Issuu on Google+

Impresso

de Campos do Jordão

www.acecamposdojordao.com.br ANO 4 - Agosto de 2011 - Distribuição Gratuita

Editor Ricardo Castelfranchi

No 26

www.acecamposdojordao.com.br

Vereadores não fazem nada pelo turismo Matéria na pg. 7

História de Campos do Jordão O Hotel Estoril, fundado em 1958 é é história da ACE um dos mais antigos sócios Matéria na pg. 6

Presidente da ACE acompanha desmontagem de stands em Capivari Diante da reclamação de alguns associados o presidente Wagner Cardozo foi acompanhar a desmontagem dos stands e viu pessoalmente o descaso de alguns expositores. Matéria na pg. 3

supimpa

Mercadinh

Av. Tassaburo Yamaguchi, 1058 Vila Albertina - % 3662-7140 Campos do Jordão - SP

Aceitamos todos os Cartões


Falta interesse do Poder Público

M

ais uma “temporada” se passou e o que podemos dizer a respeito dela? Foi boa para os comerciantes Jordanenses? Uma coisa é certa, vivemos num país em que, apesar de toda crise americana, sobrevivemos a este pânico com um crescimento das classes C e D, além de um pequeno sucesso no combate à inflação, sendo estes itens influenciáveis em nosso comércio. Não poderíamos deixar de olhar positivamente a economia de nossa cidade no mês de julho, que é nossa grande pilastra para o restante do ano. Pudemos receber nossos turistas sem a intervenção do caos aéreo, dando-lhes acesso às acomodações; oferecemos aos mesmos uma ampla, refinada e inquestionável culinária nos mais variados preços e, contamos ainda, com um crescimento de vendas. Assim, mesmo contando com os insatisfeitos de plantão, devemos tocar adiante seguros de que nada pudemos fazer de tão relevante, já que muitas coisas não mudarão a curto prazo por estarem nas mãos de um Poder Público inexpressivo, mas temos a obrigação de usar de nossos direitos e de nossa voz para – juntos – alcançarmos uma economia mais estável não só em nossa Estância, como também em todo nosso Estado e País. É nesse momento que entra a ACE, que conta com a presença de nossos associados para trazerem idéias e sugestões em nossas reuniões semanais, às quintas-feiras, às 19horas; a fim de alcançarmos juntos um objetivo. Além de nossos encontros semanais, também disponibilizamos cursos para o aprimoramento de nossos comerciantes e empresários:

“O que mais preocupa não é o grito dos violentos, dos corruptos, dos desonestos, dos semcaráter, dos sem-ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons.“

Um bom semestre a todos os empresários.

Wagner Cardoso da Silva Presidente da ACE

Expediente

Associação Comercial e Empresarial de Campos do Jordão Fone (12) 3668-9111 DIRETORIA EXECUTIVA

Presidente: Wagner Cardoso da Silva Vice Presidente: Paulo César da Costa 1º. Secretário: Renato José Januzzi 2º. Secretário: Antonio Benedito

2 Jornal do Comércio

ACE - Sebrae

Calendário de Treinamento Empresarial AGOSTO

Dia 25 – Educa ç ão Financeira Manhã:10h30 às 12h30 Tarde:14h às 16h Carga: 02 horas - Gratuito - Vagas: 20

SETEMBRO

Dia – Oficina: Desenvolva sua Empresa Manhã: 10h30 às 12h30 Tarde: 14h às 16h Carga: 02 horas - Gratuito - Vagas: 20

OUTUBRO Dia18 – Oficina: Habilidades para Gerenciar um Empreendimento

Manhã:10h30 às 12h30 Tarde:14h às 16h Carga: 02 horas - Gratuito - Vagas: 20

NOVEMBRO

Dia: 08 – Oficina: Empreendedorismo Período Integral: 09:00 às 17h00 Carga: 08 horas - Gratuito - Vagas: 20 Dia 29 – Palestra: Qualidade no Relacionamento com o Cliente Manhã: 10h30 às 12h30 Tarde: 14h às 16h Carga: 02 horas - Gratuito - Vagas: 20

Previna-se contra os maus pagadores

Obs: As inscrições deverão ser feitas na sede da ACE, em Abernéssia – Telefone: (12) 3668-9111. No ato da inscrição, o participante precisa doar 02 Kg de alimentos não perecíveis (menos Sal), a serem repassados para entidades sediadas na estância.

