Issuu on Google+

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE LEร‡A DA PALMEIRA | SANTA CRUZ DO BISPO Nยบ 10 | MAIO 2013

JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10


JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JEDITORIALJNO10J Este segundo período lectivo fica marcado por um conjunto vasto de iniciativas que traduz o trabalho desenvolvido em todo o agrupamento. Em janeiro, começamos com os preparativos para comemorar o carnaval. Com o apoio dos professores das AEC e das expressões, cada escola criou os seus adereços festivos, que culminaram com o desfile de carnaval. As nossas crianças encheram as ruas das freguesias de Leça da Palmeira e Santa Cruz do Bispo com imensa cor, alegria e animação. Um sucesso para repetir. Terminado o carnaval, voltamo-nos para a “Semana da Leitura”, este ano dedicado ao tema “O mar”. Esta é uma semana de grande tradição no agrupamento. Como membro de mérito reconhecido na rede de bibliotecas escolares o empenho das nossas professoras bibliotecárias, dos professores, dos pais e das nossas crianças traduziu-se em inúmeras actividades nas nossas

2 Nova Onda | Maio 2013

escolas. Uma vez mais ficou demonstrado o sentimento de pertencer à família do aLer+. De seguida, as nossas crianças do préescolar e do 1º ciclo espelharam através de uma variedade enorme de trabalhos o papel que os seus pais têm nas sua vidas. Foi agradável ver o ar feliz das nossas crianças a construírem e a oferecem aos seus pais as lembranças do “Dia do Pai”. Por último, seguiram-se as inúmeras actividades comemorativas da Páscoa, expressas de forma muito variada em cada escola. Desde a caça ao tesouro até aos ovos pintados, ficou bem vincada a importância da escola na vivência das épocas festivas do nosso agrupamento. O terceiro período promete.

Jorge Sequeira Diretor AELP/SCB


Índice 2 Editorial 3 Índice 4 EB1/JI Amorosa 6 JI Monte Espinho 7 EB1/JI Corpo Santo 8 EB1/JI Praia 10 EB1/JI Portela 12 EB1/JI Nogueira Pinto 14 EB1/JI Viscondessa 16 EB Leça da Palmeira 18 Departamento Línguas 20 Dep. Ciências Sociais e Humanas 22 Dep. Expressões Educação Especial 24 Bibliotecas Escolares 30 Projetos EB Amorosa 31 Opinião Pré Escolar SPO 34 DMCE - Passatempos Desafios Matemáticos 36 DMCE - Soluções Desafios JNO9

FICHA TÉCNICA Diretor: Jorge Sequeira Coordenação: Graça Vilela Design/Paginação: Raquel Freire Revisão: Lélia Lopes  

Nova Onda | Maio 2013 3


EB1|JI AMOROSA Soldados do Ambiente Na EB Amorosa, os projetos com a LIPOR continuam formando cada vez mais Soldados do Ambiente. “A nossa escola tem uma horta onde podemos semear alguns vegetais. Começamos o nosso trabalho na sala de aula, semeando milho, feijão, abóbora, fava, tomate, salsa, alface… Temos cuidado muito bem das nossas plantações que precisam sempre de água e de luz. À medida que vão crescendo, vamos colocá-los na nossa horta, vê-los crescer e no fim…na sopa os vamos comer!” Alunos da turma 4 - EB Amorosa

Este ano letivo, continuam em ação os projetos Compostagem na nossa Horta Pedagógica que consiste em reciclar resíduos domésticos e restos da horta e o Re-Agir que consiste em monitorizar os resíduos produzidos no recinto escolar. Outro projeto a surtir sucesso e iniciado este ano nas turmas do 4º ano respeita à Vermicompostagem. A vermicompostagem é realizada por minhocas que transformam restos alimentares vegetais em húmus. Na sala de aula, temos um vermicompostor (caixa de plástico dentro de uma caixa de cartão para não dar luz) com minhocas vermelhas da Califórnia. Vamos colocando lá resíduos de vegetais e frutos, borras de café e água, de vez em quando. Parece-nos que já há vermicompostor – composto originado na vermicompostagem, constituído pelos excrementos de minhocas. Por isso, teremos que o retirar e fazer nova cama para as minhocas. 4 Nova Onda | Maio 2013

Estas têm sido ações que ficarão na memória das aprendizagens significativas vividas na EB Amorosa e que muito contribuirão para o nosso Aprender a Aprender para a vida.


EB1|JI AMOROSA UEEA | Amorosa A equipa da UEEA-Amorosa convidou todas as turmas do 1.º ciclo da escola a participarem num concurso. O concurso ESCRITA CRIATIVA, com duas edições previstas, visa promover a aproximação da UEEA-Amorosa ao contexto da escola e vice-versa. Assim, foi apresentada às turmas a sequência de símbolos SPC, apresentada ao lado (usados pelos alunos que frequentam a UEEA) que orientou a construção de uma história. Cada turma votou nas histórias das restantes turmas e saiu vencedora a história criada pelos alunos da T5 do 3º ano.

O sistema gráfico SPC (Símbolos Pictográficos para a Comunicação) é dos sistemas gráficos para comunicação aumentativa mais usados (se não até o mais usado!) a nível internacional e também em Portugal. Este sistema baseia-se em imagens (pictogramas) muito simples, acompanhadas da palavra escrita, referente ao seu significado.

Os alunos do 1º ano já sabem escrever!

Nova Onda | Maio 2013 5


JI MONTE ESPINHO Jardim de Infância Monte Espinho Articulação escola/familia–uma relação vital A família constitui o primeiro lugar de toda a educação da socialização primária e assegura, por isso, a ligação entre o afetivo e o cognitivo, assim como a transmissão dos valores e das normas.

Aprender a fazer um palhaço O desenvolvimento harmonioso e global da criança opera-se entre dois contextos, escolar e familiar, cujos papéis devem ser complementares na educação. Deste modo, é necessário que haja um diálogo verdadeiro entre família e professores.

Aprender Inglês A relação escola /família assume-se cada vez mais importante, na medida em que a família transferiu para a escola algumas das suas competências. Porém, os papéis de cada uma das instituições não se substituem ou sobrepõem, antes se complementam. A participação da família na escola indica que a aprendizagem das crianças é mais significativa e bem sucedida “quando se processa num ambiente em que professores e pais cooperam.

