Page 1

PESQUISA PARA 2016: RATINHO CAI, FRUET ESTACIONA E REQUIÃO FILHO É SURPRESA POLÍTICA | PÁG 3

Nº 312

’ ANO S

NESTA SEXTA 13, CUT-PR FARÁ ATO EM DEFESA DA PETROBRÁS E DOS TRABALHADORES

www.noticiasparana.com

CIDADES | PÁG 4

Curitiba, 12 de março a 18 de março de 2015

Professores suspendem greve para que o governo possa cumprir acordo, mas mantém estado permanente de greve - Página 8

AULAS NA REDE ESTADUAL VOLTAM; AINDA HÁ ESCOLAS DEGRADADAS BRASIL | PÁG7

Tânia Rêgo/ Agência Brasil

"Porteira da corrupção" na estatal foi aberta pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB); "Desde que alteraram o regulamento de licitações da Petrobras

CUNHA REVELA: FHC ABRIU PORTA DA CORRUPÇÃO NA PETROBRAS ESPORTE | PÁG9

CIDADES | PÁG5

VEÍCULOS | PÁG 10 MUNDO | PÁG 7 CIDADES | PÁG 6

CLAUDINEI PINHAIS CONTARÁ PRAZO PARA ARRANHA-CÉU CÍRCULOS AZUIS APROVA NOVO COM BIOMETRIA MULTA DE DE 57 ANDARES IDENTIFICAM DIRETOR DE É ERGUIDO NOVA PARA PRÓXIMAS EXTINTOR ANTIGO FUTEBOL DO CAP DEVE SER ADIADO EM 19 DIAS CICLORROTA ELEIÇÕES


OPINIÃO

2 Curitiba, 12 de março a 18 de março de 2015

TEMPO

EDITORIAL

“ g g

OS RATOS ESTÃO ABANDONANDO O BARCO. VOCÊ VAI FICAR?

O jornal que mais cresce em toda Região Metropolitana de Curitiba

ANOS

www.noticiasparana.com

Antes de botar o pé fora de casa, aqueles simpáticos à ideia de defender o impeachment da presidenta Dilma, no próximo dia 15, deveriam se perguntar em primeiro lugar se existe base jurídica para tal. Logo em seguida devem pensar nas consequências imediatas e futuras que seu ato pode trazer ao Brasil e os brasileiros. Este comportamento ajuda a desestabilizar o país e pode ser um grave erro, porque os resultados dai advindos virão para todos e são até certo ponto imprevisíveis. Quem prega a destituição de uma presidente eleita pela maioria dos brasileiros, sem nenhuma razão concreta, pode sofrer mais tarde, inclusive a humilhação de entender que foi massa de manobra daqueles que mesmo tendo a certeza de que o impeachment não vai acontecer, insuflam a população a se manifestar pelo golpe já como estratégia para

E X P E D I E N T E

2018.

O que querem na verdade é desestabilizar, criar um clima pouco propício ao desenvolvimento econômico do país. Desta forma ficará mais fácil provar na próxima campanha presidencial que o PT não foi capaz de governar. Por mais que tucanos de alta plumagem como FHC, os senadores Aécio Neves, Aloísio Nunes, Álvaro Dias, Cássio Cunha Lima e Serra, afirmem que são a favor das manifestações populares, eles não estarão entre os manifestantes, expondo a pele ao sol como cidadãos ou políticos. Não, eles não se exporão ao perigo das ruas. Assistirão a tudo de camarote. Até mesmo o mais feroz deles, o senador Aloysio Nunes, mudou de idéia sobre se juntar aos descontentes. Em reunião no Instituto FHC, semana passada, saiu dizendo que iria à manifestação do dia

P

15. No início desta semana, no entanto, ele disse que prefere que a presidenta permaneça no cargo e confessou sua nobre razão: “não quero que Dilma saia, quero ver ela sangrar. Em entrevista ao jornal espanhol El País, outro tucano pro impeachment, o senador José Serra (PSDB-SP), se superou com a seguinte pérola do pensamento: não sou contra o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff, mas ele não se coloca agora como questão política e não é uma palavra de ordem hoje. Acontece que o Governo está tão fraco que dá margem a que gente reivindique o impeachment. O conhecido jornalista Merval Pereira, ex-diretor de O Globo, reconheceu esta semana que a crise em Brasília, com a inclusão na lista da Lava Jato dos presidentes da Câmara e do Senado, enterrou de vez o impeachment de Dilma.

O que você precisa ler e saber

Santos & Ferrer Comunicação Ltda Fundado em 23 de fevereiro de 2006 - CNPJ 07.870.252/0001-10 Contato da Redação: (41) 3016-8710 E-mail’s: pauta@noticiasparana.com/ comercial@noticiasparana.com Jornalista responsável: Erickson F. da Rosa Filho - 6426 DRT-PR Distribuição semanal Curitiba, Colombo, Almirante Tamandaré, Fazenda Rio Grande, Piraquara, Araucária, São José dos Pinhais, Pinhais, Quatro Barras, litoral e interior do Paraná R: Cyro Correia Pereira, 3616, N° 07 - CIC/Curitiba/PR - CEP: 81460-050

Os artigos assinados não representam necessariamente a opinião do jornal.

I a

q t a a

A d d d p

H e r 2 c p c n

a c


POLÍTICA PESQUISA PARA 2016: 3 PODERES RATINHO CAI, FRUET ESTACIONA

3

Curitiba, 12 de março a 18 de março de 2015

COM VALDIR CRUZ

Picler: “Reeleição está acabando com o Brasil”

E REQUIÃO FILHO É SURPRESA Apesar da vantagem no levantamento do Paraná Pesquisas, secretário perdeu 12 pontos desde dezembro. Motivo pode ser medidas do governo Richa Gusta

“A reeleição é que trouxe a crise que está aí. Os governantes gastam tudo o que têm para garantir mais um mandato e aí os governos quebram”.

O empresário do setor de educação, Wilson Picler, é um homem decidido e de decisões. É também um sonhador. Ele acaba de trocar o PDT pelo minúsculo PEN (Partido Ecológico Nacional) para realizar o sonho de ser candidato a prefeito de Curitiba. “Para que este desejo seja completo, só falta o prefeito Gustavo Fruet decidir não disputar a reeleição e liberar o vereador Jorge Bernardi para ser o meu vice”, diz, sonhando acordado. Profético e amante da natureza, como manda a cartilha do PEN, Picler cunhou uma frase de efeito baseada no naturalista francês Auguste de Saint-Hilaire (1779-1853) : “Ou o Brasil acaba com a reeleição ou a reeleição acaba como o Brasil”. Dita originalmente em 1822 pelo francês, a frase se referia à praga das formigas saúvas que devoravam tudo o que os nossos agricultores plantavam: “Ou o Brasil acaba com a saúva, ou a saúva acaba com o Brasil”.

