Page 1

PUB

PUB

Sexta-feira,

10 de Setembro de 2010

// Nº

358 Ano XI

www. novaod ive la s. pt

Director: Henrique Ribeiro

| informação regional

OLHARES DE UM VIAJANTE MOSTRA FOTOGRAFIAS DE BRUNO MARTINS JOVEM DE CANEÇAS BRILHA NA MÚSICA

NESTE NÚMERO ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ●

ANA MARIA SANTOS

PARABÉNS FESTAS DE CANEÇAS ANIMAM VILA SALOIA

● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ●

Entre Tanto Horóscopo Duodécimos Posto de Comando Directas Bruno Martins expõe na Ramada Festival da Sopa nas festas de Caneças Directas Outros Quotidianos Ponto e Vírgula Mundo das Tropelias H2OVita Health Club Ana Maria Santos brilha na música Restaurante O Cantinho do Gordo Parque Egas Moniz com preços acessíveis Capoeira: Aulas gratuitas e demonstração no Odivelas Parque Futsal: V Torneio Internacional do Casal do Rato Futebol: Odivelas SAD continua na Taça de Portugal Directas desportivas Miniauto, referência na reparação automóvel Sol e Mar, a maior loja do concelho de Odivelas Restaurante Hacienda D. Luísa Odivelas Life Realmente! Nobres Confissões Guarda Real Flash do Reino Consilcar

2 2 3 3 4 4 5 5 6 6 6 7 8 10 10

11

11

11 11 12 13 14 14 15 15 15 15 16 PUB


2

Nova Odivelas

10 Setembro 2010

Horóscopo

ENTRE TANTO SEXTA 10 DE SETEMBRO

Palavreando O programa da NO TV dedicado aos poetas e à poesia regressa de férias e acontece esta noite com início às 22h00 no Centro de Exposições de Odivelas, no auditório ao ar livre aproveitando as últimas noites de verão. Com a habitual apresentação de Alexandre Oliveira o programa conta com as rodinhas de poesia e está aberto a todos os poetas ou amantes de poesia que queiram participar. Está convidado…

Exposição Cáceres, mi vida Às 17h30 é inaugurada na Biblioteca Municipal D. Dinis a Exposição Cáceres Mi vida, composta por 20 quadros, pinturas e fotografias de diversos autores, representando a sua perspectiva particular sobre diferentes locais da cidade, enriquecidos com textos poéticos em castelhano e português. Patente até 2 de Outubro.

Festival da Sopa Começam hoje os festejos de Caneças que assinalam o 95º aniversário da criação freguesia e o 19º aniversário da elevação a vila e que integram a VIII edição do Festival da Sopa. Às 19h00 será a inauguração oficial das festas com a abertura das Tasquinhas do Festival da Sopa e das bancas do artesanato. Às 21h30 começa um espectáculo de fado com Valentim Matias, em playback instrumental; Teresa Tapadas, com os seus guitarristas e Quim D’ Almeida com o seu elenco. SÁBADO 11 DE SETEMBRO

Festas de Caneças Às 10h30 terá lugar na sala da Sociedade Musical e Desportiva de Caneças a Sessão Solene Comemorativa dos aniversários da freguesia e da vila com intervenções de entidades convidadas e representantes das forças políticas com assento na Assembleia de Freguesia de Caneças. Às 16h00 abrem as Tasquinhas do VIII Festival da Sopa e terá lugar um Festival de Folclore com a participação de: Grupo de Adufeiras da Casa da Idanha-a-Nova, Rancho Folclórico Os Arrozeiros do Sorraia, Rancho Folclórico da Casa de Arcos de Valdevez e Rancho Folclórico Os Saloios de Caneças. 21.30 Horas – Actuação dos Artistas: Patrícia Cruz e do Grupo Sete Saias.

q’Qtem? O Centro Cultural Malaposta apresenta o espectáculo musical com os q’Qtem? O grupo é com-

posto por miG, voz e baixo; André Barbosa, sax; João Carvalho, guitarra; Emanuel Flória, bateria e Hipots, voz. Começa às 22h00 na Sala Café Teatro. Preço único 5 euros. 60’. M/6. DOMINGO 12 DE SETEMBRO

Último dia da festa Terminam hoje as festas de Caneças. Às 16h00 abrem as tasquinhas e o artesanato. Às 16h00 terá lugar um espectáculo infantil com a palhaça Cornetinha. Às 21h00 começa um espectáculo com As Rebeldes e Zé do Pipo. QUARTA 15 DE SETEMBRO

Informalidades Às 22h00 começa no auditório ao ar livre do Centro de Exposições de Odivelas o programa da NO TV, Informalidades, com António Pedro, Graça Peixoto, Miguel Ramos e Xara Brasil. A moderação será de Henrique Ribeiro. O programa é aberto à participação dos webespectadores.

DE 10 A 16 DE SETEM BRO

AGENDA. Mais eventos em www.diariodeodivelas.com

I Encontro Municipal sobre Sexualidade Saudável Até 24 de Setembro estão abertas as inscrições para este encontro que vai ter lugar a 30 de Setembro em Odivelas e que tem por objectivo proporcionar aos técnicos de educação e intervenção social a exercerem funções no Concelho de Odivelas um espaço de reflexão, debate e de aprendizagem sobre as questões relacionadas com a Sexualidade Saudável. Informações pelo telefone 219 346 700.

E AINDA... > Até 20 de Setembro: Exposição de Fotografia de Bruno Martins Olhares de um Viajante, no Centro de Exposições e Atendimento da Junta de Freguesia da Ramada > Até 24 de Setembro: Workshop de Dança no Centro Cultural Malaposta.

OUTROS DIAS

Oito na Malaposta A Escola Superior de Imagem e Comunicação apresenta no Centro Cultural Malaposta, de 15 a 24 de Setembro, a peça de teatro Oito, a partir de O Amante, de Harold Pinter. Trata-se de um exercício final de Licenciatura de Artes Performativas desta escola.

Cinema Português As Tardes de Cinema da Malaposta apresentam na Quarta e Quinta-feira, dias 15 e 16, o filme de Perdigão Queiroga, Os três da Vida Airada. Para ver às 15h00 na sala de cinema com entrada livre. 98’. M/6.

Solos de Dança De 10 a 24 de Setembro decorre no Centro Cultural Malaposta o V Festival Internacional de Solos de Dança Contemporânea. Para ver às Sextas e Sábados às 21h30 no Auditório. Preço 10 euros sujeito a descontos. 75’. M/12.

Odivelas’Art Contemporânea Até 29 de Setembro está patente no Centro Cultural Malaposta a exposição colectiva de pintura Odivelas’Art Contemporânea com obras de Alfredo Ferraz, António Dulcídio, Ernesto Silva, Kim Molinero, Lopes de Sousa e Renato Pereira.

Exposição na SMO Na sede da Sociedade Musical Odivelense, está patente até 25 de Setembro, a exposição 100 Anos de República e Associativismo.

> Até 26 de Setembro: Exposição de Pintura Júlio Pomar, no Centro de Exposições de Odivelas. > Até 27 de Setembro: Inscrições para o Curso de Desenho e Pintura na Junta de Freguesia da Ramada. > Até 13 de Outubro: Exposições das Comemorações do Centenário da República no Centro de Exposições de Odivelas. Os Artistas e a República, Quem fez a República?; Símbolos Nacionais; Fotografias dos Presidentes da República. > Exposição Conhecer para Proteger: Centro de Exposições de Odivelas. > Exposição Pedras para a História do Território de Odivelas: Centro de Exposições de Odivelas > Descontrai-te – Sessões de Yoga: A pensar em todos os que querem bem-estar… Terças e Quintas-feiras, das 19h às 20h30, e Sábados, das 08h00 às 09h30, na Casa da Juventude. Informações pelo 219 320 480. > Visitas ao Moinho da Laureana: Às Quartas-feiras, das 10h00 às 12h00. Informações e inscrições pelos telefones 219 320 800. (CMO) ou 219 347 880 (JFF). > Visitas ao Posto de Comando do MFA: Às Quartas-feiras de manhã e Sextas-feiras à tarde mediante marcação prévia que pode ser feita pelo telefone 219 320 800.

CARNEIRO Carta Dominante: A Papisa, que significa Estabilidade, Estudo e Mistério. Amor: As suas obrigações profissionais podem não lhe permitir estar tanto tempo com a pessoa amada, por isso, aproveite de uma forma especial todos os momentos a dois. Viva alegre e optimista! Saúde: Procure ter uma alimentação equilibrada. Dinheiro: Poderão surgir novas perspectivas nesta fase, mas não se deixe levar pelos impulsos.

TOU RO Carta Dominante: O 9 de Paus, que significa Força na Adversidade. Amor: Seja mais carinhoso com o seu parceiro. Procure intensamente sentimentos sólidos e duradouros, espalhando em seu redor alegria e bem-estar! Saúde: Opte por refeições ligeiras. Dinheiro: Poderá realizar investimentos a título individual.

GÉMEOS Carta Dominante: A Morte, que significa Renovação. Amor: Poderá ter de enfrentar uma forte discussão com alguém da sua família. Que a sua Estrela-Guia brilhe eternamente! Saúde: O cansaço poderá invadi-lo, tente relaxar. Dinheiro: A sua conta bancária anda um pouco em baixo, seja prudente nos gastos.

