Page 1

TRANSFER

Serigrafia, Transfer/Sublimação, Vidraçaria, Resistências Elétricas, etc. e etc., eis a

&

celebrando 45 Anos de atividade industrial. Sediada em Blumenau, na serra catarinense, a empresa virou uma das imagens do Brasil que se quer Brasil... produzindo progresso com trabalho honrado.

SUBLIMAÇÃO CONSUMIDOR CADA VEZ MAIS EXIGENTE GARANTE O CRESCIMENTO DA

IMPRESSÃO DIGITAL TÊXTIL Serigrafia Sign FutureTextil 25 a 28 de Julho / São Paulo

Do ponto de vista empresarial a MOGK não é somente um chão-de-fábrica, pois, nestes 45 Anos de produção industrial, também gerou cidadania: a Família Mogk não se verga ao vento, faz o caminho que se renova em si mesma e com quem estabelece parcerias! Leia + Nesta Edição


EDITORIAL

Logística Brasileira

126

Título/Marca _ TerraNova Comunic CNPJ 02.206.278/0001-45 / NAE 58822100 // Certificado Digital _ NF@ Correspondência _ Rua Kátia 91, Casa 1 Pq São George / 06708-130 Cotia/SP Brasil

Na perspectiva da mudança da Capital carioca para um deserto no meio do território da nação continental, o Brasil político optou por abrir rodovias e destruir as ferrovias. Começou aí o tormento logístico: o que a ferrovia levava de norte a sul, leste a oeste, os caminhões não fazem com a mesma eficiência, além de entupirem as vias e poluírem. Pior: criou-se nas categorias de caminhoneiros uma força sindical-mafiosa que serve a si própria em políticas obscuras cujo lucro financeiro é dos patrões sem escrúpulos ficando quem trabalha [eles, os caminhoneiros] com o prejuízo social. Com o evento realizado pelos caminhoneiros nos últimos dias de maio de 2018, verificou-se que o Brasil é refém socioeconômico de algumas máfias empresariais que chefiam milhares e milhares de caminhoneiros, e, estes, servem de massa de manobra para políticas obscuras em meio a algumas reivindicações justas. A construção de Brasília abrigou o primeiro grande núcleo de empresários corruptores e a primeira grande opção errada em logística. Hoje, a corrupção mega-empresarial está sob combate judicial e social, mas a logística rodoviária continua a obstruir o progresso que a ´maria-fumaça´ sempre ´apitou´ e é patente nas nações desenvolvidas. _ João Barcellos [escritor, historiador]

Revista Impressão & Cores - ed. 126

a opção pela destruição

3

Edição _ Cristiane Ramos [MTb 39615] & João Barcellos Impressão _ QuatroCor Gráfica e Editora

FEBRATEX

Web _ Georg Hans revista.ic@uol.com.br

ESTAMPARIA 08-09

www.impressaocores.com.br

- Tecido Serigráfico - Floc(agem)

Ecalc

Software

Fones _ 55 11 2690.2021

ESPECIAL 10

João Barcellos [WhatsApp]

- MOGK

11 999665246

SUMÁRIO

2

1 por

- ExpoPrint 2018

TECNOLOGIA 14 MERCADO 04 e 05 - Consumidor e Impressão Digital Textil - Bandeira & Banner

VITRINE EMPRESARIAL 07 - SENAI / Cotia-SP REVISTA

PERSONALIDADE 07 Ano XI - Edição 126 - Junho, 2018 ISSN 2176 / Distribuição Gratuita

- Transfer & Sublimação Digital

PAINEL 13

A

R ATU

INções S S A edi

NOSSA CAPA 12

- Seri´Art / Carl Zigrosser

- Laser & Router / Geração 3D

Uma das principais feiras de tecnologias têxteis das Américas, a Febratex – Feira Brasileira para a Indústria Têxtil, que será realizada entre os dias 21 e 24 de agosto de 2018, no Parque Vila Germânica, em Blumenau (SC), chega a sua 16ª edição reunindo mais de 2.400 marcas, nacionais e internacionais, que geram o desenvolvimento e proporcionam o avanço tecnológico da cadeia produtiva têxtil mundial. [_Persona]


