Issuu on Google+

PUB

PUB

Sexta-feira,

17 de Dezembro de 2010

Director: Henrique Ribeiro

// N.º

372 Ano XII

www. novaod ive la s. pt

| informação regional

JUNTAS DE FREGUESIA HOMENAGEARAM 1º PRESIDENTE DA CÂMARA

NESTE NÚMERO

● ● ● ● ● ● ●

● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ●

CENTRO INFANTIL E LAR DE IDOSOS DE ODIVELAS

ADEUS À SEGURANÇA SOCIAL CDU CONTESTOU ORÇAMENTO MUNICIPAL PARA 2011

● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ●

Entre Tanto 2 Horóscopo 2 CDU contra Orçamento 3 Posto de Comando 3 Directas 4 Homenagem a Manuel Varges 4 JSD solidária 4 Almoços de Natal do Cantinho do Idoso e Clube Académico da Póvoa 5 Directas 5 Universidade Sénior 6 Dualidades 6 Mundo Tropelias 6 Sofás Design 7 Marisqueira Queda D’Água 7 Lar e Centro Infantil saem da Segurança Social 8 Pontimira 10 Funerária de Casal de Cambra 10 Directas desportivas 11 Segunda parte demolidora dos Bons Dias 11 Vitória sofrida do GCO 11 Sporting vence em Odivelas 11 PSAAC visita Casa do Gaiato 11 Festa de Natal no GCO 11 Agenda e resultados 11

Diesauto Desportivamente já arrancou Centro Comercial Oceano Isaura Francisco Realmente! Nobres Confissões Guarda Real Flash do Reino Consilcar

12 13 13 14 15 15 15 15 16 PUB


2

Nova Odivelas

17 Dezembro

Horóscopo

ENTRE TANTO SEXTA 17 DE DEZEMBRO

«Vamos Falar de Protecção Civil?» A Câmara Municipal de Odivelas está a promover, em todas as freguesias do concelho, sessões de esclarecimento sobre o Plano Municipal de Emergência. No Olival Basto a sessão terá lugar a 10 de Dezembro, no Pavilhão Multiusos da freguesia com início às 19h00. SÁBADO 18 DE DEZEMBRO

OUTROS DIAS

O Vendedor de Fósforos A peça infantil O Vendedor de Fósforos, de Fátima Éffe com encenação de Hélder Gamboa pode ser vista até 30 de Janeiro de Terça a Sexta-feira, às 11h00 e 14h00 para escolas, por marcação, na Malaposta. Para o público em geral aos Sábados às 16h15 e aos Domingos às 11h15. Sala Experimental. Preço 5 único 5 euros. 60’ minutos. M/4.

Fado na Malaposta

Cinema para Escolas

João Chora e Manuela Tonizzetti são os fadistas convidados por Maria Mendes para mais uma noite de fado no auditório da Malaposta. Começa às 22h00 na Sala Café Teatro. Preço único 6 euros. 75’. M/&

O Centro Cultural Malaposta apresenta o filme O Garoto, de Charlie Chaplin, até 31 de Dezembro, para escolas, por marcação. As sessões realizam-se de Segunda a Sexta-feira à 15h00, na Sala de Cinema. Preço único 2 euros. 60’. M/6.

Solidariedar Às 10h00 no Pavilhão Polivalente a Junta de Freguesia de Odivelas vai entregar o Cabaz de Natal a 63 famílias carenciadas desta freguesia que incluem os bens alimentares recolhidos através da campanha Solidariedar, anualmente promovida por esta autarquia que através de voluntários recolhe os bens à porta de grandes superfícies da freguesia. Para além dos produtos recolhidos a junta contribuiu com azeite, bacalhau, batatas e bolo-rei. TERÇA 21 DE DEZEMBRO

Desportivamente O novo programa da NO TV Desportivamente, dedicado ao debate sobre questões desportivas está esta semana na Póvoa de Santo Adrião no Clube Académico da Póvoa. Para além dos comentadores residentes estarão Rui Teixeira e José Carlos Pires, estarão como convidados o vereador do Desporto da Câmara Municipal de Odivelas, Hugo Martins e os representantes da direcção do CAP, Pedro Mesquita e Carlos Pereira. O programa é gravado ao vivo a partir das 22h00 e está aberto à participação de todos quantos queiram assistir.

Um Rumo O Blogue um Rumo promove hoje o seu jantar de Natal que junta também elementos de outros blogues de e sobre Odivelas. Mais informações em http://umrupo.blogspot.com.

DE 17 A 24 DE DEZEMBRO

AGENDA. Mais eventos em www.diariodeodivelas.com

Feira de Natal em Caneças A Obra da Imaculada Conceição e Santo António promove Sábado e Domingo, na Casa da Cultura, em Caneças, uma Feira de Natal. No evento podem encontrar-se uma grande variedade de presentes de Natal e a receita reverte a favor da instituição.

E AINDA... > Até 18 de Dezembro: Exposição individual de pintura de Luís Carlos, na Casa da Cultura de Caneças que pode ser vista todos os dias das 14h00 às 22h00. > Até 30 de Dezembro: Exposição individual de pintura de Ana Cassiano, Microtonalidades, no Centro Cultural Malaposta.

Garrett no Coração A nova comédia de Fernando Gomes continua na Malaposta. Pode ser vista de Quinta a Sábado às 21h30 e aos Domingos às 16h00. Preço 12,50 euros sujeito a descontos. 120’. M/12.

Solidariedade nos Apréstimos Associando-se ao espírito de Natal, que deve ser de partilha e solidariedade, a Associação de Pais da EB1/JI dos Apréstimos mobilizou-se e lançou a campanha “Dá um presentinho e recebe um Bom Natal”. O objectivo desta campanha de solidariedade é a recolha de brinquedos, livros e roupa para o Jardim-de-infância da Escola e para entrega a instituições de apoio a crianças desfavorecidas. Os bens doados devem ser entregues na EB1/JI dos Apréstimos, entre os dias 6 de Dezembro e 7 de Janeiro. Para mais informações, contactar a Associação: apeebaprestimos@gmail.com

Exposição de Presépios Escolares Na Casa da Juventude de Odivelas está patente até 09 de Janeiro, uma Exposição de Presépios Escolares elaborados por alunos e professores das Escolas Básicas do 1º Ciclo da Amoreira, Maria Máxima Vaz, nº 5 de Odivelas e Porto Pinheiro e das EB1 e JI nº 7 de Odivelas, Eça de Queiroz, Maria Lamas, Barbosa du Bocage, D. Dinis e Rainha Santa.

> Até 31 de Dezembro: Exposição colectiva de pintura Concelho de Odivelas e a Arte, na Biblioteca Muncipal D. Dinis > Até 20 de Dezembro: Zen ou o sexo em paz. Peça com Amélia Videira. De Terça a Sexta-feira duas sessões para escolas por marcação. Para público em geral aos Sábados às 21h30. > Até 27 de Fevereiro de 2011: Exposição D. Dinis e as artes da guerra nos Paços do Concelho. > Até 2011: A Ilha Encantada, uma fantasia musical, teatro infantil de Fernando Gomes. De Terça a Sexta-feira duas sessões para escolas por marcação. Para público em geral aos Sábados às 16h00 e aos Domingos às 11h00. > Todo o ano: Exposições Conhecer para Proteger e Pedras para a História do Território de Odivelas no Centro de Exposições de Odivelas. > Descontrai-te – Sessões de Yoga: A pensar em todos os que querem bem-estar… Terças e Quintas-feiras, das 19h às 20h30, e Sábados, das 08h00 às 09h30, na Casa da Juventude. Informações pelo 219 320 480. > Visitas ao Moinho da Laureana: Às Quartas-feiras, das 10h00 às 12h00. Informações e inscrições pelos telefones 219 320 800. (CMO) ou 219 347 880 (JFF).

CARNEIRO Carta Dominante: Carro, que significa Sucesso. Amor: Poderá surgir uma nova amizade ou um novo relacionamento. Saúde: A actividade laboral exige-lhe demasiado esforço físico ou mental. Durma mais para recuperar energias. Dinheiro: Uma maior capacidade de resolução e gestão poderão conduzi-lo ao bom caminho. Horóscopo Diário Ligue já! 760 30 10 22

TOURO Carta Dominante: 3 de Copas, que significa Conclusão. Amor: Tendência para romper definitivamente com uma situação que já há muito tempo lhe causava mau estar. Saúde: Sentir-se-á mais enérgico se praticar desporto. Dinheiro: Boas oportunidades de negócio. Horóscopo Diário Ligue já! 760 30 10 22 GÉMEOS Carta Dominante: A Papisa, que significa Estabilidade, Estudo e Mistério. Amor: Será elogiado pela sua tolerância e compreensão. vai ter momentos de grande felicidade, bem merecidos porque muito se esforçou para o conseguir. Saúde: O bem-estar físico vai acompanhá-lo durante toda a semana. Tenha algum cuidado com os seus olhos. Dinheiro: Poderá receber uma quantia considerável de dinheiro. Horóscopo Diário Ligue já! 760 30 10 22

CARANGUEJO Carta Dominante: Ás de Paus, que significa Energia, Iniciativa. Amor: Aprenda com os seus erros, de modo a não os cometer segunda vez. Pense bem naquilo que quer para não magoar os outros. Saúde: O cansaço tomará conta de si. A actividade laboral exige-lhe demasiado esforço físico ou mental. Durma mais para recuperar energias. Dinheiro: Seja mais determinado nos objectivos a que se propõe. Horóscopo Diário Ligue já! 760 30 10 22

LEÃO Carta Dominante: 9 de Ouros, que significa Prudência. Amor: Invista mais no seu relacionamento. Estará muito carente, procure ser mais optimista quanto ao seu futuro sentimental. Saúde: Semana indicada para se dedicar ao exercício físico. Dinheiro: Com empenho alcançará o êxito que tanto deseja e merece. Período positivo para colocar em marcha projectos. Horóscopo Diário Ligue já! 760 30 10 22

