Issuu on Google+

O Mundo Amanhã cologia

E

Para além de todas as vantagens atrás mencionadas, é de salientar ainda a oportunidade fiscal para recuperar rapidamente o custo, pois é comparticipado, em parte, pelo Estado.

Casa Moderna Ecológica As construções de casas nos dias de hoje, têm sido objecto de grandes avanços tecnológicos que permite um melhor aproveitamento de energia natural. Fonte: Máxima Interiores

P

ara construir uma casa ecológica é necessário ter em conta a localização, o clima e a escolha dos materiais, tudo isto conjugado com as tecnologias avançadas. Os produtos utilizados têm obrigatoriamente de reunir determinadas características: matériasprimas naturais e renováveis; têm de ser recicláveis no fim da vida útil de construção e serem produzidos com recurso a baixo consumo energético. Na construção podemos aplicar isolamento térmico (capoto exterior) e também nos telhados e nas paredes usar o rufmeite (puritano). As janelas térmicas compostas por vidros térmicos e protecção aos raios ultra-violeta, fazem o aproveitamento da luz natural e o isolamento do calor, do frio e do som. Podemos também optar por materiais que emitem a matéria-prima (aglomerados), e também materiais reciclados, como por exemplo: tijolo, cortiça, resíduos de madeira, plástico, cartão e muitos outros. Tintas e vernizes biológicos que utilizam apenas produtos naturais regenerativos (cera de abelha, ceras e óleos vegetais como as resinas naturais e pigmentos não tóxicos) são os ideiais. Tudo isto em função do ambiente. Estas construções implicam o uso limitado de substâncias perigosas e um baixo teor de solventes (com preferência pelos produtos aquosos de baixo nível de compostos orgânicos voláteis), tudo em nome da redução da poluição aquática, atmosférica e de resíduos. Os sistemas fotovoltáicos produzem energia eléctrica a partir da conversão da luz. O principal elemento destes sistemas é a célula fotovoltaica, feita a partir, geralmente, de silício. Existe ainda um grupo acumulador (baterias), onde a energia solar é armazenada para uso posterior e um sistema de apoio, quando a energia solar disponível é insuficiente (rede eléctrica). Este tipo de energia possui inúmeras vantagens, podendo ser captada, transformada e utilizada pelo homem em diversas aplicações.

Saúde

E

stas habitações não alteram os campos eléctricos naturais, o que é óptimo para a nossa saúde. Desta forma, ajudam a prevenir eventuais problemas circulatórios, dores de cabeça e insónias, provocados pelos campos electromagnéticos, presentes numa habitação tradicional.

O carro do futuro A indústria automóvel tem apresentado inúmeras tecnologias que nos levam a acreditar que teremos em breve, formas de deslocamento menos agressivas ao nosso planeta e com custos reduzidos. Fonte: Ver Webgrafia, Ponto 1.

A

pensar no ambiente, o Homem está a tentar pôr em circulação um carro que produza pouco ou quase nada de CO2. Após muitos testes e investigações conseguiu inventar o carro híbrido e o carro electrónico. Após a construção de três protótipos e do seu êxito, já estão em circulação alguns autocarros híbridos. Em Portugal já existem alguns autocarros deste tipo, principalmente nas grandes cidades. O carro mais ecológico é o carro eléctrico: tem zero emissões de ruídos, zero de gases efeito estufa e zero emissões de poluentes. Além disto, o carro electrónico tem um custo de energia de um terço do valor do custo do combustível utilizado por veículos com motores de combustão interna, menor custo de manutenção e não pagam imposto de circulação. O governo português está a oferecer um subsídio para a ajuda destes carros para ver se consegue uma maior prestação no mercado destes veículos.

E

s a i g r e n

O tema das energias renováveis nunca esteve tão em voga, como nos dias de hoje. Num país pequeno como o nosso, o uso das energias ditas “limpas” poderá ser a solução para a independência energética e afirmação além fronteiras. Fonte: Ver Webgrafia, Ponto 2.

Energia Eólica

A

Energia Eólica resulta do deslocamento de massas de ar, derivado dos efeitos das diferenças de pressão atmosféricas entre duas regiões distintas. Actualmente, o número de campos eólicos espalhados pelo nosso país tem vindo a aumentar. Encontram-se nos pontos mais altos. Portugal é o 9º

produtor nas energias eólicas e quer subir na lista. Os planos apontam para o dobro, mas pode sacrificar áreas protegidas. Neste momento existem em Portugal 95 parques eólicos, com o total de 1270 aerogeradores. Tudo isto para se produzirem cerca de 2600 MW de energia. Apesar de os ambientalistas assumirem o problema com as espécíes ameaçadas com a construção dos parques, apoiam o investimento deste tipo de energia, porque não deixa de ser renovável e é uma forma de diminuir as emissões de dióxido de carbono para a atmosfera. A energia eólica pode ser considerada uma das mais promissoras fontes naturais de energia, principalmente porque é renovável ou seja, não esgota e utiliza-se para substituir fontes de combustíveis fósseis, auxiliando na redução do efeito estufa. A maioria das formas de geração de electricidade requerem altíssimos investimentos de capital e baixos custos de manutenção. Isto é verdade no caso da energia eólica, onde os custos com a construção de cada aerogerador podem custar milhões, mas os custos da manutenção são baixos e não gasta combustível. Esta energia é uma realidade. Há muitos anos começou com o aproveitamento do vento para desenvolvimento do país, através de meios marítimos que fez com que se concretizassem muitos negócios entre vários continentes. Este tipo de energia foi, e continua a ser, bem aproveitada, para bem da humanidade.

