Page 1

Edição 10

Novembro de 2017

Boas Práticas

Secretaria da Educação do Estado de São Paulo

Título do artigo principal

Interesses especiais: •

Sintetize aqui seus interesses.

Sintetize aqui seus interesses.

Sintetize aqui seus interesses.

Sintetize aqui seus interesses.

Este artigo pode conter de 175 a 225 palavras.

visita ou listas de associação em geral.

O objetivo do boletim informativo é fornecer informações especializadas para um público-alvo. Os boletins informativos são um excelente meio de anunciar produtos ou serviços, além de gerar credibilidade e criar uma identidade entre seus parceiros, funcionários ou prestadores de serviço.

Se explorar o catálogo do Publisher, você encontrará muitas publicações que irão combinar com o estilo do boletim informativo.

Primeiro, determine o públicoalvo. Poderá ser qualquer um que se beneficie com o seu conteúdo, por exemplo, funcionários ou pessoas interessadas em comprar um produto ou solicitar um serviço.

Depois, estabeleça o tempo e o valor que estará disposto a investir no boletim informativo. Esses fatores ajudarão a determinar a periodicidade de distribuição e o tamanho do boletim informativo. Para que seja considerado uma fonte de informação consistente, é recomendável uma distribuição trimestral, no mínimo. Seus clientes ou funcionários aguardarão ansiosos a sua tiragem.

Você poderá organizar uma lista de endereçamento a partir de cartões-resposta comerciais, cadastros de clientes, cartões de

Nesta edição:

Artigo interno

2

Artigo interno

2

Artigo interno

2

Artigo interno

3

Artigo interno

4

Artigo interno

5

Artigo interno

6

Título do artigo secundário

Este artigo pode conter de 75 a 125 palavras.

o artigo, isso ajuda a manter o foco no assunto principal.

O título é uma parte importante do boletim informativo e deve ser escolhido com muito cuidado.

Aqui estão alguns exemplos de títulos: "Produto Ganha Prêmio Industrial"; "Novo Produto Pode Economizar Seu Tempo!"; "Recorde de Lucros" e "Agora Uma Nova Filial Perto de Você".

Ou seja, ele deve representar precisamente o conteúdo do artigo e transmitir uma ideia geral. Pense no título antes de escrever

Legenda da imagem ou do elemento gráfico.


Boas Práticas Direção-geral Liane de Oliveira Bayer

DIRETORIA DE ENSINO DA REGIÃO DE DIADEMA

Rua Cristovão Jaques, 113 - Vila Nogueira Diadema - SP - CEP 09942-190

Supervisão Lilian Pino Arroyo do Valle Direção Eva Gonçalves Ramos (Diretor I – NPE) Marcelo Ferreira Jacote (LEM) Editor de Arte e Diagramação Marcelo Ferreira Jacote (LEM)

Tel.: 4053-3839

Revisão Gramatical Quer publicar alguma ação da sua escola aqui? Entre em contato conosco! Tel: 4053– 4761 Email: npediadema@gmail.com

Essa publicação é mais uma ação do Núcleo Pedagógico —DE Diadema

Essa publicação é mais uma ação do Núcleo Pedagógico—DE Diadema

Marcelo Ferreira Jacote (LEM) Lilian Pino Arroyo do Valle Reportagem Ana Paula Teixeira Gonçalves , Cristiane Silva dos Santos, Débora Santos, Edna A.S Souza, Eduardo Savanachi, Elaine Vieira, Elba Viana, Equipe Anos Iniciais, Equipe Sala de Leitura, Eva G. Ramos, Kelly Cristina Borges de Freitas Brólio, Lilian Pino Arroyo do Valle, Ludimilla Araújo Duarte, Marcelo Jacote, Marco Antônio Bolotário, Maria Aparecida Cirilo, Mirza Aparecida de Almeida, Priscila Sarmento, Regina Nara, Suzi Silva, William Vaz

© 2017 Diretoria de Ensino da Região de Diadema - Todos os Direitos Reservados.

Colaboradores - PCNPs Aline Forti Mangile (Educação Especial), Ana Lígia Guimarães (Anos Iniciais), Ana Paula Teixeira Santos (Analista Sócio Cultural), Carlos Alberto Ferreira (Educação Física), Cristiane Silva Savanachi (Matemática), David Ricardo Mioto (Matemática), Débora Silva (Língua Portuguesa), Elba Vianna Modesto (Programa Escola da Família), Marco Antonio Bolotario (Geografia), Maria Aparecida Cirilo (Geografia), Maria Janayne Barbosa da Cruz (Língua Portuguesa), Rosi Marina Candido (Anos Iniciais), Valéria Acosta Guardiola (Tecnologia). Agradecimentos Ao Núcleo Pedagógico e a todos os profissionais da educação da Rede Pública Estadual de Diadema. À senhora Ranieli, mãe do aluno Lucas Passos da EE Fábio Eduardo Ramos Esquível pelas fotos do evento Cultura de Paz.

Página 2


Edição 10

Palavra da Dirigente É com muita alegria que chegamos à 10ª edição de nossa revista digital “Boas Práticas”. São dez edições de muito compartilhamento de ações exitosas das escolas estaduais de Diadema, assim como aquelas promovidas pela Diretoria de Ensino. A ideia de se criar um canal de divulgação de trabalhos desenvolvidos nas unidades escolares nasceu de um firme propósito de valorizar todos os profissionais da educação de nossa cidade e seus alunos e, consequentemente, incentivar o protagonismo juvenil e motivar professores comprometidos a procurar cada vez mais formas diferenciadas de ensinar. Ao constatarmos a alegria e, por que não, o orgulho de professores e alunos ao perceberem-se protagonistas do cotidiano escolar, temos a certeza da consolidação da revista digital como canal de divulgação e valorização de docentes, alunos, gestores e comunidades, como fora idealizado. Esperamos que a cada edição, mais e mais trabalhos criativos, originais e de muita aprendizagem sejam compartilhados. Esta 10ª edição é prova disso. Agradeço, de coração, ao Núcleo Pedagógico pela perseverança e dedicação com que vem oferecendo a todos uma revista recheada de belíssimos trabalhos escolares, sempre zelando pela qualidade, criatividade e beleza de cada edição. Boa leitura!!!

