Page 1

MARÇO 2009 Ano XXV - Nº 68 0,50 Gaivotas

GAIVOTA

JORNAL DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SÁ COUTO - ESPINHO

O Teatro Profissional veio à Escola

Editorial Nesta primeira edição deste ano lectivo do “Gaivota” gostaria de convidar toda a Comunidade Educativa para uma reflexão sobre alguns temas que dizem respeito a todos nós. Começarei por abordar o novo modelo de Autonomia, Administração e Gestão dos estabelecimentos públicos do ensino não superior. A gestão democrática que vigorou nas escolas desde 1976 está perto do seu fim, para dar lugar a um novo regime. Após a aprovação do Regulamento Interno, pelo Conselho Geral Transitório, terá lugar a eleição do Conselho Geral. Neste órgão nenhum dos corpos ou grupos nele representados tem por si só a maioria dos lugares estando assim garantidas as condições de participação efectiva de todos os interessados. Para além de outras competências importa realçar que cabe a este órgão designar o Director e também o destituir. Ao Director será confiada a gestão administrativa, financeira e

No passado dia 23 de Outubro de 2008, a Companhia Profissional Pé de Vento do Teatro da Vilarinha, do Porto, esteve na Escola Sá Couto, por convite da BME, em parceria com a nossa Biblioteca, para apresentar a peça “História do Sábio fechado na sua Biblioteca”.

pedagógica. concretizada através da sua própria acção e da equipa que vier a designar. Para além de ser o rosto, o primeiro responsável com efectivo poder para desenvolver o Projecto Educativo e intervir nas políticas educativas locais, competir-lhe-á nomear todos os titulares de órgãos de coordenação. Passando para outro tema referirei que a EB2,3 Sá Couto, escola

Comemorar um centenário Padroeira da Música 100 anos da Linha do Vouga

sede do Agrupamento, irá sofrer significativas alterações com a realização de obras de fundo, à semelhança do que está a ser feito em outras Escolas do Concelho de Espinho. No seu espaço será

Comemoração do Dia de Santa Cecília

criado um novo estabelecimento, com capacidade para 1500 alunos, que servirá pré-escolar, 1º, 2º e 3º ciclos e futuramente, com o alargamento da escolaridade obrigatória ao 12º ano, o secundário. As obras projectadas contemplarão a criação de novos espaços de aprendizagem, bem equipados tecnologicamente, espaços para actividades de enriquecimento curricular e melhores condições de trabalho para todos os que frequentem esta unidade de ensino. Será um novo espaço, aberto a novos projectos educativos, com uma nova filosofia de estar e ser, com vista ao sucesso educativo. Finalmente não queria deixar fugir esta oportunidade para agrade-

biblioteca

pág.3 a 4

Feira do Livro O Plano Nacional de Leitura Conversa com escritora

Projectos

pág.6 a 7

3 Rs em acção Rolhas por Quercus!

Projecto “CANTINA”

cer aos docentes deste Agrupamento o profissionalismo demonstrado num momento especialmente difícil de reestruturação de carreira e da avaliação de desempenho. Num ambiente tranquilo e dialogante foi possível manter o normal funcionamento escolar, o rigor pedagógico e o bem-estar dos nossos alunos e crianças. Sem a vossa colaboração isso não teria sido possível. Parabéns a todos pelo facto.

Gaivotinhas

pág.9 a14

O espaço dos mais pequeninos sempre com novidades!...

Notícias

pág.15 a 20

Visitas de estudo Exposições

A Presidente do Conselho Executivo

Noémia dos Santos Guedes Brògueira


2 www.sacouto.net

A Gaivota Fevereiro 2009


A Gaivota Junho 2008

A Feira do Livro A Feira do Livro viveu este ano na BE/CRE, na 2ª semana de Dezembro, a sua VII edição. Este evento anual, que ocorre no final do 1º período, tem vindo a crescer em interesse, pois, envolve toda a comunidade educativa. A escolha criteriosa dos livros, que é feita pelas coordenadoras e apresentada

na feira, resulta de um trabalho junto dos participantes para se saber quais as preferências dos vários escalões etários, da ligação aos livros propostos pelo Plano Nacional de Leitura e também das várias novidades que as editoras lançam no mercado nesta altura do ano. Paralelamente, no decorrer da feira, são programadas horas do conto para alunos das várias Escolas Básicas do Primeiro Ciclo e Jardins-de-Infância do Agrupamento. Este é um momento alto de partilha de emoções e alegria por parte dos participantes tendo sempre por base as histórias lidas. A vinda de muitos pais, avós e outros familiares que nos visitam com os filhos, dá-nos um prazer imenso por podermos conhecê-los, mas sobretudo podermos conversar sobre livros, autores e preferência de temas. Nesta altura é gratificante ver pais e filhos fazerem reservas em segredo para o livro servir de prenda de Natal no qual apõem dedicatórias, pedindo muitas vezes a nossa colaboração. Anualmente, a Noite Cultural a que este ano chamamos “Serão Literário” teve como convidados os pais de alunos de duas turmas, 5ºJ e 5ºM, que assistiram à leitura de dois contos de Natal lidos por Cândida Ribeiro e Lígia Patacho, poemas ditos por alunos e pais, e canções de Natal a cargo das professoras de Educação Musical, Clementina Silva e Regina Coelho que nos fizeram viver momentos de magia e partilha. O envolvimento de toda a equipa da BE/CRE foi total, por isso, a todos o meu sincero obrigada como coordenadora deste projecto da BE/CRE.

Biblioteca 3 pequeninos. E foi bom pois também havia obras para adultos e assim puderam trazer os pais a visitar a Biblioteca da Escola. Parabéns à escola, deve continuar!

Horário

Professores

3ª feira das 11,45 às 12,30

Profa. Cândida Ribeiro

4ª feira das 15,10 às 15,55

Profa. Cândida Ribeiro

5ª feira das 14,15 às 15,00

Profa. Margarida Lima

3ª feira das 13,30 às 15,00

Profa. Margarida Lima

3ª feira das 14,15 às 15,55

Profa. Clementina Silva

4ª feira das 9,00 às 13,15

Profa. Clementina Silva

5ª feira das 10.50 às 11.35

Profa. Lígia Patacho

6ª feira das 10,50 às 12,30

Profa. Lígia Patacho

Jornalismo

4ª feira das 14,15 às 15,00

Profa. Cândida Ribeiro e Profa. Lígia Patacho

Ilustração

4ª feira das 11,45 às 13,15

Profa. Isabel Pelaez

Hora do Conto

Bárbara Martins Mourão Guedes Moreira 6º E (aluna da Hora do Conto da profa. Margarida Lima)

A Escritora na BE/CRE No dia 14 de Janeiro do corrente ano e em parceria com a Biblioteca Municipal de Espinho, esteve na nossa Biblioteca/CRE a escritora Luísa Coelho, onde fez a apresentação do seu livro, “Marcela e o Segredo das Ilhas Perdidas” editado pela Contra Margem. Foram convidadas duas turmas para esta actividade, o 6º G, coordenada pela professora Manuela Sá e o 5º B, coordenado pela professora Cândida Ribeiro. Os alunos do 6º ano fizeram várias perguntas sobre o livro e a vida da autora, sendo que este último aspecto despertou enorme curiosidade nos alunos mais novos. A escritora, que vive e dá aulas em Luanda, referiu a vivência dos

alunos dessas terras de África, estabelecendo a comparação com a dos alunos ali presentes. Houve momentos de verdadeira emoção nas respostas obtidas. A simpatia da escritora foi unanimemente referida por todos os presentes . Nesta actividade participaram ainda 3 alunos dos CEFs da turma GK, Ricardo Joel, André Lima e Rui, que mostraram um exemplar comportamento e fizeram intervenções oportunas que levou a escritora e a coordenadora da BE/CRE a elogiá-los, incentivando-os a ler mais. Tivemos nesse dia o privilégio de ter entre nós a Dra. Isabel Sousa da Biblioteca Municipal de Espinho que é desde há muito uma grande amiga da nossa BE/CRE. Pela sua presença e participação o nosso reconhecimento. A Coordenadora Cândida Ribeiro

Cândida Maria Sá Ribeiro

Oferta de Actividades Comentário à Feira do Livro Eu gostei, e acho que deve ser uma coisa que as bibliotecas devem fazer, porque os alunos entretêm-se com alguns livros e passam a gostar da leitura. Havia para todos os gostos desde leitura de contos, poesia e também outros para oferecer a irmãos mais

Actividade

A BE/CRE tem ao dispor dos alunos várias actividades que vem oferecendo desde Setembro. Recordamos aqui as actividades e horários para que os pais/encarregados de educação possam tomar conhecimento e, ao mesmo tempo, aproveitem para incentivar os sues educandos a frequentá-las.

Pesquisa/apoio à escrita

Comemorar um centenário 100 anos da Linha do Vouga A Biblioteca da nossa escola quis associar-se à comemoração do Centenário da Linha do Vouga que, no passado 23 de Novembro de 2008, completou 100 anos. Os Espinhenses e outros sempre apelidaram, carinhosamente este comboio de “O Vouguinha” pelas características sui generis deste transporte, mas que sempre animou a “baixa” de Espinho. Assim, a coordenação da BE/CRE promoveu, para a comunidade escolar, um colóquio com o Professor Francisco Brandão, na sua qualidade de Historiador Local, tendo convidado alunos de duas turmas, 5º H e 6º N, e respectivos pais/encarregados de educação para, em conjunto, conhecermos um pouco mais da História de Espinho. A iniciar o colóquio foi passado um trabalho, em power point, sobre a história do traçado da linha e das localidades que serviu e ainda serve parcialmente. Paralelamente foi organizada uma exposição fotográfica, com fotografias cedidas pelo fotógrafo Carlos Salvador, documentos vários, pesquisados para o evento, e livros sobre o tema dos comboios, disponibilizados pela Biblioteca Municipal de Espinho. Também se contou com a colaboração de um professor da escola que cedeu comboios miniatura, tendo sido montada uma maqueta para a sua movimentação, o que muito agradou a alunos e adultos. Considerámos que esta comemoração permitiu à comunidade escolar não se esquecer da sua história e também lembrar a importância que a Linha do Vouga teve no desenvolvimento de Espinho e no intercâmbio de pessoas e mercadorias entre o litoral e o interior. Lígia Patacho

Plano Nacional de Leitura A BE/CRE tem como função fundamental o desenvolvimento do gosto pela leitura e a procura espontânea e voluntária dos alunos, levando-os a fazer as sua escolhas no que se refere à leitura e aos livros, com a finalidade de elevar os níveis de literacia e de criar leitores para a vida. Para a Biblioteca foram adquiridos vários títulos de livros, propostos pelos respectivos professores de cada ciclo e Jardim-de-Infância e com o apoio monetário do PNL. O número de livros por título permite em sala de aula a utilização de um livro por cada dois alunos. Os professores do primeiro e segundo ciclos e educadores têm à sua disposição esses exemplares, que poderão ser requisitados e feitos “dançar” entre os vários alunos da escola, nas suas aulas. Os momentos altos do PNL na BE/CRE são aqueles em que recebemos a alegria contagiante dos pequeninos leitores dos Jardins-de-Infância e Primeiro Ciclo que têm