CARA NGU EJO Carta Dominante: Cavaleiro de Paus, que significa Viagem longa, Partida Inesperada. Amor: A sua vida afectiva poderá ganhar um novo rumo. Dê tempo ao tempo e acredite que é possível ser feliz. Saúde: Cuide melhor da sua pele, está a necessitar de uma limpeza facial. Dinheiro: Sentir-se-á preparado para realizar os projectos a que se propõe. LEÃO Carta Dominante: 3 de Paus, que significa Iniciativa. Amor: O seu cansaço pode prejudicar a sua relação amorosa. Procure estar calmo. Não se canse vivendo agitado! Saúde: Procure não andar tão atarefado. Dinheiro: Poderá ter problemas com a sua entidade patronal. Seja audaz.

VIRGEM Carta Dominante: 4 de Copas, que significa Desgosto. Amor: Uma pessoa próxima de si poderá mostrar uma faceta menos agradável. O seu bem-estar depende da forma como encara os problemas. Saúde: Poderá sentir dores musculares. Dinheiro: Seja justo numa decisão que poderá ter que tomar. BALANÇA Carta Dominante: 10 de Espadas, que significa Dor, Depressão, Escuridão. Amor: Tente pensar um pouco na sua relação, e reflicta bem se esta o faz feliz. É tempo de meditação. Ela é uma energia da alma. Explore-a! Saúde: O stress e o excesso de trabalho poderão trazer-lhe alguns problemas de saúde. Dinheiro: Poderá haver um crescimento inesperado do seu poder material. ESCOR PIÃO Carta Dominante: 9 de Ouros, que significa Prudência. Amor: rejeite pensamentos pessimistas e derrotistas. Pratique o pensamento positivo e as acções construtivas agora! Saúde: Liberte-se da pressão do dia-a-dia através da boa disposição. Dinheiro: Apesar das divergências de opiniões no seu ambiente de trabalho, não desista dos seus objectivos. SAGITÁRI O Carta Dominante: 6 de Espadas, que significa Viagem Inesperada. Amor: Um convite inesperado alegrará o seu dia. Que os seus desejos se realizem! Saúde: Mantenha o optimismo e procure manter a sua energia habitual. Dinheiro: Investigue as oportunidades de emprego em empresas recentes.

CAPRIC ÓRNI O Carta Dominante: Ás de Copas, que significa Princípio do Amor, Grande Alegria. Amor: O convívio com a pessoa amada estará favorecido nesta fase. Aproveite estes momentos e esqueça todos os seus receios. Mantenha-se alegre e receptivo. A Vida espera por si. Viva-a! Saúde: Fase estável, mas esteja sempre alerta. Dinheiro: Os seus problemas poderão ser resolvidos, embora com lentidão. AQUÁR IO Carta Dominante: A Força, que significa Força, Domínio. Amor: Procure não esconder segredos ao seu melhor amigo. Que a luz da sua alma ilumine todos os que você ama! Saúde: Evite adoptar posturas incorrectas. Dinheiro: É possível que não consiga cumprir um pagamento.

PEIXES Carta Dominante: O Julgamento, que significa Novo Ciclo de Vida. Amor: Sentirá necessidade de conhecer pessoas diferentes. Viva o presente com confiança! Saúde: Probabilidade de ocorrência de pequenos acidentes domésticos. Dinheiro: Altura de fazer contenção de despesas.


10 Setembro 2010

Nova Odivelas 3

INFORMALIDADES. Na próxima edição destaque para este programa da NO TV que é gravado ao vivo todas as Quartas-feiras no Centro de Exposições de Odivelas.

DUODÉCIMOS PODER LOCAL

Actividade municipal de Agosto Henrique Ribeiro henrique_ribeiro@simpruspress.pt

A

edil começou o seu balanço sublinhando três aspectos positivos que foram: A entrada de Odivelas no Top 10 no tocante aos municípios mais eficientes, classificando-se em 6º lugar segundo um estudo do Jornal de Negócios; «A excelente actuação» das três corporações de Bombeiros Voluntários do concelho «Que de forma eficaz foram debelando pequenos focos de incêndio que foram ocorrendo e ainda foram solidários com outros corpos de bombeiros de fora do concelho participando em operações de combate a fogos florestais»; O aumento de onze avenças no Parque Egas Moniz que chegou ao final de Agosto com um total de 37 avenças mensais «Sinal de que a divulgação está a fazer o seu caminho». Nesta matéria Susana Amador considera que é preciso que a sinalética aponte a existência do parque e já estão a ser tomadas medidas nesse sentido. Como aspectos negativos Susana Amador destacou o facto de a derrama em Agosto «Ter ficado muito aquém das expectativas». O valor arrecadado foi de 1.093.678,69 euros, mais cerca de 126 mil euros que os 967.390,80 euros recebidos em Agosto de 2009. Este acréscimo foi insuficiente para cobrir a quebra verificada até Julho de 2010 que foi de 490.000 euros. As rupturas e falta de água em vários locais do concelho foi outro aspecto que a edil sublinhou negativamente. «Há uma grande lentidão dos SMAS a resolver os problemas e muita falta de informação». Esta situação leva mesmo Susana Amador a dizer que «Cada vez mais é necessário pensar numa solução alternativa que reponha a qualidade no abastecimento de água e na recolha de monos e resíduos sólidos urbanos». Entrando no balanço da actividade de Agosto, Susana Amador falou da criação, a 12 de Agosto, do Grupo de Trabalho para a ela-

Fotografias: CMO

No terceiro programa Duodécimos, a presidente da Câmara Municipal de Odivelas, Susana Amador, faz o balanço da actividade nas diversas áreas de actuação do município.

> Entrega de subsídio a IPSS’s

> Repavimentação de vias

> Complexo Escolar do Porto Pinheiro

boração do Plano Municipal de Energia e Eficiência Energética. Também foram concluídas as obras do Canil/Gatil municipal e emitido o parecer positivo por parte da Médica Veterinária Municipal. A inauguração deste equipamento está prevista para o Dia Mundial do Animal, que se assinala a 04 de Outubro. Mesmo em mês de férias o Voltas continuou a aumentar o número de passageiros, segundo a edil, «Fazendo sucesso inclusive como transporte turístico, servindo como um bom pretexto para conhecer melhor a cidade de

Odivelas e os seus diversos pontos de interesse, nomeadamente o Centro Histórico». No que respeita a obras do Orçamento Participativo foram concluídas as repavimentações das ruas da Lavadeiras e de Moçambique no bairro dos CTT na freguesia de Caneças e na Rua das Escadinhas da Democracia e troço da Av. Das Forças Armadas, no Olival Basto. Foi também concluída a intervenção nas ruas Cidade Peso da Régua, Rua de Barcelos e Rua Cidade da Horta, na freguesia de Famões. Estão em curso as repavimentações

das ruas B, C, Bela Vista, Moinhos e Particular na Quinta do Porto Pinheiro, freguesia de Odivelas; Rua da Associação, no Bairro do Girassol, na Ramada. Foram concluídos os procedimentos que permitem começar obra em Setembro de várias artérias do concelho. No âmbito do PAESO, Programa de Apoio às Entidades Sociais de Odivelas, foi aprovada em reunião de Câmara de 04 de Agosto a verba de 51.693,62 euros para apoio a estas instituições. Nos equipamentos sociais, Susana Amador referiu a entrega de 50 mil euros à Associação de Paralisia Cerebral de Lisboa e de igual verba à Irmandade da Misericórdia da Póvoa de Santo Adrião. Ainda em Agosto, a CMO procedeu a mais um realojamento no âmbito do PROHABITA com a entrega da chave a uma família monoparental composta por mãe de 46 anos e duas filhas com 10 e 22 anos, «Que viviam numa subcave em elevado estado de degradação e em situação de sobrelotação num contexto social complicado». No que à educação diz respeito, em Agosto ficou concluída a construção das escolas básicas dos Apréstimos e Porto Pinheiro e dos jardins-de-infância do Olival Basto e Vale Grande. Também em Agosto foi inaugurada a nova sede da Odilur, Cooperativa de Táxis de Odivelas e Loures, em instalações cedidas pela Câmara de Odivelas. A nova Estrutura Orgânica Flexível da Câmara de Odivelas já foi aprovada concluindo a revisão da organização dos serviços, «Encontrando-se criadas as unidades orgânicas flexíveis, respectivas atribuições e competências, e criadas as equipas de projecto em conformidade com os limites fixados na Assembleia Municipal, para uma maior racionalidade eficiência na prossecução do interesse público». Foi criada uma única Divisão de Fiscalização Municipal que engloba as duas fiscalizações até aqui existentes. A Divisão de Recursos Humanos passa a incluir a Formação. A Divisão de Gestão Patrimonial e a Divisão de Apoio Empresarial, Emprego e Projecto co-financiados passam a pertencer ao Departamento Financeiro e a Divisão de Transportes e Oficinas passa para a área do Ambiente.

