Issuu on Google+

PUB

ODIVELAS VAI TER CARTÃO MUNICIPAL SÉNIOR

Sexta-feira,

21 de Outubro de 2011

// N.º

411 II Série Ano XII

w w w . n o va o d i ve l a s . p t Director: Henrique Ribeiro

SAI DA ODINVEST

CÂMARA CEDE FOGO MUNICIPAL À COMUNIDADE VIDA E PAZ

CONFERÊNCIA

C. M. ODIVELAS

ODIVELAS TERRA DE D. DINIS

NESTE NÚMERO

● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ●

VEREADORES SOCIALIS TAS FAZEM BALANÇO DE DOIS A NOS DE MA NDATO

DESPORTIVAMENTE VEREADO R DA CDU DIZ QUE É P O SSÍVEL MAIOR APOIO AOS CLUBES E M ENTREVISTA EXCLUSIVA.

● ● ● ● ● ● ● ● ● ●

Conferência de D. Dinis Simprus, proj. & construções Tertúlia D. Dinis JSD visitou Póvoa BE visitou instituições Famões fala de alimentação saudável Cartão Municipal Sénior Câmara cede fogo municipal Ideia Fixe, Web design PS faz balanço de meio mandato Imagens Reais Universidade Sénior Dualidades Kalunga Paulo Aido preocupado com prédio a cair Festival de Arte e Cultura BE fala de 1/3 de utentes sem médico Utentes da Urmeira em protesto PSP recupera viatura roubada Homem morre ao socorrer vítima de assalto Manjar do Casal Maria Mendes em Homenagem a Hermínia Silva O Melhor de Lá Féria Câmara sai da Odinvest Joclima ar condicionado Woodsart Festa do Teatro Amador na Malaposta Geração S Entre Tanto Mês D. Dinis Horóscopo Hacienda D. Luisa Fiel e Tobias Flash do Reino Realmente! Nobres Confissões Consilcar

2 3 5 6 6 7 7 7 8 9 10 11 11 11 12 13 14 14 14 14 15 16 17 18 19 19 20 21 22 23 24 25 26 26 27 27 28


2

Nova Odivelas

21 Outubro 2011

750 ANOS D.DINIS PENSAR ODIVELAS

Henrique Ribeiro henrique_ribeiro@simpruspress.pt

O Movimento Cívico pensar Odivelas também se juntou às comemorações dos 650 anos do nascimento de D. Dinis promovendo em Outubro o Mês de D. Dinis que incluiu um conjunto de iniciavas com vista a divulgar o Rei multifacetado que escolheu Odivelas para ser sepultado. Este conjunto de iniciativas teve início a 07 de Outubro com uma conferência onde foram apresentadas cinco visões diferentes de D. Dinis mas todas concordantes da forte personalidade e importância do Rei Poeta. Conferência, que decorreu no auditório do Instituto de Ciências Educativas, na Serra da Amoreira contou com um razoável número de participantes. Na mesa do evento encontravamse Miguel Xara Brasil, do Movimento Cívico Pensar Odivelas, Maria Máxima Vaz, D. Duarte Pio, Rosado Fernandes, Carlos Coelho e o Secretário de Estado da Agricultura, José Diogo Albuquerque, em substituição de Assunção Cristas que por

A

impedimentos de última hora não pode estar presente. A primeira intervenção coube a Miguel Xara Brasil que explicou o que era o Movimento Cívico Pensar Odivelas e fez referências aos projectos desenvolvidos até agora lembrando o Projecto do Comércio Local, que envolveu dezenas de pessoas num estudo sobre a situação e na elaboração de propostas para a revitalização do sector, bem como a petição pela abertura do Mosteiro de Odivelas aos Sábados, Domingos e Feriados, que recolheu mais de 6 mil assinaturas, sendo que mais de 5 mil foram recolhidas presencialmente no concelho e pouco mais de mil através da Internet. Essa petição, disse Xara Brasil, já esteve na Comissão de Educação, Ciência e Cultura da Assembleia da República e prevê-se que ainda este ano baixe a plenário parlamentar com a possibilidade de aprovação de uma recomendação ao Governo no sentido de que sejam cumpridos os desideratos da petição.

D. Dinis criou um modelo de desenvolvimento para Portugal

Fotografias: Rui Lóio

D. Dinis, Rei que criou a marca Portugal

D. Duarte Pio foi o primeiro dos oradores convidados a usar da palavra. De maneira simples e muito informal confessou a sua admiração pelo Rei Poeta. «Desde criança que D. Dinis é o meu Rei preferido na História de Portugal» por várias razões a começar no modelo de desenvolvimento que D. Dinis introduziu em Portugal «Com uma programação

lógica e coerente que aproveitou bem a paz que Portugal vivia nessa altura». Outra das razões que liga D. Duarte a D. Dinis é a Rainha Santa Isabel e a sua defesa da doutrina do Império do Espírito Santo. «Desde criança que ouvia falar desse assunto em minha casa e depois mais tarde aprendi bastante com o professor Agostinho da Silva, um dos mais brilhantes e interessantes intelectuais portugueses do século passado». D. Dinis e Santa Isabel acreditaram na doutrina da Época do Espírito Santo que seria «Uma época de fraternidade universal em que todos os reinos seriam governados segundo as leis divinas, onde os governantes teriam como principal preocupação a fraternidade entre os povos e entre as nações e que o papel de Portugal era de preparar o mundo para o Império do Espírito Santo». D. Dinis foi um Rei civilizado Rosado Fernandes numa intervenção que chegou aos 30 minutos foi falando de D. Dinis e do seu tempo de forma simples e apaixonada. O historiador começou por referir as cantigas de amigo e cantigas de amor

dizendo que «A cantiga de amigo é cantada por uma mulher e a cantiga de amor é cantada por um homem apaixonado». Rosado Fernandes lembrou que, do ponto de vista cultural, D. Dinis teve um mestre francês, provençal, e era filho de D. Afonso III, o Bolonhês que vinham de zonas civilizadas. «Portanto, teve a sorte de ser, aquilo que muitos dos nossos governantes não são, civilizados». Segundo o orador D. Dinis não teve um reinado muito calmo «Embora ele não fosse o façanhudo guerreiro. Teve logo a iniciar e ainda novinho, como inimigo, o irmão e finalmente teve como inimigo o filho. Portanto não teve um reinado feito na calma e na paz, nem na simpatia. Foi na antipatia, na guerra e nas dificuldades». Rosado Fernandes considerou que «D. Dinis conseguiu manter uma atitude muito mais relacional do que aquela que vemos muitas vezes em políticos portugueses ao longo da história». Rosado Fernandes destacou a criação, por D. Dinis, de várias instituições. «Não fiado na honestidade dos fidalgos e sabendo, com toda a certeza, a existência dos abusos do poder, criou as inquerições e criou uma instituição, que agora funciona pouco, cha-


21 Outubro 2011 PUB

Nova Odivelas 3


4

Nova Odivelas

21 Outubro 2011

750 ANOS D.DINIS SESSÃO SOLENE EVOCATIVA

mada Os Ouvidores, que eram no fundo juízes do povo que ouviam as queixas que o povo tinha a fazer dos abusos de poder da alta nobreza, que era rica, era bruta, era guerreira e não tinha consideração pelos cidadãos». Um governante com imensas valências e excelente em todas as áreas a que se dedicou A historiadora Maria Máxima Vaz, com a convicção e vivacidade que se lhe conhece, falou apaixonadamente sobre D. Dinis, conquistando toda a atenção da plateia. D. Dinis foi o primeiro Rei a nascer em Lisboa, nos Paços de S. Bartolomeu, que já não existem e que ficavam situados na Encosta Sul da Colina do Castelo. D. Dinis quebrou a tradição de se chamar Sancho ou Afonso, nomes dos reis que o antecederam. Tendo nascido no dia em que a Igreja comemora a festa de S. Dinis, foi-lhe dado nome do santo. Quanto à educação de PUB

D. Dinis, Maria Máxima Vaz defendeu que D. Afonso III «Deve ter sido a pessoa que mais contribuiu para aquela forma de ser do Rei D. Dinis». A historiadora justificou esta afirmação com o facto de D. Afonso III ter vivido na Corte de França e só ter vindo para Portugal quando foi chamado para ser o regedor do reino. «D. Afonso III foi o primeiro rei a criar uma escola pública, no Mosteiro de Alcobaça». O facto de S. Dinis ter sido o primeiro bispo de Paris e de D. Afonso III ter estudado em França pode justificar, segunda a historiadora, a escolha do nome de D. Dinis. «D. Afonso III deve ter sido pessoa mais empenhada em que o seu filho tivesse o nome do santo que estava habituado a considerar o padroeiro da cidade de Paris». Dizem os cronistas que desde menino que D. Dinis foi dotado daquela viveza de espírito rara nas crianças e que teria gostado até de se dedicar mais à cultura se não fosse a responsabilidade que sentia de ser um bom administrador do seu reino. «Ele foi um governante com imensas valências e foi excelente em todas

as áreas a que se dedicou». A primeira missão de que D. Dinis foi encarregado foi quando tinha quatro anos e meio. «Afonso X, O Sábio, pediu a seu genro Afonso III que o fosse auxiliar porque tinha havido uma invasão de Mouros que tinham entrado em Espanha e provocado grandes razias. D. Afonso III enviou uma armada naval e um exército que levavam como superior o infante D. Dinis». Segundo Máxima Vaz esta primeira missão de D. Dinis «Não terminou pais com o Rei a ter de várias vezes participar nas questões que se registavam nos reinos do território que hoje é Espanha». D. Dinis foi um criador de marcas O orador seguinte foi Carlos Coelho, ligado à publicidade e criação de marcas que considerou que o Rei D. Dinis foi talvez o primeiro criador de marcas português. Dando o exemplo com algumas imagens o orador considerou que Portugal, enquanto marca, não tem sabido promover-se no estra-

geiro. «A falta de sentido de Estado, a falta de sentido de marca, a falta de sentido da importância que a nação tem sido a orientação da promoção de Portugal no estrangeiro». Carlos Coelho defendeu que «Nós somos um país com muito menos orgulho do que o conteúdo que temos». Como se constrói a marca de uma pais? «Como D. Dinis fez… Definir um território, que ainda hoje se mantém e que define Portugal como o mais antigo dos países da Europa». A segunda marca de D. Dinis foi plantar Portugal no mundo, plantando centralidades. Plantou universidades, criou fábricas de conhecimento, plantou mercados, plantou fluxos comerciais, foi um plantador de palavras nos diversos sentidos. «Este Rei deixou as palavras que nos permitem sonhar».

D. Dinis deve ser uma inspiração para o Governo O último orador desta conferência foi Diogo Albuquerque, secretário de estado da Agricultura começou por dizer que «Após 100 dias de governação mais que o zelo de D. Dinis pelas contas precisávamos de um milagre de Santa Isabel». O secretário de estado afirmou que D. Dinis deve ser uma inspiração para o seu ministério dando alguns exemplos do que o Rei fez nas áreas da agricultura já referidos pelos outros oradores. As intervenções integrais podem ser vistas na NO TV


21 Outubro 2011

Nova Odivelas 5

750 ANOS D.DINIS TERTÚLIA D. DINIS E SANTA ISABEL

no Santo de 2011, semanal em Sábado, de fuso horário catorze horas e trinta minutos, em pia baptismal ruada por nome de Fadista maior, conforme alguns amantes do Destino, fui ouvir uma tertúlia, com versos lidos e por entremeio, algumas especulações sobre terras descobertas entre 1482/1486, por Digo Cão, navegador intrépido nascido nas serranias de Vila Real, sobre o 6º Monarca da Dinastia de Borgonha , aquele que segundo a populaça diz «Que fez tudo quanto quis» o Senhor El Rei D. Dinis e, também sobre a sua amantíssima consorte a Senhora Rainha Stª Isabel, cuja a santidade deve, segundo a lenda, o ter transformado no seu regaço pão em rosas, embora já desde muito jovem mostrasse muitas tendências para as rezas conventuais e jejuns prolongados. A linhagem da ilustre dama, Isabel de Aragão foi escalpelizada desde que seu Avô D. Jaime I a viu abrir os olhos a terras de Saragoça em palácio de Aljaferia.

A

Seus pais D. Pedro, futuro III, e Dona Constança de Navarra, também trono tiveram em devido tempo. Sobre Idade Média, Poder Real, Poder Temporal, Tratados e Destratados, Papas à mistura, com Nicolau III em trono de Roma sentado, ouvi sapiência de cátedra botar e brotar. Especulações, de arquivos tombados em tomos de Torre do Tombo pareceu-me ver El Rei O Lavrador sobrolho franzir, quando a locução eloquente entrou em muitos amores de Ai Deus, e u é e flores do verde pino. No entanto não ficou a sua honra de procriador e amante manchada, ou o seu amor por sua Senhora sentido e dedicado, conforme em barra defendido tenazmente. Mas por brisas apenas se sentiram tocadas as pinhas do seu mais nobre feito que Fernando Pessoa na Mensagem lhe declina: ... “O plantador de naus a haver E ouve um silêncio múrmuro consigo:

Fotografias: Henrique Ribeiro

Ad perpetuam rei memoriam

É o rumor dos pinhais que, como um trigo De Império, ondulam sem poder ver” ... Também do cerne aberto do Grande Épico –Camões- escorrem em Canto III (estâncias 96, 97 e 98) outros atributos de sua Alteza.