MERCADO

CONSUMIDOR CADA VEZ MAIS EXIGENTE GARANTE O CRESCIMENTO DA

Revista Impressão & Cores - ed. 126

Dia do Expositor

4

A promotora de eventos Informa Exhibitions, organizadora da feira Serigrafia SIGN FutureTEXTIL, promoveu o Dia do Expositor, evento que contou com palestra do arquiteto e urbanista Alexandre Brunato, que prestou uma consultoria com dicas para garantir o sucesso nos projetos de estandes. O profissional destacou que o tamanho do espaço não interfere na excelência, pois o fator principal é proporcionar uma experiência tátil,

IMPRESSÃO DIGITAL TÊXTIL A procura pela impressão digital na indústria têxtil nacional vem crescendo consideravelmente nos últimos anos e esta evolução ocorre por causa de dois importantes fatores: o Brasil ser o sexto maior parque têxtil no mundo – com a produção anual de aproximadamente 5,4 bilhões de peças de vestuário, tornando-se referência mundial em beachwear, jeanswear e homewear e em outros segmentos que também vêm ganhando mercado – e também devido a mudança do perfil do consumidor que busca cada vez mais por peças únicas e exclusivas. Para atender este movimento pujante do mercado da moda personalizada, as fabricantes buscam por equipamentos de impressão digital que vêm ganhando mais espaço e novos mercados de atuação, fazendo com que se tornem mais imprescindíveis no dia a dia das confecções. Prova disso, é que nos últimos anos houve crescimento de 40% no volume de aquisições destas ferramentas. O cenário dinâmico de crescimento e avanço da impressão digital será demonstrado durante a 28ª edição Serigrafia SIGN FutureTEXTIL, maior e mais completa feira de impressão para os mercados de serigrafia, comunicação visual e têxtil, que acontece entre os dias 25 e 28 de julho, no Expo Center Norte, em São Paulo. “Serão exibidas diversas soluções abrangentes nesta área de impressão digital têxtil aos visitantes, podemos garantir que estarão expostos os produtos mais modernos do mercado”, revela Liliane Bortoluci, diretora da feira. Entre os equipamentos a serem demonstrados, vale destacar a linha industrial para impressão direta em tecidos recém-lançada pela Epson – um dos expositores do evento. “Este tipo de impressão direta em tecidos apresenta qualidade superior, além de agilidade na produção, criação de design sem limites, podendo ser aplicada a qualquer tipo de tecido”, afirma Evelin Wanke, Sales Manager da Epson do Brasil. De acordo com a executiva, trata-se de uma solução com e apelo ambiental e que traz mais rentabilidade para as empresas.

visual, auditiva ou gustativa, ou seja, possibilitar uma conexão entre o ser humano e o material. Independente do quanto a empresa esteja disposta a aplicar no estande, ele mostrou a importância que cada detalhe tem na exposição. “O planejamento se inicia pelas pessoas e o objetivo principal é criar um relacionamento com cada visitante, provocar uma experiência marcante para que ele se lembre da marca pós visita. Vale reforçar que o

Indústria 4.0 // Outra tendência muito discutida atualmente no setor têxtil é a implantação da indústria 4.0 para tornar a produção ainda mais eficiente, conectando e integrando pessoas que compõem o sistema produtivo, além de unir o consumidor e o processo com a cadeia de suprimentos. “Essa conexão entre os múltiplos públicos, gera customização em massa, integração de sistemas que reflete em maior agilidade, produtividade, redução de custos e consequentemente o aumento da competitividade global”, comenta Liliane. De acordo com ela, é por causa deste contexto atual, que este será um dos temas a serem explorados durante a Serigrafia SIGN FutureTEXTIL com a presença do SENAI CETIQT. Referência em educação, tecnologia e inovação para a indústria e para o mercado têxtil, está focado em se tornar o facilitador para as empresas se adaptarem a essa nova revolução industrial. Representante do SENAI CETIQ estará presente Fórum Serigrafia SIGN FutureTEXTIL 2018 apresentando ações focadas na Industria 4.0 como o incentivo aos empresários e profissionais do setor a desenvolverem projetos únicos que irão melhorar a qualidade dos produtos nacionais, reduzindo seus preços e garantindo uma concorrência justa com o mercado externo.

