Issuu on Google+

Ano 09 | Outubro de 2010 | N°. 86 distribuição gratuita

Apade e APP esperam cumprimento de promessas do novo governo As duas principais entidades que representam os professores da rede pública do estado no Paraná, APP/Sindicato e Apade, esperam que o novo governador eleito, Beto Richa, cumpra as promessas da área de educação feitas durante a campanha. Para o presidente da Associação Paranaense de Administradores Escolares (Apade), professor Izaías Ogliari, as expectativas são muito boas. Ele conta acreditar na palavra do governador eleito e espera que todas as suas propostas sejam concretizadas. “Quero que os profissionais da educação sejam realmente valorizados”. Marlei Fernandes de Carvalho, presidente da Associação dos Professores do Paraná (APP/Sindicato), a expectativa é de manter um diálogo com o governo, tratando as pautas de reivindicações da categoria. “Buscamos avançar na luta por uma escola pública de qualidade, com muito respeito e debate, sempre”. Página 7.

Jornal Mensal de Educação

Falta de funcionários causa transtornos às escolas do estado

Os vereadores de Curitiba aprovaram no dia 13 deste mês, em primeiro turno, e no dia 18, em segundo, o projeto de lei que prevê política antibullying nas escolas das redes públicas e particulares. Bullying é qualquer prática de violência física ou psicológica, intencional e repetitiva, que ocorra sem motivação evidente, praticada por indivíduo ou grupo contra uma ou mais pessoas. O objetivo é o de intimidar, agredir, isolar ou humilhar, causando danos emocionais ou físicos à vítima, em uma relação de desequilíbrio de poder entre as partes envolvidas. Página 5.

Arquivo

CÂMARA APROVA PROJETO ANTIBULLYING

O dia a dia das escolas da rede estadual do Paraná tem sido um transtorno. Em muitas delas há diretores deixando suas funções para ajudar a preparar e servir a merenda e até mesmo limpar as salas de aula. De 1996 a 2010 a redução no número de funcionários, que têm a denominação de agentes educacionais, chega a cinco mil. O resultado são trabalhadores que

adoecem com facilidade e que, ao se ausentar por motivos de saúde, acabam sobrecarregando quem fará, além do seu o trabalho, o do colega afastado. A Secretaria de Estado da Educação reconhece o problema, diz que o processo de contratação é moroso, mas discorda que houve perda de 5 mil agentes. Páginas 8 e 9.

colunistas Geração do tudo pode!

Livre reflexão é só reflexão

Professor Nota 10

Esther Cristina Pereira

Teo Pereira Neto

Jacir J. Venturi

Pág. 04

Pág. 13

Pág. 14


RECEBA NOTÍCIAS DE EDUCAÇão por e-mail. ACESSE WWW.NOTA10.COM.BR • Notícias do Paraná e do Brasil • Agenda de eventos • Sorteio de livros • Informações sobre vestibulares • Artigos de Opinião • Prêmios e Concursos • Enquetes e muito mais Cadastre-se gratuitamente.


administração

03

Fraude na Secretaria de Educação já chega a R$ 1,3 milhão,

Arquivo

mas total pode ser muito maior

Funcionários da Secretaria de Educação desviaram recursos de diárias de viagem que, somente entre os anos de 2007 e 2008, causaram prejuízo de mais de R$ 1,3 milhão.

O relatório de 39 páginas, resultado da auditoria desenvolvida pelo grupo de quatro técnicos da Secretaria Especial de Corregedoria e Ouvidoria Geral do Estado confirmou irregularidades na utilização de diárias de viagens na Superintendência de Desenvolvimento de Educação (Sude), a antiga Fundepar, órgão vinculado à Secretaria Estadual da Educação (Seed). Durante os dois anos investigados, 2007 e 2008, o valor dos desvios foi de R$ 562.035,15, sendo R$ 85.158,00 em 2007 e

R$ 476.877,15 em 2008. Se for computado o valor de um levantamento feito anteriormente por uma sindicância da Secretaria, indicando desvio de quase R$ 800 mil em diárias irregulares entre janeiro de 2009 e maio de 2010 o total pode ultrapassar R$ 1,3 milhão. O valor, no entanto, pode ser muito superior ainda, já que há indícios de que os desvios tiveram início muito antes do ano de 2007, o primeiro a ser investigado. O secretário especial de Corregedoria e Ouvidoria Geral do Estado, Antonio

Comparsi de Mello, já enviou o relatório final dos auditores à Seed, onde tramita processo administrativo sobre o caso, que já resultou na punição de seis funcionários. Os auditores constataram problemas com diárias de 96 servidores, cujos nomes serão mantidos em sigilo. Eles fizeram análises relacionadas a 2.648 viagens – 977, em 2007, e 1.671, em 2008. Esses números correspondem a praticamente 100% das viagens desenvolvidas naquele período, com exceção dos deslocamentos de cur-

tíssimo trajeto. De acordo com o secretário Comparsi de Mello, a Corregedoria do Estado seguiu a determinação do governador Orlando Pessuti, de investigar as denúncias. “Os dados que tínhamos não nos permitiram afirmar que estes 96 funcionários foram culpados pelos desvios de recursos. Eles podem ter sido usados para esse fim. Caberá à Secretaria da Educação apurar o que aconteceu e tomar as providências cabíveis para punir os envolvidos”, explicou.


04

PALAVRA DO ESPECIALISTA educação infantil

Geração do tudo pode! Observando os adolescentes de 12 a 14 anos, portanto os da geração Lula no poder, percebemos uma geração de jovens adolescentes desestruturados, sem sentido do coletivo, sem percepção do outro, sem respeito aos mais velhos. Uma geração de pessoas que acreditam “que não dá nada”, da impunidade, dos direitos. Por um lado pensam que o mundo está a seu serviço, por outro, acreditam que nada precisam fazer, coisas simples como estudar para a prova, fazer uma pesquisa, fazer uma redação. Se não estou enganada, parece que impera a visão de que é possível ser o que quiser sem precisar esforço, sem estudar. A meritocracia foi jogada no lixo, pois se o aluno estudar ou não, é aprovado, se for reprovado a culpa é da escola e do professor, é a cultura do mais, e deveria ser a cultura do melhor. Penso que o mundo político, a facilidade com que se consegue as coisas por meio dele, a impunidade, ganhar na conversa, os desmandos com dinheiro público, leva a um salve-se quem puder, ou melhor, ganhe quanto puder, e sem esforço. Observando o comportamento dos nossos jovens, aqueles em quem depositamos nossas esperanças, investimos nosso melhor tempo, dinheiro, esperança de futuro, fica um sentimento de vazio, um sentimento de falta, mas o que falta? Todas as

