Page 1

cmyk

Não são de pedra as nossas casas, mas de mãos...

Agosto - 2013

II SÉRIE

ANO VIII

NÚMERO 38

Festtas de Vilarandelo Fes de 9 a 25 de Agosto 2013

Senhor dos Milagres Milagres A

A Comissão de Festas de Vilarandelo/2013, pretende através do “ ARAUTO”, manifestar os nossos sinceros agradecimentos a todos aqueles que participam e contribuem para as grandiosas festas da nossa querida terra. Entendemos realizar algumas alterações em termos de infraestruturas a fim de dignificarmos o espaço envolvente do Santuário de Nosso Sr. dos Milagres, aproximando a festa pagã da festa religiosa. Desejamos que todos os vilarandelenses disfrutem das nossas festas. Sejam generosos nos vossos donativos, pois só assim será possível manter o nível da nossa festa!... Antecipadamente gratos! A Comissão de Festas de 2013

Índice

Pág.

Donativos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

2

Recordar é Viver - Posto dos CTT de Vilarandelo

3e4

Usprigosus: Freestyle e Motocross em V. Real . . . .

5

Dia Mundial dos Avós . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

6

São João celebrado no Centro de Dia . . . . . . . . . .

7

2.º Encontro IPSS do distrito de Vila Real . . . . . . .

8

Programa das Festas de Vilarandelo . . . . . . . . . . .

9

Peddy Paper na Casa do Povo de Vilarandelo . . . . 10e11 Baú dos Sonhos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

12

Aniversários Lar de Idosos . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

13

Folclore em Vilarandelo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

13

Uns animais e os Outros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

14

Contas da Comissão Fabriqueira de Vilarandelo .

15

Queima da Fralda 2012/2013 . . . . . . . . . . . . . . . . .

16

N

Editorial

a marcha inexorável do tempo chega mais um mês de Agosto e como é habitual, a nossa Vila esquece a interioridade e a desertificação, torna-se algo citadina e muita agitada. É um facto que a nossa terra nunca se mostra monótona e adormecida, apesar das machadadas que tem levado por forças não estranhas ao poder político ou económico. Somos um povo de dinâmica inquestionável, que sabe ir à luta. Não queremos ser e, definitivamente, não somos subsidiodependentes amorfos, mas assiste-nos o direito de exigir, em todas as circunstâncias, tudo aquilo a que temos direito. E afirmo, só somos dependentes da atribuição de subsídios, porque temos uma divisão administrativa do território nacional obsoleta, lamentavelmente o “remendo” recentemente levado à prática pouco ou nada melhorou e a riqueza do país, muitas vezes desbaratada, tem sido repartida de forma injusta, com grande défice para as zonas do interior. Nem sempre temos conseguido o apoio necessário e suficiente,mas podemos afirmar aos quatro ventos, que as ajudas financeiras que temos recebido dos poderes central

ou local estão, absolutamente, justificadas pela acção desenvolvida e obra feita, tanto no aspecto social quanto no cultural ou desportivo. A dinâmica deste povo, bem demonstrada através da vitalidade das suas associações, não tem paralelo no nosso concelho e, a nível nacional, tendo em conta a nossa dimensão, não haverá muito melhor. Como sempre acontece neste mês, as nossas associações vão, mais uma vez, brindar-nos com eventos de bom nível e a todas desejamos que o resultado de tanto trabalho finalize num sucesso absoluto. Nesta época do ano felicito, particularmente, a Comissão de Festas, que tão activa se tem mostrado. Aproveito a oportunidade e saúdo todos os vilarandelenses que nesta quadra regressam às origens para matar saudades, rever a família, os amigos e para um justificado e merecido descanso. Sejam bem-vindos e desejo a todos umas excelentes férias e, no final, de “barriguinha cheia”, um tranquilo regresso às terras de adopção. António José Garcia Ferreira Secretário da Direcção


2

Donativos DONATIVOS ARAUTO Isabel Moura Tiago Vítor ..................................................................10,00 € Pe. Oscar Teixeira Mourão ..............................................................20,00 € Alice Melo Pascoal ..........................................................................10,00 € Francisco Martins Coroado ............................................................15,00 € António Madureira Pereira ............................................................10,00 € Anónimo ..........................................................................................10,00 € António Gonçalves ............................................................................5,00 € Francisco Duarte da Silva ...............................................................10,00 € Ana Alves ..........................................................................................20,00 € Nelson Silvério ................................................................................10,00 €

DONATIVOS PARA O LAR DE IDOSOS Anonimo .....................................................................................1.300,00 € Anonimo ..........................................................................................10,00 €

Data 09-06-2013 08-06-2013 12-06-2013 17-06-2013 20-06-2013 21-06-2013 21-06-2013 25-06-2013 24-06-2013 20-06-2013 24-06-2013 28-06-2013 01-07-2013 02-07-2013 05-07-2013 27-06-2013 06-07-2013 09-07-2013 04-07-2013 11-07-2013

Donativos em Géneros

Doador Josefa Coroado Francisco Sousa Elsa Alexandra Amândio Martins Teixeira Carminda Calado Amélia Teixeira Maria do Céu António Delgado Amândio Martins Teixeira Fatima Guedes Adelaide Polónio e Ana Polónio Isabel Lage António Delgado António Friões Isilda Morais Carriça Alice Melo Pascoal Fernando Santos Amandio Ribeiro Construções Magalhães Cavalheiro Uni,Lda Elsa Teixeira Maria Guilhermina Baía

15-07-2013 Amândio Martins Teixeira 15-07-2013 Otilia Rito 16-07-2013 19-07-2013 19-07-2013 17-07-2013 20-07-2013 23-07-2013 30-07-2013

