Issuu on Google+

Publicação quinzenal com circulação em Paracatu-MG, Noroeste Mineiro, Distrito Federal e Entorno

Zé Folheiro – Comunicação, Marketing & Editora Ltda.

Ano I – Número 4 – Paracatu-MG, 8 a 22 de julho de 2011

www.noroestenewsmg.com.br

Política & Poder

Página 3

Tensão aumenta e vizinhos ameaçam invadir a Kinross

Em um ambiente tenso foi realizada mais uma audiência pública, com a participação das comunidades atingidas pelos malefícios da exploração da mina Morro do Ouro pela Kinross. Surgiram várias reivindicações e, em dado momento argumentou-se até mesmo, caso não atendido os anseios dos que residem próximo a mina, de uma possível invasão com o objetivo de paralisação das atividades de mineração

Liberdade de Cultos

Páginas 4 e 5

Junho em Paracatu só deu Jesus Evangélicos:

Marcha para Jesus

Marketing

Católicos:

15º Hallel

Página 6

Mais uma família premiada pelo Café Catu

Educação & Cultura

Página 7

Instituto Votorantim abre concurso tempos de escola

Bola da Vez

Páginas 8 e 9

Roberto da Famag.

Empresário, formado em Ciências Sociais e petista Cidades Página 10 Em busca da segurança alimentar Guarda Mor realiza plenária de longa data. Na entrevista, revela Negócios Página 11 que aceita o desafio Paracatu sediou seminário de agronegócio e exportação de ser candidato a Esportes Página 15 prefeito de Paracatu Campeonato municipal de futebol amador terá início em julho


2

Opinião

Paracatu-MG, 8 a 22 de julho de 2011

Diretas Vasquinho tentou tomar PTB de Arquimedes

Pelas últimas, a turma dos que querem permanecer no poder parece ter entrado em desespero. Ao perceberem o desmoronamento da base que os elegeu, com a perda do PT e pelo o que tudo indica o PSDB é questão de dias, e o PR que deverá se reforçar com a filiação de Pastor Paulo Ribeiro, que não esconde de ninguém sua posição de oposição, a prefeitura reagiu investindo contra a casa dos outros. E para tanto joga de todas as formas, usando até métodos pouco éticos. Nos últimos dias, tentou usar o empresário Glauber César, que trabalha para Eros Biondini, deputado federal do PTB. A Glauber foi oferecida uma secretaria no governo municipal, com um preço: tomar o PTB do ex-prefeito Arquimedes. A investida aconteceu, mas a artimanha vazou e a tropa de choque do ex-prefeito entrou em ação. Desfecho: a direção estadual do PTB reconheceu em Arquimedes os quase 30 anos de filiação no partido, sendo prefeito da cidade por duas vezes e sob sua liderança, manteve representação na Câmara Municipal em todos esses anos e renovou a direção da legenda local no dia 27 de maio tendo como presidente o próprio Arquimedes. Com isso Glauber foi descartado como secretário. Calma gente! Os mais comedidos ensinam que em política é assim: quando inicia uma tendência é que nem fogo de serra acima e água de morro abaixo: ninguém cerca!

Coisas do PSDB

Quem pensou que a intervenção do diretório Estadual no PSDB de Paracatu, e a disposição da candidatura a prefeito de Olavo Condé, trariam paz ao partido, se enganou. Os tucanos continuam pintados para guerra. A ordem veio de cima para que fosse constituída uma comissão provisória composta de sete membros, sendo três de cada ala, e mais o vereador Joãozinho Contador. Ainda assim, a turma não abaixa as armas. Um lado quer desatrelar da prefeitura, candidatura própria e entregar os cargos. O outro prefere continuar na folha de pagamento do município e novamente apoiar o candidato patrocinado pelo prefeito Vasquinho. Todos querem a maioria na direção do partido, visando com isso atender aos seus interesses. São cotados para assumir a presidência da provisória: Ariel Pinho, Ernani Graff e Joãozinho Chapuleta. Pelo perfil da rapaziada, está mais para chapa branca.

Editorial

O Prefeito

É preciso apostar em dias melhores

municipal de Paracatu, na última terça-feira, (5 de julho) em solenidade carregada de muita pompa, realizou solenidade para anunciar a comunidade um pacote de obras a serem realizadas até fim de seu mandato, anunciando que algumas delas podem ter um prazo de implementação de 270 dias. Sabemos que as obras anunciadas, pelo beneficio que trará para toda a população de Paracatu, merece nosso aplauso, entretanto devemos neste momento, verificar se o Prefeito com a realização destas obras estará cumprindo sua função precípua de bem administrar o recursos municipais, que, diga-se de passagem, supera a casa dos 200 milhões de reais. Ou se somente será mais uma manobra visando às eleições do ano que vem tendo em vista que o processo sucessório já se encontra deflagrado em Paracatu. A população precisa ficar alerta quanto ao cronograma a ser cumprido, acompanhando ainda de perto a possível realização de aditamentos aos contratos,

o que no caso das obras realizadas pela Prefeitura, segundo se comenta, tem se tornado uma situação comum e corriqueira. Os vereadores municipais precisam exercer com sabedoria o seu mandato, fiscalizando o andamento de todas as obras, solicitando os esclarecimentos necessários para se evitar possíveis desperdícios do dinheiro público, como segundo consta, aconteceu no caso da construção da ponte que liga a Vila Mariana ao Paracatuzinho, que teria sido paga duas vezes. Vale aqui lembrar também a reforma da Estação Rodoviária, que além da demora na conclusão dos serviços, deixou muito a desejar quanto ao quesito qualidade de acabamento, bastando para se fazer a verificação de tais fatos, uma visitinha rápida a mesma para se constatar que o serviço realizado foi de qualidade duvidosa. Uma vez que já se verifica a presença de rachaduras e mofo, sendo que no período de chuva, chove mais em seu interior do que no lado de fora. Portanto, tenta o Prefeito municipal,

em se aproximando o final de seu governo, que diga se de passagem, permaneceu tímido e apático por mais de seis anos, período no qual se tinha qualquer manifestação da oposição quanto aos possíveis desmandos ocorridos em sua gestão. Lança agora um pacote de obras, em uma suposição de que tal atitude dará novo ânimo a uma administração que para muitos observadores políticos já se encontra em declínio, portanto em uma situação de difícil recuperação de seus índices de aceitação popular. Vamos torcer e apostar, que o Prefeito encha-se de novas energias, para conseguir assim, resgatar todas as promessas feitas durante o período eleitoral. Vamos acompanhar e ao final fazer um balanço do efetivo cumprimento de todas as promessas realizadas. Esperamos que á população, que muito sofre com o descaso dos governantes, tenha renovada as suas esperanças e saiba avaliar de forma independente a desempenho do Prefeito Municipal no comando dos destinos de nossa querida cidade, quando for chegada a hora.

Zeca Piau

O fato e a notícia: uma verdade! Publicação quinzenal com circulação em Paracatu-MG, Noroeste Mineiro, Distrito Federal e Entorno.

Expediente

Diretor-presidente Rodrigo Silva

E o PSB é de quem?

Diretor-geral Ir... Agnaldo Silva

Até agora nada. O ti-ti-ti da política deu como certo o mando do partido em Paracatu a Edmundo de Sá. Ouve reação, tendo Enio Brochado e principalmente a única vereadora da legenda, Graça Jales protestando contra o que eles chamam de golpe, e prometem resistir. Qualquer palpite agora é mera especulação. Esta novela promete capítulos interessantes.

Editor-chefe Miguel Olímpio Propaganda e marketing Juraci Avelar

Já no PMDB...

Assesora de comunicação Maria das Graças

Ai é outra historia. Há vários pretendentes. Porém todos na reserva, à espera da definição do titular que responde pelo nome de Emiliano Pereira Botelho (Bidi). Ele é, no PMDB, como era Clovis Bornai no carnaval, horcom cuur. A definição do candidato de Vasquinho só sairá depois da decisão de Emiliano. Enquanto isso, recomendamos a José Maria, Peté, Darcisinho e até a Edmundo, caixas de Lexotan, pois as decisões de Bidi costumam ser demoradas!

Editor de arte Lavoisier Salmon Neiva Reg. Prof. 467/04/027-DF Revisão Kassiana Silva

Eles não sabem o que fazem...

Tem aspirantes a Coronéis andando com o nariz empinado e peito estufado. Quem ousar ameaçá-los do trono se torna figura não grata. Para eles o poder tem dono, nome e sobrenome. Os que pensam diferente são pessoas de segunda classe. Paracatu já viveu período parecido com este, onde um pequeno grupo se achava proprietário da consciência da maioria da população. Como agora, até permitiam participação de pessoas fora de seu convívio social, mas desde que fosse tão somente para ajudá-los em suas pretensões. Estão tentando reeditar a história e o que é pior, tem coadjuvantes adorando fazer uma pontinha neste filme. Pobres moços...

Jogada de risco

Os mais próximos ao prefeito Vasquinho, que sempre voou em céu de Brigadeiro e em mar de Almirante, afirmam que ele está uma pilha com as cutucadas da oposição, que agora percebeu que sua administração gasta mal os 200 milhões que entram anualmente nos cofres da prefeitura. Mas comemoram dizendo que mexeram muito cedo com o chefe e que vão, agora, mostrar serviço. Esta tática, de deixar para fazer grandes obras no último ano de governo, com intuito de ganhar votos, é perigosa. A população pode perguntar: se no final apareceu tanto dinheiro, o que foi feito com os recursos nos últimos sete anos? O povo não é bobo. Esperteza demais costuma comer o dono.

