo pri ncipa l

Interesses especiais:

Sintetize aqui seus interesses.

Sintetize aqui seus interesses.

Sintetize aqui seus interesses.

Sintetize aqui seus interesses.

Este artigo pode conter de 175 a 225 palavras.

de visita ou listas de associação em geral.

O objetivo do boletim informativo é fornecer informações especializadas para um públicoalvo. Os boletins informativos são um excelente meio de anunciar produtos ou serviços, além de gerar credibilidade e criar uma identidade entre seus parceiros, funcionários ou prestadores de serviço.

Se explorar o catálogo do Publisher, você encontrará muitas publicações que irão combinar com o estilo do boletim informativo.

Primeiro, determine o públicoalvo. Poderá ser qualquer um que se beneficie com o seu conteúdo, por exemplo, funcionários ou pessoas interessadas em comprar um produto ou solicitar um serviço. Você poderá organizar uma lista de endereçamento a partir de cartões-resposta comerciais, cadastros de clientes, cartões

Nesta edição:

Artigo interno

2

Artigo interno

2

Artigo interno

2

Este artigo pode conter de 75 a 125 palavras.

Artigo interno

3

Artigo interno

4

O título é uma parte importante do boletim informativo e deve ser escolhido com muito cuidado.

Artigo interno

5

Artigo interno

6

Depois, estabeleça o tempo e o valor que estará disposto a in- Legenda da imagem ou do elemento gráfico. vestir no boletim informativo. Esses fatores ajudarão a determinar a periodicidade de distribuição e o tamanho do boletim informativo. Para que seja considerado uma fonte de informação consistente, é recomendável uma distribuição trimestral, no mínimo. Seus clientes ou funcionários aguardarão ansiosos a sua tiragem.

Tít ulo do artigo s ecundár io

Ou seja, ele deve representar precisamente o conteúdo do artigo e transmitir uma idéia

geral. Pense no título antes de escrever o artigo, isso ajuda a manter o foco no assunto principal. Aqui estão alguns exemplos de títulos: "Produto Ganha Prêmio Industrial"; "Novo Produto Pode Economizar Seu Tempo!"; "Recorde de Lucros" e "Agora Uma Nova Filial Perto

de Você".


BOAS PRÁTICAS

Direção-geral Liane de Oliveira Bayer

Supervisão DIRETORIA DE ENSINO DA REGIÃO DE DIADEMA

Lilian Pino Arroyo do Valle

Direção

Rua Cristovão Jaques, 113 - Vila Nogueira

Eva Gonçalves Ramos (Diretor I – NPE)

Diadema - SP - CEP 09942-190

Marcelo Ferreira Jacote (LEM)

Editor de Arte e Diagramação Marcelo Ferreira Jacote (LEM)

Quer publicar alguma ação da sua escola aqui? Entre em contato conosco!

Revisão Gramatical

Tel: 4053– 4761 Email: npediadema@gmail.com

Débora Silva (Língua Portuguesa) Marcelo Ferreira Jacote (LEM)

ESSA

PUBLICAÇÃO É MAIS UMA AÇÃO DO NÚCLEO PEDAGÓGICO—DE DIADEMA

© 2015 Diretoria de Ensino da Região de Diadema - Todos os Direitos Reservados.

Reportagem

Ana Maria da Silva Camillo , Cintia Akinobu Capolupo, Daiana Maria Ribeiro de Brito, Eliana Fonseca Lemes, Eric Vellone Coló, Fátima Aparecida de Miranda Prado, Luciane de Camargo Mendes, Márcia Urvinis, Marco Antônio Bolotario, Neusa Cristina Gonçalves de Oliveira, Professores FERE, Sabrina Angelo da Silva, Telma Soares, Vanildo Menezes da Silva Colaboradores - PCNPs Adriana Santana (Artes), Aline Forti Mangile (Educação Especial), Ana Lígia Guimarães (Anos Iniciais), Ana Paula Teixeira Santos (Analista Sócio Cultural), Carlos Alberto Ferreira (Educação Física), Cristiane Silva Savanachi (Matemática), David Ricardo Mioto (Matemática), Débora Silva (Língua Portuguesa), Elba Vianna Modesto (Programa Escola da Família), Marco Antonio Bolotario (Geografia), Maria Aparecida Cirilo (Geografia), Maria Janayne Barbosa da Cruz (Língua Portuguesa), Miriam Generosa (Anos Iniciais), Rosi Marina Candido (Anos Iniciais), Sonia Ramos Mello (Anos Iniciais),Valéria Acosta Guardiola (Física). Agradecimentos Ao Núcleo Pedagógico e a todos os profissionais da educação da Rede Pública Estadual de Diadema.

PÁGINA 2


EDIÇÃO 5

Pa l av r a da D i r i g e n t e Prezados colegas de trabalho, Nesta primeira edição de 2016, muito temos a comemorar. Nossas escolas trabalharam muito em 2015, o que gerou ótimos resultados nas avaliações externas. As edições de 2015 mostraram um pouquinho deste trabalho comprometido e de qualidade desenvolvido em nossas escolas. Por isso, mais uma vez, parabéns a todos! E 2016 começou com muita energia e muita dedicação de professores, alunos e gestores. O destaque desta edição, é o combate à dengue e outras doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypit. As equipes escolares estão mostrando que a prevenção é o melhor caminho. É assim que se faz Educação: escola e comunidade unidas por um bem comum – a saúde. Desejo a todos um excelente 2016!

