Page 11

▶ CIDADES ◀

NATAL, QUINTA-FEIRA, 26 DE AGOSTO DE 2010 / NOVO JORNAL /

/ GESTÃO /

SEM SALÁRIO HÁ QUASE SEIS MESES

PREFEITURA NEGOCIA PLANOS COM SERVIDORES CEDIDA

A PREFEITURA RESOLVEU

/ LUTA / POLICIAIS CIVIS E MILITARES PROMETEM PROTESTAR CASO O GOVERNO NÃO REGULARIZE A FOLHA DE PAGAMENTO ATÉ O FIM DO MÊS; DÍVIDA CHEGA A R$ 5,1 MILHÕES TIAGO LIMA / NJ

TIAGO LIMA / NJ

NO PRÓXIMO DIA

30, dia de pagamento do funcionalismo público estadual, completará dois meses que 517 policiais civis, recém concursados, não recebem salário. Também no final de agosto completa seis meses que 237 soldados da Polícia Militar não recebem seus vencimentos. Segundo as entidades que representam as duas categorias, o valor da dívida do Governo do Estado com o atraso no pagamento dos salários supera R$ 5,1 milhões. Para Djair Oliveira, vice-presidente do Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública do Rio Grande do Norte (Sinpol/RN), o Estatuto da categoria rege em seu artigo 46 da Lei 270 que, neste período inicial de incorporação (o equivalente a 90 dias de treinamento), o Estado é obrigado a remunerar os concursados com metade do valor integral do contracheque. “Isso significa dizer que, somando o soldo dos 90 delegados (50% de R$ 9.200), 137 escrivães (50% de R$ 2.500) e 290 agentes (50% de R$ 2.500) que estão sem receber desde o último dia 30 de junho, quando foram iniciados os cursos, a dívida a se acumular até o dia do próximo vencimento será superior a R$ 3,9 milhões”, explicou. Já em relação à Polícia Militar, os números foram repassados pelo cabo Jeoás Santos, presidente da Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar (ACS/PMRN). “Vejamos: se os 237 soldados recebessem hoje o que o governo deve, a dívida seria de apenas R$ 778.545”, frisou. Neste caso, vale

▶ Djair Oliveira, do Sinpol: “Tem que ser no peito e garra” ressaltar que nos primeiros cinco meses de trabalho, os PMs também têm direito a receber uma bolsa-estudo. O valor é de R$ 657 para cada soldado. “No entanto, já no sexto mês, o contracheque de cada PM iniciante passa para R$ 1.818”, recalculou Jeoás. Desta feita, o débito para com os policiais, somando este último valor com a quantia acumulada nos cinco meses anteriores, a dívida total salta para R$ 1.209.411. “Porém, aí é que vem o grande ‘X’ da questão. O Estado homologou a promoção de mais de 800 praças e mais de 300 oficiais. Tudo já foi homologado e publicado em Diário Oficial. Só falta pagar o salário compatível com cada nova patente. Aí, pegue real”, concluiu o presidente da Associação. Caso o Governo do Estado não cumpra com a pro-

▶ Jeoás Santos, da ACS/PM: “Vamos todos juntos”

messa de regularizar a folha de pagamento de todos os servidores da segurança pública até o final do mês, quando a próxima folha de pagamento será liberada, as duas categorias policiais prometem um manifesto diferente. “Vamos atrapalhar a vida do governador e candidato a reeleição Iberê Ferreira de Souza”, ameaçou Djair Oliveira. Ainda de acordo com o vicepresidente do Sinpol, esta é a única forma que o governo conhece para ouvir os anseios dos policiais civis e aceita para negociar. “Tem que ser assim, no peito e na garra. Vamos acompanhá-lo de porta em porta, de bairro em bairro, e de cidade em cidade se for preciso. Mas vamos conseguir receber o que nos é de direito”, reafirmou Djair, acrescentando que já na próxima segunda-feira, exatamente no dia 30, haverá uma plenária para decidir quando sair às

11

ruas para reivindicar. A ideia de pressionar o governador Iberê e também de se juntar a este tipo de manifesto é compartilhada pela Associação dos Cabos e Soldados da PM. “Vamos todos juntos. A PM se unirá e também vai acompanhar o candidato Iberê. Difícil vai ser ele pedir votos com centenas de vozes em seu ouvido pedindo para ele pagar os salários atrasados”, enfatizou o cabo Jeoás.

