Page 1

N

otícias da reguesia

Mensário da Junta de Freguesia

|

f

Ano XVl

- Edi. 133

|

Janeiro 2020

|

Distribuição gratuita

Reciclar mais Viver melhor Obesidade infantil Desporto Ainda o Natal Ortigosa em Festa Bombeiros em Ação

Natureza em Ação


2

Notícias da Freguesia

Opinião Gastão Crespo

Conhece algum Gineceu!? O Gineceu é um senhor casado, com dois filhos. Geralmente, é um empresário muito conceituado, tem um bom carro, mas tem a seguinte particularidade: nunca está disponível para nada, nem para ninguém, porque vive apenas para o trabalho. Acredito que existem muitos Gineceu’s por aí… e na verdade a roda da vida dessas pessoas tem apenas um raio. Aposto que sabe qual é. Sim, ainda por cima é o “raio do trabalho”. Se convidar um Gineceu para fazer parte de uma associação,

Opinião Márcio Santos

A obesidade é um dos problemas de saúde mais graves que afeta crianças e adolescentes a nível mundial. Apesar das últimas evidências apontarem para alguma diminuição na sua prevalência, continua a ser um dilema para a saúde pública. Em 2019 num estudo apresentado pelo Instituo Ricardo Jorge refere que se verificou uma diminuição do excesso de peso nas crianças de 37,9% em 2008 para 29,6% em 2019, no entanto a prevalência da obesidade infantil aumentou com a idade, com 15,3% das crianças de oito anos obesas, incluindo 5,4% com obesidade severa, um valor que é de 10,8% nas crianças de seis anos (2,7% obesidade severa). Pelo facto de a obesidade estar intimamente associada a diferentes patologias crónicas faz com que estejamos perante um enorme desafio

janeiro 2020

Quantos raios tem a roda da tua vida? ele responderá: “Não, porque tenho de trabalhar”. Contudo, se o convidar para ajudar nas festas da paróquia… Ele responderá, igualmente: “Não, porque tenho de trabalhar”. E, se for para ajudar a reparar uma casa social, para alguém desfavorecido… ele também responderá: “Não, porque tenho de trabalhar”. Todavia, se for para ajudar os bombeiros… Ele, responderá: “Não, porque andam sempre a pedir”. Porém, se a sua família o convidar para ir a um concerto musical, em que por acaso o seu próprio filho participará, ele responderá, prontamente: “Não, porque não

tenho tempo para essas coisas, tenho de trabalhar”. Na verdade, o Gineceu também não tem tempo para si. Ele não tem tempo para ir ao médico, nem para cuidar da sua saúde ou da sua alimentação. Não tem tempo para ler um livro ou estar uma hora sem fazer nada, sem pensar em nada ou, simplesmente parar para a observar a natureza e escutar o chilrear dos pássaros. Lamentavelmente, o Gineceu jamais lerá este artigo, porque a leitura não faz parte da sua vida. A vida dele só tem um sentido. E será que faz sentido? Se um destes

dias não puder trabalhar ou chegar uma crise económica… ele irá olhar para o lado e ver que tudo à sua volta está diferente e estará só, pois todos terão ido embora da sua vida. Nesse momento perceberá se a sua vida fez ou não sentido. A vida que vale a pena ser vivida é como uma roda com vários raios. E, esses raios devem estar em equilíbrio para a fazer rodar livremente e a uma velocidade constante. Olhemos, agora para a Androceu. O Androceu é uma senhora casada com um filho e que está sempre presente, que valoriza a vida, o trabalho,

a saúde, a família e as atividades sociais e religiosas. É uma pessoa que tem como objetivo o equilíbrio da sua roda da vida. Ela valoriza todas as áreas da vida: a saúde, o exercício físico, a religião, o trabalho, as atividades sociais, as atividades políticas, e sobretudo a vida familiar. E, está sempre disponível e tem sempre tempo para tudo. Na verdade, a Androceu um dia dirá com toda a certeza: “A minha vida foi uma vida que realmente valeu a pena, porque valorizei verdadeiramente tudo e todos”. Sê feliz! Faz alguém feliz. Não sejas Gineceu e