Página 3


Boas Práticas

Homenagem à aluna Andreia No mês de outubro, tivemos o prazer de homenagear a aluna Andreia de Oliveira Pinto da EE Evandro Caiafa Esquível pela sua participação no projeto Educação para a Informação, que consistiu na realização de um curso de Letramento Informacional: noções básicas. O curso teve como objetivo apresentar noções básicas de busca, uso e avaliação da informação, sendo utilizada a Plataforma Edmodo como ferramenta virtual para realização do curso. A aluna Andreia considerou o curso como inovador, pois, ela desconhecia o assunto letramento informacional. Para ela “o curso de Letramento Informacional foi de grande aprendizado, pois, melhorei em pontos em que eu não tinha experiências, como buscas de informações concretas, ajudando em minha vida cotidiana, estudantil e profissional”. Ana Paula Teixeira Gonçalves - Analista Sociocultural

Página 4


Edição 10

PROJETO DE RECICLAGEM DE ÓLEO Em agosto, a equipe da EE. RAUL SADDI começou a desenvolver o Projeto Óleo de Cozinha, que tem por finalidade promover a consciência ambiental em todos os setores envolvidos. Em parceria com a Empresa H2 Óleo – Gerenciamento de Resíduos, Coleta e Reciclagem de Óleos. Os alunos do Ensino Fundamental - I (1º ao 5º ano) e a comunidade escolar estão sendo orientados, através de palestras de conscientização ambiental, sobre o descarte do óleo de fritura entre outros. A divulgação sobre a importância da preservação do meio ambiente é feita também através de folhetos e informativos.

Os alunos aprendem que o principal problema que envolve o óleo vegetal é o seu descarte, pois o óleo mal descartado pode acarretar em entupimentos e desgaste do encanamento e, além disso, quando despejado na natureza, por não se misturar com a água, fica espalhado na superfície dos rios, contaminando e prejudicando a vida nesses ambientes. O objetivo do projeto, além de conscientizar os alunos, é arrecadar a maior quantidade de óleo usado e dar a destinação correta para ser transformado em produtos de limpeza e biodiesel. Pequenas atitudes sustentáveis que podem fazer a diferença! Débora Santos – Agente de Organização Escolar

Página 5


Boas Práticas

UM POR TODOS, TODOS POR UM A IMPORTÂNCIA DO TRABALHO COLABORATIVO No primeiro semestre deste ano, os professores da E.E. Jardim Arco Íris realizaram o projeto “Eu + você = nós” para promover uma reflexão da importância da leitura e aplicação da Matemática, tão inseridas no cotidiano do aluno, visando potencializar o processo de ensino aprendizagem. O projeto levou os alunos a refletirem: Onde está a Matemática no seu dia a dia? Além do ambiente escolar, os alunos perceberam que, quando fazem compras, quando se alimentam ou até mesmo no seu número de vestuário, ela está presente. Dessa maneira, os alunos perceberam que além da escola, podemos fazer a leitura de nós mesmos e isso aconteceu com a visitação à exposição de Arte “Eu + você = nós”, diante do espelho os alunos puderam observar-se. Em seguida, decifraram as cartas enigmáticas que envolviam textos verbais/não verbais, números e produziram um acróstico com o tema “O que há no mundo da Matemática?”. Os 8.º e 9.º anos produziram o “Pão de forma” e a “Massinha de modelar” ao analisar o gênero textual receita conforme a comanda dada pelos professores seguindo a proporcionalidade. Já no segundo semestre, a parte seguinte do projeto exigiu que os alunos dos 6.º e 7.º potencializassem o processo de ensino aprendizagem de conceitos geométricos através do material concreto e da prática de construção de sólidos geométricos com a confecção do móbile e da pipa. Com a exibição de vídeos sobre a planificação dos sólidos geométricos, a leitura de textos de gêneros diversos com informações sobre a história da pipa e a produção dos objetos em grupo. As turmas dos 8.º e 9.º anos conheceram a história do brinquedo Hand-Spinner, discutiram seus benefícios e malefícios através de textos argumentativos. Logo, construíram um caça-palavras com as informações obtidas diante da leitura compartilhada realizada pelas turmas. Em grupo, os alunos confeccionaram o brinquedo em Origami e utilizaram-no em um jogo de tabuleiro com desafios Matemáticos. Uma atividade prática e lúdica que exigiu um trabalho colaborativo, dinâmico e interativo entre os estudantes. Elaine Vieira - Professora Coordenadora

Página 6


Edição 10

Preservar é preciso! A preservação começa na escola É essencial que o patrimônio escolar seja vinculado a projetos que trabalhem as questões sociais e ambientais dentro da Unidade Escolar, para que o aluno analise, discuta e reflita sobre o que deve ser melhorado, não só no ambiente escolar, mas na comunidade geral. Nos últimos anos as escolas vêm enfrentando vários problemas e um deles é a falta de cuidado com o patrimônio escolar. Para solucionar esse problema, é dever da escola resgatar a valorização, a conscientização dos alunos quanto a importância da mesma e como é bom viver em um ambiente limpo e organizado. Esse descaso dos alunos com o patrimônio público se dá devido a falta de informação quanto aos custos para a construção e manutenção do mesmo. Os alunos acham que os espaços comunitários são apenas responsabilidade do governo, não tratando a escola como seu espaço para educação, ética e compromisso de ser cidadão. Na E.E. Professor Roberto Frade Monte os alunos do grêmio estudantil, junto com as professoras de Artes, Aline Sanches Ronque, Cristiane Silva dos Santos e Iranir Guilherme Silva Delbon, desenvolveram uma campanha de preservação do patrimônio escolar. Foi proporcionada, através de roda de conversas e vídeos, a reflexão da importância de zelar pelo espaço de convivência comum. Foram abordados os assuntos: Paródia da música: Valeu Amigo, jogar lixo no lixo; deixar as carteiras e Pikeno e Menor. materiais organizados; manter carteiras, Eu vi um menino cuidando da escola com carinho Mas também percebi que ele estava sozinho chão e paredes limpas; preservar os trabalhos expostos pelos Também vi outro alguém, colegas; respeitar a natureza e separar o lixo que pode ser Que não fez nada bem, Destruiu, quebrou a escola reciclado. Como produto final, os alunos dos quartos e quintos E a deixou em perigo E quando eu percebi parei e refleti sozinho anos desenvolveram cartazes, rimas e paródias. A mudança de comportamento é fator presente após o projeto, pois, a proatividade dos alunos em manter sala, pátio e banheiros com uma maior conservação se fez nítida.

Por que isso tinha que existir? É tão ruim ter isso aqui.

