Page 1

www.novojornal.jor.br

R$ 1,50

Ano 1 / N°151 / Natal, SÁBADO, 15 de maio de 2010 04

RODA VIVA

GOVERNO DO ESTADO FAZ RECADASTRAMENTO PARA REDUZIR SUA CONTA TELEFÔNICA EM 30%

ZÉ VANILDO CONVOCADO PARA A COPA 16

ESPORTES

/ AGORA VAI / APÓS DENUNCIAR NO NOVO JORNAL A AUSÊNCIA DE REPRESENTANTES DO SEGMENTO ESPORTIVO NOS DEBATES DA COPA DE 2014, PRESIDENTE DA FEDERAÇÃO DE FUTEBOL DO RN JOSÉ VANILDO É CHAMADO POR SECRETÁRIO PARA INTEGRAR COMITÊ GESTOR

WALLACE ARAÚJO / NJ

03

POLÍTICA

08

ECONOMIA

MINISTÉRIO PÚBLICO DECIDE ABRIR CAIXA-PRETA DO MEIOS

MAIS UMA DATA PROVÁVEL PARA EDITAL DO NOVO AEROPORTO

O Ministério Público instaurou ontem mais um inquérito civil para apurar as suspeitas de irregularidades na prestação de contas do Meios. Desde 2005 a entidade ligada ao governo vem sofrendo investigação. Os promotores analisam os sucessivos aumento nos repasses financeiros e até o aluguel de carros.

O secretário de Planejamento Nelson Tavares reuniu a imprensa ontem para anunciar uma nova data, dia 25 deste mês, para apresentação do edital de licitação que escolherá a empresa responsável pelas obras do aeroporto de São Gonçalo. A licitação mesmo só deve sair em julho e as obras, em dezembro.

MAGNUS NASCIMENTO / NJ

MAGNUS NASCIMENTO / NJ

09

10

CIDADES

CIDADES

11

CIDADES

ESQUECERAM DO PRESO

O BOM NEGÓCIO DAS FORMATURAS

Diretor de presídio em Mossoró esquece de assinar remoção e, apesar de tudo pronto em Natal, julgamento do homem acusado de matar Vicente Veras é suspenso.

Em Natal, ao menos 47 empresas de cerimoniais disputam um mercado que não para de crescer: o das festas de formatura, e não apenas dos universitários.

IVAN CABRAL

WWW.IVANCABRAL.COM

07

GERAL

REPÓRTER FAZ TESTE DA VACINA

GAFE DE LULA INCOMODA RUSSO

Repórter do NOVO JORNAL, Marcelo Lima foi tomar a vacina contra gripe suína - teve de esperar meia hora.

Presidente Medvedev perdeu a paciência e interrompeu entrevista conjunta com brasileiro.

15

ESPORTES

02

ÚLTIMAS

AMÉRICA ESTREIA EM CASA HOJE

POLÍCIA FAZ BLITZ NA ZONA NORTE

Com alteração na zaga e Adriano Magrão barrado, o América tenta vencer o São Caetano pela Série B.

A Polícia Militar utilizou 200 homens e montou cinco barreiras numa operação realizada ontem à noite.


Últimas 2

Editor Marcos Bezerra

E-mail pauta@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

/ NOVO JORNAL / NATAL, SÁBADO, 15 DE MAIO DE 2010

ESTRELA DOURADA NA ZONA NORTE

/ BLITZ / POLÍCIA MONTA CINCO BARREIRAS FIXAS E PATRULHAS ITINERANTES DISTRIBUÍDAS NOS BAIRROS DA REGIÃO; DOIS RAPAZES, SUSPEITOS DE ASSALTO, FORAM PRESOS FOTOS: AUGUSTO RATIS / NJ

ALESSANDRO BUZAS / FOLHAPRESS

▶ A procuradora aposentada foi encaminhada para exame de corpo de delito

ANDERSON BARBOSA DO NOVO JORNAL

/ CRIANÇA-RIO /

A POLÍCIA MILITAR voltou às ruas on-

tem com mais uma mega-operação de combate à criminalidade. Batizada de ‘Estrela Dourada’, a ação contou desta vez com 200 homens fortemente armados. Dezenas de motocicletas, viaturas, cavalos e até cães farejadores participaram, distribuídos em cinco barreiras fixas de abordagem e patrulhamentos itinerantes pelos diversos bairros da Zona Norte da cidade. A operação foi iniciada às 19h e terminou por volta das 23h. Até o fechamento desta edição, dois jovens haviam sido presos em flagrante, com uma moto e um revólver calibre 38 apreendidos. As prisões aconteceram em Igapó, no loteamento Castelo Branco, quando os policiais abordaram Francisco Erlandeson Sotero, de 18 anos, e Francisco Eder Oliveira Araújo, de 23. Eles estavam armados com um revólver, mas não reagiram. Segundo o coronel Raimundo Aribaldo, comandante do 4º BPM, a dupla é suspeita de ter assaltado a farmácia Pague Menos, na Avenida Prudente de Morais. O crime aconteceu por volta das 2h15 da quintafeira passada, quando os atendentes foram rendidos e tiveram de entregar a quantia de R$ 136 aos bandidos. “Nosso trabalho será constante. Nossa missão, de agora em

Famílias vão a abrigo para adotar menina agredida FOLHAPRESS O ABRIGO NA

zona sul do Rio onde está a menina T., que teria sido torturada pela procuradora aposentada Vera Lúcia Gomes, vem sendo procurado por famílias que demonstram interesse em adotar a criança. T., no entanto, continua muito abalada. Ela estava sob a guarda de Gomes, que pretendia adotá-la. Ainda em tratamento psicológico e sob cuidados médicos, a menina não pode receber visitas. “Temos que fazer tudo com

▶ Numa das barreiras montadas durante a operação, policiais revistam populares diante, é fazer esse tipo de trabalho ostensivo, porém preventivo, em todas as regiões de Natal e Grande Natal”, explicou o coronel Alarico Azevedo, subcomandante do Policiamento da Região Metropolitana. As barreiras de fiscalização foram montadas nas avenidas João Medeiros Filho (em frente à Delegacia de Plantão da Zona Norte) e Boa Sorte (no cruzamento da Avenida das Fronteiras, pontes Newton Navarro e de Igapó, além da RN que dá acesso ao município de São Gonçalo do Amarante.

muita paciência, no tempo da menina. O que ela precisa agora é de carinho. Vamos aguardar até que ela demonstre que está bem’’, disse à reportagem a juíza Katerine Jatahy Kitsos, da Vara da Infância, da Juventude e do Idoso. Kitsos afirmou que o caso de T. é considerado o mais grave que o Juizado da Infância já registrou na cidade. “Essa situação é absolutamente isolada, totalmente fora da regra. Nós acompanhamos todas as adoções e nunca houve nada parecido’’, disse.

/ ELEIÇÕES /

PTB VAI APOIAR CHAPA DE SERRA, DIZ JEFFERSON ▶ Concentração dos policiais antes da operação: localização sigilosa

FOLHAPRESS

ROOSEWELT PINHEIRO / ABR

O PTB DECIDIU

/ MANAUS /

Piloto de avião escapou de outros cinco acidentes FOLHAPRESS ELE NASCEU NOS

ares, virou piloto profissional, escapou de cinco acidentes de avião e morreu anteontem no bimotor Seneca que caiu em Manaus. Para a filha, a habilidade do pai também deve ter evitado uma tragédia maior, pois a aeronave caiu ao lado de um colégio e a poucos metros de um conjunto de casas. O homem em questão chamava-se Miguel Vaspeano Lepeco - nome dado justamente porque nasceu a bordo de um avião da Vasp, em 1957. “Ele não caiu sobre as casas, sabia que a tragédia seria maior’’, diz a filha, Andréa Lepeco, 32. Apesar do esforço do piloto,

outras cinco pessoas morreram na queda do Seneca - incluindo a secretária estadual da Educação do Amazonas, Cínthia Régia Gomes do Livramento. Segundo Andréa, em 34 anos de profissão, o paranaense de Maringá sofreu cinco acidentes no ar, sem registro de mortes, graças à destreza adquirida em voar para garimpos na serra Pelada, na Amazônia. Num dos casos, o comandante Vaspeano, como era conhecido nos hangares, salvou sete pessoas: a mulher, grávida, dois filhos e mais quatro parentes. Era o ano de 1987. A filha do piloto diz que o voo seguia de Goiânia para Itaituba (PA), onde a família morava nos anos 80. O avião sofreu uma pane na região

de Maués (AM) - a mesma cidade que seria o destino da viagem de ontem - e perdeu contato com a torre em plena selva amazônica. A mulher do piloto, Meire de Lima Lepeco, 50, estava grávida do filho mais novo, Miguel Vaspeano Lepeco Júnior, hoje com 22. “Ele avisou pra nós que só tinha oito minutos de combustível. A gente olhava para baixo e só via água e mato. As pessoas começaram a chorar porque não sabiam nadar.’’ Ele não podia pousar sobre as árvores. “Mas parece que Deus olhou e apareceu um beira de praia. Aí ele conseguiu pousar.’’ Naquele avião, diz ela, estavam as paixões do pai: a aviação e a família. “Ele também tinha orgulho porque foi a primeira criança a

nascer dentro de um avião em pleno ar, no mundo.’’ O fato ocorreu porque, orientada pelos médicos, em 10 de junho de 1957, a mãe do piloto, Maria Alícia Ribeiro Lepeco, voou de Maringá para Curitiba para fazer o parto em um hospital com mais recursos. Segundo Andréa, o parto era de risco, mas, antes de pousar, a criança acabou nascendo durante o voo da Vasp. “O parto foi realizado por um comissário. O nome Vaspeano foi sugerido pelo comandante do avião, Eleude Ziokovisk, que virou padrinho dele’’, disse. Com o nascimento no avião da Vasp, Vaspeano ganhou passagens aéreas até o fim da empresa, que faliu em 2008.

apoiar a candidatura de José Serra (PSDB) à sucessão presidencial, disse o presidente do partido, Roberto Jefferson. Ele disse que a convenção de junho vai ratificar a decisão, que dará ao tucano mais 53 segundos de tempo na TV. Mas, para não rachar o partido, Jefferson decidiu que irá liberar os Estados que quiserem apoiar outra candidatura: “É fundamental construir a aliança sem arrebentar o partido”. Segundo ele, o PTB não apoia Serra no Piauí, Alagoas, Distrito Federal e Pernambuco. Em Alagoas, o candidato ao governo do PTB é o senador Fernando Collor, que apoia Dilma. O líder do PTB na Câmara, deputado Jovair Arantes (GO), pró-Dilma, disse que a decisão será tomada só no dia 18, mas que tudo será feito den-

EXPLOSÃO EM FÁBRICA DE ARMAS MATA DOIS FOLHAPRESS

ANP DIZ QUE RESERVA DE FRANCO É A 2ª MAIOR DO PAÍS

DUAS PESSOAS MORRERAM e uma

A RECENTE DESCOBERTA

de um megarreservatório de petróleo na bacia de Santos, em área da União, levou a ANP (Agência Nacional do Petróleo) a afirmar que o potencial do pré-sal é maior do que o estimado e os riscos da exploração, menores. A agência diz que sua perfuração atingiu um novo horizonte, a 6.000 metros de distância do fundo do mar. A estimativa

é que o reservatório, localizado em uma área denominada Franco, tenha 4,5 bilhões de barris, sendo, assim, o segundo maior do país - atrás apenas de Tupi, com 5 a 8 bilhões de barris. A agência perfura um segundo poço na bacia de Santos e diz que, nessa segunda área, chamada de Libra, é possível encontrar um reservatório maior do que o de Franco. “Franco abriu novo paradigma na exploração do pré-sal”, diz Magda Cham-

briard, diretora da ANP . “Há um horizonte com o qual não contávamos.” Segundo a diretora, o poço em Franco foi o mais profundo atingido no subsolo brasileiro, alcançando uma nova rocha chamada coquina-, até então ignorada. “As empresas só iam até as camadas acima das coquinas, chamadas microbiolitos. As empresas devem ir mais abaixo. Aumenta-se, assim, a margem de segurança de explorar no pré-sal.”

Apenas um furo foi feito na nova área. Questionada, a diretora disse que mesmo assim é possível chegar à estimativa de 4,5 bilhões. Segundo Chambriard, a ANP agora fará testes para avaliar o potencial de produção do reservatório. A ANP procura não vincular a descoberta à cessão de reservas pela União à Petrobras, dizendo que faz as perfurações nas bacias para “melhor conhecer o pré-sal”.

tro do script feito por Jefferson: “Nós sabemos das dificuldades dele com o PT e ele sabe da relação da bancada com o governo Lula”. Jefferson disse que o PSDB “está ajudando” o partido a construir palanques em outros Estados, e citou o Rio Grande do Sul. O programa do PTB no rádio e na TV, que será veiculado no dia 24 de junho, já irá falar de Serra.

/ EUA /

/ PETRÓLEO /

FOLHAPRESS

▶ Presidente do PTB: flexibilidade

ficou levemente ferida hoje após explosão em uma fábrica de armas e munição em Colebrook, no norte do Estado de New Hampshire, nos EUA, perto da fronteira com o Canadá, informou um porta-voz do corpo de bombeiros. A explosão aconteceu na fábrica da empresa Millennium Designed Muzzleloaders na tarde de ontem. O tremor foi sentido em prédios a vários quarteirões de distância e cerca de 40 casas tiveram de ser esvaziadas. Os moradores foram abri-

gados em hotéis locais. Segundo os bombeiros, a fábrica ainda pegava fogo quatro horas após a explosão. Um porta-voz da cidade disse que o céu foi tomado por uma fumaça preta logo após as 13h locais (14h em Brasília), com uma série de explosões que puderam ser ouvidas a mais de dois quilômetros de distância. Segundo notícia de janeiro no jornal semanal “The Colebrook Chronicle”, um trabalhador da fábrica teve sérios ferimentos no rosto e peito quando uma máquina que processava pólvora explodiu.


Política

Editor Viktor Vidal

E-mail politica@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

NATAL, SÁBADO, 15 DE MAIO DE 2010 / NOVO JORNAL /

TEM ROLO NESSE

3

MEIOS

/ CONVÊNIOS / MP INSTAURA INQUÉRITO PARA INVESTIGAR ONG MANTIDA PELO GOVERNO E PEDE PARTICIPAÇÃO DA POLÍCIA

MAGNUS NASCIMENTO / NJ

MAGNUS NASCIMENTO / NJ

LUANA FERREIRA

DO NOVO JORNAL

O MINISTÉRIO PÚBLICO Estadual ins-

COMO O MEIOS É PRIVADO, NÃO PODERIA TER SEUS GASTOS FIXOS CUSTEADOS PELO ESTADO. ISSO É UM DESVIO DE FINALIDADE QUE SALTA AOS OLHOS” Luciana Campos Procuradora-geral do MP junto ao TCE, em parecer técnico

taurou ontem um inquérito civil para apurar irregularidades na prestação de contas da ONG Movimento de Integração e Orientação Social (Meios) relacionadas a um convênio firmado com a então secretaria Estadual de Ação Social em 2001. Também foi solicitada abertura de um inquérito policial à Delegacia Especializada em Investigação de Crime Contra a Ordem Tributária (Deicot) para apurar o crime. O inquérito cita os ex-secretários e adjuntos de Assistência Social Vagner Araújo, Gercino Saraiva, (ele é o atual secretário), Lauro Bezerra e Edival Lopes e a ex-presidente da ONG Denise Alves, mulher do senador Garibaldi Alves Filho (PMDB). O documento ainda determina à ONG que faça a prestação de contas dos últimos três meses de 2001 e do aditivo do contrato celebrado naquele ano, de R$ 6,68 milhões. Ele se junta a outro inquérito civil, este mais amplo, que investiga o funcionamento da ONG desde 2005. “A gente está se colocando diante desses novos fatos para apressar esses inquéritos. Há necessidade que a gente aprofunde agora essa questão do Meios, estude a sua legalidade”, disse o promotor responsável pelo caso, Eudo Leite, ao NOVO JORNAL. O promotor resolveu investigar a ONG depois de ler o parecer da procuradora-geral do Minis-

▶ Ministério Público quer abrir caixa-preta do Meios tério Público de Contas, Luciana Campos, que é ligado ao Tribunal de Contas do Estado. Várias ações contra o Meios tramitam no TCE. Luciana Campos apontou quatro irregularidades na prestação de contas da ONG em 2001: ausência do relatório de gestão; definição “vaga e imprecisa” das obrigações do Meios; desvio de finalidade na utilização dos recursos; e não apresentação de documentos comprobatórios de despesa. Ela averiguou que 100% dos recursos públicos foram gastos com pessoal e despe-

sas correntes, como pagamento de água e luz, da entidade, o que é proibido, já que o Meios é privado. “A única forma de repassar verbas públicas para financiar custeio é torná-la pública. Como o Meios é privado, não poderia ter seus gastos fixos custeados pelo Estado. Isso é um desvio de finalidade que salta aos olhos”, escreveu a procuradora do TCE, que orientou pelo ressarcimento dos R$ 6,68 milhões pelos ex-gestores e Denise Alves, além de sanção desta última pela ausência do relatório de gestão.

Apesar da irregularidade que “salta aos olhos”, essa vem sendo a prática da ONG: usar dinheiro público para pagamento de pessoal. Em relatório enviado pelo Meios em 2006, R$ 7,86 milhões dos R$ 10,1 milhões que recebeu da Secretaria de Trabalho e Assistência Social (Sethas) foi para pagamento de pessoal. O mesmo se repete no convênio com o Gabinete Civil daquele ano: do R$ 1 milhão que recebeu, R$ 800 mil foi para a folha de pagamento. Em seu parecer, Luciana Cam-

pos critica a falta de especificidade do contrato. “A descrição do objeto inviabiliza a fiscalização no sentido de determinar se houve a correta aplicação dos recursos”. No convênio firmado em 2001, o Meios se compromete em desenvolver “ações voltadas, prioritariamente, para a proteção social, como o direito a cidadania, da população do Estado do Rio Grande do Norte, que se encontram em situação de pobreza e exclusão social através da operacionalização de projetos e atividades”.