Energia Hídrica

A

energia hídrica é proveniente de um recurso de grande potencial energético, de extrema importância para o ser humano. Encontra-se presente nas montanhas, nos rios, no mar: estamos a falar da água. O aproveitamento deste recurso energético pode ser subdividido pela energia das ondas associado a grandes empreendimentos. A grande vantagem é a facilidade de transporte da energia até nossas casas. Quanto às desvantagens, a localização das barragens por vezes, ou quase sempre, tem impacto negativo porque destrói o meio ambiente e o habitat de animais, quase sempre em vias de extinção. A energia hidroeléctrica é a energia que se produz em barragens construídas em cursos de água: os rios são represados e a água gira através de turbinas, produzindo energia eléctrica. É encontrada sob a forma de energia cinética diferenças de temperatura que pode ser aproveitada e utilizada. Uma vez que a água é aproximadamente 800 vezes mais densa que o ar, requer um lento fluxo de corrente de água. Actualmente a energia das ondas é uma das formas de energia dos oceanos que apresenta maior potencial de exploração, tendo em conta a força das ondas e a intensidade dos oceanos. Em ambos os casos, a energia obtida do movimento da água e da extensão é praticamente

Página 1


ilimitada. Actualmente existe uma grande variedade de dispositivos de extracção de energia das ondas, ainda não existindo uma tecnologia dominante. Em Portugal, mais de metade o consumo provém de fontes renováveis. 14,8 Milhões de toneladas de CO2 foram emitidos em 2009 pela produção eléctrica, o que corresponde a cerca de 26% do total no país. 49865 gigawatts por hora, foi o que os Portugueses consumiram de electricidade em 2009. A energia hidráulica abastece já um terço dos consumidores de electricidade, em Portugal, segundo dados dos primeiros oito meses de 2010. Em termos de consumos de energia, cerca de 57% da energia produzida é renovável. O seguinte gráfico mostra as diferentes formas de

que estão dependentes ou que têm contacto

originando graves doenças no nosso planeta.

com ele, ou que no mesmo possam vir a incitar alterações físico-químicas nos seres minerais presentes. Pegando como fundamento a espécie humana, tal designação aplicada nos actos praticados pelo ser humano, chegaria à conclusão de que todos os actos provenientes deste ser são actos poluidores. Sempre que deitamos qualquer matéria estranha para o ambiente, estamos a poluir o solo e directa ou indirectamente, a água e o ar. E mesmo que pareça um exagero, apesar da água existente no planeta, a Terra corre o risco de não ter água limpa, o que em último caso, ou sendo feita uma análise, significa que a qualquer momento a enorme máquina viva pode parar.

zono

O

A camada de ozono encontra-se cada vez mais debilitada. Mais uma vez, o homem, tem “ajudado” na não preservação deste meio natural de protecção solar, com o uso e fabrico de substâncias potencialmente poluidoras. Fonte: Ver Webgrafia, Ponto 4.

1-O que é o ozono? 2-O que se entende por camada de ozono? 3-De que forma se está a destruir esta camada de ozono? 4-Quando descobriram o buraco na camada do ozono? 5- Quais as soluções para diminuir a emissão de gases? 6-Quais as consequências?

produção de energia renovável e o seu peso no consumo:

Será que o homem precisa de gastar tanta energia para viver?

oluição

P

Cada vez mais se verifica a destruição sistémica do nosso planeta. Tudo isto resulta da mão descontrolada humana, que ignora os sinais de fadiga apresentados pelo nosso planeta azul.

A água é um género (componente) vital importantíssimo. O ser humano é o principal culpado, devia preservar a água pois é um componente essencial da própria vida, mas ao contrário do que seria correcto, nós próprios atiramos ácidos, resíduos e outras substâncias proibidas, poluindo essa mesma água, pondo em risco a nossa própria vida, assim como a vida de todos os seres vivos. Durante cerca de quatro milhões de anos o planeta esteve protegido. Com o surgimento do Homem, meros cem mil anos, o processo degradativo do meio ambiente tem sido proporcional à sua evolução. Os fogos destroem a floresta, originando menos oxigénio, contaminando o ar que respiramos, causando várias doenças. Os próprios resíduos que lançamos para o meio ambiente, vão parar aos rios, sobretudo em dias de chuva, contaminando as águas, ficando impróprias para consumo. Os animais ao beberem essa água ficam doentes contaminando a sua carne que é a nossa alimentação, pondo a nossa saúde em risco. Também as altas temperaturas, dão origem a incêndios que, por mais que o Homem se esforce, não consegue evitar.

Fonte: Ver Webgrafia, Ponto 3.