MANUTENÇÃO SCPC INCLUSÕES

278

EXCLUSÃO

38

CONSULTAS MAIORES CONSULENTES 1- Sapataria Nossa 2- O Lojão Magazine 3- K-Móveis 4- Depósito Dourado 5- Suisse Chocolate 6- Madeireira Nossa Senhora de Fátima 7- José Yasser Wakin 8- Mineração Corrêa 9- Célia Calçados 10- Harikein

SCPC 635 466 111 95 88 61 45 37 25 24

CHEQUE PESSOA JURIDICA

1120

957 87

Novos Associados julho 2011 Nenhum

Você e a Segurança de Campos do Jordão Participe das reuniões do Conseg. Toda última 3a feira do mês às 19 hs na sede da ACE consegcamposdojordao@hotmail.com

Siqueira 1º. Tesoureiro: Juarez Ribeiro de Carvalho 2º. Tesoureiro: Alexandre Gomes Ain

VOGAIS

Paulo Afonso M.S. De Marco Luis Fernando Peretti Gilson Ferri

CONSELHO CONSULTIVO

José Roberto Damas Cintra

Dino Cleber Busnardo Engrácia Maria de Jesus De Bellis Nélson Gonçalves José Candido da Costa Pereira Irineu Ribeiro da Silva Junior ASSESSOR JURÍDICO

Wilson De Bellis ACE - Rua Maurílio Comóglio, 115 – Abernéssia CEP 12.460-000 – Campos do Jordão SP Fone (12) 3668-9111

Editor Responsável Ricardo Castelfranchi Jornalista Roberto Carlos de Oliveira Coordenadoras Isa e Rose N. Castelfranchi Gráfica JAC Editora Tiragem desta edição 2000 exemplares


Anote aí

Eventos e Congressos do segundo semestre 18/08/2011 - XII VAM – “Vamos a Montanha” 18 a 21/08 - Encontro do Fórum da Academia do Vinho . Contato (12) 36632166 Local: Orotour Garden Hotel 19/08/2011 - 3ª Feira Vinhos - VAM 19 a 20/08 - Exposição e degustação de vinhos com 20 vinícolas. Contato (12) 3663-2166 Local: Orotour Garden Hotel 21/08/2011 - X Encontro Anestesiologia Veterinária - 21 a 24/08 - Encontro de médicos veterinários. Contato (12) 3663 2166 Local: Orotour Garden Hotel 25/08/2011 - 5º Congresso BM&F Bovespa 25 a 27/08 - Congresso Internacional de Mercado Financeiro e Capitais - Contato: (11) 2113-4920 Local: Campos do Jordão Convention Center 01/09/2011 - XII COPATI - 01 a 03/09 Congresso Paulista de Terapia Intensiva. Contatowww.sopati.com.br Local: Campos do Jordão Convention Center 02/09/2011 - V Encontro de Aikido 02 a 04/09 - Encontro de aikidoistas em Campos do Jordão - Contato:www.tentidojo. com.br Local: Hotel Satélite 15/09/2011 – Encontro de Atualização em Pediatria 15 a 18/09 - Encontro de médicos-pediatras. Contato (12) 3663 2166 Local: Orotour Garden Hotel 03/10/2011 - 16º CBCat 03 a 06/10 - Congresso Brasileiro de Catálise Contato: www.16cbcat.org.br Local: Campos do Jordão Convention Center 16/10/2011 - 11º CBPol 16 a 20/10 - Congresso Brasileiro de Polímeros Contato: www.cbpol.com.br Local: Campos do Jordão Convention Center 23/10/2011 - 16º ENQA Informações: 23 a 26/10 - Encontro Nacional de Química Analítica. Contato: www.usp.br/enqa2011 Local: Campos do Jordão Convention Center 29/10/2011 - Simpósio de Insuficiência Cardíaca - 29 a 30/10 - Simpósio de Insuficiência Cardíaca e Interfaces Contato: www.socesp.org.br Local: Campos do Jordão Convention Center 01/12/2011 - 16º RADESP 01 a 03/12 - Encontro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Contato: (12) 3663 2166 Local: Campos do Jordão Convention Center