A reunião com a câmara de Odivelas A reunião do movimento cívico Posto de Comando Sempre com o Dr. Mário Máximo dos Santos, vereador da Cultura da Câmara Municipal de Odivelas, teve lugar na semana passada e permitiu ficarmos a saber com o que contamos e com o que não contamos da sua parte para a concretização dos nossos projectos. Naturalmente, alguns dos projectos são muito específicos e da nossa responsabilidade, a saber: a petição pela classificação patrimonial do Posto de Comando e o sequente pedido de audiência aos grupos parlamentares da Assembleia da República; o programa semanal na NO TV, a lançar brevemente; a divulgação do Posto de Comando. Os restantes projectos mereceram a seguinte apreciação do Sr. vereador: achou uma boa ideia as entrevistas aos operacionais do Posto de Comando; não se associou às conferências, justificando-se com as Conferências da Liberdade que a própria câmara realiza mensalmente; não se mostrou disponível para a implementação de um Memorial ao Posto de Comando e ao 25 de Abril, considerando que o Posto de Comando já é um memorial. Quanto a estes três últimos projectos, reafirmamos a nossa disposição em levá-los por diante, com ou sem a participação activa das autarquias. Assim, faremos, por nossa iniciativa, as entrevistas aos operacionais do Posto de Comando; apresentaremos um projecto de conferências, ainda este ano, às juntas de freguesia de Alfornelos, Carnide e Pontinha; lançaremos uma campanha pública pelo Memorial ao Posto de Comando e ao 25 de Abril na Pontinha. O Sr. vereador disponibilizou os espaços culturais do município para a realização das nossas conferências. Contudo, uma vez que a câmara não irá participar nelas, vamos reavaliar as condições para sua extensão a Odivelas. Muito se poderá fazer nas três freguesias, com a colaboração dos seus autarcas. www.postodecomando.blogspot.com

Jorge Martins Entrevista completa na NO TV

www.novaodivelas.tv

martinscjorge@gmail.com


4

Nova Odivelas

10 Setembro 2010

QUOTIDIANOS Gabinete da Vertente Sul A Divisão de Requalificação e Inserção de Áreas Críticas - DRIAC (Gabinete da Vertente Sul) da Câmara Municipal de Odivelas, recebeu, um Voto de Louvor, na Assembleia-Geral de Proprietários da AUGI da Quinta do José Luís, sob proposta da respectiva Comissão de Administração. «Este voto de louvor é o reconhecimento pelo excelente trabalho que esta equipa tem desenvolvido no terreno, em estreita colaboração com as Comissões de Administração dos 5 Bairros que compõem a Vertente Sul e que levou já à aprovação de uma candidatura conjunta aos fundos Europeus, que, saliente-se, se classificou em 1º Lugar, entre as 6 candidaturas aprovadas na Região de Lisboa», afirma a Câmara em Nota de Imprensa. «São cerca de 5, 4 milhões de Euros, inscritos no programa Parcerias para a Regeneração Urbana, que visa promover a coesão e a inclusão sociais; a integração e a igualdade de oportunidades das diferentes comunidades; promover os factores de igualdade entre homens e mulheres; estimular a revitalização socioeconómica; qualificar o ambiente urbano e os factores determinantes da qualidade de vida da população; reforçar a atractividade através da preservação e valorização de espaços de excelência urbana e reforçar a participação dos cidadãos, através de uma governação inovadora. Alterações de Sentido de Trânsito A Câmara Municipal de Odivelas procedeu a alterações de trânsito, na Rua Idade da Pedra na freguesia da Ramada que passa a ter sentido único no troço entre a Rua Raul Brandão e a Rua Povos de Alpiarça. Segundo a CMO, esta alteração surge no seguimento do prolongamento da Carreira 228 até à Serra da Amoreira que se inicia a dia 13 de Setembro.

24 HORAS DE NOTÍCIAS www.novaodivelas.tv PUB

CULTURA E LAZER

Uma mostra de paixões ou um olhar diferente de um viajante Henrique Ribeiro henrique_ribeiro@simpruspress.pt

Bruno Martins, juntou duas paixões que o acompanham desde menino, as viagens e a fotografia, e com elas produziu a matéria-prima que esteve na origem da exposição Olhares de um Viajante que foi inaugurada na Terça-feira e vai estar patente até 20 de Setembro na Ramada.

E

ra ainda criança quando os seus pais lhe ofereceram uma máquina fotográfica alimentando assim o seu gosto pela fotografia. Foram também os seus pais, amantes de viagens, que lhe colocaram o bichinho de viajante. As suas primeiras fotos, ainda com essa máquina analógica e hoje já será peça de museu, foram tiradas nessas viagens com os pais. «Desde muito miúdo, por influência dos meus pais tive esse gosto por captar o momento e trazer memórias. Basicamente foi isto». Depois foi crescendo e conhecendo outras técnicas e suportes, como o digital que entretanto surgiu. «Entretanto comecei a trabalhar e a ter dinheiro para poder investir em material e equipamento e descobri também o prazer das grandes viagens, sair do continente, ir para África ou América e levar a máquina». As paisagens são o motivo principal das suas fotos, embora ultimamente tenha feito fotografias de pessoas e de ambientes. «Mas, do que eu gosto mesmo e de fotografar paisagens». Expor os seus trabalhos «Foi um passo lógico. Quando me apercebi

Fotografia: Bruno Martins

DIRECTAS

que para fazer coisas giras em fotografia precisava de formação e por isso fui tirar um curso com Luís Carvalho, fotojornalista do Expresso, que é excelente, e ele incentivou-nos a fazer exposições e a mostrar o nosso trabalho». Como a ideia inicial de uma exposição colectiva de toda a turma que não se concretizou, Bruno Martins re-

solveu fazer a sua própria exposição individual jogando em casa e no princípio do ano assim aconteceu numa pastelaria de Caneças. «Foi uma coisa muito simples mas já que tinha investido nas fotografias, molduras e etc. resolvi continuar e mandei solicitações para alguns espaços». Dessas solicitações surgiram algumas respostas

Bruno Martins 25 anos, Caneças Nasceu em Santa Justa, Lisboa, no dia 9 de Agosto de 1984, mas com apenas três dias foi para Caneças, onde reside desde então. Após ter frequentado o ensino primário, básico e secundário em Caneças, aventura-se no ensino superior público em Lisboa, onde se licenciou, em Medicina Nuclear, pela Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa. Ainda no último ano da licenciatura, há cerca de três anos, inicia a sua vida laboral na área da Física Médica, em particular na Segurança e Protecção contra Radiações na Medicina e na Indústria, onde ainda trabalha actualmente. Recentemente, em 2009, conclui o Diploma de Formação Avançada em Segurança e Protecção Radiológica, do Instituto Superior

Técnico e em 2010 é convidado para ser Professor do Ensino Superior Público. Paralelamente, Bruno Martins é vogal Tesoureiro da Junta de Freguesia de Caneças, neste que é o seu segundo mandato enquanto vogal. A fotografia surge na sua vida desde tenra idade. Com o início da vida profissional, surge a possibilidade de juntar duas paixões: a fotografia e as viagens. Destas aventuras já resultaram distinções on line e uma fotografia publicada num guia turístico internacional – Schmap Amsterdam Ninth Edition.

e o fotógrafo já expôs no Croissant em Lisboa, no Picoas Plaza, na Amadora. «Mandei outros pedidos, nomeadamente para a Câmara de Odivelas, mas está tudo cheio. Espero qualquer dia poder expor por lá». Bruno Martins já fez viagens com e sem máquina fotográfica e não tem dúvidas que «A máquina fotográfica é um prolongamento do nosso olhar. Quem leva uma máquina com vontade de fazer fotografia acaba por ter muito mais pontos de contacto com os locais do que as pessoas que viajam só por viajar». Para o jovem autor «O fotógrafo é um caçador e acaba por estar muito mais atento aos pormenores. Enquanto que o viajante sem máquina vê a paisagem no geral, uma pessoa que quer fazer fotografia está muito mais atenta às pequenas variações, a uma luz diferente, a um pormenor numa porta, a uma flor que contrasta por ter uma cor diferente». Desde que começou a interessarse pela fotografia de viagem, Bruno Martins nota que «As cidades me ficam mais, tenho mais memórias, consigo orientar-me melhor, fazer pontos de ligação entre um sitio e outro, porque me lembro de ter andado lá à procura de coisas para fotografar». Não é um fotógrafo profissional e a fotografia é uma paixão, um hobby. «Sou um fotógrafo amador, não de não ser profissional mas porque amo aquilo que faço». Já pensou que um dia pode vir a fazer da fotografia um modo de vida «Viajando e fotografando. Fazer aquela fotografia de jornal, de cobrir eventos, não é o que gosto de fazer mas se me fizessem a proposta para fazer um guia internacional, viajando e fotografando, ficava tentado, mas não para já».


10 Setembro 2010

Nova Odivelas 5

DIPLOMAS. Na NO TV reportagem da entrega de Diplomas aos alunos da Escola Braamcamp Freire, na Pontinha. FREGUESIA DE CANEÇAS

DIRECTAS

Este fim-de-semana Caneças é a capital da festa no concelho de Odivelas com a realização dos festejos que assinalam o 95º aniversário da criação da freguesia e o 19º da elevação a vila. O Festival da Sopa, que há oito anos abraça a festa junta-se aos espectáculos, à feira de artesanato e à exposição etnográfica, eventos que mais uma vez irão levar milhares de pessoas à vila saloia que já foi aldeia… da roupa branca.