IPVA: porteira se abriu ainda mais O governo Beto Richa tentou embargar a decisão que revoga o aumento da alíquota do IPVA para um motorista curitibano. E, de novo, perdeu. Isso significa que a porteira para derrubar definitivamente este tarifaço se abriu ainda mais. A primeira decisão saiu na semana passada. O Advogado Cléverson José Gusso conseguiu para o pai dele, Alfredo Gusso, uma liminar concedida pela juíza da Quinta Vara da Fazenda Pública, Patrícia de Almeida Gomes Bergonse, que o isenta de pagar o aumento proposto pelo governo. O governo recorreu, por meio do advogado George Hermann Rodolfo Tornin. E voltou a perder. Com mais esta vitória judicial do cidadão Alfredo Gusso, a porteira para a queda definitiva deste aumento da alíquota de 2,5 para 35% se escancarou. Agora, o tarifaço que visa cobrir o rombo que o próprio governador fez nas contas públicas está a perigo. Ou conforme o aviso para não chocar a sua excelência, que tem sofrido tantos baques nos últimos dias, o reajuste do IPVA subiu no telhado. Confira no: www.noticiasparana.com o anexo com a decisão na íntegra da juíza Patrícia Bergonse.

cruz.valdir@gmail.com

Ratinho Junior (PSC) 26,4%

Gustavo Fruet (PDT) 12,7%

Requião Filho (PMDB) 12,7%

Levantamento do instituto Paraná Pesquisas, encomendado pela Gazeta do Povo, mostra o secretário estadual de Desenvolvimento Urbano, Ratinho Jr. (PSC), na liderança da corrida eleitoral para a prefeitura de Curitiba em 2016, com 26,4% das intenções de voto. O atual prefeito, Gustavo Fruet (PDT), aparece em segundo lugar com 12,7%, tecnicamente empatado com o deputado estadual Requião Filho (PMDB), com o secretário estadual de Segurança Pública, Fernando Francischini (SD), e com o ex-prefeito Luciano Ducci (PSB).

A pesquisa reflete o impacto da queda de popularidade de Ratinho Jr. Além disso, aponta novos concorrentes de peso, como Francischini e Requião. Mesmo isolado na liderança, os números não empolgam Ratinho Jr. Em dezembro, pesquisa do mesmo instituto mostrava o secretário com 38% das intenções de voto e, assim como nas eleições de 2012, os votos de Ratinho estão concentrados nos eleitores de escolaridade mais baixa. Já Fruet aparece “embolado” com outros concorrentes. Terceiro colocado em

2012, Luciano Ducci (PSB) também não aparece bem. Na pesquisa de dezembro, ele chegou a fazer 17% em um dos cenários pesquisados – ficando na segunda colocação em um cenário sem Ratinho. Na pesquisa atual, ele oscila entre 13,3% e 8,3%, dependendo dos adversários. Por outro lado, Requião Filho e Francischini ganharam pontos e despontam como possíveis concorrentes de peso, assim como Ney Leprevost (PSD) e Rubens Bueno (PPS). Redação NP


CIDADES

4 Curitiba, 12 de março a 18 de março de 2015

Quem não pode com a formiga, não assanha formigueiro! Breve balanço da greve da educação pública do Paraná Este refrão na música “pisa maneiro” composição de Juvenal Lopes e Dilson Dória, tornou-se a principal referência tanto para o acampamento da APP-Sindicato e demais servidores, bem como, tem sido utilizado pelos Educadores, Educadoras e Estudantes pelo Paraná afora. Na adaptação livre das palavras de ordem, assanha foi substituída por atacar, atiçar ou mexer. Este mote refere-se ao fato do governador Beto Richa, ter pretendido exterminar com direitos de Professores, Funcionários e demais servidores e não ter medido as consequências, não poderíamos ter encontrado melhor definição. Todos que tiveram oportunidade de se ver com um formigueiro enfurecido, sabe a reação de milhares dessas criaturas tão pequeninas mas tão socialmente organizadas. Essa metáfora retrata muito bem o quanto a força de uma categoria organizada e ciente da necessidade de defesa de seus direitos é capaz. No conjunto de ações em que o governo do estado foi desmontado a escola pública e atacando ferozmente os direitos tão arduamente conquistados ao longo de décadas de lutas, o momento mais desafiador foi quando no dia 03 de fevereiro o governo envia a Assembléia Legislativa do Paraná um pacotaço de ataques aos direitos dos servidores especialmente da educação e também com ataques aos direitos previdenciários. Naquela tarde e noite foram inúmeras as mensagens de desespero que chegou ao sindicato, algumas pessoas choravam ante a eminente perda, frente a um governador tão fortalecido e com uma assembleia em que contabilizávamos apenas 06 deputados de oposição. Dissemos a todos que fossem para a assembleia estadual no dia 07 de fevereiro na cidade de Guarapuava (lobo bravo, na linguagem dos indígenas), e a turma confiando que juntos poderíamos reverter aquele caos, tal como as formigas, se dirigiram em mais de 10 mil à cidade do centro-sul do Paraná. As decisões de lá para cá foram todas muito acertadas, num cronograma que produziu uma das principais vitórias de trabalhadores nos últimos tempos no Brasil e na América Latina: - 09 fevereiro, início da greve geral com 100% de participação da categoria; - 10 fevereiro, primeira ocupação da Alep, para impedir a votação do pacotaço; - 11 fevereiro, a greve prossegue intensa e os deputados convocam nova comissão geral para o dia seguinte, foi preciso fazer um chamado intenso para que todos voltassem ao centro cívico; - 12 fevereiro, já pela manhã “formigas” em guerra fecham todas as entradas da Alep, vistoriando os carros do desembargadores do tribunal de justiça que tem passagem para o poder legislativo; Os deputados(as) organizam o estratagema de entrar cerrando um trecho da cerca e chegam de camburão, como a sessão aconteceria, foi preciso organizar a segunda ocupação, que rapidamente produziu o resultado de fazer o governo retirar o pacotaço; - 13 a 18 fevereiro, o carnaval curitibano também aconteceu no acampamento do formigueiro, visitas, debates, testemunhos, a chuva e o frio não arrefeceu nossos ânimos; - 19 e 20 fevereiro, finalmente o governo chama as mesas de negociação, embora alguns avanços não foi possível considerar chamar uma nova assembleia; - 25 fevereiro, mais de 50 mil, marcham sobre Curitiba num grande ato em defesa de educação pública. Nesse ambiente acontece a terceira mesa, carregada de tensões, o governo anuncia o esgotamento das reuniões de negociação, no relato, o grande público presente indica insuficiência nos avanços e a greve prossegue fortíssima; O governo procura o poder judiciário afim de acabar com a greve pela força; - 04 de março, o estádio Durival de Brito da Vila Capanema, acolhe mais de 20 mil Educadores(as), talvez na maior assembleia da história da APP-Sindicato; o formigueiro define por unanimidade continuar a greve por tempo indeterminado; O governo publica matéria no portal Agencia Estadual de Notícias em que produz alguns avanços na pauta; Nesta mesma data liminar determina que o Sindicato oriente o retorno ao trabalho em 24 horas. A APP evita a notificação; - 06 de março, a partir de uma luta para reverter o tema jurídico, com apoio de parlamentares aliados, o poder judiciário convoca as partes para uma reunião de conciliação em que mais alguns avanços são produzidos; Nova assembleia estadual é convocada; - 09 de março, mais de 15 mil Educadores e Educadoras comparecem novamente ao Estadio da Vila Capanema e definem suspensão da greve com manutenção do estado de greve. Uma bela carreata se dirige ao centro cívico onde o acampamento é encerrado. É possível afirmar que o governador atacou o formigueiro e não mediu realmente as consequências. Um mês de greve e a história do Paraná não será mais a mesma! Outros balanços serão necessários para que a compreensão desta conjuntura se estabeleça! Lutar sempre valerá a pena! As formigas já nos ensinaram!