VIRGEM Carta Dominante: Rei de Paus, que significa Força, Coragem e Justiça. Amor: Terá a capacidade de perdoar o mal que lhe fizeram. Poderá surgir uma nova amizade ou um novo relacionamento. Saúde: Poderá sofrer de problemas no estômago.A sua opinião profissional será valorizada. Uma maior capacidade de resolução e gestão poderão conduzi-lo ao bom caminho. Horóscopo Diário Ligue já! 760 30 10 22

BALANÇA Carta Dominante: 3 de Espadas, que significa Amizade, Equilíbrio. Amor: Dê mais atenção aos seus filhos. Não espere que o amor vá ter consigo, procure ser você a distribuir amor pelas pessoas que o rodeiam. Saúde: Evite ambientes poluídos. Não esteja à espera de se sentir mal para ir ao médico, faça um exame médico completo. Dinheiro: A sua situação financeira sofrerá algumas alterações. Horóscopo Diário Ligue já! 760 30 10 22 ESCORPIÃO Carta Dominante: Cavaleiro de Espadas, que significa Guerreiro, Cuidado. Amor: terá a força e a determinação necessárias para fazer o que tem que ser. Seja mais compreensivo com o seu par. Saúde: Modere os condimentos. O excesso de sal é-lhe prejudicial. Dinheiro: Período favorável ao desenvolvimento dos seus projectos. Época favorável para pedidos de empréstimo, seja prudente. Horóscopo Diário Ligue já! 760 30 10 22 SAGITÁRIO Carta Dominante: Rainha de Ouros, que significa Ambição, Poder. Amor: Dê mais atenção à sua cara-metade. Ela precisa muito do seu ombro amigo. Saúde: Poderá sofrer um grande descontrolo nervoso. Dinheiro: Atravessa um período em que tem que enfrentar alguns problemas de ordem económica. Os problemas financeiros tirar-lhe-ão algumas noites de sono. Horóscopo Diário Ligue já! 760 30 10 22

CAPRICÓRNIO Carta Dominante: O Diabo, que significa Energias Negativas. Amor: Visite um familiar que já não vê há algum tempo. Saúde: Cuide da sua pele. A saúde é o espelho da nossa alma, nunca se esqueça disso. Dinheiro: Grandes mudanças a nível profissional. Tente controlar a impulsividade nos seus gastos. Horóscopo Diário Ligue já! 760 30 10 22

AQUÁRIO Carta Dominante: O Mágico, que significa Habilidade. Amor: Está preparado para enfrentar as novas emoções que o esperam. Poderá ser injusto com a sua cara-metade, cuidado. Saúde: Controle os níveis de açúcar existentes no seu sangue. Dinheiro: Tendência para se exaltar sem razão com um colega de trabalho. Tente não andar muito tenso. Horóscopo Diário Ligue já! 760 30 10 22 PEIXES Carta Dominante: 8 de Ouros, que significa Esforço Pessoal. Amor: Semana propícia a novos encontros amorosos. Saúde: A sua boa disposição contagiará os que o rodeiam. Dinheiro: Semana pouco favorável a novos investimentos. Horóscopo Diário Ligue já! 760 30 10 22


17 Dezembro 2010

Nova Odivelas 3

QUOTIDIANOS POLITICA

CDU contesta Orçamento Municipal Em conferência de imprensa realizada na Terçafeira, a CDU de Odivelas contestou o Orçamento e Grandes Opções do Plano para 2011, da Câmara de Odivelas bem como as alterações ao Protocolo de Delegação de Competências nas Juntas de Freguesia.

O

s dois vereadores da CDU na Câmara de Odivelas, Ilídio Ferreira e Rui Francisco e os dois presidentes de junta da CDU, Armindo Fernandes de Caneças e Francisco Bartolomeu, da Ramada, compunham a mesa da conferência acompanhados de Deolinda Santos, líder da concelhia de Odivelas do PCP. Para a CDU, o Orçamento e Grandes Opções do Plano para 2011, recentemente aprovado e que contou com o voto contra da CDU, mantém «No essencial as opções constantes nos documentos anteriores» e «Revela infelizmente um quadro ainda mais preocupante e gravoso, para o Concelho e para a população, em resultado das politicas prosseguidas pelo PS, no Governo do país e desta Câmara Municipal, e cujas consequências surgem espelhadas, de forma cada vez mais nítida, nestes instrumentos estruturantes». Segundo a CDU «Os efeitos perversos da política desastrosa que vem sendo trilhada no pais e das erradas opções na gestão municipal estão aí, condicionam, enformam e perpassam todo o documento». Referindo os cortes impostos pelo orçamento de Estado de 1,5 milhão de euros nas transferências para o município e o investimento zero do PIDDAC «Adiando-se mais uma vez investimentos urgentes e necessários, incumprindo promessas e gorando justas expectativas das populações», a CDU contesta a redução de 2,5 milhões de euros nas despesas com o pessoal, «Ou seja, nos salários dos trabalhadores e nas suas carreiras», sublinha a diminuição das receitas directas municipais «Em resultado da profunda crise económica e social que foi infligida ao pais, fruto das gravosas e injustas políticas impostas por este governo aos trabalhadores, aos comerciantes, às pequenas e médias empresas, aos reformados, aos desempregados, acentuando as desigualdades sociais e a

Fotografia: Henrique Ribeiro

Henrique Ribeiro henrique_ribeiro@simpruspress.pt

> Vereadores e presidentes de junta criticaram Grandes Opções do Plano

injustiça fiscal». A CDU voltou a referir as parcerias público-privadas, «Que só para este ano significam um esforço suplementar de quase 2,5 milhões de euros. E continuarão a hipotecar o futuro pelo menos durante uma geração». A CDU assinala que apesar da redução de 20 milhões de euros em relação ao ano anterior, o Orçamento de 2011 continua empolado tal como o de 2010 que tem uma taxa de execução de receitas e despesas de cerca de 50%. Os vereadores da oposição referem ainda que «Só 1/3 se destina a despesas de capital, o que corresponde a menos 33,2 % do previsto para 2010, sendo certo que, mesmo assim, uma boa fatia se destina a encargos já assumidos. E assim se adia o desenvolvimento do concelho». Ao nível das receitas «E mesmo com o corte previsto, cerca de 5,2% nas correntes e 33,5% nas de capital, insistese num optimismo militante, que se traduz com grande facilidade num verdadeiro empolamento orçamental, quando a execução em Outubro de 2010 no que respeita, por exemplo, à cobrança de taxas, multas e outras penalidades se fica nos 13% do orçamentado e a que corresponde, pouco mais de 1 milhão e 800 mil euros, não se vislumbra outra justificação para os mais de 15 milhões agora previstos para 2011». Está também previsto 1 milhão de euros com a venda de bens de investimentos mas «Nem um cêntimo foi realizado este ano, nessa rubrica». Quanto às Grandes Opções do Plano a CDU considera que a realidade não é mais animadora referindo que «São muitas as obras previstas e adiadas ano após ano que vão continuar a não ver a luz do dia» referindo a escola Avelar Brotero, o jardim-de-infância Álvaro de Campos, o Centro de Dia de Odivelas, os Mercados da Arroja, Odivelas e Pontinha, a requalificação do Barruncho e os cemitérios. A CDU contesta a redução das verbas

para os refeitórios do 1º ciclo, para os projectos sociopedagógicos, higiene e limpeza escolar e bibliotecas, bem como as verbas para os transportes escolares e os auxílios económicos que correspondem em 2011 a 1/3 do orçamentado em 2010. A CDU fala ainda em «Redução drástica do apoio à juventude, à acção social ou ao desporto» e da extinção «De projectos importantes, como são os rastreios na área da saúde». Os vereadores da oposição criticaram as verbas para os arrendamentos que «Apesar de todos os discursos sobre a sua optimização e gestão de rigor, continua a rondar 1 milhão e 300.000 euros, comprovando-se mais uma vez a justeza da nossa discordância pelas opções do PS quanto ao recurso ao mercado para a instalação dos serviços municipais, em detrimento da construção de um edifício para o efeito». Neste quadro, a inclusão de 60.000 euros para iluminações de Natal, ou de 120.000 euros para «Mais obras nas piscinas ou na Malaposta, quando para a empresa municipal que os gere se continua a transferir mais de 1 milhão

«Este nunca seria o orçamento dos eleitos da CDU. A nossa postura será sempre defender os interesses da população em todas as circunstâncias»

de euros/ano, e a redução de 10% prevista é bem inferior às sofridas pelos clubes, colectividades, bombeiros ou juntas de freguesia, que chegam a atingir, em alguns casos, mais de 20%, de redução, são também opções que não podem merecer o nosso acordo», afirmou a CDU, que considera que «Este não é o Orçamento que o Município precisa. Tal como não precisa da polí-

tica e das opções que o mesmo suporta». A CDU, pela voz dos seus vereadores e dos dois presidentes de junta desta força política contestou também as alterações introduzidas no Protocolo de Delegação de Competências nas Juntas de Freguesia. Para os autarcas da CDU «Dada a maior proximidade às populações», as verbas são melhor rentabilizadas nas juntas de freguesia «Com maior celeridade e eficiência e logo com vantagens inequívocas para a qualidade de vida das pessoas do nosso Concelho». Segundo Armindo Fernandes e Francisco Bartolomeu no Protocolo em vigor este ano «Em quatro das sete freguesias os valores totais das transferências serem ainda inferiores aos acordados em 2006, apesar de todos os aumentos em materiais, combustíveis e outros resultantes da inflação». Para 2011, «A situação agrava-se. Sãolhes retiradas mais competências, como pavimentos, bermas e valetas ou a sinalização, e quanto ás verbas para as que continuam a assumir, são drasticamente reduzidas, com uma diminuição global de mais de 21%, o maior corte percentual de todos os previstos no orçamento quanto a transferências para entidades terceiras, independentemente da sua natureza, âmbito de intervenção ou actividade desenvolvida». Para a CDU «As juntas de freguesia, e no âmbito deste protocolo, são efectivamente quem sofre o maior golpe, sendo-lhes retirado, percentualmente muito mais do que foi retirado pelo governo à Câmara Municipal, nos diferentes fundos, ou é retirado à Municipália, no subsídio à exploração assumido pela Câmara. Um critério muito injusto, incorrecto e indefensável».