A Gaivota Fevereiro 2009

4 Biblioteca

demonstrado um enorme interesse e sobretudo criam comigo laços empáticos sobre leitura que chegam a ser comoventes. A minha ida às salinhas destes alunos, a convite das professoras e educadoras, fazem-me viver grandes momentos mágicos e oníricos. Esta partilha de espaços e experiências com os colegas dos vários ciclos tem sido muito gratificante e enriquecedora no que à leitura diz respeito. Na BE/CRE temos recebido vários trabalhos relacionados com as leituras que estes meninos, apesar de pequeninos, fazem tão bem e com tanto carinho. Alguns dos trabalhos podem ser vistos na BE pois, fazemos questão de os divulgar a todos os que nos visitam. Também os alunos do segundo ciclo têm desenvolvido as leituras do PNL, em contexto de sala de aula, através da utilização dos livros disponibilizados pela BE, e feito leitura autónoma no espaço da Biblioteca ou domiciliária por indicação dos professores ou disponibilidade própria. Há na BE um dossier próprio de registo de livros, actividades e turmas participantes através de textos e fotografias que podem ser igualmente consultadas. Cândida Maria Sá Ribeiro

Houve festa na escola No dia 11 de Novembro na escola E.B.2/3 Sá Couto, toda a comunidade escolar festejou o S. Martinho. Neste dia pararam as actividades lectivas sendo substituída por várias actividades lúdicas, tais como slide, jogos de tabuleiros (sobre a temática do S. Martinho construídos pelos alunos do 7º ano), horas de conto, concurso de quadras de S. Martinho, jogos tradicionais, jogos de computador e um magusto, sendo as castanhas distribuídas pelos respectivos directores de turma. As preferências dos alunos do Clube do Jornalismo foram diferentes, uns escolheram a hora do conto, outros o slide e ainda os jogos de tabuleiros. Os alunos na generalidade divertiram-se muito e acharam que foi um dia agradável e diferente. Na BE/CRE decorreu a actividade de hora do conto, tendo passado por lá vários turmas , tanto do 2º como do 3º ciclos. A história escolhida foi “Era uma vez o mar”, sob a forma de poesia, e foi lida pela professora Cândida Ribeiro. Noutras duas salas dos pavilhões,

estiveram a professora Lígia Patacho e a psicóloga Carolina Freire que desenvolveram também horas de conto. Grupo de Jovens Repórteres,BE/CRE

Padroeira da Música – Santa Cecília Nos dias 20 e 21 de Novembro de 2008, realizou-se na Biblioteca da Escola EB 2,3 Sá Couto a actividade “Comemoração do Dia da Padroeira da

pais e encarregados de educação. Alunos, pais e professores demonstraram muito interesse pela actividade, com destaque para os pais que acompanharam os seus filhos numa actividade escolar. Cumprindo os objectivos do Plano Anual de Actividades da Biblioteca, aliou-se, assim, a arte da Música à promoção do gosto pela leitura, enriquecendo-se a formação dos nossos alunos. Clementina Silva e Lígia Patacho

O Teatro Profissional veio à Escola

Música – Santa Cecília” (22 de Novembro, dia oficial). Esta actividade teve como objectivo compreender a música como construção social e como cultura em diferentes períodos históricos e contextos diversificados, conhecer a vida da Padroeira da Música Santa Cecília, preparar, dirigir e apresentar pequenos trabalhos de pesquisa e canções noutros espaços, sensibilizar nos alunos o gosto por diferentes estilos musicais; adquirir hábitos de leitura musical; desenvolver o espírito crítico, autónomo e responsável e vivenciar a música de uma forma lúdica. Nas aulas de Educação Musical, os alunos do 6ºI pesquisaram em vários suportes, livros e Internet, aspectos relacionados com o tema, tendo elaborado diversos trabalhos escritos, que foram expostos na BE/CRE, e outros em Power Point. Do conjunto destes últimos trabalhos, foi elaborado um único com a ajuda da professora Clementina Silva e da auxiliar de acção educativa Mafalda Silva. Foram preparadas para esta mesma

actividade duas canções “No país do sol, lá, si” e “As notas amigas”, a “ Suite nº 2 – Rondo” com movimento corporal nas aulas de Educação Musical e também a leitura da história “O país da Música” pela professora Cândida Ribeiro apoiada pelas imagens digitalizadas e trabalhadas em Power Point. Foram convidados a assistir à actividade as turmas do 5º C, 5º I e 4ºs anos da Escola Básica de Anta 1 das professoras Patrícia e Augusta e respectivos

No passado dia 23 de Outubro de 2008, a Companhia Profissional “Pé de Vento” do Teatro da Vilarinha, do Porto, esteve na Escola Sá Couto, por convite da BME, em parceria com a nossa Biblioteca, para apresentar a peça “História do Sábio fechado na sua Biblioteca”. Esta actividade, fazendo

parte do Plano Anual do projecto da BE/CRE, comemorou o Dia Internacional da Biblioteca Escolar. O público era constituído pelos alunos das turmas 5ºA, 5ºB e 7ºC. Esta última tem no seu currículo a opção de teatro, e os seus pais/familiares foram convidados para assistirem à representação. O convite foi também extensivo a professores e funcionários que, de acordo com os seus horários de trabalho, quisessem participar. O palco foi montado no polivalente e todo o arranjo técnico esteve a cargo dos elementos da Companhia, sob a orientação do seu director. À hora marcada, público e actores entraram “em cena“, literalmente estes últimos, dado

que a representação da história deles dependia. O tempo ia passando e o público, de forma silenciosa e atenta, seguia as deixas dos actores, os momentos de silêncio e as mudanças das luzes e dos sons, revelando forte concentração, em particular os alunos que mostraram saber estar num “Teatro”, mesmo improvisado, como era o nosso. No final, actores, director da companhia e público trocaram opiniões sobre a arte de representar e constataram algumas das dificuldades que o teatro profissional presentemente vem sentido no nosso país. Foi muito agradável e educativa esta actividade, tendo proporcionado aos alunos um contacto directo com a arte da representação, facilitando-lhes futuras aprendizagens e aos pais mais uma oportunidade de acompanharem os seus filhos na vida escolar. O nosso agradecimento à Biblioteca Municipal de Espinho por ter trazido até nós o teatro vivo, e aos actores pela cuidada e belíssima representação que proporcionaram a todos quantos a ela assistiram.


A Gaivota Fevereiro 2009

Bi??????? 5

Exposição de Rosas-dos-Ventos Na escola E.B. 2,3 Sá Couto decorreu uma exposição de Rosas-dos-Ventos, no polivalente, na primeira semana de Fevereiro. Estiveram presentes mais de seis dezenas de trabalhos realizados pelas turmas A, B e C do 7º ano, no âmbito das disciplinas de Geografia e de Educação Visual. Foi dada liberdade aos alunos, no que respeita aos materiais utilizados na concepção das rosas-dos-ventos, apelandose, deste modo, à criatividade dos mesmos. Assim, surgiram rosas-dos-ventos em cuja construção foi utilizado barro, pasta de papel arroz, massa e papel de diversos tipos.Foi uma amostra original deste meio de orientação que há séculos é utilizado em cartas ou mapas. Estes trabalhos enquadraram-se na dis-

um trabalho subordinado ao tema “Concurso: Rosa-dos-Ventos”, constante dos conteúdos programáticos do sétimo ano. Foi dada liberdade aos alunos, no que respeita à apresentação final do trabalho, bem como o material utilizado, que foi desde: madeira, massa, arroz, feijão, milho, sal, tela, rolhas, vidro, papel de diversos tipos, etc. Estes trabalhos foram divulgados à Comunidade Escolar através de uma exposição nos claustros da Escola, e que decorreu entre o dia sete e o dia treze de Fevereiro de dois mil e oito. Os professores, Adelino Parada de Teatro e Irene Fortuna de Educação Visual procederam à selecção dos trabalhos para a atribuição de prémios simbólicos, tendo sido escolhidos os trabalhos dos alunos

Nesse mesmo dia, acordou para beber um copo de água e reparou que os anões não estavam a dormir. Estavam todos na garagem. Foi lá, muito devagarinho, espreitar, para ver o que estavam a fazer. Não se conseguia ver nada. Estava muito escuro! Só se via que eles estavam com enfeites na mão e com embrulhos de várias cores e feitios. O Pai Natal voltou para a cama. Então, um dos anões chamou-o para ir à sala, mas com os olhos vendados. Mal tirou o lenço, o Pai Natal reparou que era uma festa, porque havia enfeites por toda a casa. Havia doces e bolos na mesa, uma Árvore de Natal e prendas de várias cores. E o Pai Natal disse: - Afinal era isto que vocês andavam a preparar na garagem?! Obrigado, amigos, por se lembrarem que o Pai Natal também merece uma prenditas. - De nada. Tu mereces! Agora abre os presentes – disseram os anões. O Pai Natal abriu e a primeira prenda era uma fotografia de todos os seus amigos, a segunda era um casaco vermelho e a terceira era um bolo. Foi o Natal mais feliz, pois foi a primeira vez que lhe ofereceram prendas. E ele nunca se vai esquecer desse dia. Do dia em que o Pai Natal também teve Natal!

Autores????? Mariana Correia – nº 16 – 5Ano, Turma B

ciplina de Geografia, na temática da Localização Relativa. A Escola Secundária de Vouzela tem patente, no piso superior do Pavilhão A, até ao dia 20 de Fevereiro, uma «Exposição / Concurso Rosa-dosVentos». Estão presentes 40 trabalhos elaborados pelos alunos das turmas A, B e C do 7.º ano, no âmbito das disciplinas de Geografia e de Educação Visual. Trata-se de uma mostra original da figura que indica a orientação das direcções cardeais num mapa ou numa carta náutica, sendo utilizada em todos os sistemas de navegação, quer antigos, quer actuais. Os alunos do 7º ano da turma D encontraram um verdadeiro rumo: A CRIATIVIDADE! No âmbito da disciplina de Geografia, relacionada com a temática da Localização Relativa os alunos elaboraram Rosas-dos-Ventos. A turma aderiu com muito entusiasmo e empenho e os trabalhos estão em exposição na Biblioteca Escolar. No âmbito da disciplina de Geografia, os alunos do sétimo ano, desenvolveram

Contos de Natal

A viagem do avô

Como já vem sendo costume, o Departamento de Línguas deu continuidade, neste ano lectivo, à actividade “Contos de Natal”, no âmbito do Plano Nacional de Leitura. Os alunos escreveram um conto na aula de Língua Portuguesa e foi seleccionado o melhor de cada turma. Esperando que todos se sintam motivados a fazer mais e melhor no próximo ano lectivo, aqui se publicam os três contos premiados.