WALLACE ARAÚJO / NJ

MINISTÉRIO PÚBLICO ACOMPANHA ONG DESDE 2005 WALLACE ARAÚJO / NJ

Em abril deste ano, o Meios gastou R$ 57 mil para comprar material de expediente e R$ 63,7 mil para alugar carros para os programas “Restaurante Popular” e “Café com Trabalhador”. Mas no material divulgação da ONG, o Meios informa que a sua participação nos programas se restringe a disponibilização “de equipe técnica formada por nutricionista e inspetores de serviço para acompanhamento das atividades de-

senvolvidas da Unidade”, não justificando, portanto, uso de material e uso de veículos. O Governo, por outro lado, também não deixa claro em seu Orçamento quanto destinará ao Meios. As rubricas são inespecíficas, como “Apoio à promoção de eventos”, “Concessão de auxílios diversos” e “Transferência de recursos a entidades privadas de caráter assistencial e “Fundo Estadual de Assistência Social”.

O Ministério Público vem acompanhando o Meios desde 2005, quando, alarmado pelo repasse de R$ 11 milhões em convênios com a Sethas, instaurou um inquérito civil. O processo, volumoso, possui 19 pastas de prestação de contas, folha de pagamento de pessoal, estatuto social, ata da eleição das presidentes, entre outros. O Governo do Estado é o maior financiador da ONG. Em 2004, dos R$ 17,2 milhões de sua receita, R$ 13,4 milhões vieram dos cofres públicos estatais. Em 2005, a receita aumentou para R$ 19,8 milhões depois que o Governo do Estado subiu o repasse para R$ 16 milhões. Ao longo dos anos, os promotores acharam necessário investigar outros pontos referentes ao funcionamento da ONG, como a propriedade de seus prédios, os programas desenvolvidos, o critério para escolha de convênios e os convênios com outros órgãos, inclusive os privados.

O governador Iberê Ferreira de Souza (PSB) volta hoje a Natal depois de mais uma semana de tratamento no Hospital Sírio-Libanês em São Paulo. Ele fica no Rio Grande do Norte até segunda-feira quando volta a São Paulo para mais duas sessões de radioterapia na própria segunda e no dia seguinte, último dia do tratamento proposto. O governador vai aproveitar esses dois dias no Sírio-Libanês para fazer exames de avaliação sobre o resultado do tratamento de rádio e quimioterapia a que se

submete depois da retirada do nódulo no pulmão. Logo em seguida, o governador retorna a Natal reafirmando sua campanha a reeleição e com uma agenda que deve ser redobrada para recuperar o tempo que de estar ausente por causa do tratamento. Durante a semana ele vai a Santa Cruz onde participa da festa de Santa Rita, padroeira da cidade. Embora já venha em fazendo uma pré-campanha há mais de um ano e meio quando passou a percorrer o Estado ao lado da en-

tão governadora Wilma de Faria inaugurando ou visitando obras e participando de eventos no interior, está programado para o dia 29, um sábado portanto fora do horário do expediente e em recinto fechado para não ferir a legislação eleitoral, um evento em Natal com a presença de lideranças políticas de todo o Estado, a exemplo do realizado na missa de aniversário dele na cidade de Santa Cruz, para marcar a largada da sua campanha rumo à reeleição. O evento está previsto para acontecer num

▶ ONG mantém projetos para empregar funcionários

ORÇAMENTO DE QUASE R$ 14 MILHÕES EM 2010 Em 2010, o Meios receberá R$ 13,8 milhões de acordo com a assessoria de imprensa da Sethas e do Gabinete Civil. Os convênios continuam a ser publicados no Diário Oficial com designações genéricas.

/ CÂNCER /

IBERÊ EM FASE FINAL DE TRATAMENTO

▶ Kátia Collier diz que Meios é “perninha” da Sethas Em entrevista ao NOVO JORNAL, a gerente social do Meios, Kátia Collier, disse que a ONG é “uma perninha” da Sethas, numa clara confusão entre o público e o privado que vem marcando a gestão da entidade. Ela afirmou que o quadro de pessoal está inchado, boa parte das pessoas entra por indicação política e são desqualificadas. Collier também disse que o Meios está criando novos progra-

hotel da via Costeira sob o argumento de ser uma festa pelo encerramento do tratamento de saúde do governador. Depois dessa fase do tratamento, o governador só precisará ir a São Paulo depois de 30 dias para uma nova avaliação e a partir daí fazer uma revisão de seis em seis meses e depois anualmente. A equipe médica que assiste o governador considera muito boa sua recuperação e já o liberou para tocar a sua campanha de reeleição.

mas e ampliando os antigos para justificar a manutenção de cerca de 600 funcionários que poderão ser demitidos com a transferência das 51 creches para os municípios até o fim deste ano. Um outro processo que tramita no Tribunal de Justiça investiga o suposto desvio de verbas por funcionários do Meios na compra de merenda escolar a uma empresa fantasma em 2002. WALLACE ARAÚJO / NJ

▶ Iberê volta hoje de São Paulo


Opinião 4

Editor Franklin Jorge

E-mail opiniao@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

/ NOVO JORNAL / NATAL, SÁBADO, 15 DE MAIO DE 2010

Editorial “Embromation” ▶ rodaviva@novojornal.jor.br

Mesmo elogiando a criatividade da manchete que este Novo Jornal publicou ontem sobre a questão da Copa em Natal, sem terem ouvido, ainda, os que fazem nosso futebol, ( “Esqueceram a Bola”), um leitor mordaz engatou uma primeira batendo um fio para Roda Viva: Lembrem que “há divergências...há divergências”

CENSO TELEFÔNICO

Quantos telefones existem nas diferentes repartições do Governo do Estado? Para ter essa resposta a Coordenadoria de Operações de Tecnologia da Informação e Comunicação da Secretaria da Administração iniciou, dia 19 de abril, um recadastramento dos telefones fixos e móveis pagos pelo governo do Estado. Essa providência faz parte das medidas decorrentes do decreto do governador Iberê Ferreira de Souza que impõe a redução de 15% nas despesas de custeio este ano. Alguns abusos do mau uso dos telefones pagos pelo Governo, por pessoas que exercem outras atividades, eclodiram no final do governo passado quando circulou uma conta de R$ até 15 mil mensais, de um telefone celular pago pela Secretaria de Planejamento para alguém que nem dava expediente na repartição.

PLANEJAR E EXECUTAR

Nomeados os dez integrantes da Comissão Permanente de Planejamento e Execução de Obras e Projetos da Copa de 2014 da Prefeitura de Natal: Sueldo Florêncio de Medeiros, Francini Stelli Goldoni, Larissa Fonseca dos Santos. Ana Luiza Lamas Gurgel, Analucia de Azevedo Silva, José Henrique Reis de Azevedo, Carlos Alberto Batista de Araújo, Sônia Barranco Herrera Eberson Carlos de Nascimento Costa, Welington Fernandes de Oliveira, Eleomarcos Augusto dos Santos e Daniel Barros Dantas. Nenhum deles representante da Secretaria dos Esportes.

EXEMPLO DE GREGO

Mesmo sem querer discordar daqueles que repetem o discurso ufanista de que devamos pagar qualquer preço para manter Natal entre as cidades-sedes da Copa do Mundo de 2014 acreditamos ser prudente lembrar um detalhe sobre a última crise que atinge a economia global. Para respeitados analistas, o início dos graves problemas enfrentados pela Grécia, com ameaça de comprometer toda a Comunidade Européia, está localizado na promoção das Olimpíadas. Na verdade, o apelo de levar os jogos olímpicos para o seu berço, marcando o primeiro século das modernas olimpíadas, pode ter levado influentes setores da sociedade grega a mostrar a enorme importância da promoção do evento e, provavelmente, os seus responsáveis se esqueceram de fazer contas. Concordamos com a importância da Copa do Mundo de 2014 para Natal, torcemos pela sua realização, mas está na hora de se começar a fazer contas para dimensionar os gastos. Como em qualquer atividade é preciso estabelecer uma correta relação entre o custo e o benefício. Os defensores da Copa, acima de tudo, não se preocuparam ainda em definir os custos da Copa e tentar projetar seu retorno. Entrevistas, declarações e discursos têm ressaltado os enormes benefícios que a Copa nos trará. Não temos nada a contestar. Nem mesmo no entusiasmo que pode determinar algum exagero. Afinal, nunca jogamos no time dos pessimistas nem dos derrotistas. A questão é outra. Está na hora de ver os custos. Vale começar lembrando que o nosso Rio Grande do Norte aumentou o seu endividamento em R$ 2 bilhões nos últimos sete anos. Ou seja: em sete anos o governo do Estado contraiu dívidas correspondentes a quase duas vezes o volume de recursos obtidos com a venda da Cosern pelo Governo do estado ao grupo espanhol Iberdrola, há 11 anos. Não podemos perder de vista essa realidade: Em sete anos o endividamento do Rio Grande do Norte cresceu quase duas Coserns e tudo indica que essa montanha de dinheiro foi para custeio e não para investimento.. Se não houver um controle, o entusiasmo com a Copa – mesmo trazendo suas enormes vantagens – pode nos levar a uma situação parecida com a vivida pelos gregos. Defender contas e controle não pode se confundir com uma posição contrária à Copa em Natal. Também queremos a Copa, mas não queremos um Estado quebrado. Certamente que os dois lados não são excludentes: Trazer a Copa e defender o Erário. O verbo agilizar é um perigo. Sobretudo na administração pública. HUMBERTO SALES / NJ

CONTROVÉRSIAS NA BOLA

Só fui convidado para compor a mesa e fazer número” DO PRESIDENTE DA FEDERAÇÃO DE FUTEBOL, JOSÉ VANILDO, SOBRE OS ESFORÇOS PARA TRAZER A COPA DO MUNDO DE 2014 PARA NATAL.

AGÊNCIA MUDA A Agência de Fomento vai mudar o seu quadro diretivo. Foi publicado o ato declaratório de intenção de integrar a sua diretoria. Os novos nomes são: Francisco de Paula Segundo, Leopoldo Rosado Cascudo, Vera Olímpio Guedes, Francisco das Chagas Azevedo, Edílson Fernandes, Amaro Sales, Ivoneide Diniz Marcelo Queiroz e Luiz Antônio Bezerra Lacerda. Os nomes serão submetidos ao Banco Central antes de assumirem seus postos na AGN.

REITORA EM PALMAS

No exercício do cargo de Reitor da UFRN, a professora Ângela Paiva Cruz está participando na cidade de Palmas (To) da Reunião da Andifes e da Fundação Unitrabalho. O certame conta com a presença do ministro Fernando Hadad e personagens políticas como Marina Silva, Ciro Gomes, Henrique Meirelles, Cristóvão Buarque e Paulo Bernardo.

SUJEITO OCULTO

Uma lição primária de jornalista determina que as matérias publicadas precisam, pelo menos responder cinco questões: 1 - O que aconteceu; 2 -onde aconteceu; 3 – Quando aconteceu; 4 – Com quem aconteceu; e 5 - Por que aconteceu. O Novo Jornal abriu espaço para noticiar que o assessor de imprensa do Meios procurou criar dificuldades para o trabalho da nossa reportagem; que ele ainda criticou a cobertura do jornal e reprovou, especificamente, o trabalho de uma nossa repórter. Mas o Novo Jornal sonegou ao leitor o nome desse mau assessor de imprensa. Pedindo desculpas ao leitor, revelamos, com atraso, o nome dele: Minervino Wanderley. Parece ser a pessoa certa no lugar certo.

ABUSO SEXUAL

BATISMO TARDIO Somente depois da recomendação do Ministério Público e da aceitação do Governo do Estado em aposentar sua nova marca, formada por um elemento monolítico e sem nenhum apêndice, é que apareceu uma sugestão de batismo, em confronto com o a antiga, cheia de braços e pernas: - João Sem-braço. Sugestão de uma gaiata raposa que pasta pelos distantes campos judiciais, aliando a imagem física da marca ao velho truque do folclore nordestino.

Começa, hoje, em quatro shoppings da cidade e também no Aeroporto Augusto Severo, a programação da Semana de Mobilização de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças, organizado por um grupo intersetorial formado depois da audiência pública realizada pela vereadora Júlia Arruda. O Dia Mundial Contra o Abuso transcorre na próxima terça-feira.

ZUM ZUM ZUM ▶

Chico Graziano, Secretário do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, passa o fim de semana em Natal, hóspede do deputado Rogério Marinho e faz contatos para Serra. ▶ O Detran firmou contrato no valor de R$ 1.983.600,00 com a empresa Interprint Ltda para fornecimento de

Carteiras Nacionais de Habilitação. ▶ Marcelo Queiroz foi reeleito Presidente da Federação do Comércio, junto com os seus dez vice-presidentes. ▶ A deputada Fátima Bezerra participa, hoje, do Seminário das Mulheres do PT, que se realiza no auditório do Sinte, a partir das 9 h.

▶ O governo do Estado abriu um crédito suplementar de R$ 13 milhões para fiscalização do trânsito. ▶ Hoje completa 75 anos que o empresário paraibano João Francisco da Mota adquiria o Curtume Santa Clara, iniciando um novo tempo para a indústria em Natal.

▶ Betinho Rosado é entrevistado, hoje, no programa Mesa Redonda da TV Câmara (canal 37 Cabo) às 9 h, com reprise, amanhã, às 14 h. ▶ A Emproturn liberou recursos da ordem de R$ 75.000,00 para a Festa de Nossa Senhora de Fátima na cidade de Passa e Fica.

O secretário de Planejamento, Nelson Tavares, convocou uma entrevista coletiva ontem para anunciar, mais uma vez, que, provavelmente, no dia 25 deste mês o Palácio do Planalto deve apresentar o texto definitivo do edital para concessão do aeroporto internacional de São Gonçalo do Amarante. Para um estado que espera há mais de dez anos por esse aeroporto o anúncio de mais uma etapa, referente a outra assinatura de papel, é, ao contrário do que certamente imagina o governo, desanimador. Fala-se até na possibilidade de o presidente Lula voltar ao estado para assinar o tal edital que vai escolher a empresa responsável pelo aeroporto. Na prática mesmo, as obras devem ser assumidas pela empresa vencedora da licitação, se tudo correr como o desejado, ainda em dezembro. Não foram poucas as datas marcadas para o início da execução das obras do novo aeroporto, todas elas furadas – e repetidamente remarcadas para serem posteriormente adiadas ou transferidas. Isso explica a frieza com que mais esse anúncio é recebido – menos para a parte diretamente interessada em cevar o noticiário do bem, da festa, do regozijo injustificado. Para essa parcela, o importante é promover mais uma grande manifestação para que o presidente Lula venha ao Rio Grande do Norte “inaugurar” um papel. O estado não merece isso. Todos os argumentos que são utilizados hoje por aqueles que tentam assegurar as obras do aeroporto, justificando que em temas dessa natureza as decisões são espaçadas demais, em decorrência da necessidade de transpor todos os processos legais, merecem ser considerados – afinal, se a canetada oficial ajuda, é preciso bem mais do que ela para que, tecnicamente, o projeto seja viabilizado. O que é inaceitável é que uma obra desse tamanho e com essa importância para o desenvolvimento do estado continue pagando o preço que vem desembolsando ao longo dos últimos anos, à custa dos interessados de plantão. Foi o próprio governo que, por várias vezes, estabeleceu prazos e datas, tirando de todas elas os dividendos políticos que um investimento dessa envergadura pode representar para um estado pobre, embora potencialmente rico. Mais do que factóides ou de ardis técnicos, o RN precisa fazer-se respeitar – lá fora e aqui dentro.

Artigo MARCOS BEZERRA Editor de Esportes ▶ marcosbezerra@novojornal.jor.br

O osso da Série D Um cachorro vira-lata correndo atrás de um caminhão - como diria o poeta popular Jessier Quirino “isso é cagado e cuspido, paisagem do interior”. E é esta imagem que me vem à mente quando vejo a indefinição dos times potiguares quanto à participação, ou não, na Série D do Campeonato Brasileiro. O vice-campeão estadual, Corintians de Caicó, estava na dependência do improvável surgimento de pelo menos três patrocinadores fortes. Mais preocupado com o Estadual Sub-20 e uma viagem para o Canadá desistiu na quinta-feira, um dia antes do prazo final para confirmar a presença na competição. Saindo o Corintians, a bola da vez passou a ser o Santa Cruz - o clube do interior com melhor estrutura -, que teria até 21 deste mês para se posicionar. Novamente há uma indefinição e, caso a equipe desista - até ontem à tarde persistia a dúvida nas hostes do agreste - entra em campo o Potiguar de Mossoró, o único que admitiu interesse em participar da competição. Mas o que isso tem a ver com o tal cachorro que corre atrás de um caminhão? É que quando o caminhão para, o bicho não sabe o que fazer. Assim, infelizmente, é a quarta divisão do campeonato brasileiro. Na verdade, os times nem correm assim com a disposição, a marra e a alegria de um vira-lata - tem bicho mais simpático? Eles brigam é pela ponta do Estadual e, como consolo, ganham, do reinado de Ricardo Teixeira, um autêntico presente de grego. Senão vejamos; até esta bendita data a CBF ainda não divulgou o regulamento nem a tabela da competição. No ano passado 39 clubes participaram, divididos em nove grupos de quatro clubes e um de três. Depois de jogar entre si em turno e returno, os dois melhores se classificaram para a 2ª fase, em cruzamento simples. E foi assim até a 6ª e última fase. Quer dizer: o clube corre o sério risco de levar pelo menos dois meses montando toda uma estrutura, criando despesas impossíveis de pagar com a renda dos jogos e ainda dar adeus à competição depois de fazer apenas três jogos diante de sua torcida. Caso tenha melhor sorte, passa para a segunda fase e vai enfrentar viagens de centenas de quilômetros bem mais dispendiosas e de retorno ainda mais incerto. Do outro lado da moeda convém lembrar o exemplo do Alecrim nesta mesma Série D. O alviverde de Natal era somente o sexto na lista dos clubes potiguares; montou uma equipe memorável em 20 dias e ficou em quarto na classificação geral. Mal sabia que o paraíso da Série C esconde outro presente de grego: uma única fase de grupos e mata-mata até o fim da competição. É mais uma competição deficitária no caminho do nosso bravo Verdão - o ABC deve escapar do prejuízo, porque tem estrutura e montou uma equipe competitiva. Mas o nosso caso é a D que ninguém quer. Nem o vira-lata que vos escreve!


