Issuu on Google+

São Remo

www.eca.usp.br/njsaoremo

Dezembro de 2012 ANO XIX nº 8

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

Notícias do Jardim

IVANE/ IMPRENSA SINTUSP

ç a t s e f i n a M

P S U a n o m e R . S a d ão

Moradores e alunos protestam contra ocupação da PM e ameaça de despejo pág. 5

São Reminho

Papo Reto Saiba como economizar com os gastos de fim de ano

pág. 7

São Remano Entrevista com Inezita Barroso, do “Viola, Minha Viola”

pág. 9

Mulheres Dicas de como se alimentar de maneira saudável

pág. 10


2

Notícias do Jardim São Remo Dezembro de 2012

debate

JOANA DAMACENO, MORADORA DA SÃO REMO

Religião em notas de real

O p i n i ão

“Não tem porque excluir Deus”

Por um Estado neutro

SR discute a permanência da frase “Deus seja louvado” não mudaria em nada na prática, mas mesmo assim se posicionaram contra a retirada da frase. “Deixa como está”, disse Paulo. Entre aqueles que discordam da retirada da expressão das notas, também encontramos a senhora Joana Damaceno. Segundo ela, a frase presente nas cédulas do real seria uma forma de incluir Deus na vida das pessoas, “não tem porque excluir Deus”, afirma.

O Brasil é um país com Estado laico, ou seja, que não possui nenhuma religião oficial. Com a separação de Estado e Igreja assegurada na constituição brasileira de 1988, está garantida a liberdade religiosa e cultural, e todas as crenças e suas manifestações devem ser respeitadas. A presença da frase “Deus seja louvado” nas cédulas existe desde 1986 – nas notas de cruzados, e atualmente nas de reais. Esta é uma manifestação religiosa do Estado, fato que não é compatível com a sua laicidade. Mesmo que a maioria da população brasileira acredite em Deus, esta expressão gravada nas notas significa desrespeitar brasileiros que cultuam outros deuses, ou até mesmo os que são ateus. Pela forte presença do catolicismo no Brasil, muitos traços do cristianismo permaneceram enraizados em instituições do governo, tornando difícil, atualmente, a concepção de um Estado laico. Ainda hoje, sociedades religiosas não pagam diversos impostos e recebem subsídio do governo e o ensino religioso está presente no currículo das escolas públicas. Esses são outros aspectos que desrespeitam a liberdade religiosa e, por isso, devem ser mudados. Esta é a última edição do ano do Notícias do Jardim São Remo. O jornal volta a circular em março de 2013 com uma nova turma de repórteres. A atual redação se despede dos moradores e agradece o carinho com o qual a equipe foi recebida na comunidade. Boas festas a todos e feliz ano novo.

São Remo

gabriela fachin

Fernanda Maranha

Ana Luiza Tieghi Fabio Manzano Pode passar despercebido para muitas pessoas, mas, nas notas de real, está escrito “Deus seja louvado”. Uma ação promovida pelo Ministério Público Federal quer retirar esta expressão das cédulas, porque o Brasil é um país laico – que não possui religião oficial – e por isso não deve privilegiar uma única crença. A frase que é invisível Muitos dos moradores da comunidade, quando questionados sobre esta possível mudança, se espantaram quando descobriram a existência dessa frase nas cédulas. Esse foi o caso de Antônio Jacinto, que, após verificar em suas notas, disse que a frase não deveria ser mudada, já que não traria alterações relevantes. Paulo Lima e Valter Ribeiro, ao serem abordados pela reportagem, também foram surpreendidos pela existência desta expressão. Eles concordaram que a alteração das notas de real

As opiniões se divergem A grande maioria dos moradores se mostrou favorável à permanência da frase. O seu uso, além de já estar incorporado à tradição, é defendido por atrair junto a si uma instituição religiosa, mas essa não seria a forma de sobrepor a religião cristã às outras? A vendedora Ingrid Cordeiro, que se declarou católica, discorda dos outros entrevistados e acredita que o correto seja a retirada da frase das notas. Seu argumento é que não se deve misturar religião e dinheiro. Ela também acredita que a presença da expressão nas cédulas de real não é correta pois há aqueles indivíduos que não acreditam na existência de Deus, ou que compartilham de outras religiões, e isso não seria justo com essas pessoas. Por quase não ser notada, os esforços do Ministério para realizar a retirada da frase das cédulas podem ser vistos como medidas desnecessárias. Entretanto, um país laico precisa garantir a convivência entre os diferentes credos e fornecer um tratamento igualitário para as diferentes religiões e crenças presentes no Brasil, seguindo o princípio da laicidade. A Justiça Federal está analisando o pedido do Ministério Público. Se a medida for aprovada, as novas notas de real que forem impressas não mencionarão mais o nome de Deus.

Notícias do Jardim

www.eca.usp.br/njsaoremo

Publicação do Departamento de Jornalismo e Editoração da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Reitor: João Grandino Rodas. Diretor: Mauro Wilton de Sousa. Chefe de departamento: José Coelho Sobrinho. Professores responsáveis: Dennis de Oliveira e Luciano Guimarães. Edição, planejamento e diagramação: alunos do primeiro ano de jornalismo. Secretária de Redação: Fernanda Maranha. Secretária Adjunto: Ariane Alves. Secretária Gráfico: Gabriela Domingues Fachin. Editoras de Imagens: Giovanna Gheller, Lara Freitas. Editores: Aldrin Jonathan, Ana Paula Souza, Bárbara D’Osualdo, Fernanda Drumond, Fernando Gabriel Pivetti, Luiza Maranhão. Suplemento infantil: Ana Beatriz Brighenti, Bruna de Alencar. Repórteres: Ana Luiza Tieghi, Bruna Rodrigues, Erica Lima, Fabio Ruivo Manzano, Gabriella Feola, Gabriela Malta Felix, Jéssica Soler, Lucas Coelho, Patricia Batista Figueiredo, Ricardo Kuraoka, Rogério Geraldo, Rúvila Magalhães, Sofia Calábria, Susana Berbert, Thiago Salles, Valdir Ribeiro Junior. Correspondência: Av. Prof. Lúcio Martins Rodrigues, 443-Bloco A. Cidade Universitária CEP 05508-990. Fone: 3091-1324. E-mail: saoremo@gmail.com Impressão: Gráfica Atlântica. Edição Mensal: 1500 exemplares.