Talho Eduardo Simões Farmácia Almeida e Sousa Farmácia Duarte Amândio Pascoal Elsa Teixeira Ana Sofia Fomseca Talho Eduardo Simões

Doação 5 kg de cerejas 2 garrafões de vinho tinto 1,5 kg de Morangos 2 grades de alface 3 kg de couve 14 kg de alface 5,9 kg de nabiças 4 kg de Alface 4 kg de Alface 2 kg de favas 12 unidades de pão centeio 3 kg de favas 4,5 kg de alface 17 kg de alface 40 kg de batatas, 2 duzias de ovos 2 duzias de ovos 2,575 kg Figos, 0,035 Salsa Roupa, calçado, Brinquedos 5 Bancos de transporte de crianças 10,2 kg de tomate Carrinho de actividades, roupa de cama, cama de viagem, pote, brinquedos, cadeira de mesa bebé, grade de proteção 13 kg de corgetes 5,86 kg de corgetes 3,3 kg de Costeletas de vitela e 4,73 kg de Pé e Orelha 3 cx Lenços de limpeza, 19 esferográficas, 1 agenda 3 kits Primeiros Socorros 24 kg de corgetes 11,5 kg de tomate Carrinho de bebé, Cadeira de diversões, roupas e brinquedos 8,69 kg de vitela

A TODOS OS NOSSOS AGRADECIMENTOS

Se desejar receber o “ARAUTO” numa residência fora de Vilarandelo, queira por favor enviar o seu endereço para: ARAUTO Casa do Povo de Vilarandelo Rua das Escolas 5430-651 Vilarandelo email: araut02005@gmail.com Todos aqueles que desejarem enviar artigos para serem publicados no ARAUTO, devem fazê-lo para o endereço acima ou para casapovo.vilarandelo@iol.pt

Dia 1 de Agosto: 1º. Dia no Lar de Idosos No dia primeiro de Agosto de dois mil e treze Foi o dia da minha liberdade Como o tempo foge em passo de corrida Foi o dia mais feliz da minha vida Ao dar entrada no Lar. Fui muito bem recebida Minhas queridas funcionárias Como estou muito feliz e comovida No meio desta nossa comunidade Somos uma numerosa família unida Até aos finais das nossas vidas Entre todas as roseiras floridas Desejo para todos os nossos queridos avós Que sejamos todos uma sementinha florida E que façamos tudo por amor à vida Desejando para todos nós Uma feliz e bela vida E que seja para sempre, bela e colorida Deixei familiares e amigos Para me vir juntar a todos os nossos queridos avós Há luz plena de todos abrigos Deixei o nosso Centro de dia Há luz plena do dia a dia Com muita serenidade, paz e alegria Deixei entre todos eles a saudade Com a minha alegre despedida Deixei alguns a chorar E ao vê-los chorar assim Lhes prometi muita força e coragem Para neste caminho em viagem Com toda a minha determinação e coragem Para todos lhes deixar esta minha linda mensagem Meus queridos amores Vós sois as mais lindas flores Deste nosso lindo jardim A florir para a vida sem fim… Carminda Fidalgo Utente do Lar de Idosos.

Agradecimento A família de Jaime Rodrigues Afonso vem, muito sensibilizada, agradecer as inúmeras provas de pesar e carinho que lhe foram manifestadas aquando das exéquias fúnebres do seu ente querido.

Agência Funerária Mariana Lino Lda. - Vilarandelo

Agradecimento A família de Maria Adelaide Teixeira Lopes, vem agradecer a todos que estiveram presentes nas exéquias fúnebres e ao longo da sua prolongada doença. Pela manifestação de carinho, respeito, apoio e conforto recebidos durante um momento tão difícil, vivido pela perda da alegria da nossa família, mas o abraço de cada um tem-nos ajudado a alivia-la.

Agência Funerária Mariana Lino Lda. - Vilarandelo

Agradecimento A Direcção Casa do Povo vem agradecer a todos os que participaram nas exéquias fúnebres de Hermes Augusto Areias Aspeçada, utente que foi do Lar de Idosos .

Agência Funerária Mariana Lino Lda. - Vilarandelo


3

Recordar é Viver... Por: António José Garcia Ferreira

Agradeço a colaboração das manas Amélia e Eugénia da Cunha Lopes, sobrinhas de D. Marquinhas, bem como de todos os ex-colaboradores dos CTT, identificados no texto.

Posto dos CTT de Vilarandelo M

Como preâmbulo desta homenagem na rubrica “recordar é viver”, transcrevo o pequeno historial publicado na Wikipédia e que, resumidamente, narra a história dos correios em Portugal. “As origens dos CTT remontam a 1520, ano em que o Rei D. Manuel I criou o primeiro serviço de público de correio de Portugal…..” “Os modernos CTT têm origem na fusão das Direcções-Gerais dos Correios e dos Telégrafos num único departamento, denominado ‘’’DirecçãoGeral dos Correios,Telégrafos e Faróis’’. Em 1911 a instituição passa a ser dotada de autonomia administrativa e financeira, passando a denominar-se ‘’Administração Geral dos Correios, Telégrafos e Telefones’’, adoptando a sigla CTT, que mantém até aos dias de hoje, apesar das posteriores alterações de denominação. Em 1969 os CTT são transformados em empresa pública, com a denominação de ‘’’CTT - Correios e Telecomunicações de Portugal, E. P.’’ Em 1992 os CTT são transformados em sociedade anónima, com a denominação ‘’CTT - Correios de Portugal, S. A.” Ao mesmo tempo a área das telecomunicações é separada, formando uma empresa autónoma.”

as, o que a nós vilarandelenses, mais nos pode interessar, é recordar a “história” do nosso posto dos correios, que teve um papel muito importante na nossa terra. Logo numa primeira fase, pelos serviços do telefone e do telégrafo, ao que apurámos, utilizados por vilarandelenses que, como militares do exército português, foram enviados para França (Fevereiro de 1917), como apoio aos aliados na primeira guerra mundial (1914/18). Mais tarde, com os acontecimentos positivos e negativos que se verificaram no “Império Português” então constituído pelo “continente, ilhas e províncias ultramarinas”, dado que estas últimas foram destino de significativa migração de vilarandelenses, principalmente na primeira metade do séc. XX; também, aquando da malfadada “guerra colonial” (1961/1974), episódio participado por dezenas de jovens vilarandelenses; praticamente na mesma época, acontecia o fenómeno da grande emigração para a Europa e foram muitos, homens e mulheres da nossa aldeia, que partiram em busca de uma vida melhor.