Obesidade infantil... ainda um dilema para todos. A definição de obesidade em crianças é dificultada pelo facto de ser um processo caro e pouco prático. O índice de massa corporal (IMC) é utilizado como indicador de obesidade no adulto. Nas crianças e adolescentes, é consensual a utilização dos percentis obtidos estatisticamente através de uma população de referência. O tratamento recomendado para que crianças e adolescentes com excesso de peso consigam atingir um peso mais saudável utiliza quatro estratégias comportamentais primárias: redução do aporte energético, aumento do gasto energético, participação ativa dos pais e educadores no processo de mudança e ajuda do ambiente familiar. Na prevenção do excesso devem ser identificados fatores genéticos, ambientais ou a combinação de fatores de risco que predispõem a criança

ou adolescente para a obesidade. As famílias devem ser educadas antecipadamente para reconhecer o impacto que têm nos hábitos alimentares e de atividade física na vida das crianças e adolescentes. Práticas alimentares que incentivem a moderação em vez do consumo excessivo devem ser promovidas, enfatizando escolhas alimentares saudáveis em vez de padrões alimentares desequilibrados. Atividade física regular deve

ser promovida de forma prioritária no ambiente familiar, escolar e comunitário. O excesso de peso e obesidade representam o fator de risco major para o desenvolvimento da obesidade na idade adulta, dado que aproximadamente 30% das crianças obesas o permanecerão em adulto. Por outro lado, associado aos efeitos imediatos na saúde, a obesidade na adolescência aumenta o risco de morbilidade e mortalida-

de adulta 50 anos depois, independentemente dos efeitos que a obesidade da idade adulta exerça. Em suma o caminho ideal para a prevenção é aliar a intervenção dietética com a atividade física. As crianças e adolescentes devem ser ajudados precocemente, porque as intervenções tornam-se mais efetivas quando os hábitos comportamentais se estão a formar.


janeiro 2020

Notícias da Freguesia

3

Reciclagem 2020 O mundo somos nós que o fazemos e cabe-nos a nós decidir, através dos nossos atos, o tipo de meio que queremos para o futuro - tanto nosso, como dos que por cá ficarem depois de nós. Em tempos em que tanto se fala do ambiente e das alterações climáticas, serve o artigo desta primeira edição de 2020 para alertar a importância de agirmos tendo em conta o conforto da comunidade e não apenas o

José Baptista

Aproveitando a disponibilidade do espaço e alguns dos assuntos publicados nesta edição do Notícias da Freguesia, ouso dizer umas palavras manifestando o que me vai por dentro. Os meios de comunicação social já não nos surpreendem quando bombeiam com notícias dos excessos da natureza os dos humanos. Vamos estando tão habituados que aquilo que outrora fazia arregalar os olhos, hoje facilmente nos deixa desviar o olhar para as nossas coisas, para nós mesmos. Afinal, cada vez mais, nos vamos centrando no nosso umbigo, seja porque o individualismo a que nos vamos votando só nos permite vermonos a nós mesmos, seja porque o abatimento das nossas incertezas e da insatisfação da vida que vivemos nos faz andar de cabeça baixa, curvados sobre nós mesmo, uma vez mais. Neste pequeno pedaço de terra à beira mar plantado (cabe 92 vezes no Brasil e 185 na Rússia) manifestam-se já as consequências das transfor-

nosso. Comecemos, então, por nos preocuparmos com a gestão dos lixos e com a boa utilização dos diferentes contentores, respeitando, tanto as placas informativas (respeitantes aos contentores de monos, por exemplo), como as informações de conhecimento geral descritas em cada contentor de RSU's (resíduos sólidos urbanos, mais conhecidos como lixos domésticos).

Recentemente a rede de contentores e ecopontos na freguesia foi melhorada. Não só, mas também por essa razão, já não há desculpa para não agirmos civilizadamente, percebendo como reciclar e como utilizar os mais variados depósitos; percebendo que, quando um contentor está cheio, talvez a melhor opção seja voltar no dia seguinte, quando tiver sido esvaziado; percebendo que, quando optamos por não

deixar os sacos no chão, encostados aos contentores, ou quando fazemos uma reciclagem correta, respeitando as regras estabelecidas da separação dos lixos, contribuímos não só para o nosso bemestar, como facilitamos o trabalho daqueles que, de madrugada, percorrem os lugares a recolher os resíduos. Não precisamos de sentir qualquer vergonha em admitir que não detemos o conhecimento to-

Eulália Crespo

tal relativamente a esta matéria. Nestes casos, as entidades públicas estão cá para ajudar e para esclarecer qualquer dúvida e a própria internet acaba por ser, também, uma ótima ferramenta para adquirir conhecimento. Comecemos o ano a mudar as nossas ações e a contribuir para um futuro melhor.