crianças vão à escola, ao chegar à adolescência muitos abandonam antes de chegar à universidade, mas e os que têm acesso, que têm condições, estudam para quê? Realmente estudam? Observe quantos bares existem em frente às universidades públicas e privadas, e veja que sempre estão cheios, e os pais desses estudantes estão sendo enganados, ou estão se enganando? Os professores têm imensas dificuldades para cobrar resultados, pois os trabalhos acabam sendo copiados da internet, o desempenho não passa do razoável, e quando se formam, se formam para quê? A distância é grande até o mercado de trabalho. Em pesquisa recente demonstrou-se que nossos jovens não têm opinião, os debates dos principais assuntos não atingem os jovens, por exemplo, efeito estufa, crise mundial, desemprego, etc. O adolescente não tem espaço na atual sociedade, o mundo do trabalho está limitado aos jovens pelas diversas restrições do Estatuto da Criança e do Adolescente. Por outro lado as empresas não oferecem oportunidades para que possa iniciar nesse mundo, bem como ocupar o tempo produtivamente. O mundo social o discrimina, pelas suas roupas, cabelo, etc, modismos próprios da idade. No mundo da família ele não é criança para obedecer e submeter-se incondicionalmente às normas da casa, tão pouco adulto

para participar das discussões e decisões da família. São jovens educados pela pedagogia anestésica, onde não é permitido à criança o sofrimento normal da vida. Os pais não deixam a criança chorar, nada pode faltar, não deve ser contrariada. Com isso criamos adultos que pensam que tudo é possível na hora que querem. Com isso não desenvolvem a resistência natural para dificuldades da vida adulta. Juntando-se a isto, o fato de nossas crianças e jovens terem acesso irrestrito aos “desejos do mundo”, como roupas e tênis de marca, modernos equipamentos eletrônicos, carros e a um padrão de beleza difícil de ser acompanhado, e criados com tudo do bom e do melhor, apenas por existir. Nesse momento, em que definiremos os políticos que comandarão o país, fico com uma sensação esquisita, como educadora, fico meio decepcionada, pois tudo o que acreditei e lutei, mais liberdade, democracia, oportunidades parecem que nunca chega, mas nunca chega mesmo, é só promessa.

Esther Cristina Pereira Psicopedagoga, Diretora da Escola Atuação Contatos: cris@escolaatuacao.com.br • (41) 3274-6262

EM TEMPO... Vagas na Casa do Estudante A Fundação Casa do Estudante Universitário do Paraná está com inscrições abertas para o processo seletivo de novembro para novos moradores. Para fazer a inscrição é necessário passar na secretaria da CEU e retirar uma cópia

do requerimento de inscrição, que deverá ser preenchida e entregue juntamente com a lista de documentos solicitados até as 18 horas do dia 12 de novembro. A Casa do Estudante Universitário do Paraná está localizada na Rua Luiz Leão, 01, no Centro. O telefone é o (41) 3324-1984

Sebo Releituras LIVROS, GIBIS, CDS, DVDS, LPS USADOS E SEMINOVOS

LOJA PORTÃO Avenida Republica Argentina, 2417 CEP: 80.610-260 Fone: (41) 3018-9844 – 8445-0672 Curitiba - Paraná – Brasil releituras@hotmail.com Horário de funcionamento: De segunda a sexta, das 9h às 19 horas. Sábados, das 9h às 15 horas.


legislação

Arquivo

Os vereadores de Curitiba aprovaram no dia 13 deste mês, em primeiro turno, e no dia 18, em segundo, o projeto de lei que prevê política antibullying nas escolas das redes públicas e particulares. O projeto é de autoria do líder do prefeito, Mario Celso Cunha (PSB),

O bullying normalmente acontece nos momentos de “brincadeiras”.

e do quarto-secretário da Casa, Pedro Paulo (PT). De acordo com Pedro Paulo o problema tem se agravado a cada dia. “Essa violência tem gerado sérios transtornos socio-familiares, de ordem psicológica, comprometimento moral e social, entre outros danos. O bullying tem se alastrado mundialmente e exigido a adoção de medidas enérgicas de combate”, explicou. Durante o debate, a vereadora Julieta Reis (DEM) também fez considerações quanto à proposta. Para a parlamentar, a escola não pode deixar de participar de questões como esta, que envolvem educação e segurança e evitam que a criança não queira mais voltar à escola. Ela sugeriu que penalidades sejam propostas pela instituição de ensino, prevenindo casos de bullying. Também professora, a vereadora Josete (PT) cumprimentou a iniciativa e revelou que a prática é bastante comum nas escolas e os professores não sabem ao certo como reagir diante da situação. “É preciso, ainda, orientar os pais.

IFPR inicia devolução de taxa de capacitação Desde o dia 4 deste mês está disponível no site do Instituto Federal do Paraná (IFPR) um sistema para devolver a taxa de R$ 50,00 paga por 23 mil professores no ato da inscrição para fazer a complementação de estudos do Caso Iesde/Vizivali. A devolução ocorrerá porque o MEC direcionou as inscrições para a Universidade Aberta do Brasil. Os interessados devem informar o RG, a data de nascimento, a cidade, o CPF e os dados bancários. A partir da coleta dos dados, o IFPR deve iniciar o reembolso, que será feito por lotes. Ainda não há um prazo definido para o término do pedido, porém ele será divulgado em breve pelo site www.ifpr.edu.br.

Esta não é uma questão que atinge apenas escolas públicas, mas as particulares também”, disse. A iniciativa propõe meios de amenizar e enfrentar a questão com intenções normativas, por meio de medidas de conscientização, prevenção e combate ao bullying apenas sob forma de orientação, sem sanção. Entre as medidas do projeto, estão a identificação em cada instituição das incidências e a natureza das práticas, o desenvolvimento de planos locais para a prevenção e combate ao bullying e a capacitação de docentes e equipes pedagógicas para o diagnóstico do problema, além do desenvolvimento de abordagens específicas de caráter preventivo. De acordo com a emenda modificativa aprovada no projeto, as ocorrências de bullying devem ser registradas pela escola, com data, hora, tipo de agressividade, indicação do nome do agressor e agredido e as providências tomadas. Também devem ser realizados seminários, palestras, debates e orientação aos pais, alunos e professores.

O QUE É?

Arquivo

Câmara aprova projeto que prevê antibullying nas escolas

05

O bullying é uma prática comum entre os estudantes.

Bullying é qualquer prática de violência física ou psicológica, intencional e repetitiva, que ocorra sem motivação evidente, praticada por indivíduo ou grupo contra uma ou mais pessoas. O objetivo é o de intimidar, agredir, isolar ou humilhar, causando danos emocionais ou físicos à vítima, em uma relação de desequilíbrio de poder entre as partes envolvidas.


infraestrutura

06

Paraná busca recursos para construir 164 escolas QUATRO UNIDADES DO IFPR

Wanderley Francisco da Silva Pessoa.