investimento não é só para o período da feira e sim para a marca durante o ano todo”, comenta o arquiteto. A diretora da Serigrafia SIGN FutureTEXTIL, Liliane Bortoluci, tratou das informações técnicas sobre a montagem e desmontagem dos estandes, credenciamento antecipado para evitar filas, serviços oferecidos aos expositores, entre outras particularidades técnicas da feira. [Fonte: SD&PRESS]

Serigrafia SIGN FutureTextil 25 a 28 de Julho Expo Center Norte / São Paulo, Brasil


Dois itens preciosos na comunicação visual: a bandeira e o banner. Seja qual for a ocasião, local, nacional, mundial, familiar, etc., o tecido é impresso serigráfica ou digitalmente, cortado nas dimensões adequadas, e pronto, recebe a corda ou a haste... E é assim durante 12 meses, às vezes 24 horas/dia, tantos são os eventos que se realizam com data marcada ou que surgem no ímpeto de uma torcida não organizada. Mais uma vez: eis o tecido como base da comunicação visual e a expressar sentimentos e desejos.

João Barcellos Diretor e Editor | REVISTA IMPRESSÃO & CORES É co-fundador [2008] da Revista Impressão & Cores e foi co-fundador/editor do jornal O Serigráfico [1996-2007], do Science and Education [Dublin], do En Vivo y Arte [Barcelona], da revista Vida & Construção e da revista jCORPUS, entre outros. Membro do Grupo de Debates Noética (Brasil e Argentina) e do Centro de Estudos do Humanismo Crítico (Guimarães-Portugal), ele é o coordenador das coletâneas Palavras Essenciais (12 volumes) e Debates Paralelos (12 volumes), além de alguns saraus lítero-históricos. Entre poesia, romance e pesquisa historiográfica, e muitas conferências, é autor de vários livros de conteúdo técnicopedagógico no âmbito da Cultura de Comunicação Visual.

Revista Impressão & Cores - ed. 126

Bandeira & Banner

Serigrafia Sign FutureTextil, contará com João Barcellos no painel de palestras dia 27 de Julho, às 17h30.

5


SENAI Inaugurado em Cotia na Grande São Paulo

Na tarde de 25 de maio de 2018 a cintura industrial de Cotia, no bairro Granja Vianna, recebeu as instalações de uma unidade SENAI – a Escola SENAI "Ricardo Lerner", sob direção de Alexssandro Augusto Reginato. Esta unidade de ensino profissionalizante era um sonho das famílias cotianas e, muito em especial, do empresariado. Um sonho realizado.

Revista Impressão & Cores - ed. 126

VITRINE EMPRESARIAL

7

PERSONALIDADE

Seri´Art a propósito do serigrafista Velonis Serigrafia, ou Silk Screen, é um dos processos da classe artística e acadêmica dita Gravura, e, mais propriamente, Gravura Planográfica e sem sulcos ou cortes na matriz, sendo esta formada por um quadro onde se estica uma tela a ser emulsionada com produto químico fotossensível. Milênios de arte serigráfica asiática com tela de seda [do grego ´sericos´] levaram a aperfeiçoamentos tecnológicos e o que era somente estampa virou também mensagem escrita [do grego ´graphos´], daí a palavra anglo-saxônica ´serigraph´ proposta em meados do Séc. 20 por Carl Zigrosser [1891-1975], curador de seção de Gravura, no Philadelphia Museum of Art [USA], e que passou a ser utilizada por Anthony Velonis [1911-1997], um serigrafista de excelência artística e autor do livro “Silk Screen Technique” [Edit.,Creative Crafts Press, New York / USA, 1939). A partir da arte deste serigrafista é que, nos Anos 50 e 60, surgiram os conceitos ´pop´ que revolucionaram, por ex., a criação de pôsteres e capas de livros e, inclusive, uma leitura serigráfica do mundo industrial sob a ótica da publicidade, fator que não foi acompanhado no Brasil por falta de uma cultura serigrafista local e pouco conhecimento dos industriais, por isso, uma cultura artística dominada por poucos na América do Sul, enquanto o restante do continente esbaldava criatividade... O processo serigrafista permite trabalhar com quase todos os materiais disponíveis, do tecido ao papel passando pelo vidro e a madeira, etc., sendo que o maquinário adequado às novas tecnologias da ´era digital´ também permite a Serigrafia Rotativa, industrial e acadêmica. Eis que a Serigrafia é uma tecnologia em si mesma e continua a provocar artistas de todos os meios da comunicação visual. BARCELLOS, João – Escritor e Pesquisador de História, autor de vários livros acerca da Comunicação Visual.