Final de temporada

Presidente acompanha desmontagem de stands

I

nformado que na desmontagem de uma pista de patinação, o gelo estavam sendo descartados em frente à calçada do Churrasco ao Vivo, o presidente da ACE correu para o local e testemunhou a afronta aos princípios de educação, a indiferença com as regras de boa conduta e o descaso com quem cuida do próprio espaço e está em Campos o ano todo. O episódio se deu na segunda-feira pós-temporada e envolveu os promotores de marketing da empresa que montou a pista de patinação no Center Suíço, para o mês de julho. Ante uma fila de carretas que retratava o ritmo acelerado na desmontagem dos stands, Wagner também percorreu as calçadas do Capivari para se certificar que outros comerciantes não estavam sendo atrapalhados. “Num fim de temporada sempre tem um pouco de lixo, barulho, gritaria. Só que isso não pode atrapalhar o turista e muito menos o comerciante que tem uma equipe e para faturar depende do bom astral do cliente”, afirmou.

ASSOCIAÇÃO COMERCIAL campos do jordão 3


4 Jornal do ComĂŠrcio


Maior fabricante de ônibus eleje empresa jordanense

C

om uma fábrica em Caxias do Sul (RS), a brasileira Marcopolo é uma gigante cujas carrocerias estão presentes em boa parte dos ônibus brasileiros e do mundo. Afinal a Marcopolo é uma das poucas empresas brasileiras que se tornaram multinacionais. Também é a Marcopolo que fabrica os elegantes microônibus da marca Volare. E foi a Volare Club, revista editada pela empresa, que dedicou várias páginas a Campos do Jordão na edição de julho. Mais do que isso: a estrela da reportagem foi a Security Master, empresa filiada a Associação Comercial, cujo dono, Siqueira também é um atuante diretor da ACE.

A Security possui cinco micro-ônibus Volare. Esses veículos ilustraram a capa da revista e ainda apareceram em belas imagens feitas no Portal, no Capivari e em alguns pontos de ônibus. O fotógrafo escolhido foi Ricardo Castelfranchi. Com forte presença no monitoramento de alarmes e líder no setor de segurança privada, a empresa também possui uma ampla frota em Campos do Jordão e agora está presente em Pindamonhangaba também.

Movimento de ônibus cresce mas tende a ficar mais organizado

L

Av. Dr. Januário Miráglia, 828 Abernéssia rocalcados_cj@hotmail.com

% 3664 4467

EDUCAÇÃO E PROFISSÃO Av. Dr. Januário Miráglia, 858 % 3662 3325

evantamento do Sidec mostrou que nos primeiros sete meses do ano entraram na cidade 2.110 ônibus de excursão, crescimento de 16% sobre o mesmo período de 2010 e 40% sobre 2009. O limite máximo para o ingresso desses veículos é de 120 por dia. Um dado alentador se refere à discrição e à forma ordeira como esses ônibus passaram a se deslocar pela cidade. Isso se deve às normas baixadas em 2010 pela Sidec. Pelas regras, esses veículos são obrigados a deixar a avenida principal, quando ainda estão no Jaguaribe.Os ônibus só podem circular acompanhados por

guias de turismo locais. Também há um roteiro fixo que eles devem seguir. Por sua vez, o tempo de embarque e desembarque no Capivari é monitorado por agentes do DSV. A autorização para recolher os passageiros é dada via rádio, aos ônibus que ficam aguardando no Portal. O secretário do Sidec, Toninho do Pico, informa que assim que o polo de estacionamento do Portal estiver concluído nenhum ônibus deverá entrar na cidade. Eles ficarão estacionados no polo e os turistas serão transportados por vans ou trenzinhos. Apenas os ônibus com destino aos hotéis poderão entrar.

Prestigie o comércio local Av. Januário Miráglia, 1402 Abernéssia % 3662 1568 ASSOCIAÇÃO COMERCIAL campos do jordão 5