Os olhos brilhavam mais do que nunca… e o João, a Maria e o Pedro estavam ansiosos por ouvir a sua história… - Bom, há muito tempo, quando eu era da vossa idade, o Natal era, para mim, algo que me fazia feliz, mesmo que estivesse sozinho, aborrecido, doente, que estivesse um dia chuvoso. Sempre que me lembrava que era Natal, ficava feliz… E, num dia 25 de Dezembro, aconteceu uma coisa fantástica!!! Eu vi, no meio das estrelas, o trenó, as renas, as prendas e o próprio Pai Natal! Como não estava a acreditar, montei um plano para o poder ver… então, fiz a cama no sofá da sala, limpei a lareira, trouxe a árvore de Natal do quarto, ajeitei as meias penduradas e deitei-me a fingir que estava a dormir… Ah!Ah!Ah! Bons velhos tempos… Continuando, haviam de ter visto a cara do Pai Natal, quando viu que eu estava acordado! Ele, muito envergonhado, perguntou-me porque é que eu não estava a dormir e eu, que remédio, expliquei tudo e ele, rindo, convidou-me a dar uma volta de trenó e também a conhecer as suas lindas renas… Quando chegámos lá fora, depois de eu me ter ido agasalhar, olhei fascinado para tudo, mas especialmente para Rodolfo. A rena mais engraçada, que sorria e não parava

O Natal do Pai Natal Num dia lindo de sol, os anões preparavam o carro de madeira para pôr as prendas. O Pai Natal fazia brinquedos, bonecos, barbies. Comboinhos e pintava bolas… E as crianças brincavam lá fora, fazendo bonecos de neve e enfeitando a Árvore de Natal. Já era meia-noite e o Pai Natal estava pronto para entregar as prendas às crianças, com muito cuidado para não as acordar, e ia pondo as prendas ao pé das Árvores de Natal e alguns doces dentro de uma meia ou dentro dos sapatos. Foi para casa com os seus amigos anões, pois já tinha entregue as prendas todas e foi dormir, muito cansado.

quieta… Quando subimos para o trenó, o Pai Natal deu-me um chocolate e, “toca a andar” foi a expressão que ele usou para o Rodolfo e as outras renas. Que maravilha era tudo, visto lá de cima! Era uma beleza que não consigo descrever em palavras… As casas como grãozinhos iluminados, as pessoas como formigas, os carros como pequenos brinquedos novinhos em folha!... E, ai! Quem me dera que aquela viagem nunca tivesse terminado, mas tinha que ser, eu tinha que voltar, senão a minha mãe, ó meu Deus, se ela descobrisse que eu não estava em casa tinha um ataque cardíaco!!! Mas não, correu tudo bem, e eu cheguei a casa a tempo de dormir… Despedi-me do Rodolfo e do Pai Natal, fui dormir e que cansaço, quando cheguei à minha “cama-sofá”. Adormeci logo. E esta foi a história do meu melhor Natal. Inês Miguel Armelim – nº 8 – 6ºAno,Turma N

Uma Prenda para o Pai Natal Era véspera de Natal. As famílias reuniam-se para jantar e trocar prendas entre si. Mas, na casa da família Lopes, faltava Inês, uma menina carinhosa e com muitas sardas, que acabava de construir uma casinha feita de doces, para oferecer ao Pai Natal. - Já está! – Exclamou Inês, orgulhosa do seu trabalho – Quando o Pai Natal vier entregar as prendas terá uma para si também. Depois, pegou num papel, desenhou uma árvore de Natal e escreveu: “Querido Pai Natal, queria agradecerlhe os presentes que nos veio entregar. Lembrei-me de si, que nunca recebe prendas no Natal. Então construí-lhe esta casinha de doces. Beijinhos, Inês Lopes.” Prendeu o papel na casinha e levou-a para a beira da chaminé da sala. - Que bela casinha que fizeste! – Elogiou o pai. - Só me apetece devorá-la! – Disse, todo babado, o seu primo. Depois de muitos elogios foram jantar De madrugada, Inês dormia profundamente… quando foi acordada por uma voz grossa que a chamava: - Inês! Inês! Inês fitou o homem que a acordara. - Pai Natal! – Gritou, quase caindo da cama com a excitação. - Recebi a tua prenda. Muito obrigado! Queria também compensar-te, por isso vem ajudar-me a distribuir as prendas. Inês e o Pai Natal sentaram-se no trenó. Foi aí que começou uma viagem que Inês nunca iria esquecer. Afonso Rebelo Pereira – nº1 – 6ºAno,Turma I


A Gaivota Fevereiro 2009

6 Notícias

Dia Mundial das Zonas Húmidas Comemora-se o dia 2 de Fevereiro. Porquê? No dia 2 de Fevereiro de 1971 assinouse a Convenção de Ramsar, no Irão. Objectivo: defender as zonas húmidas do mundo inteiro. Os 136 países participantes promovem a cooperação internacional para a conservação e utilização racional dos habitats aquáticos. Actualmente, existem 1578 sítios com uma superfície equivalente de mais de 108 milhões de hectares. Em Portugal foram reconhecidas 12 zonas húmidas que correspondem a 66 mil hectares de território nacional: - Estuário do Tejo; Ria Formosa (Algarve); Paul de Arzila; Madriz e Taipal (Coimbra); Paul do Boquilogo (Santarém); Lagoa de Albufeira; - Estuário do Sado; Ria de Alvor; Lagoa de Santo André; Lagoa da Sancha (Litoral Alentejano); Sapais de Castro Marim (Algarve); Paúl da Tornada (Leiria). O que é preciso para pertencerem a esta lista? Estes sítios foram seleccionados de acordo com quatro critérios: 1.Representatividade e unicidade do ecossistema 2.Valores da fauna e flora 3.Importância na conservação de aves aquáticas 4.Importância na conservação de peixes As Zonas Húmidas são essenciais à vida... ...de uma grande diversidade de aves aquáticas, mamíferos, répteis, anfíbios, peixes e invertebrados. Valores e Funções das zonas húmidas: -Controlo de inundações (retendo o excesso de água) -Reposição de águas subterrâneas -Regulação do ciclo da água -Produção de biomassa -Retenção dos sedimentos e nutrientes -Mitigação das alterações climáticas (através da captura de dióxido de car-

bono da atmosfera e a libertação de oxigénio, com a fotossíntese) -Valores culturais -Valores turísticos -Valores recreativos Outros benefícios importantes: -Minimização do efeito de estufa e das alterações climáticas -Disponibilidade de água doce As zonas húmidas encontram-se em risco devido a: Poluição; Urbanização; Industrialização; Intensificação da agricultura; Pesca e piscicultura; Caça ilegal; Abandono e transformação de salinas e ainda, Turismo insustentável. Perto de nós... Barrinha de Esmoriz/ Lagoa de Paramos A lagoa foi zona com influência de maré, ideal para o ecossistema lacustre e marinho ao permitir que várias espécies

e aos ciclos da água e do clima. Não são só mais resistentes aos fogos, dão também um contributo muito importante na observação do CO2. COM O SEU CONTRIBUTO QUEREMOS: • Atingir um mínimo de 1 000 000 de árvores autóctones plantas e cuidados; • Conseguir o sequestro de 5 000 toneladas de CO2 ao fim de 5 anos; • Criar 100 novas reservas biológicas/ Fracções do Condomínio da Terra; • Garantir capacidade para 2 000 animais nos Centros de Recuperação; • Preservar 6 espécies em vias de extinção; • Proteger 50 hectares de zonas húmidas; • Restaurar 10 km de rios e ribeiras; • Internacionalizar o conceito de Condomínio da Terra; • Atingir os 30% de reciclagem de rolhas de cortiça; • Atingir os 250 Condomínios da Terra que cuidem connosco as partes comuns; • Produzir um documentário sobre o conceito e a aplicação do programa. AJUDE-NOS A FAZER CRESCER ESTA IDEIA…

piscícolas a utilizem para a desova. Estas zonas são também pontos de escala das aves migratórias, cerca de 190 espécies de aves, com destaque para o abetouro galego, a garça real, a cegonha negra, o maçarico, a andorinha do mar, o milhafre preto, o pato real, o pato marreco, o mergulhão e a galinha de água, entre outros. As principais ameaças são: a poluição das ribeiras de Rio Maior e de Maceda, a falta de ordenamento do território e o assoreamento da lagoa. Fevereiro 2009

Reciclagem de rolhas de cortiça ROLHAS POR QUERCUS! Quercus são os Carvalhos, as Azinheiras e os Sobreiros, as árvores características do nosso país que foram sistematicamente abatidas e trocadas por espécies de crescimento mais rápido. As florestas de Quercus são um suporte essencial à nossa biodiversidade

NB: Entregue as suas rolhas na Escola Sá Couto

Feirinha Ecológica Nos dias 9, 10 e 11 de Dezembro realizou-se nesta escola uma Feirinha Ecológica, tendo como objectivo promover comportamentos ambientais correctos; reconhecer a importância da Educação Ambiental na formação do cidadão e promover a manutenção e a melhoria da qualidade de vida. Estiveram presentes na feira: Lipor com material relacionado com o Ambiente; Quercus com diversos materiais que apelam à prevenção e protecção da Natureza; Lactogal com apresentação e distribuição de iogurtes biológicos da gama Agros; SoloPuro com produtos biológicos, nomeadamente legumes e fruta; Cantinho das Aromáticas com plantas aromáticas, chás e alguns produtos de higiene e beleza à base de plantas naturais; Comércio Justo com a venda de produtos BIO: Planta do Xisto com plantas aromáticas e sal marinho; o artesão Nuno Moutinho com vassouras ecológicas, feitas a partir de hastes do milho e a Quinta d´Ameã com as suas compotas biológicas. A feirinha teve bastantes visitantes, nomeadamente alunos, professores e encarregados de educação.

alunos do 5º e 6º ano de escolaridade tiveram uma sessão de Educação Ambiental, seguida de um jogo “ Quer ser AMIGO do AMBIENTE “. Os alunos acharam esta actividade muito interessante e educativa, referindo que era uma forma agradável de adquirir conhecimentos

Actividades a desenvolver De acordo com os objectivos e no âmbito do projecto serão desenvolvidas, ao longo do ano, as seguintes actividades: - Sessão Temática: Prevenção – Medição da Pegada Ecológica - Oficinas: -Reutilização de papel, plástico e vidro. Reciclagem de papel Marmoreado em vidro e em papel - Jogos Lúdicos – Pedagógicos -Jornal Espacial – c o m e m o ração/informação sobre: Dia Internacional para a Diversidade Biológica; Dia Mundial das Zonas Húmidas; Dia do Não Consumidor; Dia Mundial da Árvore e das Florestas; Dia Mundial da Água; Dia Internacional da Terra e Dia Nacional da Energia. No âmbito da Agenda 21, e de acordo com o projecto “Aprender no Jardim”, a curto prazo, irá fazer-se a Plantação de um Jardim Aromático, no espaço a sul, próximo do Bloco A desta Escola. Estão a decorrer, na escola, campanhas de recolha de “Recolha de Pequenos Equipamentos Eléctricos e Electrónicos”, promovida pela Lipor e a campanha da “Recolha de Rolhas de Cortiça”, promovida pela Quercus e dinamizada pelos alunos da turma E, do 5º Ano. Continuam a realizar-se as campanhas de “Recolha das Tampinhas de Plástico” e de “Recolha de Material Informático” (tinteiros, toners, baterias, etc.) para as quais solicitamos, também, a participação de todos. A reciclagem deste tipo de artigos é naturalmente vantajosa do ponto de vista ambiental, pois permite recuperar produtos que não são biodegradáveis, para além de contribuir para uma redução nos consumos de matérias-primas que são cada vez mais escassas. O material recolhido nestas campanhas reverte a favor da CERCIESPINHO. Ao longo do ano serão realizadas algumas visitas de estudo no âmbito do projecto “3Rs em ACÇÃO”.

