Page 1

PUB

ARCIP EM DESTAQUE NO CIRCUITO NACIONAL

Sexta-feira,

28 de Outubro de 2011

Suplemento do jornal Nova Odivelas Nº 412

// N.º

9

BONS DIAS COM VITÓRIAS NA RONDA INICIAL

II série Ano XII

www. jorna l. nova odi ve l as. pt /de spor to Director: Henrique Ribeiro Coordenação: David Braga

PSAAC APRESENTOU EQUIPAS PARA 2011 / 2012 CONCELHO DE ODIVELAS AUMENTOU O NUMERO DE ATLETA S FEDERADO S G ARANTE VEREADOR DO DESPORTO H UGO MARTINS

● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ●

DE ODIVELAS A SAGRES EM PASSEIO DE BICICLETA PUB

● ● ● ● ● ● ● ●


2

CARTÃO VERMELHO Nova Odivelas

28 Outubro 2011

Viva o árbitro!!! Durante o último fim-desemana assisti a alguns jogos de futsal disputados no nosso município entre equipas locais e de outros sítios. A diferença de comportamento das claques pouco ou nada se alterou. Muito fair-play entre os intervenientes e unanimidade quanto a um pormenor, as criticas e “bocas” lançadas aos árbitros. Nada de especial e nunca a integridade do senhor do apito chegou a estar em causa. Mas realmente para se ser árbitro sobretudo a nível distrital tem de se ter alguma dose de loucura. Há muitos que dizem que a “boca” ao árbitro faz parte do ritual de ver um

jogo, até mesmo porque serve de escape para mandar alguém para um sítio feio, quando na verdade esse alguém até poderia ser o patrão ou algum familiar próximo de que não se gosta. Mas vamos lá ver o ponto de vista de um árbitro. Quando tira o curso é avisado para estas situações, alguns jogos depois da primeira experiência começa a ganhar “calo” para ficar surdo às mil e uma maneiras de ser criticado. Depois, aqueles mais experientes até conseguem esboçar leves sorrisos quando ouvem “bocas” engraçadas. Pior é quando não têm bagagem para lidar com essas situações. Quanto se ate-

PLINGRAFIA

morizam e começam a ceder às pressões dos bancos e das bancadas podem por em causa não só a verdade desportiva do jogo ajuizando a medo e erradamente como criando um clima de intimidação entre atletas e publico que por vezes origina situações de extrema violência quer dentro quer fora do recinto de jogo. Há ainda aqueles que usam o poder de apitar um jogo para durante a realização do mesmo passarem a ser uma espécie de reis absolutos que fazem o que querem, tendo como único objectivo serem os protagonistas. Seja como for não é fácil

Campeonato Nacional de Séniores em Judo

ser-se árbitro. Tem de se gostar além de que o tempo dispendido na função é bastante. Quando faltam aos jogos a sua ausência é logo notada e criticada. São, quer se queira ou não, um elemento fundamental em qualquer jogo numa qualquer modalidade desportiva. Para muitos mais vale um mau árbitro do que não haver árbitro para apitar um jogo. Portanto e com a falta de árbitros que existem em quase todas as modalidades o melhor é começarmos a pensar seriamente em aplaudilos pelo menos na entrada das equipas em campo para depois

davidbraga@simpruspress.pt

poder então moderadamente usar algumas expressões vernáculas mas sem ofender. Será possível? Tem de ser e acima de tudo viva o árbitro!!!

David Braga


28 Outubro 2011 PUB

DIVULGAÇÃO

PUB

Nova Odivelas 3


4

Nova Odivelas

28 Outubro 2011

ACTUALIDADE ENTREVISTA

Hugo Martins revê-se e orgulha-se do movimento associativo desportivo do concelho David Braga

Depois de na passada edição termos ouvido Rui Francisco, vereador da oposição na Câmara Municipal de Odivelas, que nos deu a sua visão sobre o estado actual do movimento associativo do município, chega agora a vez da entrevista com o vereador Hugo Martins responsável pela área do Desporto.

O

s clubes estão hoje mais preparados e autónomos.