... Eis depois vem Diniz que bem parece ............................................................. (96) Em constituições, leis e costumes Na terra já tranquila claros lumes. Fez primeiro em Comibra exercitar-se O valeroso offício de Minerva ............................................................. (97) Nobres villas de novo edificou Fortalezas castelos mui seguros E quasi o reino todo reformou. ................................................. (98) Ficou-lhe o filho pouco obediente Quarto Afonso, mas forte e excelente Os inícios e tertuliares de leis fundamentais duma Nação e suas normas jurídicas que eram música por vezes sinfónica de real harpejo ou rufar de tambores em certos pavilhões auricu-

lares, acomodaram-se como puderam. Também minhas lembranças caíram no Grande Miguel Torga, quando na sua pena incólume roça o Romance de Cavalaria e diz de sua Alteza em Majestade: Passa um Rei – é o Poeta Não pela força de mandar Mas pela graça mágica e escrita De imaginar. Em humilde escrito, tentei pedir que D. Dinis reúna em reinos de Odivelas, mais Marias (Maria Máxima Vaz), que tanto amor lhe dedica e que saberes nos transmite, assim como mais periódicos onde este edita. E que também em tertúlias de cadeiras bastas em número, por vezes cheias de lugares vazios, se sentem outro pensadores e agricultores da cultura para se transfigurarem em grito de pinheiro bravo, que em plena Idade Média já se ouvia em eco profético por terras de Leiria: E, se mais Mundo houvera lá chegara... Carvalho Vieira PUB


6

Nova Odivelas

21 Outubro 2011

QUOTIDIANOS POLÍTICA

JSD Odivelas visitou a freguesia da Póvoa de Santo Adrião o âmbito do seu Roteiro de Proximidade a Juventude Social Democrata de Odivelas realizou no dia 08 de Outubro uma visita à freguesia da Póvoa de Santo Adrião que foi guiada por Domingos Cabaço, líder da Bancada do PSD Assembleia de Freguesia; Bruno Correia, presidente do núcleo do PSD local; Maria João Nascimento, vice-presidente do núcleo PSD Póvoa de Santo Adrião e deputada municipal, e João Correia, da bancada do PSD da Assembleia de Freguesia da Póvoa de Santo Adrião. Segundo nota de imprensa da JSD de Odivelas, a visita teve o seu no Mercado e Feira do levante da freguesia «Onde pudemos contactar directamente com a população local, de modo a ouvir os seus problemas e ideias». Seguiu-se a visita a instituições

N

da freguesia começando pelo Grupo Recreativo Águias da Póvoa onde a JSD ficou a conhecer «As dificuldades desta colectividade principalmente em contar com uma participação mais activa dos jovens da freguesia». A comitiva visitou ainda o Agrupamento de Escuteiros 879 do Corpo Nacional de Escutas acompanhados pela Chefe Ana Santos, onde ficámos «A conhecer as condições degradadas em que este agrupamento se vê forçado a reunir mas que apesar desta contrariedade realizam diversas iniciativas e actividades». Segundo a nota de imprensa «Este roteiro ficou caracterizado por uma grande proximidade à população pois tivemos a oportunidade de nos deslocarmos por entre as ruas da freguesia entre cada visita. Deste modo, foi também possível conhecer a Igreja Matriz que se encontra no centro

BE Odivelas visita instituições

E

crescimento estagnar devido ao facto de as condições para a prática do ténis serem reduzidas tendo em conta a afluência de aulas e torneios que este clube realiza». A visita terminou no Chafariz d’el Rei. «É um dos belos monumentos do género, datado do século XVIII com uma nau esculpida no centro do chafariz. Este foi totalmente recuperado no anterior mandato pelo PSD». A JSD de Odivelas conclui esta informação á imprensa dizendo

que «Houve oportunidade para ouvir as forças vivas da freguesia, conhecer as suas dificuldades e os anseios e necessidades gerais da população, fortalecendo o trabalho a ser desenvolvido pelos autarcas da JSD Odivelas e do PSD Odivelas nesta freguesia e no concelho, bem como conhecer em profundidade o seu património histórico, cultural, social, económico e geográfico, mostrando aos jovens munícipes social-democratas a realidade da Póvoa de Santo Adrião».

750 ANOS D.DINIS

POLÍTICA

m nota de imprensa a Concelhia de Odivelas do Bloco de Esquerda dá conta de que aquela força partidária iniciou durante o mês de Setembro uma ronda de contactos com as associações e instituições que trabalham no concelho «Com o objectivo de aprofundar o conhecimento acerca da realidade social, cultural e económica do concelho de Odivelas». Diz o BE que «Com esta iniciativa, pretendemos estabelecer uma rede de contactos que viabilize uma reflexão mais aprofundada sobre os problemas do concelho, tendo por base a experiência daqueles/as que mais de perto lidam com a população». Numa primeira fase desta ronda, «Atendendo à situação social e economicamente degradada com que estamos confrontados, em Portugal e, em particular, em Odivelas» o Bloco vai reunir com «As associações e instituições que tratam estas questões, sobre diferentes perspectivas, tais como: instituições particulares de solidariedade social (IPSS), que se dedicam ao

histórico da freguesia e que dá vida ao largo Major Rosa Bastos». Também o Parque das Rolas «Construído num terreno com cerca de 4 hectares, o parque é uma realidade gratificante, que nos traz esperança e dá exemplo do que deve ser uma prática urbanística esclarecida. Estamos perante uma obra exigente que nos transmite uma sensação de sossego e harmonia e por isso é um lugar que merece ser visitado». A última instituição visitada neste Roteiro de proximidade na freguesia da Póvoa de Santo Adrião foi o Ténis Clube da Póvoa de Santo Adrião onde os visitantes foram acompanhados pelo presidente e fundador do clube, José Gaspar. «Tendo por base a dinamização, fomento e desenvolvimento do ténis na Freguesia e Concelho o clube foi fundado a 17 de Janeiro de 1990. Recentemente o clube viu o seu

apoio social a grupos específicos de cidadãos; associações de moradores, que trabalham fundamentalmente sobre a problemática da habitação; associações e instituições culturais, que fomentam e promovem práticas e hábitos de cultura; e associações e instituições que desenvolvem actividades nas áreas do ambiente, educação e saúde». A Concelhia de Odivelas do Bloco de Esquerda «Reafirma o seu empenhamento total na busca de soluções mais justas e solidárias para os problemas que afectam os/as cidadãos/ãs do concelho, contando, para esse efeito, com a colaboração de todos/as, sem excepção».

Dionisivs Rex s 750 anos de D. Dinis estão a ser assinalados em várias localidades as quais o Rei teve ligações. No Arquivo Nacional Torre do Tombo, em Lisboa, foi inaugurada a 10 de Outubro a Exposição Dionisivs Rex, com documentos de D. Dinis, iniciativa levada a cabo pelas Direcção Geral de Arquivos e da Direcção Regional de Cultura de Lisboa e Vale do Tejo. Esta exposição reúne alguns testemunhos de um reinado multifacetado e rico e onde podemos ver algumas referências à extinção do Mosteiro de Odivelas, onde, ainda hoje, permanece o túmulo de D. Dinis.

O

«Nem toda a acção protagonizada ou patrocinada pelo sexto rei de Portugal se ilustra nas opções. Basta lembrar, aqui, actos tão importantes como as concordatas, as inquirições gerais, a criação da Universidade, a outorga de forais, entre tantos outros. Que as escolhas induzam outras e renovadas deman-

das, nomeadamente aos membros da comunidade educativa, a quem, em particular, a mostra se destina». A Câmara Municipal de Odivelas marcou presença nesta inauguração, através do Vereador da Cultura, Mário Máximo. A exposição irá estar patente até dia 31 de Dezembro.

MÊS DO IDOSO

Visita ao Mosteiro S. Dinis ncluída no programa do Mês do Idoso decorreu no dia 12 de Outubro uma visita guiada ao Mosteiro de S. Dinis e S. Bernardo promovida pelo município de Odivelas e na qual participaram cerca de três dezenas de pessoas.

I

Os participantes no evento tiveram oportunidade de visitar alguns dos espaços mais importantes do mosteiro como a cozinha, o refeitório, os claustros e jardins interiores, além do túmulo do Rei D. Dinis que se encontra na Igreja do Mosteiro.

Esta visita já se enquadrou no Protocolo de Colaboração assinado a 08 de Outubro entre a Câmara Municipal de Odivelas e o Instituto de Odivelas entidade que gere o mosteiro.


21 Outubro 2011

Nova Odivelas 7

QUOTIDIANOS MÊS DO IDOSO

MÊS DO IDOSO

Alimentação saudável nas pessoas idosas em Famões o dia 22 de Outubro a Junta de Freguesia de Famões organiza, na Sala Polivalente, um evento integrado no Mês do Idoso, dedicado ao tema da alimentação saudável nesta classe etária, que constará de uma palestra formativa e informativa, a cargo de uma profissional de saúde; de uma receita culinária confeccionada ao vivo por um chef de cozinha; e de um lanche composto por produtos amigos da saúde. Nesta sessão, que tem início marcado para as 15h30, será ainda distribuído um folheto com alguns conselhos de especialistas para bem viver e bem envelhecer, onde constam igualmente algumas receitas de cozinha saudável, fáceis de confeccionar, agradáveis e económicas, indicadas para jovens e adultos, de todas as idades, e que também podem ser consumidas por diabéticos. A Junta de Freguesia de Famões pretende assim contribuir para

N

MÊS DO IDOSO

Seniores cantaram o fado o âmbito do programa do Mês do Idoso promovido pela Câmara Municipal de Odivelas, realizou-se mo dia 14 de Outubro, no Pavilhão Polivalente de Odivelas, uma Noite de Fado Amador que decorreu com casa cheia e ambiente de alegria e confraternização. Pelo palco passaram 14 fadistas amadores, com idade igual e superior a 55 anos, provenientes das Instituições Particulares de Solidariedade Social do concelho de Odivelas com valência para a 3ª idade. Esta noite contou, ainda, com um convidado especial, do Concelho de Odivelas, Diogo Sabino, finalista do Concurso da TVI “Canta Comigo”.

N

a divulgação de informação validada cientificamente, em diversas áreas, e que promova uma melhor qualidade de vida da população, lembrando que sendo a alimentação uma necessidade fundamental do ser humano, o seu uso incorrecto, seja por excesso, por carência ou feito de forma errada, pode levar a consequências nefastas a nível da saúde, que se vão agravando ao longo da vida. Por isso, segundo os peritos nestas áreas do saber, uma alimentação saudável é parte importante do caminho para se chegar a uma velhice saudável.

Cartão Municipal Sénior E

sta Sexta-feira, 21 de Outubro, a Câmara Municipal de Odivelas vai fazer a apresentação oficial e pública do Cartão Municipal Sénior, uma iniciativa do município que é «Um instrumento de apoio à população sénior do Concelho», segundo a nota de imprensa da CMO que anuncia o evento que será presidido por Susana Amador, presidente da câmara de Odivelas. «Assumindo a promoção do desenvolvimento social no seu território como missão prioritária, e considerando a necessidade específica de implementação de medidas que visem a melhoria do bem-estar e qualidade de vida dos munícipes com idade igual ou superior a 60 anos, a Câmara Municipal de Odivelas criou o Cartão Municipal Sénior» explica a nota. Este Cartão Municipal concede o acesso gratuito a programas ou actividades desenvolvidas pela autarquia, bem como o acesso em condições vantajosas (média superior a 10%) a bens e serviços prestados por inúmeros agentes comerciais do Con-

celho de Odivelas. A nota considera que «Com este Projecto, a Câmara Municipal de Odivelas contribui para a rentabilização e alargamento dos serviços das entidades privadas aderentes, ao mesmo tempo que proporciona vantagens à população sénior de Odivelas». O Cartão Municipal Sénior é dirigido a todas as pessoas residentes no Concelho de Odivelas com idade igual ou superior a 60 anos, e pode ser solicitado na

Câmara Municipal de Odivelas, mediante o preenchimento de um formulário de adesão, apresentação de documentos identificativos e de uma fotografia actualizada. A cerimónia de apresentação pública conta com a participação da Associação Empresarial de Comércio e Serviços dos Concelhos de Loures e Odivelas, de representantes de três dezenas de empresas já aderentes, e dos primeiros cem titulares.

