Page 1

A Re ista

Outubro 2013 | n.º6 | Revista Trimestral

Medicina no Trabalho

Higiene e Segurança

Formação

Legislação

Campanhas

Informação

Artigos

Artigos

Artigos


Juntos fazemos a diferença

Caros leitores Nesta 6ª edição, a REVISTA, procura trazer, uma vez mais, informação útil para que todos possamos compreender e entender temas que nos afetam no nosso dia a dia, particularmente no nosso plano profissional. Com a chegada do tempo frio, é necessário as empresas e os trabalhadores adaptarem-se a esta realidade, pois é necessário adotar alguns procedimentos, nomeadamente em questões de Ambiente Térmico, de uso de epi`s adequados entre outros. Assim procuramos informar, com algumas sugestões, as diferentes formas de prevenir a ocorrência de acidentes, incidentes ou desconforto no desempenho das nossas funções. É importe, usarmos todos os meios ao nosso alcance para melhorarmos as condições de trabalho que têm repercussões físicas e psíquicas dos nossos trabalhadores. É com a formação de novos técnicos, com a atualização continua, com o uso das novas tecnologias, que é possível alterar comportamentos, ideologias, teimosias, enfim tudo o que contribui para o entrave no progresso da área da Saúde, Higiene e Segurança no Trabalho.

Mais uma vez agradeço a todos os que fazem parte da equipa nortemed e que, tornam possível direta e indiretamente a publicação da «REVISTA».

Sousa Teixeira Diretor Geral

Os artigos assinados, assim como as opiniões emitidas, são da inteira responsabilidade dos seus autores, podendo ser reproduzidas, no todo ou em parte, desde que sejam mencionados o nome, número e data da publicação e o autor do texto.


3

A definição de EPI, é, de acordo com a Diretiva 89/656/CEE “qualquer equipamento destinado a ser usado ou detido pelo trabalhador para sua proteção contra um ou mais riscos suscetíveis de ameaçar a sua segurança ou saúde no trabalho, bem como qualquer complemento ou acessório destinado a esse objetivo”.

Conformidade CE Todo e qualquer EPI fabricado e colocado à venda tem de obedecer a diversos requisitos. Esses requisitos servem para proteger tanto o fabricante, como o comprador, pois são uma segurança para o fabricante que se encontre certificado para produzir determinados EPI`s, como para o comprador de equipamento, que assim tem possibilidade de efetuar uma compra segura e dentro dos parâmetros legais existentes. As informações obrigatórios devem responder aos requisitos de marcação CE, sendo uma obrigatoriedade para qualquer fabricante de EPI`s incluir nos seus produtos informação, redigida na língua portuguesa, acerca de: Ÿ Nome e endereço do fabricante; Ÿ Marca, modelo e referências do EPI; Ÿ Instruções de armazenamento, utilização, limpeza, manutenção, revisão e desinfeção; Ÿ Resultados obtidos em ensaios de conformidade efetuados para determinar os níveis ou classes de proteção do EPI, somente

em casos em que tal é aplicável; Ÿ Acessórios utilizáveis com EPI e, mais uma vez somente em casos em que é aplicável, características de peças sobresselentes; Ÿ Classes de proteção adequadas a diferentes níveis de risco e aos limites de utilização correspondente; Ÿ Data ou prazo de validade, ou se for aplicável, dos seus componentes; Ÿ Género de embalagem apropriado para transporte do EPI; Ÿ Significado de marcações, símbolos ou pictogramas apostos no EPI A escolha de EPI`s adequados, pode e faz a diferença. É necessário uma mudança de mentalidades por parte das entidades patronais, mas também, por parte dos trabalhadores e, devem todos “remar” na mesma direção, na direção da PREVENÇÃO.

por: Vítor Teixeira Consultor em Saúde, Higiene e Segurança no Trabalho Fundador do blog medicinanotrabalho.blogspot.com vitor.shst@gmail.com

Equipamentos de Proteção Individual Marcação CE


4

O Ambiente Térmico desempenha um papel importante no melhoramento das condições de trabalho. De acordo com a American Society of Heating Refrigeration and Air Conditions (ASHRAE), conforto térmico pode ser definido como "o estado de espirito em que o indivíduo expressa satisfação em relação ao ambiente térmico". Este estado é obtido quando um indivíduo está numa condição de equilíbrio com o ambiente que o rodeia, o que significa que é possível a manutenção da temperatura dos tecidos constituintes do corpo, num domínio de variação estrito, sem que haja um esforço sensível. Esta é a situação ideal, que corresponde a um ambiente neutro ou confortável. Fora deste ambiente pode haver alterações fisiológicas no ser humano.

