Issuu on Google+

PUB

ENFERMEIROS PROTESTARAM CONTRA DESPEDIMENTOS

Sexta-feira,

07 de Outubro de 2011

// N.º

409 II Série Ano XII

w w w . n o va o d i ve l a s . p t Director: Henrique Ribeiro

FIM-DE-SEMANA CHEIO DE BOM TEATRO NO CENTRO CULTURAL MALAPOSTA

FREGUESIA DE FAMÕES COM MAIS UM BAIRRO LEGALIZADO

JÁ SÓ HÁ TRÊS CLANDESTINOS C ONG RES S O IN T E R N A C IO N A L 7 50 AN O S D O N A S C I M E N T O D E D . D I N I S DESPORTIVAMENT E EM SU PLEMENTO DE 12 PÁGINAS PUB

ANTÓNIO PEDRO ACUSOU VÍTOR MACHADO DE MENTIR À AFO NESTE NÚMERO

● Entre Tanto ● Simprus, projectos e construções ● Directas ● Ramada entregou viatura ao ACESO ● JSD em curso de socorrismo ● António Pedro Vs Vítor Machado ● Assembleia de Freguesia da Pontinha ● BE acusa CMO ● Loja do Turismo abre em Odivelas ● Mês de D. Dinis ● Conferência de D. Dinis no ISCE ● Congresso Internacional de D. Dinis em Lisboa ● Imagens Reais, fotografia e vídeo ● Pode Haver Luz ● Dualidades ● Kalunga ● Bairro dos Quatro já tem alvará ● Restaurante Manjar do Casal ● Campanha Coração Solidário ● Festa de Teatro Amador na Malaposta ● Posto de Comando ● Joclima, ar condicionado ● Woodsart, arte em madeira ● Tribuna do Leitor ● Ideia Fixe, Design e Webdesign ● Protestos pela Saúde ● O Melhor de Lá Féria ● Horóscopo ● Restaurante Deishas ● Intermitências ● Flash do Reino ● Guarda Real ● Realmente! ● Nobres Confissões ● Consilcar

2 3 4 4 4 5 6 6 6 7 8 9 10 11 11 11 12 15 16 18 18 19 19 20 21 22 22 24 25 25 26 26 27 27 28


2

Nova Odivelas

07 Outubro 2011

ENTRE TANTO SEXTA 07 DE OUTUBRO

Conferência sobre D. Dinis Promovida pelo Movimento Cívico Pensar Odivelas, vai ter lugar no auditório do Instituto Superior de Ciências Educativas, na Serra da Amoreira, freguesia da Ramada, a Conferência Rei D. Dinis (O Lavrador) O Seu Reinado e Legado, que terá como oradores D. Duarte, Assunção Cristas, Rosado Fernandes, Maria Máxima Vaz e Carlos Coelho. Exposição de filatelia e animação cultural Às 15h00 será inaugurada a exposição de filatelia O selo de autoridade do Rei D. Dinis e terá lugar a cerimónia de lançamento do inteiro postal e carimbo dos CTT comemorativo dos 750 anos do nascimento de D. Dinis. Os eventos têm lugar nos Paços do Concelho. Às 21h00 começa a animação cultural no Centro Comercial Odivelas Parque. Projecto CorDeNada em Caneças Integrado no Festival de Cultura e Arte promovido pela Junta de Freguesia de Caneças e que vai decorrer durante este mês, o Projecto CorDeNada da Associação Sócio Cultural de Jovens da Ramada, vai estar esta noite, a partir das 21h30, na Sociedade Musical e Desportiva de Caneças para um espectáculo de música Portuguesa. A presidente da Associação, Eliana Santos deixa o convite: «Apareçam e venham descobrir este novo projecto, contador de histórias, pela música, em português». SABADO 08 DE OUTUBRO

Sessão Solene D. Dinis Com início às 15h00 terá lugar nos Paços do Concelho a Sessão Solene evocativa das comemorações dos 750 anos do Nascimento de D. Dinis, no Mosteiro de S. Dinis. Esta sessão incluirá a celebração do Protocolo entre a Câmara Municipal de Odivelas e o Instituto de Odivelas; A Evocação de Sapiência por Pedro Barbosa e ainda com um momento musical com o maestro Nuno Lopes ao piano e declamação de textos e poesia

AGENDA. Mais eventos www.diariodeodivelas.com

pelo actor Victor de Sousa. O Impacto da Doença Crónica na Criança e Família No Pavilhão Polivalente de Odivelas, a partir das 15h00, terá lugar mais uma tertúlia O Impacto da Doença Crónica na Criança e Família promovida pela Por Amor à Diferença – Associação de Famílias e Amigos de Crianças com Doença Crónica. Dia do Animal Para assinalar o Dia Mundial do Animal a Câmara Municipal de Odivelas promove no Parque Urbano do Silvado um conjunto de iniciativas que começam as 10h00 e preencherão toda a manhã. Às 10h00 começa o IV Concurso Canino para cães com ou sem raça que inclui um desfile de todos os animais que foram adoptados no Parque dos Bichos (Canil Municipal). Às 11h30 terá lugar uma demonstração de obediência, às 12h00 uma demonstração de cães guia e às 12h30, bênção dos animais. Das 10h00 às 13h00 funcionará uma banca de recolha de bens que recolherá ração, brinquedos mantas, coleiras e outros materiais para o parque do Bichos, Centro Oficial de Recolha Animal do Concelho de Odivelas. Neste dia, será ainda promovida a adopção de animais com oferta de vacina da raiva e aplicação de Microchip. DOMINGO 09 DE OUTUBRO

750 anos de D. Dinis No âmbito das comemorações dos 750 anos de D. Dinis o Movimento Cívico Pensar Odivelas vai depositar uma coroa de flores no túmulo do Rei no Convento de S. Dinis e S. Bernardo, em Odivelas. Missa evocativa No âmbito do programa de comemorações dos 750 anos do nascimento de D. Dinis promovido pela câmara de Odivelas terá lugar, às 10h30, na Igreja do Mosteiro de S. Dinis e S. Bernardo uma Missa Evocativa. Rosas para D. Dinis Às 12h30 o Artecanes Teatro, Grupo da Sociedade Musical e

em

Desportiva de Caneças, apresenta no Largo D. Dinis o espectáculo Rosas Para D. Dinis com encenação de Joaquim Guerreiro, no âmbito das comemorações promovidas pelo município. SEGUNDA 10 DE OUTUBRO

Envelhecimento e qualidade de Vida No âmbito do Mês do Idoso a Câmara Municipal de Odivelas realiza a Conferência Envelhecimento e qualidade de Vida em Meio Urbano que terá início às 10h30 no Auditório dos Paços do Concelho TERÇA 11 DE OUTUBRO

Risoterapia e Relaxamento Às 10h30 e 14h30 terá lugar no Auditório do Centro de Exposições de Odivelas o Workshop de Risoterapia e Relaxamento “ Riso não tem idade integrado no programa do mês do Idoso QUARTA 12 DE OUTUBRO

Livros sobre D. Dinis Às 15h00 será inaugurada na Biblioteca Municipal D. Dinis uma exposição de livros sobre D. Dinis que ficará patente até 12 de Novembro de 2011. Terá também lugar o lançamento do livro D. Dinis – actas dos encontros sobre D. Dinis em Odivelas Visita ao Mosteiro S. Dinis e Yoga A Câmara Municipal de Odivelas no âmbito do programa do Mês do Idoso organiza visitas guiadas ao Mosteiro de S. Dinis e S. Bernardo que terão lugar as 10h00 e 11h30. Às 14h30 terá lugar uma Aula de Yoga Seniores no Pavilhão Multiusos de Odivelas. QUINTA 13 DE OUTUBRO

Novas Tecnologias e Internet Sénior Às 10h30, na Casa da Juventude Odivelas começam os Cursos de Formação Novas Tecnologias e Internet Sénior promovidos pela CMO no âmbito do Mês do Idoso.

OUTROS DIAS

Exposições sobre D. Dinis No Centro de Exposições de Odivelas estão patentes até 31 de Janeiro de 2012 duas exposições sobre o Rei D. Dinis integradas no programa que a Câmara Municipal de Odivelas preparou para assinalar os 750 anos do Rei que está sepultado no concelho de Odivelas. Dom Diniz segundo Virgínia Goes é uma exposição de pintura que revela a obra da artista, contando ainda com obras originais e uma série limitada e exclusiva de desenhos alusivos à comemoração desta efeméride. D. Dinis no seu Tempo (12611325) é uma exposição que irá abranger várias temáticas sobre o seu reinado, apresentando várias réplicas, nomeadamente de armas de caça, moedas e próprio túmulo do Rei. Esta peça, reproduzida à escala real, será talhada em esferovite à semelhança do original, com texturas e cores a imitar pedra. Congresso Internacional D. Dinis 750 anos do seu nascimento Nos dias 06 e 07 de Outubro decorre na Sociedade de Geografia de Lisboa (SGL) este congresso organizado pela Câmara Municipal de Odivelas em parceria com a SGL. Memórias de Odivelas De 06 a 28 de Outubro vai estar patente na Casa da Juventude de Odivelas a Exposição Fotográfica Memórias de Odivelas: retratos do tempo em que os Avós eram crianças, no âmbito das comemorações do Mês do Idoso promovidas pela CMO.

E AINDA... >Teatro Infantil: As aventuras e desventuras do soldadinho de chumbo, na Malaposta. Sábados às 16h00 e aos Domingos às 11h00. >Até 31 de Outubro: Exposição de trabalhos executados por utentes dos Centros de Dia da freguesia em Ponto cruz, rendas e pintura. Junta de Freguesia da Pontinha.


07 Outubro 2011 PUB

Nova Odivelas 3


4

Nova Odivelas

07 Outubro 2011

QUOTIDIANOS Congresso das Confrarias Portuguesas A Confraria da Marmelada de Odivelas vai participar no IV Congresso Nacional das Confrarias Portuguesas, evento organizado pela Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas, a ter lugar nos próximos dias 7 e 8 de Outubro de 2011, no Casino da Figueira da Foz. Segundo nota de imprensa da confraria assinada pela prioresa, Ana Monteiro, «Mais uma vez a Confraria da Marmelada de Odivelas irá representar o nosso Concelho fora de portas, divulgando e promovendo um produto que é nosso, a marmelada branca de Odivelas».

Condicionamento do trânsito A empresa Estradas de Portugal está a realizar, desde 28 de Setembro, trabalhos de repavimentação pontual de pavimentos na Estrada Nacional Nrº 8, entre a Póvoa de Santo Adrião e Loures num percurso de cerca de seis quilómetros. A previsão da empresa é que até 14 de Outubro os trabalhos possam estar concluídos. Até lá o trânsito vai estar condicionado nesse troço com circulação alternada dos dois sentidos numa só via. Comunicado da empresa lembra que « Os trabalhos estão devidamente sinalizados com recurso à implementação de sinalização temporária». O comunicado diz ainda que «Esta intervenção decorre no âmbito da empreitada de conservação corrente da Rede Rodoviária a cargo da EP no Distrito de Lisboa». PUB

PODER LOCAL SAÚDE

Junta da Ramada cedeu viatura à ECCI do ACES Odivelas

A

Junta de Freguesia da Ramada entregou no dia 30 de Setembro uma viatura à Equipa de Cuidados Integrados do Agrupamento dos Centros de Saúde de Odivelas (ACESO) uma viatura para ser usada pelos profissionais desta equipa na sua actividade diária de apoio domiciliário a pessoas dependentes devido a doença ou à idade. No início desta equipa todas as juntas de freguesia do concelho participavam no pagamento mensal à Cruz Vermelha Portuguesa de um motorista/socorrista que acompanha a equipa numa viatura da CVP. Mais tarde devido ao esforço financeiro algumas freguesias deixaram de poder prestar esse apoio que neste momento apenas é feito pelas juntas de Olival Basto e Póvoa de Santo Adrião. Outras juntas optaram por adquirir viaturas para ceder à equipa em

regime de comodato. A freguesia de Caneças entregou já há uns meses essa viatura, a freguesia da Ramada entregou no dia 30 de Setembro e a freguesia de Odivelas aprovou no dia 29 de Setembro um protocolo com o ACESO nesse sentido estando prevista para breve a entrega dessa viatura. No que ser refere à freguesia da Ramada, a viatura entregue na passada Sexta-feira é uma Renault Kangoo a gasóleo que custou à autarquia 4.500 euros. No protocolo assinado para essa cedência afirma-se que «Compete às juntas de freguesia prestar a entidades públicas colaboração em matéria de saúde e acção social e em geral em tudo quanto respeite ao bemestar dos cidadãos». Além da cedência da viatura a junta de freguesia assegura também o seguro de responsabilidade civil e de ocupantes e a

Fotografias: Soraia Lopes

DIRECTAS

isenção do selo. Ao Agrupamento dos Centros de Saúde de Odivelas compete assegurar os combustíveis e a manutenção da viatura. Na cerimónia de assinatura do protocolo estiveram presentes o presidente da Junta de Freguesia da Ramada, Francisco Bartolomeu; a presidente da Assembleia de Freguesia da Ramada, Susana Guerreiro; a directora do ACESO, Margarida Vale, a presidente do conselho clínico ACESO, Adelaide Laranjeira; o coordenador da Unidade de Saúde Familiar da Ramada, Luís Martins e Isabel Marques, representante da Comissão de Utentes, bem como vários membros do executivo e da assembleia de freguesia. Francisco Bartolomeu explicou que «Face à deserção da Cruz Vermelha do protocolo anterior e faces às dificuldades financeiras» a junta foi obrigada a desistir porque tinha de comparticipar com 10 mil euros ano «O que estava a ser penoso para a junta», embora a equipa de cuidados continuados «Tenha sido sempre nossa preocupação, pela sua qualidade intrínseca e pessoas inexcedíveis que constituem um socorro para as pessoas que se encontram numa fase da vida em que são mais frágeis e essa ques-

tão toca-nos de sobremaneira». Por isso a Junta de Freguesia da Ramada, usando alguma engenharia financeira decidiu apoiar o ACESO com a entrega desta viatura. Margarida Vale, presidente do ACESO, agradeceu esta cedência e «Sobretudo porque articulando connosco, na altura em que a Cruz Vermelha forçou a situação dizendo que não era possível continuar face à crise que todos sentimos, procurou uma nova solução que foi encontrada. Temos uma carinha adaptada pronta para os cuidados domiciliários e tem também a vertente de apoiar a Unidade de Saúde Familiar da Ramada que está a crescer». A presidente do ACESO manifestou o desejo «De que se possa construir o edifício que tenha uma Unidade de saúde em condições e nisso estamos dependentes da autorização do senhor ministro».

