Page 1

aNo 15 – Nº 2388 – São Paulo, 20 a 26 dE SEtEMBRo dE 2012 – R$ 2,50 www.nippak.com.br

Candidatos nikkeis a vereador em SP surpreendem pela ‘desenvoltura’ Quem esperava um evento contou com a participação insosso e sem consistência, dos candidatos Aurélio acabou se surpreendendo Nomura (PSDB), Ushitacom a performance dos ro Kamia (PSD), Victor candidatos presentes ao Kobayashi (PSD), Thiago Encontro com Candidatos Arikawa (PMDB), Flavio ao Cargo de Vereador da Iizuka (PCdoB), George Câmara Municipal. Co- Hato (PMDB), Thabata -realizado pelo Bunkyo Yamauchi (PRB) e Dil(Sociedade Brasileira de za Muramoto (PSD). No Cultura Japonesa e de As- fim, nem derrotados nem sistência Social) e pela As- vitoriosos. Mas a sensação sociação Brasileira de Ex- que todos ali presentes par-Bolsistas do “Gaimusho ticiparam de um exercício Kenshu-sei” no último dia de cidadania. E que, pelo 15, no Auditório Peque- menos dos oito, a comunino do Bunkyo, o evento dade sabe o que esperar. ————————––——–—–—————————| Pág. 03

aldo SHiguti

Comunidade dá boas-vindas ao novo cônsul geral As entidades nipo-brasilei- 381 – 2º andar – Liberdade ras promovem, no próximo – São Paulo – SP. A taxa de dia 24 de setembro, segun- adesão é de R$ 70,00 por da-feira, a partir das 19h30, pessoa e a confirmação de a cerimônia de boas-vindas comparecimento deverá ser ao novo cônsul-geral do Ja- feita até hoje (quinta-feira), pão em São Paulo, Noriteru com Regina ou Hase, pelo Fukushima. O evento será tel: (11) 3208-1755, ou realizado no Salão Nobre do email: evento@bunkyo.org. Bunkyo, à Rua São Joaquim, br. ————————––——–—–—————————| Pág. 02

OKINAWA FESTIVAL – a sensação que dois dias é conjunto com a Prefeitura o mesmo dos anos anteA 10ª edição do Okinawa, pouco pela dimensão que o de São Paulo e a São Paulo riores, ou seja, de missão realizada nos dias 15 e 16, evento assumiu. “Culpa”, Turismo – que faz o público cumprida. De acordo com no Clube Escola Vila Man- em parte, pelos realizado- se sentir como se estivesse os organizadores, foram archester, zona Leste de São res, a Associação Okinawa na casa de algum amigo. recadados 15 toneladas de Paulo, chegou ao fim com Vila Carrão (AOVC) – em O resultado só poderia ser alimentos. ———————————————————––————––———————————––——–—–—————————| Pág. 05


JORNAL NIPPAK

2

COMUNIDADE

EM CARTAZ

Entidades nikkeis promovem cerimônia de boas-vindas ao novo cônsul geral do Japão

A

s entidades nipo-brasileiras promovem, no próximo dia 24 de setembro, segunda-feira, a partir das 19h30, a cerimônia de boas-vindas ao novo cônsul-geral do Japão em São Paulo, Noriteru Fukushima. O evento será realizado no Salão Nobre do Bunkyo, à Rua São Joaquim, 381 – 2º andar – Liberdade – São Paulo – SP. A taxa de adesão é de R$ 70,00 por pessoa e a confirmação de comparecimento deverá ser feita até o dia 20 (quinta-feira), com a Sra. Regina ou Sr. Hase, pelo tel: (11) 3208-1755, ou email: evento@bunkyo.org.brEste endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. . Recém-chegado a São Paulo para assumir seu posto, vindo da Embaixada da Espanha, onde exercia o posto de ministro, o cônsul-geral Fukushima dedicou o dia 14 de setembro para visitar as instalações referências da comunidade nipo-brasileira em São Paulo. Esteve no Parque do Ibirapuera para visitar o Pavilhão Japonês e o Memorial em Homenagem aos Imigrantes Pioneiros. No Pavilhão, acompanhado pelo vice-cônsul Motohiro Hoshino e assessor consular Kazumi Kawamori, Fukushima foi recebido por Léo Ota, presidente da Comissão de Administração do Pavilhão Japonês. Depois, o cônsul visitou o bairro da Liberdade. Inicial-

divulgação/bukyo

do mesmo ano. Em janeiro de 1996 passou a ocupar o cargo de 1º Secretário da Embaixada do Japão na Argentina, sendo dois anos depois (janeiro de 1998) promovido ao posto de Conselheiro. Em agosto de 1998, de volta ao Japão, assumiu o cargo de diretor da Divisão de Prevenção do Terrorismo da Divisão de Proteção dos JapoNoriteru Fukushima, em visita ao Bunkyo neses no Exterior do Departamento mente, esteve na sede do Bun- de Assuntos Consulares e de kyo onde se encontrou com Migração. Em maio de 2000, o presidente Kihatiro Kita e passou a diretor da 1ª Divisão o vice-presidente Jorge Ya- da América Latina e Caribe. mashita. Após cerca de 15 miEm agosto de 2003, foi ao nutos, a comitiva foi recebida México para o posto de conpelos dirigentes da Comissão selheiro da Embaixada do Jade Administração do Museu pão, sendo promovido, dois Histórico da Imigração Japo- anos depois, a ministro. nesa no Brasil, Dr. Ignácio Em julho de 2006 seguiu Moriguti e Lídia Yamashita, para a Europa, como ministro respectivamente, presidente e da Embaixada do Japão na vice-presidente, para conhe- Itália, tornando-se dois anos cer a exposição permanente. depois (agosto de 2008), diEm seguida, a comitiva fez retor-geral adjunto da Assesuma visita de cortesia à sede soria do Ministro e da Eurodo Kenren – Federação das pa. E, em setembro de 2010, Associações de Províncias do assumiu o posto de ministro Japão no Brasil. da Embaixada do Japão na Espanha. Currículo – Graduado em Foi nomeado como cônDireito pela Universidade de sul-geral do Consulado Geral Kyoto em março de 1981, in- do Japão em São Paulo em gresso no Ministério dos Ne- julho de 2012. gócios Estrangeiros em abril (do site do Bunkyo)

22º HARU MATSURI

divulgação

Para celebrar a chegada da Primavera, que inicia oficialmente dia 22 de setembro (sábado), a comunidade nipo-brasileira de Curitiba promove o 22° Haru Matsuri (Festival da Primavera). O evento será realizado sábado e domingo (22 e 23), no pátio do Museu Oscar Niemeyer (MON), no Centro Cívico. Durante dois dias o público terá a oportunidade de apreciar apresentações culturais e o degustar o melhor da gastronomia oriental. No Japão a primavera é uma estação muito aguardada, pois as flores simbolizam o renascimento e a alegria após um rigoroso inverno. Foi para reverenciar as flores e mostrar o amor que os nipônicos nutrem pela natureza que em 1991 o jornalista e artista plástico Cláudio Seto idealizou o Haru Matsuri em Curitiba. “Nestes 22 anos o evento cresceu e se tornou um sucesso”, diz Jorge Ishii, presidente da Associação Cultural e Beneficente Nipo-Brasileira de Curitiba – Nikkei Curitiba.

Cartaz do 22º Haru Matsuri - Festival da Primavera

Programação – O Haru Matsuri abre no sábado (22) às 11hs e se estende até às 21 hs. No domingo (23) a festa inicia às 11 hs e encerra às 17 hs. A entrada é franca. No centro gastronômico estarão sendo vendidos pratos como sashimi, tempura, sushi, tepanyaki, yakissoba,

okashi, udon, yakitori e muitos outros. O público poderá assistir a várias apresentações culturais como taiko (show de tambor), odori (dança), karaokê (musica), banda e grupos de dança e artes marciais como kendo e aikido. No domingo, às 13h30,

EDITORA JORNALÍSTICA UNIÃO NIKKEI LTDA. CNPJ 02.403.960/0001-28

Rua da Glória, 332 - Liberdade CEP 01510-000 - São Paulo - SP Tel. (11) 3208-3977 Fax (11) 3341-6476 Publicidade: Tel. (11) 3208-3977 Fax (11) 3341-6476

será realizado um desfile de trajes típicos com crianças de 3 , 5 e 7 anos ( shiti, go, sam - idades marcantes para os orientais) estarão mostrando os trajes adequados para cada idade. Os jovens também estarão demonstrando kimonos utilizados nas formaturas e ocasiões especiais.