Começámos por pedir a Hugo Martins que fizesse uma análise à situação actual do movimento associativo concelhio. Para o vereador as colectividades de Odivelas passaram por um momento de adaptação à nova realidade do que é hoje o Desporto e tudo o que isso implica. Na grande generalidade os clubes fizeram esse reajuste financeiro e logístico para poderem ter um futuro menos dependente dos subsídios, menos dependente da câmara e das juntas, conseguindo assim estar bem mais preparado para enfrentar a crise e as suas consequências. No entanto, prevê que algumas dificuldades vão surgir, dado que as famílias vão ter menos condições financeiras para comparticiparem nas despesas inerentes à prática desportiva, bem como os próprios aumentos do IVA na água e luz vão trazer ainda mais exigências financeiras aos clubes. O papel hercúleo desempenhado pelos dirigentes desportivos voluntários é por isso mesmo muito elogiado pelo vereador afirmando mesmo que hoje em dia não é fácil abraçar tamanha tarefa. O risco de diminuição do número de atletas face aos cortes que as famílias vão ser sujeitas é uma realidade transversal a outras áreas Para Hugo Martins existe o risco do número de atletas diminuir

face às condições financeiras cada vez mais difíceis das famílias. Como o próprio referiu «Essa é uma realidade transversal a outras áreas. Na música irá acontecer certamente o mesmo bem como noutras situações em que se paga para usufruir de determinados serviços». As famílias são parte integrante do trinómio em que os clubes e a câmara são parceiros para o desenvolvimento da prática desportiva e, por isso mesmo, o vereador garantiu que vai estar muito atento a fenómenos pontuais que possam surgir e que certamente saberá dar a resposta adequada. Hugo Martins realça no entanto que a câmara já apoia, e muito, os clubes criando condições para que estes possam desenvolver com

condições as suas actividades.

«É inevitável cortar no PAADO se o governo mantiver o corte de mais de três milhões de euros nas verbas que transferirá para a câmara»

Dá como exemplo os 100.000 euros anuais que o município gasto só para manter em funcionamento os pavilhões de gestão municipal. «Muitas vezes esquecem-se de que há que pagar a água, a luz, o gás e o fun-

cionário, e isso são despesas em que os clubes só nos escalões seniores e juniores comparticipam». Os transportes são outros dos pontos em que o vereador relembra o apoio dado aos clubes. Nesta rubrica não tem havido qualquer corte, ao contrário do que sucede noutras autarquias do distrito de Lisboa. «Cortes no PAADO são inevitaveis» Numa altura em que se prepara o orçamento municipal para 2012 Hugo Martins mostra-se preocupado face ao panorama nada favorável que vem do governo central. O corte em mais de 3 milhões de euros das verbas a transferir para Odivelas vai levar ao inevitável corte do

PAADO, sendo que nesta altura ainda nenhuma decisão foi tomada esperando-se pelos dados concretos e definitivos vindos do estado. «Ao contrário do que se fala, em Odivelas houve um aumento de três centenas de atletas nos últimos dois anos». Apesar de muitas vezes ser referida a diminuição do número de atletas federados a praticar desporto no município de Odivelas, o vereador Hugo Martins esclarece que não só tem aumentado o número de praticantes como também das modalidades. Nos últimos dois anos há mais três centenas de atletas federados tendo surgido mesmo algumas colectividades novas.


28 Outubro 2011

Nova Odivelas 5

ENTREVISTA

«Nunca senti que fosse uma dificuldades para os clubes do concelho realizarem o seu trabalho pelo facto dos técnicos da câmara não andarem a visitar os clubes» As críticas que por vezes emanam de alguns dirigentes associativos pelo facto dos técnicos da câmara raramente saírem do gabinete para visitarem os clubes é para o vereador do Desporto uma situação que está a ser analisada. De qualquer forma não sente que isso seja um problema de maior até pela relação de proximidade que os dirigentes têm com os técnicos. «Qualquer problema que surja basta um telefonema para as coisas se resolverem. Os técnicos são pessoas acessíveis e sempre disponíveis para dentro dos seus horários de trabalho ouvir, receber e resolver as situações para que são solicitados».

É fundamental que os clubes regularizam a sua situação para não perderem o direito aos apoios. O facto de hoje em dia as autarquias serem constantemente auditadas leva a que os clubes tenham de entregar junto das mesmas documentação a provar que tem a sua situação regularizada. Nesse aspecto Hugo Martins apela a todos os clubes que façam chegar esses documentos à Divisão de Desporto porque caso contrário a câmara estará impedida pela força da lei de apoiar os clubes que não cumpram os requisitos solicitados. A nave secundária do pavilhão multiusos estará brevemente ao dispor dos clubes do concelho.

pratica e promove o badmington, o Odivelas Basket e o ISCE através dos cursos que desenvolve na área desportiva vão poder brevemente utilizar a nave secundária do Pavilhão Multiusos de Odivelas. Com o piso já montado faltam apenas os aparelhos necessários a que as associações desportivas possam iniciar as suas actividades naquele espaço nobre.

«O tempo não está para anacronismos. O PAADO actual responde bastante satisfatoriamente a todas as necessidades dos clubes e colectividades.»