Advogados Ir... Demas Soares John Cordeiro Colaboradores Kallas Mariano Lafaiete Leitão José Maurício Tiragem: 15.000 exemplares

Retificação A redação do NoroesteNews recebeu carta assinada pelo Coordenador do Curso de Administração, Fernando Antunes, e por Maria Ângela de Morais Cardoso, Diretora Acadêmica , ambos da Faculdade Tecsoma. Na correspondência solicitam a correção de informação prestada pelo Jornal, na ultima edição, na matéria com o título: “Joãozinho quer facilitar acesso para empreendedores individuais”. A Tecsoma afirma na carta que noticiamos que a Faculdade Atenas era responsável pelas consultorias a serem oferecidas

aos empreendedores. O que não é verdade. Não há no texto tal citação. Fomos informados erradamente que a Faculdade Atenas era parceira do projeto quando, na verdade, a parceria se deu com a Faculdade Tecsoma. Este foi o equívoco, e, em tempo, estamos reparando nosso erro. Na mesma correspondência, enaltecem ao que chamam de “importantíssima” a parceria com a Audicope, porém, chamam a atenção no sentido de que a idéia do projeto nasceu na Tecsoma através do professor Carlos de Paula.

Impressão F Câmara Gráfica & Editora Brasília - DF - Fones: (61) 3356-7654 e 8525-0112 Redação Av. Olegário Maciel, 1.339/A CEP 38600-000, Paracatu – MG Telefax: (38) 3671-3090

Zé Folheiro – Comunicação, Marketing & Editora Ltda. As opiniões, bem como os textos dos colunista do NoroesteNews, são de inteira responsabilidade dos seus autores.

O fato e a notícia: uma verdade!


Política & Poder

Paracatu-MG, 8 a 22 de junho de 2011

3

Moradores não querem Kinross como vizinho e ameaçam paralisar mineração Mais

uma nervosa e longa audiência pública aconteceu no último dia 28 na Câmara de vereadores de Paracatu, quando comunidades atingidas pela mineração do morro do ouro, explorado pela canadense Kinross, reclamaram do que eles classificam como abusos contra suas propriedades. Pela primeira vez um órgão municipal promoveu a discussão. A audiência foi patrocinada pelo Poder Legislativo local, motivada por requerimentos dos vereadores petistas Vânio Ferreira e Rosival Araújo e mobilizada pela central das associações, liderada por Mauro Mundim. O plenário da Câmara foi tomado por moradores dos bairros Alto da Colina, Amoreira II, Bela Vista II e de localidades rurais como Machadinho e Santa Rita, todos vizinhos da mina. A maioria, gente simples, homens e mulheres trabalhadores que se deslocaram até o local, a pé e em marcha em plena terça feira em horário comercial. A Mineradora Kinross foi convidada e se fez presente. A panela de pressão em que se transformaram as dependências da Câmara, com discursos inflamados de políticos da oposição, crescentes reclamações das comunidades diretamente atingidas, e respostas da Kinross nitidamente com intuito de ganhar tempo e total omissão por parte da prefeitura, deixaram claro que o desfecho deste confronto tende a tomar proporções catastróficas, já que lideranças comunitárias ameaçam até mesmo invadir a mina e paralisar a extração de ouro no município se suas reivindicações não forem atendidas. Para Mauro Mundim, presidente da Central das Associações, que agrega várias entidades da sociedade civil, a população mais pobre, que

vive nos bairros diretamente atingidos, já percebeu que está ficando fora das negociações feitas até agora. Quando o Ministério Público negocia termo de conduta com a Kinross os recursos vão para longe, sendo investidos em projetos para a recuperação do Rio São Francisco. E vai além ao afirmar que as constantes doações de verbas a entidades ligadas às elites, como Maçonarias e Rotarys, promovida pela mineradora tem o único objetivo de manipular a opinião pública. Mauro classifica ainda como traição ao interesse público o fato do prefeito se contentar com dinheiro da Kinross para financiar shows, deixando toda a população sem saber de verdade o grau de contaminação promovido pela mineração que atinge à comunidade: “enquanto a elite beneficiada promove políticas para esconder suas mazelas, com a conivência de setores que deveriam defender os mais fracos, os moradores das regiões vizinhas à mina sofrem com a poeira, não dormem com os constantes barulhos das maquinas e as bombas explodidas diariamente”, sentencia o presidente da central. Indagado o que, de concreto, os seus representados querem, Mauro foi enfático: “Os moradores dos Bairros, Alto da Colina, Bela Vista II e Amoreiras II decidiram em assembléia geral, de forma unânime, que querem todos, mudar de suas casas, serem indenizados e transferir suas famílias para onde cada um achar melhor”. Sugerem ainda que, no lugar dos bairros, que desapareceriam, seria implantada uma cortina verde visando proteger toda a cidade da poeira que a cada dia ganha mais proporção. Segundo levantamento da Central das Associações, cerca de 5 mil famílias vivem no setor e esperam ser indenizadas, ao valor do metro quadrado de um bairro como a Cidade Nova. Mauro Mundim fez

Comunidade participou de maneira intensa da audiência publica nas dependências da Câmara Municipal de Vereadores

Em destaque: Deputado Almir Paraca, Vereador Vânio Ferreira e Mauro Mundim líder da Central das Associações de Bairros questão de afirmar que a população está sendo mobilizada para o enfrentamento, e caso não aja negociação concreta por parte da Kinross, o povo irá até mineradora podendo inclusive paralisar suas atividades. Durante a audiência pública, presidida de forma democrática pela Vereadora Graça Jales (PSB), onde todos os interessados tiveram oportunidades de manifestar, o deputado Almir Paraca (PT) abandonou seu costumeiro discurso conciliador e partiu para o ataque: “A relação vem se tencionando. Já passou do limite. A postura da empresa é de empurrar com a barriga. É de enrolar e só cuidar dos fatos quando já aconteceram”, discursou Paraca. O deputado revelou que está sendo questionado pela população para assumir uma postura mais firme e comprometeu-se que de agora em diante vai tomar atitudes severas e rígidas visando mobilizar a sociedade, e finalizou: “Temos brio. Este país tem regras e

leis. Não somos uma república de bananas”. O presidente da Câmara, vereador João Macedo, também se manifestou. Disse que as constantes audiências realizadas com a Kinross não têm dado em nada. As respostas da mineradora são sempre as mesmas e enquanto isso, afirmou o parlamentar, comunidades tradicionais como a do Machadinho, estão desaparecendo. Macedo solicitou ao deputado Almir Paraca que intercedesse junto ao prefeito para que assuma postura firme em relação à Kinross e saia da posição de omissão na qual sempre se postou. Os requerimentos dos vereadores Vânio e Rosival, que deram base para a audiência, denunciavam obstrução de estradas municipais promovida arbitrariamente pela mineradora e solicitavam informações quanto aos índices de poluição sonora e de poeira causados pela Kinross. Em relação à estrada, vários manifes-

tantes confirmaram que ficaram ilhados, inclusive com seus filhos deixando de frequentar aulas. Dezenas de manifestantes usaram da palavra e todos tinham queixas contra a mineradora Kinross. Os do Machadinho e de Santa Rita falaram da contaminação das águas, dos barulhos causados pelas possantes máquinas, das estradas, e demonstraram desmotivação de continuar na localidade. O senhor Clemente, de 80 anos, visivelmente nervoso, denunciou que teve suas poucas vacas encaretadas pela Kinross e levadas ao matadouro. O vereador Silvio Magalhães (PTB) confirmou a versão do Sr. Clemente quando diz conhecê-lo, e que ele vive de uma pequena aposentadoria e da venda do leite para tratar de seus filhos e netos. Silvio, assim como os demais vereadores presentes à audiência, classificou a postura da mineradora como desrespeitosa para com a comunidade vizinha.

No desenrolar da audiência, que teve inicio às 13 horas e ultrapassou às 18, a vereadora Graça concedia o direito de resposta aos representantes da mineradora. Várias vezes foram ao microfone e quase sempre as respostas eram as mesmas: “A posição da empresa é do diálogo transparente e ético. Para a Kinross as pessoas estão em primeiro lugar”. Afirmava Juliana Esper, gerente de meio ambiente. Desde a chegada da Kinross, que comprou a mina da Rio Paracatu Mineração, a tenção entre empresa e comunidade vem se agravando. Muitas audiências têm acontecido, mas sem nenhum resultado prático em favor da coletividade que vive na incerteza quanto à gravidade da contaminação que existe no ar e nas águas do município. Quem tem se aproveitado da situação, na verdade, são alguns moradores, que de forma isolada vendem suas propriedades a bom preço, entidades filantrópicas que recebem pequenas doações e com isso ficam inibidas de um posicionamento independente em favor da comunidade, e a prefeitura que teria mais do que ninguém, o dever de fiscalizar e defender interesses maiores do conjunto da população, mas não, o prefeito prefere se esconder atrás de acordos, permitindo que a Kinross imprima sua logomarca em obras e serviços que é da responsabilidade do município, com a intenção de passar para a sociedade uma imagem de parceiros e “amigos” da cidade. Com todas estas longas, tensas e improdutivas audiências, uma coisa é certa: o mais rico patrimônio da cidade, o Morro do Ouro, está desaparecendo em uma velocidade assustadora, e, para a Kinross, este é o melhor ambiente.


4

Liberdade de Cultos

Paracatu-MG, 8 a 22 de julho de 2011

Evangélicos retomam marcha para Jesus em Paracatu Com o objetivo de unir o povo de Deus e abençoar as famílias paracatuenses, vinte e cinco igrejas e congregações evangélicas promoveram caminhada, no último dia 25, saindo do bairro do Paracatuzinho até a praça Firmina Santana, no centro da cidade. Segundo pastor Cidinho, da igreja Batista do Jardim Serrano, cerca de 1.500 pessoas participaram da marcha, que para ele foi satisfatória, já que marcou o reinicio deste evento no município. A Marcha Para Jesus é um evento mundial, acontece em 170 paises, sendo que o recorde de participantes aconteceu no Brasil, em 2008, na cidade de São Paulo, quando mais de 5 milhões de evangélicos lotaram as principais avenidas da maior metrópole brasileira.