Intervenções completas na NO TV

O caso do Senhor Roubado II parte O aproveitamento daquele roubo por parte da Inquisição originou uma onda antijudaica que levou a delirantes manifestações populares de auto-flagelação e criou um clima desfavorável ao perdão geral dos judeus. D. Pedro II, que chegou a admitir essa possibilidade, não resistiu às intolerantes pressões inquisitoriais e acabou por decretar a expulsão dos judeus em 22 de Junho. Foi precisamente na sequência deste caso que surgiu uma das mais violentas obras da literatura portuguesa antijudaica do século XVII, a Perfídia Judaica, de Roque Monteiro Paim, jurisconsulto que defendia a tese da autoria hebraica do crime de Odivelas por presunção, uma vez que, no seu entender, todos os anteriores casos de roubos de hóstias teriam sido praticados por judeus. Entretanto, seria preso, em 16 de Outubro desse mesmo ano de 1671, um jovem, rude e humilde trabalhador rural, quando se preparava para roubar galinhas na cerca das freiras do Mosteiro de Odivelas (a poucos metros da Igreja Matriz, assaltada cinco meses antes) e que trazia inadvertidamente consigo a cruz do remate de um dos vasos sagrados, furtados a 10 de Maio. Tendo primeiro negado, António Ferreira confessaria posteriormente a autoria do roubo, relatando que estivera na tarde daquele dia a ver alguns homens a jogar e os acompanhara na bebida (acabando por ficar embriagado). Reparando que haviam entrado dois moços na igreja, resolveu entrar atrás deles, esconder-se debaixo de uma mesa e esperar que saíssem, para roubar as lustrosas vestes dos santos. Acabou por adormecer e, quando acordou, despiu os santos, amassou uma coroa para lhe retirar uma pedra brilhante (mas falsa!) e atirou-se às hóstias para as comer, forçando a abertura do sacrário, o que provocou a sua queda aparatosa (em virtude da força que fez e da bebedeira).

Jorge Martins postodecomando@gmail.com


4

Nova Odivelas

17 Dezembro

QUOTIDIANOS

MOC no Banco Alimentar O Movimento Odivelas no Coração, assinou no dia 09 de Dezembro, um Protocolo de Cooperação com o Banco Alimentar contra a fome, no seguimento «Da linha da acção social que tem desenvolvido nos últimos meses de apoio aos mais desfavorecidos, bem como a famílias em situação de carência recente e extrema» informa uma nota de imprensa do movimento. Este protocolo vai permitir dar continuidade ao apoio que o Movimento Odivelas no Coração oferece neste momento, já a cerca de 30 famílias de Odivelas. O MOC congratula-se com esta colaboração com o Banco Alimentar Contra a Fome que «Congrega já em si um notório reconhecimento do nosso trabalho, e com o qual esperamos a partir de 2011 um maior reforço nas acções de carácter social, desenvolvidas em prol dos mais necessitados que são os que efectivamente precisam e que na medida das nossas possibilidades poderão vir a contar com o trabalho do Movimento Odivelas no Coração» lê-se ainda na nota de imprensa. Festa de Natal dos Idosos A Junta da Pontinha promoveu no dia 10 de Dezembro, a sua tradicional Festa de Natal para os idosos da freguesia que foi animada musicalmente pelo Vitinha do Grupo Ipanema e que contou a presença de muitos idosos.

PUB

Juntas homenageiam Manuel Varges Henrique Ribeiro henrique_ribeiro@simpruspress.pt

No dia 11 de Dezembro, teve lugar no Centro Social de Famões, uma homenagem a Manuel Varges, presidente da Comissão Instaladora do Municipal de Odivelas (CIMO) e primeiro presidente eleito da Câmara Municipal de Odivelas, promovida pelas quatro juntas de freguesia dirigidas pelo PS, Famões, Olival Basto, Pontinha e Póvoa de Santo Adrião.

N

C

erca de duas centenas de pessoas estiveram presentes no evento, entre os quais os presidentes das juntas promotoras da iniciativa, António Rodrigues, de Famões; Joaquim Farinha, de Olival Basto e Rogério Breia, da Póvoa de Santo Adrião. José Guerreiro, presidente da junta da Pontinha estava no almoço do Cantinho do Idoso e foi representado pelo seu substituto legal, Eu-

> «A homenagem merecida»

génio Marques; Susana Amador, líder concelhia do PS e presidente da Câmara e os ex-vereadores Carlos Lourenço e Carlos Lérias. Um filme mostrou imagens de momentos marcantes na vida do concelho durante a Comissão instaladora e o primeiro mandato municipal ao que se seguiram as intervenções de António Rodrigues, Susana Amador e Manuel Varges. Feitas as intervenções foi entregue a Manuel Varges uma lembrança para assinalar a homenagem seguindo-se o almoço que encerrou o evento. O presidente de Famões, António Rodrigues, sublinhou que «Esta é uma homenagem não política, é uma homenagem da sociedade civil» e participam pessoas das associações das AUGI’s, grupos desportivos, recreativos e culturais,

escoteiros, associações de bombeiros, instituições sociais, empresas e função pública, segundo o autarca. Para o autarca «Todos nós devemos estar gratos e satisfeitos pela grande transformação e desenvolvimento, em qualidade e quantidade, do nosso jovem concelho. Desde a sua criação, em 1998, o doutor Manuel Varges faz parte, para sempre, da história do concelho de Odivelas». Susana Amador, presidente da Câmara de Odivelas considerou que «Hoje é um dia especial, uma manhã especial porque estamos a falar de uma pessoa especial. Todos nós somos únicos mas há pessoas na vida a quem o destino exige mais, exige que não tenham uma vida normal, que tenham uma responsabilidade acima da média e essas pessoas especiais surgem de

vez em quando». Para a edil, Manuel Varges é uma dessas pessoas especiais e com um percurso singular, vindo de uma família numerosa (10 irmãos) da Beira para Lisboa, com apenas 16 anos, tendo trabalhado de dia e estudado de noite. Susana Amador contou um pouco a vida do «Homem, trabalhador estudante, do homem político e do homem cidadão». Emocionado Manuel Varges dirigiuse aos presentes classificando-os de «Meus queridos amigos, que é isso que eu sinto e é isso que os vossos rostos me transmitem». Reconhecendo que a sua vida não foi fácil, Manuel Varges lembrou a sua chegada a Lisboa onde encontrou no liceu os filhos de figuras do regime que sem estudar e sem fazer exames tinham boas notas. «Mas o Manuel Varges era filho de um trolha humilde mas que achava que tinha direito à sua janela de oportunidades». O ex-presidente do município referiu ainda as dificuldades e o esforço para a instalação do concelho, onde nem uma sala para trabalhar existia e sublinhou o trabalho colectivo da Comissão Instaladora.

Discursos completos na NO TV

POLITÍCA

JSD em acção solidária

N

o âmbito do seu projecto Juventude Solidária, a JSD de Odivelas «Tem procurado, em várias alturas do ano, chegar a várias faixas da população odivelense mais carenciada, seja de forma directa, seja através da ajuda a Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS)» lê-se em nota de imprensa desta juventude partidária que dá conta de mais acções levadas a cabo em Dezembro. No dia 11 de Dezembro, a JSD

Odivelas visitou, a Obra do Padre Abel, na freguesia de Caneças onde entregou duas caixas de roupas e uma caixa de livros, tendo ainda visitado a instituição e realizado actividades com as crianças. O Centro Paroquial da Póvoa de Santo Adrião, que presta apoio a famílias carenciadas das freguesias da Póvoa e Olival Basto, também foi visitado pela JSD que entregou à instituição quatro caixas de roupa, que será posteriormente dividida e entre-

Fotografia: JSD/Odivelas

Jantar de Natal da Sectorial do PS da Carris No dia 10 de Dezembro, a Secção Sectorial da Carris do Partido Socialista realizou o seu tradicional jantar de Natal num restaurante de Odivelas evento que contou com a presença de 84 militantes daquela estrutura partidária assim como de vários convidados. Na mesa de honra estiveram Marcos Perestrelo, presidente da FAUL; Miguel Coelho; responsável pelas secções sectoriais; Marcos Sá, deputado e líder da Comissão Política Concelhia de Oeiras; António Pereira, coordenador da Secção da Carris, Carlos Peixoto, da Secção da Carris; Isabel Cabaço e Joaquim Zeferino, da Administração da Carris, Nuno Gaudêncio, coordenador da Secção Residencial de Odivelas; Pedro Farmhouse, presidente da Assembleia Municipal e Loures e Sérgio Paiva, presidente da Assembleia Municipal de Odivelas.

POLÍTICA

Fotografia: Henrique Ribeiro

PODER LOCAL DIRECTAS

> Levar alegria ás IPSS’s

gue à população pela equipa de apoio social do Centro. Para 21 de Dezembro, estão previstas visitas a mais quatro IPSS’s nas freguesias da Ramada, Famões, Pontinha e Odivelas, onde também serão entregues bens referenciados como necessá-

rios por essas instituições. Na nota de imprensa a JSD «Congratula-se por estar a levar este seu projecto de solidariedade social a todas as freguesias do Concelho, abrangendo, assim, mais população odivelense com necessidades». HR


17 Dezembro 2010

DIRECTAS

ASSOCIATIVISMO

Natal no Metro No âmbito de uma parceria entre a Junta de Freguesia de Odivelas, a Sociedade Musical Odivelense e o Metropolitano de Lisboa realizou-se nas estações do Metro do Senhor Roubado e de Odivelas a iniciativa Natal no Metro que constou de actuações do coro da SMO nas duas estações que servem a freguesia de Odivelas. Os espectáculos decorreram ao fim da tarde nos dias 13, 15 de 16 de Dezembro.

No Domingo, o Clube Académico da Póvoa (CAP) realizou o seu almoço de Natal que contou com a presença de cerca de oito dezenas de pessoas, entre associados, familiares e convidados, decorreu num ambiente de grande convívio e de festa.