SOLIDARIEDADE

Odivelas assina protocolo com a Comunidade Vida e Paz Câmara Municipal de Odivelas vai ceder à Comunidade Vida e Paz, em regime de comodato, um fogo municipal com capacidade para acolher quatro pessoas provenientes dos centros de reabilitação desta instituição solidária que apoio aos semabrigo. A cerimónia do Protocolo de Cooperação entre as duas entidades, que consubstancia esta cedência, terá lugar esta Sexta-feira, 21h00 de Outubro, às 11h00, nos Paços do Concelho. Em nota em nota de imprensa da CMO diz-se que «Com o intuito de promover o desenvolvimento social do Concelho de Odivelas, a autarquia alia-se à Comunidade Vida e Paz a quem atribui, a título gratuito, um fogo municipal no Bairro Gulbenkian, freguesia de Odivelas, com capa-

A

cidade para acolher quatro pessoas provenientes dos centros de reabilitação daquela entidade. A cedência deste fogo contribui para a reinserção de pessoas Sem Abrigo ou com problemas de adição, que tenham terminado com sucesso o programa terapêutico nos Centros de Reabilitação da Comunidade Vida e Paz». A nota diz também que «Um dos grandes factores de sucesso da Comunidade Vida e Paz na reabilitação dos indivíduos com problemas de adição passa pela reinserção social de que são alvo no final do processo de tratamento, em que as casas de reinserção social são fundamentais para fomentar a autonomia dos indivíduos no recomeço de uma nova vida». Por esta razão, «A Câmara Municipal de Odivelas não podia deixar de dar a mão à Comunidade

Vida e Paz, num processo de elevado interesse social, uma vez que promove novas possibilidades de recuperação e integração social de indivíduos residentes no Concelho de Odivelas», diz também a nota municipal. Com a assinatura deste protocolo de colaboração, as duas entidades pretendem cooperar na recuperação terapêutica e inserção social de pessoas semabrigo ou dependentes de droga e álcool que se encontrem a viver no Concelho de Odivelas desde que os Centros da Comunidade disponham de vagas.

pativos na sociedade. Galardoada com o Prémio da Fundação Bissaya Barreto, por práticas inovadoras na promoção social, é uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) tutelada pelo Patriarcado de Lisboa e com sede em Alvalade. É de inspiração cristã, mas tem o apoio de imensas entidades e pessoas de diferente fé e diferente fundamentação humanística, que se lhe unem no sentido de prestar serviço à sociedade».

24 HORAS DE NOTÍCIAS Sobre a Comunidade Vida e Paz: «A Comunidade Vida e Paz é uma organização que apoia os semabrigo, com o objectivo de os reinserir como cidadãos partici-

www.novaodivelas.tv www.diariodeodivelas.com


8 PUB

Nova Odivelas

21 Outubro 2011


21 Outubro 2011

Nova Odivelas 9

750 ANOS D.DINIS DIRECTAS

Vereadores socialistas fazem balanço de actividade No 2º aniversário da sua eleição, a presidente e os vereadores do PS na Câmara Municipal de Odivelas apresentaram uma Declaração Política onde fazem o balanço da actividade desenvolvida desde o início do mandato. o documento afirma-se que «Dois anos volvidos, o Partido Socialista tem sabido demonstrar determinação e coragem política, encarando de frente os novos desafios que se colocam perante o país, o concelho e o poder local em geral, sem nunca ter deixado de honrar os compromissos assumidos com os cidadãos de Odivelas». Os eleitos socialistas no executivo municipal referem as dificuldades, mas afirmam que durante quase dois anos contaram com o apoio do anterior Governo na concretização de muitos investimentos «Fundamentais para ultrapassar os défices humanos em educação, saúde, segurança, respostas sociais e requalificação urbana, neste que é um dos maiores (em número de habitantes) e mais densamente povoados Concelhos do País». Com o PARES e o apoio municipal que afirmam ser de 500 mil euros mais a cedência do terreno foram construídos equipamentos que darão cerca de 1.000 novas respostas sociais «Grande parte dedicadas à área da deficiência, na qual este Concelho era absolutamente deficitário». A declaração socialista salienta a inauguração recente das Casas da Granja da APCL e do Centro Comunitário e Paroquial de Famões. Referido também o financiamento do QREN para os projectos de reconversão urbanística, social e ambiental da Vertente Sul e do Centro Histórico de Odivelas, «Projectos estratégicos centrais e fundamentais para dar novo rosto e nova dinâmica económica e social a este Concelho». Ainda com o QREN e os Programas de Alargamento da Rede de Pré-Escolar, de Construção de Centros Escolares e de substituição das EB 2,3, «Foi possível a concretização das prioridades

N

municipais inscritas na Carta Educativa. Entre 2009 e 2011 oferecemos às nossas crianças mais 36 salas de EB1 e 21 salas de JI, reabilitámos a EB 2,3 da Pontinha e substituímos a EB 2,3 Isabel Portugal pela EB 2,3 Moinhos da Arroja, com 25 salas de aula e um pavilhão desportivo, o que correspondeu a um investimento total de €15.000.000». Os eleitos socialistas falam ainda da remodelação, já concluída da Secundária Pedro Alexandrino, na Póvoa de Santo Adrião e das que estão em curso em Caneças e na Pontinha onde foram investidos 36 milhões de euros. Na área da Saúde, os acordos celebrados com o anterior Governo e a ARS permitiram a abertura da Unidade de Saúde Familiar da Ramada, tendo as obras dos Centros de Saúde da Póvoa de Santo Adrião e da Ramada sido adjudicadas, com a respectiva verba orçamentada e comprometida no Orçamento de Estado de 2011, «Tendo mesmo começado as movimentações de terras e vedação dos locais de obra. Neste momento as obras não avançam, sem que qualquer explicação seja dada oficialmente à Presidente de Câmara ou aos órgãos eleitos deste Concelho». No que respeita à segurança o PS diz que «Foi possível protocolar a construção de uma nova esquadra policial na Ribeirada e a instalação da Divisão de Trânsito na Póvoa de Santo Adrião, compromissos aos quais o actual Governo continua sem dar resposta». A entrega de Manuais Escolares e as três refeições diárias nas escolas «Grátis para os mais carenciados, que correspondem a €2.750.000 de investimento anual»; o Clube do Movimento que envolve 1.048 alunos em vários programas como a ginástica de manutenção e a hidroginástica e caminhada; os programas Convida à Vida e SOS Sénior; as Obras de beneficiação em Centros de Dia; a Hipoterapia terapêutica; o realojamento de 120 pessoas e o trabalho do Centro Local de Integração de Imigrantes são também referidos pelos vereadores socialistas. Foi ainda referido o Executivo Digital; a Marmelada Branca, com a certificação deste pro-

duto e a criação do Clube dos Produtores; MODCOM com o apoio a 7 candidaturas; o Microcrédito, o Auto-emprego; a Protecção Civil e Loja do Cidadão. A construção do Pavilhão Multiusos; os 1.160 espectáculos e os 75.779 espectadores em dois anos no Centro Cultural Malaposta; as 36 exposições e os 18.500 visitantes do Centro de Exposições de Odivelas; os 12.500 utentes em workshops, ateliers, debates e concertos da Casa da Juventude; o apoio aos clubes de 200 mil euros e apoio directo a 55 eventos desportivos; os mais de 82.000 nas Piscinas Municipais; a III Bienal Lusófona e as Comemorações dos 750 anos do nascimento de D. Dinis, são ainda referências nesta declaração. O ambiente, a legalização das AUGI’s, e as obras de proximidade são também invocadas no documento. Para os socialistas no executivo municipal estes dois anos «Deixam rasto de bom trabalho e de mudança gradual e consistente, rumo a um futuro que queremos melhor, mas antevêem dois anos pela frente que perspectivamos com muita apreensão». O declaração refere ainda a «Difícil situação financeira das autarquias, que têm sofrido brutais perdas de receita, apesar da assunção de cada vez mais competências e do apelo constante das populações de auxílio social, junta-se o anunciado corte de transferências e a redução de dirigentes, num quadro em que os desafios são cada vez mais complexos e difíceis de gerir» e a aprovação do Plano Municipal de Contenção Financeira. «Ema-

Fotografia: Arquivo NO

Henrique Ribeiro henrique_ribeiro@simpruspress.pt

>

grecemos para dentro, para continuar a investir para fora, em particular na área social e no apoio aos mais atingidos nesta altura de crise. Não vimos no Governo atitude semelhante e tememos que novos cortes venham prejudicar, ainda mais, a nossa capacidade de acção e de intervenção no território e junto das pessoas». O PS acusa o actual Governo de «Total ausência de resposta aos compromissos assumidos e postos em marcha com o anterior Governo… Nem uma palavra face aos vários ofícios e pedidos de reunião efectuados a diferentes ministros. Um silêncio que ensurdece os 150.000 habitantes deste Concelho». Os vereadores do PS e a presidente de Câmara agradecem a confiança dos odivelenses e aos «vereadores do PSD que connosco, em coligação, têm desenvolvido acções, obra e trabalho, nos pelouros que lhes foram distribuídos». Referindo-se aos vereadores da oposição, os socialista afirmam que «São um contributo inestimável para a melhoria de propostas e constante monitorização à actividade Concelhia, pelo que lhes são conferidos os meios adequados ao exercício de uma saudável oposição. O coração da Democracia reside no Poder Local e no Concelho de Odivelas tal sentimento é bem expressivo». A declaração política do PS termina com «Uma palavra especial, também de agradecimento a todos os dirigentes e colaboradores da Autarquia que, com o seu trabalho e dedicação nos ajudam, diariamente, a fazer de Odivelas, um bom lugar para viver».

A Campanha Socialista de 2009

Concerto D. Dinis e a Música Fotografia: Eduardo Sousa\ CMO

PODER LOCAL POLÍTICA

No âmbito das comemorações dos 750 anos do nascimento de D. Dinis que estão a ser promovidas pela Câmara Municipal de Odivelas, teve lugar no dia 15 de Outubro o concerto D. Dinis e a Música que contou com a presença das duas centenárias bandas filarmónicas do concelho de Odivelas. O evento teve lugar a sede da Sociedade Musical Odivelense e para além da banda desta colectividade actuou também a banda da Sociedade Musical e desportiva de Caneças, com casa cheia e repertórios e actuações muito aplaudidas. A presidente da Câmara Municipal de Odivelas, Susana Amador e o vereador da Cultura, Mário Máximo, estiveram presentes. Actas dos Encontros sobre D. Dinis No âmbito das comemorações dos 750 anos do Nascimento de D. Dinis promovidas pelo município de Odivelas realizou-se a 12 de Outubro, na Biblioteca Municipal D. Dinis, em Odivelas, o lançamento do livro D. Dinis – Actas dos Encontros sobre D. Dinis em Odivelas”, evento que contou com a presença de Mário Máximo, vereador da cultura da Câmara de Odivelas; de Isabel Barros Dias, da Universidade Aberta, que fez a apresentação desta publicação e de Fernando Mão de Ferro, das Edições Colibri, parceira da CMO nesta edição. Com esta edição, segundo Mário Máximo, relembra-se D. Dinis «Rei que oficializou a Língua Portuguesa, dando assim, identidade a um país». Neste dia foi também inaugurada naquele espaço cultural uma exposição de livros sobre D. Dinis que estará patente até 12 de Novembro.