JORNAL NIPPAK

Diretor-Presidente: Raul Takaki Diretor Responsável: Daniel Takaki Jornalista Responsável: Takao Miyagui (MTb. 15.167) Redator Chefe: Aldo Shiguti Redação: Luci J. Yizima Colaboradores: Erika Tamura, Jorge Nagao, Kuniei Kaneko, Shigueyuki Yoshikuni, Célia Kataoka, Paulo Maeda, Cristiane Kisihara e Osmar Maeda (Zona Norte) Periodicidade: semanal Assinatura semestral: R$ 60,00 jornaldonikkey@yahoo.com.br

CURSO COMO DEIXAR DE FUMAR EM 05 DIAS - Palestra minis­trada por médicos e psicóloga Onde: Igreja Adventista do 7º Dia Nipo Brasileira (R. Mauro 32, próx. Estação Saúde do Metrô) Dia 17 a 21/09/2012 Horário: 2ª a 6ª às 19h30 Curso Gratuito Informações: 11/5581-5451 EXPOSIÇÃO HIROSHIMA E NAGASAKI EM SÃO PAULO - Testemunho, Inscrição e Memória das Catás­trofes. Exposição composta por 30 painéis cedidos pelo Museu Memorial da Paz de Hiroshima sobre o bombardeio atômico lançado sobre as cidades de Hiroshima e Nagasaki. Onde: Instituto de Psicologia da USP (Av. Prof. Mello Moraes 1721, Cidade Universitária) De 11 a 21/09/2012 Ingresso: Entrada Gratuita PROJETO VITRINES – Na terceira mostra de 2012, MASP e Metrô de São Paulo, recebem os trabalhos dos artistas Diego García, Laura Huzak Andreatto, Wallace V. Masuko e Nicole Mouracade. Caixa de Texto - Diego García De 10/09 a 05/10/2012 Paradiso - Laura Huzak Andreato De 10/10 a 07/11/2012 ei! - Wallace V. Masuko De 12/11 a 03/12/2012 “Tudo o que já foi, tudo o que é e tudo o que será” - Nicole Mouracade - Latinhas de alumínio descartadas foram os moldes utilizados para construir a obra. Curadoria: Regina Silveira Produção: Renato Pera Onde: Estação Trianon-Masp do Metrô De 10/09 a 03/12/2012 Horário: 2ª a 6ª das 6h às 20h30, sábados e domingos das 10h às 17h. Ingresso: Gratuito Realização: Artistas, MASP e Ação Cultural do Metrô de São Paulo ON KAWARA, ARTE E VIDA CONTEMPORÂNEA Onde: MAM/SP – Museu da Arte Moderna (Parque do Ibirapuera – portão 3) Visitação: até junho de 2013 Horário: terça a domingo e feriados, das 10h às 18h Ingresso: R$ 5,50 (domingo gratuito) Associados do MAM, crianças até 10 anos e adultos acima de 65 anos não pagam. Informações: 11/5085-1300 MARCAS DO TEMPO

Comunidade nipo-brasileira de Curitiba comemora chegada da Primavera

comercial@nippak.com.br cristiane@nippak.com.br

São Paulo, 20 a 26 de setembro de 2012

Eriko Sato, Bin Kondo, Futoshi Yo­ shizawa, James Kudo, Hiro Ojima, Kazuo Wakabayashi, Kiji-Maru, Ki­mi Nii, Kunio Watanabe, Makoto Nakamura, Manabu Hangai, Mari Iwabuchi, Midori Hatanaka, Miyuki Abe, Nobuhiko Suzuki, Nobuo Mitsunashi, Roberto Okinaka, Ryouta Unno, Sachiko Koshikoku, Shizue Sakamoto, Shoichi Yamada, Takafumi Kijima, Takashi Fukushima, Tomie Ohtake, Yasuichiro Suzuki, Yasuo Ogawa, Yasushi Taniguchi, Yayoi Kusama, Yo Onishi e Yoshiaki Nagai. Onde – Galeria Deco (Rua dos Franceses 153, Bela Vista) De 01/09 a 28/10/2012 Horário: das 10h às 19h Informações: 11/3289-7067 www.facebook.com/galeriadeco EVENTO 30ª BIENAL DE SÃO PAULO A Iminência das Poéticas Onde: Parque do Ibirapuera, Pavilhão da Bienal São Paulo De 07/09 a 09/12/2012 Horário: 3ª, 5ª, sábado, domingo e feriado das 9h às 19h – Entrada até 18h – 4ª e 6ª das 9h às 22h – Entrada até 21h – Fechado às segundas. Ingresso: Entrada Gratuita Informações: www.bienal.org.br/30bienal/pt/ INDIE 2012 – Mostra de Cinema Mundial - SÃO PAULO De 21/09 a 04/10/2012  CINESESC – Rua Augusta 2075, Cerqueira César. CINE OLIDO – Av. São João 473, Centro Ingresso: Entrada Gratuita – ingressos disponíveis nas bilheterias dos cinemas, 30 minutos antes de cada sessão. Informações: Site Oficial – São Paulo: http://www.indiefestival. com.br/2012/sp/ 41º FESTIVAL DE DANÇAS FOLCLÓRICAS INTERNACIONAIS Um sonho de harmonia entre os povos Onde: Grande Auditório do Bunkyo (Rua São Joaquim 381, Liberdade) Dias 22 e 23/09/2012 Horário: sábado às 16h e domingo às 15h Convite: R$10,00 (meia entrada somente no dia de cada evento com apresentação de documento) Informações: 11/3208-1755 evento@bunkyo.org.br 34ª FESTA DO VERDE – Bazar Beneficente da Kibô-no-Iê, Exposições, Shows, Sacolão, Bazar e Praça de Alimentação.

Onde: Sede da Kibô-no-Iê Itaquaquecetuba (Trav. Hideharu Yamazaki s/n da Estrada do Tronco, saída km 206 da Via Dutra sentido São Paulo – Rio de Janeiro, antes do 1º pedágio) Dias 29 e 30/09/2012 Horário: sábado das 11h30 às 18h e domingo das 9h às 17h Informações: 11/5549-2695 www.kibonoie.org.br 41º FESTIVAL DE DANÇAS FOLCLÓRICAS INTERNACIONAIS - Um sonho de harmonia entre os povos Onde: Grande Auditório do Bunkyo (Rua São Joaquim 381, Liberdade) Dias 22 e 23/09/2012 Horário: sábado às 16h e domingo às 15h Convites: R$10,00 (meia entrada somente no dia de cada evento com apresentação de documento) Informações: 11/3208-1755 evento@bunkyo.org.br 32ª FESTA DAS FLORES E MORANGOS DE ATIBAIA/SP Onde: Parque Municipal Edmundo Zanoni (Av. Horácio Neto 1030, Atibaia) De 31/08 a 23/09/2012 Horário: 9h às 18h Informações: 0800 555 979 e 11/4412-9581 ou www.festadasfloresdeatibaia.com.br CURSO LADY OSCAR – A Rosa de Versalhes – 40 anos - Meeting comemorativo dos 40 anos de criação do manga que revolucionou o comportamento, a estética e a moda no Japão. Onde: Assoc. Cult. e Assistencial Mie Kenjin do Brasil (Av. Lins de Vasconcelos 3352, Metrô Vila Mariana) Dia 23/09/2012 Horário: das 14h30 às 16h30 Ingresso: 3 Kg de alimentos não perecíveis ou R$10,00 Informações: www.japop.com.br ou abrademi@abrademi.com Aula de Desenho: MANGÁ Abrademi – Ciclo Despertando Talentos. Recomendado para alunos a partir de 12 anos. Materiais necessários: lápis ( B ou 2B), Sulfite (20 folhas) e borracha macia. Onde: Assoc. Cult. e Assistencial Mie Kenjin do Brasil (Av. Lins de Vasconcelos 3352, Metrô Vila Mariana) Dia 23/09/2012 Horário: das 9h às 12h Valor da Aula: R$35,00 incluindo apostilas e certificado. Inscrição: no próprio loca, no dia da aula, a partir das 8 horas. Informações: www.japop.com.br ou abrademi@abrademi.com


São Paulo, 20 a 26 de setembro de 2012

JORNAL NIPPAK

3

ELEIÇÕES 2012

Em Encontro no Bunkyo, candidatos nikkeis surpreendem pela desenvoltura e oratória

Q

uem esperava um evento insosso e sem consistência, acabou se surpreendendo com a performance dos candidatos presentes ao Encontro com Candidatos ao Cargo de Vereador da Câmara Municipal. Co-realizado pelo Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social) e pela Associação Brasileira de Ex-Bolsistas do “Gaimusho Kenshu-sei” no último dia 15, no Auditório Pequeno do Bunkyo, o evento contou com a participação dos candidatos Aurélio Nomura (PSDB), Ushitaro Kamia (PSD), Victor Kobayashi (PSD), Thiago Arikawa (PMDB), Flavio Iizuka (PC do B), George Hato (PMDB), Thabata Yamauchi (PRB) e Dilza Muramoto (PSD). A Mesa de Trabalho foi formada pelos membros da Comissão Organizadora: Kihatiro Kita (presidente), Oscar Urushibata (vice-presidente), Nagato Hara (secretário executivo) e Kiyoshi Harada (coordenador geral). Diferentemente do evento realizado em 2010, quando reuniu candidatos à Assembleia Legislativa de São Paulo e à Câmara dos Deputados – que ficou marcado mais pelas gafes dos postulantes do que propriamente pela apresentação concretas de propostas – desta vez a Comissão Organizadora foi feliz na escolha dos candidatos. No primeiro módulo, cada candidato teve oito minutos para fazer uma auto apresentação e abordar os temas de sua preferência e previamente definidos: saúde, educação, transporte, segurança e meio ambiente. Feito o sorteio, o candidato George Hato (PMDB) abriu o bloco agradecendo a Deus e lembrou que “pertenço ao partido que derrubou a ditadura. Hato apresentou propostas na área da saúde e esporte, além de tecer elogios para o candidato ao cargo majoriário, Gabriel Chalita, e ao pai, o deputado estadual Jooji Hato. Segundo a se apresentar, o então desconhecido Thiago Arikawa (PMDB) foi considerado uma das surpresas do debate. Formado em Direito, e conselheiro licenciado do Condeca/SP (Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente) – onde presidiu a Comissão de Políticas Públicas, Análise de Projetos e Planejamento, Arikawa atuou em entidades como a Associação Cristã de Moços (ACM). Falou sobre sua preocupação com o terceiro setor, saúde, educação e meio ambiente. Saúde e educação também foram as bandeiras levantadas pela candidata Thabata Yamauchi (PRB), porém, “sob uma visão mais executiva e operacional”. Entre seus projetos, destacou que pretende qualificar entre 10 e 50 mil cuidadores infantis. Concorrendo à reeleição, Aurélio Nomura (PSDB) manifestou sua preocupação com o Plano Diretor Estratégico e Regional, “que deve traçar o rumo da cidade nos próximos 20 anos”, e a questão da mobilidade urbana. Nomura disse também que as 31 Subprefeituras “não foram criadas por acaso, mas pela necessidade de descentralizar a administração”. Frisou ainda que esta gestão “ficou devendo a construção de três hospitais”. Como uma candidata “não conhecida”, Dilza Muramo-

