Page 1

www.novojornal.jor.br

R$ 1,50

Ano 1 / N°149 / Natal, QUINTA-FEIRA, 13 de maio de 2010 04

RODA VIVA

PRESIDENTE DA FEDERAÇÃO DE FUTEBOL DIZ QUE COPA VIROU ASSUNTO DE EMPREITEIROS E HOTELEIROS

03

POLÍTICA

MP PÕE

O PINGO NO

/ PROPAGANDA / MINISTÉRIO PÚBLICO DÁ PRAZO DE DEZ DIAS PARA IBERÊ FERREIRA MUDAR A MARCA DO GOVERNO POR SUGERIR PROMOÇÃO PESSOAL; MEDIDA ACIRRA GUERRA ENTRE PUBLICITÁRIOS E ASSESSORIA JÁ ENCOMENDOU UMA NOVA LOGOMARCA

RUDY TRINDADE / FOLHAPRESS

09

CIDADES

07

ASSESSOR DA CBF ADMITE QUE ATRASO PODE PREJUDICAR NATAL

RN VAI GANHAR PRIMEIRA USINA TERMO SOLAR NO ANO QUE VEM

O assessor de imprensa da CBF, Rodrigo Paiva, admitou ao NOVO JORNAL que se Natal não cumprir os prazos para construção do novo estádio pode ser substituída por outra cidade. Segundo ele, a redução no número de sedes está descartada, mas a mudança de uma por outra, em decorrência de atrasos, não.

10

SATIRO SODRE AGIF / FOLHAPRESS

11

CIDADES

02

SEM ATENDIMENTO ADEQUADO, ESTADO É OBRIGADO A FAZER 60 AMPUTAÇÕES TODO MÊS CULTURA

CIDADES

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO AINDA NÃO SABE EXPLICAR EVASÃO

WALLACE ARAÚJO / NJ

14

ECONOMIA

IVAN CABRAL

ÚLTIMAS

FLAMENGO PERDE EM CASA PARA CHILENOS E FICA AMEAÇADO NA LIBERTADORES

WWW.IVANCABRAL.COM

08

ECONOMIA

MUSEU DO VAQUEIRO RESISTE

NORDESTE INVEST GERA R$ 1,8 BI

Sem apoio oficial, acervo cultural sobrevive na zona rural de Nísia Floresta.

Negócios fechados nas áreas do turismo e construção superaram expectativas dos organizadores.

10

CIDADES

16

ESPORTES

ARRASTÃO EM LOJA DO CENTRO

AMÉRICA VAI AO ATAQUE EM CASA

Bando invade loja de madrugada no centro da cidade e leva 400 celulares. Prejuízo é calculado em R$ 60 mil.

Depois da derrota na primeira rodada na Bahia, técnico Gilmar Iser reforça o ataque em busca da reabilitação.


Últimas 2

Editor Marcos Bezerra

E-mail pauta@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

/ NOVO JORNAL / NATAL, QUINTA-FEIRA, 13 DE MAIO DE 2010

/ PRÉ-SAL /

ANP ANUNCIA 2ª MAIOR RESERVA DE PETRÓLEO FOLHAPRESS A ANP (AGÊNCIA Nacional

do Petróleo) anunciou ter encontrado reservatório de petróleo com volume estimado de 4,5 bilhões de barris, na região do pré-sal, em área da União – fora dos blocos já concedidos a empresas. Se confirmado, o poço Franco será o segundo maior do país, atrás apenas de Tupi, da Petrobras, com estimativas de 5 bilhões a 8 bilhões de barris. A perfuração foi feita pela Petrobras, a nordeste da região de Iara, na bacia de Santos, onde a estatal calcula que haja de 3 bilhões a 4 bilhões de barris de petróleo. Embora coletados pela estatal, os dados serão públicos porque foram obtidos em área da União. A ANP não confirma, mas a expectativa é que as reservas dessa primeira perfuração pela União sejam utilizadas na chamada cessão onerosa, prevista no processo de capitalização da Petrobras pelo novo marco regulatório para o présal, já que a empresa tem urgência no processo. Pela operação, em tramitação no Congresso, a União cederá à Petrobras reservas estimadas em 5 bilhões de barris. Na prática, será a forma como a União pagará à Petrobras a sua parte na emissão de novas ações (capitalização) que a empresa fará para levantar dinheiro dos acionistas, a ser usado nos investimentos já previstos neste ano. A descoberta anunciada ontem já responde, portanto, por 90% do que a União cederá à Petrobras. A estatal foi autorizada pela ANP a fazer mais uma perfuração também na região ainda pertencente à União, com o objetivo de identificar mais reservas. A ANP está perfurando locais fora das áreas de concessão com o objetivo de “conhecer melhor o potencial do pré-sal”. Segundo comunicado da agência, o megarreservatório fica a 195 quilômetros da costa do Rio de Janeiro, com o fundo do mar a 2.189 metros da superfície. A perfuração encontrou uma coluna contínua de 272 metros com petróleo. O diretor-geral da ANP, Haroldo Lima, disse que o poço perfurado seria um dos “de maior potencial já perfurado no país”. A agência diz que vai fazer testes para avaliar a capacidade de produção.

FLAMENGO JOGA MAL E PERDE EM CASA

/ LIBERTADORES / DIANTE DE QUASE 80 MIL TORCEDORES, E COM UM HOMEM A MAIS DURANTE TODO O 2° TEMPO, ALVINEGRO TROPEÇA NO UNIVERSIDAD CHILE E SE COMPLICA NA COMPETIÇÃO DANIEL ZAPPE / VIPCOMM

FOLHAPRESS JOGANDO COM UM

homem a mais por todo o segundo tempo, o Flamengo não conseguiu se impor e foi derrotado no Maracanã pela Universidad de Chile por 3 a 2 na partida de ida das quartas de final da Taça Libertadores. Apático e nervoso em campo, o time carioca foi surpreendido pela equipe chilena e se complicou em busca do bicampeonato na competição continental. Ao contrário do que prometia o técnico da Universidad, Gerardo Pelusso, a equipe chilena partiu para cima do Flamengo desde o apito inicial, sufocando os flamenguistas em seu campo de defesa. Logo aos 3min, a Universidad quase marcou com Montillo, após falha de Rômulo no meio-campo. Um minuto depois, Willians não conseguiu cortar cruzamento da direita e a bola sobrou na pequena área para Victorino abrir o placar. Pressionado, o Flamengo jogava muito mal e os chilenos seguiam no ataque, principalmente pela direita, explorando falhas do lateral-esquedo Juan e do volante Rômulo. Em duas oportunidades, Bruno impediu o segundo gol da Universidad. Mas, aos 24min, o arqueiro falhou ao tentar cortar uma bola pelo alto e o zagueiro Olarra cabeceou para fazer 2 a 0.

JUSTIÇA EXIGE O BÁSICO DE MATERNIDADES A MATERNIDADE PROFESSORA

Leide Moraes e a Maternidade das Quintas terão que se adaptar para a realização de partos cirúrgicos de baixo risco. Em decisão da 3ª Vara de Fazenda Pública de Natal, o município terá que garantir a estrutura física, equipamentos, materiais e pessoal para o funcionamento regular das duas unidades. A decisão judicial determinou também uma multa diária de R$ 10 mil caso a prefeitura não cumpra a determinação. A sentença foi dada em decorrência de ação movida pelo Ministério Público Estadual. O amparo legal está no artigo 196 que obriga o Estado a garantir saúde para a população.

/ APOSENTADOS /

▶ Tentando mostrar que está bem, apesar de ficar fora da lista de Dunga, Adriano se esforçou, mas não evitou derrota Em meio a vaias da torcida que lotou o Maracanã, o Flamengo ensaiou uma reação desordenada, à base de cruzamentos para Adriano tentar diminuir de cabeça. Após três chances desperdiçadas, o centroavante preterido por Dunga na seleção brasileira diminuiu num cabeceio aos 38min, após cruzamento de Kleberson. Aos 46min, a Universidad ficou com um jogador a menos após a expulsão de Iturra. No intervalo, Rogério Louren-

ço sacou Maldonado e satisfez a torcida com a entrada de Petkovic. Porém, a Universidad ignorou a desvantagem numérica em campo e fez o terceiro gol logo no início da segunda etapa. Aos 2min, Montillo ganhou de Léo Moura na corrida e cruzou para Fernandez marcar. A partir daí, o Flamengo jogou no desespero para tentar ao menos diminuir a vantagem dos chilenos em pleno Maracanã. Mas como no primeiro tem-

po, a desorganização tática tornava ineficientes as tentativas de ataque e ainda dava espaço para perigosos contragolpes da Universidad. Num golpe de sorte, porém, os cariocas chegaram ao segundo gol. Aos 43min, o lateral Juan chutou de fora da área, a bola desviou na zaga e enganou o goleiro Miguel Pinto. Agora, na partida de volta, em Santiago, o Flamengo terá que vencer por dois gols de diferença para avançar às semifinais.

/ PUBLICIDADE /

Licitações terão mais controle HUMBERTO SALES / NJ

CRISTIANO FÉLIX

DO NOVO JORNAL

A NOVA LEI que regulamenta as licitações e contratos administrativos para a escolha de agências de publicidade em todas as esferas do poder público, incluindo estados, municípios e a União, abrangendo ainda os poderes executivo e legislativo, foi discutida pela primeira vez no Rio Grande no Norte, às vésperas de mais um pleito, que deve ser marcado pelo rigor das novas normas. O presidente do Conselho Executivo das Normas-Padrão da Propaganda (CENP), Caio Barsotti, veio ontem pela primeira vez à Natal após a aprovação do novo sistema de licitações. No encontro com sindicatos e as principais agências de publicidade e diretores de veículos de comunicação com a justificativa de manutenção de relacionamento com o mercado, a aprovação da lei 12.232, sancionada no dia 29 de abril pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ganhou destaque.

/ NATAL /

▶ Caio Barsotti, do Conselho Executivo das Normas-Padrão da Propaganda “Não foi uma mudança, é um avanço mesmo. Como o processo é mais rigoroso, vai deixar as eleições com mais igualdade entre candidatos”, comenta. O novo regulamento surgido a partir da proposta do deputado José Eduardo Cardozo (PT-SP) Coloca o CENP como órgão certificador de qualidade do setor e declara o fim dos pregões e das contra-

tações de outras atividades que não são diretamente ligadas à publicidade e agora carecem de licitações específicas. A proposta baseou-se nos escândalos envolvendo a contratação de agência de publicidade contratadas pelos poder público nos últimos anos. Por isso, garante Barsotti, “todo o mercado dispensou muito empenho para a provação dessa lei”.

A lei define o que é a publicidade e assegura transparência nas licitações para a contratação das agências, trazendo não apenas segurança, mas também transparência, além de criar obstáculos para a condução das licitações nessa área. As análises técnicas que antes guardavam muito subjetivismo agora serão feitas por um grupo formado por integrantes do conselho. “O mais importante é que ela (a lei) estabelece que nas licitações haja uma subcomissão integrada por quem entende de publicidade para julgar as propostas técnicas, com os nomes revelados com dez dias de antecedência, podendo qualquer um deles ser impugnado por qualquer pessoa do povo”, destaca. A nova regra substitui a antiga lei 8.666, que incluía licitações e contratos administrativos de obras e serviços. Os de publicidade estavam incluídos, mas não com a atenção necessária para um setor que demanda verbas cada vez maiores.

SENADO LIBERA FGTS A APOSENTADO QUE TRABALHA FOLHAPRESS O APOSENTADO PELO INSS que

voltar a trabalhar poderá movimentar os recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), segundo projeto aprovado ontem no Senado. Atualmente, os aposentados já podem sacar mensalmente os recursos do FGTS desde que permaneçam no mesmo emprego após a aposentadoria. Pela proposta, porém, esses trabalhadores perdem o direito à movimentação mensal. Segundo o texto aprovado, os saques ao fundo pelos aposentados só poderão ser feitos a cada 12 meses ou quando o contrato de trabalho for rescindido. O projeto também reduz de 70 para 65 anos a idade mínima para movimentar a conta vinculada ao fundo. A proposta foi aprovada em dois turnos, em caráter definitivo, na CAS (Comissão de Assuntos Sociais) do Senado e segue agora para a Câmara. Depois vai à sanção presidencial. Para a área técnica da Caixa (responsável pela gestão do FGTS), ainda não é possível mensurar o impacto do projeto para o fundo. A intenção é fazer uma avaliação mais apurada da proposta na tramitação na Câmara.


Política

Editor Viktor Vidal

E-mail politica@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

NATAL, QUINTA-FEIRA, 13 DE MAIO DE 2010 / NOVO JORNAL /

3

/ RECOMENDAÇÃO / MP VÊ CARACTERIZAÇÃO PESSOAL NA NOVA MARCA DO GOVERNO E DÁ UM PRAZO DE 10 DIAS PARA IBERÊ FERREIRA SUBSTITUIR A PEÇA PUBLICITÁRIA

, FORA WALLACE ARAÚJO / NJ

▶ Manoel Onofre Neto se baseou em lado pericial ANNAPAULA FREIRE LUANA FERREIRA DO NOVO JORNAL

O PROCURADOR-GERAL DE

Justiça, Manoel Onofre Neto, enviou ontem uma recomendação ao governador Iberê Ferreira de Souza para que a logomarca oficial do Governo do Estado seja retirada de todas as mensagens publicitárias, inclusive do portal de notícias, dentro de 10 dias. Caso o prazo não seja cumprido, o Ministério Público Estadual vai entrar com uma ação civil pública por improbidade administrativa. Um laudo pericial comprovando a associação da logomarca com a figura pessoal do governador foi apresentado pelo procurador, na tarde de ontem, durante entrevista coletiva. “O relatório mostra de forma categórica”, afirmou o procurador sobre a conclusão do estudo. O laudo é assinado pela professora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) Taciana de Lima Burgos. De acordo com a recomendação, Iberê Ferreira estaria violando o artigo 37 da Constituição Federal. “A utilização de entes públicos para a promoção pessoal de determinadas autoridades é incompatível com os princípios da legalidade, moralidade e impessoalidade”, descreve o texto. Segundo Manoel Onofre, o MP viu necessidade de avaliar o símbolo diante dos questionamentos acerca da ligação com o governador. A preocupação de ter um suporte técnico para a questão levou a realização do estudo. Manoel Onofre assegura que o laudo pericial está bastante fundamentado e é baseado em diversas bibliografias de estudiosos da comunicação social. “Eu tenho elementos de convencimento técnico, posso ir até onde imagino ir”, disse. Os documentos também foram encaminhados ao Ministério Público Eleitoral, onde deve ser analisada a possibilidade de propaganda antecipada. Para a caracterização de dolo (ato realizado de má-fé) e uma consequente ação, somente se a divulgação da logo não for suspensa em dez dias. “Está sendo apresentada a oportunidade”, fi-

nalizou o procurador. A análise simbólica, textual e persuasiva da professora e mestre em Comunicação Social Taciana de Lima Burgos, sobre a logomarca, baseou-se em conceitos da semiótica, da análise do discurso e da comunicação gráfica publicitária. Na perícia, Burgos fez um estudo de caso da logomarca do governo do RN, elencando os elementos que constroem sua identidade visual. Além disso, respondeu a 10 questionamentos levantados pelo MP, entre os quais: se os elementos contidos na marca são associados ou associáveis a alguém; se a imagem da logomarca pode ser captada de forma que as pessoas a vejam como alusão à pessoa de Iberê Ferreira de Souza; e se ela pode persuadir de que os atos do governo são realizações pessoais do gestor. A conclusão é de que, combinados as imagens das letras “i” (alusivas ao nome do governador) e o slogan “O Rio Grande do Norte é seu”, o leitor pode inferir “O Rio Grande do Norte é de Iberê”. O laudo pericial afirma também que “a atual logomarca do Governo favorece a promoção pessoal do Governador Iberê Ferreira de Souza.” Procurada pela reportagem do NOVO JORNAL, a secretária estadual de Comunicação, Juliana Celli, disse que o governador cumprirá a recomendação. “A Secretaria de Comunicação vai acatar a decisão do MP imediatamente. Já estamos providenciando uma nova logomarca e o governador está mais preocupado em trabalhar”, disse a responsável pela pasta. O governador Iberê preferiu não se pronunciar sobre o assunto.

O RELATÓRIO MOSTRA DE FORMA CATEGÓRICA” Manoel Onofre Neto Procurador-geral de Justiça

▶ Marca com desenhos da letra “i” será retirada das mensagens publicitárias

CRÍTICA DE PUBLICITÁRIO PROVOCOU POLÊMICA E AÇÃO DO MP Antes de o Ministério Público Estadual reagir à logomarca de Iberê Ferreira, dois publicitários que atendem contas estatais (são cinco agências ao todo), Ricardo Rosado, dono da Faz Propaganda, e Alexandre Macêdo, dono da Base Propaganda, trocaram provocações acerca da sua legitimidade. O NOVO JORNAL acompanhou o assunto e depois o MP abriu procedimento. Em 02 de abril, mesmo dia em que o mapa de Iberê Ferreira apareceu no site institucional, Ricardo Rosado postou 24 mensagens no twitter. “Vi a nova marca do Governo Iberê Ferreira de Souza e o slogan. Da marca, um mapa do RN com um bocado de letra I dentro. A Associação com a letra inicial do nome do Governador é primária e será facilmente questionada pelo M.