Lipor TV- Sensibilização Ambiental Durante duas semanas de Outubro tivemos um Stand Móvel na escola, onde os

Janeiro de 2009 As professoras responsáveis


A Gaivota Fevereiro 2009

Projectos 7

“Hora do Conto” – 7º Ano

Superstições

As turmas de 7º Ano, acompanhadas pelo seu professor de Língua Portuguesa, participaram, no primeiro período, na actividade “Hora do Conto” desenvolvida pela nossa Biblioteca//CRE. Em cada palavra expressa por uma cadência plena de expressividade, a Srª Profª. Cândida Ribeiro soube cativar os alunos para os contos de Eça de Queirós. Foi, sem dúvida, um momento único que se vai repetir, pois ler é sonhar, sorrir, aprender, conhecer...

Para os nascidos neste mês de Janeiro as flores da sorte são os cravos e as campânulas brancas, porém, estas últimas, não se devem ter em casa onde haja alguém enfermo, já que estas flores, desde a Antiguidade Clássica,

Prof. António Aguiar

eram tidas, segundo os oráculos, como presságios de morte.

Mais um ano de continuidade para este Projecto que continua a ser de extrema importância para toda a Comunidade Educativa. Durante o 2ºPeríodo e, com continuidade no 3ºperíodo, decorrerão as Acções de Formação dirigidas aos alunos dos vários anos de escolaridade, professores e encarregados de educação, bem como Cursos de Formação. Estas Acções têm demonstrado, em anos anteriores, ir de encontro aos interesses dos alunose daí a sua pertinência. Além das parcerias que a nossa Escola tem com o Centro de Saúde de Espinho, Centro de Saúde de Anta, Polícia de Segurança Pública – Escola Segura, contamos este ano, com o Centro Social de Paramos. A Equipa de Trabalho deste projecto, pretende trabalhar com a eficiência que a caracteriza. A Equipa do PES

Crenças Populares Projecto “CANTINA”

Provérbios de Janeiro “Em Janeiro sobe ao outeiro: se vires verdejar põe-te a chorar; se vires terrear põe-te a cantar.” “ Em Janeiro pasta a lebre no lameiro e o coelho à beira do Regueiro.” “ Em Janeiro porco ao sol, outro, no fumeiro.” “ Em Janeiro sete Capelos e um sombreiro.” “ Em Janeiro o boi e o leitão engordarão.” Núria Vanessa, 7º Ano, Turma B

“Casado na geada e orvalho de Janeiro viúvo ficarás na primavera da vida.” Prof. António Aguiar

Actividades a desenvolver pelo 3º ciclo no segundo período: - Visita ao Teatro, 21 de Janeiro e 11 de Fevereiro, “Auto da Barca do Inferno”, Gil Vicente; “Falar Verdade a Mentir”;, de Almeida Garrett, ; - Participação em Concursos Literários;

Departamento de Línguas Quadras de S. Martinho 1º PRÉMIO

Adivinha Pelo muito bem que faço Não posso ser dispensada. Se persisto, aborreço, Se falto, sou desejada. (Solução : chuva)

S. Martinho é tempo de castanhas! Folhas de vários tons a brilhar! Lembra-me a cor das montanhas Com o pôr-do-sol a chegar! Inês Rebelo Pereira Nº 13, 6º Ano, turma I

2º PRÉMIO Filipa Nina , 7º Ano, Turma B

Santo do mês de Janeiro

É dia de S. Martinho Castanhas a estoirar. É disto que o povo gosta Cantar, beber e dançar.

Beato Gonçalo de Amarante: casamenteiro das velhas e protector dos males da vida matBeatriz de Oliveira Santos Nº 2, 6ºAno, turma F rimonial. É invocado contra as verrugas. 3º PRÉMIO Castanhas, castanhinhas Quentinhas a estalar, Dentro dum cone de jornal Para eu devorar. Francisca Albuquerque Nº 8, 5º Ano,Turma J

Este Projecto está a ter continuidade, no ano lectivo em curso, visto que, tendo entrado novos alunos, é pertinente dar conhecimento do Regulamento Interno desta Escola, onde constam as “Regras do Saber Estar na Cantina”. A importância deste Projecto visa a melhoria dos hábitos alimentares dos nossos alunos, pelo que a Equipa responsável tem vindo a alertar os alunos para a importância de uma alimentação saudável. A Equipa do Projecto, Professores Graciete Jardim, Conceição Pinto, Sónia Almeida, António Oliveira

Actividades do Departamento de Educação Artística e Tecnológica Floresta Outonal Esta actividade envolveu todas as turmas do 5ºano de escolaridade, sendo os seus principais objectivos os seguintes: - Participação na vida cívica de forma crítica e responsável; - Criação de uma Floresta, com a montagem de uma árvore, por turma, aplicando livremente a criatividade. … Assim, “nasceu” uma Floresta no polivalente da Escola, integrada na “Festa de São Martinho”, que envolveu toda a Comunidade Escolar.

Decoração do Polivalente/Natal Esta actividade decorreu entre 09/12/2008 e 07/01/2009, tendo como principal objectivo a “Vivência do Natal na Escola”. Esta actividade consta do Plano Anual de Actividades e envolveu toda a Comunidade Escolar.


A Gaivota Fevereiro 2009

8 Notícias

Recepção aos alunos “Encontro pedras no caminho e guardo-as… Um dia… hei-de construir um castelo”

Depoimentos de alunos “Comecei por ter muito medo! Mas depois de conhecer a escola, mal podia esperar para ter aulas. Por isso, quero agradecer a todos os que trabalharam para nos acolher.”

E o grupo de Ginástica Aeróbica da Escola Sá Couto, orientado pela Professora Albertina Cabral, apresentou a coreografia “Os Quatro Elementos da Natureza”, corroborando a citação acima. A apresentação dos alunos do Quadro de Mérito foi feita por alunos desta escola – o Tiago, a Joana e o Geraldo. Foram entregues 49 diplomas a alunos do 5º ano e 40 a alunos do 6º ano que, embora a frequentar já outras escolas, aqui estiveram presentes, sempre acompanhados pelos professores que são ou foram seus directores de turma. Durante a cerimónia, assistimos também à exibição de algumas coreografias executadas pelas alunas da Classe Ritmix do Ginásio Lux de Espinho, orientadas pela professora Susana. “Jamais deixes de ser criança. Nunca deixes de sentir, gostar, ver e extasiar-te diante de coisas tão grandiosas como o ar, o voo e os sons da luz do sol dentro de ti. Se achares preferível, usa uma máscara para proteger a criança do mundo. Mas lembra-te que no dia em que permitires que essa criança dentro de ti desapareça, terás crescido e já não estarás vivo.”

Tiago Jorge Cunha – nº 26, Turma A, 5º Ano

(Nada ao Acaso)

“No dia da recepção dos alunos, vim à escola e senti-me muito bem por saber que tinha uma escola nova. Sabia que estava a começar uma nova fase mais difícil da minha vida. Os professores que conheci eram muito “fixes” e simpáticos. Senti que ia ser um bom ano!”

Com a leitura deste poema, a Presidente do Conselho Executivo deu por encerrada a cerimónia, antes da exibição final das alunas da Classe do Ginásio Lux. No entanto, não posso deixar de transcrever aqui um excerto de um poema que também foi lido durante a cerimónia e que deveria sensibilizar todos quantos estão envolvidos no processo educativo – professores, pais, alunos… enfim toda a comunidade. E assim termino:

Pedro Pinheiro – 5º Ano, Turma C

“Eu achei a visita à escola muito divertida. Quando estava dentro do Pavilhão de Educação Física, fiquei espantada por ver que era tão grande. Fiquei muito ansiosa para ter aulas ali. Gostei muito desta escola. É a melhor escola que eu já vi!”

“Quero ensinar-te o que aprendi, mas quero oferecer-to sem nada te cobrar, porque farás com essa aprendizagem algo diferente do que fiz eu. E sei que, de alguma forma, encontrarás maneira de me dizer o que fizeste diferente e porquê.”

Sara Gonçalves – nº 27 – 5º Ano, Turma G (“Uma Aventura do Espírito”) Estefânia Brandão

“A recepção aos alunos foi muito divertida! Dou os parabéns à Sá Couto.” Pedro Fonseca – 5º Ano

“Na apresentação recebemos os horários, entregues pela Directora de Turma. Encontrámos os mesmos colegas do ano passado e não tivemos alunos novos na nossa turma. Gostei dos meus novos professores.” Andreia Martinho – nº 4, 6º Ano, Turma B

“Eu emocionei-me muito quando entrei pela primeira vez nesta escola.”

Depoimentos de alguns alunos “Eu acho que foi giro e gostei da apresentação. Tive orgulho em mim.” Cristiana Moreira – nº 8 – 6ºAno, Turma O

“Eu senti orgulho em mim. Uma enorme alegria… Acho que foi muito bem apresentado.” Carlos Santos – nº 7 – 6ºAno, Turma O

Joana – nº 15, 5º Ano, Turma A

“Todos os dias, devíamos ouvir um pouco de música, ler uma boa poesia, ver um quadro bonito e, se possível, dizer algumas palavras sensatas.”

“Entrar para o Quadro de Mérito foi, para mim, uma honra. Todo o esforço que eu fiz durante o ano lectivo foi recompensado. Estudei, estive atenta nas aulas, esforcei-me e, naquele dia, recebi uma grande recompensa. Quando estava a receber o Diploma, senti-me feliz e orgulhosa. Aquele diploma pode não ter muitas palavras ou não valer muito dinheiro, mas para mim tem um significado especial - é o certificado do meu trabalho, do meu empenho. Senti que cumpri as minhas obrigações de aluna. A entrega dos Diplomas foi muito bonita e o espectáculo também. Foi um dia maravilhoso que ficará para sempre no meu coração.”