E

Estes convívios à volta da mesa são comuns no CAP assim como o almoço de natal. A novidade deste ano foi a sua abertura à comunidade com a presença da comunicação social e de dez famílias da Póvoa indicadas pelo Fundo de Apoio às Famílias Necessitadas da Paróquia da Póvoa de Santo Adrião, a pedido do clube, num gesto solidário muito apreciado e que revela a postura desde clube. A Câmara Municipal esteve representada pelo vereador do Desporto Hugo Martins e Rogério

Breia, presidente da junta, representou a autarquia da freguesia. Uma canja com sabores de outros tempos, um prato de carne e o tradicional bacalhau servido de forma diferente, desfiado, com legumes e puré de grão, revelaram a imaginação e talento culinário de Chefe Vítor Henriques e dos seus ajudantes e as sobremesas variadas foram confeccionadas por várias associadas ou familiares. A comida chegou à mesa pelo incansável grupo de associadas que zelaram sempre para que nada faltasse. O ambiente foi o de uma verdadeira festa de natal em família e, o CAP, segundo os seus dirigentes, é mesmo um clube muito familiar. Com mais de quatro centenas de sócios, o Clube Académico da Póvoa foi fundado a 07 de Fevereiro de 1981, celebrando no próximo ano o seu 30º aniversário que o clube vai comemorar com um conjunto de iniciativas, que começaram neste almoço de Natal e irão acabar em Maio com a realização do 5º Concurso Anual de Pesca Desportiva. Pelo que irão ter lugar «Três ou quatro iniciativas públicas que em breve divulgaremos» e os tradicionais torneios internos de sueca, ma-

> A solidariedade também esteve presente no almoço do CAP

traquilhos e ténis de mesa, explicounos Barão das Neves nomeado pela direcção para coordenar os festejos do 30º aniversário. Uma equipa de futebol sénior a militar há 25 anos nas competições da Fundação Inatel e uma equipa de veteranos que participa regularmente em torneios um pouco por todo o país, para além do convívio diário na sede são as actividades principais do CAP. Uma tertúlia que começa no campo de futebol e acaba na mesa do restaurante junta todas as sextas-feiras os veteranos do CAP.

Nos discursos de final de almoço Barão das Neves agradeceu a presença de todos os participantes sublinhado o agradecimento para todos os que com o seu trabalho voluntário contribuíram para o êxito do evento, Rogério Breia felicitou o clube por toda a sua actividade e manifestou a disponibilidade da colaboração da junta na medida do possível e Hugo Martins referiu a importância do movimento associativo e do CAP em particular e manifestou o seu agrado de estar presente neste evento de um clube da sua terra.

ASSOCIATIVISMO

Natal do Cantinho do Idoso

T

odos os anos a Associação O Cantinho do Idoso, na Pontinha, promove o seu almoço de Natal que conta com a presença de um elevado número de associados e de vários convidados. O almoço deste ano teve lugar a 11 de Dezembro, na Quinta do Bretão, em Caneças e contou com a presença da presidente da Câmara de Odivelas, Susana Amador. Para além da edil estiveram presentes a vereadora da Saúde, Sandra Pereira; o presidente da Junta de Freguesia da Pontinha, José Guerreiro e os seus vogais Maria Leite e Rui Teixeira. Na mesa de honra do evento estiveram

também Armando Pereira, presidente do Cantinho do Idoso; o seu vice-presidente Joaquim Firmino e tesoureiro Fernando Rodrigues, bem como o presidente da Assembleia-geral, Rafael Silva e presidente do Concelho Fiscal Jorge Ventura. Armando Pereira manifestou o seu agrado «Pela elevada adesão a este almoço, que é um sinal da confiança que têm em nós e no programa de acção desenvolvido por esta direcção. Esta iniciativa é resultado do empenhamento de todos os órgãos sociais». O presidente do Cantinho do Idoso agradeceu à Câmara de Odivelas «O apoio que nos tem concedido», em várias áreas e referiu que no próximo ano vai iniciar-se o programa de ini-

ciação à informática. Armando Pereira sublinhou que «Para além da gestão corrente esta direcção tudo tem feito para o engrandecimento do centro de dia». Rafael Silva, presidente da Mesa da Assembleia-geral sublinhou que «É bom sentir esta união de sentimentos, solidariedade social e esperança de uma vida mais suave e digna no futuro». A vereadora Sandra Pereira referiu a colaboração da Câmara com o Cantinho do Idoso na disponibilização de um técnico para as consultas de acompanhamento fármaco terapêutico. José Guerreiro, elogiou «Este tipo de iniciativas que unem as pessoas e permitem o que há de melhor no mundo que é a convivência e a amizade que

está dentro de nós todos». Susana Amador referiu que apesar de uma agenda muito preenchida nesse dia e de ter chegado mais tarde por ter vindo de outra iniciativa «O meu coração estava a dizer-me que tinha de vir aqui para vos dar um abraço». A edil sublinhou «O carinho e admiração que tenho por todos aqueles que dão o seu tempo, a sua vontade a este Centro de Dia, que são pessoas incansáveis com quem o município gosta de trabalhar». Seguiu-se a actuação do Grupo Coral, demonstração de danças de salão pelos alunos do professor José Henriques e um animado baile.

Fotografia: Henrique Ribeiro

Natal nos Académicos da Póvoa Henrique Ribeiro henrique_ribeiro@simpruspress.pt

Nova Odivelas 5

Encontro de Coros No dia 05 de Dezembro, teve lugar na Igreja Matriz de Odivelas um encontro de coros promovido em parceira pela Junta de Freguesia de Odivelas, Paróquia de Odivelas, Sociedade Musical Odivelense e Instituto de Emprego e Formação Profissional. O evento contou com a participação dos coros Vozes de África, da Igreja Paroquial de Odivelas; Grupo Coral Maria Gomes, da SMO e o Coro do IEFP. Campanha Faça Alguém Sorrir Mais uma vez a Câmara Municipal de Odivelas promoveu a Campanha Faça Alguém Sorrir que de 01 a 15 de Dezembro, no Odivelas Parque recolheu bens e produtos destinados a crianças das várias instituições de solidariedade do concelho. CD’s, DVD’s, jogos, cadeiras, berços, camas, carros de passeio, fraldas, toalhetes, e cremes hidratantes foram alguns dos produtos recolhidos que vão agora ser entregues a algumas instituições que desenvolvem trabalho social junto de bairros e zonas mais carenciadas do Concelho como a Associação Comunidade Lusófona, do (Vale do Forno; Contrato Local de Desenvolvimento Social para a Vertente Sul; Associação RUTE, da Serra da Luz e Urmeira; PROSALIS, da Urmeira; Centro Social da Póvoa de Santo Adrião; Fundo de Apoio às Famílias Necessitadas do Barruncho; Instituto de Apoio a Criança, Arroja; Távola Redonda, Caneças; Centro Infantil de Odivelas, e Centro Cristão Semente Viva, Odivelas. PUB


6

Nova Odivelas

17 Dezembro

97

Universidade Sénior

Dualidades

Mundo das Tropelias

Endividamento da autarquia

Nem orgulhosamente sós nem acompanhados mas humilhados

As visitas de estudo do jardim-de-infância

G

erir melhor o dinheiro dos contribuintes seria bom para o concelho e os munícipes. Até o cidadão menos atento se apercebe que o Concelho de Odivelas se tem desenvolvido muito nos últimos anos. Cresceu, e continua a crescer, não esquecendo as condições necessárias para que todos que procuram esta cidade para viver se sintam bem. Pode-se considerar um concelho seguro e agradável para se viver. Com excelentes acessibilidades, torna-se assim um dos melhores da grande Lisboa. Sempre em obras, porque a isso é obrigado por ser um concelho novo, e com muitos habitantes, embelezando e facilitando a movimentação a todos que nele se encontram a residir. Aos visitantes temos para lhes oferecer bonitos jardins sem sombra, bons e modernos parques infantis sem sombra, um moderníssimo pavilhão multiusos sem parque de estacionamento, o Metro à porta, um belíssimo parque de estacionamento subterrâneo com dois pisos mas sempre vazio, e muitas mais coisas que outros concelhos gostariam de ter e não têm. Também temos obras que faz-se uma vez e depois tem que se desfazer para fazer novamente. Só a Câmara saberá porquê? Refiro-me às obras que estão em curso na rotunda da água na Av. Abreu Lopes, e mais acima no parque de estacionamento para os moradores daquela praceta. Estas já tinham sido feitas há uns meses atrás. Certamente qualquer coisa correu mal. Seria de bom senso não desperdiçar o dinheiro de todos nós, e fazer as coisas bem feitas a primeira vez, tendo a Autarquia tantos técnicos ao seu dispor. António Evaristo

1ª Convenção Nacional do Condutor Sénior

A

Realizou-se no passado dia 29 de Novembro a 1ª Convenção Nacional do Condutor Sénior, na Universidade Lusíada na Rua da Junqueira em Lisboa.

Foi uma iniciativa promovida pela Associação Zona Segura, com a colaboração da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, do Instituto de Seguros de Portugal e do Ministério da Administração Interna. Teve como principal objectivo, dar a conhecer aos condutores seniores (com 60 anos ou mais), oa vários dificuldades que lhes vão surgindo com o decorrer dos anos, assim como as diversas formas de os contornar ou melhorar bem como as adaptações possíveis para uma condução segura. Estiveram presentes alguns especialistas médicos, como João Martins Correia, cardiologia; Fernanda Querido, oftalmologia e Sandra Oliveira, psicologia. No foyer do anfiteatro decorriam em simultâneo, rastreios de Audição e de Visão e alguns passatempos, como o jogo das rifas, onde eram tirados papelinhos dobrados em forma de rifa e que continham perguntas acerca do Código da Estrada. De salientar que, apesar das condições climatéricas pouco convidativas, compareceram em grande número os seniores condutores, dos quais grande percentagem bem acima dos 60 anos motivados pela consciência das suas limitações ou por necessidade de actualizarem os seus conhecimentos. Estão de Parabéns os mentores deste evento.