A

Ozonosfera é a camada de ozono e situa-se na Estratosfera, entre os (16) dezasseis e os (30) trinta quilómetros de altitude. Tendo cerca de (20) vinte km de grossura, contém aproximadamente 90% do Ozono atmosférico. A Ozonosfera é uma das principais barreiras que amparam os seres vivos dos Raios Ultravioletas. O Ozono apenas permite passar uma pequena parte dos Raios U.V., que é benéfica. Mas quando o oxigénio molecular da alta-atmosfera sofre alterações devido à luz solar ultravioleta, que é vinda do sol, acaba por se dividir em oxigénio atómico. O átomo de oxigénio e a molécula do mesmo elemento unem-se devido à reorganização e forma-se a molécula de Ozono (CO2) A poluição pode ser designada como uma introdução no meio ambiente de qualquer substância ou energia que pode vir a alterar os componentes físicos, químicos ou biológicos desse meio, prejudicando ou podendo prejudicar, por isso, a saúde dos seres animais ou vegetais

Nos últimos anos, o crescimento populacional ocorreu de forma espantosa e desordenada, culminando em maior consumo e, por consequência, num maior volume de resíduos. O consumismo, aliado aos produtos descartáveis aumentou o volume diário de lixo. Em 2004 a população mundial atingiu 6.400 milhões e continua a crescer em 80 milhões por ano. A exploração de suínos, bovinos e caprinos que origina a urina e excrementos que são levados pelas enxurradas e contaminam as águas dos oceanos e rios, também os detritos que saem das fábricas assim como os seus ácidos, os rebentamentos de depósitos de petroleiros no mar fazem derramar o seu petróleo pelas águas, a construção de paredões que também alteram as suas correntes, tudo isso afasta os milhões de turistas das nossas praias. Para além de tudo isto, continuamos a deitar lixo para o ambiente,

Efeitos nocivos ao homem • Irritação dos olhos; • Irritação das vias respiratórias; • Perturbações respiratórias nas crianças, idosos e asmáticos; • Diminuição da resistência imunológica, ou seja, ficamos mais desprotegidos contra vírus e bactérias;

Ozono

É

importante haver vida na terra sem a camada de ozono que está sobre nós, a dez quilómetros de altitude, na estratosfera. É ela que nos protege da radiação ultravioleta B, absorvendo mais de 95 por centro dos raios solares. São por demais conhecidos os alertas do Programa Ambiental da ONU nesta matéria. A depleção da camada de ozono levaria a um aumento maciço de cancro da pele, cataratas e danos no sistema imunológico. Não é difícil de entender a gravidade do problema. Uma diminuição de um por cento da espessura da camada de ozono corresponde a um aumento em cerca de 1,1 por cento da radiação ultravioleta efectiva para a formação de uma queimadura solar na pele humana. Da radiação solar que atinge a superfície da terra, 45% correspondendo ao aspecto visível e 45% a radiação infravermelha e 10% a radiação ultravioleta. Uma maior intensidade desta última, seria incompatível com a vida na terra. O ozono encontra-se especialmente nas camadas superiores da atmosfera, e forma um escudo com cerca de 30 km de espessura. Esta fina camada, constitui a única protecção da terra, que filtra os raios ultravioletas do sol, permitindo assim a existência da vida na terra.

Camada do ozono

H

á evidências científicas de que substâncias fabricadas pelo homem estão a destruir a camada do ozono, sempre que reagem com ele. Essas substâncias também contribuem para o aquecimento do planeta (o aquecimento decresce com o ar), efeito estufa. O efeito estufa é um componente essencial da teia de interacções que tornam a terra num local adequado à vida. O cobertor de ar em redor do globo não só conserva o calor que de outra forma se escaparia para o espaço, como também o

Página 2


distribui de forma muito mais uniforme. Só em 1977, cientistas britânicos detectam a existência de um buraco sobre a Antárctica. A partir daí, está provado por meio de registos, a camada está cada vez mais fina, principalmente nas regiões próximas do Pólo Sul e, mais recentemente do Pólo Norte. São estes, CFCs – hidrocarbonetos clorofluretados, que têm um efeito mais destrutivo. Uma vez libertados no ar, os CFCs – demoram cerca de 8 anos até atingirem a estratosfera, onde atingidos pela radiação ultravioleta se desintegram e libertam cloro, que vai reagir com o ozono dando origem ao oxigénio (02). O grande problema é que este oxigénio não protege o nosso planeta dos raios UV, ao contrário do ozono, e cada molécula de CFC pode destruir cerca de 100 mil moléculas de ozono!

Alguns Males Associados

A

pesar da ccamada de ozono absorver a maior parte da radiação ultravioleta, uma pequena porção atinge a superfície da terra. Essa pequena porção, só nos E.U.A. mata, por ano, cerca de 12 mil pessoas devido ao cancro da pele. As radiações UV afectam também o sistema imunológico, diminuído a resistência humana a doenças como herpes e o próprio cancro, causando também problemas oftalmológicos, como cataratas e enfraquecimento da visão. Os raios UV em excesso também vão afectar os outros seres vivos, até as plantas que necessitam deles para efectuar a fotossíntese. Há quem defenda que os níveis altos de radiação podem diminuir a produção agrícola, reduzido assim a oferta de alimentos. Também a vida marinha se encontra ameaçada, especialmente o plâncton, que vive na superfície do mar e que é alimento de muitas espécies marinhas, o que também é prejudicial para as outras formas de vida marinha. É o plâncton que absorve cerca de 50% das emissões de dióxido de carbono do planeta. Existem muitas mais consequências associadas a este problema !!!

O Que Fazer?