3

Dezembro de 2012 Notícias do Jardim São Remo

entrevista

“O poder público tem obrigação constitucional de tratar todas as manifestações da mesma forma” Juarez tadeu de paula xavier, professor da unesp de Bauru

A laicidade é garantia da diversidade Professor da Unesp discute a separação entre Estado e religião e as suas consequências acervo pessoal

Valdir Ribeiro Junior A recente ação do Ministério Público Federal, que solicita que as novas cédulas de real sejam produzidas sem a frase “Deus seja louvado”, ressaltou uma importante questão: a laicidade do Estado, que é a separação entre Estado e religião. Juarez Tadeu de Paula Xavier, doutor em Comunicação e Cultura pela USP e professor da Unesp (Universidade Estadual Paulista) em Bauru, falou ao NJSR sobre o assunto. NJSR – Por que a laicidade do Estado? Qual sua importância? Juarez Tadeu – Esse é um legado da racionalização das funções do Estado, proposto pela República (todas e todos são iguais perante o Estado). No Brasil, a separação se deu com a proclamação da República. A laicidade do Estado garante respeito legal à diversidade religiosa e cultural, e não assegura direitos específicos a uma determinada ordem religiosa, por interesse do Estado ou do governo. Ela assegura isonomia – igual-

Todos são iguais ante o Estado dade civil e política – e igualdades ante o Estado, como valor universal, garantido para todos. Se o Estado é laico, qual a razão dos incentivos fiscais oferecidos às instituições religiosas? Política! Essa ação infringe o princípio da equidade e da racionalidade republicana.

De que maneira a laicidade do Estado brasileiro garante uma maior eficiência do poder público como um todo? Todas e todos tornam-se iguais ante o Estado, sem privilégios religiosos, na distribuição dos serviços públicos, no acesso aos direitos constitucionais e na garantia das liberdades individuais e coletivas. Ninguém poderá ser perseguido por professar uma determinada religião, desde que essa não afete o Estado democrático de direito. Assim, a violência contra as tradições de matrizes africanas e indígenas não afetam essas comunidades, mas sim o Estado democrático de direito, que proíbe qualquer manifestação que propague a intolerância religiosa e cultural. O Estado, então, inibe as ações violentas contra as matrizes sagradas não hegemônicas (as que não são baseadas no cristianismo catolicismo, evangelismo, pentecostal ou neo pentecostal). Dessa forma, o poder público tem obrigação constitucional de tratar todas as manifestações culturais e religiosas da mesma forma.

Temos hoje, em atuação, políticos que usam, por exemplo, o termo “pastor” como parte integrante de seus nomes públicos. Há como a laicidade do Estado realmente prevalecer nesse caso? O Estado laico não pode impedir as pessoas de se denominarem conforme suas tradições – princípios dos direitos à imanência e transcendência – religiosas: iyalorisa, babalorisa, pastor, padre, freira, rabino. A laicidade assegura o direito a essa nominação, desde que não implique intolerância a outras nominações e manifestações tradicionais ou religiosas. Existem iniciativas, públicas ou privadas, para a difusão do pensamento laico de governo? Inúmeras. Uma delas é a OLÉ (Observatório da Laicidade do Estado – www.nepp-dh.ufrj.br/ ole/equipe.html), que desenvolve uma trabalho excelente. Veja a íntegra no site www.eca.usp.br/njsaoremo

Cenas da São Remo ROGÉRIO GERALDO

SUSANA BERBERT

ROBERTO GERBI


4

Notícias do Jardim São Remo

Dezembro de 2012

comunidade

“Os alunos se divertem tanto preparando quanto participando do evento” ROSÂNGELA DOS SANTOS COSTA, COORDENADORA DO alavanca

Festa de Natal na SR CEI terá mudanças Evento para as crianças distribuirá presentes O Projeto Alavanca realizará festa de natal para suas crianças no dia 17 de dezembro na sua sede, na Rua Aquianés, 35. A festa começará às 16 horas e irá distribuir brinquedos arrecadados de doações aos alunos do projeto. O evento também contará com alimentos doados pela Faculdade de Química da USP e guloseimas, decorações, além de cartões feitos pelas próprias crianças. Segundo Rosângela dos Santos Costa, coordenadora geral do projeto, a festa reunirá as crianças que participam do Projeto Alavanca. Ao todo serão 72 meninos e meninas com idades variantes entre quatro e doze anos. A coordenadora ressaltou que as crianças mais velhas só receberão cartões de natal, porque já passaram da idade de receber brinquedos. Rosângela disse ainda que o volume de doações está pequeno. Quando perguntada se as arrecadações são fracas todo

ano, ela afirmou que “não, varia muito de ano para ano na verdade”. Em 2010, por exemplo, o projeto recebeu tantos brinquedos que pode até doar uma parte deles para Dona Fatinha, organizadora da festa das crianças na São Remo. Já em 2011 a arrecadação foi tão baixa que faltaram brinquedos para todas as crianças. Observando o volume de doações até o momento, Rosângela prevê que 2012 também será um ano com baixa arrecadação. Alimentos doados pela Faculdade de Química da USP irão complementar a festa. A decoração, os cartões de natal que serão trocados e algumas guloseimas como cookies serão feitos por alunos durante suas atividades dentro do Alavanca. “Eles se divertem tanto preparando quanto participando do evento” diz Rosângela que também afirma que “o retorno das crianças é ótimo. Todos estão realmente empolgadas com o projeto, eles adoram a festa de natal”.