Em todas estas situações era, essencialmente, através dos CTT que “corria” a informação privada, que fazia a ligação das famílias, dos namorados/as e dos amigos/as, não esquecendo as “madrinhas de guerra”, utilizando a “carta, o aerograma militar, o telegrafo e o telefone”. Estes meios de comunicação foram, nos tempos modernos, substituídos por outras formas de comunicação, baseadas nas novas tecnologias e, hoje tudo é fácil e rápido, porventura, rápido e fácil de mais. Do que foi possível apurar, a abertura do “posto de correios “ de Vilarandelo remonta ao ano de 1915, tendo como primeira colaboradora a D. Maria Amélia Lopes, mais conhecida pela D. Marquinhas dos Correios.

D. Maria Amélia Lopes

Iniciou a actividade quando tinha apenas 16 anos, exercendo com muita dedicação as diversas tarefas que a complicada função exigia.

Um telefone com comutação

Um telefone normal

Recordemos que o sistema telefónico era manual e todas as chamadas telefónicas iniciadas ou destinadas a Vilarandelo lhe Edifício onde foi instalado o posto dos correios, supostamente em 1915, mantendo-se neste espaço até ao início da década de setenta do séc. passado.

Continua na página seguinte

PETRO VILARANDELO Combustíveis e Lubrificantes, Lda Estrada Nacional, 213 • 5430-633 Sá Vilarandelo

Tel. 278 749 509 • Fax 278 749 303


4

Recordar é Viver... Continuação da página anterior

no período da tarde e o quadro de pessoal foi transferido para a estação de Valpaços. O povo manifestou-se, a Junta da Freguesia protestou, mas sem êxito. Adivinhava-se que era “o princípio do fim”, como veio a acontecer, em Junho de 2007. Novamente por razões economicistas e com notório desprezo pelo “bem social”, os CTT decidiram encerrar definitivamente o posto e, na circunstância, valeu

Quanto à distribuição, em termos oficiais e inicialmente em regime de “horário incompleto” passavam pelas mãos, manipulando com mestria iniciou-se em 1953, com a nomeação do um quadro, PBX, onde ia “enfiando” as cavilhas nosso conterrâneo Francisco Coroado, que em conformidade com o número de destino desempenhou a função até 1957, data em que da chamada telefónica. Para além do telefone e foi transferido para Carrazedo Montenegro. do telégrafo, tratava da expedição e recepção Foi então substituído por Aníbal Morais que da correspondência, utilizando os percursos foi, sem dúvida, o “carteiro mor” de Vilarandelo, via Mirandela (Tua) e via Chaves (Corgo). porquanto esteve ao serviço permanente desde Procedia à sua distribuição, ao final da tarde, 1957 a 1991. Foram 34 anos através do método chamado “ à posta”, ou seja a de empenhado serviço e tal correspondência era entregue ao balcão. Lia em como D. Marquinhas, é parte voz alta o nome dos destinatários que, estando fundamental na história dos presentes, a recebiam. O que sobrava era CTT em Vilarandelo. distribuído, no dia seguinte, pelos seus sobrinhos Os correios em Vilarandelo, João e/ou Amélia, em jeito de apoio à tia e sem através dos respectivos qualquer ligação profissional aos CTT. carteiros, mantinham a A D. Maria Amélia Lopes, que com muito carinho tarefa da distribuição da apelido de D. Marquinhas dos correios, terá correspondência “à posta” deixado a actividade em 1955, vindo a falecer que, como já referimos, era em Fevereiro de 1963. processada ao balcão do Durante cerca de dois anos, foram vários os posto, com leitura dos nomes colaboradores dos CTT que passaram pelo dos destinatários, que estando posto dos correios, até que em 1957 é colocado presentes a recolhiam. com carácter definitivo, Abel Borges, que se Diariamente, acontecia “um manteve no cargo até 1965. evento” na nossa aldeia pois, Neste ano e face à transferência do Sr. Abel para com a chegada da “carreira” terras de Vinhais, é colocada a liderar o posto de de Mirandela, por volta das Vilarandelo, Natércia Alberto Durão Figueiredo Edifício sede da Casa do Povo de Vilarandelo, onde funciona o posto 19,30/20,00 horas, a envolvente Bernardino. Muitos dos nossos leitores ainda dos CTT, orientado por Patrícia Doutel. do edifício transformava-se recordam D. Natércia. Casada com o professor a Casa do Povo de Vilarandelo, que assumiu num verdadeiro “ponto de encontro” participado Bernardino, foi um casal que durante vários anos, por muitos vilarandelenses, nomeadamente os cada um na sua actividade específica, prestou à prestar à população tão necessário serviço. jovens e, com muita afluência de estudantes comunidade de Vilarandelo, serviços relevantes. Não foi, o abandono total por parte dos CTT quando em tempo de férias. Muita alegria, muita No início da década de setenta, (1970/71) Correios de Portugal S. A., que ainda assumem cavaqueira e muita esperança de receber noticias aconteceu a transferência das instalações do algumas responsabilidades no funcionamento da pessoa amada, dos afilhados de guerra, posto dos CTT do espaço originário, para um dos serviços, mas foi uma machadada forte. dos filhos radicados numa qualquer província edifício próximo do Toural, onde funcionou a Para além das pessoas citadas, outras ultramarina ou país europeu ou mesmo no Brasil tempo inteiro até Março de 1986. Neste ano, colaboradoras dos CTT passaram pelo posto e o jornal diário, recepcionado pela “elite” mais a administração dos CTT decidiu esquecer de Vilarandelo, nomeadamente as conterrâneas culta da freguesia. Neste pormenor do jornal, o serviço social da empresa e preocupar-se Maria de Lurdes Monteiro e Eugénia Abelha e em jeito de desabafo, recordo com saudade apenas com o “lucro”, pelo que o posto passou Martins e uma valpacense, Maria Xavier Silva “O Comércio do Porto”, recepcionado por D. a estar aberto apenas meio tempo, encerrando Margarida Oliveira, entre outras e outros. Amélia Castelo e que a gentil senhora professora fazia questão que eu o lesse, quase diariamente. A correspondência que não era recepcionada “na distribuição à posta” era entregue na “distribuição ao domicílio” no dia seguinte. Nos dias de hoje a correspondência é centralizada na estação de Valpaços, e dali, diversos carteiros fazem a entrega domiciliária pelas freguesias, nomeadamente, pela nossa Vila, sendo, sobejamente, conhecido o Hugo “carteiro”.

