Issuu on Google+

Escola Estadual do Bairro Sテ」o Caetano

IV Festival de

Poesia

ESCOLA ESTADUAL DO BAIRRO Sテグ CAETANO

2012

1


IV Festival de Poesia

Escola Estadual do Bairro São Caetano

Equipe de Língua Portuguesa: Ana Karina Caldeira Carine de Paula Souza Cláudia Rangel da Fraga Cristiane Costa Baiotto Flávia Rezende Evêncio Graziele Soares da Silva Miriam Pereira Soares Peres Nisdey Débora de Araújo Selma Antônia Sales de Prado Sônia Maria Barbosa Secretária: Maria Catarina Magalhães F. Rezende Especialistas: Cleuza Maria Coelho Elita C. Chaves Elizabete de Oliveira Faria Vivian Francisca Brito Vice-diretoras: Marissol Marcelina Maia Munick Rodrigues Bragança Patrícia Corrêa dos Reis Diretora: Ângela Maria Chiodi da Silva “Todo amor é eterno. Se não é eterno, não era amor.” Nelson Rodrigues

2

3


IV Festival de Poesia

Escola Estadual do Bairro São Caetano

Nossos agradecimentos Equipe de Matemática Professores de Educação Física Funcionários

Regulamento do Festival de Poesias Realização da Equipe de Língua Portuguesa Dos objetivos: Artigo1º - O Festival de Poesias realizado pela Escola Estadual do Bairro São Caetano tem como objetivo principal envolver o educando num processo de motivação que os desperte para a criação de textos poéticos. Da participação: Artigo 2º – Poderão participar desse Festival de Poesias, apenas os alunos regularmente matriculados e frequentes na E.E. do Bairro São Caetano, com textos originais, que não tenham concorrido em outros festivais.

Ao Projeto Jovem de Futuro / Instituto Unibanco

Artigo 3º - O aluno poderá concorrer com qualquer quantidade de textos, desde que sejam de sua autoria. Da seleção e premiação: Artigo 4º - Os poemas passarão pelas seguintes etapas de seleção: I – A Equipe de Língua Portuguesa selecionará entre todos os textos apresentados, os 39 melhores textos, do 1º Ano ao 3º Ano do Ensino Médio. II - Um corpo de jurado escolherá entre os textos selecionados, os três melhores poemas. Observando os critérios que serão apresentados abaixo deverão transcrever as notas para uma folha em anexo, levando-as prontas para a mesa apuradora. Parágrafo Único: Para o processo de seleção dos textos, os jurados deverão usar os seguintes critérios:

“Convém não facilitar com os bons. Convém não provocar os puros. Há no ser humano, e ainda nos melhores, uma série de ferocidades adormecidas. O importante é não acordá-las.”

Serão atribuídos 10 pontos por texto, assim distribuídos: 1 - Originalidade: 3 2 - Criatividade: 3 3 - Coerência no desenvolvimento do tema: 2 4 - Linguagem: 2

Jorge Amado

4

5


IV Festival de Poesia

Escola Estadual do Bairro São Caetano

Artigo 5º - Serão escolhidos durante as apresentações das poesias ao público, os 3 melhores intérpretes, sendo que o jurado deverá atribuir nota de 0 a 10 (podendo ser fracionada), evitando assim a possibilidade de empate. A soma dos pontos definirá os vencedores.

Sumário

Artigo 6º - Caso haja empate, os critérios para o desempate será a sequência disposta no parágrafo único do Artigo 2º.

Regulamento 5 ................................................................................................ e 6

Artigo 7º - Serão atribuídos os seguintes prêmios: Autoria 1º lugar: R$250,00 (Vale presente) 2º lugar: R$150,00 (Vale presente) 3º lugar: R$100,00 (Vale presente) Intérprete 1º lugar: R$250,00 (Vale presente) 2º lugar: R$150,00 (Vale presente ) 3º lugar: R$100,00 (Vale presente)

Organizadores 3 ............................................................................................. Agradecimentos 4 ...........................................................................................

Sumário 7 ........................................................................................................ e 8 Frase 9 ............................................................................................................

Trilhas 10 ........................................................................................................... Amor bandido 11 ...............................................................................................

Sol 12 ................................................................................................................. Anjo 13 .............................................................................................................. Saudades 14 .....................................................................................................

........................................................................................ Amante assassino 15

Paixão nacional 16 ............................................................................................