Quer ajudar o Projeto Alavanca a continuar as suas atividades em 2013? Você pode ser um colaborador e fazer a sua doação. A forma de doação é aberta à escolha de cada pessoa. As doações físicas devem ser entregues na sede do Projeto Alavanca Endereço: R. Aquianés, nº35 – Jardim São Remo – Butantã – SP Telefone: (11) 3714-1566 e-mail: rosangela.costa@projeto-alavanca.org

RUVILA MAGALHÃES

Thiago Salles

Girassol deixará de atender crianças pequenas

CEI Girassol que, em 2013, passará a se chamar Espaço Girassol Rúvila Magalhães O CEI (Centro de Educação Infantil) Girassol deixará de atender crianças de até 5 anos de idade a partir de 2013. Com o rompimento do convênio com a prefeitura, o CEI, que será chamado Espaço Girassol, passará a atender somente crianças na faixa etária de 6 até 10 anos. No novo esquema, as crianças irão permanecer no projeto por cinco anos, com atividades diárias, paralelas às escolares, e que durarão 4 horas. O CEI Girassol mantinha convênio com a Prefeitura de São Paulo, que era responsável por parte da verba necessária para o seu funcionamento. Mas a parceria diminuía a faixa etária dos alunos: apenas crianças de 2 e 3 anos eram frequentadoras do Centro de Educação Infantil. Com a mudança, 24 alunos irão para outras creches. O remanejamento das crianças está sendo feito pela Delegacia Regional de Ensino do Butantã. Elbio Miyahira, membro da diretoria da ins-

tituição, garante que a equipe do Girassol será solidária: “Estaremos acompanhando este processo e dando todo o apoio que as famílias de nossos alunos precisarem.” O desejo da direção do CEI é que os alunos permaneçam no espaço por mais tempo para que seja desenvolvido um trabalho de apoio mais duradouro, tanto com as crianças quanto com a família delas. O encerramento do convênio com a Prefeitura permitirá que esse objetivo seja alcançado. Segundo Elbio, as mudanças permitirão aumento no número de crianças atendidas. “Atualmente, atendemos 63 crianças de 2 e 3 anos. Com o novo projeto atenderemos 100 crianças de 6 a 10 anos.” Além do aumento no número de crianças atendidas, a nova faixa etária trará diversos benefícios para a comunidade. As crianças atendidas estarão cursando o Ensino Fundamental I em apenas meio período nas escolas da região e o tempo que elas teriam livre será gasto em atividades educacionais dentro do Espaço Girassol.


Dezembro de 2012

Notícias do Jardim São Remo

.5

comunidade

“Comunidade unida jamais será vencida” val, morador do jardim São remo e militante

São Remanos fazem protesto na USP Cidade Universitária recebeu ato contra a violência e em defesa do direito à moradia tiu, por volta das 16 horas, da entrada da comunidade, na Rua da Prefeitura do Campus com destino à Reitoria da USP, onde chegou uma hora e meia depois. O Ato havia sido proposto em uma reunião ocorrida na sede do

Sintusp (Sindicato dos trabalhadores da USP), no dia 5 de noUm Ato Unificado contra a vembro, e levado a discussão à ocupação militar e a ameaça de comunidade no dia 11, em uma despejo dos moradores da São reunião da Associação dos MoRemo foi realizado no dia 22 de radores. Além do Sintusp e da novembro. A manifestação parAssociação, participaram da organização da atividade o DCE-Livre da USP, militantes, estudantes preocupados com esta situação e moradores. O protesto surgiu da necessidade de resposta às ações policiais das quais a comunidade foi vítima no dia 31 de outubro. A defesa da moradia e o repúdio à violência policial no Jardim São Remo são as principais reivindicações da comunidade. A cobrança é pela maior atenção por parte da universidade nos assuntos que dizem respeito aos direitos dos cidadãos. Outra exigência dos moradores era a divulgação do plano Moradores, alunos e membros de entidades em frente à reitoria de reurbanização que a Univer-

IVANE / IMPRENSA SINTUSP

Rúvila Magalhães

sidade tem para a São Remo. O responsável deste é o diretor da FAU (Faculdade de Arquitetura e Urbanismo), Marcelo Romero. Os moradores ainda não têm muitas informações sobre ele. “Desde que ele foi para supervisão do Romero não se tem notícias”, afirmou uma aluna do curso de Arquitetura e Urbanismo. Durante a passagem pelo prédio da FAU, os manifestantes gritaram palavras de ordem e exigiram explicações de Romero, mas o diretor não apareceu para esclarecer a situação. Os moradores encontram-se bastante apreensivos com a situação, mas mostram-se engajados na luta para defender seu direito de moradia. “A São Remo não vai comer o prato feito do governo, não” foi o que afirmou Helena, moradora da comunidade. Ela disse ainda que a comunidade vai resistir até o final.

Projeto promove exames contra a AIDS Testes fazem parte da Campanha Fique Sabendo 2012 que acontece até 1º de dezembro Bruna Rodrigues Primeiro de dezembro é o Dia Mundial de Luta contra a AIDS. Por causa disso, em todo o estado, exames que normalmente são realizados em um único local estão disponíveis em todos os Postos de Saúde até essa data. Essa ação faz parte da Campanha Fique Sabendo 2012. Ela tem o objetivo de buscar uma maior conscientização a respei-

to do tema e os testes de prevenção contra o vírus HIV. Esse exame é realizado com apenas uma gota de sangue retirada do dedo. O resultado sai em aproximadamente 30 minutos. Caso a pessoa apresente o vírus da AIDS, ela será encaminhada para o tratamento. Após o término dessa campanha, os locais indicados para a realização desse teste são os Centros de Testagem e Aconse-

lhamento (CTA). Eles são serviços de saúde que realizam ações de diagnóstico e prevenção, gratuitamente, de doenças sexualmente transmissíveis, tudo com muito sigilo. O CTA mais próximo da São Remo está localizado na Avenida Corifeu de Azevedo Marques, 3.596, no bairro do Butantã. O telefone para contato desse CTA é (11)3768 1523. O HIV atinge hoje milhares de pessoas e muitas delas ainda não

sabem como se prevenir. Vale ressaltar que o melhor e mais seguro método de prevenção contra a AIDS e outras doenças sexualmente transmissíveis (DST) é a utilização dos preservativos, seja o feminino ou o masculino. Os modelos de camisinha são distribuídos gratuitamente em toda a rede de saúde pública e em algumas escolas parceiras do projeto Saúde e Prevenção nas Escolas.


6

Notícias do Jardim São Remo

Dezembro de 2012

comunidade

“[Morar sozinho] Pra mim, é uma vitamina” João Xavier, morador

Ecopontos recebem pequenos entulhos Móveis velhos, podas de árvores e materiais recicláveis também podem ser entregues nesses espaços

Resíduos removidos nos ecopontos

Ecopontos são locais de entrega voluntária de resíduos de grande porte. Criados pela prefeitura de São Paulo e disponíveis em todas as regiões da capital, eles recebem principalmente pequenos volumes de entulho (até 1m3). Além de entulho, podem ser descartados também grandes objetos, como móveis e podas de árvore, além de material reciclável. O lixo lá depositado é recolhido periodicamente pela prefeitura e destinado a um local apropriado a sua natureza.