HOMENAGEM AO DIA DAS MÃES

SER MÃE... Quando todos te condenem quando ninguém te escutar, ela te escuta e perdoa, pois ser mãe - é perdoar! Quando todos te abandonem e ninguém te queira ver, ela te segue e procura pois ser mãe - é compreender! Quando todos te negarem um pão, um beijo, um olhar, ela te ampara e acarinha pois ser mãe — sempre é se dar! (J.G. de Araújo Jorge)

PÁGINA 3


BOAS PRÁTICAS

Todos juntos contra a Dengue na EE General José Artigas Diante do aumento dos casos de Dengue em nossa região, observou-se a necessidade de conscientização e prevenção através de ações que poderão contribuir para amenizar a proliferação do mosquito Aedes aegypti. Num primeiro momento, os alunos receberam um questionário sobre medidas preventivas para levarem para casa e repassarem aos responsáveis, essa medida teve o objetivo de propor uma parceria entre alunos, pais e escola. Na sequência a escola recebeu através de doação 3 exemplares de mosquitos (Aedes Aegypti e culex sp) para melhor diferenciação entre eles. Como primeiras orientações fizemos a leitura dos textos: “Curiosidades sobre o mosquito Aedes, como identificar o mosquito e formas de se evitar a proliferação do inseto”, o tema já tinha sido debatido e aprovado anteriormente em ATPCs realizados na unidade escolar. Os professores conversaram com suas turmas e fizeram a orientação quanto à realização do trabalho de conscientização. Essa ação teve os seguintes objetivos: *Conscientizar que a ação mais simples de combate a Dengue e evitar o nascimento do mosquito eliminando todo possível criadouro. *Alertar que as ações devem ser coletivas e que todos devem agir contra a Dengue; *Disseminar as informações necessárias a toda comunidade escolar. O projeto de Combate e conscientização sobre mosquito Aedes na escola foi desenvolvido a partir das seguintes ações: *Aulas expositivas e filmes de conscientização, *Leitura de textos informativos; *Confecções de cartazes para o incentivo ao “Combate a Dengue”; *Pesquisa, exploração oral e escrita sobre o tema; *Amostragem de fotos impressas e do mosquito (Aedes e culex); *Mediação de paródia de combate a Dengue, reproduzindo músicas. Ressaltamos que estas ações estarão sendo desenvolvidas durante o ano letivo, seguindo o Plano de Ação de Combate à Dengue. Todas as atividades foram desenvolvidas pelos professores e alunos, sob orientação da Direção e Equipe Pedagógica em parceria com a Sala de Leitura. Sabrina Angelo da Silva - Professora da Sala de Leitura

PÁGINA 4


EDIÇÃO 5

Vamos “cantar” o Aedes Aegypti para longe daqui Devido a alta incidência da Dengue, Chicungunya e o Zika no início de 2016 em todo o nosso país, a E.E. Profª Maria Carolina Casini Cardim decidiu desenvolver um projeto de combate ao mosquito Aedes Aegypti em todas as áreas do conhecimento. Por tratar-se de um problema de ordem pública, a mudança de hábitos é imprescindível e a melhor maneira de alcançar esse objetivo é através da educação. Tornar o nosso educando um agente multiplicador salientando a importância dos cuidados com a saúde e as diversas maneiras prevenir as doenças transmitidas pelo mosquito vetor foi o foco de trabalho da U.E. Na disciplina de Português (Profª Márcia Farias) com o apoio da Sala de Leitura (Profª Márcia Mesquita) o produto final foi a composição e apresentação das paródias no subprojeto “Vamos “cantar” o Aedes Aegypti para longe daqui”: Equipe Maria Carolina

“DENGUE VÁ EMBORA” COMPOSITOR – DAVID GABRIEL (9º ano - EF) (HOMEM NÃO CHORA - PABLO)

“DENGUE NO BRASIL” COMPOSITORA – BIANCA FREIRE (3ª série - EM) (BORBOLETAS – VICTOR & LÉO)

DENGUE VÁ EMBORA POR FAVOR “VAZA” AGORA VAMOS TE EXTERMINAR POR FAVOR NÃO IMPLORA PORQUE VOCÊ TEM QUE IR EMBORA E DEIXAR O BRASIL EM PAZ VOCÊ FOI A CULPADA DE DAR FEBRE E MUITAS DORES VOCÊ QUE ACABOU COM MUITAS VIDAS VOCÊ E O MOSQUITO NÃO FORMAM UMA BOA DUPLA E AINDA TEM A CHIKUNGUNYA E O ZIKA CAIXA D’ÁGUA E LATA DE LIXO SEMPRE BEM TAMPADA PARA O MOSQUITO NÃO ACABAR CONTIGO É SÓ SE CUIDAR MEU AMIGO

PERCEBO QUE A DENGUE ATÉ MATA EU NÃO VEJO A MENOR GRAÇA DEIXAR ASSIM VAMOS OBSERVAR COM CAPRICHO RETIRANDO TODO LIXO, DO QUINTAL E DO JARDIM AGORA A CHUVA VOLTA, E COM ELA TRAZ ESSA SITUAÇÃO, ECLODEM TODOS OS OVOS, QUE OS MOSQUITOS DEPOSITAM NO VERÃO NÃO SEI DIZER COMO CHEGOU A DENGUE NO BRASIL SE ELA VEM DA COCHINCHINA OU DA PONTE QUE EXPLODIU VOCÊ ...PODE AJUDAR, ME FAÇA ESSE FAVOR TAMPE AS GARRAFAS PET,CUBRA PNEUS E TAMBOR.