Pastores evangélico de cima do trio elétrico animam a retomada da Macha para Jesus Pastor Cidinho espera para os próximos anos um número ainda maior de participantes em Paracatu, e afirma: “Trata-se

de um resgate muito importante para o povo de Deus de nossa cidade. A Marcha foi paralisada. Voltamos, e não vamos mais parar”.

A comunidade evangélica de forma entusiasmada fez todo o percurso do Paracatuzinho até o Centro da cidade


Liberdade de Cultos

Paracatu-MG, 8 a 22 de junho de 2011

15º Hallel foi um show de fé

Como já

é de cost u m e acontecer todos os anos, no dia 19 de junho, um domingo de tempo bom e sol brilhante, realizouse mais um Hallel em Paracatu, nas dependências do Parque de Exposição da Coopervap. A abertura aconteceu às 7 horas com celebração de uma missa campal, celebrada por Dom Leonardo de Miranda, Bispo diocesano de Paracatu e Dom Benedito, Bispo Diocesano de Presidente Prudente – SP. Além da missa de abertura, durante todo o dia foram realizadas várias missas nas Capelas, especialmente montadas no local para o Hallel, tendo como exemplo a Capela Mariana, Capela da Família e etc. A demonstração de fé por parte de todos os par-

Uma grande multidão católica participou do 15º Hallel com alegria e fé durante todo o evento. A banda Alis fez grande show, ao lado o vocalista no momento da apresentação ticipantes foi extraordinária, podendo ser observando um enorme fervor tanto em relação aos jovens, que eram em grande número, como nas pessoas de mais idade.

Vários shows aconteceram, com apresentação de muitos cantores da música religiosa, tendo sido uns dos destaques a apresentação da Banda Alis de Brasília.

5


6

Marketing

Paracatu-MG, 8 a 22 de julho de 2011

Café Catu, o sabor que dá prêmios Todo mês

é ass i m , comprou o Café Catu, achou o vale brinde, ganhou um montão de prêmios. Esta é uma promoção que vem a muitos anos sendo realizada pelo Café Catu e tem feito a alegria de inúmeras famílias paracatuenses. A família que ficou muito feliz no mês de Junho, foi a do Senhor Jaime do Passos Ursino de Deus, que é moradora do Bairro Chapadinha, localizado próximo ao Paracatuzinho. A esposa do Sr. Jaime, Dona Aparecida, mais conhecida como Cida, com-

O representante do Café Catu, Guezinho no momento da entrega dos prêmios a família do senhor Jaime de Deus

Seu dia a dia muito mais gostoso!

Núcleo Médico Remoções

É uma empresa especializada em transporte terrestre de pacientes com ambulância UTI Móvel para todo o país e equipe médica e de enfermagem capacitada. Atendemos convênios, empresas e particulares. Ligue e faça seu orçamento. Opções variadas de pagamento ao alcance de todos. Paracatu e Região - Atendimento 24h.

Núcleo Médico Home-Care

Assistência Médica Domiciliar com equipe Médica e Enfermagem, atendimento 24h pacientes que necessitam de cuidados diários. Faça uma visita e conheça a nossa assistência com profissionais treinados e capacitados. Rua Goiás, 519 - Centro 38600-000 - Paracatu - MG Fones (38) 3671-3535 / 3671-5110 nucleomedico2010@hotmail.com

prou o Café Catu, com sempre faz, na Mercearia logo acima de sua residência. Qual não foi a surpresa, ao chegar à sua casa, onde todos a esperavam para saborear o café mais gostoso da região, quando sua filha Karine, que foi ajudar a mamãe ao abri o bote de café, encontrou o vale brinde que deu direito ao recebimento dos prêmios. A família do Sr. Jaime tirou, portanto a sorte grande e recebeu do Café Catu, como prêmio, um tanquinho de lavar roupas e um fogão 4 (quatro) bocas, tudo novinho de fábrica. Com o Café Catu é sempre assim, comprou o café, achou o vale brinde, ganhou um montão de prêmios. Ao adquirir o café catu, faça figa e torça muito, pois a próxima família felizarda pode ser a sua. Café Catu o sabor que dá prêmios, esta é a promoção que continua por todos os meses com um Cafezão fazendo o seu dia a dia mais gostoso.


Educação & Cultura Taca de Embira

Lavoisier Salmon Neiva

A natureza está em estado de torpor

O esplendor

econômico da região noroeste começou no início da década de 1960 com a construção de Brasília e da Rodovia BR-040, que trouxe progresso e facilitou o escoamento da produção agrícola para outras regiões. Outro pulo de desenvolvimento veio logo em seguida com o Plano Integrado de Desenvolvimento da Região Noroeste, elaborado pelo governo Israel Pinheiro (1965/1971), que, graças à burocracia oficial, só foi implementado pelo seu sucessor Rondon Pacheco. O Plano Noroeste era basicamente agrícola e pretendia transformar a região em grande fornecedora de alimentos para Brasília e Belo Horizonte. Devemos reconhecer que essas ações, embora tenham gerado desenvolvimento, foram desastrosas para o meio ambiente, transformando o frágil bioma do Cerrado em área de lavouras. Quatro décadas depois, enquanto o Congresso Nacional discute o Código Florestal Brasileiro e tenta conciliar interesses de produtores rurais com os requisitos da preservação ambiental, se é que isso é possível, os municípios do chamado “Território da Cidadania” têm a agropecuária como a principal atividade econômica e assolam o meio ambiente vorazmente. A mudança climática representa o maior desafio já enfrentado pela humanidade. Os seus efeitos são sentidos por todos e constitui risco global, pois afeta a segurança climática, hídrica, alimentar e aumenta a vulnerabilidade social. Embora não tenhamos preocupação com cataclismos ocorridos em outras regiões, como vulcões, vendavais, tornados, deslizamentos de terra causados por chuvas em excesso e soterramento de casas, as secas prolongadas afetam a vida dos habitantes causando prejuízos na produção de alimentos, incêndios florestais, perdas de safras e vidas humanas. É fato que não se pode mitigar as agressões ao meio ambiente sem oferecer alternativas econômicas para o produtor rural manter seu negócio de forma sustentável. Esse é mais um desafio que os governos precisam enfrentar para elaborar políticas públicas ambientais. É ciente, também, que a atividade do pequeno produtor é menos nociva à natureza do que o latifúndio e a indústria. Se bem orientado, o pequeno produtor pode contribuir para a restauração de áreas degradadas, explorar potenciais naturais insólitos e apresentar resultados sustentáveis inéditos. Além disso, ele pode, ainda, evitar o tráfico da biodiversidade, suprimir a evasão de recursos para outros estados e até para o exterior. Para tanto, é necessário que esse trabalhador ocupe a terra de forma regular e contribua para o bem-estar de toda a sociedade. Muitos municípios brasileiros têm o turismo ecológico como sua maior força econômica e utilizam os recursos naturais sem, contudo, devastar o meio ambiente. Alguns deles sobrevivem apenas dessa atividade e geram riqueza e qualidade de vida para seus habitantes. Há um grande esforço mundial para minimizar a emissão de CO2 na atmosfera, aplacar o efeito estufa e a mudança climática no planeta e os órgãos municipais responsáveis pelo meio ambiente não deveriam preocupar-se apenas com a fiscalização e punição dos agressores da natureza. Paracatu, por exemplo, como cidade líder em desenvolvimento econômico e cultural da região noroeste de Minas Gerais, deve empreender esforços no sentido de implementar ações mais sustentáveis quanto ao uso do solo. Proteger a natureza não é dever apenas do Estado. É imperativo que a população saia da letargia e promova ações voluntárias em defesa do uso sustentável do meio ambiente. Isso, sim, é exercício pleno de cidadania.

Paracatu-MG, 8 a 22 de junho de 2011

7

Abertas as inscrições para concurso tempos de escola As inscrições podem ser realizadas até 31 de julho de 2011. Em sua terceira edição, novidade em 2011 é a criação de uma categoria que premiará alunos do 3º ao 5º ano do ensino fundamental

Com o objetivo

de valorizar e reconhecer alunos e professores da rede pública de ensino, o Instituto Votorantim abre as inscrições para a terceira edição do Concurso Tempos de Escola. A iniciativa é desenvolvida em parceria com o Ministério da Educação (MEC) e o Canal Futura, e premiará redações de alunos do ensino fundamental e ensino médio das escolas públicas dos municípios participantes do projeto Parceria Votorantim pela Educação (PVE). As inscrições podem ser realizadas até 31 de julho de 2011 pelo site: www.blogeducacao.org.br/temposdeescola. Os vencedores serão divulgados em setembro. Neste ano, o Tempos de Escola traz algumas novidades. Uma delas é a criação da categoria Ensino Fundamental I, voltada para alunos do 3º ao 5º ano, ampliando, assim, o número de estudantes que serão sensibilizados com o concurso. Outra mudança é a escolha de temas diferentes, que valorizam a escola e a educação, para cada uma das três categorias (veja quadro abaixo). Categoria

Escola Municipal Coraci Meireles de Oliveira no Bairro Amoreiras Serão escolhidas até três redações por município, com um premiado para cada categoria. Além dos prêmios acima, os alunos terão seus textos publicados em um livro coletivo, que será lançado em 2012. Os professores orientadores e as escolas nas quais estejam matriculados os alunos vencedores também receberão kits com materiais pedagógicos e passarão a ter acesso à plataforma FuturaTEC (http://futuratec.org.br/), espaço virtual em que estão disponíveis as diversas produções educativas elaboradas pelo Canal Futura. O Concurso Tempos de Escola premiará, ainda, como Destaques Nacionais os autores dos três melhores textos, sen-

do um por cada categoria. Cada aluno vencedor e seu respectivo professor orientador receberão um computador. A Comissão Julgadora que avaliará as redações será composta por representantes do MEC, Canal Futura, Blog Educação e Instituto Votorantim. Além da valorização e reconhecimento de alunos e professores, o Concurso Tempos de Escola também tem como objetivo sensibilizar os estudantes, suas famílias e as comunidades para a importância de uma educação escolar de qualidade. Ao longo de seus dois anos, o concurso recebeu 1.239 inscrições. As redações vencedoras em 2010 estão disponíveis, na íntegra, no Blog Educação (www.blogeducacao.org.b).