H

oje em dia ninguém poderá iludir-se com a ideia de que o problema de esgotamento do ozono apenas diz respeito ao acréscimo do risco de poderem contrair o cancro da pele as pessoas de tons de pele claras. Este é um dos aspectos menos relevantes do problema. Este problema está longe de acabar, e é por isso que diversos países têm vindo a trabalhar para eliminar a produção e o uso dos CFCs. Em 1989 entrou em vigor o acordo de Montreal, que previa, através medidas graduais, a eliminação e substituição dos CFCs. Hoje em dia são signatários desse acordo 155 países. Entre 1988 e1992, o consumo de gases CFCs diminuiu 40% em Dezembro. Em 1955 a Comunidade Europeia e os Estados Unidos baniram quase completamente a produção e a importação dos CFCs e outras substâncias prejudiciais á camada do ozono. Foi efectuada a reciclagem dos gases já produzidos, como forma de combater a poluição e degradação do ozono. O preço dos CFCs aumentou, originando a criação de um mercado negro fornecido por países onde a produção de CFCs ainda é legal. É com o intuito de acabar com os CFCs que estão a procurar alternativas, pois é possível substituí-los por outros produtos sintéticos, embora a sua eficácia e efeitos sobre o meio ambiente ainda não seja certa. É vital que se continue a busca de alternativas para os CFCs com o fim de se garantir a eliminação total desses gases, tão bem como promover a cooperação técnica com os países

mais ricos para garantir que todas as nações adoptem as novas tecnologias. Devem partir dos governos de cada país as iniciativas, e os investimentos necessários, para o combate aos CFCs, e consequente, destruição da camada do ozono. Também nós podemos contribuir não utilizando produtos que contenham CFCs. Cabe a todos nós, habitantes da terra, a eliminação deste flagelo que, se não tiver termo poderá pôr em risco a vida dos nossos filhos, netos, bisnetos.

O que é o ozono? O ozono é um gás que existe na atmosfera, constituído por três átomos de oxigénio (03). É produzido pela energia das descargas eléctricas, que quebra as ligações entre os dois átomos do oxigénio molecular (02), formando-se, deste modo, a molécula triatómica de ozono.

Quanto descobriram o buraco na camada de ozono? Em 1982 os cientistas descobriram um buraco na camada de ozono, por cima da Antárctica. Tinha aproximadamente o tamanho dos Estados Unidos da América e uma profundidade equivalente à altura do Monte Everest (8848m). Os cientistas já descobriram o porquê da sua existência, numa zona onde quase não há poluição. Uma das razões tem a ver com a rotação da terra que permite que os ventos e o ar frio circulem numa espécie em direcção a Oeste.

Quais são as suas consequências? A constante destruição da camada de ozono leva a um aumento de raios ultravioleta (UV), altamente energéticos. Estes raios ao atingirem a Terra vão promover a destruição das proteínas do ADN, provocando cancro de pele, cataratas, alterações no sistema imunitário, danos nas colheitas, nos peixes e no plâncton de que se alimentam.

De que forma se está a destruir o ozono? As moléculas de clorofluorcarbono, ou freon, passam intactas pela troposfera, que é a parte da atmosfera que vai da superfície até uma altitude média de 10.000 metros. Em seguida, essas moléculas atingem a estratosfera, onde os raios ultravioletas do sol aparecem em maior quantidade. Esses raios quebram as partículas de CFC (CIFC) libertando o átomo de cloro. Este átomo, então, rompe a molécula de ozónio (03), formando monóxido de cloro(CIO) e oxigénio(02). A reacção tem continuidade e logo o átomo de cloro liberta o de oxigénio que se liga a um átomo de oxigénio de outra molécula de ozónio, e o átomo de cloro passa a destruir outra molécula de ozono, criando uma reacção em cadeia. Soluções para diminuir a emissão de

gases.      

Mudança do estilo de vida. Eficiência no uso de energia. Formas alternativas de energia. Uso mais racional do solo. Reflorescimento. Racionalização do uso de carvão e petróleo.  Colocação de filtros nas chaminés das fábricas que emitem grandes quantidades de gases.

Destruição da camada …

H

á evidências científicas de que substâncias fabricadas pelo homem estão a destruir a camada do ozono, sempre que reagem com

ele. Essas substâncias também contribuem para o aquecimento do planeta (o aquecimento decresce com a altitude), criando o efeito estufa. O efeito estufa é um componente essencial da teia de interacções que tornam a Terra num local adequado à vida. O cobertor de ar em redor do globo não só conserva o calor, que de outra forma se escaparia para o espaço, como também o distribui de uma forma muito mais uniforme. Só em 1977,cientistas britânicos detectaram a existência de um buraco na camada sobre a Antárctida. A partir daí, está provado por meio registos, a camada está cada vez mais fina, principalmente nas regiões próximas do Pólo Sul e, recentemente do Pólo Norte. São as substâncias (químicas a maioria) fabricadas pelo homem que estão a danificar a nossa camada de ozono. Estas substâncias são os óxidos nítidos e nitrosos expelidos pelos exaltadores dos veículos, o CO2 produzido pela queima de combustíveis fosseis como o carvão e o petróleo, e os CFCs. São estes, CFCs-hidrocabunetos clorofluretados, que têm um efeito mais destrutivo. Uma vez libertados no ar, os CFCs demoraram cerca de 8 anos até atingirem a estratosfera, onde atingidos pela radiação ultravioleta se desintegram e libertam cloro, que vai reagir com o ozono dando origem ao oxigénio (02). O grande problema é que este oxigénio não protege o nosso planeta dos raio UV, ao contrário do ozono, e cada molécula de CFCs pode destruir cerca de 100 mil moléculas de ozono .

e d a t s i v ntre o ã i n i p O

E

Geir Braathen é um dos especialistas mais conhecidos em todo o mundo no que diz respeito ao estudo da evolução da destruição da camada de ozono. Resolvemos publicar uma recente entrevista que deu à revista Notícias Magazine. Fonte: Revista Notícias Magazine

Geir Braathen, especialista em ozono da Organização Mundial de Meteorologia, está satisfeito com as medidas para resolver o problema.