O governador Orlando Pessuti (PMDB) esteve em Brasília no dia 6 deste mês, pelo ministro da Educação, Fernando Haddad, que propôs analisar a liberação de R$ 214 milhões destinados à construção de 164 novas escolas em todo o estado. O plano de obras entregue pelo governador inclui a construção de 115 escolas em parcerias com os municípios e 49 escolas estaduais. Pessuti revelou que o plano entregue ao ministro propõe ainda a construção 600 salas de aula. “O Paraná possui cerca de 2,2 mil escolas estaduais, sendo que algumas precisam ser ampliadas para atender a demanda”, afirmou Pessuti ao ministro Haddad e ao diretor de Articulação e Apoio aos Sistemas da Educação Básica, Romeu Weliton Caputo, que acompanhou a audiência. O governador disse que pediu ao ministro a liberação dos recursos para poder cumprir os compromissos assumidos pelo ex-governador Roberto Requião sem que houves-

O governador foi recebido pelo ministro da Educação Fernando Haddad.

se receita suficiente para a construção das novas escolas. “As obras foram autorizadas, os projetos elaborados, algumas licitações iniciadas, outras por fazer, sem que houvesse os recursos. Estamos agora correndo para cumprir esses compromissos que o exgovernador fez sem que a receita tivesse ocorrido”.

Pessuti, no entanto, fez questão de deixar claro que não culpa o ex-governador pela liberação das obras. “Muito menos o condeno por isso. A verdade é que a culpa é da crise mundial que afetou o Brasil, em 2009, e que fez com que o Paraná arrecadasse menos”. Segundo ele, o Paraná deixou de arrecadar com a crise cerca de R$ 1,3 bilhão.

Pessuti inaugurou quatro câmpus do Instituto Federal do Paraná (IFPR), no dia 15 deste mês. A inauguração foi no município de Telêmaco Borba, a 249 quilômetros de Curitiba. A inauguração seria feita pelo presidente Lula, que não conseguiu descer na cidade, por causa do mau tempo. As unidades inauguradas ficam nas cidades de Umuarama, Jacarezinho, Paranavaí e Telêmaco. Juntas, as quatro unidades oferecem para o ano que vem 970 vagas em 23 cursos técnicos, todos públicos e gratuitos. As inscrições para o processo seletivo 2011 estão abertas e podem ser efetuadas pelo site www.ifpr.edu.br até o dia 8 de novembro.


política Arquivo

APADE E APP ESPERAM CUMPRIMENTO DE PROMESSAS DO NOVO GOVERNO

07

Para o professor Izaías Ogliari as expectativas para a educação no Paraná são boas.

Depois da eleição de Beto Richa, seu vicegovernador, Flávio Arns, foi anunciado como futuro secretário da Educação. Tendo em vista que os mesmos já anunciaram suas propostas em relação à educação no estado, algumas expectativas foram criadas, principalmente pelas duas entidades que representam a classe dos professores e agentes educacionais no Paraná. Para o presidente da Associação Paranaense de Administradores Escolares (Apade), professor Izaías Ogliari, as expectativas são muito boas. Ele conta acreditar na palavra do governador eleito e espera que todas as suas propostas sejam concretizadas. “Quero que os profissionais da educação sejam realmente valorizados”. A Apade, segundo o professor, busca melhorias e auxílios para profissionais ativos e apo-

sentados, sem distinção. “Não pode haver injustiça em relação ao profissional aposentado”, diz. Além disso, ele observa que a Associação busca uma revolução de qualidade que alcance a população de verdade. “Não espero uma decepção e desmotivação como a gerada por governos anteriores”. O presidente Ogliari ressalta que gostou do resultado apresentado nas urnas, em relação ao governo, porque como prefeito Beto Richa já havia melhorado a educação. “No jornal da Apade o governador eleito apresentou propostas escritas muito boas”. Para Marlei Fernandes de Carvalho, presidente da Associação dos Professores do Paraná (APP/Sindicato), a expectativa é de manter um diálogo com o governo, tratando as pautas de

reivindicações da categoria. “Buscamos avançar na luta por uma escola pública de qualidade, com muito respeito e debate, sempre”. A APP espera que a carta-compromisso assinada no dia 10 de setembro seja cumprida. “Vamos encerrar o ano contentes e começar o outro com essas negociações, espero não ter modificações nem problemas”. Todos os candidatos participaram de um debate promovido pela APP e assinaram a carta se comprometendo com a pauta dos educadores. O governador eleito, Beto Richa, prometeu equiparar os salários dos trabalhadores do magistério com os salários iniciais dos demais servidores públicos com o mesmo grau de instrução que entram para o quadro de funcionários do estado por meio de concurso público.

Sinepe divulga campanha valorizando escolas particulares O Sindicato das Escolas Particulares do Paraná (Sinepe) veicula campanha na mídia destacando a importância das escolas particulares. Intitulada “Pense Melhor” é composta de vários outdoors em Curitiba, anúncios em jornal e em rádios, dentre outros locais. O presidente do Sinepe, professor Ademar Batista Pereira, conta que a campanha pretende incen-

tivar pais e alunos a refletir na hora da matrícula, destacando a escola particular como uma opção viável e acessível. Ele ressalta que as escolas públicas seguem a mesma linha de trabalho, enquanto as particulares variam conforme as necessidades e valores de cada família. “São as únicas democráticas. Há uma diversidade para escolher”, observa.

Pereira explica que na escola particular o investimento é diretamente aplicado na qualidade de ensino. Além disso, ele ressalta que o comprometimento com resultados, a superação diária e a formação para exercício da cidadania, somados à qualificação e atualização dos professores, infraestrutura, segurança e tecnologia. “São fatores muito importantes que não podem passar des-

percebidos na hora da matrícula”. O presidente diz que o investimento em mídia foi de aproximadamente R$ 100 mil. Pereira diz que campanha pretende aumentar os índices estatísticos do Paraná. No estado, 50% dos alunos matriculados na educação infantil estão em escolas particulares, 13% da educação básica e 75% do ensino superior.


ensino

08

FALTA DE FUNCIONÁRIOS CAUSA TRANSTORNO NAS

escolas da rede estadual Brisa Teixeira

da escola. Considerando os que tomaram posse em exercício e os contratados pelo PSS não chegaram a 100”, explica Tereza. No Colégio Leôncio Correia, em que Tereza é professora e onde estudam 2.100 alunos, há apenas uma merendeira de manhã e uma à tarde. A função dela consiste em fazer o lanche e limpar a cozinha, trabalho considerado, segundo Tereza, pesado para uma pessoa só numa escola de grande porte como é a Leôncio Correia. A mesma estafa aparece nas funcionárias de serviços gerais. “No período da manhã, são apenas quatro para fazer toda a faxina de 38 salas de aula, banheiros, sala de computadores e outras dependências do colégio”. A escola, destaca ela, tem mais de 20 mil metros quadrados de área. Por isso, continua Tereza, não é raro merendeiras e funcionárias de serviços gerais se afastarem por motivos de saúde e, na ausência delas, muitas vezes é o diretor que assume o posto ajudando na merenda e na limpeza do colégio.

Claudimar Busatto.