TEMPERATURAS BAIXAS:

Ÿ Tiritona: produção de calor (transformação química em mecânica / térmica); Ÿ Autofagia das gorduras armazenadas: transformação química de lípidos (gorduras armazenadas) a glícidos de metabolização directa; Ÿ Encogimento: apresentar a mínima superfície de pele em contacto com o exterior.

As consequências da Hipotermia poderão ser: Ÿ Mal estar geral; Ÿ Diminuição da destreza manual; Ÿ Redução da sensibilidade táctil; Ÿ Anquilosamento das articulações; Ÿ Comportamento extravagante (hipotermia do sangue que rega o cérebro); Ÿ Congelação dos membros (os mais afectados, as extremidades); Ÿ Frieiras;

Quando o calor cedido ao meio ambiente, é superior ao calor recebido ou produzido por meio do metabolismo basal ou de trabalho, devido à actividade física que se está exercendo, o organismo tende a esfriar-se e, para evitar esta hipotermia (descida da temperatura do corpo), põe em marcha múltiplos mecanismos, entre os quais podemos indicar:

Ÿ A morte produz-se quando a temperatura interior é inferior a 28º C por falha cardíaca.

Ÿ Vaso-constricção sanguínea: diminuir a cedência de

Ÿ

calor ao exterior;

Entre nós o problema de trabalhos em ambientes exteriores a temperaturas muito baixas é de pequena relevância, em virtude das condições climáticas do país.

Ÿ Desactivação (fecho) das glândulas sudoríparas; Ÿ Diminuição da circulação sanguínea periférica;

Ÿ Eritrocianose; Ÿ Pé das trincheiras; Ÿ Enregelamento (temperaturas inferiores a -20ºC);

por: Vítor Teixeira Consultor em Saúde, Higiene e Segurança no Trabalho Fundador do blog medicinanotrabalho.blogspot.com vitor.shst@gmail.com


5

Temperaturas Altas A subida da temperatura acima da zona de conforto começa a provocar problemas, primeiro de natureza subjectiva, depois mais de natureza fisiológica até atingir o limite físico de tolerância. Quando o calor cedido pelo organismo ao meio ambiente, é inferior ao calor recebido ou produzido pelo metabolismo total (metabolismo basal + metabolismo de trabalho), o organismo tende a aumentar sua temperatura, e para evitar esta hipertermia (aumento da temperatura do corpo), põe em marcha outros mecanismos entre os quais podemos citar: Ÿ Vaso-dilatação sanguínea: aumento das trocas de

Existe também uma classificação racional de transtornos causados a altos níveis de calor ambiental. As consequências da hipertermia poderão ser: - Transtornos psiconeuróticos: Ÿ fadiga térmica

- Transtornos sistemáticos: Ÿ "calambre" por calor;Síncope de calor, colapso de calor; Ÿ esgotamento por calor: Deficiência circulatória, Desidratação, Desalinização, Anidrosis; Ÿ golpe de calor.

- Transtornos na pele:

calor;

Ÿ erupção (milaria rubra);

Ÿ Activação (abertura) das glândulas sudoríparas:

Ÿ anidrose (deficiência de suor);

aumento do intercâmbio de calor por troca do estado de sudor de líquido a vapor;

Ÿ deficiência congénita das glândulas sudoríparas;

Ÿ Aumento da circulação sanguínea periférica. Pode

Ÿ queimaduras solares (devido às radiações ultravioletas).

chegar a 2,6 l/min/m2; Ÿ Troca electrolítica de "suor". A perda de NaCl pode chegar a 15 g/ litro.