-Qual é o estado actual do buraco na camada de ozono? Ainda é muito cedo para arriscar uma declaração definitiva sobre o tamanho e a profundidade do buraco de ozono este ano. De acordo com o que temos vindo a registar, o buraco atinge a sua superfície máxima durante a segunda quinzena de Setembro e a profundidade máxima durante a primeira metade de Outubro. A quantidade de gases que destroem o ozono sobre a Antárctida atingiu um máximo no ano2000 e agora está a diminuir a uma taxa de cerca de um por cento ao ano. ­­­ Mas foi em 2006 que o buraco sobre a Antárctida atingiu o recorde em tamanho, com 29,5 milhões de quilómetros quadrados… Sim, porque nesse ano as temperaturas na Antárctida foram extremamente baixas. A descida das temperaturas na estratosfera durante o Inverno facilita reacções químicas que destroem o ozono. As temperaturas chegam aos -80ºC, causando a formação de nuvens na estratosfera. As partículas de gelo dessas nuvens tendem ainda a acelerarem a destruição

Página 3


do ozono. Já observou o céu hoje [9 de Setembro] mostram que na Antárctida atingiu uma área de aproximadamente oito milhões de quilómetros quadrados, «pequena» em comparação com os últimos anos. Esta área irá aumentar ao longo das próximas semanas, mas é provável que não atinja as dimensões de outrora. Vai aumentar semanas?

porquê,

nas

próximas

Porque o buraco na Antártida é um fenómeno que se repete todos anos entre Agosto e Novembro. Durante este período de tempo, o ozono está a ser destruído pelos CFC e halões que permanecem na atmosfera. Normalmente o ciclo é este: a destruição do ozono começa em Agosto, atingindo um máximo no final de Setembro ou início de Outubro, e termina em Novembro. Só hoje, 9 de Setembro, a destruição do ozono começou. Esperamos que os níveis máximos ocorram na última semana de Setembro. Os Cientistas prevêem uma data para a tão esperada recuperação? Sim, esperamos que até meados deste século, no global, recupere e atinja os níveis de 1980. Na Antártida, a recuperação será mais lenta do que em qualquer outra região, só depois de 2050. Embora estejam em vigor, em muitos países, medidas para reverter a situação (e já lá iremos), como é que chegámos a isto? Porque no passado houve uma utilização abusiva de determinadas substâncias, que ao serem emitidas para a atmosfera têm a capacidade de destruir a camada de ozono.

de equipamentos de frio estão a utilizar, em alternativa, substâncias menos prejudiciais, como os HCFC (hidrofluorocarbonetos). Os HCFS também destroem o ozono, mas num grau muito menor do que os CFC, pelo que serão eliminados até 2040. Os HFC não esgotam o ozono.

Garrafas

Garrafões

Sacos de plástico

Latas de bebidas

Mas a recuperação do ozono está a ser lenta. Não deveriam ser aplicadas medidas adicionais para acelerar o processo?

Latas de conserva

Caricas

O que os países poderiam de facto fazer além do que já foi feito é garantir que os equipamentos antigos, como frigoríficos, arcas congeladoras e aparelhos de ar condicionado, que contêm gases que destroem o ozono, sejam recolhidos e destruídos de forma segura. As expectativas são muito boas, há esperança, mas não há espaço nem tempo para a complacência. Acreditamos que a longo prazo o ozono será «salvo, mas temos de permanecer vigilantes durante as próximas décadas e assegurar que os gases que danificam a camada do ozono sejam realmente eliminados.

Vasos

Sacos de ráfia (de batatas e cebolas)

Copos de plástico

Existe uma ligação entre a destruição da camada de ozono e as alterações do clima?

É por ter começado em 1980 que as convenções internacionais utilizam esse ano como ano - base para medir a recuperação? É. Se a situação está estacionária e se prevê uma recuperação satisfatória por volta de 2050, presumo que considera eficazes acordos como o Protocolo de Montreal? Com o Protocolo de Montreal [sobre Substâncias que Empobrecem a Camada de Ozono, assinado em 1987], vários governos comprometeram-se a reduzir as substâncias que a destroem. Esses esforços têm sido cumpridos e está a valer a pena, porque o buraco não está a aumentar. O problema é que alguns desses gases permanecem na atmosfera durante muitos anos, sendo por essa razão que vai demorar décadas a recuperar até aos níveis de 1980.Penso que os líderes mundiais se portaram bem nesta matéria, aplicando medidas para solucionar o problema. Primeiro, com a Convenção de Viena para a Protecção da Camada de Ozono, em 1985, e depois com o Protocolo de Montreal, e ambos foram sendo alterados e adaptados diversas vezes em função dos novos conhecimentos. Os países tomaram uma série de medidas importantes para a eliminação progressiva de certas substâncias; por exemplo, a utilização de CFC é proibida desde o início deste ano como resultado das acções desenvolvidas ao abrigo do Protocolo de Montreal. Os fabricantes

No ecoponto Azul deve ser depositado papel: •

Embalagens de cartão

Sacos de papel

Papéis e revistas

Papelão (de todos os tipos)

Jornais e papel de impressão

Papel de embrulho

As alterações climáticas têm um impacte sobre a camada de ozono e o ozono tem um impacte sobre o clima. Os dois estão interrelacionados de forma complexa. Por exemplo, o buraco de ozono na Antártida levou a mudanças do clima à superfície da Terra, resultando num aumento da temperatura na península Antárctica. Por outro lado, a eliminação de gases que destroem o ozono tem impedido o aquecimento de gases de efeito estufa, uma vez que estes compostos, além de contribuírem para o esgotamento do ozono, têm também um efeito estufa poderoso.