Fátima Dias

Trabalhos produzidos no âmbito dos exercícios da oficina de jornalismo

Fernando Tudela

uma vergonha haver portugueses a passar fome, muitos, talvez os números apontados estejam muito aquém da verdadeira realidade. Ninguém pode ficar de fora, nesta tragédia fabricada por interesses escondidos e que fazem parte dos condimentos necessários à sobrevivência de um sistema, que, por conveniências várias e falta de vontade de mudar, mantém cenários como aquele que se vive no nosso País e não só. O candidato à reeleição presidencial, Cavaco Silva, disse publicamente que termos de nos envergonhar por aquilo que os portugueses estão a passar. Concordo inteiramente, mas não consegui entender se o desabafo foi feito pelo antigo primeiro-ministro, pelo agora Presidente da República ou pelo cidadão, curiosamente em tempo de pré-campanha eleitoral. Seja em qual for a condição em que ele foi feito, o estado em que se encontra o País é de nos envergonhar a todos, enquanto portugueses numa Pátria com nove séculos de existência. Mas o sentimento, em si só, pouco significa se não procurarmos as razões para que chegássemos a este ponto e, quem esteve no Poder, deveria, por imperativo de consciência, explicar aquilo que foi feito, sob pena de, parafraseando a canção de Pedro Abrunhosa, ser o Povo, finalmente desperto da sua aparente letargia e farto de humilhações, a fazer aquilo que não foi feito. Afinal, ao que parece, a CEE, hoje UE, com os seus evolutivos tratados, onde se inclui o de Lisboa - o do brilhante, porreiro, pá! -, está a levar-nos, por arrastamento, a essa corrente assente numa utopia que nos tem comandado desde Bruxelas, fazendo do patriotismo e da Pátria uma espécie de pau para toda a obra, termos estes utilizados, somente, quando é preciso salvar sistemas que defendam o Poder económico e seus agentes, burocratas feitos políticos e políticos transformados em burocratas, salvaguardando a bonomia de alguns bem intencionados, que sonharam com a utopia de uma Europa capitalista sem fronteiras, muitas vezes no pensamento de um projecto social europeu, que, agora, é posto em causa. A União Europeia e o Euro como moeda única, são dois moribundos a quem se ligou uma máquina de respiração assistida e que está a custar aos portugueses e aos outros povos nelas incluídos, a fome, o desemprego, a miséria, a recessão, e a desagregação social…. E ninguém pense, que países como a Grécia, Irlanda, Portugal e Espanha são os causadores de um estado de coisas que se irá espalhar, apesar dos esforços da senhora Merkel para salvar o que mais cedo ou mais tarde ruirá. É que os alemães estão já saudosos do seu velho marco e isso está a valer à chanceler o ter de usar, para consumo interno, um discurso cada vez mais nacionalista. Sair do Euro não custará mais aos portugueses que aquilo por que agora passam e, sem qualquer problema, direi que não desejo e repudio um salazarento Portugal orgulhosamente só, mas também não admito um Portugal acompanhado e humilhado, sob a panaceia de uma liberdade mitigada, de uma democracia travestida e de um sistema onde a saúde (SNS) e a educação são postas em causa por falta de dinheiro, quando ele existe, na realidade. Os off shores, as fugas ao fisco, uma Justiça sem norte, a corrupção, a insegurança, as famílias que se desagregam, o desemprego e o desespero e gente negligente e inconsciente a contar que aqueles que criam verdadeiramente a riqueza, quem vende a sua força de trabalho, produzindo as mais-valias, tudo paga e até, como resposta há fome dos portugueses, os que nos têm governado e só eles, ainda vêm apelar à solidariedade. É tempo de dizer bata! De acordar desta letargia e avançarmos por outros caminhos, pois para este peditório político, já o nosso Povo está farto de dar!

É

As Visitas de Estudo são uma das estratégias que mais estimula as crianças dado o carácter motivador que constitui a saída do espaço escolar. A componente lúdica que envolve, bem como a relação educador/criança que propicia, leva a que estes se empenhem na sua realização. Contudo, as visitas de estudo são mais do que um passeio. Proporcionam sempre actividades/situações de aprendizagem que favorecem a aquisição de conhecimentos e facilitam a sociabilidade. As novas metodologias de ensino – aprendizagem tem como um dos objectivos promover a interligação entre a teoria e a prática e entre a escola e a realidade: todos temos noção de que as crianças desta faixa etária assimilam/desenvolvem o sentido de observação; a linguagem oral e ampliam o seu vocabulário quando saem em Visitas de Estudo. As visitas podem ser utilizadas como forma de motivar e sensibilizar as crianças para a abordagem de um tema, de uma questão ou simplesmente para se divertirem de uma forma lúdico/pedagógica. Há as visitas guiadas, ou dirigidas - por educadores ou por guias, que valorizam, sobretudo a transmissão de conhecimentos. E há as Vvisitas de descoberta, onde as crianças têm um papel activo, e o educador é o orientador. As visitas com a família e as visitas com o jardim-deinfância são diferentes: a ida a um lugar com a Família igual ao que o jardim-de-infância planeou ir, não é motivo de impedimento para não ir novamente, pois o contexto é totalmente distinto e o resultado destas duas experiências é muito diferente, em relação á aprendizagem cognitiva e na dinâmica de grupo (companhia pelos pares). Todos nós queremos o melhor para as nossas crianças. Por isso, vamos proporcionar às nossas crianças, o máximo de visitas possíveis. Pensem nas alternativas (que eu vos sugiro) que poderão facilitar e ajudar, para que os vossos filhos consigam ir a todas as Visitas… O ritmo das nossas vidas actualmente, não permite tempo disponível para poder proporcionar às crianças estas actividades de desenvolvimento global em grupo. Neste caso, há o jardim-de-infância que ajuda a colmatar a lacuna da Família. O preço das Visitas de Estudo é tão fácil de obter… Por exemplo: não tomar o pequeno-almoço um dia da semana no Café/Pastelaria e tomá-lo em casa (aqui damos uma sugestão de economizar e proporcionar uma ajuda a custear a visita). E atenção pais, as crianças sabem quando nós não dizemos a verdade: «Esquecemos da visita, filha! Deixa lá, vais para a próxima» ”. Ou «Já lá foste, já viste, …» Nós somos os seus modelos, não esqueçamos disso. Lurdes Fernandes PUBLIRREPORTAGEM


17 Dezembro 2010

Nova Odivelas 7 PUB

PUB


8

Nova Odivelas

17 Dezembro

ACTUALIDADE SEGURANÇA SOCIAL

Lar de Idosos e Centro Infan Henrique Ribeiro henrique_ribeiro@simpruspress.pt

Em Janeiro do próximo ano para dar cumprimento do Decreto-lei 487/2010, todos os equipamentos para crianças e idosos tutelados pelo Instituto de Solidariedade Social, vão ser entregues à gestão da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, medida que abrange, em Odivelas, o Centro Infantil e o Lar de Idosos.

A

Joaquim Lourenço está há alguns anos ligado ao Lar de Idosos de Odivelas. Na sua qualidade de cidadão residente no concelho e conhecedor da realidade deste equipamento, falou-nos de algumas dúvidas que esta situação lhe coloca. A aguardar publicação, que terá de ser em breve, este Decreto-lei define que os estabelecimentos integrados do Centro Distrital de Lisboa do Instituto da Segurança Social (ISS), vai transitar, por um período experimental de três anos, para a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML). Findos estes três anos a documento admite a possibilidade da passagem ser definitiva com e alargada também às próprias instalações que passarão a ser propriedade da SCML. No que aos funcionários diz res-

PUB

peito o documento diz que os funcionários mantêm as mesmas características e não perdem regalias relativamente à Administração Pública, continuando Trabalhadores com Contrato de Trabalho em Funções Públicas. No entanto, para Joaquim Lourenço persiste a dúvida do que acontecerá aos funcionários após os três anos de transição com a passagem definitiva. Embora saiba que o Decretolei possa em qualquer altura ser alterado, as disposições actuais «Trazem coisas estranhas, no que concerne, por exemplo, às instalações onde esses equipamentos funcionam, que no caso da passagem definitiva serão entregues à Santa Casa sem que esta instituição seja onerada, ou seja, serão oferecidos». Relativamente ao Lar de Odivelas, Joaquim Lourenço teme que esta transição possa provocar algumas situações de atraso em alguns projectos referindo especificamente a colocação de uma escada de incêndio e beneficiações de adaptação às necessidades actuais e às obrigações legais que «Trariam mais segurança e seriam uma solução eficaz estando já os projectos aprovados pela Câmara Municipal e pela Autoridade Nacional de Protecção Civil». Todos os projectos existentes vão transitar do Gabinete de Apoio Técnico do Instituto

de Segurança Social para Santa Casa da Misericórdia de Lisboa «Mas tenho dúvidas que neste período transitório que a SCML, como se diz em bom português, vá fazer filhos em mulheres alheias e portanto estes projectos serão congelados durante três anos». Se assim acontecer, a situação será preocupante no Lar de Odivelas, «Que funciona quase como uma unidade de cuidados continuados dando muito apoio a pessoas com muitas dependências» e manter o equipamento mais três anos sem escada de incêndios «Pode ser um pouco irresponsável». Para Joaquim Lourenço faz sentido esta transição e a sua contestação não tem a ver com o acto em si. «Desde que se trabalhe bem não há qualquer problema» embora considere que com esta passagem «O Estado está a livrar-se de uma responsabilidade social que tem e a breve trecho não terá muita coerência a existência da Segu-

rança Social e faz-se como os americanos que têm os seguros de saúde». Joaquim Lourenço contesta o facto de a entrega ser aleatória. Deu o exemplo de um equipamento entregue à Associação Luís Pereira da Mota, em Loures, «Que está aparentemente muito bem gerido e é um caso de sucesso» e Mansão de Marvila, que foi entregue à Fundação D. Pedro IV e «Tenho ouvido histórias perfeitamente rocambolescas daquele equipamento e o ISS não tem capacidade para resolver aquele problema porque o contrato foi feito por dez anos com condições que até eu ficava com o equipamento sozinho e quase de certeza que me ia dar lucro». Joaquim Lourenço ouviu familiares de utentes desses estabelecimentos contar que «Os idosos estão a comer a sopa e há pedaços de tecto a cair no prato». Para Joaquim Lourenço a transição devia ser feita com cuidado

e escolher instituições com alguma experiência e conhecimento da área e não entregar todos à mesma instituição como acontece agora que são 27 estabelecimentos entregues de uma vez a uma instituição. «A Segurança Social vai dar de mão beijada à primeira instituição que lhe aparece, a sua propriedade, que é nossa também, e que vale milhões de euros. Uma vez mais continuamos a despejar dinheiro e a Santa Casa se calhar daqui a três anos vai receber milhões de euros em património». Embora sem pôr em causa a competência da SCML para gerir estes equipamentos, Joaquim Lourenço considera que «A Santa Casa domina muito bem a área de Lisboa. Tenho dúvida que domine sem grandes problemas o concelho de Odivelas e os outros concelhos do distrito onde vão ficar com equipamentos». Por isso, defende que os equipamentos deveriam ser entregues a instituições locais e que, no caso de Odivelas, há instituições que já provaram ter vocação e competência para os gerir, mas sempre com os processos muito bem acompanhados. «O ISS tem vindo a ouvir os directores dos equipamentos e tem vindo a corrigir algumas asneiras que foram feitas» afirmou Joaquim Lourenço que, no entanto continua a ter dúvidas em algumas disposições do projecto final do Decreto-lei, como seja a passagem a 01 de Janeiro. «Não acredito que seja possível transferir milhares de idosos e mais de 1.000 funcionários ao mesmo