Goethe

Mariana Gomes – nº 15 – 6ºAno, turma O

Quadro de Mérito

E foi com estas palavras sensatas, do poeta alemão Goethe, que a Presidente do Conselho Executivo, Professora Noémia Brògueira, deu início à cerimónia de entrega dos Diplomas do Quadro de Mérito do ano lectivo de 2007/2008, aos alunos dos 5º e 6º anos. Nesta pequena cerimónia estiveram também presentes a Educadora Tuxa, vice-presidente do Conselho Executivo, o Presidente da associação de Pais, Dr. José Carvalhinho, o Dr. José Fonseca, em representação da Autarquia e ainda o Dr. Rui Torres, Presidente da Junta de Freguesia de Espinho. Os pais e encarregados de educação juntaram-se e compartilharam da alegria de alunos e professores. “Aprender é descobrir o que já sabes Agir é demonstrar o que sabes.” (Ilusões)

“Na minha opinião, o Quadro de Mérito tem como objectivo apoiar os alunos que lá conseguem chegar e incentivar os outros a lá chegarem. Foi o meu caso. No 5º ano não consegui e prometi a mim mesmo que entraria no 6º ano. E sinto-me muito feliz por o ter conseguido. À minha custa e com a ajuda de todos os meus professores que sempre me incentivaram e ajudaram. É um momento bom quando recebemos o Diploma que iremos “olhar com mais honra do que para a nossa própria fotografia”, como disse a Dra. Noémia. Adorei estar presente neste momento de honra e de mérito. Edgar Ramos – nº4 – 7º Ano, turma A (antigo aluno do 6º Ano)


A Gaivota Fevereiro 2009

Gaivotinhas 9

G aivotinhas

spaço das no ss E as Espaço dedicado aos trabalhos apresentados pelos alunos dos Jardins-de-Infância e Escolas Básicas 1, do Agrupamento de Escolas Sá Couto, Espinho

Jardim de Infância Anta Um Plano Nacional de Leitura

O Jardim de Infância de Anta 1 foi à hora do conto na Biblioteca Escolar do Agrupamento de Escolas Sá Couto. Foi um bonito momento onde a fantasia e a imaginação fizeram as delícias dos mais novos. A história seleccionada foi “contada” pela Prof. Cândida Ribeiro que, mais uma vez, comprovou que não basta ler, não basta narrar…é preciso entrar num mundo mágico…no mundo dos contos e do fantástico…é preciso mergulhar nesse mundo e partilhá-lo com as crianças. Foi deste modo que as nossas crianças viveram um momen-

to intenso de emoções e fantasia. Quando regressámos ao nosso Jardim de Infância, registámos o que ouvimos e depois ofe-recemos o nosso registo a alguém que muito o mereceu. Querem mesmo saber a quem? Adivinhem… Pois é … foi oferecido à Prof. Cândida e até teve direito a uma dedicatória! Querem saber qual? Façam como

nós…vão à Hora do Conto na Biblioteca Escolar do Agrupamento Sá Couto. Será aí que podem encontrar a Prof. Cândida, sempre disponível, e é também lá que está exposto o nosso registo! Contamos convosco! Sala da Educadora Fátima Cruz

Jardim de Infância Anta Dois O outro lado da porta Certo dia, uma menina chamada Arco-Íris foi apanhar flores a um prado verdejante perto de sua casa. No céu brilhava um sol radioso. Ao longe, via-se uma montanha a transbordar de neve no cume. Enquanto Arco-Íris colhia belas flores, três veados saltitavam de alegria à sua volta. Subitamente, algumas nuvens taparam o sol e começou a cair uma chuva forte e imprevisível. Com estes dois elementos da natureza, o sol e a chuva, formou-se um lindíssimo e colorido arco-íris. Arco-Íris, a menina, ficou surpreendida e maravilhada com o surgimento de um

verdadeiro arco-íris no céu e, curiosa, decidiu procurar o seu fim. Caminhou, caminhou… e encontrou uma pequenina porta. Intrigada, abriu-a. Sentiu um puxão e foi parar a um mundo invulgar e estranho: as plantas falavam, as casas andavam, os cães miavam, os gatos ladravam, os lápis apagavam sozinhos, enfim… era o lado negativo do mundo real.

Ela decidiu conhecer este mundo tão estranho. Viu flores que eram gomas e uma bela cascata. Ao aproximar-se, tropeçou numa pedra que, por acaso, era uma pintarola e caiu num riacho de chocolate e mel. Foi sugada para o fundo onde havia uma bolha de ar com um castelo dentro. O problema é que ela era grande de mais para poder entrar. Uma sereia, que por ali passava, veio ao seu encontro e transformou-a numa boneca de trapos. Não nos podemos esquecer que Arco-Íris estava no lado negativo do mundo, ali as bonecas falam e andam. No chão encontrou um convite, entregou-o ao guarda e foi imediatamente presa e colocada numa redoma de vidro. Ficou triste durante toda a tarde. Um peixe-balão tentou entrar na redoma, a menina mexeu-se e assustou-o. Com os chupa-chupas que cobriam o seu corpo, partiu o vidro. Finalmente ela soltou-se, saltou para o dorso de um cavalo-marinho e fugiu do castelo. Foi parar novamente ao fundo do riacho. Reparou que havia uma gruta com um escorrega. Deslizou e chegou à porta pequenina por onde tinha entrado. Abriu-a e regressou ao seu mundo. Mal transpôs a porta, voltou a ser uma criança, como todas as crianças. Conto – alunos do 4.º ano da Escola de Anta n.º 2 Ilustrações – Hugo Miguel Silva; João Tomás (1.º ano)


A Gaivota Fevereiro 2009

Gaivotinhas 10

Jardim de Infância Anta Dois

Jardim de Infância Anta Três

As Nossas Amigas Árvores

Concurso de Presépios

O carvalho é uma árvore de folha caduca. Durante o Inverno cai a folha. Pode crescer até 30 ou 40 metros de altura. O seu fruto chama-se bolota.

Presépio premiado em 3º lugar. Esta notícia dada ao grupo proporcionou momentos de grande entusiasmo.

As árvores são muito importantes para a vida na Terra, pois elas dão-nos o oxigénio que respiramos. Os seus ramos dão para fazer baloiços para brincarmos.

Margarida Meireles – 3º ano - E.B.1 Anta 3

Grupo de crianças do Jardim-de-infância Anta


A Gaivota Fevereiro 2009

Gaivotinhas 11

Halloween no Jardim de Infância de Guetim Para comemorar este dia, o Jardim de Infância de Guetim planificou diversas actividades, tais como: - Em parceria com a Associação de Pais, as Educadoras dinamizaram uma exposição de abóboras/laranjas, que as crianças elaboraram em casa com a ajuda dos respectivos Pais. Este evento revelou grande participação e criatividade por parte das crianças e respectivas famílias. - A Associação de Pais contribuiu com um presente para cada criança, que consistiu em: um livro, um pacote de bolachas e uma pa lhinha alusiva ao tema. Estes presentes chegaram à nossa escola dentro duma enorme panela de três pernas, com decorações do halloween e foram distribuídos em grande grupo. - Canções alusivas ao tema.- Construção de uma máscara individual. - Confecção de doce de abóbora que as crianças levaram para casa em pequenos boiões.

Jardim de Infância de Espinho Dois


A Gaivota Fevereiro 2009

12 Gaivotinhas

Jardim de Infância de Espinho Três Natal e 3 R´s em Acção

Projecto de Setembro e Outubro “Uns e os outros” •Organizar o ambiente educativo através da definição de espaços de trabalho; •Integrar/adaptar as crianças na comunidade escolar •Conhecer o espaço escolar; •Desenvolver laços de relação entre criança/criança, criança/educadora, crianças/A.A.E./assistentes; •Adaptar o grupo às rotinas do Jardim de Infância; •Aquisição de regras de convivência; •Educação para os valores (amizade, respeito, solidariedade, cooperação, responsabilidade, tolerância, entreajuda).


Gaivotinhas 13

A Gaivota Fevereiro 2009

EB Um/JI de Esmojães

No âmbito do Plano Anual de Actividades, a Escola EB 1 /JI de Esmojães desenvolveu várias actividades, das quais destacamos algumas. Assim, no dia 16 de Outubro de 2008, festejamos o Dia Mundial da Alimentação, com um pequeno-almoço na Escola, tendo por objectivo a importância desta refeição no dia-a-dia das crianças. Contamos com a colaboração da A.D.C.E., que nos patrocinou o pão e a fruta, tendo o leite sido fornecido pela Escola. Foi uma actividade apreciada por todos os envolvidos. No dia 20 de Outubro, como vem sendo hábito, esta escola associou-se à comemoração da Festa de Nossa Senhora dos Altos Céus e S. Mamede, com a participação na Missa Solene e na Procissão. No dia 11 de Novembro de 2008, organizou-se um Magusto na escola, com a colaboração da Associação de Pais. Assim, e após uma pequena apresentação alusiva à data feita por cada turma, passamos ao acender da fogueira, danças de roda e ao assar das castanhas. Já a pensar no Natal, época esta de solidariedade e partilha, levamos a cabo na escola, uma Campanha de recolha de alimentos, que foi entregue na Paróquia de Anta. De assinalar que, apesar de ser um meio com dificuldades económicas, a comunidade mostrou-se receptiva e empenhada na execução deste projecto. Mais uma vez, o nosso muito obrigado. Para festejarmos o Natal e proporcionarmos momentos de prazer às nossas crianças, tivemos na escola um espectáculo de Marionetas, promovido por Beto Hinça, no dia 17 de Dezembro. É de referir que este é um tipo de actividade que agrada a toda a comunidade escolar, pois verificou-se e incutiu-se o gosto pela leitura, lida, ouvida ou dramatizada. Para finalizarmos o primeiro período, e aproveitando as novas infra-estruturas da escola, a cantina, realizamos uma Festa de Natalaberta à comunidade educativa. Mais uma vez, contámos com a colaboração da Associação de Pais desta escola, para o lanche partilhado e a prenda do Pai Natal que como é hábito, veio à escola e este ano até tirou fotografias com os meninos.