*Hermes Silva Leão é professor de Educação Física e Pedagogo, especialista em Psicopedagogia e atua na rede pública estadual de ensino. É presidente da APP-Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná.

PREFEITURA DE PIRAQUARA CONVIDA PARA A III CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE Evento será alusivo ao Dia da Água e tem como tema o pagamento por serviços ambientais

No dia 25 de março a Prefeitura de Piraquara, por meio da Secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo, promove a III Conferência Municipal de Meio Ambiente. O evento tem como tema o Pagamento por Serviços Ambientais, com o objetivo de mostrar a importância da preservação dos mananciais existentes no município e como isso pode ser valorizado. A data do encontro

foi escolhida em alusão ao Dia Mundial da Água, que é comemorado no dia 22 março. Piraquara possui um grande potencial hídrico, já que, 93% do seu território é caracterizado como área de manancial para abastecimento público. Por este motivo, o principal tema do evento será a valorização da preservação e como isso pode ser rentável para os

proprietários de áreas locais. Programação A III Conferência Municipal de Meio Ambiente será aberto ao público e terá início às 8h, no dia 25 de março (quarta-feira), na Câmara Municipal de Piraquara (Av. Getúlio Vargas, 1511 – Centro). Confira no site da prefeitura a programação completa. Redação NP/ PMP

NESTA SEXTA 13, CUT-PR FARÁ ATO EM DEFESA DA PETROBRÁS E DOS TRABALHADORES Nesta sexta-feira (13) diversos atos acontecerão, simultaneamente, em todo Brasil. É o Dia Nacional de lutas que em defesa da Petrobrás, em defesa dos direitos conquistados, contra o ajuste fiscal e em defesa de uma reforma política através de uma assembleia constituinte exclusiva e soberana. Em Curitiba o ato acontecerá a partir das 17h na Praça Santos Andrade, no centro da capital. “Os pontos estão interligados. Precisamos de uma política econômica que esteja aliada ao desenvolvimento social. Não aceitaremos o ajuste fiscal, sobretudo com a retirada de direitos da classe trabalhadora. Direitos não se retiram, se ampliam”, afirma a presidenta da CUT Paraná, Regina Cruz.

De acordo com ela, é preciso ampliar a representatividade da classe trabalhadora nos espaços de poder e discussão política. Contudo, este fato só será possível com uma ampla reforma política que tenha como base uma reforma política feita por uma constituinte exclusiva e soberana. “Com este modelo, que permite financiamento empresariala de campanha, como é possível um trabalhador concorrer com um candidato que tenha por trás de si uma série de grandes empresas e empreiteiras? Com qual objetivo estas empresas financiam seus candidatos? Para acabar com a corrupção e promover um sistema efetivamente democrático precisamos, passar por uma reforma política. Mas não podemos

correr o risco de que os atuais deputados a façam, pois não temos dúvidas que seguirão legislando em favor deles mesmos”, completa Regina. A CUT e os movimentos sociais defendem uma ampla, profunda e irrestrita investigação sobre as denúncias de corrupção envolvendo a Petrobras. Contudo, não é possível desacreditar a empresa e abrir caminho para que a empresa possa ser privatizada. “Já conhecemos, de antemão, este tipo de tática e o resultado não foi nenhum pouco positivo para a sociedade brasileira. Além disso, há uma confusão acontecendo e que atinge os trabalhadores da empresa. É preciso separar todas estas coisas”, finaliza Regina. Redação NP/CUT-PR

C

“ q e

r O t

a j u “ e e a

t p m d e c a t v e a

l d g

P

N


a o 5 a ,

-

P

o -

a

-

é a . , o -

CIDADES

5 Curitiba, 12 de março a 18 de março de 2015

Gleisi Hoffmann

“Terei condições de provar que nada tenho com este esquema”, diz Gleisi A senadora Gleisi Hoffmann voltou a negar relação com as acusações que envolvem seu nome na Operação Lava Jato após divulgação da lista de investigados. “O maior patrimônio que eu tenho, construído ao longo destes anos é o meu nome e a minha trajetória pública em defesa do direito das pessoas e de uma sociedade com justiça social”, disse a senadora. “E tranquilidade, porque eu não temo a investigação e terei condições de provar que nada tenho com este esquema que atacou a Petrobras”, completou. Confira abaixo nota divulgada por Gleisi. “Recebo a notícia desta investigação com tristeza e ao mesmo tempo com tranquilidade. Tristeza por ter meu nome envolvido em caso de corrupção. O maior patrimônio que eu tenho, construído ao longo destes anos é o meu nome e a minha trajetória pública em defesa do direito das pessoas e de uma sociedade com justiça social. E tranquilidade, porque eu não temo a investigação e terei condições de provar que nada tenho com este esquema que atacou a Petrobras. A investigação é oportunidade de esclarecimento dos fatos e espero que seja a forma de acabar com o julgamento antecipado. Não conheço e jamais mantive contato com Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef. Reafirmo minha disposição de colaborar com todo o processo investigatório”. *Gleisi Hoffmann é senadora pelo Paraná