Hotel Estoril

Associados desde 1986

E

m 1939 o imigrante Alberto ga, projeto que se desenrolou de 1972 Bernardino acabara de se ina 1980. Uma das explicações para sua ternar no Sanatório Ebenezer, ascenção, Albertinho diz que no estaleiatual S-3. Ex-cobrador de bonde, viera ro, os engenheiros recebiam uma série do Rio de Janeiro onde havia se casado de cursos rápidos. “Isso valia mais do com a também portuguesa, Gracinda. que seis meses de faculdade”, observa. Saúde restabelecida, ele toma capital Valia mesmo. Foi numa dessas aulas emprestado de um primo e abre uma que ele aprendeu a fórmula de aplicar porta onde é hoje o Sérgio’s Restaurana rentabilidade gerada pelo Estoril, e te, em Abernéssia. O local se torna uma chegar onde chegou. referência amparada nos sanduíches de Em 1981 Albertinho se desligou do pernil. Em um ano ele quita a dívida e Alberto Bernardino em duas ocasiões: na foto maior, na inauguração do Hotel Estoril, ele estaleiro. Por esse tempo, o Estoril era abre um armazém na frente do que é aparece ao lado de Gracinda e, entre outras personalidades, à direita, o então prefeito Dr. José tocado pelo pai, que recebia a ajuda de hoje a quadra de tênis do Hotel Sagres. Padovan. Na foto de baixo ao lado de Gracinda, a nora Sônia e a neta Denise. algumas sobrinhas – as donas do Hotel A casa tinha de tudo: arroz, feijão, boSagres, que estava em construção. Sem mantinha. Os porcos eram consumidos no hotel lacha, camarão, camas, canos. colocação, Albertinho foi pedir emprego em Em 1959 Alberto compra o terreno onde e as galinhas vendidas. Taubaté, Volks e Mecânica Pesada. Ocorre que Nessa época, o filho, Albertinho, estava meses depois o Sagres ficou pronto e foi surgindo seria erguido o Hotel Estoril. O hotel fica pronto em 1962 e o já empresário transfere a mercearia prestes a terminar o colegial. Inicialmente pen- espaço para ele. Em 1982 o pai, Alberto Bernarpara lá, o que garante rendimentos à família, pois sou em entrar para o Instituto Militar no Rio de dino, adoeceu e acabou falecendo. Numa sequência o hotel amarga três anos de prejuízo. O lucro veio Janeiro, depois tentou eletrônica no ITA e acabou natural, Albertinho assumiu o comando. 10 anos em 1965 e teve gosto de salvação. Isso porque mesmo na Politécnica da USP, onde se formou depois ele ergueria o Estoril II e ainda o Serra da quando o armazém trocou de endereço, o gover- engenheiro naval. Ainda na faculdade trabalhou Estrela. Recentemente o Estoril cedeu espaço a no apresentou uma conta de impostos que quase no IPT e conheceu a mulher, Sônia. Após uma uma bem sucedida empreitada: nele foram abertos levou Bernardino à bancarrota. A mercearia rápida passagem pelo Arsenal da Marinha, foi dois restaurantes com deck para a Av. Macedo acabou extinta. Um dado curioso desse período trabalhar no estaleiro Mauá, Rio de Janeiro. Soares. “A concepção foi da Sônia”, diz Albertinho, O governo encomendara 65 navios de car- num justo crédito à esposa. é a criação de porcos e galinhas que Bernardino

6 Jornal do Comércio


Vereadores não fazem nada pelo turismo Eles são nossos funcionários. Nós pagamos seus salários.

D

o Portal ao Horto o diagnóstico se confirma: faz tempo que não são criadas atrações, faltam flores ao longo das avenidas, a ciclovia não cresce, vários pontos turísticos estão esquecidos e até a programação cultural do auditório Cláudio Santoro se apagou. Não fossem nossas belezas naturais – embora não sejam tomadas medidas concretas para se proteger e valorizá-las, Campos não teria mais atrações. Campos tem a obrigação de surpreender pelo capricho urbano e mostrar algo novo periodicamente. E sem dúvida nenhuma a responsável por esse cenário de estagnação é a Câmara Municipal. Os vereadores não criam nenhum pro-

jeto que repercuta a favor do turismo. E isso não é excessão, é regra. Os empresários geram empregos e a renda que circula na cidade. Também pagam muitos impostos. Só de ISS, a classe irá recolher R$ 6 milhões esse ano – taxa de licença, publicidade e outros encargos somam mais R$ 2 milhões. Já o custo da Câmara em 2011 será de R$ 5 milhões, conta paga por quem recolhe impostos sem choramingar. Cabe dizer: os vereadores são nossos funcionários. E o que eles fazem para a cidade? Dizer que a cidade não tem dinheiro não convence. O orçamento do município para 2012 é de R$ 124 milhões. A passividade é tanta que atinge

até a natureza. Exemplo disso é que os vereadores não implementaram uma ação concreta em prol da urgência na construção da ETE. Eles nem sabem que o rio voltará a ser uma atração da cidade. Além de nunca terem pressionado a Sabesp, no mínimo, eles poderiam estar propondo a criação de canteiros nas margens, ornamentos, bancos, pontos de observação ao longo do Rio Capivari. Enfim, fica aqui a pergunta: Quantos minutos de seus mandatos os vereadores se preocupam com o destino turístico Campos do Jordão? Afinal é daí que os empresários tiram seu dinheiro, inclusive para pagar os salários dos vereadores.