ESTAMPARIA

TECIDO SERIGRÁFICO

Revista Impressão & Cores - ed. 126

Como Esticar?

8

A tensão que se recomenda para um Tecido Serigráfico está diretamente relacionada aos parâmetros de ruptura [resistência] do próprio material. “A Resistência ao alongamento de um determinado Tecido é um fator importante que garante um Registro adequado e determina a Distância entre a Tela e o Substrato durante o processo de Impressão” {Sefar]. Ou seja: é preciso saber exatamente o que se faz quando se inicia um processo de tensionamento de Tecido para emulsionamento e gravação. E “...o Tensionamento exige aferição com aparelhagem de precisão, eletrônica ou mecânica, porque até uma imagem serigrafada artesanalmente fica fora dos padrões de qualidade mínima quando o Tecido não é esticado convenientemente”, segundo a Mariana d'Almeida y Piñon. As tensões são medidas em Newtons/Cm, sendo que 1 N = 0.102 Kg, e este é o parâmetro que rege qualquer operação de alongamento de tecidos. Mas, como se identifica um Tecido? Os técnicos da Sefar Inc explicam: “Um Tecido identifica-se pelo Tipo, pelo Número, pelo Diâmetro do Fio e pelo Tratamento. Antigamente, as espessuras eram SL [fio super fino], S [fio fino], M [fio médio], T [fio espesso] e HD [fio super espesso], mas hoje é diferente: o material é escolhido pelo Diâmetro Nominal do Fio. E como é? Vejam-se as analogias: Tecido N° 120 c/ Diâmetro de Fio 31 [antigo S], Tecido N° 120 c/ Diâmetro de Fio 34 [antigo T] e Tecido N° 120 c/ Diâmetro de Fio 40 [antigo HD]”. Nas diversas palestras que ministram mundo afora, esses técnicos suíços, enfatizam que “...os tecidos de Polyester e de Nylon [Poliamida] possuem a mesma resistência à ruptura, entretanto, diferem na resistência ao alongamento – i.e., o Polyester resiste melhor ao alongamento do que o Nylon, e o Polyester de 'alto módulo' é mais resistente ainda do que o 'standard'. Também, os valores citados são mais ou menos iguais, para o mesmo material, relativamente à Área da Seção do Fio [...]. A área circular de um Fio é obtida pela equação p x r2 // 3.14 x Raio ao quadrado ou .785 x Diâmetro ao quadrado. O que é isto? Isto significa que um Fio Redondo A e com o dobro do d i â m e t r o d e u m o u t r o F i o [ B ] s i m i l a r, é aproximadamente 4x mais resistente à ruptura e ao alongamento. Aumentando-se o Diâmetro do Fio, a resistência aumenta proporcionalmente aos seus quadrados. Então, as tensões mais altas aumentam o risco de ruptura durante o manuseio e a impressão; tensões mais baixas podem ser exigidas na Impressão Artesanal, e nas gerais, sobre objetos”. Para a Profª Piñon, uma entusiasta da Serigrafia Artística, “é preciso não esquecer que se deve ter conhecimento prévio do tipo de Tecido que irá ser utilizado na confecção da Matriz, e que o tipo de Matriz, por sua vez, relaciona-se às características da Impressão Serigráfica a executar”. Por parecer um processo simples, tudo isto tem, ainda, um significado tecnológico de suma importância: se para um serigrafista principiante é necessária a presença de um técnico de apoio, para serigrafista de 'muito rodo' a exigência é a mesma – i.e., a consulta a técnicos mais experientes é fundamental!