Primeiro nós! mações climáticas que os grandes do mundo apregoam, por um lado, e desvalorizam por outro. O último ano foi, sabemo -lo, parco em chuvas. Dezembro, esse mês sim, resolveu ser pródigo em águas caídas lá do alto. Afirmamo-lo com facilidade. No entanto, sabemos que o sul, particularmente o Algarve está em situação de seca severa. As barragens estão de cerca de 30% da cota máxima. A boa notícia é que há suficientes reservas de água para consumo humano para um ano. A agricultura pode estar em risco se não chover… Agora, pensemos que estamos num país muito grande na sua história, mas muito pequeno na sua dimensão. Esta é a parte que importa agora: é que, sendo tão pequenos, temos extremos no que se refere a manifestações naturais. Imaginemos o que acontece nos países de grande dimensão. Dezenas de hectares inundados por cerca de um metro de altura de água aqui acima de nós, nas terras do Mondego, e

três centenas de km mais a sul, seca severa… O drama é que não podemos fazer muito para alterar a situação. Menos

de gases com efeito de estuda para explicar este aquecimento". Os Bombeiros da Ortigosa, cujo raio de ação é

ainda quando os problemas acontecem na Austrália. Há dias, uma notícia dizia que o aquecimento dos oceanos aumenta como se a cada segundo explodissem 5 bombas atómicas como a lançada sobre Hiroxima. Isto é infernal. Não me abalanço em outras suposições, ficando-me pelo que dizem os cientistas: "Não há alternativas razoáveis além das emissões humanas

bastante pequeno, falo de um significativo aumento no numero de operações de 2017 para 2018 e de 2018 para 2019. Outro problema? A falta de meios humanos. A perspetiva? Acho eu que será de aumento de ocorrências e aumento da dificuldade em meios humanos. Gostava de não ser pessimista, mas penso que isso neste caso como uma pequena imagem do que acontecerá a nível global.

Que fazer? Permita-seme um opinião: começar pela reciclagem. Não dos lixos e produtos reutilizáveis. Isso vem depois, porque, se não, nunca chega a vir. Reciclagem de nós próprios. Há ideias velhas que nos estão enraizadas, muitas vezes retorcidas por maus sentimentos e ressentimentos, que nos impedem deixar que outras, mais reconfortantes, nos levem a mudança interior e isso conduza a diferente atitude perante a vida, a natureza, as pessoas. Depois de reciclarmos a nossa mente, passaremos, sem dificuldade, a reciclar materiais. Não é preciso grande esforço para entender. Pensemos apenas numa de milhentas situações: confrange-me a alma ver encher de matéria orgânica (eravas, folhas, ramos) nos contentores de lixo. A natureza agradeceria que isso fosse enterrado nela, transformavase em fertilizante natural, despoluído. Era uma maravilha. Fiquemo-nos por aqui, não vamos nós ainda desenterrar mais...


4

Notícias da Freguesia

janeiro 2020

Basquetebol - Basket Clube do Lis Torneio Internacional de Leiria A Associação Basquetebol de Leiria realizou no fim‑de‑semana de 28 e 29 de dezembro, o 1º Torneio Internacional de Leiria para o escalão de Sub16 (feminino e masculino). Participaram as esquipas do S.L.Benfica, Sporting C.P., ADC Baloncesto (Cáceres, Espanha), Santarém Basket Clube e as Seleções Distritais da ABLeiria, em que contou com a participação de mais de 120 atletas O BCLis contribuiu para a seleção Distrital sub16 masculino, com os Atletas, João Guilherme, Leonel Cordeiro e Manuel Simplício. Muitos Parabéns.