Anos

Tema

Prêmio

Categoria 1: Ensino Fundamental I

3º ao 5º ano

Memórias dos tempos de escola

Bicicleta Caloi Aro 20

Categoria 2: Ensino Fundamental II

6 º ao 9º ano

Acontece na escola

Câmera fotográfica digital Sony

Categoria 3: Ensino Médio

1º ao 3º ano

O valor da educação

Netbook HP mini

O Instituto

Vo t o rantim foi criado em 2002 com o objetivo de qualificar o investimento social do Grupo Votorantim. Sua criação veio fortalecer sinergias entre as empresas, além de identificar e aproveitar oportunidades de gerar valor para a sociedade. Como o Grupo está presente em mais de 300 municípios em todo o Brasil, o Instituto Votorantim desenvolve

um trabalho focado no desenvolvimento local sustentável das comunidades com as quais se relaciona. Essa linha de atuação está apoiada na convicção de que a empresa é corresponsável por este desenvolvimento, pois a partir da

evolução das comunidades são asseguradas melhores condições e oportunidades para o desenvolvimento do próprio negócio. O Instituto Votorantim acredita, também, que o jovem é a principal força transformadora

Segundo Rafael Gioielli, gerente de pesquisa e desenvolvimento do Instituto Votorantim, “a educação é um dos bens mais importantes que uma pessoa pode adquirir e representa um fator determinante para realizações pessoais e profissionais. Neste sentido, o Concurso Tempos de Escola vem mostrando ser uma ferramenta eficaz para valorizar o trabalho e empenho de professores e alunos, bem como de estímulo à busca por melhorias na qualidade de ensino, pois envolve toda uma comunidade”.

Confira os municípios participantes

Água Clara (MS), Aracruz (ES), Arroio Grande (RS), Alcobaça (BA), Belmiro Braga (MG), Capão Bonito (SP), Capão do Leão (RS), Caravelas (BA), Catanduva (SP),Conceição da Barra (ES), Fortaleza de Minas (MG), Governador Mangabeira (BA),Itapeva (SP), Jacareí (SP), Jambeiro (SP), Laranjeiras (SE), Miraí (MG) eNiquelândia (GO), Nova Viçosa (BA), Paracatu (MG), Piracicaba (SP), Resende (RJ), Rio Branco do Sul (PR), Santa Branca (SP), Sobradinho (DF), Sobral (CE), Vazante (MG), Vila Valério (ES), Xambioá (TO).

Serviço - Concurso Tempos de Escola Inscrição

Até 31 de julho de 2011, pelo Blog Educação: www.blogeducacao.org. br/temposdeescola da sociedade, e por este motivo decidiu concentrar seus esforços em programas voltados para a juventude. O slogan “Criando rotas para o futuro” sugere a criação de caminhos, de forma a oferecer aos jovens oportunidades nos campos de educação, trabalho, cultura, esporte, e a preservação e fortalecimento dos direitos das crianças e adolescentes. Saiba mais em: www.institutovotorantim.org.br.


8

Bola da Vez

Paracatu-MG, 8 a 22 de julho de 2011

Roberto da Famag aceita o desafio Roberto Ferreira Pires, proprietário da FAMAG Premoldados Ltda.

liado pelo PT e o partido decidirá, já que somos um partido bastante democrático. Quanto ao seu apoio à minha possível candidatura, ele como bom democrata, creio que me apoiaria, pois me conhece, sabe da minha capacidade de administrar com planejamento visando ao desenvolvimento e à satisfação do povo de Paracatu.

Paracatuense, casado com Lucinélia do Carmo Pires, pai de Renata do Carmo Pires, 20 anos e João Roberto do Carmo Pires, 4 anos. Antes de iniciar suas atividades na FAMAG trabalhou na Casa Tote Costa, Casa Rubi e Casa Dudu Rocha. Formado em Ciências Sociais pela Faculdade de Filosofia de Passos. Pós graduado em Didática e Metodologia do Ensino, pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras “José Olimpio” de Batatais-SP. Tendo atuado também como professor, durante três anos, no extinto Colégio Adelmar Neiva. O seu partido, PT, reuniu a imprensa e apresentou quatro pré-candidatos a prefeito, entre eles consta o seu nome. Que postura o senhor adotará visando ser o escolhido internamente? Roberto Ferreira Pires – O meu partido, o PT, apresentou quatro nomes postulantes à candidatura a prefeito, entre eles está o meu. O importante é deixar claro que todos estes quatro nomes são ótimos e reúnem totais condições de administrar nossa cidade com competência e honestidade, de modo que não há, de minha parte, nenhuma ambição em ser o candidato escolhido. Na verdade, deve prevalecer a vontade da militância, o que fará com o que o partido saia fortalecido e unido para a campanha. NNews – Vencendo esta etapa, qual será a tática para convencer o eleitorado de Paracatu a escolher o senhor como prefeito da cidade?

preendedor, com visão de futuro e capaz fazer a administração municipal acompanhar o crescimento da cidade, o que só é possível por meio de um planejamento bem definido. É prudente observar que a população quer um administrador compromissado, de fato, com as soluções para as questões sociais, quer o tratamento das questões sociais como prioridade verdadeira. Em face deste cenário, acreditamos que, à frente da prefeitura, poderemos fazer uma administração histórica, uma vez que a arrecadação do município permite planejar com precisão o desenvolvimento e com isso planejar a saúde, a educação, a agricultura, as obras, etc.

diferentes para administrá-la. Baseado nisso, acredito que temos pelo menos quatro candidatos. Não vou arriscar o futuro dessas coligações e nem vou citar possíveis prefeitáveis, pois quase todos os partidos possuem três ou quatro nomes como pré-candidatos. Vale observar, no entanto, é o desejo latente na população por mudança. Ë o que tenho escutado das pessoas quando o assunto é o futuro de Paracatu. NNews – E se não vingar a união do PT com os outros partidos de oposição, mesmo assim o senhor acha que o seu partido lançará candidato a prefeito? E mais, o senhor aceitaria sair candidato sem apoio de outras legendas?

Poderemos fazer uma administração histórica, uma vez que a arrecadação do município permite planejar com precisão o desenvolvimento

Roberto da Famag – O eleitorado de Paracatu tem ficado mais exigente a cada eleição, porque sabe que Paracatu hoje pode ir muito além. Acreditamos que todos os paracatuenses desejam um governo com perfil administrativo mais técnico e menos político, onde a gestão seja prioridade. É flagrante que a população anseia por um prefeito dotado de espírito em-

Assim faremos um governo para todos. NNews – O senhor mesmo nunca tendo sido candidato a cargos políticos, é uma pessoa experiente, milita há anos no PT. Em sua opinião, em qual cenário a disputa se dará no próximo pleito? Roberto – Temos hoje em Paracatu várias correntes políticas, com estratégias

Roberto – O PT sempre teve estrutura para disputar qualquer eleição majoritária, basta lembrar que já governamos Paracatu, sempre estivemos presentes na Câmara Municipal, temos o Deputado reeleito e governamos o Brasil por três mandatos consecutivos. No entanto, reconheço que o sonho de todo candidato é ter o maior número possível de aliados visando à disputa pela administração de nossa cidade. Estes aliados seriam de fato muito bem vindos. Mas se não for possível, como afirmei acima, o PT tem quatro excelentes nomes para escolher, todos afinados com o modo pe-

tista de governar. Se por ventura o nome escolhido for o meu, aceitarei com muita tranquilidade a missão a mim confiada pelo meu partido. Todo mundo me conhece, sou uma pessoa simples, humilde, filho de um serviçal da fundação SESP, Noraldino Francisco Pires e de uma cantineira que trabalhou na E.E.Afonso Arinos, Vitalina F. Pires. Por isso já senti na pele os problemas que a maioria das pessoas enfrentam. Essa experiência fez de mim uma pessoa mais humana, sensível às dificuldades e sofrimentos dos que ainda vivem sem o mínimo de dignidade.

guém do PT o escolhido, o Arquimedes dedicará apoio? Roberto – Em duas reuniões que participei o Sr. Arquimedes Borges deixou claro que não será candidato, pois hoje

NNews – Na coletiva do PT com a imprensa o senhor revelou esta sendo procurado por importantes seguimentos e estes lhes prometendo apoio. Na sua avaliação, de onde virão os votos capazes de lhe garantir a vitória? Roberto – Do ponto de vista pessoal, eu conto com o reconhecimento dos inúmeros empresários que despontaram em Paracatu e entendem o que é um empreendedor de verdade. Eles conhecem minha longa trajetória como administrador, eles entendem minha forma de administrar e sabem que o orçamento da Prefeitura necessita urgentemente de um administrador nato, com veia de empreendedor. Do Ponto de vista partidário, o meu partido tem acesso a muitos seguimentos da nossa sociedade, como as associações, sindicatos, grupos sociais das igrejas, modalidades esportivas, culturais, empresários, agricultura familiar e muitos outros. Estes seguimentos da sociedade organizada convivem bem com o PT, conhecem e admira a sua forma de lidar com a administração pública.