PÁGINA 5


BOAS PRÁTICAS

SEMANA DE COMBATE AO MOSQUITO AEDES AEGYPTI Na semana de 28 de março a 02 de abril, realizouse na Escola Estadual Vila Santa Maria a mobilização de combate ao Mosquito Aedes Aegypti. A mobilização aconteceu em duas etapas. A primeira etapa, com palestras em parceria com a Prefeitura Municipal de Diadema, setor Zoonoses. A palestrante esclareceu aos alunos que o Aedes Aegypti é o vetor de três doenças: Dengue, Chikungunya e Zica e o melhor combate é a eliminação dos criadouros. Um dos sintomas do Chikungunya são dores agudas nas articulações. A doença geralmente se manifesta após incubação de 4-7 dias, a um período que pode se estender até 12 dias. Isto significa que pode demorar um período de 12 dias entre o momento em que uma pessoa é picada por um mosquito e o aparecimento dos primeiros sintomas. A transmissão do ZIKA raramente ocorre em temperaturas abaixo de 16° C, sendo que a mais propícia gira em torno de 30° a 32° C por isso ele se desenvolve em áreas tropicais e subtropicais. No entanto, mesmo nas horas quentes ele pode atacar à sombra, dentro ou fora de casa. Após a palestra, os alunos realizaram confecção de cartazes e debates com os professores. A segunda etapa teve um Mutirão de Combate ao mosquito: os alunos do 6º Ano C e 6º Ano D,

PÁGINA 6

junto às professoras Maria Célia e Silvana realizaram um mutirão pela escola em combate ao mosquito Aedes Aegypti e possíveis criadouros do mosquito. Para isso os alunos receberam luvas cirúrgicas, sacos de lixo e fichas para registros e coletas dos dados observados. Esta atuação ajudou a sistematizar e compartilhar seus conhecimentos de forma diferenciada, dialógica e divertida. Após o mutirão, os alunos relataram o que foi observado através dos registros onde explicavam a eliminação de criadouros como: vasos de plantas, caixa d’ água destampadas, tampinhas de garrafas, entre outros. Os alunos relataram também que é uma batalha muito difícil pela quantidade de possíveis criadouros existentes nos centros urbanos, e todos precisam fazer uma vigilância sistemática, evitando assim a proliferação. Esta ação faz parte do Projeto Prevenção Também se Ensina e o registro de relatos de observação vem de encontro com a proposta de incentivar o aluno a escrever naturalmente, sobre observações e vivências do seu dia-a-dia. O que favorece o trabalho contínuo que visa o desenvolvimento da competência escritora. Equipe Gestora


EDIÇÃO 5

Al u n o s d a E E J o ã o d e M . M a c e d o s e m o b i l i z a m p a r a o combate ao m o s q u i t o Ae d e s Ae g yp t i Devido a alarmante história do terrível e temível mosquito Aedes Aegypti a Unidade Escolar em conjunto com o Projeto Sala de Leitura e professores, iniciou no mês de março um trabalho de conscientização sobre os males que o mosquito vem trazendo para a saúde pública. A ideia foi que os alunos produzissem vários gêneros textuais , com uma linguagem simples e objetiva, apresentando sua origem, as doenças que ele causa, os sintomas e orientações sobre o tratamento, motivando o alunado a apropriar-se dos assuntos ou acontecimentos do cotidiano para mostrar que apenas através de uma parceria, a mudança seria possível se houvesse o compromisso de cada um, podendo começar em sua própria casa, além de promover o protagonismo juvenil, os alunos formam uma consciência cidadã, entendendo que somos parte de um todo em nosso universo e corresponsáveis na construção de um mundo melhor. A matéria foi apresentada aos alunos na sala de leitura, realizada através de um cronograma e estendida para as salas de aula, onde os professores propuseram novas atividades de motivação. O alunos fizeram ilustrações a respeito dos sintomas das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti (Dengue, Chikungya, Zika), bem como, dicas de prevenção e tratamento, com a orientação dos professores. Durante a realização dos trabalhos. O aluno Kaique (7ºB), A aluna Fernanda (9ºA) e o Professor Manoel disseram que em 2015, foram levados para o hospital com suspeita da Dengue. Durante a socialização das leituras compartilhadas, os alunos colaboram ativamente dizendo o que sabiam a respeito das doenças transmitidas e o que aprenderam com as discussões e as produções escritas. Desta forma, é possível dizer que o incentivo e a motivação para educar é só começar. Neusa Cristina Gonçalves de Oliveira