Alunos enfrentam problemas por conta da falta de funcionários.

fessor dar aula para duas turmas ao mesmo tempo ou dispensar os alunos mais cedo. “Já ocorreu de num dia, nas 25 turmas existentes, faltarem cinco professores”. O diretor diz ainda que, pela demanda da escola, a instituição deveria contar com mais quatro funcionários de serviços gerais. A defasagem não começou este ano, diz Costa, ela vem desde a gestão do diretor anterior, que deixou o cargo em 2008. A esperança fica no Processo de Seleção Simplificado (PSS), destinado a selecionar profissionais, que estão em defasagem nas escolas da rede estadual de ensino. No entanto, o diretor critica este processo, dizendo que a Secretaria de Estado da Educação (Seed) é lenta para contratar os candidatos aprovados em concurso público, não trabalha

com planejamento e não anteveem os problemas. “Temos que colocar o aluno como foco, apesar de todas as precariedades que nos são apresentadas. Temos que driblar os problemas que acontecem e focar no desenvolvimento intelectual do aluno. Cobramos por um lado os responsáveis e paralelamente vamos fazendo o nosso trabalho, na medida do possível”, diz o diretor. Agente educacional I - A presidente do Núcleo Sindical da APP/ Sindicato, em Curitiba, Tereza Lemos, diz que o maior problema está na falta de “agente educacional 1”, onde estão inseridos os funcionários que cuidam da merenda e da manutenção de modo geral. “Precisávamos até o meio do ano, só para Curitiba, 500 funcionários a mais para suprir as necessidades básicas

Cobramos por um lado os responsáveis e paralelamente vamos fazendo o nosso trabalho, na medida do possível Diretor Amilton Costa, do Colégio Estadual Professor Loureiro Fernandes.

Arquivo

Diretores de escola trabalhando como merendeira, limpando salas no lugar do pessoal de serviços gerais e dando aulas na substituição de professores. Cenas como estas são cada vez mais comuns nas escolas da rede estadual do Paraná. De 1996 a 2010 a redução no número de funcionários, que têm a denominação de agentes educacionais, chega a cinco mil. O resultado são trabalhadores que adoecem com facilidade e que, ao se ausentar por motivos de saúde, acabam sobrecarregando quem fará, além do seu o trabalho, o do colega afastado. Nos últimos oito anos houve tentativas do governo do estado para mudar este quadro, mas a defasagem é tanta que o avanço foi insuficiente até o momento para recuperar a situação. Quem vem acompanhando isso de perto é o secretário dos funcionários da educação da APP/ Sindicato, José Valdevino de Moraes, que também é diretor da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE). Segundo ele, em 1996 o quadro de funcionários era de 28 mil nas escolas da rede e até 2010 esse número caiu para 23 mil, mesmo com o crescimento do número de escolas e alunos na rede. “Isso gera uma sobrecarga dos trabalhadores, principalmente na área de serviços gerais, setor que mais adoece. A solução neste caso é ou aumentar o número de funcionários que seria o ideal ou contratar funcionários substitutos”, diz Moraes. A falta de professores e de outros funcionários também é um problema no Colégio Estadual Professor Loureiro Fernandes. Segundo o diretor, Amilton Costa, é corriqueiro um pro-

Para Valdivino, falta de funcionários gera sobrecarga a trabalhadores.


ensino

Mas não é somente a defasagem de funcionários que assola as escolas mantidas pelo estado. A lentidão no repasse da verba para a merenda, salas de aula com número de alunos acima do ideal e salas de informática subutilizadas são alguns impasses que desestruturam o ensino público, que poderia ser de qualidade. Tereza Lemos, presidente do Núcleo Sindical da APP Sindicato, em Curitiba, conta que, em muitos colégios do Paraná, há salas de aula com 47 alunos, quando o ideal, aprovado pelo Conselho Nacional de Educação (Conae), no eixo sobre a valorização profissional, é de no máximo 15 na pré-escola, 20 no ensino fundamental, 25 no ensino médio e 30 no ensino superior. “O excesso de alunos por turma gera indisciplina e dificuldade de aprendizado, sem contar no esforço do professor para comandar uma turma”, diz Tereza. No Colégio Conselheiro Carrão, que atende alunos do ensino fundamental e médio, a média é de 35 a 40 alunos por turma. Segundo o diretor Dirceu Fonseca Filho, as escolas públicas, de um modo geral, estão pas-

sando por um processo de inclusão, recebendo mais alunos que antes estavam fora da sala de aula. Além de elas não estarem preparadas e nem capacitadas para receber tantos alunos, segundo o diretor, não é possível, diz ele, aceitar todos os alunos que desejam entrar na escola. “No caso da Conselheiro Carrão estamos no nosso limite. Não vejo que estamos superlotados, o número de alunos que temos é o que podemos suportar”, diz Fonseca. A preocupação do diretor está mesmo na falta de professores substitutos, que só existe no caso das licenças, como as de maternidade e as prêmio. Somente na sexta-feira do dia 8 de outubro faltaram três professores e foi Fonseca que teve que passar os turnos da manhã e da tarde em sala de aula com os alunos. Quando isso ocorre, conta ele, toda a escola se mobiliza: diretor, vice-diretor e funcionários de vários setores, inclusive da limpeza, vão para a sala de aula. “Esse problema já foi maior em anos anteriores, esse ano melhorou muito e a média de falta dos professores é de três a quatro, por semana”.

DIRETORA DIZ QUE FALTA MERENDA DE QUALIDADE Em outra escola do estado, em que a diretora não quis se identificar, a dificuldade está em oferecer uma merenda de qualidade. “Há uma lei que exige das escolas ofertarem uma merenda diversificada, saborosa e nutricional, mas o valor repassado é insuficiente e muitas vezes demora a chegar”, diz a diretora, que aguarda o repasse dos perecíveis há meses. Segundo ela, o valor repassado não chega a um centavo por aluno. Mesmo com tanta dificuldade, a diretora conta que ela mesma, com recursos próprios, faz a compra dos perecíveis e de outros alimentos para não prejudicar a qualidade da merenda e fica no aguardo sem data definida para receber a verba

do governo. Para o segundo-presidente da Associação Paranaense de Administradores Escolares (Apade), Venâncio Domingos Vicente, o ideal seria que os diretores de escolas recebessem uma verba do governo para resolver problemas emergenciais, seja na falta de produtos para o preparo de merendas, infraestrutura comprometida e principalmente, contratação de professores por períodos curtos de tempo. “Quando um professor entra de licença por 15 dias, o diretor entra em contato com a Secretaria de Educação para fazer a substituição, mas até a secretaria nomear um professor substituto os 15 dias se passaram e os alunos ficaram sem aula”, diz Vicente.

Secretaria de Educação dá explicações Júlio Covello

Outros impasses dificultam uma educação de qualidade

09

Secretária Yvelise Arco-Verde diz que realmente é preciso contratar mais funcionários.