A Associação Recreativa Cultural Indo-Portuguesa (ARCIP) que A colocação do relvado sintético no campo do Santa Maria começará ainda este ano No âmbito da candidatura do programa de reconversão da Vertente Sul as instalações do União Desportiva e Recreativa de Santa Maria, na Urmeira, freguesia da Pontinha, vão começar brevemente a ser remodeladas. Desde a colocação de um relvado sintético, passando pela construção de novos balneários até à colocação de luz artificial com condições para a prática desportiva nocturna aquele espaço terá qualidade mais do que suficiente para promover a prática desportiva naquela zona. O concelho de Odivelas passa assim a ter apenas campos relvados para a prática do futebol. «Claro que se justifica o Conselho Municipal do Desporto» Para Hugo Martins a criação do Conselho Municipal do Desporto (CMD) bem como a reformulação do PAADO justifica-se. O CMD está preparado para funcionar e o novo PAADO também. O que acontece é que «Não podemos andar à frente

dos tempos. O tempo não está para anacronismos. O PAADO actual responde bastante satisfatoriamente a todas as necessidades dos clubes e colectividades. Prevê subsídios extraordinários para situações de emergência como aconteceu com o Botafogo de Caneças, vítima de vandalismo e roubo em 2010 prontamente apoiado pela câmara com um apoio de 5.000 euros. Não vale a pena andar com programas muito bonitinhos para depois não haver condições para os colocar em prática». Para o vereador é preferível andar à medida dos tempos. O Concelho Municipal do Desporto vai ser uma realidade em 2012, cujo patrono a convite da presidente Susana Amador poderá ser Paulo Bento, seleccionador nacional de futebol. Era, no entanto desejável que aparecesse um movimento ou associação de clubes do concelho que depois decidisse internamente o seu representante no CMD. Aliás a falta de unidade dos clubes é mencionada pelo vereador como uma situação que tem de ser alterada porque nos tempos que correm não faz sentido continuar-se a fazer queixa do vizinho ou a lamentar-se pelos apoios dado a um ou a outro. Os tempos têm de ser de unidade e de partilha dos escassos recursos existentes. Outro dos objectivos do CMD é a diversidade de representantes tentando abranger todas as áreas envolventes ao fenómeno desportivo como por exemplo a medicina por vezes esquecida quando se discute esta temática. «É muito complicado ser vereador do desporto na actual situação económica» Apesar de todas as contingências da época por que passamos, para Hugo Martins, o trabalho desenvolvido tem sido altamente positivo. Valorizando os dirigentes associativos que desempenham diariamente as suas funções de forma competente e muitíssimo dedicada acredita que o seu papel tem também sido importante sobretudo na visibilidade que dá aos

clubes com a sua presença constante nos eventos organizados por estes. «Os apoios são certamente muito importantes mas a presença do responsável político nas organizações dos clubes são por vezes a melhor prenda. São o reconhecimento que o poder está atento e agradecido ao trabalho árduo e difícil feito em prol de terceiros». Odivelas nestes dois últimos anos tem-se afirmado no panorama desportivo nacional O facto de existir uma instalação desportiva de excelência em Odivelas faz com que o concelho se possa afirmar no panorama desportivo nacional através dos eventos que apoia e organiza. Exemplos disso são as várias competições desportivas que já passaram pelo Multiusos. Desde os campeonatos nacionais de judo à UEFA Futsal Cup passando por realizações locais como a festa de encerramento do Ginásio Clube de Odivelas há motivos mais que suficientes para que todos os envolvidos no movimento associativo se sintam orgulhosos pela existência do pavilhão multiusos. Um dos últimos temas abordados por Hugo Martins foi a preocupação que a câmara teve na formação dos dirigentes desportivos através de uma parceria com a Confederação das Colectividades que serviu para dar conhecimento das novas exigências que os dirigentes têm de cumprir. O desporto para deficientes é outra das grandes preocupações do município que vai incluir alguns incentivos, ao abrigo do PAADO, para os clubes que queiram desenvolver actividades relativas ao desporto adaptado. Por fim Hugo Martins realça a sua total disponibilidade para continuar a ouvir o tecido associativo desportivo, procurando dar as respostas adequadas em função das situações difíceis que apareçam, acreditando que mesmo com as dificuldades a resposta dos dirigentes e das colectividades como sempre será positiva.