Eu rezo e peço pra Deus cuidar A nossa escola melhorar, melhorar Vou correr por isso até o fim

Cristiane Silva dos Santos -Professora

Ele quis tirar a escola do mal, eu percebi Disse verdades que eu mereci Então pra sempre amigos, sim Se Deus quiser Vou ter você guardado no meu coração Até nos seus conselhos de irmão E é pra você que eu dedico essa canção Eu rezo e peço pra Deus cuidar, cuidar A nossa escola melhorar, melhorar Vou correr por isso até o fim. Criação dos alunos: Josyel, Adriano, João, Riquelmy, Kauê, Vinícius. Página 7


Boas Práticas

PROJETO PROFISSÕES ANECONDES Escola Estadual proporciona três dias de conhecimento sobre as mais diversas profissões existentes no mercado à comunidade. O Projeto Profissões Anecondes nasceu em 2005 em uma aula de História do Professor Marcelo Cruz. O Projeto é uma feira de profissões realizada pelos estudantes da Escola Estadual Anecondes Alves Ferreira, que torna os alunos colaboradores da escola e protagonistas na execução e realização do projeto, aproximando-os de uma nova realidade, experimentada e vivenciada no espaço universitário. Nesse ambiente, os alunos vão se inserir, trocarão experiências com profissionais competentes, para que no futuro escolham não apenas um projeto profissional, mas principalmente um projeto de vida. Além disso, o projeto beneficia os organizadores – alunos da escola, que também têm incertezas sobre sua vocação. Durante o projeto, os membros lidam com todos os problemas relacionadas ao evento, logística, divulgação, procura por profissionais e etc. Responsabilidade, estímulo à criatividade, pesquisa e planejamento, condução das relações sociais e profissionais e autoestima são ganhos valiosos que se atingem com o projeto. A estrutura do projeto é formada por quatro grupos: Logística, responsável pela procura de profissionais e planejamento da feira; Comunicação, cuida da divulgação e marketing externa e interna em todas as redes de comunicação; T.I., realiza todo o conjunto de atividades providas por recursos de computação e a Coordenação Geral, responsável por coordenar todo o projeto. Esses grupos ainda são formados por subgrupos, para dividir as atividades do projeto. Todos os setores são formados por alunos e orientados por professores coordenadores. A Escola concede espaço físico, autonomia e aparato necessário para a realização de nossa feira. Em 2017, o PPA chegou a sua 9° edição, e já contabilizou em seu painel mais de 30 profissões confirmadas, além de workshops e stands. Para mais informações acesse o site www.projetoprofissoes.com.br Priscila Sarmento - Diretora de escola e Lilian Lucy - Vice Diretora

Página 8


Edição 10

Brincar e Aprender Recreio é hora de dar aquela pausa, descansar, ir ao banheiro, brincar, mas para os alunos da E.E. Padre Gregório Westrupp, este conceito vem tomando um outro significado: recreio também é hora para se praticar a cidadania, exercendo seus direitos e também compreendendo seus deveres como cidadãos. Com o intuito de fomentar a união e a interação entre os alunos, visando promover o prazer de estar na escola, assim como evitar conflitos e pequenos acidentes, o projeto Recreio Divertido vem proporcionando às crianças do segundo ao quinto ano uma oportunidade ímpar de ocupar seu tempo ocioso fora da sala de aula com muito conteúdo e diversão.

Em parceria com os professores, todos os brinquedos utilizados no intervalo são confeccionados pelos próprios alunos em sala de aula utilizando material reciclável - uma oportunidade perfeita de se entender e praticar a sustentabilidade. Promover a sociabilidade entre as crianças também é um dos objetivos do projeto. Resgatando brincadeiras culturais e folclóricas, sob a orientação da equipe gestora, dos agentes de organização e demais funcionários, os alunos têm a oportunidade de brincar de forma mais saudável, despertando através do lúdico os conceitos de companheirismo, de respeito mútuo e de respeito ao meio ambiente. É brincando que se aprende a brincar de forma mais saudável; que se aprende a sociabilizar, tornando-se um cidadão pleno de suas faculdades. É brincando que se aprende a cuidar de si mesmo e a respeitar o próximo; que se aprende a cuidar do meio ambiente e da vida como um todo. É ouvindo os alunos sobre suas preferências, dentro do mais legítimo conceito democrático, que o Recreio Divertido tem auxiliado nossas crianças a crescerem nesta indispensável jornada rumo ao conhecimento e à vida. William Vaz

Página 9


Boas Práticas

PLANETA INSETO No mês de agosto, os alunos do 5º A, da profª Ana Paula, da EE EÇA DE QUEIROZ, visitaram O PLANETA INSETO – MUSEU DO INSTITUTO BIOLÓGICO na Vila Mariana, São Paulo. O único jardim zoológico de insetos do Brasil, autorizado pelo Ibama e Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. Lá, encontraram 25 atrações lúdicas e interativas e receberam informações sobre o quanto os insetos estão presentes no cotidiano e sua importância para o ambiente e a produção de alimentos saudáveis para o ser humano. O Estudo do Meio possibilitou aos alunos a prática proposta na Sequência Didática “Caminhos do Verde” e do Projeto Didático Universo ao Meu Redor, ambos do projeto Ler e Escrever, alcançando os objetivos: - Conhecer e recomendar opções de lazer educativo; - Entrar em contato com vários portadores textuais informativos; - Pesquisar o lugar e suas características como: localização geográfica, acessibilidade etc; - Fazer estimativas de meios de transportes e tempo necessário para chegar ao local; - Discutir a respeito das questões ambientais da atualidade; - Compreender a relação entre o homem e o meio ambiente; - Utilizar procedimentos de estudo de textos de divulgação científica. Os alunos viram de pertinho os insetos: tenébrio comum e gigante, barata-de-madagascar e cabeçada-morte, bicho-da-seda, bicho-pau, saúva-limão e abelhas entre outros e também conheceram a importância médica das pesquisas para prevenir o Aedes Aegypti e Dengue. O Instituto Biológico tem marcante colaboração com a tecnologia sustentável, auxiliando no controle biológico, diminuindo pragas e abrindo espaço para a agricultura saudável e sustentável. Mirza A. de Almeida - Professora Coordenadora