PODER LOCAL PROTECÇÃO CIVIL

JSD Odivelas participou em formação em Suporte Básico de Vida Juventude Social Democrata de Odivelas participou no dia 30 de Setembro numa numa formação em Suporte Básico de Vida, destinado a jovens munícipes, militantes e não militantes, que teve lugar no Quartel dos Bombeiros de Odivelas e foi ministrada por técnicos desse Corpo de Bombeiros. O Suporte Básico de Vida (SBV) é o conjunto de medidas e procedi-

A

mentos técnicos que objectivam o suporte de vida à vítima, até à chegada do transporte que a levará ao hospital traçando um padrão para atendimento e tendo como objectivo principal não agravar lesões já existentes ou gerar novas lesões. Ter conhecimentos em Suporte Básico de Vida pode fazer a diferença entre a vida e a morte numa situação de aflição, tendo em conta que nem sempre o SAV,

Suporte Avançado de Vida, chega a tempo e a probabilidade de sobrevivência decresce entre 7 a 10% em cada minuto. «A JSD Odivelas, sendo constituída por jovens munícipes com orientação política e acção cívica, entende que este tipo de conhecimentos poderá fazer com que o risco de morte seja menor, através de uma adequada ajuda em caso de emergência. Pretende-se, assim, abranger mais um âmbito e sector da

nossa realidade quotidiana: a saúde da população». Por isso «Tendo em consideração a importância que tem a protecção da vida humana, trata-se também de um âmbito do qual nós, JSD Odivelas, gostaríamos de enriquecer o nosso conhecimento, para sensibilizar a população para esta realidade», lê-se em comunicado da JSD enviado à nossa redacção.


07 Outubro 2011

Nova Odivelas 5

QUOTIDIANOS PODER LOCAL LOCAL PODER

DIRECTAS

Henrique Ribeiro henrique_ribeiro@simpruspress.pt

Na reunião da Assembleia de Freguesia de Odivelas realizada a 29 de Setembro, o eleito da CDU, António Pedro, chamou mentiroso ao presidente do executivo da junta, Vítor Machado, quando o autarca garantiu que nunca ninguém tinha sido proibido de frequentar a Escola de Fado da junta de freguesia. Assembleia discutia o Regulamento da Escola de Fado da Freguesia de Odivelas e alguns representantes manifestaram a sua discordância pelo facto de esse documento prever a expulsão dos menos assíduos. Vítor Machado afirmou que tal era apenas uma norma mas que nunca ninguém foi nem iria ser proibido de frequentar a escola. Perante esta afirmação António Pedro, da CDU chamou mentiroso a Vítor Machado dizendo que havia pelo menos uma pessoa a quem isso tinha acontecido. Numa calorosa troca de

Fotografias: Facebook da fadista

A

lhão. Depois disto chegou Jaime Ferreira de Carvalho que segundo Rita Esteves representa a junta na escola. Ela perguntou o que se passava não tendo obtido resposta. Nesse dia a fadista ainda esperou até perto da 23h00 que chegasse o presidente da junta para o questionar mas, como Vítor Machado não chegou, acabou por se ir embora questionando o presidente por correio electrónico que até hoje não teve resposta. Segundo a fadista esta atitude para com ela poderia ter origem no facto de ser muito frontal e não aceitar algumas coisas que considera injustiças. Quando a escola de fado começou a actuar mensalmente no restaurante Forno da Cidade, foi dito aos fadistas que iriam de forma rotativa a começar pelos mais antigos. A frequentar a escola há cerca de 7 anos Rita Esteves é uma das mais antigas mas nunca foi convidada e por isso reclamou dizendo que estavam a repetir fadistas sem que outros nunca tivessem tido a

oportunidade de ir cantar ao conhecido restaurante da Ribeirada. «Há pessoas que não gostas de ouvir as verdades» concluiu a fadista. A Escola de Fado da Junta de Freguesia de Odivelas foi criada em 2000 na sequência da realização do 1º Encontro de Fado de Odivelas e segundo Rita Esteves foi ela a dar a ideia para essa criação, ideia que foi agarrada por Vítor Peixoto então presidente da junta. Ao Nova Odivelas o ex-autarca confirmou que Rita Esteves era uma frequentadora da escola há já vários anos. O actual dirigente do Movimento Odivelas no Coração disse ainda que durante todos estes 11 anos de escola nunca houve regulamento e que ele enquanto presidente nunca sentiu a necessidade da existência desse documento porque a escola sempre funcionou como um espaço aberto de convívio e confraternização entre os fadistas. Vítor Peixoto disse-nos ainda que nos anos em que foi presidente da junta nunca ninguém foi expulso da escola nem tal questão alguma vez se colocou.

Fotografias: Henrique Ribeiro

palavras Vítor Machado acusou António Pedro de estar a levantar boatos e voltou a negar qualquer proibição desafiando António Pedro a dizer o nome da pessoa expulsa. O representante da CDU não se fez rogado e informou a assembleia que a pessoa em causa era a conhecida fadista Rita Esteves, moradora na freguesia (Arroja) e já com vários trabalhos editados. O Nova Odivelas falou com a fadista que confirmou a sua proibição de participar na Escola de Fado da Junta de Freguesia de Odivelas e até mesmo de entrar no Pavilhão Polivalente às Quartas-feiras à noite, dias em que a escola funciona. A fadista disse-nos que por motivos pessoais esteve cerca de dois meses, Junho e Julho sem frequentar a escola. Agosto foi mês de férias e em Setembro, em dia que estava marcada uma reunião da escola com Vítor Machado, a fadista foi lá e Cidália Aleixo, que alguns consideram orientadora da escola, disse-lhe que estava proibida de entrar na escola e no Pavi-

24 HORAS DE NOTÍCIAS www.novaodivelas.tv www.diariodeodivelas.com

Fotografia: Eduardo Sousa

António Pedro chamou mentiroso a Vítor Machado

Recital no Mosteiro de S. Dinis

O Mosteiro de São Dinis foi o palco escolhido pela Câmara Municipal de Odivelas para o início das comemorações dos 750 Anos do Nascimento de D. Dinis. O dia 01 de Outubro, também Dia Mundial da Música, foi assinalado com um Recital de Música Alusivo a D. Dinis. A noite iniciou com um pequeno discurso do VicePresidente da Câmara e Vereador da Cultura, Mário Máximo, que referiu que «Cabe a todos os odivelenses juntarem-se às comemorações dos 750 Anos do Nascimento de D. Dinis, tratando-se de uma homenagem justa e merecida ao nosso Rei-poeta com o cognome “O Lavrador” que mandou edificar um dos espaços mais emblemáticos do Concelho, precisamente o Mosteiro de São Dinis». O Grupo Coral de Pequenos Cantores da Pontinha abriu a noite musical com o “Cancioneiro d’ Elvas”, actuando logo de seguida o Conservatório de Música D. Dinis, através do seu Coro, do Ensemble de Guitarras D. Dinis e do Quarteto de Clarinetes D. Dinis. Novo horário da JFO nas Patameiras Em comunicado a Junta de Freguesia de Odivelas informa que a partir de 03 de Outubro a delegação das Patameiras para a ter um novo horário de funcionamento que será o seguinte: De Segunda a Sexta-Feira, das 09h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h00. PUB


6

Nova Odivelas

07 Outubro 2011

QUOTIDIANOS PODER LOCAL ECONOMIA

Fotografia: Eduardo Sousa

Sei! Dizer Não à Indisciplina

Ministrada pelos técnicos do Projecto Sei! Odivelas, a iniciativa Sei! Dizer Não à Indisciplina» teve lugar no passado dia 29 de Setembro, na EB2/3 dos Castanheiros, em Caneças. Esta acção de formação permitiu dotar os participantes de conhecimentos sobre o conceito de indisciplina e a sua influência no sucesso escolar dos alunos. O objectivo foi, igualmente, o de transmitir informações para ajudar a incutir boas práticas em ambiente escolar. Durante a sessão de formação, docentes e formadores discutiram, também, o planeamento de um projecto de intervenção escolar. A par da acção Sei! Dizer Não à Indisciplina está ainda a decorrer, até ao dia 26 de Outubro, a iniciativa Sei! Estudar, direccionada aos alunos das escolas EB2/3 dos Castanheiros e Secundária de Caneças. Este projecto, que chegará a cerca de 500 alunos, pretende capacitar os alunos de métodos e estratégias adequadas referentes ao estudo, bem como promover nos jovens autonomia e sentido de responsabilidade relativamente ao seu futuro.

Assembleia de Freguesia da Pontinha o dia 27 de Setembro realizou-se a Assembleia de Freguesia da Pontinha que tinha como ponto único da ordem do dia o Relatório de Actividades e Situação Financeira dos meses de Junho, Julho e Agosto de 2011. No entanto foram o Período Antes da Ordem do Dia (PAOD) e o Período de Intervenção aberto ao Público que fizeram a notícia desta reunião do órgão deliberativo da freguesia. No período do público o freguês João Carvalho levantou o problema da barreira junto ao Parque de Estacionamento do Metropolitano de Lisboa junto ao Edifício S. Carlos, que está cheia de mato e lixo colocando em perigo a saúde pública e mesmo os automóveis que ai estacionam. Deu como exemplo os fogos que aconteceram este ano naquele local, com o deles a ameaçar as viaturas que só não arderam porque os moradores e alguns automobilistas arrastaram os carros e foram apagando as chamas com os extintores das suas viaturas. O morador pediu à junta de freguesia que proceda à limpeza daquele local e que impeça o crescimento da vegetação. Referiu ainda que aquele parque é muito mal frequentado à noite e

N

www.novaodivelas.tv www.diariodeodivelas.com

VERDADE RIGOR ISENÇÃO

declaração política onde sublinha o início tranquilo do Ano Lectivo no concelho de Odivelas. A declaração referia também o inicio do novo ano lectivo e o «Investimento, por parte da Câmara Municipal de Odivelas, na entrega de manuais e refeições escolares, de forma a permitir que todos os alunos tenham a mesma oportunidade de desenvolverem as suas capacidades e potencialidades». As bancadas do PSD e da CDU apresentaram votos de congratulação pela realização do Torneio de Futsal do Casal do Rato, felicitando a Direcção do Grupo Recreativo e Cultural Presa/Casal do Rato. Estes dois votos foram unificados num único que for aprovado por unanimidade. A Assembleia aprovou também por unanimidade uma Moção apresentada pela CDU sobre o anunciado despedimento de 22

enfermeiros, que prestam serviço no Agrupamento de Centros de Saúde de Odivelas a que a Pontinha pertence. A bancada da CDU apresentou uma Declaração Política «Sobre a degradação das habitações e a falta de espaços verdes, nos Bairros do Governo Civil». A assembleia de freguesia aprovou ainda, por maioria, uma «Moção de Solidariedade para com os trabalhadores participantes na manifestação que se realizou no dia 1 de Outubro, fazendo referência ainda às medidas de austeridade implementadas no país» apresentada pela bancada da CDU. O único ponto da ordem de trabalhos, o Relatório de Actividades e Situação Financeira dos meses de Junho, Julho e Maio de 2011 foi cumprido sem qualquer intervenção por parte das bancadas.