Público. Mesmo que simule pessoas”, escreveu o publicitário. Alexandre Macêdo acabara de descobrir um nódulo benigno no pulmão e estava internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Mas sucumbiu à provocação, chamando Rosado de “marqueteiro aposentado pelo mercado”. “Reconheço não estar no melhor momento para defender qualquer coisa que não seja a minha saúde, pela qual estou lutando, mas tudo tem limite. O marqueteiro aposentado pelo mercado mostrou-se, mais uma vez, incansável na sua ira contra trabalhos realizados por publicitários ativos. Ficar apontando falhas nos trabalhos dos outros deve ter virado ócio criativo para quem não é mais chamado à luta talentosa da publicidade. Eu sei receber críticas, partam elas de onde partirem, mas tam-

bém sei o que é recalque empodrecido e inveja irrecuperável”. Ontem, depois de anunciada a decisão do Ministério Público, o dono da Faz voltou à carga, NESTA agora em seu blog, Fator RRH. Ele disse que não queria criar APOSENTADORIA uma “crise” com o publicitário, “mas aconteceu”. “Nesta apo- POR INVALIDEZ sentadoria por invalidez da velha e ruim marca do cliente Go- DA VELHA E RUIM verno do Estado, seria a hora das utopias emergirem e que, junto MARCA DO CLIENTE com elas, fossem aposentadas também a soberba, a arrogân- GOVERNO DO cia, a prepotência e a intolerância”, revidou, provavelmente tro- ESTADO, SERIA A cando a palavra imergir (mergulhar) por emergir (vir à tona). Ele HORA DAS UTOPIAS também enumerou várias manifestações contra a marca que EMERGIREM” surgiram entre o dia 2 de abril e ontem. Até o fechamento desta Ricardo Rosado edição, Alexandre Macêdo não Publicitário tinha reagido ao post do colega.

PROCURADOR ELEITORAL ANALISA INSERÇÕES DE PROPAGANDA NA TV Além de ter que trocar sua logomarca, Iberê Ferreira também poderá responder por propaganda eleitoral antecipada na televisão e publicações impressas. O Ministério Público Federal do RN instaurou um inquérito civil requisitando ao Gabinete Civil o detalhamento dos valores pagos com propaganda governamental, mês a mês, entre 2007 e 2010. O órgão também solicitou à emissora de TV InterTV Cabugi informações sobre os dias, os horários, o número de inserções e o valor pago pelo governo. Alarmado pelo aparente aumento do número de inserções, o procurador regional eleitoral, Ronaldo Sérgio, justificou o procedimento dizendo que o “desvirtuamento da propaganda, durante o ano em que se realizarão as eleições gerais, pode ocasionar o desequilíbrio do pleito, maculando a soberania popular consagrada pela

Constituição”. Iberê Ferreira é précandidato à reeleição pelo PSB. A assessoria de imprensa do MPF informou que o governo já entregou as informações solicitadas e que o procurador não tem prazo para se manifestar. O inquérito civil exclui o uso das rádios, onde Iberê Ferreira começou a falar em 28 de abril. Ele responde a perguntas dos munícipes e é entrevistado sobre as ações do governo em determinada região. As inserções são multiplicadas em rádios no interior do estado diariamente (há dias em que são gravadas três entrevistas diferentes). A veiculação de peças institucionais é permitida, desde que não aborde, mesmo implicitamente, o pleito de outubro, e que não cresça muito em relação ao ano não eleitoral. A partir de 1º de julho, até o término das eleições, as propagandas do governo são proibidas.

SEMELHANÇA DO V DE VILMA

Iberê Ferreira não foi o único a tentar emplacar a primeira letra de seu nome numa marca institucional. A árvore que marcou durante sete anos o governo Wilma de Faria é, aparentemente, um rearranjo da letra “V” de Vilma de Faria, como a ex-governadora aparece em campanhas eleitorais. A marca ainda estampa os equipamentos, as placas e as obras do governo. O NOVO JORNAL flagrou funcionários do governo pintando a árvore no muro da Cidade da Criança, em reforma há alguns meses, quando faltava apenas dois dias para Wilma de Faria deixar o governo. Naqueles sete anos, não houve briga pública de marqueteiros nem a ação do Ministério Público. Ricardo

Rosado se referiu à marca no twitter em 02 de abril em meio aos posts relacionados à logo do atual governador. “A nega maluca da marca de Vilma, simulando vários Vês era ruim, chupada de outra marca. Mas essa é terrível”. Ontem, o publicitário estampou no post “falso brilhante”, em seu blog, de qual marca o publicitário Alexandre Macêdo teria copiado a árvore de Wilma.“E o Governo do Estado ainda pagou pela criação e uso da marca”, escreveu.


Opinião 4

Editor Franklin Jorge

E-mail opiniao@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

/ NOVO JORNAL / NATAL, QUINTA-FEIRA, 13 DE MAIO DE 2010

Editorial Uma “perninha” ▶ rodaviva@novojornal.jor.br

NAS ONDAS DO RÁDIO

COMPROMISSO COM O ERRO

Um leitor justifica a presença do governador no rádio lembrando que a governadora Wilma de Faria tinha presença semelhante, assim como a prefeita Micarla de Sousa, que ainda tem aparecido em comerciais de televisão. Roda Viva tem a dizer, apenas, que o artigo 37 da Constituição Federal é o mesmo. Quem tem de zelar pela Constituição que zele.

O discreto Secretário da Educação, Otávio Tavares, o oitavo a ocupar o posto em sete anos, enumerou três razões para justificar a perdas de 20.85% do total dos alunos matriculados nas escolas estaduais, nos últimos sete anos: 1 – Devido à migração dos alunos das escolas da rede estadual para as escolas municipais; 2 – O aumento de uma educação que integra qualificação profissional e ensino básico em instituições públicas, como o IFRN; 3 – As melhores condições da família potiguar com disponibilidade de recursos para colocar os filhos nas escolas particulares. Com todo o respeito ao profissional de educação e conhecedor da própria secretaria de Educação, esta parece uma visão semelhante à de Alice, aquela que construiu o País das Maravilhas. Infelizmente , para o nosso Rio Grande do Norte, a situação é muito diferente. E quem mostra que a situação é outra, muito distante do País das Maravilhas de Alice, é a própria secretaria de Educação. Pelas estatísticas da secretaria, as três razões implodem com uma simples conta de somar e outra de diminuir. É uma questão aritmética. Como a escola municipal absorveu os alunos que deixaram as escolas estaduais, se no mesmo período o número de alunos nas escolas municipais caiu 9.56%? As escolas estaduais, nos sete anos, perderam perto de 90 mil alunos ( de 410.236 para 324.701) e as escolas municipais perderam perto de 40 mil (eram 509.561 reduzidos a 460.866). Teriam ido esse alunos para os IFRNs, que apresentaram no mesmo espaço de tempo, um crescimento de 36%? O percentual é alto, mas o número de matrículas é baixo: Eram 5.438 que passaram a ser 7.409. O aumento foi de apenas 1.971 vagas. Sobraria a escola particular, em razão da melhoria das condições das famílias potiguares. Mas também houve redução de matriculas – num percentual bem menor – nas escolas privadas. Menos 2.93% no período. Os números são da secretaria de Educação. Com esses números os argumentos precisam ser outros. Ou se faça o mais correto: Reconheçamos a necessidade de mudar. Sem nenhum compromisso com o erro.

TIRO CERTO

Mesmo sem ter escritório em Natal, a agência de propaganda Marta Lima, de Recife, deu um show de competência e senso de oportunidade, no anúncio publicado na edição de ontem de “Carros do Novo Jornal”, que tinha na capa o teste comparativo entre o Corolla e o Focus. O anúncio elencou outras vantagens competitivas do Corolla que não figuravam no teste. E o anúncio o colocou como campeão.

HUMBERTO SALES / NJ

ESQUECIDOS DA COPA

Para o Presidente da Federação Norte-riograndense de Futebol, José Vanildo, só quem está tratando da Copa de 2014 no Rio Grande do Norte são os empreiteiros de obras, donos de hotéis e políticos, sem a preocupação de ter a opinião de ninguém do futebol. Vanildo tem lugar garantido na alta cúpula da CBF e garante não ter ainda sequer sido ouvido nem cheirado por nenhum dos donos da Copa. Marinho Chagas, único norte-riograndense a disputar uma Copa do Mundo, em 1974 na Alemanha, também ainda não foi lembrado para nada. Nem na hora do oba-oba.

Não procuro o debate com outros candidatos, mas sim o debate” DA SENADORA MARINA SILVA.

PALPITE INFELIZ Para um expert em concursos de beleza, a representante do Rio Grande do Norte, Joyce Oliveira, não ficou nem entre as semi finalistas do concurso Miss Brasil, por culpa do traje típico, feito em palha, apresentado pela nossa candidata Joyce Oliveira, representante de Serrinha dos Pintos. - Ninguém fica bonito fantasiado de espantalho. Para este analista o traje típico era a exata reprodução de um espantalho de almanaque. O traje apareceu mais que a Miss e escondeu sua beleza.

CONTRA OU A FAVOR

O voto do juiz do TRE, Aurino Vila, mandando suspender o Programa Cheque Reforma/Cheque Moradia, na verdade Cheque Campanha, foi contra ou a favor do governo? Um conhecido especialista em Direito Eleitoral interpreta como tendo sido a favor. Ele lembra que o TSE criou jurisprudência ao cassar o governador Cássio Cunha Lima por ter usado programa similar.

BOLSA FAMÍLIA

Designados os novos integrantes da Coordenação Estadual do Programa Bolsa Família e Cadastro Único: Rosângela Medeiros (Sethas), Josafá de Oliveira (Educação), Jacilda Rosendo (Saúde), Socorro Soares Pereira (Seplan) e Jaiana Dantas (SINE).

COMPRA DE PNEUS

O Corpo de Bombeiros do Estado firmou contrato com a empresa GBG Pneus Ltda, no valor de R$ 255.999,91 para fornecimento de pneus para a sua frota de veículos, por ter apresentado o menor preço no Pregão Eletrônico.

AJUSTAMENTO DE CONDUTA Para detalhar providências a serem adotadas, relativas à substituição de equipamentos e linhas subterrâneas (que precisam ser impermeabilizadas, com canaletas) proprietários de 109 postos de combustíveis participarão de uma audiência pública convocada pela Promotoria do Meio Ambiente. Já existe um Termo de Ajustamento de Conduta, assinado por 16 estabelecimentos, aceitando essas providências.

NOVA SEDE

A Procuradoria Geral do Estado, que havia se apossado da antiga sede da CDM, na Avenida Afonso Pena, vai ter uma nova sede no Alto da Candelária, região que começa a agregar diferentes repartições ligadas ao Judiciário. Decreto governamental destina o imóvel localizado na rua Nossa Senhora da Candelária, nº 3.400.

TRABALHISTA HISTÓRICO

Tido como trabalhista histórico, tendo se afastado da militância partidária, o médico Maurilton Morais já definiu a sua chapa para a próxima eleição: Rosalba (governo) José Agripino e Garibaldi (senadores), Rogério Marinho (deputado federal) e Gesane Marinho (deputado estadual)

LIVRE PARA VOAR

Se não conseguir realizar uma grande obra na área de cultura nesses sete meses finais, o PT vai ter de buscar outra desculpa. O Presidente da Fundação José Augusto, Crispiniano Neto, recebeu autorização para firmar seis convênios com a União, para a realização de ações, algumas delas de há muito reclamadas: 1 – Modernização da Biblioteca Câmara Cascudo; 2 – Restauração do Casarão dos Guarapes; 3 – Aquisição de Carreta-Palco, com infra-estrutura cênica de sonorização e iluminação; 4 –Realização do Encontro de Bandas de Municípios do Estado; 5 – Realização do 14º Encontro de Cultura Popular; e 6 – Realização de oficinas de música no Instituto Waldemar de Almeida..

B DE BRASIL

Mesmo com enormes restrições para os não patrocinadores oficiais faturarem a Copa do Mundo, a griffe Botton mostrou criatividade e senso de oportunidade fazendo o lançamento da sua coleção Brasil Botton, hoje – a 30 dias da estréia da seleção – reinaugurandoa sua loja no Midway Mall com uma coleção lembrando as conquistas da seleção brasileira.

ZUM ZUM ZUM ▶

Flávio Fernandes Lisboa substitui Jamerson Costa Morais como Diretor Administrativo do IDEMA. ▶ Hoje tem o programa nacional do Partido dos Trabalhadores no rádio e TV. Hoje é quinta-feira 13. ▶ Servidores do Idema ganharam um programa especial de gestão de desempenho, num decreto do governador Iberê Ferreira de Souza.

A Emproturn transferiu R$ 200.000,00 para a ABIH usar na captação de voo charter. ▶ A Fundação Comitê de Captação de Eventos recebeu uma baba de R$ 285 mil da para promover o turismo do RN. ▶ Rogério de Almeida Freitas, Jan Val Ellam no seu livro, é entrevistado hoje, no programa Memória Viva, às 17.30, na TV Universitária.

▶ Hoje completa 32 anos que D. Heitor de Araújo Sales era nomeado Bispo da Diocese de Caicó. ▶ Sérgio Farias e Alzenir Nelo apresentam, hoje, a música de Caymmi, no Praia Shopping. ▶ Jussier Ramalho comparou o preço da gasolina em São Paulo (R$ 2,29), Minas (R$ 2,39), Rio (R$ 2,40) e Natal (R$ 2,69).

▶ Verenilce Dantas de Araújo foi nomeada para o cargo de secretária particular do governador do Estado. ▶ O interstício mínimo de permanência no posto de aspirante a oficial da PM foi reduzido em 50% nas promoções do dia 21. ▶ Ana Laura Jalles Veras, 11 anos, autografa hoje, na Siciliano do Midway, “A menina da bola rosa”.

Este NOVO JORNAL vem mostrando desde domingo como é, por dentro, o Movimento Estadual de Integração e Orientação Social, o Meios. A entidade surgiu há 30 anos para que as primeiras-damas, como era praxe naquele tempo, pudessem exercer a filantropia e ainda manter e acompanhar projetos sociais. No entanto, de alguns anos para cá, tanto mudaram as atribuições do Meios como a entidade foi se transformando numa enorme caixa-preta, salvaguardada por regras jurídicas que a desobrigam (por se tratar de uma “organização não governamental”) de uma prestação de contas mais transparente. O Meios hoje é, assumidamente, conforme definiu a própria diretora, uma “perninha” da Secretaria estadual de Ação Social. É uma perninha gorda, uma vez que o repasse específico vem de uma rubrica genérica referente a transferências para entidades assistenciais. E são muitas as entidades beneficiadas pelo governo. Este jornal apurou que o Meios recebe nada menos do que R$ 11 milhões por ano. O valor supera, por exemplo, o orçamento de uma secretaria como a de Esportes. Ou seja, a capital potiguar será sede de uma competição esportiva mundial em 2014, mas a secretaria diretamente vinculada a essa atividade tem orçamento de cerca de R$ 3 milhões apenas. Já o Meios, a “perninha”, recebe R$ 11 milhões. O que causa admiração é que a própria direção admite que boa parte dos servidores está lotada ali por indicação política, deixando claro - embora talvez não se apercebesse - que o Meios é um robusto cabide de empregos. Pior: como as creches passaram a ser atribuição dos municípios, as que eram administradas pelo Meios estão sendo transferidas para a prefeitura natalense e os servidores, que não podem ser demitidos, serão absorvidos em pirogramas especalmente criados pela entidade só para evitar que os apadrinhados sejam afastados. É uma sucessão tão inacreditável de remendos e justificativas que beira o escárnio. Tudo acontece porque ao longo de várias décadas o Meios foi inchando sem que ninguém reagisse, talvez mais por desconhecimento do que por omissão. Ou talvez, ainda, por conveniência. Por mais instrumentos de fiscalização e de defesa dos direitos do cidadão que tenham sido criados nos últimos anos, como o advento do Ministério Público, com suas novas e importantes atribuições, nenhuma voz se levantou para investigar, em detalhes, o que de fato acontece no Meios. Ou se a forma como funciona pode ser considerada normal. Quem sabe o fato de assumir-se como “perna” não posse dar início a essa caminhada, que é palmilhar os subterrâneos do Meios.

Artigo MOURA NETO Editor de Cidades

mouraneto@novojornal.jor.br

Inesquecível Pax O dia estava amanhecendo quando o Pax alçou vôo do hangar do Parque de Vangirard em direção ao campo de manobras Issy-les-Moulineaux, em Paris. De repente, uma explosão. Tomado pelo fogo, o balão despencou de uma altura de 400 metros, matando os dois tripulantes. A cena chocou a pequena platéia que se fazia presente. O corpo do mecânico, semi-carbonizado, tombou próximo ao motor. O do aeronauta ficou todo deformado, com as pernas partidas e a coluna vertebral fraturada. Apenas o rosto permaneceu intacto. E o seu relógio, que marcava 5 horas 50 minutos e 54 segundos. O acidente que tirou a vida do francês Georges Sachet e a do norte-rio-grandense Augusto Severo de Albuquerque Maranhão, em 12 de maio de 1902, abalou a comunidade científica da França que acompanhava com grande interesse as experiências que o potiguar realizava no campo na navegação aérea. Mais de um século depois da tragédia, exatos 108 anos, ninguém sabe ainda ao certo o que aconteceu naquele dia. Sabe-se, porém, que apesar de ter vendido as jóias da família para investir na sua experiência, Augusto Severo não obteve recursos suficientes para construir o balão da forma como planejara. E isso pode ter determinado o acidente. A imprensa da época publicou que ele pretendia usar motores elétricos, mas por falta de tempo e recursos terminou utilizando motores a petróleo. Da mesma forma, usou bambu ao invés de alumínio para construir a barquinha. A troca de peças e materiais previstos no projeto original, por questão de economia, pode ter aumentado o risco de explosão. Nascido em Macaíba, oriundo de uma família que projetou dois governadores para o Rio Grande do Norte, Augusto Severo tinha gênio e brilho próprio. Além de grandeza de espírito. Quando ocupava a cadeira de deputado federal no lugar do irmão Pedro Velho, que deixou o parlamento para administrar o Estado, apresentou projeto que concedeu 100 contos de réis para Santos Dumont prosseguir suas experiências aéreas. Vale salientar, contudo, que Dumont concorria com ele para descobrir a fórmula da dirigibilidade do ar. Ao concluir o projeto do seu balão dirigível, no início do século passado, Augusto Severo deixou o parlamento e viajou a Paris sem auxílio do governo brasileiro. Naquele país, travou contato com as maiores autoridades em assuntos aeronáuticos. Tinha cabedal para isso. Suas experiências foram inovadoras em muitos aspectos, atestam os especialistas. Pelas suas proezas e qualidades, Augusto Severo inscreveu seu nome entre as personalidades mais notáveis do Rio Grande do Norte em todos os tempos.