1ª Gala do Basquetebol da ABLeiria

celebrar o 30º aniversário da Associação. O evento decorreu num ambiente festivo e animado contando com a atuação Musical de Mico da Câmara Pereira.

A ABLeiria realizou a sua 1ª Gala de Basquetebol. Foi no dia 29 de dezembro de 2019, no Hall Vip do Estádio Municipal de Leiria. Contou com a presença de mais de 150 pessoas da família do Basquetebol de Leiria. O objetivo passava por premiar diversas personalidades, as que mais se destacaram na época 2018/2019, assim como

Judo

O BCLis teve várias personalidades nomeadas e em diversas áreas - Para o melhor atleta sub16 - Para a melhor atleta sub19 - Para o melhor atleta sub18 - Para o melhor treinador - Para o melhor dirigente Como vencedores da noite destacamos: Pedro Ribeiro Melhor atleta sub18 Inês João Melhor atleta sub19 João Almeida Dirigente do Ano

Não menos importante e porque estavam também nomeados:

Um muito obrigado por pertencerem a “Família” do basquetebol e em especial ao BCLis.

Finais Distritais Destaque também para as Finais Distritais, nos escalões de SUB16 masculino, SUB18 masculino e SUB19 feminino, com a participação do Basket Club do Liz, nas três provas. Próximas competições: João Guilherme Atleta sub16 Camila Loureiro Atleta sub19 João Ribeiro Treinador O BCLis reconhece que estas nomeações e prémios são muito do caminho e do percurso que os atletas estão a fazer, distinguindo as suas qualidades como atletas e como seres humanos.

SUB16 masculino Dias 25 e 26 de Janeiro Pavilhão Dona Leonor em Caldas da Rainha SUB18 masculino Dias 18 e 19 de Janeiro Pavilhão Municipal do Souto da Carpalhosa SUB 19 feminino Dias 18 e 19 de Janeiro Pavilhão Municipal de Albergaria dos Doze BCLis

De fontes a presépios É na localidade Moita da Roda que na quadra natalícia que a comunidade se envolve em volta de presépios. A rua principal da Moita da roda torna-se inspiradora na quadra natalícia porque as velhas fontes são transformadas em

No dia 14 de Dezembro de 2019, A secção de Judo do GDSA, participou no Open nacional de Juvenis e Cadetes da ADJ Coimbra, com os seguintes atletas e resultados: Open de Juvenis David Silva - Vice Campeão. Open de cadetes Mariana Santos medalha de bronze nos -63 kg.

João Ferreira, Carolina santos e Rafael João combateram bem, mas não lograram subir ao pódio. GDSA

presépios. Se no passado aqueles fontenários deram de

beber às gentes desta terra, agora, no Natal, ganham nova vida com o retratar do nacimento de Jesus.

Junta-se a tradição ao artesanato e à criatividade. O grupo das crianças da escolas pré -primária e primária, sob o tema pedagógico "dar mão ao plástico", reutilizaram o material dando “vida” às imagens, na fonte junto à escola.

Na fonte em frente à oficina do trapo, a fonte foi brindada com sabedoria e pano k fizeram “nascer” imagens. Pensadas e elaboradas pela Srª Maria. Os amigos do almoço da bifana completaram o presépio. A originalidade de materiais marcou o presépio mais ao cimo do lugar, elaborados pelos mais vizinhos da fonte. Um bem-haja a todo, pois juntos e de uma forma livre podemos tornar o mundo mais belo melhor.


janeiro 2020

Notícias da Freguesia

5

Dezembro na Samvipaz Por aqui, os nossos "jovens grandes" nunca param... O mês de dezembro, foi um mês bastante atarefado, com muitos passeios, eventos e muito trabalho. Para iniciar este mês natalício, começámos por construir o nosso presépio, usando diversas figuras tradicionais, como também, o uso do musgo e do azevinho, para decorar e embelezar ainda mais o nosso presépio. Contudo, a árvore de Natal não podia faltar. Este ano, os nossos utentes, fizeram pequenas molduras com diversas fotos de diferentes passeios, comemorações e festas, para alegrar mais a nossa "Árvore das Recordações". Para darmos continuidade a este mês tão especial, no dia 17 de dezembro, a convite da SAMP, os nossos idosos foram dar um passeio até aos Pousos, para assistir a um concerto de Natal. Já no dia 18 de dezembro, tivemos a presença do Padre