aldo shigui

Membros da Comissão Organizadora (sentados) e o candidatos nikkeis que participaram do Encontro realizado no Bunkyo

to (PSD) explicou que não nasceu “em berço de ouro”. Natural de Itaporã (MS), disse que teve uma infância de “privações”, mas “desde pequena sempre fui muito determinada”. Formada em Psicologia, trabalhou no extinto Banco América do Sul e lutou contra um câncer. Foi o budismo que a despertou para uma “grande missão”. Debutando na política, afirmou que enfrenta dificuldades no meio por ser mulher e “estar no meio de um reduto machista”. Reclamou do pouco tempo que aparece no horário gratuito e, se eleita, “pretender ser a porta-voz das minorias”. O médico Flávio Iizuka (PC do B) aproveitou a deixa de sua colega para explicar que também não é conhecido. É contra político de carreira e aceitou o desafio do partido, que o convidou a se candidatar, “para mostrar através de atitudes que temos responsabilidades sociais”. Pontuou que tem “grandes ideias na área da saúde” e revelou que “64% dos paulistanos não usam o SUS, mas convênios médicos”. Audiovisual – Em seu quarto mandato como vereador, Ushitaro Kamia (PSD) destacou sua ligação com a cultura japonesa e explicou o caminho percorrido por uma emenda parlamentar. Quer ser reeleito para continuar mantendo seu trabalho de ajudar as entidades nipo-brasileiras e a melhorar a qualidade de vida dos paulistanos. Encerrando esse bloco, Victor Kobayashi (PSD) foi o único a utilizar o recurso audiovisual, motivo de comentários nos bastidores. Lembrou que, assim como seu pai, Paulo Kobayashi, que ajudou a fundar o PSDB, também ele aceitou o desafio de construir um novo partido, o PSD. Falou sobre seu orgulho de ter trabalhado no extinto Banco América do Sul e que, após a morte de seu pai, em 2005, foi cobrado para entrar na política. “Naquela época, achei que era prematuro e, ao invés disso, decidi fundar o Instituto Paulo Kobayashi justamente para dar continuidade às ações sociais desenvolvidas pelo meu pai”. “Foi surpreendente. Beneficiamos mais de 300 associações e realizamos mais de 300 mil atendimentos, sempre em parceria com outras entidades”, disse Kobayashi, lembrando que foi autor de várias emendas durante sua passagem de 31 dias pela Câmara Municipal. No segundo bloco, os candidatos responderam duas

rodadas de perguntas feitas pelos jornalistas, público e até assessores de parlamentares, que abordaram questões como meio ambiente, ambulantes, seguranças nas escolas, Nova Luz, creches, idosos e voto distrital, entre outras. Balanço – No fim, nem

derrotados nem vitoriosos. Se não foi definitivo, pelos menos a comunidade sabe o que esperar dos candidatos que compareceram. A lamentar, apenas, a ausência de público. Para o coordenador geral do evento, Kiyoshi Harada, “perderam aqueles que foram convidados

e não compareceram”, disse, referindo-se aos candidatos Masataka Ota e Antônio Goulart, que recusaram o convite feito pelos organizadores. “Não entro no mérito de apontar quem se saiu melhor porque esse julgamento é o público que tem que fazer, mas o saldo do encontro foi

bastante positivo, quer pela excelência das perguntas feitas quer pela desenvoltura dos candidatos, que se mostraram qualificados para enfrentar uma tribuna. A capacidade de se comunicar é requisito indispensável para todo bom político”, avaliou Harada. (Aldo Shiguti)

Candidatos aprovam realização do Encontro “Democrático” e “positivo” foram as expressões mais utilizadas pelos candidatos entrevistados pela reportagem do Jornal Nippak para avaliar o Encontro de Candidatos ao Cargo de Vereador da Câmara Municipal de São Paulo. Na opinião do estreante George Hato (PMDB), o saldo foi “positivo”. “É um evento que serve para informar os leitores a fim de conhecerem melhor os candidatos”, disse George Hato, que contou com a torcida do pai, o deputado estadual Jooji Hato. Para ele, o Encontro ocorreu “no momento certo”. “Muitos eleitores ainda estão indecisos, principalmente no que diz respeito à eleição para vereador e um evento como esse ajuda a esclarecer”, acredita. Para Ushitaro Kamia (PSD), o Encontro foi válido. “Trata-se de um evento democrático onde cada candidato expõe o que pretende fazer, isto é, sua plataforma de atuação”, afirma Kamia, que busca seu quinto man-

aldo shiguti

Iniciativa do Bunkyo recebeu elogios dos candidaos que participaram do evento

dato como vereador. Outro que tenta se reeleger, Aurélio Nomura (PSDB) disse que “evento como esse é sempre bom”. “Na televisão, no horário gratuito, apareci muito pouco. Então, é uma dificuldade que temos para nos apresentarmos em um tempo tão exíguo. Aqui, pude fazer uma série de abordagens que na televisão não teria oportunidade, como o Plano Diretor Estratégico Regional e a questão da mobilidade urbana”, frisou o tucano, afirmando que quem se interessar pelas questões levantadas durante o evento

“certamente poderá se aprofundá-las buscando mais informações nos sites”. Para Thiago Arikawa (PMDB), o Encontro foi importante “do ponto de vista de estar ao lado de grandes nomes de políticos da comunidade nipo-brasileira”. “É uma oportunidade muito boa e que não posso desperdiçar”. Apesar de ser parabenizado por sua performance, Arikawa admitiu que acabou ficando um pouco nervoso. “Devo ter passado um pouco desse nervosismo, mas também acho que passei o meu recado”, disse o candidato,

que elogiou o público, na sua opinião, “bastante qualificado”. Para Victor Kobayashi (PSD), o encontro foi positivo “à medida que consegui expor para a comunidade um pouco das minhas propostas”. “Oito minutos parece muito tempo, mas é insuficiente para aprofundar todas as questões”, explicou Kobayashi, afirmando que “se este evento serviu para despertar algumas pessoas para a importância do voto consciente, então já terá atendido nossos propósitos”. (Aldo Shiguti)

COLUNA DO SILVIO SANO

Atenção, eleitor! Queira ou não, na hora que clicar seu voto estará criando uma relação direta e incontestável com seu candidato caso seja eleito... para o bem ou para o mal!! Para o bem, se honrar o cargo lhe conferido. Daí poderá até clamar, aos quatro ventos, que é seu parceiro. E para o mal, se, ao contrário, usar o cargo da forma como conquistaram a fama que têm. Daí terá de aceitar ser clamado de cúmplice. Mas o ato de votar não se restringe apenas a essa relação. É muito mais abrangente. O ato consciente é uma demonstração de cidadania ao seu vizinho, ao seu bairro, à sua cidade, ao seu Estado, ao seu País, mas principalmente a si mesmo. O contrário, o inconsciente, de votar por votar, por ser obrigatório, como muitos o

fazem, é uma demonstração de aceitação da realidade que vive, de achar que o problema não é seu. Ledo engano. Senão, vejamos. Quando vamos até a padaria, pertinho de casa, para comprar aquele delicioso pãozinho francês, o percurso pode ser bom ou ruim dependendo das condições do calçamento. Mas, de quem é a responsabilidade? Pense bem! Apesar do percurso curto, diante da nossa realidade, hoje, estamos sujeitos a ser ou não assaltados. Né, não? Isso, para não pensarmos no pior! De quem é a responsabilidade? Pense bem! Ou até atropelados, porque o semáforo quebrou ou um motorista extrapolou. De quem são as responsabilidades? Pense bem! O pãozinho nos espera, mas há riscos para o trazermos

para casa, ainda quentinho. E o que dizer do dia-a-dia? Para se ir ao trabalho, ou à escola, usufruir o lazer merecido, ir a um restaurante, baile, karaokê, etc., os percursos são maiores ainda e a variedade de riscos se amplia. Pois é, seu “dedo” também está presente em todas essas circunstâncias... para o bem ou para o mal, como parceiro, ou cúmplice, por suas escolhas anteriores. Por isso, não despreze seu voto. Valorize-o... e a si mesmo! Aquele simples clicar na urna eletrônica é, na verdade, um valioso ato de cidadania. Habitue-se a ele. Habitue-se a ser cidadão... até para passar a acreditar que ao sair de casa para ela retornará “inteiro”... e feliz. Pense bem! ET: Fui um dos 20 “gatos pingados” presentes ao

debate do Bunkyo (SP). Verdade! 20!! O público total foi pouco mais de 80 (eu contei!). Se cada um dos 8 candidatos trouxe, ao menos, 2 assessores, mais familiares e amigos (alguns da mesa afirmaram isso, até acenaram para eles!), somados aos jornalistas (de todo o Brasil!, como tiveram a ousadia de afirmar) e diretores da entidade, minha conta está certa. Né, não? Daí, pergunto: Qual foi a finalidade do debate? Qual o papel da entidade para a comunidade que representa em momentos cruciais como esses? *Silvio Sano é arquiteto e escritor. E-mail silviossam@ gmail.com