Pinças Agabê


A “...marcação de espaço pela amplitude da decoração é uma carga emocional”, costuma dizer a poeta e médica Johanne Liffey. Na verdade, a filha do notável intelectual João Barcellos utiliza, na mistura especialmente com objetos de néon, um ingrediente muito comum em festas e carnavais: o floco. Em ambientes fechados, nos quais o brilho das cores capta a atenção imediata e cativa as pessoas, a decoração por flocagem é uma solução tão tecnológica quanto criativa, porque além de “animar o espaço desgarrando-o do tempo” [idem], possibilita um mínimo de conforto ao evitar o eco dos sons (falas e música ambiente). Por isso, especialistas em decoração preferem a flocagem de objetos e partes de papel-parede, principalmente imagens marcantes. Fiz uma aula com uma das minhas turmas com este tema buscando abrir as mentes para materiais que estão ao nosso alcance e o resultado muito bom; aliás, uma das alunas prepara tese tecnológica com o tema. MAyP / Mariana d´Almeida y Piñon _ Profª de Artes Visuais, Paris/Fr., 2018.

Revista Impressão & Cores - ed. 126

FLOCAGEM

9


ESPECIAL

Estamparia Serigráfica, Sublimação, Vidraçaria, Resistências Elétricas & Tecnologia de Ponta... Eis a

MOGK

celebrando 45 anos!

Rev. I&C _ em 45 anos de existência da empresa, a Família Mogk investiu, e investe, no aperfeiçoamento dos seus colaboradores, diretos e indiretos, e é hoje uma das empresas de perfil familiar tidas como referência no Brasil. Como é manter este perfil honrando-o em cada nova máquina produzida em Blumenau? MOGK _ A Mogk sabe à importância de manter seus funcionários capacitados e treinados para alcançar resultados satisfatórios. Acreditamos, que investir em nossos colaboradores é a chave para o sucesso da empresa. Com a incerteza política e econômica que estamos vivenciando o diferencial da empresa está nesta valorização da capacitação dos nossos colaboradores, que em virtude do “aperto no cinto” estão exercendo funções atípicas de suas atribuições, com isso, os nossos profissionais crescem junto com a empresa e mantém uma visão sistêmica das diversas áreas. Com a fabricação de máquinas vêm sempre a necessidade de inovação e aprimoramentos. A Mogk nestes 45 anos junto com seus colaboradores e parceiros busca sempre a melhor técnica para produção e desenvolvimento de suas máquinas e equipamentos para manter seus clientes sempre à frente na era tecnológica. Rev. I&C _ a alta tecnologia da ´era digital´ alterou procedimentos técnicos na estamparia serigráfica, em geral. Como a Mogk vem se adequando aos parâmetros de aplicação que renovam a própria estamparia? MOGK _ A Mogk vê essa evolução tecnológica como sendo fundamental para o crescimento dos negócios, tanto seus como de seus parceiros. O corpo técnico da Mogk tem a tarefa de pesquisar e desenvolver máquinas e equipamento para atender a demanda tecnológica de nossos clientes. A engenharia de uma empresa é o centro de inovações, como tal deve estar sempre preparada e pronta para novas perspectivas de processos e produtos. Rev. I&C _ uma tecnologia nova não elimina a tradicional, sim, amplia o espaço de trabalho. Como a Mogk consolidou a sua liderança no mercado de serigrafia e de sublimação diante de tantas resistências à modernidade que (ainda) se sentem no mercado?

MOGK _ O novo para pessoas tradicionalistas sempre é visto como arriscado para os negócios e este ponto é a diferencia do empreendedor para o empresário. Para alguns é preciso ver como o mercado vai reagir em frente a este novo, como será o impacto na produção, como vai ser minha produção, qual é a minha eficiência. Já para o empreendedor é o motivo para ser o pioneiro. A Mogk está sempre de portas abertas para oferecer as melhores máquinas e equipamento tanto para o empreendedor quanto para o empresário, sempre com objetivo de atender suas expectativas. Rev. I&C _ A amplidão dos produtos fabricados pela Mogk é uma demonstração da vitalidade industrial da empresa. Até que ponto o “custo-brasil” é compatível com o empreendedorismo mogkiano? O que falta ao Brasil político-corporativo que sobeja no Brasil empresarial? MOGK _ A Mogk, luta diariamente como todos os empresários e empreendedores deste país para tentar achar um ponto de equilíbrio nas contas e poder inovar em seu ramo serigráfico. Devemos separar o político-corporativo do empresarial, na nossa visão são entidades diferentes, a gestão de um não é igual à do outro. É utopia pensarmos que o político-corporativo vai se tornar empresarial, porque a visão do político-corporativo é o governar para a nação e o empresarial é administrar de maneira eficiente para gerar lucros.