25ª FEIRA DO PEIXE VIVO SERÁ NOS DIAS 01º E 02 DE ABRIL EM ARAUCÁRIA O evento terá 37 barracas onde serão vendidos peixes frescos direto do piscicultor para o consumidor e 19 barracas na praça de alimentação A Prefeitura de Araucária já começou os preparativos para a 25ª Feira do Peixe Vivo. Será nos dias 01º e 02 de abril, das 8h às 22h, no Parque Cachoeira. O evento terá 37 barracas onde serão vendidos peixes frescos direto do piscicultor para o consumidor e 19 barracas na praça de alimentação. Quem for ao local também encontrará artesanato, chocolates, queijos e vinhos. Haverá recreação para as crianças. A entrada é gratuita. Estarão disponíveis várias espécies de água doce, principalmente carpas (comum, capim, húngara e cabeçuda), tilápias e bagres (jundiá, catfish (americano) e africano). A limpeza dos peixes será realizada pela Associação de Mães Três Marias, por indicação da Associação de Proteção à Maternidade e

à Infância (APMI), e cobrada à parte. A Prefeitura vai doar o material necessário para o serviço e a arrecadação ficará com a Associação. A novidade esse ano é um estande montado pelos organizadores para contar a história da Feira do Peixe Vivo. Além de fotos e vídeos, todas as camisetas do evento ao longo das 25 edições já realizadas também estarão expostas. O prefeito Olizandro

Ferreira destaca a importância do evento. “Todos estão convidados a prestigiar a Feira do Peixe Vivo, que esse ano chega a sua 25ª edição. Estamos organizando um evento que seja bom para os nossos piscicultores, que podem escoar a produção e gerar renda, e para a nossa população, que pode comprar produtos frescos e de qualidade com preços bons”, comenta. Redação NP/ PMA

PINHAIS CONTARÁ COM BIOMETRIA PARA AS PRÓXIMAS ELEIÇÕES Na semana passada, o prefeito Luizão recebeu representantes da Justiça Eleitoral para conversar sobre o assunto Desde novembro passado, o Tribunal Regional Eleitoral do Paraná disponibiliza a captação de dados biométricos para os eleitores de Pinhais. E durante a semana passada, representantes da Justiça Eleitoral reuniram-se com o prefeito de Pinhais, Luizão Goulart para falar sobre o tema. Participaram do encontro o presidente do TREPR, o desembargador Jucimar Nobochadlo; a diretora geral Ana Flora; o secretário de Planejamento, Estratégia e Gestão do TRE-PR, Valcir Mombach; os juízes eleitorais de Pinhais, Haroldo Demarchi Mendes e Marcia Regina Herandez de Lima; além dos chefes dos cartórios do município, Maria Anda não realizaram o ca- necessário fazer o agendagela de Oliveira e Daniel Be- Serviço Para aqueles que aindastramento biométrico é mento no site www.tre-pr. har Ribeiro.

jus.br/eleitor Redação NP/ PMA


CIDADES

6 Curitiba, 12 de março a 18 de março de 2015

Daniel Mittelbach

Contra todo retrocesso

É verdade que muitas vezes nos deixamos levar pela correria do dia a dia e não prestamos atenção seriamente no que a mídia veicula. A grande imprensa sabe disto, e muitas vezes aposta nisto, quando decide dar determinado enfoque, com mais ou menos profundidade, nas notícias que veicula. Como essas notícias já vem resumidas e com uma linguagem de fácil compreensão, nossa tendência é toma-las como verdadeiras e deixar que elas moldem nossa forma de ver o mundo. Neste caso, o risco que corremos é o de nos deixarmos manipular pelas intenções políticas que se escondem por trás desta imprensa. Vale a pena ressaltar que, apesar de serem concessões públicas, os grandes veículos de comunicação são na verdade grandes empresas, alguns até megacorporações, tais como as empreiteiras e os bancos que hoje povoam seus noticiários. Esse é o motivo pelo qual você não vê nesta imprensa várias notícias importantes, muitas delas que envolvem assuntos de soberania nacional, como as manifestações que irão tomar as ruas de todo o país no próximo dia 13 de março no Dia Nacional de Lutas em defesa dos Direitos da Classe Trabalhadora, da Petrobrás, da Democracia e da Reforma Política. Em Curitiba, a concentração dos manifestantes será às 17h na praça Santos Andrade. Defender os Direitos da Classe Trabalhadora Defender os direitos da classe trabalhadora significa que queremos ver implantada no Brasil a agenda do desenvolvimento, com geração de emprego e renda. Além disto, reafirmamos que governo nenhum pode mexer nos direitos da classe trabalhadora e quem ousar duvidar de nossa capacidade de organização e mobilização verá do que somos capazes. Neste sentido nossa luta é contra as medidas de ajuste fiscal que prejudicam nossa classe. Não são os trabalhadores que devem pagar pela crise do Capitalismo. As Medidas Provisórias 664 e 665, que restringem o acesso ao seguro desemprego, ao abono salarial, pensão por morte e auxílio doença são ataques a direitos duramente conquistados pela classe trabalhadora. Ora, se o governo quer combater fraudes, deve aprimorar a fiscalização; se quer combater a alta taxa de rotatividade, que taxe as empresas onde os índices de demissão imotivada são mais altos do que a média do setor, e que ratifique a Convenção 158 da Organização Internacional do Trabalho. Se quer que alguém pague pela crise, que taxe as grandes fortunas, que combata o rentismo e crie impostos sobre os artigos de luxo. Nossa luta também é contra o Projeto de Lei 4.330/2004 que, da maneira como está redigido, libera a terceirização ilimitada dentro do serviço público e nas empresas do setor privado, aumentando o subemprego, reduzindo os salários e colocando em risco a vida dos/as trabalhadores/as. Defender a Petrobrás Defender a Petrobrás é defender a empresa que mais investe no Brasil – mais de R$ 300 milhões por dia – e que representa 13% do PIB Nacional. A Petrobrás é hoje o principal pilar de sustentação de nossa economia e defendê-la significa melhores empregos e mais avanços tecnológicos, para construir uma nação mais justa e igualitária. Defender a Petrobrás é defender um projeto de desenvolvimento do Brasil, com mais investimentos em saúde, educação, geração de empregos, investimentos em tecnologia e formação profissional. Fortalecer a Petrobrás é garantir que os recursos do petróleo sejam aplicados nas áreas sociais, em especial na educação e na saúde. Defender a Petrobrás é defender ativos estratégicos para o Brasil. É defender um patrimônio que pertence a todos os brasileiros e a todas as brasileiras. É defender nosso maior instrumento de implantação de políticas públicas que beneficiam toda a sociedade. Por Daniel Mittelbach, secretário de comunicação da CUT-PR

CÍRCULOS AZUIS IDENTIFICAM NOVA CICLORROTA DE CURITIBA É a primeira ciclorrota sinalizada da cidade, que irá ligar o bairro Portão à PUCPR, no bairro Prado Velho, e à Avenida Comendador Franco Jaelson Lucas / SMCS