JORNAL NIPPAK

4

São Paulo, 20 a 26 de setembro de 2012

ELEIÇÕES 2012

COLUNA DA ERIKA TAMURA

Em jantar de Victor Kobayashi, Serra elogia comunidade nikkei

A

migos e simpatizantes de Victor Kobayashi realizaram no dia 12 de setembro (quarta), no Hotel Matsubara, no bairro do Paraíso (zona Sul), jantar de apoio a sua candidatura. O encontro reuniu algumas das principais lideranças da comunidade nipo-brasileira, além de empresários e autoridades. Estiveram presentes, entre outros, o deputado federal Walter Ihoshi (PSD-SP); presidente da Construtora Hoss, Wagner Suzuki; o presidente da Nicom, Hiroshi Shimuta; o presidente do Grupo Ikesaki e presidente da Acal (Associação Cultural e Assistencial da Liberdade), Hirofumi Ikesaki; o presidente da Mebuki, Jairo Uemura; o presidente da Sakura, Renato Nakaya; o presidente do Nippon Country Club, Valter Sassaki; o presidente da Federação Sakura e Ipê do Brasil, Pedro Yano; o presidente da Asociação Brasileira de Taikô, Orlando Shimada; o presidente da MOA (Mokiti Okada Association) Internacional do Brasil, Benedito Tate; general Akira Obara; o presidnete do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), Kihatiro Kita; o presidente do Enkyo (Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo), Yoshiharu Kikuchi; o ex-deputado estadual Hatiro Shimomoto; o subprefeito de Vila Mariana, Manoel Antonio da Silva Araújo; o subprefeito do Ipiranga, Danilo Antão Fernandes; o ex-subprefeito da Penha e do Ipiranga, Cássio Freire Loschiavo; o artista plástico Yugo Mabe; o advogado Samuel Yoshida; o empresário e ex-vereador Jorge Taba e o cantor Joe Hirata. Cereja do bolo – O candidato à Prefeitura de São Paulo pelo PSDB, José Serra, foi, o que se costuma chamar, de “a cereja do bolo”. Apesar de sua agenda atribulada, Serra afirmou que fez questão de comparecer ao evento. “Não costumo freqüentar reuniões de candidatos, mas nesse fiz questão de vir”, garantiu o candidato, que destacou sua amizade com o pai de Victor Kobayashi, Paulo Kobayashi.

aldo shiguti

Jantar de apoio à candidatura de Victor Kobayashi reuniu lideranças, autoridades e empresários

O “anfitrião”, Victor Kobayashi, com o “convidado”, José Serra

Um de seus orgulhos como ministro da Saúde no governo Fernando Henrique Cardoso (FHC) foi incentivar o programa de combate à AIDS, iniciativa que recebeu o reconhecimento da Organização Mundial de Saúde (OMS) e foi considerada modelo para o mundo por técnicos da instituição. “Em fevereiro de 2001 visitei o Japão ao lado de Paulo Kobayashi para o lançamento do “Programa de Assistência e Prevenção das DST/HIV/AIDS” para a comunidade brasileira no Japão. Na época, eram cerca de 300 mil dekasseguis e a aids era um problema grave pois os brasileiros não tinham o domínio do idioma.

Em parceria com o governo japonês, organizamos uma batalha contra a aids. Foi bom. Funcionou porque ganhei todas as eleições presidenciais no Japão”, justificou Serra, afirmando que “o Paulo Kobayashi era muito amigo”. Com os japoneses – Ao lado do tio de Victor Kobayashi, o jornalista Sergio Kobayashi, da esposa, Cristina, do deputado federal Walter Ihoshi e do coordenador da campanha tucana, o deputado Orlando Morando, Serra também lembrou que cultiva uma amizade com a comunidade japonesa desde 1986, ano que se candidatou pela primeira a deputado federal, mas que

conviveu com os japoneses desde a época em que seu pai trabalhava no Mercado Municipal. “Ele tinha muitos amigos japoneses, nascidos no Japão mesmo. Era gente trabalhadora, disciplinada. Esse convívio se confirmou na escola e na Politécnica, que tinha 20% de japoneses”, contou Serra, afirmando que “os japoneses dão uma importância muito grande à educação”. “No Brasil, infelizmente não é assim”, disse o candidato, que citou ainda sua passagem de dois anos pela Liberdade, onde estudou no Colégio Anglo-Latino. “Adoro a cultura e a comida japonesa, menos doce de feijão”, apressou-se em comentar. “Depois que o Paulo faleceu, fiquei muito contente quando vi seu filho, Victor Kobayashi tocando o Instituto Paulo Kobayashi. O Victor é um ativista social de muita qualidade e muita intensidade. Como dizem na Mooca: ‘Vou com a cara dele’. O Victor será muito precioso e produtivo na Câmara Municipal. Não tenho a menor dúvida que será um excelente político”, disse Serra, que arrancou risos dos convidados ao brincar dizendo que “o Victor deve ser menos boêmio que o pai”. (Aldo Shiguti)

eleições 2012

Mario Covas Neto visita o Bunkyo no bairro da Liberdade luci judice yizima

Em ritimo de campanha, o candidato a vereador Mário Covas Neto fez visita ao comércio do bairro da Liberdade, e se reuniu com representantes da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e Assistência Social onde foi recebido pelo presidente da entidade Kihatiro Kita, Akinori Sonoda (presidente Kenren), Reimei Yoshioka (presidente do Ikoi-no-sono), Anacleto Hanashiro (Secretário Geral do Bunkyo), Teruko Kamitsuji (presidente do Incremento Social do Bunkyo), O candidato foi recebido pela diretoria do Bunkyo o empresário Roberto Suga, o comerciante Henri Tachibana, Erisson Thompson (pre- atitude. “Precisamos de uma e depois veio o Metrô, quando sidente da Associação de Câmara Municipal forte para o certo era ser o contrário, Ikebana do Brasil, em 29 de uma cidade cada vez melhor” como nas principais cidades agosto. Na ocasião o candi- diz. O presidente Kita citou do mundo”, comenta. “A modato Mario Covas Neto citou o trânsito caótico como um bilidade só vai melhorar com a importância das contribui- dos maiores problemas de investimentos no transporte ções da comunidade japone- São Paulo. Kita também pe- coletivo, especialmente sobre sa para a cidade de São Paulo. diu ao futuro vereador apoio trilhos”, pondera. O candidato também citou Foram discutidos vários nas realizações de eventos outras idéias para São Pauassuntos como educação, se- promovidos pela entidade. Para Mário Covas Neto a lo como a criação do Pólo 24 gurança, saúde e transporte. O presidente do Bunkyo, Ki- cidade precisa melhorar em Horas na região central, a mehatiro Kita, destacou a impor- muitos setores, um deles é a lhoria na iluminação pública e tância de uma vereança com mobilidade. “A cidade cresceu o incentivo para a produção de

veículos elétricos de pequeno porte. “Esses veículos podem melhorar o trânsito e a qualidade do ar”, explica. Covas Neto disse ainda que uma Câmara Municipal atuante precisa ser cobrada e a população tem de estar junto dos seus representantes. “Só faz sentido ser vereador se for para fazer a diferença”, finaliza. Depois do encontro, Covas Neto percorreu algumas ruas do bairro visitando estabelecimentos comerciais, cumprimentando e conversando com eleitores. (Luci Júdice Yizima)

Keirô no hi (Dia do Respeito ao Idoso) Dia 17 de setembro, segunda feira, foi feriado no Japão em razão ao dia do respeito ao idoso. Na verdade na terceira segunda feira do mês de setembro, que esse ano foi o dia 17. O Japão é um dos países com o maior número de idosos no mundo, e nada mais justo ter uma data para celebrar e dignificar o respeito aos mais velhos. A inclusão desta data como feriado nacional surgiu em 1947, quando uma pequena aldeia em Hyogo resolveu oficializar a data, como forma de respeito e valorização aos idosos japoneses, que sempre contribuíram para o País com sua sabedoria e seu trabalho. Mas acredito que o Japão já demonstra respeito aos mais velhos no seu cotidiano, e na minha opinião acho que nem precisaria de uma dia para comemorar isso, mas é claro que admiro e acho muito digno, um país respeitar seus ancestrais e ainda manter vivo esse respeito e passar essa conscientização para os seus descendentes. Sinceramente, eu me entristeço quando me lembro do Brasil nesse aspecto, quando vivi no Brasil, eu me lembro das filas enormes nos bancos onde os idosos tinham que se submeter para poder receber suas aposentadorias, mesmo com a inclusão de filas preferenciais, isso nunca mudou, pois o uso correto dessas filas dificilmente foram respeitadas. A saúde pública é um assunto a parte, pois falar desse assunto aqui renderia páginas e mais páginas do jornal, e não conseguiria descrever o que sinto com tamanho descaso. E quando vou aos hospitais aqui no Japão, geralmente a maioria dos pacientes é composta por uma população idosa, e com atendimento excelente, medicos e enfermeiros muito educados e dispostos a tartar com dignidade a todos. E em qualquer lugar que eu vou, eu percebo essa estruturação e respeito em relação aos idosos, um respeito tão grande que muitas vezes a vontade deles é a que prevalece, pois culturalmente os japoneses têm a tradição de cultuar o passado e respeitar à risca o

que os mais velhos dizem. Isso é muito comum, pois até mesmo dentro das empresas preza-se pela hierarquia dentro dos cargos e comandos administrativos. Eu sou brasileira, de coração e de alma, mas confesso que tenho medo de um dia envelhecer no Brasil. Envelhecer no Japão me parece mais digno, mais humano e muito mais distinto. Mas depois penso no meu avô, que vive muito bem no Brasil e não troca o Brasil por nada nesse mundo, nem mesmo pelo Japão, apesar de ter nascido no Japão. Portanto cheguei a conclusão que há essa dualidade de valores, e que tudo depende do ponto de vista de cada um, pois é muito subjetivo e pessoal, onde a palavra de ordem é adaptação. Tudo é uma questão de adaptação das pessoas ao meio onde se vive. Admiro o povo japonês pela forma como respeita e cultua o seu passado e antepassados, gostaria que o Brasil adotasse algumas medidas parecidas com as que existe aqui no Japão e que poderia facilitar a vida dos idosos no Brasil, mas sei da dificuldade do povo brasileiro absorver cada ideia de mudança, pois no caso está mais relacionado com o lado cultural educacional, do que com o lado jurídico, onde a obrigatoriedade na adoção de uma lei seria a solução a curto prazo para modificar algumas atitudes, quando na verdade não é isso, pois primeiramente teríamos que trabalhar a educação de um povo fazendo-o entender a importância em respeitar os idosos. Pois quando aprimora-se a educação e a cultura de um povo não há a necessidade de se criar leis para import al respeito. E são essas diferenças que percebo no dia a dia que faz com que eu admire mais o povo japonês, e aumente a minha vontade de ajudar o Brasil a melhorar e evoluir em aspectos humanos. *Erika Tamura nasceu em Araçatuba e há 14 anos reside no Japão, onde trabalha com desenvolvimento de criação. E-mail: erikasumida@hotmail.com