No ecoponto verde deve ser depositado o vidro:

A radiação UV mais intensa sobre a Terra acontece geralmente nos trópicos. Na Europa, o sol está alto e a camada de ozono é naturalmente fina. No entanto, podem ocorrer episódios de elevada intensidade na periferia da Antárctica, lá para Novembro, mas esses episódios são de curta duração e alcance geográfico limitado.

Ecoponto electrão

Quando é que o buraco começou e nos As regiões do planeta que estão sob os demos conta da sua gravidade? buracos mais expostas à radiação? O buraco do ozono, propriamente dito, começou em 1980, mas em meados dos anos 1970 descobriu-se que alguns produtos sintéticos poderiam destruir moléculas de ozono na estratosfera, o que se considerou bastante grave, uma vez que essa destruição podia causar danos nos ecossistemas e ter efeitos nefastos na saúde das pessoas (fragilização do sistema imunológico e aumento de doenças como o cancro da pele e cataratas).

No ecoponto amarelo deve ser depositado o plástico e alguns metais (latas):

R

m e g a l c ci

e

Garrafas de vidro

Frascos de molhos e condimentos

Potes de produtos alimentares

Perfumes e frascos de remédio

Estes são os que dão mais nas vistas, devido às suas dimensões e popularidade, no entanto, existem outros, igualmente fundamentais, para que possamos proteger e preservar o planeta em que vivemos.

Os pontos electrão recebem equipamentos electrónicos e eléctricos em fim de vida .

Ecopontos tinteiros Visam a recolha dos tinteiros vazios para futura reciclagem.

Ecoponto oleão

A preservação do meio ambiente começa nas pequenas acções. Felizmente, hoje em dia, a maioria da população já está familiarizada com esta questão e já vai protegendo o meio ambiente ao executar pequenos gestos, que embora seja ainda diminutos, já são uma importante forma de demonstrar que está na hora de agir.

Foi concebido para receber garrafas e garrafões de óleos alimentares usados e não só evita a poluição da água, como está a transformar o óleo em biodiosel, uma fonte renovável de energia.

Fonte: Ver Webgrafia, Ponto 5.

N

ós, o 4º Operador de Calçado, somos algumas dessas pessoas que, tanto em casa, como no trabalho, colocamos as embalagens nos locais apropriados, os ecopontos. Os ecopontos são contentores para a recolha selectiva de produtos a reciclar, de forma a proteger o ambiente. Eles são essencialmente quatro: o amarelo, o verde, o azul e ainda o vermelho, de dimensões menores. Para cada ecoponto está estabelecido o lixo que deve ser colocado, isto é, o plástico e metal, o vidro, papel/cartão e pilhas, respectivamente. De seguida, apresentaremos, porque nunca é demais, quais os ecopontos existentes e o que poderá colocar em cada um deles.

Ecoponto rolhão Nele devemos depositar rolhas de cortiça para reciclagem, cujo objectivo passa pela transformação das rolhas usadas noutros produtos e no financiamento parcial do programa “criar bosques, conserva a biodiversidade.” A propósito... O Green Cork, é um programa de reciclagem de rolhas de

Página 4


cortiça desenvolvido pela Quercus em parceria com a corticeira Amorim, o Continente e a Biological. As rolhas recolhidas serão vendidas à Corticeira Amorim, que as reutilizará, depois da trituração em novos produtos. O valor adquirido será investido na plantação de carvalhos, azinheiras e sobreiros por todo o país.

PRODUTO

TEMPO DE DECOMPOSIÇÃO Tampinha de plástico 150 Anos BEATA DE CIGARRO 5 Anos

Pilhas para o pilhão As pilhas apresentam na sua composição metais considerados perigosos à saúde humana e para o meio ambiente. Dentro desses metais os que apresentam maior risco para a saúde são: o chumbo e o mercúrio. Uma maneira de reduzir o impacto ambiental do uso das pilhas, é a substituição de produtos antigos por novos que proporcionem um maior tempo do uso, como por exemplo, o uso das pilhas alcalinas ou baterias recarregáveis, em vez das pilhas comuns. Os resultados da reciclagem são expressivos, tanto no campo ambiental como nos campos económico e social. No meio ambiente, a reciclagem pode reduzir a acumulação progressiva de resíduos e a produção de novos materiais, como por exemplo, o papel, que exigiria o corte de mais árvores, as emissões de gases, como metano e gás carbónico, as agressões ao solo, ar e água, entre muitos outros factores negativos. No aspecto económico a reciclagem contribui para o uso mais racional dos recursos naturais e a reposição daqueles recursos que são possíveis de reaparecimento. No âmbito social, a reciclagem não só proporciona melhor qualidade de vida para as pessoas, através das melhorias ambientais, como também tem gerado muitos postos de trabalho. De seguida, demonstramos-lhe os tempos necessários que alguns dos materiais que usamos no dia a dia, demoram a decompor-se:

PRODUTO

TEMPO DE DECOMPOSIÇÃO PANO De 6 Meses a 1 Ano

VIDRO 1 Milhão de Anos COURO Até 50 Anos GARRAFA PLÁSTICA Tempo Indeterminado

PNEU ou BORRACHA Tempo Indeterminado PASTILHA ELÁSTICA 5 Anos

Lata de Alumínio De 80 a 100 Anos Metal Mais de 100 Anos Pilha De 100 a 500 Anos Papel De Duas a Quqtro Semanas Tecido De 100 a 400 Anos