6

Nova Odivelas

PUB

DIVULGAÇÃO

28 Outubro 2011


28 Outubro 2011

Nova Odivelas 7

MODALIDADES

Uma aventura divertida Nos dias 14, 15 e 16 de Outubro quatro ciclistas de Odivelas fizeram-se à estrada e percorreram em bicicleta os 350 quilómetros que separam Odivelas de Sagres, no Algarve, a primeira viagem de um projecto de António Atabão para percorrer Portugal em bicicleta. É António Atabão que nos descreve essa viagem. hegámos a Sagres depois de 350 Km de pedaladas por estradas, trilhos e praias, rasgámos o parque do sudoeste ao longo de mais de 100 Km. No primeiro dia fomos até Porto Covo. As primeiras pedaladas iniciaram-

C

se junto à escultura de D. Dinis, em Odivelas) às 07h19, tiveram como destino o Cais do Sodré para fazer a travessia do Tejo de barco com destino ao Montijo. Aqui, iniciamos verdadeiramente um não stop de pedaladas rumo a Sagres, com o aquecimento feito na Ciclovia do Montijo, pedalamos pelo Poceirão e Águas de Moura. Em Al-Kassr-Abu-Danis, nome dado pelos árabes a Alcácer do Sal, fizemos o nosso primeiro reforço vitamínico. Depois de passar as margens do rio Sado, pedalámos rumo à Comporta, atravessamos os arrozais da Comporta, na companhia das cegonhas e das garças, por uma estrada de terra e areia. Ultrapassados os arrozais,

fixamo-nos no objectivo do dia, que era chegar a Porto Covo. Até lá pedalamos pela EN261, passamos por Melides, Santo André e S. Torpes. Foi já no cair da noite que chegamos à Praça Marquês de Pombal, em Porto Covo, o local mais central desta povoação, que é caracterizada pela simplicidade do seu casario e pela harmonia geométrica, influenciada pelo modelo urbanístico pombalino. Na manhã seguinte as pedaladas começaram com a ilha do Pessegueiro no nosso horizonte, com uma brisa do mar a dar-nos os bons dias. Pedalámos até à praia da ilha, junto ao forte, contemplámos o azul do mar e a ilha do Pessegueiro, que inspirou o poeta Carlos Tê e o

músico Rui Veloso, na canção Porto Covo. Pedalámos por uma estrada de terra, até à praia dos Aivados, aproveitando a maré vazia. Continuamos a pedalar no imenso areal que nos levou até à praia do Malhão, tendo por companhia o som das tímidas ondas e do deslizar da bicicleta na areia molhada, numa sinfonia perfeita entre terra, mar e bicicleta. Regressámos à estrada, com paragem em Vila Nova de Mil Fontes para repormos as calorias. Retomámos as pedaladas, passámos a ponte sobre o rio Mira, rio português que nasce na Serra do Caldeirão e que desagua em Vila Nova. Tal como o rio Sado é dos poucos rios da Europa que corre de sul para

norte, e tal como o Sado, é também um rio de duas sílabas. E chegámos ao Cabo Sardão, lugar mais a ocidente da costa alentejana, guardado por um farol. Ninguém fica indiferente à paisagem que se deslumbra. O silêncio, espraia-se por um admirável trilho sobre a falésia. Pedalámos, contemplando as arribas que mergulham no mar, numa verticalidade que até faz vertigens à bicicleta. Pedalámos devagar, devagarinho, com um brilhozinho nos olhos. Em nosso redor, há um mar no horizonte e um liquido revitalizador à nossa espera, na esplanada da Zambujeira do Mar. Soube-nos a pouco. Havemos de lá voltar. As últimas pedala-


8

Nova Odivelas

28 Outubro 2011

MODALIDADES

Fotografias: eniadas pelos ciclista

CICLOTURISMO

das do segundo dia, são dadas na margem alentejana da Ribeira de Ceixe onde pedalámos por uma pequena estrada ao longo de 3 km, que

acompanha a ribeira até à sua foz. Aqui, a geografia permitenos estar literalmente com um pé no Alentejo e outro no Algarve. O dia termina a mirar o sol a desaparecer no horizonte.

O último dia de pedaladas, começa com a subida de Odeceixe. Passámos por Maria Vinagre, Rogil, paramos em Aljezur a observar durante alguns instantes o voo de uma garça-real.