▶ POLÍTICA ◀

NATAL, QUINTA-FEIRA, 13 DE MAIO DE 2010 / NOVO JORNAL /

Painel RENATA LO PRETE Da Folha de São Paulo

painel@uol.com.br

Caminho de volta Embora dirigentes do PT digam que resistirão à pressão do clã Sarney para reverter à força a decisão da seção maranhense de apoiar Flávio Dino (PC do B) ao governo, há complacência com a movimentação de petistas locais alinhados com Roseana (PMDB). O PT maranhense havia marcado para o dia 22 uma reunião na qual, em tese, seria definido o restante da chapa encabeçada por Dino. Mas está em curso uma articulação para que nesse encontro ocorra nova votação sobre a questão do apoio, sob o argumento de que a vitória anterior se deu por dois votos. Aliados de Dino acusam Roseana de ter oferecido tudo e mais um pouco em seu governo ao PT para virar o placar.

BEIJA MÃO Roseana Sarney esteve ontem com o pai, José Sarney, no Planalto para uma conversa com Lula.

SINERGIA

Esclarecimento para quem estranhou o fato de o crack ser o tema de um dos novos comerciais do PT estrelados por Dilma Rousseff: em conversa com integrantes da CNBB, Lula afirmou que, em breve, o governo lançará uma ampla proposta de combate ao uso da droga.

I’LL BE BACK

Também ontem, em encontro com representantes da Contag, Lula avisou: ‘Não se assustem se, quando eu sair do governo, vocês me virem em nova caravana’. Em seguida, porém, disse que não será um ex-presidente cheio de palpites sobre o governo do sucessor.

LOST

Para ilustrar o problema da falta de policiamento das fronteiras durante entrevista ontem com José Serra (PSDB), Ratinho utilizou um grande mapa em que o Brasil parecia ao telespectador uma ilha, todo cercado de azul. Para completar, o apresentador do SBT mostrava o ponto em que Mato Grosso do Sul faz divisa com o Paraguai e dizia: ‘Olha aqui a nossa costa’.

EM RESUMO

Do ex-prefeito do Rio Cesar Maia (DEM), explicando em seu ‘ex-blog’ a decisão do TSE sobre coligações: ‘A + B + C + D estão coligados para governador. Pode haver a criação de duas coligações A + B e C + D ou A + B + C e D sozinho, de modo que cada uma dessas configurações possa lançar dois candidatos ao Senado? Resposta: NÃO’.

SUJOU...

Nos bastidores, o ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, demonstrou profunda con-

trariedade com a ‘irreverência’ do secretário Nacional da Justiça, Romeu Tuma Jr., ao anunciar suas ‘férias’ (que de férias não têm nada, pois é sabido que ele não voltará). A frase de Tuminha - ‘vou pegar um sol e volto quando estiver moreninho’ - pegou mal até no Planalto.

...MAS NÃO TANTO

De início em dúvida sobre a necessidade de ejetar o secretário, acusado de ligação com a máfia chinesa, o Planalto, uma vez convencido da inevitabilidade da medida, orientou a Justiça a encontrar um desfecho ‘leve’ para o impasse.

IRREVOGÁVEL

Romeu Tuma (PTB-SP) diz que a decisão do TSE selando o caráter ‘solteiro’ de sua candidatura não o fará desistir da reeleição ao Senado: ‘É irreversível’. Sobre o filho encrencado, afirma: ‘É um rapaz sério’.

CALENDÁRIO

O PTB bateu o martelo: a convenção nacional será em 19 de junho. A da seção paulista, que lançará Tuma, em 26 de junho.

SEM OPÇÃO

O entendimento do TSE de que a coligação estadual deve se repetir em todos os cargos majoritários praticamente sepulta a possibilidade de Soninha (PPS-SP) concorrer ao Senado. Ela descarta tentar vaga na Câmara: ‘Depois de minha experiência como vereadora, perdi a vontade de ser parlamentar. A exceção era o Senado, uma Casa diferenciada’.

OUTRA HISTÓRIA

Na tentativa de lançar Aspásia Camargo ao Senado, o PV do Rio apresentará nova consulta ao TSE. Alega que, com candidato próprio à Presidência, ela poderia sair de forma avulsa.

TIROTEIO É lamentável que, devido a más companhias ou desinformação, Hélio Costa inicie a campanha falando asneiras, na tentativa de desqualificar a administração exitosa de Aécio Neves. Do deputado RODRIGO DE CASTRO (PSDB-MG), em resposta ao peemedebista, segundo quem houve ‘maquiagem’ no ‘choque de gestão’ do tucano, que teria ainda ‘investido pouco na área social’.

CONTRAPONTO GENÉRICO Durante reunião realizada na tarde de terça-feira passada entre líderes das bancadas na Câmara e o novo presidente do Supremo Tribunal Federal, Cezar Peluso, o presidente da Casa, Michel Temer (PMDB-SP), recebeu elogio do colega Fernando Coruja (PPS-SC): - O senhor é um democrata! - bradou Coruja. O líder do DEM, Paulo Bornhausen (SC), brincou: - Que bom! Mais um filiado ao nosso partido! Temer ficou vermelho, como costuma acontecer quando se vê em alguma saia justa, e tentou sair de fininho: - Veja, democrata é uma expressão universal...

5

ADÉCIO DISPARA

CONTRA LICITAÇÃO / COPA / DEPUTADO DA OPOSIÇÃO DIZ TER HAVIDO “COMBINEMOS” NAS OBRAS DE DEMOLIÇÃO DO CENTRO ADMINISTRATIVO

HUMBERTO SALES / NJ

HEVERTON DE FREITAS DO NOVO JORNAL

O DEPUTADO JOSÉ Adécio (DEM) afirmou ontem de ter havido um “combinemos” na licitação para a derrubada da creche e da guarita do centro administrativo, além da terraplanagem da área e construção de uma nova guarita, obras que devem anteceder a demolição do Machadão para a Copa 2014. A licitação por tomada de preço foi considerada deserta já que nenhum interessado se apresentou para realizar as obras orçadas em mais de R$ 360 mil. A abertura dos envelopes com as propostas foi realizada no dia 4 de maio. A intenção do Governo com essas obras era iniciar a demolição no máximo no dia 15 de maio para justificar perante a FIFA o início das obras do novo estádio dentro do prazo estabelecido. Como não apareceu nenhuma empresa interessada na obra, a secretaria de Infraestrutura publicou outro edital de licitação já no dia seguinte. Mas no Diário Oficial do Estado de terça-feira a mesma secretaria publicou a dispensa de licitação para contratar a empresa IM Comércio e Terraplanagem Ltda e ontem publicou o aviso de anulação do edital lançado no dia 5 de maio. A justificativa legal para a dispensa de licitação foi o artigo 24 da lei 8.666, a chamada lei das Li-

▶ José Adécio é contra a derrubada do Machadão citações, que prevê a contratação direta no caso de não aparecerem interessados numa licitação e ela não puder ser repetida sem prejuízo para a administração. O prejuízo para a administração que justifica a dispensa no caso é a vinda a Natal no dia 18 de maio de uma comissão da FIFA para vistoriar as obras da Copa. Se fosse realizada a nova licitação as propostas só seriam conhecidas no dia 20, portanto, a comissão da FIFA não encontraria nenhuma obra para vistoriar. O deputado José Adécio classificou todo esse processo de imoral e ainda mais grave o fato de a empresa escolhida pelo Governo do Estado para realizar a obra ter sido uma das que adquiriram o edital da licitação, mas não apresentaram proposta. “Isso é uma imoralidade,

pois seis empresas compraram o edital, no dia nenhuma das que comprou o edital apareceu e uma delas é contratada sem licitação, isso parece mais uma combinação, um ajeitemos”, acusou. Segundo o deputado, que é engenheiro, o que construtora mais gosta é de obra de demolição porque não corre risco técnico nenhum, ainda mais se tratando de uma creche e uma guarita sem grandes estruturas de fundação, e de fazer aterro porque recebe pela quantidade de metros cúbicos sem problema de medição. Ele lembra que o valor previsto no edital de licitação era de R$ 361 mil e a empresa acabou fazendo um contrato direto por R$ 352 mil. “Fizeram um negócio tão mal feito que escolheram logo uma empresa que deixou de concorrer por um valor e

depois aceitou trabalhar por um valor menor. Como é que não se interessa por ganhar mais e aceita fazer um serviço por menos?”, questiona o deputado. O secretário de Infraestrutura, Dâmocles Trinta, disse que a IM Comércio e Terraplanagem, não compareceu no dia da licitação porque teria perdido o prazo para pagamento da caução no valor de 10% do valor da obra. O deputado José Adécio anunciou que está quase pronta uma Ação Cautelar Exibitória que irá ingressar na Justiça pedindo que o Governo apresente os projetos arquitetônicos, de engenharia, elétrico e hidráulico do novo estádio. Ele contratou um escritório de advocacia para entrar com uma ação popular contra a derrubada do Machadão pelos danos ao patrimônio que a obra pode causar. Adécio é a favor de que seja realizada a obra de readequação do Machadão, cujo projeto foi feito pelo arquiteto Moacir Gomes e pelo engenheiro calculista José Pereira, os dois responsáveis pela construção do estádio nos anos 60 e contratados pela prefeitura de Natal na gestão do ex-prefeito Carlos Eduardo para adaptar o estádio às exigências da FIFA para receber jogos da Copa do Mundo.

MAIS EM CIDADES 09

/ BOLSA FAMÍLIA /

Marina diz que críticos não sabem o que é passar fome FOLHAPRESS A PRÉ-CANDIDATA DO PV à Presidência, Marina Silva, fez ontem uma defesa enfática do programa Bolsa Família, principal vitrine da política social do governo Lula. Em entrevista ao Jornal 96, da Rádio 96 FM, ela lembrou a infância pobre no Acre e afirmou que quem chama o programa de assistencialista não sabe o que é passar fome. “O programa deve ser mantido. Quem diz que ele é assistencialista é porque não sabe o que é passar fome”, disse Marina. “É uma questão de direitos humanos as pessoas não pas-

HUMBERTO SALES / NJ

sarem fome”. A senadora classificou o programa de “benefício justo” e prometeu mantê-lo, se eleita. Ela também afirmou que ampliará os investimentos na educação se vencer a disputa presidencial. “O programa deve ser mantido e acrescido do que eu chamo de inclusão produtiva: treinar as pessoas simples para ser pedreiro, carpinteiro, costureira, cabeleireira, o que for. Mas os que não conseguirem têm direito a uma renda de cidadania”, concluiu. Também ontem, a pré-candidata afirmou em sua página no Twitter que vai retornar ao

Senado para votar o projeto de lei que proíbe o registro da candidatura de políticos com ficha suja. “O projeto Ficha Limpa, que havia sido protelado, foi aprovado na Câmara. Agora vai para o Senado e estarei lá para votar”, disse ela. Ao contrário de José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), que lançaram suas pré-candidaturas em Brasília, Marina Silva decidiu fazer sua festa fora dos grandes centros urbanos, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro. O lançamento do nome de Marina à Presidência ocorrerá no domingo, na casa de shows Riosampa, a partir das 11h.

▶ Marina Silva em Natal

/ PARECER /

MP QUER MANTER CONDENAÇÃO DE RÉUS NO ESCÂNDALO DO LEITE O MINISTÉRIO PÚBLICO

Estadual emitiu parecer rejeitando as alegações sustentadas pelos réus condenados por improbidade administrativa no processo judicial que apura irregularidades na celebração dos convênios, dispensa indevida de licitação e ampliação fictícia do programa do Leite no ano de 2002. No parecer, o procurador de Justiça do Estado, Paulo Roberto Dantas de Souza Leão, opina pela manutenção integral da sentença proferida em 1º grau que condena os acusados a res-

sarcimento da quantia desviada, à perda da função pública, suspensão dos direitos políticos por cinco anos. No final do ano passado, a juíza da 2ª Vara da Fazenda Pública, Vanessa Lysandra Fernandes Nogueira, condenou cinco pessoas, entre eles três ex-secretários de estado, além da Cooperativa de Energia e Desenvolvimento Rural do Seridó Ltda (Cersel), por conta das irregularidades no programa. Os ex-secretários de Estado de Ação Social, Tertuliano

Pinheiro e Joanete dos Santos, bem como os representantes da Cersel, José Mariano Neto e Osmildo Fernandes, também foram obrigados a devolver mais de R$ 9 milhões desviados dos cofres públicos do Estado por meio de convênios e aditivos do Programa. Além disso, a Justiça suspendeu os direitos políticos de todos os réus por cinco anos, além de condená-los à perda da função pública e proibi-los de contratar com o poder público ou receber benefícios ou incentivos

fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de cinco anos. Nas defesas preliminares dos réus, presentes na sentença, os acusados tentaram desqualificar a competência do Tribunal de Justiça do Estado para julgar o caso. A maioria também alegou impossibilidade jurídica do pedido, uma vez que os agentes políticos não se submetem à Lei de Improbidade Administrativa.


6

▶ OPINIÃO ◀

/ NOVO JORNAL / NATAL, QUINTA-FEIRA, 13 DE MAIO DE 2010

JOÃO BATISTA MACHADO Jornalista

jbmjor@yahoo.com.br

Dez anos da Lei de Responsabilidade fiscal HÁ 83 ANOS o prefeito de Palmeiras dos

Índios, (Alagoas), Graciliano Ramos criava o Código de Postura Municipal fixando normas rígidas a serem cumpridas à risca pelo chefe do executivo, advertindo que no exercício do cargo não tinha amigos nem parentes. Nem seu pai, o coronel Sebastião Ramos foi poupado. Mas, o artigo mais importante do código era o que impunha a prefeitura não gastar mais do que o arrecadado. Implantou-se, pela primeira vez no país, o controle fiscal das contas públicas. Graciliano criara, no século passado, o embrião da chamada Lei de Responsabilidade Fiscal que recentemente completou dez anos de profícua atuação no controle e transparência dos gastos dos agentes públicos. A lei que bem merecia ter o seu nome foi criada em 04 de maio de 2000 no governo Fernando Henrique Cardoso, apesar da oposição barulhenta do PT radicalmente contra sua criação. Contundentes discursos foram pronunciados na Câmara e no Senado condenando a iniciativa moralizadora da gestão FHC. Agora, após o décimo ano de criação surge um movimento no Congresso Nacional visando sua flexibilidade com a finalidade de permitir aos Estados e municípios contrair empréstimos acima dos limites fixados pela

LRF. O autor da emenda é o senador tucano Tasso Jereissati (CE) e sua iniciativa vem sendo bem recebida pelos demais parlamentares. Se for aprovada, a Lei de Responsabilidade Fiscal corre sérios riscos de ser transformada algo sem validade. Os maus gestores estão encantados com a iniciativa do senador cearense. Diz o ditado popular que “por onde passa um boi passa uma boiada”. Se o Congresso aprovar a primeira mudança na LRF virá uma série de outras mudanças tornando-a inócua. A Lei de Responsabilidade Fiscal é um dos pilares da estabilidade econômica do país que o presidente Lula da Silva tanto propaga, embora não conceda crédito aos antecessores. Essa alteração inoportuna desqualifica a lei enfraquecendo sua vigência. Uma das alegações dos defensores da mudança é que ela precisa ser atualizada. Ou seja: a LRF aos dez já está velha! Como diria Ary Barroso: “durmar-se com um barulho desse”. O Brasil é o único país do mundo em que há leis que pegam e as que não pegam, por mais absurdo que possa parecer. Pois bem, a LRF pegou no melhor sentido da palavra. Colocou ordem nas contas públicas e enquadrou os gestores gastosos no equilíbrio fiscal, sob fiscalização rigorosa dos Tribunais de Contas, fiés guardi-

ões da sua aplicabilidade. Dificilmente haverá apenas uma modificação. Certamente outras virão em cadeia. Neste país existe uma ojeriza as coisas sérias. O jeitinho malandro e antiético fez parte da nossa cultura ladina A sociedade civil organizada deveria agir com rapidez no sentido de evitar qualquer alteração na Lei Fiscal sob pena de vê-la perecer antes de chegar à maioridade. O Congresso Nacional em época de eleições é capaz de qualquer insanidade. Haja vista a derrubada do fator previdenciário que permitirá aposentadoria aos 45 anos de idade, causando um verdadeiro terremoto nas combalidas contas da previdência social. Resta saber, se o presidente da República vai vetá-la ou não. Se não o fizer, concordará com o populismo inconseqüente. As coisas sérias no Brasil têm prazo de validade, por mais incrível que possa parecer. A gestão pública detesta normas moralizadoras. O agente público, com raríssimas exceções, adora uma bagunça. Justamente por isso, fica mais fácil a farra desenfreada com o dinheiro do contribuinte, sem ter de prestar contas dos seus atos e gastos. Portanto, salvemos a Lei de Responsabilidade Fiscal antes que seja tarde demais. Se não procedermos assim, a moralidade nos gastos públicos vai para o ralo da inutilidade.