A secretária estadual de educação, Yvelise Arco-Verde, discorda que no Paraná de 1996 a 2010 houve redução de cinco mil funcionários. “Desde o início da nossa gestão, em 2003, priorizamos a realização de concursos públicos. Nos anos de 2004 e 2007 criamos 16 mil cargos de agentes educacionais 1 e 2”, diz a secretária. Segundo ela, a demanda por profissionais, como os auxiliares de serviços gerais, cresceu em quase todas as escolas estaduais. “Há um número significativo de servidores em licença e, ao mesmo tempo, houve um grande crescimento no número de matrículas, o que torna necessário contratar mais”, diz a secretaria. Yvelise, explica também que o processo de contratação é demorado. Por exemplo, no concurso realizado em 2007, faltam contratar ainda 5.100 funcionários, que estão passando pelo processo de exame médico. A nomeação dos 5.100 está prevista para 14 de dezembro deste ano. “Frente ao que tínhamos, quando assumimos, avançamos muito, mas concordo que seriam necessários 10 mil funcionários a mais para contarmos com um porte de qualidade, mas encaramos isso como meta a médio e longo prazo”, diz Yvelise. Merenda - Quanto a oferecer uma merenda de qualidade, diversificada, saborosa e nutricional, conforme exige a lei, a secretária explica que este ano houve mudanças na legislação com a nova lei nacional que exige que

30% da compra seja adquirida por meio da agricultura familiar. “Isso implica mudanças na gestão e enquanto estamos nos readequando encontramos impasses para realizar o processo com agilidade”. Segundo a secretária, para o ano que vem este impasse estará resolvido. “As cooperativas de agricultura familiar estão fazendo cadastro conosco para que possamos controlar as notas fiscais e encontrar com facilidade todos os produtos da merenda escolar. Isso ajudará muito a agilizar o processo no momento do repasse para as escolas”, explica. Alunos por turma - O número de alunos por turma estipulados pela Conae é utópico, segundo a secretária de Educação. “Estamos muito longe de atingir esta meta. Temos muitas salas de aula com 15 alunos, mas temos também com 55”, diz Yvelise. Das 2.166 escolas do estado, 5% possuem salas de aula com mais de 40 alunos por turma. “Vai contra os princípios pedagógicos, mas, ou aceitamos o aluno ou o deslocamos para escolas distantes de onde eles moram”, diz. Segundo Yvelise, esta é uma realidade brasileira, que prioriza garantir o acesso do aluno na escola e que também vem recebendo mais alunos no decorrer dos anos, uma vez que antigamente muitos alunos paravam os estudos na 4.ª série. “O número de alunos cresceu, mas o estado não caminhou tão rápido para acompanhar esta demanda”, avalia a secretaria.


10

LEIgislativo notícias dos projetos que podem virar lei CÓDIGO DE DEFESA DO ELEITOR A Câmara analisa o Projeto de Lei 7651/10, do deputado Felipe Bornier (PHS-RJ), que cria o Código de Defesa do Eleitor. Entre outras medidas, o código obriga os candidatos a cargos eletivos a registrarem seus “principais compromissos” junto à Justiça Eleitoral. Pela proposta, gestores públicos, candidatos, titulares de mandato eletivo, partidos e coligações poderão ser responsabilizados individual ou solidariamente por atitudes contrárias à: - soberania popular e ao regime democrático; - liberdade e ao sigilo do voto; - normalidade e legitimidade das eleições; - igualdade de oportunidades entre os candidatos nas eleições; - probidade administrativa e à moralidade do processo eleitoral; e - ao pluripartidarismo e aos direitos fundamentais da pessoa humana. Todo eleitor, partido político ou seus representantes legais poderão denunciar os infratores - relatando fatos e indicando provas, indícios e circunstâncias para que o corregedor geral ou regional eleitoral apure as denúncias. ENDEREÇO DE EMISSOR DE CHEQUE SEM FUNDO Tramita na Câmara o PL 7550/10, do deputado Capitão Assumção (PSB-ES), que obriga os bancos a

fornecerem, no prazo máximo de dez dias, o endereço de clientes que tenham assinado cheque sem fundo. Para ter acesso à informação, o portador do cheque deverá protocolar requerimento em qualquer agência do banco, com cópia autenticada do cheque devolvido. O texto, que altera a Lei 7.357/85 (Lei do Cheque), estabelece ainda que o banco será responsável solidário por honrar o pagamento do cheque caso não apresente as informações dentro do prazo. Segundo a proposta, o endereço só poderá ser utilizado para fins de cobrança, sob pena de sanções criminais e cíveis previstas em lei. Segundo o autor, a projeto pretende facilitar o ressarcimento de pessoas que não conseguem receber pagamento feito em cheque. Atualmente, lembra ele, as instituições financeiras só estão obrigadas a fornecer o endereço de clientes por ordem judicial. MAIS VERBAS PARA HOSPITAIS Hospitais estaduais e municipais poderão receber mais recursos, e de forma direta, pelo atendimento de urgência e emergência a vítimas de acidentes de trânsito. Tramita no Senado proposta que reforçará o custeio dessas despesas hospitalares com 15% do que as seguradoras arrecadam de Seguro Obrigatório de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (Dpvat). Se o projeto virar lei, essa parcela será depositada no Fundo de Apoio às Unidades Estaduais e Municipais Hospitalares. A medida proposta em projeto de lei ( PLS 36/10) do senador Marconi Perillo (PSDB-GO) está na Comissão de

Assuntos Sociais (CAS), onde já tem parecer favorável do relator, o senador Papaléo Paes (PSDB-AP). OBESIDADE MOBILIZA DEPUTADOS Tramitam na Câmara pelo menos 15 projetos relacionados à obesidade e à promoção da alimentação saudável. Segundo a Agência Câmara, em abril último foi aprovada uma proposta sobre o assunto - o Projeto de Lei 127/07, do deputado Lobbe Neto (PSDB-SP), que obriga as creches e escolas do nível fundamental a substituir, em suas dependências e para os fins de comercialização, os alimentos não saudáveis por alimentos saudáveis, conforme critérios a serem estabelecidos por autoridades sanitárias. A proposta foi enviada para o Senado. Entre os projetos em tramitação na Câmara está a criação de uma Política Nacional de Combate à Obesidade Infantil, com princípios e diretrizes para ações voltadas para educação nutricional e segurança nutricional da população e a obrigatoriedade da divulgação de advertência sobre o risco obesidade em embalagens de produtos altamente calóricos. Além disso, uma frente parlamentar tem entre seus temas a promoção de uma alimentação mais saudável para os jovens.

Andréa Marques Editora adjunta do Jornal Nota 10 Contato: andrea@nota10.com.br

literatura Aprender para viver: a pedagogia Uerê-Mello Yvonne Bezerra de Mello

O livro disseca o método de ensino alternativo desenvolvido por Yvonne e sua equipe para estimular o aprendizado de crianças e adolescentes com problemas de cognição. Os problemas cognitivos, comuns especialmente em crianças criadas em ambientes violentos, dificultam o aproveitamento escolar, muitas vezes transformando jovens que terminaram o ensino médio em analfabetos funcionais, sem qualquer chance para o ingresso no mercado de trabalho. A pedagogia Uerê-Mello foi desenvolvida ao longo de 35 anos de trabalho com crianças e jovens na África e no Brasil para atender à demanda de aprendizado em locais de conflito armado e de violência constante. Hoje é adotada como política pública na rede municipal do Rio de Janeiro e aplicada em escolas nas zonas de risco do município. Desde 1980, o método norteia o trabalho de Yvonne Bezerra de Melo com crianças nas ruas do Rio e no Projeto Uerê, uma escola modelo situada no Complexo da Maré.