PODER LOCAL POLÍTICA

PODER LOCAL TURISMO

BE acusa câmara de querer cortar apoio a associações

Loja da Marmelada no Odivelas Parque

m comunicado datado de 04 de Outubro a Concelhia de Odivelas do Bloco de Esquerda acusa a Câmara Municipal de Odivelas de querer cortar apoios às associações do concelho a propósito do agendamento para a Assembleia Municipal que ontem se realizou de um ponto sobre os programas PAACO (Programa de Apoio ao Associativismo Cultural de Odivelas) e PAAJO (Programa de Apoio ao Associativismo Juvenil de Odivelas) que já foram aprovados em reunião do executivo municipal. Segundo o comunicado dos bloquistas do concelho «A proposta de revisão desses programas, assumida pela Câmara Municipal de Odivelas, representa um corte de 50% no apoio aos transportes das associações

sta Sexta-feira, às 21h00, vai ser inaugurada no Centro Comercial Odivelas Parque a nova loja do Turismo da Câmara Municipal de Odivelas. Na abertura da loja estará também patente uma Exposição de Marmelada Branca de Odivelas, produzida pela secção de produtores de marmelada do concelho. Esta mostra vai estar patente até ao dia 31 de Dezembro, todos os dias, entre as 10h00 e as 22h00 e, segundo nota de imprensa do município «Tem por objectivo levar os visitantes a saborear e a adquirir este conceituado e afamado produto». A mostra «Proporciona o contacto com a gastronomia local e em particular com produtos regionais que devido a uma estratégia

E

24 HORAS DE NOTÍCIAS

necessitava de mais vigilância policial. Eugénio Marques, vogal substituto do presidente e que ali se encontrava em sua representação por motivos de doença de José Guerreiro, referiu que os caniços são um dos grandes problemas da freguesia. «Estamos a fazer um ataque feroz às ervas e aos caniços mas que acaba por ser inglório. Quando chegamos ao fim da freguesia já temos o principio a precisar de intervenção». Entrando do PAOD Ilídio Silva da bancada socialista leu uma declaração política sobre o pinhal da Paiã onde refere a importância daquele equipamento e sublinha a intervenção municipal e a criação do Parque Aventura «Que tornou este espaço num local privilegiado para as famílias desfrutarem da natureza, praticarem actividade física desportiva, para um passeio, ou simplesmente conviverem». José Carlos Pires, da CDU, realçou o carácter do presidente da Junta de Freguesia da Pontinha, José Guerreiro, como «Homem, autarca, pai e avô» e desejou rápidas melhoras a José Guerreiro que está a atravessar um período difícil de doença. Francisco Dinis, do PS, leu uma

Fotografia: Henrique Ribeiro

DIRECTAS

culturais e juvenis do concelho». Acresce ainda, segundo o BE, «Que é definido um limite de três deslocações por entidade, o que poderá levar a um corte ainda superior. Este corte incide da mesma forma sobre todas as associações, esquecendo diferenças e necessidades específicas de cada associação. Trata-se de um corte cego, sem qualquer avaliação do impacto por parte da Câmara Municipal de Odivelas». Para o Bloco de Esquerda «Esta é uma situação injusta, que impõe ainda mais dificuldades às associações que desenvolvem um importante trabalho no nosso concelho» e por isso o representante do BE na Assembleia Municipal votou contra estes documentos.

E

integrada tem vindo a ganhar relevo nos últimos anos». No que respeita à loja do Turismo em si a nota da CMO estabelece como objectivo «Facilitar a divulgação de Produtos, Associações, Empresas, Escolas, Recursos Patrimoniais, Freguesias, entre outros». A inauguração conta ainda com um momento cultural proporcionado pelos bailarinos da Academia de Dança Balletvita sob o tema D. Dinis.

24 HORAS DE NOTÍCIAS www.novaodivelas.tv www.diariodeodivelas.com


DIVULGAÇÃO

07 Outubro 2011

Nova Odivelas 7


8

Nova Odivelas

07 Outubro 2011

750 ANOS D.DINIS PODER LOCALCÍVICO PENSAR ODIVELAS MOVIMENTO

DIRECTAS

Fotografia: Eduardo Sousa

Projecto de Recuperação do Largo D. Dinis

As instalações da Sociedade Musical Odivelense foram palco, no passado dia 28 de Setembro, de uma sessão pública de apresentação do Projecto de Recuperação do Largo D. Dinis e da Rua Alberto Monteiro, em Odivelas. Este encontro foi presidido pela presidente da Câmara Municipal de Odivelas, Susana Amador, que contou, ainda, com a presença de diversos membros do executivo municipal. Nesta sessão, onde estiveram presentes mais de meia centena de participantes, foram apresentados e explicados os projectos de regeneração da área urbana histórica, que comporta o Largo D. Dinis e a Rua Alberto Monteiro. Esta intervenção terá um investimento de cerca de 3.6 milhões de euros, tendo uma comparticipação FEDER na ordem das 1.6 milhões de euros. No decorrer da apresentação Susana Amador focou a importância de renovação daquele espaço, fazendo votos «Para que a população se reveja neste projecto, cujas obras deverão começar em breve, com o mínimo de perturbação possível». Destacam-se, neste projecto, as obras de requalificação e ampliação do Largo D. Dinis, as intervenções ao nível da sinalética e mobilidade, entre muitas outras. O Projecto de Recuperação do Largo D. Dinis e da Rua Alberto Monteiro centra-se, ainda, no fomento ao empreendedorismo e comércio local.

24 HORAS DE NOTÍCIAS

www.novaodivelas.tv www.diariodeodivelas.com VERDADE RIGOR ISENÇÃO

Conferência “Rei D. Dinis (o Lavrador) – o Seu Reinado e Legado” Movimento Cívico Pensar Odivelas promove esta Sexta-feira com início às 21h00 horas, no Instituto Superior de Ciências Educativas (ISCE), em Odivelas, a Conferência dedicada ao tema Rei D. Dinis (o Lavrador) – o seu reinado e legado. Em nota de imprensa enviada ao Nova Odivelas o movimento relembra que «Os destinos de El-Rei e de Odivelas, a sua última morada por vontade expressa em testamento, cruzaram-se aquando da oferta de D. Afonso III, seu pai, da Quinta de Vale de Flores, sita nestas terras». Para debater «O reinado e o legado do monarca que deixou um forte marco na história do país e, muito particularmente, em Odivelas» estarão presentes nesta conferência Assunção Cristas, Ministra da Agricultura, Mar, Ambiente e Ordenamento de Território; Dom Duarte Pio,

O

Duque de Bragança; Rosado Fernandes, Professor de Filologia Clássica; Carlos Coelho, Criador de Marcas e ainda, Maria Máxima Vaz, Historiadora. Este evento insere-se nas comemorações do 750º aniversário de D. Dinis, assinalado durante o mês de Outubro, das quais constam, entre outras iniciativas, a tertúlia que tem como tema D. Dinis e St.ª Isabel, visitas ao património histórico existente e um jantar concerto no Forno da Cidade. «Actualmente, tal como espelha o Movimento “Pensar Odivelas”, a população de Odivelas procura demonstrar a sua estima por este Rei, evidenciando o peso que teve na história do país. Ao longo dos anos, atribuiu o seu nome a instituições culturais, a uma avenida, a escolas e a estabelecimentos comercias, apostando, assim, fortemente no perpetuar do seu legado», conclui o comunicado.

PODER LOCAL CAMARA MUNICIPAL DE ODIVELAS

Sessão Solene assinala efeméride ste Sábado, 08 de Outubro, a Câmara Municipal de Odivelas assinala a passagem dos 750 anos do nascimento do Rei D. Dinis com uma Sessão Solene Evocativa da efeméride, que terá lugar no Mosteiro de S. Dinis e S. Bernardo, em Odivelas. A nota de imprensa do município, sobre o evento indica que «A Câmara Municipal de Odivelas evoca, em cerimónia solene, os 750 Anos do Nascimento de D. Dinis, o Rei merecedor do cognome de “O Lavrador” e celebrizado nas páginas da literatura pelos seus rasgos poéticos». A nota diz ainda que «Durante um ano, celebramos o aniversário deste Rei, vulto incontornável da nossa história e que marcou o desenvolvimento de Odivelas». O evento, com início marcado para as 15h00 terá a Celebração do Protocolo entre a Câmara Municipal de Odivelas e o Instituto de Odivelas; a evocação de sapiência por Pedro Barbosa;

E

um momento musical com o Maestro Nuno Lopes ao piano; e declamação de textos e poesia pelo actor Victor de Sousa. Entretanto e no âmbito destas comemorações, hoje, Sextafeira, 07 de Outubro, vai ter lugar a inauguração da Exposição de Filatelia “O Selo de Autoridade do Rei D. Dinis” e a

cerimónia de lançamento do inteiro postal e carimbo dos CTT comemorativo dos 750 Anos do Nascimento de D. Dinis. A cerimónia vai ter lugar nos Paços do Concelho a partir das 15h00 e contará com a presença a presença da presidente da Câmara Municipal de Odivelas, Susana Amador, e do vice-presidente

do conselho de administração dos CTT, Correios de Portugal, Pedro Coelho. Ainda esta noite às 21h00 terá lugar um flashmob com dançarinos amadores e profissionais no Centro Comercial Odivelas Parque.


07 Outubro 2011

Nova Odivelas 9

750 ANOS D.DINIS PODER LOCAL CAMARA MUNICIPAL DE ODIVELAS

Congresso Internacional D. Dinis 750 Anos do seu Nascimento

I

(A mais antiga inscrição epigráfica do Mosteiro de Odivelas, coeva de D. Dinis, hoje no Museu da Sociedade de Geografia de Lisboa); Milton Pacheco, (Para governar e desfrutar. As residências palatinas) e Teresa Cunha Matos, (A iconografia de D. Dinis na Universidade de Coimbra). Na terceira sessão, moderada por João Pereira Neto intervieram Rui Figueiredo Marcos, (A recepção das leis de D. Dinis nas Ordenações Afonsinas); Margarida Garcez Ventura, (Um novo conceito de Igreja para um novo conceito de Estado. Notas sobre as leis de desamortização de D. Dinis); Francisco da Cunha Matos, (A Concordata celebrada entre Portugal e a Santa Sé no reinado de D. Dinis e a estabelecida em 2004) e Giulia Rossi Vairo, (O genovês Micer Manuel Pessanha, Almirante d’ElRei D. Dinis). Hoje terão lugar as últimas sessões deste congresso que serão as seguintes. Quarta sessão: Terá moderação de Fernando Larcher e como oradores teve António Matos Reis, (D. Dinis e os municípios portugueses); Carla Alexandra Santos, (Dom Dinis e o sentir

eterno com Trancoso – O legado histórico-cultural); Sérgio Cadilha, (A Vila de Caminha 1260-1325); António Vermelho do Corral, (D. Dinis e a região ribacudana); Maria João Albuquerque, (Vila Verde dos Francos: um legado de D. Dinis nas faldas de Monte Junto); António de Sampayo e Mello (D. Dinis e a toponímia nacional: épocas e critérios); Valdemar Coutinho (Acção de D. Dinis na delimitação, povoamento e defesa do Algarve); e João Pereira Neto (O Foral antigo de Aljezur, concedido por D. Dinis em 1280. Uma leitura no entendimento da administração e políticas públicas). A quinta sessão será moderada por João Paulo Oliveira e Costa e contará com a presença de

Leontina Ventura, e João da Cunha Matos, (As legitimações régias de D. Dinis); António Rei, (Cultura nobiliárquica no reinado de D. Dinis. Velha e nova nobreza – divergências e convergências) Marisa Costa (Ficção e realidade na vida de um bastardo régio: D. Afonso Sanches +1328) e Ana Rodrigues Oliveira, (As outras mulheres na vida de D. Dinis). A sexta sessão terá moderação de Luís Aires-Barros e teve como oradores Helena Carvalho dos Santos, (Panorama político europeu à época de D. Dinis – da economia sustentável às rosas socioecónomicas da rainha); Justino Mendes de Almeida, (D. Dinis n’Os Lusíadas); Augusto Pereira Brandão,

(D. Dinis e a Ordem do Templo). Na sessão de encerramento usará da palavra Manuela Mendonça, presidente da Academia Portuguesa da História. Durante o congresso esteve patente a exposição: Borges de Figueiredo historiador do Mosteiro de Odivelas e Primeiro Bibliotecário da Sociedade de Geografia de Lisboa (Coimbra, 1851 – Lisboa, 1890). Como o congresso decorreu em dia de fecho e de saída do Nova Odivelas esta peça foi elabora com base no programa distribuído pelo município. Na próxima edição contamos poder apresentar reportagem mais desenvolvida.