RELATÓRIOS REVELAM ESCRITOR O Código de Postura Municipal não somente organizou as finanças de Palmeira dos Índios, como revelou aos país um talentoso romancista que se escondia por trás de sua timidez nos grotões esquecidos das Alagoas. Graciliano Ramos prestava contas sistematicamente aos governos estadual e federal de todos os recursos arrecadados ou recebidos. Seus relatórios objetivos em estilo primoroso chamavam a atenção dos que o leram. Um deles, por feliz coincidência, caiu de bandeja na mesa do ministro da Educação da época, Gustavo Capanema, que tinha como chefe de gabinete, o poeta Carlos Drummond de Andrade. “Este homem é romancista e tem livro a publicar”, comentou o ministro com o auxiliar. No relatório dizia Graciliano, entre outras coisas, que “no cemitério da cidade enterrei 150 contos de reis”. Depois de lêlo, Capanema o enviou ao livreiro e poeta Augusto Frederico Schmith. Este entrou em contatos com Graciliano e descobriu seu primeiro romance ainda inédito: Caetés (1933). O ministro Gustavo Capanema tinha razão: o prefeito era excelente escritor. Depois vieram obras consagradoras como São Bernardo, Vidas Secas, Memórias do Cárcere, Angústia e tantas outras. Exerceu ainda o jornalismo com a participação ativa nas revistas e jornais da época, notadamente no Jornal do Brasil, onde exerceu funções de redator e copidesck exigente. A crítica foi receptiva ao seu primeiro livro e a partir daí tornou-se um romancista conhecido. O velho Graça, como era chamado pelos amigos, de temperamento introvertido e austero nos gastos públicos realizou uma administração modelar em Palmeira dos Índios, mas reconhecia que se fosse candidato noutra oportunidade, não obteria dez por cento dos votos do município. A confissão do grande escritor alagoano é prova insofismável de que a seriedade com a coisa pública ainda é um sonho inalcançável. Delatado por desafetos, Graciliano foi preso político em 35, acusado de simpatizante do comunismo. Dos anos 20 até hoje pouca coisa mudou no procedimento em se fazer política, lamentavelmente. Pelo menos em Palmeira dos Índios, Graciliano Ramos ganhou estátua de corpo inteiro na principal praça da cidade. É sempre válido o reconhecimento, embora tardio. Que Sua postura ética sirva de exemplo aos jovens que postulam a vida pública. Se a política perdeu um homem honrado comprometido com a decência, em compensação, a literatura ganhou um escritor de estilo consagrado e obras imorredouras que estão na memória daqueles que o leram imortalizando-o para sempre.

Sebastião Vicente escreve nesta coluna às terças-feiras

Plural

Cartas do Leitor

ELEIKA BEZERRA Professora ▶ eleikabg@supercabo.com.br

▶ cartas@novojornal.jor.br

Nepotismo: aleijão do serviço público Diariamente nos deparamos com notícias acerca da concessão de privilégios ou cargos a parentes no serviço público. Apenas para relembrar, nepotismo é o termo utilizado para designar favorecimentos a parentes em detrimento de pessoas mais qualificadas, especialmente no que diz respeito à nomeação ou elevação de cargos. Lembremo-nos: os privilégios, algumas vezes, vão muito além dos cargos - concessões e concessões são feitas, ultrapassando, em muito, o limite do honesto. Os 510 anos de Brasil estão repletos de fatos passados e presentes, que evidenciam tal deformação, envergonhando aos que têm vergonha. Conta-se que Pero Vaz de Caminha ao escrever a carta ao Rei D. Manuel, relatando o descobrimento do Brasil, pediu um emprego para o seu genro. Começa, com esse fato, uma história que perdura até os nossos dias! Curioso é que a palavra “pistolão” aí se origina: epístola/carta. No século XX ,encontramos o caso do presidente Getúlio Vargas que - nos episódios da década de 50, e que culminou com o seu suicídio - teve, tudo indica, familiares envolvidos no chamado “mar de lama”. São raros os governantes que conseguem fazer com que seus parentes, direta ou indiretamente, não abusem do poder. Reafirmamos que as pessoas, quando assumem cargo/função pública, usam a expressão “tomar posse” e ai vêm os desdobramentos, inclusive a “super proteção” aos seus parentes. As esferas de governo: federal, estadual e municipal estão plenas de estranhas ocorrências - explícitas ou implícitas - em que os parentes são coniventes. O que fazer? Quanto à ocupação de cargos, é urgente que sejam tomadas medidas no sentido de diminuir o máximo possível, os milhares de cargos comissionados que envergonham o serviço público. Como se pode permitir que tal ainda aconteça? Quanto a outros favorecimentos - talvez mais graves - que trazem incalculáveis prejuízos para o coletivo, só resta aguardarmos que a população consiga se indignar e agir. Quando acontecerá? Torcemos para que não demore tanto! Se os parentes são “escolhidos” por serem pessoas “de confiança”, normalmente, abusam e certamente confundem o público e o privado. Indispensável é dizer que eles ajudam, mas abusam muito mais. É só observar o passado e o presente da nossa história. Não nos iludamos, pois nos três poderes: judiciário, legislativo e executivo o fenômeno ocorre. Há verdadeiros “pactos de solidariedade familiar”, que camuflam muito do nepotismo. Aleijão vergonhoso que merece ser alterado. Aqui vale lembrar que a nossa maior miséria é a miséria política! Como vencê-la? Educação, educação e educação!!! Eleika Bezerra escreve nesta coluna às quintas-feiras

Sétimo dia A “seleção’’ escalada por Dunga é um verdadeiro sétimo dia. Como treinador, o cara é um tremendo cara de pau.Gosto de vingança Dunga é uma decepção. Age movido pelo espírito de revanchismo, o que não é bom para o futebol e muito menos para a Seleção. Percebo um gostod e vingança nessa escalação...Cadê os grandes técnicos? Mirela Santos

Boleiros Boa ideia essa do NOVO JORNAL, escalando esse time de jornalistas para comentar a Copa segundo uma pluralidade de visões. Genial! Marcos Ribeiro

Crispiniano x Franklin Li o comentário de Franklin Jorge à matéria sobre o discurso político feito pelo presidente da FJA no concerto de abertura da Orquestra Sinfônica do RN. Pura maldade, sugerir que o Crispiniano Neto, no lugar de dar uma de gestor incapaz, troque o gabinete refrigerado do

oficialismo pelas feiras sertanejas e vá tocar viola e apregoar seus cordéis de bajulação ao presidente Lula. Nada como o riso para baixar a bola dos arrogantes e pretensiosos!

expectativas dos cidadãos que vem o dinheiro de seus impostos desviados para o financiamento de ações interesseiras. Faço votos que continue assim. Socorro Fernandes

Carlos Romero

Cheque-reforma O juiz Aurino Lopes Vila foi muito sensato, sustando o uso do cheque-reforma em ano eleitoral. Estava claro que a intenção do governo era usa-lo fazer uso eleitoreiro desse recurso que foi praticamente esquecido nos anos anteriores e que agora, em ano eleitoral, foi vitaminado com recursos muito superiores a tudo o que foi gasto antes. Não é que os humildes não mereçam essa ajuda, mas a maneira como foi arquitetada pela ex-governadora Wilma de Faria mostra que a sua intenção tem outro objetivo e foi isto que o magistrado percebeu, ao acatar a representação do procurador Fábio Venzon. Graças a Deus, a justiça – no caso a Justiça Eleitoral – está agindo em comum acordo com o bom senso e as

Ficha limpa A sociedade devia se mobilizar para pressionar os senadores em apoio ao projeto Ficha Limpa. É preciso excluir a esperteza do PMDB e suas emendas ao projeto que na pratica o tornaria nulo e sem força. Precisamos ficar de olho. Marcio Brito

Getúlio Rego O deputado Getulio Rego vai no bom caminho, opondo-se à fome voraz do governo por novas suplementações. Não podemos ficar financiando a incompetencia dos governantes, que gastam de maneira desbragada, ao sabor das circunstancias, sem nenhum projeto capaz de dar retorno como toda a sociedade espera de bons gestores. Aproveito para apoiar a campa nha

do deputado José Adécio em defesa dos nossos estádios. Derruba-los é um contrasenso, um ato lesivo ao patrimônio. A meu ver, de par com essa campanha, ele devia também levantar uma outra questão: o tombamento, pelo Patrimônio Histórico, do Machadão, que o saudoso jornalista João Machado chamou de “poema de concreto armado”. O Machadão faz parte da paisagem urbana de Natal e é um importante monumento histórico que deve ser preservado, apesar da ganância e da insensibilidade dessa gente que não se acanha de pisotear uma parte importante de Natal, palco de eventos memoráveis. Até tomaria aqui a liberdade de sugerir ao editor de esportes do NOVO JORNAL que produza uma grande reportagem contanto a história do Machadão. Quanto ao deputado José Adécio, tem o meu apoio nessa batalha que engrandece a nossa cidade e mostra que o legislativo está a afinado com o que esperamos dos nossos deputados – a defesa dos interesses dos cidadãos. Cicero Ramos

O leitor pode fazer a sua denúncia neste espaço enviando fotografias

Diretor Cassiano Arruda Câmara Diretor Administrativo Manoel Pereira dos Santos Diretor de Redação Carlos Magno Araújo

Telefones (84) 3201-2443 / 3342-0350 / 3221-4587 E-mails redacao@novojornal.jor.br / pauta@novojornal.jor.br / comercial@novojornal.jor.br / assinatura@novojornal.jor.br Para assinar (84) 3221.4554

Endereço Rua Frei Miguelinho, 33, Ribeira - CEP 59012-180, Natal-RN Representante comercial Engenho de Mídia - (81) 3466.1308

IV – É livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato. (Constituição Federal – Artigo 5°)


Economia

Editor Carlos Prado

E-mail economia@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

NATAL, QUINTA-FEIRA, 13 DE MAIO DE 2010 / NOVO JORNAL /

7

RN TERÁ USINA SOLAR PILOTO / ENERGIA / PLANTA SERÁ CONSTRUÍDA NO ANO QUE VEM POR CENTRO DE PESQUISA DA USP, EM CAIÇARA DO RIO DOS VENTOS REPRODUÇÃO / INTERNET

CARLOS PRADO

DO NOVO JORNAL

O RIO GRANDE do Norte irá ganhar

no ano que vem uma planta piloto de geração de eletricidade termosolar. O anúncio foi feito ontem em Natal, durante o Colóquio de Energia Solar, pelo coordenador do Grupo de Pesquisa, Reciclagem e Eficiência Energética (Green) da USP, Celso Oliveira. A construção da usina será iniciada em janeiro de 2011, no município de Caiçara do Rio dos Ventos e concluída em dezembro do ano que vem. Segundo Oliveira, a termosolar do RN servirá para desenvolver um processo de tropicalização da tecnologia de geração de energia solar já disponível em outras partes do mundo. Para o pesquisador da USP, através da planta piloto será possível definir parâmetros de custos de geração de energia solar, para balizar futuros investimentos privados no setor. “Hoje, o grande problema da geração de energia termosolar é o desconhecimento” disse Oliveira, para quem o projeto pode resultar também no embrião de uma futura indústria de equipamento para o setor. Ele afirmou que o Brasil tem condições de produzir 60% dos componentes de uma usina termosolar. O Green, sediado em Pirassununga(SP) mantém em Caiçara do Rio dos Ventos um centro de pesquisa e extensão univer-

Usinas de energia solar já são uma realidade na Europa

sitária chamado Portal dos Ventos, onde universitários da USP desenvolvem programas sociais e de experimentação tecnológica na área de energias renováveis. Durante o Colóquio, promovido pelo Centro de Estudos Estratégicos de Energia (Cerne) também foi discutida a geração de energia foto voltaica, através de painéis solares. O coordenador do Cerne e ex-secretário de Energia do RN, Jean Paul Prates, disse que nessa área o estado também pode ser forte candidato a sediar futuras indústrias de equipamentos. “Além de um alto grau de irradiação solar, o Rio Grande do Norte é rico

em quartzo, matéria prima para produção de painéis solares”, lembrou Prates. Prates defendeu a criação de um fundo de incentivo à energia solar, composto por 5% dos recursos relativos aos benefícios fiscais obtidos pelas empresas cadastradas no Programa de Apoio ao Desenvolvimento Industrial (Proadi). Com esse fundo, segundo Prates, o Estado poderá formular e bancar uma política de atração de investimentos em industrialização de equipamentos, geração e uso da energia solar. Ainda na área da energia fotovoltaica, o diretor do CTGÁS, Ge-

raldo Pinto, afirmou que a Petrobrás pode ser uma indutora do desenvolvimento do setor, apresentando-se como grande consumidora desse tipo de energia. Ele lembrou que os painéis solares seriam a solução para fornecer eletricidade para plataformas marítimas, além de mais de 20 mil poços de petróleo que a empresa tem espalhados pelo país. Outra sugestão de Geraldo é o uso dos painéis no fornecimento de energia em postos de gasolina. Entre os diversos técnicos e representantes de organismos de governo e de empresas do setor presentes ao Colóquio houve

o consenso de que a melhor maneira de desenvolver a geração de energia solar é incentivando o seu uso, para criar uma escala que leve ao barateamento dos equipamentos e das tarifas da eletricidade. Outra área de aproveitamento da energia solar debatida foi a do aquecimento de água para fins residenciais e industriais. Esse setor, que já vem se desenvolvendo no país há mais de dez anos, teve grande impulso com a decisão da Caixa Econômica Federal de garantir o financiamento de aquecedores através do programa Minha Casa Minha Vida. Depois dessa iniciativa, o número de empresas produtoras de equipamentos aumentou de 40 para 150 e o custo de instalação do aquecedor doméstico caiu de R$ 1.800,00 para R$ 1.200.00. Em Natal já há uma lei municipal obrigando as edificações suKAMILO MARINHO / NJ

periores a cinco andares a contarem com sistemas de aquecimento de água através do sol. A lei, entretanto, ainda não foi regulamentada. Em São Paulo, lei semelhante já está sendo posta em prática. Os temas debatidos no Colóquio de Energia Solar serão transformados em um documento a ser encaminhado aos órgãos do governo federal, como os ministérios das Minas e Energia, do Meio Ambiente e do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior, propondo medidas para o setor.

ALÉM DE UM ALTO GRAU DE IRRADIAÇÃO SOLAR, O RIO GRANDE DO NORTE É RICO EM QUARTZO, MATÉRIA PRIMA PARA PRODUÇÃO DE PAINÉIS SOLARES” Jean Paul Prates Coordenador do CERNE


Economia 8

Editor Carlos Prado

E-mail economia@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

/ NOVO JORNAL / NATAL, QUINTA-FEIRA, 13 DE MAIO DE 2010

DÓLAR

INDICADORES

COMERCIAL TURISMO PARALELO

1,773 1,880 1,950

EURO

IBOVESPA

TAXA SELIC

IPCA (IBGE)

2,236

1,24% 65.223,63

9,5%

0,57%

TURISMO E CONSTRUÇÃO GERAM NEGÓCIOS DE R$ 1,8 BI / IMÓVEIS / CONTRATOS IMOBILIÁRIOS FECHADOS DURANTE AS RODADAS DE NEGÓCIO DA QUINTA EDIÇÃO DO NORDESTE INVEST FICARAM MUITA ACIMA DA EXPECTATIVA DIVULGADA ANTES DO EVENTO PELA ADIT

HUMBERTO SALES / NJ

CRISTIANO FÉLIX

DO NOVO JORNAL

A ASSOCIAÇÃO DO Desenvolvimen-

to Imobiliário e Turístico (ADIT) anunciou que a quinta edição do Nordeste Invest bateu o recorde histórico de geração de negócios, totalizando R$ 1,8 bilhão durante os três dias do evento sediado pela primeira vez em Natal, no Centro de Convenções. A edição anterior, realizada em Maceió detinha o maior nível de aproveitamento, movimentando um valor quase quatro vezes menor, de R$ 480 milhões. O presidente da ADIT, Felipe Cavalcante, se disse “chocado” com o resultado, mas garante que a organização ainda considera o valor anunciado pequeno, já que nele não estão considerados os negócios paralelos “fechados até mesmo no corredor”, como descreveu. Como componente de ânimo do mercado, ele destaca a percepção do Brasil no exterior. “Esse foi o grande colchão, que gerou todo o interesse dos investidores por nós”, conclui. Ainda segundo ele, não é pos-

sível saber que percentual desse montante ficará no Rio Grande do Norte. “O que a gente sabe é que historicamente a cidade sede do evento leva bem mais por uma razão simples: a experiência. Os investidores ficaram aqui e conheceram melhor o local. Durante o café da manhã estavam olhando a paisagem do Morro do careca, em Ponta Negra. Essa vivência conta muito”, destaca Cavalcante. O amadurecimento dos empresários brasileiros também foi destacado como fator positivo para a captação dos investimentos. Além de estarem aprendendo a apresentar seus projetos, os empresários brasileiros teriam contado com o a ajuda do fenômeno Copa do Mundo. “A gente sabia que o mundial de futebol é um catalisador. Parte do aumento desse número se deve a isso. Acelera a decisão de fazer investimentos”, analisa o vice-presidente da ADIT, Sílvio Bezerra. O evento contou com 1,5 mil participantes, sendo120 investidores. Notadamente os Estados Unidos tiveram destaque na procura por investimentos no setor

Felipe Cavalcante, presidente da Adit

de hotelaria, enquanto os espanhóis buscavam empreendimentos residenciais de baixo custo. O mercado da Espanha que veio à Natal era composto por construtoras que estão em dificuldades de expandir seus negó-

cios no país de origem. Elas buscam alternativas em mercados como o brasileiro, que vivem um momento de mudança no patamar social e poder econômico de grande parte da população que pela primeira vez tem acesso a

um financiamento habitacional com prestações consideradas de baixo custo, através do programa governamental ‘Minha casa, minha vida’. No balanço do evento, ficou claro que os investidores conti-

nuam cobrando agilidade no sistema de concessão de licenças ambientais, condição para serem instalados em empreendimentos. Em resposta a essa espera, a ADIT se mostrou como uma entidade pouco participativa, com a justificativa de uma busca por isenção. “A gente tá muito focado em geração de negócios. Existe uma entidade chamada Câmara Brasileira da Indústria da Construção. A gente repassa pra ela as preocupações que os empresários estão tendo e ela se encarrega de fazer pressão política para que o pleito seja atendido”, comentou Cavalcante. Todavia não se sabe onde será realizada a próxima edição do encontro. Segundo a assessoria há duas propostas, para levá-lo à Santa Catarina ou à Paraíba. A dificuldade de conseguir uma sede seria dada a circunstância de esse ser um ano eleitoral e os governadores não quererem se comprometer sem a certeza de continuarem no posto próximo ano. Contudo, a prioridade é trazê-lo novamente para o Nordeste, preferencialmente para um resort.