" F r

C ( i T t d e a d é e G m

A Prefeitura de Curitiba está implantando a primeira ciclorrota sinalizada da cidade, ligando o bairro Portão à Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), no bairro Prado Velho, e à Avenida Comendador Franco (Avenida das Torres). Os círculos azuis, que chamaram a atenção da população curitibana nos últimos dias, identificam a ciclorrota. O trecho tem 6,2 quilômetros de vias compartilhadas por carros e bicicletas, com velocidade máxima permitida de 30 quilômetros por hora (Km/h). A sinalização viária nas ruas que compõem a ciclorrota e no seu entorno está sendo finalizada – o lançamento será feito no sábado (14). “Esta primeira ciclorrota de Curitiba representa mais um passo na consolidação do Plano Cicloviário da cidade. Queremos que a bicicleta seja, cada vez mais, uma opção segura de deslocamento para a população”, diz o presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), Sérgio Pires. A

atual gestão já implantou em Curitiba mais de 70 quilômetros de vias cicláveis, com destaque para o projeto da Via Calma da Avenida Sete de Setembro (com 6,3 km de ciclofaixas preferenciais), a implantação das ciclovias da Avenida Comendador Franco e da Linha Verde Sul e Norte, e a requalificação da ciclovia da Avenida Mal. Floriano Peixoto. A ciclorrota PortãoPUC tem o seguinte trajeto, em mão dupla: início no cruzamento da Avenida República Argentina com a Rua Morretes, seguindo pelas ruas Amazonas, Paranaguá, Pará, São Paulo, Otávio Francisco Dias, Madre Maria dos Anjos e Baltazar Carrasco dos Reis. Da Baltazar Carrasco dos Reis, a ciclorrota segue por dois caminhos: pela Rua Imaculada Conceição, em uma ciclofaixa de 300 metros até a entrada da PUCPR; e até a ciclovia da Avenida Comendador Franco.

rrota está identificado com 47 círculos de 2,5 metros de diâmetro, com fundo azul e uma bicicleta pintada no centro. Nos cruzamentos, também foram pintadas figuras de bicicletas. Em todas as transversais da ciclorrota há placas amarelas com sinalização indicativa de tráfego com bicicletas à frente. O coordenador de mobilidade urbana da Secretaria Municipal de Trânsito, Gustavo Garrett, destaca que as ciclorrotas permitem que o ciclista se locomova com maior segurança, pois são vias de velocidade mais baixa, de 30 km/h. “A sinalização especial alerta os motoristas da criação destes espaços com prioridade ao ciclista. Essas rotas fornecem um sistema viário mais seguro aos ciclistas, gerando possibilidades de utilizar a bicicleta em vias com menor tráfego de veículos. As ciclorrotas são caminhos alternativos que saem do interior dos bairros e chegam aos eixos ciCírculos cloviários principais”, diz. Todo o trecho da cicloRedação NP/SMCS

d p n e r s d d C s

i A p b

C A

B e p g a c

n s m c s c v

m p t


6

m e e e s -

a s r e 0

l o e s o a r s -

S

BRASIL & MUNDO

7 Curitiba, 12 de março a 18 de março de 2015

CUNHA: FHC ABRIU A PORTA DA CORRUPÇÃO NA PETROBRAS

GIRO PELO MUNDO

"Porteira da corrupção" na estatal foi aberta pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB); "Desde que alteraram o regulamento de licitações da Petrobras o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que é um dos investigados pelo Supremo Tribunal Federal por suposto envolvimento no esquema de corrupção na Petrobras, eximiu o Congresso Nacional de participação em desvios de dinheiro da estatal. "Esse é um esquema do Poder Executivo. A corrupção está no Governo, não está no Parlamento", afirmou Cunha. Segundo o presidente da Câmara, o fato de haver pedidos investigação abertos no STF contra 22 deputados e 12 senadores, além de outros 12 ex-deputados, todos suspeitos de se beneficiarem do esquema de arrecadação de propinas não implica ao Congresso a materialidade sobre os atos ilícitos. "A corrupção não existiu pelo Poder Legislativo. Alguns parlamentares até podem ter apoiado sem saber que era corrupção, pela

natureza política. Outros, podem ter compartilhado", defendeu Cunha. "Essa crise é do Poder Executivo, não é daqui. Há uma nítida tentativa de transferir ela para cá. Como se fosse aqui que se assinasse a contratação de plataforma, que construísse refinaria, que convidasse cartel de empreiteiras para participar de licitação. Onde se faz isso é lá", completou. Eduardo Cunha classificou os atos de corrupção na Petrobras como "sistêmicos". Para ele, a porta de entrada foi o Decreto 2.745, assinado em 1998 pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), que mudou o regulamento de licitações na empresa, que deixou de obedecer a Lei 8666 [das licitações públicas] e passou a ter um regulamento próprio, por carta convite. "Desde que alteraram o regulamento de licitações da Petrobras. Ela deixou de

obedecer a Lei 8666 [das licitações públicas] e passou a ter um regulamento próprio, por carta convite. A partir disso se formaram os carteis e foi a porteira da corrupção." Questionado se as investigações devem se estender ao governo FHC, Eduardo Cunha afirmou que "ninguém está imune a investigação". "Todos podem e devem ser investigados". Mas Cunha se mostrou contrário à proposta da CPI da Petrobras investigar a corrupção no governo tucano. "O que eu falei em relação à CPI é que a ementa que pediu a criação dela tinha uma destinação. E eu sou regimentalista, não vou alterar. Se quiserem investigar o Governo Fernando Henrique façam uma ementa da CPI e colham as assinaturas para a investigação que envolva o Governo Fernando Henrique", afirmou. Redação NP/ Brasil247

Um membro da milícia conhecida como Hashid Shaabi ajoelha-se comemorando a vitória, após bombardeio contra militantes do Estado Islâmico, na cidade de Al-Alam, no Iraque

Polícia de Mianmar bate em estudante durante protesto que já dura mais de uma semana; eles protestam contra uma lei de educação que dizem sufocar a independência acadêmica, em Mandalay

CONSTRUTORA CHINESA CONSEGUE ERGUER ARRANHA-CÉU DE 57 ANDARES EM 19 DIAS A construtora chinesa Broad Sustainable Building, especializada em edifícios pré-fabricados, conseguiu erguer um arranha-céu de 57 andares em apenas 19 dias na cidade de Changsha. Em um vídeo postado no YouTube, a empresa com sede nessa mesma cidade mostra em câmera acelerada como se desenvolveu a construção, na qual os operários conseguiram montar três novos andares a cada dia. O edifício, de 186.000 metros quadrados, com capacidade para 800 apartamentos e espaço de escritórios para

4.000 pessoas, é o mais alto já construído pela companhia, famosa no país por outros feitos similares. Em 2010 a empresa construiu um hotel de 15 andares em 48 horas e no ano seguinte conseguiu o que até agora era sua maior conquista, outro hotel de 30 andares que levantou em 15 dias. Segundo um dos arquitetos da companhia, Zhang Xianmin, a construção em módulos é, além de rápida, muito mais sustentável que as técnicas convencionais, já que "reduz o uso de cimento em uma quantidade equivalente a 15.000 caminhões".