6 Nova Onda | Maio 2013


EB1 CORPO SANTO Carnaval Este ano, mais uma vez, a nossa escola participou no desfile de Carnaval do Agrupamento. Todos os alunos, professores, assistentes e pais se empenharam para este momento de folia e alegria. Divertimo-nos e demos conta dos nossos trabalhos com o tema “O Mar”. O 1º ano desfilou com roupagens de animais marinhos, o 2º ano levou tubarões e sereias, no 3º ano fizeram-se “piratagens” e o 4º dedicou-se à História de Portugal e atividade piscatória.

Dia do Pai Um dia especial, com alguém muito importante… Pais e alunos novamente juntos para um pequeno-almoço de convívio e muita arte à mistura.

Nova Onda | Maio 2013 7


EB1|JI PRAIA PASSE

Programa da Alimentação Saudável em Saúde Escolar

Sessão9

Somos todos equilibristas?

A EB da Praia pretende neste período destacar a importância do Programa da Alimentação Saudável em Saúde Escolar (PASSE), visto estar a ser desenvolvido na nossa escola numa turma do 3º ano. Assim, pretendemos apresentar a toda a comunidade escolar alguns trabalhos desenvolvidos nas diversas sessões, com a estreita participação dos encarregados de educação.

Sessão7

Um passeio pelo País dos Alimentos Esta viagem decorreu, utilizando como meio de transporte o avião e contou com o contributo dos pais de um aluno. No final da sessão, o pai de um aluno apresentou um trabalho em powerpoint sobre o tema “A alimentação a bordo

de uma avião”, no qual contava os cuidados das companhias áreas para um alimentação saudável, o recurso a especialistas para o controle nutricional dos menus, assim como as regras de segurança a bordo.

8 Nova Onda | Maio 2013

Na presente sessão, pretendeu-se que os alunos identificassem algumas consequências resultantes da alimentação (promotora versus não promotora da saúde).


EB1|JI PRAIA Articulação Pré/1º Ciclo Em todas as escolas do Agrupamento, está a decorrer o projeto de “Articulação Sequencial”. Durante o 1º e 2º período, as crianças do Jardim-de-infância deslocaram-se às salas do 1º Ciclo com o objetivo de realizar atividades em conjunto, trabalhando conteúdos respeitantes aos dois ciclos de ensino, mas de níveis de dificuldade diferentes. As crianças do pré-escolar convivem em diferentes espaços para que a sua adaptação e as dificuldades sentidas tantas vezes por muitas das crianças que mudam de ciclo de ensino sejam minimizadas. Os docentes de ambos os ciclos estão a proporcionar as condições para que cada criança tenha uma aprendizagem de sucesso na fase seguinte, competindolhes, em colaboração com os pais e em articulação com os colegas do 1º ciclo, facilitar a transição da criança para a escolaridade obrigatória.

Nova Onda | Maio 2013 9


EB1|JI PORTELA Navegar nas “Histórias e Lendas da Europa” Autoras: Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada (de 21/11/12 a 08/03/13) Começámos por ler Hans Christian Andersen. Pesquisámos sobre a sua vida e as suas obras. Conseguimos saber como havíamos de vestir a nossa personagem (Hans Christian Andersen) na história Bom Natal, Pai Natal, de José Jorge Letria. Explorámos mais treze lendas, descobrindo personagens históricas e as suas peripécias. Aprendemos os países da Europa e pesquisámos quais os que pertencem à UNIÃO EUROPEIA. Dentro desses, fomos procurar os que têm a MOEDA EURO. Conhecemos guerreiros, talentos na pintura (Miguel Ângelo e Rembrandt), talentos na química (Alfred Nobel) e na música (Mozart e Chopin). Ouvimos melodias de “Chopin e Mozart”. À medida que íamos navegando nessas lendas, percebemos que na Europa nem sempre os países tiveram as mesmas fronteiras. Ao longo da história, houve guerras intermináveis, em que os povos lutavam pelo podere pela posse de

Visita de Estudo à Quinta de Santiago

terras… Fomos aprendendo que as lendas podem ter um pouco de realidade e um pouco de imaginação, são a mistura delas. Na exploração das lendas, vimos que a humanidade tanto tem de bom (coragem, persistência, talento…), como de mau (egoísmo, maldade, mentira, avareza, cobiça…). Percebemos que sempre houve lutas pelo poder. Portugal é um país Europeu que, apesar de hoje estar com graves dificuldades, já foi um POVO CONQUISTADOR. A mesma esperança, que levou os DESCOBRIDORES a passar o CABO das TORMENTAS, chamando-lhe depois CABO da BOA ESPERANÇA, deverá ser a que hoje nós teremos que ter. Navegando nos livros, aprendemos a cor da ESPERANÇA! Turma 3

Pré-escolar Somos os meninos da Pré. Gostamos de rimar e cantamos em alta voz Para manter a tradição, Fizemos pão-de-ló como as nossas avós! Este 2º Período de aulas Passou depressa, a voar, Mas as prendas para o pai e da Páscoa Não podiam faltar!

No dia 30 de janeiro de 2013, a turma 2 da EB da Portela foi à Quinta de Santiago. Do que mais gostámos foi a construção de uma casa castreja em pasta de modelar. Ficaram muito bonitas! Turma 2 10 Nova Onda | Maio 2013


EB1|JI PORTELA O Crocodilo Nini O Crocodilo Nini vivia no rio Nilo. Um dia, levaram-no numa jaula para o Jardim Zoológico. Quando lá chegou, queria brincar com os outros crocodilos. Mas, eles eram muito preguiçosos e não lhe ligaram nenhuma. Os meninos que visitavam o Jardim Zoológico, quando viram o Crocodilo Nini abrir a bocarra para dizer “olá”, assustaram-se e fugiram. O crocodilo ficou muito triste e chorou lágrimas gordas. Entretanto, outros meninos apareceram e mostraram que adoravam ter medo, estavam mesmo divertidos! Então, o crocodilo descobriu que talvez IIlustração e reconto da obra O Crocodilo Nini de Isabel Alçada e Ana o seu papel fosse Maria Magalhães pelos alunos da turma 1. importante: assustar Trabalho de preparação para a visita da autora Isabel Alçada à escola. meninos para os divertir! As crianças gostaram tanto dele que fizeram cartazes e camisolas a dizer “NINI”. Ele agora estava feliz, porque já tinha amigos e sabia cumprir bem o seu papel no Jardim Zoológico. E quem cumpre bem o seu papel é um verdadeiro herói! que cada criança tenha uma aprendizagem de sucesso na fase seguinte, competindo-lhes, em colaboração com os pais e em articulação com os colegas do 1º ciclo, facilitar a transição da criança

l ava al! n r tas. e p É ca a faz m hu ar c nad s u de m a t gos bar utros a s i c ó a o Her s de espera ar. as. o t a m n o e à on om ra t tão ã Ago que es emiss au c h l a por a uma bac e d . par tam zóis s n o a g tas tam a o r r i r P e as d t e l bo Bor val al! a n r É ca a faz m nad

Carnaval

Nova Onda | Maio 2013 11


EB1|JI NOGUEIRA PINTO A Primavera na nossa Escola A nossa escola na primavera muda muito. Na primavera, nós mudamos de período, neste caso para o terceiro. As chuvas acabam-se e podemos brincar lá fora. As árvores da nossa escola florescem e abrem. O sol sai do seu esconderijo e mostra-se alegremente, mostrando que a nossa escola é bonita e alegre. A primavera é uma estação que muda muitas coisas, como as árvores dos jardins e das ruas que estavam todas despidas e sem folhas no inverno.