Página 10


Edição 10

Práxis Leitora na Mira E agora, José] Sua doce palavra,]...sua biblioteca,] sua lavra de ouro...(CDA, 2002) Luzes que acendem o sorrir, vozes que cantam, declamam e encantam demais! O dia 29/9 trilhou novos caminhos, repetiu pegadas, quando a Dirigente Liane de Oliveira Bayer deu abertura ao projeto “Desafios Culturais”. O evento contou com todos os diretores de escola da D.E. e membros do grêmio. As surpresas já começaram desde a largada, uma aluna conduziu com maestria, a Mestre de Cerimônia. Espetáculo! Os alunos da EE José Artigas deram show ao mostrar a história do Hip Hop e Rap, cantaram, e seguiram no transcorrer do evento com criação de Mangás, declamaram Carlos Drummond de Andrade. Entrelaçando nós a equipe da EE Homero Silva com declamação de poema, também talento na percussão Hip Hop e outro de Rap. Com a participação especial do campeão brasileiro de dança Juninho Dandara: em James Brown, precedendo os alunos da EE Anecondes Alves Ferreira que, sob as luzes da ribalta esbanjaram competência no Hip Hop, e atraíram aplausos entusiasmados. Os jovens da EE Soldado José Iamamoto também emergiram como artistas no palco, contadores da história e análise da estrutura textual dos Mangás, e os dançarinos de Break e Hip Hop também estrelaram. A equipe da Pedro Madóglio não deixou por menos, fez muito bonito com o estilo musical “Tectronic” dançou harmoniosamente e levou o público ao delírio. Os membros da Antonieta Borges com grande capacidade de improviso cantaram suas realidades na “Batalha de MCs”, somada às belas apresentações de dança. Finalizando o show de protagonismo sobe ao palco o grupo de artistas do EE José Artigas. E relendo João Cabral de Melo Neto, os alunos da EE Lydes Rachel “não puderam lançar seus gritos a outros e os apanharam e os transformaram em um fio tênue, que por si só se elevou luz balão.” Equipe Sala de Leitura/2017

Página 11


Boas Práticas

PROGRAMA ESCO A ação Outubro Rosa vem ganhando força a cada ano e tem como objetivo conscientizar a sociedade sobre a prevenção do câncer de mama. Em nossas escolas foram desenvolvidas várias ações como: caminhadas, palestras, entrega de informativos e distribuição de lacinhos rosas, roda de conversa, painéis e outros. Nesse sentido, nossas escolas levaram a informação por meio do Conselho de Classe Participativo, reuniões de pais, encontro de mulheres, ações durante a semana letiva e aos finais de semana. Foi um momento oportuno para propiciar aos participantes uma reflexão sobre a importância da prevenção do câncer de mama, uma vez que toda comunidade escolar habitualmente está presente.

Em comemoração aos 14 anos do Programa Escola da Família, as unidades escolares que contemplam o programa realizaram atividades diferenciadas em concomitância com o mês do folclore brasileiro e Agita Família. Foram desenvolvidas atividades físicas (ginástica laboral), gincanas, apresentação de danças folclóricas, resgate de brincadeiras e oficinas diversas. As atividades envolveram os quatro eixos contemplados pelo programa: saúde, esporte, cultura e trabalho, havendo participação dos colegiados, professores, alunos, voluntários e comunidade. As comunidades foram contempladas com lembrancinhas confeccionadas por voluntários, educadores universitários, mães do Conselho de Escola e alunos do Grêmio Estudantil, com direito a bolo e refrigerante.

Página 12


Edição 10

OLA DA FAMÍLIA

Em 24/09/2017, a EE Mércia Artmos Maron realizou ação solidária em parceria com o Projeto Mechas de Amor, que visa a doação de cabelos para confecção de perucas para pacientes em tratamento de quimioterapia. Para o enriquecimento da ação houve a apresentação de dança folclórica, declamação do texto “Colcha de retalhos” de Cora Coralina, maquiagem facial para as mães e filhos e oferecimento de café da tarde. O intuito da ação foi despertar o espirito solidário disseminando amor ao próximo e o resultado foi bastante significativo.

Página 13


Boas Práticas

Projeto Alimentação Saudável: Reduzindo o Consumo de Proteína de Origem No 2º Bimestre do deste ano, a professora de Ciências, Ângela Santos, da E E Jardim Arco-Íris juntamente com os alunos do 7.º ano do Ensino Fundamental, desenvolveram o Projeto de Alimentação Saudável, reduzindo o consumo de proteína animal. O objetivo central do projeto foi conscientizar os alunos sobre os malefícios causados à saúde e ao meio ambiente pelo consumo excessivo de proteína animal. Inicialmente os alunos tiveram uma aula sobre os nutrientes e as suas propriedades, a pirâmide alimentar, bem como a produção de proteína animal e os impactos ambientais causados por essa produção, além de discutir sobre as principais doenças relacionadas ao sistema cardiovascular por esse consumo. Os alunos trouxeram sugestões de cardápios vegetarianos e confeccionaram folders informativos para orientação da comunidade escolar e familiares. Como encerramento do projeto, os alunos foram convidados a degustar um cardápio vegetariano para enfatizar a importância de uma alimentação saudável. A professora Ângela ganhou em terceiro lugar o concurso da 1.ª Mostra de Experiências Exitosas no Ensino de Prevenção das Doenças Cardiovasculares da Rede Pública do Estado de SP e o representou no 72.º Congresso Brasileiro de Cardiologia com a finalidade de disseminar informações sobre a prevenção de doenças cardiovasculares. Elaine Vieira - Professora Coordenadora

Página 14


Edição 10

Parceria entre a EE Professor José Fernando Abbud e o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica Júnior - Ensino Médio - do Instituto Geológico. O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica do Instituto Geológico (PIBIC-IG) tem por finalidade despertar a vocação científica e incentivar talentos potenciais entre os estudantes do Ensino Médio, mediante a participação em projetos de pesquisas, orientados por pesquisador qualificado e supervisionado por um docente da Unidade Escolar.