Houve amadurecimento do PT, e do Sr. Arquimedes. O diálogofoi respeitoso e ficou claro que ambos querem ver Paracatu retomar o rumo, crescer conforme a sua arrecadação

NNews – Dentro do PT o senhor é entusiasta da possibilidade de unir a oposição. Sendo o ex-prefeito Arquimedes o que tiver a maior possibilidade de vitória, ainda assim acha possível um apoio seu e de seu partido a ele? E acredita que se for al-

ele tem outras prioridades. Foi perceptível nessas reuniões o amadurecimento político tanto do PT, quanto do Sr. Arquimedes. O diálogo foi respeitoso e ficou claro que ambos desejam o mesmo, ou seja, ver Paracatu retomar o rumo, crescer conforme a sua arrecadação. Acredito que se o Sr. Arquimedes resolver colocar seu nome, será ava-

NNews – O PT sempre procurou apresentar seus representantes com perfil de pessoas bem sucedidas na militância sindical ou ativistas nas comunidades de base. Há tempos atrás, falar em um empresário como candidato era palavrão. O senhor faz questão de dizer que é um empreendedor e tem cres-


Bola da Vez

Paracatu-MG, 8 a 22 de junho de 2011

9

o de ser candidato a prefeito do PT cido seu patrimônio devido sua gestão frente a sua empresa. Isso não lhe atrapalha internamente? Ou o PT mudou? Roberto – O PT é um partido que não para no tempo, tem uma profunda vocação para acompanhar a evolução. A gestão transformadora do presidente Lula já deixou claro que o PT é, hoje, o partido mas afeito às leis da administração moderna. Não precisamos falar muito disso, basta observar os resultados e a felicidade dos brasileiros que o reelegeram e elegeram o nome de Dilma por ele indicado. Por outro lado, não perdemos nossa identidade e nos orgulhamos de termos um trabalho nas comunidades de base, iniciado há mais de 30 anos, antes mesmo de minha entrada no PT. O nosso querido ex-Presidente Lula deixou claro que, quando se unem o capital e o trabalho todos ganham, trabalhadores e empresários. Portanto, sou sim o empresário empreendedor que entende de administração de recursos, mas sou tam-

bém o militante que vibra junto e ajuda a construir o partido a cada dia, a cada hora. NNews – Na sua opinião porque o eleitorado deve derrotar o atual grupo, liderado pelo PMDB, que esta à frente da administração por dois mandatos? Roberto – Derrotar é

a cidade se desenvolveu, sem que fosse a prefeitura o ator principal deste desenvolvimento. A cidade se desenvolveu a mil por hora, enquanto, parece, que a prefeitura andou a 15 por hora (rsrs). Olhe só o exemplo das obras deste governo. São obras que não cumprem a missão de redimensionar a cidade, ou seja, de lhe conferir grandeza. Exemplo claro e triste dessa verdade é o da Rodoviária. Em minha opinião, aquilo não é obra para uma cidade que, impulsionada pelos empresários, anda a mil por hora. Hoje, no modo petista de administrar, cada ação do prefeito, cada obra, tem de cumprir a missão de transformar sempre a cidade, transformar para melhor, para encher de orgulho o seu cidadão. E o mais grave de tudo isso, é que este grupo teve o que nenhum outro prefeito teve: longos oito anos para trabalhar. Trabalharam com dezenas de vezes mais dinheiro, trabalharam sem oposição, ou seja, tiveram tudo para fazer de Paracatu uma outra cidade, um

O atual prefeito não administrou bem a fortuna de 200 milhões que tem todos os anos nas mãos. Sem oposição, tiveram tudo para fazer de Paracatu um exemplo para todo o Brasil, em progresso e qualidade de vida uma palavra muito forte. Preferimos usar o termo mudança. O que observamos, e pelo que ouço toda a cidade observa o mesmo, o atual prefeito não administrou bem a incrível fortuna de R$ 200.000.000 (duzentos milhões) que tem todos os anos nas mãos. Foi incrível perceber que

exemplo para todo o Brasil, em progresso e qualidade de vida. Também não é possível administrar sem planejar e sem a participação do povo no destino da cidade. Não é concebível mais trabalhar na administração da cidade, só porque são de famílias nobres ou que rendem muitos votos. É necessário competência e conhecimento técnico na função. Finalizando, estes quase sete anos foram um bom tempo para a atual administração. Acredito que a alternância de poder é salutar para a democracia. NNews – Se o senhor fosse escolhido hoje, prefeito de Paracatu, que atitudes tomariam de imediato? E o que planejaria para médio e longo prazo?

nistração dará para fazer de Paracatu um exemplo de desenvolvimento e qualidade de vida. No momento oportuno detalharemos as nossas propostas. Elas estão sendo construídas junto à comunidade, mas já podemos adiantar que o desenvolvimento é a chave norteadora de todo nosso plano administrativo. O desenvolvimento aca-

apoio da administração. Tomemos a saúde por exemplo, sabemos da necessidade de humanizar a relação hospital-paciente e gastar com mais critérios os recursos disponíveis, que não são poucos. A longo prazo pretendemos criar um projeto para construção do Anel Viário, nos arredores da cidade, de onde surgirão bairros planejados, garantindo um crescimento com qualidade. Não podemos ser uma administração menor que o desenvolvimento da cidade, temos de andar no mesmo ritmo. E o que proporcionará essa grandeza é o desenvolvimento, pois garante uma saúde uma educação exemplares, assim como todos os outros setores que são de responsabilidade do administrador público. Se o meu nome passar na convenção, continuaremos a debater os problemas da nossa cidade e vamos mostrar, detalhadamente, o que pretendemos fazer para que Paracatu seja um exemplo de desenvolvimento e qualidade de vida.

Não é possível administrar sem planejar. Não é concebível mais trabalhar na administração da cidade, só porque são de famílias nobres ou que rendem muitos votos. É necessário competência e conhecimento técnico na função

Roberto – São R$ 200.000.000 (duzentos milhões) por ano. Qualquer prefeito que for responsável tratará de elaborar um minucioso planejamento para que este dinheiro não vá para o ralo. Nós pensamos grande e estamos certos que com a nossa esplêndida admi-

ba por influenciar numa saúde mais planejada, na educação mais planejada, no esporte, na agricultura, na ação social, na cultura, etc. É forma certeira de gerar mais empregos, renda e qualidade de vida. Todos os grupos que atuam na área social, principalmente o Terceiro Setor e as Igrejas, terão


10

Cidades

Paracatu-MG, 8 a 22 de julho de 2011

Guarda Mor realiza plenária de segurança alimentar e elege delegada

Fazendo

parte da agenda de eventos do CONSEA – Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, em todo o Brasil, a cidade de Guarda Mor, sediou no dia 6 de junho de 2011, a I Plenária Intermunicipal de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável, realizada pela Prefeitura Municipal de Guarda Mor, através do Setor de Alimentação Escolar da Secretaria Municipal de Educação e Cultura. A iniciativa ficou a cargo da nutricionista Jordânia Xavier que contou com o auxilio do Centro Colaborador de Alimentação Escolar – CECANE/UFOP e do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional – CONSEA/MG. Estiveram presentes, vários segmentos da sociedade civil e do poder público dos municípios de Guarda Mor e Vazante quando foi discutidos vários assuntos, entre eles, Agricultura Familiar. O evento teve como objetivo, “Construir Compromissos para Efetivar o Direito Humano à Alimentação Adequada e

Composição da mesa do evento realizado na cidade de Guarda-Mor

Participantes assistiram atentamente a explanação Saudável”, promovendo a soberania alimentar. Na oportunidade, foram eleitos delegados, que representaram os municípios envolvidos, na Conferência Regional

de Segurança Alimentar e Nutricional em Patos de Minas-MG, ocorrida nos dias 20 e 21 de junho de 2011. A Conferência serviu como um espaço para se

discutir as propostas de vários municípios da região do Alto Paranaíba, além de eleger o Conselho Regional de Alimentação e Nutrição. A nutricionista Jordânia Luis Xavier, delegada eleita por Guarda Mor, representou o município apresentando suas propostas e sendo eleita Coordenadora do Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional do Alto Paranaíba. A conferencia estadual acontecerá em Belo Horizonte em agosto deste ano e a Nacional em novembro na cidade de Salvador na Bahia.

Jordânia

alerta que a alimentação adequada é um direito fundamental do ser humano, consagrado na constituição federal e o CONSEA é um instrumento de articulação entre Governo e Sociedade Civil na

proposição de diretrizes para as ações de alimentação e nutrição que acompanha diferentes programas como o Bolsa Família, Alimentação Escolar, Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar, Vigilância Alimentar e Nutricional entre outros.