Manifestação, justa mas ordeira, contra o corte de meio tempo no horário de funcionamento do posto, em Março de 1986.


5

Freestyle Motocross em Vila Real No passado dia 4 de Agosto, o Clube TT Usprigozus organizaram em Vila Real o 1º Freestyle Motocross. Este Freestyle teve o apoio da Federação Motociclismo Portugal e do Parque Aquático, Natur Water Park

E

ste Freestyle teve presença de pilotos em moto de 2 rodas, moto 4 rodas e Bicicletas. De referir também dois camiões devidamente equipados para o efeito que serviram de receção. O ambiente foi fantástico, com a envolvente de um parque aquático o Natur Water Park na localidade de Póvoa em Vila Real ( com piscinas, parque de campismo com bungalows, quinta p edagógica e espaço para vários desportos radicais). Inserido dentro do espetáculo esteve um grupo de animação com uma “apresentação de fogo” com dois elementos a cuspir fogo. Marcou presença a Federação Motociclismo Portugal( da qual o Clube TT Usprigozus já é associado) representada pelo Sr. Rodrigo Castro, Presidente da Comissão de Motocross da Federação Motociclismo Portugal. De ressalvar que as palavras do representante da FPM foram de elogio ao trabalho realizado pelo Clube TT Usprigozus, neste primeiro evento de Freestyle Motocross Federado a nível Nacional. Estiveram presentes também e receberam um troféu, o Campeão Nacional de Motocross Elite e MX1 Hugo Santos, o ex Campeão Nacional e Europeu de Enduro Paulo Felícia, e também o piloto de enduro do Clube TT Usprigozus Filipe Martins . O Grupo TT Usprigozus agradece a presença de todos os que nos visitaram e continuará a levar por esses montes fora o nome de Vilarandelo.

USPRIGOZUS em Madrid

D

ia 19 de Julho de 2013 um grupo de amigos, sócios e familiares dos Usprigozus, decidiram ir assistir a um espetáculo na Praça de Touros de Las Ventas em Madrid. Uma prova de Freestyle, com os melhores pilotos mundiais, a contar para o campeonato do mundo Red Bull X-Fighters. A viagem teve início por volta das 13:30h, com destino a Madrid num autocarro com 19 passageiros, mantendo-se uma animação constante ao longo das 6h de viagem. À chegada, dirigimo-nos à Monumental Praça de Touros ficando estupefactos com os milhares de pessoas que nos envolviam, cheios de entusiasmo e alegria, característica do povo espanhol, enchendo por completo o recinto com capacidade para 25 mil pessoas. Foi um espetáculo deslumbrante com as mais diversas e arrepiantes acrobacias executadas por destemidos pilotos. Após a conclusão do espetáculo, seguimos para a zona de autógrafos a fim de felicitar o campeão espanhol da modalidade “Dany Torres”. Foi-lhe oferecido um polo oficial do nosso clube, tendo o piloto autografado um outro polo para o nosso espólio. A viagem de regresso, efetuada no dia seguinte, decorreu bem com o natural cansaço, após longos quilómetros percorridos.


6

A

R

A

U

T

O

Centro de Dia e Lar de Idosos

Dia Mundial dos Avós

O

Dia dos Avós é comemorado anualmente no dia 26 de Julho. Neste dia deve-se saudar os avós, demonstrando-lhes todo o carinho, e admiração, merecida com toda a justiça e estima que lhes é devida. É uma data comemorativa em homenagem ao dia de São Joaquim e Santa Ana, padroeiros dos avós. Pelo reconhecimento do papel fundamental dos avós ao nível da família e da sociedade em geral quisemos assinalar esta data promovendo um Encontro ente Avós e netos para as respostas socias do Centro de Dia e Lar de Idosos. Este encontro integrou várias atividades com o objectivo de recriar as relações que se estabeleciam no passado entre estas duas gerações onde reinou a cumplicidade. Pretendemos também sensibilizar os cidadãos sobre algumas formas de responder aos desafios do envelhecimento e promover a vitalidade e dignidade entre cidadãos de várias faixas etárias, ajudando assim à criação de uma cultura de envelhecimento ativo entre os participantes. Sandra Oliveira Técnica Sup. de Desporto