Os professores do vencedor do 1º lugar em autoria e 1º lugar em interpretação receberão R$250,00(Vale Presente).Caso os vencedores sejam alunos do mesmo professor, este terá direito aos prêmios correspondentes.

Promessas 17 ...................................................................................................

Os demais participantes receberão medalhas de honra ao mérito.

Apaixonado .................................................................................................. 20

Artigo 8º - Os poemas que por algum motivo não forem apresentados serão automaticamente desclassificados.

Pressão osmótica 22 ........................................................................................

Artigo 9º - Os professores que serão premiados são os que realizaram o trabalho com os respectivos alunos, uma vez que houve substituições recentes na Equipe e os trabalhos já estavam desenvolvidos. Artigo 10 - Os casos omissos nesse regulamento, serão analisados pela Equipe de Língua Portuguesa.

6

................................................................................................ Minha paixão 18

Ensinamento 19 ................................................................................................

................................................................................................... Viva a vida 21 Olhos de criança 23 .......................................................................................... Formosa amiga ............................................................................................ 24 Maria 25 .............................................................................................................

......................................................................................................... Vermes 26 .................................................................................................... Sou de cor 27

7


IV Festival de Poesia

Escola Estadual do Bairro São Caetano

Quando penso em minha vida 28 .....................................................................

Velha infância 29 .............................................................................................. Violência 30 ...................................................................................................... Que mundo é esse? 31 .................................................................................... Janela singela 32 .............................................................................................

IV Festival de Poesias

A beleza da natureza 33 ................................................................................... Sem explicação 34 ........................................................................................... Reclamação 35 ................................................................................................. Miocárdio 36 ..................................................................................................... O que é o amor? 37 ..........................................................................................

2012

........................................................................................... Do que é eterno 38 Lembranças que você me traz 39 .................................................................... Menina sofredora 40 .........................................................................................

................................................................................................. O estudante 41 Perdas da vida 42 .............................................................................................

O mundo ...................................................................................................... 43

Ensino Médio

......................................................................................................... Luxúria 44 Desejo de amar 45 ........................................................................................... O amor e o humanismo 46 ............................................................................... Amor eterno 47 ................................................................................................. Céu 48 ...............................................................................................................

................................................................................................ Ficha técnica 49 ................................................................................................ Homenagem 50

“Quero ser lembrado como o sanfoneiro que amou e cantou muito seu povo, o sertão, que cantou as aves, os animais, os padres, os cangaceiros, os retirantes, os valentes, os covardes, o amor.” Luiz Gonzaga

8

9


IV Festival de Poesia

Escola Estadual do Bairro São Caetano

Trilhas

Amor bandido

Orgulho-me de meu berço. Senso minhas origens. E me alegro por ser de Minas.

Amor bandido é aquele que você ama e não admite. Que passa o dia inteiro junto, e quer ver no dia seguinte. Pensa na pessoa amada o dia inteiro. Aquele amor sincero e verdadeiro.

Trilho por longas trilhas. Pertenço ao clube da esquina. Em cada travessia, minhas minas. Minhas gerais. Vou fazer a travessia. Desvendar minhas terras. Onde o cantar sensato aos corações soam bem alto. Brado via! As nossas minas. O pôr do sol em cada dia... Na Pampulha, na lagoinha. O poeta brado viva. Com inspiração rica. Palavras reais. Quando se fala de Minas Gerais!

Um amor que não dá para explicar. Chega do nada e já toma o seu lugar. Um amor que não tem explicação. Quando você assusta já dominou se coração. É um amor verdadeiro, mas te faz sofrer. Você pensa mil coisas, mas sempre a dúvida, por quê? É um sentimento muito bom. Para amar desse jeito tem que ter o dom. Você se pergunta como posso amar assim. Não penso em outra coisa a não ser ficar juntinho. O amor não tem regras e nem juiz. Basta se entregar e ser feliz.

Lulu 3º Ano

Pequeno Príncipe 3º Ano

10

11


IV Festival de Poesia

Escola Estadual do Bairro São Caetano

Sol

Anjo

Quando o sol se for, a lua aparecer, você vai me ligar, eu não vou atender. E mais uma vez, você pede perdão. Eu não vou escutar... A voz do coração.

Hoje, na noite escura sobre o luar... Vi um anjo a brilhar, sua voz suave começou a me chamar...