10 PUB

Nova Odivelas

21 Outubro 2011 PUB

PUB


21 Outubro 2011

Universidade Sénior

Kalunga

Dualidades

Nova Odivelas 11 35

Pré publicação semanal da novela de João Carvalho VIII

Educar é preciso, saber educar é urgente A educação é a chave do progresso moral. Só ela pode formar o homem consciente do futuro de si, senhor de si e responsável pelos seus actos. A criança é alguém com vontade própria, mas necessita de ser orientada e corrigida logo de início nas suas más tendências para mais tarde não se desenvolver nela o orgulho e o egoísmo e nos magoar com a sua falta de respeito e ingratidão. Quantas crianças precisam mais de estímulo que de ensino. Só a educação pode transformar o homem, cabendo a ele transformar a sociedade. Educar é amar, porque a educação é a ajuda, o amparo e o estímulo. A palmatória, a vara as descomposturas, os puxões de orelhas e os gritos pertencem à domesticação e não à educação. Todos nós Seniores passámos por este método de ensino domesticação mas a nossa infância foi tão rica em termos de ajuda psicológica, que mesmo hoje passados tantos anos ouvimos com regularidade as escolas a pedir ajuda nesta área. Lembram-se o que nos fazia a nossa psicóloga sempre que não sabíamos a tabuada de cor que nos inchava as mãos frágeis e sensíveis de criança com reguadas até satisfazer seu ego? Lembram-se dos erros do ditado que eram corrigidos a base da vara ou palmatória? Também se recordam que se nos queixássemos aos nossos pais a dose era a dobrar. Não me recordo de algum colega se ter queixado de mau tratos, traumas ou stress. Como éramos felizes nessa altura! Talvez alguns de vós também tivessem como eu um pai sempre presente na assistência psicológica que constava de porrada por algum comportamento menos correcto, e na falta deste estava a mãe para a sessão de esclarecimento de vassoura na mão. Não. Para educar não é preciso bater. O que chamavam educar já faz parte de um passado tenebroso e a ele nunca mais voltamos, pois a vida não caminha para trás. A educação no lar é a base da formação do carácter e dos sentimentos das gerações. Estamos a falhar na educação que estamos a dar aos nossos filhos e necessitamos despertar urgentemente. Estamos a viver um período grave de indignação popular. Só se obterá a pacificação social pela educação. Não pela que pretende fazer homens instruídos mas pela que pretende fazer homens de bem. Dourado Evaristo Aluno da Oficina de Jornalismo

O direito a ter direitos

João Curvêlo

ortugal está hoje mais pobre do que estava há um ano. E daqui a um ano estará mais pobre do que está hoje. É próprio governo que o admite, quando diz que a recessão aumentará drasticamente em 2012 e 2013. Ou seja, quando for mais necessária uma resposta social às vítimas da crise, o país estará mais pobre e o Estado terá menos capacidade de intervenção. Mas então para que servem, afinal, os sacrifícios dos portugueses? O Orçamento do Estado (OE) para 2012 é provavelmente o mais agressivo contra os direitos sociais desde há muitas décadas. Aí estão escancaradas as medidas que agravam a recessão e tornam o país mais desigual: do corte nos subsídios de férias e de Natal ao congelamento de pensões, passando pelo aumento geral dos impostos. Este documento, entregue esta semana à Assembleia da República, extravasa em muito o Documento de Estratégia Orçamental ou o memorando assinado com a Tróica. Agora tudo se tornou mais claro: o governo do PSD e CDS (ainda se lembram de os ouvir dizer que não haveria sacrifícios adicionais?) fez a mais dura declaração de guerra contra os trabalhadores. Não é uma questão circunstancial, é uma escolha ideológica que deixa intactas as grandes fortunas para atacar os mais pobres e a classe média. Entre as muitas medidas gravosas, há uma em particular que chama a atenção: o aumento do horário de trabalho em meia hora no sector privado. Esta não será tão gravosa para a economia das famílias como o corte nos subsídios de Natal e férias. Mas, de todas as medidas contidas no OE, é certamente a mais agressiva em termos ideológicos. Em 1 de Maio de 1886, vários milhares de operários americanos marcharam pelas ruas de Chicago, reivindicando a redução da jornada de trabalho para oito horas diárias. A ideia, então, seria estabelecer a divisão do dia em três partes equitativas: oito horas para trabalhar, oito horas para dormir e oito horas para ser pessoa. E conseguiram-no. Romper este compromisso, como fizeram PSD e CDS, significa um retrocesso civilizacional de mais de um século. Por outras palavras, é o modelo económico do século XIX transposto directamente para a realidade do século XXI. É preciso diminuir o défice e travar o crescimento da dívida pública. Mas o governo engana-se claramente no problema: o objectivo de equilibrar as contas públicas não se poderá nunca fazer à custa da destruição da economia, do aumento do desemprego e da degradação absoluta das condições de vida das pessoas. Com menos rendimento, haverá menos consumo, o que significará menos receitas para as empresas e, portanto, mais despedimentos. A falsa solução da austeridade é uma bola de neve, e sobretudo é incompetente na resposta ao problema da crise. Por todas estas razões, e por tantas outras, é tão importante a greve geral convocada pelas duas centrais sindicais, CGTP e UGT. Como tão importante foi a reivindicação cidadã que encheu as ruas no dia 15 de Outubro, com o protesto de várias gerações indignadas com o estado a que chegou o país. Aí, temos uma oportunidade única para dizer a quem governa que lhes exigimos um só direito: o direito a ter direitos.

P

João Curvêlo Estudante de Sociologia

Luís Morgado escrevia, regularmente, ao padre Salustiano e a Benilele. Só que a situação em Angola não permitia um fluxo regular do correio, passando-se muitas semanas sem qualquer contacto. O telefone era um recurso ainda mais falível, pois as comunicações encontravam-se, meses a fio, interrompidas. Depois, havia o problema dos diamantes e de Manuel Cosme. Luís, logo que chegado a Portugal, tinha retirado os diamantes das estatuetas, colocando-os dentro de uma caixa e encerrando-os num cofre de um banco, que alugou. Seguidamente, esperou notícias de Manuel Cosme. Mas, os meses passaram e nada de o comerciante aparecer ou dar notícias. Retirando retalhos de informações, da correspondência que recebia e do que conseguia saber, daqui e dali, a única conclusão a que chegara era a de que, muito provavelmente, Manuel Cosme já não se encontrava na Lunda. A certo passo de uma sua carta para o padre Salustiano, perguntara, de passagem, quais os portugueses que se mantinham no Dundo, em Portugália e no Lóvua. E o seu correspondente, na resposta, não tinha mencionado o comerciante, e este era demasiadamente conhecido para ser omitido, caso se mantivesse na região. Luís Morgado, desmobilizado, tinha-se iniciado na advocacia. Esta, não sendo muito intensa, o que era normal para quem começava sem ter uma carteira de clientes, dava-lhe tempo para pensar no que fazer e ter alguma iniciativa. Decidiu contactar a família de Manuel Cosme em Portugal, ou seja, a irmã e o filho. No momento da despedida, no Dundo, o comerciante tinha-lhe dado a morada deles, que era na sua terra natal. A localidade situava-se na Beira Baixa, no concelho do Fundão. Luís viajou para lá e, uma vez chegado, dirigiu-se imediatamente à morada que trazia. Deparou-se com uma moradia térrea, de média dimensão, de construção não muito recente, mas bem conservada, com um ar agradável. Estava rodeada de uma razoável área de terreno, murado. À frente tinha um pequeno jardim, bem arranjado, com canteiros de flores ladeando duas zonas de relva. Nas traseiras, conseguia-se perceber uma vasta área de horta, com algumas árvores de fruto. Luís bateu ao portão. Imediatamente veio correndo, do fundo da horta, um grande cão, tipo Serra da Estrela, que se atirou furiosamente ao portão, ladrando desalmadamente. Quase ao mesmo tempo, abriu-se a porta da frente da moradia, aparecendo uma mulher, de avental, cabelo apanhado em carrapito, estatura mediana, aparentando sessenta e tal anos bem conservados. - O que pretende? - Mora aqui o Sr. Manuel Cosme ou a irmã? - Mora a irmã, que sou eu. - Sou amigo do seu irmão e queria falar-lhe, por favor. - Ai, meu Deus. Corsário! Aqui! É só um momento. Vou prender o cão. Ai, meu Deus. O molosso seguiu a dona, obediente. Passado um pouco, a irmã de Manuel Cosme regressou, esfregando as mãos no avental. - Não me diga que tem notícias do meu irmão? Luís Morgado percebeu logo que estava perante alguém que, em relação ao paradeiro do comerciante, se encontrava nas mesmas circunstâncias que ele, ou seja, em branco. - Não, minha senhora, não tenho notícias e foi por isso mesmo que vim aqui. - Ah! Mas desculpe a minha má educação. Faz favor de entrar, senhor...? - Luís Morgado, muito prazer, Dona...? - Joaquina Cosme.


12

Nova Odivelas

21 Outubro 2011

QUOTIDIANOS Diferentes na convicção juntos na oração Tal como tem vindo a acontecer nos últimos anos a Câmara Municipal de Odivelas promoveu uma oração conjunta das diferentes comunidades religiosas existentes no concelho de Odivelas que este ano se designou Oração pela Paz em nome da água para a Vida. O evento decorreu na tarde de Sábado, 15 de Outubro, no Pavilhão Multiusos de Odivelas e contou com a participação da Comunidade Islâmica, Igreja Adventista do 7º dia, Igreja Católica Apostólica Romana e Igreja Evangélica. A presidente da Câmara Municipal de Odivelas, Susana Amador abriu as saudações Manifestando o seu orgulho por Odivelas ser «Um concelho multicultural, onde muitos povos, culturas e religiões se encontram». A edil citou o presidente da Comissão da Liberdade Religiosa, Mário Soares, que numa entrevista recente afirmou «A liberdade de religião, a solidariedade e o respeito entre as civilizações são o caminho para a paz no mundo». A edil agradeceu a presença e participação de todos neste evento inter-religioso e defendeu que «Com a nossa força, vontade, energia e as nossas almas, tudo é possível. Juntos seremos mais fortes». A oração começou o com a actuação do Coro da ACIDI – Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural, onde a Alta Comissária, Rosário Farmhouse, seguindo-se a Abertura com a Comunidade Islâmica; a Invocação/Saudação; texto Sagrado/Cântico com Igreja Adventista do 7º Dia e oração final. PUB

PODER LOCAL POLÍTICA

Paulo Aido preocupado com prédio em risco em Odivelas Henrique Ribeiro henrique_ribeiro@simpruspress.pt

Em reunião do executivo municipal, o vereador independente, Paulo Aido levantou várias questões, como a do prédio em Odivelas que foi motivo de notícia na edição de 07 de Outubro do Nova Odivelas; as comemorações dos 750 anos do nascimento de D. Dinis e o transporte de crianças do Bairro da Cassapia, segundo nota de imprensa do seu gabinete enviada ao Nova Odivelas. o que ao prédio da Rua Padre João Pinto, na cidade de Odivelas, o vereador solicitou à Câmara Municipal de Odivelas «Informação precisa» sobre a situação declarando-se «Alarmado com as declarações do Sr. Vereador Paulo César Teixeira, ao Nova Odivelas, publicadas na edição do passado dia 07 do corrente mês de Outubro, e passo a citar: “A situação já é muito antiga e foi uma sapata do edifício que cedeu levando a que o prédio rachasse a meio… Que a Câmara não tem capacidade nem é da sua competência a resolução deste problema. O prédio é de propriedade particular em regime de propriedade horizontal e portanto terão de ser os moradores a resolver a situação». Para o vereador, «Se o edifício ruir, a Câmara Municipal de Odivelas não fica isenta de responsabilidades conforme se extrai da Lei das Autarquias Locais e do Regime Jurídico das Edificações Urbanas. O imóvel pode desabar e isso poderá significar uma tragédia para as pessoas que lá habitam e para os que vivem nos edifícios pegados». Para o autarca «Se os Serviços da Câmara já avaliaram o que terá sucedido ao edifício, porque

N

segundo o Sr. Vereador Paulo César, cedeu uma sapata, então que se proceda em conformidade com a Lei, se notifique a Administração do Condomínio para a execução das reparações com prazo fixado e, em caso de incumprimento, se proponham obras coercivas. E se não houver alternativa, a Câmara Municipal pode deliberar a demolição parcial ou total conforme decorre do art.º 89 do RJEU, Regime Jurídico das Edificações Urbanas, e da alínea c) do nº 5 do art.º 64 da Lei das Autarquias Locais , como alias já o fez no passado recente na Serra da Luz, e também propôs deliberação semelhante em 11 de Março de 2008, para um edifício na Rua Augusto Gil, de acordo com o despacho nº 27 da Presidência, de 2008». Paulo Aido recomendou ao município que promova junto do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) «Uma avaliação das condições do edifício no sentido de conhecer a gravidade dos danos, o risco e a sua eventual demolição que a ser executada terá de ser realizada, certamente, com precauções que protejam os dois edificados juntos» e sugeriu que a CMO tome posse administrativa do imóvel «Como já fez anteriormente, garantindo no final o exercício do direito de reversão sobre o investimento realizado, recorrendo à legislação (art.º 108 do RJEU) que determina que as despesas realizadas com as obras coercivas são imputáveis ao infractor, neste caso ao condomínio». No que se refere à celebração dos 750 anos do nascimento de D. Dinis o vereador recomendou ao executivo municipal que «Mande disponibilizar os espaços de divulgação da Câmara Municipal àqueles que, sendo do concelho, solicitam a divulgação de eventos, que ocorrem no município, dando cumprimento

às suas redobradas afirmações em recentes reuniões de executivo, quando questionada sobre a divulgação das realizações da sociedade civil». Esta recomendação prende-se com o facto de «Hoje, dia 11 de Outubro, em pleno ciclo da celebração dos 750 anos do nascimento D’EL Rei D. Dinis, a Câmara Municipal expõe, no seu site, exclusivamente as suas iniciativas, mesmo depois de receber um pedido do Grupo ‘Pensar Odivelas’ para divulgação das iniciativas que detêm sobre o mesmo tema. É lamentável que não se dê destaque a eventos meritórios, esses sim, como demonstram as imagens publicadas, tiveram uma larga assistência e a participação de conferencistas de inegável gabarito e reconhecidos dentro e fora do País, como D. Duarte, Duque de Bragança, professor Rosado Fernandes, professora Maria Máxima Vaz, o Secretário de Estado da Agricultura, e Carlos Coelho, especialista em marketing». Paulo Aido afirmou que é preciso que «A Sra. Presidente da

Fotografia: Henrique Ribeiro

DIRECTAS

Câmara cumpra com a sua palavra e permita que os espaços de divulgação do Município publicitem as iniciativas que são solicitadas». Sobre o transporte das crianças do bairro Cassapia, na freguesia de Olival Basto, para a escola, o vereador afirmou que «É uma luta antiga meio ganha, um sonho meio concretizado, mas já valeu a pena e vou continuar a acompanhar estas pessoas que se encontram no Bairro Cassapia, na periferia do concelho, sempre esquecidas», a propósito do acordo que a Câmara acaba de propor com a Associação de Pais da escola do Olival Basto e que permitirá, para já, transportar 35 crianças. «É claro que o bairro tem cerca de 100 crianças que precisam de atenção, portanto ainda mais de sessenta continuam a deslocarse para escolas de Lisboa, a andar a pé centenas de metros à chuva, ao Sol, ao calor e ao frio» sublinhou Paulo Aido que referiu ainda a importância que neste assunto teve o papel da comunicação social local e nacional.