Mas agora que veio a primavera, está tudo mais alegre e bonito do que antes. Eu que, no outono e no inverno, tinha de andar cheia de casacos, a partir de agora, já não os uso tanto, mas tenho cuidado, que o tempo é manhoso! Só lá para o fim de abril ou maio é que fica quentinho, e assim já posso andar à vontade. Agora que voltei à escola, estou muito feliz por estar de novo com o meu professor e com os meus amigos. O céu está novamente azul e eu tenho esperança que esta primavera seja boa. Espero que toda a gente sinta a mesma alegria que eu. Joana Rodrigues - 3ºano

Na primavera As folhas nascem Devagarinho Lentamente O sol é quente Mas o vento não vai embora

A primavera é divertida Está sempre no meu coração As flores de várias cores Alegram-me... Na primavera Ainda fica...

Dia do Pai Para vencer a solidão, tivemos um grande companheiro, ali mesmo à mão, numa festa com grande emoção…O nosso pai tem a lágrima fácil e o coração grande!!! E de seguida… os “Coelhinhos da Páscoa” saíram da toca e fizeram uma verdadeira caça aos ovos!... Que animação!...

12 Nova Onda | Maio 2013

Ivo Crista - 3ºano


EB1|JI NOGUEIRA PINTO

Corrida de sacos… A educação e sensibilização dos mais novos para a prática de comportamentos ambientalmente adequados, nomeadamente o encaminhamento de resíduos para a farmácia, foi o principal objetivo desta ação da VALORMED. Agradecemos a todas as famílias/escola a colaboração que nos prestaram e a ajuda perspicaz dos nossos alunos na vontade de vencer! Aguardamos os resultados. 1º Ano

A que sabe a Lua de Michael Grejenien No JI, as crianças queriam saber a que sabia a Lua. Experimentámos tocar-lhe, mas não conseguimos, experimentámos confecionar pequenas luas com vários ingredientes e convidámos as famílias para virem connosco descobrir.

Nova Onda | Maio 2013 13


EB1|JI VISCONDESSA Carnaval As máscaras saíram à rua… O desfile de Carnaval foi no dia oito de fevereiro. Foi um desfile muito divertido. Saímos da escola e andámos pelas ruas da nossa freguesia. Nesse dia, os disfarces e as cores cobriram as ruas, os meninos cantaram e dançaram ao som do samba e das maracas. Foi um dia fantástico… até o tempo sorriu… Renato

 

Festa de Encerramento do 2º Período O segundo período terminou em grande. Fizemos uma festa no polivalente, onde todas as turmas participaram. Tocámos e cantámos o “Alecrim”, a orquestra orff encantou e as vozes dos alunos da Viscondessa estão cada vez melhores.

 

14 Nova Onda | Maio 2013

 

Durante a tarde, do dia quinze de março, como já é habitual, a Associação de Pais proporcionounos a famosa “Caça ao Ovo”. Encontrámos os ovos rapidamente, e, no fim, a nossa recompensa: uns ovinhos de chocolate…


EB1|JI VISCONDESSA Atividades dos mais pequeninos… Durante o 2º período, muitas foram as atividades em que a família participou, contudo uma das mais apreciadas pelas crianças é a visita dos avós, com a atividade do projeto aLeR+ “ Leituras mimos e doçuras”. É sempre enriquecedora a partilha de saberes e experiências.

Os avós vieram à escola para partilharem a sua sabedoria e as suas histórias.

 

 

A avó gostou muito de nos ensinar, porque riem as palavras nas histórias.  

A avó mexeu os bolinhos com muito carinho e ficaram umas bolachas maravilhosas…

Nova Onda | Maio 2013 15


EB LEÇA DA PALMEIRA Feira da primavera A Feirinha da primavera foi um sucesso! Também não podia ser de outra forma, com todos aqueles bons produtos: brinquedos, bolos, bolachas, sumos, trabalhos feitos pelos alunos , pelos pais e muitos mais… Encontraram-se vários professores, educadores, alunos, assistentes e familiares das crianças.

Certo dia, a minha professora disse-nos: - Bem, hoje temos aqui umas pessoas para nos ensinar a cozinhar sem açúcar. Por isso, vão quatro, de cada vez, à casa de banho lavar as mãos. Depois de lavarmos as mãos, fomos todos para a B12. No início da atividade, ouvimos uma explicação sobre o que era a Aldeia dos Sabores. Esta encontrava-se dividida em quatro estações: A Fonte dos doces, Casa das sandes, Porto dos sumos e a Capela das sopas. Na Fonte dos doces, fizemos Tiramissú de fruta e Mousse de manga. Na Casa das sandes, fizemos sandes muito variadas. No Porto dos sumos, houve sumo de banana e quivi, de bacaxi e hortelã e de cenoura com laranja. Por fim, na Capela das sopas, fizemos uma salada e sopa de legumes. No final, provamos a comida que todos fizemos. Foi uma tarde espetacular! Ana Marques T6 – 4º ano

16 Nova Onda | Maio 2013

Havia umas flores, muito coloridas, que toda a gente queria comprar. No final, só restaram duas flores e, no principio eram trinta. Vejam lá a diferença!, José Fernandes T6 - 4º ano


EB LEÇA DA PALMEIRA Projeto de Sequencialidade do Pré-escolar/1º Ano Os saberes atuais só têm sentido se estiverem articulados com os anteriores e perspetivarem os posteriores. (Aniceto, 2010:72)

Semana da Leitura A Semana da Leitura, decorreu, na nossa EB,com plena participação dos Encarregados de Educação e amigos dos alunos A equipa da BE foi de preciosa ajuda na dinamização das atividades desenvolvidas pelas diferentes turmas. Que no próximo ano o tema seja tão abrangente e cativante!