▶ POLÍTICA ◀

NATAL, SÁBADO, 15 DE MAIO DE 2010 / NOVO JORNAL /

Painel RENATA LO PRETE Da Folha de São Paulo

painel@uol.com.br

Demarcação de terra Ao fazer vista grossa à legislação eleitoral e aplicar a Dilma Rousseff uma superdosagem de Lula, o programa de televisão do PT tentou cumprir, mais do que qualquer outra tarefa, a de assegurar, às vésperas da realização de uma nova rodada de pesquisas, que a candidata não escorregue do patamar de 30% de intenção de voto construído até aqui. Uma eventual queda certamente poderia ser revertida no futuro, uma vez instalada a campanha oficial, mas, a esta altura do campeonato, tornaria junho um mês mais difícil para Dilma sob pelo menos três aspectos: a) construção dos palanques estaduais; b) pressão do aliado PMDB; c) fogo amigo petista.

COM PRESSA 1 De um integrante do comando da campanha de José Serra (PSDB), sobre o programa levado ao ar pelo PT na noite de quinta: ‘Os caras já puseram todos os jogadores na frente, como se estivessem na prorrogação’.

COM PRESSA 2

Desabafo feito recentemente por um membro da coordenação da campanha de Dilma: ‘maio está parecendo junho’.

ERRAMOS

Do presidente do PTB, Roberto Jefferson, sobre a associação feita no programa petista: ‘Certamente queriam comparar a Dilma à mãe dela, não ao Mandela. Aí alguém se confundiu na hora de escrever o texto’.

FREGUÊS

A ex-ministra não é a primeira pessoa que Lula compara com Mandela. Desde que assumiu a Presidência, ele já relacionou o presidente da Bolívia, Evo Morales, e o norteamericano, Barack Obama, ao líder sul-africano.

DOIS MAIS DOIS

Um curioso fez a conta e concluiu que a equipe de Dilma tem algum problema com o Google: o programa do partido afirmou que o racionamento de energia do governo Fernando Henrique Cardoso durou oito meses. Na verdade, foram nove meses e dez dias.

NA MESMA

Sobre o café da manhã tomado anteontem com o presidente do PT, José Eduardo Dutra, Dias afirma que atendeu ‘a um pedido dele’ e que ‘não mudou nada’.

NA REAL

De Serra, no Twitter, fazendo graça com o aliado que lhe dará palanque em Pernambuco: ‘O Jarbas Vasconcelos tem mais olheiras do que eu’. Osmar Dias (PDT-PR) considera ‘injusto’ afirmar que ele está negociando simul-

PEGOU MAL / ELEIÇÕES / PSDB E DEM ESTUDAM AÇÃO CONTRA PROPAGANDA DO PT POR DANO “IRREPARÁVEL”

PSDB, Ricardo Penteado, afirmou ontem que a infração à legislação eleitoral é clara no programa do PT que foi ao ar anteontem em cadeia de rádio e TV, mas ainda estuda se entrará ou não com uma ação contra PT, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a pré-candidata à Presidência Dilma Rousseff. O dano, segundo ele, é “irreparável”, já que o programa já foi ao ar. O senador Álvaro Dias (PSDB-PR) acusou Lula e Dilma de cometerem “uma violência” contra a lei e “desdenharem da Justiça Eleitoral” no programa do PT. “Se a maior autoridade desse país não respeita a lei, como se exigir que o cidadão comum venha a respeitá-la nesse momento crucial de definição do futuro do país?”, questionou o tucano. Lula e Dilma dominaram a maior parte dos dez minutos do programa. O presidente atribuiu à petista a responsabilidade por “grande parte” do sucesso de seu governo e a comparou ao líder sul-africano Nelson Mandela. O líder do DEM no Senado, José Agripino, disse que “a transgressão à Lei Eleitoral é clara” e que o departamento jurídico de seu partido também analisa, com o PSDB, uma possível ação con-

O ADVOGADO DO

DILMA ENTREGA DEFESA AO TSE E NEGA ACUSAÇÃO

EM CAMPO

FOLHAPRESS

Senadores pró-ficha limpa vão colher assinaturas a partir de terça-feira para tentar garantir a tramitação do projeto em regime de urgência. Eduardo Suplicy diz que, além do PT, o grupo teria apoiadores em outros seis partidos: PMDB, DEM, PSOL, PDT, PSB e PC do B. A Assembleia Legislativa deve votar na terça-feira emenda à Constituição estadual garantindo aos 645 prefeitos paulistas e seus vices o direito a férias remuneradas e décimo terceiro salário. O texto, apresentado em 2007, é de autoria de um grupo de deputados liderados por Uebe Rezeck (PMDB).

TIROTEIO Se tivéssemos julgado a tempo, esse programa não teria ido ao ar. Agora vão representar contra ele. E continua o círculo vicioso. Do ministro MARCO AURÉLIO MELLO, do TSE, sobre o estranhamento causado pela sessão do tribunal que multou o PT e Dilma em razão do programa partidário de dezembro, mas não julgou pedido da oposição para suspender a exibição do programa de anteontem, ainda mais explícito na propaganda eleitoral antecipada.

CONTRAPONTO DUPLA JORNADA Na segunda-feira passada, a prefeita de Natal, Micarla de Sousa (PV), ciceroneava o ministro do Turismo, Luiz Barretto, na abertura da Nordeste Invest 2010, que atraiu 1.300 investidores de vários países à capital potiguar. De repente, alguém abordou a anfitriã e perguntou: - E como vai a nossa Marina? Coordenadora da campanha de Marina Silva na região Nordeste, Micarla respondeu entusiasmada: - Chega amanhã! Só que o homem se referia ao projeto, ainda em estudo, de construir uma marina náutica em Natal. Desfeita a confusão, o ministro brincou com a prefeita: - É nisso que dá ficar acumulando funções...

ALAN MARQUES / FOLHA IMAGEM / FOLHAPRESS

FOLHAPRESS

Quer dizer então que Dias aceitará a oferta de disputar a reeleição na chapa liderada pelo PSDB? ‘Ainda não decidi’, responde o senador. ‘Mas o Serra me fez uma proposta concreta.’ Caso venha a aceitá-la, Dias terá a prerrogativa de indicar seu suplente e o vice de Richa, além de poder de veto sobre o outro nome para o Senado.

BENEFÍCIOS

ESPELHO MEU

NA MÃO

taneamente com petistas e tucanos seu destino eleitoral. Segundo o senador, o entendimento com os primeiros fracassou ‘porque Lula me prometeu palanque único, com PP e PMDB, para sair candidato a governador, e no final só havia o PT’. ‘O PP já está com Beto Richa (PSDB), e o PMDB, com candidato próprio na rua.’

5

O advogado da pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, apresentou defesa em cinco representações ajuizadas contra ela no TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Em todos os casos, pede que a Corte julgue improcedente os pedidos, alegando que ficou caracterizada a prática de propaganda eleitoral antecipada. “Em nenhum momento se comprova que Dilma Rousseff tinha conhecimento prévio de eventuais manifestações a seu favor nos eventos questionados.” Nas representações, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva é acusado de, sozinho ou em companhia de outras personalidades e entidades ligadas ao PT, fazer propaganda eleitoral em favor de Dilma, antes do período permitido por lei.

▶ Dilma Rousseff assiste à missa em Brasília tra o PT. Na quinta-feira, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) não julgou a tempo um pedido do PSDB e do DEM para tirar do ar o programa do PT, mas multou pela primeira vez nesta campanha Dilma. Por unanimidade, o tribunal multou o PT em R$ 20 mil e Dilma em R$ 5.000 por propaganda eleitoral antecipada no programa da legenda que foi ao ar em dezembro do ano passado. Os partidos também haviam pedido para que o programa de ontem não

fosse ao ar. Como o tribunal não começou a sessão a tempo de retirar do ar o programa de anteontem, os ministros decidiram cassar integralmente o tempo da propaganda do PT que será veiculada no primeiro semestre do ano que vem.

CATÓLICA

Dilma Rousseff cumpriu uma série de ritos eclesiásticos durante missa realizada em Brasília, na manhã de ontem. Rezou, ajoelhou-se e cumprimentou bispos,

“Como não demonstrado na peça de ingresso que a representada tivesse prévio conhecimento de suposta manifestação propagandística de futura e, portanto, eventual candidatura, inviável a pretensão de aplicação de multa, que não se admite por mera presunção do dolo na prática que se pretende imputar”, afirma o advogado. As representações chegaram ao TSE entre 16 de abril e 4 de maio deste ano, sob o argumento de que houve propaganda eleitoral antecipada. Três delas são sobre a realização de suposta propaganda durante as comemorações do Dia do Trabalhador, em 1º de maio em São Paulo. Em outra ação, o questionamento é o pronunciamento oficial do presidente da República, feito em cadeia nacional de rádio e TV, em 29 de abril, para saudar os trabalhadores. Já a representação de 16 de abril alega que teria havido um ato de campanha eleitoral em favor de Dilma no evento.

sempre orientada pelo chefe de gabinete de Lula, Gilberto Carvalho, um católico manifesto. Após a cerimônia, questionada, afirmou ser católica, e que estudou em colégio de freiras. Deu rodeios, no entanto, ao falar sobre o momento em que se converteu para o catolicismo. “No mesmo momento que cada um dos brasileiros. A gente nasce, é batizado, crismado, estuda em colégio de freira e ao longo da vida, você vive as suas experiências’’, afirmou.

CANDIDATA AFIRMA QUE VAI PAGAR MULTA DE R$ 5 MIL FOLHAPRESS

A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, afirmou ontem que vai pagar a multa de R$ 5.000 imposta pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), que considerou irregular a propaganda do partido veiculada em dezembro do ano passado em rede nacional. Sobre o programa que foi ao ar anteontem, a ex-ministra disse que não acredita que o PT passou dos limites com a Justiça Eleitoral. “Não concordamos com isso de maneira alguma’’, afirmou. Na propaganda do PT, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva celebra a trajetória política da petista, e chega a compará-la com o líder sulafricano Nelson Mandela.

Dilma afirmou que faz sentido a comparação feita por Lula. “O presidente destacou duas características similares das ditaduras. Elas deixam poucas opções para as pessoas. Então, quando você de fato quer combater as ditaduras efetivamente, você não tem muitas opções e recorre aos meios que você dispõe naquele momento’’, afirmou. A ex-ministra ponderou que, ao olhar o tempo de prisão dos dois, a comparação é desproporcional. Mandela ficou preso por 27 anos, enquanto Dilma passou 3 anos e meio na cadeia, durante o regime militar. A pré-candidata do PT falou a jornalistas na manhã de ontem, após participar de uma missa.

/ NO RÁDIO /

SERRA TAMBÉM RECORDA SUA LUTA CONTRA DITADURA RAFAEL ANDRADE / FOLHA IMAGEM / FOLHAPRESS

FOLHAPRESS

PSDB à Presidência, José Serra, recordou em entrevista à rádio “Tupi’’, no Rio de Janeiro, sua militância contra o regime militar. Na quinta-feira, no programa político de seu partido, a pré-candidata do PT, Dilma Rousseff, e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva destacaram a participação da ex-ministra na luta contra a ditadura. Ela chegou a ser comparada ao líder sul-africano Nelson Mandela, por ter apoiado ações armadas e, depois, atuado na democracia. “No golpe militar [em 1964, quando era presidente da União Nacional dos Estudantes] eu estava aqui no Rio, as pessoas me recebiam, mas com muito medo, eu tinha uma cara muito conhecida e era muito perseguido. Naquela época, a UNE era uma entidade mais forte’’, disse hoje Serra. Dizendo-se “um sobreviven-

O PRÉ-CANDIDATO DO

▶ José Serra concede entrevista à Rádio Tupi te do Estádio Nacional’’, numa referência ao local da capital chilena, Santiago, onde muitas pessoas morreram após o golpe militar de 1973, comandado por Augusto Pinochet, o tucano também relatou os interrogatórios por que passou no Brasil após voltar do exílio, passado no Chile. “Fui interrogado na época da ditadura. Dois ou três dias seguidos, 12 a 16 horas’’, afirmou.

Na entrevista, Serra lançou indireta contra sua adversária, a petista Dilma Rousseff, afirmando que não se deixa pautar por publicitários e que por isso não “escorrega’’, mantendo um discurso coerente. Serra declarou se dar muito bem com Lula e negou que possa ser levado a atacá-lo durante a campanha eleitoral. “Tenho nervos de aço. Não

saio do prumo’’, disse, quatro dias depois de ter chamado uma jornalista de “nervosinha’’ por questioná-lo sobre o papel do Banco Central - tema que não entrou na pauta do programa. O tucano voltou a defender a criação do Ministério da Segurança Pública, ao qual declarou que vão estar subordinados à Abin (Agência Brasileira de Inteligência) e à agência de combate a drogas. Na segunda-feira, Serra afirmou que a taxa de juros no país deveria ter sido reduzida no passado e destacou que o Banco Central não é a Santa Sé. Na ocasião, demonstrou irritação ao ser questionado pela jornalista Miriam Leitão sobre também agir como presidente do BC, se eleito. O tucano defendeu a autonomia do banco, mas afirmou que se houver “erros calamitosos”, o presidente deve interferir e opinar. “O presidente tem que fazer sentir sua posição.’’


6

▶ OPINIÃO ◀

/ NOVO JORNAL / NATAL, SÁBADO, 15 DE MAIO DE 2010

RODRIGO LEVINO Jornalista

▶ digbylevino@gmail.com

De São Paulo

A BOLHA PERCORRENDO A TRABALHO um pé-

riplo de três cidades em diferentes pontos do país nos últimos dias, Porto Alegre, Campo Grande e Natal, as duas primeiras já conhecidas de tempos atrás e a terceira, bem, vocês sabem, vi formar-se diante dos olhos a forma cada vez mais nítida de uma bolha programada para estourar a médio prazo traduzida na quantidade absurda de novos carros recém-chegados às ruas das tais capitais. A primeira vez que estive em Porto Alegre, em 2003, podiase facilmente traçar uma analogia entre a maior cidade gaúcha e a capital potiguar no que diz respeito a trânsito, ou melhor, bom trânsito, livre de congestionamentos. Naquela época, claro. Foi-se o tempo, lá e aí, em Natal, que se podia gabar de tal conforto urbano. O caos tomou conta das ruas. O caso de Campo Grande me pareceu ainda mais chocante. Um ano e meio me separam da última vinda à cidade e o que se encontra é o mesmo estrangulamento nas vias públicas que se tem notícia todos os dias nas principais avenidas e ruas de Natal.

O pior, são cidades que nitidamente passam por momentos de acomodação a este processo de estrangulamento urbanístico, onde não se pensa a longo prazo nem há diretrizes claras do que deve ser feito para ampliar a malha, ou mais, apostar forte e firmemente em transporte público de qualidade, sejam ônibus coletivos, metrôs ou programas de incentivo ao uso de táxis por grupos de pessoas, ciclovias e similares. O monstro que costumo enfrentar praticamente todos os dias em São Paulo, onde de tão dramática a situação passou a ser patética, em que é possível que você se pegue não mais lamentando, mas encarando com certo humor negro a quebra de recordes de congestionamentos – que já chegou a marca de 230km de vias engarrafadas (eu estava lá, preso) – é alimentando pela omissão dos agentes públicos e por uma po-

lítica econômica irresponsável do governo federal que joga no mercado milhões de novos carros por ano falsamente oferecidos em ótimas condições de pagamentos em até oitenta, veja bem, OITENTA prestações, entupidas de juros, fomentando o consumo sem limites e jogando o comprador num paradoxo: ele tem um carro, mas mal consegue mover-se na cidade. A correlação entre esses fatores e a qualidade de vida nos grandes centros é inconteste. Polui-se mais, perde-se mais tempo entre a casa, a escola e o trabalho, consome-se mais combustível e perde-se mais dinheiro que deveria circular entre negócios feitos enquanto os personagens econômicos ativos estão encurralados entre um carro e outro. O pior: não há uma luz no fim do túnel que não pareça ser um carro na contramão. Não se houve, como foi o caso de Curitiba, na década de oitenta, sob o mando do urbanista Jaime Lerner, notícias de políticas públicas voltadas para o transporte coletivo de qualidade. Tirese por Natal, onde o sindicato dos transportes coletivos asse-

UM MALA

melha-se a uma máfia, com direito a uma escandalosa bancada na câmara municipal, de conhecimento público e agindo escusamente protegida pelo silêncio criminoso da maioria da imprensa, defendendo interesses privados quando deveria trabalhar pelos públicos, dos cidadãos e eleitores que puseram cada representante na citada casa legislativa, que em parceria com o poder executivo municipal tem a obrigação de não poupar esforços buscando saídas para que Natal não se transforme numa São Paulo em microcosmo, parada no trânsito, sem futuro, saudosa do passado de ruas tranqüilas e sem deixar que se vá a lugar algum, como já é o caso de Porto Alegre e Campo Grande. Quem haverá de agir nesse sentido?