Alcides e dos nossos voluntários, para a missa de Natal, que os nossos "jovens grandes" adoram tanto. No entanto, foi no dia 20 de dezembro, que chegou o dia tão esperado, o dia da Festa de Natal da SAMVIPAZ. Este dia, começou com um almoço de convívio entre os idosos de SAD e de Centro de Dia/Convívio. Pela tarde, demos início à nossa festa de Natal, que começou com uma apresentação da canção - "Alegrem-se os céus e a terra", cantada pelos nossos utentes. De seguida, o senhor Adelino Pereira declamou um pequeno poema sobre a magia do Natal, e no final, os nossos idosos apresentaram uma dança, acompanhada com canto, que treinaram com a professora Cátia Bessa. As nossas crianças, também nos presentearam com uma música de Natal, muita animada. No final, tivemos uma visita muito especial, do nosso Pai Natal, que depois se proporcionou num momento de partilha de prendas, entre

Natal no Centro Social Não pode deixar de ser festa o tempo de Natal. Esse que nos faz sentir a alegria da partilha de vida, da alegre celebração da vida. Os mais avançados em idade, dentro das suas dificuldades e dores trazidas pelos muitos anos vividos, tiveram a sua festa, iniciada com a celebração da missa, no dia 16 de dezembro, a que se seguiu o almoço e as animações natalícias. Nos Reis, dedicaram-se á confeção do Bolo Rei, a algumas curiosida-

des a ele referentes, e ao conto de histórias. Já o dia 20, foi dia de festejar com as crianças e familiares da Creche e Jardim de Infância. Foram cerca de 400 as pessoas que se reuniram em Gala festiva, no centro paroquial dos Pinheiros, Marrazes. O jantar foi servido pelas funcionárias do Centro. Os pequeninos tiveram as suas animadas participações, particularmente através da música ou da dança. A animação musical esteve a cargo de um “Dj” acompanhado de um cantor e uma saxofonista. O tempo era agreste, de chuva e frio, mas havia a certeza de que as crianças não o notavam. Os funcionários tiveram o seu jantar convívio já neste ano, a 6 de dezembro.

os nossos idosos e as nossas crianças. Para finalizar, para os mais gulosos, tivemos um lanche cheio de coisas boas, para todos os convidados. No dia 23 de dezembro, a convite do Centro Social Paroquial (Regueira de Pontes), os nossos "jovens grandes" foram assistir a um concerto de Natal, que no final, foi acompanhado com um lanche partilhado. Para encerrar o mês de dezembro, no dia 30 de dezembro, os nossos "Jovens Grandes" foram visitar uma exposição de Natal, nomeada por "Caixa Forte - Cápsula do Tempo" em Leiria. Mas vocês NÃO sabem tudo... Os nossos utentes tiveram a oportunidade de participar nesta exposição, através de objetos, músicas, roupas, entre muitas outras memórias, que tinha como objetivo retratar e recordar o Natal nos tempos antigos, através dessas recordações especiais. Rita Ramusga (Textos e montagem de imagens Samvipaz)


6

Notícias da Freguesia

janeiro 2020

PARA: Pensar - Aprender - Refletir - agir Cuidado O excesso de velocidade pode fazer com que não chegues ao destino.

Telemóvel? Nem pensar! Muito menos para enviar ou receber SMS. Evita riscos. O verdadeiro campeão da festa é o que leva os amigos em segurança a casa.

Está atento ao tempo e a tudo o que te rodeia para não ficares pelo caminho.

Conduzir depois de uma noitada é perigoso. Senão te importas contigo, pensa nos teus amigos.

Não basta ter carta de condução para ser um Ás no volante. Se queres impressionar, dá o exemplo.

Conhece os perigos! Ao fim de semana e à noite o risco de morte é maior para os jovens:

Velocidade - Álcool - Fadiga Um cocktail mortal

46% dos mortos ao fim

de semana.  30% dos mortos entre a meia noite e as 6 horas. Nos acidentes, metade dos jovens morre em despistes.