Nova Onda | Maio 2013 17


DEPARTAMENTO LÍNGUAS Dia do Inglês Vencedores do ENGLISH QUIZ: Bruno Teixeira – 5º6 Teresa Alves – 6º5 Vencedores do SPELLING BEE CONTEST 1º lugar – Diana Zinchenko – 5º1 2º lugar – Pedro Pires – 5º6 3º lugar – André Areias – 5º3 Vencedores do A, B or C? CONTEST 1º lugar – João Lopes – 6º2 2º lugar – Francisca Miranda – 6º8 3º lugar – André Servo – 6º9 Vencedores de FAMOUS PEOPLE PARADE 1ºlugar – Lucca Melo – 7ºF 2ºlugar – Rita Caravelas – 7ºC 3ºlugar – Leonor Gomes – 7ºC Vencedores de ASCOT’S HATS 1ºlugar – Diana Marques – 8ºC 2ºlugar – Carlota Espinha – 8ºF 3ºlugar – Marta Freitas – 8ºF

18 Nova Onda | Maio 2013


DEPARTAMENTO LÍNGUAS Tea Break Tivemos também um simpático Tea break oferecido pelos alunos do 9º ano

Cantinho do Português Carta escrita pelo aluno Gustavo Batista, do 6º1, no teste de Português, na sequência da leitura do conto de José Jorge Letria “A ambição das luas” (Lendas do Mar). Planeta Terra, 6 de fevereiro de 2012 Querida Mãe L ua, Escrevemos-vos porque o nosso coração sente a vossa falta. Tem os saudades vo ss as e também do nosso Pai Sol. Apesar do acon chego do vosso luar nas noites do caloroso abra e ço do pai nos di as distância que no de céu limpo, a s separa é gran de, tão grande o nosso amor po como r vós. Aqui, no Planeta Terra, passado por mom temos entos difíceis. A lgumas de nós sofrido muito co têm m tsunamis, terr amotos, tempestad e com a poluição es dos nossos ocea nos. Continuamos ser o porto de abrigo para hum a anos e muitas espécies animais ou tr as e vegetais, mas receamos que al de nós não resi gumas stam às alteraçõ es climáticas qu estão a manifes e se tar aqui no Plan eta Terra. Nesta carta qu e hoje vos escrev o vosso apoio, emos, pedimos e que na vossa im ensa sabedoria encontrem uma forma de nos aj udarem, para qu possamos contin e uar a nobre fu nção que vós no destinastes. s Com amor nos despedimos, na esperança de um futuro melhor pa ra o nosso Plan eta. Com carinho, as vossas filhas, Ilhas do Planet a Terra

Nova Onda | Maio 2013 19


DEP. CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS Um Dia na Idade Média Foi no dia 13 de março que, acompanhados das suas professoras, os alunos de 7º ano

esperando os seus bravos guerreiros, ferozes invasores … tantas personagens para os alunos poderem encarnar em tão breve tempo! É que este castelo fazia parte do território do Condado Portucalense, quando este foi doado ao Conde D. Henrique pelo rei Afonso VI de Leão. Após a morte do Conde, os homens da Feira tomaram partido pelo jovem D. Afonso Henriques e apoiaram-no na luta pela independência de Portugal. E também, diz a lenda, foi este castelo o palco da história de amor de Lia, uma bela princesa moura que, prometida a um mouro mas apaixonada por um cavaleiro cristão, após

rumaram a Santa Maria da Feira. À sua espera, o imponente castelo e a possibilidade de recuar no tempo e viver, por alguns momentos, as emoções de jovens medievais. Seriam cavaleiros sedentos de vitórias sobre os mouros, donzelas mouras enamoradas por belos cristãos, castelãs

a morte do seu amado degolado pelo mouro, se lançou para o poço do castelo onde encontrou a morte. E que ainda hoje, em noites de nevoeiro, aparece aos enamorados que protege e vigia… E o castelo foi palco de convívio, de jogos de antigamente, de música e histórias que, de modo bem divertido, deram vida ao aprendido nas aulas de História.

20 Nova Onda | Maio 2013


DEP. CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS Visita à Quinta De Santiago “Sejam bem vindos à Casa dos Santiago! O meu amo pediu-me para receber muito bem estes senhores e meninas que nos vieram visitar.”

Foi com palavras como estas que os alunos do 6º ano foram recebidos à entrada da Quinta de Santiago onde, guiados por um solene (mas não demasiado) mordomo ou um alegre cocheiro, puderam viajar no tempo e percorrer as memórias da Leça de finais do século XIX. A surpresa de muitos foi genuína. Quem era aquele homem vestido de modo tão diferente que com palavras desusadas os recebia? Era um homem de verdade ou um fantasma do passado? E, se verdadeiro, que idade teria? E como podia estar tão bem conservado? As perguntas sucediam-se e, sem que o mistério fosse completamente desvendado, a visita começou.

Em diálogo vivo os alunos conviveram com as memórias do passado num local onde o passado ainda se respira e onde a História é muito mais real que nos livros. Ficaram a saber pormenores da vida de uma família, bem diferente da vida que todos conhecem, e das modificações por que Leça tem passado ao longo dos tempos.

Um compartimento após outro, um e outro pormenor destacados, respostas a perguntas consecutivas, foram percorrendo a casa. Muitos já a conheciam do exterior mas não suspeitavam dos tesouros que guardava! Outros revisitaram-na mas agora com uma perspetiva bem diferente. Através desta visita teatralizada procurou-se despertar os nossos jovens para o conhecimento e o respeito pelo património local que, muitas vezes, passa despercebido para quem com ele convive diariamente. Para além do interesse manifestado localmente, as opiniões posteriormente apresentadas mostraram o prazer sentido e o muito que tinham aprendido. E ainda, para muitos, a vontade de lá voltar! Nova Onda | Maio 2013 21


DEP. EXPRESSÕES / EDUCAÇÃO ESPECIAL Criação das UEEA's–“Se houvera quem me ensinara…”

O Agrupamento Vertical de Escolas de Leça da Palmeira Santa Cruz do Bispo (AELPSCB) constitui-se como uma Agrupamento de referência ao nível da intervenção educativa a realizar junto de alunos cuja problemática se enquadra nas Perturbações do Espectro do Autismo – PEA- (artº 25 do DL 3/08), materializando-se esta intervenção educativa na disponibilização de Unidades de Ensino Estruturado – Autismo (UEEA)