Contratos são fechados em rodadas de negócios HUMBERTO SALES / NJ

MARCELO LIMA

DO NOVO JORNAL

A GERAÇÃO DE

negócios em um evento como esse é contabilizada a partir do resultado das rodadas de negócios. Ao final da reunião que decorre de cada uma são preenchidas duas fichas, uma por quem oferece os projetos e outra pelos investidores, normalmente internacionais, chamados de ‘âncoras’. O valor dos ‘ofertantes’ não é divulgado para não gerar “esperanças” de maior volume de acordos. A principal proposta do Nordeste Invest é estimular a relação entre investidores estrangeiros e empresas locais para atuar no setor imobiliário e turístico. O momento das rodadas de negócios colabora para a concretização desse objetivo. Mas para que a parceria seja semeada, todo o planejamento das rodadas começa bem antes de os dois lados sentarem-se à mesa. Quando o empresário local se inscreve no evento, ele também pode fazer inscrição na rodada de negócios. Conforme o diretor executivo da Associação para o Desenvolvimento Imobiliário e Turístico (ADIT), Danilo Canuto, os interessados locais devem preencher um formulário descritivo com o projeto que pretendem desenvolver em parceria. Os investidores internacio-

nais também descrevem qual o perfil de empreendimento local desejado. “Essas empresas vêm em busca de projetos basicamente imobiliários ou turísticos”, acrescentou o diretor. O empreendimento pode ser um hotel urbano, um resort, um condomínio de casas ou outros do gênero. Para que os encontros tenham mais chances de dar resultados, os organizadores da rodada analisam os formulários com o interesse dos ofertantes (empresários locais) e compradores (investidores internacionais). Depois disso, programam a reunião daqueles que têm interesses complementares para o dia do evento. Cada reunião na rodada tem a duração de 30 minutos e ocorre em um ambiente com 45 mesas. O ofertante e o comprador podem levar mais uma pessoa para auxiliá-los na mesa em meio à negociação. Danilo Canuto reconhece que meia hora não é tempo suficiente para se fechar um negócio. O primeiro contato serve para conhecer um pouco mais o projeto, mas sem firmar compromisso. “Essa reunião é para despertar o interesse e gerar um segundo momento. A partir daí, começa-se um relacionamento empresarial”, reforçou Danilo Canuto. Nessa edição do Nordeste Invest, os investidores e empresários locais tiveram oito horas

de rodadas de negócios diárias (das 10h às 18h) . Isso significa que teoricamente cada comprador e ofertante poderiam participar de 16 encontros de meia hora por dia. Na prática, com o desgaste físico dos negociadores ao longo do tempo e as intenções específicas de cada um, não é necessário utilizar todo o tempo disponível. “Geralmente nós agendamos 10 reuniões para cada um”, informou o diretor executivo da ADIT. Segundo ele, uma negociação que começa num evento como esse, pode se concretizar em longo prazo, dentro de um ou dois anos. Por isso não é possível aferir em dinheiro o volume de negócios logo após o fim de uma rodada. No Nordeste Invest desse ano ocorreram cerca de 400 reuniões. A expectativa de R$ 580 milhões em volume total de negócios acabou sendo superada nessa edição . De acordo com a assessoria de imprensa do evento, um dos exemplos de transação que começou em uma rodada desse tipo foi a fusão da construtora potiguar Ecocil com o grupo inglês Salamanca Capital, em 2008. O formato mais corrente para essas parcerias tem a empresa local como a desenvolvedora do empreendimento. Isso significa que o parceiro brasileiro é o responsável por realizar o empreendimento, seja ele um

Nas rodadas de negócios foram definidos os fechamentos de contratos

hotel ou condomínio de luxo. O investidor internacional entra com o dinheiro. Por isso, há uma grande preocupação com a idoneidade dos estrangeiros por parte dos empresários locais. Conforme Danilo Canuto, em 2005 e 2006 muitos especuladores assumiram esse papel de investidores internacio-

nais. Mas a crise espantou essas pessoas. Agora a história é outra. Segundo o diretor executivo da ADIT, os investidores estrangeiros que vêm para o evento passam por uma triagem da entidade antes de serem convidados. Danilo Canuto explicou que a verificação do histórico do in-

vestidor dificulta a vinda de meros especuladores para o Nordeste brasileiro. “A ADIT tem assessorias de relações públicas em Portugal, Espanha, Inglaterra e Estados Unidos. Elas fazem uma varredura do histórico da empresa para verificar a seriedade de cada uma delas”, ressaltou o diretor executivo.


Cidades

Editor Moura Neto

E-mail cidades@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

NATAL, QUINTA-FEIRA, 13 DE MAIO DE 2010 / NOVO JORNAL /

MAIS UM

9

RISCO PARA NATAL

/ OBRAS DA COPA / ASSESSOR DA CBF ADMITE PELA PRIMEIRA VEZ QUE AS CIDADES QUE NÃO CUMPRIREM PRAZO PODEM SER SUBSTITUIDAS

HUMBERTO SALES / NJ

RAFAEL DUARTE

DO NOVO JORNAL

“SE NATAL NÃO cumprir os prazos, pode ser substituída por outra cidade”. A afirmação é do assessor de imprensa da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rodrigo Paiva, quando questionado pelo NOVO JORNAL sobre a redução do número de sedes para a Copa do Mundo de 2014. Ele disse que a redução está descartada, mas a troca de cidades não. Paiva não citou nenhuma capital que poderia sediar o Mundial no lugar de Natal. No entanto, o lobby é uma realidade junto à CBF. Ontem, o site da entidade registrou, com foto, o encontro do presidente Ricardo Teixeira com o senador goiano Marconi Perillo, que pediu a participação de Goiás “de alguma forma” na Copa de 2014. “Goiás merece essa oportunidade que estou pedindo ao presidente Ricardo Teixeira. O estado tem dois clubes na primeira divisão do futebol brasileiro, possui um grande estádio e uma massa de torcedores apaixonados”, disse ao site. Em resposta, apesar de não garantir nada, Teixeira disse que faria o possível para atender ao apelo do senador. “Vou fazer todo o possível para atender ao pedido do senador Marconi Perillo. Não só pelas condições que Goiás apresenta no aspecto esportivo, como também pela capacidade que conheço do senador em ser um empreendedor e de tocar projetos bemsucedidos”, afirmou o mandatário da Confederação. Rodrigo Paiva também contou que os três representantes do comitê que virão a Natal dia 18 de maio vão registrar apenas o andamento das obras do estádio Arena das Dunas, que até o momento ainda não começaram. “O comitê vai verificar o local do estádio e ver o que existe. Se a obra não tiver começado, vai ser registrado. Depois das 12 visitas, cada cidade vai receber uma informação específica sobre o que o comitê viu e o que espera”, explicou. Ao contrário do que afirmou o assessor de imprensa da CBF em relação à vistoria, o secretário es-

pecial da Copa, Fernando Fernandes, ainda acredita que o comitê organizador vem analisar outras obras do Mundial além da construção do estádio. Segundo ele, a obra deve começar até a próxima sexta-feira pela terraplanagem da área e demolição do pórtico de entrada do Centro Administrativo. “O comitê não vai ver apenas o estádio, mas as obras das demais secretarias também. E vamos apresentar isso a eles, nossa carteira de projetos em cada área, como a segurança, mobilidade, qualificação profissional. Também vamos apresentar o plano de modelagem financeira para provar que temos condições de fazer o nosso estádio”, afirmou. A creche Kátia Fagundes, também prevista para vir abaixo nesta primeira fase, será demolida apenas em junho, quando termina o semestre para as crianças que freqüentam a escolinha. “Vamos esperar o intervalo do meio do ano da creche para que as crianças possam ser remanejadas para outro prédio. A CBF está mandando para todas as cidades uma comissão técnica para ver os procedimentos que as cidades estão adotando, o modelo de governança, o que está sendo conduzido”, contou.

MEMÓRIA

▶ Estádio Machadão: ainda sem data prevista para ser demolido

PARA ADVOGADO, DISPENSA DE LICITAÇÃO DEVE SER BEM EXPLICADA À SOCIEDADE A interpretação dada pela Procuradoria Geral do Estado para dispensar a licitação na contratação da empresa IM Comércio e Terraplanagem Ltda., que vai iniciar as obras da Arena das Dunas, foi vista com receio por advogados que atuam na área administrativa procurados pelo NOVO JORNAL. Com base no inciso V do artigo 24 da lei de licitações 8.666, a PGE deu o aval para a Secretaria Estadual de Infraestrutura (SIN) passar por cima da concorrência pública por conta da urgência em começar as demolições do pórtico de entrada e de uma cre-

che no Centro Administrativo antes da chegada dos dirigentes do departamento de estádios do comitê local organizador da Copa de 2014. O grupo fará uma vistoria nas obras da Arena na próxima terça-feira, 18 de maio. A maioria dos advogados entrevistados não quis ter o nome publicado na reportagem, mas criticaram a postura do governo. Principalmente pela interpretação da comissão de licitação da procuradoria em considerar urgente uma visita de inspeção que já estava prevista para ocorrer após o término do prazo

dado para que as cidades-sedes iniciassem as obras. O advogado da área de licitações e inexigibilidade Kléber Cavalcanti afirmou que a dispensa de licitação precisa ser bem explicada para a sociedade. Ele explicou que pela lei das licitações, ‘urgência’ é uma situação de risco. “A urgência se dá numa situação de risco quando se diz que se não ocorrer aquele fato pode haver prejuízo ao erário, como são os casos de calamidade, uma situação de risco de saúde ou até um medicamento que se não for adquirido naquele momento

pode levar o paciente ao óbito. Aí sim pode haver dispensa de licitação. Como não acompanhei o processo desde o início não quero fazer um juízo de valor, mas acho essa antecipação complicada. A necessidade deve ser muito bem explicada e tem que ser dada para toda a sociedade. Principalmente porque está se tratando dos impostos que nós pagamos”, afirmou. A reportagem tentou contato com o Ministério Público Estadual para saber como a instituição vê a dispensa de licitação para uma obra de mais de R$ 300 mil. No entanto, a assessoria de imprensa informou que o promotor Reinaldo Reis, responsável pelo caso, só poderia responder daqui a uma semana.

A Secretaria Estadual de Infraestrutura (SIN) publicou terça-feira passada no Diário Oficial do Estado um edital de dispensa de licitação para a derrubada do pórtico e de uma creche no Centro Administrativo, além da terraplanagem e uma nova guarita na área. A empresa escolhida foi a IM Comércio e Terraplanagem, que existe há 35 anos e tem um histórico de serviços prestados para o Governo do Estado, prefeituras e iniciativa privada. Atualmente, a IM trabalha para o Departamento de Estradas e Rodagens (DER) e a Caern. Pelo serviço da Copa, a empresa receberá R$ 352.387,12. A previsão para o início das obras é a próxima sexta-feira com conclusão em 60 dias. Para a dispensa de licitação, o governo alegou urgência por conta da visita do comitê organizador da Copa, que ocorre na próxima terça-feira. Uma licitação, nos termos que a lei exige, chegou a ser realizada. No entanto, nenhuma construtora apareceu no data marcada e o processo foi considerado deserto.

NEY DOUGLAS / ARQUIVO NJ / 10.11.09

/ UM ANO DEPOIS /

Justiça inicia processo contra fiscais do Ibama que mataram jovem caçador DAQUI A NOVE

dias completa um ano que o jovem Emanuel Gesian Barbosa, de apenas 20 anos de idade, foi assassinado a tiros enquanto caçava arribaçãs na zona rural do município de Jandaíra. Mas somente na manhã de hoje, mais precisamente às 11h30, em audiência de oitiva marcada para acontecer na Comarca de João Câmara, é que o processo que acusa os fiscais João Batista de Almeida Pereira e Severino Gomes Marinho de terem disparado contra o rapaz começará a caminhar. Os dois são servidores do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e realizavam um trabalho de combate à caça ilegal de animais silvestres na região quando se depararam com um grupo de rapazes no meio da mata, numa área conhecida como Pombal. Na escu-

ridão, tiros foram disparados na direção dos rapazes. Emanuel recebeu um tiro no pescoço e morreu na hora. “Um absurdo”, choraminga a mãe Maria do Socorro. No entanto, os acusados não comparecerão à audiência. Foram intimados a serem ouvidos pela juíza Maria Nivalda Neco Torquato Lopes os dois defensores dos fiscais – a advogada Amanda Rosália Rodrigues Sales, representando o réu Severino Gomes, e o advogado Heriberto Escolástico Bezerra Júnior, representando o réu João Batista. Entre as testemunhas que também foram chamadas, cinco ao todo, devem comparecer os mateiros Enoque Oliveira Freitas, José Ivanildo da Costa e João Batista de Souza Cunha, que auxiliaram e acompanharam os servidores do Ibama na fiscalização no meio do mato. As outras duas testemunhas

são Manoel Vitorino da Silva e o jovem Leandro Silva Quirino, que estava ao lado de Emanuel quando ele foi atingido fatalmente. Leandro, vale também ressaltar, foi apreendido e conduzido pelos fiscais até Natal, onde permaneceu até o dia posterior em poder dos fiscais. Os servidores do Ibama foram denunciados pelo Ministério Público Federal no dia 2 de outubro do ano passado, sendo apontados como responsáveis pela morte do estudante Emanuel Gesian Barbosa, conhecido por “Neguinho”. O laudo do exame de confronto microbalístico realizado pelo Itep identificou que a bala que matou o estudante saiu da arma do fiscal Severino Gomes Marinho. Ele e João Batista de Almeida Pereira, os únicos armados na ocasião, não possuíam autorização para o porte de arma de fogo

no momento da fiscalização. Para o MPF, “tem-se como evidência que os denunciados, de maneira voluntária e consciente, portavam ilegalmente armas de fogo”. A denúncia frisa ainda que “não existe a menor evidência de que Severino Gomes teria agido em legítima defesa. Ao contrário, as provas coligidas apontam que, no exercício de sua função de fiscalização, como servidor público federal do Ibama, a sua atitude, ao disparar tiros sem qualquer razão plausível contra os caçadores, decorreu de deliberada intenção de matar a vítima”. Assim, o servidor em questão também é denunciado pelo crime de homicídio, que tem como pena a reclusão de seis a 20 anos. Os servidores foram afastados de suas atividades como fiscais, mas seguem atuando em serviços administrativos.