PÁGINA 7


BOAS PRÁTICAS

O teatro ensina a viver Com o objetivo de integrar a criança ao ambiente escolar e formar um cidadão consciente,a professora Márcia Urvinis Esturari do 5º ano desenvolveu o projeto O teatro ensina a viver com os alunos da E.E. Professor Roberto Frade Monte. O teatro ajuda a criança a ampliar seus horizontes. Encenar personagens e situações, propicia que ela entre em contato consigo mesma e encontre a possibilidade de criar, de inventar, de ser quem ela quiser, sentindo-se menos repremida pelos padrões de comportamento da sociedade, enxergando novas possibilidades e desenvolvendo novas habilidades. No teatro aprende-se a trabalhar em grupo, a esperar a sua vez, o seu momento, o seu movimento.Cada um tem clareza do seu papel para que um objetivo único seja alcançado. Desse modo, o tema escolhido foram os cuidados contra o mosquito Aedes Aegypti, responsável pela Dengue, Chikungunya e Zika. Os alunos abordaram os cuidados essenciais para atenuar os problemas causados por ele. Levando em primeiro lugar à comunidade escolar e a partir daí aos pais e vizinhos tudo o que observaram e aprenderam numa apresentação teatral. O objetivo, tanto teatral quanto de saúde publica, foi alcançado de forma significativa e prazerosa. Márcia Urvinis - Professora

PÁGINA 8


EDIÇÃO 5

A Natureza contra dengue

A Escola Soldado José Iamamoto, realizou um projeto sobre a importância do combate ao Aedes Aegypti, agente transmissor da dengue, chikungunya e zika. Os projetos envolveram toda escola, cada turma abordando um tema de sensibilização ao combate, prevenção e tratamento das doenças transmitidas pelo Aedes. Buscando diversificar os métodos de prevenção das doenças causadas pelo mosquito, os jovens dos 9ºs anos C e D fizeram a distribuição e plantio de sementes de crotalária, planta de flor amarela que atrai libélulas, predadoras naturais do mosquito. A ação tem a proposta de ser multiplicadora, já que os educandos levaram as sementes para serem plantadas em suas casas e na vizinhança.Ao contrário dos inseticidas, o plantio da leguminosa tem como diferencial não agredir o meio-ambiente, já que utiliza um agente natural. Sempre lembrando que a crotalária sozinha não soluciona o problema, é apenas mais um recurso que deve ser aplicado com ações conjuntas para evitar a proliferação do mosquito.

Parceria e pesquisa, um caminho de aprendizagem Em 2016 a Escola Estadual Sérgio Buarque de Holanda, numa parceria com a USP (Universidade de São Paulo) e com a colaboração de uma mãe de aluno, Sra. Clarice, conseguiram o empréstimo de dezesseis computadores, que foram adaptados à sala de informática, com o objetivo de aprimorar e subsidiar pesquisa e o acesso ao Currículo +. Uma vez por semana todos os alunos dos anos iniciais são divididos em duas turmas, uma turma é encaminhada à sala de leitura e realiza pesquisa, leituras e entra em contato com diversos livros, a outra turma vai para a sala de informática adaptada e realiza pesquisa, sempre vinculada ao conteúdo em sala de aula, dentre os diversos sites o mais utilizado é o Currículo +. Esta prática tem proporcionado o incentivo à leitura o contato com mais gêneros literários e principalmente uma ferramenta que contribui o aprendizado, de forma prazerosa e lúdica ao mesmo tempo. Luciane de Camargo Mendes – Diretora

Rafael Fontana Professor

PÁGINA 9


BOAS PRÁTICAS

Protagonismo Juvenil: Eleição do Grêmio Estudantil Este ano de 2016 está marcado pela movimentação política e a E. E. Deputado Gregório Bezerra não está de fora desta onda de democracia. A escola organizou o calendário para planejar o Grêmio Estudantil. No início do ano, os estudantes dialogaram sobre a responsabilidade e a importância do Grêmio. Foram eleitos os representantes de sala neste período. Em 4 de Março, foi realizada a Assembleia Geral entre representantes e direção Neste encontro, foram debatidas e revisadas a formação das chapas, a eleição e a posse do Grêmio. O estatuto do Grêmio foi lido e explicado pontualmente. Os estudantes tiveram os dias 7 e 8 de Março para dialogar e realizar a inscrição das chapas que concorreriam à eleição. Todas as seis chapas proponentes entregaram um texto da plataforma eleitoral contendo tudo que seria discutido durante a campanha. Os estudantes realizaram nos dias 9 e 10 de Março a campanha eleitoral com a confecção de cartazes e páginas de divulgação nas redes sociais. O ponto alto foi a entrada das chapas por entre todas as turmas e salas. Em 11 de Março ocorreu a esperada eleição do Grêmio. O formato digital foi usado, com votação em computadores e sob constante supervisão da comissão eleitoral e de fiscalização, formadas pela direção e por membros das chapas e professores. Todas as salas votaram. O resultado foi divulgado online no blog da escola. A chapa vencedora foi a Revolução Classe A. Destaque para Rebeca Nunes, coordenadora geral da chapa. Os integrantes eleitos se subdividiram nas coordenadorias de Relações Acadêmicas, Comunicação, Esportes, Financeiro, Cultura, Social e Meio Ambiente. A escola passou, em Abril, a realizar a formação teórica e prática dos estudantes sobre a ação do Grêmio para que suas atuações sejam potencializadas. O professor de Sociologia realizou um calendário de palestras que convidam os eleitos ao pleno exercício de suas funções. A assinatura do termo de posse ocorreu na presença de toda comunidade escolar e o colegiado recebeu o apoio de todos os envolvidos. A E. E. Deputado Gregório Bezerra quer colaborar para um Grêmio representativo. Eficiente na tarefa de incrementar os canais de diálogo e atuação e dar voz e vez aos estudantes junto à construção de uma educação de qualidade. Eric Vellone Coló - professor de Sociologia