Fotografia: Eduardo Sousa

ntegrado nas Comemorações do Nascimento do Rei D. Dinis, a Câmara Municipal de Odivelas e a Sociedade de Geografia de Lisboa promovem o “Congresso Internacional Dom Dinis 750 Anos do seu Nascimento, que começou esta Quinta-feira e termina hoje, na Sociedade de Geografia de Lisboa (SGL). Segundo a edilidade «A realização deste Congresso Internacional consagrado a este notável rei, procura reunir trabalhos de investigadores, estruturados em função das seguintes áreas temáticas: D. Dinis e a Família Real; D. Dinis, o Direito e a Administração; D. Dinis e a Política Internacional; D. Dinis e as Ordens Militares; D. Dinis e a Economia e D. Dinis e a Cultura» segundo nota de imprensa do município». A Sessão de Abertura foi presidida pelo presidente da Sociedade de Geografia de Lisboa, Luís Aires-Barros e contou ainda com intervenções de Augusto Pereira Brandão, do Conselho Científico da SGL e de Susana Amador, presidente da Câmara Municipal de Odivelas Na Conferência de Abertura Augusto Rodrigues falou sobre o Studium Generale Dionisianum no contexto da cultura medieval europeia. A primeira sessão foi moderada por Luís Aires-Barros e contou com a participação de Elisa Nunes Esteves, (O Poeta D. Dinis): Anna Dzialak (Cantigas de amigo galego-portuguesas como expressão dos costumes e da mentalidade da Idade Média peninsular. O reverso da imagem da mulher ou a crítica da cultura patriarcal); Maria Isabel Moran Cabanas, 8Revisitação, mitificação e reivindicação do rei D. Dinis na voz de alguns autores portugueses e brasileiros: uma análise comparativa) e Augusto José Moutinho Borges, (D. Dinis e D. Isabel na toponímia nacional: memória, culto e devoção). A segunda sessão teve moderação de Augusto Pereira Brandão e como oradores Francisco Teixeira, (O Mosteiro de São Dinis de Odivelas); Fernando Larcher,


10 PUB

Nova Odivelas

07 Outubro 2011 PUB

PUB


07 Outubro 2011

Pode haver luz. Num momento em que a esperança e as expectativas andam em baixa, há que reflectir e fazer das dificuldades uma mais-valia. Só assim poderemos promover a mudança e com ela encontrar as soluções que nos permitam inverter esta tendência. Acredito que podemos voltar acender a luz da esperança. Miguel Xara Brasil

O Rei D. Dinis O REI D. DINIS possuía em Odivelas a Quinta de Vale de Flores, na qual havia um paço Real, tendo-se mantido de pé partes dele, até 1922/23. Em cumprimento de uma promessa feita, quando foi atacado por um urso numa caçada no distrito de Beja, mandou construir nessa quinta, o Mosteiro de S. Dinis e S. Bernardo, para acolher freiras da Ordem de Cister. Deu-lhe o nome do seu protector S. Dinis, primeiro Bispo de Paris, cuja festa se celebra no dia do aniversário do Rei. Acrescentou-lhe o nome de S. Bernardo em homenagem ao reformador a quem se deve a Ordem de Cister. Dotou o mosteiro de grandes rendimentos e muitas propriedades, além de avultadas quantias em dinheiro, acrescentando-lhe 4 mil libras no testamento. Aqui vinha e permanecia, com frequência, a Corte. No dia do seu aniversário – 9 de Outubro – havia um bodo aos pobres, oferecendo o Rei 2 bois para esse fim. As freiras conservaram esta tradição durante séculos. Quando mais tarde os comensais diminuíram, a comida confeccionada no mosteiro para o bodo, era enviada para as prisões de Lisboa. Por determinação no seu testamento, aqui ficou sepultado, em túmulo colocado no centro da igreja» Esta é a forma como a Dr.ª Maria Máxima Vaz nos resume a ligação à nossa Terra do mais ilustre Odivelense que há memória e uma das mais importantes, se não a mais importante figura da História de Portugal. Vem isto a propósito da comemoração, no próximo Domingo, dos 750 anos do nascimento do Rei D. Dinis e de por vezes, quando olhamos ao nosso redor, podermos ser levados a pensar que Odivelas é uma terra de geração espontânea, onde mergulhada num autêntico caos urbanístico emerge uma imensidão de betão. Quando no exterior se fala de Odivelas, esta terra é imediatamente associada ao betão e quando se fala do passado é referenciada como uma zona saloia, de quintas, de águas e lavadeiras e de quando em vez, fala-se das Meninas de Odivelas. Infelizmente, muito raramente é associado ao nome do mais ilustre Odivelense que há memória, o qual simultaneamente é uma das, ou mesmo a mais importante figura da História de Portugal, o Rei D. Dinis. O espaço que disponho não dá para descrever, nem de forma resumida, a imensidão da sua obra e a enorme visão estratégica que possuía. Mas importa perceber que o facto de D. Dinis estar tão ligado a Odivelas e o seu Túmulo estar aqui, representa um enorme valor, é o nosso TESOURO. Nesse sentido estão a ser organizadas uma série de iniciativas abertas a todos, as quais pretendem evidenciar a importância do seu reinado e o facto do seu Túmulo se encontrar em Odivelas. Destaco a conferência que se vai realizar esta noite (7/10 – às 21h00.), no ISCE, onde Assunção Cristas, Dom Duarte Pio, Rosado Fernandes, Maria Máxima Vaz e Carlos Coelho vão falar D’El Rei D. Dinis, do reinado e do seu legado. Acredito que todos temos muito a aprender com D. Dinis e se os nossos políticos se inspirarem no seu reinado poderemos com maior facilidade acalentar a esperança de um futuro melhor.

«

Kalunga

Dualidades

33

Pré publicação semanal da novela de João Carvalho

100 Dias!!! Sandra Pereira

O

Nova Odivelas 11

Governo assinalou a simbólica marca dos 100 dias. Em pouco mais de três meses o Governo denota um sentido de grande responsabilidade e reformismo. Foram cumpridos, sem desvios, o calendário e todas as medidas previstas no memorando de entendimento, o qual está alicerçado no voto de 80% dos actuais parlamentares em exercício de funções, demonstrando o inequívoco empenho e determinação do governo. Tal resulta da convicção de que esta é a última oportunidade de “cumprir Portugal”, é a ultima oportunidade para que Portugal se possa credibilizar externamente e implementar as reformas estruturais há demasiado tempo adiadas, adequadas a resolver os eternos problemas das finanças públicas, da estagnação económica e do desemprego. Convém não esquecer que foi o apoio previsto nesse tão criticado memorando – a assistência financeira externa - que salvou Portugal do absoluto incumprimento, permitindo que o Estado pagasse os salários da função pública e as pensões de reforma evitando o anúncio de bancarrota que vinha sendo antecipado internacionalmente. No entanto, é necessário perceber que Portugal não deixou de estar numa situação de grande fragilidade e dificuldade após a assistência financeira de que foi alvo, pelo que todas as medidas de austeridade já tomadas ou anunciadas são absolutamente necessárias. Talvez a maioria dos portugueses não tenha ainda hoje a verdadeira consciência do desastre financeiro em que Portugal mergulhou em virtude das políticas erradas dos últimos anos. Em apenas 100 dias este governo conseguiu um acordo com os Professores terminando uma guerrilha de 3 anos em que Ministério e Professores nunca se entenderam; em 100 dias criou a obrigatoriedade de prescrição electrónica de receituário, apresentou o livro verde da reforma autárquica, extinguiu materialmente os governos civis, criou o Plano de Emergência Social que num clima de austeridade se revela de grande pertinência, tratou da venda do BPN, terminou com as Golden Share, lançou as bases da política do medicamento e diminui o preço dos medicamentos genéricos, e muito mais. Este é um Governo que nunca prometeu facilidades na campanha eleitoral, nem na apresentação do seu programa, onde disse sempre a verdade, sendo o único a trazer ideias novas ao debate político, ideias que o país precisa de debater sem preconceitos se quer reformar-se. Este é um Governo que disse sempre ao que vinha, e que a par da recuperação financeira, pretendia instalar em Portugal um conjunto de reformas para alteração do paradigma do Estado visando a sua sustentabilidade. Este Governo disse, claramente e com rigor, que iria privatizar empresas; emagrecer o Estado, apostar no crescimento, não esquecendo a particular sensibilidade que o Estado deve ter com os mais carenciados. É esta a proposta. Foi esta a proposta do Governo. Não é a séria a crítica de que o Governo vai desmantelar o Estado Social. O Governo e as suas políticas vão no sentido de assegurar sustentabilidade do Estado Social, visivelmente comprometida, e do que ainda resta dele, de forma a garantir que este não falte sobretudo a quem dele mais precisa, aos mais carenciados. Este Governo tem um rumo, tem um caminho. Um caminho que não é fácil, um caminho que exige perseverança e um esforço acrescido em nome de um desígnio nacional que a todos deve mobilizar. Vacilar a meio deste caminho era o pior que podia acontecer a Portugal e temos na Europa um exemplo concreto disso, o caso da Grécia. Tudo o que é pedido aos portugueses é de extrema necessidade, e a adopção desta política de austeridade a que estamos vinculados serve apenas para evitar uma mal maior e absolutamente catastrófico para o país e para os Portugueses. É nos grandes desafios que se revela um Povo. Estou certa que, com a grandiosidade que nos caracteriza iremos superar este desafio. “Portugal não pode falhar, Portugal não falhará”

Tinha-se distinguido logo depois da sua chegada. E os seus conterrâneos, familiares ou não, desde logo perceberam que aquela Benilele não era bem a mesma que tinham conhecido antes. Mexia-se por todo o lado, falava com todos. Até o soba ficara impressionado. Gamba-Gamba, o velho soba, tinha morrido e o novo soba, seu sobrinho, pouco mais velho era que Benilele e conhecia-lhe o génio desde criança. Benilele fizera-lhe ver, diplomaticamente, que já tinham passado quase quinze dias e ainda nada tinha sido decidido acerca do rapto. Pediu-lhe para terem uma reunião na chota, nessa noite, com a aldeia. À aldeia tinham também regressado alguns mineiros, que viviam, ou em Lóvua, ou noutros locais e cujas famílias tinham sido atingidas pelo rapto. Estavam desocupados, esperando decisões sobre o reatamento do trabalho nas minas. Entre eles estava Muteque-Muele, que conhecia a relação existente entre Luís Morgado e Benilele e influenciara os restantes a respeitarem e escutarem a rapariga. Benilele, por sua vez, obtivera, entre os mineiros, alguma informação útil sobre a situação na região. - O que aconteceu na nossa aldeia foi muito mau. Se não se fizer nada, eles vão voltar. Quando já não houver rapazes, vão levar raparigas. E vai chegar um dia em que já não se pode viver aqui. Serão só velhos cheios de medo. O nosso país, Angola, é muito grande. As novas autoridades ainda não podem garantir a segurança em todo o lado. Mas o povo não pode ficar parado, à espera que alguém, de fora, se mexa. Neste ponto, havia muitos a mexerem as cabeças para cima e para baixo, em sinal de assentimento. - O povo tchokwe foi um povo de conquistadores, de guerreiros, de gente forte. Que é feito desse povo, que eu ouvia os velhos contar que tinham conquistado a Lunda? Agora, nós não queremos fazer guerra a ninguém. Queremos, apenas, os nossos irmãos de volta. Não vejo outra maneira senão ir atrás deles. Procurá-los, saber onde estão e depois obrigar quem os tem a libertá-los, para regressarem às suas famílias e, se for possível, castigar os culpados para que não voltem a fazer o mesmo. A aldeia tinha escutado, em silêncio, Benilele. Quando ela acabou de falar, mais alguns se pronunciaram no mesmo sentido e gerou-se algum entusiasmo. No meio desse entusiasmo, ficou decidido que um grupo de cinco homens, dos mais experientes e voluntariosos, conhecedores da região e do ambiente mineiro, dentro e fora de Angola, partiria, para tentar encontrar o rasto dos raptados. Benilele fez questão de ir com eles, invocando que não tinha ninguém disponível da sua família para o efeito, o que era verdade, pois o pai estava doente e não tinha mais nenhum homem, da família próxima, presente. Muteque-Muele chefiava o grupo. Os membros da Missão, que tinham acompanhado Benilele, regressaram, com uma carta dela para o padre Salustiano, pedindo-lhe que a perdoasse, pois sabia que ele nunca concordaria com aquela decisão dela. Padre Salustiano escreveu a todas as Missões zairenses da região, solicitando-lhes que ajudassem o grupo de Benilele, caso ele lhes aparecesse. VI Benilele, na solidão da deslocação para o Zaire, em que, a maior parte do tempo, ela e os companheiros iam silenciosos, quis pensar na sua vida. A questão que se lhe colocava, acima de todas, era a opção que tinha feito de ir procurar os irmãos. Qualquer outra mulher da sua aldeia, apesar do desgosto e da revolta pela perda dos familiares queridos, ficaria na sua casa, lamentando-se, pelos cantos, mais ou menos conformada com o cruel destino. Quando muito implorariam a todos os deuses conhecidos, nas suas mahambas (31), o regresso dos raptados. Mesmo os homens, conforme tinha visto na reunião da chota, antes de ser ela a falar, pretendiam organizar cerimónias com o feiticeiro ou o tahi (32), a fim de determinar se o rapto tinha sido o resultado de algum feitiço lançado sobre a aldeia e as famílias dos raptados e indicar quem o tinha feito. Benilele conhecia a importância e a força que essas práticas tinham entre os seus conterrâneos. Padre Salustiano ensinara-a que, em relação às crenças tradicionais, bem como em relação às práticas ancestrais, se deve ter uma postura de respeito e também de conhecimento profundo. Sem conhecer, não se pode separar o que é bom do que não o é. (31) Mahamba – Local de adoração de divindades tradicionais. (32) Tahi – Adivinho.