> Crianças do Barrio Cassapia no Nova Odivelas 386


21 Outubro 2011 DIVULGAÇÃO

Nova Odivelas 13


14

Nova Odivelas

21 Outubro 2011

QUOTIDIANOS Passeio Sénior

Fotografia: Eduardo Sousa \ CMO

DIRECTAS

Integrado nas comemorações do Mês do Idoso que estão a ser promovidas pela Câmara Municipal de Odivelas, teve lugar no dia 14 de Outubro um Passeio Sénior pelo Património que teve como título Memórias de Odivelas. Cerca de 20 munícipes participaram neste passeio que teve como ponto de partida o Largo D. Dinis onde se encontra o Mosteiro de Odivelas e os participantes tiveram oportunidade de visitar a Biblioteca Municipal D. Dinis,, antiga quinta recuperada, onde se encontra uma capela do Século XVIII recentemente restaurada; o o numento do Senhor Roubado; a Igreja Matriz de Odivelas, com a sua Pia Baptismal do século XVI; o Memorial do Cruzeiro; a Casa da Juventude, para observarem a exposição “Memórias de Odivelas” e o Centro de Exposições de Odivelas.

Fotografia: Eduardo Sousa \ CMO

Seniores de Odivelas praticam Ioga Cerca de 50 seniores do Concelho de Odivelas participaram, no dia 12 numa aula de ioga, no Pavilhão Multiusos de Odivelas, no âmbito das Comemorações do Mês do idoso. Durante 45 minutos os seniores exercitaram-se de forma a tornar o corpo e a mente mais saudáveis.

PODER LOCAL POLÍTICA

PODER LOCAL SAÚDE

Mais de um terço da população

Utentes da Urmeira

não médico de família

em protesto pela Saúde

m nota de imprensa a concelhia de Odivelas do Bloco de Esquerda dá conta de uma reunião que realizou a 17 de Outubro com as direcções, executiva e clínica, do Agrupamento de Centros de Saúde de Odivelas (ACESO). Diz a nota do bloco que, «Para lá da triste constatação do estado doente da saúde em Odivelas, confirmámos com particular preocupação o facto de 35% da população do concelho não ter acesso a médico de família, segundo as responsáveis pelos serviços de saúde. Da mesma forma, este número poderá vir a sofrer um aumento significativo nos próximos tempos, o que configura uma situação insustentável». O Bloco de Esquerda mostra-se igualmente preocupado «Com as condições infra-estruturais das unidades de saúde actualmente

E

existentes no concelho e com o atraso na construção das novas, há muito prometidas». Na nota de imprensa a concelhia de Odivelas do BE condena «Veementemente a situação altamente precária, do ponto de vista laboral, com que cada vez mais profissionais, médicos, enfermeiros e auxiliares em serviço no ACESO se encontram». A Concelhia de Odivelas do Bloco de Esquerda «Reafirma o seu compromisso inabalável com um Serviço Nacional de Saúde de qualidade e capaz de responder às necessidades dos cidadãos e cidadãs. Nesse sentido, baternos-emos, ao lado das populações, em todos os momentos, institucionais ou na rua, pela qualificação e capacitação do Serviço Nacional de Saúde público».

PODER LOCAL SEGURANÇA

Homem morto no Vale Grande durante assalto a amigo o dia 13 de Outubro João Borges, de 31 anos foi morto no Vale Grande quando tentava socorrer um amigo que estava a ser vítima de assalto por parte de três indivíduos. Segundo fonte do Comando e Lisboa da PSP seriam 05h30 da madrugada quando a vítima, na companhia de outras pessoas, seguia na sua viatura na Av. do Vale Grande, no bairro do mesmo nome na freguesia da Pontinha, quando verificou que que três pessoas estavam a assaltar um seu conhecido em plena rua. Para evitar o assalto saiu a viatura com uma barra metálica, que utilizaria para exercícios físicos, tendo-se

N

envolvido em confronto com os três assaltantes, um dos quais lhe terá dado uma pancada na cabeça com um objecto que a polícia admite ter sido a barra metálica que levava. Na Terça-feira, 18 de Outubro, a Directoria de Lisboa e Vale do Tejo, da Policia Judiciária (PJ) anunciou ter detido três indivíduos suspeitos deste assassinato. Segundo comunicado da PJ os três suspeitos com idades entre os 22 e os 31 anos, já têm antecedentes criminais, estando mesmo indiciados por outro crime de homicídio e dois de roubo. Os detidos foram presentes a Tribunal para que se fossem impostas medidas de coacção.

erca de dez centenas de pessoas concentraramse, na passada Sextafeira, em frente à extensão da Urmeira do Centro de Saúde da Pontinha em protesto contra o alegado encerramento daquela unidade de saúde. Fontes oficiais não confirmam nem desmentem a possibilidade de encerramento desta extensão mas alguns utentes disseram-nos que souberam do encerramento através de uma médica que ali presta serviço. A nossa fonte disse que o encerra-

C

mento explica algumas alterações progressivas que têm vindo a acontecer nos últimos tempos, como a ausência de serviço informático durante quase dois meses, a retirada de computadores e de médicos de família existindo neste momento dois médicos para 14.500 utentes. Na sequência deste protesto foi entregue um abaixo-assinado que recolheu 1.200 assinaturas na sua maioria moradores da Urmeira e utentes desta extensão.

PODER LOCAL POLÍCIA

Polícia recupera viatura e detém suspeitos do assalto Polícia de Segurança Pública informou que «Polícias da Divisão Policial de Loures, no dia 18 de Outubro, pelas 17H00, na Estrada Militar, junto ao metro da Pontinha, procederam à detenção de três homens, com idades compreendidas entre os 18 e os 21 anos de idade, na posse de uma viatura furtada». Segundo o comunicado «Os Polícias que se encontravam em patrulhamento auto na área, viram o condutor da viatura já conhecido por conduzir sem carta de condução, que ao se aperceber da presença policial colocou-se em fuga, desobedecendo aos vários sinais de paragem emitidos por aquela tripulação, acabando por serem interceptados junto ao Metro, onde decorria uma Operação de Fiscalização Rodoviária». Após serem abordados «Verifi-

A

cou-se que os três suspeitos possuíam vários objectos provenientes de vários furtos perpetrados pelos mesmos na área de Cascais, e a viatura em que os mesmos se faziam transportar havia sido furtada no passado dia 13, suspeitando-se que vinham fazendo uso da mesma há já alguns dias para a prática de diversos ilícitos». Nesta operação policial foi «Apreendida uma navalha de abertura semiautomática que a um dos suspeitos, que trazia dissimulada no bolo das calças, e ainda: ma viatura; três auto-rádios; uma arma branca de abertura automática; um telemóvel; e uma carteira pessoal com vários documentos pertencentes a uma das vítimas». A PSP informou ainda que «Os detidos, que já possuem antecedentes criminais pelo mesmo tipo de ilícito».


21 Outubro 2011 PUB

Nova Odivelas 15


16

Nova Odivelas

21 Outubro 2011

QUOTIDIANOS CENTRO CULTURAL MALAPOSTA

Fotografia: Eduardo Sousa \ CMO

Curso de Novas Tecnologias para os idosos

Integrado nas comemorações do Mês do Idoso que a Câmara Municipal de Odivelas leva a efeito durante o mês de Outubro, decorreu, no dia 13 de Outubro, uma iniciativa muito apreciada pelos seniores de Odivelas. Foi nesse dia que a Casa da Juventude abriu as suas portas aos Cursos de Formação na área das “Novas Tecnologias e Internet Sénior”. Estes cursos, desenvolvidos em parceria com a Fundação Vodafone Portugal, são dirigidos a munícipes seniores, com mais de 55 anos. Pretende-se continuar a valorizar os processos de ensino/aprendizagem na área das novas tecnologias, fomentando uma cidadania activa e a melhoria da qualidade de vida deste segmento específico da população. No arranque dos cursos, a Vereadora da Coesão e Inovação Social, Fernanda Franchi, esteve presente, saudando a iniciativa e a vontade dos novos alunos em aprenderem o “”bê-á-bá” de um computador. Estes cursos vão decorrer, ao longo do ano, em vários centros de dia de todas as freguesias do concelho, de 2ª a 6ª, entre as~0 9h30 e 17h30 . Terapia do Riso No âmbito do programa do Mês de Idoso que está a ser promovido pela Câmara Municipal de Odivelas, decorreu no dia 11 de Outubro um Workshop de Risoterapia e Relaxamento denominado O Riso não tem idade. O evento decorreu em duas sessões e teve lugar no Centro de Exposições de Odivelas. Os participantes aprenderam truques para levar a vida com um sorriso nos lábios, «Porque a energia do riso é poderosa e contagiante: quando sorrimos, mudamos a energia em nós e à nossa volta».

Maria Mendes presta Homenagem a Hermínia Silva Henrique Ribeiro henrique_ribeiro@simpruspress.pt

No dia 21 de Outubro a fadista Maria Mendes apresenta no Centro Cultural Malaposta um espectáculo de homenagem à fadista e actriz do teatro de Revista Hermínia Silva, que recordará a vida e os fados da homenageada. oi em Setembro de 2009 que Maria Mendes chegou à Malaposta com as suas mensais dedicadas ao fado, por onde têm passado grandes nomes da chamada canção nacional mas também nomes menos conhecidos mas que são grandes vozes do fado. Agora, mantendo essas noites, Maria Mendes apresenta-nos um espectáculo diferente onde, com apresentação de Nunes Forte, vai homenagear uma das suas referências no fado, a actriz e fadista Hermínia Silva. Fomos ao café teatro da Malaposta, cenário das noites fadistas de Maria Mendes, para falar desta homenagem mas, claro, seria inevitável pedir à fadista um pequeno balanço destes dois anos de espectáculos na Malaposta. «Um dia vim à Malaposta propor

F

o meu espectáculo da Dª. Hermínia Silva, mas não havia verba para isso. Então, lembrei-me de organizar noites de fado o que foi muito bem acolhido» havendo já contrato até Dezembro de 2012. «A adesão foi muito boa, há pessoas que nestes dois anos vêm cá todos os meses». Apesar de a maioria dos espectáculos serem, como referimos, na sala café teatro há meses em que a noite de fado salta para o auditório, com o dobro dos lugares disponíveis, que possibilita a contratação de nomes mais sonantes do universo fadista. Para Maria Mendes «A experiência está a ser óptima, estou muito feliz. Eu canto, eu apresento, eu intervenho com as pessoas. Acho que se criou aqui um ambiente muito bonito e que está a ser reconhecido porque está a funcionar». Já passaram pelas noites de fado da Malaposta nomes mais e menos conhecidos e quisemos saber que critérios seguia Maria Mendes para a escolha dos fadistas. A fadista disse-nos «Dá-me imenso prazer trazer pessoas que costumam cantar nas casas de fado mas que nunca actuaram num teatro ou numa sala deste género e que são pessoas com muito talento». Maria Men-

des tenta variar e trazer artistas novos mas entende necessário repetir porque «Os que vieram o ano passado, por exemplo, têm direito a voltar. Dá-me tanto prazer trazer pessoas que já estão um bocadinho esquecidas como jovens que estão agora a começar e que acreditam em mim e no meu projecto». Para Maria Mendes e para os seus convidados os factores monetários não são os principais. «Fazemo-lo pelo teatro, pelo ambiente, é pela promoção e sobretudo pelo público. Eles quando chegam aqui e veem o ambiente o público dizem-me: Maria Mendes aqui dá gosto vir cantar, porque as pessoas vêm aqui mesmo para ouvir fado. Não há comidas, não há bebidas, portanto vêm mesmo pelo fado. Há um silêncio absoluto e isso dá-me um gozo tremendo». Maria Mendes adora a sua profissão. «Quando nós estamos a cantar as pessoas esquecem-se que têm doenças e contas para pagar. É uma horinha e meia de descontracção». A fadista sublinhou que os preços da Malaposta são muito acessíveis e feitos a pensar nas pessoas que não têm possibilidade de ir aos fados a Lisboa. Chegámos ao espectáculo que

esta Sexta-feira Maria Mendes apresenta no auditório do Centro Cultural da Malaposta. Maria Mendes explicou-nos que há uns anos gravou um disco de homenagem a Hermínia Silva e viu na televisão Nunes Fortes dizer que tinham encomendado um DVD sobre Hermínia Silva. Daí surgiu a ideia de montar um espectáculo multimédia onde aparecem imagens de Hermínia Silva a cantar, pessoas conhecidas a falar da actriz e fadista e Maria Mendes a cantar fados, com apresentação de Nunes Fortes e acompanhamento de três músicos. «É uma hora e meia sem parar, de emoção, onde eu canto fados da D. Hermínia e um fado inédito que eu mandei fazer em homenagem». Maria Mendes achou necessidade de fazer esta homenagem porque sentia que Hermínia Silva estava um pouco esquecida. «Tenho um espectáculo único no pa��s de onde as pessoas saem emocionadas, choram, batem palmas. Ela canta e as pessoas batem palmas como se ela estivesse presente em palco». Entrevista completa na NO TV