Natureza em ação contínua... As chuvas de dezembro provocaram a derrocada de dois muros na área da união de freguesias. Não suportaram o peso das terras carrega-

das de água um muro na Rua Principal, na Moita da Roda e outro nos Conqueiros. Nada de grave e de fácil reparação. Apresentamos também

uma imagem dos fogos que, há meses, assolam a Austrália. Onde muitos milhares de animais morreram ou foram abatidos para poupar água.

Símbolo nacional daquele país, podem, os simpáticos koalas, passar a ser espécie em risco. A natureza “não perdoa”. As agressões com

É o pensamento / da morte que, no final, ajuda a viver. U. Saba

Obituário Mário Domingues, 85 anos, faleceu no dia 2 de janeiro. Residia no Casal. Foi a sepultar no cemitério da Ortigosa.

Argentina Pereira Rodrigues, 96 anos, faleceu no dia 23 de dezembro. Residia nas Várzeas. Foi a sepultar no cemitério local.

José Luís da Silva Sousa de 55 anos, faleceu no dia 23 de dezembro. Residia na M. da Roda. Foi a sepultar no cemitério local.

Raúl da Costa Neto, 84 anos, faleceu no dia 5 de janeiro. Residia na Lagoa. Foi a sepultar no cemitério da Ortigosa.

É o pensamento da morte que, no final, ajuda a viver. U. Saba

que a martirizamos têm as suas consequências. A excessiva exploração de seus recursos, a excessiva busca de lucro continuam a destrui-la JB


janeiro 2020

Notícias da Freguesia

7

Santo Amaro - Ortigosa em Festa Vão decorre, nos próximos dias, os festejos em honra de Santo Amaro, na Ortigosa. Para conhecer um pouco melhor o passado, tivemos uma curtíssima conversa com o sacristão, o Sr. Adelino Oliveira. Disse-nos ele: Adelino Oliveira (AO) - As festas eram sempre nos dias 15 e 16 de janeiro. Talvez de há uns 50 anos para cá é que começou a ser no fim de semana a seguir ai dia 15. Contavam os meus avós que era uma festa muito afamada. Vinham 5 filarmónicas, que eram coordenadas pelo senhor José Barbeiro. Vendia-se muito café. As pessoas estavam aí pela borda da estrada com cântaros, disso ainda me lembro. Era também conhecida como a festa dos pinhões pois muita gente britava os pinhões e vinha vender. Vinham muitos autocarros de longe, naquele tempo, e as pessoas faziam por aí os seus negócios, para ganhar algum dinheirito. Notícias da Freguesia (NF) É a devoção a Santo Amaro. Que faz ele de especial? AO - Cura verrugas, havia por aí também muitos aparelhos de pernas e braços de crianças, que os pais ofereciam quando faziam promessas e elas eram curadas de ossos, partidos ou com outros problemas. Ainda hoje vêm pessoas muitas pessoas, já

não é com o milho, como antigamente, mas ao longo do ano trazem muitas meias ou luvas de milho. NF - Mas dizem que tem que ser roubado. AO - É tradição. Sabe porque é que se fala isso? O meu avó lembrava-se desse senhor… Um homem que foi preso, não se sabe por que motivo, Numa ocasião a família foi visitá-lo e levou uma melancia. Com a casca fez o molde da chave da cela, a partir da fechadura, e com esse molde fizeram, cá fora, uma chave. Ele prometeu que se conseguisse fugir da prisão e ir para o Brasil, viria, depois, e faria um alargamento à ermida que aqui havia dedicada a santo Amaro. E assim fez. Fez mais uma torre e estas alas laterais. Como dizem que ele foi para o Brasil e lá roubou para fazer isto, ficou a tradição de roubar o milho para oferecer ao Santo. Vai fazer 56 anos que o meu avó morreu, eu já não o conheci. Ele lembrava-se de que, quando tinha uns 10 anos, esse senhor vivia aqui nestas galerias. Depois de fazer as obras veio viver aqui. Contavam os meus pais que o meu avó lhes tinha contado a eles. NF - E agora? AO - Agora é uma romaria moderna. Vêm cá estes artistas. Naquele tempo os bailaricos eram com as filarmónicas.