Enfrentamos pela primeira vez o vento, sentimo-lo a bater-nos na cara e a fazer gingar a bicicleta, mas como Sagres é já ali, das fraquezas fazemos forças, e pedalada após pedalada,

chegámos à Carrapateira, num verdadeiro dia de Verão. Pedalámos sobre um passadiço em madeira, olhamos a norte e alcançamos a praia da Arrifana, viramos o azimute da bike para sul, pedalámos por estradões junto à falésia, consumindo paisagens deslumbrantes numa costa muito recortada e bonita. Chegámos provavelmente à praia mais estrangeira de Portugal, praia do Amado, a última grande praia da Costa Vicentina. É vê-los de prancha debaixo do braço e corpos vermelhos a caminhar em direcção ao mar. Também não resistimos a um banho revitalizador, seguido de uma inevitável reposição energética feita na esplanada, sobre um sol escaldante de um Verão de Outono. Seguem-se as últimas pedaladas, rumo a Vila do Bispo, para alcançarmos Sagres, objectivo alcançado às 15h35, o lugar mais a sudoeste da Europa e o último lugar ao Sul, onde a terra acaba e mar começa, conquistamo-lo montados numa bicicleta, vinda de Odivelas.


28 Outubro 2011

Nova Odivelas 9

MODALIDADES FUTSAL

Bons Dias – Inicio 100% vitorioso O

sentar um futsal mais conseguido alcançando mais três golos da autoria de Edgar, BT e novamente por Rafa que bisou no jogo. Logo a seguir foi a vez do escalão mais velho. Os juniores receberam a equipa do Bairro S. João derrotando-os por 4-1. Logo aos 4 minutos, o Bons Dias ficou à frente do marcador com um golo marcado por Paulo. Sempre por cima no jogo, Victor e Augusto aumentaram a vantagem para 3-0, resultado que iria terminar a primeira parte. No início da segunda metade, a equipa orientada por Manuel Batista teve um calafrio, sofrendo um golo logo no primeiro minuto. A resposta foi imediata não podia ser melhor, alcançando o golo no minuto seguinte marcado por Paulo que bisou na partida fechando o resultado em 4-1. No domingo foi a vez do escalão de infantis que se deslocaram ao ringue coberto do S. Julião do Tojal onde derrotaram

a equipa da casa por uns esclarecedores 2-8. A equipa treinada por Ricardo Pinto fez uma boa exibição e os jogadores mostraram que sabem jogar em equipa, criando jogadas de grande qualidade. Os primeiros 2 golos foram marcados por Tomás. A seguir foi a vez de

Belenenses 1 X Tenente Valdez 0

Tenente Valdez 1 X Unidos F C 2 a 2ª jornada do Campeonato de Juniores da Associação de Futebol de Lisboa o Tenente Valdez recebeu o Unidos, do bairro Padre Cruz num jogo que decorreu com uma rivalidade saudável como se deseja no desporto. Foi uma partida interessante de

N

o marcador conseguindo o único golo da partida ainda antes do intervalo. No segundo tempo o Tenente Valdez tudo fez para conseguir a igualdade, com um futebol bonito e bem praticado mas não conseguindo concretizar em golo as oportunidades que teve. Pelo que as equipas fizeram seria justo o Tenente trazer um ponto. Má arbitragem. Teria sido das cores das camisolas?

Fotografia: António Mota

Fotografia: António Mota

P

não impediu os jogadores ramadenses de marcar mais golos. Desta vez foi a vez de Gonçalo de fazer o 1-4. O 1-5 e o 1-6 foram feitos por Tomás, atingindo o póquer (4 golos marcados). O Tojal ainda chegou ao 2-6 mas Bruno e Hugo puseram o marcador nos 2-8.

FUTEBOL

FUTEBOL

ara cumprir a 2ª jornada do Campeonato de Futebol de Infantis da Associação de Futebol de Lisboa, a equipa do Tenente Valdez descolou-se a Belém para defrontar o CF Os Belenenses num jogo que a equipa da casa venceria por 1-0. Partida com certa expectativa devido a estarmos em início de campeonato. Jogo muito correcto com oportunidade de golo para ambas as partes mas foi o Belenenses que inaugurou

Bruno marcar passando o marcador para 0-3. Antes do intervalo, tempo ainda para a equipa da casa marcar. Na segunda parte, o mister do Bons Dias aproveitou para estrear alguns jogadores. Consequência disso foi o jogo defensivo da equipa que ficou mais débil mas isso

