Page 1

4-

MÃOS À OBRA - JORNAL DO SINTRACOM-LONDRINA

PALAVRA DO PRESIDENTE

LAZER

2013, o ano da mudança

Harmonia no gramado, diversão da plateia: integração marca o Torneio Intercerâmicas

Torneio Intercerâmicas mobiliza Triolândia Distrito de Ribeirão do Pinhal vibra com a bola em campo, os quitutes e com os prêmios oferecidos pelo Sintracom

A

população de Triolândia, distrito de Ribeirão do Pinhal, vibrou no domingo, 20 de janeiro, com a realização do 1º Torneio Intercerâmicas de Futebol Suíço, promovido pelo Sintracom-Londrina. A produção de tijolos é a principal atividade econômica de Triolândia. Foi uma festa só. Enquanto os atletas suavam a camisa em campo, amigos e familiares

acompanhavam seus dribles (e caneladas) estimulados por algodão doce e pipoca – oferecidos pelo sindicato – e outros quitutes providenciados pela população local. Todas as 10 cerâmicas do distrito participaram com seus times, escalando 107 atletas para representá-los. O Sintracom forneceu os uniformes e as bolas. O campeão do torneio

foi o Divino Futebol Clube, da Cerâmica Divino Pai Eterno. A segunda colocação ficou com a Cerâmica Sâo José e a terceira com a São Jorge. Uma televisão LED de 32 polegadas e uma bicicleta foram sorteadas durante o torneio. Adriano Ferreira, da Cerâmica São José, ganhou a televisão e Elder Pereira Carvalho, da São Jorge, a bicicleta.

2013 está começando. Todo início de ano é assim: fazemos planos para mudar nossas vidas. Para melhor, é claro. Sempre é possível melhorar. Em alguns casos, que não são poucos, é preciso melhorar! Não podemos prever tudo o que encontraremos pela vida, mas podemos – e devemos – planejar etapas de nossas vidas. Uma vida é composta de anos. Então, a cada ano que começa, temos a oportunidade de definir as principais coisas que pretendemos fazer nesse período. O que fizermos num ano vai refletir no outro. Se fizermos bem este ano, o ano seguinte terá tudo para ir bem. É como numa obra. Colocar um tijolo, um pilar, uma viga parece fácil, banal, sem importância. Mas o conjunto da obra depende de cada tijolo, cada pilar, cada viga. Se um desses itens

ANO 20 - EDIÇÃO 65 - JANEIRO DE 2013

JANEIRO/2013

estiver mal colocado, toda a obra estará ameaçada. Pode até cair. Há uma propaganda de tevê que diz o seguinte: “É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre”. A propaganda toma emprestado o último verso do poema “Receita do Ano Novo”, do imortal Carlos Drummond de Andrade. Sua mensagem é clara: só vamos mudar nossas vidas a partir do momento em que mudarmos a nós mesmos. Esse verso faz lembrar o velho ditado, que diz: “Para mudar o mundo temos que mudar a nós mesmos”. Temos, portanto, que descobrir – ou reafirmar – nossas virtudes e talentos. E descobrir, para combatêlos, nossos defeitos e vícios. Se cada um de nós melhorar um pouquinho, o mundo vai melhorar bastante. Que 2013 marque o início dessa mudança.

Denílson Pestana da Costa, Presidente do Sintracom

MÃOS À OBRA JORNAL DO SINTRACOM-LONDRINA

BOM APETITE O café da manhã está sendo servido desde o início de janeiro na maioria dos canteiros de obras de Londrina e região. Trabalhadores comemoraram e empresas reconhecem que a produtividade aumenta. Págs. 2 e 3.