Foram selecionadas duas alunas da 1ª série do Ensino Médio da Escola Estadual Professor José Fernando Abbud: Suiane dos Santos Caciano e Karine Carneiro Ramos, em julho de 2016, com o objetivo de desenvolver Projetos Científicos ao longo de um ano, mediante Bolsa Auxílio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ). Orientadas pela Geógrafa e pesquisadora do Instituto Geológico Francisneide Soares Ribeiro e com a supervisão da professora de Geografia da Unidade Escolar, Rosangela Aparecida Oliveira Brito. O Projeto realizado pela aluna Suiane, com o tema O Uso de SIG (Sistema de Informação Geográfica) na Caracterização de Perigo Geodinâmico em Escolas do Município de Diadema, São Paulo teve como objetivo elaborar um mapa de perigo de escorregamento nas encostas frente aos processos geodinâmicos passíveis de ocorrência nas escolas do município. O resultado da pesquisa da aluna Suiane demonstrou que 47 escolas não possuem perigo de escorregamento, mas de um total de 117 escolas, outras 70 se dividiram entre baixo, médio, alto e muito alto, inclusive a Escola Estadual José Fernando Abbud com “alto” índice. O mapa de Perigo de Escorregamento pode colaborar para orientação e prevenção das comunidades escolares do município de Diadema, para a administração pública com projetos preventivos, assim como em estudos futuros, em escala de detalhe quanto à vulnerabilidade do entorno das escolas, O outro projeto, realizado pela aluna Karine Carneiro Ramos: Monitoramento das áreas de riscos no Bairro Serraria do Município de Diadema, São Paulo, teve como objetivo identificar as áreas de perigo, através de monitoramento, subsidiando a educação e a prevenção da ocupação dessas áreas de risco. A metodologia utilizada foi monitorar seis áreas com potencial de risco de escorregamento, analisando os índices pluviométricos no período de 07 meses. O primeiro passo foi a construção e instalação de um pluviômetro artesanal na Escola Estadual Professor José Fernando Abbud, comparando os valores obtidos com os índices pluviométricos do CEMADEM Naturais, que possui um pluviômetro automático na Avenida Nossa Senhora dos Navegantes. Este envolvimento trouxe grande alegria por observamos o envolvimento e participação efetiva e o sucesso de nossas alunas, que foram convidadas por outras entidades privadas para a apresentação do projeto. Edna A.S Souza - Professora Coordenadora

Página 15


Boas Práticas

III Encontro de Cultur

Com o objetivo de desenvolver u alunos como protagonistas, a Diretor realizou nos dias 23 e 24 de Outubro, n Cultura de Paz nas Escolas. A Senhora Dirigente Regional dando as boas vindas a todos, ressaltand cultura de paz nas escolas. Os alunos apresentaram expres que, coordenadas pelos professores das mestre de 2017. Durante as apresentações, foi entusiasmo e a construção de saberes qu fundamentadas no respeito e tendo construção de escolas de paz e de um m

Página 16


Edição 10

ra de Paz nas Escolas

uma cultura de paz nas escolas, tendo os ria de Ensino da Região de Diadema no Teatro Claro Nunes, o III Encontro de

de Ensino Profª Liane fez a abertura do a importância de se desenvolver uma

ssões artísticas (teatro, dança e música) s nossas escolas durante o primeiro se-

possível observar o envolvimento, o ue promoverão relações entre as pessoas a paz como condição permanente na undo melhor. Marco Antônio Bolotário - PCNP

Página 17


Boas Práticas

Projeto Horta Educativa Através do Fundo Social de Solidariedade, da Secretaria Estadual de Agricultura e Abastecimento e da Secretaria Estadual de Educação, num trabalho em conjunto oferecem o Programa “Horta Educativa”, que através de capacitação aos gestores e professores das escolas que se inscrevem recebem todo material para a realização do projeto. No primeiro semestre a Escola Estadual Sérgio Buarque aderiu ao programa, e já “colhe frutos” do projeto. O Projeto tem propiciado a importância de trabalhar e desenvolver temas que aflorem nas crianças do 1º ano, seus sentimentos de reverência e amor à vida de forma dinâmica e interativa.

Tendo como objetivo proporcionar às crianças o contato com a terra, o cultivo das hortaliças e a produção natural de alimentos como incentivo à Educação Alimentar Saudável e Ambiental, através de uma sequência didática prazerosa e lúdica estão sendo desenvolvidos momentos de contação de histórias, desenhos animados, vídeos informativos e atividades direcionadas como forma de apresentar situações vividas numa horta e o preparo para a realização do trabalho. Foram feitas visitas no espaço, plantio de sementes, replantio de mudas, cuidados da horta e ainda este ano a colheita de hortaliças para uma aula gostosa de culinária. De acordo com as professoras dos 1º anos: “Os educadores têm um papel fundamental para o êxito desse projeto, à medida que ele acredita na proposta, lança mão de suas ferramentas e de seu conhecimento, desenvolvendo as atividades que ocorrem com sucesso”. Ludimilla Araújo Duarte

Página 18


Edição 10

CAMPANHA PARA PRESERVAÇÃO DO AMBIENTE ESCOLAR

A EE EÇA DE QUEIROZ é um espaço onde formamos cidadãos para contribuir com o desenvolvimento da comunidade, oportunizando aos alunos momentos para reflexão e discussão sobre o que deve ser melhorado no ambiente escolar e na comunidade de maneira geral; propondo iniciativas simples, para contribuir na solução de problemas rotineiros e conscientização das famílias para economia de água e energia elétrica, além disso nossa meta é incentivar os alunos e a comunidade para o consumo consciente de embalagens plásticas que apesar de facilitarem o cotidiano, podem se tornar um problema ambiental, se utilizadas em excesso. Reduzir e reutilizar são parte importante da solução; assim continuamos a Coleta de Óleo Saturado – Projeto iniciado em 2016 e desenvolvemos momentos de reflexão sobre a responsabilidade da preservação, conservação e limpeza do patrimônio público; incentivando os alunos, professores e funcionários para as mudanças de posturas nas ações da rotina escolar; com ações simples: redução do uso de copos descartáveis, preservação dos trabalhos expostos dos colegas, conservação de carteiras, paredes e chão limpos; adotamos atitude responsável em relação às questões ambientais e observamos transformações sociais. Mirza A. de Almeida - Professora Coordenadora

Página 19


Boas Práticas

CRIANÇAS x DINHEIRO: A ECONOMIA DESDE CEDO Entender a importância da Educação Financeira para evitar dívidas pode e deve ser desenvolvido desde cedo para que as crianças consigam, o quanto antes, lidar com o dinheiro e, assim, aprender a conquistar seus objetivos de forma simples e sem preocupação, administrando com segurança e consciência o consumo. E foi com esse objetivo que a profª. Kelly Cristina Borges de Freitas Brólio, da E. E. Prof. Roberto Frade Monte, desenvolveu com seus alunos do 4º Ano do Ensino Fundamental, esse Projeto de Economia para Crianças, tão motivador e desafiador. Por envolver uma questão financeira, os pais foram previamente informados, concordaram e abraçaram a proposta, de forma edificante, podendo assim, dar início aos trabalhos. Com a leitura em sala de aula do livro Desatando os nós - economia para crianças, de Manuel Filho, pesquisas sobre educação financeira (história da economia brasileira, o dinheiro antes e hoje, origem do salário, tributos como impostos e taxas e inflação) realizadas na sala de informática e; produções de texto com temas sobre "Não poder comprar tudo que quero" e "Como seria o país dos nossos sonhos", os alunos têm como produto final, a meta de arrecadar uma determinada quantia para pagarem a festa de final do ano, pois quando ensina-se educação financeira, é necessário ter em mente o que desejamos conquistar e buscar tal economia. O entusiasmo se fez notório e, com a confecção do cofrinho, em casa, para em sala de aula, colocar o valor economizado e anotar na planilha de depósito, foi surpreendente. Alunos que ajudavam em casa para receber moedas, guardavam um pouquinho do dinheiro da mesada e/ou pediam a familiares, isso também acabou despertando uma mudança de comportamento visível aos pais.

