Page 1

Foto: Diego Larré

Retrospectiva 2010/2011

Cidadania no tatame

Através de aulas de judô, crianças e jovens aprendem mais do que um esporte. Aprendem a ser cidadãos.


Fazer a diferença

É com grande orgulho que completamos um ano do projeto Futuro Seguro. Através do judô, um esporte que estimula a disciplina e o respeito ao próximo, estamos fazendo a diferença no futuro de crianças e jovens, sejam filhos de funcionários da Rudder, em situação de vulnerabilidade social ou Pessoas Com Deficiência (PCD). Além de terem apoio para praticarem um esporte olímpico, para o qual oferecemos instrutor, local de treino, lanche, material escolar, uniforme e inscrição para torneios, os alunos aprendem a ser cidadãos. Seja nas palestras ou nos ensinamentos durante as aulas, recebem conhecimentos sobre comportamento, saúde e bem-estar. O projeto, financiado pela Rudder, é uma parceria com o professor Marcelo Xavier e conta com o apoio da Fundergs. Esse somatório de esforços já traz resultados. As mudanças de faixas e as conquistas em campeonatos demonstram o acerto de nosso projeto. Na escola ou no ambiente familiar, os relatos de melhora no comportamento e o maior comprometimento escolar reforçam o sucesso e mostram que nossas crianças e jovens já começaram a mudar suas realidades. E aí está nossa maior satisfação! Boa leitura!

Foto: Diego Larré

Carlos D. Laude

Perseverança é a marca registrada do judoca Hélio Passos

RECOMEÇO ATRAVÉS DO ESPORTE Um lutador que nasceu da adversidade. Assim pode ser definido o faixa marrom em judô Hélio Passos. Depois de perder a capacidade de enxergar por causa de um tiro em 2003 e ter pedido ajuda para morrer, passou por um doloroso período de recuperação e adaptação até conhecer o judô. Hoje, avalia que a deficiência lhe trouxe mais perseverança e vontade de viver. Garante ter crescido mais como pessoa e profissional depois do que para muita gente poderia ser encarado como um episódio trágico. E foi o esporte o grande responsável por essa virada.

“O judô me fez sair do poço, me ajudou a ter e buscar objetivos, a fazer fisioterapia e quiropraxia e a ser um atleta de ponta, ingressar na seleção brasileira e representar meu país. A partir do esporte me centrei mais, tenho meus pés mais no chão”, explica o atleta de alto rendimento paraolímpico, terceiro lugar no ranking de sua categoria.

Patrocinado pela Rudder, que lhe fornece uniforme e custeio de viagens, Hélio tem chances de representar o Brasil nos tatames nos Jogos Paraolímpicos 2012, em Londres, na Inglaterra. Localmente, o paratleta também é destaque: recebeu

o reconhecimento maior do esporte gaúcho, a medalha Pedro Carneiro Pereira. A distinção foi concedida em setembro deste ano pelo secretário estadual do Esporte e do Lazer Kalil Sehbe. Além de se dedicar ao esporte, Hélio foi em busca de conhecimento para ampliar suas oportunidades. É terapeuta holístico, massagista e ministra cursos de reiki. Além da dedicação aos tatames e ao trabalho, Hélio é um defensor dos direitos dos deficientes visuais. “Antes, via essas pessoas como diferentes. Agora luto por mim e por elas para mostrar que somos iguais.”


Futuro Seguro - Retrospectiva 2010/2011 Fotos: Alexandre Leboutte

Um golpe na exclusão

Promover a inclusão e formar cidadãos através da prática de judô. Com esses objetivos o judoca faixa preta e professor Marcelo Xavier, que já tinha uma experiência de 13 anos em projetos sociais, foi até a Rudder em busca de patrocínio. A receptividade foi imediata e assim, em setembro de 2010, nascia o Futuro Seguro.

legenda

O judô mudou a vida de Viviane Brionderlim. A frase não contém nenhuma dose de exagero. Aos 21 anos, ela trabalha dando aulas do esporte e participa de competições em nível municipal, estadual e nacional. Já foi vice-campeã gaúcha e quinta do Brasil na categoria até 57kg. Uma realidade bem diferente da que tinha aos 12 anos, quando começou a fazer judô em um projeto social, no Grêmio Porto Alegrense, comandado pelo sensei Marcelo Xavier. O corpo ainda era de menina, mas as responsabilidades de adulta. A mãe a abandonou ainda criança. Viviane ajudava o pai, reciclador, em casa e no trabalho. Cuidava das três irmãs menores e ainda saia às ruas da Capital com o carrinho para catar papel. “Às vezes vendia minhas roupas para comprar comida para a família”, recorda.