Lembra aquele dia, que eu falei que você magoou, meus sentimentos? Não vou correr atrás de uma pessoa que não me tem em seu pensamento. Mas estou fora, vou embora. Chega de envolvimento. O que eu quero agora, é curtir esse momento. Não sei se o problema, é com você. Ou se é com outra pessoa. Na verdade, o que eu quero é curtir, e ficar numa boa.

Será que devo seguir? Quem és tu anjo? Será que é por dele que derramei todo o meu pranto? Então sua face ele cobriu, sem palavras, apenas um sorriso se abriu. Um beijo surgiu. Logo depois do olhar, minhas mãos ficam a te segurar. Não vá!!! Amanhece... E junto com o luar, ele desaparece...

Angel 3º Ano

O Indomado 3º Ano

12

13


IV Festival de Poesia

Escola Estadual do Bairro São Caetano

Saudades

Amante assassino

Saudade, de alguém, de um gesto, de um lugar, de um momento.

Não existe o medo... Não existe a dor... Pois no coração de um assassino, dificilmente se encontra amor.

Saudade, da minha terra, da minha serra, da minha vida, da minha lida. Palavra que mexe com o sentimento, com a emoção, com a paixão. Palavra que dá sentido a canção, a ilusão, e rima com o coração. Sentimento, só quem sente, pode expressar. Ai que saudades da minha terra!

Com sua lâmina cortante de cabeça baixa seguindo adiante. Sem uma vítima exata, buscando do nada, sua mulher amada. E sempre pensando consigo... O que ela pode querer de um quase inimigo? Um homem sem rumo? Sem passado e sem futuro? Mas, continua sempre em frente. Derramando sangue pelo caminho. Vivendo sozinho eternamente. Ezio 308

Net 3º Ano C

14

15


IV Festival de Poesia

Escola Estadual do Bairro São Caetano

Paixão nacional

Promessas

Quando estou em campo, busco meu espaço. Se balanço a rede, corro pro abraço.

Lembro dos dias que esteve ao meu lado, prometeu muitas coisas, foi um belo passado.

Futebol é uma arte, esse esporte é paixão. Mexe muito com o povo, no quesito emoção. Vibrar com um golaço do seu time, ou simplesmente uma grande defesa. As variantes desse esporte, faz dele uma caixinha de surpresa. A alegria nas vitórias, nos deixa empolgados. Mas, perder ou ganhar, faz parte do espetáculo...

Romero 307

16

Ainda espero os beijos, grandes, lindos momentos. Lances de um belo olhar, ainda dominam meus pensamentos... Me fez acreditar que estaria sempre ao meu lado. Porque não cumpriu? Fiquei atordoado. Hoje vivo esperando sonhando em provar, o gosto da morte para te reencontrar.

Jhames 3º Ano

17


IV Festival de Poesia

Escola Estadual do Bairro São Caetano

Minha paíxão

Ensinamento

Que lindo, lindo campo! Eu reconheço. Tão verde, tão amplo... Te amo, amo tanto, que enlouqueço.

A vida me ensinou assim, gostar de você. Mas, primeiro a gostar de mim.

Enlouqueço de paixão com o coração eu vibro. Eu vibro de emoção.

.

Choro, choro pelo meu timão. Meu timão tem garra, garra de campeão. Dois tempos: quarenta e cinco minutos. Muito ou pouco. O gol é feito em um segundo.

Benochini 3º Ano

Me ensinou também que aqui não é um conto de fadas. Tem caminho de espinhos, e uma longa jornada. Me mostrou coisas difíceis... Dias de glória e dias de crise. Onde as soluções pareciam invisíveis, mas provou para mim que elas não eram impossíveis. Me deu amigos e inimigos, Tristezas e alegrias. Verdades e mentiras. Me mostrou o amor e, também dor e ilusão. Mas me mostrou Deus no meu coração Deus me mostrou a vida. A vida me mostrou você. Que hoje também vive no meu coração. E para sempre vai viver.

Vida 3º Ano

18

19


IV Festival de Poesia

Escola Estadual do Bairro São Caetano

Apaixonado

Viva a vida

O simples tempo que passamos, momentos que nunca existiram. Além da minha mente, eles foram surgindo...

Viva a vida intensamente! Plante, cuide e espalhe semente. Plante paz, amor e ternura. E viva a vida com doçura.

Sonhos, tão somente sonhos... Mas quem sabe talvez, tenhas por mim, um pouco do apreço que tenho por ti.