Esse projeto não só estimulou neles o interesse pelo tema, como auxiliou nas dificuldades que alguns tinham em registrar e conhecer o Sistema Monetário Brasileiro. Proporcionar uma mudança social e financeira, não só ajuda no desenvolvimento de um país como no modo de pensar e agir para que não haja dificuldades em construir um padrão de vida mais calmo e tranquilo e é isso que, nós, enquanto educadores, precisamos incentivar em nossos pequenos. Kelly Cristina Borges de Freitas Brólio - Professora

Página 20


Edição 10

PROJETO HORTA EDUCATIVA Com o objetivo de estimular práticas saudáveis e o desenvolvimento de competências como da Ciências Humanas e da Natureza. A equipe da EE. RAUL SADDI, através do Projeto Horta, desenvolve com a participação dos alunos do Ensino Fundamental I e a comunidade escolar, o processo de compostagem que consiste em uma forma natural de transformação da matéria orgânica em compostos mais simples e que podem ser utilizados como nutrientes pelas plantas. A compostagem é realizada pelos próprios micro-organismos presentes nos resíduos em condições ideais de temperatura, aeração e umidade. A composteira é o recipiente onde colocamos os restos orgânicos, composta por quatro caixas plásticas, uma tampa, uma torneira, um saco com substrato vegetal, humus (matéria orgânica depositada no solo), minhocas californianas, um saco de serragem grossa de madeira reflorestada e um guia rápido de compostagem e adesivos do que pode e não pode compostar. É necessário apenas classificar elementos ricos em nitrogênio, praticamente todo o lixo orgânico de cozinha, que deve ser separado e limpo, é um excelente material para decomposição (cascas de frutas e verduras, folhas, talo, etc) e carbono como os secos (papelão, papel de jornal e folhas secas). A maturidade do composto ocorre quando a decomposição microbiológica se completa e a matéria orgânica é transformada em húmus, livre de toxicidade, metais pesados e patógenos. Os alunos são orientados através do corpo docente com atividades em sala de aula, cartazes informativos, e a participação prática no desenvolvimento do processo até a sua utilização na horta. O produto gerado a partir desse processo de degradação recebe o nome de composto orgânico, que é um material estável, rico em substâncias húmicas e nutriente minerais, que são utilizados na horta. Uma alimentação saudável impacta positivamente não só a estética como também a saúde física e mental. Sites pesquisados e a título de informação: https://www.ecycle.com.br, visitado em 27/10/2017. http://blog.mundohorta.com.br/compostagem-domestica/, visitado em 27/10/2017. Débora Santos – Agente de Organização Escolar

Página 21


Boas Práticas

Projeto Dia do Patrono No mês de agosto, a equipe gestora, professores, funcionários e alunos comemoraram o aniversário do nosso patrono, o professor Evandro Caiafa Esquivel. Através das orientações da Secretaria da Educação, foi desenvolvido um projeto com o apoio das professoras Roseli Barreto, Keila Viana, alunos do ensino fundamental e médio, do memorialista do Centro Cultural de Diadema, o senhor Walter Adão Carreiro, para homenagear o Patrono. A professora de Língua Portuguesa, Roseli Barreto junto com os seus alunos do Ensino Médio e Fundamental construiu um livro de poesias chamado “Versos e Rimas a Evandro” com o incentivo de estimular o alunado a conhecer e ter orgulho de seu patrono e reforçar o sentimento de civilidade, seguir exemplo de corajosos e dignos antecessores e permanecer atento ao que vale na vida. O objetivo do projeto foi: aprender a criar e amar versos, conhecer e formar rimas, declamar, usar tonalidades e musicalidades específicas a este gênero literário; editar um livro como produto final, no caso o livro “Versos e Rimas a Evandro”; desenvolver talento e arte do canto no coral com a música “A amizade” e criar um ambiente harmonioso e agradável para receber a filha do patrono para ser homenageada. Com a presença da dona Vânia Silvia Esquivel e do memorialista, Sr. Walter, iniciaram-se as apresentações com a declamação de alguns poemas e rimas do livro. A professora de Geografia, Keila Vianna, apresentou um teatro protagonizado por seus alunos que teve como base uma peça teatral escrita pelo senhor Walter sobre a importância da vida pública do prof. Evandro Caiafa Esquivel, ressaltando a sua importância para a cidade de Diadema, no movimento de emancipação, em que o prof. Evandro era uma liderança, que ajudou a cidade a conseguir sua emancipação, tornando-se independente de São Bernardo do Campo. A Dona Vânia palestrou sobre como era a vida de sua família e como o seu genitor era atencioso com a população, ele foi o primeiro professor da cidade, era ele que fazia os casamentos civis porque na época não havia cartório, quando falecia alguém ele também ajudava no enterro porque não havia cemitério. Quando a cidade foi emancipada teve um prazo de nove meses para construir a sede da prefeitura, que foi montada em uma propriedade dos Esquivel, e os demais estabelecimentos, do contrário Diadema voltaria a ser dependente de São Bernardo do Campo. Ela falou que tudo isso se iniciou após seu pai ser eleito em São Bernardo do Campo em 1951 como vereador. Foi desde então um dos principais defensores da emancipação da região, conhecida na época como “Vila Conceição”, que se tornaria o atual município de Diadema. Prof. Evandro foi eleito como primeiro prefeito em 1959 e voltou a se eleger para o cargo em 1968. Convocou em fevereiro de 1958 uma reunião de moradores de distrito, iniciando o processo de emancipação. As apresentações foram finalizadas com um musical com os alunos da professora Roseli Barreto do ensino fundamental cantando in memorian para o prof. Evandro e a sua filha dona Vânia a música “A amizade” do grupo Fundo de Quintal. Assim, o projeto foi realizado de uma forma significativa, dando ênfase a história pessoal e os grandes feitos do nosso querido patrono o Sr. Evandro.