PÁGINA 10


EDIÇÃO 5

Orientação Técnica - Anos Iniciais

No dia 07 de abril, o Núcleo Pedagógico desta Diretoria de Ensino promoveu uma Orientação Técnica para Equipe parceira, de Professores Coordenadores das escolas dos Anos Iniciais, tendo como condutoras da Orientação as PCNPs desse segmento, que contou com a participação dos PCNPs das disciplinas de Arte- (Adriana), Educação Especial (Aline), Educação Física (Carlos) Geografia (Marco) e História (Cida). A abertura foi realizada pela Srª Eva G. Ramos (Diretora do NPE), seguida da Srª Lilian P. A. do Valle (Supervisora do NPE) e da Srª Roseli M. da Silva (Supervisora dos Anos Iniciais). O objetivo principal desse encontro foi o de orientar o trabalho pedagógico para o corrente ano letivo, das escolas da rede que oferecem o ensino do 1º ao 5º ano, enfatizando o currículo oficial das diferentes áreas; apresentar o Plano de Ação dos Anos Iniciais; orientar sobre os procedimentos referentes aos alunos público-alvo da Educação Especial; abordar o currículo oficial das demais disciplinas – num olhar mais aprofundado –; dar ampla divulgação do currículo de Ciências da Natureza e Humanas para esse segmento de ensino: o Projeto Memórias, Caminhos e Descobertas – Sociedade e Natureza (Versão Preliminar),

assim como orientar o trabalho para análise do referido material e colher sugestões do corpo docente na construção do mesmo. No decorrer desse encontro, foram abordados os resultados do Idesp/2015 desta Diretoria, atingindo a meta de 6,16 nos Anos Iniciais, superior à meta do IDEB de 5,8 resultado este, só possível pela soma de esforços e comprometimento de toda a equipe parceira – Unidade Escolar e Núcleo Pedagógico. Na sequência, fez-se uma análise dos resultados do Mapa Classe (hipóteses de escrita) comparando-o com a sondagem final de 2015 e a inicial de 2016, a fim de articular ações para sanar as defasagens atuais. Após a apresentação do Projeto Memórias, Caminhos e Descobertas – Sociedade e Natureza solicitou-se às PCs ampliar esta divulgação e promover o estudo/análise desse currículo, junto ao corpo docente, nos horários de ATPCs, para que, juntos, possamos contribuir e sugerir alterações enquanto fase de versão preliminar do mesmo. Equipe PCNPs Anos Iniciais

PÁGINA 11


BOAS PRÁTICAS

Projeto FICFERE (Fórum de Iniciação Científica Fábio Eduardo Ramos Esquível) O FICFERE nasceu da iniciativa da coordenação pedagógica em discutir com o grupo dos professores da EE Fábio Eduardo Ramos Esquível, da Diretoria de Ensino da Região de Diadema, sobre a importância de estimular uma prática pedagógica já consagrada no ensino universitário e pouco explorada no Ensino Médio, que é o Trabalho de Conclusão de Curso ( TCC ).

Esta alternativa pedagógica não só pode, como deveria ser desenvolvida por todas as escolas que atuam com o Ensino Médio, bastando haver um grupo de professores engajados e orientados por uma gestão atuante e incentivadora. Essa prática vai muito além do que podemos descrever. Os alunos vão para o primeiro ano do Ensino Médio conscientes de que, ao chegarem ao 3º ano, participarão do (FICFERE) com uma banca examinadora de professores da escola, professores convidados de outras unidades escolares e de professores da Diretoria de Ensino que acompanham o projeto anualmente.