Empresários revoltados com vereadores

V

ários empresários ouvidos pelo jornal da ACE fizeram críticas contundentes à Câmara, cuja omissão têm afetado negativamente a imagem turística da cidade. Segundo Juarez Carvalho da Paloma Malhas, até algum tempo atrás se achou que as flores iam tomar conta da paisagem urbana. Hoje, diz ele, elas estão em falta. Ele cita a exuberância da Praça São Benedito, quando o local tinha um jardineiro exclusivo. A mesma praça, acrescenta, também carece de iluminação. “É escura”, observa. Juarez também reclama maiores cuidados com os pontos turísticos. Segundo ele, a Câmara deveria criar instrumentos para a iniciativa privada adotar os pontos de visitação. “Tem cidade que faz isso. Você passa a ter banheiros públicos, grama aparada, bancos conservados”. Por último, ele cobrou atitude dos vereadores quanto

as corridas de pedestres, competições e eventos que bloqueiam a avenida. “Que planejem melhor. A cidade não pode parar”, afirmou. Cobertas com cimento, piche ou bloquetes, as calçadas e a ciclovia requerem a atenção dos vereadores no sentido de que ambas precisam ser ampliadas, reparadas e receber conservação contínua. É o que diz Paulo César da Costa do Restaurante La Gália. “Em ambas há buracos, trincas e elevações que obrigam a pessoa a se manter atentas para não tropeçar”, assinala. No caso específico das ciclovias, ele diz que se trata de um diferencial da estância e a Câmara deveria se esforçar ao máximo para ampliá-la. “A ciclovia tem que ser um roteiro, se possível estendido até o Horto”, destaca. Paulo também critica os vereadores pela indiferença deles com a natureza. “O rio vai ser

acabou, mas a Câmara tem que pressionar o governo do Estado para que a programação seja reativada”, afirmou. Ricardo Castelfranchi, editor do Guia e deste Jornal, lembra que a indiferença se estende até sobre as charretes e os cavalos de aluguel. Ele lembra que embora tenha começado como alugador de cavalos, o ex-presidente da Câmara, Sebastião César, não cumpriu suas próprias promessas: trabalhar pela melhora das condições dos cavalos e conseguir um local corretamente estruturado para a atividade, com estacionamento, calçadas, baias, coletor de excrementos, banheiros e um veterinário. Ou seja, tirar os alugadores de cavalos da sitação extremamente precaria em que se encontram. “Do jeito que está, outrora uma bela atração turistica, até os cavalos vão desaparecer”. ASSOCIAÇÃO COMERCIAL campos do jordão 7

despoluído e até agora ninguém fez uma proposta para se florir as margens ou criar pontos de contemplação”. Também Dino Busnardo da Pousada Vilaregio de Campos diz que a Câmara deveria ser mais ativa em ações que valorizem a natureza. ”Para todo lugar que se olhe é verde. É especial, bonito e os nossos representantes têm que agir para se preservar isso”. Indo para outra direção, o empresário assinala que a Câmara também precisa apresentar alternativas para se aumentar o número de agentes de trânsito. “Nos horários de pico não se vê os marronzinhos”, diz. Por fim, Dino destaca a importância do entretenimento e menciona o sumiço dos espetáculos de fim de semana no Auditório Cláudio Santoro. “De 2007 a 2009 tinha um show todo sábado e domingo. “Não sei porque


Paloma Malhas Jaguaribe Tel. 3662-3666 Av. Frei Orestes Girardi, 3205 Paloma Malhas Capivari Tel. 3663-1218 R. Djalma Forjaz 78 Lj 15 E, 19

48 anos de tradição

Sapataria Nossa

Sapatos & Tenis - Várias Marcas

de 10 a 40% de desconto % 3662 2141 Av. Januário Miráglia, 1010 Abernéssia Pousada

Vilareggio di Campos

Tel. 3663-4540 Alameda Topazio -Jardim Belvedere, Sn Recanto Feliz

datacampus

8 Jornal do Comércio


Jornal ACE 026