▶ Maria do Socorro, com o retrato do filho Emanuel Gesian Barbosa


10

▶ CIDADES ◀

/ NOVO JORNAL / NATAL, QUINTA-FEIRA, 13 DE MAIO DE 2010

O QUE SERÁ QUE SERÁ / EDUCAÇÃO / TÉCNICOS DA SECRETARIA NÃO SE ENTENDEM QUANTO A EXISTÊNCIA DE ESTATÍSTICAS SOBRE EVASÃO DA REDE PÚBLICA

WALLACE ARAÚJO / NJ

ALEXIS PEIXOTO

DO NOVO JORNAL

AQUI NA SECRETARIA TEMOS LEVANTAMENTOS DE ESTATÍSTICAS DOS ALUNOS DA REDE ESTADUAL DESDE 1964” Alzira Leal Chefe da Assessoria Técnica de Planejamento da Secretaria Estadual de Educação

20% em média foi a redução de matrículas na rede estadual de ensino nos últimos sete anos

OS MOTIVOS POR trás da alta taxa de evasão de alunos da rede estadual nos últimos sete anos continuam incertos. Funcionários da Secretaria Estadual de Educação e Cultura (SEEC), não chegam a um consenso sobre a existência de um levantamento que conteria as estatísticas referentes ao número de matrículas e repetências na rede a cada ano. Na manhã de terça-feira passada, durante um evento da SEEC no Hotel Praiamar, o secretário de Educação Otávio Tavares prometeu a reportagem do NOVO JORNAL que disponibilizaria no dia seguinte o estudo existente na secretaria, com todos os dados referentes à rede estadual nos últimos sete anos. Procurado novamente na manhã de ontem, o secretário orientou a reportagem a tratar do assunto com a chefe da Assessoria Técnica de Planejamento da pasta, Alzira Leal. Ela confirmou a existência do estudo, mas afirmou precisar de mais 24 horas para “organizar os dados”, uma vez que estaria envolvida durante todo o dia de ontem em um evento da secretaria e, portanto, não teria tempo de receber a reportagem. Alzira também questionou as declarações da coordenadora estadual do censo escolar, Gilva Gonçalves Costa, que declarou ao NOVO JORNAL que a SEEC não dispunha de estatísticas referentes ao número de alunos concluintes em cada ano e que o órgão não dispunha de um setor de pesquisas capaz de mapear o destino de jovens e crianças que deixam a escola. “Isso não é verdade. Aqui na secretaria nós temos levantamentos de estatísticas dos alunos da

▶ Escolas estaduais, como a Judith Bezerra de Melo, estão matriculando menos alunos desde 2003, conforme censo escolar realizado pela própria secretaria rede estadual desde 1964. E a Gilva sabe disso. Ou ela se enganou ou o repórter não entendeu bem o que ela disse”, afirmou Alzira, acrescentando: “Isso pegou muito mal aqui na secretaria”. Já o Conselho Estadual de Educação prefere usar o termo “migração” ao invés de “evasão” para dar conta do destino dos 85.535 alunos, cerca de quase 20% do total, que deixaram as escolas da rede estadual entre 2003 e 2009. Segundo a presidente do Conselho, Iris Brandão, os alunos ou foram transferidos para o município ou para a rede privada. “Grande parte dos alunos que deixam a rede estadual estão entre a faixa etária de 6 e 14 anos, ou seja: são do ensino fundamental,

que é de responsabilidade do município”, diz. “Isso sem falar que com greves, quadro incompleto de professores e a falta de estrutura nas escolas os pais procuram a rede privada, que oferecem mais segurança e qualidade de ensino. Sem falar no planejamento familiar que rediz a taxa de natalidade. Hoje, raramente alguém tem mais de dois filhos. Para mim, é a melhor explicação para essas estatísticas de evasão”, relata.

SUPLETIVOS

Para o presidente do Sindicato das Escolas Particulares, Alexandre Marinho, a diminuição na taxa de natalidade e o novo planejamento familiar podem influenciar na queda do número de matrícu-

las tanto na rede pública quanto na rede privada. Mas, segundo ele, o principal motivo do afastamento dos estudantes dos bancos da escola da rede pública não é a migração para a rede privada e sim a proliferação dos cursos supletivos que oferecem possibilidade de conclusão do ensino fundamental em apenas um mês. “Antigamente, se o aluno reprovava ficava ‘engalhado’ na mesma série por mais um ano. Hoje ele tem várias facilidades. Pode se matricular em um supletivo e em um mês concluir o ensino fundamental. Isso vem limpando o número de alunos, tanto nas escolas públicas quanto privadas”, aponta Marinho. O levantamento do censo escolar feito pela SEEC, publicado

pelo NOVO JORNAL na edição de domingo, aponta um déficit de quase 3% no número de matrículas nas escolas da rede privada. Alexandre Marinho usa a estatística para exemplificar os efeitos da proliferação dos cursinhos supletivos. “Não é questão de má qualidade do ensino na rede pública. O que acontece é que hoje em dia o aluno só reprova se quiser. O sistema mudou. Todos esses cursinhos são autorizados pelo MEC, é uma opção que eles têm”, aponta. “Não tenho dúvidas de que se fosse feito um levantamento levando em conta os alunos aprovados em supletivo, seriam identificados bem mais do que 85 mil alunos”, aposta.

/ CENTRO DA CIDADE /

Sem policiamento, quadrilha furta mais de 400 celulares de loja TIAGO LIMA / NJ

ANDERSON BARBOSA DO NOVO JORNAL

A OPORTUNIDADE FAZ

mesmo o ladrão. E o cenário na madrugada de ontem foi perfeito para que isso acontecesse. Com uma valorosa contribuição da Polícia Militar, vale aqui ressaltar, quatro indivíduos encapuzados e fortemente armados não tiveram com o que se preocupar e arrombaram, por volta de 1h40, uma loja da operadora Oi, vizinha ao Edifício Ducal, praticamente na esquina da Rua João Pessoa com a Avenida Rio Branco. Detalhe: atravessando a avenida, bem em frente da C&A, existe um posto de vigilância da PM. Só que, na hora do ocorrido, nenhum policial estava no trailer - que fica a menos de 50 metros do local do crime. Quando o relógio marca meia-noite, a ordem é deixar o posto desguarnecido. E o resultado da falta desse policiamento no local, combinado ainda com a ausência de viaturas patrulhando o Centro da cidade durante a madrugada, foi um prejuízo calculado em mais de R$ 60 mil para os proprietários. Ao todo, os bandidos levaram mais de 400 aparelhos telefônicos e diversos outros equipamentos, como notebooks, chips de celular, carregadores e pequenos assessórios. Tudo foi relatado em Boletim de Ocorrência registrado na Delegacia Especializada

em Furtos e Roubos (Defur). “Ainda bem que não havia nenhum funcionário na hora e o nosso prejuízo foi apenas material. Eu também não estava aqui, mas pelas imagens do nosso circuito interno vemos os assaltantes encapuzados e armados. Eles forçaram as vidraças com um pé de cabra e invadiram a loja. Então levaram o que puderam. Só que, antes de irem embora, ainda arrancaram todas as câmeras”, revelou Katiúcia Nascimento, gerente de vendas. Porém, como a rua estava deserta, uma vez que posto da PM estava fechado, coube ao vigilante do Ducal acionar a polícia. Carlos José ouviu o barulho e percebeu a movimentação. “Lembro que ainda olhei para o trailer da polícia, mas não havia ninguém de prontidão. Então liguei para o 190. E vi quando os bandidos saíram num Gol de cor cinza”, revelou, acrescentando que trabalha como segurança do prédio faz sete anos e que, ao longo de todo esse tempo, nunca viu o posto funcionar durante a madrugada. Uma outra testemunha, que pediu à reportagem para não ser identificada, contou que os bandidos também usaram um caminhão baú para carregar as mercadorias furtadas. Com a chegada da PM, diligências foram feitas pelos arredores da Cidade Alta e bairros vizinhos, mas não encontraram ninguém suspeito.

▶ Ladrões quebraram a vidraça com pé de cabra e invadiram a loja

CENTRO FICA SEM EFETIVO SUFICIENTE “Sentimos muito pelo assalto. Lamentamos o prejuízo da loja, mas não temos efetivo suficiente para uma escala de 24 horas no posto”, disse o major Silva Júnior, que há duas semanas assumiu o comando do 1º BPM, responsável pelo patrulhamento no Centro, Ribeira, Cidade Alta, Santos Reis, Tirol, Petrópolis, Mãe Luiza, Rocas, Areia Preta, Brasília Teimo-

sa, Lagoa Seca e Alecrim. Para garantir a segurança de todos esses bairros, a corporação conta com pouco mais de 214 homens, embora o próprio Comando da PM já tenha prometido aumentar o quantitativo de policiais nas ruas. A determinação, que é bom frisar, também partiu do governador Iberê ferreira de Souza. “Estamos recebendo mais

TIAGO LIMA / NJ

▶ Katiúcia Nascimento, gerente: “Antes de irem embora arrancaram as câmeras” policiais. Aos poucos alguns PMs, antes lotados em serviços administrativos, estão sendo agregados ao batalhão. Mas isso leva algum tempo”, justificou o major. Quanto ao posto só funcionar até meia-noite, o major Silva Júnior foi mais uma vez bastante claro. “Se tivéssemos mais homens, seria possível deixar o trailer aberto 24 horas. Enquanto isso não acontece, fazemos a troca dos dois policiais que ficam o dia inteiro no posto e mandamos outros dois PMs para a calçada da Central do Ci-

dadão, na mesma avenida”, explicou. No local, apenas uma viatura faz o patrulhamento da área. E só sai se for acionada. Agentes do Instituto Técnico-Científico de Polícia estiveram pela manhã na loja e periciaram o local do crime. Na loja eles encontraram o circuito de câmeras danificado, vidros pelo chão e muitas, muitas prateleiras vazias. As imagens que ficaram registradas em um computador que não foi levado, já foram entregues à delegada Sheila Freitas, titular da Defur, responsável pelas investigações.


▶ CIDADES ◀

NATAL, QUINTA-FEIRA, 13 DE MAIO DE 2010 / NOVO JORNAL /

VÃO-SE OS DEDOS... AS PERNAS

11

WALLACE ARAÚJO / NJ

/ SAÚDE / HOSPITAL WALFREDO GURGEL REALIZA QUASE 400 AMPUTAÇÕES POR ANO, PRINCIPALMENTE EM DIABÉTICOS WALLACE ARAÚJO / NJ

NOME DO AUTOR

DO NOVO JORNAL

A DONA DE

NÃO TENHO NADA DO QUE RECLAMAR DAQUI (HWG), TODOS OS MÉDICOS ATENDERAM MINHA MÃE MUITO BEM” Silvana Nogueira Filha da paciente

75% das 60 amputações realizadas no HWG todos os meses, em média, são causadas por necroses provocadas por diabetes

casa Dalila Gomes, 68, teve o segundo dedo do pé esquerdo amputado há 10 meses. O problema, segundo o médico que a tratou, foi a falta de circulação sanguínea provocado por doença vascular, problema agravado pelos malefícios do cigarro, já que Dalila fumava desde 9 anos de idade. “Perdi só um dedo mesmo, pelo menos o estrago não foi maior”, pensou logo depois da operação. Há uma semana, ela teve que amputar a perna direita até a altura da coxa. Portadora de uma diabetes que foi identificada há apenas duas semanas, Dalila perdeu um membro inteiro porque não houve acompanhamento médico desde a amputação do dedo. Atualmente, o Hospital Walfredo Gurgel, referência em cirurgias vasculares, realiza cerca de 60 cirurgias de amputação por mês. Desse total, mais de 75% são por conta de necroses provocadas por sintomas da diabetes. O número de amputações no estado em decorrência de doenças vasculares e diabetes passou por poucas variações nos últimos três anos, não aumenta de maneira significativa, mas também não diminui. Em 2007, foram 341 cirurgias de amputação. No ano seguinte, 372 e, em 2009, foram realizadas 360 operações. Atualmente, de 8% a 15% da população norte-riograndense é portadora de diabetes. Destes, cerca de 20% apresentarão lesões no pé durante algum período de vida. Para chegar ao extremo de perder um membro, o portador de diabetes acumula uma série de infortúnios. Começa com a descoberta da doença. Quando não há um controle sobre a taxa de glicose, os nervos começam a inflamar e passam a ficar “dormentes”, ou seja, não cumprem com a sua principal função, a de serem sentidos. Quando esses nervos “desligados” encontram-se em partes do corpo que sofreram arranhões ou cortes, esses não são percebidos e bactérias infectam facilmente o ferimento e aumentam mais ainda a inflamação nos nervos próximos à ferida. Em pouco tempo, as inflamações vão se espalhando ao redor da ferida, interrompendo a circulação do sangue na área. Caso não seja restaurada, o membro fica inutilizado e precisa ser extirpado, para evitar que as infecções continuem se alastrando. De acordo com o chefe de cirurgia vascular do HWG, Edson Barreto, o caso mais comum e pernicioso de área insensível é a planta do pé. “O doen-

“PÉ DORMENTE”

Como não há tratamento vascular na rede pública, costumeiramente, o paciente vai do “pé dormente” à amputação em curto espaço de tempo e até mesmo sem perceber. “Por isso quando chegam aqui no Walfredo já não tem mais jeito, tem que amputar”, diz Edson. Ele é consciente de que ninguém, nem médicos nem pacientes gostam sequer de cogitar a idéia de amputação. Para não chegar a tal, Edson explica que é possível tratar da doença de diferentes maneiras. A primeira, para os diabéticos, é manter o controle da taxa de glicose. Para quem possui doença vascular periférica, é possível fazer um exame que estuda a circulação sanguínea, chamado de arteriografia. “Isso deveria ser feito no momento em que o ponto dormente é identificado. O quadro pode ser reversível se a doença começa a ser tratar desse ponto”. E aí está o ponto de impasse: a equipe do HWG que atua na área vascular é insuficiente para realizar esses tratamentos e, infelizmente, esses profissionais não existem na rede municipal de saúde.

▶ Dalila Gomes: primeiro o dedo amputado, depois a perna direita: “Achei até melhor porque a dor sumiu”

O APOIO É MUITO POUCO” Deandreson Alves Presidente da ADHERN ARGEMIRO LIMA / NJ

WALLACE ARAÚJO / NJ

SOLUÇÃO ABORTADA Edson Barreto afirma que, desde 2005, um grupo de médicos pleiteou junto às Secretarias Municipal (SMS) e Estadual (Sesap) de Saúde a implantação do tratamento do “pé diabético” na rede municipal de saúde. Há alguns meses, conta, os três grupos estavam próximos da finalização de um acordo e efetiva implantação do projeto. Em cada uma das quatro maiores unidades de saúde do município seriam lotados um angiologista, um endocrinologista e um enfermeiro para oferecer especificamente acompanhamen-

te abre uma ferida lá, continua andando normalmente, a ferida vai abrindo. Já vi casos em que a ferida já estava com o osso do pé exposto e o paciente não sentiu nada”. No caso de Dalila, a amputação foi resultado de uma doença vascular periférica, mais a diabetes. A condição vascular provocou pequenas bolhas próximas ao calcanhar do pé direito. Ela passou três dias esperando que a manifestação simplesmente sumisse. “Quando procurei o médico, a perna já estava preta e as bolhas de um tamanho enorme. A dor era tanta que vi a morte várias vezes”. Por ser fumante há mais de cinquenta anos – as substâncias do cigarro desaceleram ainda mais a circulação sanguínea – a única solução foi amputar. “E achei até melhor. Depois que tirei a perna, a dor sumiu completamente”. Ela continuou a fumar depois da perda do dedo, mas diz que parou definitivamente depois da amputação da perna. Sua filha, Silvana Nogueira, afirmou que, em nenhuma das vezes que ela procurou o HWG com a mãe para tratar da doença, houve qualquer negligência por parte dos servidores do hospital. “Não tenho nada do que reclamar daqui, todos os médicos atenderam minha mãe muito bem”. Ela credita a solução trágica à falta de informação da população, tanto sobre a diabetes quanto às doenças vasculares.

▶ Edson Barreto: pleito para implantação do tratamento “pé diabético” to aos pacientes com “pé diabético”. Mas, com a demissão de Ana Tânia do cargo de titular da SMS, “tudo foi por água abaixo”. Edson conta de um breve período em que o HWG ofereceu esse tratamento. Ao longo de seis me-

ses, entre 2005 e 2006, a Sesap disponibilizou recursos para a criação do Programa de Revascularização. Durante esse período, o número de amputações caiu mais da metade no HWG. “Faltou recursos e eles desligaram o programa”, lamenta

Edson. Para ele, o que provoca esse alto número de amputações é apenas a falta de vontade política. Atualmente, uma equipe de oito pessoas está fazendo um minucioso levantamento dos dados da amputação no estado, como custos, reabilitação e tratamento. Esse estudo deve ficar pronto em agosto e será apresentado para a SMS e Sesap. “Vamos tentar mais uma vez fazer com que implantem um programa de tratamento vascular completo na rede pública de saúde”. Para Edson, até as pessoas que mais irão se beneficiar das melhorias no setor, como os membros da Associação de Diabéticos e Hipertensos do Rio Grande do Norte (ADHERN), não fazem a devida pressão.

ASSOCIAÇÃO DE DIABÉTICOS RECLAMA DA FALTA DE RECURSOS O presidente da ADHERN, Deandreson Alves, afirma que a associação “faz o que está dentro das suas possibilidades” para tentar chamar a atenção das autoridades. A ADHERN possui pouco mais de 2 mil membros ativos. “Mas os recursos são poucos. A gente consegue mobilizar algumas campanhas de esclarecimento da população, a realização de testes rápidos, mas o apoio é muito pouco”. Deandreson conta que, durante a gestão de Ana Tânia na SMS, ele procurou a secretaria por duas vezes, mas não obteve nenhuma resposta. “Dizem que a secretária é muito atenciosa, acho que o problema era na equipe dela, que não permitia o diálogo direto”, reclama. Já em relação à Sesap, a gestão do secretário George Antunes até escuta e chega a atender alguns pedidos da associação, “mas nunca é o que a gente espera”, lamenta Deandreson. A ADHERN está preparando uma série de pleitos em prol dos portadores da doença para levar ao deputado federal Rogério Marinho (PSDB). O principal deles é a construção de um Centro de Referência da Diabetes no estado. “Ele se mostrou sensível à nossa causa e disse que vai fazer o possível para ajudar. Resta esperar”, diz Deandreson. Quanto à implantação do tratamento do pé diabético e outras doenças vascula-

res na rede municipal de saúde, a atual secretária adjunta de Atenção Integral à Saúde da SMS, Ilza Ribas, afirma que as discussões serão retomadas em junho. “É assim em toda troca de secretários; é preciso tempo para quem assumiu o posto avaliar os projetos existentes”.