Esta alternativa pedagógica gerou um artigo científico, apresentado, aprovado e publicado nos “Anais do X Colóquio de Pesquisa sobre Instituições Escolares - Plano Nacional de Educação (PNE) – Desafios e Perspectivas., v. 1, p. 214-229, 2015, com o título FÓRUM DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA NO ENSINO MÉDIO: UMA ALTERNATIVA PEDAGÓGICA A SER Enfim, professores, pais e alunos COLOCADA EM PRÁTICA”, evento realizado percebem uma preocupação com o pelos programas de Educação da Uninove, aprendizado significativo da garotada e o entre os dias 28 e 30 de outubro de 2015. incentivo à continuidade dos estudos para a Para elaboração do FICFERE, foi tomada formação do cidadão. Atualmente, o dia das como base a Lei n.º 10.522/2000, reescrita no documento Unificação de Dispositivos Legais e apresentações é marcado por muita Normativos relativos ao Ensino Fundamental e superação, elegância, garra, alegria, nervosismo, risadas, elogios, aprendizado, Médio (SÃO PAULO, 2011). emoção e lágrimas de dever cumprido! Professores FERE – Fábio Eduardo Ramos Esquível

PÁGINA 12


EDIÇÃO 5

Quem acolhe quem na escola? Antes de iniciar o ano letivo de 2016, todos os professores da família EE Prof. Miguel Reale participam da atribuição de aulas. Os alunos, sabendo disso, recepcionaram seus professores, entregando-lhes uma mensagem que dizia: desejamos que o senhor (a) faça uma boa escolha de aulas neste dia de atribuição acompanhada de um bombom. Nossos alunos deram uma aula de acolhida! E veja que as aulas se quer tinham começado, pois o ano letivo só teve início em 15 de fevereiro. O protagonismo juvenil começou antes mesmo do retorno à escola. A surpresa não parou por ai! Os alunos montaram uma brinquedoteca para cuidar dos filhos de professores que vieram acompanhando seus pais. Tudo pensado para que o professor se sentisse bem recebido depois de merecidas férias. E tivesse tranquilidade no momento da escolha de aulas. São assim, os alunos da EE Prof. Miguel Reale. Podem dar os parabéns! Prof. Vanildo Menezes da Silva - Diretor

Lugar de Mulher é em Todo Lugar O mês de março foi lembrado e celebrado por todos na E.E. João Ramalho. Durante todo o mês a escola promoveu uma sequência de palestras e rodas de conversas, realizadas exclusivamente por mulheres, onde foram relembrados os principais fatos que fazem do 8 de março um dia de luta e celebração. Além do resgate histórico, os alunos puderam participar de discussões como “A mulher no mercado de trabalho”, “O papel das mulheres nos movimentos sociais”, “Segurança da Mulher”, “A mulher no ensino superior”, entre outros. A participação e seriedade demonstrada pelos alunos durante as atividades desenvolvidas revelam as mudanças e conquista que as mulheres, do Brasil e do mundo, têm alcançado e o quanto ainda há para se buscar em nível de igualdade. São ações como esta que fazem da escola um espaço democrático que visa à construção efetiva da cidadania, e jovens preparados para os desafios e debates do mundo contemporâneo. Equipe Gestora

PÁGINA 13


BOAS PRÁTICAS

Vi s t a a M i n h a P e l e “Vista a minha pele Você conseguiria? Seja Negro só por um dia Seja preto pelo menos pó mim Somando todas as minhas cores assim” Este é um trecho do poema Vista a Minha Pele de Silas Corrêa Leite (Poeta, Crítico Social, Teórico da Educação) e que resume bem o que os alunos do Ensino Fundamental I da E.E. Vila Socialista vivenciaram com o Projeto Africanidades em Novembro de 2015. Cultura, política, vestimentas, foram conhecidas, através de pesquisas, pelos alunos, assim como brincadeiras e danças afrodescendentes. O colorido da Africanidade fez parte do trabalho dos professores, coordenadora e direção com os alunos e que resultou em um evento que ficará marcado na vida desses pequenos. A compreensão de que todos são iguais, independente da cor da pele, ficou guardada dentro de cada aluno. Não foi só um dia de festa, mas um dia de conscientização de seres humanos em formação e que pode se relacionar com outro trecho do poema: “...Vista minha pele Eu sou igualzinho a você Ser Humano, porque Corpo, Mente, Banzo, Coração Então questione racismo e discriminação. Vista minha pele Sou vermelho por dentro E negro cem por cento Afrobrasilis, Afrodescendente Muito além de para sempre Inteiramente ser humano e sobretudo gente” Ana Maria da Silva Camillo

PÁGINA 14


EDIÇÃO 5

DO REAL AO IMAGINÁRIO

O universo infantil sempre é cheio de muitas brincadeiras, a imaginação de uma criança ganha força através de suas ações e nos desperta para sentimentos esquecidos e guardados em flashes de nossa história. Através desse olhar os professores do sexto ano da Escola Estadual João Ramalho impulsionam seu trabalho pedagógico e como uma ação acolhedora para os novos ingressantes de nossa unidade, foi elaborado um dia especial onde a maior missão era educar através da brincadeira, pois é possível perceber que o universo em que eles estão sendo inseridos, de uma forma automática cria barreiras no processo criativo da criança e isso é o que não pode acontecer. Sendo assim, nosso dia foi dividido em três momentos, na primeira etapa os educandos foram convidados a mergulhar em

um mundo de fantasias propiciado pela mediação de leitura e contação de história. Encantaram-se com a leitura do livro o Menino Mar de Sergio Dias e ilustrações de William Teodoro e a Louca história de Chapeulzinho Vermelho contada por alunos protagonistas do Grêmio Estudantil. Dando sequência às atividades, foi realizada em sala de aula a dinâmica O Saco de Presente que por sua vez desenvolvia o reconhecimento de valores éticos e morais em um enquadramento lúdico. Para finalizar nosso dia presenteamos nossos alunos com um circuito de brincadeiras de cooperação, nos quais pudemos notar a importância das relações humanas no desenvolvimento intelectual e social de nossos discentes. Não há nada mais gratificante que o sorriso de uma criança, a educação de um país deve ser construída com alegria, é assim que trabalhamos aqui, pois o futuro se constrói com amor.