O nome Futuro Seguro é uma alusão à proposta do projeto e ao próprio espírito do judô, esporte que estimula o desenvolvimento integral e que dissemina valores como comprometimento, disciplina e respeito ao próximo.

Voluntário no projeto, Marcelo destaca que “quem luta judô não briga”, frase que os alunos já adotaram como prática no dia a dia. Sobre o que pretende ensinar, Marcelo é categórico: “A meta é formar cidadãos; se formarmos atletas, melhor”, afirma. Atualmente, o projeto conta com mais de 70 alunos, com idades entre 4 e 18 anos. As aulas acontecem duas vezes por semana e são destinadas a crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social, pessoas com deficiência e, mais recentemente, aos filhos de colaboradores da Rudder.

Sensibilizado, Marcelo fez mais do que dar aulas de judô para Viviane: deu-lhe uma oportunidade. Ela ajudava o sensei nos treinos e, em troca, recebia um auxílio de custo de R$ 300,00 por mês. Com o passar do tempo, a menina aumentou o leque de atividades. Aproveitando as portas abertas pelo professor, é monitora no projeto Futuro Seguro e dá aulas do esporte em outros clubes da cidade. Toda esta maratona rende cerca de R$ 1.100 por mês. As possibilidades vão além dos tatames. Graças ao sensei e ao seu esforço, Viviane estuda gratuitamente em um cursinho da capital. Conforme Marcelo, existe também a chance da judoca receber uma bolsa de uma universidade particular e realizar o sonho de cursar Educação Física.

CAMINHO NADA SUAVE “O judô pra mim é a minha sobrevivência. Não consigo me imaginar sem ele. Quando dou aulas para crianças com a realidade parecida com a minha, tento mostrar que o esporte é o melhor caminho para outra vida.”

Viviane é uma vencedora dentro e fora do tatame


Foto: Diego Larré

Sandro é um exemplo de cidadania através do esporte

DISCIPLINA PARA A VIDA Solidariedade, respeito e tolerância são alguns dos conceitos valorizados durante as aulas pelo sensei Marcelo.

Um garoto que a qualquer provocação revidava com violência. Um menino com notas baixas na escola. Um filho que não colaborava em casa. Tudo isso é passado na vida de Sandro Jassa Pereira de Souza, de 13 anos. E a grande virada veio em março deste ano, quando a mãe Júlia Teresinha Pereira o matriculou no projeto Futuro Seguro, patrocinado pela Rudder em parceria com o professor de judô Marcelo Xavier e com o apoio da Fundação de Esporte e Lazer do Rio Grande do Sul (Fundergs).

As aulas, que acontecem às terças e quintas-feiras a partir das 18h30min no Centro Estadual de Treinamento Esportivo (CETE), fazem a diferença não apenas para Sandro. São 70 alunos, entre crianças de quatro anos e jovens de 18 anos, que têm a chance de aprender não apenas um esporte, mas a serem cidadãos.

O projeto é aberto a crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social, deficientes e filhos de funcionários da Rudder. Todo o material para a prática do judô é fornecido gratuitamente pela empresa de segurança. Além das aulas no tatame, as crianças ganham lanche, material escolar e assistem a palestras educacionais. Solidariedade, respeito e tolerância são alguns dos conceitos valorizados durante as aulas pelo sensei Marcelo. Ao assistir a uma das aulas, é perceptível a concentração das crianças nos ensinamentos do mestre. Já na entrada, um a um dos alunos cumprimenta respeitosamente o sensei. O professor e os alunos se alinham e, após as palavras de ordem entoadas por uma das alunas, começa a corrida para o aquecimento. Depois, é hora de aprender a lutar... pela vida!