A subida de temperatura acima da zona de conforto, começa a provocar problemas de natureza: psicológicas: - incomodo, mal estar; Ÿ psicofisiológicas: - aumento da sobrecarga do coração e aparelho circulatório; Ÿ patológias: - agravamento de doenças.

por: Vítor Teixeira Consultor em Saúde, Higiene e Segurança no Trabalho Fundador do blog medicinanotrabalho.blogspot.com vitor.shst@gmail.com


6


7 + informações em:

constipação?!

www.dgs.pt conselho dr.nortemed

Gripe sazonal?! O que é a gripe? A gripe é uma doença aguda viral que afecta predominantemente as vias respiratórias.

Em que altura do ano é que surge a gripe? A gripe ocorre, geralmente, entre Novembro e Março, no hemisfério Norte, e entre Abril e Setembro, no hemisfério Sul (meses frios locais), pelo que é designada por sazonal (relacionada com a estação do ano).

Só há gripe quando chove e está frio? Não. Mesmo durante os Invernos mais amenos, menos frios e chuvosos, pode haver gripe.

O que é uma epidemia de gripe? É a ocorrência de casos de gripe em número superior ao esperado numa determinada comunidade ou região.

Como se transmite a gripe? O vírus é transmitido através de partículas de saliva de uma pessoa infectada, expelidas sobretudo através da tosse e dos espirros, mas também por contacto directo, por exemplo, através das mãos.

Qual o período de incubação? O período de incubação (tempo que decorre entre o momento em que uma pessoa é infectada e o aparecimento dos primeiros sintomas) é, geralmente, de 2 dias, mas pode variar entre 1 e 5 dias.

Qual o período em que uma pessoa infectada pode contagiar outras? O período de contágio começa 1 a 2 dias antes do início dos sintomas e vai até 7 dias depois; nas crianças pode ser maior. por: Departamento de Saúde Ocupacional shst@nortemed.pt

Quais os sintomas/sinais da gripe? No adulto, a gripe manifesta-se por início súbito de mal-estar, febre alta, dores musculares e articulares, dores de cabeça e tosse seca. Pode também ocorrer inflamação dos olhos. Nas crianças, os sintomas dependem da idade. Nos bebés, a febre e prostração são as manifestações mais comuns. Os sintomas gastrintestinal (náuseas, vómitos, diarreia) e respiratórios (laringite, bronquiolite) são frequentes. A otite média pode ser uma complicação frequente no grupo etário até aos 3 anos. Na criança maior os sintomas são semelhantes aos do adulto.

A gripe e a constipação são a mesma doença? Não. Os vírus que as causam são diferentes e, ao contrário da gripe, os sintomas/sinais da constipação são limitados às vias respiratórias superiores: nariz entupido, espirros, olhos húmidos irritação da garganta e dor de cabeça. Raramente ocorre febre alta ou dores no corpo. Os sintomas e sinais da constipação surgem de forma gradual.

A vacina contra a gripe funciona? Sim. A vacinação reduz muito o risco de contrair a infecção e se a pessoa vacinada for infectada terá uma doença mais ligeira.

A vacina pode provocar a gripe? Não. A vacina contra a gripe não contém vírus vivos, pelo que não pode provocar a doença. No entanto, as pessoas vacinadas podem contrair outras infecções respiratórias virais que ocorrem durante a época de gripe. Fonte: DGS


8

VACINAÇÃO

GRIPE SAZONAL

Linha de Saúde

808 24 24 24


9

por: Luciana Coelho TÊcnica de Higiene e Segurança no Trabalho luciana.coelho@nortemed.pt


10


11


12

Feliz dia das bruxas


13

As suas mãos são das «ferramentas» mais importantes que tem à sua disposição...

PROTEJA-AS

por: Luciana Coelho Técnica de Higiene e Segurança no Trabalho luciana.coelho@nortemed.pt


14

sabia que...