Olhe, falando assim bem francamente, coisa triste é político sem culhões para assumir as próprias pataquadas. E pior, quando exerce o cinismo de enfiar a culpa dos próprios erros em outrem. Vê o ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo, précandidato ao governo do estado e seus últimos erráticos passos, quando num momento infeliz deixou transparecer um sentimento de mau agouro contra o governador Iberê de Sousa, que em privado até se admite que exista, enfim, o ser humano não é flor que se cheire, mas de público revela um político mesquinho, prepotente e disposto a combater não o bom combate, mas o oportunismo baixo. Pode-se alegar muito complacentemente que a guerra de nervos e de informação faz parte do jogo político, que é sujo via de regra. O que é risível e lamentável é a postura petulante adotada pelo dito cujo ao culpar a imprensa pelos erros que tem cometido na largada de sua candidatura, de reconhecido potencial alimentado pela boa administração que imprimiu em um man-

dato e meio à frente do governo municipal, a falência e o isolamento do wilmismo – tornando-o uma alternativa real de oposição a candidatura reinante da senadora Rosalba Ciarlini - e o péssimo desempenho da atual prefeita Micarla de Sousa. Quer dizer, os motivos que deveriam posicioná-lo em situação confortável para manter acesa a chama para um eventual retorno a prefeitura em 2012 ou um surpreendente resultado no pleito de outubro próximo, se anulam pela completa falta de tato com o discurso político e a comunicação com a mídia e o eleitor. Esquece uma lição básica preconizada por Alon Feuerwerker: ‘Quando você começa a ter ruídos de comunicação, deve buscar as razões na política. Políticos adoram culpar os comunicadores pelos problemas que eles, políticos, criam — ou não sabem resolver’. Será que dá tempo de o menino de Agnelo aprender antes de pôr tudo a perder por açodamento e falta de respeito com o adversário e deixar de ser um tremendo mala sem alça?

Rodrigo Levino escreve nesta coluna aos sábados

Plural

Cartas do Leitor

ERICK PEREIRA Advogado ▶ ewp@erickpereira.adv.br

▶ cartas@novojornal.jor.br

De jardins e preconceitos Blogs e twitters deram conta que mulheres bem vestidas estariam roubando plantas nas praças e canteiros desta pobre cidade sem verde. Lembrei-me que há alguns anos, após haver investido num decente jardim na área frontal do escritório, passei a constatar, nas manhãs das segundas-feiras, um desaparecimento gradual das espécies plantadas. A subtração começou pelas mais valiosas – aos poucos, dracenas e bromélias, uma a cada semana, foram sumindo e, em seus lugares, orifícios cilíndricos perfeitos eram deixados, como a sinalizar que ali estivera um especialista no assunto. Passei a desconfiar dos flanelinhas, pensamento logo rejeitado pois os furtos adquiriram um padrão dominical, quando a vizinhança está deserta e as repartições e estabelecimentos comerciais fechados. Passei então a imaginar que, perambulando pelos canteiros alheios, estaria um disposto (também à desonestidade) jardineiro de meia-idade, experiente e meticuloso no seu ofício, devidamente munido de carrinho de mão e apetrechos que tornam a jardinagem uma arte quase cirúrgica. Como as replantas foram invariavelmente desrespeitadas, passei a me exasperar e a fincar espécies mais comuns e em conta. E o jardim passou a se resumir a dois simples canteiros de ixoras, contornando a pequena passarela, e a algumas espadas-de-são-jorge no canto esquerdo, agaviáceas que de tão facilmente multiplicáveis nunca são objeto de interesse ou desejo. Os dias se passaram e, vez por outra, ocorria das tão baratinhas e comuns ixoras serem também alvo das operações precisas que deixavam um rastro salpicado de buracos a recepcionar os clientes matinais – constrangimento e mau gosto que tive que suportar enquanto nutria expectativas de, em visita surpresa e bem sucedida à área, flagrar o infrator e dar-lhe uma “lição de moral”. Até que, numa ensolarada manhã de segunda-feira, um flanelinha madrugador e ainda ressabiado com as minhas desconfianças me relatou a seguinte história: às cinco da matina uma elegante e bem apessoada velhinha se achegou sorrateiramente ao canteiro munida de sacola, espátula e pázinha. Após rápido e certeiro corte do solo, em segundos extirpou uma plantinha por inteiro acondicionando-a num saco. Surpreendida, a simpática vovó só conseguiu retrucar: - “Mas meu filho, eu só ia cuidar para depois devolver”... E, calmamente, lá se foi a velhinha inescrupulosa junto com a minha “lição de moral” e o meu jardim... Para mim, restou o reforço da constatação de que embora quase tudo seja julgado pelas aparências, raramente é o que parece. E que as raízes indesejadas que ocultamos em cada um de nós - é de se reconhecer que alguns têm opulência delas –, quando ocorrem de inadvertidamente aparecer, ainda podem ser confundidas com as raízes dos nossos preconceitos. Erick Pereira escreve nesta coluna aos sábados

Agradecimentos Gostaríamos de agradecer a Deus, a Paula Calafange (Organizadora), Adilson Oliveira de Menezes e Ciro(Cantores e Violonistas), a Andrea Bragança (Profª. Psicologia), a Wando Rocha (Cabeleireiro), aos Psicólogos Willem Moura,  Catarina Faria,  Carolina Dutra, aos Artes Terapeutas Leda Sodré, Ana Cássia Nogueira,    Edna de Castro Callado, Maneuza da Rocha (Colaborada), as Palhacinhas Pipoquinha e Melancia e  uma grande Equipe de colaboradores e amigos que estiveram no dia 12/04/2010 no Hospital Infantil Varela Santiago distribuindo alegria, compartilhando emoções e solidariedade, embelezando as mães e crianças ali internadas, em um gesto de cidadania e amor ao próximo demonstrando empatia para com aqueles que vivem em meio ao sofrimento da doença. O Evento foi maravilhoso teve duração das 7h às 13:00 e das 14 às 17:00, todas as mães presentes internas (acompanhantes dos filhos internados) e do ambulatório receberam presentes, maquiagem e cabelo, participaram de brincadeiras e Karaoké, com distribuição de brindes e farta alimentação.

O Hospital Infantil Varela Santiago HIVS dispões de um porquinho cofre (cores róseo e azul) ao Preço de R$ 20,00 para quem quiser participar como uma espécie de doação. Os porquinhos são lindos, trazem uma relação com o Hospital e sua logomarca. Vamos ajudar o  Hospital Infantil Varela Santiago Célio da Costa Barros

Obras de fachada A paralização das obras de ampliação da Via Costeira, “inaugurada” pela ex-governadora ao despedir-se do mandato, é a prova de que tudo não passou de farrambamba de quem quer ganhar uma cadeira no senado no peito e na raça. Mais uma das inúmeras obras de fachada, ou virtuais como outros preferem, essa explicação de que falta cimento no mercado, para a conclusão das obras, foi a mais deslavada das armações desse governo que nada produziu a não ser conchavos e autoendeusamento de uma “executiva” reprovada em gestão. Seria melhor se o atual governador admitisse, sem rodeios, que o que está faltando é recurso mesmo, pois

esta como outras obras produzidas pela ex-governadora não tem orçamento. Penso que a maioria dos potiguares preferirão sempre a verdade à mentira. Sandra Varela

Colaboração Antes de eu ser assinante desse conceituado jornal, telefonaram-me, se eu desejaria ser assinante. Não pensei duas vezes: Quero! Mas o assunto principal é este: já mandei vários trabalhos (pequenos) pelo correio. E não sei o porquê de não terem sido publicados. “O Destino de três meninos” foi um deles. Mandolhe uma cópia. Natércio Gomes da Costa

N.R.: Carissimo escritor, apesar da qualidade do seu texto literário, não o temos publicado por um motivo prosaico: não mantemos suplemento literário e os artigos, até então publicados, têm sido produzidos por colaboradores fixos que se revezam a cada dia. No futuro, talvez tenhamos aqui esse espaço e nele publicaremos com todo prazer a sua inestimável colaboração espontanea. Agradecemos desde já.

Evasão escolar Com relação à reportagem publicada no dia 14 de maio, venho esclarecer que os dados de Sobral o situam como o município de melhor desempenho no Nordeste e do país. Com relação aos dados sobre o ensino fundamental, eles se referem a ambas redes de ensino, e não apenas à rede estadual, responsável por pequena parcela do total da matrícula. João Batista Araújo e Oliveira Presidente do IAB

Evasão escolar 2 O NOVO JORNAL foi muito feliz ao esmiuçar a educação, um assunto que os outros jornais tem tratado superficialmente. Não surpreende o baixo nível de rendimento escolar nas redes estadual e municipal. Estamos vivendo num mundo em que os valores éticos, morais e cívicos caducaram. Era o que dava substancia à educação, ao conhecimento formal, à aquisição de instrumentos válidos para a vida em todos os seus níveis. Falta idealismo e respeito aos valores. Maria Eunice Arruda

O leitor pode fazer a sua denúncia neste espaço enviando fotografias

Diretor Cassiano Arruda Câmara Diretor Administrativo Manoel Pereira dos Santos Diretor de Redação Carlos Magno Araújo

Telefones (84) 3201-2443 / 3342-0350 / 3221-4587 E-mails redacao@novojornal.jor.br / pauta@novojornal.jor.br / comercial@novojornal.jor.br / assinatura@novojornal.jor.br Para assinar (84) 3221.4554

Endereço Rua Frei Miguelinho, 33, Ribeira - CEP 59012-180, Natal-RN Representante comercial Engenho de Mídia - (81) 3466.1308

IV – É livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato. (Constituição Federal – Artigo 5°)


Geral

Editor Carlos Prado

E-mail geral@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

NATAL, SÁBADO, 15 DE MAIO DE 2010 / NOVO JORNAL /

7

TRADUÇÃO CAMUFLA GAFE DE LULA / VIAGEM/ PRESIDENTE RUSSO PERDEU A PACIÊNCIA ENQUANTO LULA FALAVA DO AFEGANISTÃO E DOS PROJETOS BRASILEIROS PARA O IRÃ E ENCERROU ENTREVISTA CONJUNTA

FOLHAPRESS UMA FALHA NA tradução

diluiu o que poderia ter sido uma gafe cometida pelo presidente Lula ontem em Moscou. Durante a entrevista coletiva concedida ao lado do presidente russo, Dmitri Medvedev, Lula desviou o discurso em defesa da paz no Oriente Médio para lembrar a invasão soviética do Afeganistão (1979-1989). O comentário foi feito quase no fim da entrevista, dominada pela questão nuclear iraniana. Lula disse que o Irã é “apenas parte’’ do que precisa ser feito no Oriente Médio, a começar pelo conflito entre Israel e os palestinos. Em seguida fez uma relação com a história recente do país anfitrião. “Eu passei parte da minha juventude sendo contra a invasão do Afeganistão pela Rússia. Agora, quero paz no Afeganistão também’’, disse o presidente, puxando o braço de Medvedev, que pareceu surpreso. Jornalistas russos que pre-

SERGEI CHIRIKOV / POOL / REUTERS

senciaram a entrevista, porém, disseram que mal entenderam a declaração, devido à má qualidade da tradução simultânea. A confusão dos russos aumentou quando Lula disse que uma solução para o conflito no Afeganistão poderia incluir um projeto da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) para a produção de alimentos no país asiático. Medvedev começou a demonstrar impaciência. Quando Lula voltou a falar do Irã, o russo o interrompeu. “Eu e o presidente Lula concordamos em conversar por telefone depois [da visita ao Irã]’’, disse Medvedev, encerrando abruptamente a entrevista. Jornalistas russos contaram ter ficado surpresos com a menção à fracassada presença soviética no Afeganistão, em apoio ao governo marxista contra rebeldes muçulmanos. Mas ficaram em dúvida sobre qualificar o comentário de gafe. “A invasão do Afeganistão

Distraído, presidente russo surpreendeu-se com gesto de Lula

está associada a um período em que a União Soviética estava ruindo’’, disse Alexander Gabuev, do jornal “Kommersant’’. “Se Lula tivesse mencionado

/ LARANJA /

Fusão gera maior produtor mundial de suco FOLHAPRESS CITROSUCO E CITROVITA

decidiram unir suas operações em um negócio que cria a maior exportadora de suco de laranja do mundo. Juntas, serão responsáveis por quase 25% do consumo global. Atualmente a segunda e a terceira maior exportadora do setor no mundo, unidas ficam na frente da Cutrale, que manteve a liderança ao longo dos últimos 30 anos. A nova empresa deve faturar R$ 2 bilhões este ano. A produção, para a próxima safra, é estimada em 600 mil toneladas de suco concentrado. A Cutrale prevê para 2010 um faturamento de US$ 700 milhões,

com uma produção de 400 mil toneladas de suco. O Brasil produz 1,2 milhão de toneladas de suco, mas quase tudo é exportado. O consumo doméstico é de 35 mil toneladas. Os grupos Fischer, dono da Citrosuco, e Votorantim, dono da Citrovita, terão 50% cada da nova empresa. Os valores envolvidos na transação não foram divulgados. “Estamos vivendo um momento de consolidação acelerada no setor, com menos companhias, mas com companhias mais fortes”, disse o presidente da Citrosuco, Tales Lemos Cubero, que vai presidir a nova companhia. O negócio acontece em um

momento de crise para a laranja, que enfrenta a concorrência de outras bebidas. O consumo mundial do suco da fruta caiu 18,5% desde 2003. De 2,7 milhões de toneladas para 2,2 milhões de toneladas. “Hoje a laranja compete com energéticos, água de coco, chás e com o suco de outras frutas”, disse Cubero. “A união vai nos dar mais eficiência e competitividade, nos permitindo fazer frente a essa concorrência.” Apesar da queda no consumo, a redução da oferta, devido à quebra de safra no Brasil e na Flórida, tem levado a um aumento no preço da commodity. A caixa da laranja hoje vale algo como US$ 7, contra US$ 3 há um ano.

/ SELEÇÃO /

Bancos devem alterar horário durante a Copa FOLHAPRESS O HORÁRIO DO expediente de fun-

cionamento para o público das agências bancárias pode mudar nos dias dos jogos da seleção brasileira na Copa da África do Sul, que começa em junho. Na primeira fase, o Brasil fará dois jogos durante a semana: na estreia contra a Coreia do Norte, em 15 de junho, uma terça-feira, às 15h30, e contra Portugal, pela terceira partida, dia 25 (sexta-feira), às 11h. O due-

lo contra a Costa do Marfim (o segundo da fase) será no dia 20 (um domingo), às 15h30. O Sindicato dos Bancários de São Paulo enviou uma carta para a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) pleiteando que os funcionários sejam liberados nos horários dos jogos para assistirem às partidas da seleção. O sindicato paulista também alega que, caso o expediente de funcionamento não seja alterado, os bancos ficarão qua-

se vazios enquanto os jogadores brasileiros estiverem em campo, diminuindo a segurança. A Febraban, por meio de sua assessoria, afirmou que é normal mudar o horário das atividades bancárias quando há jogos do Brasil na Copa, mas que precisa receber um comunicado do Banco Central com as orientações. O Banco Central divulgou que ainda não tem uma definição sobre o assunto, mas que a questão será estudada.

a Tchechênia ou a Geórgia, aí sim seria constrangedor.’’ Torcedor apaixonado de futebol, Medvedev recebeu de presente uma camisa da sele-

ção brasileira. Questionado sobre o que achara da convocação de Dunga, pensou alguns segundos antes de responder, lacônico: “Gostei’’.


8

▶ ECONOMIA ◀

/ NOVO JORNAL / NATAL, SÁBADO, 15 DE MAIO DE 2010

DÓLAR

INDICADORES

COMERCIAL TURISMO PARALELO

1,804 1,830 1,970

EURO

IBOVESPA

TAXA SELIC

IPCA (IBGE)

2,227

-2,12% 63.412,47

9,5%

0,57%

AEROPORTO VOLTA A AMEAÇAR DECOLAGEM

/ SÃO GONÇALO / PELA QUINTA VEZ, GOVERNO PROMETE INICIAR CONSTRUÇÃO DO TERMINAL DE CARGAS E DE PASSAGEIROS DO AEROPORTO, QUE TEVE OBRAS INCIADAS HÁ 12 ANOS. PISTAS DEVEM ESTAR CONCLUÍDAS ESTE ANO CEDIDA / INFRAERO

DINARTE ASSUNÇÃO DO NOVO JORNAL

Governos do Estado e Federal asseguram que os prazos para lançamento de edital e início da conclusão da primeira etapa do Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante são julho e dezembro, respectivamente. Se cumpridas as datas, a partir de 2012 o terminal aeroportuário receberá três milhões de pessoas por ano, apenas 7,5% de sua capacidade total. O secretário estadual de Planejamento, Nelson Tavares, afirmou em coletiva na manhã de ontem que no próximo dia 25 deste mês a Casa Civil da Presidência da República se reunirá com o Governo do Estado, no Planalto, para apresentar o decreto final que concede, quando sancionado pelo presidente Lula, o direito à Anac de transferir a concessão. Nesse mesmo encontro, a minuta do edital objeto de disputa entre as empresas concorrentes à gestão do aeroporto será apresentada. Posteriormente à discussão do conteúdo dos documentos, eles serão encaminhados para a sanção do presidente e enviados ao Tribunal de Contas da União, que disporá de um mês para promover audiências públicas. O objetivo, nessa fase, é apurar os argumentos contestatórios e favoráveis ao conteúdo do edital. Ao fim dessa etapa, já em julho, o edital será lançado, assegura Tavares. Os quatro meses seguintes corresponderão ao trâmite da licitação. Três consórcios mantêm contato com o Governo do Estado, desde a época de gestão da então governadora Wilma de Faria, interessados na gestão do aeroporto. Dois deles são as empresas nacionais Andrade Gutierrez e

NOVA PROMESSA DOS

Camargo Corrêa, ambas envolvidas em escândalos de corrupção por lavagem de dinheiro e fraudes em licitações. O outro é o grupo espanhol AENA. Escolhida a melhor proposta, a vencedora deve assumir, em dezembro, o canteiro de obras da primeira etapa do aeroporto, que contempla a construção de um terminal para passageiros e outro para cargas. Questionado sobre o que garante que dessa vez os prazos serão cumpridos, o secretário Nelson Tavares afirmou que “a palavra” garante. “Mas já foi prometido antes”, questionamos, ao que ele rebateu: “Mas foi cumprido”, disse. Não custa lembrar que essa é a quinta vez que prometem o lançamento do edital. O próprio Governo do Estado, contudo, se diz insatisfeito com as indefinições que atrasam as obras do aeroporto, mas diz entender que a natureza do negócio, inédito no Brasil, gera essa burocracia. “É o primeiro aeroporto gerido pela iniciativa privada no país. É comum que haja esses entraves”, justificou Nelson Tavares. Até agora foram investidos R$ 150 milhões do PAC no projeto que só tem pronto as pistas de pouso e decolagem. A previsão total de custo com o aeroporto é R$ 1 bilhão. O consórcio vencedor da disputa deverá gerir o terminal pelos próximos 35 anos.