Futuro Seguro - Retrospectiva 2010/2011

JOÃO DERLY

JUDOCA BICAMPEÃO MUNDIAL

JÚLIA TERESINHA PEREIRA

MÃE DE SANDRO JASSA PEREIRA DE SOUZA

“A prioridade n°. 1 do meu mandato é educação de qualidade, e o projeto Futuro Seguro vem ao encontro desse pensamento. Parabéns pelo trabalho que desenvolvem no esporte pois também educa e forma cidadãos. Contem sempre comigo.” DJ CÁSSIA

VEREADOR DE PORTO ALEGRE

“Projetos como o Futuro Seguro são a comprovação de que a comunidade, a iniciativa privada e o poder público podem dar as mãos em prol do bem comum. Parabéns aos empreendedores, aos educadores, à nossa FUNDERGS pelo belo exemplo.” KALIL SEHBE

SECRETÁRIO ESTADUAL DO ESPORTE E DO LAZER

Foto: Alexandre Leboutte

LUTAR PARA PREVENIR O projeto Futuro Seguro pretende criar oportunidade de crescimento para crianças e jovens através do esporte. Enquanto aplicam golpes de judô, estão assistidos por instrutores e familiares, ficando longe dos riscos das ruas. Com os conhecimentos que adquirem, aprendem que droga é uma droga e que o legal mesmo é vencer – dentro e fora dos tatames.

Foto: Alexandre Leboutte

“Através do judô meu filho deixou de ser briguento e passou a ter mais compromisso, a ser mais responsável, a respeitar mais as pessoas e a ir atrás do prejuízo.”

RESULTADOS NO BOLETIM Uma das grandes vantagens do judô é o estímulo à disciplina e à concentração. Assim, as crianças e jovens passam a respeitar mais os familiares e professores. Por praticarem uma atividade física, gastam energia nos tatames, ficando mais atentos às aulas. Tudo isso reflete nos resultados do boletim. E essa melhora é estimulada pela Rudder, que só exige acompanhamento do rendimento escolar dos alunos. RESPEITO FORA DOS TATAMES Entre os ensinamentos complementares do judô, um dos mais destacados nas aulas é o de respeitar os colegas e lutar somente nos tatames. Dessa forma, o bullying não apenas deixou de ser praticado pelos alunos, como eles estão se transformando em agentes da paz, conscientizando os colegas da escola de que não se deve provocar e nem brigar. O professor Marcelo Xavier conta, emocionado, que uma das suas maiores satisfações foi quando perguntou a um dos alunos porque ele decidiu fazer judô. A resposta foi porque não há bullying no judô.

“O judô é uma das modalidades esportivas com maior potencialidade no desenvolvimento dos valores morais e sociais. No Brasil, a prática desse esporte têm sido uma ferramenta muito importante de inclusão social.”

Fotos: Divulugação

PALESTRAS PARA CRESCER Dentro do projeto Futuro Seguro, a Rudder oferece palestras gratuitas com especialistas em diversas áreas. Alunos do judô e suas famílias podem participar dos encontros que acontecem no CETE e que abordam temas variados, como benefícios da atividade física para a saúde, a importância de estabelecer objetivos e ir em busca dos mesmos, entre outros. O ciclo, que começou em setembro, recebe mais de uma centena de espectadores a cada edição e tem ajudado as famílias a se integrarem, além de gerar conhecimento.

“Com o esporte, a criança e o adolescente expõem seu mundo, seus medos, sentimentos e emoções que no dia a dia estão escondidos pelos limites, repressões e até mesmo agressões.” TEREZINHA LENORA PIRES

ESCOLA ESTADUAL DR. PACHECO PRATES


FUTURO SEGURO NOS TATAMES

Fotos: Divulugação

Os alunos do projeto Futuro Seguro participaram de várias competições importantes desde a sua fundação. O objetivo principal não é ganhar títulos ou medalhas, mas sim integrar as crianças e adolescentes com meninas e meninos de outra realidade, utilizando o esporte como ferramenta de convivência social. Entretanto, ter a oportunidade de “agarrar quimonos diferentes” resulta também em um aprimoramento técnico importante, motivando a permanência no judô.