MOGK - INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE MÁQUINAS LTDA., é uma empresa tradicional e renovadora com fábrica em Blumenau (SC), com o objetivo de atender as necessidades das indústrias têxteis possui várias máquinas e equipamentos, conta com profissionais capacitados, atende todo o mercado brasileiro, convidamos a todos a conhecer nossos produtos e entrar em contato conosco.


CAPA

Transfer & Sublimação Digital

Revista Impressão & Cores - ed. 126

Transfer com Tinta Pigmentada e Tinta Sublimática. A primeira, pigmentada, só é aplicada em tecido 100% algodão; a segunda, a sublimática, aplica-se em tecidos sintéticos (polyester, elastano, etc.), ou mistos, azulejos, chinelos e outros objetos. Para materiais cujas superfícies não foram antes preparadas para receber imagens (ou outro tipo de decoração) e não oferecem ancoragem, aplica-se uma resina de polyester (PU). Existem diferenças entre Sublimação Digital e Estamparia convencional, porque o processo digital dispensa etapas manuais que são símbolos da estamparia artesanal/artística, como, por ex., a matriz serigráfica (quadro, tela, fotolito) e a operação quadricrômica (uma matriz para cada cor...), i.e., a engenharia de comando digitalizado operacionaliza os parâmetros de impressão automaticamente após o seu registro na memória da máquina impressora, seja para uma tiragem de milhares de peças ou para uma peça personalizada.

12

A ESTAMPARIA SERIGRÁFICA A SERVIÇO DA MODA E DA COMUNICAÇÃO VISUAL

O que se entende por Transfer convencional é uma Prensa que recebe um Papel especial com Tinta pigmentada: prensado o Papel com o Objeto a ser decorado, a temperatura e tempo adequados, obtém-se a estampa. Se a Tinta é pigmentada, o Transfer pode ser aplicado em diversos objetos, técnica que gerou o conceito Foto-Produto na geração de produtos promocionais (ou brindes). No caso do Transfer Sublimático utilizam-se impressoras que têm programas de PhotoPrint (ou RIP) que comandam a impressão do arquivo memorizado com a imagem espelhada. Obs.: hoje, até os fotolitos para Estamparia Têxtil-Serigráfica são preparados em plotter (impressora digital)... E, em todos os casos de Transfer, a regulação de três parâmetros são essenciais: Temperatura, Tempo e Pressão.

c/ Rosângela

99567.9015 11-4701.1197

Fones

Rua Severino Leite da Silva 207 Jd São Jorge / 05568-010 São Paulo

RED STAR moda promocional Ltda

[Das observações sobre máquinas e insumos Ampla, J-Teck, Epson, Fremplast, Mogk, Embaplan, Roland DG, Gênesis, tanto em feiras setoriais como nas próprias empresas]


PAINEL

ExpoPrint / ConverExpo São Paulo / Brasil, 2018 Um momento que marca a transformação da indústria de impressão da América Latina.

cinco dias de feira, que acompanharam mais de 750 marcas dentro dos mais de 300 estandes. A visitação internacional foi um destaque: 4.684 profissionais vindos de toda a América Latina e outras partes do mundo, consolidando a feira como o acontecimento mais importante do mercado de impressão da América Latina. A geração de negócios superou todas as expectativas, ultrapassando a marca de R$900 milhões em negócios gerados durante a realização da feira, número que certamente será superado com a inclusão de negócios que serão fechados nos próximos dias e meses. Em sua quarta edição, os resultados consolidam a ExpoPrint como o lugar em que os negócios acontecem. Expositores e visitantes relataram que a feira foi o grande impulsionador da retomada da indústria, que voltou a investir e se animar com o futuro que vem pela frente, levado principalmente por tecnologias de primeiro mundo apresentadas ao vivo nos estandes. Organizadores ressaltam sucesso além das expectativas... Ismael Guarnelli, diretor da APS Marketing de Eventos, organizadora da feira, destaca o que levou ao êxito do evento: “O sucesso da ExpoPrint / ConverExpo é o resultado de um trabalho intenso e contínuo durante os quatro últimos anos. Um projeto ambicioso que superou os mais variados desafios e cenários políticos e econômicos. Expositores e visitantes reforçaram de forma unânime: a ExpoPrint ficará marcada na história da indústria de impressão brasileira como o grande momento da retomada dos investimentos”. Para Eduardo Sousa, presidente da Afeigraf (Associação dos Agentes de Fornecedores de Equipamentos e Insumos para a Indústria Gráfica), realizadora da ExpoPrint, é unânime nos corredores que a feira superou todas as expectativas. “Além da esperança de retomada econômica, há muita gente qualificada e disposta e investir em tecnologia. E é preciso destacar a qualidade dos expositores. Foi uma feira completa, com todas as tecnologias: offset, flexo, digital, inkjet grande formato. Isso atraiu muito o público porque a ExpoPrint atende a todas as necessidades, públicos e segmentos da nossa indústria”. Apoio Editorial: Press Communications / Tiago Kesse