17 Dezembro 2010

Nova Odivelas 9

ntil mudam de tutela tempo». O nosso entrevistado acredita que «Se o bom senso imperar e forem ouvidas as pessoas directamente envolvidas e que conhecem na prática a forma como as instituições funcionam» não vai haver muitos sobressaltos nos serviços pelos equipamentos que vão ser transferidos. Mas, há situações que podem vir a ser complicadas, considerou Joaquim Lourenço. No Lar de Odivelas há idosos a pagar mensalidades 5 euros pelo apoio domiciliário e no internamento há idosos a pagar 50 euros mês, valores que nem chegam para as fraldas. «Tenho sérias dúvidas que uma instituição a gerir estes equipamentos não vá, na altura das admissões, considerar como factor de preferência a capacidade que as pessoas têm em pagar comparticipações». Joaquim Lourenço citou uma frase de um director de um estabelecimento da Segurança Social que no seu entender é elucidativa: «A Santa Casa faz uma gestão cuidada, muito inteligente e muito proveitosa». Susana Amador concorda com a transferência Quisemos também saber a posição da Câmara Municipal de Odivelas sobre esta transferência da tutela dos equipamentos. A presidente Susana Amador disse-nos que «Vejo com muito bons olhos porque conheço muito bem, e por dentro, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, não só porque trabalhei com eles directamente quando estava nas Nações Unidas, no

Centro Português para os Refugiados, sei as assistentes sociais de qualidade que tem, os recursos humanos que tem, os projectos inovadores que tem, foi pioneira na luta contra a sida com a sua Casa Amarela». Também do ponto de vista financeiro «É uma instituição com grande estabilidade» que permite não haver riscos nesta passagem. «O pessoal transita e mantém a sua estabilidade de emprego, pessoal novo que venha é contratado ao abrigo dos Estatutos da SCML. Devo dizer que a Segurança Social neste momento, em termos de recursos humanos está a atravessar um momento

difícil e que não me parece que seja alterável num período curto de tempo. As pessoas reformamse, não entra ninguém e assistese por todo o país haver quartos vagos nos lares e salas vagas na infância sem haver técnicos para cuidar dos utentes. O congelamento na função pública poderia pôr em causa e levar à degradação dos serviços da Segurança Social que se iria fazer sentir nos nossos organismos, não no sentido da qualidade do serviço que prestavam mas no sentido de terem espaços que não estavam potenciados». A presidente do município considera que «O concelho vai ga-

O Lar de Odivelas Este equipamento pertença do instituto de Segurança Social tem 75 idosos em regime de internamento, Centro de Dia com capacidade para 20 utentes, Apoio Domiciliário a 70 idosos, Apoio de Emergência Social e o convívio que tem para 243 inscritos e é regularmente frequentado por 200 pessoas. No total são mais de 400 idosos envolvidos nos serviços prestados pelo Lar de Odivelas da Segurança Social. No Apoio de Emergência Social a instituição responde a pedidos de ajuda que cheguem através dos serviços de Emergência Social da Loja do Cidadão, e que consistem no apoio a higiene pessoal, tratamento de roupa e alimentação. Se necessário é também prestado acompanhamento psicossocial pela psicóloga do Lar. Na área da Emergência Social ainda há ajudas técnicas, como a cedência de camas articuladas, colchões anti-escaras e cadeiras de rodas. Joaquim Lourenço defende que este tipo de ajudas «É muito importante porque por vezes as famílias têm de transferir os idosos para lares com fins lucrativos porque não têm capacidade para dar resposta a este material específico» e com este apoio já se torna possível.

nhar com esta mudança porque a misericórdia vai injectar novos recursos humanos, vai potenciar os espaços existentes e vai ter pessoas com tanta qualidade ou mais que tem a Segurança Social». Quanto ao facto de ser uma instituição de fora e não serem IPSS’s do concelho a tomar conta dos equipamentos que estão em Odivelas, Susana Amador pensa que «A SCML tem uma auto-suficiência, uma robustez financeira e uma qualidade técnica que nos deixa tranquilos. Até mesmo para os funcionários e a sua estabilidade profissional e emocional, sentirem que vão fazer parte da Santa Casa da Misericórdia é mais tranquilo do que ir para uma IPSS, que como sabemos atravessam momentos muito difíceis. Há IPSS’s que estão a perder pessoas, que não conseguem manter». Segundo o Decreto-lei ao fim de três anos as instituições podem passar definitivamente para a Santa Casa com a propriedade das respectivas instalações. No

caso do Centro Infantil as instalações são propriedade do município de Odivelas. Como reage a Câmara a isto? «A Câmara tem de ter uma palavra a dar. Ainda não fomos ouvidos mas seguramente que vamos ter de ser. O património é do município e isso seria um enriquecimento ilegítimo por parte do Estado e não o pode fazer. O Estado não pode dar o património que é nosso. Ou o município vende o património e pode fazê-lo com todo o gosto porque precisa de receita ou encontra outra solução financeira. O princípio da onerosidade vale para ambos os lados. Se o Estado quer que paguemos os terrenos do Governo Civil o princípio tem de ser bilateral, de cá para lá e de lá para cá». Em próxima edição falaremos mais desenvolvidamente do Centro Infantil de Odivelas.

ENTREVISTAS COMPLETAS NA NO TV

PUB


10 PUB

PUB

Nova Odivelas

17 Dezembro


17 Dezembro 2010

Nova Odivelas 11

DESPORTIVAMENTE FUTSAL

AGENDA

Segunda parte demolidora do Bons Dias FICHA DE JOGO COMPETIÇÃO: Campeonato Distrital, juvenis, 2ª Divisão – Futsal PAVILHÃO: Escola Secundária da Ramada ESPECTADORES: 70 ÁRBITRO: Luís Filipe Reizinho RESULTADO AO INTERVALO: 2-2 RESULTADO FINAL: Bons Dias 8 – Silveirenses 3

E

m jogo a contar para a 8ª jornada do Campeonato Distrital de Juvenis da 2ª divisão, defrontaram-se no pavilhão da Escola Secundária da Ramada as equipas dos Bons Dias e dos Silveirenses. Com uma primeira parte equilibrada a equipa dos Silveirenses conseguiu contrariar a maior posse de bola dos visitados através de uma forte concentração defensiva permitindo-lhe sair em rápidos contra ataques que fizeram moça nas hostes

ramadenses como demonstra o empate a duas bolas ao intervalo. A parte complementar trouxe um Bons Dias bem mais objectivo a praticar um futsal dinâmico, com trocas rápidas de bola entre os seus atletas conseguindo criar situações de ruptura nas linhas defensivas dos Silveirenses e melhorando substancialmente os níveis de finalização. Resultado prático disso são os 6 golos obtidos pelos ramadenses, alguns de belo efeito

com jogadas ao 1º toque e finalização ao 2º poste, não dando qualquer hipótese aos adversários que não conseguiram manter o mesmo nível evidenciado na parte inicial do jogo. O melhor que a equipa de Casal da Silveira fez nesta segunda parte foi marcar o último golo do jogo colocando o resultado final nos esclarecedores 8-3 favoráveis ao Bons Dias. Apesar do jeito muito peculiar a arbitragem de Luís Filipe Reizinho foi positiva. David Braga

HÓQUEI EM PATINS

Vitória sofrida do GCO

N

a 10ª jornada do Campeonato Nacional de Hóquei Patins da 3ª Divisão, Zona Centro, que se disputou no passado fim-de-semana, o Ginásio Clube de Odivelas recebeu um forte adversário que ocupava o topo da tabela classificativa com FUTSAL oito vitórias e apenas uma derrota o que poderia perspectivar um jogo desequilibrado. Mas não foi assim e a Associação Cultural

e Recreativa de Santa Cita acabou por levar de Odivelas a sua segunda derrota nesta época. Foram os visitantes a dominar o início do jogo e os primeiros a marcar o golo que teve o efeito de galvanizar os da casa que passaram dominar a partida atacando a baliza do adversário que se limitava a rematar de longe enquanto o GCO criava situações de perigo para o

FUTEBOL

guarda-redes com jogadas rápidas de contra ataque e movimentações que deixavam a defesa adversária completamente baralhada e que levou a uma inversão do marcador com o GCO a partir para os balneários a ganhar por 2-1. O segundo tempo começa com o GCO a dominar o jogo com o adversário a não encontrar soluções para furar a defesa dos odivelenses, apesar de conseguir

marcar mais três golos mas não abrandando o ímpeto do GCO que viria a marcar mais golos chegando ao apito final a vencer por 5-4. O próximo jogo tem lugar a 08 de Janeiro, com o Ginásio Clube de Odivelas a defrontar a Associação Académica de Coimbra. O jogo pode ser visto na íntegra na GCO TV que o transmitiu em directo. David Braga