11 Paracatu foi sede de seminário para exportação Negócios

Paracatu-MG, 8 a 22 de junho de 2011

O 41º AgroEx

– Seminário do Agronegócio para Exportação, programa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, aconteceu em Paracatu no ultimo dia 21. O evento apoiado pela Câmara Municipal, Prefeitura, Amnor, Sindicato Rural, Acipa e Campo teve como alvo incentivar produtores a expandir seus negócios via exportação. A platéia, composta em sua maioria de agropecuaristas da região, teve a oportunidade de ouvir renomados palestrantes, como o ex-ministro Alysson Paulinelli, Marcelo Junqueira, Diretor do Departamento de Promoção Internacional do Agronegócio, Beatriz de Assis Junqueira, Coordenadora de Incentivo à Indicação Geográfica de Produtos Agropecuários, Luiz Antonio Gonçalves, especialista em políticas públicas e gestão governamental, Luis Carlos de Oliveira, Diretor de Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal e Adilson Oliveira, Analista de Comercio Exterior. Estiveram presentes também, os prefeitos de Paracatu, Vasco Praça Filho e Antério Manica de Unaí, alem do presidente da Campo, Emiliano Botelho, os Secretários de Agricultura de Paracatu, Mauro Brochado e de Patos de Minas, Francisco Jose Mendonça. Paulinelli comemorou o grande avanço da produção e exportação dos produtos agrícolas brasileiros, mas chamou a atenção para a necessidade de aprimorar-se quanto à qualidade, já que o mundo está cada dia mais exigente principalmente nas questões a respeito do meio ambiente. Marcelo Junqueira apresentou uma radiografia da evolução, oportunidades e desafios às exportações do agronegócio brasileiro. Expôs dados informativos de que o Brasil, em 50 anos, cresceu 774% sua produção agrícola. Saiu, em 1960, de 17,2 milhões de tone-

O Presidente da Câmara de vereadores João Macedo e a vereadora Graça uma das organizadoras da AgroEx em Paracatu

Alysson Paulinelli discursa durante a AgroEx

Marcelo Junqueira, Diretor do Departamento de Promoção Internacional do Agronegócio ao discursar. Na composição da mesa Emiliano Botelho, João Macedo e José Queiroz, Presidente do Sindicato Rural Patronal ladas, em uma área de 22 milhões de hectares para 150,8 milhões de toneladas em área de 47,5. Na pecuária o extraordinário avanço se deu quanto à produtividade. Na década de 60 as pastagens brasileiras eram de 122,3 milhões de hectares, para um rebanho de 58 milhões de cabeças de gado. Em 2010 as pastagens cresceram relativamente pouco, aumentando para 170 milhões de hectares. Porém, o número de cabeças de gado quase que dobrou, chegando a 204 milhões. A produtividade que era de 0,47 cabeças por hectare,

saltou para 1,2. Em relação à inserção brasileira no comércio internacional, em dez anos, de 2000 a 2010, cresceu de 20,6 bilhões de dólares para 76,4 bilhões, sendo o estado de São Paulo o maior exportador, devido, principalmente, à produção do álcool. Minas Gerais é o quinto estado produtor, tendo no milho, carne, soja e café seus principais produtos. Junqueira alertou para os desafios visando a aumentar as exportações. Para o especialista, a logística/transportes, o câmbio desfavorável, os juros altos quando

comparados com os paises concorrentes, os subsídios e barreiras e a imagem negativa do setor são gargalos a serem vencidos. Outro ponto negativo, segundo Marcelo, é em relação à falta de produção em escala de produtos uniformes e à falta de tradição do Brasil como exportador. A carência de fortes marcas com vocação para exportação é outro fator deficitário. Falando das oportunidades, destacou o crescimento da população mundial, o aumento da renda per capita, mudanças de hábitos alimentares e a extraordinária ca-

pacidade do Brasil em aumentar sua produção agrícola. O seminário, na opinião dos participantes, foi como uma semente plantada no solo. Por se tratar de algo novo para a grande maioria dos agropecuaristas da região, o resultado demandará tempo. A vereadora Graça Jales (PSB), maior entusiasta do evento em Paracatu, fez questão de citar os colegas João Macedo, Vânio Ferreira, Silvio Magalhães e Rosival Araújo como parceiros, enalteceu a postura do Ministério da Agricultura, através da Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio, que vem adotando a saudável política de sair do conforto dos gabinetes de Brasília se deslocando ao interior do Brasil para auxiliar o homem do campo a agregar valor à sua produção. Segundo Graça, o Noroeste de Minas possui agropecuaristas com produção significativa, com toda condição de exportar, e às vezes deixa de conquistar novas fronteiras por falta de conhecimento de como realizar esta importante transação. Por isso, afirmou a vereadora, “fizemos questão de lutar muito para trazer aos nossos produtores o know-how do Ministério da Agricultura, que dispõe de um setor específico para cuidar do aumento de nossa balança comercial via agronegócio.” Com orgulho, Graça revelou a dificuldade de trazer o Agro-

Ex para a região. “Disputamos a agenda com cidades como Uberlândia e Uberaba, já que este seminário acontece em uma cidade por estado durante o ano, e Paracatu foi contemplada”. Quem participou do encontro ficou impressionado com a qualidade das palestras e organização do evento, que teve como organizadora a assistente técnica do ministério, Juliana Jales. O casal Eliane Rabelo e Pedro Vasconcelos, acostumado a participar de importantes feiras em grandes centros, fez questão de demonstrar a satisfação de presenciar, em sua cidade, seminário o qual classificaram de excelente nível. Outro empolgado com o AgroEx foi o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Paracatu, Jose Queiroz. Segundo ele, o sindicato, sob sua presidência, se sentiu orgulhoso em ajudar a promover evento de tamanha importância. Demonstrou todo o seu entusiasmo com o Noroeste e confiança na classe produtora que para ele é quem tem as maiores condições de transformar a Brasil na maior potência mundial, e de forma emocionada sentenciou: “Antigamente o poder de cada país se media pela força, pela produção de armas. De agora em diante a importância e a riqueza estarão com as nações que conseguirem alimentar o mundo, e ninguém tem melhores condições para isto do que o nosso Brasil”. Finalizou Jose Queiroz.


12

Diversão & Arte

Paracatu-MG, 8 a 22 de julho de 2011

Catrumano Versátil

Vanessa Bittes Terra

Em defesa da velha Paracatu do Príncipe

Por um longo período

Thor

X-Men – Primeira Classe Eis uma sequência que está quebrando conceitos. Com mais um episódio excelente, o início de tudo é retratado nessa aventura emocionante. Aqui você sabe como Charles Xavier (James McAvoy) criou a escola de mutantes, como os humanos passaram a entrar em conflito com os, até então, desconhecidos seres especiais e, principalmente, como iniciou e mudou a amizade do professor e seu maior oponente, Magneto (Michael Fassbender). Mais uma vez, a cena em que o pequeno Erik Lehnsherr consegue mover os portões por onde os nazistas levam seus pais, é o início dessa estória. Daí, Erik atrai as atenções, especialmente do inescrupuloso Sebastian Shaw (Kevin Bacon). Sedento por vingança, já que Shaw, além de matar sua mãe, é responsável por suas maiores angústias, Erik segue a sua caça. Enquanto isso, Xavier estuda as mutações genéticas e sonha com uma saudável relação com os humanos. Aparece, então, a oportunidade quando uma agente da CIA o procura, após ver do que os mutantes são capazes. É aí que ele conhece o, ainda jovem, Magneto e o ajuda em sua busca. Nasce, então, uma grande

amizade e uma proposta de trabalho. Ambos seguem à procura de outros mutantes que encontram com a ajuda de um aparelho que potencializa os poderes telepatas Charles, o já conhecido ‘Cérebro’. Em meio à Guerra Fria, Governos em constante conflito são levados a confronto nuclear para satisfação de Shaw. Com cenas de ação de arrepiar, é emoção sem medida. Além de ter um roteiro com conteúdo e, diga-se de passagem, muito inteligente. O fim da solidão dos que se acham diferentes, a aceitação dessa diferença e a forte relação entre os personagens principais dessa saga, que divergem justamente no que pensam sobre a essência humana, são envolventes. Mais um filme sensacional da série que completa o quarto capítulo. E não pense que acabará. Até porque depois desse, você vai querer ver mais. Destaque para o elenco. Não só os mais velhos, McAvoy, Fassbender e Bacon, como os mais novos, estão fenomenais em seus papéis. É um conjunto de boas coisas, elenco, enredo, criatividade, ação... O filme tem cenas memoráveis e pequenas, mas geniais, aparições.

A sensação que tive ao sair do cinema é que este filme foi feito apenas para cumprir tabela e para aguardar o tão esperado Os Vingadores. Infelizmente, Kenneth Branagh que possui excelentes filmes em seu currículo, como Frankenstein de Mary Shelley, não soube garantir a mesma qualidade dos demais do gênero. Anos atrás, em Asgard, o Rei Odin (Anthony Hopkins) consegue uma importante vitória diante dos Gigantes do Gelo. Após anos de trégua e mantendo em seu reino uma importante arma de guerra confiscada de seus inimigos, os gigantes entram em Asgard quando Thor (Chris Hemsworth), o primogênito, estava para ser coroado. Enfurecido, contra os comandos de seu pai, Thor retalia e provoca uma nova guerra com os poderosos Gigantes. Odin, então, como punição, retira-lhe seus poderes, seu martelo e o bane de seu reino, enviando-o à Terra para cumprir seu castigo junto aos mortais. Mas nem assim fica livre dos perigos da guerra em seu reino. Aí começam os pecados do Diretor. Como um guerreiro de seu planeta, Thor aparece em meio a uma tempestade e é socorrido por Jane Foster (Natalie Portman), uma cientista impetuosa. Como tudo é novidade naquele novo mundo, Thor fica perdido e comete as mesmas gafes já vistas em diversos outros filmes, mas ao mesmo tempo, rapidamente, já não parece estranhar nada que lhe é novo. Não entendi o propósito de Branagh: seria mostrar que, embora ele não conhecesse a Terra, sabia que encontraria coisas diferentes ou simplesmente não quis dar muita importância ao assunto?