São Paulo, 20 a 26 de setembro de 2012

JORNAL NIPPAK

5

comunidade

10º Okinawa Festival consolida sucesso, arrecada 15 toneladas de alimentos e mira 2013

A

décima edição do Okinawa, realizada neste sábado e domingo (15 e 16), no Clube Escola Vila Manchester, zona Leste de São Paulo, chegou ao fim com a sensação que dois dias é pouco pela dimensão que o evento assumiu. “Culpa”, em parte, dos realizadores, a Associação Okinawa Vila Carrão (AOVC) – em conjunto com a Prefeitura de São Paulo e a São Paulo Turismo – que faz o público se sentir como se estivesse em casa. Nos dois dias, passaram pelo local cerca de 30 mil pessoas e foram arrecadados 15 toneladas de alimentos – mesma quantidade do ano passado – que serão doados a entidades assistenciais. “A Comissão Organizadora se esforçou ao máximo para fazer um evento que agradasse a todos. O sucesso não é da associação, mas de todos os descendentes da região em agradecimento a acolhida dos paulistanos aos nossos ancestrais”, explicou o presidente do 10º Okinawa Festival, Antonio Kishimoto. Para ele, o rádio de comunicação utilizado para alertar eventuais falhas com os outros membros da Comissão Organizadora serve como uma espécie de “termômetro” para avaliar o sucesso do evento. “Não fui chamado uma única vez”, brincou Kishimoto, afirmando que “sou suspeito para falar, mas creio que todos ficaram satisfeitos”. Já o presidente da AOVC, Kiyoshi Onaga, atribui nota “oito” para a organização. “Não dou dez porque sempre podemos melhorar uma coisa ou outra”, justificou Onaga, lembrando que este ano o layout passou por mudanças para oferecer mais comodidade e conforto ao público. Para Onaga, outra preocupação foi agregar novas atrações ao evento. As atrações – Para a edição comemorativa de dez anos do Okinawa Festival, foram convidados o Grupo Sakura Fubuki Taikô e o Grupo Awa Odori Represa, por sinal, ambos muito aplaudidos. A eles, somaram-se as atrações já conhecidas do público e que contribuíram para “fechar a década com chave de ouro”, como as aprsentações de artes marciais, dos vários Departamentos da AOVC, e dos grupos de taikô Requios Gueinou Dokou Kai e Ryukyu Koku Matsuri Taikô. “A ideia é fazer uma espécie de rodízio trazendo uma atração de uma província diferente a cada ano. Com isso, pretendemos promover uma integração com toda a comundade nipo-brasileira”, destaca Onaga, que comemora o fato de, finalmente, ter acertado a apresentação do Grupo Awa Odori Represa. “Desde as comemorações do Centenário da Imigração Japonesa que tentávamos tra-

Apresentação de música folclórica

fotos: aldo shiguti

Público aproveitou fim de semana de muito sol

Foco do Okinawa Festival continua sendo a cultura e tradições okinawanas

Organizadores e convidados participam da cerimônia de abertura

zer esse grupo para se apresentar no Okinawa Festival mas as agendas não coincidiam. Desta vez deu tudo certo”, conta Onaga, afirmando que nem bem terminou o Okinawa Festival deste ano e a Associação Okinawa Vila Carrão já começa a pensar no próximo ano. Exagero? Para a Comissão Organizadora chama-se “planejamento”. Passa pelo trabalho do deputado estadual Hélio Nishimoto (PSDB) e do deputado federal Walter Ihoshi (PSD-SP), além do “padrinho da festa”, o vereador Ushitaro Kamia (PSD), e da diretoria para conseguir aprovar todo o trâmite burocrático. E quem sai ganhando é o público, que sabe reconhecer quando o evento é bom e bem organizado. Tanto que acaba voltando no ano seguinte. Como neste ano. Que venha logo 2013 porque 2012 já está dando saudades. No sábado – Já no primeiro dia, o Okinawa Festival dava mostras que seria um sucesso. Apresentações de danças folclóricas, dança de salão, demonstração de artes marciais, coral, ilusionismo com Mario Kamia, músicas folclóricas e, é claro, os sempre aguardados tambores de Okinawa nas batidas dos grupos Ryukyu Koku Matsuri Taiko e o Requios Geinou Dokou Kai serviram de aperi-

tivo para o público que aproveitou mais um dia de sol. Em meio às apresentações, uma pausa para a cerimônia de abertura que contou com a presença do deputado federal Walter Ihoshi (PSD-SP); os deputados estaduais Hélio Nishimoto (PSDB) e Jooji Hato (PMDB); o presidente da Associação Okinawa do Brasil, Shinji Yonamine; o presidente da AOVC, Kiyoshi Onaga; o presidente da Comissão Organizadora, Antonio Kishimoto, o presidente da Sociedade Beneficente Casa da Esperança Kibô-No-Iê, Jairo Uemura, e o subprefeito de Aricanduva, Vila Formosa e Vila Carrão, Jorge Augusto Leme. O “padrinho do Okinawa Festival”, o vereador e candidato à reeleição, Ushitaro Kamia, acompanhou o ritual da quebra do barril do saquê do espaço vip ao lado dos também candidatos Aurélio Nomura e George Hato. O presidente da AOVC, Kiyoshi Onaga lembrou que o Okinawa Festival “vem se agigantando” e atribuiu o sucesso aos diversos parceiros, “como os colaboradores, patrocinadores, diretores, sócios e entidades co-irmãs, além das autoridades policiais, o deputado federal Walter Ihoshi, os deputados estaduais Jooji Hato e Hélio Nishimoto, e, em especial o vereador Ushitaro Kamia, que trabalham juntas para que o evento seja símbolo de har-

monia e alegria”. O presidente do 10º Okinawa Festival, Antonio Kishimoto, também ressaltou “o esforço de todos que tornaram possível a realização do evento”. O subprefeito Jorge Leme destacou que “conseguimos ajudar quem trabalha forte”. “Por isso, quero render homenagens à comunidade nipo-brasileira pela organização da festa. Os organizadores nos procuram com antecedência e o resultado só pode ser coroado de sucesso”, explicou. Presente desde a primeira edição do Festival, Walter Ihoshi disse que “o Okinawa Festival se tornou uma referência não só para a comunidade nikkei e em toda a Grande São Paulo, mas também para todos que adoram a nossa gastronomia, a nossa cultura e a nossa arte”. “Aém disso, o Okinawa Festival cumpre um importante papel social”, afirmou o parlamentar,lembrando que no ano passado foram arrecadados 15 toneladas de alimentos não perecíveis, que foram doados para entidades assistenciais. Autor da emenda que destinou recursos para a viabilização da festa, o deputado Hélio Nishimoto destacou a parceria com o “amigo Kamia” e observou que desde a primeira edição o evento é reaqlizado sem nenhum incidente. Para Kamia, “é gratificante quando todos fazem sua parte”. “Não existe segredo, a fórmula é trabalhar em equipe. Por isso, a cada ano que passa o número de visitantes aumenta consideravelmente. Além disso, o evento já consta no Calendário Oficial da Cidade de São Paulo, desde 2007 e conta também com o apoio de toda a comunidade nipo-brasileira e dos moradores da região. Aspectos da cultura como o sanshin e o taikô terão sempre um lugar reservado nesta festa”, disse Kamia. (Aldo Shiguti)

Apresentação do Grupo Sakura Fubuki Taiko, uma das novidades

Música clássica de Okinawa foi uma das atrações

Alunos de karatê do sensei Flavio Vicente de Souza

Walter Ihoshi, Kiyoshi Onaga, Kamia, Kishimoto e Nishimoto

A famosa sopa de cabrito na barraca da Aceoma

Apresentação da Associação Cultural e Esportiva Represa


JORNAL NIPPAK

6

­­

“tá pintando um novo metrô”

Finalista de concurso, Hideki Yassuda quer alçar novos voos

P

romovido pela Companhia do Metrô de São Paulo, o concurso “Tá Pintando Um Novo Metrô” está em fase final de votação. Até o próximo dia 27, o público poderá escolher no site www.tapintandoumnovometro.com.br a arte favorita para estilizar o primeiro e o último carro de cada uma das 54 composições que irão operar na Linha 15-Prata do Metrô (Ipiranga – Hospital Cidade Tiradentes). Um dos finalistas é o nikkei Hideki Yassuda, de 19 anos (completados em agosto). Cursando o 4º Semestre de Design de Mídia Digital pela Faculdade Impacta Tecnologia – é aluno do artista plástico Ayao Okamoto –, Yasuda, elaborou um projeto com ilustrações digitais e algumas modelagens 3D, com foco em Concept Art. Seu desenho concorreu com outras 2.725 produções – cada participante pode inscrever até cinco obras. Uma comissão julgadora escolheu os 20 finalistas do concurso. Yassuda disse que foi informado do resultado por um amigo, que o parabenizou pelo feito. “Não acreditei e fui conferir. Achei um link e caí direto no site do Jornal Nippak”, explicou o nikkei, que conta uma história curiosa. “O desenho escolhido pelo pessoal do concurso estava entre os que eu tinha excluído. Eu só o inscrevi porque o prazo estava estourando”, diverte-se Yassuda, que desenhou um labirinto

São Paulo, 20 a 26 de setembro de 2012

aldo shiguti

Hideki Yassuda com um de seus hobbies, o ioiô

que interagisse com o usuário. “Não queria fazer apenas um desenho”, destaca, acrescentando que após conferir que estava mesmo entre os finalistas tratou de mobilizar os amigos nas redes sociais. Vitorioso – Até ontem (quarta-feira), o desenho de JP Ferreira liderava com mais de 8 mil votos. Em segundo estava o desenho de Rodrigo Maranhão com quase 7 mil votos. Yassuda contabilizava 200 votos. Apesar de considerar uma