INDEFINIÇÕES

As obras do aeroporto começaram há 12 anos e paralisadas pela primeira vez sete anos atrás, por suscitar necessidade de um novo estudo técnico. Em 2004, foram retomadas, mas tudo que se fez até hoje foram as pistas de pouso e decolagem. Uma questão fiscal retardou ainda mais o desfecho dos problemas. Uma vez que se trata de um

Pistas de pouso, decolagem e taxiamento deverão ser concluídas até dezembro pela Infraero

LULA MARQUES / FOLHA IMAGEM

primeiro modelo de gestão pela iniciativa privada, a Procuradoria Geral da República questionou o método de arrecadação de impostos. No modelo de gestão a ser adotado para o AISGA, os ministros de Estado concordaram que a arrecadação auferida deve ser dividida entre o Tesouro Nacional e a empresa gestora do terminal.

/ COMENTÁRIO / A Palavra da Anac

O AEROPORTO

O Aeroporto Internacional de Cargas e Passageiros de São Gonçalo do Amarante terá a maior pista de pouso do Nordeste e quando concluído será o maior WALLACE ARAÚJO / NJ

É O PRIMEIRO AEROPORTO GERIDO PELA INICIATIVA PRIVADA NO PAÍS. É COMUM QUE HAJA ESSES ENTRAVES” Nelson Tavares Secretário de planejamento do RN

Solange Vieira, da Anac

terminal de cargas da América Latina. Além da pista principal, projetada para ter 3.000 metros de extensão e 60 metros de largura (a do Aeroporto Augusto Severo possui 2.600 metros por 45 metros), o Aeroporto de São Gonçalo terá mais cinco pistas para taxiar, com dimensões variáveis. Com a conclusão das pistas de pouso e táxi e da infra-estrutura de segurança de vôo (iluminação, sinalização, entre outros), o passo seguinte será a construção do terminal de passageiros que, quando estiver totalmente concluído, terá capacidade para receber até 40 milhões de pessoas por ano.

No início desta semana a presidente da Anac, Solange Vieira, fez uma declaração afirmando que a definição das concessões dos aeroportos deve ficar para o próximo governo, ou seja, não acontece este ano. O que deverá acontecer em Brasília no dia 25 será a assinatura de um decreto do presidente Luis Inácio Lula da Silva concedendo à Anac poderes para firmar contratos de concessão dos aeroportos, que são propriedade da União. Com esse decreto, a Infraero assinará contratos de 35 anos de duração com a Anac e passará a ser a concessionária dos aeroportos que já administra. Os contratos de concessão servirão como ativos da empresa a serem oferecidos como garantia para obtenção de empréstimos junto ao sistema financeiro. Com os recuros dos financiamentos, a Infraero vai poder bancar obras de reforma, ampliação e construção de novos aeroportos. O BNDES será o grande agente financiador da empresa, livrando o Tesouro de arcar com os investimen-

tos necessários para adequar os aeroportos do país à demanda da Copa do Mundo. Quando à expectativa do secretário de Planejamento, Nelson Tavares, de que a licitação da concessão do Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante se defina em quatro meses, é bom lembrar que a concorrência para escolha do consórcio responsável pela elaboração dos estudos de viabilidade do AISGA durou 11 meses. O processo, realizado pelo BNDES, foi aberto em fevereiro de 2008 e encerrado em dezembro do mesmo ano. O consórcio vencedor, liderado pela empresa Ernest & Young, foi contratado por R$ 1,5 milhão e até hoje não entregou os estudos concluídos. Os contratos de concessão deverão ainda ser submetidos à avaliação do Tribunal de Contas da União. Por isso, a palavra da presidente da Anac, dando conta de que as definições ficarão para o próximo governo, é mais realista. CARLOS PRADO Chefe de Redação

DIVULGAÇÃO PETROBRAS / ABR

/ BALANÇO /

Lucro da Petrobras cresceu 23% FOLHAPRESS

melhores do petróleo e pelo aumento das exportações, o lucro líquido da Petrobras cresceu 23% no primeiro trimestre ante o mesmo período de 2010 e alcançou R$ 7,726 bilhões. Já na comparação com o quarto trimestre (R$ 7,4 bilhões), o resultado avançou 4%, apesar da redução sazonal das vendas nos primeiros meses do ano, quando a economia está menos aquecida. O resultado superou as estimativas de bancos e corretoras, INFLUENCIADO POR PREÇOS

que previam lucro entre R$ 6,5 bilhões e R$ 7 bilhões nos primeiros três meses de 2010, e contrariou as estimativas de queda do lucro em relação ao último trimestre de 2009. “Produzimos mais petróleo, vendemos mais derivados no mercado doméstico e exportamos muito mais. Isso tudo contribuiu para aumentar o resultado do primeiro trimestre”, resumiu o diretor financeiro da Petrobras, Almir Barbassa. Apesar da desvalorização do dólar ante o começo de 2009, o crescimento do volume de produ-

tos vendidos ao exterior fez a Petrobras inverter o sinal de sua balança comercial: de deficit de US$ 150 milhões nos três primeiros meses de 2009 para superavit de R$ 772 milhões no mesmo período de 2010. Tal expansão se deve, em grande medida, à alta de 70% do preço do barril de petróleo Brent em um ano -o que anulou o efeito negativo do câmbio. Graças também ao crescimento de 2% da produção doméstica de petróleo, a estatal teve excedente para exportar e gerar mais receitas.

Segundo Barbassa, a curva de produção se manterá crescente em razão da instalação de plataformas ainda neste ano. Juntas, somarão capacidade adicional de produção de 400 mil barris/dia -quantidade que mais que compensa o declínio natural dos campos maduros de 170 mil barris/dia desde o primeiro trimestre de 2009. Ao lado da retomada do crescimento econômico e da boa safra de grãos (que ajudou na expansão das vendas de diesel), o preço maior do álcool no início deste ano beneficiou o desempe-

▶ Aumento da produção influiu no aumento dos lucros da estatal nho da Petrobras. É que houve migração do consumo para a gasolina, cujas vendas subiram 25% no primeiro trimestre, na esteira do preço menor na comparação com o álcool. A situação, porém, já se inverteu e o álcool se tornou mais barato com

o começo da safra da cana. Diante desses dois fatores e dos melhores preços do petróleo, o faturamento da Petrobras cresceu 18% ante o primeiro trimestre de 2009 e atingiu R$ 50,4 bilhões nos três primeiros meses deste ano.


Cidades

Editor Moura Neto

E-mail cidades@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

NATAL, SÁBADO, 15 DE MAIO DE 2010 / NOVO JORNAL /

9

BUROCRATA / JUSTIÇA / DIRETOR DO PRESÍDIO FEDERAL DE MOSSORÓ SE ESQUECE DE ASSINAR REMOÇÃO DE UM DOS ACUSADOS E JUÍZA É OBRIGADA A ADIAR JULGAMENTO DO ASSASSINATO DO IRMÃO DE ANTÔNIO VERAS MAGNUS NASCIMENTO / NJ

DISTRAÍDO MAGNUS NASCIMENTO / NJ

ANDERSON BARBOSA DO NOVO JORNAL

segurança foi das mais reforçadas, com 30 policiais de elite designados para a remoção de dois presos de Mossoró até Natal e garantia da integridade física dos acusados. Também se deslocaram até o Fórum Desembargador Miguel Seabra Fagundes, no bairro de Lagoa Nova - deixando seus afazeres particulares e profissionais - 25 cidadãos que participariam do sorteio para a escolha do júri popular. Sem falar da juíza, advogados, oficiais de justiça, testemunhas, promotoria, enfim, dezenas de pessoas que também perderam um tempo precioso para nada, já que não houve julgamento. Mas, por quê? O diretor do Presídio Federal de Mossoró, Kércio Pinto, avisado há duas semanas que o julgamento estava marcado para começar às 8h desta sexta-feira, simplesmente viajou para Brasília e não deixou assinada a autorização para a saída do preso Antônio Maia dos Santos, mais conhecido como ‘Baiano’. O acusado, ao lado do irmão Antônio Nicolau, o ‘Neném’ (se não fosse este pequeno detalhe), seriam julgados ontem pela morte do agropecuarista Vicente de Paula Veras Neto, 46, assassinado em 2003 com mais de 100 tiros. Vale lembrar que a vítima é irmão de Antônio Francisco da Nóbrega Martins Veras, ex-prefeito de Campo Grande, que no último dia 26 de março sofreu uma emboscada na entrada de sua fazenda e, com uma centena de disparos à queima-roupa, também acabou executado. Uma nova data para o julgamento dos réus foi marcada. Será no próximo dia 11 de junho. Baiano e Neném já são condenados da Justiça. No dia 28 de novembro de 2008, o primeiro foi sentenciado a 29 anos de cadeia. Já seu irmão pegou uma pena menor, de 12 anos. Eles foram considerados culpados pela morte de outro irmão de Antônio Veras, o panificador Júlio César da Nóbrega Martins Veras, executado três meses depois, mais precisamente no dia 4 de agosto.

A ESTRUTURA DE

FOMOS TODOS VÍTIMAS DE UMA GRANDE IRRESPONSALIDADE DO ESTADO. É CLARO QUE ESTOU INDIGNADO” Evânio Araújo Advogado de Defesa

A AUDIÊNCIA

Neném compareceu. Preso na Colônia Agrícola Mário Negócio, também em Mossoró, ele foi conduzido ao Tribunal sem problemas. Ficou trancado numa sala reservada. Já seu irmão, o Baiano, permaneceu no Presídio Federal. “Estou em Brasília. Já liguei para o presídio para ver se consigo resolver esse problema. Depois a gente LUCIANO LELLYS / JORNAL O MOSSOROENSE / 17.11.08

▶ Antônio Maia e Antônio Nicolau: condenados no primeiro julgamento

▶ Julgamento preparado, mas a ausência de um dos réus adiou a sessão e frustrou os presentes MAGNUS NASCIMENTO / NJ

se fala”. Estas foram as únicas palavras que o diretor da unidade prisional disse ao NOVO JORNAL. Já a juíza Ticiana Maria Delgado Nobre, visivelmente consternada com o episódio, limitou-se a lamentar. “Infelizmente tivemos este imprevisto. Como a presença dos dois réus era imprescindível, uma vez que teríamos projeções em telão, dentre outras mídias a serem expostas, não poderíamos julgálos em separado. Diante disso, já remarcamos o julgamento para o dia 11 de junho”, disse ela. Á reportagem, a magistrada confirmou que o diretor Kércio Pinto sabia que o júri estava marcado para a manhã de ontem. “O corregedor do Presídio Federal de Mossoró, Ivan Lira, inclusive, assinou o ofício de recebimento. Todos sabiam. Se ele esqueceu, se não foi comunicado, e se cabe alguma penalidade ao diretor, isso é o corregedor quem decidirá”, disse ela. Ivan Lira não foi localizado para falar do ocorrido. “Fomos todos vítimas de uma grande irresponsabilidade do Estado”, esbravejou o advogado Evânio Araújo. Defensor dos irmãos Baiano e Neném, ele se revelou indignado com a não realização do julgamento. “É claro que estou indignado. Meus clientes precisam provar que são inocentes. O que não pode é um diretor, por simples esquecimento, fazer ruir toda essa estrutura. Trinta policiais foram deslocados para garantir a segurança dos réus. Gastou-se combustível, diárias, alimentação. E os 25 juízes do júri? E a agenda da juíza? E a minha?”, reclamou. Apesar das críticas, Evânio Araújo preferiu não comentar sobre a situação de seus clientes. Disse apenas que eles jamais assumiram o homicídio e, muito menos, terem assassinado o irmão de Antônio Veras a mando de Valdetário Carneiro, bandido perigoso que naquela época ganhou notoriedade na mídia. Antes de ser morto em confronto com a polícia, em dezembro de 2003, Valdetário teria ganho inimizade com a família Veras, sendo também responsabilizado pela morte de alguns parentes e correligionário do ex-prefeito de Campo Grande.

INFELIZMENTE TIVEMOS ESSE IMPREVISTO. DIANTE DISSO, JÁ REMARCAMOS O JULGAMENTO” Ticiana Maria Delgado Juíza

DEPOIS DA MORTE DOS IRMÃOS, ANTÔNIO VERAS SABIA QUE TAMBÉM SERIA MORTO O ex-prefeito do município de Campo Grande, Antônio Veras, que também foi assassinado numa emboscada, já havia declarado várias vezes que algo de ruim ainda lhe aconteceria.

Tanto que, embora sem mandato político, recebeu do governo escolta policial como garantia de vida; tudo em virtude das mortes de seus irmãos Vicente de Paula Veras Neto e Júlio Cé-

sar da Nóbrega Martins Veras. Até hoje a polícia investiga a rivalidade entre as famílias Veras, de Campo Grande, e os Carneiro, de Caraúbas, cidades vizinhas na região Oeste potiguar.

O CASO

No dia 12 de maio de 2003, o agropecuarista Vicente de Paula Veras Neto, 46, então residente no sítio Monte Alegre, na Zona Rural de Janduís, foi assassinado juntamente com seu auxiliar, o agricultor Erimar Bezerra Alves, 20. Eles foram pegos numa emboscada na RN 233, entre as cidades de Triunfo Potiguar e Paraú. Ambos receberam mais de 100 disparos dos mais diversos calibres de arma de fogo. O local, inclusive, é o mesmo onde Antônio Veras e seus dois seguranças, os soldados da PM Solano Costa de Medeiros e Jackson Cristiano Dantas foram executados no final de março. Também é bom recordar que, três meses depois, no dia 4 de agosto, outro membro da família Veras, o panificador Júlio César da Nóbrega Martins Veras, irmão de Antônio e Vicente, morreu em

circunstâncias idênticas, também sendo assassinado com requintes de execução. Também acusados pelas mortes de Vicente e Erimar, os irmãos Antônio Maia dos Santos, o ‘Baiano’, e Antônio Nicolau, o ‘Neném’, segundo matérias publicadas pela mídia na época, teriam confessado participação em alguns assaltos a bancos e homicídios realizados no Rio Grande do Norte, Paraíba e no Maranhão nos últimos anos. De acordo com reportagem veiculada pelo extinto portal de notícias Cabugi.com, Baiano e Neném foram interrogados pelo então delegado Everaldo da Silva Fonseca, da Divisão Especial de Investigações Criminais (DEIC) na manhã do dia 11 de dezembro de 2003. Ao delegado, os dois também teriam admitido ter participado,

ao lado de Valdetário Benevides Carneiro, das mortes dos irmãos César e Vicente Veras. A reportagem em questão teve acesso aos relatórios dos depoimentos dos irmãos. “Matei os irmãos Veras a pedido de Valdetário Carneiro”, falou Baiano. Neném e Baiano, ao lado de um cunhado dos dois, também teriam matado o panificador Júlio César da Nóbrega Martins Veras. Baiano e Neném ainda disseram que entraram na vida do crime depois que conheceram Valdetário. Neném, na época com 22 anos, terminou seu depoimento dizendo que até aquele dia não sabia o motivo do pedido de Valdetário para que matasse os irmãos Veras. “Devia existir alguma rixa entre eles e Valdetário”, afirmou, completando que não recebeu nenhuma recompensa pelos crimes.


10

▶ CIDADES ◀

/ NOVO JORNAL / NATAL, SÁBADO, 15 DE MAIO DE 2010

CRÔNICA SOBRE

UM DIA DE VACINAÇÃO

/ H1N1 / REPÓRTER VAI AO CENTRO DE SAÚDE DE BRASÍLIA TEIMOSA E RETRATA SUA EXPERIÊNCIA ENTRE PESSOAS QUE FORAM IMUNIZADAS NEY DOUGLAS / NJ

MARCELO LIMA

DO NOVO JORNAL

OS GRUPOS DAS gestantes e dos jo-

vens com idade entre 20 a 29 anos foram os que menos tiveram indivíduos vacinados no Rio Grande do Norte. A reportagem do NOVO JORNAL constatou que poucas pessoas desse grupo procuram os postos de vacinação. Até agora, os idosos com doenças crônicas corresponderam ao chamado da campanha. Sem me identificar como repórter, fui a uma unidade de saúde para ser vacinado e percebi a realidade que condiz com os números da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sesap). Além disso, senti na pele a espera para ser atendido, que no meu caso foi de meia hora. Isso tudo ocorreu no Centro de Saúde de Brasília Teimosa, na rua Miramar. Com apenas 22 anos e sem deficiência física alguma, tive que esperar os trinta minutos. Depois de entrar na unidade de saúde através de um beco de areia, cheguei a um corredor escuro com cerca de um metro de largura. Em meio a um vai-e-vem de gente, pergunto a uma funcionária de jaleco onde posso me vacinar. “É ali onde estão aquelas senhoras”, apontou. As três mulheres da fila aparentavam mais de 60 anos. Até o dia 21 desse mês, os idosos devem se dirigir as unidades de saúde para se imunizar contra o vírus H1N1 e a gripe sazonal. As pessoas que fazem parte de outros grupos de vacinação (ver o quadro) e que ainda não se vacinaram, também podem tomar a dose para se prevenir contra a nova gripe. Como todas as pessoas que

entraram na minha frente eram idosos, elas foram imunizadas contra os dois tipos de gripe. Mas essa não é a única razão para passar tanto tempo na fila. No centro de saúde apenas uma funcionária aplicava as vacinas. Pelo menos, o Centro de Saúde colocou cadeiras de plástico e assentos à disposição da população no meio do corredor. Em vez de trazer mais conforto, o corredor fica mais claustrofóbico. “Esse beco velho e apertado da bexiga. Por isso que quando as crianças chegam aqui ficam morrendo sufocadas”, desabafou uma mulher que acompanhava uma idosa. O prédio realmente estava com uma atmosfera desagradável, em razão da reforma que está sendo realizada. Dois idosos chegaram depois de mim, passaram à frente em função da idade. Ambos se vacinaram contra os dois tipos de gripe. “Eu tomo a vacina todos os anos contra gripe normal”, orgulhou-se um senhor que chegou com sua mulher.