Faça boas obras, e estenda sua mão. Para o pobre que lhe pede o pão. Não olhe aparência, raça ou cor. Só olhe com amor.

Sonhos e ilusões, tudo o que tinha. O que mais me torna eu, o que fazer? Se é o que me afasta de você.

Na vida tudo pode acontecer, mas é preciso fé para se fortalecer. Viva a vida com esperança. Pura como uma criança.

A vida ensina que sonhos são doces. Amarga é a realidade. Do tempo em que eles não existiam, tenho saudade. Mas assim sou eu, um simples sonhador, esperando viver, um grande amor.

Creia que será um vencedor, se plantares o amor. E não se esqueça de agradecer à Deus sempre que amanhecer.

Margô 3º Ano

Epitáfio 3º Ano

20

21


IV Festival de Poesia

Escola Estadual do Bairro São Caetano

Pressão osmótica

Olhos de criança

Tenho partido em uma busca por desculpas. Caminhando em direção ao meu nunca. Cansando-me de viver no talvez.

Queria ver o sol brilhar por um instante, e que a felicidade fosse constante. Poder viver sem conhecer o medo... Saber que nunca é tarde ou nunca é cedo.

Estimulo-me por teus enganos. Aprendo tanto com os insanos, que já beiro à insensatez. Venho insistindo com os injustos. Mas desisto e mudo de assunto. A pressão altera o meu viver. Guio-me por teus fracassos. Reflito, minto, me embaraço. Volto para princípio de vez.

Kardek 3º Ano

22

Ver o mundo com os olhos de criança. Crer, confiar e não perder a esperança. Encontrar o brilho num olhar. E entender sempre, que é preciso amar. Compreender que ninguém é melhor que ninguém E entender o sorriso de alguém. Encantar-se com a beleza do amor. E buscar dentro de si, a paz interior. Sentir a alegria de saber. Viver e apenas viver...

Bibi 2º Ano

23


IV Festival de Poesia

Escola Estadual do Bairro São Caetano

Formosa amiga

Maria

Oh ,como és bela aquela com quem posso contar! Estás comigo, sempre que me ponho a chorar. Guarda meus sorrisos, enxuga as minhas lágrimas no repousar.

Maria, quantas Marias! Vivem nesses dias... E quantas agonias.

Mesmo longe, sempre perto está. Sorrindo ou brigando, quer me ajudar. Vamos para longe, de longe vamos voltar, sempre juntas ,sem nos separar. Naquele belo pátio ela se põe a cantar. Belos cantos para nos alegrar. E todos a sua volta desejam ficar. És amiga minha, minha amiga és! Tão formosa, formosa és. Ninguém jamais chega aos seus pés. Anita 2º Ano

24

Maria educadora... Maria Auxiliadora... Quantas Marias vivern nestes dias? Maria médica... Maria dentista... Maria motorista... Maria atleta... Milhões de Marias, vivem neste mundo e nessa agonia.

,

Gariot 2º Ano

25


IV Festival de Poesia

Escola Estadual do Bairro São Caetano

Vermes

Sou de cor

Vermes que machucam humanos, que destroem casas, que matam as florestas, e penetram nas ruas desertas.

Sou eu que venho lá de trás Carregando um fardo triste pois se olhar dentro dele nada existe.

Vermes que constroem cidades, casas e edifícios. A flora e a fauna destroem. Oh Deus! Porque eles tudo corroem?

Liberdade! Liberdade! Onde está a liberdade? Quero ser livre desse fardo que esconde a verdade.

Vermes que são gente. Humanos sem amor e compaixão, que não usam a mente, e o verde destrói com corrupção.

Verdade que ainda existe... Um ser que quer ser livre livre da indiferença.

Humanos que sugam sangue, sugam o verde. Vermes assassinos, aparecem cedo, vem como menino...

Lua Negra 2º Ano

26

Sou eu, sou de cor, de raça! Sangue azul, beleza, passa... Me encho de orgulho, quando posso dizer: Sou negro, não preciso explicar o porquê.

Corina 3º Ano

27


IV Festival de Poesia

Escola Estadual do Bairro São Caetano

Quando penso em minha vida...

Velha infância

Quando penso em minha vida... Vida no momento sofrida agradeço ao Pai por esta vida vivida.

Mãos enrugadas, os pés cansados, mente fraca.