Fotografia: Henrique Ribeiro

DIRECTAS


21 Outubro 2011 PUB

PUB

PUB

Nova Odivelas 17


18

Nova Odivelas

21 Outubro 2011

QUOTIDIANOS PODER LOCAL ECONÓMICAS ACTIVIDADES

Câmara de Odivelas sai da Odinvest do projecto e foi isso que acabou por ser feito com a decisão agora tomada pelo executivo municipal. Mário Máximo sublinhou que a partir de agora a Odinvest terá uma perspectiva absolutamente privada e poderá concertar políticas futuras para manter o projecto vivo. O vereador disse ainda que as notícias que se vão conhecendo todos os dias provam que esta foi uma decisão acertada. A saída da câmara não significa, no entanto, que a Odinvest e o município não continuem de mãos dadas no futuro em projectos concretos a analisar em cada situação, defendeu Mário Máximo, que considera que o Sector de Actividades Económicas da Câmara Municipal de Odivelas tem também um importante papel no desenvolvimento económico e empresarial do concelho e por isso a câmara irá reforçar a acção deste sector. Para o vereador «Tudo o que a Odinvest possa fazer em prol do desenvolvimento económico do concelho de Odivelas será bem-vindo. Um dos primeiros projectos era a incubadora de empresas que iria funcionar no edifício administrativo da antiga Cometna mas as coisas não correram

Planificar aulas em torno do património de Odivelas

Fotografias: Henrique Ribeiro

E

m reunião extraordinária realizada esta Quintafeira a Câmara Municipal de Odivelas aprovou por maioria, com o voto contra do vereador independente Paulo Aido, a saída do município da Odinvest – Agência de Apoio às Empresas e ao Investimento do Concelho de Odivelas, onde era um dos dois associados, sendo o outro a empresa Lusocapital. Mário Máximo, vereador das Actividades Económicas explicou ao Nova Odivelas que ainda no mandato anterior os a Assembleia-geral da Odinvest tinha aprovado que cada um dos associados entraria com uma verba de 200 mil euros para a actividade da agência. No entanto, «Os efeitos da crise que se começaram a sentir na Europa, em Portugal e necessariamente em Odivelas levaram a que a CMO não conseguisse satisfazer esse compromisso tendo apenas entregue 50 mil euros», explicou o vereador e vice-presidente da Câmara de Odivelas. Em diálogo e reflexão os dois associados da Odinvest entenderam que neste tipo de instituições a participação devia ser solidária e uma vez que a câmara de Odivelas não tinha possibilidade de cumprir a sua parte era preferível que saísse

bem e o acto de vandalismo ocorrido em 2009, que destruiu as renovadas instalações levou a que o processo tivesse ficado parado. Mário Máximo defendeu que é um assunto complica e merece reflexão mas remeteu para a Odinvest uma decisão final sobre o assunto. A decisão da criação da Odinvest e a entrada do município nesta agência foi ainda tomada no mandato anterior da CMO quando Sérgio Paiva era o vereador com competência nesta matéria. Segundo o primeiro acordo a CMO afectaria os recursos do pessoal da Divisão de Actividades Económicas e a Lusocapital os restantes recursos sem investimento de

dinheiro por parte do município. Com a chegada do vereador Mário Máximo ao pelouro foi aprovado pela agência um novo Plano de Actividades e Orçamento para 2010 que implicava a comparticipação financeira de 200 mil euros por associado que atrás referimos. Como são necessários pelo menos dois sócios para a existência legal da Odinvest sabemos que a Lusocapital vai procurar parceiros privados para prosseguir com os projectos da agência. Para já, e para substituir o município, entrou para a Odinvest uma outra empresa do grupo, a Lusocapital, redes de fibra óptica.

Tal como prometido na crónica anterior, regressamos ao estado da cultura no concelho de Odivelas e à procura de respostas para a sua dinamização. Talvez por influência profissional, coloco sempre na escola a tónica da divulgação e fruição cultural e da captação de novos públicos. Em meu entender, devem ser os professores e os alunos os destinatários prioritários das políticas culturais. Os alunos, porque são a aposta certa no futuro. A criação de hábitos culturais e o alerta para o que temos de mais próximo é a melhor garantia de que cada vez mais munícipes conhecem, valorizam, visitam regularmente e divulgam o património local. Os jovens de hoje que aprendem a gostar do seu património histórico e cultural serão os divulgadores de amanhã. Quanto aos professores, são os interlocutores a privilegiar, pois, se eles conhecerem o património do concelho onde leccionam – e em muitos casos, felizmente, também vivem –, será bem mais fácil aproveitar muitos dos conteúdos das disciplinas de História, de Português, de Geografia, de Economia, de Área de Integração, de Área de Projecto (só para falar nas mais evidentes) para dar a conhecer o ambiente em que vivem em vários domínios directa ou indirectamente relacionados com a cultura e a história. A questão seguinte é saber como fazer tal. Pessoalmente, tive no passado ano lectivo uma experiência que mostrou claramente que os professores se interessam pelo património local, quer vivam ou não no concelho. Tratou-se de uma acção de formação, que incluiu uma visita ao centro histórico de Odivelas e o balanço foi francamente positivo, quer pela surpresa da descoberta de património interessante, quer pela verificação de que é possível integrá-lo nas planificações das suas disciplinas. Nas próximas crónicas divulgaremos algumas das sugestões de planificações de aulas tendo em conta o património do concelho de Odivelas. Jorge Martins postodecomando@gmail.com


21 Outubro 2011 PUB

PUB

Nova Odivelas 19


20

Nova Odivelas

21 Outubro 2011

CAMINHOS CRUZADOS 6ª FESTA DE TEATRO AMADOR DA MALAPOSTA

Soube a pouco e termina já no Domingo Começou a 28 de Setembro e vai acabar este Domingo, 23 de Outubro a 6ª Festa de Teatro Amador que durante este período levou aos vários palcos do Centro Cultural Malaposta da companhias e grupos de teatro, de vários pontos do país, mostrando que o teatro está vivo e que os grupos amadores continuam com vitalidade e a produzir peças de grande qualidade. Festa do Teatro Amador é um projecto que o Centro Cultural Malaposta desenvolve em paralelo com a sua programação profissional e tem como objectivo «Dar visibilidade e concretização a núcleos fazedores de teatro que não se inserem no mercado profissional e que, por isso, não têm espaços próprios de apresentação ou simplesmente pretendem criar alguma rotatividade aos seus produtos artísticos», segundo Manuel Coelho Director Artístico da Malaposta. A edição deste ano da festa contou com uma nova dinâmica que Manuel Coelho pretende seguir nas edições futuras com a homenagem a um dramaturgo português, que este ano foi Jaime Gralheiro «Um dos mais representativos dramaturgos portugueses dos séculos XX e XXI», segundo Manuel Coelho que encenou magistralmente a peça Vieram para morrer, deste dramaturgo, que foi apresentada duas vezes durante a festa com fabulosas interpretações de Jorge Estreia e Jan Gomes, actores residentes da Malaposta. As duas últimas peças neste correr do pano da 6ª Festa do Teatro Amador da Malaposta subirão ao palco Sábado e Domingo às 21h30.

A

3 Graças e 6 Sentidos No Sábado com início às 21h30 o Grupo de Teatro Contra Senso apresenta 3 Graças e 6 Sentidos de Miguel Mestre. «De autoria e encenação de Miguel Mestre, 3 Graças e 6 Sentidos pretende ser um thril-

ler teatral cujo objectivo principal é o de provocar psicologicamente o público. Trata-se de uma peça não aconselhada a menores de 16 anos pelo cariz eventualmente chocante de algumas cenas e pela linguagem utilizada. Esta é a história de 3 irmãs – Eufrosina, Aglaia e Tália -, das suas vidas e vicissitudes. É uma peça intemporal em que as personagens podem ser adaptadas a qualquer época, espaço, tempo... O ambiente criado é de extrema elegância a alta sociedade retratada nas suas variadas formas de expressão: as confidências e as existências obscuras, muito dinheiro e muito tráfico, as meninas de noite e senhoras de dia... Questões tabus são colocadas em cena numa interacção com o público que não será deixado impávido e sereno, somente a assistir. Temas atuais e incómodos são impostos ao público, de tal forma que o sexto sentido prevalecerá. O sexto sentido será a capacidade subliminar de descobrir a verdade na mentira...».

Ficha Técnica: Autoria e Encenação – Miguel Mestre Direcção de Cena – Lou Selecção de Actores - Miguel Mestre Revisão de textos – Lou Cenografia – Ruben Reis e Miguel Mestre Guarda-Roupa – Miguel Mestre Caracterização - Criação colectiva Design de Luz – Paulo Carvalho Operador de Luz - Paulo Carvalho Operador de Som – Sebastião Alves M/16 Duração: 90’ Bilheteira: 5 (preço único) Rosete Comédia No Domingo, no auditório será apresentada, pelo Loucomotiva, Grupo de Teatro de Taveiro, a comédia Rosete. «Há quem diga que a vida de Rosete dava um livro… o mais certo era dar uma novela, daquelas que passam depois das 03h00 da manhã. Considerada a maior e mais cintilante estrela da canção, Rosete, infelizmente, despole-

tou durante o dia, um dia solarengo, que ofuscou assim as suas hipóteses de mostrar o seu verdadeiro brilho. A infância marcada pela tragédia de uma morte familiar acidental, totalmente sem querer, deveras intencional, realmente fortuita; os altos e baixos da sua carreira de sucesso, marcada pelo crescente insucesso; a vida amorosa repleta de relações fugazes a rondar os 37 segundos; as dependências das substâncias químicas à base de açúcar refinado; não esquecendo as múltiplas inovações, e reinvenções artísticas onde Rosete prova que não ter talento é parte integrante do showbizz. Nada mais que uma vida predestinada que teve na música o seu pesadelo, quando pensava ter encontrado o seu sonho. Rosete, a maior estrela de sempre pode ainda ser uma mera desconhecida, a bem da verdade nunca existiu… mas depois de hoje será eterna». Jorge Geraldo

Ficha Técnica: Elenco Artístico: Alexandre Oliveira – Manager; Interlocutor; Homem do Bombo; Produtor Ana Luísa Durão Rosete Catarina de Oliveira Rute Clara Serrano – Mãe de Rosete Diana Pereira – Assistente; Jornalista

Luís de Melo – Irmão de Rosete; Tio de Rosete; Namorado de Rosete Colaboração Musical – Sílvio Rajado, Filipe Mendes e Joana Ferraz. Equipa Técnica: Encenação – Alexandre Oliveira e Luís de Melo Texto – Jorge Geraldo Letras – Luís de Melo e Jorge Geraldo Coreografias - Alexandre Oliveira e Luís de Melo

Desenho de Luz e Luminotecnia – Fernando Pratas Sonoplastia e Operação de Som – Adelino Rodrigues Guarda-Roupa e Figurinos – Loucomotiva Assessoria – Luís Serrano Produção Executiva - Custódio Rodrigues e Isilda Rodrigues Produção – Jorge Geraldo M/12 Duração: 80? Bilheteira: 5 preço único


21 Outubro 2011 DIVULGAÇÃO

Nova Odivelas 21


22

Nova Odivelas

21 Outubro 2011

ENTRE TANTO SEXTA 21 DE OUTUBRO

Apresentação do Cartão Municipal Sénior A Câmara Municipal de Odivelas apresenta o Cartão Municipal Sénior em cerimónia que terá início às 14h30 nos Paços do Concelho e que contará com a presença das primeiras empresas aderentes e e dos primeiros titulares. Segundo a CMO «Considerando a necessidade específica de implementação de medidas que visem a melhoria do bem-estar e qualidade de vida dos munícipes com idade igual ou superior a 60 anos, a CMO criou o Cartão Municipal Sénior, que concede o acesso gratuito a programas ou actividades de natureza social, cultural, desportiva e recreativa, desenvolvidas pela autarquia, bem como o acesso em condições vantajosas a bens e serviços prestados por inúmeros agentes comerciais do Concelho». Homenagem a Hermínia Silva A Fadista Maria Mendes apresenta às 21h30 no auditório do Centro Cultural Malaposta um espectáculo de Homenagem a Hermínia Silva onde serão apresentadas imagens da homenageada, declarações sobre a fadista e cantados fados por Maria Mendes. A apresentação será de Nunes Fortes. Preço único 10 euros, sujeito a descontos, 75’. M/6 SABADO 22 DE OUTUBRO