67,9% 26,9% 5,29%

GABRIELA FACHIN

Patrícia Figueiredo

Recicláveis Entulho Volumosos FONTE: PREFEITURA DE SÃO PAULO

Esse tipo de material que os Ecopontos recebem não é retirado pelas empresas de coleta de lixo. Ele deve ser levado até o local pelo cidadão e então depositado em caçambas específicas para cada tipo de resíduo. Levando seu entulho

até um Ecoponto você evita descartá-lo na rua, em terrenos baldios ou praças, o que provocaria grandes problemas ambientais à comunidade. No ano passado, a quantidade total de resíduos recolhidos nos Ecopontos foi de 223.809,90m3.

Todo esse resíduo poderia ter sido abandonado na rua, provocando alagamentos, mau cheiro e atraindo animais e insetos. A Prefeitura de São Paulo planeja aumentar o número de unidades do serviço em breve. Atualmente, existem 57 Ecopontos na cidade. O mais próximo da São Remo é o Ecoponto Jardim Maria do Carmo, que fica na rua Caminho de Engenho, 800, Vila Sônia. Funciona de segunda à sábado das 6h às 22h e domingos e feriados das 6h às 18h. Para mais informações ligue para o telefone 0800-7777156.

Cresce número de idosos que moram sozinhos Jéssica Soler O número de idosos que moram sozinhos vem aumentando no país. De acordo com o IBGE, esta quantidade já representa 14% dentre as pessoas com mais de 60 anos. O risco de acidentes domésticos nesta faixa etária é grande e devem-se tomar alguns cuidados. João Xavier de Oliveira é morador da comunidade, tem 64 anos e mora sozinho há seis. Segundo ele, o único problema disto é que devido a um derrame cerebral ocorrido em junho deste ano, possui ainda uma pequena dificuldade para andar, e por isso, a subida da Rua Aquianés, onde

Jéssica Soler

Idosos possuem mais riscos de acidentes domésticos; especialista dá dicas de prevenção

Mesmo sozinho, João é sorridente mora, torna-se um pouco mais lenta. No entanto, João Xavier faz questão de frisar que isto não é um empecilho. “[Morar sozinho] Pra mim, é uma vitamina e a vantagem é que ninguém me perturba”. João Xavier, porém, é quase uma exceção à regra. De acor-

do com Rosamaria Rodrigues Garcia, fisioterapeuta docente da Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS), muitas vezes isso ocorre por falta de opção. O idoso perde o cônjuge, e não tendo alternativas, já que os filhos podem morar longe ou não ter um local adequado para recebê-lo, acaba “morando sozinho na residência em que foi casado e criou os filhos”. Um grave problema que pode ser decorrente desta situação são as quedas. Como explica Garcia, geralmente elas estão associadas à alteração de visão, desgaste das articulações, fraqueza muscular, uso de alguns medicamentos, se-

dentarismo, etc. Mas, segundo ela, o espaço físico onde reside o idoso também contribui consideravelmente para as quedas. A fisioterapeuta dá algumas dicas de prevenção (veja box). Não apague as lâmpadas dos corredores à noite. Não tome banho descalço. Retire tapetes e objetos que atrapalhem a passagem. Faça limpeza com sapato fechado. Instale barras de apoio no box e próximo ao vaso sanitário. Evite encerar o chão. Mantenha a casa bem iluminada.


Dezembro de 2012

“Uma prestação mais baixa pode significar um juro mais alto” francisco fernandes, sócio da ferata

Notícias do Jardim São Remo

7

papo reto

Saiba como planejar as suas despesas Com a chegada do final do ano, organizar os gastos ajuda a evitar sufocos na hora de pagar RICARDO KURAOKA

Ricardo Kuraoka O final do ano é uma época de muitas alegrias e festividades, mas pode criar muitos problemas sem um planejamento financeiro consciente. Os gastos acumulados de impostos, presentes, material escolar podem pegar de surpresa quem não se preparar adequadamente para essa época. Francisco Carlos Fernandes, sócio da empresa de contabilidade Ferata dá algumas dicas para começar um 2013 com pé direito. Mantenha registro das contas Uma boa maneira de não se surpreender com as contas no final do ano é olhar para o que foi gasto no ano anterior. Existem gastos previstos e não previstos. Imposto de Renda, IPTU, IPVA, material de escola, são gastos periódicos e que devem entrar no planejamento financeiro do final do ano. Gastos imprevistos, como acidentes, também devem ser considerados para o caso de uma emergência. O décimo terceiro é o limite Ter algum dinheiro a mais no final do ano pode dar a falsa impressão de que existe um poder muito maior de compra. O décimo terceiro, no entanto, deve ser considerado como o limite a não ser ultrapassado. É preciso lembrar que dele também é recolhido o INSS e que esse dinheiro pode ser o respiro do final do ano caso ocorra algum gasto imprevisto.

Antecipe os gastos Planejar o que será gasto no final do ano, alguns meses, antes evita o consumo excessivo. Alguns produtos encarecem na época do Natal e podem ser comprados anteriormente. Para aqueles que necessariamente precisam ser comprados perto do final do ano, vale prever no planejamento economizar dinheiro para que possam ser comprados à vista. Não existe promoção milagrosa É preciso tomar cuidado com as promoções de final de ano. Existem muitas promessas de pagamento e a compra só deve ser feita considerando o preço total a ser pago. A Black Friday, por exemplo, foi um dia promocional em que muitas lojas abaixaram os preços de seus produtos. No entanto, muitos dos descontos divulgados eram muito baixos ou enganosos.

É preciso fazer concessões Dificilmente no planejamento financeiro é possível ficar totalmente satisfeito com os resultados. Muitos sacrifícios precisam ser feitos para que não se perca o controle do dinheiro. Pode ser necessário gastar tempo com pesquisas e anotações, mas essas ações garantem que não se comece o ano de maneira insatisfeita.

Normalmente, quando o consumidor vai comprar uma mercadoria financiada, presta atenção somente ao valor da prestação. Tome cuidado! Às vezes, uma prestação mais baixa pode significar um juro mais alto. Abaixo, o NJSR explica como calcular os juros dentro de um financiamento. É importante que o consumidor também compare as taxas na hora de pesquisar preços.