Quando penso em minha vida... Percebo que está menos sofrida. Pois quando olho para o lado vejo pessoas desperdiçando a vida. Quando penso em minha vida... Concluo que a vida é nada sofrida. A vida é simples, simples de ser vivida. Quando penso em minha vida... Vejo que vida bela e vivida! Agradeço ao Senhor pelo amor nela contida.

Andorinha Solitária 3º Ano

Para muitos sou idosa, ultrapassada, ou até mesmo uma velha coitada. Poucos entendem a felicidade que ainda tenho. Falam que sou antiga e que das coisas novas, eu não entendo. Que bobagem! No meu tempo, tudo era melhor. Pulava, cantava, e até dançava, tudo em um pé só. Posso mesmo não conhecer o mundo de hoje. E também não ter mais muito tempo de vida. Mas as lembranças da minha velha infância jamais serão esquecidas.

Luna Liris 3º Ano

28

29


IV Festival de Poesia

Escola Estadual do Bairro São Caetano

Violência

Que mundo é esse?

Hoje em dia está assim. Só tem arma, não há crença. E eu me pergunto por que existe tanta violência?

Uma terra que devia ser de riquezas e alegrias, torna-se cada vez mais de tristeza e agonia. Um país onde o orgulho e a fome falam mais alto. Que mundo é esse?

Pode ser no interior, ou no centro da cidade. Pode até ser velho ou novo, violência não tem idade.

Este lugar nega sua dor, quem te salvará? Ó pátria amada! Não tampes seus ouvidos. Ouça os gritos... Socorro, socorro! Quem te salvará? Desperta amada.

Tem gente que tem nada na mente. Nisso você pode crer. Mas sua vida pode mudar, só depende de você. E das pessoas que amava, Só me restam as lembranças. Mas nem tudo está perdido, ainda existe esperança...

Caiçara 1º Ano

30

As pessoas desta terra clamam por salvação. Não negue ao teu Deus querida pátria. Nas ruas o medo assombra, mas do céu vem a salvação.

Ketinha 1º Ano

31


IV Festival de Poesia

Escola Estadual do Bairro São Caetano

Janela singela

A beleza da natureza

Janelas que contam histórias, histórias vividas e revividas. Histórias de tempos antigos, janelas de aparência sofrida.

Podemos ver o valor da natureza, que através da água quase tudo se espelha. Os pássaros cantando alegremente, tanto amor, como um vulcão ardente.

Surgem aqui tempos modernos. Assim surgem também janelas modernas, que assim como os de aparência sofrida terão muitas histórias a serem vividas.

Há uma beleza no sol que nos desperta... Já posso ouvir o som do entregador de jornal na bicicleta. O prazer de ter uma chuvinha de vez em quando, podendo regar as terras em pranto.

Janela singela é a janela do coração. No entanto, não existe uma janela tão singela, quanto a janela do sorriso, de uma criança banguela.

Contador de Histórias 1º Ano

32

A beleza do dia, que me deu vontade de viver com alegria. Agora ... a noite chegou... Com um “boa noite” eu me vou.

Keké 1º Ano

33


IV Festival de Poesia

Escola Estadual do Bairro São Caetano

Sem explicação

Reclamação

Caiu de paraquedas. Chegou sem aviso-prévio. Em pouco tempo, tornou-se essencial.

Reclamação, reclama, reclama. Reclama da cama, reclama da cana. Reclama da banana, reclama da manga.

Como tudo na vida, de repente você se foi. Sem ao menor dizer o porquê. Deixando no peito um imenso vazio. A saudade é um sentimento, sem explicação. Quanto mais o tempo passa, maior é esta triste sensação.

Drika 3º Ano

Reclama da lama, reclama da fama, Reclama do amor, reclama da dor. Reclama do filme, reclama do ator! Reclama do remédio, reclama do doutor. Reclama do frio, reclama do calor. Reclama do gelo, reclama do ardor! Se você me chamar, não vou reclamar. Se você me bater, não vou revidar. Quanta reclamação! Muitas viram canção. Sertanejo, funk, pagodão. Nenhuma do coração. Pois nenhuma saiu de lá. Melhor que isto é orar. Independente do que vai falar pare de reclamar!

J.N 1º Ano

34

35


IV Festival de Poesia

Escola Estadual do Bairro São Caetano

Miocárdio

O que é o amor?

Escrevo de forma intima nessas linhas tortas. E tão minuciosas diante de meu sentimento. O que um coração fragmentado pode fazer para se curar com o tempo?