Suzi Silva - Professora Coordenadora

Página 22


Edição 10

PROTAGONISMO NA MATEMÁTICA A construção de um Teodolito e o envolvimento estudantil. Dentre as atividades de ATPC, na EE. JOSÉ MARCATO, o desenvolvimento de um equipamento de forma prática e com materiais recicláveis, com o objetivo de relacionar a aprendizagem de sala de aula com a realidade do cotidiano do aluno, tornou-se um dos motivos de enriquecimento e interesse da comunidade envolvida. Decidiu-se pela construção de um teodolito (aparelho para medições horizontais e verticais), com o qual geógrafos e engenheiros encontram a exata medida para a relação espaço/distância.

Assim, com base no Currículo que estuda no 9º ano, as Relações Métricas do Triângulo Retângulo, alunos e professora finalizaram a montagem do equipamento com o uso de garrafas pet, trenas, transferidores e potes vazios. Após dois meses de tentativas e erros, tudo pronto. Os alunos com grande ansiedade, passaram a experimentar o feito. Deu certo. Parabéns ao grupo e um agradecimento aos demais pelo apoio, sem o que tal trabalho não poderia ter sido, tão exitoso. Regina Nara

Página 23


Boas Práticas

A matemática além d Como a I Feira de Matemática contribuiu para o aprendizado de alunos da rede pública estadual ao mostrar um novo olhar sobre a aplicação dessa disciplina Quem estuda matemática está acostumado a aprender a somar, subtrair, multiplicar e dividir. Mas essa disciplina está muito além das quatro operações básicas e suas aplicações podem ser observadas em diversas áreas como a criação de instrumentos musicais, aparelhos de medidas, jogos de tabuleiro e muitas outros. Isso foi observado durante a I Feira de Matemática, que aconteceu no último dia 31 de outubro na sede da Diretoria de Ensino Região de Diadema. A ação reuniu cerca de 11 escolas da Rede Pública Estadual de Ensino do Município e envolveu mais de 60 alunos que apresentaram diversos trabalhos os quais buscavam mostrar as mais diferentes aplicações da matemática, multiplicando, assim, o conhecimento sobre a disciplina. “A ideia do projeto é desmistificar a imagem de que aprender matemática é difícil e privilégio para poucos”, explica a Professora Coordenadora de Núcleo Pedagógico, Cristiane Silva Savanachi, idealizadora da feira. De acordo com a professora, esse tipo de ação ajuda a promover o desenvolvimento das habilidades em sala de aula de forma interdisciplinar, criativa e contextualizada. “O aluno acaba aplicando os conhecimentos que já possui para aprender a matemática como uma abordagem diferente, mostrando que a disciplina não é um bicho de sete cabeças e está presente em seu cotidiano”, ressalta. Um exemplo dessa aplicação cotidiana foi apresentado pelos alunos Gabriel Augusto, Gabriel Bastos e Vittor Souza, do 9º ano da escola EE José Marcato, que simularam o funcionamento de um Teodolito, aparelho usado em obras para medir inclinações, ângulos e alturas. Com o uso de um transferidor e aplicando cálculos trigonométricos, eles demonstravam para os visitantes como era possível calcular as medidas da sala. “Seguindo a fórmula de cálculo conseguimos saber quanto mede a parede da sala. Isso é uma aplicação prática da matemática que está na rotina e às vezes nem percebemos”, explicaram os alunos. Já os alunos do 6º e 8º ano da escola EE Anecondes Alves Ferreira resolveram mostrar que a matemática está, literalmente, em todas as casas. Os alunos Ingrid, Vitória e Gustavo, fizeram maquetes mostrando todo o processo de construção de uma casa, desde a planta baixa, alicerce, projeto e construção. “Quando os alunos conseguem observar uma aplicação prática o aprendizado fica mais fácil para eles”, ressalta o professor James Gabriel Moreira. Opinião compartilhada pelos alunos. “Eu gostei muito de participar do projeto, pois foi uma forma diferente de trabalhar com a matemática”, disse a aluna Ingrid dos Santos. Teve também quem buscasse mostrar na história elementos matemáticos. Foi o caso dos alunos José Wagner, Jannine, Igor, Matheus e Patrícia, da turma do 5º ano da escola EE Osvaldo Giacóia. Eles construíram maquetes de várias invenções do americano Thomas Edson, famoso pela invenção da lâmpada. Entre as criações do inventor, cuja a base foi a matemática, estão o fonógrafo, a câmera cinematográfica e até o mimeógrafo. “Foi bacana fazer o projeto porque a gente mesmo não fazia ideia dessas outras invenções do Thomas Edison e nem que tinha tanta matemática envolvida”, diz Igor.

Página 24


Edição 10

das quatro operações A Feira de Matemática faz parte do Biênio da Matemática Brasil, criado para potencializar ações aproveitando que o Brasil sediará dois grandes eventos internacionais: a Olimpíada Internacional de Matemática IMO 2017 e o Congresso Internacional de Matemáticos ICM 2018. Serão dois anos de ações e eventos nacionais e internacionais que colocarão a Matemática, a Ciência e a Tecnologia no foco da comunicação, impactando milhares de pessoas. “A elaboração desse tipo de projeto tem o aluno como protagonista na construção do conhecimento”, pondera o Professor Coordenador de Núcleo Pedagógico, David Ricardo Mioto, que também coordenou a realização da feira. Eduardo Savanachi

Agradecimento A equipe pedagógica da Diretoria de Ensino da Região de Diadema, por meio da Revista Digital, gostaria de agradecer a participação de todas as escolas que prestigiaram a I Feira de Matemática. Em especial às escolas que trouxeram os alunos para apresentar seus projetos: EE Adonias Filho, EE Aldemir de Souza Castro, EE Anecondes Alves Ferreira, EE Diadema, EE Jd. Ana Sofia, EE José Fernando Abbud, EE José Marcato, EE Lydes Rachel, EE Padre Anchieta, EE Osvaldo Giacóia e EE Sérgio Buarque de Holanda. A realização desse projeto só foi possível graças ao trabalho de vocês.