Bom, certo é que enquanto a estória se passa em Asgard, o tempo corre mais devagar, a estória é bem contada e interessante. Mas quando acontece na Terra, muitos trechos são banais e sem graça. Especialmente, o romance entre Jane e Thor que, sem maiores acontecimentos, floresce após poucos momentos juntos, não convencendo o público que mesmo diante de dois ótimos personagens não conseguirá conectar essa relação. Ocorre também que Thor aprende bem rapidinho a sua lição. De garoto mimado, arrogante e teimoso, em minutos torna-se digno do título de deus nórdico. Destaque para Tom Hiddleston que interpreta o irmão de Thor, Loki, talvez o personagem mais intrigante da estória e que, com certeza, protagoniza a trama pessoal mais interessante. Outro ponto que vale comentar é a pequena, porém importante participação de Rene Russo, há tanto longe das telas, como Frigg, mãe de Thor e esposa de Odin. No mais, constante é a presença da S.H.I.E.L.D. em busca de mais heróis!! No fim, o que poderia ser uma deliciosa aventura sobre a mitologia nórdica, veio apenas introduzir o deus do trovão no mundo dos heróis, preparando o terreno para a reunião mais aguardada. Longe de alcançar a ação, a comédia e o carisma de Homem de Ferro, Thor agrada, mas deixa a desejar. E fica a dica: não se esqueçam de assistir até o final. Como de costume, após os créditos tem mais uma prévia do que estar por vir.

a comunidade paracatuense tem apresentado certa acomodação quanto à postura da Kinross, que há muito não tem demonstrando a preocupação que se espera de uma empresa socialmente responsável, quanto aos problemas que são causados aos moradores dos bairros vizinhos à Mina Morro do Ouro. Para que a população possa reivindicar maiores benefícios, deve-se deixar de lado o estado de letargia em que se encontra, e passe a assumir uma postura mais agressiva, passando a buscar os direitos de cidadão que são constitucionalmente garantidos. É preciso que as lideranças locais assumam uma postura mais efetiva, e passe a liderar a comunidade quanto às reivindicações de contrapartidas pela exploração da riqueza local. Nesta linha de pensamento, é que se realizou audiência pública no dia 28 de junho, nas dependências da Câmara Municipal, com a participação de inúmeros moradores dos bairros Alto da Colina, Amoreiras II, Bela Vista II e de localidades rurais como Machadinho e Santa Rita, o que já é um bom começo. Tendo em vista, que os moradores de Paracatu além de estarem sofrendo, com o barulho causado pelas constantes explosões que são realizadas com a finalidade de afrouxar a rocha, para a exploração do ouro, correm ainda sérios risco de serem afetados pela possível poluição que está sendo causada ao ar e ao lençol freático, fato este que, se verdadeiro, afeta em muito a saúde humana. Além de tudo isso, a comunidade paracatuense conta também com o descaso da alienígena Kinross. Certo é que, o que realmente interessa a toda e qualquer empresa mineradora é a exploração do minério a que se dedica no caso da Kinross em Paracatu, o ouro. Sabemos que em quase toda cidade onde é exercida a atividade mineradora, as contrapartidas recebidas pela comunidade local, sempre acontecem em razão do grau de organização e poder de reivindicação exercido pela coletividade no convívio com a mineradora, que pode ser pacífico, mas nem sempre muito amistoso. Portanto, na batalha – no bom sentido – que será sempre travada com a Kinross, pelos moradores dos bairros vizinhos à mineradora, e por toda a população de Paracatu, é preciso se ter a consciência de não se poder discutir pelo que se acha, mas sim pelo que realmente se conhece, de preferência, por intermédio de estudo sério quanto aos riscos a que é submetida à comunidade local. É preciso um trabalho sério nesse sentido, pois recentemente foi concedido novo alvará de exploração por mais 30(trinta) anos. Assim teremos um longo tempo de exploração da Mina Morro do Ouro, e com certeza inúmeros problemas para se resolver. A busca de solução dos problemas causados pela Kinross à população de Paracatu, não poderá ser somente um motivador dos interesses políticos, que após as eleições serão colocados de lado e esquecidos por todos. É preciso saber que um dia a exploração se esgotará, mas Paracatu continuará existindo, e para tanto é preciso que hoje, no presente, seja discutido qual o futuro queremos para os nossos descendentes. Se de uma cidade que se preparou com as soluções necessárias a uma qualidade de vida, ou uma cidade que não discutiu os problemas e que pode se transformar em uma cidade fantasma, após o fim da mineração. Assim devemos organizarmo-nos enquanto comunidade, para juntos discutirmos todos os temas e prováveis prejuízos a que somos diariamente submetidos, em razão da exploração do Morro do Ouro pela Kinross. Está é uma medida imediata e urgente que devemos adotar em defesa do futuro da velha “Paracatu do Príncipe”. Vamos à luta!


Sociais Personalidade

(In Memoriam ao Sócio Fundador e Presidente do NoroesteNews)

Paracatu-MG, 8 a 22 de junho de 2011

13

As Maravilhosas

Rodrigo José Nunes da Silva

34 anos, nascido em Brasília-DF, no dia 5 de outubro de 1976, filho de Adelfo Nunes da Silva e Maria José da Silva, já falecida, e que por desígnios de Deus, foi criado por seus Avós, José Nunes da Silva e Contantina Pereira da Silva, os quais lhe deram além do amor de avós, o carinho e a tranquilidade do amor de pai e mãe. E que Deus em sua infinita bondade, o chamou desta vida para morar no Céu ao teu lado, porque era um ser humano diferenciado, na data de 25 de junho de 2011, de maneira repentina e inesperada. Para todos os que ficaram nesta aeronave chamada Terra, restará sempre uma enorme saudade. Jovem discreto era dono de uma humildade incrível. Tudo lhe era natural, nada forçado. Era calado e simples na maneira de viver e amar os seus. Sempre dedicado à família. Rodrigo deixou, além de sua esposa, uma linda filhinha de nome Taynara, com 2(dois) aninhos, fruto de um grande amor, o qual soube viver profundamente em sua rápida, mas intensa passagem pela terra. Com certeza, cumpriu sua missão, pois acreditou na vida, e soube sonhar com melhores dias. Rodrigo sua passagem na vida de todos que puderam conviver com você, foi muito importante, você era um ser especial e com certeza já mais será esquecido, será sim, amado sempre. Receba onde estiver nossa homenagem póstuma. Saudades eternas de sua esposa, filha, vó-mãe, pai, tios, primos e amigos. Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça que a felicidade É um sentimento simples, Você pode encontrá-la e deixá-la ir embora Por não perceber sua simplicidade. Que as gotas da chuva molhem suavemente o seu rosto, Que o vento suave refresque seu espírito, Que o sol ilumine seu coração, Que as tarefas do dia não sejam um peso nos seus ombros, E que Deus envolva você no manto do Seu amor. Que a estrada se abra à sua frente, Que o vento sopre levemente em suas costas, Que o sol brilhe morno e suave em sua face, Que a chuva caia de mansinho em seus campos, E até que nos encontremos de novo... Que Deus guarde você na palma da Sua mão. Lembra-te do teu Criador Nos dias da tua mocidade, Antes que venham os maus dias, E cheguem os anos dos quais dirás: Não tenho neles prazer; E o pó volte à terra, como o era, E o espírito volte a Deus, que o deu. Obrigado por ter acreditado num sonho!

Vera Lúcia Lemos Campos Botelho


14

Classificados e Editais

Paracatu-MG, 8 a 22 de julho de 2011

IMÓVEIS LENE - Empreendimentos Imobiliários Ltda. CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050

Alto do Córrego Rua Rodrigues Bijos /Fundos (9,40m)p/Marginal 040, 1qto(st),sl,c oz,gar(1),picer,teplan AT 141,72m2, AC 40,62m2 Troca p/casa =vr.c/2 ou 3 qts R$70.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050

Amoreira II Rua Alumínio, 3q,sl,cz,wc,as,picer,f. pvc,teplan,vg(5),cerca eletr.. R$ 90.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050 Rua Cristal, 4q(st),sl,sltv,sl estar, cp,cz,wc,as,desp,2 gar(2 entrds. indeptes, 2 + 4), 3 sls/escrit picer/ ardós. F. pinus/pvc, teplan. (coz +2 banhs.azulejados até o teto, 2 portões eletrcs. AT 233,34m2, AC 233 m2.E.P.C.V 100%. R$ 220.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050

Bela vista Rua Melquíades G.de Carvalho, 3q(s t),sl,cz,wc,as,gar(3),picer,laje,teplan ,(coz+wcs azulejados até o teto), AT 150m2, AC 140m2. R$ 120.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050 Rua Tenente Olimpio Gonzaga, 3q, sl, cz, wc, as, gar (3), salão, picer, laje, teplan. AT 384m2, AC 1.60m2. E.P.C.V 100%. R$185.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050 Rua Melquíades G.de Carvalho,

Casa da frente: 4q,sl,cz,wc,pto. comrl c/wc, gar (3), a.f, picer, cim. no comrl, laje, teplan, brasilit na garagem, quintal c/divs. frutíferas, + casa rústica ao fundo.AT 210 + 512m2. AC (casa + bar: 170m2), (vars: 70m2) R$ 185.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050

Centro Rua Goiás, Casa c/ 8 salas (5 wc), 3 salas de espera, picer, laje, tekplan, AT 360 m2, E.P.C.V. Troca p/ imóv.Urbano R$ 600.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050 Rua Rio G.do Sul, 850, Mansão: 5 suítes (a máster, c/banh.hidrom),sl. estar,sl.jantar, sl tv, salão jogos, lavb, wc, coz, depós., gar (6), p. porcelanato, bancds granito/mármore, armários, piscina, laje,(mold. gesso), telhas tégula, etc. AT 540m2, AC 680m2. E.P.C.V Do Lote. Pega imóvel urbano no negócio. R$1.100.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050 Pça Cândido Ulhoa (Genipapeiro) 4q(3sts),sl,cp, cz, wc, as, gar (4), picer, laje, teplan, piscina, churrasq., ar. lazer, etc. AT 600m2. AC 240m2.E.P.C.V R$ 750.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050 Rua Bernardo Caparucho Filho, 4q,( st),sl,cp,coz,wc,as,dce,gar(3),escrit. picer/tacos, laje,teplan.(wcs +coz. azul.até teto)AT 260m2,AC 280m2. R$ 400.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050

Cidade Nova Rua Manoel M.Pereira, 3q(st),sl,cz, wc,as,gar(2),picer,f.pvc,t.colon.,(cz +wcs azul. até teto,AT 360m,AC 134m2.E.P.C.V 100% R$ 170.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050