Procura-se um coração Através da literatura a jornalista e escritora Lucia Seixas desmistifica de forma sensível e brilhante a doação de órgãos no seu mais novo romance, Procura-se um Coração, dedicado ao público juvenil. O tratamento gráfico da capa faz um trocadilho com o título e leva o leitor atento à outra leitura: Cura-se coração. Uma solução simples e eficiente para passar uma mensagem, já que o assunto só se torna o maior foco na vida das pessoas quando elas passam pela situação. “Não é necessário viver o problema para depois tomar uma posição”, diz o professor Vitor, um dos personagens da obra, que coloca o assunto como tema de pesquisa e discussão para que os alunos desenvolvam uma redação. O que o professor não sabia é que Manuela, uma de suas alunas, anda angustiada desde que descobriu que sua mãe precisará de um transplante de coração e a única coisa que aparentemente pode fazer por ela é animá-la até que a fila do transplante ande e possa então receber o novo órgão. Lucia Seixas - Editora FTD

Quem precisa de política? O objetivo do livro é motivar os jovens a participar da vida em comunidade e exercer a sua cidadania. O livro conta a história de Helena, garota que julgava política como algo chato, inútil e que nada tinha a ver com o seu cotidiano. Helena muda de opinião quando, ao lado de Olavo, engajado presidente do grêmio estudantil, começa a trabalhar na direção do jornal da escola e percebe que muitas atitudes do seu dia a dia são políticas, como debater uma ideia em sala de aula ou participar de campanhas sociais. Juntamente com seus amigos, ela também se envolve com as eleições para presidente da Associação de Bairro, conscientizando a comunidade de que é importante conhecer os candidatos, as suas propostas e intenções. Para o autor, a obra apresenta diversos pontos de vista, mas cada um irá encontrar uma forma própria de exercer seu papel político. Paulus Editora - Luís Fernando Pereira


INFORME PUBLICITÁRIO

Aluno das Faculdades Opet ganha prêmio Chef Revelação Lênin Palhano, aluno formando do curso superior de Gastronomia das Faculdades Opet, foi eleito o Chef Revelação do ano pelo Prêmio Bom Gourmet – Melhores Sabores de Curitiba, promovido pelo jornal Gazeta do Povo. Ele conquistou esta categoria da premiação participando de uma prova prática, na qual os chefs representando diversas Faculdades e instituições de ensino de Curitiba, que oferecem o curso de Gastronomia, foram desafiados a cozinhar para um júri de peso. A banca examinadora foi formada pelos chefs Fabiano Marcolini, Geraldine

Miraglia e Laurent Suaudeau, além do enófilo Guilherme Rodrigues e da jornalista Nádia Schiavinatto, editora-chefe da Gazeta do Povo Online. Lênin Palhano, que é sub-chefe do tradicional restaurante Terra Madre, preparou carré de leitão grelhado com penne ao molho de cenoura e ervas. “Este prêmio ganho por Lênin é motivo de orgulho para os nossos alunos e professores. Nossos esforços em prol da melhoria efetiva do curso têm rendido frutos”, diz Camila Pazianelo, Coordenadora Interina do curso de Gastronomia da Opet.

Lênin Palhano: Representando excepcionalmente a Opet

Curso de Administração ganha três estrelas

Colégios Opet com matrículas abertas para o ano letivo 2011

Colecione Na Ponta da Língua – 7/ Guia da reforma ortográfica ACENTO DIFERENCIAL

O curso de Administração da Opet ganhou três estrelas na avaliação de cursos superiores realizada pelo Guia do Estudante (GE) e constará na publicação GE profissões vestibular 2011, que chega às bancas em outubro. O Prêmio Melhores Universidades Guia do Estudante tem como objetivo identificar as melhores instituições de ensino superior brasileiras “estreladas” na avaliação de cursos superiores efetuada pelo Guia do Estudante e publicada na edição Melhores Universidades. Para a Coordenadora do curso de Administração, Samira Khelili, estar na lista das Melhores Universidades é motivo de muita comemoração, pois o prêmio atesta a qualidade do curso das Faculdades Opet.

Vinculados às Escolas Associadas da PEA UNESCO, os Colégios Opet Sedes Centro Cívico e Rebouças estão com matrículas abertas para o ano letivo 2011. Com localizações privilegiadas e avançados projetos de ação social, cultural, empreendedorismo e cidadania, os Colégios Opet oferecem aos alunos aprendizagem de qualidade em um ambiente extremamente agradável e interativo. Na Sede Rebouças são ofertados os Ensinos Médio e Médio Técnico (Informática; Publicidade & Propaganda; Administração e Marketing), enquanto que na Sede Centro Cívico há opção de Educação Infantil, Fundamental I e II e Ensino Médio, com disponibilização também de período integral. Saiba mais acessando o site www.colegioopet. com.br ou ligue para a Central de Atendimento (41) 3028-2828.

Desaparece Na maioria das situações em que era utilizado. Permanece No verbo pôr, para não confundir com a preposição por. E pôde [o verbo conjugado no passado] mantém o acento para não confundir com pode, o mesmo verbo conjugado no presente. ANTES pára pêlo pólo pêra pára-brisa pôr pôde

AGORA o trânsito sempre para caiu o pelo do bicho é frio no polo Norte a pera era doce o para-brisa está sujo a mesa sem mudança fazer sem mudança

Opcional Para distinguir forma de fôrma [de bolo]. E dêmos [forma do presente do subjuntivo] para que se distinga de demos [forma do pretérito do perfeito do indicativo].

O conteúdo desta página é de responsabilidade da Assessoria de Comunicação Corporativa do Grupo Educacional Opet. Jornalista responsável – Heidi Motomura (DRT 2651-PR) imprensa@opet.com.br.


ensino superior

12

Vestibular da UFPR O vestibular 2010-2011 da Universidade Federal do Paraná (UFPR) tem 43.892 candidatos inscritos. A informação foi divulgada no último dia 5 pelo Núcleo de Concursos (NC) da instituição. O número, que ainda pode variar em razão de eventuais registros tardios de pagamento, é superior ao registrado no ano passado, quando o vestibular da UFPR teve 43,7 mil candidatos. A UFPR oferece neste ano 5.540 vagas, distribuídas em 95 diferentes opções de cursos de graduação quatro a mais do que no ano anterior.