12

Nova Odivelas

07 Outubro 2011

ACTUALIDADE AUGI’S

Bairro dos Quatro já tem alvará Henrique Ribeiro henrique_ribeiro@simpruspress.pt

Em cerimónia pública realizada no Sábado, 01 de Outubro, Susana Amador, presidente da Câmara Municipal de Odivelas entregou a Mário Oliveira, presidente da Comissão de Administração Conjunta, o alvará de loteamento daquela AUGI (Área Urbana de Génese Ilegal) da freguesia de Famões.

E

Rodrigues e das suas vogais Cristina Silvestre e Sofia Mateus. Susana Amador, António Rodrigues e Mário Oliveira usaram da palavra realçando a importância deste acto para os moradores dos quatro bairros e o trabalho que foi necessário desenvolver para chegar a este dia. A presidente da Câmara cumpriu o prometido Mário Oliveira, presidente da Comissão de Administração Conjunta, fez um pouco da história do processo lembrando que «O trabalho, a dedicação e a esperança na legalização destes quatro Bairros, vem abrindo caminho e removendo dificuldades há mais de 20

anos». O orador explicou que «Por força do enquadramento no mesmo artigo predial» os quatro bairros unificaram-se numa única AUGI mas tal passo não foi fácil porque essa unificação carreou para a AUGI «As especificidades de cada um» que tiveram de ser conciliadas «No enquadramento global do loteamento». A partir de Julho de 2003, «E já com enquadramento reformulado, debatemo-nos com as zonas de protecção definidas no PDM» mas com «A nossa teimosa determinação e a intervenção da Câmara, procedeu-se à rectificação nos limites da zona de protecção à ribeira de S. Sebastião e já com a actual equipa técnica, reformulando o loteamento, ob-

rigando à deslocação e recolocação de lotes, chegamos hoje ao dia por todos desejado». Mário Oliveira agradeceu à presidente da câmara, Susana Amador o cumprimento da promessa feita, bem como ao ex-vereador do Urbanismo, Sérgio Paiva e ao actual detentor do pelouro, Paulo César Teixeira todo o empenhamento na resolução da situação. Agradeceu ainda aos técnicos municipais «Pelo seu empenho e elucidações sempre atinentes à evolução do processo de urbanização». O orador referiu ainda que tiveram um aliado de primeira linha, António Rodrigues, presidente da Junta de Freguesia de Famões que «Manifestando-se pu-

Fotografias: Eduardo Sousa

sta AUGI integra os Bairros do Trigache Norte AUGI 2, Casal dos Mochos, Saramagal e S. Sebastião Norte, e o seu processo de

legalização começou na década de 80 ainda o território fazia parte do concelho de Loures. Como tecnicamente era impossível a legalização individual de cada bairro foi criada em 1998 a AUGI Bairro dos Quatro (ver caixa) para permitir o avanço do processo. Com a presença de muitas dezenas de moradores, que tinham participado antes do evento numa Assembleia-geral do bairro (ver caixa), a cerimónia contou também com a participação dos vereadores da CMO, Carlos Bodião, Fernanda Franchi, Ilídio Ferreira, Mário Máximo, Paulo César e Rui Francisco; do presidente da Junta de Freguesia de Famões, António

PUB


07 Outubro 2011

Nova Odivelas 13

ACTUALIDADE AUGI’S

Breve Historial

blicamente, que não descansava enquanto não visse todas as AUGIs da sua freguesia legalizadas, esteve presente nas reuniões mais pertinentes e sempre disponível para nos receber, para contactar e agendar reuniões com a Câmara, onde sempre marcou presença. Deu-nos a força e o estímulo para continuarmos e ir sempre em frente».

Presidente da junta quer mais Jardins-de-infância António Rodrigues, presidente da Junta de Freguesia de Famões reafirmou que só descansará quando todos os barros tiverem o seu alvará de loteamento e lembrou que das 22 Áreas Urbanas de Génese Ilegal da freguesia, 19 já receberam o seu alvará, faltando apenas três, estando um deles, Alto de Famões, já em processo de conclusão e com entrega prevista desse documento em Novembro, restando assim os dois mais pequenos, Casal do Saramago e Bairro da Pedreira, sem prazo de conclusão devido à sua complexidade. Agradecendo a todos os que trabalharam para que este dia fosse possível, o autarca apelou aos proprietários dos lotes ainda não construídos que os mantenham limpos. Referiu que em 3 dos 4 bairros ainda há muitos lotes nessa situação e a necessitar de limpeza urgente porque «Têm lixo por todos os lados». AntóPUB

nio Rodrigues sublinhou que esta situação é prejudicial para todos e «Um perigo para a saúde pública» porque por um lado o mato é perigoso devido à possibilidade de incêndio e o lixo permite o aparecimento de insectos e roedores. Dirigindo-se à Administração Conjunta do Bairro dos Quatro, António Rodrigues apelou para que cedam à junta de Freguesia as instalações onde decorreu a cerimónia e onde funcionou em tempos a escola de Famões estando hoje entregues à associação. O presidente quer que naquele local possa ser construído mais um jardim-deinfância, pedindo à presidente da câmara a sua construção se a associação disponibilizar o edifício. O autarca lembrou que tem vindo a pedir a Susana Amador a construção de mais jardins-deinfância porque a freguesia tem muitos casais jovens e muita natalidade. António Rodrigues agradeceu à presidente da Câmara a abertura recente do Jardim-deinfância da Quinta das Dálias mas afirmou que só esse não chega. Em maré de apelos, António Rodrigues apelou aos proprietários que acabem as obras para que possa ser feita a entrega definitiva do bairro à Câmara Municipal de Odivelas, lembrando que há muitos bairros já legalizados mas que ainda não foram entregues à câmara com os naturais prejuízos para

A reconversão urbanística dos quatro bairros: Trigache Norte AUGI 2, Casal dos Mochos, Saramagal e S. Sebastião Norte, que constituiriam mais tarde o designado Bairro dos Quatro, teve origem em Loures, com a instrução nas décadas de 80 e 90 de diferentes processos antecedentes para cada um dos bairros, isoladamente. Com a entrada em vigor da lei 91/95, de 2 de Setembro, a Câmara Municipal de Loures deliberou em reunião do executivo, em Março de 1996, delimitar esta área do território como Área Urbana de Génese Ilegal (AUGI). Os proprietários dos quatro bairros aderiram a esta lei excepcional, constituindo-se em Assembleia de Proprietários e elegeram a Comissão de Administração Conjunta (CAC). O actual processo do Bairro dos Quatro foi instruído a 2 de Agosto de 2001, na modalidade de reconversão urbanística de iniciativa particular, em nome da Comissão de Administração Conjunta dos Bairros, respectivamente. O estudo de loteamento inicialmente apresentado pela CAC não respeitava o Plano Director Municipal (PDM), no que se refere ao espaço verde urbano de protecção e enquadramento, impossibilitando, assim, a sua aprovação. Feita a proposta de alteração ao PDM, de forma a permitir a sua continuidade, só em 13 de Fevereiro de 2009 foi publicada em Diário da República a alteração ao PDM para o Bairro dos Quatro, que consistiu no ajustamento dos limites do actual “Espaço Urbanizável de Verde Urbano de Protecção e Enquadramento”. Esta alteração permitiu que o processo de reconversão prosseguisse e o estudo de loteamento foi aprovado na 2.ª Reunião Extraordinária da Câmara Municipal de Odivelas, de 5 de Agosto de 2009. As obras de urbanização e condições da emissão do alvará de loteamento foram aprovadas na 22.ª Reunião Ordinária da Câmara Municipal de Odivelas, em 26 de Outubro de 2010. Concluídos todos os procedimentos necessários à emissão do título de reconversão, foi emitido o alvará de loteamento para o Bairro dos Quatro, cujos parâmetros urbanísticos mais relevantes são: Área de Intervenção: 183 292,50 m2; Área Total de Construção: 98 697,00 m2; Índice de Construção: 0,54; Número Total de Lotes: 396; Número Total de Fogos: 453; Densidade Habitacional: 25 f/h; Áreas de cedência para espaços verdes de utilização colectiva: 11 939,00 m2; Área de cedência para espaços verdes de utilização colectiva cedida no âmbito do alvará de loteamento do B.º do Trigache Norte – AUGI I, n.º 5/2001: 7 500,00 m2; Área cedida para equipamentos de utilização colectiva cedida no âmbito do alvará de loteamento do B.º do Trigache Norte – AUGI I, n.º 5/2001: 16 700,00m2.


14

Nova Odivelas

07 Outubro 2011

ACTUALIDADE AUGI’S

todos porque até à recepção definitiva a responsabilidades pela conservação das infra-estruturas é do próprio bairro. «Quando nos unimos o concelho pula e avança» Susana Amador, presidente da Câmara Municipal de Odivelas abriu a sua intervenção citando o poeta que disse que «Sempre que o homem sonha o mundo pula e avança» afirmando que «Quando nos unimos o concelho pula e avança» sublinhando a importância do trabalho em equipa e lembrando que foram muitos anos de árduo trabalho para que os bairros pudessem estar a ser legalizados. A edil sublinhou o trabalho das «Excelentes equipas» quer da CMO quer dos bairros e de António Rodrigues afirmando que o autarca famoense funcionou como um íman com o seu sonho de ver todos os bairros legalizados. A presidente lembrou também que quando o concelho foi criado 90% do território era constituído por bairros de génese ilegal e disse que desde que é presidente da câmara este é o 13º bairro a ser legalizado. Referindo-se em concreto ao Bairro dos Quatro Susana Amador afirmou que não foi fácil unir numa única AUGI quatro bairros

com especificidades diferentes e que tal só foi possível com o apoio e a colaboração de todos os elementos envolvidos no processo. A edil informou que já em Novembro vai ser entregue o alvará de Bairro Alto de Famões e afirmou que os dois restantes não vão ser para já devido à sua complexidade e que por isso não iria criar falsas expectativas. Susana Amador considerou que os 1.600 moradores destes quatro bairros nunca desmotivaram e que também não o devem fazer agora continuando a trabalhar para a legalização das casas e a entrega ao bairro ao município. A edil sublinhou que o vereador Paulo César Teixeira agarrou nestes processos em boa hora e salientou a unanimidade de todos os partidos representados na vereação no que às AUGI’s diz respeito. Respondendo ao desafio de António Rodrigues, a edil lembrou que a primeira escola nova construída no seu mandato foi em Famões, falando também do novo edifício do Centro Comunitário e Paroquial de Famões, construído também com o apoio da câmara; do Jardim-de-infância da Quinta das Dálias e do lançamento para breve da 1ª pedra das instalações da CEDEMA, também na freguesia de Famões que vão dar apoio à infância, 3ª idade e pessoas portadoras de deficiên-

cia. «Famões tem avançado muito na área educativa e social e está a crescer com boas práticas» disse Susana Amador que deu «Via verde» da sua parte e da vereadora Fernanda Franchi para o novo Jardim-de-infância na freguesia, porque «As crianças estão sempre em primeiro lugar no coração das políticas municipais a par dos idosos». A presidente da Câmara falou ainda no O-Tech, o pólo universitário e empresarial previsto para a freguesia e a construir pela Lusocapital, dizendo que é preciso investir neste projecto que tem sofrido sucessivos atrasos. Para a edil é preciso reavaliar o projecto para que possa ser concretizado. Na cerimónia quer a câmara quer a junta entregaram aos responsáveis dos quatro bairros uma placa alusiva ao acontecimento e posteriormente todos os proprietários receberão também uma lembrança municipal. A presidente da Câmara Municipal de Odivelas, o Presidente da Junta de Freguesia de Famões e os Presidentes das Comissões de cada um dos bairros procederam de seguida ao descerramento simbólico das placas que posteriormente vão ser colocadas à entrada de cada bairro. O dia terminou com um almoço convívio oferecido pela Administração Conjunta.

Divisão das Partes Comuns Antes da Cerimónia de entrega do Alvará realizou-se uma Assembleia-geral de proprietários para «Apreciação e deliberação da aprovação do Projecto de Divisão de Coisa Comum, documento essencial para a outorga da Escritura de Divisão de Coisa Comum, que vai consubstanciar a individualização, dos lotes em registo matricial e predial autónomo em metros quadrados e urbano, ficando para trás os avos indivisos em registo rústico». Nesta assembleia participaram os proprietários de 232 lotes que aprovaram por unanimidade o projecto apresentado pela Comissão de Administração Conjunta. Estes 232 lotes consubstanciam a maioria dos 396 lotes registados no respectivo alvará de loteamento e projecto de Divisão de Coisa Comum da AUGI.