Cidade Nova II Rua Paulo A. Caldas,3q,sl,cz,wc,a s,g(1),picer,f.gesso,tecol, (Box +2 portas e janelas em blindex, mold. gesso cantos, coz +wc azul.até teto, ptão eletr.cerc.el.) AT 117m2, Pega Lote no negócio R$ 110.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050

Nossa Senhora Aparecida Rua Joaquim Damasceno, Galpão com subsolo +ou- 240 m2,p. cimento, Pé direito 2,60m2, laje, Piso principal +ou- 240 m2 em cimento, teplan, Pé direito +ou- 6m, mezanino: 2 salas, 1 banheiro, piso granitina; Frente: Sala de espera c/ +ou60m2 wc e cantina, piso granitina ; 2 portas de aço flexíveis; Gar( 1) c/ portão articulável em aço e rampa de acesso ao piso principal.E.P.C.V. R$ 550.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050

Primavera Rua Marginal MG, Galpão AC 300m2. AT 400 m2. R$ 350.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050

Vila Mariana Rua Sebastião Paes de Almeida, 3qts, sl, cp, coz, wc, as, af gar(1), A serv, com gar(1), a.lazer,picer, laje, teplan, AT-243,32 AC-152m2 R$ 170.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050 Rua José Augusto Neto Siqueira, 3q, sl, cp, cz, wc, as, gar (2) + vg (1), picer, laje p/2º piso, teplan, (cz + wcs azul. até teto, Box blindex, pia + lavats. bordas espelho,granito.AT 200m2, AC 112m2. Pega Lote urbano R$ 200.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050 Rua José Augusto Neto Siqueira, 3q (st), sl, cp, cz, wc, as, af L”, desp, + salão 5,5x3,5 = 19,25m2 Picer,

laje p/2º piso, t. plan. AC 144m2,AT 323m2. E.P.C.V(esp) R$ 200.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050 Rua Presbiteriana,Tipo Sobrado, 3q, (st), sl, cp, cz, wc, as, af, gar (3), picer, laje, teplan. AT 206,40m2, AC 150,36m2 – Ação Usucapião R$ 220.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050 Rua Adjuto Botelho, sl,3q(2 sts), picer, laje, teplan, a. lazer, churrasq., piscina, etc. (Ver Ficha). AC 410m2, AT 1.065m2, Ação usucapião. R$ 700.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050

IMÓVEIS URBANOS EM OUTRAS LOCALIDADES Vazante (MG) Rua Osório Soares, Independência, 3q (st), sl, cp, coz, wc, gar (2), + qt. fd. piso cer, f. pin, tebras. AT 360m2. AC 67,50m2. E.P.C.V 100% . Pega gado ou imóvel em Paracatu(MG) R$ 150.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050

Centro Rua Manoel Caetano , 240m2 todo murado com um portão grande E.P.V.C. R$ 130.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050

Cidade Nova Lote c/ 470m2. EPCV – R$100.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050

Jardim Serrano Divs. Lotes. EPCV – 360m2 e 525m2 R$ 150,00 m2. 2 Lotes, Quadra 01, 360m2 cada. EPCV – Cada: R$ 75.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050 Lote com 360m2,muro 4 Lados, portão p/carro EPCV R$ 70.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050 2 Lotes juntos, 360m2 cada, EPCV – Cada R$ 55.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050

Lene Ville Divs. Lotes, 300m2 ou 360m² EPCV. – R$ 30.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050 Nossa Senhora de Fátima Rua Ovídio Martins Lisboa (próx. Martinzão e Novo Horizonte) 861m2. Escriturado R$ 180.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050 Rua que vai do Posto Cruzeiro p/o Novo Horizonte. 530m2. R$ 45.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050 São Sebastião Chácara 4.500m2 (ao lado do Ferro Velho) – R$22.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050 Lotes às margens da BR 040 Terreno Margem MG 188-2.432m2 (70m-fte,70 fd,25Ld,44Le) – R$218.880,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050 Terreno Margem BR 040, próx.6ª Estrela +_ 120m2. R$160.000,00 CRECI 2305 – 4ª REGIÃO Fone (38) 3671 5050

VEÍCULOS Avenida Veículos (38) 36712327 Avenida Olegário Maciel,406, centro vw gol 1.0 g4, total flex, prata, 09/10, completo, 04 portas, r$ 26.500.00 (38) 36712327 vw gol 1.0 g4, totoal flex, prata, 09/10, completo, 04 portas, r$ 26.500.00 (38) 36712327 vw gol 1.0 g4, totoal flex, prata, 09/10, completo, 04 portas, r$ 26.500.00 (38) 36712327 toyota corolla xei 1.8, gasolina, prata, 03/04, completo, 04 portas, r$ 29.500.00 (38) 36712327 ford del rey, alcool, bege, 85/85, 02 portas, r$ 7.000.00 (38) 36712327 fiat palio fire, gasolina, cinza, 02/03, 02 portas, r$ 15.000.00 (38) 36712327 fiat palio fire 1.8, total flex, amarelo, 09/10, 04 portas, completo r$ 36.000.00 (38) 36712327 gm celta 1.0 , total flex, prata, 06/07, 02 portas, r$ 17.500.00 (38) 36712327 ford fiesta hatch 1.0, gasolina, prata, 04/04, 04 portas, completo, r$ 19.800.00 (38) 36712327 gm vectra cd 2.2 16v, gasolina, preta, 96/97, 04 portas, completo, r$ 15.800.00 (38) 36712327 gm astra sedan gl 2.0, gasolina, azul, 99/99, 04 portas, completo , r$ 20.000,00 (38) 36712327 fiat palio wekend 1.6 16v, gasolina, cinza, 01/01, 04 portas, completo, r$ 18.500.00 (38) 36712327 ford ranger limited 3.0 4x4, cabine dupla, diesel, prata, 05/05, completo, r$ 6.000.00 agio + 48 x 1.307.00 (38) 36712327


Esportes

15 Copa Famag 25 anos, Rosileno Pellota sucesso absoluto Campeonato Municipal Com finais de Paracatu terá início em 24 de julho Paracatu-MG, 8 a 22 de junho de 2011

Com o intuito

de organizar o Campeonato Municipal de Futebol Amador de Paracatu, aconteceu no dia 30 de junho, nas dependências da Secretaria Municipal de Esportes, reunião com a participação da Direção da Liga Paracatuense de Esporte e os dirigentes dos clubes locais. Na oportunidade foi tratado relativo à participação dos Clubes e em especial da Associação Desportiva do Chapadinha. Após os debates, ficou definido a participação do Chapadinha no Campeonato de 2011, na condição de convidado. Discutiu-se e decidiuse também, por unanimidade entre os presentes, que o modo em que o Campeonato será disputado é o de duas chaves, de 5 (cinco) times cada uma. Ficou decidido ainda que serão classificados 3(três) times de cada chave. Já na segunda fase as disputas acontecerão entre os times classificados na primeira fase. As chaves ficaram definidas na seguinte ordem: Chave A - Paracatu, Santana, Real, Chapadinha e União. Chave B - Vila Mariana, CAP, JK, Amoreiras e Amabap. A primeira rodada do Campeonato será no dia 24 de julho, pela manhã, prevista para acontecer no Estádio Beira Rio, com início marcado para as

Reunião da Liga Paracatuense de Esporte e todos os dirigentes esportivos em que se definiu o inicio do campeonato Municipal de Paracatu 09h15mim, quando se enfrentarão Paracatu e Chapadinha. Na parte da tarde será a vez do Real enfrentar o Santana, em jogo a ser disputado no Estádio Paulo Brochado, com início previsto para as 15h15mim. A partida entre Real e Santana, será marcada de grande emoção, pois será também a despedida do

Arbitro Ronaldo Planeta dos gramados de nossa cidade e Região. Ronaldo é considerado por muitos, um dos melhores árbitros de nossa história futebolística, chegando uns e outros a compará-lo com o saudoso Viludão. Com a despedida do Ronaldo Planeta de nossos gramados, o nosso esporte perde um pouco de sua tradicional alegria.

disputadas nos dias 18 e 19 (sábado e domingo) de junho, no Clube do União Esporte Clube, a Copa Famag 25 anos de Futebol Society, que teve o patrocínio de Roberto Pires (Robertão da Famag), foi coroada com muito sucesso. Com uma grande participação do público amantes do society, o clube permaneceu lotado durante a disputa das partidas. No dia 18 (sábado) foi disputada partida entre os times Alô Cerveja e Básico Chic. Alô Cerveja se deu melhor com um futebol mais cadenciado, venceu a partida no tempo normal por 4(quatro) tentos a 1(um), sagrando-se Campeão da categoria Novos. A torcida por sua vez mostrou-se mais empolgada no domingo, dia 19, quando foram disputadas as partidas finais das categorias Supermaster e Máster. Na partida de abertura, pela categoria Supermaster, se enfrentaram as equipes: Torneadora Globo e Esquadrias Elite, com as disputa em 3(três) tempos regulamentares de 20 (vinte) minutos, tendo a partida terminado em empate, o que provocou a disputa de mais 10 (dez) minutos de prorrogação, onde a partida permaneceu empatada. Após o final da partida, configurado o empate, a decisão ficou para os pênaltis, onde a Esquadrias Elite se deu melhor e sagrou-se Campeão da categoria Supermaster, vencendo por 2(dois) a 1(um). Já na categoria Más-

Ponta pé inicial dado pelo patrocinador da Copa Famag 25 anos de Futebol Soceity.

Alô Cerveja Campeão da categoria Novos

Esquadrias Elite campeão da categoria Supermaster

Pizzanti Calçados Campeão da categoria Master ter, a disputa foi entre as equipes da Pizzanti Calçados e Bar do União. A Pizzanti dominou a par-

tida e venceu o Bar do União por 2(dois) a zero, tornando-se Campeão da categoria Máster.



Noroeste News - Ano I Ed. 04