O

s festejos são como habitualmente promovidos pela Junta de Freguesia de Caneças mas no que diz respeito ao Festival da Sopa existe uma parceria com a Câmara Municipal de Odivelas. Numa entrevista para a NO TV, Nova Odivelas e Nova Região, Armindo Fernandes, presidente da autarquia Canecense, falou destes eventos. Começámos pelo Festival da Sopa, evento que é já uma referência no concelho de Odivelas e na região da grande Lisboa. Armindo Fernandes explicou-nos que o evento começou há oito anos por iniciativa da junta de Caneças mas o Sector de Turismo da Câmara acabaria por se associar à ideia e por liderar o projecto em parceria com a junta. Estas festas, «Acabaram por granjear apoio e carinho com uma implantação que ultrapassa os limites da freguesia e até mesmo do concelho. Há muita gente de outros concelhos que nos visita na altura das festas, o que nos agrada e é bom

Fotografia: Henrique Ribeiro

Henrique Ribeiro henrique_ribeiro@simpruspress.pt

para o comércio local». Ter esta festa como referência no concelho é para Armindo Fernandes «Uma das grandes alegrias» e o autarca quer que, em cada ano que passe, aumente mais a sua projecção. Os moldes em que o festival da sopa se realiza este ano não são muito diferentes dos anos anteriores. Mantêm-se as mesmas oito tasquinhas da sopa e a grande mudança dá-se no artesanato onde em lugar dos habituais nove expositores irão estar 24. O aumento do número de artesãos tem a ver com a forma de expor. Até aqui cada expositor tinha a sua tenda individual e este ano serão montadas bancas mais pequenas o que permite, no mesmo espaço, acolher mais artesãos. Os restaurantes de Caneças, Cartaxeiro, Palermice e Zé dos Frangos, bem como a Salsicharia Alpalhoense são presenças habituais nas tasquinhas da sopa. Completam as ofertas as sopas apresentadas por instituições da freguesia como a Associação de Bombeiros Voluntários de Caneças, a Associação de Pais da EB1 de Caneças, a Sociedade Musical e Desportiva de Caneças e a Paróquia de S. Pedro. Armindo Fernandes gostaria de poder aumentar o número das tasqui-

nhas mas «Ainda não encontrámos a fórmula». A ampliação do Festival certamente que implicaria a mudança de local, uma vez que o Largo do Coreto não cresce mas essa ideia não agrada ao autarca canecense. «O Largo do Coreto é ponto de encontro da população de Caneças e de quem nos visita. É a nossa sala de visitas. É pequena de facto. A população de Caneças tem uma referência muito de aldeia, apesar de hoje ser uma vila com alguma projecção. Aquele local era onde as pessoas antigas de Caneças conviviam, faziam os seus bailes de verão e recebiam as suas visitas. Era ali que se encontravam todos em amenas cavaqueiras. Era ali que se fazia a festa do veraneante, mais tarde a festa de S. Sebastião». Durante uns tempos não houve festejos «Por ausência de quem liderasse os projectos e por isso a junta de freguesia decidiu chamar a si a realização das festas, com o actual figurino celebrando os aniversários da freguesia e da vila. Ainda sobre o Festival da Sopa, Armindo Fernandes considera que a participação de restaurantes conhecidos e com prémios de gastronomia veio valorizar muito o evento. Como todas as festas, também as de Caneças vivem dos espectáculos. Este ano não teremos em Caneças «Os grandes nomes que

levam muito dinheiro» porque as dificuldades financeiras a situação de contenção obrigaram a alterações de estratégia. No entanto, Armindo Fernandes garantiu que, apesar de menos conhecidos, os artistas contratados são de grande qualidade. Também o vereador do Turismo da Câmara de Odivelas considera o Festival da Sopa «Um momento sempre importante não só para a freguesia de Caneças mas para todo o concelho» e que é um evento que «Ganhou um espaço próprio, sendo falado fora do concelho, com um estatuto de qualidade e de presença. Se deixasse de se fazer as pessoas iriam sentir a sua falta». Da parte da Câmara há «Uma grande aposta na continuidade do projecto em parceria com a junta de freguesia de Caneças, que é sempre incansável». Para o vereador «É importante que os Odivelenses e os Canecenses sintam que a Câmara Municipal de Odivelas se mobiliza também à volta deste evento que é essencialmente de convívio». Tal como Armindo Fernandes, também Mário Máximo é avesso à ideia de mudar o festival de sítio. «A tradição faz-se também com os lugares. É preciso muito cuidado quando alteramos o espaço de um evento, porque podemos estar também a alterar o coração do evento». Para o vereador, seria complicado retirar o festival do Largo do Coreto «Zona por excelência de encontro e de festa dos Canecenses e das pessoas que não sendo Canecenses se deslocam a Caneças». Apesar de não ter receio à mudança e de admitir que tal poderá acontecer no futuro, Mário Máximo considera que o Festival da Sopa «Está muito bem naquele lugar».

No passado fim-de-semana realizaram-se no Casal Novo, freguesia de Caneças, as Festas em Honra de Nossa Senhora da Esperança, padroeira do bairro que contaram com a presença da presidente da Câmara de Odivelas Susana Amador, de João Azeitona, presidente da Assembleia de Freguesia de Caneças e de João Polido, vogal da Junta de Freguesia de Caneças e em representação do seu presidente Armindo Fernandes. As festas, que este ano contaram apenas com celebrações religiosas, tiveram o seu ponto alto com a procissão que se realizou no Domingo, após a Missa. EDP na Junta de Odivelas A partir de 01 de Setembro há novas regras nos pagamentos à EDP efectuados na Delegação das Patameiras da Junta de Freguesia de Odivelas. A partir dessa data «Em virtude de novas condições contratuais estipuladas pela EDP, os cheques para pagamentos a esta entidade terão de ser emitidos à ordem da Junta de Freguesia de Odivelas». Também a partir desta data são aceites pagamentos de facturas da EDP pelo sistema de Multibanco. Vandalismo

Fotografias: JFO

Fim-de-semana festivo

Fotografia: CMO

Nossa Senhora da Esperança

O Coreto do Largo D. Dinis, em Odivelas, também foi vítima das acções de vandalismo que ultimamente tem acontecido em alguns locais do concelho. Não querendo ver este património degradado, a Junta de Freguesia de Odivelas procedeu à repintura do imóvel.

Ver programa das festas no ENTRE TANTO (pág. 2)

Entrevista completa na NO TV

www.novaodivelas.tv PUB


6

Nova Odivelas

10 Setembro 2010

83

Outros Quotidianos

Ponto & Vírgula

O ponto-e-vírgula marca uma pausa mais longa que a da vírgula (para que se aprenda a respirar), no entanto menor que a do ponto (para que não se perca a oportunidade de agir).

SMAS esquecem-se do concelho de Odivelas

Pelo lado positivo… ou nem por isso

N

Q

O Reporter Quê conta consigo para continuar a denunciar situações como esta. Envie-me um e-mail com informações e/ou fotografias para reporterq@novaodivelas.pt

Q

A importância dos “objectos/brinquedos” que a criança leva para o Jardim-de-infância

Teresa Salvado teresa_salvado@coisas.info

Q

a madrugada do dia 28 de Agosto, perto das 06h00, arderam três contentores de Resíduos Sólidos Urbanos, na Pontinha, na Rua Cidade da Horta na esquina com a Rua Ilha do Faial, tendo ficado completamente destruídos. No dia 09 de Setembro, os restos mortais desses contentores ainda se encontram no local sem que tenha sido removido e substituído. Para além do bonito aspecto que os cadáveres dão à rua, há o facto de os moradores se verem privados de um local para depositar os seus lixos durante tantos dias. Disse o nosso leitor António Mota, autor das fotos que publicamos, em e-mail enviado ao Repórter Q?, «Tanto se fala nos Direitos Humanos, penso que os moradores da Pontinha têm o direito de terem a sua Vila limpa, e não estarem mais de uma semana a respirar os resíduos tóxicos que ficaram ao ar livre, ainda por cima num local onde passa tanta criança para as escolas aqui perto. Mais obras e menos desperdício em coisas fúteis!».

Mundo das Tropelias

ueria regressar das férias com optimismo, pensamento positivo e acima de tudo com indicadores políticos, sociais, económicos que sustentassem estes sentimentos. No meio de tudo isto a única verdade absoluta é que… voltei de férias! E quando eu poderia pensar que estive de férias e Portugal e o Mundo continuaram a girar vejo que me enganei. Portugal e o Mundo parecem ter estado a pedalar sem sair do lugar. Para começar, hoje a União Europeia deu um puxão de orelhas aos miúdos, e a partir de agora nenhum Orçamento de Estado é apresentado no respectivo Parlamento sem ser avaliado e validado pela própria da EU. Já se esperneia e se fala em atentado à democracia. E sem em vez de perderem tempo com manobras de diversão se concentrassem em ajudar, e em deixar ajudar, a preparar Orçamentos de Estado sérios, eficazes e exequíveis, com credibilidade e feitos a pensar nos interesses reais do país?!?? Será que não sabem fazer isso? Se calhar não. Então demitam-se em bloco, esvaziem o Parlamento e dêem lugar a quem sabe fazer as coisas. Eu se fosse deputada morria de vergonha: é que depois do puxão de orelhas vêem as orelhas de burro. Entretanto, fim de férias significa início de novo ano escolar. Em Portugal é um novo ano escolar que começa com os números e conclusões da OCDE - Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico. Segundo o estudo, Portugal está abaixo da média dos países da OCDE nos gastos com a educação: o relatório situa o investimento de Portugal na educação ligeiramente acima dos 5,5% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional (valor situado abaixo da média de 6,2% dos países membros da OCDE). Na frente encontram-se a Islândia (7,8%), os Estados Unidos (7,6%) e Israel (7,4%). No final, na lista que compara 33 países, Portugal está a meio da tabela. Mas o Primeiro-Ministro e a Ministra da Educação (o que eu gostava dos livros dela… passo o desabafo) desvalorizaram estes dados (e isso é uma atitude bastante preocupante), enquanto inauguravam jardins-de-infância, seguidos por um séquito de lambe botas. Estou a referir-me ao mesmo Primeiro-Ministro e à mesma Ministra da Educação que optaram por fechar centenas de escolas do 1º ciclo, algumas à revelia das autarquias e apesar dessa medida ir contra os protocolos anteriormente assinados. Encerramentos que têm justificações sérias (concorde-se ou não), mas que foram levados a cabo como uma medida aparentemente avulsa, como tantas outras em Portugal, de forma descoordenada e sem visão do futuro. É que a educação não é uma ilha. E, apesar de todos os cortes orçamentais, lá seguiu hoje mais um contingente militar português, ao abrigo das cooperações internacionais, para o Kosovo. Quanto a Odivelas, parou pelo menos durante todo o mês de Agosto e ainda não dei pela rentrée. Como se pode praticamente parar um concelho em tempo de crise e quando as contas autárquicas estão?… nem as vou classificar porque não as conheço a fundo, mas que não estão bem lá isso não estão. Voltei de férias com a forte determinação de ser mais optimista. Mas, alguém me diz como?