O desenho que Yassuda inscreveu no concurso da Fiat...

virada inviável, o nikkei já se considera um vitorioso. “Foi o trabalho que deu mais repercussão”, garante ele, lembrando que já participou de vários concursos, entre eles um promovido pela Editora Panini, em 2006. O tema

era “o carro dos seus sonhos”. “Fiquei entre os 300 entre 14 mil participantes. Na época nem era tão bom assim”, diz, Yassuda, que tem como hobby tirar fotos e praticar ioiô – já disputou competições e é patrocinado pela Fênix, uma empresa do ramo. Freqüentador de pontos turísticos como a Liberdade, Parque do Ibirapuera e Av. Paulista, onde costuma ir com amigos da Zona da Fotografia, Yassuda participou, no passado, de um concurso promovido pela própria Faculdade Impacta entre seus alunos. Era para desenhar uma estampa para camiseta e ele acabou em segundo lugar. Nesta semana, Yassuda se inscreveu em mais um. Desta vez da Fiat. Agora, espera também dar continuidade a sua carreira, de designer de mídia digital. “É uma área que ainda está crescendo”, diz. Para orgulho dos pais, Hatiro e Olga Yassuda. Os interessados ainda podem votar para escolher o desenho de sua preferência. O site é o www.tapintandoumnovometro.com.br A ilustração mais votada será divulgada até o final deste mês. (Aldo Shiguti)

... e o desenho finalista do concurso do Metrô: “Era o excluído”

COLUNA DO JORGE NAGAO

Hiroíto, o rei Rei? Não, contestarão muitos leitores, Hiroíto foi imperador. Então, esclareço que trata-se de um Hiroíto brasileiro como tantos outros cujos pais, admiradores do Japão, batizavam seus filhos com nomes nipônicos. Yamaguchi Falcão, é um belo exemplo dessa reverência. Herói nas Olimpíadas, ao lado de seu irmão Esquiva e Adriana Ararújo, conquistaram medalhas de bronze para o boxe brasileiro depois de mais de quatro décadas. Quantas Sayonaras existem por aí como a filha do jogador palmeirense Obina. Idolatrado no Japão e respeitado no exterior, o nome do imperador japonês foi recorrentemente registrado em cartórios do Brasil especialmente nos anos 30 e 40. O pai de Hiroíto de Moraes Joanides, um grego, não imaginava que o seu filho se tornaria um rei. Filho de uma família de classe média, Hiroíto, paranaense de Morretes, nasceu em 1936. Teve uma infância normal. Sua vida mudou quando foi à chamada boca do lixo para satisfazer os seus hormônios em ebulição. Gostou do local. E voltou muitas vezes. Em 1957, seu pai foi assassinado a navalhadas. Hiroíto foi acusado pelo crime mas não foi preso. Decidiu mudar para o chamado quadrilátero do pecado. Não como um simples morador, mas sonhando em ser o imperador daquele submundo no centro da cidade, nos arredores da estação rodoviária paulistana no final dos anos 50. Franzino, de óculos, culto, não tinha outra opção para se impor a não ser portando armas. Comprou dois revólveres porque as navalhas começaram a ficar restritas aos salões de barbeiros. Ao presenciar uma agressão à uma prostituta, esmurrou o agressor que revidou com pauladas, acuado, Hiroíto sacou a arma e matou pela primeira vez. Passou a ser

admirado pelas pecadoras. Tempos depois, desacatado quando jogava bilhar, o “japonês”, como era chamado, não hesitou: passou fogo no desafeto. Mesmo assustado com a sua atitude, sentiu-se poderoso. Era o início da carreira do poderoso chefão. Logo, de boca em boca, o seu nome foi crescendo na boca do lixo. Com muita astúcia e crueldade, traficando drogas e corrompendo policiais, Hiroíto foi dominando ruas e quarteirões. Quando era preso, um pacote de dinheiro resolvia o seu problema. Traficando, assasinando friamente os seus concorrentes, virou o rei da boca. Dormia pouco pois era perseguido tanto por policiais quanto por bandidos. Para se manter vigilante drogava-se constantemente. Até que um dia, a casa dele caiu. Preso durante sete anos, escreveu o livro “Boca do Lixo”, lançado nos anos 70 e relançado neste ano pela Labortexto. O livro retrata aquela São Paulo dos anos dourados e a trajetória do “japonês” que queria ser amado e tinha o prazer de ser temido, conforme anuncia o filme Boca, de Flavio Frederico. A crítica destaca as magnifícas atuações de Daniel de Oliveira e Hermila Guedes. O filme que levou quatro prêmios no Festival de Recife, estreia nos cinemas em 28 de setembro. Lançado em DVD no exterior como Boca the real goodfather foi muito elogiado pela reconstitução da época pelo renomado jornal Variety. Para quem gosta de ação e não se importa com tantos tiros, consumo de drogas e safadezas em geral, como mostra o thriller, é um prato cheio. *Jorge Nagao é colunista do site Primeiro Programa (www.primeiroprograma. com.br). E-mail: jlcnagao@uol. com.br

LITERATURA

COMUNIDADE

‘O be-a-bá do Origami’, de Paulo Palma, será lançado no próximo dia 8

Grupo Escoteiro Caramuru realiza Bazar Beneficente no próximo dia 30

divulgação

Acontece no próximo dia 8, na Loja de Arte da Livraria Cultura, o lançamento do livro “O be-a-bá do origami”, de Paulo Palma. O livro explica com detalhe por detalhe, vários temas do Origami, como os decorativos (cesta para doces, o descanso de copos, castiçal); os mamíferos (canguru, cavalo, esquilo, golfi- Capa do livro de Paulo Palma nho, gorila); o anfíbio (rã); as plantas (amor-perfei- livros, comprando materiais to, tulipa, pitanga, violeta); específicos. E descobrir que meios de transporte (aviões) as dobraduras eram, na vere outros mais. Ao todo, são dade, uma arte que, além 65 figuras. Os prefácios são de melhorar a habilidade dos artistas plásticos Tomie motora, lhe trazia muito Ohtake e Jum Nakao, ambos aprendizado. apaixonados por essa arte. À medida em que avançaSem nenhuma ascendên- va na prática, Paulo descobriu cia oriental, mas convivendo que a maioria dos livros ia até com a cultura japonesa desde certo ponto, explicando a maa infância através de amigos, neira de se fazer origami apePaulo Palma, 81 anos, san- nas com setas e desenhos, o tista, aprendeu origami sem que tornava o aprendizado saber sua origem. Um amigo bastante complicado para da Faculdade foi quem lhe quem estava iniciando. Como ensinou. E, desde então, engenheiro, resolveu então há mais de 60 anos, nunca explicar o “be-a-bá”, para mais parou. Para Paulo, sem- que ninguém – de 8 a 90 anos pre foi uma diversão fazer – tivesse dificuldade em prosfaisão, cabo de flor, tulipa, seguir até a última dobra. Foi amor perfeito, cesta para do- provado, aliás, que, a práces... tudo para presentear as tica e o estudo do Origami, amigas. Até o dia em que re- envolvem vários tópicos de solveu se aprofundar, lendo relevo da matemática. Dobrar

papel, segundo Palma, parece simples. Mas, dobrar papel numa diagonal, para que os ângulos retos se encontrem, é complicado. E, como todo aprendizado, começando do mais simples até o mais difícil, tudo se resolve. Que o diga um dos seus alunos, o deficiente visual Ismael da Silva, de 45 anos. Ele aprendeu a técnica com Paulo há dez anos, quando cursava a Faculdade de Jornalismo. Foi até a fase final, considerada “complicada”. E com um de seus trabalhos - a produção de cesta formada de dezenas de minidobraduras, todas perfeitamente simétricas - conseguiu pagar todo seu curso. História – O Origami faz parte da cultura dos japoneses. Praticado desde o começo do século XVII, período Edo no Japão, a arte da dobradura de papel é hoje conhecida em todo o mundo. Durante muito tempo, no entanto, essa arte só foi transmitida “boca a boca”, de geração a geração. Só no final do século 18 foi lançado um livro que explicava como se fazia um pássaro sagrado da Índia. Dali em diante, outras publicações com novas criações foram surgindo.

divulgação

Parte da renda será revertida para o GE Caramuru Mães dão uma força no dia do evento

O Grupo Escoteiro Caramuru realizará no próximo dia 30, das 10 às 17 horas, em sua sede, no bairro da Aclimação (zona Sul de São Paulo), o seu tradicional Bazar Beneficente. Haverá diversas barracas de comidas típicas, como yakissoba, yakisakana, harumaki, guioza, sushi, hidiki, ohagui, pastel, churrasco, sonho, salada de frutas, doces, bebidas, além de atividades voltadas para o público infantil e rodadas de bingo com prêmios e venda de artesanato feito pelas mães do Caramuru. A expectativa é pelo menos repetir a presença de público do ano passado, quando cerca de três mil pessoas passaram pelo local. Parte da arrecada-

ção será revertida em prol das atividades do Grupo e outra parte será doada para entidades assistenciais. O G.E. Caramuru comemora em 2012 59 anos de fundação. Atualmente, conta com a participação de aproximadamente 500 jovens, de 7 a 21 anos. Segundo Cristina Miyake, da Comissão de Mães 2012, o Bazar é o maior evento realizado pelo G.E. Caramuru. Miyake conta que as mães também participam das atividades. Este ano, por exemplo, a Comissão de Mães intensificou o Projeto Solidário, cujo objetivo é confeccionar peças de roupas para serem doadas para entidades carentes como asilos, creches e orfanatos, etc. (Aldo Shiguti)

O G.E. Caramuru fica na Rua José do Patrocínio, 550 - Aclimação. O Caramuru disponi­ bilizará vans gratuitas, do metrô Ana Rosa até o local. Informações pelos telefones: 11/5573-1976 ou 5549-5812