Equipe Gestora

PÁGINA 15


BOAS PRÁTICAS

Poesia na Escola! No mês de abril, ocorreu o projeto Poesia na Escola da E.E.Prof. Délcio de Souza Cunha. O trabalho realizado com os 6º e 9 º anos, foi desenvolvido pelas professoras Cida de História e Marly da Sala de Leitura. Essa parceria entre as docentes fez possível uma ampliação do trabalho que seria inicialmente mais objetivo e simples. Na área de Língua Portuguesa e História, foi elaborada uma atividade utilizando vários livros de poemas de autores variados, para que todos os envolvidos no trabalho tivessem a oportunidade de apreciação dos poemas de vários autores. Assim, propiciar aos jovens uma aproximação com a linguagem poética fortalecendo o hábito de leitura e despertando-os para o universo mágico da poesia. Durante as aulas na Sala de Leitura os alunos trabalharam em grupos com os poemas escolhidos por eles e aprenderam como deve ser feita a leitura de textos poéticos, nas quais os alunos fizeram uma interpretação de cada poema escolhido para contar as impressões que tiveram sobre o autor, quais sentimentos tiveram dos poemas. Após essa atividade, cada grupo iniciou um processo de criação de poemas e de ilustrações no qual deveriam utilizar a linguagem poética onde as palavras se combinam de uma forma especial, desenhos,

PÁGINA 16

contendo uma mensagem dentro do tema proposto. O trabalho foi finalizado com uma apresentação de um recital poético em grupo, as professoras envolvidas apreciaram e incentivaram os alunos para essa linguagem literária, sendo esse, além da avaliação, um meio de incentivar um maior envolvimento desse gênero. Ao dar continuidade nesse projeto, elaboramos novas propostas de atividades, como Sarau com o autor Carlos Drummond Andrade e Morte e Vida Severina de João Cabral de Melo Neto, sempre com a intenção de motiva-los para o hábito da leitura desse gênero literário. Marly Ribeiro Gaúna


EDIÇÃO 5

Va m o s P r o j e t a r U m a E s c u l t u r a ? Os educandos do quarto e quinto anos da EE Eça de Queiroz desenvolveram o projeto de escultura sobre comemorações populares pertencente à nossa cultura. O projeto foi desenvolvido em sala de aula e a execução do projeto - a montagem da escultura - foi feita em casa com a participação da família no processo criativo de construção do objeto. A escolha do tema “comemorações” tem base no material didático utilizado pelas crianças na aula de arte, trabalha questões referentes à cultura do Brasil e sugere a pesquisa sobre artistas inspirados pela cultura brasileira na criação de suas obras como Rubem Valentim e Goya Lopes. O resultado da pesquisa e do projeto foi uma exposição, a “Expo Arte” realizada na escola Eça de Queiroz no dia vinte e nove de março. Todas as esculturas foram dispostas no pátio da escola para que toda a comunidade tivesse acesso aos trabalhos e pudesse apreciá-los. Observando esculturas das mais variadas comemorações, como Festa Junina e Dia das Mães, nota-se o uso de materiais não convencionais e materiais reciclados o que mostra que a arte pode ser feita a partir de qualquer material. O artista educando é quem dá sentido cultural a esse material, transformando-o em uma obra de arte. Com uma abordagem contemporânea, o projeto da escultura trabalhou a integração entre a escola e os pais e a autonomia crítica das crianças ao realizarem a apreciação dos trabalhos dos colegas e avaliarem o próprio trabalho. Daiana Maria Ribeiro de Brito - Professora

PÁGINA 17


BOAS PRÁTICAS

M OM E N TO CÍ V I C O "CHEGANDO E PARTINDO"

Em algo tenho posto reparo Alguns viajantes, partem próximos a sua chegada ou, da chegada de um querer bem As vezes em data especial, Dando prosseguimento às ações cívicas iniciadas em 2015, a Diretoria de Ensino de Diadema realizou o hasteamento das bandeiras no dia 22/03/2016 com os alunos da EE. Sergio Buarque de Holanda e funcionários da Diretoria. Hastear a bandeira é um ato cívico que resgata antigos valores, como respeito aos nossos símbolos. Esta ação ocorrerá regularmente com as escolas sob jurisdição desta Diretoria de Ensino.

Para que não sejam esquecidos, por alguns dos seus. A chegada é sempre festiva Devia ser a viagem também Já que cumpriu seu caminho Bastava um...Vá com Deus e Amém. Viajam moços e velhos Mal chegaram os pequeninos Em seguida embarcam novamente no trem A chegada é muito aguardada No embarque, raramente tem alguém

Marco Antônio Bolotario - PCNP Geografia

Somente se for destino No mesmo vagão embarcar um ente querido, um amigo que queremos bem. Embora sejam muitos, a viagem é solitária Fazendo novas paradas, alguns vão descendo Outros vão embarcando no mesmo trem Cada chegada é partida Cada partida é chegada de alguém.