Estamos de novo no início de um novo Ano Lectivo e para os Pais das crianças do Pré-Escolar, a angústia e a ansiedade andam de mãos dadas. A integração/adaptação plena pode levar de um a dois meses. Todas as crianças têm uma enorme vontade de socializar (estar com crianças da sua idade), precisam de quem é parecido com elas e já conseguem pôr o adulto em segundo plano (ser autónomo e ser independente). É cada vez mais frequente, as crianças levarem para o Jardim-de-infância um objecto de transição, como um brinquedo, um boneco…fazendo estes também, parte da sua integração/adaptação. Proibir as crianças de levarem brinquedos para o Jardimde-infância, porque elas guerreiam por causa deles; porque os perdem; porque outras ficam com eles; porque para os Pais eles foram caros e é dinheiro perdido; para mim, essa decisão é errada. O Jardim-de-infância é o local por excelência de socialização, partilha, troca, interacção, negociação e cooperação. E é entre elas que aprendem a viver em sociedade. Se o brinquedo ficar em casa, parece que o problema fica aparentemente resolvido. Mas essa solução retira á criança a possibilidade de partilhar algo que é seu, de o mostrar, de fazer amigos com base num interesse comum, de introduzir brinquedos e brincadeiras diferentes das proporcionadas pelo Jardim-de-infância. Como é natural, estes brinquedos podem também ser motivo de conflitos, de birras, mas isso leva a uma oportunidade para dialogar, negociar, ser solidário, ser amigo e companheiro. Em muitos Jardins-de-Infância, as crianças quando chegam, colocam os brinquedos ou outros objectos trazidos de casa, num local pré destinado para esse fim e só o retiram quando vão para casa, no final do dia, para não haver os tais problemas, não se valorizando o que ela trouxe de casa, que lhe permite segurança e que, de certo modo, a fará sentir-se feliz se for compartilhado pelo grupo de que faz parte, por mostrar ao outro o que é seu. É preciso existir conflito para se encontrarem soluções. O Jardim-de-infância é um agente educativo e precisa de demonstrar aos pais que não é demitindo-se destes conflitos, que ajuda as criança a crescer num ambiente democrático e de aprendizagem de cidadania. É deste modo, ao evitar os conflitos, que estamos a impedi-las de crescer, de se tornarem capazes de resolver os seus problemas pelos seus meios, com as outras crianças, por si próprias, utilizando a vontade própria, sendo livres dos seus actos. Temos que dialogar entre todos (crianças, pais e educadores) para se chegar a um consenso e que beneficie ambas as partes. É da responsabilidade do adulto (pais, educadores/professores) proporcionar espaço de relação e de diálogo onde exista o intercâmbio de dar e receber. Se nós assumirmos esta conduta, iremos contribuir para o bom desenvolvimento geral das nossas crianças, mas em especial do afectivo e do social. Coordenadora do Jardim-de-infância Lurdes Fernandes PUBLIRREPORTAGEM


10 Setembro 2010

Nova Odivelas 7 PUB


8

Nova Odivelas

10 Setembro 2010

ACTUALIDADE MÚSICA

Jovem de Odivelas à conqu Henrique Ribeiro henrique_ribeiro@simpruspress.pt

Tem 25 anos mas já se afirma no mundo musical. E quando dizemos mundo é mesmo mundo. Estuda em Espanha, onde já deu dezenas de concertos, gravou CD em França, tocou na Coreia do Sul representando Portugal num evento internacional. Chama-se Ana Maria Santos, é de Caneças e é mais uma jovem Odivelense a orgulhar o seu concelho.

S

abemos que as grandes carreiras e os grandes feitos por vezes começam por episódios bem simples. Assim também aconteceu com Ana Santos. Aos seis anos nunca tinha pegado num instrumento, mas, durante umas férias no Algarve, um amigo do pai, ao ver a Ana e a irmã disse-lhe «Tens umas filhas tão novas, deviam ir para a banda» referindo-se à Banda Musical e Artística da Charneca do Lumiar, onde pertencia. A irmã não gostou muito da ideia «Preferia o desporto», mas a Ana ficou entusiasmada. «Podíamos ir lá ver um ensaio», disse ao pai e lá foram assistir ao ensaio da banda. «Fiquei entusiasmada e muito fascinada. Lembro-me de chegar lá, era um Sábado à noite e a banda estar a ensaiar. Nunca tinha tido um contacto assim nem ouvido uma banda, era muito pequenina, e foi o máximo. O Maestro, Joaquim Serra Saraiva, que adoro, é PUB

uma pessoa maravilhosa. Pôs-me logo a fazer umas Claves de Sol, aquilo entusiasmou-me e lá fiquei». Naquela altura Ana Santos ainda não via a música como uma futura profissão mas a semente estava colocada naquela menina de seis anos. Depois de um ano de aprendizagem, ainda sem instrumentos, e cheia de curiosidade sobre que instrumento iria tocar, «O senhor Serra lá me aparece com uma requinta, que é um clarinete, mais pequenino, porque eu era muito pequenina, tinha uns dedinhos muito pequeninos, não era fácil ele dar-me outro tipo de instrumento». Ficou muito entusiasmada e começou a tocar… na banda da Charneca. Estava quase a fazer 10 anos quando os seus pais se mudaram para Caneças e a Ana ingressou na banda da Sociedade Musical e Desportiva local, embora o carinho que sentia pela banda de origem tivesse levado a que nunca se desligasse dela e ao longo dos anos, embora na banda de Caneças, fez muitos concertos na sua primeira casa musical e noutras bandas «Onde tinha amigos e que precisavam de uma ajuda. Pediamme para ir e ia, até ao Norte do país fui». Na banda de Caneças esteve 11 anos. Apenas saiu aos 21 quando foi continuar a sua formação em Barcelona. Clarinete. Foi o maestro que com a sua escolha determinou o instrumento que viria a apaixonar Ana Santos, mas terá sido a escolha certa? «Acho que sim. Agora olhando para trás, acho que sim, embora pense que nenhum músico escolhe o seu instrumento. Começamos na música com muito pouca idade onde a escolha é difícil. Não conheço nenhum que diga “eu escolhi tocar isto”. É sempre porque a família escolhe, ou como no meu

caso o senhor Serra devia ter falta de clarinetes lá na banda… Depois ao longo do percurso acabamos por nos apaixonar por esse instrumento. Pelo menos no meu caso foi assim. Nunca pensei em tocar outro instrumento». Aos onze anos, ainda no ensino preparatório entrou para o Conservatório Metropolitano de Música de Lisboa, na classe do professor Etienne Lamaison «Que foi o meu professor durante todo o ensino no conservatório e na Academia Nacional Superior de Orquestra» onde se licenciou. A sua entrada para o conservatório não significou que Ana Santos já tivesse decidido que o seu futuro profissional seria a música. «Acho que isso apareceu mais tarde. Fui para o conservatório porque o senhor Serra dizia ao meu pai que eu tinha talento e que devia ter mais formação que a que tinha na banda. Então fomos tentar…». Com o primeiro professor que teve no conservatório «A experiência foi

muito difícil. Ele era um professor muito rígido para uma criança, mas depois com o Etienne foi absolutamente fantástico. Tive essa sorte. Com o Etienne foi muito fácil e ele passou-me esse gosto pelo clarinete, ajudou-me a conhecer todo o reportório, toda a forma de tocar… Foi aí que começou a crescer a minha paixão pelo clarinete e por tudo aquilo que fazia». Foi no conservatório que começou os seus concertos, fora das bandas filarmónicas. Tocou na Aula Magna e no Centro Cultural de Belém, entre outros locais. «Concertos que eram muito importantes apesar da nossa tenra idade, 13/14 anos». O conservatório tinha uma pequena orquestra e grupos de música de câmara e «Nós fazíamos muitas audições, na escola, para a família, que eram um bocadinho mais fáceis mas todos os finais de período tínhamos concertos mais a sério». Esse período abriu novas perspectivas daquele mundo e

preparou-a para o que viria a seguir. «Desde pequena que faço concertos mais a sério, vestida a rigor, com aquelas coisas dos músicos clássicos, em salas grande e cheias de pessoas, que criam aquele nervosismo natural». Depois entrou na Academia Nacional Superior de Orquestra onde todos os meses havia dois, três concertos de orquestra. «Aí já temos um nome a defender, já estamos no ensino superior e temos de fazer as coisas mais a sério». Nesta altura Ana Santos começa a fazer concertos como profissional tocando não só em Portugal mas também noutros países. Nas suas voltas pelo mundo terá Ana Santos sentido choques quando encontrou públicos diferentes, outros músicos, outro tipo de gostos? «Foram sempre experiências muito boas, e enriquecedoras. A nível dos músicos por vezes é complicado. Não é uma profissão fácil, há rivalidades, coisas que nem sempre são fáceis mas que se conse-

Concertos em Seul Ana Santos foi seleccionada para participar no Euro Asia Chamber Music Festival, em Seul, na Coreia do Sul, que decorreu em Agosto de 2010, onde apenas dois músicos representaram Portugal, com todos os custos de viagem e alojamento assegurados pela Embaixada de Portugal naquele país. «Tenho óptimas recordações da embaixada portuguesa, de quem só posso dizer bem. O embaixador foi maravilhoso e toda a experiência foi muito enriquecedora. Os músicos asiáticos têm características diferentes das nossas têm muita força a tocar, são muito concentrados, mas a integração foi fácil, apesar da barreira da língua. Eles falavam pouco inglês mas acabou por ser muito bom porque tínhamos de comunicar através da música». O navio escola Sagres estava em Seul nesta altura e o embaixador português teve a ideia de os levar lá a tocar. «Foi uma experiência inesquecível tocar dentro

do navio. Tínhamos de ter uns colegas a agarrar as partituras porque estava muito vento. Tinha imensa gente a assistir, porque coincidiu com uma visita ao navio. Os tripulantes ficaram muito felizes por terem dois portugueses a tocar a bordo. Queriam mandar saudades para Portugal e saber como nós estávamos e como estava Portugal porque há imensos meses que estavam no mar. Foi fantástico conhecer o capitão, com todas aquelas histórias de um típico capitão de barco».