Amor é uma flecha que atravessa o coração, que alegra, faz sorrir, e transborda emoção. Mas como explicar um sentimento tão profundo, que quem o tem se sente o mais feliz do mundo?

Mudam-se as estações do clima do metrô. Intacto e desiludido se mantêm. Afinal nada mais faz sentido nem se repara o ritmo humano do vai e vem. Em coma consigo mesmo esquece que é verão. A selvageria dos amigos no calor já não lhe convém e muito menos desperdiçar seu tempo pensando em alguém. Agora perdida nas palavras esqueço-me de pensar. Em como curar, costurar e aconchegar o miocárdio. Que está vazio e contaminado por aquele tal de afeto que me atrapalha até a falar. Na verdade preciso confessar... Nada sei sobre o coração E se de fato existe um tratamento Este é certamente... o senhor tempo.

O brilho nos olhos, as noites sem dormir, pensando e lembrando de quem me faz sorrir, Quanto estou perto dela é inexplicável, sinto o disparar do coração por uma pessoa tão amável. Um abraço, um beijo, um cafuné, um carinho, um contentamento por não me sentir mais sozinho. Agora sim, eu posso dizer, estou ao lado de alguém que me faz crescer. Mas enfim, o que é o amor? Algo que dá força na alegria ou na dor? O difícil fica mais fácil, o que está longe acaba vindo, é tudo o que causa um sentimento tão lindo!

Lukinha 3º Ano

Smallbells 3º Ano

36

37


IV Festival de Poesia

Do que é eterno...

Lembranças que você me traz

Eu não sei quem sou. E de tudo que vejo, não sei o que será. Nunca me entendo e de tempos em tempos me vejo em qualquer lugar.

Um dia sem querer, descobri você entre os verdes das árvores. O amor é repentino e com ele traz o nosso destino. Lembranças vem e vão, e com elas vem a sensação. Sensação de que você está aqui. Sensação de que só você me faz feliz. No relógio passam horas e horas. No meu coração quero-te agora. Não quero limites para te amar, pela vida toda posso te esperar. Como um pássaro quero ser, livre para amar e viver. Livre para sonhar com você. Com outros amores me entretive, mas de você não me esqueci. As lembranças que você me traz, me faz querer um pouco mais. Querer um pouco do seu carinho, querer não mais ser sozinha.

Eu tento seguir meus sonhos. Sonhos que me despertam, e me ajudam a me encontrar. Mas quando tudo se confunde, fico perdida, e me vejo num abismo. Onde nem sonhos conseguem me tirar de lá. Me perco no que eu quis, tento ganhar o que procuro. Sinto que algo estou perdendo. E não entendo por que tudo às vezes parece tão vazio... Vejo que o mundo vai se abrindo. A cada passo o tempo vai se esvaindo. E o tempo, meu bem, é tão passageiro... Que quando fecho os olhos vejo que o que passou. Tocou-me por dentro e me modificou. Então, não quero apenas correr atrás do que quero. Mas quero também respirar em paz. Aproveitar cada momento que é tão faceiro e envolver-me numa essência do que se vive agora. Sei que apesar do tempo tudo que se passa transforma-se em lembrança e nunca se desfaz. Questionadora encantada - 3º Ano

38

Escola Estadual do Bairro São Caetano

Luluzinha 2º Ano

39


IV Festival de Poesia

Escola Estadual do Bairro São Caetano

Menina Sofredora

O estudante

Nada que eu fiz valeu realmente a pena.

Ah! O estudante, mal começa a estudar e já quer ver o ano acabar. Tudo começa de novo, novo professor, novo amigo. É hora de rever os velhos amigos no meio do povo.

Minha indecisão me tornou cega e muda. Agora vejo que nada tem o valor que pensei que tinha. Minha alma está dolorida pela dor e traição. Foi embora... Estou vazia... Sem coração, sem alma, sem vida. Tudo que tenho são lembranças E esperanças de ainda encontrar a pessoa certa.

Carlota 3º Ano

Povo que às vezes quer estudar, ás vezes quer trabalhar. Sempre querendo mais. Buscando seus ideais... Estudante animado? Sinal que tudo está encaminhado. Segue sua sina com a ajuda do amigo professor por quem aprendeu a ter amor. Assim é o estudante, cheio de lemas e emblemas. Buscando seu valor. Para quem sabe um dia receber seu louvor. Num mundo de rancor onde falta amor. Ele pode mudar tudo. Ele pode mudar o mundo. Com ajuda de seu amigo professor!