Como calcular a taxa de juros de finaciamento Se uma mercadoria de R$1.000,00 for financiada em 10 vezes de R$120,00 com entrada de R$200,00: Subtraia o valor da mercadoria pela entrada R$1.000,00 – R$200,00 = R$800,00 (A) Multiplique o número de parcelas restantes por seu valor: 10 x 120,00 = 1.200,00 (B) Divida o valor B pelo valor A 1.200,00 ÷ 800,00 = 1,5 ou seja, 50% é o total de juros pago no financiamento.


8

Notícias do Jardim São Remo Dezembro de 2012

são remano

“Os moradores se reconhecem e por isso essa produção é tão importante” rose hikiji, antropóloga

A redescoberta da periferia no cinema Iniciativas buscam envolver moradores da favela na produção de filmes para a comunidade

Gabriela Malta As periferias sofrem com a privação do acesso à cultura. Não há investimentos públicos nem privados para construção de espaços de convivência e cultura, como teatros e cinemas. A população também sofre com os elevados preços cobrados pelas grandes redes de cinema. Mas existem indivíduos que voltaram sua atenção para esse problema. O Cineb, projeto realizado pela Brazucah Produções em parceria com o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e regiões é um circuito alternativo que já exibiu produções cinematográficas nacionais na comunidade, por exemplo.

O Circo-Escola também já produziu mostras sobre cinema na São Remo. Mas esses projetos, boa parte das vezes, exibem apenas conteúdos que não foram feitos pela periferia, nem para ela. Para Thiago Borges, jornalista e idealizador do projeto Periferia em Movimento, quem tem recursos para fazer cinema não nasceu nem foi criado na periferia. Segundo a antropóloga e pesquisadora Rose Hikiji, a periferia é distorcida no cinema por ser um olhar “de fora”. Em sua pesquisa, moradores criticaram as representações centradas na violência, como em Cidade de Deus. Isso despertou neles o desejo de fazer os próprios filmes.

O Cinema da Quebrada O cinema produzido pela comunidade é diferente. “De fato os filmes produzidos pelos moradores geralmente se situam nos bairros, ou trazem situações que só quem mora lá pode trazer. Eles conhecem o lugar, as formas de organização social, as vielas. Os moradores se reconhecem e por isso essa produção é tão importante”, comenta Hijiki. Essa é uma oportunidade de driblar a cobertura estereotipada das favelas, mostrando um olhar diversificado. O Festival Internacional de Curta-Metragens de São Paulo, por exemplo, realiza uma sessão que exibe filmes produzidos nas comunidades.

Alternativas Para Sueli Carneiro, que, além de ser jornalista, é também idealizadora do Periferia em Movimento, existem muitos moradores da própria periferia que já entenderam há bastante tempo que ela não é aquilo que se mostra na televisão ou no cinema. Isso despertou nelas a vontade de reproduzir o que é real de verdade. Essas pessoas vêm produzindo graças ao apoio de oficinas oferecidas por ONG’s, como os Oficinas Kinoforum, por exemplo. Existe também uma alternativa oficial, o programa VAI, da prefeitura, que apoia financeiramente as diversas produções de culturas.

Saraus enriquecem o cotidiano da comunidade ROGÉRIO GERALDO

Rogério Geraldo O Sarau da Remo é um espaço aberto para que a comunidade se manifeste em toda a sua diversidade. Ele também abre oportunidades para que projetos e trabalhos de outras localidades sejam expostos, enriquecendo o cenário artístico com visões de realidades externas ao Jardim São Remo.

Exemplo disso está no Sarau da Cesta, que surgiu dentro da USP. Cláudio Laureatti, um de seus idealizadores, afirma que o projeto nasceu da idéia de parar de reclamar e fazer algo. Sua forma de trabalho é reunir artistas da periferia para discutir o acesso à universidade. Janeide Silva, uma das responsáveis pela realização do Sarau da Remo, relata a diversidade de pes-

soas que se apresentam no evento, como evangélicos que cantam hinos, moradores que falam de problemas individuais ou manifestam seus descontentamentos com ocorrências dentro e fora do bairro, crianças que cantam músicas e contam histórias, etc. Em meio a este ambiente multicultural, Laureatti recita seus poemas e apresenta seus ideais de inclusão, os quais Janeide considera muito importantes para as crianças e jovens que estão presentes no local. Além de gerar interesse pelo conhecimento e discussão, essas inovações ampliam o horizonte de interesses relacionados a assuntos como direitos e oportunidades que a comunidade precisa ir de encontro.

Participação de crianças O Sarau da Remo é resultado da parceria de amigos que visualizaram o interesse dos moradores por este tipo de evento. Muitos visitavam saraus de comunidades vizinhas, mas tinham dificuldade porque a maior parte deles se realizava durante a semana. Assim, resolveram aproximar o sarau da comunidade, sendo surpreendidos com a quantidade de crianças. Aproveitando a situação, Janeide leva livros para incentivá-las à leitura, além de trabalhar o repertório musical que trazem, na tentativa de envolvê-los com outros gêneros musicais , além do funk, que é muito popular. Para ela, o sarau, além de entreter, motiva as crianças a buscarem conhecimentos diversos.


Dezembro de 2012

Notícias do Jardim São Remo

9

são remano

“O caipira gosta de música alegre, genuína, simples.” INEZITA BARROSO, cantora

Inezita Barroso terá especial na televisão Com o final de ano, programa da TV Cultura “Viola, Minha Viola” exibirá edição natalina Érica Lima

CEDOC - TV CULTURA

Nos dias 23 e 30 de dezembro, serão exibidos pela TV Cultura os especiais de final de ano do programa “Viola, Minha Viola”, apresentado por Inezita Barroso. No dia 23, vai ao ar o especial de Natal e, no dia 30, o de ano novo, com reprise nos dias 29 de dezembro e 5 de janeiro. Há 32 anos seguidos na TV, o “Viola, Minha Viola” é o mais antigo programa musical da televisão brasileira. Comandado pela cantora, atriz, instrumentista e professora de Folclore, Inezita Barroso, o programa é um espaço de reconhecimento e valorização da música caipira. Inezita, nascida no bairro da Barra Funda, São Paulo, filha de uma família tradicional paulistana, tomou gosto pelo universo rural desde a infância, durante suas viagens para o interior. No início da década de 1950, começou sua carreira profissional. Hoje com 86 anos, Inezita é um

dos maiores nomes da divulgação da música caipira e do folclore brasileiro. Inezita conversou com o NJSR a respeito de seu programa e sobre os especiais de final de ano.