Um pouco de história …

Com efeito, o epíteto de Agrupamento de referência para a intervenção junto de alunos com PEA nasceu da necessidade em criar respostas educativas diferenciadas e adequadas para estas crianças. Tal facto conduziu a equipa diretiva (2007) AELPSCB, em colaboração estreita com a Direção Regional de Educação do Norte e com a Câmara Municipal de Matosinhos à “criação” de uma UEEA na Escola Básica (EB) da Viscondessa, surgindo então sem enquadramento legal. Posteriormente, o mesmo foi contemplado no Decreto-lei nº3 de 2008. A procura crescente da UEEA da EB da Viscondessa criou as condições institucionais para que, no AELPSCB, se procedesse à abertura de uma segunda UEEA na EB da Viscondessa, no ano letivo 2009-2010. O funcionamento de duas UEEAs, dentro do mesmo estabelecimento de ensino, potenciou e permitiu um esquema peculiar de funcionamento, em que todos os agentes envolvidos (alunos, docentes e AOs) não tinham unidade específica atribuída e trabalhavam como uma equipa de "grandes dimensões", pertencendo simultaneamente às duas UEEAs. Este cenário de intervenção afigurava-se e era perspetivado, para alguns, como algo utópico, mas, na verdade, a diversidade profissional e de perfil de funcionalidade dos alunos foi motor de envolvimento e de aperfeiçoamento, facto que se constitui como muito rico em termos formativos para todos os agentes envolvidos neste processo.

22 Nova Onda | Maio 2013

Porque o tempo seguiu o seu percurso normal, o que levou a que os alunos mudassem de ciclo e, por isso, urgisse a continuidade da resposta educativa, inevitavelmente abriu uma UEEA no 2º ciclo quando se aproximava o início do ano letivo 2011-2012. Estas nossas crianças crescem e progridem na escolaridade como todas as outras, continuando a necessitar da promoção do desenvolvimento da autonomia, da comunicação e da interação. Entretanto, a população escolar da EB da Viscondessa diminuiu, o que implicou que as turmas existentes não comportassem os alunos das 2 UEEAs, pois cada aluno tem uma turma de referência onde permanece mais ou menos tempo de acordo com o seu perfil de funcionalidade e segundo os pressupostos inclusivos subjacentes à filosofia do seu funcionamento. Este facto obrigou a que uma das UEEAs se “deslocasse” para a EB da Amorosa por questões logísticas.

A metodologia de intervenção

No contexto educativo de uma UEEA, a finalidade da intervenção é a promoção do desenvolvimento e da aprendizagem significativa dos alunos, assentado a intervenção na metodologia do “Ensino Estruturado”, cujo suporte teórico é o modelo pedagógico TEACCH. A operacionalidade deste modelo objetiva a estruturação física do espaço e a organização visual, a definição clara de objetivos, a implementação de rotinas e de regras funcionais e a antecipação da tarefa. As salas estão estruturadas de forma visualmente clara, com fronteiras e áreas bem definidas, concretamente: uu Transição (espaço onde estão os horários individuais e os planos de trabalho, funciona também como espaço de descanso e de espera); uu Aprender (espaço de ensino individualizado e personalizado com o docente de Educação Especial, limpo de estímulos distratores, onde novas competências e tarefas são trabalhadas e consolidadas); uu Trabalhar 1 e Trabalhar 2 (trabalho de uma Assistente Operacional com 1 ou 2 alunos, que dá continuidade ao trabalho iniciado no Aprender);


DEP. EXPRESSÕES / EDUCAÇÃO ESPECIAL uu Trabalho Autónomo (trabalho individual sem orientação permanente, onde se trabalham competências já dominadas ou em fase de consolidação); uu Trabalhar Todos (os alunos trabalham em grupo atividades diversas: musicais, plásticas, entre outras); uu Brincar/Lazer (espaço destinado a aprender a relaxar, a brincar livremente, jogar, ler,

Escolas onde funcionam UEEAs por ordem cronológica de abertura

gratuitamente pela Juntas de Freguesia de Leça da Palmeira e de Santa Cruz do Bispo. Relativamente ao trabalho desempenhado pela equipa docente (professoras especializadas em Educação Especial) e pela técnica (Terapeuta da Fala, Terapeuta Ocupacional e Psicóloga), este é feito em estreita e sistemática articulação com os restantes intervenientes no processo educativo (famílias, professores titulares de turma, diretores de turma/conselhos de turma), tendo em conta o perfil de funcionalidade dos alunos, os objetivos e as competências definidas nos Programas Educativos Individuais.

A UEEA na escola...

interagir com pares, trabalhar o jogo simbólico, onde são permitidas estereotipias, …); uu Computador (espaço utilizado pelos alunos de forma autónoma ou com supervisão do adulto); uu Lanche (satisfação da necessidade de alimentação). Além das atividades em contexto escolar, os alunos das UEEAs podem beneficiar de atividades em meio aquático e de equiterapêutica.A primeira tem sido oferecida aos alunos ininterruptamente desde o ano letivo 2009/10, sem custos para as famílias (transporte e atividade a cargo da Câmara Municipal de Matosinhos). As atividades decorrem na Piscina Municipal de Perafita, estando a sua realização dependente do acompanhamento de adultos na piscina – para este acompanhamento são chamados familiares dos alunos e, no presente ano letivo, alunos mais velhos da EB de Leça da Palmeira (alunos do curso CEF). A oferta de equiterapêutica ocorre apenas desde o ano letivo transato, no Centro Hípico do Porto e Matosinhos e a mensalidade desta atividade encontra-se a cargo das famílias, sendo o transporte disponibilizado

Com o objetivo de promover a inclusão real dos alunos com PEA no contexto escolar, e de desenvolver atitudes de aceitação e tolerância na diferença, encontra-se implementado em todas as UEE-A do AELPSCB o projeto “Tutoria de Pares”. Em termos genéricos, este projeto caracteriza-se pela mobilização, identificação e organização de alunos do ensino regular que, em cada escola, se disponibilizam para a tarefa de “Tutores”. No âmbito desta tarefa, “Os Tutores” responsabilizam-se por fazer o acompanhamento e a mediação dos alunos da UEE-A com a comunidade, nos tempos comuns vividos em contexto escolar. A avaliação realizada à implementação deste projeto permite-nos observar que os alunos Tutores apreciam e valorizam muito esta tarefa, na qual se envolvem de forma ativa e eficiente. Em síntese, registamos que as UEEA do AELPSCB se organizam e investem no sentido de disponibilizar uma resposta educativa que potencie o desenvolvimento global dos alunos, em proximidade com as famílias e na procura em contribuir para a construção de uma sociedade mais tolerante e assertiva.