Café 1º Ano

40

41


IV Festival de Poesia

Escola Estadual do Bairro São Caetano

Perdas da vida

O mundo

Perca as pessoas que ama, mas nunca o amor por elas.

O mundo em nossa volta , dá muitas reviravoltas. O mundo globalizado, é cheio de maldades e consumo exagerado.

Perca a noção do tempo mas nunca perca a hora. Perca os colegas mas nunca os amigos verdadeiros. Perca o respeito por todos, mas nunca desrespeite seus pais. Perca o rumo do caminho, mas nunca desvie-se do caminho certo. Perca a coragem, mas nunca a fé. E mesmo que você perca tudo... Nunca perca a esperança de um recomeço.

Cici 3º Ano

42

Várias pessoas nas ruas passando por necessidades. Ninguém de boa vontade para ajudar. O negócio é comprar e lucrar. A criminalidade toma conta da cidade. A sociedade põe a culpa nas autoridades. Pessoas inocentes fora da lei, conhecem criminosos de verdade. Entrando, voltando, saindo e cada vez mais perigosos para a sociedade.

Iguito 1º Ano

43


IV Festival de Poesia

Escola Estadual do Bairro São Caetano

Luxúria

Desejo de amar

Século XXI... A luxúria a flor da pele. Mulheres sensuais... Mulheres anormais... A sexualidade banalizada.

Na vida quero tudo, nem tudo posso ter, só quero seu coração para um dia feliz ser.

O amor ficou de lado mas o sexo mais aflorado estilos desenvolvidos e aniquilados.

Posso te fazer sorrir, posso te fazer sofrer. Mas quero que entenda, meu coração bate por você.

A sensualidade movimenta... Os jovens com isso se alimentam. O que antes era proibido hoje aumenta a libido e acaba por ser estilo.

Quero poder te abraçar... Quero poder te beijar... Mesmo que me ignore, não desisto de sonhar.

Chocolate 1º Ano

Por isso nunca vou te esquecer, com poucas palavras, venho te dizer: Meu amor é por você.

Biel 1º Ano

44

45


IV Festival de Poesia

46

Escola Estadual do Bairro São Caetano

O amor e o humanismo

Amor eterno

O humanismo serve para estudar e valorizar, a cultura clássica greco-romana. Após a criação do soneto pelo Francesco Petrarca, que teve essa ideia de expressão “Idade das Trevas”.

Atrás de um grande sonho, sempre vem a realidade. Depois que você nasceu, veio a felicidade.

A fim de referir e criticar a Idade Média, que mostra o amor das pessoas, que quebraram lei e outras coisas, por um Deus, que metade delas nem o conheceu.

Quando um dia se vai, um outro dia vem. Por trás de um grande amor, pode haver um sonho também.

No mundo atual, estamos a seguir, esse amor que rompeu e quebrou leis, para nos mostrar que não basta só estudar, também precisamos amar.

Da vida vem o sonho, do sonho vem a realidade. Dos meus pensamentos vem você, e de você vem a saudade.

Filósofo 1º Ano

Enamorado 1º Ano

47


IV Festival de Poesia

Escola Estadual do Bairro São Caetano

Céu As estrelas no céu estão. A lua cheia emociona o meu coração. A lua cheia no céu é linda. Ao anoitecer feliz fica o meu coração ao saber que a lua brilha na noite sombria. Clara ficará a minha noite tão linda. Mais triste meu coração fica. Quando as nuvens tampam minha noite tão linda. Mas quando as nuvens vão embora meu coração feliz fica. Logo após vem o dia. Tão lindo quanto a lua. O sol então clareia o nosso dia.

Ficha Técnica Digitação: Nisdey Débora de Araújo Sônia Maria Barbosa Capa e Projeto Gráfico: Mário Fabiano Programação Visual: Hamilton Reis

Impresso em novembro de 2012

Quando a noite vai embora. O dia mais claro fica.

Fael 1º Ano

48

49


IV Festival de Poesia

Escola Estadual do Bairro São Caetano

Nelson Rodrigues

Jorge Amado

Luiz Gonzaga O IV Festival de Poesia presta sua homenagem a esses três grandes brasileiros no ano de seus centenários

50

51


IV Festival de Poesia

52


Revista de poesias