JORNAL NIPPAK

São Paulo, 20 a 26 de setembro de 2012

7

COMUNIDADE/RIO DE JANEIRO

Consulado do Japão no Rio homenageia Nagamitsu Fujimaki

N

o dia 27 de agosto, Nagamitsu Fujimaki, imigrante japonês, 80 anos, foi homenageado com o “Diploma de Honra ao Mérito pelo Ministério de Negócios Estrangeiros do Japão” através do cônsul-geral do Japão no Rio de Janeiro, Masaru Watanabe, no Consulado Geral, na Praia do Flamengo, 200 - 10º andar. Nagamitsu Fujimaki nasceu em Kashiwazaki-shi, Niigata-ken, em 5 de abril de 1932, e, veio para o Brasil em 1956. Em 1965 casou-se com Tamae Hiroce Fujimaki - natural de Mogi das Cruzes, professora em Nova Friburgo. O casal tem cinco filhos: Eidi Marcos Fujimaki, engenheiro eletrônico / ITA-1990; Hiroji Fujimaki, engenheiro de infraestrutura Aeronáutica / ITA-1991; Kendi Fujimaki - engenheiro de Alimentos / UNICAMP-1995; Mitsue Fujimaki, dentista com graduação na USP, doutorado na UNICAMP, professora na Universidade Estadual de Maringá - PR; e Tunney Fujimaki, empresário em Nova Friburgo. Na entrega do “Gaimu Daijin Hyoushou” o cônsul-geral Watanabe relatou que o homenageado se radicou em Nova Friburgo em 1956, onde contribuiu muito com os moradores da região serrana com seus conhecimentos sobre agricultura moderna. Fundou em novembro de 1976 a Associação Cultural e Esportiva Nipo-Brasileira de Nova Friburgo, e abriu a Escola de Língua Japonesa, para a qual - aumentando o número de

teruko monteiro

Tudo vai ser diferente. O bom é ser feliz e mais naada!

Cônsul geral Masaru Watanabe, Junichi Matsumura, cônsul Masana Isozaki, Hiroko Matsumura, Isao Ohara, Nagamitsu Fujimaki, Hiroji Fujimaki, Hideko Nishimoto, Akiyoshi Shikada, cônsul Takaharu Nagashima, cônsul cultural Hitomi Sekiguchi (a partir da esquerda)

Entrega do Gaimu Daijin Hyoushou

alunos em 1980 - ofereceu gratuitamente espaço em sua empresa. Nos sete anos de presidência na associação, realizou eventos tradicionais de cultura japonesa como “Undou-kai” (gincana poliesportiva), “Sakura wo miru kai” (grupo de apreciação às cerejeiras). Apresentou petição à Prefeitura de Nova Friburgo

junto a imigrantes de dez países - como Japão, Suíça, Alemanha, Portugal e Espanha, entre outros - para a construção do Museu do Imigrante da Região Serrana. Assim, criado o museu em 2002, o estande do Japão perpetua o legado da cultura nipônica. Prestigiaram a cerimônia Akiyoshi Shikada, presidente da Renmei - Associação Cul-

tural e Esportiva Nipo-Brasileira do Estado do Rio de Janeiro, autor da indicação, e Isao Ohara, empresário e amigo de longa data. A família esteve representada pelo filho Hiroji Fujimaki, e pelo casal Junichi e Hiroko Matsumura, cuja filha Mayumi é casada com Kendi Fujimaki. Após as chuvas torrenciais em janeiro de 2011, dedicou-se de corpo e alma na operação de busca e resgate das vítimas em Nova Friburgo. Do Consulado Geral do Japão participaram a cônsul cultural Hitomi Sekiguchi, os cônsules Masana Isozaki, Etsuo Kashiro, Takaharu Nagashima, a vice-cônsul Rinna Kuwano, a Sra. Hideko Nishimoto e a Sra. Mariko Arai. Todos brindaram à saúde de Nagamitsu Fujimaki, que retornou à sua casa com alegria, pelo reconhecimento tão elevado. (Texto e fotos de Teruko Okagawa Monteiro)

Isao Ohara, cônsul-geral Masaru Watanabe, Na- Hiroko Matsumura, Junichi Matsumura, Nagamit- Cônsul geral Masaru Watanabe e gamitsu Fujimaki, Akiyoshi Shikada e cônsul Ma- su Fujimaki e Hiroji Fujimaki a partir da esquerda. Nagamitsu Fujimaki (direita). sana Isozaki, a partir da esquerda.

MANGÁ

Abrademi promove neste domingo, na Associação Mie, “Um dia de atividades dedicado ao Mangá” A Associação Brasileira de Desenhistas de Mangá e Ilustrações, entidade pioneira na difusão do magá no Brasil, em parceria com a Associação Mie do Brasil realizam neste domingo (23), “Um dia de atividades culturais dedicado ao Mangá” para o público em geral, na sede da Associação Mie do Brasil. Também apóia as atividades a Associação Brasileira de J-Fashion. O curso de mangá será ministrado pela professora Célia Sayuri Yano, vencedora do primeiro concurso de mangá do Brasil - O Abrademi Contest 1996. Desde então ela desenvolveu uma carreira como professora, desenhista e ilustradora. A presidente da Abrademi, Cristiane Akune Sato disse que haverá também o Meeting (Sarau) em comemoração aos 40 anos do surgimento de ‘Lady Oscar - A Rosa de Versalhes’ (Berusaiyu no Bara). “Trata-se do mangá feminino mais importante de toda a história do mangá, e o único mangá a ser elevado à cate-

goria de literatura na cultura japonesa contemporânea por ter alterado valores, comportamentos, a estética e a moda no Japão”, esclarece. “Hoje considerado o mais influente romance japonês do século 20, ‘A Rosa de Versalhes’ tornou-se um fenômeno internacional duradouro e sem precedentes ao gerar multidões de apreciadores na Europa e na América Latina que atualmente se inspiram e copiam comportamentos e estéticas desenvolvidos no Japão em função desse manga”, explica. No Meeting ocorrerá a palestra “O Fenômeno Rosa de Versalhes” com Cristiane Akune Sato, autora do livro ‘Japop - O Poder da Cultura Pop Japonesa’. “O mangá Berusaiyu no Bara começou a ser publicado no Japão na primavera de 1972, e vamos fazer um Meeting comemorativo aqui no Brasil no início da primavera de 2012. É algo curioso, considerando que o mangá nunca foi publicado em português,

e o animê nunca foi exibido em TV no Brasil. Mas mesmo assim tem fãs devido à fama duradoura da história e da influência que gerou na moda e na música que a nova geração curte, como os estilos Lolita, Gótico/Aristocrata e as bandas de J-Rock e Visual Kei” conclui Cristiane. Também haverá no Meeting a exibição do raro animê “Lady Oscar” dublado em português, a mostra temática “A Estética do Rococó e do Mangá Feminino no Século 21” e apresentação da canção tema de “Berusaiyu no Bara” com a jovem cantora Vitória Oyadomari. “Um dia de atividades culturais dedicado ao Mangá” Onde: Associação Mie Kenjin do Brasil - Av Lins de Vasconcelos, 3352 (estação Vila Mariana do metrô) Data: 23/09/2012 (domingo) na Associação Mie Kenjin do Brasil – Av. Lins de Vasconcelos, 3352 (Próx. Metrô Vila Mariana)

Aula única de Mangá Horário: 9h às 12h Inscrição a partir das 8h no local. Taxa: R$ 35,00 Informações: www.abrademi.com Meeting “40 Anos de Lady Oscar - A Rosa de Versalhes” Horário: 14h30 às 17h Inscrição a partir das 13h no local. Entrada: 3 kg de alimentos não perecíveis (doação para as entidades apoiadas pela Associação Mie) ou R$ 10,00.

É. Está certo o cantor. Não. Eu já não me importo. Pode dizer que é brega, antiga e outras mais. Também nem sei como ele continua sua canção, também não importa. Importa apenas o trecho “daqui pra frente, tudo vai ser diferente. O bom é ser feliz e mais nada”. Às vezes, até sabemos que ser feliz é que importa e, no entanto, insistimos em percorrer por caminhos que, desde o início, sabemos que não nos conduzirão a felicidade nenhuma. Ficamos ali apenas porque é mais cômodo, dá menos trabalho, nos acena um ilusório ganho monetário, um suposto lugar na fantasia do outro. Ali nunca temos tempo para fazer coisas que realmente nos importam. Entretanto, tempo ocioso, horas ocupadas com trabalhos inúteis que nada dizem ou justificam, é o que todos ali mais têm. E muitos passam ali doze, quatorze horas de seus dias. Nesta jornada, já nem lembramos mais que o propósito desta vida é que sejamos pessoas realizadas e felizes. Doce ilusão, acreditar que aquele caminho ou lugar é ocupado apenas nas horas diurnas. Saindo dali, nas outras horas restantes, você poderá criar, produzir coisas que lhe façam sentido e tenham utilidade para seus pares. Não. Nas suas outras horas restantes, já não lhe resta nada a não ser o cansaço no corpo e na mente. Não lhe resta muita alternativa além do banho para levar pelo ralo o ranço da sua pele. Com a pele limpa, volta-lhe um pouco de sensibilidade e você se dá conta que seu corpo pede um bom alimento. Com o corpo banhado, você come feito um condenado à morte. Saciada a fome, o corpo pesa, a cabeça parece uma bomba pulsante. Você se senta em frente ao seu moderníssimo aparelho e pensa que irá se distrair um pouco antes de se ocupar de algum traba lho mais nobre. Você até pensa que irá ler algum daqueles bons livros que comprou ou então irá assistir àquele filme, ou aquele concerto que tanto desejou e não pode ir ver. Você fica pensando com o corpo aboletado no sofá e acaba cochilando. Em es-