A

R

A

U

T

O

Centro de Dia e Lar de Idosos a Apoio Domiciliário

O

SÃO JOÃO

São João é uma festa popular que têm lugar de 23 para 24 de Junho. Oficialmente trata-se de uma festa Católica em que se celebra o Nascimento de São João Batista. Mas o São João do Porto inicialmente tratava-se de uma festa pagã, em que se festejava a fertilidade associada à alegria das colheitas e da abundância. Mais tarde o Igreja cristianizou esta festa pagã e atribui-lhe o São João como padroeiro. Os símbolos característicos desta festa são: o manjerico, o alho-porro, os martelos e os balões de ar quente. Dia 24 de Junho as instalações do Lar de Idosos foram decoradas a preceito para a festividade e organizadas marchas populares para os utentes do Lar de Idosos, Centro de Dia e Apoio Domiciliário. A Festa não seria completa sem as deliciosas sardinhas e fêveras assadas, bem como o caldo verde. Foi uma tarde repleta de alegria e boa disposição onde utentes de diferentes respostas sociais puderam conviver e tricar experiências. “São João eu bem te digo Tu não és só um amigo És um Santo bem janota E na casa do povo se nota” Sandra Oliveira Técn ica Superior de Desporto

7


8

A

R

A

U

T

O

2º. Encontro de Dirigentes e Técnicos das IPSS do Distrito de Vila Real

N

o dia 22 de Junho passado, realizou-se no salão de Festas da Casa do Povo de Vilarandelo o 2º. Encontro de Dirigentes e Técnicos das IPSS do nosso Distrito. Com a presença de cerca de 100 participantes, representando 32 Instituições do Distrito, pelas 10 horas teve início o Encontro/convívio. O presidente da Casa do Povo na qualidade de anfitrião, deu as boas vindas aos presentes e agradeceu a presença dos convidados, Senhores: Vice Presidente da Câmara Municipal de Valpaços- Dr. Amílcar, Director do Centro Distrital de Segurança Social

das, nomeadamente por instituições dos sectores envolvidos.

O Dr. José Rebelo, Director do Centro Distrital de Segurança Social, despertou-nos para o verdadeiro conceito de missão das IPSS, que se baseia em prestar serviços aos mais carenciados, afirmando que este é o trabalho de fundo da Segurança Social ou seja saber onde estão as necessidades, no sentido de não haver mais elefantes brancos.

de Vila Real- Dr. José Rebelo, Reverendo padre Lino Maia- Presidente da Confederação Nacional das IPSS( CNIS) e Professor Luís Correia- Presidente da União Distrital das IPSS. De seguida usou da palavra o Prof Luís Correia, Presidente da UDIPSS de Vila Real, tecendo alPara encerrar a sessão de abertura do Encontro, o Dr. Amílcar- Vice Presidente da Câmara Municipal de Valpaços, informou o auditório da política social que tem sido levada a cabo pela Autarquia, uma vez que a Câmara tem vindo a apoiar e a incentivar a construção de novos equipamentos sociais no concelho.

gumas considerações sobre as dificuldades/ problemas com que se debatem as IPSS do Distrito e sobre os desafios futuros. A intervenção do Presidente da CNIS Padre Lino Maia, foi uma oportunidade privilegiada para conhecermos o trabalho que tem sido desenvolvido a nível nacional quer pelas autoridades públicas, quer priva-

Depois do intervalo, no qual foi servido o “Coffee Break”, avançou-se com as 3 intervenções propostas, a 1ª-“ Visitas de Acompanhamento”, foi orientada pela Drª. Inês Vilar, que para além de Directora do Núcleo das Respostas Sociais do Centro Distrital de Segurança Social de Vila real, partilhou a sua experiência de actuação como dirigente de uma IPSS. Foi feita uma abordagem das regras de preenchimento do relatório da visita de acompanhamento técnico, conforme o Guião para as visitas de Acompanhamento.

Seguidamente “Sistemas da Gestão de Qualidade”, numa intervenção onde não faltou o humor característico do Gestor de Negócios da GradualBusiness, Drº. Paulo Inácio, que com profissionalismo consciencalizou os presentes de que sem qualidade ( melhorar continuamente os processos) não pode haver rentabilidade das organizações.

Por fim o Drº. Nuno Amaral, Mestre em Serviço Social, abordou o tema” Sustentabilidade nas IPSS”, dissertando sobre as dimensões da Sustentabilidade, concluindo que o caminho é em direcção à mudança. Considerando uma mais-valia a realização destes encontros Distritais, a Direcção da UDIPSS de Vila Real e a Casa do Povo de Vilarandelo, ofereceram a todos os participantes um almoço/ convívio, no restaurante “ O Joca” em Valpaços. Estamos convictos que foi uma organização bem conseguida e Vilarandelo mostrou mais uma vez que sabe receber bem quem nos visita. Normando Alves

PROJECTAMOS E INSTALAMOS Av. Eng.º Adelino Amaro da Costa - R/C • 5430-421 Valpaços Tel. 278 729 830 - Fax 278 729 408 - e-mail:clinox@iol.pt

Cozinha Industriais e Lavandarias Cafés e Restaurantes Ar condicionado e ventilação mecânica Frio comercial e industrial Mobiliário metálico

ASSEGURAMOS UMA EFICAZ ASSISTÊNCIA TÉCNICA NO MÁXIMO EM 24 HORAS


A

R

A

U

T

O

9

Francisco A. Tété PROMOTOR • MEDIADOR Rua Prof.ª Amélia Castelo, 18 - 5430-659 VILARANDELO Telem: 963 154 893 • Email: franciscotete@iol.pt


10

Peddy Paper na Casa “O sucesso de uma empresa não está apenas na qualidade dos serviços e dos produtos, passa, em larga medida, pelas pessoas que lá trabalham.”