PATINAGEM ARTÍSTICA

Sporting vence em Odivelas Festa de Natal no GCO

E

m mais uma jornada da Divisão de Honra de Juvenis da Associação de Futebol de Lisboa, o Odivelas Futebol Clube recebeu o Sporting Clube de Portugal numa manhã fria para um jogo que gerou alguma expectativa em resultado da luta dos odivelenses pela subida ao Campeonato Nacional. O Odivelas entrou no jogo com vontade de resolver o jogo a seu favor, mas por má finalização ou pela boa exibição do guarda-redes do Sporting não conseguiu marcar e foram os visitantes que na transformação

de um livre inauguraram o marcador quase no final da primeira parte. No segundo tempo o Odivelas a melhor equipa no terreno tudo fez para alterar o marcador, mas continuou sem o conseguir e a poucos minutos do fim o Sporting marcou mais dois golos. Resultado injusto para a equipa da casa pelo futebol que praticou. Alguns dos espectadores consideram má a arbitragem alegando faltas na área do Sporting que não foram assinaladas. António Mota

A Secção de Patinagem Artística do Ginásio Clube de Odivelas esta Sexta-feira teve a sua Festa de Natal que decorrerá no Pavilhão Municipal de Odivelas a partir das 20h00, com um sarau que mostrará as actividades da secção. Do programa fazem parte: Iniciação I - “Caixa de Brinquedos”; Individual - Mariana Mateus; Individual - Ana Rita

Barros; Iniciação II - “Don´t Stop Believing”; Individual Mariana Almeida; Individual Lara Alves; Individual - Susana Lourenço; Pré -Competição “Lord of Dance”; Individual Gabriela Oliveira; Individual Cátia Silva; Competição “Queen” e Escola de Patinagem Artística do G.C.O - “Feliz Natal”.

FIM-DE-SEMANA [18 e 19 DEZ] Sábado ANDEBOL Seniores: Costa D'Oiro ● Gin. Odivelas Infantis: Gin. Sul ● Gin. Odivelas FUTEBOL Juniores: Casa Pia ● CAC Juniores: Caneças ● Alhandra Juniores: Odivelas FC ● Sertanense Juniores: Mafra ● Tenente Valdez Infantis: Belenenses ● CAC Infantis: Alta Lisboa ● Caneças Infantis: Lourinhanense ● Caneças Infantis: CIF ● Odivelas FC Infantis: Odivelas FC B ● Povoense Infantis: Lisboa e Águias ● Santa Maria Infantis: Tenente Valdez ● Povoense FUTSAL Seniores: Famões ● Marista Lisboa Seniores fem.: Os Paulenses ● Caneças Juniores: ACO ● Bons Dias Juniores: Arroja ● Fonsecas e Calçada Juniores: Vilafranquense ● GROB Juvenis: ACO ● Sassoeiros Iniciados: Valejas ● ACO Iniciados: Bons Dias ● Patameiras Iniciados: Casal do Rato ● Sassoeiros Infantis: Arroja ● ACO Infantis: SJ Tojal ● Bons Dias Infantis: Brandoa ● Casal Rato Infantis: GROB ● São Brás Infantis: Infantado ● Patameiras Infantis: Monte Maior ● PSAAC Escolas: UDA ● Arroja Escolas: Bons Dias ● Patameiras Escolas: Portela ● GROB Escolas: PSAAC ● SJ Tojal HÓQUEI EM PATINS Seniores: Gin. Odivelas ● Ac. Coimbra Domingo ANDEBOL Juvenis: Bairro Janeiro ● Gin. Odivelas Iniciados: CSJ Brito ● Gin. Odivelas FUTEBOL Seniores: SL Olivais ● CAC Seniores: Peniche ● Odivelas SAD Juvenis: CAC ● Lourel Juvenis: CAC B ● SJ Brito B Juvenis: Mafra ● Caneças Juvenis: Belenenses ● Odivelas FC Iniciados: Lourel ● CAC Iniciados: Sporting C ● CAC B Iniciados: Ponte Frielas ● Caneças Iniciados: Odivelas FC ● Sporting Iniciados: Catujalense ● Odivelas FC B Iniciados: Unidos Lisboa ● Tenente Valdez Iniciados: Tenente Valdez B ● Camarate

RESULTADOS FIM-DE-SEMANA [11 e 12 DEZ] ANDEBOL Seniores: Gin. Odivelas 21 ● 27 Torrense Juvenis: Gin. Odivelas 21 ● 26 Ac. Amadora B Iniciados: Passos Manuel 26 ● 19 Gin. Odivelas Infantis: Gin. Odivelas 16 ● 49 1º Dezembro FUTEBOL Seniores: CAC 4 ● 1 Agualva Seniores: Oeiras 2 ●1 Odivelas SAD Juniores: CAC 2 ● 0 Benfica CB Juniores: Domingos Savio B 1 ● 3 Caneças Juniores: Tomar 1 ● 1 Odivelas FC Juniores: Tenente Valdez 1 ● 0 Ponterrolense Juvenis: Cascais 2 ● 0 CAC Juvenis: Loures 0 ● 1 Caneças Juvenis: Odivelas FC 0 ● 3 Sporting Juvenis: Tenente Valdez 1 ● 2 Mafra

FUTSAL

PSAAC visita Casa do Gaiato O Póvoa de Santo Adrião Atlético Clube vai realizar no próximo Domingo um jogo de convívio no escalão de Benjamins com as crianças da Casa do Gaiato d o To j a l . O e v e n t o d e s p o r tivo será também aprovei-

tado para oferecer à instituição alguns donativos em espécie recolhidos junto de directores, pais de atletas bem como de pessoas que se quiseram associar a esta iniciativa do clube.

FUTSAL Seniores: ACC 5 ● 3 Famões Seniores fem.: Caneças 1 ● 3 Santiago Juniores: ACO 3 ● 2 Portela Juniores: Quinta Pinheiro 1 ● 6 Arroja Juniores: Forte 6 ● 0 Bons Dias Juvenis: Sporting 11 ● 0 ACO Juvenis: Barroense 7 ● 3 Arroja Juvenis: Bons Dias 8 ● 3 Silveirenses HÓQUEI EM PATINS Seniores: Gin. Odivelas 5 ● 4 Santa Cita

Envie-nos as notícias do seu clube desportivamente@novaodivelas.ptt


12

Nova Odivelas

17 Dezembro

EMPREENDEDORES PUBLIRREPORTAGEM

DESPORTIVAMENTE PROGRAMAS NO TV

DIESAUTO

Fotografia: Henrique Ribeiro

Experiência e competência

Desportivamente já arrancou

David Braga

No local de fácil acesso, na estrada Pontinha/Caneças, há um ponto de paragem obrigatório para quem quer uma assistência de qualidade com garantia e responsabilidade nos serviços efectuados. No Casal da Perdigueira está a Diesauto, serviços técnicos especializados em bombas injectoras e turbo compressores, com 19 anos de existência comprovada pelas centenas de clientes satisfeitos. Luís Pires e Jorge Humberto estão no ramo da reparação automóvel há muitos anos sendo profissionais experientes, conhecidos e respeitados. Há 19 anos decidiram criar a sua própria empresa e assim nasceu a Diesauto que est�� agora no concelho de Odivelas, com oficina equipada com o que de melhor e mais moderno existe para diagnóstico e reparação de injectores e bombas de alta pressão Common Rail. Na Diesauto pode reprogramar a centralina da sua viatura conquistando de 10 a 30% de

D

mais potência e obtendo substancial redução no consumo. Para além do serviço de diagnóstico electrónico, limpeza dos sistemas de injecção de gasolina e diesel, a Diesauto tem ainda teste de opacidade (fumos) e testes electrónicos multimarcas. Para além da obtenção de menor consumo e maior potência, um sistema de injecção optimizado e em boas condições de funcionamento é hoje mais do que nunca necessário ao bem colectivo, reduzindo o impacto ambiental provocado pela poluição automóvel. Assim além das vantagens pessoais para o proprietário do veículo existem as vantagens colectivas para todos com um melhor ambiente. A manutenção dos componentes do sistema é fundamental para que tudo funcione em condições assim como é fundamental que seja pessoal especializado e dotado do melhor equipamento de diagnóstico a

mexer na sua viatura. Na Diesauto encontra acima de tudo experiência e competência mas também honestidade no relacionamento com o cliente e uma assistência personalizada para ajudar a resolver da melhor maneira os problemas da sua viatura. Para além do atendimento directo aos seus clientes, a Diesauto dispõe ainda de um serviço de apoio e assistência técnica às oficinas de reparação automóvel que não disponham deste tipo de equipamentos e especialização. Os orçamentos são gratuitos e os sócios da Diesauto recomendam que não tome qualquer decisão para a reparação da sua viatura sem primeiro consultar esta empresa.

DIESAUTO MORADA: Rua da Liberdade, lote 114 Casal da Perdigueira 1675 – 027Pontinha TEL.: 219 810 033 FA X.: 219 810 045 E-MAIL.: diesauto@sapo.pt

Arrancaram esta Terçafeira as gravações do novo programa da NO TV, Desportivamente na Sede do Centro Escolar Republicano Tenente Valdez. endo como objectivo o debate da temática desportiva no concelho, semanalmente o painel residente constituído por Rui Teixeira e José Carlos Pires moderados por David Braga visitarão as sedes dos clubes do município de Odivelas. A abrir o programa Rui Teixeira, presidente do CER Tenente Valdez falou do dia-a-dia do clube a que preside bem como dos projectos futuros de uma instituição que em Fevereiro próximo comemora o seu centenário. Na estreia o Desportivamente teve como convidado especial, o professor Fernando Martins que relatou a sua experiência na organização dos Jogos Desportivos da Cidade de Lisboa que proporcionaram o primeiro contacto com a prática desportiva de variadíssimas modalidades a dezenas de milhares de jovens, alguns deles oriundos de Odivelas. Confrontado se um projecto similar era exequível no nosso concelho Fernando Martins considerou possível desde que enquadrada numa política desportiva bem definida e sempre de acordo com o interesse das

T

colectividades. O painel residente foi também apologista desta situação, nomeadamente nos meses de pré e pós competição, permitindo assim o prolongamento da época desportiva. Esta conversa foi ainda enriquecida pela intervenção do professor Artur Silva um dos obreiros das Seixaliadas, evento desportivo anual do concelho do Seixal. Outro dos temas abordados por Rui Teixeira foi a falta de dirigentes voluntários nas colectividades que empobrecem o movimento associativo. José Carlos Pires a propósito desta problemática referiu ainda o Estatuto

do Dirigente Desportivo que se encontra fechado numa gaveta. Uma questão importante que será alvo de maior atenção num próximo programa. Na próxima edição o Desportivamente visitará a Sede do Clube Académico da Póvoa e contará, para além do painel residente, com a participação do Vereador do Desporto da Câmara Municipal de Odivelas, Hugo Martins, bem como de dirigentes da colectividade que nos recebe na Póvoa de Santo Adrião.