“IRÃO RECEBER”

Por telefone, o secretário estadual de Administração e dos Recursos Humanos Paulo César Medeiros tratou de acalmar os ânimos e garantiu que a folha de pagamento de agosto já está pronta. “Eu já disse isto milhões de vezes à imprensa. Só não sei por que vocês não acreditam. Todos irão receber”, afirmou.

informar aos servidores, secretaria por secretaria, como será o Plano Geral de Cargos, Carreira e Vencimentos (Geral) e o Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos da Saúde, que estão sendo negociados com a Câmara de Natal e viraram alvo de protestos dos sindicalistas. Ontem, mais de 500 agentes de saúde conheceram o plano, aprovaram e deliberaram, por unanimidade, pelo apoio irrestrito ao projeto apresentado pelo município. Os 500 agentes de saúde são integrantes do Sindicato dos Agentes de Saúde do Rio Grande do Norte (Sindas) e participaram de reunião no Praia Mar Hotel de Ponta Negra, onde receberam esclarecimentos e puderam tirar suas dúvidas sobre o PCCV. Secretário executivo do gabinete da prefeita Micarla de Sousa, Sylvio Eugênio Medeiros participou, a convite do Sindas, do encontro com os agentes, debatendo com eles os principais pontos do plano. “A idéia é fazer um plano em parceria com os servidores do município. Por isso estamos à disposição para prestar os esclarecimentos necessários”, informou Sylvio Eugênio. Entre as principais dúvidas que surgiram durante a reunião, ele informou que são questões relativas à implantação do plano, benefícios, gratificações, adicionais, enquadramento, aposentadoria. Sylvio explicou uma das principais dúvidas dos servidores, pois muitos confundem o PCCV - Geral, como se fosse uma negociação salarial. “O plano vai mais além que isso, pois estipula os critérios de promoção e progressão dos servidores”, informou Sylvio Eugênio, que também está mantendo reuniões de esclarecimentos com representantes do Sindicato dos Servidores da Saúde (Sindsaúde) e Sindicato dos

▶ Encontro com agentes de saúde

serviu para tirar dúvidas sobre plano

Médicos (Sinmed). “A implantação acontecerá de forma gradativa e depois de totalizado o enquadramento, todas as progressões ocorrerão por avaliação de desempenho. Aos servidores enquadrados será garantido valor atual de seus vencimentos”, concluiu. O presidente do Sindas, José Salustino, informou que, ao final do encontro, foi feita uma votação e aprovado em unanimidade o plano. Os agentes tinham entre suas dúvidas questões relativas ao enquadramento. Segundo ele, a reunião foi bastante proveitosa. “Convidados um representante da Prefeitura do Natal para tirar nossas dúvidas sobre o PCCV e ao final nos sentimos bastante satisfeitos e esclarecidos sobre o plano que nos contempla”, disse Salustino, reforçando a aprovação do Plano pela categoria. Funcionário da Prefeitura e secretário geral do Sindas, Cosmo Mariz também elogiou o Plano apresentado: “O que mais me chamou atenção positivamente é a estabilidade que nos será assegurada. E a perspectiva de um futuro melhor na profissão”, destacou o servidor.

/ NOTIFICAÇÃO / / RESGATE /

Sem-teto terão dez dias para deixar prédio da RFFSA

MARINHA CONTINUA A BUSCA AOS NÁUFRAGOS A MARINHA CONTINUA AUGUSTO RATIS / NJ

À NOITE, O

movimento no antigo prédio da Rede Ferroviária Federal S/A, na Ribeira, fica tranqüilo. Se uma pessoa que não acompanha o noticiário passa pelo lugar depois das 19h, não desconfia que mais de 70 famílias estejam abrigadas dentro do galpão, em instalações precárias, tentando pressionar as autoridades por moradia digna. Já foram erguidos 32 barracos no interior do galpão e o número cresce diariamente, à medida que outros sem-teto se juntam aos que estão lá, embora o grupo já tenha recebido notificação da Polícia Federal que pede a desocupação do lugar dentro de dez dias. Dentro de alguns barracos mais organizados, é possível encontrar peças de roupas, colchonetes, lençóis. Em outros, os objetos no interior se resumem a alguns sacos plásticos e restos da construção dos barracos. Segundo os moradores, grande parte do material usado para erguer os barracos foi retirado de outro imóvel abandonado das proximidades: a antiga sede da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb). O galpão também possui um quintal de mato denso, que está sendo derrubado gradativamente para servir de terreno aos novos barracos que vão chegando. O vão do meio é onde fica o maior número de barracos e onde estão concentradas as áreas de uso comum, como a cozinha, com dois fornos a lenha e um amontoado de vasilhas e panelas, a sala