No âmbito da Grelha de Objectivos da Qualidade para este ano lectivo, na área dos Recursos Humanos estava definido uma actividade de promoção de espírito de equipa para colaboradores. Com o crescimento físico e do potencial humano da Casa do Povo, torna-se premente o

reforço do elo de ligação entre todos os colaboradores. Actividades para promoção do espírito de equipa têm vido a ser gradualmente efectuadas em empresas de grande dimensão por

Rua da Cerca, n.º 29 • 5430-649 VILARANDELO EMAIL: joaomairosrosaefilho@gmail.com Telemóvel: João Mairos: 968 637 700 • Luis Pessoa: 917 196 013 Alvará de Construção: 67448 Execução de Projectos e Técnicas de Engenharia Civil, Execução de Moradias, Armazéns, Muros de Suporte, Acabamentos, Pinturas, Impermeabilizações e Assentamentos


A

R

A

U

T

O

11

do Povo de Vilarandelo

outras empresas com essa natureza, reforçar o elo profissional entre os funcionários, são as iniciativas do Team Building. Verifica-se, não raras vezes, que pessoas que diariamente trabalham lado a lado, mostram conhecer-se pouco ou com pouca confiança mútua, quando postas perante desafios que requerem a cooperação de todos. O Peddy Paper surge, nesta sequência, com o objectivo de aprofundamento de elos sociais entre os colaboradores participantes, um momento para descomprimir da rotina habitual e quebrar o gelo, num ambiente informal, proporcionando uma nova energia entre todos. Claro que não é uma iniciativa Team Building profissional, mas apenas uma actividade divertida com gente que trabalha para o mesmo objectivo: a satisfação dos utentes!!!

O Peddy Paper realizou-se no dia 13 de Julho de 2013 com 50 participantes. A actividade foi organizada por um pequeno grupo com relativa antecedência pela exigência que requeria. Foi definido um itinerário por Vilarandelo, com partida do Lar de Idosos e com pontos fixos de concretização de provas: físicas, de cultura geral e conhecimento da vila de Vilarandelo, de descoberta de charadas e adivinhas. As sete equipas constituídas aleatoriamente fizeram um percurso que se organizou por alguns dos pontos mais emblemáticos de Vilarandelo: Sr. Dos Aflitos, Toural, Capela de S. Sebastião, Fonte da Aldeia, Igreja, Capela de Stº. António e N. Sr. Dos Milagres. Nesta actividade envolveu-se, também, alguns dos Cafés de Vilarandelo na entrega de

um testemunho: A Desiderata. No regresso da equipa, a “Desiderata” (do latim:” coisas desejadas “) deveria ser lida para todos a caminho do final da prova. O reencontro foi no Lar de Idosos onde houve direito a um lanche convívio, em parte oferecido pela Direcção da Casa do Povo e enriquecido com iguarias de cada participante. Depois da contagem de pontos, de acordo com o desempenho da equipa foram atribuídos o 1º, 2 e 3º lugar, sendo que o mais importante foi a participação e a diversão de todos, que culminou num alegre e louco “Harlem Shake”. Este tipo de actividades requer um esforço colectivo, demonstrando o desempenho e o espírito de equipa de cada um entre uma pitada de diversão. Embora o trabalho individual, em certos momentos, seja importante e única ferramenta de trabalho eficaz, não há nada melhor, em situações

que exijam articulação interserviços/ sectores/ respostas sociais, como o real trabalho de equipa, pois obtém melhores resultados e requer menos orientação superior. Esperemos que tenha sido mais um passo para a promoção da cooperação diária, sabendo, no entanto, que não é a única estratégia possível e capaz para o efeito. Deixamos as fotos, evidências de momentos que esperemos que sejam recordados, que tenham sido divertidos e sobretudo de conscientização que a individualidade de cada colaborador é uma potencialidade que se reflecte na produtividade da equipa de trabalho. Iochabel Ferreira Directora Técnica do CAT e CD


12

B

S s o o n d h ú os a

de o r t Cen mento lhi ário o c A or p m Te

O

nosso sonho de pulseira solidária ganhou pernas e continua a andar e a crescer com a vossa ajuda. É bom sentir que os pequenos sonhos se podem tornar grandes realizações. Agradecemos a todos os que têm contribuído e é reconfortante ver que a lista dos que querem aderir a esta causa continua a aumentar. Para quem quer continuar a seguir este percurso procurem no Facebook da Casa do Povo de Vilarandelo e no nosso site, http://casapovovilarandelo.com Queremos que este Baú vos continue a surpreender. Hoje trazemos mais um sonho que há uns tempos tem feito parte do nosso

Procuramos alguém que apadrinhe o CAT e que possa zelar por nós… também “fora de portas”!!!

pensamento… O apadrinhamento do CAT por alguma figura pública. Como bem sabem as instituições do interior acabam por sobreviver despercebidas, mas as dificuldades são semelhantes a outras amplamente publicitadas. Pretendemos que seja possibilitado a estas crianças outros contactos, outras experiências, outros conhecimentos… outras relações que permitam maior facilidade para despertar as atenções para as necessidades no interior do país!! Se conhecerem e tiverem contacto de um Padrinho ou Madrinha que esteja disposto a

sonhar connosco e a tornar possíveis dias cheios de sorrisos para estas crianças, agradecemos que nos informem através do facebook ou do site da Casa do Povo de Vilarandelo. Sugiram apenas… Continuação de dias repletos de sonhos e realizações para todos!!!