Nova Onda | Maio 2013 23


BIBLIOTECAS ESCOLARES Visita da escritora Isabel Alçada

A azáfama habitual na biblioteca iniciou-se, no 2º período, com a visita da conhecida escritora Isabel Alçada no dia 10 de janeiro. Os seus livros, que marcaram uma viragem na história da literatura infantil portuguesa, refletem a longa e rica experiência educativa, são eco de uma infância e juventude particularmente felizes e traduzem o seu enorme talento para comunicar

com os mais novos. Foi assim, com muita simpatia, que a escritora recebeu, no auditório da Escola Básica de Leça da Palmeira, os alunos do 3º ano da turma da professora Graça Sousa da EB do Corpo Santo, do 4º ano das professoras Ana Xavier, Luísa Santos e Rosa Santos da EB da Amorosa. Também estiveram presentes os alunos do 3º ano da turma da professora Marta Ramos da EB

24 Nova Onda | Maio 2013

da Praia e, da EB de Leça da Palmeira os alunos do 5º4 com a professora Rosa Carvalho e do 1º ano do professor Manuel Oliveira.

Foram apresentados à autora diversos trabalhos resultantes da exploração de alguns dos seus livros em contexto de sala de aula. Assistimos a uma história musicada, uma dramatização e uma entrevista. Tivemos também a possibilidade de visualizar vários trabalhos em powerpoint que resumiam a biografia e a bibliografia da autora. No final das sessões, a escritora fez uma sessão de autógrafos.


BIBLIOTECAS ESCOLARES Concurso “Lança-te à Aventura” Com o intuito de divulgar alguns dos livros da escritora Isabel Alçada, realizamos na biblioteca o concurso “Lança-te à aventura”. Os participantes demonstraram conhecer a obra da autora, as suas personagens e as aventuras por elas vividas.

O entusiasmo foi grande e a competição renhida! A vencedora foi a aluna Ana Rita Carvalho nº4, do 5º3.

Nova Onda | Maio 2013 25


BIBLIOTECAS ESCOLARES

Dia de S. Valentim Mais uma vez, a biblioteca vestiu-se a preceito para festejar o Dia de S. Valentim. Espreitem lá…

Como esta é uma época em que o amor “anda no ar”, distribuímos “Doces Leituras” pelos cafés e confeitarias que se localizam perto da EB de Leça da Palmeira.

Tenho um Que hoje desejo comigo Queria se te venho dizer: Com amizr teu amigo ade a vale r. Fernando Pessoa

Doces Leit Biblioteca uras – S. Valentim 2 - EB Leça da Palmeir013 a

26 Nova Onda | Maio 2013


BIBLIOTECAS ESCOLARES

Que surpresa... Os alunos que frequentam a biblioteca foram surpreendidos, no dia 7 de fevereiro, no intervalo da manhã, com a realização do concurso “É Carnaval Ninguém Leva a Mal”! Os primeiros alunos a chegar à biblioteca poderiam participar neste desafio…foram muitos os interessados… e nem todos conseguiram lugar…

Como no Entrudo vale tudo, nem os provérbios Os alunos que completaram acertadamente escaparam a uma partida carnavalesca. O desafio todos os provérbios foram a Júlia Patrícia Santos Teixeira do 5º2, nº 17 e o António Manuel Marques consistia em completar cinco provérbios: Braga do 5º3, nº6. - Carnaval na eira, Páscoa à lareira; Mas, estejam atentos, a biblioteca está sempre a - Farta-te gato que é dia de Entrudo. surpreender! - Namoro de Carnaval, não chega ao Natal. - Quem quiser o alho cabeçudo, sache-o pelo Entrudo. - Esta vida são dois dias e o Carnaval são três.

Nova Onda | Maio 2013 27


BIBLIOTECAS ESCOLARES

Parabéns! Aos nossos leitores: Mês de janeiro

Sócio nº 417 Maria Manuela Reis Alves 9ºB, nº13

Mês de fevereiro

Sócio nº 15 João Filipe Campos Pedro 5º3, nº15

Mês de março

Sócio nº 607 João Manuel Fernandes Teixeira - 7ºH, nº15

Ao vencedor do concurso “Pontapés na Gramática” Vencedor do 2º periodo Miguel Bessa 5º4, nº21

28 Nova Onda | Maio 2013


BIBLIOTECAS ESCOLARES Projetos

DORMIR+ para LER MELHOR O Projeto DORMIR+ para LER MELHOR surgiu da necessidade de uma intervenção educativa para a melhoria da qualidade do sono de crianças e adolescentes, tendo em consideração as graves consequências no seu desenvolvimento e sucesso escolar que advêm dos maus hábitos de sono que têm vindo a acentuar-se nos últimos anos. Atendendo a estes fatores, tornou-se importante implementar no agrupamento este projeto para: - conhecer a qualidade do sono das crianças e jovens do agrupamento; - promover a importância da qualidade do sono no desenvolvimento das crianças e dos jovens; - potenciar a adoção de práticas favoráveis à regulação do sono através dos agentes educativos. Foram aplicados os questionários aos encarregados de educação das turmas envolvidas no projeto e das turmas de controlo. Parte da verba atribuída para este projeto foi utilizada para contratar um grupo de atores que adaptaram alguns dos livros, aconselhados pelo projeto para a exploração do tema, a texto dramático. Esta peça será apresentada no 3º período às turmas envolvidas no projeto, como sensibilização para a importância da qualidade do sono.

Porque é que os animais não conduzem Integrado no projeto ACP Kids - Programa Nacional de Educação Rodoviária -foi dinamizada a leitura do livro Porque é que os animais não conduzem escrito e ilustrado por Pedro Seromenho, da editora da Paleta de Letras em todas as escolas do 1º ciclo e jardins-de-infância. O objetivo desta atividade foi ensinar e incutir comportamentos de segurança rodoviária aos mais novos para que no futuro não tenham os comportamentos inaceitáveis que hoje em dia se veem na estrada.

Queres saber porque é que o touro, o rato, a chita e muitas outras criaturas não podem conduzir? Então lê este livro e deixa-te guiar por um mundo divertido de animais que parecem pessoas reais. Foi o que fizeram os alunos que responderam ao desafio da professora bibliotecária ao ilustrarem outros animais, justificando a razão deles não poderem conduzir.