LA SALLE Mais de 40 alunos do projeto, entre seis e 18 anos, participaram da Copa La Salle. A competição aconteceu no dia 15 de maio de 2011 no colégio Dores e reuniu cerca de 25 escolas e grupos de projetos sociais de Porto Alegre. Foi o primeiro torneio oficial fora do CETE dos judocas do Futuro Seguro e eles fizeram bonito. A equipe ficou em terceiro lugar no geral e mais de 90% dos judocas subiram no pódio, mostrando muita garra e dedicação para orgulho do professor Marcelo Xavier. COPA RUDDER O ginásio do CETE foi cenário para a 1º Copa Rudder. Cerca de 70 crianças e adolescentes do projeto Futuro Seguro lutaram no campeonato. As vitórias nos tatames ficaram em segundo plano, pois a iniciativa visava à integração dos alunos e pais e à celebração do amor ao judô, independente de resultados. O torneio aconteceu no dia 23 de outubro de 2010 e contou também com equipes convidadas. Entre acompanhantes e atletas mais de 1.500 pessoas prestigiaram o evento. CAMPEONATO CITADINO Os tradicionais tatames da Sociedade Ginástica de Porto Alegre (Sogipa) foram palco do campeonato citadino deste ano. E o projeto Futuro Seguro fez-se presente na competição com cerca de 20 judocas entre 15 e 18 anos. A gurizada não se intimidou e voltou com várias medalhas – ficou em quarto lugar no geral entre mais de 50 equipes participantes. O resultado traduz a ótima estrutura que a Rudder oferece aos alunos. O torneio ocorreu no dia 8 de agosto de 2011.

DESTAQUES NA MÍDIA Desde a sua implantação, o projeto Futuro Seguro já foi tema de matérias nos principais jornais e em revistas, especializadas em judô, do Estado. Também apareceu com destaque em reportagens em programas de esporte na tevê e em sites gaúchos e nacionais.

ZERO HORA A Zero Hora fala da criação do projeto e destaca a oportunidade de inserir o esporte na vida de crianças e jovens.


Fotos: Divulugação

Futuro ANO Seguro 1 - Nº -3Retrospectiva - julho e agosto 2010/2011 de 2011

DEGRAU A DEGRAU Hélio explica como funciona o projeto

Vereadores elogiam iniciativa da Rudder

A troca de faixa é o grande momento no judô. É o prêmio por horas e mais horas de esforço, dedicação e comprometimento rumo à faixa preta, o sonho de todo o judoca. A criançada do Futuro Seguro ainda está no início dessa caminhada, mas já possui motivos de sobra para se orgulhar do seu desempenho. Desde o início do projeto, já foram realizadas três cerimônias de troca de faixa.

Marcelo Xavier apresentou, no dia 30 de agosto, o Futuro Seguro aos vereadores da Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Juventude (Cece) da Câmara Municipal. O presidente da comissão, Professor Garcia, saudou a iniciativa da Rudder. Marcelo, acompanhado do judoca Hélio Passos, participou da Tribuna Popular, espaço da sessão ordinária da Casa, para explicar com detalhes o projeto.

Bom para o corpo e para a mente

O judô foi criado no Japão, em 1882, pelo professor de Educação Física Jigoro Kano. O objetivo era criar uma técnica de defesa pessoal, além de desenvolver físico, espírito e mente. Essa arte marcial chegou ao Brasil em 1922. O judô é uma das modalidades esportivas que leva a criança a ter disciplina, respeito e a melhorar o comportamento seja dentro ou fora da sala de aula. No aspecto físico, conforme especialistas, os inúmeros movimentos praticados em aula contribuem para o desenvolvimento motor. Assim a luta, se bem aplicada, contribui para a aprendizagem de novos movimentos ou aperfeiçoamento de outros já conhecidos.

JORNAL DO COMÉRCIO A matéria do Jornal do Comércio enaltece o compromisso da empresa com ações de responsabilidade social.

RANDORI Randori, principal revista de judô do Estado, fala de Marcelo Xavier e seu histórico à frente de projetos sociais.

RANDORI 2 A Randori, dessa vez, faz uma matéria sobre como funciona o projeto Futuro Seguro da Rudder.

SITE – JUDÔ BRASIL O Judô Brasil, principal site do esporte no país, destacou a matéria do jornal Nossa Força sobre o Futuro Seguro.