Iochabel Ferreira Diretora Técnica CAT

Futsal renasce em Vilarandelo

C

aros leitores Inicia-se uma nova época e assim renova-se uma secção já existente, cujos elementos merecem todo o nosso reconhecimento, pelo trabalho desenvolvido ao longo de uma série de anos, para eles o nosso obrigado. Movidos pela amizade, carinho, amor por Vilarandelo e paixão pela prática do futebol, esta Direcção decidiu aceitar o repto da anterior. Salientamos que, contamos com o apoio incondicional da Casa do Povo de Vilarandelo. Prespectiva-se uma temporada difícil, em virtude da crise que assola o nosso país, de qualquer forma e ao aceitarmos o desafio, prometemos acima de tudo, dignificar a Secção, o nome da Vila que defendemos e a Casa do Povo, para tal, contamos com o vosso inquestionável apoio, quer nos treinos, quer nos jogos. A Direcção, que prima pela juventude, vai incutir na equipa técnica e nos jogadores, o espírito de grupo, o “fair play” e uma atitude vencedora. Solicitamos a todas as entidades/

instituições e a todos os vilarandelenses o vosso imprescindível apoio. Eis a composição da nova Direcção: Presidente- Bruno Moreno Secretário- Tiago Barreira Tesoureiro- Pedro Guicho 1º.Vogal- Sérgio Mairos 2º.Vogal- Ricardo Rosa

Director- Justino Cancelinha Director/ Treinador- Daniel Teixeira Viva Vilarandelo!... Viva o Futsal em Vilarandelo!... A Direcção da Secção de Futsal.


13

A N I V E R S Á R I O S

Adélia Silvério, 63 anos, nascida a 30-06-1950, natural de Vilarandelo

Fernando Pires, 54 anos, nascido a 15-06-1959, natural de Barreiros.

Maria Reis, 91 anos, nascida a 16-06-1922, natural de Santa Valha.

XXIX.º FESTIVAL DE FOLCLORE DE VILARANDELO 2013

N

o próximo dia 17 de Agosto de 2013 vai ter lugar no palco do Toural, o XXIX.º Festival de Folclore de Vilarandelo. Um evento organizado pelo Rancho Folclórico da Casa do Povo de Vilarandelo. É mais uma oportunidade de vermos folclore nacional de qualidade. Este ano, o tema será “Jogos e brincadeiras de crianças e adultos”. No final serão apresentadas algumas surpresas! Apareçam!!! P’la Direcção Paulo Pascoal


14

Uns Animais e os Outros...

T

inha eu uns quinze anos e uma vontade endiabrada de festas e arraiais. O arraial do Senhor dos Milagres, em Vilarandelo, fazia-se em volta de uma pequena capelinha que existia ao subir da primeira escada do recinto à esquerda. A aparelhagem com quatro altifalantes vomitava música frenética, que não deixava ficar ninguém quieto. Por dois e quinhentos fazíamos dedicatórias de discos às namoradas, à família, aos amigos e até ao periquito. Ao raiar da manhã, a caminho de casa, cambaleava de cansaço e sono. Imaginava-me a aterrar na cama e descansar. Engano meu, estava o meu Pai à porta de casa com cara de mau e disse: - Rapaz, é preciso regar as couves. – Eu arregalei os olhos a custo e pensei: quem as vai pagar é o burro, ele era pequeno mas muito ativo e andava com ele sempre a correr, entendíamo-nos muito bem. Corremos tanto, num trote acelerado, partiu a cilha da albarda e a queda foi inevitável, fui com um braço ao chão em instinto de proteção e defesa e o braço deslocou-se. O burro estacou as quatro patas, não deu mais um passo e olhando para trás parecia gemer, enquanto eu gritava agarrado ao braço. Ele não era assim tão burro!… A Dona Madalena, uma senhora muito senhorinha, gostava de fazer uma visita aos trabalhadores do campo e o meio de transporte era o burro. Ela tinha dois filhos em Angola e levava duas cartas para colocar nos correios. A empregada Ana, que tinha tanta paciência como o burro, pousou as cartas no degrau da escada para ajudar a senhora a sentar-se de cadei-

que ele tem no corpo são as borras que pus aqui esta manhã, do pipo que despejei. Deixa-o cansar e dormir que amanhã está bom para outra… Os lagares para fazer o vinho, são em armazéns ou palheiros, neste caso, tinha o estábulo das vacas ao lado. No intervalo do almoço, o vinho em fermentação fez subir a bagaço para cima das inteiras do lagar. As vacas do lado delas comeram vinte cenrinha, com as duas pernas para me derrube.” tímetros de bagaço. o mesmo lado, como mandam as Em Vilarandelo, nos anos sessen- Conclusão, caía uma levantava-se regras para uma senhora. Entra- ta havia muita juventude. As ade- a outra, foi um espetáculo toda a ram as duas em pânico, porque gas, eram lugar de convívio, as tarde… e ainda não havia vacas o burro tinha comido as cartas. pessoas tinham prazer em ofe- loucas… Bateram no burro, já não foram recer um copo tirado do tonel, A minha tia Rita tinha uma mula, ao campo, e foi escrever outras cada um gostava que o vinho dele que mesmo sem beber, quando cartas. Dizem que não é possível fosse melhor que o do outro, era dizia uummm já lá tinha dois ou ensinar um burro a ler e aquele saudável essa rivalidade, o vinho três! … era o ópio do povo. Foi num “Da mula que faz uíínn e da muaté devorava a escrita!… Eu tive o prazer de comer várias domingo à tarde o convite de lher que bebe gim, livra-te tu e a vezes sopas de cavalo cansado, um distinto lavrador para a sua mim.” quando o animal era submetido adega escura e fresca, como ele Até aos bebés quando faziam a trabalho forçado, davam-lhe explicava. No curral da entrada, birra, punham num pequeno esse aditivo. Num tacho, uma um porco trepava pelas paredes pano um pouco de açúcar, atado canada de vinho, sopas de pão e e caía no chão como morto. A fi- com um baraço, encharcavamalgum açúcar, o cavalo saborea- lha do lavrador barafustava, que -no em aguardente va com prazer, lambia as beiças e o porco tinha o diabo no corpo e chucha levantava a cabeça arreganhando e era preciso fazer alguma meu menios dentes, como que a agradecer coisa. O Pai, com muita no que já o manjar apetitoso. “Antes quero calma dizia-lhe: vais para o asno que me leve, que cavalo O diabo bem bom. O q u e cérebro frágil do bebé, com aquela dose de aguardente, dava-lhe um sono alucinante e profundo e deixava a Mãe livre para outras tarefas. Ou seja, os animais racionais gostam da pinga e aos outros não lhe amarga…