07 Outubro 2011 PUB

Nova Odivelas 15


16

Nova Odivelas

07 Outubro 2011

ACTUALIDADE SOLIDARIEDADE

Campanha Coração Solidário Henrique Ribeiro henrique_ribeiro@simpruspress.pt

O Movimento Odivelas no Coração (MOC) realizou no passado fim-de-semana mais uma Campanha Coração Solidário com recolha de alimentos não perecíveis e bens de primeira necessidade que decorreu em algumas grandes superfícies comerciais da freguesia de Odivelas e que foi desenvolvida em regime de voluntariado por membros do MOC e cidadãos que se quiseram juntar à iniciativa. o final destes dois dias de intenso trabalho para as pessoas envolvidas, o Nova Odivelas conversou com Vítor Peixoto, dirigente do Movimento Odivelas no Coração para fazer

Fotografia: David Braga

N

um primeiro balanço desta iniciativa. Segundo Vítor Peixoto os resultados da campanha foram «Muito positivos e até surpreendentes tendo ultrapassado largamente as nossas expectativas». Na última campanha realizada em Abril deste ano tinham sido recolhidos 2.583 unidades de produtos, «Nesta última campanha realizada no mesmo período de tempo e no mesmo número de superfícies comerciais conseguimos angariar 4.279 unidades». Segundo Vítor Peixoto os Odivelenses aceitaram bem esta campanha e disponibilizaramse para contribuir apesar a crise que afecta a maioria das pessoas. O dirigente do MOC considerou mesmo que «As pessoas foram fantásticas e generosas independentemente da crise e da sua condição social, quiseram mesmo ajudar

e muitas delas foram a casa e ainda nos entregaram roupas, livros e brinquedos». Como começa já a ser banal ver pessoas nos estabelecimentos comerciais a fazer este tipo de recolhas quisemos saber como reagiram os munícipes a mais esta iniciativa do MOC. Se as pessoas manifestavam a sua indiferença ou se compreendiam a campanha mesmo que não pudessem contribuir. Vítor Peixoto considerou que «Foi uma campanha muito bem-sucedida também na abordagem efectuada. Para além do contacto verbal foi entregue uma informação sobre quem somos e qual é a nossa actividade, bem como o que estávamos ali a fazer». O dirigente do MOC sublinhou que «Fomos muito bem compreendidos e sucedidos, independentemente da indiferen��a que este

tipo de campanhas gera em algumas pessoas». O Movimento Odivelas no Coração é entidade receptora de bens do Banco Alimentar Contra A Fome recebendo regularmente produtos desta instituição. Assim sendo, porque tem o MOC que fazer as suas próprias recolhas, perguntámos também a Vítor Peixoto. «Somos uma entidade receptora do Banco Alimentar Contra a Fome, mas os produtos que recebemos são manifestamente insuficientes para alimentar as famílias que apoiamos e se por um lado é necessário constituir um stock que nos permita ao longo dos meses reforçar o que vem do Banco Alimentar, por outro lado estamos simultaneamente a constituir um stock específico para o Cabaz de Natal e claro e não menos importante é que

não recebemos rigorosamente nenhuns produtos das superfícies comerciais». Para que esta campanha fosse possível o MOC necessitava de autorização das gerências das superfícies comerciais onde a mesma decorreu e por isso quisemos saber se foi difícil a obtenção dessa autorização e se houve algumas recusas. Vítor Peixoto disse-nos que apenas formularam pedido às superfícies onde a campanha se realizou e que todos esses estabelecimentos responderam afirmativamente ao primeiro pedido sem haver necessidade de insistência por parte do movimento. A campanha decorreu no Modelo/Continente da Arroja e nas LIDL da Arroja, Quinta Nova e Rua Heróis de Chaimite.


07 Outubro 2011 PUB

PUB

PUB

Nova Odivelas 17


18

Nova Odivelas

07 Outubro 2011

CAMINHOS CRUZADOS 6º FESTA DE TEATRO AMADOR DA MALAPOSTA

Fim-de-semana teatral em cheio Continuando a falar de um dos grandes acontecimentos anuais do teatro amador no concelho (a par dos Encontros com o Teatro em Caneças) apresentamos hoje mais algumas peças que vão passar pelos palcos da Malaposta. sta noite é apresentada a peça Tequila-Fado, de Elmer Veckio Mendoza, pela Miau, Associação Cultural, de Lisboa. Para ver no auditório às 21h30. Preço único 5 euros. 90’. M/16.

E

«No lugar dos espelhos, uma ficção de territórios humanos que se unem para nos representar: a chegada do estrangeiro a outro país, a paixão que nunca morre e mata, a dor e o esquecimento que traz a morte, a saudade que deixa um amor… TEQUILA-FADO poderia ser uma exploração da estética do narcotráfico mexicano e do universo de Portugal, desde o ponto de vista da personagem, do actor e do poeta fingidor, que não nasceu aqui». Ficha Artística e Técnica: Dramaturgia e Encenação: Elmer Veckio Mendoza Interpretação: Elisa Crisóstomo, Filipa Santana, Joana Lopes, José Coelho, Patrícia Pina, Pedro Gonçalves, Rita Fouto e Rui Dinis Movimento: Andreia Roque Storyboard: Garagem Hermética Cenografia e Figurinos: Patrícia Raposo Iluminação, Fotografia e Vídeo: Colectivo TF Apoio à Dramaturgia e Imagem: Miguel Velez Produção: Miau Associação Cultural Para a noite de Sábado estão programados os textos O Urso, de Anton Chekhov e O Doido e a Morte, de Raul Brandão, levados ao palco pelo Grupo de Teatro Amigos de Bem Fazer, de Ventosa, Cadaval. Ficha Técnica: Direção, Espaço Cénico e Figurinos – Ruy de Matos Assistente de Encenação – António Crespim Assistente de Palco – José Luis Barreto

Execução de guarda-roupa – Paula Ferreira Montagem – António Crespim Penteados – Rita Luz e Som – Cristiano M/12 Duração: 90m Bilheteira: 5 (preço único No Domingo o auditório da Malaposta recebe Esganarelo, ou o cornudo imaginário, Farsa em um ato de Moliére, representada pelo , Grupo de Teatro Grémio Artístico Torriense, de Torres Vedras. «O título desta peça em um ato de Moliére é mais do que suficiente para indicar, com toda a frontalidade qual o tema que trata a sua ação. Este tipo de assunto faz parte da tradição gaulesa tendo a sua principal origem nos “Fabliaux” (contos populares em verso dos séculos XII e XIII). O referido tema, certamente pela sua eficácia cómica, prolonga-se através de todo o teatro francês. Moliére não foi excepção. Porém, trabalhou-o de uma forma genial, jamais lhe conferindo contornos de mau gosto ou no sentido de alcançar um êxito fácil. Moliére, no caso da presente peça, trata o assunto de uma forma absolutamente engenhosa. Assim, o tema desta obra trata da infidelidade no contexto social francês da época de Moliére, no qual se ridiculariza, sem piedade, a vítima e se deixa absolutamente ileso o culpado. Esganarelo, ou o Cornudo Imaginário, pode parecer, numa primeira análise, apenas um mero divertissement (um simples divertimento). Temos que considerar uma conclusão muito pouco justa. Esganarelo, ou o Cornudo Imaginário não se trata de uma simples farsa ou de um inofensivo jogo de cena, nem tão pouco de uma simplória ou inconsequente brincadeira teatral geradora de um divertimento gratuito vazio de intenções. As personagens desta peça são nítidas e consistentes, particularmente bem desenhadas e sobretudo possuidoras de grande carga teatral. Até as figuras mais episódicas possuem um recorte particularmente vibrante. É mais que claro que não estamos em presença de uma história de

“punhos de renda”, bem pelo contrário. O texto de Moliére é assumidamente frontal e chama as coisas pelos seus nomes, o que confere ao tema uma eficácia absolutamente necessária ao objectivo da peça. Tal fato não dá direito a que se valorize a traço grosso semelhante circunstância com o objetivo de se criar um produto baixo e vulgar. Por outro lado, não é possível deixar de ter em conta que estamos em presença de uma farsa de contornos bem sublinhados que dificilmente (certamente sem qualquer razão de ser) poderão ser contornados. Só de uma forma claramente enérgica poderá esta obra de Moliére ser traduzida para o palco. Penso que fizemos a festa do teatro indo, ao encontro do tal equilíbrio desejado e tendo em consideração uma certa espectacularidade que se casa com um inegável ajuste a este tipo de teatro. Tudo fizemos para que o desejo do senhor José Elias pudesse ser uma realidade. Ruy de Matos

Os dados estão lançados

Ficha Técnica: Assistente de Encenação – António Crispim Secretariado e apoio aos ensaios – Dulce Marques Gravação de Som – Francisco Alves Operação de Luz – Jorge Constantino Apoio Técnico – Paulo Vieira Operação de Som – Francisco Alves Contra Regra – Maria da Luz Execução de Figurinos – Paula Ferreira Execução de Cenários – Ruy de Matos, António Crespim, Joaquim gago Adereços – António Crespim, Ruy de Matos M/6 Duração: 60m Bilheteira: 5 (preço único)

O processo de classificação do Posto de Comando do MFA entrou numa fase decisiva. Na sequência do pedido de parecer à Secretaria de Estado da Cultura (SEC) por parte da Comissão Parlamentar de Educação, Ciência e Cultura, foi despoletada pela SEC a abertura de processo no IGESPAR, a entidade responsável pelas classificações patrimoniais. Sabe-se que estes procedimentos são morosos, mas a recolha de informação qualificada, a abordagem institucional e a elaboração de parecer fundamentado assim o exigem. Vamos, pois, esperar pacientemente – mas atenta e activamente – que o processo faça o seu caminho. Todos os que querem efectivamente a classificação patrimonial do Posto de Comando devem trabalhar em conjunto e remar na mesma direcção, para que a associação de esforços em torno do que nos une supere o que nos divide. Neste momento pouco importam os detalhes, desde que se cumpra o desejo amplamente partilhado pelos vários sectores directamente envolvidos na questão, a saber: os peticionários, o movimento cívico Posto de Comando Sempre, a Câmara Municipal de Odivelas, a Câmara Municipal de Lisboa, a Junta de Freguesia da Pontinha, a instituição militar e os partidos representados na Comissão Parlamentar de Educação, Ciência e Cultura. Todos os apoios, venham de onde vierem, são bem-vindos. Estamos convictos de que a instituição militar valorizará com discernimento as vantagens de ter mais um edifício classificado nas suas unidades, como tantos outros que exibe orgulhosamente no seu site na Internet. A mais-valia que representará a classificação do Posto de Comando em nada dificultará a vida do Regimento de Engenharia Nº 1, que soube preservar aquele edifício durante 27 anos e, não só aceitou, como foi decisivo na sua musealização em 2001. Seria ouro sobre azul poder anunciar a classificação do Posto de Comando no 2º centenário do RE1, a celebrar em 24 de Outubro de 2012. Jorge Martins postodecomando@gmail.com


07 Outubro 2011 PUB

PUB

Nova Odivelas 19


20

Nova Odivelas

07 Outubro 2011

TRIBUNA DO LEITOR PODER LOCAL URBANISMO

Prédio em risco em Odivelas e um leitor devidamente identificado recebemos as fotografias que hoje publicamos nesta coluna referentes ao edifício com o número 9 na Rua Padre João Pinto em Odivelas e que está em risco. O edifício já foi sinalizado pelo Serviço Municipal de Protecção Civil de Odivelas que estabeleceu um perímetro de segurança no passeio e rua para impedir que no caso de caírem pedaços do prédio atinjam pessoas ou viaturas. Segundo o vereador da Protecção Civil, Paulo César Teixeira, a situação já é muito antiga e foi uma sapata do edifício que cedeu levando a que o prédio racha-se ao meio. O vereador confessou-se chocado com a situação mas afirmou que a Câmara não tem capacidade nem é da sua competência a resolução deste problema. O prédio e de propriedade particular em regime de propriedade horizontal e portando terão de ser os moradores a resolver a situação, embora reconheça que não será fácil para os proprietários adquirirem outra casa. Segundo Paulo César a única

D

solução é a demolição do prédio o que implicaria o realojamento dos moradores situação que câmara não pode assumir. Mas mesmo a demolição seria um projecto delicado uma vez que o prédio esta entalado entre outros dois e não se sabe

o que poderia acontecer se fosse demolido. O Nova Odivelas vai acompanhar este assunto e publicar reportagem mais desenvolvida em próximas edições.


07 Outubro 2011 PUB

Nova Odivelas 21


22

Nova Odivelas

07 Outubro 2011

ACTUALIDADE SAÚDE

«Enfermeiros desempregados utentes desesperados» Mais de uma centena de pessoas concentrou-se na Terçafeira junto ao CATUS de Odivelas protestando contra a degradação dos serviços de saúde em Odivelas, o atraso na construção dos Centros de Saúde prometidos para 2011 e o anunciado despedimento de 22 enfermeiros que através de uma empresa de trabalho temporário prestavam serviço no ACESO. Protesto foi convocado pela Direcção Regional de Lisboa do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) e contou com o apoio do Movimento Mais Saúde de Odivelas (MMSO) e das várias comissões de utentes das freguesias. Mais de uma centena de pessoas concentraram-se em frente ao CATUS com fachas e cartazes entoando palavras de ordem que chamam à atenção para os problemas que o concelho de Odivelas vive em relação aos cuidados de Saúde. A Saúde é um direito sem ela nada feito e Enfermeiros desempregados, utentes desesperados foram algumas das frases gritadas pelos manifestantes. Entre os manifestantes encontravam-se sindicalistas, alguns dos enfermeiros que receberam por correio electrónico a notificação do seu despedimento (ver capa da edição 407), elementos do Movimento Mais Saúde de Odivelas, várias Comissões de Utentes, os vereadores da CDU na Câmara de Odivelas, membros da Assembleia de Freguesia de Odivelas e Assembleia Municipal e dirigentes locais do PCP e Bloco de Esquerda.