Fotografia: GDBD

passado fim-de-semana ficou marcado pelo tão esperado arranque dos campeonatos oficiais, com a excepção dos escalões de juvenis e benjamins que só na próxima semana terão o seu inicio. No Sábado, a primeira equipa do Grupo Desportivo dos Bons Dias a entrar em campo foi a de iniciados que recebeu e venceu a sua congénere do Centro Popular de Cultura e Desporto, da Póvoa de Santa Iria, por 4 bolas sem resposta. Os atletas treinados por João Cardoso e Carlos Alberto entraram no jogo um pouco abaixo das expectativas, acusando alguma ansiedade por ser o primeiro jogo oficial. À medida que o tempo ia passando, a equipa ia melhorando e conseguiu mesmo chegar ao golo por intermédio de Rafa. O jogo iria para o intervalo com o resultado de 1-0. Na segunda parte a equipa entrou bem melhor, já a apre-

assistir porque os jogadores de ambas equipas foram de uma total entrega e correcção. O Unidos adiantou-se no marcador na marcação de um livre a meio campo, que com ajuda do vento o guarda-redes do Tenente não teve qualquer hipótese de defesa. A equipa da casa foi a

procura da igualdade e depois várias oportunidades conseguiu o tento do empate antes de árbitro a pitar para o intervalo. No segundo tempo a toada manteve-se mas foi o Unidos que veio a marcar o golo da vitória. Partida correta, com boa arbitragem. António Mota


10

Nova Odivelas

28 Outubro 2011

MODALIDADES BADMINTON

ARCIP com campeões no Circuito Nacional N

final os seus adversários João Arede e Ana Nujo da ADEBC e trouxeram para Odivelas o título de campeões em Pares Mistos. Maurino Silva, coordenador das actividades desportivas da ARCIP felicitou estes atletas e sublinhou o esforço de Ana Cunha e Rosa Silva que atingiram as 1/2 finais nos Singulares Senhoras. Em Singular Homens, José Saraiva, chegou aos 8º de final . Maurino Silva salientou ainda os resultados muito equilibrados dos atletas em Pares Mistos. Circuito Nacional de Absolutos fase final O atleta Alexandre Paixão em Singulares Homens venceu Fernando Silva da CSMA, por 21-15 e 21-10. Em Singulares Senhoras a Ana Moura venceu a atleta Helena Pestana na final por 21-11 e 2110. Em Pares Homens Fernando Silva e Hugo Rodrigues venceram Tomás Nero e Rafael Lopes

por 16 / 21 - 21/12 e 21/ 10 . Filipa Lamy e Vânia Leça em Pares Senhoras venceram Cata-

rina Cristina e Daniela Conceição e em Pares Mistos, Alexandre Paixão e Ana Moura

venceram Fernando Silva e Filipa Lamy por 21/16 - 16 / 21 e 21-15 .

Fotografia: ARCIP

o Centro de Alto rendimento de Caldas da Rainha realizaram-se nos dias 23 e 24 de Outubro as 1ªs jornadas do Circuito Nacional Seniores e do Circuito de Absolutos que contou com a presença de vários atletas da ARCIP. Circuito Nacional Seniores Os participantes idos de Odivelas foram: Singulares Senhoras: Ana Cunha, Rosa Silva e Irene Inácio. Singulares Homens: José Saraiva e Paulo Dias. Pares Senhoras: Ana Cunha, Irene Inácio e Gina Silva, Rosa Silva. Pares Homens: José Saraiva, Maurino Silva e Luís Jorge, Paulo Dias. Pares Mistos: Vítor Assunção, Andreia Teixeira; José Ramos, Ana Cunha; Luís Jorge, Rosa Silva; Maurino Silva, Gina Silva e Paulo Dias, Irene Inácio. O par misto Vítor Assunção e Andreia Teixeira derrotaram na FUTSAL – 1ª DIVISÃO DE JUVENIS

ACO 2 X Académico de Ciências 4 O Atlético Clube de Odivelas recebeu no Pavilhão da Escola Secundária Pedro Alexandrino a equipa do Académico de Ciências em jogo a contar para a 6ª jornada campeonato distrital de juvenis da 1ª divisão da Associação de futebol de Lisboa.

om ambas as equipas empatadas no número de pontos na tabela classificativa esperava-se um jogo bem disputado e equilibrado. E foi isso que aconteceu. Com um ligeiro ascendente inicial o ACO conseguiu controlar o ritmo de jogo até alcançar a vantagem ao minuto 9’. A partir daí o jogo aumentou de velocidade com o ACC a tentar chegar à igualdade feito conseguido à passagem dos 17’ mercê de uma rápida jogada contra-ataque. Com o

C

jogo numa toada de parada e resposta aos 25’ um lance fundamental dita o desfecho ao intervalo. Depois da bola ter ultrapassado na totalidade a linha lateral o ACC aproveita o facto do árbitro nada assinalar para marcar o 2º golo indo para o balneário a vencer por 2-1. A segunda parte começa com o ACO a tentar chegar à igualdade e como refere o ditado popular “quem não marca, sofre” foi o ACC a dilatar a vantagem no marcador. Os atletas vindos do Lumiar passam a gerir o jogo trocando a bola e beneficiando também da passividade do árbitro que não age nem tecnicamente nem disciplinarmente às constantes faltas que o atleta n.º 21 do ACC comete ao usar sistematicamente as mãos e os braços para empurrar os jogadores do ACO.