10 Setembro 2010

Nova Odivelas 9

SAÚDE. Uma equipa de resistentes continua diariamente a apoiar doentes em dificuldades no concelho de Odivelas. Reportagem na próxima edição.

Fotografias: Colecção de Ana Santos/ Fotografia Capa: Susana Neves/OML

uista do mundo da música guem ultrapassar muito bem e a nível de público é fantástico porque a música é universal e é bom ver que cria muitas emoções nas pessoas, aqui ou no outro lado do mundo. Lá fora há um público maior. Por cá é triste ver que, embora a Gulbenkian tenha sempre casa cheia, outras orquestras mais pequenas ou grupos de câmara não têm assim tantos espectadores». Ana Santos considera que «Ainda não temos uma grande cultura musical. O que é uma pena». Em Espanha, país onde está em formação, Ana vê que «Salas com lotação de mil pessoas estão sempre cheias. Em Portugal custa-me ver pessoas boas a tocar, com muito trabalho envolvido para aquele concerto e depois as salas terem pouca gente». O que levou Ana Santos a continuar a sua formação em Espanha. «Tive um professor muito bom em Portugal e tive oportunidades de fazer muitas master classes e trabalhar com muitos professores estrangeiros. A certa altura senti que não havia muito mais a descobrir. Trabalhei com

Uma aventura em Paris A editora Gallimard, de França, tem uma colecção de livros com histórias para crianças, chamada As viagens de Théo, onde através de histórias simples se vão apresentando os vários instrumentos. Para além da história escrita e das ilustrações os livros contêm um CD com a história contada musicalmente. Um amigo do professor Etienne Lamaison, o compositor Thierry Pécou compôs a música para o CD do clarinete e convidou um músico para tocar. Etienne Lamaison, por sua vez, convidou Ana Maria Santos, que com ele rumou a Paris para as gravações. «Tocámos vários duos, com clarinete e clarinete baixo». O

que se ouve no CD é uma actriz francesa a contar a história com todos os sons ilustrados musicalmente pelo clarinete. Também explica o que é o clarinete e contém alguns excertos de obras para clarinete para as crianças ficarem a conhecer o instrumento, os sons e o reportório. Para Ana Santos «Era fantástico poder participar num projecto assim em Portugal».

esse objectivo e tentei a sorte. Para ir para um nível internacional é preciso trabalhar-se mesmo muito e eu senti bastante na pele». Logo a seguir a terminar a Academia em Lisboa foi para Barcelona estudar «Com um dos grandes impulsionadores do clarinete baixo no mundo. Era daquelas pessoas que eu só ouvia em CD e que achava fantástica a tocar. Fui a Barcelona, pedi para ter uma aula, ele achou que eu tinha talento e convidou-me para ir estudar com ele um ano inteiro e fiz a especialização em clarinete baixo que me ajudou muito e abriu muitas portas. Sempre que vou tocar com a Orquestra Metropolitana de Lisboa vou como reforço de clarinete baixo». Trata-se do professor Harry Sparnaay, da Escola Superior de Música da Catalunha. Em Espanha teve a oportunidade «De ir estudar com um dos meus grandes ídolos do clarinete», o professor Michel Arrignon, na Escola Superior de Música Rainha Sofia, em Madrid, com uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian, de Portugal e da Fundação Carolina de Espanha. «Mais uma vez trabalhei muito. Foram meses a fio a estudar para a prova e consegui». O mais difícil nesta estadia em Madrid tem sido «O afastamento da família e dos amigos. De repente chego a um país, estou sozinha mas o facto de estar ainda um bocadinho à busca de um sonho e de continuar a lutar por aquilo que quero, evoluir e tocar cada vez mais e melhor e a possibilidade de conhecer e de estar perto destes grandes mestres compensou tudo». Este ano, Ana Santos ganhou o Primeiro Prémio Nível Superior da modalidade de clarinete no concurso José Augusto Alegria, que decorreu em Évora. Não gosta muito de participar em concursos, porque

«Esta coisa de saber quem é o melhor quando temos por exemplo dez clarinetistas de nível superior é muito subjectivo. A música é sentimentos e eu posso transmitir muita coisa a um membro do júri e esse membro adorar e os restantes não gostarem nada». Apesar disso decidiu participar neste que tinha as modalidades de Canto, Violino e Clarinete. Na primeira eliminatória participaram 18 clarinetistas tendo passado seis para a final onde Ana Santos obteve o 1º prémio. Os vencedores deste concurso vão estar presentes num concerto a realizar no dia 14 de Outubro às 19h00 com transmissão em directo na Antena 2. No seu futuro profissional Ana quer ser música. «Gostava muito de poder tocar». Neste momento tem vários projectos: O Duorum Ensemble trio de música de câmara que «Está a fazer sucesso em Espanha com variadíssimos concertos com um reportório variado e lindíssimo, flauta com piano, flauta e clarinete, que não é muito comum, clarinete com piano»; um ainda em embrião com o guitarrista Pedro Jóia e outro com «O meu querido professor Etienne que é um teatro musical. Ele incutiu em mim esta forma de ver a música o clarinete encenado, criarmos personagens. Ele é fantástico a fazer isso». Dar aulas de música também pode estar nos horizontes profissionais de Ana Santos. «Eu gostava muito de ter oportunidade de transmitir tudo o que aprendi com os mestres fantásticos que tive às gerações que estão agora a descobrir esse entusiasmo pelo clarinete e pela música».

Entrevista integral em áudio no Diário de Odivelas em

wwww.diariodeodivelas.com PUB


10 PUB

PUB

Nova Odivelas

10 Setembro 2010


10 Setembro 2010

DESPORTIVAMENTE

CAC. Duas Equipas sobem de Divisão. Reportagem em breve na NO TV e no Nova Odivelas. DIRECTAS

CAPOEIRA

Juniores do Bons Dias apresentam-se A equipa júnior de futsal do Grupo Desportivo dos Bons Dias, apresenta-se aos sócios e adeptos no próximo sábado pelas 16H00 no Pavilhão da Escola Secundária da Ramada defrontando a sua congénere do Belenenses. Para esta época o Director Desportivo do GBDB, Luís Horta referiunos que os objectivos ainda não estão traçados devido à saída de muitos atletas que atingiram o limite de idade para competirem no respectivo escalão o que faz com que o grupo de jogadores tenha muitas caras novas. O jogo contra a equipa de Belém servirá por isso mesmo para aferir das potencialidades da equipa que tem vindo a realizar a pré-época com muita intensidade. Os juniores Ramadenses irão disputar o campeonato distrital da 1ª divisão da Associação de Futebol de Lisboa e curiosamente na jornada inaugural defrontarão em sua casa a equipa do ACO, protagonizando o primeiro derby da época. A equipa técnica para a época 2010/2011 é constituída pelo treinador principal, Pedro Marques, treinador adjunto, Nuno Nobre e delegado aos jogos, Pedro Nunes. Luís Horta faz ainda um apelo a todos os apoiantes da equipa da Ramada para que estejam presentes em grande número no jogo de apresentação de sábado. DB

Fotografia: Emirec

Aulas gratuitas e demonstração no Odivelas Parque D urante os meses de Setembro e Outubro, o Odivelas Parque, em parceria com a Abadá, «A mais famosa e prestigiada associação de capoeira do Brasil», vai promover diversas iniciativas ligadas à arte da capoeira, com workshops gratuitos, baptizado, graduação de cordas e ainda a exibição vários tipos da modalidade. No dia 25 de Setembro pelas 17h00, vai decorrer o Baptizado de Capoeira e a Troca de Cordas, com apresentação de vários tipos de capoeira, como a Benguela, Angola, São Bento, Santa Maria e até a Amazonas. Todos os Sábados do mês de Outubro, das 11h30 às 12h30, no Odivelas Parque haverá aulas gratuitas, nas quais os principiantes,

de qualquer idade, poderão aprender os fundamentos desta arte que combina música, dança e

FUTSAL

artes marciais. Alguns tipos de Capoeira são pouco conhecidos em Portugal.