A vacinação dos profissionais cuja atividade resulte num risco acrescido de contrair e/ou transmitir gripe deve seguir os critérios definidos pelos respetivos Serviços de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho. Caso a vacina seja recusada por um profissional que não tenha uma contraindicação médica, o próprio deve assinar uma declaração de recusa que ficará arquivada no Serviço de Saúde Ocupacional. Os encargos resultantes desta vacinação são da responsabilidade da entidade empregadora (pública ou privada), de acordo com a legislação em vigor

por: Manuela Sá Técnica Superior de Higiene e Segurança no Trabalho Diretora do Dep. Saúde Ocupacional da Nortemed m.sa@nortemed.pt


15

PERGUNTAS FREQUENTES

Colesterol O excesso de colesterol no sangue é prejudicial e aumenta o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares. No nosso sangue, existem dois tipos de colesterol: - Colesterol LDL: conhecido como "mau"; pois ele pode-se depositar nas artérias e provocar o seu entupimento; - Colesterol HDL: conhecido como "bom"; pois retira o excesso de colesterol para fora das artérias, impedindo o seu depósito e diminui a formação da placa de gordura.

Triglicéridos Tal como o Colesterol, são um fator de alteração da parede das artérias, que propiciam o enfarte do miocárdio e os AVC (principal causa de morte em Portugal). Os Triglicéridos são também um indicador da perturbação do metabolismo dos hidratos de carbono. Assim, complementam o estudo da glicemia, permitindo detetar os doentes pré-diabéticos (predisposição), já que a glicemia deteta apenas os que já são diabéticos.

Urina Tipo II Diagnóstico ou prognóstico de estados fisiológicos ou patológicos. O seu exame fornece importantes informações tanto do sistema urinário como do metabolismo e de outras partes do corpo. Permite diagnosticar complexos de estados fisiológicos e patológicos, desde o diagnóstico da gravidez até o diagnóstico e acompanhamento de doenças urológicas e sistémicas.

por: Lídia da Rocha Enfermeira de Saúde Ocupacional enfermagem@nortemed.pt


16

INFORMAÇÃO

A chegada do frio A baixas temperaturas, afetam de forma particular os grupos populacionais mais vulneráveis, como crianças, idosos, pessoas portadoras de patologias crónicas, indivíduos sem-abrigo e trabalhadores que laborem no exterior. São necessárias medidas para diminuir os efeitos que as baixas temperaturas podem ter no nosso organismo e no decorrer do normal funcionamento do nosso trabalho. Além da ingestão de sopas e bebidas quentes e do uso de roupa "folgada e adaptada à temperatura ambiente", a Direcção-Geral da Saúde aconselha ainda a população a evitar a exposição prolongada ao frio e as mudanças bruscas de temperatura e a proteger as extremidades do corpo (usando luvas, gorro, meias quentes e cachecol). Recomenda igualmente "especial atenção com a protecção em termos de vestuário por parte de trabalhadores que exerçam a sua actividade no exterior e evitar esforços excessivos resultantes dessa actividade".

Aconselha ainda "que se evite o uso de dispositivos de aquecimento durante o sono, desligando sempre quaisquer aparelhos antes de se deitar" e "que se tenha em atenção a condução em locais susceptíveis de formação de gelo na estrada, adoptando uma condução defensiva". Por último, a Autoridade Nacional de Protecção Civil recomenda "especial atenção por parte das famílias e vizinhos, e das redes de proximidade, com as situações de pessoas idosas e em condição de maior isolamento". Para obterem "esclarecimentos adicionais sobre os efeitos do frio na saúde e medidas de autoprotecção ou para serem devidamente encaminhados para os serviços de saúde quando se justifique", os cidadãos deverão ligar para a Linha Saúde 24 (808 24 24 24), para os serviços de Saúde Higiene e Segurança no Trabalho das suas empresas e, através da Linha Nacional de Emergência Social (144) poderão ser reportadas eventuais situações de emergência de âmbito social, indica ainda a Protecção Civil. Fonte: CM

A Protecção Civil junta a estas outras recomendações, como "especial atenção aos aquecimentos com combustão (como braseiras e lareiras), que podem causar intoxicação e levar à morte" e "que se assegure uma adequada ventilação das habitações e dos locais de trabalho".

es

çõ ma

for

+ in

ww

por: Manuela Sá Técnica Superior de Higiene e Segurança no Trabalho Diretora do Dep. Saúde Ocupacional da Nortemed m.sa@nortemed.pt

t

s.p

g w.d


17

INFORMAÇÃO ÚTIL

14 de Novembro – Dia Mundial dos Diabetes. A celebração do Dia Mundial da Diabetes, tem como finalidade primária chamar a atenção das entidades oficiais, dos profissionais de saúde, da comunicação social e da comunidade em geral para a problemática da Diabetes Mellitus.