O Valor da Amizade Tendo presente o Plano Anual de Actividades do Agrupamento, todos os Jardins-deInfância, viveram o tema da Amizade no arranque deste ano lectivo. O Jardim-de-Infância de Esmojães não fugiu à regra, vivenciando nos meses de Setembro e Outubro O Valor da Amizade, através de actividades marcantes, relembrando que as Amizades constroem-se quando somos capazes de respeitar e ajudar quem está ao nosso lado. Assim, as duas salas trabalharam em conjunto, construindo a “Árvore da Amizade” com a carimbagem das mãos de todas as crianças e adultos como slogan “Para fazer amigos basta estender a mão”. As crianças perceberam que a inter-ajuda e a partilha são sinónimos de Amizade. Como tal, realizaram uma pequena lembrança com uma frase escolhida por eles sobre o que é a amizade e trocaram os seus presentes marcando o início de novas amizades. Todo este trabalho foi aberto à Comunidade Educativa (Pais e CAF) da qual recebemos uma resposta positiva ao colaborarem com as Educadoras na apresentação do teatro de fantoches “O Coelhinho Branco”. Mais uma vez, os valores da Amizade estão presentes nesta história, relembrando que, muitas vezes estamos tão preocupados com as nossas “coisas”, ou seja com o que temos para fazer, que nem reparamos que os outros precisam de ajuda. Seria tão bom que o nosso coração estivesse sempre em alerta para ajudar a minimizar os problemas dos outros.

EB Um de Aldeia Nova-Guetim A nossa última ida à Hora do Conto inspirou-nos... na sala de aula, decidimos fazer o mesmo tipo de poema mas, desta vez, dedicado ao livro! Vejam só o resultado! O livro é... Engraçado e faz uma pessoa feliz, Mágico e faz-nos sonhar, Uma alegria para quem gosta de ler, Faz-nos sentir bem e ficamos contentes. O livro é nosso amigo e inteligente, É bonito e faz-nos brilhar, Ensina-nos coisas novas, Faz-nos viajar. O livro embala-me na sua leitura, Tem imagens e podemos aprender, Tem coisas interessantes, Faz-me companhia quando estou sozinho. O livro dos terramotos faz-me ficar triste, Dos que mais gostamos são os de aventuras, De terror e de assaltos, De polícias e ladrões. O livro é um bilhete para um destino, Uma fonte onde gosto de beber, Um pássaro para viajar pelo mundo, Uma cabeça de sabedoria!

"Se eu fosse um computador por um dia" Se eu fosse um objecto seria um computador portátil. O meu dono seria um rapaz que eu conheço chamado Diogo. Viveria no século XVIII em Paris, na avenida "Le


A Gaivota Fevereiro 2009

14 Gaivotinhas

Cartier Latin", a zona mais chique e pindérica da cidade. Estava à espera da minha placa. Era da TMN. Esperei, esperei, esperei... até que me fartei. Nesse momento, ouvi a porta de casa a fechar, vi o meu dono a correr para mim e a pôr-me a nova placa da Internet. Fiquei todo contente e até me liguei mais rápido. O meu dono entrou logo no site da turma do 4.º ano da EB1 de Guetim, http://alunosguetim.blogspot.com. Viu muitas imagens engraçadas, rimas, poemas, algumas frases, um vídeo, entre outras coisas. Foi uma experiência muito fixe e engraçada. O meu dono foi ainda ao youtube ouvir os músicos que tocaram no Rock In Rio em Lisboa. Ouvimos Sam the Kid, Da Weasel, entre outros. Ontem ouvimos Metallica e eu fiquei quase surdo. Fui para arranjar e fiquei novamente transformado em criança. O Diogo ficou à minha espera mas eu tinha desaparecido para sempre...

coisas. A senhora disse-nos que há micróbios na água, mesmo sem cor e cheiro. Nós gostamos da visita. Texto colectivo 2ºano – E.B.1 – Guetim

Trabalhamos o texto: “Um segredo mal guardado” de Álvaro Magalhães. Conseguimos realizar estes trabalhos.

Melhor será guardá-lo bem Bem guardado num mealheiro Mealheiro não tenho Tenho de o deixar… Deixar noutro lugar Lugar? Mas onde está? Fugiu… Fugiu! Meu Deus tenho de o procurar! Procurar e perguntar pelo segredo Segredo? Viram – no? No entanto, a Ana apareceu furiosa! Furiosa disse: “Toda a gente sabe! Já não é segredo!”

“Palavra Puxa Palavra …” Um segredo mal guardado… Guardado um segredo? Como? Como tu achares melhor

Segredo é : “Eu tenho medo do escuro.” (colectivo)

“Palavra Puxa Palavra …” Acontece-me cada uma… Uma vez ia eu a passear Passear, passeando encontrei a Ana Ana, desesperada, queria contar-me um segredo Segredo! Onde o hei-de guardar? Guardar a sete chaves no meu quarto Quarto, uhmmm …, já sei! Em cima da mesinha Mesinha! Meu Deus! Onde estará? Estará na rua? Vou procurar… Procurar em todos os lugares Lugares! Também vou perguntar, Perguntar se viram o segredo Segredo? Qual? A Ana tem medo do escuro! ( colectivo)

Segredo! O que dizes? É que tenho medo do escuro! Guarda-o bem, combinado? Realmente, o que é um segredo? Espero saber guardá-lo. Imediatamente veio a Ana chateada… O segredo, contaste-o? Eugénia

4º ano – Eb1 Guetim

Hoje, dia 8 de Janeiro, fomos visitar o Pavilhão da Água. O pavilhão fica no Porto. Nós fomos de autocarro. No pavilhão vimos muitas experiências As experiências eram todas com água. Havia cascatas, remoinhos, um aquário gigante e um furacão, entre outras

Segredo! Excelente! Guarda-o se não… Resolvo não ser tua amiga. Excelente amiga serei… Desde que não contes a ninguém. Maria de Fátima Desenhos elaborados pelos alunos do 1º ano, relativos à visita ao Pavilhão da Água

EB Um/JI de Espinho 2 Plano de Formação do Ensino Experimental das Ciências do 1º Ciclo Somos um grupo de alunos do 1º,3º e 4º anos da Escola nº2 de Espinho onde realizamos inúmeras experiências no âmbito do Plano de Formação do Ensino Experimental das Ciências do 1º Ciclo e desenvolvemos competências de comunicação e investigação. Na verdade têm sido aulas muito interessantes e queremos partilhar estas iniciativa.

Teatro a partir da apresentação de um texto Tudo começou numa aula de Língua Portuguesa com a presença da professora Ângela Bodas. A nossa professora Isabel Paulino apresentou-nos um texto dramático, um excerto do livro: “O Rei Lambão” de Joséde Vaz. Começámos por trabalhar por trabalhar esse excerto, dividindo a turma em três grupos. Depois surgiu a ideia de representarmos a peça toda. É claro, que a ideia foi bem recebida. Começámos por ler a obra. De seguida ensaiámos. Claro que nem todos foram personagens do livro, mas tiveram um papel importantíssimo: a corte. E o nosso amigo Diogo foi o ponto. Os ensaios foram muito intensos, mas uma experiência óptima. Representámos a peça para toda a escola e também para os nossos pais e familiares. Sentimo-nosmuito contentes pelo trabalho da nossa turma. Gostaríamos de voltar a repetir esta experiência inesquecivel. Os alunos do 4º ano da E.B.1 nº2 de Espinho


A Gaivota Fevereiro 2009

Para: Et Nº 90857134859 Terceira Galáxia, Sistema Lunar, Casa Espacial Nº 97408 654079-15438 Viterra Espinho, 10 de Outubro de 2008

Notícias 15

A GAZETA DA FÍSICA E DA QUÍMICA

Convite:

Visita de estudo ao Planetário do Centro Multimeios de Espinho Nos dias 19, 20 e 21 de Novembro de 2008, realizou-se uma visita de estudo ao Centro Multimeios de Espinho no âmbito das disciplinas de Ciências FísicoQuímicas e Ciências Naturais. Nesta iniciativa participaram todas as turmas do 7º ano desta escola. Os alunos foram assistir a uma sessão de planetário cujo nome é “Acampar com as estrelas”. O Planetário de Espinho acolheu-os carinhosamente e proporcionou-lhes uma abordagem lúdica de diversos temas da Astronomia. Esta actividade despertou nos alunos o gosto pela Ciência, sensibilizando-os para o estudo do Universo e do Sistema Solar; proporcionou-lhes a visualização de corpos celestes difíceis de observar no céu devido à poluição luminosa; ensinou-os a observar o céu correctamente; enriqueceu os conhecimentos dos alunos, utilizando recursos complementares de aprendizagem. Deste modo, os alunos alargaram os seus conhecimentos nesta temática, para além daquilo que aprenderam nas aulas, promovendo-se assim o ensino das ciências fora da escola. Por outro lado, esta actividade também proporcionou momentos de convívio entre os alunos e as professoras. Aquando do regresso os alunos demonstraram-se satisfeitos e surpreendidos com o que visualizaram.

Grafite e Diamante A grafite utilizada como mina do lápis, por muito estranho que pareça, tem uma composição igual à do diamante. Estes dois minerais são formados exclusivamente por carbono. As propriedades destes diferem muito graças à diferente estrutura cristalina. Enquanto a grafite serve para escrever (desfaz-se no papel), o diamante é conhecido como o material natural mais duro.

Micro-chips Os micro-chips dos computadores e de outros aparelhos electrónicos têm os seus contactos eléctricos revestidos com ouro. O ouro é utilizado porque não corrói com facilidade e apresenta boas características como condutor da corrente eléctrica.

Foguetões Os combustíveis utilizados nos foguetões são o oxigénio e o hidrogénio. Estes encontram-se armazenados a elevadas pressões, no estado líquido. Para a descolagem (take off!) ser possível, os dois combustíveis reagem entre si, produzindo água na forma de vapor.

Mercúrio Na antiguidade, o mercúrio era conhecido por "prata líquida". Embora tendo características únicas e boa aparência, o mercúrio é um composto altamente tóxico, podendo emitir vapores a qualquer temperatura. Por isso, este tem vindo a ser gradualmente retirado do mercado (termómetros, fungicidas).

Adivinhas Quem sabe, quem sabe?! Sou o primeiro dos primeiros E pequeno ao mundo vim. Há uma bomba muito grande Que é uma bomba de mim...

Ilusões de Óptica

No Sol existo imenso Mas na água estou também. E tenho lá sempre o dobro Do que o oxigénio tem. SOLUÇÃO: Hidrogénio

Caro amigo, venho por este meio (que para já é o único) convidar-te para a minha festa de aniversário. Contudo, não é uma festa qualquer. Optei por todos os meus convidados virem mascarados para que não te façam um interrogatório. Pensei em ti! Por isso, NÃO FALTES! Nem te percas! Aqui vai a morada: Superenxame Local; Enxame Grupo Local; Via Láctea; Sistema Solar; Planeta Terra; Continente Europeu; Norte de Portugal; Distrito de Aveiro; Concelho de Espinho; Freguesia de Espinho; Rua 18, Nº730, 4500-343, Espinho. O teu amigo Terrestre, André José da Silva Miranda

Quantos pontos negros consegues ver? Quantas patas tem o elefante?