"Isso quase elimina a emissão de pó no ar, algo muito importante em uma China muito afetada pela poluição", destacou o arquiteto, que também ressaltou a eficiência energética de um edifício que economiza o equivalente a 12.000 toneladas de dióxido de carbono frente a arranha-céus de seu mesmo tamanho. A Broad Sustainable Building é a construtora que se propôs a construir, também na cidade de Changsha, o que seria o arranha-céu mais alto do mundo, a chamada "Sky City", de 220 andares. Redação NP/ G1

Barata com um chip de rádios é observada pro pesquisador me Bruxelas (Bélgica); o experimento quer determinar a 'personalidade' das baratas de acordo com seus padrões de movimentação

O embaixador americano Mark Lippert fala durante coletiva antes de sair do hospital Severance, em Seoul, Coreia do Sul; Lippert ficou em tratamento por cinco dias após ser atacado com facadas pelo agressor Kim Ki-jong


GERAL

8 Curitiba, 12 de março a 18 de março de 2015

Roseli Isidoro

Banalizar a barbárie é propagar o desprezo pela vida Domingo (8 de março) , nas redes sociais poemas, frases e mensagens registraram homenagens às mulheres pelo Dia Internacional da Mulher. Revistas, capas de jornais locais, blogs, programas de rádio e TVs, em suas programações, dedicaram espaços para contar a história do 8 de março, aproveitando também para homenagear personalidades femininas famosas ou anônimas. A surpresa desagradável, no entanto, em meio a essa euforia, veio ainda pela manhã com a publicação de uma charge do cartunista Chico Caruso no jornal “O Globo”, que trazia a imagem da Presidenta Dilma, com a vestimenta laranja, como os prisioneiros do Estado Islâmico, colocada em posição como alguém que estava prestes a ser degolada por um terrorista. A imagem logo se reproduziu e se espalhou pelas redes sociais, tirando o glamour e o brilhantismo do que parecia ser mais um 8 de março marcante. A “arte”, segundo analistas, não parece contextualizada com nenhum fato atual e deixa no ar a dúvida: o que afinal quis sugerir a figura? À noite, após o pronunciamento da Presidenta Dilma em cadeia nacional de rádio e TV, emissoras mostraram imagens gravadas de alguns prédios no momento do panelaço que ocorreu em várias cidades brasileiras. Leonardo Sakamoto, que é jornalista e doutor em Ciência Política, escreveu em seu blog, logo após o evento, artigo com o título “É preciso ‘coragem’ para chamar uma mulher de ‘vaca’ da janela do prédio”. Citou que, em São Paulo, o barulho foi grande em bairros ricos como Higienópolis, Jardins, Itaim Bibi, Perdizes, Vila Madalena, Morumbi. Por outro lado, quase nada se ouviu em bairros mais pobres, como Capão Redondo, Itaim Paulista, Cidade Tiradentes e Grajaú. Ele prossegue, dizendo que “chamar de ‘vaca’ não é fazer uma análise da honestidade e competência de alguém que ocupa um cargo público e, sim, uma forma machista de depreciar uma mulher simplesmente por ser mulher. De colocá-la no seu ‘devido lugar’, que é fora da política institucional”. Esses dois fatos ocorrem justamente no dia mais importante para marcar uma historia de luta das mulheres; Que está mundialmente vinculado às reivindicações femininas por melhores condições de trabalho, de respeito, por uma vida mais digna e sociedades mais justas, igualitárias, livres do preconceito, da discriminação e das várias formas de violências. E isto ocorreu justamente na semana em que ainda comemorávamos dois eventos importantes: Primeiro, a aprovação na terça-feira (3) pela Câmara dos Deputados do Projeto de Lei 8305/14 do Senado Federal, que inclui o feminicídio como homicídio qualificado, classificando-o ainda como hediondo, com penas previstas de 12 a 30 anos de reclusão. O projeto também trata do aumento da pena em 1/3 se o crime ocorrer durante a gestação ou nos três meses posteriores ao parto; contra meninas menores de 14 anos, maior de 60 ou pessoa com deficiência e na presença de descendente ou ascendente da vítima. Confira o conteúdo completo em nosso site Roseli Isidoro é secretária municipal da Mulher de Curitiba-PR.

AULAS NA REDE ESTADUAL VOLTAM; AINDA HÁ ESCOLAS DEGRADADAS

E

Professores suspendem a greve para que o governo possa cumprir o que foi acordado. Mas mantemos o estado permanente de greve

Os professores da rede estadual de ensino decidiram o futuro do movimento grevista na manhã da última segunda-feira (9), no estádio Vila Capanema, em Curitiba. A assembleia avaliou o conjunto de medidas apresentadas pelo governo estadual em negociação com o sindicato dos professores (APP-Sindicato) e o recuo na fusão de fundos do Paranaprevidência. Para a direção da APP “houve avanços” em relação a pauta rejeitada na primeira assembleia, realizada no último dia 4. Hermes Leão Silva, presidente do sindicato, avalia que os avanços na defesa dos direitos da categoria indicavam que era hora de suspender a paralisação. “Entendemos que é hora de suspender a greve para que

o governo possa cumprir o que foi acordado. Mas mantemos o estado permanente de greve diante do descrédito do governador”, disse. A entidade afirma que nova assembleia será convocada caso o pagamento do terço de férias, agendado para 31 de março, não seja realizado. Os professores retornam às salas de aula nesta quinta (12), mas o futuro é marcado por incertezas: o número de turmas por escola e também o número de alunos por turma estão afetando a organização da rede estadual de ensino para o início do ano letivo de 2015. De acordo com a APP-Sindicato, ainda ha várias escolas que aguardam um posicionamento da Seed sobre o número de turmas,

informação que influencia também na distribuição de professores e funcionários. Adaptações no número de turmas são normalmente feitas de um ano para outro, mas a redução promovida pelo governo estadual entre 2014 e 2015 foi “mais profunda” na avaliação do sindicato da categoria. O corte de mais de 2,2 mil turmas proposto pela Secretaria de Estado da Educação (Seed) entre dezembro e janeiro, inclusive, foi uma das principais motivações para a paralisação da categoria. No entendimento dos professores, a redução no número de turmas está atrelado à diminuição de docentes e funcionários antes pretendida pelo Executivo. Redação NP