▶ Durante a noite, a única iluminação no prédio da RFFSA vem dos fornos que funcionam na cozinha improvisada de visitas, com algumas cadeiras de plástico, e a saída para o “banheiro”, que fica ao lado do quintal do vizinho, que ajuda os ocupantes do galpão com o fornecimento de água. À noite, a única iluminação vem dos fornos da cozinha, de alguns poucos celulares com lanterna e da lua, já que o local é des coberto. Quando chegaram, na madrugada do último dia 22, os moradores buscaram abrigo nos poucos barracos que já estavam montados e embaixo das vigas de sustentação do galpão para se protegeram da chuva forte que caia nessa noite. No dia seguinte, deram início a uma limpeza que retirou “uma montanha de lixo” e “muito mato” do espaço do galpão. Segundo Fernanda Maria, 20, a presença deles no galpão também afastou

os “marginais” que usavam o local para consumir drogas. Um deles incomodou a todos na madrugada da segunda-feira. Agora, os homens do galpão se revezam em vigília ao longo da madrugada. Ao contrário do que tem sido divulgado, nem todos os ocupantes são sem-tetos. A maioria veio dos bairros da Zona Norte e há mais de um mês planejou a ocupação de áreas abandonadas de Natal para chamar a atenção do poder público, forçando-os a tomarem uma atitude para amenizar o problema da falta de moradias para a parcela mais pobre da população local. Cada um pagou R$ 5 para custear os gastos com ônibus e motorista. Segundo apurou a reportagem, a maioria dos ocupantes abandonou as casas em que mo-

ravam pagando aluguel e decidiu viver ao relento na esperança de conseguir uma casa própria. Até agora, os invasores do galpão não foram contatos por nenhum gestor público. Só por agentes da Polícia Federal. Segundo a superintendente do Patrimônio da União do RN, Ieda Cunha, os invasores do prédio da RFFSA já foram notificados e têm 10 dias para deixar o imóvel. “Agora, só resta a União esperar esse período e analisar eventuais propostas de acordo”, explicou. Caso as famílias permaneçam no local após o término do prazo, uma ordem judicial será emitida para a retirada delas. Dessa forma,de acordo ainda com Ieda, o caso ficará a cargo da Justiça, que vai analisar as discordâncias entre as partes que compõem o processo judicial.

nas buscas pela embarcação “Pirata da Vovó”, que está desaparecida desde a semana passada. Os pescadores Ivanaldo Paulo da Silva, 36, e Francisco Laércio de Assis Júnior, 17, partiram da praia de Muriu, litoral Norte do estado, na última quarta-feira, a bordo de uma jangada de 4,5m de comprimento, para praticar atividades de pesca em alto mar (aproximadamente 30 km de distância da costa) e não voltaram para casa. A busca está sendo realizada pelo Navio-Patrulha Graúna, do 3° Distrito Naval, e desde o início da semana, recebe a ajuda de uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB), enviada pelo Salvaero (Serviço de Busca e Salvamento Aéreo) de Recife. O Navio-Patrulha já percorreu aproximadamente 200 km e atualmente realiza buscas na área compreendida entre a Risca do Zumbi e o Cabo Calcanhar. “Nós estamos aumentando a área de buscas a cada dia. E só vamos parar quando percebemos que já cobrimos toda a área possível onde a jangada possa estar”, explica o comandante Cleber Ribeiro da Silva, do 3° Distrito Naval. A patrulha tem mantido contato, via rádio, com as embarcações pesqueiras e navios mercantes que passam pela região, alertando para o evento de busca e salvamento. Além disso, a Capitania dos Portos do Rio Grande do Norte está com uma equipe de Inspe-

ção Naval percorrendo as praias do litoral, num itinerário que abrange a Redinha, Santa Rita, Genipabu, Barra do Rio, Jacumã, Pitangui, Muriu, Maxaranguape, Caraúbas, Maracajaú, Pititinga, Zumbi, Rio do Fogo, Carnaubimha, Touros, Cajueiro, São Miguel do Gostoso e Caiçara. Essa equipe passa pelas colônias de pescadores colhendo informações e procura saber se os pescadores já retornaram a algum ponto do litoral. “Para o Salvamar, não interessa se é uma pessoa, duas ou dez. Nossa satisfação é resgatar, é trazer a pessoa de volta ao ceio familiar e ver a emoção da família ao reencontrar aquele que estava perdido. E é isso que nós vamos fazer”, garante o comandante Cleber Ribeiro.

SALVAMAR

O Salvamar Nordeste (sigla para Serviço de Busca e Salvamento Marítimo do Nordeste) é o órgão da Marinha do Brasil, sediado em Natal, responsável por coordenar a salvaguarda da vida humana no mar próximo à costa da Região Nordeste. Este serviço abrange uma área que vai de Alagoas ao Ceará e inclui a faixa marítima entre a costa nordestina e o continente africano. Até agora, não foi reportado, pela aeronave da FAB ou por qualquer embarcação, qualquer notícia sobre os tripulantes ou sobre a jangada desaparecida. A marinha informou que as buscas não têm data para terminar.

26-08-2010  

26-08-2010

26-08-2010  

26-08-2010

Advertisement