www.ampladigital.com.br

Revista Impressão & Cores - ed. 126

As feiras mostraram a mais alta tecnologia para um público qualificado, batendo recordes e alcançando 50.216 visitantes em

13


Laser & Router

TECNOLOGIA

Comunicação Visual na Geração 3D

Um dos segmentos da comunicação visual que mais se expandiu, em arte e tecnologia, é o dos equipamentos para corte eletrônico. A aplicação da tecnologia laser, sigla inglesa de ´light amplification by simulated emission of radiation´ [q.s. ´luz amplificada por emissão estimulada de radiação´] e da mecatrônica, plataforma para diversos processos de engenharia em circuitos lógicos para sistemas de mecânica e automação, em máquinas de corte de material na confecção de peças e/ou seu acabamento, alterou o mercado de trabalho e vem alterando o mundo acadêmico da engenharia. Na verdade, trata-se da robotização, porque é a aplicação da inteligência artificial na substituição da mão-deobra humana, ou, o que agora se denomina indústria 4.0 para dizer da plataforma única abrigando diversos Revista Impressão & Cores - ed. 126

sistemas sob comando eletroeletrônico com a excelência da precisão da nanotecnologia. Laser & Router _ Os processo são parecidos, é verdade, mas o corte a laser utiliza um poderoso feixe de luz [um raio que queima, logo, não pode ser utilizado com todo o material], enquanto a router funciona como fresa [uma broca] que vai cortando e modelando. Comunicação Visual Em Nova Era _ O desenvolvimento deste tipo de equipamentos já permite o corte de peças promocionais com grande formato tri-dimensional em gabinetes com desenho adequado, ou seja, o que durante muitos anos foi uma revolução 2D é agora a Era 3D com a amplidão de possibilidades que a nanotecnologia possibilita. O que significa que os mundos tradicionais dos têxteis, dos gráficos, etc., já não são mais os mesmos...

14

HOT ENERGY Colabore com a Civilização, instale e utilize energia renovável!

Saiba o que é e como é: Caucaia do Alto / Cotia Fone 11-4242.0316

O historiador, escritor e editor JOÃO BARCELLOS faz palestras sobre tecnologias de impressão convencional e digital.

jb.escritor @uol.com.br


POLO 40

Loteamento Industrial e Comercial Lotes a partir de 1.000 m2 - Localização privilegiada e de fácil acesso (1 Km de frente para a Rodovia Raposo Tavares) - Próximo às principais estradas da região (Rodovia Castelo Branco e Rodoanel) - Administração única e inovadora (portaria para 7 veículos simultâneos) - Lotes terraplenados ao nível da rua - Ruas com leito de até 20 metros de largura - Infraestrutura completa (água, luz, segurança, coleta seletiva de resíduos, fibra ótica, etc.) - Convênio com pista de pouso no Aeródromo SDNI (a poucos minutos do local) - O complexo possui 80.000 m2 de área verde com 9.000 árvores replantadas - Benefícios fiscais já aprovados pelo município

A incorporadora Miranda & Mendelsohn atua há 25 anos no mercado imobiliário, no Brasil e em Portugal.

Rodovia Raposo Tavares, Km 40 Vargem Grande Paulista – SP Fone 11-3500.4041 vendas@polo40.com.br www.polo40.com.br


Revista Impressão & Cores | Edição 126  

Edição 126 - Ano XI - Junho de 2018

Revista Impressão & Cores | Edição 126  

Edição 126 - Ano XI - Junho de 2018

Advertisement