Não havia restaurantes nem havia nada. O que havia era as pessoas que vinham cá vender as suas coisitas. Havia aqueles andores carregados de frangos assados, pendurados, com pão. Quem vinha de longe trazia o seu farnel. Hoje o restaurante trabalha muito bem, gasta-se muita carne, muitas enguias. Depois das procissões, as pessoas ficavam e comiam o farnel. Se o tempo estivesse bom, a festa começava logo no dia anterior porque as pessoas vinham de véspera. Se chovesse já isso não acontecia. Agora há outras condições, mesmo que chova, o restaurante está sempre cheio. A tenda que agora se arma ajuda também muita à presença das pessoas. A Ortigosa sempre primou por fazer boas, e bem organizadas procissões. Fazia-o antigamente e fá-lo agora. Só que naquele tempo era com 5 filarmónicas e agora é só com uma. Quanto a ornamentação da igreja ainda se procura fazer o melhor, mas aqueles panos que se põe nos arcos já estão um pouco velhos e não se conseguem encontrar tecidos para fazer outros.

Exploração de Gás na Bajouca? Somos contra

Vamos falando de reciclagem e de excessiva, extrema mesmo, exploração da terra que habitamos, que é nossa casa, nosso lar.

Sabemos que também no nosso país se vão ampliando esforços para encontrar e retirar do ventre da terra os hidrocarbone-

tos, o gás e o petróleo. A região de Leiria é uma das que tem estado na mira dos exploradores. Mais próximo de nós, al entre o Vale da Pedra e a Bajouca, busca-se a extração de gás natural. Consta que estamos sobre uma importantíssima e extensíssima reserva de água subterrânea. Consta também que a sua poluição é mais que evidente, caso se faça a tal extração.

A Bajouca e toda a região tem estado em luta titânica para impedir que isso venha a acontecer, até porque isso não traz benefício algum para a região. Na nossa Junta de Freguesia pode ser assinado um “Abaixo assinado” contra esta exploração. Somos contra? Não deixemos de assinar. É preciso encontrar vias alternativas, e menos poluentes, de energia.

É interessante que os jovens começaram, há uns anos para cá, a interessar-se pela festa, estão sempre presentes e a organizar. Nas outas coisas não aparecem, mas na festa sim, empenham-se realmente. Agora, vamos esperar que este ano o tempo esteja bom e tudo corra bem. Em coordenação com a Junta de Freguesia, a RTP1 estará presente e a transmitir, no Domingo à Tarde.


8

Notícias da Freguesia

janeiro 2020

Os Bombeiros Estiveram Presentes

Bombeiros por nós e nós por eles O tempo é de frio, esperamos que de mais chuva venha a ser ainda. Num clima assim, se não fosse a tragédia que está a acontecer na Austrália, corremos o risco de esquecer de que os bombeiros está em alerta 24 horas, por dia, todos os dias do ano. Pedimos que partilhassem connosco um pouco das operações que realizaram no último ano. As ocasiões em que precisamos deles, no terreno, não apenas como segurança de retaguarda, estão a aumentar. Faz-nos pensar isso, como nos faz pensar a resposta do Comando rece-

bemos a algumas questões que lhe fizemos: - Atualmente o Corpo de Bombeiros conta com cerca de 60 elementos nos seus quadros; - Uma das maiores necessidades, continua a ser transversal a todos os Corpos de Bombeiros, que é a falta de elementos nos recrutamentos anuais. Sabendo que para o desempenho das funções de bombeiro, o "capital humano" é o mais importante e fundamental;

Aproveito para realçar, que todo o excelente trabalho desenvolvido ao longo

dos últimos anos os, é devido às pessoas, nomeadamente os Órgãos Sociais da Associação, os funcionários e os bombeiros que, voluntariamente, desempenham as funções todos os dias. A todos eles o nosso OBRIGADO. Quando precisamos, nas mais diversas situações, são os bombeiros que nos acodem. As suas vidas estão à nossa disponibilidade, as suas famílias estão lá a aguardá -los, quantas vezes em aflição… Eles estão lá e nós temos que estar lá também, com eles e por eles.

Profile for Notícias da Freguesia Souto da Carpalhosa

Edição 133 - Janeiro 2020  

Edição 133 - Janeiro 2020  

Advertisement