Nova Onda | Maio 2013 29


PROJETO EB AMOROSA Escola – Espaço de relação Clube das guitarras Amorosas

O clube nasceu em janeiro de 2013 com a intenção de proporcionar o convívio em grupo, com meninos interessados na aprendizagem da guitarra clássica. Desde a sua abertura, conta com mais de 20 guitarristas e com a sua 1º apresentação marcada para dia 14 de Junho. O trabalho tem sido intenso! O ambiente tem sido fantástico e, acima de tudo, a camaradagem muito boa!

Dia dos amigos À semelhança do ano anterior, comemoramos o dia 14 de fevereiro, dia dos amigos, convidando as famílias do Pré-escolar a assistir a uma coreografia preparada pelas crianças, ao que se seguiu um pequeno convívio!

Dia da língua Portuguesa– Olimpíadas No dia 15 de março, convidamos os pais para participar numa atividade que consistia em desafiar conhecimentos ao nível da língua portuguesa. “Excelente” foi a palavra comum na avaliação deste dia (feita pelos pais), que proporcionou grande convívio, cheio de boa disposição e gargalhadas! Turma 7 - 4º Ano

30 Nova Onda | Maio 2013


OPINIÃO Contributos do Jardim de Infância para o Sucesso Educativo “O Jardim de Infância é o principal responsável pelo sucesso da criança, mas não pode responsabilizarse sozinho por tão grande tarefa…” Davis, Marques Ao longo dos últimos anos, a educação pré-escolar tem-se desenvolvido e expandido significativamente no nosso país. Este desenvolvimento e expansão resultaram das mudanças sociais em relação aos direitos humanos e sobretudo aos direitos das crianças. Outros aspetos importantes para este desenvolvimento foram a entrada gradual da mulher no mundo de trabalho e as necessidades familiares sentidas em relação à prestação dos cuidados básicos de higiene, de alimentação e de educação dos seus filhos. Face a diversos factores, a educação pré-escolar tem-se desenvolvido, oferecendo a um grande número de crianças aprendizagens significativas e diferenciadas para uma maior igualdade de oportunidades. Contudo, é necessário tempo para as pessoas se adaptarem, absorverem e praticarem/desenvolverem a mudança e se atingir com êxito todos os objetivos traçados e planificados. Tal como os restantes níveis de ensino, a educação pré-escolar tem sofrido mudanças significativas a nível educativo. Conceitos como currículo, avaliação e novas práticas avaliativas fazem, cada vez mais, parte do dia-a-dia dos educadores de infância. Porém, todos estes termos suscitam algumas dúvidas no seio educativo e este demonstra algum desconforto em relação aos mesmos. Apesar disso, quer o currículo quer a avaliação têm conquistado um papel de suma importância na educação pré-escolar. Esta conquista devese essencialmente à forma como se começou a entender a educação pré-escolar, o conceito de currículo e o processo de avaliação. Gradualmente, todos os intervenientes do sistema educativo e do processo de ensino-

aprendizagem foram-se apercebendo de que a educação pré-escolar dependia da forma como o currículo era definido, planeado e desenvolvido. O êxito deste depende do processo de avaliação, pois só avaliando a forma como as crianças evoluem, desenvolvem e adquirem novas aprendizagens, competências e conhecimentos é que se poderá avaliar o currículo e a forma como este está a ser apreendido pelas crianças. Caso contrário, ou seja, se os objetivos definidos inicialmente não forem totalmente atingidos, o educador tem a possibilidade de reorganizar a prática pedagógica, de planificar novas atividades e de procurar estratégias mais adequadas às crianças e ao grupo para que assim possam atingir com sucesso os objetivos propostos. A implementação das orientações curriculares constitui, para o ensino pré-escolar, uma etapa fundamental da sua afirmação, no âmbito educativo, e ajudará evidentemente no processo de aprendizagem da criança. As orientações curriculares não estabelecem conteúdos, nem objectivos específicos, mas sim um conjunto de princípios de apoio aos educadores no seu processo educativo. São seus fundamentos o reconhecimento da criança como sujeito ativo do processo educativo, a articulação das diferentes áreas do saber, a diversidade e a cooperação. Tendo em conta um conjunto de pressupostos, as orientações curriculares optam por seguir o sistema das áreas de conteúdos, nomeadamente, Formação Pessoal e Social, Expressão/Comunicação, Linguagem Oral e Abordagem à Escrita, Matemática, Conhecimento do Mundo e Tecnologias de Informação e Comunicação. As Áreas de conteúdo partem do Nova Onda | Maio 2013 31


OPINIÃO nível do desenvolvimento das crianças, da sua atividade espontânea e lúdica, estimulando o seu desejo de criar, explorar e transformar de forma a incentivar uma ação refletida e cada vez mais complexa. A Educação Pré-Escolar não deve ser encarada como uma preparação para a escolaridade obrigatória, mas sim como uma etapa essencial e um espaço onde se promova uma continuidade. Essa continuidade diz respeito à forma como estão organizados os saberes, de forma sequenciada ao longo de vários níveis educativos, pois cada ciclo deve atender às aprendizagens realizadas tendo em conta o desenvolvimento da criança e as suas capacidades. É importante fazer-se um trabalho entre educadores e professores, estabelecendo pontes para que o processo de transição se efetue naturalmente não pondo em causa o sucesso educativo das crianças. A educação pré-escolar não pode

esquecer de que a criança começa a descobrir o mundo no seu espaço vital que é a família. Assim, o jardim de Infância, como entidade educativa, deve conhecê-la e valorizá-la integrando os seus valores, interesses, atitudes e crenças, tentando minimizar qualquer discriminização social. Os educadores trabalham hoje no contexto de heterogeneidade e, neste sentido, toda a sua formação deve apostar em práticas e processos centrados nas aprendizagens e nas chamadas pedagogias diferenciadas, tendo em vista a cooperação e a interação. É importante realçar que o educador de infância, ao longo do seu percurso e na sua prática educativa, deve fazer uma reflexão constante, partilhando experiências, aspetos bem ou mal sucedidos para assim, em conjunto, se procurarem soluções. O pré-escolar na vida da criança é um período muito importante e dele faz depender todas as aquisições futuras.