O total de vagas é 35,1% superior ao ofertado até 2007, quando a universidade oferecia 4.099 vagas. Do total de 43.892 inscritos na atual edição do vestibular, 9.417 concorrem nas chamadas cotas de inclusão social, que reservam 20% das vagas a estudantes que sempre estudaram em escolas públicas. Outros 2.079 concorrem nas cotas de inclusão racial, que destinam 20% das vagas a estudantes negros. As provas da primeira fase estão marcadas para o dia 14 de novembro. As da segunda fase acontecem

Arquivo

tem 43,9 mil candidatos O número de candidatos ao vestibular da UFPR aumentou em relação ao ano passado.

nos dias 5 e 6 de dezembro. Ambas as fases acontecem no período da tarde. O vestibular da UFPR irá selecionar os alunos para 90% de suas vagas. O percentual restante de vagas

(10%) será preenchido através do SiSU (Sistema de Seleção Unificada) do Ministério de Educação. Como no ano passado, o Enem representará 10% da composição final da nota dos candidatos.

Empossada nova diretora do Colégio Estadual Foi empossada no último dia 29 a primeira diretora do Colégio Estadual do Paraná escolhida por meio de uma votação democrática. Tânia Maria Acco foi eleita na votação ocorrida no dia 14 de setembro, que teve a participação de cinco mil alunos, funcionários, professores e pais. O processo democrático era uma reivindicação antiga da instituição, e era impedido legalmente por ser órgão de gestão especial, com autonomia e orçamento próprios, como uma autarquia. Quando assumiu o cargo de governador, Orlando Pessutti anunciou que iniciaria o processo para a mudança, o que se concretizou no dia 10 de maio. “A liberdade é o maior prêmio do processo democrático. É um prazer ver a democracia sendo construída por esses jovens que, como eu, antes deles, participam ativamente da construção de um mundo melhor. Este é o

primeiro passo na direção certa”, afirmou o governador. Segundo a secretária Yvelise, a Conferência Nacional de Educação, realizada em Brasília no final de março, destacou a importância da realização de eleições diretas em todas as escolas públicas e ressaltou o valor da luta pela democracia. “Muitas vezes os alunos estiveram na Secretaria de Educação pedindo novidades sobre o processo. Foi uma luta muito ética e esta história de avanço ficará marcada”. Na cerimônia, a nova diretora agradeceu ao governador por manter sua palavra e afirmou que o clima do colégio já está diferente, pois os alunos estão aprendendo na prática o que é lutar pela liberdade democrática. “Obrigado governador por acreditar e concretizar este sonho de tantos anos. Por amor ao Colégio Estadual do Paraná lutamos infatigavelmente por este momento”, destacou Tânia.

Setor de Educação da UFPR tem nova chefia As professoras Andrea do Rocio Caldas e Deise Cristina de Lima Picanço tomaram posse da direção do Setor de Educação da UFPR para o mandato 2010-2014 em solenidade na Sala Homero de Barros no dia 29 de setembro. Comunidade universitária, autoridades e representantes da sociedade civil prestigiaram a posse. Em seu discurso, Andrea Caldas reforçou a vocação do setor de Educação, como “casa de todos os setores” e prometeu uma “gestão coletiva, democrática e plural, com proposta acadêmica renovada, construída em conjunto e enraizada na articulação com a sociedade”. A diretora lembrou que o projeto da chapa eleita foi feito por “muitas vozes e muitas mãos” e que a gestão será aberta e associada aos interesses da sociedade e dos movimentos sociais. A vice-diretora Deise Picanço agradeceu a todos os setores que se mobilizaram em torno do papel do setor de Educação. “A gestão será democrática, com práticas de discussão coletiva e agregando segmentos da comunidade acadêmica e sociedade”, disse.


PALAVRA DO ESPECIALISTA mundo corporativo

Livre reflexão é só reflexão A ambição sabe se metamorfosear. Ambiciosos voam, mas também sabem rastejar. Mudando-se embaixo há sempre a impressão de mudança. O que se quer mesmo é preservar os de cima. Muita gente nos fará sofrer e não há como evitar isto. Mas sempre será possível escolher por quem valerá a pena chorar. O mundo é dividido em dois grupos: os que fazem e os que dizem que fazem pegando carona no sucesso dos outros. No primeiro grupo há pouca competição, mas tem que trabalhar duro. No segundo grupo é possível ser um folgado, mas há muita competição. As pessoas ocupam seu tempo de trabalho na seguinte ordem de preferência: a] fazendo o que gostam de fazer; b] fazendo o que sabem fazer; c] fazendo o que a empresa espera que façam. Nem sempre o que o funcionário gosta de fazer é o que ele sabe fazer. E quando sabe fazer, nem sempre é o que gosta. E quando ele faz o que gosta e o que sabe fazer, nem sempre é isto o que a empresa espera dele.

No exercício de função pública nomear parentes é tentação a ser evitada, difícil para quem detém o poder. Se nomeia, é nepotismo, vem chumbo grosso da mídia e da opinião pública. Se não nomeia, é ingratidão, a briga é com a família toda. Se bom senso fosse mercadoria, estaria encalhada. Todo mundo acha que já tem o suficiente. Mudar a cabeça por fora é fácil, basta criar um belo penteado. Difícil mesmo é mudar a cabeça por dentro... Se deseja estar alinhado e antenado com tudo o que está acontecendo à sua volta, não resista ao tempo. Mude junto com ele. Troque “eu sou do tempo em que...” por “eu fui do tempo em que...”. Omissos nem sempre são omissos. Na hora de negar a omissão, por exemplo. A experiência é demasiadamente mitificada. Há vivências que dão muita experiência e pouca expertise. Aguardar é uma forma camuflada de, postergando, se resguardar. Boa desculpa, bom disfarce para se omitir e adiar decisões.

Seja leal com amigos, familiares e colegas de trabalho. Leal, não fiel. A fidelidade é sempre passional, pressupõe algum servilismo. Há quem diga que a fidelidade é um atributo canino, apenas os cães são fiéis. Quando for cobrar planejamento e previsões dos outros, não exagere. Cobre, mas lembre-se que certeza, certeza mesmo, só quem pode dar é o passado. Não fale em “cheiro de corrupção”. Corrupção não cheira, fede! Quem quer fazer, faz. Quem não quer, potencializa dificuldades, buscando abrigo em normas e regulamentos, culpando o orçamento e subestimando os colegas. Enfim, arranjando desculpas. Não subestime os acidentes de percurso, eles são os verdadeiros protagonistas da história de cada um.