O

«Os 22 enfermeiros são

necessários e até insuficientes» Isabel Barbosa, Coordenadora da Direcção Regional de Lisboa do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses explicou ao Nova Odivelas que esta manifestação tem por objectivo a manutenção dos 22 postos de trabalho dos enfermeiros. «Eles são necessários e até insuficientes. Odivelas tem uma população muito grande e enfermeiros a menos. O Mapa de Pessoal, já com 12 anos, prevê 109 enfermeiros para o Agrupamento dos Centros de Saúde de Odivelas e neste momento só existem 46. Para colmatar esta falta existem outros enfermeiros em acumulação de funções, outros com contrato a termo certo e estes 22 a recibos verdes através de uma empresa de trabalho temporário». Isabel Barbosa disse ainda que o Ministério da Saúde já assumiu perante o sindicato que estes contratos com empresas de trabalho temporário são para cessar. Acerca dos 22 enfermeiros Isabel Barbosa disse que a maioria deles está integrada no serviço há mais de dois anos «Gostam daquilo que fazem e não achamos necessidade que venham outros para os substituir» e portanto o sindicato defende a integração destes profissionais no Quadro de Pessoal do ACESO. Isabel Barbosa disse que os enfermeiros estavam presentes na concentração a lutar pelos seus postos de trabalho «E porque sabem que esta população também precisa de cuidados de saúde de qualidade porque aquilo que está em risco é a manutenção de uma série de extensões dos Centros de Saúde das várias freguesias e da equipa de Cuidados Continuados Integrados».

«Esta situação penaliza toda a população» O Movimento Mais Saúde de Odivelas apoiou a convocação desta concentração e esteve presente com vários dos seus dirigentes. Natália Santos, dirigente do MMSO disse-nos que o movimento participou como forma de solidariedade «Para com estes enfermeiros que estão à beira do desemprego, porque esta é uma situação que os penaliza pessoalmente mas penaliza também a população porque o número de enfermeiros que existe neste momento é insuficiente e inferior ao que existia em Odivelas há 10 ou 15 anos e agora a população é muito maior e está mais envelhecida». Esta dispensa dos 22 enfermeiros «Vem agravar ainda mais um conjunto de situações que tem ocorrido em Odivelas, como a falta de médicos de família, médicos especialistas e o não cumprimento das promessas de construção de novos Centros de Saúde».

Fotografias: Henrique Ribeiro

Henrique Ribeiro henrique_ribeiro@simpruspress.pt

Acerca do concurso que está a decorrer para admissão de 18 enfermeiros para o Quadro de Pessoal do ACESO, Natália Santos referiu que já está a decorrer há muito tempo e que não se sabe qual vai ser o resultado. «Mas de qualquer forma esse concurso é para responder às situações de enfermeiros que estão a contrato de termo certo e não para a situação destes 22 que estão a recibo verde. Mesmo que o concurso chegue ao fim e coloque esses 18 enfermeiros, esse número nem chega para cobrir os que estão com contratos a prazo, ou seja não acrescenta nenhum enfermeiro novo ao ACESO». «Estamos a lutar pela saúde para todos» Ilídio Ferreira e Rui Francisco, vereadores da CDU no executivo municipal também estiveram presentes «Ao lado da população e dos enfermeiros» disse-nos Ilídio Ferreira. «Por um lado mandam enfermeiros embora e por

outro a população não tem os enfermeiros que carece. A população sem os enfermeiros não tem saúde. Nós estamos com os enfermeiros estando ao lado da população de Odivelas». O vereador condenou a não construção dos prometidos centros de saúde e esta retirada dos 22 enfermeiros. Questionado se estes tipo de protestos ainda resulta alguma coisa, Ilídio Ferreira afirmou que «Resulta sempre. Só é derrotado aquele que se cala. Aquele que protesta nunca é derrotado. Nós estamos a lutar por aquilo a que temos direito: Saúde para todos». «Este despedimento não tem qualquer sentido» Vários elementos do Bloco de Esquerda também marcaram presença. João Curvêlo, deputado municipal e membro da concelhia de Odivelas disse ao Nova Odivelas que «Estamos cá para dar toda a força que conseguirmos dar a esta causa


07 Outubro 2011

ACTUALIDADE SAÚDE

que é justíssima contra o despedimento de 22 enfermeiros de que Odivelas precisa e estes 22 precisam do seu trabalho». Para João Curvêlo «Este despedimento não tem qualquer sentido, como não tem qualquer sentido a destruição do Serviço Nacional de Saúde a que temos vindo a assistir». Para o dirigente bloquista fazem sentido «Todo o tipo de protestos se as reivindicações forem justas e neste caso é isso que se passa. Estamos a falar de 22 enfermei-

PUB

ros que foram despedidos por correio electrónico, não havendo sequer um mínimo de decência no comportamento de quem despediu estes profissionais e, acima de tudo, estamos a falar do concelho de Odivelas que tem condições de saúde muito deficitárias quer ao nível das infra-estruturas quer ao nível dos recursos humano. O Bloco está aqui a dar força e este protesto e as estas pessoas que foram despedidas em condições absolutamente inacreditáveis quando Odivelas precisa deles e eles precisam Odivelas».

Nova Odivelas 23


24

Nova Odivelas

07 Outubro 2011

nesta área da sua vida. Analise as suas poupanças. Poderá sentir necessidade de mudar de emprego ou de actividade profissional. Pense bem no que é melhor para si. Números da Sorte: 9, 6, 3, 2, 25, 45 Pensamento positivo: Tenho o poder sobre as minhas emoções.

Escorpião

De 07 a 13 de Outubro Carneiro Carta Dominante: Ás de Ouros, que significa Harmonia e Prosperidade. Amor: Tente conviver mais com os seus amigos e faça esforços para travar novos conhecimentos. Saúde: Período propício a uma consulta de oftalmologia. Não descure a sua visão. Dinheiro: Evite faltar a reuniões de trabalho. A sua presença será importante para desenvolver um projecto. Está preparado para realizar os projectos a que se propõe, e para chegar onde está já superou muitas provas. Números da Sorte: 10, 4, 5, 45, 2, 6 Pensamento positivo: Cultivo a harmonia na minha vida.

Touro Carta Dominante: A Torre, que significa Convicções Erradas, Colapso. Amor: Cuidado para não magoar os sentimentos de uma pessoa que lhe é querida. Meça as suas palavras. Convide um amigo para uma saída especial. Dance, vá ao cinema, aproveite aquilo que a vida tem para lhe dar. Saúde: Tendência para andar um pouco descontrolado. Tente relaxar. Dinheiro: O seu esforço no trabalho poderá vir a ser recompensado. Acredite mais nas suas potencialidades. Números da Sorte: 3, 36, 6, 9, 8, 5 Pensamento positivo: Estou sempre a tempo de recomeçar.

Gémeos Carta Dominante: A Lua, que significa Falsas Ilusões. Amor: Poderá ter de enfrentar um desentendimento com um amigo muito especial. Mantenha a calma! Saúde: Controle as suas emoções e procure ser racional. Não

se preocupe tanto com aquele problema que o tem vindo a afectar. Vai perceber que afinal não era nada assim tão grave. Dinheiro: O seu orçamento poderá sofrer um acréscimo significativo. Porém, seja contido nos gastos. Números da Sorte:2, 4, 1, 15, 14, 18 Pensamento positivo: Evito criar falsas ilusões concentrando-me no presente.

Caranguejo Carta Dominante: 5 de Paus, que significa Fracasso. Amor: Modere as suas palavras pois pode magoar a pessoa amada. Seja mais cuidadoso. Saúde: Procure não exagerar no exercício físico, pois poderá magoar os seus músculos. Dinheiro: É possível que durante esta semana se sinta um pouco desmotivado. Trace objectivos para o seu trabalho, vai ver que conseguirá obter melhores resultados. Números da Sorte:10, 20, 3, 9, 41, 44 Pensamento positivo: Faço de cada fracasso o ponto de partida para um novo sucesso.

Leão Carta Dominante: Rainha de Copas, que significa Amiga Sincera. Amor: Lute pelo seu verdadeiro amor, não se deixe influenciar por terceiros. Não se deixe dominar pela insegurança. Converse mais com o seu companheiro e tenha mais confiança nele. Saúde: Vigie a sua tensão arterial e controle muito bem a sua alimentação. Dinheiro: Procure não ser muito impulsivo nas suas compras, pois poderá gastar mais do que as suas possibilidades. Números da Sorte: 6, 9, 7, 40, 30, 20 Pensamento positivo: A since-

ridade é o pilar básico de qualquer relação.

Virgem Carta Dominante: Valete de Espadas, que significa Vigilante e Atento. Amor: Seja mais carinhoso com a sua cara-metade. Os actos de ternura são importantes para revigorar a relação. Saúde: Evite enervar-se em excesso. As preocupações podem trazer sérios problemas ao nível cardiovascular. Poderá sentir-se mais cansado do que o habitual. Tente tomar um banho relaxante. Dinheiro: Cuidado com os gastos supérfluos. Seja mais comedido para não ter surpresas desagradáveis. Números da Sorte: 22, 5, 41, 14, 12, 21 Pensamento positivo: Estou vigilante, zelo por tudo o que amo.

Balança Carta Dominante: Rainha de Paus, que significa Poder Material e que pode ser Amorosa ou Fria. Amor: Confie mais na pessoa que tem a seu lado. A confiança e o respeito são essenciais numa relação. Saúde: Tendência para apanhar uma grande constipação. Agasalhe-se bem. Dinheiro: Não se deixe abater por uma maré menos positiva

Carta Dominante: O Eremita, que significa Procura, Solidão. Amor: O encontro com um desconhecido e uma insinuante troca de olhares podem ser o ponto de partida para algo muito prometedor. A felicidade e a paixão poderão marcar a sua semana. Aproveite muito bem esta fase. Saúde: Cuidado com as correntes de ar; durante esta semana poderá constipar-se facilmente. Dinheiro: Poderá precisar da ajuda de um colega para finalizar uma tarefa importante. Não tema pedir apoio. Números da Sorte: 2, 25, 14, 17, 18, 19 Pensamento positivo: As respostas que procuro estão dentro de mim.

Sagitário Carta Dominante: A Justiça, que significa Justiça. Amor: Poderá encontrar um amigo que já não via há muito tempo. Coloque a conversa em dia. Saúde: Procure não abusar em refeições muito condimentadas. Dinheiro: Não influencie as ideias dos outros. Permita que cada um pondere por si. Aceite críticas construtivas feitas por alguém que tem mais experiência. Não as encare como algo negativo, mas sim como forma de melhorar o seu desempenho Números da Sorte: 6, 45, 40, 20, 30, 4 Pensamento positivo: Procuro que a justiça fundamente os meus actos.

Capricórnio Carta Dominante: 6 de Copas,

que significa Nostalgia. Amor: Período marcado pela harmonia familiar. Organize um serão divertido em sua casa. Poderá viver momentos confusos e agitados a nível amoroso. Não se descontrole e tente encontrar solução para os seus problemas. Saúde: Tendência para problemas de estômago. Cuide de si. Dinheiro: Semana propícia ao investimento. Aconselhe-se com o seu gestor de conta. A sua vida profissional vai exigir de si um desgaste redobrado de energias. Números da Sorte: 1, 5, 45, 4, 7, 6 Pensamento positivo: Recordome apenas das coisas positivas.

Balança Carta Dominante: 9 de Espadas, que significa Mau Pressentimento. Amor: Esteja alerta, o amor poderá surgir em qualquer lugar. Deixe-se ser amado. Saúde: Pratique uma actividade física que lhe dê bastante prazer. Dinheiro: A sua vida profissional tende a melhorar significativamente. Continue a demonstrar o seu dinamismo. Não adie decisões importantes e urgentes. Seja firme. Números da Sorte:5, 6, 16, 14, 15, 40 Pensamento positivo: Estou seguro de que consigo lidar com todos os desafios que a vida me traga.

Peixes Carta Dominante: O Imperador, que significa Concretização. Amor: Período favorável à conquista. Encha-se de coragem e diga aquilo que sente. Siga em frente e lute para alcançar os seus objectivos. Saúde: Cuidado com alergias, pois o seu sistema respiratório poderá estar muito frágil. Dinheiro: Seja ousado e não hesite em revelar as suas ideias criativas. Poderá ser útil para o seu desenvolvimento profissional. Números da Sorte: 20, 10, 3, 6, 45, 44 Pensamento positivo: Tenho o poder e o conhecimento necessários para concretizar os meus projectos.