FILA

Um funcionário do Hotel Residence Praia, próximo da unidade de saúde, chegou apressado. “Será que demora muito?”, questionou às pessoas da fila, olhando rapidamente para o relógio. O meu relógio registrava 9h42. Quando ele chegou, havia três pessoas na fila depois de mim. Todas eram mulheres. Ele queria ser vacinado e não chegar atrasado ao emprego. “Eu trabalho de 10h às oito da noite. O horário que eu tenho para tomar é só esse”, completou. Enquanto isso, as mulheres da fila, por volta dos 30 anos, conversa-

DE FATO, O LOCAL DA APLICAÇÃO FICA DOLORIDO NO DECORRER DO DIA” Marcelo Lima Repórter

NÚMEROS

▶ Adultos de 30 a 39 anos vam sobre suas vidas amorosas e outras trivialidades, sem se importar com o tempo perdido ali. Antes de entrar na sala, observei que exatamente cinco pessoas estavam sentadas na fila de cadeiras: quatro mulheres e o apressado funcionário do hotel. “Será que eles ficam conversando aí dentro? 30 minutos para dar uma vacina é imoral”, disse este último. Quando a porta da sala se abriu, ele foi direto até a técnica em enfermagem. “Será que dá para a senhora agilizar um pouco? Eu tenho hora para ir trabalhar”, reclamou. A técnica em enfermagem assentiu com a cabeça e apenas chamou o “próximo!”, sem dar muita atenção ao pedido. Finalmente chegara a minha vez. Olhei para o relógio e vi que havia se passado mais de trinta mi-

nutos das 9h20, hora em que cheguei. Dentro da sala, a funcionária me fez um interrogatório cuidadoso e necessário. “Qual o seu nome? Idade? Tem alguma doença crônica? Tem alergia a ovo? Mora onde? Trouxe carteira de vacinação?”, despejou tudo isso, intercalando com as minhas respostas. Não levei o cartão de vacinação, mas não houve problemas. Também não foi necessário apresentar documento oficial de identificação. Ela carimbou um pedaço de papel com a sigla do Centro de Saúde CSBT, H1N1 e a data de hoje. A preparação para a vacina é rápida. Em menos de um minuto, a técnica em enfermagem combina a agulha, a seringa e o líquido da vacina. A aplicação é praticamente indolor. Depois de alguns

minutos, tive a sensação que o líquido percorria as veias do meu braço direito. Mas pode ser apenas uma impressão influenciada pelo que se comenta dos efeitos da vacina. De fato, o local da aplicação fica dolorido no decorrer do dia. Mas é completamente suportável. Identificado, o repórter fotográfico Ney Douglas, de 30 anos, entrou no Centro de Saúde minutos depois de mim e fotografou as pessoas dentro da sala de vacinação. Aproveitando o momento, ele também recebeu a sua dose. Vale lembrar que pessoas com doenças que causam febre (resfriado, gripe, etc) não devem tomar a vacina do H1N1. Somente poderão fazê-lo depois de curado. Alérgicos a ovo de galinha também não devem se imunizar.

Meta: 459.090 mil. Vacinas aplicadas: 86.600 ▶ Gestantes Meta: 56.083 mil. Vacinas aplicadas: 30.883. ▶ Doentes crônicos Meta: 279.530 mil. Vacinas aplicadas: 157.699 ▶ Maiores de 60 anos. Meta: 60.912. Vacinas aplicadas: 87.186. ▶ Crianças de seis meses a dois anos de vida Meta: 74.287. Vacinas aplicadas: 80.770 ▶ Jovens de 20 a 29 anos Meta: 606.442 Vacinas aplicadas: 429.706 ▶ Trabalhadores de saúde Meta: 31.379 Vacinas aplicadas: 32.410 ▶ Meta para o RN: 1.567.723 ▶ Vacinas aplicadas: 827.747

/ GREVE / / JUSTIÇA /

Envolvidos na morte do caçador de arribaçãs ainda sem julgamento CINCO TESTEMUNHAS ENVOLVIDAS

no caso do assassinato do caçador Emanuel Gesian Barbosa, de apenas 20 anos de idade, foram ouvidas pela juíza Maria Nivalda Torquato na tarde dessa quintafeira, no Fórum Desembargador João Maria Furtado, em João Câmara, ‘Neguinho’, como era mais conhecido o rapaz, caçava arribaçãs na zona rural de Jandaíra quando foi alvejado por dois tiros efetuados por fiscais do Ibama. O crime aconteceu no dia 20 de maio do ano passado. Este foi o primeiro procedimento em juízo sobre o caso, que ainda não tem data para o julgamento. Um dos réus, João Batista de Almeida Pereira, também compareceu. Foi com o advogado Heriberto Escolástico Bezerra Júnior. Já o outro fiscal, Severino Gomes Marinho, não se fez presente, apenas sua advogada, Amanda Rosália Rodrigues Sales. Vale frisar que os dois acusados não foram intimados. Os depoentes da oitiva, que antecede a audiência com os réus, é justamente uma das últimas fases preparatórias para o julgamen-

to final. Em João Câmara foram ouvidos Enoque Oliveira Freitas, José Ivanildo da Costa e João Batista de Souza Cunha. Todos serviam de guias, ou ‘mateiros, para os fiscais do Ibama nas matas de Jandaíra. Outro que foi ouvido pela juíza foi Leandro Silva Quirino, amigo de Emanuel. O rapaz, inclusive, estava ao lado de Neguinho quando os tiros foram disparados. O quinto depoente foi Manoel Vitorino da Silva, morador da região, que depôs contra a conduta dos fiscais nos assentamentos da região, destacando o tratamento sempre muito bruto com os caçadores que eram pegos com arribaçãs.

DEPOIMENTOS

O primeiro depoente da tarde foi Leandro Quirino, confirmando a versão que já tinha dado à polícia. Tanto ele, como seu amigo e companheiro de caça, Emanuel, teriam parado ao ouvirem vozes e verem quatro pessoas (os fiscais Severino, João Batista e mais dois mateiros), sendo que estes negam terem estado na cena do crime. O jovem negou estar de pos-

se de qualquer arma no momento do crime e afirmou não ter reagido, muito menos Emanuel. Mesmo assim, Neguinho foi alvejado por dois projéteis deflagrados pela arma de Severino. Ainda segundo a testemunha ocular, “os homens não deram chance pra gente. Já chegaram metendo bala”, afirmou. Leandro ainda afirma ter escutado de um dos homens as seguintes palavras: “Eu sabia que ele iria atirar em alguém hoje”. Ainda diz ter recebido seis balas retiradas de um revólver calibre 38 das mãos de um dos fiscais, como se este quisesse provar que não teria atirado em Emanuel. Outra contradição apresentada pelos mateiros foi a respeito de suas relações com o Ibama. Todos os três apresentaram versões diferentes. Enoque disse ser voluntário desde 2001, mesmo ano em que José Ivanildo começou a trabalhar com os fiscais nas temporadas de caça às arribaçãs. E também garantiu estar sendo pago desde então. Inclusive, diz ter recebido ordem de um homem chamado Jean para abrir uma conta no banco para receber

os pagamentos. Já João Batista, o terceiro mateiro, diz nunca ter recebido dinheiro pelo serviço, apenas trabalhava por ser parte de um programa existente nos assentamentos da região. Uma das poucas concordâncias nos depoimentos dos mateiros foi a respeito dos fiscais Severino e João Batista estarem armados, cada um com um revólver calibre 38 e sobre a quantidade de disparos no momento: três ao todo. Todos também afirmaram não ter bebido no dia do crime. Esta versão foi contestada por Manoel Vitorino, último a depor. Este afirmou ter sido confidenciado por um indivíduo identificado como ‘Ribeirinho’, dono de uma mercearia no assentamento onde fica a sede do Ibama em Jandaíra, que todos os fiscais e mateiros teriam dirigido-se à sua mercearia para comprar bebidas. E Severino, acusado de ter atirado em Emanuel, já estaria visivelmente embriagado, pouco tempo antes de ter saído em direção à mata. Na próxima quinta-feira, dia 20, o crime completará um ano.

SINPOL ESPERA NEGOCIAR NA PRÓXIMA SEMANA TIAGO LIMA / NJ

policiais civis do Rio Grande do Norte completa hoje seis dias sem negociação à vista. Desde segunda-feira passada, a categoria paralisou as atividades almejando conquistar melhores condições de trabalho, mas ainda não negociou com nenhum representante do governo para retornar ao trabalho. O vice-presidente do sindicato dos Policiais Civis (Sinpol/ RN), Djair Oliveira, espera para a próxima semana o início de um entendimento com o governo sobre as reivindicações em pauta. Segundo ele, com a chegada na próxima segunda-feira do governador Iberê Ferreira de Souza, que se encontra realizando tratamento de saúde em São Paulo, a expectativa é de que o Sinpol seja convocado para um encontro. Djair estima que 100% da categoria aderiu à luta. Após a oficialização da greve, os servidores têm realizado assembléias todos os dias na sede do sindicato, além de freqüentes atos de manifestação realizados pelos servidores em frente às delegacias. A principal reivindicação é a retirada dos presos provisórios das delegacias. Na última greve do Sinpol, em março, esse também foi um dos pleitos da classe. O governo prometeu retirar os presos até o dia 15 de abril,

A GREVE DOS

▶ Djair Oliveira, do Sinpol mas não cumpriu o prazo. “Queremos que a Sejuc (Secretaria Estadual de Justiça e Cidadania) assuma a carceragem dos detentos e nos forneça um cronograma de quando isso acontecerá”, informou Djair. Os policiais também exigem melhores condições de trabalho como a terceirização da limpeza das delegacias e do fornecimento de novos computadores. Djair descreve as unidades como “fétidas” por acumular sujeira e a acomodação dos detentos. Também exigem a realização do curso de formação dos aprovados no último concurso da Polícia Civil. “A delegacia não cumpre seu papel por causa das condições precárias”, afirmou o vice-presidente. A próxima assembléia será realizada às 8h, na próxima segunda-feira, na sede do sindicato,


▶ CIDADES ◀

NATAL, SÁBADO, 15 DE MAIO DE 2010 / NOVO JORNAL /

O PREÇO DE UM

11

/ MERCADO / ABUNDÂNCIA DE EVENTOS RELACIONADOS À CONCLUSÃO DE CURSOS TEM FAVORECIDO A EXPANSÃO DE EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS NESTE SEGMENTO

SONHO

FOTOS: MAGNUS NASCIMENTO / NJ

HUGO FRANÇA

DO NOVO JORNAL

A COMEMORAÇÃO PELA conquista de

AS FESTAS DE FORMATURA SE TORNARAM TRADIÇÃO E NÃO HÁ UM FORMANDO QUE NÃO SONHE COM O SEU BAILE” Augusto Benfica Organizador da exposição

um diploma não se restringe apenas ao formando e sua família. A festa dos concluintes aumenta o volume de negócios e gera empregos em empresas especializadas e prestadores de serviços neste segmento. Em Natal, já são contabilizadas 47 empresas de cerimoniais, o maior número entre as capitais nordestinas. Pioneiro no mercado natalense, onde hoje atua à frente da Cerimoniais.com, Júlio César é testemunha do crescimento significativo das empresas deste segmento. Segundo ele, em 2003 só existiam 11 empresas na área, hoje são 47, um aumento de mais de 300%. Esse “boom” mercadológico se intensificou com o aumento das festas, que já não se restringem apenas as pessoas que recebem o diploma de nível superior. Ensino médio, fundamental e até o préescolar colaboram para aumentar o volume de pessoas que decidem celebrar a conclusão de cursos. Segundo Júlio César, apesar das formaturas de turmas de nível superior serem caras, são as turmas de ensino médio que contratam as bandas de forró que cobram os maiores cachês, custando até R$ 45 mil. Esses gastos exorbitantes com as festas tornaram o setor bastante produtivo. “Há turmas que gastam até R$ 390 mil”, conta Júlio César. Para ele, na proporção que se criam novos cursos e turmas, tanto em universidades quanto no nível médio, aparecem mais empresas, o que torna o merca-

▶ Estudantes procuraram fechar negócios durante a realização da primeira edição da Expo Formaturas do mais competitivo e acaba forçando o empresário a optar por um sub-segmento. “Hoje eu só trabalho com turmas de medicina e direito. Das últimas 25 turmas de medicina da UFRN, 22 trabalharam comigo”, ressaltou. Apesar de haver turmas que gastam quase meio milhão de reais em uma única festa, é possível promover um evento por um preço bem mais acessível. “Com um bom número de alunos na turma é possível realizar uma festa custando R$ 2,5 mil para cada formando”,

avaliou. Segundo ele, para que a festa não saia muito cara é necessário que a comissão de formatura se reúna cada vez mais cedo, preferencialmente a partir do segundo semestre. “Existem cerimoniais para todos os custos e gostos, tudo vai depender do tamanho do seu sonho”, afirma. Esse “boom” comercial alavancou a primeira edição da Expo Formaturas, realizada entre terça e quinta-feira passada, num hotel em Ponta Negra. A feira foi voltada para empresas do segmento e comissões

de formatura. “Nesses tipos de eventos quem trabalha na área precisa aparecer, afinal quem não é visto não é lembrado”, ressaltou Júlio César.

TRADIÇÃO

Para o organizador da exposição, Augusto Benfica, o mercado de empresas prestadoras desse tipo de serviço cresceu em função da necessidade. “Hoje as festas de formatura se tornaram tradição e não há um único formando que seja que não sonhe desde os primeiros dias de aula com o seu bai-

le. Tínhamos até alguns anos atrás apenas uma empresa que fazia cerimoniais. Com a explosão de festas e serviços nessa área, o mercado está cheio de boas empresas e de muitas novidades”, explicou. A feira contou com 34 estandes de empresas de decoração, iluminação, cerimoniais, buffet, coquetel, bandas, orquestras, entre outros. Segundo a organização do evento, o público médio do evento foi de 8 mil pessoas, formado na sua maioria por estudantes e comissões de formatura.

DIANTE DA CONCORRÊNCIA, O DIFERENCIAL HÁ TURMAS QUE GASTAM ATÉ R$ 390 MIL. HOJE EU SÓ TRABALHO COM TURMAS DE MEDICINA E DIREITO” Júlio César Empresário

PARA COBRIR OS CUSTOS, É PRECISO COMEÇAR CEDO Com o crescimento do número de universidades e faculdades, a quantidade de alunos também cresceu e, consequentemente, as festas de formatura. A celebração já virou tradição e todo formando faz questão de uma noite inesquecível, com tudo que ele sempre sonhou, porém o investimento está saindo cada vez mais caro. Para a diretora da comissão de formatura da turma de medicina da UFRN de 2013.2, Mariana Torres, a organização tem que começar muito cedo, porque o investimento é muito alto e, para ser viável, os alunos tem que ir pagan-

do aos poucos. “Contratamos uma empresa de cerimonial no segundo ano do curso. Cada aluno recebeu um carnê de pagamento para quitar as parcelas mensais. O dinheiro é todo depositado numa conta que foi aberta em nome da comissão”, explica a futura médica. Segundo ela, que só vai se formar daqui a três anos e meio, a comemoração envolvendo a formatura está avaliada em R$ 220 mil. “É o preço de um grande sonho, vamos investir alto para marcar a nossa entrada no mercado de trabalho”, conta. Os gastos com as festas de conclusão do ensino médio são mais modestos. Segundo Leonardo Benfica, de 17 anos, membro da comissão de formatura de uma turma concluinte, as despesas irão

chegar perto dos R$ 100 mil. “Já fechamos algumas coisas, mas estamos na procura de empresas que possam ajudar na nossa festa, é muito dinheiro e é preciso cuidado na hora de escolher”, afirmou. Segundo ele, a turma do terceiro ano do ensino médio é composta por cerca de 100 alunos e cada um vai desembolsar cerca de R$ 1 mil. “Como somos uma turma grande, a festa acaba ficando barata, mas mesmo assim estamos realizando festas e outros eventos para angariar recursos”, conta. A comissão da qual ele faz parte ainda não possuía empresa de cerimonial, problema que foi resolvido na feira. “Queremos algo que marque nossas vidas e não simplesmente passe como uma festa qualquer”, explicou.

Nesse mercado concorrido, uma empresa pode se destacar por um pequeno ou grande diferencial. Na busca por esse “extra”, o cuiabano Márcio Nascimento veio a Natal expor seu produto. Ele possui uma empresa que trabalha com serviços de imagens voltados para formaturas. “Em um mercado que cresce em um nível exorbitante não podemos ficar restritos a uma cidade. Sempre que há uma exposição estou presente para mostrar o produto”, explicou. Segundo ele, o volume de negócios é grande e muitas vezes fechar negócio em cidades diferentes fortalece o nome da empresa em outros estados. “Isso ajuda muito para que a empresa seja reconhecida e isso conta bastante na hora de fechar negócio”, conta. Para a fotógrafa Fátima Melo, o mercado é competitivo e muitas vezes um pequeno detalhe pode trazer uma grande diferença. “Com tanta gente fazendo festa é preciso sair da mesmice, ninguém mais quer somente um álbum de formatura”, conta. Entre os diferenciais oferecidos pela fotógrafa estão até chinelas com as fotografias dos formandos. Outro ponto necessário nas festas é a questão da iluminação e som. Procurando conseguir mais clientes, o empresário Renato Segundo montou um estande na Expo Formaturas. “É fácil falar de som e iluminação,

▶ Renato Costa, empresário: “Em feiras podemos mostrar nosso potencial” mas são em feiras que podemos mostrar todo o nosso potencial”, explicou. No estande, o empresário mostrou o funcionamento de mesas digitais de som, moving lights, entre outros. “Pra dar um diferencial além da tecnologia de ponta, estamos trabalhando com a questão da energia verde, com produtos que ofereçam o menor gasto de energia possí-

vel”, conta. A empresa dele não é especialista em formaturas, mas devido ao crescimento do mercado, ficar de fora não é mais uma opção. “Trabalhamos muito mais com shows, mas essa parcela do mercado tem crescido e agora iremos correr atrás da nossa fatia”, conta Renato Segundo.