TRATAMENTO

Ilza garante que a oferta de tratamento de doenças vasculares será efetivamente implantada na rede municipal de saúde, ainda nos mesmos moldes do que foi discutido com a ex-secretária Ana Tânia. Ela ressalta a importância da parceria com a Sesap. “Eles são mais resolutivos e, desde o início do projeto que contribuem muito para que o mesmo dê certo”. Ilza garante que o estado e o município possuem profissionais capacitados na área, que serão relocados para os novos atendimentos, e que, além de tratamentos vasculares, a SMS e a Sesap já discutem também a implantação na rede municipal de tratamento da AIDS, do diagnóstico precoce do câncer infantil e da boca deformada. Esses últimos em parceria também com a Universidade Federal do Rio Grande do Norte. O titular da Sesap, George Antunes, foi procurado para falar sobre os projetos, mas, segundo a assessoria da secretaria, estava em Brasília, em reuniões no Ministério da Saúde.


Midway Mall 12

Editor Franklin Jorge

E-mail midway@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

/ NOVO JORNAL / NATAL, QUINTA-FEIRA, 13 DE MAIO DE 2010

FOTOS: WALLACE ARAÚJO / NJ

▶ Na hora da compra, vendedores aconselham que o cliente deixe bem claro que tipo de tecnologia deseja adquirir

PARA TODOS OS GOSTOS RAYANNE AZEVEDO DO NOVO JORNAL

FALTANDO POUCO MAIS de um mês

▶ Digitais ou de plasma?

para a Copa, as vendas de televisores vem inchando maciçamente e já superam as expectativas dos lojistas. Todo fanático por futebol quer aproveitar a oportunidade para adquirir tecnologia de ponta para assistir a um filme, noticiário ou novela das oito. A euforia do momento, somada às promoções e queimas de estoque, arrastam centenas de consumidores às lojas todos os dias. O problema é que muitos deles não sabem ao certo que produto adquirir. Na hora da compra, é sensato colocar um pouco o entusiasmo de lado e ponderar qual tecnologia atende melhor às necessidades do consumidor. Fatores como preço, consumo de energia, tecnologia empregada, qualidade de imagem e som, finalidade do aparelho, entrada USB, marca, garantia, tamanho, espaço e tempo útil de vida são apenas alguns pontos importantes que devem

ROTEIRO roteiro@novojornal.jor.br

CINEMA

ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS 3D – 10 anos. Cinemark: 13h50 – 16h20 (DUB) 18h50 – 21h20 (LEG).

ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS – 10 anos. Cinemark: 12h10 – 14h40 – 17h10 – 19h40 – 22h20 (DUB). Moviecom: 14h15 – 16h30 – 18h45 – 21h00 (DUB) 14h55 – 17h10 – 19h25 – 21h40 (LEG). ACONTECEU EM WOODSTOCK – 14 anos. Cinemark: 14h00 (LEG).

ser levados em consideração antes de se sentir tentado a abrir a carteira para o mais novo modelo do mercado. Conforme conta um dos vendedores do departamento de eletroeletrônicos do Extra, William Gomes, é muito comum que os clientes cheguem à loja interessados em adquirir uma TV LCD. A tecnologia de cristal líquido se popularizou nos últimos anos e conseguiu desbancar a favorita, a TV de plasma (usada para telas maiores, em oposição às de LCD, que geralmente eram pequenas), principalmente por funcionar melhor em ambientes mais iluminados, consumir relativamente menos energia e apresentar tela fosca, que não reflete. Hoje, elas são as campeãs de venda no supermercado. “Acontece que sempre que uma nova tecnologia surge, as outras costumam cair no esquecimento”, pondera. Entre amantes da tecnologia, o debate LCD x Plasma é acirrado e há divergências sobre qual seria o modelo mais vantajoso. Na opinião de William, a

A HORA DO PESADELO – 18 anos. Cinemark: 17h10 – 19h30 – 21h45 (LEG). Moviecom: 15h45 – 17h50 – 19h55 – 22h00 (LEG).

/ EM ALTA / PROXIMIDADE DA COPA OTIMIZA AS VENDAS DE APARELHOS DE TV

melhor é a LCD. “A imagem tem mais qualidade e o equipamento dura mais”, argumenta. A TV de plasma, exaltada por exibir imagens com alto brilho e contraste, acabou caindo na avaliação do consumidor médio por apresentar problemas de burn in – contornos marcados na tela causados pela longa exibição de imagens estáticas – e não poder ser bem visualizada quando exposta à luz. O problema do burn in, contudo, já foi amenizado em novos modelos, e amantes de games ou um bom filme no “escurinho” ainda podem ter na TV de plasma o suporte ideal. A vida útil do aparelho também foi prolongada. Outro ponto enfatizado por William – e reforçado à exaustão por outros vendedores – é de que a exibição da imagem em alta definição só é possível com um conversor (já embutidos nos modelos mais novos) e uma antena (necessária apenas no caso das emissoras de TV aberta). Também pouco adiantaria ter um equipamento de tecnologia de ponta se as emissoras não trans-

ACONTECE QUE SEMPRE QUE UMA NOVA TECNOLOGIA SURGE, AS OUTRAS COSTUMAM CAIR NO ESQUECIMENTO” William Gomes Vendedor

COMO TREINAR SEU DRAGÃO – Livre. Cinemark: 12h40 – 15h00 (DUB).

CHICO XAVIER – Livre. Cinemark: 16h40 – 19h20 – 22h00 (NAC). Moviecom: 14h10 – 16h35 – 19h00 – 21h25 (NAC). MISSÃO QUASE IMPOSSÍVEL – 10 anos. Cinemark: 12h05 – 14h15 – CAÇADOR DE RECOMPENSA – 14 16h30 (DUB). Moviecom: 15h30 – anos. Cinemark: 19h10 – 21h50 (LEG). 17h30 – 19h30 – 21h30 (DUB).

HOMEM DE FERRO 2 – 12 Anos. Cinemark: 12h00 – 14h50 – 17h40 – 20h30 (DUB). 13h00 – 15h40 – 18h30 – 21h30 (LEG). Moviecom: 13h55 – 16h20 – 18h45 – 21h10 (DUB). 14h30 – 16h55 – 19h20 – 21h45 (LEG).

mitissem em alta definição. “Só comprar a TV sem esses aparatos não vai garantir máximo aproveitamento do potencial do aparelho”, ressalta. É importante observar a distância mínima a ser mantida do aparelho no caso das TVs de LCD. No caso de uma 32”, o recomendado é manter uma distância de dois a três metros para melhor visualização da imagem. Outra tecnologia que tem se tornado especialmente valorizada pelos consumidores é a TV de LED – uma espécie de evolução da LCD, com o diferencial de ser muito mais fina (em média três centímetros) e estar em sintonia com a onda dos discos blu-ray, cuja qualidade de imagem e som supera o DVD. Todo esse refinamento, contudo, sai caro: uma 32 polegadas não sai por menos de R$ 3 mil, enquanto uma LCD do mesmo porte já pode ser encontrada por R$ 1.200. A TV de plasma é um pouco mais cara – algo em torno de R$ 1.400. Em se tratando de grandes televisores, o de plasma ainda sai em vantagem por poder ser encontrado em tamanhos maiores.

MÚSICA A noite do Taverna Pub terá o virtuosismo da banda The Blue Mountain. No repertório, clássicos de Muddy Waters, Buddy Guy, B. B. King e outras lendas do gênero. Início: 23h. A banda Uskaravelho segue com várias versões dos hits dos anos 80, a década de ouro do pop rock nacional. Quem abre a noite é a banda For Sale. O som começa às 21h no Sgt. Peppers Petrópolis. A cantora Camila Masiso estará no Sgt. Peppers de Ponta Negra com um repertório que vai do samba aos clássicos da bossa nova. O show começa às 21h.


Social

Edito Editor Franklin Jorge Frank

E-mail social@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

NATAL, QUINTA-FEIRA, 13 DE MAIO DE 2010 / NOVO JORNAL /

Marcos

Sadepaula

Eu poderia suportar, embora não sem dor, que morressem todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos” Vinicius de Moraes

sadepaula@novojornal.jor.br

Em ritmo de Copa Depois do anúncio de Dunga com os convocados para a Copa do Mundo na África, a Botton lança hoje às 19h a coleção B Brasil, a grife do hexa, junto com a reinauguração da loja no shopping Midway Mall. O evento terá Diogo Guanabara & Macaxeira Jazz em um pocket show, onde serão apresentadas músicas alusivas ao futebol, e que marcaram história em outras Copas do Mundo como “Que bonito é”, “Pra frente Brasil” (90 milhões em ação), entre outras. Jogadores de ABC e América confirmaram presença.  

Sorte O sorteio da promoção Você na Torcida do Natal Shopping surpreendeu o engenheiro aposentado que não botou muita fé que havia ganho e foi ao shopping com a mulher conferir a veracidade da notícia. Satisfeito, o casal contou que adora viajar e anota em um caderninho os países que já visitou e os que espera conhecer. Coincidentemente, no mês de junho, a dupla estava com viagem marcada com toda a família para Paris. Mas, devido ao prêmio, o jeito foi deixar a França para outra ocasião e viajar para o continente africano com outros 78 sortudos brasileiros e assistir ao jogo da seleção brasileira no evento que movimenta o país do futebol.

Dança de salão Luzes da ribalta

D’LUCA / NJ

▶ Adriana Cirne,,

13

O premiado iluminador potiguar Ronaldo Costa defendeu a sua dissertação de mestrado “Iluminação cênica e a construção do espetáculo: uma abordagem pedagógica”. Sua pesquisa foi aprovada com distinção e indicada para publicação. Parabéns, Ronaldo!

Maria do Carmo Helena Cirne e Grace Cavalcanti no chá do primeiro

encontro de rn, mulheres da Ada ões no Prima Recepç

A turma nem tão jovem agora tem uma nova opção para agradáveis encontros. Depois de um longo período desativado, o Grand Palace (Ed. Djalma Marinho, na Prudente com a Mossoró), totalmente repaginado, retoma programação noturna com música ao vivo e dancing, funcionando na segunda com a Noite do Uísque; terça, Noite do Cupido; quinta com boleros e canções e na sexta-feira, estilos variados, sempre a partir das 20h. Uma excelente opção para os saudosistas que gostam de um bate coxa. As reservas de mesas podem ser feitas pelos 3091-7552 e 9406-4142.

Forçando a barra O que foi aquele comercial com o Robinho, Neymar e o Ganso fazendo uma coreografiazinha xinfrim com uma música da Beyoncé? Parecia que tinha sido bolada por um coreógrafo da Dança dos Famosos do Faustão. Ainda bem que os dois não foram convocados, senão o patrocinador iria se empolgar e inventar uma novidade a cada semana, com grande possibilidade de usar o Rebolation como fundo musical em alguma delas.

D’LUCA / NJ D’LUCA / NJ

CEDIDA

r erra, o governado e Zeger, Sílvio Bez

te Invest ▶ Daniel Rosentahalpre, Ivon Souza na Nordes feita Micarla de Iberê Ferreira e de Convenções 2010, no Centro

la Rosito e a

D’LUCA / NJ

▶ O engenheiro

Marcino Dias de Oliveira Jr. e sua é esposa Maria Jos Quirino, rumo à África do Sul

fae ▶ A empresária Raftela da no lançamento arquiteta Olga Por Chic, no Guinza

D’LUCA / NJ

▶ Ana Silva e

Valéria Gurgel prestigiando o lançamento da les, revista da Versail Tirol em sua sede no

logo ano Marques, enó

▶ O pneumologistadeElm ustando carteirinha, deg

Dúvida Selvagem Érika Nési e Lu Toscano convidam para a festa de inauguração da Animale hoje a partir das 18h no Natal Shopping, quando será lançada a coleção outono/inverno 2010. A marca, criada em 1991, já participou seis vezes do SPFW e é destaque com suas coleções em editoriais de moda nas principais revistas do segmento do país.

e beatlemaníaco s panhia das Quinta os vinhos da Com

Almoço com a pré-candidata à presidência da República Marina Silva (PV), no Versailles do Tirol

▶ Miguel Weber entre o casal Leonora e Marcelo Alecrim

Com a recomendação do Ministro da Saúde que indica fazer sexo 5 vezes por semana para se manter saudável, fiquei com algumas dúvidas: - Os planos de saúde irão cobrir esse tipo de tratamento? - Posso abater gastos com motel, bordel e sex shop do meu imposto de renda? - Posso justificar faltas no trabalho com recibo de motel alegando que estava em tratamento? - Masturbação é automedicação? - Travesti é medicamento genérico? - Boneca inflável é placebo? Cartas para a coluna!!!

FOTOS: D'LUCA / NJ

▶ O discurso verde de Marina Silva

▶ Patricia Guedeville, Márcia Dantas,

Alexandra Oliveira e Christiane Potter

▶ Os jornalistas Dênia Cruz, Jorge Talmon e Patrícia Cordeiro

▶ Bel Alvi, do NOVO JORNAL, e Suzano Motta

▶ Segundo de Paula e Marcelo Rosado

▶ Sintonia da prefeita Micarla de Souza com Marina Silva


Cultura 14

Editor Franklin Jorge

E-mail cultura@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

/ NOVO JORNAL / NATAL, QUINTA-FEIRA, 13 DE MAIO DE 2010

FOTOS: SADEPAULA / NJ

O R I E U Q A V O D MUSEU O S S E C O R P EM / PROJETO / SEM APOIO OFICIAL, ENGENHEIRO AGRONÔMO INVESTE NA PRESERVAÇÃO DE UM ACERVO CULTURAL

▶ Pintura de Assis Marinho compõe cenário de museu encravado em plena zona rural do agreste potiguar

FRANKLIN JORGE

DO NOVO JORNAL

NASCIDO DE UM sonho, o Museu do Va-

queiro existe. Localizado em terreno da Fazenda Bomfim, no município de Nísia Floresta, faz parte de um complexo de lazer, idealizado pelo engenheiro agrônomo Marcos Fernandes Lopes, que inclui além do museu a Pousada O Coice da Mula, às margens da lagoa do Bomfim, casa de farinha, alambique e o Aeródromo Dr. Severino Lopes, administrado pelo Clube de Aviação Bomfim, cujo acervo está constituído por 10 aviões bimotores e ultraleves e um “hotel de transito”. O projeto do museu, voltado para o resgate da cultura sertaneja, está, no momento, parado, por falta de recursos. Porém já dispõe de um acervo em parte distribuído num galpão onde se realizada todos os meses, na lua cheia, um forró que preserva a chamada “cultura de raiz”, ainda imune à glamurização da indústria cultural. Do acervo do museu, acessível ao público, consta uma variada coleção de estribos, ferros da ribeira - usados para marcar o gado -, uma espécie de “carteira de identidade” dos animais, através dos quais se pode saber a quem pertence a rês. Segundo Marcos Lopes, que começou vendendo três tratores para financiar o projeto, seu interesse pela cultura sertaneja remonta à sua infância e adolescencia, quando costumava passar as férias e fins de semana na Fazenda Bomfim, pertencente ao seu pai, o médico e empresário Severino Lopes. “Papai insistia para que gostássemos daqui, porque segundo ele a terra era nossa e devíamos aprender

a cuidar dela”. Desse tempo ele lembra que o seu pai fazia os filhos cuidarem das hortas, antes de se entregarem aos divertimentos, como andar a cavalo e nadar na lagoa. Primeiro o trabalho, depois a diversão – era o lema do seu pai. “A principio eu vinha para cá somente para me divertir, mas o meu pai só permitia que a gente se divertisse depois de capinar e limpar as hortas. Papai insistia que viéssemos sempre que fosse possível, para nos divertirmos e trabalhar”, lembra, após o almoço no restaurante da pousada. Criado praticamente na zona rural, a certa altura, já depois de formado em agronomia pela antiga Escola Superior de Agronomia, de Mossoró, Marcos Lopes percebeu que a cultura rural que conhecera em menino estava desaparecendo e resolveu resgatar e preservar parte dessa memória. Uma das suas primeiras iniciativas, nesse sentido, foi produzir entrevistas com antigos vaqueiros, entre os quais Otacílio Pinto, que conheceu e depôs sobre Severino de Aracajú, famoso matador profissional que morreu na cadeia de Acari e inspirou ao dramaturgo Ariano Suassuna o personagem de mesmo nome que faz parte da peça e do filme O Auto da Compadecida. Nessa conversa, revelou-se que Ariano morou por algum tempo em Acari, após o assassinato do seu pai, o governador João Suassuna e lá teria conhecido o famigerado Severino de Aracajú, que cumpria pena na cadeia do municipio. Esses depoimentos foram transpostos para CD e DVD e podem ser ouvidos e vistos, constituindo uma base de referencia sobre uma temática praticamente esquecida.

▶ Ferros usados nas fazendas para marcar as rezes

▶ Marcos Lopes, um idealista em defesa da cultura sertaneja

PAPAI INSISTIA PARA QUE GOSTÁSSEMOS DAQUI, PORQUE SEGUNDO ELE A TERRA ERA NOSSA E DEVÍAMOS APRENDER A CUIDAR DELA” Marcos Lopes Empreendedor

Marcos Lopes informa que teve apoio do escritor Oswaldo Lamartine de Faria, que o orientou em suas pesquisas e lhe forneceu muitas dicas. Dácio Galvão é seu consultor e grande incentivador do empreendimento que se mantém, por enquanto, através dos recursos provenientes da pousada. Há algum tempo ele tentou obter o apoio das leis de incentivo à cultura, mas não conseguiu captar recursos. “Não tenho jeito para pedir”, confessa. Um grande empresário da área de combustível chegou a prometer-lhe apoio, mas tudo não passou de conversa fiada.