Futuro Seguro - Retrospectiva 2010/2011 Foto: Divulgação

TEM QUE PARTICIPAR

Todas as terças e quintas-feiras, o cenário é o mesmo no andar de cima do ginásio do CETE. Enquanto os alunos do projeto Futuro Seguro treinam golpes e movimentos no tatame, um seleto grupo de espectadores, formado por pais, avós, tios e outros familiares, não perde nenhum detalhe do treino. Para eles, não existe nenhuma dúvida: o judô mudou a vida da gurizada. E a deles também, já que participam ativamente do projeto, dando apoio às crianças, o que é fundamental. Afinal, não basta ser da família; tem que participar.

A avó de Matheus, 8 anos, Sandra Helena Lourenço, não perde uma aula. O garoto está desde o início do projeto e mostra uma aplicação incomum nos treinos. “Ele adora judô. Fez novas amizades e respeita muito os professores, o que é uma importante lição nessa idade”, afirma a funcionária pública. E acrescenta: “O esporte tira das drogas e ajuda no desenvolvimento”.

Alessandro é o fã nº. 1 do judoca João Gabriel Fotos: Alexandre Leboutte

João Gabriel, 6 anos, é um menino muito mais ativo na escola desde abril, quando vestiu pela primeira vez um quimono. Quem garante é o seu pai, Alessandro Pereira. “O judô está lhe proporcionando conhecimento, desenvolvimento e condicionamento”, afirma. O guri sempre chega cheio de energia em casa e, nos dias sem aula, sai distribuindo golpes e ippons em toda a família. “Nem a avó escapa”, confessa aos risos Alessandro.

Simone não perde um treino

Assim que recebeu a guarda da sobrinha Érica, 12 anos, Simone Lemos Pedroso a matriculou no projeto. A decisão veio depois que o filho Eduardo, 8 anos, ingressou no Futuro Seguro e melhorou significativamente o comportamento. O garoto ficou mais disposto e está mais responsável em casa e na escola. Agora, a auxiliar administrativa sai correndo do trabalho para acompanhar os dois e não se arrepende. “O que eles aprendem aqui vão carregar para a vida toda”, projeta. A iniciativa da Rudder conta com total apoio dos familiares. Para Sandra, a ação deveria servir de exemplo a outros empresários. “É louvável a atitude da empresa, pois proporciona uma atividade de lazer a filhos de funcionários e crianças e adolescentes sem condições de arcar com os custos de uma academia particular”, endossa Alessandro.

Sandra é só felicidade com o neto Matheus

Case de sucesso na área da responsabilidade social, o Instituto Reação foi criado em 2003 pelo judoca medalhista olímpico Flávio Canto e um grupo de amigos. Hoje a ação atende cerca de mil crianças e jovens entre quatro e 25 anos em várias comunidades da cidade do Rio de Janeiro. A ideia é promover o desenvolvimento humano através do judô e de ações complementares de educação.

Foto: Divulgação

MODELO DE RESPONSABILIDADE

O Instituto Reação forma cidadãos e atletas

EXPEDIENTE Informativo da Rudder Segurança Av. Ipiranga, 441 – Menino Deus Porto Alegre – RS www.rudder.com.br jornal@rudder.com.br (51) 3235.7000

Edição, reportagem, revisão e diagramação: Interna Projetos Editoriais www.interna.com.br interna@interna.com.br (51) 3019.5643

Textos: Cristian Costa – MTb 15.247 Karen Viscardi – MTb 8.633 Coordenação: Guilherme Laude Renato Delfino Rodrigues

Periodicidade: anual Tiragem: 3.000 unidades Impressão: Ideograf Projeto gráfico: ThCom - (51) 3327.8100 www.thcom.com.br

Este papel tem certificado FSC. Garante que a madeira utilizada é proveniente de florestas plantadas e sustentáveis.

Futuro Seguro – Cidadania no tatame  

Através de aulas de judô, crianças e jovens aprendem mais do que um esporte. Aprendem a ser cidadãos.

Futuro Seguro – Cidadania no tatame  

Através de aulas de judô, crianças e jovens aprendem mais do que um esporte. Aprendem a ser cidadãos.

Advertisement