( Telma Soares )

PÁGINA 18


EDIÇÃO 5

Aqui se planta, aqui se colhe e aqui se come... Desde os tempos primórdios, a humanidade busca qualidade na alimentação. Baseado nos quatro pilares da educação: aprender a conhecer (adquirir instrumentos da compreensão); aprender a fazer (para poder agir sobre o meio envolvente), aprender a viver juntos (cooperação com os outros em todas as atividades humana); aprender a ser (o mais importante que engloba todos os anteriores) e na declaração de Salamanca que tem como princípio que toda criança possui características, interesses, habilidades e necessidades de aprendizagem que são únicas, os alunos da sala APE interagindo com alunos da sala regular da EE Homero Silva mobilizam-se com o projeto horta inclusiva. Em meados de janeiro, por iniciativa da professora Silvia que trabalha na proposta de sustentabilidade, construiu-se o espaço para horta. Com o retorno das aulas, a professora Eliana da sala de recurso e colaboradores, potencializou as atividades e deu prosseguimento nas ações com projeto adaptado. Os alunos aprendem, na prática temas como nutrientes do solo, germinação e desenvolvimento de plantas comestíveis, alimento importante no desenvolvimento do ser humano, entre outros. O projeto horta levou o aluno, além de descobrir e produzir, a desenvolver conhecimentos, procedimentos e habilidades que despertaram o interesse em

plantar, cuidar, colher, separar, classificar, selecionar e consumir alimentos livres de produtos químicos. As atividades de revolver a terra, semear, plantar, arrancar mato, podar, regar, colher, não só constituiram o exercício físico, mas também ações significativas para o desenvolvimento da prática da leitura e da escrita. O dia 08/03/16 foi marcado pela expectativa e registrou o prazer e a alegria da realização da colheita dos rabanetes e alfaces, que foram servidos e consumidos por todos os alunos da escola. Data esta que incentivou a continuidade do projeto para plantar, colher e consumir alimentos naturais e orgânicos enriquecendo a merenda escolar. Eliana Fonseca Lemes e Cintia Akinobu Capolupo Professoras de Educação Inclusiva

PÁGINA 19


BOAS PRÁTICAS

A Era do Rádio - As ondas sono Certamente você já deve ter ouvido rádio! Acompanhado as programações musicais que gosta, participado de promoções, se emocionado com diversas histórias que maravilhosamente são contadas, mas, você sabe quando o rádio chegou ao Brasil? De quem foi à voz transmitida pela primeira vez nas ondas sonoras? Qual foi a importância desse meio de comunicação para a nossa sociedade em âmbito cultural, social, político e histórico? É bem provável que várias pessoas independente de sua idade não saibam as respostas para essas perguntas, pensando nisso a Escola Estadual João Ramalho resgatou a história do rádio com a finalidade de mostrar as influências: política, cultural, econômica, social e artística no Brasil nas décadas de 20 a 80 e as transformações no comportamento das pessoas, contemplando a sua importância na comunicação neste período.

PÁGINA 20


EDIÇÃO 5

oras que embalaram os corações A forma conveniente que achamos para a execução desse trabalho foi através do caminho cênico, pois, o espetáculo teatral tem elementos didáticos que colaboram no entendimento da proposta. Para quem gosta de música esse tipo projeto é um prato cheio, podemos reviver momentos marcantes e viajar por musicas que fizeram parte de nossa história. A apresentação desse espetáculo foi realizada no Teatro Clara Nunes e contou com a presença da comunidade escolar que lotou o teatro de nosso município, para prestigiar nossos Alunos/Atores que com grande dedicação e talento deram vida a essa história espetacular, tornando-os protagonistas de sua própria história. Equipe Gestora

PÁGINA 21


Educação de Jovens e Adultos - Projeto “Sai pra lá mosquito” Os casos crescentes de doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, trazem a necessidade de um trabalho informativo e de conscientização para comunidade escolar. Os alunos e professores do Ensino Médio da Educação de Jovens e Adultos da Escola Estadual Jornalista Rodrigo Soares Junior, no dia 07 de Abril – Dia Mundial da Saúde, com muito entusiasmo e criatividade, abriram a exposição do projeto “Sai pra lá mosquito”. Criaram um cenário impactante para sensibilização dos visitantes; além de exposições de gráficos, peça teatral com paródia, vídeos informativos e jogos interativos. Houve um envolvimento dos alunos e professores da EJA com apresentações para o Ciclo I, nos períodos da manhã e tarde. Foram momentos marcantes e conscientes para que assim o aluno seja o multiplicador do combate ao mosquito em sua casa e na sua comunidade. Após uma semana do projeto, os jogos interativos (Boliche, derruba lata e toca do zika) estão sendo utilizados pelos alunos do ciclo I durante o recreio e tem sido um sucesso. Fátima Aparecida de Miranda Prado - Professora Coordenadora

PÁGINA 23

Boas práticas 5  
Boas práticas 5  

Revista Digital do Núcleo Pedagógico da Diretoria de Ensino de Diadema.

Advertisement