Por curiosidade, Santa Maria era originariamente um jogo de apostas onde os capoeiristas juntavam o dinheiro das apostas num lenço, amarrando-o como se fosse uma trouxa. O jogo consistia em disputar quem conseguia apanhá-la primeiro. Até seria fácil se os jogadores não tivessem que utilizar a boca e apenas dois ou três pontos de apoio. Já o Amazonas é uma dança baseada no movimento dos animais. A associação Abadá, vem demonstrar como a capoeira, que durante muitos anos foi associada a cultos afro-brasileiras e considerada como uma luta de rua e de bairros da lata, ocupa hoje um lugar preponderante no Brasil, estando classificada como património cultural brasileiro. Emirec

FUTEBOL

Fotografia: António Mota

V Torneio Internacional Odivelas SAD continua do Casal do Rato na Taça de Portugal

O

Grupo Recreativo e Cultural Presa/Casal do Rato realiza no fim-de-semana de 18 e 19 de Setembro o V Torneio Internacional de Futsal. Esta edição tem como patrono o ex-selecionador nacional e actual treinador do Sporting, Orlando Duarte e conta com os apoios da Câmara Municipal de Odivelas e Junta de Freguesia da Pontinha. O torneio disputa-se no Pavilhão Municipal Susana Barroso nas categorias de traquinas a juniores e está homologado pela Associação de Futebol de Lisboa e Federação Portuguesa de Futebol Os traquinas do Casal do Rato disputarão um jogo contra o Infantado. No escalão de benjamins as equipas participantes são; Casal do Rato,

Nova Odivelas 11

Póvoa de Santo Adrião Atlético Clube, AMA Zona Sul e CD Vinhais. Em infantis participam as equipas do Casal do Rato, Infantado, Alcorcon (Espanha) e ACO. No escalão de iniciados participam as equipas do Casal do Rato, União de Leiria, Alcorcon (Espanha) e Benfica. Nos juvenis os clubes representados são o Casal do Rato, Sporting, Boavista e Académica de Coimbra. No escalão dos mais velhos, juniores, competem Casal do Rato, Sporting de Braga, Boavista e Académica de Coimbra. Os jogos desenrolar-se-ão durante todo o fim-de-semana, iniciando-se às 9h00 de Sábado e culminando a com a final de juniores às 18h30 de Domingo seguida da tradicional entrega de prémios. DB

N

o primeiro jogo oficial da época, que foi para a Taça de Portugal, o Odivelas SAD venceu o Pampilhosa por 1-0, perante uma centena de espectadores. O Odivelas, da 3ª Divisão, teve como adversário o Pampilhosa, da 2ª Divisão. Antes do início do jogo, houve um minuto de silêncio em homenagem daquele grande Homem que deveria servir de exemplo para aqueles que andam nas lides do futebol, e não só. Homem esse, que tem como nome, José Torres. Paz à sua alma! O Odivelas, com uma equipa bastante jovem e inexperiente, começou o jogo um pouco nervoso, mas com vontade e querer. Com a qualidade dos seus jogadores, veio a

criar várias jogadas de bom futebol, que resultaram num magnífico golo antes de terminar o primeiro tempo. Na segunda parte, o Pampilhosa, foi à procura do golo da igualdade, mas os jovens do Odivelas não se deixaram impressionar, criando até, algumas oportunidades de aumentar a vantagem, mas o jogo terminou com um resultado justo pela vitória do Odivelas. Boa arbitragem. Assim, o Odivelas SAD segue em frente não se conhecendo ainda o adversário da segunda eliminatória já que o sorteio se realiza hoje, às 16h00 na sede da Federação Portuguesa de Futebol. O jogo será realizado a 19 de Novembro. António Mota

Badminton da ARCIP A equipa de badminton da Associação Recreativa e Cultural Indo Portuguesa iniciou a 01 de Setembro os seus treinos que se vão realizar no Pavilhão da Escola Secundária Pedro Alexandrino, às Quartas-feiras das 20h30 às 22h00 e às Sextas-feiras das 19h00 às 21h00. «Todos os jovens que queiram praticar badminton de forma divertida e tenham entre 8 e 18 anos poderão comparecer equipados para desfrutar um treino acompanhado pelo Departamento Técnico. Este projecto vai ao encontro de todos os jovens estudantes das Escolas de Odivelas e arredores, e que é um desafio para fomentar a prática do Badminton» diz a direcção da ARCIP em nota enviada ao Nova Odivelas. Administrador de Insolvência do OFC Soube-se esta semana que o Administrador da Insolvência do Odivelas Futebol Clube, Florentino Matos, apresentou a sua renúncia do cargo alegando falta de condições para o desempenho cabal da sua missão.

AGENDA FIM-DE-SEMANA [11 e 12 SET] Sábado FUTEBOL Juniores: Alverca ● CAC Juniores: Ac. Santarém ● Odivelas FC Domingo FUTEBOL Seniores: Águias Musgueira ● CAC Seniores: Odivelas SAD ● Peniche


12

Nova Odivelas

10 Setembro 2010

EMPREENDEDORES

PUBLIRREPORTAGEM. A sua empresa no Nova Odivelas. Informe-se. Telemóvel: 966 569 857

PUBLIRREPORTAGEM

Miniauto

é garantia de satisfação nas reparações realizadas

Desde 1971 na área da reparação automóvel, a Miniauto é, para os seus clientes muito mais que uma oficina. Este nome significa honestidade, competência profissional, actualidade tecnologia e, acima de tudo, clientes satisfeitos e fidelizados. Está em Odivelas, trabalha com todas as marcas mas tem especialização em viaturas Mercedes e é a oficina de eleição dos profissionais de Táxi. empresa, de natureza familiar, foi fundada por João Martins, na Rua Augusto Gil em Odivelas. Tendo dedicado grande parte da sua vida à empresa, o seu fundador, apesar de ainda estar ligado a Miniauto abrandou um pouco e deixou que, em 1994, os seus quatro filhos, Adélia, Armando, Artur, e Luís tomassem um pouco as rédeas do negócio dandolhe um novo impulso que levou a que em 2001 fossem inauguradas novas e modernas instalações na Estrada da Paiã, mantendo as instalações originais, por razões históricas e sentimentais mas também pela própria natureza da empresa e dos serviços que presta. Cada um dos irmãos, tem na empresa áreas de actividades definidas. Armando Martins tem a seu cargo as oficinas, estando as áreas das peças e administrativa à responsabilidade dos seus irmãos. Apesar de oficina multimarca, a Miniauto especializou-se em viaturas da marca Mercedes sendo que cerca de 80% das reparações são em viaturas deste fabricante alemão. A proximidade comercial com a AMJ, empresa especializada em peças para viaturas Mercedes ajudou a esta especialização na marca. Grande parte dos clientes da Miniauto são taxistas. Sabendo-se que estes profissionais são exigentes e criteriosos na escolha das oficinas com que trabalham, porque dependem da viatura diariamente, não a podendo ter imobilizada por largos períodos, o facto de escolheram a Miniauto significa que confiam na capacidade de resposta, na qualidade de serviço, nos preços pratica-

cedores já nos conhecem e sabem que a Miniauto gosta de estar sempre actualizada em matéria de equipamentos». É por isso que a empresa dispõe, no diagnóstico, «Dois equipamentos que nos permitem dar uma resposta total em veículos Mercedes». Da mecânica à electricidade, da chapa à pintura, a Miniauto dispões de secções para dar resposta a todas as necessidades de reparação das viaturas que lhe são confiadas pelos clientes.

Seriedade, Competência técnica e Inovação são características da Miniauto

A

dos e, acima de tudo, como refere Armando Martins, «Na seriedade com que trabalhamos». Para o responsável das oficinas da Miniauto «O profissionalismo começa com a seriedade com que trabalhamos com o cliente. Por outro lado, como trabalhamos muito a crédito, temos de fazer bem à primeira para que exista uma grande confiança entre nós e o cliente e vice-versa». Armando Martins defende ainda que «Para se ser profissional é preciso uma aposta constante na formação» o que a Miniauto concretiza, a par de uma constante inovação no que respeita ao equipamento das oficinas. «Os forne-

A qualidade do serviço prestado, a honestidade empresarial e o bom nome conquistado no mercado permitem que, apesar da crise financeira e da época menos boa que vivemos, a Miniauto não regista quebras nos serviços prestados que se tem mantido estável nos últimos anos. Nas duas instalações a Miniauto dispõe de mais de 1000 m2 de aérea destinada às reparações, dividida nas secções de Pintura, Chapa e Mecânica, esta última incluindo os serviços de diagnóstico. Um dos factores deste sucesso empresarial da Miniauto são, segundo Armando Martins, os seus recursos humanos. «Temos de agradecer aos nossos colaboradores, alguns deles connosco há mais de 17 anos, que são acima de tudo amigos e que têm contribuído para o sucesso desta empresa e para aquilo que é no fundo a nossa imagem de marca, a seriedade e o profissionalismo que temos para com os nossos clientes».

MINIAUTO MORADA: Estrada da Paiã, Quinta do Lamas, Lt 1, Armazém D, 1675-088 Pontinha TEL.: 214 787 500 TEL.: 214 787 505 E-MAIL.: miniauto@mail.telepac.pt WEBSITE: www.miniauto.pt


10 Setembro 2010

Nova Odivelas 13 PUB


14 PUB

Nova Odivelas

10 Setembro 2010

Odivelas Life

Miguel Vieira

Nascido em Campolide a 14 de Fevereiro de 1977, veio para o Casal Novo, na freguesia de Caneças, com 7 anos, e por cá ficou. Casado há seis anos e ainda sem filhos é licenciado em Psicologia, área clínica e tem Pós-graduação em Administração e Políticas Públicas. É presidente da Mesa da Assembleia-geral da Associação de Moradores do Casal Novo e vogal da Junta de Freguesia de Caneças onde detém os pelouros do Meio Ambiente, Sinalização e Trânsito, Publicidade e Ocupação de Via Pública. Desde 1995 que é funcionário da Câmara Municipal de Loures onde é psicólogo na Divisão de Juventude do Departamento Sociocultural. Diz que as pessoas o consideram «Calmo, batalhador, amigo do seu amigo e com algum sentido de humor». 1. Qual foi o último livro que leu? Administração e Política, de Juan Mozzicafreddo. 2. Qual é a sua viagem de sonho? Estados Unidos da América. 3. Que personalidade mais admira? Mahatma Gandhi. 4. Qual foi o filme que mais o marcou? O Curioso Caso, de Benjamin Button. 5. A que prato de comida não resiste? Arroz de pato feito pela minha sogrinha. 6. Prefere praia ou campo? A combinação das duas. 7. Bebida? Sangria. 8. Qual é o seu clube desportivo? A nossa Selecção. 9. Não dispensa a companhia do… Meu telemóvel. 10. O que o faz feliz? Sentir que consigo ajudar as outras pessoas. 11. De que tem medo? Solidão. 12. Orgulha-se da… Minha família. 13. Qual é a sua maior ambição? Ser feliz e fazer os outros felizes. 14. E o maior sonho? São tantos… 15. Um lugar para descansar… Parque Natural de Montesinho. 16. Onde se sente melhor? Em casa na companhia da minha esposa. 17. Se não fosse Psicólogo o que seria? Gestor. 18. Não vive sem… A companhia dos meus amigos. 19. Quem gostaria de conhecer? Barack Obama. 20. Por último, um desejo… Que todas as pessoas consigam alcançar os seus objectivos e desejos.