Os corais estão ameaçados? Sim, infelizmente os recifes de corais estão em perigo de extinção. Os cientistas prevêem que dentro de vinte anos mais de metade estejam destruídos. A poluição provocada por criação exagerada de peixes, resíduos de indústria de petróleo e esgotos, são algumas das causas de destruição dos corais. O aquecimento global e os ventos ciclónicos fazem com que desapareçam, assim como a sua utilização para fazer objectos de decoração. O mundo maravilhoso dos corais está a desaparecer, o que é gravíssimo, pois eles contêm enormes riquezas naturais. Servem de abrigo, protecção e alimento a milhares de espécies marinhas. Formam barreiras contra ondas, ciclones, fornecem 20% da alimentação do mundo. São usados com fins medicinais, incluindo a reconstrução de ossos. A água é dos bens mais preciosos do nosso planeta. Temos de a preservar. Todos precisamos dela e todos somos responsáveis pela sua preservação. O nosso corpo é constituído por 70% de água. Passemos à acção! Sabias que…

SACO PLÁSTICO De 30 A 40 Anos

FRALDA DESCARTÁVEL De 6 Meses A 1 Ano PRANCHA DE ISOPOR 80 Anos

s e d a d i s urio

C

Sabia que, só pelo simples facto de não autorizar a colocação de publicidade não solicitada na sua caixa de correio economizará cerca de 40Kg de papel num ano? Fonte: Revista Mensal de Crianças -“O Amiguinho”

Jornal De 3 a 6 Meses

grupo do outro. As algas alimentam os pólipos com os seus dejectos. Os pólipos fabricam o seu esqueleto calcário e multiplicam-se rapidamente, formando, com o tempo, os recifes de corais.

U

ma das fontes de energia mais limpas é o vento. O problema é que nem sempre está vento suficiente para produzir grandes quantidades de energia. Por isso, as companhias eléctricas estão a desenvolver uma forma de captar e acumular o ar debaixo da terra, comprimindo-o. Depois, quando necessário, ele é libertado e produz energia. Um relatório da Organização Mundial da Natureza diz que a terra perde, diariamente, terreno da floresta equivalente a 40 000 campos de futebol. Parece exagerado, mas feitas as contas, conclui-se que cada família que pede para não porem publicidade na sua caixa de correio, economizará cerca de 40 kg de papel por ano. Os corais são extremamente importantes. O que são? Ao contrário de que possa parecer, os corais não são rochas. São constituídos por muitos milhares de animais microscópios, chamados pólipos. Estes são ajudados, no seu desenvolvimento, por algas verdes, com as quais vivem em simbiose, ou seja, juntos e dependendo um

Quer através do petróleo, formado a partir de plantas mortas, quer através de ondas, correntes e marés, podemos obter energia? Portugal terá em breve, um parque de aproveitamento de energia das ondas. Será na Póvoa de varzim. A energia a produzir, no começo dará para uma povoação de seis mil habitantes O Mar No mar podes divertir-te e relaxar. Regressas da praia com os pulmões mais limpos e com o sangue a circular melhor graças as massagens com água salgada. Recebeste ali o fornecimento de minerais necessário e importantíssimo, o iodo que te ajuda a crescer, o cálcio para os ossos e músculos; fósforo para a memória e ferro para o sangue.

Urso Branco O urso branco é o símbolo do problema do aquecimento, que está a limitar o seu território por derreter os bancos de gelo. Estima-se que dois terços dos 25000 ursos do Ártico desaparecerão nos próximos 40 anos. A falta de água afecta 4 em cada 10 pessoas no mundo e, no futuro, vai ser pior. Daqui a vinte anos, 1 em cada 3 pessoas não terá água suficiente para levar uma vida saudável. Algumas causas:

Desperdício Muitas vezes gasta-se sem pensar; torneiras abertas, carros lavados com mangueiras A correr, rega desnecessária, piscinas não utilizadas… Cidades Populosas As pessoas têm-se juntado nas cidades para viver, onde é necessário muita água mas também é a maior possibilidade de ela ser poluída. Industrial que a evolução mundial está praticamente dependente de recursos naturais não renováveis e cada vez mais escassos. O ser humano mantém sempre, individualmente ou colectivamente, a necessidade de prosperar

Página 5


e sobreviver e no geral sem se preocupar com as consequências. O homem em prol do desenvolvimento e do bem estar esgota os solos, prolifera os locais de lixeiras, polui a atmosfera e as águas e provoca extinção de espécies devido a, entre outras coisas, levar as alterações nos movimentos migratórios de animais. Em certos países, especialmente do terceiro mundo, países com dívidas externas gigantescas, torna-se banal a exploração de recursos naturais finitos para poderem sobreviverem. Factores como o crescimento exponencial da população mundial, crescimento económico, mau funcionamento da economia mundial e acima de tudo a má gestão dos recursos vão levar ao certo esgotamento dos potenciadores da nossa evolução. Basta a temperatura da terra aumentar um grau centígrado para que a espécie “A”, como por exemplo as tartarugas marinhas, faça a sua peregrinação anual umas semanas mais cedo o que altera todo o ecossistema. Os esquilos e os ratos-almiscareiros por exemplo vivem em faixas de temperatura muito estreitas. Logo uma mudança de um grau na temperatura leva a sua migração afectando todo o ecossistema que os envolve. Para além de estarmos a chegar ao ponto do “sem retorno”, em que as condições climatéricas nunca voltarão ao normal, estamos também a liquidar espécies inteiras que, em muitos casos, provavelmente ainda estão por documentar. Matamos “slowly but surely” (lentamente mas certamente) as esperanças que os nossos filhos teriam de presenciar espectáculos da natureza cada vez mais raros. Sabias que… Em apenas 20 m chega à terra energia, como a que toda a humanidade consome durante um ano. O sol fornece esta energia, gratuita e sem prejudicar o ambiente (energia solar). O Planeta está a ficar careca?