Eduardo Ferreira da Costa


15

CONTAS DA COMISSÃO FABRIQUEIRA DE VILARANDELO RECEITAS REFERENTES AO ANO DE 2012 COLECTAS MISSAS CAMARA MUNICIPAL DE VALPAÇOS FESTA S. SEBASTIÃO +mês Maria SANTO ANTÓNIO+MÊS MARIA RECEITAS SAGRADA FAMÍLIA COFRES IGREJA VISITA PASCAL “ CONTRIBUTO PENITENCIAL “ MISSÕES TAXA BATIZADOS,CASAMENTOS E FUNERAIS COLECTA SEMINÁRIO DONATIVOS E PROMESSAS MISSAS COMUNITÁRIAS COFRE N.ª S.ª FÁTIMA (Outeiro) CONGRUA 2012 COLECTA AVÉ MARIA ZELADORAS S.ª ALTINHO AUTO DA PAIXÃO(Venda livros e DVD) OFÍCIO DAS ALMAS

4.083,19 € 500,00 € 140,06 € 520,00 € 315,00 € 115,00 € 1.695,00 € 301,77 € 172,06 € 1.300,00 € 162,63 € 905,80 € 211,72 € 58,60 € 4.405,00 € 126,39 € 94,29 € 135,00 € 129,00€ 15.370,51 €

TOTAL DA RECEITA

DESPESAS REFERENTES AO ANO DE 2012 LUZ ,ÁGUA IGREJA ,CAPELA STº. ANTÓNIO E ANT. CASA IRMÃS SERRALHARIA MORENO SEAFIM SILVA GERÓNIMO LANTERNAS OFICINA ARTE SACRAS. JOSÉ ( PASTORINHOS) SUPERLOJA ZEMAG

1.351,97 € 410,00 € 244,09 € 460,00 € 500,00 €

350,01 € LIMPEZA COLECTA CONTRIBUTO PENITENCIAL “ MISSÕES “ SEMINÁRIO “ JORNAL AVÉ MARIA PDR. JORGE OUTRAS DESPESAS OFÍCIO DAS ALMAS VISITA PASCAL DESPESAS PDR. JORGE MINI MERCADO STELLA BUSTO PROF. RIBEIRINHA TOTAL DAS DESPESAS

1.195,00 € 320,00 € 200,00 € 200,00 € 130,00 € 4.900,00 € 330,84 € 245,00 € 200,00 € 1.221,10 € 86,15 € 250,00 € 12.594,16 €

RESUMO SALDO 2011 RECEITA 2012

10.567,38 € 15.370,51 €

TOTAL RECEITA 2012 DESPESA 2012 SALDO P/ 2013

25.937,89 € 12.594,16 € 13.347,73 €

“Bem Me Quer, Mal Me Quer” Quem eu quero, não me quer Quem me quer, mandei embora E por isso eu já não sei O que será de mim agora.

Por onde anda quem me quer? Quem não me quer onde andará? O que será de mim agora? Da minha vida o que será?

Fico triste meditando Renovando o meu caminho E sozinha no meu quarto Solidão mora comigo

Não sou capaz de ser feliz Nos braços de um amor qualquer Mas se um fosse o outro Que eu amo tanto e não me quer, Que eu amo tanto e não me quer… Anonima (França)

Superloja Zemag Comércio de Eléctrodomésticos, Lda. Tel./Fax 278 74 97 88 - Rua D. Amélia Castelo, 46 • 5430-659 VILARANDELO visite-nos em www.superlojazemag.com


cmyk

16

A

R

A

U

T

O

Jardim de Infância S. Francisco de Assis

Queima da Fralda 2012/2013 No dia 23 de Junho realizou-se mais uma Festa da Queima da Fralda, este ano o tema da festa foram as 4 estações do ano. Foi uma tarde bastante divertida, com muita alegria e animação. Os nossos amigos especiais os idosos não poderiam faltar, são sempre uma mais-valia para a nossa festa.

Mais um ano que terminou… Mais uma Festa da Queima da Fralda… Na parte, final foram apresentados os nossos 18 finalistas, que irão ingressar em Setembro no 1º Ciclo e que receberam tudo a que tem direito: cartola e bengala, diploma, livro de recordações e um CD onde poderão rever todos os

seus amiguinhos. Aos nossos finalistas que vão começar uma nova etapa, mil caminhos vão se abrir para todos vós. Sigam em frente e cada vez que olharem para trás,

verão que o vosso Jardim de Infância terá sempre as portas abertas para vos receber e assim “matarem” todas as vossas saudades. Todas as colaboradoras deste Jardim de Infância desejam a todos os finalistas tudo de bom e estarão sempre de braços abertos para vos receber. Até sempre e ficarão nos nossos corações. O Jardim de Infância

Arauto agosto 2013  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you