3 Graças e 6 Sentidos A 6ª Festa do Teatro Amador da Malaposta apresenta a peça 3 Graças e 6 Sentidos, de Miguel Mestre pelo Grupo de Teatro Contra Senso. Para ver no auditório às 21h30. Preço único 5 euros, 90’. M/16. Tertúlia por Amor à Diferença Com início às 15h00 no Pavilhão Polivalente de Odivelas vai ter lugar mais um tertúlia do ciclo denominado O Impacto da Doença Crónica na Criança e Família promovida pela Por Amor à Diferença, Associação de Famílias e Amigos de Crianças com Doença Crónica. Visita a Monumentos Históricos de Odivelas´ No âmbito do Mês de D. Dinis,

AGENDA. Mais eventos www.diariodeodivelas.com

promovido pelo Movimento Cívico Pensar Odivelas, vai realizar-se, com início às 14h00, uma visita guiada por Maria Máxima Vaz ao Sr. Roubado, Mosteiro de Odivelas, Igreja de Odivelas, Aqueduto das Águas Livres, Fontes de Caneças e Igreja e Chafariz D’El Rei na Póvoa de Santo Adrião. DOMINGO 23 DE OUTUBRO

Rosete Na 6ª Festa de Teatro Amador sobre ao palco do auditório da Malaposta, às 21h30, a comédia Rosete de Jorge Geraldo, apresentado pelo Loucomotiva, Grupo de Teatro de Taveiro. Preço único 5 euros, 80’. M/12. SEGUNDA 24 DE OUTUBRO

Workshop Voluntariado Sénior A Câmara Municipal de Odivelas promove o Workshop Voluntariado Sénior que terá início às 14h30 no Centro de Dia do Bairro de Santo Eloy, na freguesia da Pontinha. «Pretende-se através desta acção sensibilizar ou dar a conhecer à população sénior, numa perspectiva de desenvolvimento pessoal, fomento de (novas) relações interpessoais e participação activa na comunidade, um largo espectro de tarefas voluntárias que podem ser realizadas em termos de apoio à comunidade, nas áreas da saúde, cultura, educação, lazer, etc.».

em

QUARTA 26 DE OUTUBRO

Programa de Educação Artística no Ensino É apresentado às 17h30 no CRAPO, no Centro de Exposições de Odivelas, o Programa de Educação Artística no Ensino, para docentes do 1º ciclo do Concelho de Odivelas. O programa consta de oito sessões para 30 professores do 1º Ciclo, sobre a inclusão da educação artística nas vertentes de dança, música, arte plástica e dramática, no currículo do ensino básico. Inscrições gratuitas e limitadas. Rastreio da Osteoporose Entre as 10h00 e as 22h00 decorrerá no Centro Comercial Odivelas um Rastreio da Osteoporose dirigido aos munícipes de Odivelas totalmente gratuito, com a finalidade de efectuar um diagnóstico precoce desta doença. O Rastreio é promovido pela Câmara Municipal de Odivelas. Acção de Sensibilização Estilos de Vida Saudáveis No âmbito do Mês do Idoso a Câmara Municipal de Odivelas vai realizar no Centro de Exposições de Odivelas, com início às 15h00 uma acção de sensibilização e rastreio dirigida à população sénior do Concelho sobre a importância da adopção de estilos de vida saudáveis.

TERÇA 25 DE OUTUBRO QUINTA 27 DE OUTUBRO

Reunião Câmara Municipal de Odivelas Com início às 14h30 nos Paços do Concelho tem lugar a 19ª reunião da Câmara Municipal de Odivelas. Esta reunião é pública. Workshop de Dança No âmbito do Mês do Idoso a câmara de Odivelas promove às 14h30 e 16h00 na Casa da Juventude em Odivelas workshops de Dança. «Para pôr os nossos Seniores a mexer serão realizadas duas oficinas, nas quais se experimenta, com muita diversão associada, diversos ritmos contagiantes: tango, salsa, samba».

Envelhecimento Activo e Sem Violência A câmara de Odivelas em parceria com a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima, promove nos Paços do Concelho, entre as 09h30 e as 17h30, o seminário O Envelhecimento Activo e Sem Violência. Segundo a CMO «Pretende-se contribuir para um melhor conhecimento sobre a problemática da ocorrência de situações de abuso sobre seniores e sobre as expectativas/necessidades reais existentes a este nível no Concelho». OUTROS DIAS

D. Dinis entre a história e a lenda No ano em que se celebram os 750 anos do nascimento de D.

Dinis regressa à Malaposta a exposição de Margarida Nunes, D. Dinis entre a história e a lenda que pode ser vista até 31 de Outubro, no Foyer, de Segundafeira a Sábado das 11h00 às 23h00 e aos Domingos das 14h00 ÀS 19H00. De Terça a Sexta-feira terão lugar visitas guiadas para escolas mediante marcação. Entrada Livre.

E AINDA... >Teatro Infantil: As aventuras e desventuras do soldadinho de chumbo, na Malaposta. Sábados às 16h00 e aos Domingos às 11h00. >Até 28 de Outubro: Exposição Fotográfica Memórias de Odivelas. Casa da Juventude. >Até 31 de Outubro: Exposição de trabalhos executados por utentes dos Centros de Dia da freguesia em Ponto cruz, rendas e pintura. Junta de Freguesia da Pontinha. >Até 23 de Outubro: Tony de Matos… Só nós dois, na Malaposta. Sextas-feiras e Sábados às 21h45 e aos Domingos às 16h15. Preço único 5 euros. 75’. M/12 >Até 29 de Outubro: Exposição de Imagens de Rafael Bordalo Pinheiro na Biblioteca Municipal D. Dinis. >Até 31 de Janeiro de 2012: Dom Diniz segundo Virgínia Goes exposição de pintura. Centro de Exposições de Odivelas. >Até 31 de Janeiro de 2012: D. Dinis no seu Tempo (12611325). Exposição >Leitura Infantil: Dois Braços Para Embalar, Uma Voz Para Contar. Laboratório de sensibilização para a leitura, tendo como objectivo fornecer ferramentas e técnicas de animação do livro e da leitura às crianças e aos pais. Esta iniciativa destina-se a crianças dos 9 meses aos 3 anos de idade, requer inscrição prévia e decorre quinzenalmente aos sábados de Janeiro a Junho e de Setembro a Dezembro na Biblioteca Municipal D. Dinis.

www.novaodivelas.tv


21 Outubro 2011 DIVULGAÇÃO

Nova Odivelas 23


24

Nova Odivelas

21 Outubro 2011

um pouco nervoso, deve evitar o excesso de preocupações. Dinheiro: Ouça os conselhos da pessoa com quem divide as tarefas diárias. Números da Sorte: 14, 28, 45, 41, 2, 3 Pensamento positivo: Presto atenção às mensagens dos meus sonhos.

Escorpião

De 21 a 28 de Outubro Carneiro Carta Dominante: Rainha de Ouros, que significa Ambição, Poder. Amor: Poderá receber a visita inesperada de um amigo de longa data. Receba-o de braços abertos. Não espere que o amor vá ter consigo, procure ser você a distribuir amor pelas pessoas que o rodeiam. Saúde: O seu organismo poderá andar desregulado. Esteja atento às suas indicações. Dinheiro: Possibilidade de ganhar lucros inesperados. Seja audaz e faça um excelente investimento. Números da Sorte:11, 25, 1, 14, 3, 6 Pensamento positivo: Tenho o poder de tornar os meus sonhos em realidade.

Touro Carta Dominante: 7 de Paus, que significa Discussão, Negociação Difícil. Amor: Opte por atitudes de compreensão e tolerância para com os seus filhos. Esta semana conhecerá pessoas importantes para a sua vida futura. Saúde: Poderá sentir-se um pouco cansado e sem energia. Melhore a sua alimentação. Dinheiro: Aposte seriamente na sua competência, pois poderá ser recompensado da forma como merece. Números da Sorte:8, 7, 9, 41, 10, 2 Pensamento positivo: Faço o que devo para ter o que quero.

Gémeos Carta Dominante: 8 de Ouros, que significa Esforço Pessoal. Amor: A sua vida afectiva poderá não ter os contornos que planeou. Procure não perder a calma e invista na sua felicidade. Saúde: Não abuse nos alimen-

tos que sabe que prejudicam o seu estômago. Dinheiro: Prevê-se uma semana extremamente positiva em termos profissionais. Época favorável para pedidos de empréstimo, mas seja prudente. Números da Sorte: 8, 5, 2, 7, 4, 1 Pensamento positivo: Faço os esforços necessários para alcançar os meus objectivos.

Caranguejo Carta Dominante: A Morte, que significa Renovação. Amor: Tome consciência dos seus actos, pois estes poderão estar a contribuir negativamente para a sua relação. Saúde: Evite situações que possam provocar uma alteração do seu sistema nervoso. Algumas dores de cabeça poderão incomodá-lo, procure o seu médico. Dinheiro: Modere as palavras e pense bem antes de falar. Uma atitude irreflectida pode aborrecer um superior hierárquico. Números da Sorte: 9, 6, 3, 2, 5, 8 Pensamento positivo: A vida é uma dádiva que se renova a cada dia.

Leão Carta Dominante: Rainha de Espadas, que significa Melancolia, Separação Amor: A sua cara-metade não merece ser tratada com indiferença. Pense um pouco melhor na sua forma de agir. Saúde: As tensões acumuladas podem fazer com que se sinta cansado e desmotivado. Dinheiro: Atenção, a sua qualidade profissional poderá estar a ser testada. Prepare-se e conte com despesas extra. Números da Sorte:4, 5, 2, 1, 3, 6 Pensamento positivo: Tenho fé e aceito as mudanças como passos positivos na minha vida.

Virgem Carta Dominante: 4 de Paus, que significa Ocasião Inesperada, Amizade. Amor: O amor estará abençoado. Aproveite ao máximo este momento de comunhão com os outros. O seu poder de atracção vai abalar muitos corações. Saúde: O stress levá-lo-á a situações de desgaste físico e mental. O trabalho não é tudo! Descanse mais e pense seriamente na sua saúde. Dinheiro: Aja de forma ponderada, não coloque em risco a sua estabilidade financeira. Pense bem antes de gastar indevidamente. Números da Sorte: 7, 5, 3, 1, 9, 8 Pensamento positivo: A vida oferece-me boas surpresas, quando e de onde menos as espero.

Balança Carta Dominante: 7 de Copas, que significa Sonhos Premonitórios. Amor: Ponha as cartas na mesa, evite esconder a verdade. Seja o mais honesto possível com a sua cara-metade. Nem sempre dizer sim é bom para a sua relação. Imponha a sua vontade, pois o amor é dar e receber. Saúde: Aja em consciência e não cometa excessos que o seu organismo não suporta. Sentir-se-á

Carta Dominante: 2 de Espadas, que significa Afeição, Falsidade Amor: Aposte nos seus sentimentos e poderá, em conjunto com a sua cara-metade, tomar uma decisão importante para ambos. Saúde: A sua capacidade de recuperação de energias será notória. Dinheiro: Esforce-se por conseguir atingir os seus objectivos profissionais. Seja audaz e perseverante. Números da Sorte: 8, 7, 41, 40, 23, 22 Pensamento positivo: Sei distinguir os verdadeiros amigos.

Sagitário Carta Dominante: 3 de Ouros, que significa Poder. Amor: Ponha o seu orgulho de lado e vá à procura da felicidade. Seja feliz. Semana marcada pelo romance e pela paixão. Saúde: Lembre-se que fumar não faz mal apenas a si; tenha em atenção a saúde da sua família. Dinheiro: Aposte nos seus projectos pessoais. Seja inovador e arrojado. Poderá ter óptimas surpresas. Evite gastos desenfreados. Números da Sorte: 6, 9, 41, 10, 20, 30 Pensamento positivo: O poder está dentro de mim!

Capricórnio Carta Dominante: O Papa, que significa Sabedoria. Amor: Uma velha lembrança poderá pairar na sua mente, causando algumas dúvidas no

seu coração. Saúde: Nesta área não terá muitas razões para ficar preocupado, o que não significa que deixe de ter os cuidados mínimos. Dinheiro: Utilize a sua capacidade de organização para sugerir algumas mudanças no seu departamento. Números da Sorte: 8, 4, 10, 20, 32, 1 Pensamento positivo: A intuição é a minha mais sábia conselheira.

Aquário Carta Dominante: 7 de Ouros, que significa Trabalho. Amor: Não se dedique apenas à sua vida profissional, dê mais atenção à pessoa que ama. Saúde: Liberte o stress que tem acumulado dentro de si. Algumas dores musculares, relaxe mais. Dinheiro: Património protegido. Continue a adoptar uma postura de contenção, será bastante positivo para si. O seu chefe poderá testar a sua competência. Esforce-se por mostrar as suas competências profissionais. Números da Sorte:1, 8, 45, 10, 2, 3 Pensamento positivo: Com trabalho e empenho alcançarei todas as minhas metas.