Midway Mall 12

Editor Franklin Jorge

E-mail midway@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

/ NOVO JORNAL / NATAL, SÁBADO, 15 DE MAIO DE 2010

MODA

FOTOS: WALLACE ARAÚJO / NJ

VERDE E AMARELA

▶ Nos brincos as cores do Brasil

/ COPA / EVENTO INCRMENTA MUNDO FASHION

AMBAS SÃO AUTÊNTICAS, MAS

MARCELO LIMA

DO NOVO JORNAL

UMA É PARA JOGO E OUTRA É MAIS NO

UMA ESTAÇÃO DA moda que só acontece a cada quatro anos come-

ça a deixar as vitrines das lojas verde e amarelas. Com menos de um mês para o início da Copa do Mundo, as opções de roupas contemplam todas as faixas de idade e sexos. Para as mulheres, a moda para o Mundial de futebol se conecta com as tendências em vigor. Segundo a vendedora da loja feminina Charlotti, Débora Raissa da Silva, o visual com blusas sobrepostas - geralmente feito com colete de tecido leve e mais aberto - continuam uma sensação. “O colete surgiu na coleção verão do ano passado e está durando até agora. Entraram na moda e não saíram mais”, explicou. Conforme Débora da Silva, as blusas básicas ou regatas caem bem sob os coletes. O diferencial desse item do vestuário para a Copa são as cores que identificam o torcedor brasileiro. Da cintura para baixo, os cintos finos e shorts curtos bicolores são uma alternativa confortável e elegante. Quando o busto estiver vestido de verde e amarelo, “os shorts podem ser em tom de jeans mesmo”, acrescentou a vendedora. Além disso, acessórios, como pulseiras coloridas, brincos e bolsas vão completar a indumentária de muitas brasileiras. As blusas com temas que lembram o campeonato na África do Sul também estarão em alta, como em edições anteriores. Para aqueles que vão presenciar a copa pela primeira vez, os macacões com as cores reinantes da época são os modelos que podem cair bem para os bebês. As crianças maiores também seguem a tendência da moda adulta, mas tudo em proporções menores.

ESTILO TORCEDOR” Michely Roberta Vendedora

▶ Copa inspira vários modelos de camisas

COMO DE COSTUME, VOU COMPRAR UMA CAMISA, TALVEZ UM BONÉ DO BRASIL TAMBÉM” Roberto Guilherme Estudante

▶ As vitrines exaltam o futebol brasileiro

ROTEIRO roteiro@novojornal.jor.br

CINEMA

ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS 3D – 10 anos. Cinemark: 13h50 – 16h20 (DUB) 18h50 – 21h20 (LEG).

ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS – 10 anos. Cinemark: 12h10 – 14h40 – 17h10 – 19h40 – 22h20 (DUB). Moviecom: 14h15 – 16h30 – 18h45 – 21h00 (DUB) 14h55 – 17h10 – 19h25 – 21h40 (LEG). ACONTECEU EM WOODSTOCK – 14 anos. Cinemark: 14h00 (LEG).

A HORA DO PESADELO – 18 anos. Cinemark: 17h10 – 19h30 – 21h45 (LEG). Moviecom: 15h45 – 17h50 – 19h55 – 22h00 (LEG).

Para os torcedores que querem ficar parecidos com os escolhidos de Dunga, as opções são diversas. O estudante Roberto Guilherme da Silva, de 19 anos, ainda não adquiriu o seu “kittorcedor”, porém, ele já planeja o que será. “Como de costume, vou comprar uma camisa, talvez um boné do Brasil também”, declarou. Com poucas esperanças na seleção brasileira, o estudante também pretende ter um segundo time para torcer. “Vou torcer pela Holanda porque é um time legal, mas também porque o técnico do Brasil está muito fraco”, justificou, criticando a escalação da Seleção na autoridade de torcedor-técnico que todo brasileiro possui. Em algumas lojas esportivas, como a Centauro, o torcedor também pode encontrar camisas oficiais e blusões de Seleções estrangeiras, até mesmo da Argentina. Do Brasil, a vendedora Michely Roberta F. Silva oferece duas possibilidades de camisas oficiais. “Ambas são autênticas, mas uma é para jogo e outra é mais no estilo torcedor”, esclareceu. Conforme a vendedora, a camisa para jogos é feita de um tipo de tecido (dry-fit) mais leve na parte frontal. “Os furinhos da camisa (as laterais ventiladas) são feitas de garrafa pet”, comentou. A camisa no estilo torcedor (réplica) não foi constituída com essas preocupações ambientais. Ela é um pouco mais pesada que a outra e tem a frase motivadora, “nascidos para torcer”, na parte interna da camisa, na altura da etiqueta. Essa custa R$ 50 a menos que a outra. Quem se identifica com os goleiros pode adquirir as camisas nas cores verde, vermelha e preta. Além disso, de acordo com Michely Silva, há uma camisa branca com detalhes azuis que os jogadores utilizam ao chegar ao estádio, poucos momentos antes do início da partida. A escolha também pode pender para as camisetas com temas diversos. Algumas remetem a própria África do Sul, a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e aos anos em que a Seleção Brasileira conquistou os cinco títulos do Mundial.

MÚSICA

COMO TREINAR SEU DRAGÃO – Livre. Cinemark: 12h40 – 15h00 (DUB).

CHICO XAVIER – Livre. Cinemark: 16h40 – 19h20 – 22h00 (NAC). Moviecom: 14h10 – 16h35 – 19h00 – 21h25 (NAC). MISSÃO QUASE IMPOSSÍVEL – 10 anos. Cinemark: 12h05 – 14h15 – CAÇADOR DE RECOMPENSA – 14 16h30 (DUB). Moviecom: 15h30 – anos. Cinemark: 19h10 – 21h50 (LEG). 17h30 – 19h30 – 21h30 (DUB).

HOMEM DE FERRO 2 – 12 Anos. Cinemark: 12h00 – 14h50 – 17h40 – 20h30 (DUB). 13h00 – 15h40 – 18h30 – 21h30 (LEG). Moviecom: 13h55 – 16h20 – 18h45 – 21h10 (DUB). 14h30 – 16h55 – 19h20 – 21h45 (LEG). ROBIN HOOD – 14 anos. Cinemark: 11h50 - 14h55 - 17h55 - 21h00 00h00 (DUB) 12h50 - 15h50 - 19h50 - 22h00 (LEG). Moviecom: 15h10 – 17h55 – 20h40 – (SAB E DOM) 13h30 – 16h10 – 18h55 – 21h40.

O projeto Pôr do Som no rio Potengi tem como convidados a cantora Lene Macêdo e o violonista Jô Fernandes. Passeio no estuário do rio começa às 16h15 a bordo de um catamarã. A cantora baiana Márcia Freire mata a saudade dos velhos tempos do Axé Music na boate Feitiço. Haverá a participação da banda Magia e de DJs. O som começa a partir das 21 horas. O projeto Praia Shopping Musical recebe Krhystal e Ricardo Baia com o show A Pedra e o Peixe a partir das 21 horas.


Social

Edito Editor Franklin Jorge Frank

E-mail social@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

NATAL, SÁBADO, 15 DE MAIO DE 2010 / NOVO JORNAL /

Marcos

13

No Brasil, quem tem ética parece anormal”

Sadepaula

Mário Covas

sadepaula@novojornal.jor.br

Deu na Mônica Na coluna da Mônica Bergamo de quinta, maior destaque para o jantar oferecido na casa do empresário Flávio Rocha para os bens de Sampa. Anna Cláudia Rocha, antriã da festa, ajudou a receber Tutinha Carvalho, da Jovem Pan, o empresário Denis Araujo, o presidente da TAM Líbano Barroso, o dono da Vivará Nelson Kaufman com Sandra Boechat e Missy de Bellis com Clotaire Rapaille, o homenageado da noite, dentre outros.

Hoje tem Arraiasa

D’LUCA / NJ

▶ Flávia Freire,

Fabiana Gondim e Dell Marques experimentando bolos nupciais na Todeschinni

A banda Asa de Águia promove a segunda edição do Arraiasa na Vila Folia que terá, além da turma de Durval Lelys, a animação do Forró dos Plays, Forró da Pegação e Cavaleiros do Forró. O axé se transforma em forró, aproveitando a proximidade das festas juninas, e o Asa aproveita bem esse “clima”. Os ingressos para o evento podem ser adquiridos na Central do Carnatal, no Natal Shopping.

Matinês

D’LUCA / NJ D’LUCA / NJ

▶ A jovem escritora

Ana Laura com es seus pais, Diógen es, e Fernanda Jall autografando seu livro “A menina da bola rosa” na

▶ Antonio Gentil

entre os manos Bruno e Walter Alves, na festa da Botton do Midway Mall

Siciliano

LETÍCIA MOREIRA

Hoje e durantes o próximos sábados de maio (22 e 29), sempre ás 17h, haverá matinês no Circo Tropa Trupe. Embora voltado ao público infantil, o espetáculo agrada a todos que ainda mantém o espírito jovem. Também toda a família pode se divertir no Parque lúdico com a cama elástica e a Lanchonete DuCirco. A entrada custa R$ 5 (adulto) e R$ 2 (crianças). D’LUCA / NJ

/ FOLHA IMAGEM

Até que enfim!!! Depois de um temporal que cancelou a festa de cinco anos no mês passado, será comemorado com muito agito hoje, às 20 horas, no jardim do Palácio da Cultura (Cidade Alta), o aniversário do Bardallo’s tendo como atrações o grupo de samba de raiz Arquivo Vivo, a Orquestra Boca Seca e a banda DuSouto. Lula Belmont, o proprietário da casa informa que a proposta do bar é agregar comes e bebes a eventos culturais com destaque para exposições de artes plásticas e shows musicais, além de festas temáticas. O nome Bardallo’s tem explicação: sempre por volta da meia-noite, Belmont toca um sino que compõe a decoração do bar alertando os clientes que dali a uma hora o estabelecimento será fechado. “Umas pessoas aceitam as badaladas numa boa, outras reclamam porque querem car mais tempo no bar curtindo a boa música, a birita e os petiscos do cardápio”, informa.

o ▶ Suely Campeldes ,

e Diego Fernan do departamento y, de MKT do Midwa ta prestigiando a fes da la are am verde e Botton

o, ▶ Tutinha Carvalh Pan,

da Jovem é recebido em jantar na casa do io empresário Fláv Rocha

D’LUCA / NJ

Só dá ele... É show!!! Imperdível hoje no Praia Shopping Musical a apresentação de Khrystal e Ricardo Baia com o show A Pedra e o Peixe, a partir das 21h.

Raphael Bender o, Henrique Pachec , Diogo Guanabara o Glauber Gentil e a éric jogador do Am Júlio Terceiro no lançamento da da coleção B Brasil

Depois de recepcionar junto aos meninos do Macaxeira Jazz os convidados para o laçamento da coleção da Botton na loja do Midway, quinta passada, Diogo Guanabara volta mais uma vez ao palco do Jobim para comandar a noite de hoje com muitas Bossas e Sambas a partir das 21h30.

Botton

FOTOS: D'LUCA / NJ

Lançamento da coleção B Brasil, a grife do hexa da Botton, no Midway Mall ▶ Glauber Gentil, Pinto Júnior e João Bezerra

▶ Mabel Moraes, Mira Maria e Manuella Torres

▶ Os Macaxeirase

▶ Os jornalistas Dionísio Outeda e Alan Oliviera

▶ Talita Araújo, Bruna Oliveira, Francisco Lima e Raiana Almeida ▶ Melissa Paiva

▶ Andrea Lima

▶ Glauber Gentil com Ricardo Bezerra, da Destaque


Cultura 14

Editor Franklin Jorge

E-mail cultura@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

/ NOVO JORNAL / NATAL, SÁBADO, 15 DE MAIO DE 2010

A EMISSORA

HUMBERTO SALES / NJ

LOCAL / TV UNIÃO / PIONEIRA NO SEGMENTO, CANAL PRIORIZA A PRODUÇÃO DE PROGRAMAS INSPIRADOS NA CULTURA POTIGUAR FÁBIO FARIAS

DO NOVO JORNAL

UMA EMISSORA QUE valoriza a produção local. Em

poucas palavras é assim que pode resumir a ideologia que norteia a programação e o funcionamento da TV União Natal, no ar desde outubro de 2005 na CaboTV canal 22. Fruto da iniciativa dos radialistas e empresários Manoel Ramalho e Wilma Ramalho, a empresa atual nasceu depois do fim da TV Natal e como uma forma de ocupar o canal destinado à programação local oferecido pela Cabo TV. Manoel conta que entrou no mercado de comunicação em 1994, quando montaram a TV a cabo em Assu. Em 99, Ramalho recebeu o convite do empresário Bira Rocha, da CBR – a atual Cabo Natal – para prestar consultoria e implantar uma emissora de TV fechada e com programação voltada inteiramente para as demandas locais. “Depois disso, auxiliei na implantação da Cabo em Assu. Quando voltei para Natal, assumi o canal local da TV a cabo”, disse. A iniciativa para assumir a emissora veio por conta da experiência de Manoel com transmissão de televisão na cidade de Assu. Em 31 de março de 2003, ele entrou no ar pela primeira vez com a TV Natal. Pouco tempo depois, os empresários arrendaram o canal 17 UHF como TV Potiguar. “Ficamos no ar na Cabo TV e na UHF”, disse. O arrendamento durou um ano, até o empresário ter que devolver a concessão e voltar para a TV fechada. Com a necessidade de preencher a programação – já que a produção local não supria todo conteúdo – Ramalho procurou a Rede União em Fortaleza para fechar uma parceria. O diferencial deles é que quem carrega o sinal é a filial potiguar, não o contrário. “Não é uma afiliada de lá, temos toda a liberdade de montar nossa programação da forma que quisermos”, ressalta. E sobre o fato de transmitirem apenas via canal fechado, ou satélite, Ramalho é enfático. “Assim como o sinal digital, a TV fechada é tendência mundial”. Um dos maiores diferenciais da TV União é a cobertura completa do campeonato estadual. É a única emissora a exibir os jogos da competição. “A gente teve coragem de partir para uma transmissão ao vivo via satélite”, disse. Ele destaca que há seis anos eles transmitem a competição. Isso começou como uma forma de incentivar o esporte local. “Eu queria fazer o torcedor do Rio Grande do Norte assistir o seu time na televisão”, disse. A iniciativa movimentou a cidade e, apesar da TV União não fazer medição de audiência, segundo Ramalho é um dos momentos de maior receptividade do público. ARGEMIRO LIMA / NJ

▶ Sede da emissora em Candelária Outro programa famoso na emissora é o RN Urgente. Apresentado por Wilma Ramalho, ele tem como principal característica o jornalismo policial. O programa foi idéia de Mario Sérgio e foi ao ar pela primeira vez em abril de 2005, apresentado pelo jornalista. O RN Urgente passou a ser apresentado por Wilma depois que Sérgio teve saiu para outra emissora. “Fizemos primeiro à caráter de teste, deu certo e assumi”, disse Wilma. Ela ressalta que é o único pro-

grama de jornalismo policial apresentado por uma mulher. “Deu tão certo que se formos mandar abraço para todo mundo que pede, o programa seria apenas isso”, disse. São seis pessoas que trabalham nos bastidores do programa policial. Recentemente o RN Urgente teve problemas porque a emissora Band Natal usou a marca em outro programa de característica semelhante. “Já resolvemos essa questão e eles vão retirar o nome”, disse Manoel. Com ex-

ceção do jornalismo policial e esportivo, todos os outros programas da emissora são produções independentes locais. “Cerca de 80% vem de fora” A idéia é ter oferecer um leque de opções para os espectadores. “Temos programas de saúde, de variedades, uma série de coisas”, enfatiza Ramalho. Para comprar um espaço na emissora, o interessado tem que desembolsar entre R$ 4 e R$ 8 mil dependendo da duração e do horário.

ARGEMIRO LIMA / NJ

A GENTE TEVE CORAGEM DE PARTIR PARA UMA TRANSMISSÃO AO VIVO VIA SATÉLITE” Manoel Ramalho Superintendente da TV União

Manoel destaca também outro aspecto da emissora. A TV União, para ele, é a mais democrática da cidade por não ter políticos na direção. “Não sou candidato a nada, nunca fui e nunca serei, somos profissionais da TV”. Ele ressalta que os programas da emissora recebem políticos de todos os partidos, sem nenhuma distinção. Além disso, foi a primeira a ser transmitida via satélite para todo o Estado. “Fizemos isso em 2007, logo depois as outras fizeram o mesmo”. Graças

a essa forma de transmissão, eles cobrem festivais e outros eventos no interior. “Temos muito feedback positivo da população”, disse. Entre as dificuldades enfrentadas pelo casal de empresários, a principal é o alto custo do equipamento e do pessoal, num mercado competitivo como o natalense – que hoje conta com cinco emissoras. Existe também uma dificuldade em levantar cotas de patrocínio por serem veiculados em canal fecha-

do. Apesar disso, eles já planejam o futuro. Eles estão investindo na ampliação da sede e na criação de uma rádio web e na disponibilização sob demanda do conteúdo da TV. “Vai tocar só MPQ, música popular de qualidade”, ressalta Manoel. O site vai se chamar “Minha RádioTV” e deve entrar no ar até o final do ano. Outra cobertura ação que promete agitar o mercado é a transmissão da Copa do Nordeste. “Fizemos uma parceria e vamos transmitir a competição”, garante.