Poluição

A água tem sido poluída a todo o instante por produtos químicos e detritos sólidos: detergentes.

Já no que diz respeito à electricidade, a moda é desligar o standby dos electrodomésticos.

a c i t s í t sta a c i g ó l Eco

E

De forma a tentar perceber como anda a ecologia no “ambiente” cfpic, propusemos à comunidade do cfpic um pequeno inquérito. Veja de seguida as conclusões que conseguimos apurar.

F

oi realizado um inquérito a 50 formandos do CFPIC sobre hábitos relativos à preservação do meio ambiente e energias renováveis. Deste inquérito tirámos as seguintes conclusões: •

Em cada segundo desaparece uma parte da floresta equivalente a um campo de futebol. •

A maioria dos inquiridos não sabe a localização dos maiores parques eólicos portugueses. No entanto, os que responderam que sim sabem que estão localizados maioritariamente no Norte e Centro do país. Também estamos bem informados sobre os países mais poluentes! 40% dos inquiridos referiram os EUA e, aproximadamente, 43% a China; e são estes que ocupam o 1º e 2º lugares do ranking. Relativamente ao tempo de decomposição de alguns materiais, não estamos muito bem informados… A moda foi que os sacos plásticos são dos materiais com maior tempo de decomposição, no entanto as garrafas de plástico e a borracha/pneus têm um período de decomposição indeterminado! A moda é não utilizar o oleão. Temos que começar a dar melhor destino ao nosso óleo usado! A forma de poupar água mais referida foi fechar bem as torneiras.

Com este inquérito concluímos que a grande maioria dos inquiridos já se preocupa com a preservação do meio ambiente, mas ainda podem melhorar alguns hábitos de reciclagem!

a i f a r g b e

W

A informação publicada no presente Jornal é fruto da compilação de informação de diversas fontes: Sites de Internet e de artigos de Revistas. 1. Carros Electricos:

• http://carros.hsw.uol.com.br/carros-eletricos.htm • http://www.carrosecologicos.net/carros-electricos/

2. Energias:

• http://energias-renovaveis.info/energia-eolica/oque-e-a-energia-eolica/ • http://pt.wikipedia.org/wiki/Energia_e%C3%B3lica_ em_Portugal • http://energ-renovaveis.blogspot.com/2008/01/ energia-hdrica.html

3. Poluição:

• http://pt.wikipedia.org/wiki/Ozonosfera • http://www.notapositiva.com/trab_estudantes/trab_ estudantes/filosofia/filosofia_trabalhos/poluicao. • http://www.terrabrasil.org.br/noticias/materias/ pnt_problemasamb.htm

4. Ozono:

• http://ciencias3c.cvg.com.pt/ozono.htm • http://pt.wikipedia.org/wiki/Ozonosfera • http://nautilus.fis.uc.pt/cec/ozono/ • http://ciencias3c.cvg.com.pt/ozono.htm

5. Reciclagem: Biodísel/reciclagem Uma gota de óleo usado, torna 25l de água imprópria para consumo, por isso devemos colocar o óleo de fritar no lixo doméstico, ou no contentor para esse efeito, e não nos canos. Felizmente já é possível guardá-lo em bidões próprios. E já há quem o utilize como combustível para carros a díesel.

• http://ciencias3c.cvg.com.pt/reciclagem.htm • http://www.cm-azambuja.pt/azambuja/Print. aspx?guid=%7B7362F228-3EE8-43CE-AF969EB831D5EF4A%7D

Ambiente ganha Na ilha de Java quem quer casar tem de plantar 5 árvores junto do sítio onde vai viver; quem se quer divorciar terá de plantar 25. Em 2007 fabricaram-se, no mundo, duas vezes mais bicicletas do que carros. É o meio de transporte com mais expansão em todos os países excepto nos Estados Unidos. Vantagens: não polui, não provoca engarrafamentos, é económico e contribui para a prática de exercício físico.

Ficha Técnica Coordenação e Orientação:

Ana Elisa, Angelina Moreira, Natércia Nunes, Nuno Bastos, Vânia Oliveira, Vânia Soares.

Composição, Paginação e Redacção:

Formandos 4º Operador de Fabrico de Calçado e Componentes do CFPIC

Ajustamentos e Revisão:

Natércia Nunes e Nuno Bastos

Página 6


“O simples facto de que a mensagem talvez nunca seja recebida não significa que não valha a pena ser enviada.”

Segaki

“A escolha é nossa: formar uma aliança global para cuidar da Terra e uns dos outros, ou arriscar a nossa destruição e a da diversidade da vida.”

Carta da Terra

“Quando alguém quer fazer alguma coisa, sempre encontra alguma forma de o fazer. Quando não quer fazer, sempre arranja uma desculpa!”

Provérbio Árabe

“Só existem dois dias do ano em que não podemos fazer nada. O ontem e o amanhã.” Mahatma Ghandi

Página 7


Jornal Ecológico