ACERVO

Ainda sem sede própria, o Museu do Vaqueiro funciona provisoriamente no local onde se realiza, todos os meses, o Forró da Lua. Lá, pode-se ver e apreciar parte do acervo que inclui fotos de vaqueiros e seleiros famosos, como Possidônio, de Serrinha; Antonio Saldanha Sobrinho, de Campo Grande; Chico Basílio, de Caraúbas, Mestre Almeida, de Macaiba. A sede do museu a ser construída reproduzirá a casa grande da Fazenda Poço Verde, construída em 1808 em Campo Grande pelo comandante Manuel Martins Veras, onde se encontra atualmente grande parte do acervo reunido por Marcos Lopes, incluindo todos os móveis que de época que ornamentam a vetusta construção. Localizada ao pé da Serra

de João do Vale, a fazenda chegou a ter cinqüenta vaqueiros, prova inequívoca da sua grandeza. As primeiras entrevistas gravadas e filmadas foram feitas de maneira precária. Apesar disto, o acervo contém preciosidades, informações únicas e irrecuperáveis, até porque a grande maioria dos entrevistados já faleceram, mas deixaram depoimentos que poderão ser consultados por futuras gerações de estudiosos. Dos objetos, destaca-se a coleção de selas e, em alguns casos, informações e fotografias dos seleiros, um tipo de artesão hoje raro. Também há um significativo conjunto de esporas, algumas, de tão trabalhadas, lembram peças de ourivesaria. A construção da sede do museu e sua instalação definitiva não tem, ainda, data para o inicio e termino, pois tudo está sendo feito com recursos próprios. O projeto é mantido com a receita da Pousada O Coice da Burra, constituída por cinco chalés e sete apartamentos bem cuidados. A comida, servida no restaurante, reproduz um cardápio rural tradicional.

SERVIÇO

▶ www.ocoicedaburra.com.br ▶ (84) 9937-1177


Esportes

Editor Marcos Bezerra

E-mail esportes@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

NATAL, QUINTA-FEIRA, 13 DE MAIO DE 2010 / NOVO JORNAL /

GARRA VAI AJUDAR

15

SERGIO PEREZ / REUTERS

/ SELEÇÃO / KAKÁ APROVA LISTA DE DUNGA COM POUCOS CAMPEÕES MUNDIAIS FOLHAPRESS KAKÁ, 28, RECONHECE

que hoje, a pouco mais de um mês da estreia do Brasil na Copa do Mundo, ainda não tem as condições físicas ideais. “Foi uma temporada difícil [no Real Madrid]. Tive muitos problemas físicos, e isso foi o que mais me atrapalhou. Não conseguiu atingir o nível para jogar uma boa liga espanhola e a Copa das Campeões. Mas, quando estiver em forma, vou voltar a jogar em alto nível”, disse o meiaatacante brasileiro durante evento de um de seus patrocinadores em Valencia, na Espanha. Questionado sobre a convocação feita por Dunga anteontem, Kaká primeiro brincou. “Aprovo, foi excelente, meu nome

estava lá”. Depois, sério, aprovou a lista do treinador. “Foi coerente. São jogadores, com exceção do Grafite, que estiveram com o Dunga desde o início. E ele sempre mostrou nas suas convocações”, falou Kaká, que também disse não estar incomodado com a pressão que vai receber durante o Mundial, quando não terá ao seu lado nomes tão famosos como ele, casos de Ronaldo, Ronaldinho e Adriano. “Terei muito mais responsabilidade, mas isso não é negativo. É uma motivação. Conquistei isso com a seleção. Agora tenho essa responsabilidade de ser um dos principais jogadores do time. Para mim é muito bom. Estou mais maduro e experiente do que em 2006 e 2002”, falou Kaká, que

RICARDO NOGUEIRA / FOLHAPRESS

QUANDO ESTIVER EM FORMA, VOU VOLTAR A JOGAR EM ALTO NÍVEL” Kaká Meia da Seleção Brasileira

ainda apontou outra vantagem do grupo convocado por Dunga. “Depois de 2006 começou um novo ciclo. Do time atual, poucos

jogadores tiveram o gosto de ganhar uma Copa do Mundo. E isso vai fazer a gente ter mais vontade de vencer na África do Sul”. ARTE AGORA / FOLHAPRESS

▶ Festa espanhola em Hamburgo: o uruguaio Forlán foi o heroi da conquista / LIGA EUROPA /

Atlético de Madri bate Fullham FOLHAPRESS APÓS UM EMPATE

de 1 a 1 no tempo normal, o Atlético de Madri superou o Fulham na prorrogação por 1 a 0 e conquistou o título da primeira edição da Liga Europa, ontem, em Hamburgo, na Alemanha. Os dois gols do time espanhol foram marcados pelo atacante uruguaio Forlán. A competição, que recebia o nome de Copa da Uefa até o ano passado, é a segunda mais importante entre clubes da Europa. Só perde em importância para a Copa dos Campeões. Na final, o volante brasileiro Paulo Assunção, 30, ex-Palmeiras, esteve em campo defendendo o time espanhol. O Atlético de Madri foi melhor em quase todo o primei-

ro tempo e abriu o placar com Forlán, aos 32min. Ele aproveitou um chute cruzado de Aguero e desviou para balançar as redes. Não demorou muito para o Fulham empatar. Aos 37mim, Davies acertou belo chute para fazer 1 a 1. No segundo tempo, o jogo foi mais equilibrado. A equipe espanhola pressionou mais no final, mas não conseguiu evitar a prorrogação. Na parte final do tempo extra, Forlán recebeu cruzamento por baixo e tocou. Mesmo sem força, o desvio do atacante uruguaio foi determinante para que a bola entrasse. A conquista de ontem é o principal título do Atlético de Madri desde 1996, quando o time venceu o Campeonato Espanhol e a Copa da Espanha.


16

▶ ESPORTES ◀

/ NOVO JORNAL / NATAL, QUINTA-FEIRA, 13 DE MAIO DE 2010

ATAQUE DE

DÚVIDAS

SACI / FGOMES.COM.BR

/ AMÉRICA / PRECISANDO DA VITÓRIA SOBRE O SÃO CAETANO, GILMAR ISER VOLTA A USAR DOIS HOMENS DE FRENTE FOTOS: ARGEMIRO LIMA / NJ

BRUNO ARAÚJO

DO NOVO JORNAL

▶ Rogério Gurgel: falta patrocínio

SE NA ESTREIA

contra o Bahia, o técnico Gilmar Iser não teve problemas para escalar o ataque americano, com o solitário Flávio comandando as ações ofensivas, para o jogo contra o São Caetano o treinador gaúcho anda queimando as pestanas tentando um companheiro de ataque para o ex-jogador da Cabense/PE. A grande dúvida de Iser está entre apostar no recém-chegado Eraldo, que veio do Itumbiara/GO, ou no centroavante Adriano Magrão, “sobrevivente” do elenco que disputou o Campeonato Estadual. “São dois grandes jogadores e que tenho certeza que vão ajudar bastante o América, mas ainda teremos o coletivo de amanhã [hoje] para definir a melhor equipe a colocar em campo”, afirmou o treinador. Dono de 10 gols no Campeonato Gaúcho pelo São Luiz/RS e com passagem recente pelo Itumbiara/GO, Eraldo aguarda ter sua primeira oportunidade já na partida do próximo sábado. “Estou trabalhando forte, aperfeiçoando a finalização e esperando uma oportunidade para fazer um bom trabalho aqui no América”, disse. Apesar de estar distante dos tempos de Fluminense, onde fez seu nome como artilheiro, Adriano Magrão acredita que pode retomar o caminho dos gols nesta Série B. “Esta competição é uma vitrine e quero mostrar meu bom futebol. Quero ser um vencedor e levar o América à Série A”, disse Magrão. Apesar da propaganda, é em campo que os jogadores deverão vender “seu peixe”. Visivelmente acima do peso e sem mobilidade, Eraldo tocou na bola em

/ CAICÓ /

CORINTIANS DEVE DESISTIR DA SÉRIE D AINDA ESTÁ INDEFINIDA

▶ Eraldo foi indicado pelo técnico do América, mas ainda está fora de forma poucas oportunidades durante o coletivo realizado ontem à tarde no CT alvirrubro. Já Magrão, apesar de maior movimentação em campo, também não conseguiu se destacar durante o treinamento. Assim, o técnico americano deverá ter trabalho para definir o companheiro de Flávio, para o ataque americano.

NEVES

A contratação dos “sonhos” para o setor ofensivo americano pode tomar outro destino. O retorno do meia-atacante Fábio Neves, que disputou até setembro do ano passado a Série B pelo América, parece ter fica-

▶ Adriano Magrão trabalha para segurar chance de voltar ao time principal

SÃO DOIS GRANDES JOGADORES E QUE TENHO CERTEZA QUE VÃO AJUDAR BASTANTE O AMÉRICA” Gilmar Iser Técnico do América

do ainda mais difícil. No Fluminense desde setembro de 2009, o jogador, que já havia acertado as bases salariais com o time alvirrubro, pode parar no Guarani/SP para dispu-

tar a Primeira Divisão. De acordo com o diretor de futebol do América, Ricardo Bezerra, a negociação com Fábio Neves teria vazado e provocado o interesse da equipe do interior paulista

pelo ex-atacante do time potiguar. “Ainda temos chance, mas são bem menores devido à força ‘financeira’ do time paulista”, lamentou o cartola alvirrubro. Mas se perde a contratação de Neves, o América pode anunciar a qualquer momento a chegada de Emerson, atleta que passou pelo Grêmio e disputou o Gauchão pelo Novo Hamburgo. O treinador teria recebido o aval da diretoria para negociar a vinda do atleta para a disputa da Segundona. Além de Grêmio e Novo Hamburgo, Emerson contabiliza passagens por Sport/PE e pelos time gaúchos do Juventude e Ulbra de Canoas.

/ COLUNISTAS /

/ MÔNACO /

Time de primeira na Copa

GRID VIRA LOTERIA COM LENTIDÃO DE NOVATAS

REPRODUÇÃO INTERNET

JOEL SILVA / FOLHA IMAGEM

FOLHAPRESS O TREINO DE

▶ Tostão: craque de 70 e das letras

▶ Paulo Vinícius Coelho, o PVC: coluna diária no NOVO JORNAL

DOIS DOS MAIS

ser implantadas nesta semana com a publicação da seção “Boleiros do NOVO JORNAL”, uma página inteira com análise bem humorada do nosso futebol feita por três jornalistas e por um publicitário. Os jornalistas Adriano de Sousa, poeta e criador do selo editorial Flor do Sal, Carlos Magno Araújo, diretor de Redação do NOVO JORNAL, o repórter especial Rafael Duarte e o publicitário e escritor Carlos Fialho, autor de vários livros e idealizador do selo “Novos Escribas”, pelo qual publica as revelações literárias do estado, vão escrever às quintas-feiras e aos domingos. E durante a copa, sempre depois das partidas do Brasil. Na estréia, quarta-feira, o grupo analisou a lista de convocados de Dunga. “A Copa do Mundo é um evento que mobiliza o país inteiro; As informações virão de várias fon-

importantes colunistas de futebol da atualidade vão escrever diariamente para o NOVO JORNAL durante a Copa do Mundo. O jornalista Paulo Vinícius Coelho, da Folha de S. Paulo e do canal fechado ESPN Brasil, e o ex-jogador Tostão, um dos destaques da memorável seleção brasileira campeã no México em 1970, hoje também colunista da Folha de S.Paulo, estrearão uma coluna na editoria de esportes do NOVO JORNAL a partir de 8 de junho, terça-feira. Vão analisar o torneio e principalmente a seleção brasileira A contratação das colunas de PVC e Tostão, com exclusividade para Natal, faz parte do pacote de novidades que o NOVO JORNAL está preparando para seus leitores durante o mundial de futebol da África, que começa dia 11 de junho. As novidades começaram a

tes, como televisão, rádio, internet, twitter; então é preciso pensar também em qualidade; é exatamente o que nós nos propomos a fazer: levar qualidade, opinião, análise, tudo, enfim, que possa diferenciar um veículo do outro”, avalia o diretor do NOVO JORNAL, Cassiano Arruda Câmara. Para o diretor de Redação, Carlos Magno Araújo, a opção por analistas como PVC e Tostão e por colaboradores como Adriano de Sousa e Carlos Fialho é uma aposta na qualidade. “Nós respeitamos muito o leitor: estamos certos de que estaremos oferecendo a ele mais qualidade na informação”, afirma. “Nós temos convicção que o bom texto é um diferencial importantíssimo no jornalismo que se pratica hoje, uma vez que a concorrência muitas vezes dilui a qualidade; nós acreditamos que o bom texto confere credibilidade a qualquer veículo”.

classificação do GP de Mônaco acontecerá somente no sábado. Mas ontem, no primeiro dia de atividades para a sexta etapa do Mundial de F-1, o assunto no paddock era um só: a loteria que será a definição do grid de largada. A preocupação não é com a chuva, mas com o ritmo muito inferior das equipes nanicas, o que certamente causará reclamações dos que lutam pelas primeiras colocações. Preocupados, os pilotos propuseram uma divisão entre os times, especialmente para o Q1 - a primeira parte do treino -, quando os 24 carros vão à pista. O problema é que, para haver uma alteração no formato da qualificação, todas as 12 equipes devem estar de acordo. E não houve um consenso. “Alguns chefes de times preferiram tentar tirar proveito do caos que vai ser, e por isso a ideia não foi para a frente’’, falou o alemão Michael Schumacher, piloto da Mercedes. Schumacher calculou que, se todos os pilotos forem à pista ao mesmo tempo, cada um terá cerca de 200 m - o traçado de Mônaco é o mais curto do calendário, com 3.340 m. Mais correto, Fernando Alonso previu 140 m disponíveis para cada competidor, caso todos estejam na pista.

Para ele, a classificação será um desafio. “Obviamente que, com carros andando cerca de cinco ou seis segundos mais lentos, vai ser impossível conseguir uma volta limpa’’, declarou o espanhol, que é companheiro de Felipe Massa na Ferrari.

BARRICHELLO

Piloto mais experiente do grid, Rubens Barrichello, da Williams, acha que o fundamental será contar com a sorte. “Não adianta ficar pensando muito na hora certa para sair dos boxes, porque aí é que vai dar errado’’, disse o brasileiro. “Claro que as equipes vão colocar alguém na entrada e na saída dos boxes para saber a hora exata de sair para marcar tempo. Mas acho que a tática das grandes vai ser ficar bastante tempo na pista para tentar encontrar um espaço para fazer a volta rápida’’, completou. Os pilotos dos times nanicos se defendem, dizendo que também para eles será complicado encarar a classificação. “Na Espanha, já foi bem difícil ver que vinha algum carro mais rápido atrás, imagino como vai ser neste circuito’’, falou Timo Glock, da Virgin. “Por sorte, nossa equipe está fazendo um bom trabalho ao avisar das bandeiras azuis [quando o retardatário tem de ceder passagem]’’, completou.

a situação do Corintians de Caicó na série D do brasileirão. O clube tem que confirmar se vai participar do Campeonato Brasileiro da série D até amanhã (14), porém, ainda não sabe se terá condições de manter a equipe numa competição reconhecidamente deficitária. O presidente Rogério Gurgel disse que irá se reunir com a cúpula do clube e com o deputado Álvaro Dias para buscar uma solução para o caso. A reunião acontecerá amanhã e ainda não tem horário definido. O clube só emitirá um parecer para a Federação Norte-riograndense de Futebol (FNF) às 17 horas, prazo limite para a definição. O Corintians contava com os patrocínios do grupo AleSat, da Prefeitura de Caicó e da Livraria Câmara Cascudo, mas eles valiam apenas até o fim do Campeonato Estadual deste ano. Pior para o time que nenhuma empresa se interessou pela manutenção dos contratos de patrocínio na disputa do Campeonato Brasileiro. Diante deste quadro de absoluta incerteza o presidente Rogério Gurgel admitiu queo clube, por enquanto, tem outras prioridades. “A preparação que está sendo feita na equipe é com o time sub-20 e visa o campeonato estadual de 2011. Além disso, o clube se prepara para uma turnê no Canadá e Estados Unidos com jogadores jovens de até 23 anos” relatou o presidente. A partir de julho começará a seleção dos vinte atletas e no dia 2 de agosto a equipe embarca para a América do Norte. “Estamos sendo procurados por jogadores de outros clubes, inclusive de outros estados que querem viajar com a nossa equipe” revelou Rogério. Já o vice-presidente, Raimundo Lobão, disse que a prioridade do Corintians é o campeonato estadual sub-20. O clube quer brigar pelo título para garantir vaga na Copa São Paulo de Juniors e preparar a base do Estadual e Copa do Brasil em 2011.

2ª SUPLÊNCIA

Enquanto a equipe seridoense não define se vai ou não disputar a série D em 2010, cresce a expectativa de quem será o representante potiguar na competição. A provável desistência do Galo beneficiaria o Santa Cruz, primeiro clube na suplência. Neste caso a equipe do agreste terá até o dia 21 para dar um parecer - o segundo suplente é o Potiguar de Mossoró e o prazo para definição sobre a participação vai até o dia 28 de maio. Em 2009 o Alecrim foi beneficiado com a desistência de outros clubes a apareceu como único interessado em disputar o Brasileirão da série D - o clube tinha ficado apenas na 6ª suplência. A coragem do alviverde acabou se tornando positiva para o time da capital potiguar, que conseguiu a classificação para a série C deste ano.

13-05-2010  

Sem medo de ter opinião

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you