MAGNUS NASCIMENTO / NJ

▶ Manoel e Wilma Ramalho, diretores

▶ Equipe de jornalistas trabalhando na transmissão do Campeonato Estadual de Futebol com sinal 100% digital para todo o estado

MAGNUS NASCIMENTO / NJ


Esportes

Editor Marcos Bezerra

E-mail esportes@novojornal.jor.br

Fones 84 3201.2443 / 3221.3438

NATAL, SÁBADO, 15 DE MAIO DE 2010 / NOVO JORNAL /

15

AMÉRICA TENTA PRIMEIRA VITÓRIA NA “B” / ALVIRRUBRO / GILMAR ISER MUDA EQUIPE E, EM BUSCA DE UMA RECUPERAÇÃO RÁPIDA NA TABELA, VAI JOGAR NO ATAQUE AUGUSTO RATIS / NJ

ARGEMIRO LIMA / NJ

BRUNO ARAÚJO

DO NOVO JORNAL

dúvidas do técnico Gilmar Iser, e de espera da torcida americana, acabou. Hoje, às 21 horas, os torcedores reencontrarão sua equipe no estádio Machadão, quando o América entrará em campo para tentar conquistar seus primeiros pontos na Série B do Campeonato Brasileiro. O adversário da vez é o São Caetano que, também sem marcar pontos, quer dar seus primeiros passos à frente na competição nacional. E o reencontro não reservará surpresa alguma à torcida americana. O zagueiro Asprilla foi confirmado na vaga deixada por Douglas, expulso na estreia contra o Bahia. Sem poder contar também com o volante Júlio Terceiro, igualmente expulso no duelo contra o Tricolor Baiano, Iser preferiu deixar de lado o esquema com apenas um atacante para atuar com uma dupla ofensiva. Os atacantes Eraldo e Adriano Magrão disputaram a vaga até os últimos minutos dos treinos da semana, para então o comandante rubro tomar a decisão. “Vamos sair jogando com o Eraldo. Ele é um jogador um pouco mais ve-

A SEMANA DE

▶ Torcedor, que compareceu ao treino, vai ter primeira chance de ver o time loz para utilizarmos no início do jogo”, justificou. Apesar disso, Iser sinalizou com a entrada do ex-atacante do Fluminense no segundo tempo. “O Magrão fica como opção para o segundo tempo. Acredito que nesse momento, quando o adversário estiver mais cansado, ele possa render um pouco mais ao explorar a melhor característica dele: a finalização.” Outra possível surpresa na equipe foi descartada, a entrada do meia Rodrigo Dantas, ex-Botafogo. O jogador encheu os olhos da torcida durante os treinamentos da semana com bons lançamentos e jogadas rápidas, mas não ini-

ciará a partida no time titular. “O Rodrigo se portou bem e nos ajudará durante a competição, mas para essa partida, ficará como opção”, observou Gilmar Iser. O treinador americano minimizou os problemas do adversário – que dispensou quatro atletas e o técnico Roberto Fonseca, ex-América, no início da semana – e acredita num jogo difícil. “Nosso adversário já mostrou que é uma boa equipe, jogou de igual para igual com o Figueirense/SC, mas acabou derrotado. Temos que ter calma, tranquilidade para não sermos surpreendidos”, apontou. O gaúcho destacou ainda a

▶ Baitello: missão difícil em Natal importância da vitória nos duelos em casa para garantir um bom campeonato. “Nós sabemos da necessidade de somar três pontos nessa partida e em todas as outras dentro de casa. Precisamos de um aproveitamento entre 80 e 100% para brigar na parte de cima da tabela”, estimou.

SÃO CAETANO

Após a perda do título do interior paulista e a derrota para o Figueirense na primeira rodada da Segundona, a crise começa a rondar o time do ABC paulista. Como conseqüência, além da queda de Roberto Fonseca, outros quatro jo-

gadores – o lateral-esquerdo Bruno Bertucci, o volante Adriano, o zagueiro Glauber e o atacante Wanderley – também deixaram o clube. A dura missão de colocar o Azulão de volta aos trilhos está nas mãos – ou na prancheta – do auxiliar técnico Ivan Baitello até que a diretoria defina o novo técnico. “Não é hora de mudanças drásticas. O que tenho passado para cada jogador, individualmente, é a confiança. Com isso, a postura do time será mais vibrante do que foi na estreia” prometeu Baitello que pretende aproveitar a extensão do campo do Machadão para vencer os anfitriões. “Devemos ser inteligentes, com a posse de bola no campo ofensivo e, sem ela, atacar usando o que temos de melhor: a velocidade”, disse Ivan que fez o último treino, ontem à tarde, no CT do abecedista. Sem poder contar com os volantes Lucas e Jairo, machucados, Moradei deve ter uma nova chance ao lado do recémcontratado Augusto Recife, que jogou a temporada passada pelo ABC. Na lateral-esquerda, Bruno busca espaço com Fernandinho. Ciente da responsabilidade do treinador interino e do grupo para afastar a nuvem negra que se

FICHA TÉCNICA AMÉRICA Rodolpho; Edson Rocha, Jackson e Asprilla; Berg, Élielton, Juninho, Saulo e Thoni; Flávio e Eraldo. o. Técnico: Gilmar Iser.

SÃO CAETANO Luiz; Artur, Marcelo Batatais, Anderson Marques e Bruno Recife; Moradei, Augusto Recife, Éverton Ribeiro e Luciano Henrique; Eduardo e Mazinho (Fernandes). Técnico: Ivan Baitello.

Estádio: Machadão Horário: 21h Arbitro: Nielson Nogueira Dias (PE)

aproxima do São Caetano, o goleiro Luiz reforça a importância do grupo. “Se queremos ser vencedores, precisamos dar a resposta em campo. Ninguém ganha ou perde sozinho. Sabemos da qualidade do América, que também perdeu na estreia, mas temos nossas responsabilidades”, afirmou.


16

▶ ESPORTES ◀

/ NOVO JORNAL / NATAL, SÁBADO, 15 DE MAIO DE 2010

MARCELLO CASAL JR. / ABR

LEMBRARAM DA

BOLA

/ 2014 / FNF COMEÇA A SER OUVIDA APÓS O NOVO JORNAL MOSTRAR QUE DIRIGENTES ESTAVAM FORA DO PROJETO DA COPA IVANÍZIO RAMOS / SECOPA

RAFAEL DUARTE

DO NOVO JORNAL

Federação Norte-riograndense de Futebol, José Vanildo da Silva, foi convidado a integrar a comissão do Esporte no Comitê Gestor da Copa 2014, onde as entidades costumam apresentar sugestões. O convite partiu do secretário especial da Copa do Mundo de 2014, Fernando Fernandes, no mesmo dia em que o NOVO JORNAL estampou na manchete “Presidente da FNF critica ‘bando de oportunistas’”, uma opinião de José Vanildo sobre o fato da Federação não ter sido chamada a debater as resoluções que vêm sendo tomadas em relação à Copa do Mundo de 2014. Na reportagem “Esqueceram a Bola”, que deu origem à manchete do jornal, Vanildo ganhou a solidariedade de dirigentes dos principais clubes da cidade e de atletas consagrados que fizeram história na cidade, como Danilo Menezes, Alberi e Souza, todos cobrando a presença da federação na comissão. Além do presidente da FNF, que aceitou o convite, já integram o grupo, os secretários municipal e estadual de Esportes. O titular de esportes do Estado, Júlio Protásio, é o presidente da comissão. Procurado pela reportagem, o presidente da FNF, José Vanildo, espera que o convite não fique no discurso. “Quero ser ouvido, apenas isso. Minha preocupação é com o interesse dos clubes. Agora, espero que o fato se concretize e passe do jogo de palavras”, afirmou. Em relação ao papel que ele vai desempenhar nessa comissão e o calendário de reuniões com os demais membros e a secretaria especial da Copa,

O PRESIDENTE DA

BRASÍLIA – Certeza, certeza mes-

▶ José Vanildo apresentou o projeto de reforma do Juvenal Lamartine ao secretário especial da Copa: opção para treinos

A FNF SERÁ CONVIDADA JUSTAMENTE NESSE MOMENTO, QUANDO AS REUNIÕES SERÃO MAIS ESPECÍFICAS SOBRE O FUTEBOL” Fernando Fernandes Secretário Especial da Copa

o presidente afirmou que ainda não foi informado. No entanto, aguarda o primeiro encontro. “Fernando Fernandes ficou de falar com o governador e deve me procurar. Vou aguardar agora”, disse. A equipe do NOVO JORNAL tentou contato com Fernando Fernandes, mas ele não atendeu aos telefonemas. No início da noite de ontem, no entanto, a assessoria de imprensa da secretaria enviou uma declaração do secretário. “A FNF é fundamental nesse processo da Copa em Natal. Desde que assumi o desafio na Secopa, realizamos

um contato com o presidente José Vanildo e hoje [ontem] realizamos o encontro. Foi fundamental para conhecer o projeto do Novo Juvenal Lamartine e discutir ações sobre a Copa do Mundo de 2014 em Natal. A FNF será convidada justamente nesse momento, quando as reuniões serão mais específicas sobre o futebol”, disse. Na mesma reunião que garantiu o convite para a comissão, José Vanildo apresentou o projeto do Novo Juvenal Lamartine que, se posto em prática, pode vir a ser o centro de treinamento para as seleções do Mundial

em 2014. Na edição de ontem do NOVO JORNAL, o presidente da FNF adiantou que o projeto, orçado em R$ 15 milhões, incluiria a construção de um centro cultural com 27 lojas, novo módulo de arquibancadas tipo tobogã por trás de um dos gols com 10 mil lugares, construção do museu do futebol, um restaurante e a nova sede da FNF, que ofereceria escolinha de futebol destinada principalmente aos moradores de Mãe Luíza, além de uma academia de ginástica. A proposta será apresentada para o governador Iberê Ferreira de Souza nos próximos dias.

FISCALIZAÇÃO DE OBRAS COMEÇAM POR AEROPORTO WALLACE ARAÚJO / NJ

DO NOVO JORNAL

▶ Pórtico do Centro Administrativo: estrada de acesso antes da demolição

DO NOVO JORNAL

As obras de derrubada do pórtico e terraplanagem do Centro Administrativo, cujo início estava previsto para ontem, só devem começar na segundafeira. A informação é do titular da Secretaria de Estado da Infraestrutura (SIN), engenheiro Dâmocles Trinta, que ontem pela manhã, após reunir-se com representantes da empresa escolhida para realizar os trabalhos, a IM Comércio e Terraplanagem Ltda, anunciou a expedição da ordem de serviço que autoriza a execução das obras. A dispensa de licitação, concedida à empresa pelo Governo

Presidente da CBF traquiliza Natal ESPECIAL PARA O NOVO JORNAL

ANNAPAULA FREIRE

RAYANNE AZEVEDO

/ CBF /

ALEXANDRE CAVALCANTI

ARGEMIRO LIMA / NJ

NOVO ACESSO ANTES DA DERRUBADA

▶ Ricardo Teixeira: cidades-sedes só saem se quiserem

do Estado e publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) na terça-feira passada (14), foi justificada pela urgência em dar início às obras ante a vinda de dirigentes do departamento de estádios do comitê nacional organizador da Copa de 2014. O comitê fará uma vistoria na terça-feira (18) para registrar o andamento das obras em Natal. A SIN dispensou a concorrência pública depois que a primeira licitação para as obras, no dia 4 de maio, não teve nenhuma empresa interessada. O serviço de terraplanagem e derrubada do pórtico, orçado em R$ 352.387,12, deverá começar na segunda com a construção de um novo acesso ao lado da Secretaria de Estado do Trabalho, Habitação e Assistência Social (Sethas). “Não dá para colocar o pórtico de imediato abaixo sem antes construir outro”, pondera Trinta. A previsão é de que todo o serviço seja concluído dentro do prazo de 60 dias.

A presidente Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Norte (TCE-RN), Adélia Sales, assinou na última quinta-feira uma ordem de serviço e criou uma comissão para fiscalizar as obras de acesso do novo aeroporto de São Gonçalo. Até agora essa é a única comissão criada para fiscalizar as obras da Copa. O diretor da Inspetoria de Controle Externo do órgão, Jailson Tavares Pereira, acredita que na medida em que forem aprovadas novas obras para o evento internacional, outras comissões serão formadas pelo TCE. A instituição segue as diretrizes de uma parceria firmada entre o Tribunal de Contas da União e os Tribunais de Contas dos Estados que terão suas capitais como cidades-sedes da Copa de 2014. O TCE-RN acompanhará o protocolo de execução relativo ao acompanhamento das ações governamentais para a realização do evento. Segundo Jailson, os TCE’s terão a opção de escolher um relator por obra ou um relator responsável por todas as construções referentes à Copa. “O TCE tem acesso irrestrito a toda e qualquer documentação ou local onde estejam construindo obras ou prestando serviço com o dinheiro pú-

mo, ninguém tem. Mas, Natal está correndo contra o tempo para preparar a Capital e ter condições de receber a Copa do Mundo de 2014. Estão previstos investimentos da ordem de 1 bilhão de reais em obras de mobilidade urbana, drenagens e construção da Arena das Dunas. Desse total, 280 milhões serão contratados junto à Caixa Econômica Federal, em forma de empréstimo à Prefeitura de Natal, para obras de mobilidade nas principais artérias de acesso ao, hoje, Estádio Machadão; 260 milhões, oriundos do Orçamento Geral da União(OGU), para drenagem da área onde será construída a nova arena; e 300 milhões de reais, numa Parceria Público Privada Administrativa, para construção da Arena das Dunas. O NOVO JORNAL conversou demoradamente com o presidente Ricardo Terra  Teixeira, presidente da Confederãção Brasileira de Futubol, desde o início, um dos mais influentes incentivadores da participação de Natal como uma das sedes da Copa 2014. Ele garante que Natal está dentro, mas não deixa de lembrar e cobrar, ao mesmo tempo, o cronograma de obras  para a preparação da Capital. A morosidade na liberação dos recursos e o consequente atraso nas obras não acontece apenas na Capital do Rio Grande do Norte; é quase uma regra no País inteiro. Tanto é assim que Ricardo Teixeira está tentando, junto ao Governo Federal, acelerar a tramitação dos projetos apresentados à Caixa. Em meio à conversa com o presidente da CBF, no dia seguinte à convocação da Seleção Brasileira,  uma lamentação: a ausência de Adriano, da lista de Dunga. “Ele não foi cortado. Ele

próprio se desconvocou”, disse o presidente numa alusão ao relaxamento do profissional, que teria faltado, esse ano, a 17 treinamentos no Flamengo, inclusive, no dia em que Jorginho, auxiliar técnico, foi assistir ao treino na Gávea. E aí reside o perigo. Natal tem que apressar os projetos da Copa para não correr o risco de “se retirar” da lista das cidades-sedes. O momento eleitoral deve empurrar para o final do ano, pós-eleição, a liberação dos recursos para os projetos aprovados. Somente em 20 de junho próximo, a Secretaria do Tesouro Nacional deve comunicar ao Senado a autorização para Natal contratar empréstimo de 280 milhões de reais, junto a CEF. Tudo certo? Não, entre a aprovação e o dinheiro estar disponível na conta da Prefeitura, terá que ser percorrido um longo caminho. Experts no assunto apostam que a prefeita de Natal só vai botar a mão nessa bolada entre os meses de novembro de dezembro. Já os 260 milhões do Orçamento da União para drenagem, dificilmente estará liberado antes de março de 2011, três meses depois da posse do novo presidente da República. Um outro entrave é que ainda não foi formado o Fundo para garantir o investimento de 300 milhões de reais para a construção da Arena das Dunas, no formato de Parceria Público Privada Administrativa. Esse Fundo integralizado pelo Governo do Estado e Prefeitura de Natal, garantindo o retorno, em 35 anos, dos recursos aplicados pelos investidores vencedores da concorrência, é uma exigência dessa modalidade. Ou seja, o investidor constroi o estádio e o explora por 35 anos, recebendo do Fundo Garantidor a diferença entre o que conseguiu faturar com a exploração da arena e o valor de sua proposta.

/ COMITÊ /

GARANTIAS FINANCEIRAS VIRAM PREOCUPAÇÃO ▶ Jailson Tavares, do Controle Externo

FOLHAPRESS

Local (COL) da Copa de 2014 mudou o foco de suas cobranças. Antes, centrada nas críticas aos projetos dos estádios, principalmente o do Morumbi, a entidade agora volta suas preocupações para como as arenas do Mundial serão custeadas. Em apenas duas semanas, o COL aprovou projetos de sete sedes: Porto Alegre, Brasília, São Paulo, Belo Horizonte, Cuiabá, Manaus e Curitiba. O projeto do Maracanã deve ser aprovado nos próximos dias. A medida visa a agilizar o andamento das obras, que, segundo cronograma da Fifa e do próprio COL, estão atrasadas. O comitê concedeu um prazo de 30 dias para que cada uma das sedes apresente garantias de que a obra sairá do papel. Há a possibilidade de que

O COMITÊ ORGANIZADOR

blico”, disse o diretor. Caso os orçamentos não estejam corretos, o TCE pode notificar as secretarias responsáveis para que a situação seja regularizada. Se não houver regularização, o órgão pode pedir a sustação do contrato. No caso do TCU e das obras de sua jurisdição, o ministro e presidente da instituição, Ubiratan Aguiar, será o relator de todas as obras. Equipes técnicas de todo o país devem passar por cursos de capacitação a serem realizados em Brasília. O Tribunal de Contas da União criou um site para que a população possa acompanhar os relatórios sobre o dinheiro público investido na Copa. No espaço virtual, será disponibilizado também o que os estados informaram à Fifa sobre o que será realizado.

haja substituição das cidades que não apresentarem um plano de viabilidade econômica. Neste caso, Goiânia ou Belém, que foram candidatas eliminadas da disputa por 2014, devem ser as substitutas. Não será tarefa fácil, para algumas sedes, apresentar as garantiras em apenas um mês. A linha de crédito oferecida pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) é a principal fonte de custeio da maioria dos estádios, sobretudo, dos públicos. Mas, segundo o banco, somente quatro sedes apresentaram um pedido formal de financiamento: Manaus, Fortaleza, Salvador e Cuiabá. A capital amazonense, que receberá a visita de representantes do BNDES na terça, foi a primeira a solicitar o empréstimo (R$ 400 milhões), em 5 de março, e deve ter o crédito liberado até o final deste mês.

Profile for Novo Jornal

15-05-2010  

Sem medo de ter opiniao

15-05-2010  

Sem medo de ter opiniao

Advertisement