Peixes Carta Dominante: Cavaleiro de Espadas, que significa Guerreiro, Cuidado. Amor: Procure satisfazer os desejos do seu par. Aja menos com a razão e mais com o coração. Assim, evitará conflitos desnecessários com a pessoa que ama. Saúde: Seja mais moderado e dê mais valor ao seu bem-estar. Período calmo, sem preocupações de maior. Dinheiro: Esteja muito atento ao que se passa ao seu redor, pois algum colega pode não ser tão sincero quanto aparenta. Números da Sorte: 8, 5, 4, 20, 11, 16 Pensamento positivo: Estou preparado para vencer todas as lutas.


PUB

21 Outubro 2011

Nova Odivelas 25

Universidade Sénior Dezenas de milhares de indignados manifestam-se em Lisboa No dia 15 de Outubro muitos milhares de portugueses, foram à Praça Marquês de Pombal, em Lisboa, na sua condição de indignados para se manifestarem contra um capital cego pela ganância e que esquece a miséria em que o mundo vive. Convocadas por três dezenas de movimentos não partidários e assumindo o título genérico de Os Indignados a manifestações, para além do Marquês de Pombal, realizaram-se ainda noutras cidades portuguesas e mundiais, num total de 350 cidades e 45 países, não havendo conhecimento de uma luta internacional pelos mesmos objectivos. Em Lisboa foram dezenas de milhares que participaram na concentração no Marquês de Pombal e que partiram depois em manifestação para a Assembleia da República. Eram milhares os cartazes transportados onde era mostrada a indignação dos manifestantes. As palavras de ordem gritadas faziam eco pelas ruas, destacando-se: «Passos ladrão não levas nem mais um tostão». A manifestação decorreu com muita alegria dos participantes. Alegria por participar e tristeza pelo motivo da participação, que era a defesa do pão, que cada dia que passa têm mais dificuldade em comprar; do futuro de Portugal que está sem soluções para os problemas que a maioria não contribuiu para criar e os que os criaram deixaram de usar cinto e usam suspensórios; contra um capital cego pela ganancia esquecendo-se da miséria que o mundo vive. Eram estas as vozes de indignação que os indignados repetiam vezes sem conta. Já ao meio da tarde e chegados á Assembleia da República, os ânimos exaltaram-se entre o Corpo de Intervenção da PSP e alguns dos manifestantes tendo o Corpo de Intervenção formado um cordão para evitar a progressão dos manifestantes para junto das portas da do parlamento. Muitas pessoas comentavam o sucedido dizendo que a manifestação era pacifica e que ocorrências daquele género não favoreciam quem protestava mas sim quem era protestado dizendo também que desmobilizava quem queria protestar mas pacificamente como anunciava a convocação: Protesto/manifestação pacifica, apartidária e global. Casimiro Canelas Aluno da Oficina de Jornalismo


26

Nova Odivelas

21 Outubro 2011

~ G uard a Re al ~

~ Fla sh d o Reino ~


21 Outubro 2011

Realmente! «Caros Odivelenses, Cabe aos decisores políticos e autárquicos no desenvolvimento dos seus cargos ter a postura e o comportamento que entenderem. O executivo e a Junta de Freguesia de Odivelas decidiram, desde o início do mandato que o caminho era o do trabalho empenhado e abnegado em defesa dos interesses da freguesia e das suas gentes. Infelizmente nem todos vão por este caminho. Infelizmente há quem teime em ter uma postura destrutiva, agressiva e desrespeitosa por aqueles que dando o melhor de si tentam diariamente dar a Odivelas uma melhor qualidade de vida, tudo fazendo para que nas mais diversas áreas esta freguesia cresça e se desenvolva de forma sustentada. As declarações muitas vezes proferidas quer publicamente via comunicação social, quer no órgão deliberativo, Assembleia de Freguesia revelam que nesta Freguesia há quem não lhe queira bem. Há quem o único objectivo é denegrir a imagem do presidente da Junta de Freguesia, não percebendo que por esse caminho são os odivelenses que estão a prejudicar. É um ambiente que já estamos habituados. O bom trabalho que temos vindo a realizar alertounos que a inveja de uns e incapacidade de construir de outros levaria a estes ataques cerrados. Estivéssemos nós, Junta de Freguesia quietos e nada disto sucederia. Mas o que basta é dizer que um projecto como a Escola de Fado que tem elevado o nome de Odivelas bem alto, obriga-nos a nos insurgir e sair em defesa da escola e todos os odivelenses que semanalmente dão o melhor de si em prol desta arte, desta estranha forma de vida. Por isso a todos os arautos da desgraça, aqueles que afirmam que a Escola de Fado tem os dias contados afirmamos taxativamente que não. A Escola de Fado está viva e recomenda-se e exemplo disso mesmo é a grande maratona de fado que vai ocorrer dia 30 de Outubro a partir das 16h00 no salão azul do Parque Urbano do Silvado, e que a Junta de Freguesia convida todos a estarem presentes, numa merecida homenagem a um dos expoentes da viola portuguesa: o Professor João Ramos. Contra as vozes fatalistas, venha ver pelos seus olhos os méritos deste projecto e a qualidade dos seus alunos, dos seus fadistas. Odivelas merece uma escola assim». Nota de Imprensa da Junta de Freguesia de Odivelas

~ No b r e s C o n f i s s o e s H

Confesso, sim confesso…

oje não me apetece escrever. É verdade, viscondessa cronista também tem aqueles dias do mês em que uma languidez perniciosa de apodera da mente e a vontade de botar no papel, ou no disco rígido do computador, algumas verdades sobre as terras de El Rei poeta, ultimamente tão badalado, fica fora de serviço temporariamente com as caixas multibanco em dias que nunca dão jeito. Mas prontos, o meu contrato de trabalho exige uma crónica semanal e que nunca se diga que a Maria Ricardina de Marmelo e Sá alguma vez desonrou os seus compromissos. E prontos, agora já vos abri a minha alma pura e cristalina como a água que os SMAS de Loures de vez em quando deixam de fornecer, vamos então justificar o sacrifício que o Boss faz todos os meses a manter esta crónica com todas as pressões e mais alguma. O homem até já está careca de tanta reclamação. O que vale é que apesar da minha grande qualidade de cronista, trabalho pro bono, ou para os menos esclarecidos, voluntariamente e portantos a coisa compõe-se. Mas por um lado tenho pena de não receber. É que se tivesse vencimento mensal com subsídio de natal e tudo, podia agora também contribuir com o meu 13º mês para a reconstrução nacional. Mas prontos o que tem de ser, tem de ser e o que tem de ser tem muita força.

É

pá na crónica passada, quando falei da Sessão Evocativa dos 750 anos do nascimento do meu mais que tudo, D. Dinis, esqueci-me de uma gira que por lá se passou. A doutora presidenta referiu os presidentes de junta presentes, e os seus substitutos, mas esqueceu-se do presidente da Ramada. Como a doutora disse os presidentes de junta do concelho e falou nas seis e não nas sete, a Ricardina ficou preocupada porque não acreditando que a presidente não visse o pianista presidente Bartolomeu, que até tem uma imagem bem visível, só podiam acontecer duas coisas, ou a tróica ter acabado com a Ramada fazendo a sua integração noutra freguesia ou que a Ramada tivesse imigrado para o vizinho concelho de Loures à procura de melhores condições de vida, como fazem tantos portugueses. Mas prontos, sosseguei quando no final vi a doutora quase mestra a pedir desculpa ao Francisquinho com nome de navegador.

O

divelas, nos outdoors e discursos já foi tudo, desde Terra de Oportunidades até ao lugar onde é bom viver, mas este mês ganhou dois novos estatutos: O Movimento Cívico Pensar Odivelas gritou em cartazes e prospectos que Odivelas é terra de D. Dinis. Não contesto, eles lá sabem… Mas logo a seguir Odivelas foi promovida de simples terra a capital. Verdade! A doutora presidenta no seu discurso disse que Odivelas é capital de D. Dinis. Prontos, pá… Adorei, ao menos que sejamos capital de alguma coisa. Espera, estava distraída, afinal Odivelas já era capital da Lusofonia. É pá, só falta sermos a capital das grandes superfícies comerciais do oriente. Mas acho que também já não falta muito…

Nova Odivelas 27

Maria Ricardina de Marmelo e Sá Viscondessa da Mem��ria confissoes@novaodivelas.pt

mente há um cartãozinho de combustível atribuído a um certo assessor que apresentava uma conta assim um tanto ou quanto escandalosa mas parece que não houve grande problema porque a pessoa em questão continua impávida e serena nas suas funções. Puxão de orelhas também não deve ter levado porque cá a Ricardina já analisou as ditas cujas, através de fotografias de antes e depois do uso e abuso e estavam do mesmo tamanho e nada vermelhas. Bom vermelhas se calhar ficarão quando ler isto mas provavelmente não passará disso. E, perguntarão vocês «Porque não foram tomadas medidas?». A Ricardina explica: «Estamos em tempo de contenção e portanto não se podem gastar medidas… Perceberam ou querem um desenho?». Mas não fiquem descansados. Parece que num dos sectores mais urbanos da câmara um outro cartão, não atribuído a ninguém especificamente, também apresentava valores muito elevados para a época, como diria um meteorologista de telejornal. É pá… De facto tenho de concordar que esta terra é mesmo de oportunidades. Prontos, as primeiras bombas desta crónica acabaram de sair do saco. Mas, calma… ... A grande bomba das bombas desta semana vem já a seguir ao espaço em branco.

P

ois é, há muitos e muitos anos que o avençado doutor FF põe, dispõe e volta a pôr nos laranjinhas da terra da marmelada. Mas com os actuais ventos e marés que sopram um pouco por todo o mundo em ondas de indignação, os desejos de mudança e de um novo ciclo também chegam ao PSD de Odivelas. No dia 19 o doutor FF apresentou a sua demissão de líder da Comissão Política Concelhia de Odivelas do partido que está no Governo de Portugal a dar boleia ao CDS e no governo municipal de boleia com o PS. As más-línguas que são fontes habituais cá da vossa amiga cronista apressaram-se a desmentir: «Não se demitiu oh Ricardina. Foi obrigado a fazê-lo». Prontos cá essas coisas não me interessam, com ou sem obrigação a verdade é que o senhor saiu do caminho e assim permitiu que já em Novembro se realizem eleições para a dita cuja comissão. «Oh Ricardina será que finalmente vão surgir caras no PSD de Odivelas, que vai nascer o tal novo ciclo com novos protagonistas?» perguntou-me logo que soube disto a Mariazinha do P que é muita cusca e quer sempre saber tudo. Pois… Cá a Ricardina já sabe alguns desenvolvimentos mas como o espaço acabou conto o resto para a semana. Fiquem bem que eu fico também…

Prontos… Já amornámos a coisa portantos vamos há bomba… do combustível. É verdade, segundo fontes geralmente bem informadas, mas não confirmadas nem oficial nem oficiosa-

SIMPRUS PRESS, COMUNICAÇÃO LDA Av. de Lisboa, 103 B - 2605-002 Casal de Cambra TLF: 219 817 000 FAX: 219 817 009 || NIPC: 509 172 962 || DIRECTOR DE INFORMAÇÃO: Henrique Ribeiro [henrique_ribeiro@simpruspress.pt] TLM: 962 646 230 DIRECTORA FINANCEIRA: Manuela Escoval || PUBLICIDADE: Coisas.info, concessionária de publicidade. Av. da Liberdade, 11 - Presa - 1675 023 Pontinha - Telefone: 216 022 318 - Email: publicidade@coisas.info NOVA ODIVELAS - Semanário do Concelho de Odivelas Av. da Liberdade, 13 Presa - 1675 - 023 Pontinha TLF: 216 022 318 FAX: 216 022 318 || DIRECTOR: Henrique Ribeiro [henrique_ribeiro@simpruspress.pt] || PUBLICIDADE: Coisas.info, concessionária de publicidade. Av. da Liberdade, 11 - Presa - 1675 023 Pontinha || DESIGNER: Soraia Lopes|| COLABORADORES: Eduardo Sousa, (Fotografia), Sérgio Mendonça (Desporto) || COLUNISTAS: João Carvalho, Paula Paçó, Teresa Salvado, Xara Brasil || CORRESPONDENTES: Olival Basto Sara Sousa; Desporto - António Mota, David Braga, Pedro Beato, Sandra Braga || REGISTO NO ERC: 123252 || DEPÓSITO LEGAL N.º: 105904/9 || Interdita a reprodução de textos e imagens sem o devido consentimento. || As crónicas e artigos de opinião ou de leitores são da inteira responsabilidades dos seus autores e podem não corresponder à orientação editorial do jornal.


28

Nova Odivelas

21 Outubro 2011

Nova Odivelas PUB

A forรงa da qualidade informativa


Nova Odivelas 411