A


a

o

o

a

o

s o -

-

P

Esporte

9 Curitiba, 12 de março a 18 de março de 2015

NOVO DIRETOR DO FURACÃO CHEGA COM APROVAÇÃO DO TÉCNICO CLAUDINEI "Me pareceu ser uma pessoa muito direta e franca", disse o treinador do Atlético-PR Depois de ser apresentado ao elenco do Atlético-PR, na segunda-feira, o novo diretor de futebol do clube, Paulo Carneiro, teve uma conversa com o técnico da equipe principal, Claudinei Oliveira. Após ter sua chegada confirmada oficialmente na manhã desta quinta-feira, o dirigente acompanhou as atividades realizadas pelo grupo nesta terça, no CT do Caju. Carneiro ficou ao lado do segundo vice-presidente do Furacão, Márcio Lara, em grande parte do treinamento, e foi apresentado aos membros da comissão técnica. Enquanto Claudinei comandava o treino no gramado, o novo diretor de futebol teve um longo papo com o técnico Marcelo Vilhena, que comanda o time sub-23. Antes de realizar o último treinamento do Atlético-PR para a partida contra o

Operário-PR, na quarta-feira, em Ponta Grossa, Claudinei Oliveira comentou sobre a chegada do diretor de futebol, e projetou uma boa parceria no clube. - Conversei com ele sim, ele tem uma experiência muito grande no futebol, em avaliar e montagem de elenco, e também o trabalho da comissão técnica. Ele está com muita vontade de trabalhar e ajudar, me pareceu ser uma pessoa muito direta e franca, assim como eu também sou. Acho que vamos ter um contato, uma parceria muito boa. Quanto mais pessoas tiverem com o intuito de ajudar e mais próximas do campo só vem a ajudar o trabalho de todo mundo - revelou Claudinei Oliveira em entrevista à RPC. Com a missão de ser o elo entre diretoria, comissão técnica e jogadores, Carneiro é amigo pessoal do presiden-

te do Atlético-PR, Mario Celso Petraglia, e chega em um momento delicado do clube, atualmente na nona posição no Campeonato Paranaense. O time principal, comandado pelo técnico Claudinei Oliveira, entrou em campo nos dois últimos jogos e não venceu, perdendo por 1 a 0 para o Foz do Iguaçu e empatando em 0 a 0 com o JMalucelli. Nas cinco primeiras partidas do estadual, o clube foi representado pelo time sub-23. Na primeira passagem pelo futebol do sul do país, Carneiro chega para ocupar a vaga deixada por Antonio Lopes, que saiu do clube em junho do ano passado. Presidente do Vitória e diretor no Bahia, ele também atuou no Volta Redonda, do Rio de Janeiro, onde ficou por quase cinco meses, até abril de 2012. Redação NP/ GE

RUBENS BOHLEN DESCARTA RENUNCIAR DA PRESIDÊNCIA DO PARANÁ

Apesar da pressão de um grupo de ex-presidentes e ex-diretores, Rubens Bohlen segue no cargo Após quase quatro horas de reunião na noite da última terça-feira, na Sede da Kennedy, Rubens Bohlen descartou renunciar ao cargo de presidente do Paraná Clube. Apesar da pressão de alguns conselheiros e ex-diretores, o mandatário tricolor falou que vai cumprir seu mandato até a próxima eleição, em setembro. O encontro do Conselho Consultivo tinha como principal tema o aporte de R$ 4 milhões que um grupo - formado por ex-diretores e ex-presidentes - pretendia fazer no futebol. Porém, em troca, eles pediam a saída do presidente. Após a reunião, Rubens Bohlen não quis falar com a imprensa. Já Benedito Barboza, presidente do Conselho Consultivo, comentou sobre a decisão do presidente de seguir à frente do Tricolor e falou que, a partir de

agora, ele assume a responsabilidade de apresentar uma solução para os problemas do clube - como a grave crise financeira. - O pedido (de renúncia de Rubens Bohlen) não foi feito nesta terça-feira. Ele foi feito há questão de quase duas semanas. Nesta semana, a reunião do Conselho Consultivo era no sentido de sentar com o presidente, ouvir o grupo que estava se organizando para poder fazer um aporte financeiro e ouvir o presidente. O que eu posso dizer hoje é que o presidente, ao não aceitar a proposta do grupo, ele assumiu um compromisso totalmente pessoal, que é o de trazer soluções aos graves problemas que o Paraná Clube enfrenta. Não é por culpa dele. É por culpa da própria instituição e sua incapacidade de gerir as questões ao longo do tempo - explicou Benedito Barboza.

Um dos líderes do grupo que pretendia fazer o aporte financeiro, mas que exigia a saída de Rubens Bohlen do cargo, Carlos Werner fez um balanço do encontro desta terça-feira. Ele lembrou que, por ter sido eleito de forma democrática,

o presidente tem o direito de permanecer: - A decisão do presidente, agora, foi de permanecer à frente dos projetos do Paraná Clube. Nosso grupo deseja muito sucesso. Ele pode não ter o apoio de todas as

decisões, mas ele tomou essa decisão de concluir o mandato dele. Nós, como paranistas, vamos estar no estádio amanhã (quarta-feira), torcendo pelo Paraná Clube - afirmou Carlos Werner. Redação NP/ GE


VEÍCULOS

10 Curitiba, 12 de março a 18 de março de 2015

PRAZO PARA MULTA DE EXTINTOR ANTIGO DEVE SER ADIADO EM MAIS 90 DIAS Ministério das Cidades encaminhou pedido ao Denatran. Obrigatoriedade do extintor ABC deveria começar em 1º de abril Após o adiamento da exigência do uso dos extintores do tipo ABC em veículos no início do ano, o Ministério das Cidades informou que o prazo para a cobrança de multas deve ganhar mais 90 dias para seu início. Novo pedido já foi encaminhado ao Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) pelo ministro, Gilberto Kassab. De acordo com o ministério, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) publicará uma nova resolução que revogará o último prazo, previsto para começar em 1º de abril e ainda não foi definida uma nova data para seu início. O motivo do pedido foi a dificuldade enfrentada por consumidores para encontrar o item nas lojas, mesma causa o adiamento no começo de 2015. O descumprimento da regra resultaria em mul-

ta de R$ 127,69, 5 pontos na carteira de habilitação e retenção do veículo para regularização. Quem precisa trocar? O extintor ABC, que combate incêndio em um maior número de materiais que o antigo, começou a equipar carros mais novos a partir de 2009. Com validade de 5 anos, já está presente em grande parte dos veículos, ou seja, quem tem carro produzido depois do 2º semestre de 2010 não precisa trocar. A mudança na lei ocorreu porque o extintor antigo, do tipo BC, é recomendado para materiais como líquidos inflamáveis e equipamentos elétricos. O ABC, além destes, também é capaz de combater incêndios em madeira e tecidos, materiais comuns em carros. Redação NP/ AE