“A sabedoria não se encontra no topo de nenhuma montanha, nem no último ano de um curso superior. É num pequeno monte de areia do recreio do Jardim de Infância que se pode aprender tudo que é necessário aprender na vida: Partilhar Respeitar as regras do jogo Não bater em ninguém Guardar as coisas no sítio onde estavam Manter tudo sempre limpo Não mexer nas coisas dos outros Pedir desculpa quando se magoa alguém Viver uma vida equilbrada:estudar, desenhar, pintar, cantar, dançar, brincar, trabalhar, fazer de tudo um pouco todos os dias. Afinal o segredo de uma vida feliz está nas pequenas verdades do dia a dia.” Robert Fulghum

32 Nova Onda | Maio 2013


OPINIÃO Mitos e sexualidade: uma dupla que faz estragos! “O número de adolescentes que dá à luz em Portugal está a diminuir, embora continue alto, quando comparado com outros países da União Europeia (UE). De acordo com dados da ONU de 2009, relativos a 2007, Portugal tem das mais altas taxas de fertilidade em adolescentes da Europa. Na tabela dos 27, Portugal surge em oitavo lugar, com uma taxa de fertilidade em adolescentes de 16,5. Em 2009, o número de nados vivos de mães com idades entre os 11 e os 19 foi o mais baixo desde finais da década de 70, mas mesmo assim ultrapassou os quatro mil, o que significa que, por dia, 12 adolescentes tiveram bebés.” Jornal Público (21/01/2011) Apesar dos jovens terem mais informação do que no passado, a taxa de gravidez na adolescência continua a ser elevadíssima em Portugal. Para este facto, haverá muitas explicações, gostaria, no entanto, de alertar para um aspeto que por vezes é esquecido e que pesará certamente nestes números: os mitos relativos à sexualidade. Um estudo realizado este ano letivo na Escola Básica de Leça da Palmeira, orientado por mim como responsável do SPO (Serviço de Psicologia e Orientação) e pela Enfermeira Carmen Vieira (Enfermeira de Saúde Escolar da UCC de Leça da Palmeira) com alunos do 9º ano, mostra claramente que os adolescentes ainda têm muitas ideias erradas sobre sexualidade e contraceção que é urgente clarificar. Aos 69 alunos de 9º ano (31 raparigas e 38 rapazes) que participaram neste estudo, foi-lhes pedido para responderem a um questionário que consistia num conjunto de afirmações sobre sexualidade, em relação às quais tinham de assinalar: “concordo, “discordo”, “Gostaria de ser esclarecido”. Mediante a análise das conclusões deste estudo, foi possível concluir que relativamente à contraceção há vários mitos que poderão contribuir para que os adolescentes assumam comportamentos de risco. Os adolescentes continuam a acreditar que: “O coito interrompido

permite evitar uma gravidez”, “Só se engravida se houver ejaculação”, “A pílula engorda” e “Praticar sexo anal evita as ISTs (infeções sexualmente transmissíveis). Curiosamente, face à afirmação “Na primeira vez que se tem relações sexuais não se engravida”, todos os jovens assumem uma opinião discordante, o que significa que, para estes jovens, este mito parece já estar ultrapassado. Relativamente à masturbação, parecem existir também alguns mitos. Um elevado número de jovens acredita que “Quem se masturba muito na puberdade fica com menor potência na vida adulta” e que “A masturbação é pecado”. Relativamente à primeira relação sexual ,parecem existir também algumas confusões dado que ainda há um elevado número de adolescentes que concordam que “Na primeira relação sexual a mulher sente sempre dor” e que “Na primeira relação sexual a mulher sangra sempre”. Pensando que na adolescência ser igual a todos os pares é um aspeto que tranquiliza e que os adolescentes se andam sempre a comparar com os da mesma idade para confirmar se são normais, parece-me urgente clarificar de uma vez por todas que, contrariamente ao que eles continuam a acreditar, o tamanho do pénis não é indicador de maior potência sexual. No estudo a que tenho vindo a fazer referência, 28% dos jovens concordam que “Quanto maior for o pénis maior é o prazer que a mulher vai sentir”. Face ao exposto, o que concluir? Que no âmbito da educação sexual ainda muito há a fazer e que os muitos entraves que os adultos continuam a levantar relativamente à abordagem destes temas, de uma forma aberta, só contribuirá para que, pelos piores motivos, continuemos no topo da tabela! Dr.ª Adriana Campos Artigo publicado em www.educare.pt Nova Onda | Maio 2013 33


DMCE / DESAFIOS MATEMÁTICOS O João disse: - O meu número é igual ao dos dedos das minhas mãos. O Pedro disse: - E o meu é metade do teu! O Francisco disse: - O meu número é o dobro do número do José. O António disse: - Bem, pelas minhas contas, já sei qual é a minha camisola.

A que jogador pertence cada uma das camisolas? Nº 14  _________________; Nº 7 ___________________;

Nº 10 __________________; Nº 5 ___________________; Nº 18  _________________.

Como pôr a mesa para os colegas da Ana? A Ana está a organizar um almoço com todos os seus colegas. O problema é que há diversas zangas entre os seus colegas. De facto: • a Ana está zangada com a Sofia; • a Sofia está zangada com o Pedro; • o Pedro está zangado com o Miguel; • o Miguel está zangado com a Inês; • a Inês está zangada com a Ana. Será que a Ana vai conseguir organizar a mesa para o almoço, sem que colegas zangados fiquem lado a lado?

34 Nova Onda | Maio 2013


DESAFIOS MATEMÁTICOS / DMCE

Lanche na escola... Numa mesa quadrada, podem sentarse quatro pessoas. Durante o lanche, os alunos juntaram onze mesas quadradas para formar uma mesa longa e retangular. Quantas pessoas é que se podem sentar na mesa longa?

Três jovens casais foram à discoteca. Uma rapariga vestia de vermelho, outra de verde e outra de azul. Os rapazes levavam as mesmas três cores. Quando os três casais dançavam, o rapaz de vermelho, que dançava com a rapariga de verde, comentou: - Estamos todos a dançar com parceiros de cor diferente. De que cor veste o parceiro da rapariga vestida de vermelho?

O problema do tijolo

Um tijolo pesa 1Kg mais meio tijolo. Quanto pesa tijolo e meio?

Nova Onda | Maio 2013 35


DMCE / SOLUÇÕES DESAFIOS JNO9 Tartarugas mágicas

13

O Lobo, a cabra e a couve

8 4 11

Vencedores ao pódio! 1.º lugar: Francisco 2.º lugar: Domingos

9

3.º lugar: Rui 4.º lugar: Leonel

Primeiro, o agricultor leva a cabra e deixa para trás o lobo e a couve. Quando regressa, transporta o lobo. Com o lobo descarregado, pega na cabra e leva-a de volta para a outra margem. Quando descarrega a cabra, pega na couve e leva-a para o outro lado. Depois, volta de novo para transportar a cabra. Procedendo deste modo, todos ficam bem!!

JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10 JNO10JNO10JNO10JNO10


Jno10 2ºp online Maio 2013