PUB

07 Outubro 2011

Nova Odivelas 25

Intermitências

Tempos difíceis… Os tempos são difíceis, de incertezas e de dúvidas... Impõem-se mudanças para superar a crise de fundo que se vive... Mas, a crise só se supera com o esforço de todos, sem o esquecimento de alguns... O ensino nocturno nas Escolas portuguesas está a viver tempos muito confusos... E surpreendentes! Algumas Escolas, nomeadamente nos núcleos urbanos mais densos, onde é maior o regresso à escola de adultos que escolheram este ano lectivo para se (re)qualificarem, concluir estudos e apetrecharem-se de ferramentas para combaterem o desemprego ou contribuírem com maior qualificação/produtividade no local de trabalho, estão quase vazias... As salas e os corredores das Escolas só recebem as turmas de continuidade dos Cursos EFA e a maioria dos alunos inscritos aguarda em casa para começarem as aulas nos Cursos EFA Básico e Secundário (turmas iniciais), nas Formações Modulares de Inglês, Espanhol, TIC e Oficina de Português tal como dos Cursos de Português para Todos e de Competências Básicas... Centenas de alunos inscritos, turmas formadas, recursos operacionais, percursos de vida e sonhos suspensos por decisões superiores que tardam... Muitos adultos questionam a data de início de aulas uma vez que muitos foram encaminhados pelos Centros de Novas Oportunidades, em parcerias com o o IEFP e instituições e empresas locais, num verdadeiro trabalho de equipa de diagnóstico real de carências educacionais/profissionais do mercado laboral existente, muitos alteraram o seu ritmo de vida (por exemplo, mudança de turnos no emprego ou adaptações familiares para poderem ausentar-se à noite, de casa rumo à escola) para apostar numa solução de combate à crise, num esforço colectivo que se impõe à sociedade portuguesa... mas, lamentavelmente, sem encontrarem respostas compreensíveis! Frustrações e decepções ainda maiores junto dos alunos imigrantes, oriundos de múltiplas regiões geográficas multiculturais, e nacionais que desejam e precisam aprender/desenvolver a língua e cultura portuguesas tal como competências básicas como a escrita, o cálculo e TIC para combaterem a exclusão social, o analfabetismo e a desigualdade étnica e de género, enfim, os grupos mais desfavorecidos que vêem a Escola como o trampolim para romperem os obstáculos do passado e as barreiras socioculturais da discriminação, prejudiciais a uma inclusão participada e activa. Hoje que se celebra a implantação da República em Portugal, que sempre lutou pela Escola Pública sem desigualdades, é tempo de questionar a situação do Ensino Nocturno no nosso país! A Noite está quase parada... Porquê? Para quê? Até quando? O que esperar do futuro? O que fazer para construir um melhor futuro? Blogue da ESO Noite de Ana Ferraz e Isabel Marques


26

Nova Odivelas

07 Outubro 2011

~ G uard a Re al ~

~ Fla sh d o Reino ~


07 Outubro 2011

Realmente! Hoje o mundo ficou mais pobre. A morte de Steve Jobs é por todas as razões uma perda para a humanidade. Visionário e empreendedor, para além do inquestionável legado material deixa o extraordinário exemplo de vida de um homem que nunca baixou os braços em face de todas as dificuldades e lutou, empreendendo e criando, até ao último dia. Hoje, morreu um dos meus ídolos. Steve Jobs quebrou justamente o ciclo de sofrimento do renascimento em que acreditava. Com bodhisattva Steve Jobs o Nirvana será, a partir de hoje, mais hi-tech. Sérgio Paiva Presidente da Assembleia Municipal de Odivelas no seu Facebook

Era também um dos meus ídolos e curiosamente não era doutor, mas sim um homem muito inteligente e trabalhador. “As árvores morrem de pé”. Graça Peixoto No Facebook Como disse Obama referindose à perda do Steve Jobs: Ele ensinou-nos a ver o mundo de uma maneira diferente. Maria Cascais No Facebook Passados mais de 20 anos os XUTOS voltam a cidade de Odivelas. Na secundaria de Odivelas o concerto foi memorável. Este ano já terei visto 4 ou 5 concertos, mas a velha guarda esta sempre presente. Portanto tá a comprar bilhetes e dia 29 encheremos o Pavilhão Multiusos de Odivelas. XUTOS sempre. Pedro Martins No Facebook Nobel da Física - Este ano Portugal foi um forte candidato ao prémio Nobel da Física. Depois da descoberta do átomo, do neutrão, do protão e do electrão, acabou de ser descoberto o Pelintrão. E como se caracteriza o Pelintrão? O pelintrão é um tuga sem massa e sem energia, mas que suporta qualquer carga! Ana Gralheiro No Facebook

~ No b r e s C o n f i s s o e s F Confesso, sim confesso…

ui muito burrinha, ah pois fui. Como vos disse estive para aqui em ânsias por causa de saber como ia ser a Assembleia de Freguesia de Odivelas com a questão das demissões dos rosinhas e da azulinha. Eh Pá não valeram de nada as minhas ânsias. Utilizando uma expressão dos relatórios policiais do antigamente «Aos costumes disse nada». É verdade, verdadinha e se não acreditam vejam os filmes da NO TV quando o meu Boss os publicar que ele também anda um pouco lerdinho. Mas apesar de o El Charmoso Presidente não ter falado nas demissões, de a senhora dona Fátima do CDS nada ter dito e do senhor ex-tesoureiro ter lido uma declaração política sobre o assunto mas onde apenas espalhou areia para os olhos no humilde entender desta cronista de sangue azul, cá a Ricardina adorou ter ido àquela assembleia apesar do sacrifício de ter de me misturar com a multidão. Eh pá enchi mesmo o papinho. Foi lindo ver o El Charmoso Presidente a meter o charme na gaveta e a ter a atitude de galo da índia para o El Vermelhito Barbudito. É pá cá a Ricardina até temeu que acontecesse como aquele debate de há uns tempo onde o pessoal virou ao estalo uns aos outros. Cá a Ricardina, como não me canso de vos dizer não percebe nada de política mas ainda vou sabendo algumas coisas sobre o respeito pelo próximo e as relações interpessoais e acho que ali se forçou um bocado a barra, mas prontos, as coisas são assim e parece que as pessoas não ficaram muito admiradas. Pois é, cá a Ricardina deve estar desactualizada porque ainda defende valores. Conservadora? Não, Não sou e nem velha do Restelo porque ainda não cheguei aos trinta e moro na Pontinha. Eh pá mas que não gosto de ver um autarca com responsabilidades públicas aos pontapés a uma porta e a vociferar impropérios num local cheio de gente e ainda por cima em património público, não gosto. Assim não! Diz a Ricardina e, segundo a Mariazinha do Troca, diz muito bem. Bom mas aquela assembleia de facto dava para fazer as crónicas de um ano inteiro. Mais uma vez o senhor presidente da assembleia revelou alguma distracção, impreparação ou desconhecimento. Vejam bem que a Ricardina até ouviu dizer «Ai que saudades que eu tenho do senhor Ramos Silva» que a Ricardina não conhece mas que dizem ter sido o melhor presidente de assembleias cá das terras de D. Dinis. O El Vermelhito Barbudito ia incendiando mesmo a assembleia. No pagode falou em rumores de uns vales à caixa na junta de freguesia, que seriam ilegais e perguntou se era verdade que alguém do executivo tivesse feito esses vales. Não sei se o El Charmoso Presidente percebeu a pergunta mas sei que respondeu que sim que havia vales à caixa, que ele presidente os tinha autorizado para funcionários da junta que tinham fome e precisavam de dinheiro e portanto seria um acto que caridade. Logo a seguir fala-se em escola de fado e o El Vermelhito Barbudito apelida de mentiroso o El Charmoso Presidente quando um diz que nunca ninguém foi expulso da escola de fado e o outro prova com nome e tudo. Sim senhor. Valeu mesmo a pena ir àquela assembleia. Ainda tenho para aqui mais umas coisas desta temática tão interessante e enriquecedora mas têm de ficar para outras crónicas porque cá a Ricardina é democrática e como o espaço é pouco tem de «Dividir o mal pelas aldeias». Portantos, vamos bater noutra porta…

Nova Odivelas 27

Maria Ricardina de Marmelo e Sá Viscondessa da Memória confissoes@novaodivelas.pt

vontade de me candidatar em 2013, acho que já vos disse isso, agora não perco nenhum evento onde possa aparecer na fotografia e já agora aprender qualquer coisita, que também pode dar jeito, e portantos, lá fui até Famões. Bom, adorei e para ser justa tenho de enviar ao senhor presidente da junta, socialista desde pequenino, um grande e repenicado beijinho. Todos foram unânimes em afirmar que o senhor autarca António Rodrigues foi muito importante para que os bairros da sua freguesia tivessem alvará e até afirmava que não descansaria enquanto não tivessem todos legalizados. Ah ganda Rodrigues. Assim é que a Ricardina gosta e se como diz o poeta citado pela doutora presidenta, «Sempre que um homem sonha o mundo pula e avança» então o mundo vai pular mais de pião de menino pobre porque a Ricardina tens sonhos que nem vos passa pela cabeça. Pois, desta cerimónia também tenho de deixar pendentes. E pá eu sei que começo a parecer uma repartição pública mas que querem nesta terra acontece muita coisa. Bom mas é natural, como diz a doutora presidenta, somos mais de 180 mil almas e o 12º dos 308 concelhos do Jardim à beira mal plantado. Madeira o quê? Não percebi… Estava apenas a falar de uma definição poética desta cantinho da europa. Pois eu já sei que tenho leitores e leitoras muito malandrecos e malandrecas.

V

amos então à primeira reunião da comissão política rosinha odivelense dirigida pelo novo presidente doutor cultural lusófono. Uns e-mails que cá a Ricardina recebeu… Vou abrir aqui um parêntesis para dizer que a Lei da Rolha Socialista parece que já tem a cortiça podre porque há muito tempo que não transpirava nada cá para fora e agora recebi uma carradinha de e-mails sobre esta temática e, prontos agora vou fechar parênteses e continuar com a história … diziam que aquilo até não correu muito bem. Mas quanto a isso hoje não vou falar porque quero comentar, tenho esse direito democrático, umas afirmações da doutora presidenta. O Nova Odivelas publicou uma declaração política do criminalista televisivo e vereador independente que põe as pessoas à frente, e a doutora não gostou e disse que os jornalistas deviam ter o bom senso de saber o que se deve publicar ou não. Eh pá doutora, quase mestre, esta foi muita forte. Então um vereador acusar a presidente da câmara de discriminação não é notícia? Bom para mim é mas como não sou Alice nem vivo no país das maravilhas se calhar estou a ver mal o filme. Mas gostei de outra afirmação proferida na mesma hora e local. Disse a doutora presidenta, referindose ao vereador psicólogo e analista de crimes & afins.: Ele pode ser provocador mas eu não sou obrigada a responder. Em Odivelas não é obrigatório. Pois… em lado nenhum o será mas o bom povo lusitano diz há muito que … «Quem cala consente». É por isso que cá a Ricardina falará até que a voz lhe doa, ou sendo mais verdadeira, até que os dedos consigam martelar no desgraçado do teclado que bem sofre com estra cronista trabalhadora. Prontos, tenho de fechar a loja que o texto já passou todas as medidas. Fiquem bem que eu fico também.

N

o Sábado houve entrega de mais um alvará de um bairro que antes se chamava clandestino mas que agora se chama Área Urbana de Génese Ilegal. Eh pá a malta fala fino não fala? Bom, mas vamos ao que interessa antes que o Grilo Falante me venha com remoques. Como ando com

SIMPRUS PRESS, COMUNICAÇÃO LDA Av. de Lisboa, 103 B - 2605-002 Casal de Cambra TLF: 219 817 000 FAX: 219 817 009 || NIPC: 509 172 962 || DIRECTOR DE INFORMAÇÃO: Henrique Ribeiro [henrique_ribeiro@simpruspress.pt] TLM: 962 646 230 DIRECTORA FINANCEIRA: Manuela Escoval || PUBLICIDADE: Coisas.info, concessionária de publicidade. Av. da Liberdade, 11 - Presa - 1675 023 Pontinha - Telefone: 216 022 318 - Email: publicidade@coisas.info NOVA ODIVELAS - Semanário do Concelho de Odivelas Av. da Liberdade, 13 Presa - 1675 - 023 Pontinha TLF: 216 022 318 FAX: 216 022 318 || DIRECTOR: Henrique Ribeiro [henrique_ribeiro@simpruspress.pt] || PUBLICIDADE: Coisas.info, concessionária de publicidade. Av. da Liberdade, 11 - Presa - 1675 023 Pontinha || DESIGNER: Soraia Lopes|| COLABORADORES: Eduardo Sousa, (Fotografia), Sérgio Mendonça (Desporto) || COLUNISTAS: João Carvalho, Paula Paçó, Teresa Salvado, Xara Brasil || CORRESPONDENTES: Olival Basto Sara Sousa; Desporto - António Mota, David Braga, Pedro Beato, Sandra Braga || REGISTO NO ERC: 123252 || DEPÓSITO LEGAL N.º: 105904/9 || Interdita a reprodução de textos e imagens sem o devido consentimento. || As crónicas e artigos de opinião ou de leitores são da inteira responsabilidades dos seus autores e podem não corresponder à orientação editorial do jornal.


28

Nova Odivelas

07 Outubro 2011

Nova Odivelas PUB

A forรงa da qualidade informรกtica


Nova Odivelas 409