A Gaivota Fevereiro 2009

16 Notícias/Projectos

Halloween

CORES: LARANJA – cor da vitalidade e da energia que gera força. Os druidas acreditavam que nesta noite, passagem para o Ano Novo, os espíritos de outros planos se aproximavam dos vivos para vampirizar a energia vital encontrada na cor laranja. PRETO – cor sacerdotal das vestes de muitos magos, bruxas, feiticeiras e sacerdotes em geral. É a cor do mestre. ROXO – Cor da magia ritualista. Ana Cláudia – nº 1, Bruna Melo – nº 3, 7ºAno, Turma C

Chegavam em vassouras voadoras! As bruxas participavam de uma festa chefiada pelo próprio Diabo. Lançavam maldições e feitiços em qualquer pessoa. Diz-se também que para encontrar uma bruxa era preciso colocar as roupas do avesso e andar de costas durante a noite de Halloween. Então, à meia-noite, apareceria uma bruxa! A crença em bruxas chegou aos Estados Unidos com os primeiros colonizadores. Lá, elas espalharam-se e misturaram-se com as histórias de bruxas contadas pelos índios norte-americanos e, mais tarde, com as crenças na magia negra trazidas pelos escravos africanos. Mariana e Marina – 5ºAno, Turma B

Halloween – A Noite das bruxas Sabias que Halloween vem de Dia de Todos os Santos? Este diz-se em Língua Inglesa “All Hallows Day”. Como sabes, a noite anterior a este dia é muito importante. Por isso Halloween é uma abreviatura de All Hallows Even – Noite de Todos os Santos. Acreditava-se que, na Noite das Bruxas, os fantasmas voltavam à Terra em busca de alimento e companhia para levarem para o outro mundo. Assim, as pessoas pensavam que encontravam almas penadas se saíssem de casa nessa noite. Para não serem reconhecidas pelos fantasmas, usavam máscaras quando saíam de casa para serem confundidas com os espíritos que andavam à solta a tentar apanhar almas vivas. E para manterem os espíritos longe das casas, as pessoas colocavam tigelas com comida à porta para os satisfazer e os impedir de entrar. Também para se protegerem, carregavam lanternas porque os fantasmas e a luz não se dão muito bem … uns são da noite e das trevas (escuridão e morte) e a luz significa vida. Marcelo Rodrigues – nº 13, 5ºAno, Turma B

Halloween – Alguns significados simbólicos ABÓBOORA – significa a fertilidade e a sabedoria. A VELA– indica os caminhos para os espíritos do outro plano astral. O CALDEIRÃO – fazia parte da cultura como mandava a tradição. Para dentro dele, os convidados deviam atirar moedas e mensagens escritas com pedidos dirigidos aos espíritos A VASSOURA– simboliza o poder feminino que pode efectuar e limpeza da electricidade negativa. Equivocadamente, pensa-se que ela servia de transporte das bruxas. A ARANHA– simboliza o destino e o fio com que tecem as suas teias o meio, o suporte para seguir em frente. O MORCEGO – simboliza a clarividência pois vêem para além das formas e das aparências, sem necessidade da visão ocular. Captam os campos magnéticos pela força da própria energia e sensibilidade. O GATO PRETO– símbolo da capacidade de meditação e recolhimento espiritual, autoconfiança, independência e liberdade. Plena harmonia com o universo. O SAPO– está ligado à simbologia do poder da sabedoria feminina. Símbolo lunar e atributo dos mortos e da magia feminina.

Halloween: Travessuras ou Gostosuras? (Trick-or-treat) A brincadeira de "doces ou travessuras" (Trick-or-treat), popular nas comemorações do Haloween norte-americano, é originária de um costume europeu do século IX, chamado "souling" (almejar). No dia 2 de Novembro, Dia de Todas as Almas, os cristãos iam de vila em vila pedindo "soul cakes" (bolos de alma), que eram feitos de pequenos quadrados de pão com groselha. Para cada bolo que ganhasse, a pessoa deveria fazer uma oração por um parente morto do doador. Acreditava-se que as almas permaneciam no limbo por um certo tempo após sua morte e que as orações as ajudavam a ir para o céu. GATO PRETO Os gatos de cor preta são constantemente associados às bruxas. Lendas dizem que as bruxas podem transformar-se em gatos. Algumas pessoas acreditavam que os gatos eram os espíritos dos mortos. Muitas superstições estão associadas aos gatos pretos. Uma das mais conhecidas é a de que se um gato preto se cruzar no teu caminho, deves voltar pelo caminho por onde vieste, pois se não o fizeres, é azar pela certa José Henrique Ferreira – 5ºAno, turma B

UM CLIENTE... ...UM AMIGO. Excursões no País e no estrangeiro

Transportes diários em fábricas e colégios

Viajando de autocarro vê mais e melhor Sede: Rua das Fontainhas, n.º 27 - 4000 PORTO - Tel.223393010 Filial: Rua 19, n.º 198, 1º - 4500 ESPINHO Tel.227340466 Oficina: Rua do Lavrador, 208 - Mira - 4405 ARCOZELO . Tel. 227622873

Qualidade/Preço/Atendimento Secção de talho, charcutaria e fruta Especialidades em Queijos e Enchidos Regionais Rua 31, 914 - Telefone 227346230 4500 ESPINHO

Visite-nos


A Gaivota Fevereiro 2009

Alunos premiados no Concurso Halloween

N????? 17

Sopa de Sangue

November 11th Martinmas

É preciso: ABÓBORAS: - António Cruz – nº4, 5º Ano, Turma B - Lara Silva – 5ºAno, Turma I

1 lata de sopa de tomate 5 salsichas pequenas 1 tacho 1 colher de pau

- Sofia e Joana – 5ºAno, turma J

Como fazer: 1. Faz sopa no tacho (não é preciso grande sabedoria. Basta pores o tacho ao lume com água e a lata de sopa de tomate). Claro que, se quiseres fazer sopa a sério também podes.

TRABALHOS: 2. Mete as salsichas lá dentro. - Afonso Rebelo, Inês Rebelo e Ana Rachão – 6º Ano, Turma I – Casa “Cuidado com a bruxa” -Fátima Monteiro – 6ºAno, turma M – Lanterna - Ana Raquel Sousa, Salomé Monteiro e Rodrigo Monteiro – 5º Ano, Turma B Mobile - Daniela, Laura e Catarina – 2º AC – Aranha - Mariana Gonçalves, Mariana Santos, Suse Ribeiro e Telma Alves – 7º Ano, Turma A – Boneco sem cabeça Nota: Foram atribuídos cinco prémios aos trabalhos e apenas três prémios às abóboras porque muitas delas não tinham o nome dos alunos, não sendo assim possível a sua identificação e as outras pouco se diferenciavam umas das outras no aspecto criativo. O Grupo Dinamizador/Júri da Actividade Escola Sá Couto – 31 de Outubro de 2008

Receitas para o Halloween Batido de Sangue de Vampiro É preciso: - 2 iogurtes naturais - 1 pacote de morangos ( ou amoras congeladas (estão fora de época… sabes?) - cubos de gelo - gelado de morango Como fazer: 1. Mistura os iogurtes e os morangos na misturadora. 2. Coloca tudo em copos. 3. Põe em cima uma colher de gelado em cada. UMA DELÍCIA!

3. Decora cada tigela de sopa com o que quiseres. Usa a tua imaginação.

António Cruz, Emanuel Brioso e Rodrigo Alves – 5ºAno, Turma B

Poema Pumpkin time is here again. Time to play Trick or Treat. Pumpkin time is here again. Our spooky friends we’ll meet. See the costumers we have on, Monsters, ghosts, goblins too See the costumers we have on, Hear us all shout “Boo!” Alexandra Bessa – 6º Ano, Turma I

S. Martinho O dia de S. Martinho comemora-se no dia 11 de Novembro. Diz a lenda que quando um cavaleiro romano andava a fazer a ronda viu um velho mendigo cheio de fome e frio porque estava quase nu. O dia estava chuvoso e frio e o velhinho estava encharcado. O cavaleiro, chamado Martinho, era bondoso e gostava de ajudar as pessoas mais pobres. Então, ao ver aquele mendigo, ficou cheio de pena e cortou a sua grossa capa ao meio com a espada. Deu metade da capa ao mendigo e partiu. Passado algum tempo a chuva parou e apareceu no céu um lindo sol. Sabiam que o “Verão” de S. Martinho também é conhecido por “Verão dos Marmelos”? A tradição manda que o dia de S. Martinho se festeje com castanhas, água-pé * (para os mais crescidos), uma fogueira para saltar (quem quiser) e bom convívio. *Água-pé – bebida obtida pela adição de água ao bagaço das uvas devidamente fermentado; vinho fraco.

St. Martin was born in Hungary in 316 A.D. He became a bishop but he devoted his life to the poor who nobody took care of. He is connected with the “baptism of wine” maybe because the Benedictine monks started growing grapes and producing wine wherever they appeared. He died on the 11th November and it’s when the wine is over and it becomes ready for drinking and people in the country received payments and could celebrate and share with family and friends. It was also the time when many animals (ex: the pig) were slaughtered and salted down for the winter. This event is followed by music, singing and dancing. People taste wine and celebrates his patron saint.


A Gaivota Fevereiro 2009

18 Notícias/Projectos

Amizade é… As amigas e os amigos, Muito gostam de brincar. Inimigos não são, partidas vão pregar. Zarolhos e sonhadores, Amigos para sempre, Do nosso coração. Eu, se alguma vez vos magoei, peço muito perdão.

Amigo é aquela pessoa com quem conversamos sem reservas. Independente da hora ele sabe oferecer o aconchego do seu coração sem pedir nada em troca, e quando ele precisa sabe que pode fazer o mesmo sem objecção, não importa o tempo que estejam distantes fisicamente. Amizade é irmã do amor e não tem cara, tem reciprocidade, afectividade, respeito, carinho, confiança e alegria. Amigo é aquela pessoa que nos diz o que acha ser correcto, mesmo não sendo o que gostaríamos de escutar, más sabem respeitar a decisão do outro sem censuras. Amigo avisa-nos do perigo quando não conseguimos enxergar, sem contrapor nas decisões tomadas. Amigo sabe dar e receber o ombro amigo sem pré-requisitos, ele sabe ouvir e escutar... Amigo naturalmente comporta-se com aceitação mil e ameaça zero. Não existe escola para formação de amigos, eles por si já nascem aptos, por isto não impomos regras dentro de uma amizade. Ela compatibilizam- se sem invasões,unindo os verdadeiros amigos, sem maldades, sem segredos, sem interesses. A felicidade de um, é a felicidade do outro. Sem esforço sabemos distinguir nossos amigos. Hoje procurei-te simplesmente para dizer: Estou feliz porque te amo meu amigo. És muito importante para mim. http://girl-slb.blog.pt/553568 / Ricardo Brioso – Rodrigo Alves 5ºAno, TurmaB

O horror dos meninos soldados

Formação Cívica, Escola EB 2,3 Sá Couto – Espinho, 13 de Outubro de 2008. - Leonor (5º Ano,Turma B, nº 12 e Raquel (5ºAno,Turma B, nº 22)

A minha melhor amiga A minha verdadeira amiga É a minha mãe, Ela ouve-me, ama-me, sustenta-me … A minha mãe faz tudo muito bem !! Ela respeita-me e eu também, Ela ama-ma e eu também, Ela é pura e eu nem tanto, Pois estou a aprender, a crescer e pura ser. Não gosto de a ver triste, E logo a vou consolar. E no mesmo instante Um beijo me está a dar !! Logo se comove quando Lhe chamo de “Melhor Mãe do Mundo”. Pois ela estará sempre No meu coração profundo!! Eu amo a minha mãe E ela a mim. E por isso volto a dizer: “És a Melhor Mãe do Universo”!!! Ana Luísa da Costa e Sousa, 5º Ano, Turma B, nº 1

Uma equipa de investigação da universidade belga de Gent entrevistou 301 crianças no âmbito de um estudo sobre as crianças-soldados no Uganda. Desse número de crianças 233 viram alguém ser morto e 118 foram obrigadas a matar alguém. Mais de 300.000 crianças são actualmente utilizadas como soldados em conflitos armados em 50 países do mundo, segundo estimativas das Nações Unidas. Todas as crianças inquiridas foram raptadas antes dos 13 anos e permaneceram, em média, mais de dois anos na guerrilha ugandesa.