E recomeça a luta para melhorar os salários. Pág. 3

SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDUSTRIAS DA CONSTRUÇÃO E DO MOBILIÁRIO DE LONDRINA E REGIÃO. Rua Sergipe, 598 - 1 andar - Sala 107 - Fone 3324-4022 - Londrina - Sub-sede: Av. XV de novembro, 183 - 2º andar - sala 22 - Edif. Ilha Porchat - Fone: 3523-3646 - Cornélio Procópio Presidente: Denilson Pestana da Costa - Jornalista responsável: José Antonio Pedriali - Arte / Diagramação: Vladmir Fernandes Farias - Tiragem: 10.000 exemplares

Ano novo: hora de repensar nossas vidas. Pág. 4

Triolândia vibra com torneio de futebol suíço. Pág. 4


2-

MÃOS À OBRA - JORNAL DO SINTRACOM-LONDRINA

JANEIRO/2013

JANEIRO/2013

SAÚDE

-3

SALÁRIOS

Café da manhã, o sonho que virou realidade Desejo antigo dos trabalhadores e conquista do Sintracom, o café da manhã é servido nos canteiros de obras

A

cabou a velha história de peão ou peona, esta cada dia mais presente nos canteiros de obras, pegar no pesado no início do dia com o estômago vazio. Desde o dia 2 de janeiro, a maioria das empresas de construção civil de Londrina está servindo o café da manhã para os operários. O benefício, que atinge cerca de 7 mil trabalhadores, consta do acordo coletivo assinado no ano passado por intermédio do Sintracom. Algumas empresas, apesar de terem assinado o acordo, ainda não puseram em prática o compromisso. São empresas pequenas, mas o Sintracom não vai deixar a peteca cair: se elas não acatarem o que assinaram, a Justiça será acionada. HONRA “Esta é uma questão de honra”, enfatiza o presidente do Sintracom, Denílson Pestana da Costa, que acrescenta: “O café da manhã é uma conquista histórica, extremamente útil para a saúde do trabalhador. Temos muito orgulho de contribuir para tornar realidade esse desejo dos trabalhadores, pois muitos, principalmente

“É uma força pra gente”, diz operário As opiniões abaixo foram colhidas numa obra da Plaenge, na primeira semana em que o café da manhã passou a ser servido. É uma boa. O pessoal vinha pra cá e só tomava um cafezinho preto para começar a trabalhar. Agora tem um pãozinho também. Eu tomava café em casa. E agora tomo aqui também. O pessoal começa mais animado com a barriga cheia. Ederaldo Vieira de Souza

O café da manhã é servido antes do início do expediente

Foi um incentivo para o pessoal chegar mais cedo na obra para garantir o seu café e pão. Pra quem vem de longe e acordou atrasado tem a vantagem de o café estar na mão. O peão não precisa se preocupar em fazer o café. Valdir de Oliveira Antes trazia o café de casa. Agora vou tomar aqui mesmo. É ótimo. Alfredo Francisco dos Santos

O galã faz pose para o fotógrafo

os que vêm de outros municípios, não têm condições de se alimentar em suas casas”. O café da manhã é composto de dois pães com margarina e café com leite, que na maioria dos locais é servido à vontade. O alimento está disponível nos canteiros de obras antes do início do expedi-

Pão, café com leite e barriguinha

ente, que é, na maioria dos casos, às 7 horas. É simples, mas contém as proteínas necessárias para animar o trabalhador e a trabalhadora no início do dia e dar energia até a hora do almoço. VANTAGENS O café da manhã está sendo recebido com elo-

gios pelos trabalhadores. E as empresas se deram conta, já nos primeiros dias, da melhoria do ambiente de trabalho provocada pela alimentação saudável no início do expediente. Melhor ambiente de trabalho, maior o ânimo dos operários. E maior o rendimento.

É ótimo. A gente chega, toma o café e já está disposto a trabalhar. O café da manhã é uma força pra gente. A gente chega com uma fome danada. José Francisco dos Santos

Esta foi uma das melhores iniciativas que já tomaram para o trabalhador da construção civil. O camarada começa a trabalhar já reforçado. Vai ficar forte para trabalhar o dia inteiro. Não tem mais essa de corpo mole. Expedito Vitor dos Santos, há 40 anos na construção civil.