Teo Pereira Neto

Diretor de Comunicação do Instituto Opet Educação e Cidadania. Contatos: teodoro@opet.com.br • (41) 3021-4848

13


14

PALAVRA DO ESPECIALISTA ensino&educação

Professor Nota 10 Foram 33 anos de tablado e o privilégio de 70.000 alunos em todos os níveis de ensino, em escolas públicas e privadas. Aprendi que é primordial o equilíbrio entre o afeto e a disciplina, como pratos distintos de uma balança: de um lado ternura, tolerância, diálogo. No outro prato, limites, respeito às normas e à hierarquia.Uma relação intensa e pró-ativa. Fruto da convivência com renomados didatas e educadores, das leituras, das boas práticas e até mesmo dos erros cometidos, transcrevo os principais ensinamentos dessa rica experiência e concomitantemente me penitencio por tê-los praticado apenas em parte: 1) Quase todo dia o professor tem o seu calvário. Conflitos com os educandos são inevitáveis. Mas pare e pense: quem é o adulto na relação? 2) Nada é mais grandioso que a missão do educador. E como educadores não temos o direito de ser medianos. 3) O magistério é uma árdua fadiga, en-

quanto sublime tarefa de legar uma geração melhor que a nossa. 4) Aula que tem que ser dada merece ser bem dada, e para tanto bem preparada. É um ganha-ganha, pois agrega valores ao aluno e ao professor. 5) Dar uma boa aula é uma excelente terapia e não é difícil. O difícil é dar uma boa aula e manter a motivação e a disciplina. Sem disciplina não há aprendizagem na escola e nem lições para a vida. 6) O professor deve matar a indisciplina no seu nascedouro. Antes que a marola vire um tsunami. Bons didatas perderam o emprego por não terem autoridade. Impor limites é uma das tarefas precípuas do professor. 7) Deve-se entrar em sala com disposição alegre, passos firmes e saudação vigorosa. O aluno não está interessado nos problemas particulares do professor ou nos desgastes da aula anterior.

8) É imprescindível que haja unidade de ação e verbalização do professor e equipe pedagógica perante os discípulos e seus familiares. O professor “bonzinho” é danoso à escola e ao educando. 9) Promover bons valores, a autonomia e o autodidatismo é o maior legado do professor. Este se torna dispensável com o inexorável passar dos anos, mas os seus ensinamentos reverberarão sobre várias gerações. 10) O professor que não se atualiza corre o risco de ficar fora do mercado de trabalho. Deve ser um eterno aprendiz, mantendo-se atualizado nos avanços da sua disciplina e das novas práticas e tecnologias educacionais.

Jacir J. Venturi Jacir J. Venturi foi professor do Colégio Estadual do Paraná, EJA, Pré-Vestibulares, PUCPR e UFPR. Contato: jacirventuri@hotmail.com

SEBO M AN IA Compra - Venda - Troca Gibis - Cd’s - DVD’s - Vinil - Livros

(41) 3018-0447 Rua São Francisco, 308 - Centro - Curitiba - Paraná comercial@sebomania.com.br


INFORME PUBLICITÁRIO Associação Paranaense de Administradores Escolares - Apade Declarada de Utilidade Pública pela Lei nº. 7.527/81

coluna da apade R. Des. Ermelino de Leão, 15, Cjs, 81 e 82 - Fone: (41) 3323.6493 CEP: 80.410-230 - Curitiba / Paraná

MENSAGEM AOS PROFESSORES A FELICIDADE é a busca incessante de todo ser humano. Há o tempo de desejar felicidades, mas não o tempo de procurá-la, porque ela é a busca incessante. Agora é o tempo de dizer a você, professor, FELICIDADES! Mas o seu tempo de ser feliz está no seu dia a dia, em comunhão com as crianças e os jovens, construindo a própria felicidade e a deles, porque a felicidade de cada um apoiarse-á na cultura, que juntos vão construindo. Essa deve ser a grande felicidade do professor: criar as bases para a felicidade alheia. Tenha certeza, caro professor, que a sua recompensa não está no salário que lhe pagam,

A APADE considera que a eleição de Beto Richa representa uma esperança de dias melhores para a Educação Pública do Estado e para o pessoal da área educacional. Por isso estamos apresentando a síntese das propostas por ele formuladas. Entretanto, sabemos que tudo isso não se faz do dia para a noite. O processo deve começar logo, mas a conclusão pode demorar os quatro anos do mandato. AS PROPOSTAS Política Educacional:  Fortalecer o PDE, ampliando as oportunidades de acesso, revendo a certificação, assegurando a transparência na seleção;  Ampliar as oportunidades de formação continuada;  Aprimorar o modelo da hora atividade, em benefício da aprendizagem dos alunos;  Revisar o Plano de Carreira do Magistério, buscando maior valorização desde os níveis iniciais;  Valorizar os Agentes da Educação, assegurando-lhes maiores oportunidades de capacitação e reconhecimento no Plano de Carreira;  Contratar os profissionais da Educação através de concursos públicos;

mas na felicidade que constrói para os seus discípulos. Não há atividade mais nobre do que a do professor. É como a alegria sentida pelo agricultor que vê a árvore por ele plantada produzir os primeiros frutos. É a presença do milagre. E isso é a felicidade! Parabéns, professor! Comemore esta data como quem comemora a conquista da felicidade! Diretoria da Associação Paranaense de Administradores Escolares (APADE).

 Construir o Plano Educacional de forma Democrática;  Construir um novo paradigma no relacionamento entre a SEED e as escolas, assegurando prioridade e agilidade nas demandas e fortalecendo o princípio de autonomia;  Construir mais escolas e garantir docentes em cada sala desde o primeiro dia do ano letivo;  Equiparar o salário dos professores com o dos profissionais do Estado com nível superior. Para isso, garantir um aumento de 26%, mantendo os reajustes anuais;  Buscar a universalização do atendimento no Ensino Médio até 2016;  Introduzir gradualmente a escola integral, priorizando municípios e regiões com maiores necessidades sociais;  Dar maior enfoque à Educação Especial e à Educação de Jovens e Adultos. Política de Segurança:  Assegurar as melhores condições de segurança para professores e alunos, reforçando a patrulha escolar e estreitando os laços entre a escola e a Comunidade;  Priorizar ações de educação e prevenção ao

uso de drogas, com ações específicas dirigidas a jovens e adolescentes;  Ampliar o número de Policiais Militares e Civis, com a contratação de cinco mil policiais e colocá-los no policiamento preventivo, ampliando os efetivos no entorno das escolas. Política de Saúde do Servidor:  Rever o SAS para ampliar e melhorar a rede de atendimento ao servidor;  No prazo de alguns meses: - Ampliar as alternativas de estabelecimentos credenciados com o SAS; - Reduzir o tempo de espera para consultas em especialidades. Financiamento para o Funcionalismo:  Melhorar as ofertas de crédito além das modalidades atualmente disponíveis;  Garantir acesso à casa própria, mediante convênios, para oportunizar ofertas e financiamentos;  Criar uma linha de crédito para financiar a compra de computadores para os Profissionais de Educação do Estado.

Expediente: Jornal Nota 10 – Um veículo da Nota 10 Publicações. Circulação: Distribuição gratuita em escolas públicas e particulares do Paraná, sempre a partir do dia 10 de cada mês. Redação: R. Duílio Calderari, 122, Hugo Lange - CEP 80.040-250. Telefone/Fax: (41)3233-7533. E-mail: helio@nota10.com.br Editor e jornalista responsável: Helio Marques - MTb 2524. Revisão: Andréa Maria de Carvalho Marques. Diagramação: Marcos Mariano.



Jornal - outubro - 2010