O testemunho de uma menina Fui raptada de noite, de minha casa, em 1996, pelo Exército de Resistência do Senhor. A caminho do Sudão, um dos rapazes capturados tentou escapar e fui obrigada a bater-lhe até o matar. Um dia espancaram-me porque deixei cair um bidão de água. Recebi treino militar durante um mês no Sudão. Depois combati contra os exércitos do Uganda e do Sudão. Íamos às aldeias buscar comida e raptar outras crianças. Um dia, fui entregue a um comandante para ser sua mulher. Fiquei grávida e tive um menino. Durante um combate consegui escapar, mas tive que deixar o meu filho no bosque. Não sei o que lhe sucedeu. Comentários? Completamente desnecessários! Placard.weblog.com.pt Trabalho de Pesquisa do 5º ano – turma B Formação Cívica


A Gaivota Fevereiro 2009

Notícias 19

Carta a um amigo extraterrestre A Professora de Ciências FísicoQuímicas propôs um desafio aos seus alunos! Elaborar uma carta para enviar a um amigo extraterrestre que vive algures no Universo (ou seja, noutro Sistema Planetário), convidando-o para uma festa de aniversário. Nessa carta teria de constar a nossa localização no Universo… A carta mais original e criativa de cada turma do 7º ano foi seleccionada para ser apresentada neste jornal. Anta, 9 de Outubro de 2008

Olá, querida Lola! Já há muito tempo que não nos vemos, nem falamos. Por isso, quero convidarte para vires passar uns dias a minha casa. Vou fazer anos no dia 08-08-2009. Tenho de te mandar a carta agora, porque deve demorar muito tempo a chegar aí. Não te esqueças do meu pre-

sente! Como é óbvio podes trazer uma amiga, mas cuidado… não te percas! Eu faço questão de escrever o trajecto do sítio onde estás até à minha casa. Primeiro tens de passar pelo Superenxame Local e depois procurar o Enxame Grupo Local; mais tarde, tens de encontrar a minha Galáxia que é a Via Láctea, mas tem atenção ao trânsito para não teres acidentes como há 2 anos! Depois encontra o Sistema Solar e procura o Planeta Terra. Se tiveres dúvidas passa pelo Planeta Júpiter e pergunta pelo Planeta Terra, porque os planetas estão a ficar afastados e diferentes. Pelo menos o Planeta Terra está muito diferente! Quando encontrares o meu Planeta vai até ao Continente Europa e procura Portugal, que é o meu país. Em seguida, procura o distrito de Aveiro. Tenta encontrar o teu mapa, que deve estar no meio da tua tralha, e no mapa tenta encontrar o concelho de Espinho e den-

- com 5 euros compra material escolar; - com 10 euros fornece saquetas de sais de hidratação oral para proteger as crianças da morte por desidratação;

tro de Espinho a freguesia de Anta! A partir de agora é muito fácil, só tens de descobrir esta rua: Rua Além do Rio, Nº 57, Anta. A minha casa é grande e verde, mudou de cor! Muitos beijinhos! Da tua amiga da Terra, Daniela P.S.: A minha casa fica em frente a uma ponte. Muito obrigada, Lola. Boa viagem! Trabalho realizado por: Daniela Couto,Nº 8, 7ºano, turma B Guetim, 15 de Outubro de 2008

Caro Amigo, XU52 Methane: Já não nos vemos há bastante tempo e gostava de te voltar a ver. Quero convidar-te para a minha festa de aniversário, que será no próximo dia 7 de Dezembro, pelas 15h 30m. Como sei que nunca vieste ao meu plan-

um bocadinho e vamos todos começar a ajudar a Unicef neste grandioso trabalho. Valeu?

Unicef - com 20 euros compra uma caixa térmica para transporte de vacinas; - com 50 euros distribui 1.000 pastilhas para purificar a água; - com 115 euros fornece apoio escolar para 10 crianças órfãs durante um ano;

O que é? Para todas as crianças Saúde, Educação, Igualdade, Protecção. Um donativo, por pequeno que seja, permite ajudar muitas crianças. Alguns exemplos do que a Unicef consegue fazer com os donativos de cada um de nós:

- com 200 euros compra uma tenda resistente para abrigo de uma família em caso de emergência; - com 300 euros compra uma bomba hidráulica para fornecer água a uma aldeia de 250 pessoas; - com 500 euros fornece um posto de saúde ambulatório para uma aldeia. Já pensaste em tudo isto? Então pensa

Depois da segunda Guerra Mundial, milhares de crianças de vários países da Europa viviam em muito más condições, sem saúde, casa, estudos ou alimentação. Para as ajudar foi criada, a 11 de Dezembro de 1946, uma organização internacional de emergência para as crianças, apadrinhada pela ONU (Organização das Nações Unidas). Mais tarde, esta fundação ficou conhecida por UNICEF. Anos mais tarde, estes países europeus começaram a tomar conta das suas crianças, sem ajuda desta organização. No entanto, havia milhões de crianças de países pobres que continuavam ameaçadas pela fome, pela doença e pela guerra (caso dos meninos soldados e não só).

ÓPTICA MÉDICA ÓPTICA MÉDICA - LENTES DE CONTACTO Lugar do Formal SILVALDE 4500 ESPINHO Tel.:227342509 Tel.:227343783

Rua 23 nº 836/850 4500-276 ESPINHO Telef./ Fax227346717

eta, indicar-te-ei o caminho a percorrer. Primeiro procura o Superenxame Local e depois segue para o Enxame Grupo Local. No Enxame Grupo Local existe uma galáxia chamada Via Láctea. Nessa galáxia procura o Sistema Solar, Sistema Planetário onde eu me encontro. No Sistema Solar encontra a estrela Sol e conta três planetas, Mercúrio, Vénus e Terra , este último é o planeta onde eu vivo. Chegando à Terra encontras vários grupos de países que se denominam por Continentes. Eu estou na Europa, num país chamado Portugal. O meu distrito é Aveiro, o meu concelho é o de Espinho e a minha freguesia é Guetim. Por fim, só tens de procurar a minha rua, Rua da Picadela Nº56. Espero ver-te na minha festa, XU 52! Com os meus comprimentos, Edgar

É claro que a UNICEF não podia ficar de braços cruzados!!!!!!!!!! Assim, em 1953, a pequena organização passa a tornar-se membro das Nações Unidas e a ser conhecida no mundo inteiro. Desde então a UNICEF ajuda milhares de crianças em mais de 140 países, através dos programas de saúde, educação, nutrição, água e saneamento. O objectivo é melhorar a vida de muitas crianças. Se pretenderes mais informações sobre a UNICEF podes escrevendo ou telefonando para o Comité Português para a UNICEF – Avenida António Augusto de Aguiar, 56, 3º Esquerdo – 1050 – 115 LISBOA, telefone – 213577500 ou através do sítio na Internet – www.unicef.pt. Turma B, do 5º Ano


A Gaivota Fevereiro 2009

20 Notícias

A E.B. 1/J.I de Anta Três conta com uma nova Unidade: Autismo O Agrupamento de Escolas Sá Couto, conta desde Setembro com um nova modalidade específica de educação ao abrir uma sala de Ensino Estruturado para a educação de alunos com perturbações do espectro do autismo. Esta unidade de ensino estruturado a funcionar na EB1/JI de Anta 3 é uma resposta educativa que concentra alunos de diversos concelhos. A organização da resposta educativa para estes alunos deve ser determinada pelo grau de severidade, nível de desenvolvimento cognitivo, linguístico e social, nível de ensino e pela idade. Recorridos quase dois períodos lectivos desde a abertura da unidade, baseada num modelo de ensino que consiste na aplicação de um conjunto de princípios e estratégias que, com base em informação visual, promovam a organização do espaço, do tempo, dos materiais e das actividades, podemos finalmente concentrar, entre outras coisas, os recursos necessários para podermos prestar uma resposta educativa de qualidade aos alunos com perturbação do espectro do autismo. Esta unidade, além dos docentes de educação especial do quadro do agrupamento, conta com psicóloga, psicopedagoga, técnica superior de educação especial e reabilitação, terapeuta de fala e psicomotricista e auxiliar de acção educativa. Sabemos também, que numa perspectiva inclusiva, e porque os alunos tem nos seus horários individuais momentos de integração, nada faria sentido, sem um grupo de docentes, alunos, auxiliares e comunidade educativa em geral também eles inclusivos. Aqui as diferenças indivíduas são respeitadas ao máximo e atende-se às particularidades de cada um, quer tenha necessidades educativas especiais de carácter permanente ou não.

Coordenação:

Fotografia:

Presidente do Conselho Executivo

Alunos/Prof. Rui Daniel

Processamento de texto:

Revisão:

Profs. Rui Daniel, Rui Malheiro e Mafalda Silva (A.A.E./Biblioteca) /Departamentos

Processamento de imagem:

Departamentos/Profs.Estefânia Brandão, Lígia Patacho, Rui Daniel e Rui Malheiro

Colaboração: Comunidade escolar

Profs. Rui Daniel e Rui Malheiro

Impressão

Composição/Paginação:

Greca - Artes Gráficas

Prof. Rui Daniel

GAIVOTA

Jornal do Agrupamento de Escolas Sá Couto - Espinho Rua 34 - 4500 ESPINHO Tel.: 227330150 e-mail: info@eb23-sa-couto.rcts.pt. Sítio na Net: www.eb23-sa-couto.rcts.pt Tiragem: 500 exemplares

Jornal Gaivota  

Jornal do Agrupamento de Escolas Sá Couto Espinho

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you