Aos 25’ o Académico de Ciências faz o 4-1 havendo ainda tempo para, aproveitando o passe errado de um jogador contrário

Fotografia: David Braga

David Braga

o ACO reduzir a diferença para 4-2, resultado final do encontro. Arbitragem com dualidade de critérios em claro prejuízo do

ACO de José Pires. Na próxima ronda os comandados de Paulo Pinto recebem a equipa dos Leões de Porto Salvo.


28 Outubro 2011

O Filme do Jogo ACO 2 – Académico de Ciências 4 Futsal – Juvenis 22 de Outubro de 2011

Nova Odivelas 11


12

Nova Odivelas

28 Outubro 2011

MODALIDADES FUTSAL

David Braga

O Póvoa de Santo Adrião Atlético Clube apresentou as equipas de infantis e iniciados que esta época vão disputar os campeonatos distritais da Associação de futebol de Lisboa.

PSAAC encheu o pavilhão da Escola Secundária Pedro Alexandrino no passado domingo durante a apresentação das equipas de futsal. Para 2011/2012 os

O

povoenses vão disputar apenas provas em dois escalões competitivos dado que a capacidade de resposta não dá para mais. Segundo Mário Assunção presidente da colectividade o facto do clube não cobrar qualquer mensalidade aos atletas, solicitando apenas que estes sejam sócios e por isso mesmo paguem a cota de um euro mensal faz com que o recurso ao voluntariado seja a solução. Todos os elementos que compõem o staff de apoio, que inclui treinadores com a devida credenciação da federação e massagista não recebem qualquer verba nem mesmo a gasolina que gastam para ajudar no transporte dos jogadores para os treinos e jogos. Seja como for foram apresentados um a um os 36 atletas do clube (19 infantis e 17 iniciados) que depois disputaram um jogo em cada escalão, com excelente arbitragem de Daniel Santa, contra a equipa convidada a Associação Frassati. Apesar das derrotas por 2-3 (infantis) e 1-3 (iniciados) ambas as equipas mostraram que têm

Fotografias: David Braga

PSAAC apresentou equipas de Futsal

valor para fazerem um campeonato tranquilo, sem que haja grande preocupação em termos classificativos como referiu a treinadora Sandra Silva. No final das partidas e com a presença de Luís Sá, vogal do desporto da Junta de Freguesia da Póvoa de Santo Adrião e Hugo Martins, vereador do des-

porto da Câmara Municipal de Odivelas foram distribuídas algumas lembranças. O PSAAC aproveitou ainda a ocasião para distinguir o seu guarda-redes dos infantis Ricardo Gonçalves pelo empenho e dedicação que este tem demonstrado. As equipas do PSAAC na próxima semana estreiam-se nos campeo-

natos oficiais. Os infantis deslocam-se ao Rego em Lisboa para defrontar a sua congénere dos Corvos XXI, enquanto que os inciados recebem no pavilhao da Escola Secundária Pedro Alexandrino, o Arsenal de Alverca com o incio do jogo marcado para as 19h00 de Sábado.

FUTSAL – 2ª DIVISÃO DE INICIADOS

GROB com estreia vitoriosa A

Fotografia: GROB

equipa do Grupo Recreativo do Olival Basto estreou-se na melhor maneira vencendo o Infantado por 6-0 num jogo disputado com as bancadas do Pavilhão da Escola Secundária Pedro Alexandrino repletas de publico. O resultado é elucidativo

da superioridade demonstrada pelo GROB durante todo o encontro diante de uma frágil equipa do Infantado onde a precipitação dos seus atletas tanto nos passes como na finalização foi notória. Aproveitou o GROB que jogou um futsal bem mais objectivo alcançando uma

Desportivamente NO TV

vitória robusta e justíssima. O árbitro Bruno Ribeiro não teve influência no resultado do encontro. Na segunda jornada da com petição os comandados de Hugo Pinto irão até ao recinto do Via Rara. Esta semana a convidada especial do Desportivamente foi Ana Monteiro, vogal do desporto da Junta de Freguesia da Ramada. Dos vários pontos que focou destaque para o facto da Junta não apoiar financeiramente os clubes mas colaborar sempre que necessário em pequenas reparações, na compra de material desportivo, na promoção de iniciativas próprias etc. José Carlos Pires referiu-se à selecção nacional de Corfebol que vai disputar os campeonatos do mundo à China e que tem a sua Sede Federativa em Odivelas. Rui Teixeira abordou a polémica que actualmente existe relacionadas com as arbitragens dos escalões mais novos do futebol, não deixando também de elogiar o trabalho produzido por Ana Monteiro.