O “Viola, Minha Viola” está no ar há 32 anos e é um enorme sucesso. A que a senhora atribui a longevidade do programa?

O programa começou com meus amigos Moraes Sarmento, que era um grande radialista aqui de São Paulo, e o Nonô Basílio, grande compositor e pesquisador da cultura caipira. Eu atribuo o sucesso do programa à simplicidade. O caipira gosta da música autêntica, genuína, simples. E essa poesia e essa alegria que o contagia. Em nossa plateia, há telespectadores que são assíduos há quase 30 anos, desde que o programa começou a ter auditório. Isso não é para qualquer programa. A fidelidade deles é emocionante. O que os telespectadores podem esperar dos especiais do “Viola, Minha Viola” neste ano? Teremos quatro especiais de final de ano. Um será uma reprise de peso de um programa que gravamos em agosto com a família do violeiro Almir Sater. Também teremos uma inédita roda de viola e cantoria com grandes representantes da música caipi-

ra: Léu, Juliana Andrade e Jucimara, Irmãs Barbosa, Roberto Correa, Badia Medeiros e Dudu da Viola. No começo de próximo ano, ainda faremos nosso tradicional programa de folia de reis, saudando uma das manifestações mais comuns de nosso período natalino. E ainda vamos ter um quarto especial surpresa para todos. Vai ser coisa fina! Como os fãs podem fazer para assistir à gravação do programa? A plateia do “Viola, Minha Viola” é feita por caravanas com cerca de 30 pessoas e inscrições individuais feitas por telefone. Os grupos já estão fechados até o final do ano e as inscrições por telefone são feitas somente às segundas a partir das 14h pelo telefone 2182-3462. As inscrições são gratuitas. A procura é muito grande, então só podemos inscrever por ordem de ligação. O “Viola, Minha Viola” é apresentado, às 9h, com reprise aos sábados, às 20h.

Final de ano traz diversas atividades Gabriela Malta Com as férias se aproximando, o SESC Pinheiros oferece atividades para todos. Uma delas é a “Oficina de Construção de Tambor de PVC”. A partir de materiais reciclados, esta oficina promove contato com a música e percurssão. A atividade é voltada para famílias e acontece dia 28/12, das 11h30 às 16h30. Ainda no SESC Pinhei-

ros, até o dia 16/12 está em cartaz a peça “A Volta ao Mundo em 80 Dias”, aos domingos e feriados, às 15h e às 17h. No SESC Osasco, acontece até 16/12 a atividade “Jogos de Tabuleiro”, com empréstimo e orientação das regras de jogos de tabuleiro, com supervisão dos monitores do SESC. A cidade também ganha atrações para comemorar o Natal. A iluminação especial em pontos de São Paulo,

como a decoração da Praça de Natal da Av. Paulista e os shows de águas dançantes do lago do Parque Ibirapuera, valem a visita.

de e fim d l a r tu

a cul

ano

ateus São M m e Cursi” a samb Maria e e d d 9 a a Rod unid ursi, 79 agenda cultural de fim de ano com a “Com h, na Av. Maria C 23 SESC Pinheiro 20h às s bados, á s ina Música e percus Vila Alp sã a o: n ia r Oficina de cons Tião, trução de tambo de Ola Bar do a o b n , m h r a de 8 dia 28/12, das 11 1 PVC S h30 rtir das

Peça: A Volta ao Mundo

às 16h30

domingos e feria em 80 dias do até o dia 16/12 s, às 15h e 17h

agend

s, a pa 7 sábado eto, 38 ar Barr p s a G R.


10

Notícias do Jardim São Remo Dezembro de 2012

mulheres

“O que realmente funciona é fazer uma alimentação equilibrada” DEVANIR MAGNI, PROFESSORA DE EDUCAÇÃO FÍSICA

A melhor dieta é estar em equilíbrio Para especialistas, o caminho para um corpo saudável é conciliar boa alimentação e exercícios Sofia Calabria Devido aos padrões de beleza, muitas mulheres acabam mudando suas posturas em relação à aparência que possuem. Para atingirem o corpo desejado, às vezes acabam por recorrer às famosas dietas, como as da sopa, do carboidrato, da proteína. Por focarem em somente um tipo de alimento, estas dietas podem ser muito perigosas. Quando há um desequilíbrio de nutrientes, o emagrecimento pode vir acompanhado de uma saúde deficiente. “O que realmente funciona é fazer uma alimentação equilibrada, ingerindo todos os tipos de alimentos (proteínas, frutas, verduras açúcares e amidos). O importante é não comer em excesso,

pois nosso corpo precisa de todos esses alimentos”, diz a professora de Educação Física, Devanir Magni. Outro ponto que se destaca é o efeito passageiro de uma dieta mal feita, o qual acaba por criar o chamado “efeito sanfona”. Nutricionistas ressaltam que ficar muito tempo sem comer também resulta em acúmulo de gordura. “É bom fazer de 5 a 6 refeições ao dia, retirar os excessos nas porções e alimentos ricos em gorduras, açúcar e sal. E todos devem evitar o sedentarismo, exercitando-se ao menos três vezes por semana”, recomenda a nutricionista Silvia Cunha. O ato de mastigar muito bem os alimentos ingeridos também é importante, pois ajuda na digestão e dá uma maior sensação de saciedade.

Caso seja detectado um quadro de obesidade, é necessário procurar por acompanhamento tanto médico quanto nutricional, pois ela pode causar tanto problemas motores como enfermidades. “As articulações ficam sobrecarregadas, tais como joelhos, tornoze-

los, pés, resultando em artroses. Outro fator que merece atenção é o aparecimento de doenças tais como diabetes, hipertensão e doenças cardiovasculares”, completa Devanir. Assim, não basta ficar em forma; é preciso também estar atenta à saúde.

Seu corpo, sua alma Independentemente de você ser gordinha ou magrinha, ame-se! Não existe isso de “mulher perfeita”, padrões de beleza são pura bobagem! Não precisamos ser todas iguais esteticamente. Você é linda do jeito que é e não deve prejudicar seu corpo para atingir esse ideal de físico. Devemos sim ter hábitos saudáveis, mas para manter a saúde, que é o que importa. Ame seu tipo de corpo: use roupas que combinem com ele e projete sua personalidade na sua aparência. Uma autoestima elevada é essencial para uma mulher confiante.