10 Setembro 2010

Realmente! «O Jardim da Ribeirada foi executado no momento menos correcto. Inicialmente aconteceu como medida eleitoralista. Acabou por ser inaugurado em Novembro depois das eleições. (…) Encontra-se em reconstrução. Não é do conhecimento público se o empreiteiro tem ou não responsabilidades. Mais de cem mil euros foram deitados fora. O projecto foi mal edificado e o principal erro residiu no aproveitamento das centenas de toneladas de terra que ali foram despejadas poucos meses antes, no pressuposto de construir uma pista de BTT, ideia inicial para o local amplamente noticiada. A terra não devia ter ficado no espaço. O empreiteiro não conseguiu tempo para compactar essas terras que foram removidas e espalhadas por quase toda a área do jardim. Claro está, aumentaram os planos inclinados e os consequentes riscos de desligamento de terras. Depois podemos discutir o conceito concretizado nos caminhos pedonais e nas escadas, tanto mais que era de esperar, para quem tem dois dedos de testa, que às primeiras chuvas fortes passaríamos a ter sulcos quase intransitáveis. Também as áreas relvadas não servem para nada, nem para os pais darem uns pontapés na bola com os filhos pequenos. Não existem 10 metros quadrados planos. Agora preconizam-se obras de reconstrução que dificilmente vão transformar o Jardim da Ribeirada num espaço de referência. O espaço carece de intervenção profunda e consequente, particularmente nos caminhos pedonais e escadarias para os quais existem várias opções mais ou menos dispendiosas e com materiais produzidos cá dentro do País. Obviamente para que estas obras sejam definitivas são precisos conhecimentos, trocas de informações e capacidade de análise. Necessitam-se eliminar erros e não optar por fracas desculpas… Se os pombos são muitos no concelho e comem as sementes da relva, então também se poderia equacionar um programa de controlo e contenção da população destas aves».

No b r e s C o n f i s s õ e s

C

Confesso, sim confesso…

omeço a ficar farta dos SMAS de Loures e por isso vejo-me na obrigação de prestar aqui a minha total solidariedade para com os sofredores munícipes da Terra da Oportunidades, a quem é retirada a oportunidade de ter águinha a horas e com pressão suficiente para acender o esquentador ou de ter a uma distância razoável um ecoponto ou um contentor de recolha de resíduos sólidos urbanos. Já agora, que também tivessem a oportunidade de não ter de conviver com monos que são colocados no dia da anunciada recolha mas que na semana seguinte, e por vezes ainda na outra, continuam sossegaditos no lugar onde foram depositados.

A

inda falando em monos. Fregueses de Caneças ligam para a junta a perguntar o dia da recolha. De lá dizem que não sabem mas dão um número de telefone para os fregueses perguntarem. O giro disto é que se liga para esse número e do outro lado está uma agente de seguros, que por acaso é simpática e já esta habituada a receber estas chamadas e dá logo o número dos SMAS. Oh presidente Armindo diga lá ao seu pessoal para corrigir o número... Tá bem?

N

a minha terra, a Pontinha, há mais de uma semana que uns vândalos malandrecos incendiaram uns contentores e os malandrecos não vândalos mas castigadores SMAS ainda não foram lá tirar os restos de plástico queimado. Mais uma vez digo, estou farta dos SMAS…

N

a passada semana falei aqui do apelo do senhor presidente da cidade aos seus fregueses no que diz respeito ao lixo. Na Quarta-feira à noite certamente que as orelhas do autarca ficaram a arder porque no programa Informalidades, disseramlhe das boas. António Pedro, ex-candidato a presidente da junta e Graça Peixoto, ex-presidente, bateram forte e feio neste apelo dizendo que em vez de criticar os fregueses o senhor presidente devia era exigir aos SMAS que fizessem a sua obrigação.

N

D

Nova Odivelas 15

Maria Ricardina de Marmelo e Sá Viscondessa da Memória confissoes@novaodivelas.pt

urante uma semana os Pedernais e a Encosta do Mourigo estiveram com cortes constantes no abastecimento de água. Desta vez, segundo explicações aos moradores não era falta de pressão nem rede envelhecida mas uma malandra de uma água, que vinha não se sabe de onde e se infiltrava na canalização provocando aumentos de pressão e consequentemente as rupturas. Parece que alguém terá aberto uma válvula de passagem que os serviços não conseguiam identificar porque as condutas mais antigas não tinham cadastro. Ai Portugal, Portugal, como canta o Paulo de Carvalho.

N

a semana passada falei aqui do Nuninho Viajante. Oh meu Deus, mas onde estava eu com a cabeça? Claro que os meus leitores perceberam logo que eu queria dizer Bruninho. Tal como prometi lá fui à Ramada ver a exposição. O jovem até tem jeitinho e umas fotos muito boas. Tenho pena de ele não gostar de fotografar eventos porque se gostasse nomeava-o já fotógrafo oficial da Ricardina para fazer as reportagens das minhas vernissages. Mas pronto o jovem tem voos maiores e quer fazer guias turísticos. Desejo-lhe sorte que ele merece e mando-lhe um beijinho. Mas fiquei triste por ver que na inauguração não estava nenhum dos habituais VIP’s de Odivelas, daqueles que não perdem uma no Centro de Exposições. Mas enfim nós até sabemos que os jornalistas e fotógrafos não costumam ir muito àquelas exposições mais pequenas.

N

o dia a seguir à exposição do Bruninho, inauguraram-se exposições no referido Centro de Exposições. Claro que a casa tava cheia… Pois… Odivelas terra de cultura, desde que haja fotografia… Olhem, dói-me a cabeça… Não escrevo mais hoje. Fiquem bem que eu fico também!

o Trigache uma lixeira a céu aberto manteve-se mais de uma semana até que os SMAS acordassem e lá fossem limpar todo aquele lixo. É muito tempo. Confesso… Estou farta dos SMAS.

~ Gu ard a R eal ~

~ Flas h d o Re ino ~

José Maria Pignatelli em A Minha Cidade no Diário de Odivelas

SIMPRUS PRESS, COMUNICAÇÃO LDA Av. de Lisboa, 103 B - 2605-002 Casal de Cambra TLF: 219 817 000 FAX: 219 817 009 || NIPC: 509 172 962 || DIRECTORA GERAL: Helena Figueira [helena_figueira@simpruspress.pt] TLM: 966 569 857 || DIRECTOR DE INFORMAÇÃO: Henrique Ribeiro [henrique_ribeiro@simpruspress.pt] TLM: 962 646 230 || DIRECTORA FINANCEIRA: Manuela Escoval || CONTABILIDADE: Adélia Santos [adeliasantos@simpruspress.pt] || PUBLICIDADE: [publicidade@simpruspress.pt] TLM: 966 569 857 NOVA ODIVELAS - Semanário do Concelho de Odivelas Av. de Lisboa, 103 B - 2605-002 Casal de Cambra TLF: 219 817 000 FAX: 219 817 009 || DIRECTOR: Henrique Ribeiro [henrique_ribeiro@simpruspress.pt] || PUBLICIDADE: Helena Martins [publicidade@simpruspress.pt] TLM: 966 569 857 || DESIGN: Nuno P. Silva [nunopsilva@simpruspress.pt] || COLABORADORES: Eduardo Sousa, Miguel Lopes (Fotografia), Lina Manso, Sérgio Mendonça (Desporto) || COLUNISTAS: Edgar Valles, Fernando Tudela, Helena Jardim, Manuel Varges, Maria Máxima Vaz, Paula Paçó, Sofia Mendes, Teresa Salvado || CORRESPONDENTES: Olival Basto - Sara Sousa; Desporto - David Braga, Pedro Beato, Sandra Braga || REGISTO NO ERC: 123252 || DEPÓSITO LEGAL Nº: 105904/9 || IMPRESSÃO: GRAFEDISPORT Impressão e Artes Gráficas, SA - Rua Consiglieri Pedroso, Casal de Santa Leopoldina Queluz de Baixo || DISTRIBUIÇÃO: Casa-a-casa Distribuidores Lda. || TIRAGEM DESTE NÚMERO: 20 mil exemplares - Interdita a reprodução de textos e imagens sem o devido consentimento. || As crónicas e artigos de opinião ou de leitores são da inteira responsabilidades dos seus autores e podem não corresponder à orientação editorial do jornal.


Nova Odivelas PUB

Informação credível e completa


Edição 358  

Nova Odivelas 358 de 10 de Setembro de 2010

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you