28 Outubro 2011

Nova Odivelas 13

MODALIDADES DESPORTO ESCOLAR

3ª Edição da Semana Olímpica Câmara Municipal de Odivelas associou-se à 3ª edição da Semana Olímpica promovida pela Comissão de Atletas Olímpicos realizando eventos nos dias 26 e 27 de

Outubro «Proporcionando aos alunos do concelho de Odivelas a experiência da prática desportiva de diferentes modalidades». Na Quarta-feira cerca de 50 alunos da Escola Secundária Pedro

Fotografias: Eduardo Sousa/CMO

A

Alexandrino e da Escola Básica N.º 1 do Olival Basto tiveram a oportunidade de experimentar a Vela no Porto de Recreio de Oeiras.

Na Quinta-feira foi a vez dos alunos da Escola Básica do 2º e 3º Vasco Santana, da Ramada e Escola Básica N.º 1 Maria Lamas, de Odivelas, se deslocarem até

BASQUETEBOL

FUTSAL FEMININO

Escola da Ramada na liderança do campeonato

ANDEBOL

Odivelas Basket derrotado na Malveira

A

equipa de Sub-16 do Odivelas Basket deslocou-se no passado sábado à Malveira para defrontar a equipa local em jogo a contar para a 4ª jornada do campeonato distrital, e que teve como resultado final CHA Malveira 65 X OBC 48. Segundo o treinador Ricardo Gaspar a equipa apresentou-se motivada mas o basquetebol apresentado deixou muito a de-

equipa da Escola da Ramada lidera isolado o campeonato distrital de juniores femininos depois de bater com mais uma goleada desta vez frente ao Alhandra Sporting Clube por 6-2. Os golos das ramadenses foram obtidos por Sophie (3), Carla Mascarenhas (2), e Tatiana Martins. Na terceira ronda da competição as atletas da Escola da Ramada irão até à Lourinhã para defrontar a equipa da Zambujeira Serra Calvo. Fotografia: Facebook Daniel Ramos

A

ao Complexo Desportivo do Estádio Nacional onde durante a tarde praticaram várias modalidades desportivas.

sejar esperando que com o trabalho realizado nos treinos conseguir rectificar os erros cometidos. Os parciais do encontro foram os seguintes: 23-16, 7-10, 20-7, 15-15. Destaque individual para Mauro Rita que marcou 17 pontos. Na jornada 5 o OBC recebe no próximo domingo pelas 10h00 no pavilhão Susana Barroso no Casal do Rato a equipa do Basket de Queluz.

GCO 33 X Oriental 7 m jogo da 5ª jornada do Campeonato Nacional da 2ª divisão de iniciados o Ginásio Clube de Odivelas recebeu o Clube Oriental de Lisboa tendo vencido por 33-7. Num jogo desequilibrado onde o Ginásio de Odivelas dominou do princípio ao fim o resultado só por si espelha bem a diferença entre as equipas. O facto de o Oriental ter apresentado apenas 6 atletas é também revelador das dificuldades com que a equipa adversária teve para enfrentar o desafio em que o Ginásio de Odivelas aproveitou para rodar todos os seus jogadores. Apesar da vitória o treinador odivelense deixou reparos aos seus atletas que cometeram alguns erros que têm de ser corrigidos. Com esta vitória o GCO passa para a 2ª fase do nacional da 2ª divisão com 3 vitórias e 1 derrota, com 116 golos marcados e 76 sofridos. Outros resultados:

E

Juvenis Femininos: Campeonato Nacional, 2ª Jornada GCO 14 X Porto Salvo 35 Infantis: Campeonato Nacional, 2ª Jornada SL Benfica “B” X 29 GCO - 19 Agenda para este fim-desemana Infantis: Campeonato Nacional 3ª Jornada (jogo em atraso). GCO. X Boa-Hora FC - 30 Outubro, às 17h30, Pavilhão Municipal de Odivelas Juvenis Femininos: Campeonato Nacional, 3ª Jornada. NAAL Passos Manuel X GCO, 30 Outubro, às 16h00, Escola Quinta de Marrocos Juvenis Masculinos: Campeonato Nacional da 2ª Divisão, 5ª Jornada. GCO. X Sassoeiros, 30 Outubro, às 15h30, Pavilhão Municipal de Odivelas.


14 PUB

Nova Odivelas

28 Outubro 2011

Desportivamente 09  

Suplemento semanal do Nova Odivelas