O erro não está no corpo, mas na mente Os transtornos alimentares são distúrbios relacionados à visão distorcida do próprio corpo Implicar demais com o próprio corpo e passar a comer cada vez menos podem ser sintomas de transtornos alimentares. Mais frequentes em adolescentes, são doenças ligadas à psicologia e à psiquiatria. Os mais comuns são a Anorexia e a Bulimia. Podem ser difíceis de perceber por causa das alterações emocionais comuns na adolescência. “Por qualquer coisa que eu chorava eu já pensava em comer mundos de comida. Muitas vezes voltava da escola ou do trabalho pensando no que ia comer,

SOFIA CALABRIA

Sofia Calabria

e nada em pouca quantidade. Depois batia a culpa e eu ia vomitar tudo”, diz a estudante Letícia Eloi,

que já teve bulimia. Esses distúrbios estão relacionados à Dismorfia Corporal, que consiste na visão distorcida do próprio corpo. A Anorexia caracteriza-se pela compulsão pela perda de peso. O doente tem a impressão constante de estar acima do peso, e passa a ingerir cada vez menos alimentos. Com o desenvolvimento da Anorexia, o aspecto de magreza acaba por torna-se extremo. Já o bulímico tem a tendência de ingerir muitos alimentos altamente calóricos, em pouco tempo. Após ingerí-los, é acometido de um sentimento de culpa, e assim

provoca vômitos ou faz uso de laxantes para eliminar os alimentos. Pode também haver a prática intensa de atividade física, como compensação para os excessos. Iniciam-se com dietas, mas com o tempo se agravam e podem levar à morte. Ambas apresentam como característica uma preocupação excessiva com o peso. Isso se torna uma compulsão e causa sofrimento. Junto à desnutrição grave, vêm outras doenças como osteoporose, anemia. Alterações emocionais as acompanham como mudança de humor, ansiedade e depressão.


Dezembro de 2012

Notícias do Jardim São Remo 11

esportes

“Eu me sinto bem. Acho que todo mundo deve fazer exercício” odete fernandes ribeiro, aposentada e aluna do cepe-usp

As dificuldades para entrar no Jogo Gabriella Feola Tantos garotos sonham em ser um jogador de futebol rico e famoso, assim como seus ídolos, mas nem tudo é glamour e luxo. Os meninos que são contratados muito cedo para se transformarem craques do futuro enfrentam muitas dificuldades no caminho. Samuel Balbino é um desses. Começou a jogar bola aos sete anos de idade, aos dez, foi treinar pelo São Paulo Futebol Clube. Samuel morava em Bauru e é filho único de uma família humilde. No início, continuou morando e estudando na sua cidade natal e viajava algumas semanas para o centro de treinamento. Ele contou que faltava na escola por

causa disso, mas conseguia atestado para eliminar suas faltas. Para ele, ficar longe de casa foi a maior dificuldade que enfrentou. Aos treze anos, Samuel teve problemas de crescimento. Apesar de o São Paulo ter dado assistência médica, o garoto foi demitido por não acompanhar o crescimento de seus colegas de equipe. Depois de sair do São Paulo, foi chamado para jogar no Paraná Clube. Mudou-se para lá e ficou morando no centro de treinamento. Samuel conta que não tinha salário. O time oferecia estudo, alimentação moradia e uma ajuda de custo. “As pessoas acham que você está jogando bola e está ganhando dinheiro, mas só você sabe como que é lá dentro”.

Quando o Paraná Clube enfrentou problemas administrativos, os garotos acabaram ficando sem assistência. “Eu passei fome umas duas semanas, por isso que eu saí de lá”. Apesar das dificuldades, Samuel não se arrepende. Depois de sair do Paraná, foi contratado pelo Noroeste, aos 16 anos, foi quando começou a ganhar salário. Aconselha os garotos que sonham com a carreira a serem persistentes, estudarem sempre, ouvirem os conselhos de quem está acima e principalmente respeitarem os pais. Samuel está feliz jogando no Noroeste e já é considerado uma revelação pelo diretor executivo. Agora ele vai disputar o Campeonato Paulista da série A-2.

DIVULGAÇÃO

Para além da fama, a verdadeira realidade de um menino que queria jogar bola

CEPE-USP oferece atividades para a terceira idade Na terceira idade, atividades físicas são importantes para a manutenção da autonomia e saúde do indivíduo. Com o avanço dos anos, os acidentes e perdas de funcionalidades motoras aumentam, pois a força muscular, e a massa óssea diminuem. Ricardo Linares, professor de Atividade Física para terceira idade no Centro de Práticas Esportivas da USP (CEPE), diz que praticar exercícios auxilia na recuperação dessas capacidades: “As atividades diminuem os efeitos da idade. A segurança ao caminhar e a respiração aeróbica melhoram”.

Susana Berbert

Susana Berbert

Exercícios recuperam a saúde Ele ressalta que resultados emocionais podem ser percebidos: “As pessoas ficam mais confiantes e atentas; as conversas tornam-se mais dinâmicas”.

Cecilia Kasay faz exercícios com o grupo há três anos: “Eu gosto muito, a gente fica mais viva”, declarou. Maria da Penha Lorenzano, 75 anos, é aluna e atleta. Neste ano, Maria foi campeã Sulamericana nos 400 metros com 1,55 segundos: “Ano que vem pretendo estar no Campeonato Mundial Master com a mesma disposição e saúde que a atividade física me deu. A gente adquire um condicionamento muito bom”. Correção postural também é resultado da prática de atividades físicas. Eulina de Souza sentia dores nas costas, que melhoraram quando começou a fazer exercícios frequentemente.

O ambiente dinâmico da aula é outro fator bastante importante: “Eu adoro aqui, o professor é muito bom e nós fazemos amizades”, diz Eulina. O CEPE oferece cursos para a terceira idade, como Atividades Físicas, Yoga, Musculação, Ginástica, Alongamento e Resistência Localizada. As inscrições estão programadas para o final de Fevereiro. Para realizá-las, é necessário levar uma foto 3x4 e um exame médico recente. Uma taxa de 50 reais é cobrada referente ao semestre de aula. O valor pode ser parcelado, reduzido e até mesmo anulado de acordo com a renda do aluno.