17 Dezembro 2010 PUB

PUB

Nova Odivelas 13 PUB


14 PUB

Nova Odivelas

17 Dezembro


17 Dezembro 2010

Realmente! «Será que o simbolismo do Natal não deveria servir para reflexão daqueles que ao longo do ano permanecem irredutíveis nas suas práticas discriminativas e políticas sectárias e optarem por unir esforços e trabalhar com todos aqueles que estão dispostos a participar e a colaborar num futuro melhor para todos nós?». Vítor Peixoto Facebook «Quando as pessoas não deixam morrer o seu lado de criança e se riem das situações e delas próprias... temos aí o que o Natal nos quer transmitir! A alegria e o bem-estar consigo e com os outros! Isso para mim é que é a verdadeira mensagem do Natal». Madalena Varela Facebook «Tenho grande capacidade para aceitar o erro, para aceitar o engano e para aceitar falhas, sei que só não acontece a quem não tem que executar ou decidir. Aceito tudo isto desde que praticados de forma involuntária e que a seriedade na decisão e/ou na execução não esteja em causa. Mas não tenho capacidade para aceitar a mentira, ainda para mais quando feita de forma compulsiva e por pessoas com responsabilidade, sempre que as conseguir desmascarar, fá-lo-ei».. Xara Brasil Blogue Um Rumo «A espuma do mar, leve, e branca, faz-se e desfaz-se, mas na vida temos que estar acima da espuma dos dias e olhar de forma profunda o mar de decisões na esperança que as marés nos inspirem na arte de governar para o desenvolvimento humano». (...) «Apoiar quem mais precisa: os mais isolados, os nossos idosos, é esse o nosso caminho autárquico. O município de Odivelas foi o primeiro a aderir a este projecto, custeando mensalmente cada idoso apoiado, neste momento são 10 no Olival Basto e na Pontinha, mas serão mais no futuro!» Susana Amador Facebook

~ No b r e s C o n f i s s o e s S

Confesso, sim confesso…

ou uma mulher muito sensível e comovo-me com as pequenas e as grandes coisas e também as assim-assim. Que querem nasci assim e nem me deixaram escolher nem contestar as normas da gestação, como diria o meu boss que tem a mania que é poeta, num dos seus poemas engavetados. Como já é do conhecimento de toda a gente e até do meu pintassilgo com mania de tentilhão, a Assembleia Municipal rejeitou a medalhita de honra para o doutor Manel ex-presidente. Em jeito de desagravo desta grave ofensa política ao primeiro presidente eleito (e quase com maioria absoluta) as quatro juntas de freguesia com carimbo rosa, impulsionadas pelo «Grande amigo António Rodrigues» resolveram fazer uma homenagem «Não política e da sociedade civil» ao «Homem que ficará para sempre na história do concelho». É pá, foi um gesto bonito que até contribuiu para eu ter de retocar a maquilhagem porque até a água com cloreto de sódio saltou do meu coração, procurou as bolsas lacrimais, escorreu pela cara a baixo e borrou-me a pintura toda. É verdade, adorei esta ideia do presidente famoense. Pois, alguém tinha de tentar limpar a nódoa que a Assembleia Municipal deixou em fato tão impoluto. Mas, mesmo no melhor pano a nódoa cai e se esta ideia de homenagear o doutor ex-presidente foi brilhante, o brilho perdeu-se na organização da coisa. Pois é… Estamos em Odivelas, eu sei… Acreditem, sei mesmo. Os jornalistas receberam a informação no dia anterior. Talvez por isso só lá estiveram dois. Depois, a nota dizia 12h00. Um telefona às dez avisou da antecipação para as onze, hora que afinal tinha sido dita a todos os outros menos aos jornalistas. Na boa, cá a Ricardina até sabe que estas coisas acontecem. É natural, como o iogurte. Mas, mais valia que não tivessem feito a correcção. Cerca das 10h45 já estava gente à porta. Às 11h10 chegou o homenageado com certeza já a pensar que vinha atrasado. Mas não… Estamos em Odivelas e portantos, a cerimónia começou às 12h20. Pois, como diria o meu saudoso tio do meio da parte do pai «Em Odivelas a tradição ainda é o que era».

B

om mas ainda muito há a falar deste evento. Ah pois há. Seria natural ver naquela homenagem, que «Não era política» ver pessoas de que fossem do PS mas que tivessem feito parte da vida politica e autárquica do doutor homenageado. A Comissão Instaladora do Município de Odivelas (CIMO) tinha cinco elementos, portantos, quatro pessoas para além do presidente. Carlos Lourenço esteve presente. Francisco Pereira não, assim como

~ Gu ard a R eal ~

Nova Odivelas 15

Maria Ricardina de Marmelo e Sá Viscondessa da Memória confissoes@novaodivelas.pt

Natália Santos embora a doutora seja compreensível não ter estado dado o momento de dor que vivia. Fernando Ferreira, também não. Resta saber se não estiveram por opção própria ou se não foram convidados. Sei que houve pessoas que foram esquecidas pela organização ou o convite extraviou-se porque nada receberam. A primeira vereação municipal tinha quatro socialistas além de Manuel Varges. Estavam lá o Carlos Lourenço e o Carlos Lérias. Sim eu sei que a Graça Peixoto já não é do PS mas também sei que se a tivessem convidado até tinha ido. Dos outros partidos então nem se fala. Foi pena. Mas «A vida é mesmo assim» como dizia um fado que o meu tio Arlindo costumava cantar nos serões da família. Adorei os discursos e fiquei a saber que não é preciso morrer para as pessoas serem boas, que era uma ideia que eu tinha. Podia ser o maior sacana em vida que depois de morto era sempre boa pessoa. É verdade. Em 2005, Manuel Varges não era o bem-amado que é hoje, lembro-me bem de discursos dessa altura. Mas agora, para os oradores, é mesmo o maior do mundo. A política tem mesmo muita piada…

M

udemos de assunto, que o próximo também seria giro se não fosse grave. Na Av. Amália Rodrigues, na Ribeirada um Vidrão, vá-se lá saber porquê, tombou há uma semana e por lá continua, caidinho da silva apesar dos inúmeros protestos, via e-mail, dos moradores para os SMAS. Mas parece que não só o vidrão tem problemas. No mesmo local, há cerca de dois meses que foi retirado o Papelão, vá-se lá saber porquê, e até agora ainda não foi reposto. Claro que os moradores com sentido prático espetam com o papel e cartão nos contentores de resíduos sólidos urbanos e está o caso arrumado. Pois é… Gastam-se milhões a sensibilizar o povinho para a reciclagem e depois, retira-se a possibilidade de o povinho pôr o papelinho no papelão. Ai Portugal, Portugal…

E prontos, não me apetece escrever mais. Vou ler a Confidente de Sá Carneiro. Fiquem bem que eu fico também

~ Flas h d o Re ino ~

SIMPRUS PRESS, COMUNICAÇÃO LDA Av. de Lisboa, 103 B - 2605-002 Casal de Cambra TLF: 219 817 000 FAX: 219 817 009 || NIPC: 509 172 962 || DIRECTORA GERAL: Helena Figueira [helena_figueira@simpruspress.pt] TLM: 925 429 118 || DIRECTOR DE INFORMAÇÃO: Henrique Ribeiro [henrique_ribeiro@simpruspress.pt] TLM: 962 646 230 || DIRECTORA FINANCEIRA: Manuela Escoval || CONTABILIDADE: Adélia Santos [adeliasantos@simpruspress.pt] || PUBLICIDADE: [publicidade@simpruspress.pt] TLM: 966 569 857 NOVA ODIVELAS - Semanário do Concelho de Odivelas Av. de Lisboa, 103 B - 2605-002 Casal de Cambra TLF: 219 817 000 FAX: 219 817 009 || DIRECTOR: Henrique Ribeiro [henrique_ribeiro@simpruspress.pt] || PUBLICIDADE: Helena Martins [publicidade@simpruspress.pt] TLM: 925 429 118 DESIGN: Nuno Silva || COLABORADORES: Eduardo Sousa, Miguel Lopes (Fotografia), Lina Manso, Sérgio Mendonça (Desporto) || COLUNISTAS: Edgar Valles, Fernando Tudela, Helena Jardim, Manuel Varges, Maria Máxima Vaz, Paula Paçó, Sofia Mendes, Teresa Salvado || CORRESPONDENTES: Olival Basto - Sara Sousa; Desporto - David Braga, Pedro Beato, Sandra Braga || REGISTO NO ERC: 123252 || DEPÓSITO LEGAL N.º: 105904/9 || IMPRESSÃO: GRAFEDISPORT Impressão e Artes Gráficas, SA - Rua Consiglieri Pedroso, Casal de Santa Leopoldina Queluz de Baixo || DISTRIBUIÇÃO: Casa-a-casa Distribuidores Lda. || TIRAGEM DESTE NÚMERO: 20 mil exemplares - Interdita a reprodução de textos e imagens sem o devido consentimento. || As crónicas e artigos de opinião ou de leitores são da inteira responsabilidades dos seus autores e podem não corresponder à orientação editorial do jornal.


Nova Odivelas PUB

Informação credível e completa


Nova Odivelas 372