Página 25


Boas Práticas

O GRITO DOS OPRIMIDOS Como parte das comemorações do Dia da Consciência Negra, os alunos da EE Homero Silva apresentaram o projeto interdisciplinar denominado Africanidades: o grito dos oprimidos em que foram desenvolvidas atividades visando conscientizar a comunidade escolar sobre as influências histórica e social africana na cultura brasileira e, dessa forma, promover uma reflexão sobre a condição do negro na sociedade. Diversas atividades fizeram parte do processo desenvolvido nos meses de outubro e novembro. Pesquisas, leituras, colagens, produção de poema e montagem de uma instalação que foi um apelo às sensações do público que a visitaram. A aprendizagem, o respeito e a conscientização foram resultados aferidos neste projeto como afirma o aluno Iuri Ribeiro, do 3º ano, O projeto africanidade está sendo como se fosse um grito da alma em sua maior expressão. Como uma “destruição” do escárnio vivido pelos negros ao longo dos anos e exaltação ao orgulho de se NEGRO. Já o aluno Samuel Barreto, também do 3º ano, explica que no projeto Africanidades eles buscaram demonstrar a discrepância racial em nossa sociedade Queremos demonstrar a todos a discrepância racial que infelizmente cerca a nossa sociedade ainda no século XXI, um tema muito delicado, mas pouco explorado. O projeto Africanidades: o grito dos oprimidos foi um forte chamado à reflexão e à conscientização, e teve um aspecto transformador e impactante, pois conseguiu emocionar os alunos durante todo o processo e foi um apelo as sensações daqueles que tiveram a oportunidade de apreciá-lo, a ponto de levá-los à reflexão e à ação. Rita de Cássia - Professora

Página 26


Edição 10

Africanidades No mês de setembro, o Núcleo Pedagógico, em parceria com a Supervisão de Ensino da Diretoria de Ensino de Diadema promoveu, pelo quarto ano consecutivo, o evento “Africanidades”, desta vez com o tema Empoderamento da Mulher Afro-brasileira, contando com a participação de professores de Arte, Língua Portuguesa, Geografia, História e Especialistas dos Anos iniciais. O principal objetivo do evento foi fortalecer o debate acerca das conquistas das mulheres negras, sua atuação ativa em movimentos de libertação e resistência, sem desprezar sua história de sofrimento e luta. Durante o evento, foram apresentados exemplos de mulheres que tiveram e ainda têm importante papel na formação do caráter do povo brasileiro, bem como de conquistas de toda comunidade afro-brasileira. A professora Marina Inês do Nascimento, da EE Pedro Madóglio, como palestrante convidada, ampliou o destaque de mulheres negras empoderadas e seu papel inovador junto a comunidades escolares de nossa rede de ensino, tais como Ordalina Cândido, Lilia Reis Poetisa, Elvira Brito e Maria Brito. O destaque ficou por conta da participação dos alunos da EE José Artigas que apresentaram um Flash Mob, interpretando a música Beija – flor. Maria Aparecida Cirilo - PCNP

Página 27


Boas Práticas

Projeto Sedentarismo Zero Através do Programa Agita Galera, a equipe da EE Raul Saddi promoveu no mês de agosto, atividades esportivas de interação social, com o objetivo de desenvolver hábitos saudáveis. A proposta básica do Projeto está apoiada na filosofia que defende a garantia de melhor qualidade de vida através da prática diária de atividade física e educação alimentar. Os alunos receberam uma refeição saudável com legumes, verduras e frutas. O Ensino Fundamental II – EJA participou de uma palestra sobre orientação alimentar em uma parceria da unidade escolar com a UNIFESP, os alunos participaram relatando as suas experiências e prepararam um jantar, conforme as orientações recebidas. Uma variedade de saladas, guacamole (abacate com condimentos) com pães sírios, frutas e sucos. Orientados por um profissional da saúde, os alunos e o corpo docente participaram de um circuito aeróbico com o objetivo de estimular o organismo e consequentemente queimar calorias. O tema que foi abordado de forma lúdica e orientado em sala de aula, refere-se à saúde preventiva com o objetivo de socializar os mais recentes conhecimentos da técnica e da ciência sobre saúde e doença, incentivando-os para a prática de ações preventivas. A iniciativa foi difundida na comunidade escolar através de cartazes. As atividades apresentavam informações básicas sobre os males causados pelo sedentarismo e sobre os benefícios de uma alimentação saudável aliada a prática de atividade física. Débora Santos - Agente de Organização Escolar

Página 28


Boas Páticas

Replanejamento 2017 O acompanhamento das ações desenvolvidas no replanejamento (segundo semestre 2017) foi muito prazeroso, pois a Supervisão de Ensino teve a oportunidade de constatar a multiplicação dos saberes compartilhados no curso de Formação de Diretores, que ocorreu na sede da Diretoria de Ensino Região de Diadema. Verificamos a reflexão, a discussão e a análise aprofundada das habilidades e competências em defasagem, visando a correção dos rumos da aprendizagem dos alunos e traçando um plano de ação para corrigir o percurso de ensino/aprendizagem trilhado pela unidade escolar. Lilian P.Arroyo do Vallle - Supervisora de Ensino

EE Soldado José Iamamoto

EE Padre Anchieta

EE José Mauro de Vasconcelos

EE Sérgio Buarque de Holanda

Página 29

EE Oswaldo Lacerda Gomes Cardim


Boas Páticas

A 11ª edição do Desafio de Redação Diário do Grande ABC teve como tema O Lixo Nosso de Cada Dia e recebeu 104.451 redações de alunos das sete cidades da região. Diadema teve três representantes entre os finalistas: Geilza Dias Cerqueira , 1TB da Tristão de Athayde; Glória Santos Souza, 9C da EE Augusto de Oliveira Jordão e Kathellyn Teresa Lemes, 3C da EE Orígenes Lessa. Parabéns a todos os alunos participantes do desafio!!! Marcelo Jacote - PCNP LEM

SARESP 2017 As avaliações do SARESP 2017 ocorreram nos dias 08 e 09 do mês de novembro em todas as escolas da rede estadual na ETEC Juscelino Kubitschek, nas unidades do SESI e em 17 escolas da rede municipal. Foram avaliados alunos dos 3º, 5º, 7º e 9º anos e da 3ª série do Ensino Médio, totalizando mais de 16.000 participantes. A ação contou com a organização de professores, gestores e a equipe da Diretoria de Ensino para que tudo ocorresse de forma satisfatória e dentro do previsto. Vale ressaltar a brilhante participação e empenho dos nossos alunos. A Diretoria de Ensino – Região de Diadema parabeniza a todos envolvidos no processo e deseja que os resultados sejam além do esperado.

Eva G. Ramos - Diretor Núcleo Pedagógico

Página 30

Boas práticas 10  
Boas práticas 10  

Revista Digital da Diretoria de Ensino de Diadema

Advertisement