HONDA HR-V CUSTARÁ ENTRE R$ 69,9 MIL E R$ 88,7 MIL A Honda anunciou nesta sexta-feira (6) os preços de seu principal lançamento de 2015: o SUV compacto HR-V. "Irmão" menor do CR-V, o novo concorrente do Ford EcoSport chega ao Brasil na segunda quinzena de março, com preços a partir de R$ 69,9 mil. O crossover será oferecido em quatro versões, sempre com motor 1.8 flex, que, no Civic LXS, rende até 140 cavalos, quando abastecido com etanol. O câmbio pode ser manual, de seis marchas, ou CVT, caixa emprestada da dupla Fit/City. Veja os preços de cada uma das versões do HR-V: LX – R$ 69,9 mil Câmbio manual de seis marchas, freio de estacionamento elétrico, controles de tração e estabilidade, direção elétrica com assistência adaptativa, assistente de partida em rampas, freios a disco nas quatro ro-

das, ar-condicionado, vidros e travas elétricos e rádio com conexão Bluetooth. LX CVT – R$ 75,4 mil Mesmos equipamentos da LX, porém troca a transmissão manual de seis mar-

chas pela CVT.

CVT, e adiciona ar-condicionado digital, bancos de EX CVT – R$ 80,4 mil couro, câmbio com opções A Honda não divulgou os de troca por aletas atrás do itens de série da versão EX. volante (são 7 velocidades simuladas), função tilt-down EXL CVT – R$ 88,7 mil no retrovisor e central mulPacote idêntico ao EX timídia com navegador que

informa as condições de trânsito em tempo real (disponível para quatro capitais), entrada HDMI com possibilidade de espelhamento de tela de smartphone, hotspot e navegador. Redação NP/ AE


0

INFORME INSTITUCIONAL

11

APP-SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO PÚBLICA DO PARANÁ

AGRADECIMENTO À SOCIEDADE PARANAENSE Um ato de solidariedade. Assim podemos descrever os 29 dias de greve. Solidariedade que se estendeu para além da categoria dos(as) professores(as) e funcionários(as) de escola, e sensibilizou a comunidade paranaense. Pesquisa publicada no jornal Gazeta do Povo de semana passada demonstrava que 90% da população paranaense foi favorável à greve. Tamanho apoio só pode ser entendido como uma preocupação que pais e mães têm com a educação pública de nosso estado e pelo descompromisso que o atual governador – Beto Richa (PSDB), tem com esta mesma educação. E não foram poucas as demonstrações deste apoio. Nosso acampamento, na frente do Palácio Iguaçu onde fica a sede do governo do Paraná, em Curitiba, foi inundado pela solidariedade refletida em centenas de donativos que chegavam a todo instante. Mantimentos, roupas, refeições, colchões, entre outros, demonstrando o quanto sensibilizada estava a sociedade pela nossa causa. Nossas históricas passeatas com 25, 50 mil pelas ruas de Curitiba eram acompanhadas por pais e mães que caminhavam juntos ou mesmo aplaudiam nas calçadas e do alto dos prédios ou ainda buzinavam nos carros, nos enchendo de entusiasmo e trazendo a certeza da vitória do nosso movimento. Sim, saímos vitoriosos, não só porque fizemos o governador recuar em sua proposta de superlotar salas, fechar escolas e turmas, não contratar professores(as), funcionários(as), acabar com projetos no contraturno escolar como o CELEM e a Mais Educação e de não repassar dinheiro para a manutenção das escolas, mas principalmente, saímos vitoriosos(as) porque vocês estiveram conosco, já que é desejo de todos – nosso, assim como o de vocês, ter uma educação pública de qualidade para seus filhos e suas filhas. Neste momento, em uma assembleia realizada em Curitiba, definimos pela suspensão da greve e pelo retorno às aulas. Retomaremos as aulas com fôlego de quem fez, faz e fará o melhor pela educação e assumimos o compromisso de não medir esforços para ensinar seus filhos e filhas da melhor forma possível porque, sinceramente, acreditamos na educação como um importante instrumento de construção de uma sociedade mais igual, fraterna e solidária. Vocês, pais e mães, demonstraram que essa nova sociedade é possível pelos gestos de generosidade que tiveram nestes quase 30 dias de greve. Já não somos os mesmos - pais, mães, estudantes, professores(as), funcionários(as) uma vez que aprendemos que a luta que se faz juntos transforma a todos(as) e permite-nos sonhar com dias melhores. Obrigado pelo aprendizado!


ECONOMIA

12 Curitiba, 12 de março a 18 de março de 2015

PREÇO DE ALUGUEL SOBE ABAIXO DA INFLAÇÃO PELO 9º MÊS SEGUIDO Índice FipeZap registrou em fevereiro alta de 1,95% em 12 meses. Nesse mesmo período, inflação medida pelo IPCA foi de 7,70%. Os preços locação de imóveis registraram em fevereiro a 9ª queda real consecutiva, segundo o Índice FipeZap, que acompanha o preço do aluguel em 9 cidades brasileiras. O aumento nominal no acumulado em 12 meses foi de 1,95% em fevereiro. Nesse mesmo período, o aumento da inflação medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) foi de 7,70%. ”O preço médio de locação registrou, portanto, queda em termos reais de 5,34% nos últimos 12 meses”, destaca o relatório. O preço médio anunciado para locação por m2

nas 9 cidades pesquisadas em fevereiro foi de R$ 34/ mês. A cidade com o m2 mais caro foi o Rio de Janeiro (R$ 41/mês), seguida por São Paulo (R$ 38/mês). O aluguel mais barato foi em Curitiba (R$ 16/mês). Os preços anunciados para locação considerados para o cálculo do índice são para novos aluguéis. Ou seja, o Índice FipeZap de Locação não mede a variação dos contratos vigentes. O índice calcula ainda a rentabilidade para o investidor que opta por locar seu imóvel. Em feguel’ está abaixo dos juros vereiro, o retorno médio ponto percentual à taxa de sil foi de 5,8%. “Desde setembro reais”, destaca o relatório. com aluguel foi de 4,9% ao janeiro. Ao mesmo tempo, Redação NP/ EBC a taxa de juros real no Brade 2014 a ‘taxa do aluano, valor superior em 0,1

Noticias paraná 312 todas  
Noticias paraná 312 todas  
Advertisement