12

Notícias do Jardim São Remo Dezembro de 2012

esportes

Arbitragem cometeu vários erros no jogo entre Puera e Areão

Copa SR aproxima das oitavas de final Com vitória no fim de semana, Unidos da Esther garante primeira colocação no grupo D

São Remo 1 X 2 Unidos da Esther Em jogo truncado e de poucas chances, o Unidos da Esther venceu marcando gol no último lance da partida e garantiu a primeira colocação para o time no grupo D. A partida começou equilibrada, com as duas equipes procurando o ataque, mas sem conseguir criar muitas chances. O São Remo ficava mais com a bola, mas errava muitos passes. Já o Unidos da Esther tentava definir as jogadas rapidamente, aproveitando a velocidade dos seus atacantes. Começaram a acontecer muitas faltas e reclamações, e o árbitro mostrou cartões amarelos. O segundo tempo começou mais acelerado e numa boa tabela entre os atacantes do Unidos da Esther, Samuel fez o gol de cabeça após cruzamento da direita, antes dos 5

Copa São Remo Grupo A Multirão Ué Qui Foi Nova Aliança União J. P. Atlético Grupo B Catumbí Paraíba Favela Barueri 1º do Oeste

Pontos

Jogos

Vitórias

Saldo

6 6 4 2 1

4 4 3 2 3

1 1 1 0 0

2 1 -1 0 -2 11 5 -5 -4 -8

10 10 4 4 0

4 4 4 4 4

3 3 1 1 0

Pontos

Jogos

Grupo C Paradão Areão Barça Puera Vila Nova

Vitórias

Saldo

8 6 4 4 2

4 4 4 3 3

2 2 1 1 0

3 -1 -2 1 -1

Grupo D U. da Esther Arsenal Cansação São Remo Pão de Queijo

12 6 2 2 2

4 3 3 4 4

4 2 0 0 0

8 -1 0 -2 -4

Lucas Coelho

A Copa São Remo teve mais uma rodada no domingo, dia 25. Alguns times já garantiram seus lugares nos jogos das oitavas de final.

minutos. O Unidos da Esther chegou a perder um gol embaixo da linha e sem goleiro, quando o atacante chutou a bola no travessão. O São Remo não mostrava forças para reagir, seus atacantes ficavam isolados e a equipe não levava perigo, mas, após cruzamento da esquerda a bola foi desviada na primeira trave e Rogério empatou a partida, faltando pouco para o fim do jogo. Quando tudo parecia decidido, Samuel apareceu novamente para São Remo perdeu mais uma partida e continua sem vitórias na Copa marcar e garantir a vitória e o 1º lugar do grupo ao Unidos da Esther. dor expulso por colocar a mão na do o jogo ficava bom, o árbitro fez bola. Na cobrança da falta, a primei- mais uma lambança: em jogada de Puera 2 X 0 Areão ra polêmica do dia: um gol muito ataque do Areão, o atacante sofreu Puera conseguiu vitória para mal anulado do Puera por impedi- a falta, mas o time levou vantagem. abrir vantagem na zona de classi- mento. O primeiro tempo terminou O atacante que seguiu a jogada ficação em relação ao Vila Nova, cheio de faltas e com o Puera sem acabou sofrendo pênalti. O juiz deque empatou com o Paradão. Com aproveitar o jogador a mais. morou em apitar e, quando o fez, a derrota, o Areão perdeu a chance No segundo tempo, o juiz conti- resolveu marcar a primeira falta, de assumir a liderança do grupo C. nuou a distribuir cartões para tentar que havia sido fora da área. Depois O Puera começou o jogo mais li- acalmar os jogadores e evitar confu- disso, quase não teve mais jogo. gado que o Areão, criando boas sões. O Puera abriu o placar quando O Areão ainda teve mais um jochances desde o início. O árbitro Ezequiel marcou de cabeça. gador expulso com o segundo carjá começou a partida distribuindo De repente a partida mudou. Os tão amarelo. No final, Luis ainda cartões amarelos. A situação piorou dois times começaram a criar chan- fez mais um para a equipe do Puepara o Areão após perder um joga- ces e perderam gols incríveis. Quan- ra, fechando o placar. Daniel Morbi

Lucas Coelho


Parte integrante do Notícias do Jardim São Remo - DEZEMBRO DE 2012

, o h n i m e R o ã c o e , l o a t m a e N R e d a m Super i l c m e o já estã e você?


Olá amiguinho, Resolvi escrever para agradecer por todos esses anos que você tem escrito para mim. Apesar de gostar muito de países quentes como o seu, eu tenho que trabalhar no Pólo Norte, mas sempre passo minhas férias nas praias do Brasil. Eu tenho um segredo para contar: você sabia que ninguém nasce Papai Noel? As pessoas se tornam Papai Noel. Ser Papai Noel sempre foi meu sonho então eu me dediquei e me esforcei o máximo para que ele se realizasse – e você deve fazer o mesmo com os seus sonhos. E não pense que eu uso a mesma roupa o ano todo não. Eu sou um Papai Noel limpinho, essa roupa é meu uniforme porque lá no céu é bem frio, mas quando estou no Brasil prefiro usar camisetas e shorts. Bom, caso você tenha mais dúvidas sobre a rotina de um Papai Noel, por favor, me escreva e eu responderei a sua carta. Não se esqueça de obedecer seus pais e tomar banho, hein? Seja uma boa criança. Abraços do seu amigo, Papai Noel Ho Ho Ho


LIGUE OS PONTOS vamos costurar a roupa do papai Noel? Ligue os pontos e termine o desenho.

O Papai Noel perdeu 5 presentes nas páginas do São Reminho: uma bola, uma boneca, um carrinho, uma bicicleta, e um ursinho de pelúcia. Ajude o Super Remo a encontrar os brinquedos!


JOGO DOS 7 ERROS

VOCÊ SABIA QUE... • antigamente, o Natal não tinha uma data certa, pois não se sabia o dia do nascimento de Jesus? Só no século IV que 25 de dezembro foi estabelecido como data oficial de comemoração. Obrigado por encontrar os presentes! • ”Bate o sino” foi Um Feliz Natal a primeira música e ótimo Ano Novo! cantada no espaço, no dia 16 dezembro de 1965? •as bolas de natal representam os primeiros enfeites feitos nos pinheiros e carvalhos: pedras e maçãs?


Notícias do Jardim São Remo