“O pessoal se descontrai. A produtividade aumenta” Temos muitos funcionários que são de fora e acordam entre quatro e quatro e meia da manhã, e a primeira refeição deles passou a ser este café da manhã. Eles não traziam nada para comer, e só se alimentavam às 11h30. A produtividade aumentou e, principalmente, o ânimo dos trabalhadores. Até o ambiente de trabalho melhorou, porque, com o café da manhã, o pessoal se descontrai. Para a Plaenge, mais do que o aspecto legal, o mais importante é o aspecto humano desta iniciativa. Quando recebemos a proposta, já fomos atrás de parceiros para fornecer este café da manhã. Está sendo uma alegria fornecer este café da manhã. Wagner Andrade, engenheiro.

É mais um benefício para os trabalhadores. Isso é muito bom. Eu tomava o café em casa. Vou tomar em casa e aqui também. Elisângela Aparecida dos Santos

Foi um espetáculo colaborar com a gente. Esse negócio de trazer café e lanche acabou. Pra quem mora longe é ainda mais vantajoso. Tem gente de Uraí, Guaravera, Irerê. Todo mundo sai lucrando com isso. Leide Daiana É bom, principalmente na segunda-feira para o pessoal que vem de ressaca. Dá mais ânimo. João Leno Não precisa nem levantar para fazer o café cedo. A gente chega, toma o café, e beleza! Foi um bom negócio servir o café da manhã. Muitos chegavam sem tomar o café. Eu levantava às cinco horas para fazer o café. Agora posso acordar mais tarde. Carlos Gonçalves Ribeiro

Ano novo, luta velha Sintracom começa os preparativos para obter, em maio, o melhor acordo salarial possível para os trabalhadores

C

omeça mais um ano, e continua a luta para melhorar os salários e as condições de tra balho dos operários da construção civil e do mobiliário. Os dirigentes do Sintracom já trabalham para conduzir com eficiência as negociações. O primeiro encontro oficial para tratar da convenção coletiva de trabalho obedece ao princípio de que a união faz a força. Em Itapoá, Santa Catarina, a Fetraconspar (Federação dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário do Estado do Paraná) promove, pela vigésima segunda vez, um seminário de treinamento dos líderes de todas as regiões do Paraná. Participam representantes, além da construção e mobiliário, dos setores de pintura, artefatos de cimento, olaria, cerâmica, mármore, granito, instalação elétrica e montagem industrial. O seminário, de 28 a 31 de janeiro, define uma estratégia em comum para conduzir as negociações. Os líderes sindicais têm treinamento intensivo, e isso inclui palestras com especialistas de várias áreas. Entre eles: Antonio Augusto de Queiroz, jornalista e escritor; Célio Horst Waldraff, desembargador do Tribunal do Trabalho da 9ª Região; Lígia Guerra, psicóloga; Ricardo Bruel da Silveira, procurador-chefe do Trabalho da 5ª Região, e Ricardo Costa de Oliveira, doutor em Ciências Sociais. As negociações terão o reforço de duas companheiras, que participaram, em 18 e 19 de janeiro, do 1º Encontro das Mulheres do Ramo da Construção e do Mobiliário, realizado em São Paulo. São elas Lindelma Furtado de Melo Chionpato e Rosani Dias dos Santos Prado. A Fetraconspar vai promover, em 7 e 8 de março, um encontro de mulheres que trabalham na construção civil e no mobiliário. Elas serão muito bem-vindas para reforçar nossa campanha salarial. Em março terá início a campanha salarial. Para prepará-la, haverá assembleias, reuniões e encontros para aprovação da pauta de reivindicações. As negociações devem ser concluídas em maio.

Mãos à Obra  

Jornal do Sintracom Londrina

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you