17 de Novembro – Dia Mundial do Não Fumador. O dia Mundial do Não Fumador tem como objectivos alertar para a necessidade de adoptar hábitos de vida saudáveis e alertar para os malefícios do tabaco incentivando todos aqueles que fumam a deixar de o fazer.

1 de Dezembro – Dia Mundial de Luta Contra a Sida. Neste dia alerta-se para a problemática da sida como uma doença sem cura e sem vacina preventiva, ao que é necessário, informar e educar para prevenir a sua propagação.

3 de Dezembro – Dia Internacional das Pessoas com Deficiência Para as pessoas portadoras de deficiência e e para a chamada de atenção da importância da sua integração em cada aspecto da vida política, social, económica e cultural.

A PREVENÇÃO É A MELHOR SEGURANÇA


18

INFORMAÇÃO ÚTIL

Nova Morada da ASAE Autoridade de Segurança Alimentar e EconómicaRua Rodrigo da Fonseca, nº 73 1269-274 Lisboa Tel. 217 983 600 Fax: 217 983 654 Email: correio.asae@asae.pt Departamento de Riscos Alimentares e Laboratoriais (DRAL)Edifício F - Estrada do Paço do Lumiar 1649-038 Lisboa Tel. 217 108 400 Fax 217 108 448 / 217 983 676 1. Unidade Regional do Norte Rua Gil Vicente, 30 4000-255 Porto Tel. 225 070 900 Fax: 225 070 928 Unidade Operacional III - Mirandela Quinta do Valongo, Vila Nova das Patas 5370-087 Carvalhais Tel. 278 200 020 Fax: 278 200 029 2. Unidade Regional do Centro Rua Câmara Pestana, 74 - 2º 3030-163 Coimbra Tel. 239 790 910 Fax: 239 790 989 Unidade Operacional VI - Castelo Branco EN 18, Cruz do Montalvão - Edifício da antiga DIBEIRA 6000-052 Castelo Branco Tel. 272 330 800 Fax: 272 330 819 3. Unidade Regional do Sul Av. Duque d’Ávila, 139 1050-081 Lisboa Tel. 213 119 800 Fax: 213 119 801 Unidade Operacional X - Santarém Rua António Bastos, 14 A- B S. Bento 2005-193 Santarém Tel. 243 356 070 Fax: 243 356 078 Unidade Operacional XI - Alentejo Rua da República, 40 7000-656 Évora Tel. 266 739 060 Fax: 266 739 069 Unidade Operacional XII - Algarve Rua Professor António Pinheiro e Rosa 8005-546 Faro Telf. 289 880 140 Fax: 289 880 143

A PREVENÇÃO É A MELHOR SEGURANÇA


19

RIR NÃO É O MELHOR REMÉDIO...

Caso tenha imagens que queira ver publicadas, envie para: shst@nortemed.pt


20

Em mem贸ria de todos os trabalhadores que morrem no exerc铆cio do seu trabalho


deseja-lhe

FELIZ NATAL Um 2014 cheio de segurança e saúde

SEDE: Rua Quinta da Armada, n.º 56, r/c, 4710-340 S. Victor, BRAGA Póvoa de Lanhoso: Rua Teixeira Ribeiro, n.º 162, 4830-874. Vieira do Minho: Bombeiros Voluntários de V. Minho. Cabeceiras de Basto: Rua 25 de Abril, lote106, r/c dto, refojos, 4860-350. Valpaços: Av. Francisco Sá Carneiro, Edif. Amoreiras, n.º 40, 5430-423.

Tel:253 250 170

|

Fax: 253 250 171 | geral@nortemed.pt

Revista online ed6 outubro2013  

NORTEMED, BRAGA, MEDICINA, TRABALHO, HIGIENE, SEGURANÇA

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you