tado trôpego, trançando as pernas, se arrasta até sua cama e não dorme. Desmaia. Sonhar? Há muitos anos não ousa se lembrar de seus sonhos. Eles piorariam o seu estado. É melhor não lembrar. Desmaia até que o estridente som do alarme te chame para mais um dia de fingir que vive. Ser esperançoso que é, com o corpo descansado e limpo, você se esmera para se mostrar bem embalada. Veste suas melhores roupas e calçados e sai com o seu moderno carro. Você se matou a vida toda de tanto estudar e, no entanto, agora mesmo sendo profissional de primeira linha, você tem que cumprir horário para chegar e sair sabe-se lá quando. Tudo para assegurar o sistema que entope de dinheiro os donos dos contratos. Para você, resta a paga mensal dividida em duas parcelas. Assim, vai fazendo que vive bem, dias após dias, anos após anos. Como saldo após longos anos, se você conseguiu cuidar um pouco de seu corpo/mente e ainda lhe restar um traço de sua antiga humanidade, um dia você acordará e se dará conta que o tempo urge. Seus cabelos estão ficando cada vez mais brancos, se esperanças de realização ainda lhe restam, é preciso correr antes que ela se perca para longe, muito longe, tão longe que parecerá apenas um ponto distante no universo. Inatingível. Antes que isto aconteça, você corre para cobrir o prejuízo. Liberta das amarras, você sabe que há muito a ser feito. Arregaça as mangas e com a alma ainda chamuscada, começa a colocar no papel seus antigos planos, antes apenas idealizações para um futuro quem sabe talvez. Futuro que agora se faz presente. Com os pés no chão, sabe que a reconquista de si vem passo a passo. Um de cada vez. Firmes e seguros. Sem fingimentos ou ilusões. Você só tem uma certeza, daqui pra frente tudo será diferente.

marisatake@yahoo.com.br

Mari Satake escreve semana sim, semana não neste espaço


JORNAL NIPPAK

8

São Paulo, 20 a 26 de setembro de 2012

solidariedade

34ª edição da Festa do Verde da Kibô-no-Iê une diversão, cultura, flores e gastronomia divulgação

Destaque para o Espaço do Verde, com plantas e flores...

A

Sociedade Beneficente Casa da Esperança (Kibô-no-Iê) realiza a 34ª edição de sua tradicional Festa do Verde, cuja essência é o trabalho do voluntariado,

o amor ao próximo e a solidariedade. O evento celebra a diversidade cultural com atrações orientais e brasileiras e acontece nos dias 29 e 30 de setembro, em Itaquaquece-

... e para as barracas de alimentação

tuba. A renda será revertida para melhorias e manutenção da entidade, que abriga em sistema de internato cerca de 90 pessoas com deficiência intelectual.

Evento também terá serviço gratuito de orientação à saúde

Uma força-tarefa composta por mais de 1,5 mil voluntários prepara muitas opções de lazer, cultura e gastronomia para um público estimado de 15 mil pessoas.

TAIKÔ

Estão à venda ingressos para o espetáculo Ichariba Choodee em Curitiba Já estão à venda ingressos para o Ichariba Choodee (Uma vez juntos para sempre família), em comemoração aos 5 anos do grupo de Taiko de Okinawa Ryukyu Koku Matsuri Daiko (RKMD) – Filial Curitiba. O espetáculo será realizado no dia 3 de novembro (sábado), no Teatro Positivo Grande Auditório às 19:30. Além do grupo RKMD que sobre ao palco, haverá apresentação de Karaokê e participação especial dos gru-

pos: Wakaba Taiko, Wakaba Yosakoi Soran, Shishimai e Odori de Okinawa. Os ingressos podem ser adquiridos pelo Disk Ingressos através do site: www. diskingressos.com.br ou por telefone (41) 3315- 0808 ou nos quiosques do Disk Ingressis dos Shoppings Muller, Estação e Palladium. Mais informações: www. rkmdcuritiba5anos.com Informações pelo tel.: (41) 3317-3107 (teatro positivo).

reprodução

Destaque para os shows de cantores consagrados, como Karen Ito e Joe Hirata, para o bazar da pechincha e para as barracas de alimentação. Os visitantes ainda terão à disposição áreas exclusivas para compra de hortifruti (Sacolão da Esperança) e de plantas e flores (Espaço do Verde) e diversos serviços gratuitos como oficinas ecológicas, orientações de saúde e exames preventivos. Para os

pequenos a diversão está garantida com brinquedos lúdicos e atividades monitoradas. “O evento une pessoas que querem ajudar ao próximo, um espírito de fraternidade que torna a Festa do Verde um grande acontecimento e que mostra a força de um voluntariado fiel. Todos movidos por uma causa: a de levar alento e apoio para quem necessita”, avalia Júlio Matsuyama, coordenador geral da festa. 34ª Festa do Verde Dias 29 e 30 de setembro a partir das 10h. Local: Lar e Oficina Abrigada - Trav. Hideharu Yamazaki, s/nº da Estrada Aracília (altura do km 206 da Via Dutra) – Itaquaquecetuba. Entrada: contribuição de R$ 5. Mais informações pelo telefone (11) 5549-2695. Site: www.kibonoie.org.br.


JORNAL NIPPAK

São Paulo, 20 a 26 de setembro de 2012

9

Acampar é uma boa chance de estar no meio da natureza, curtindo a fauna e flora do Brasil que são exuberantes. Ter também a oportunidade de pescar então, nada melhor! CURTAS

Carretilhas Waters 4000 – Yume / Alkalis

Mauro Novalo

Idealizado por experientes pescadores, a Yume oferece esta carretilha com excelente custo-benefício, que atenderá com certeza a exigência dos pescadores brasileiros. Alto desempenho com baixo peso para quem precisa efetuar muitos lançamentos durante seu dia de pesca.

D

Características: • Carretel de Alumínio Aliviado • Recolhimento Super-Speed (SS) • Freio Magnético com Regulagem Milimétrica • Relação de Recolhimento: 7.1:1 • Rolamentos: 3 BB + 1 RB • Capacidade de Linha: 0,30 - 145 M • Freio Magnético com Regulagem Milimétrica • Disponível: Direita(right) e Esquerda(left) Procure nas melhoras lojas do ramo. Informações www.alkalis.com.br

Kit e acessórios para montagem de varas Moro Deconto

Para quem gosta de montar, customizar e personalizar suas varas de pesca, a Moro Deconto tem uma linha de produtos para atender esta demanda. Com blanks da Lamiglas (dispensa comentários) e ponteiras e passadores da Fuji você tem tudo o que precisa para ter a vara de acordo com a sua necessidade.

Informações no site www.morodeconto.com.br fone (41)3244 5353 email: deconto@iscasartificiais.com.br

Colete Light MTK

Colete em Tela Resinada + Nylon, 9 bolsos sendo 8 frontais e 1 grande posterior, ajuste de regulagem na cintura. Por ser confeccionado em tela, proporciona leveza e respiração do corpo para maior conforto do usuário.

Continuando a mostrar que a região norte, mais precisamente a floresta amazônica brasileira tem muito para ser explorado como área de turismo e de pesca.

Tamanhos:G/GG/EX nas cores: marinho, cinza, musgo. A venda nas melhores lojas de pesca. Informações www. mtkbrasil.com.br

ormir numa barraca de camping, embala­ do com os sons da natureza é uma experiência única. Principalmente para quem mora numa cidade grande como São Paulo. Perceber e distinguir a rica fauna no silêncio da noite, funciona como um calmante natural que nos remete a um mundo novo e extremamente fascinante. Acordar cedo, antes dos primeiros raios do sol, com a movimentação do pessoal de apoio, preparando os barcos para as pescarias, mostra a seriedade dos guias para atender bem o nosso grupo. As cozinheiras já a postos finalizando o desjejum matinal e, os primeiros pescadores também já se preparando para mais um dia intenso, de pescaria!!! Os roteiros de cada barco já foi preparado na noite anterior, numa reunião entre o coordenador do acampamento e os guias, debatido a necessidade e vontade de cada pescador e, assim pré-determinado os pontos de pesca e local de encontro para o almoço. Tudo checado e preparado (iscas, material de pesca e do almoço) é aguardar que todos estejam a bordo para iniciar mais um “duro” dia de pesca. Corpo descansado e braços prontos para nova etapa, lá vamos para visitar rios, lagos e igarapés. O tucunaré sem dúvida é a espécie mais procurada para ser capturada mas não podemos esquecer que também temos grandes pescadores de pirararas, cacharas e outros peixes que lá tem em tamanhos e cores exuberantes. Espécies como: matrinxãs, aruanãs, apapás, apaiaris, saicangas, jacundás e sem esquecer das valentes e vorazes traíras. Esta última digna de espaço pois num dia de pesca, literalmente detonou com algumas das iscas que utilizamos. Cabe aqui um adendo especial pois mesmo perdendo quase toda a pintura superficial, a cor osso que era a de fundo continuou arduamente no seu trabalho de atração e, claro não deixamos de utilizá-la, confirmando o ditado “de não se mexer em time que está ganhando”. Ponto para a Moro Deconto por ter montado a isca em cima desta cor. Dica Para melhorar as ações o ideal é ter um pescador lançando iscas de superfície, ex: zaras ou hélice para atrair o peixe. Se por acaso, o peixe bater e não pegar – o que é normal de ocorrer – o segundo pescador vem em seguida com uma isca de meia-água ou jig e, são as grandes as chances de êxito na captura. Então sempre tenha pronta uma vara de 20 a

25lb com uma isca de hélice e, outra de 15 a 17lb com iscas de superfície ou jig. Isso agiliza muito na hora da batida dos peixes. Não tivemos distinção de horário para as batidas ou seja, seja de manhã ou a tarde, as iscas sempre foram atacadas. Às vezes precisávamos estar um pouco mais distantes das estruturas e aí, cabe lembrar de estar com o equipamento balanceado e, pronto para longos arremessos embora estes nem sempre eram necessários. Claro que uma mínima alteração seja para mais ou menos do volume de água, uma chuva, variação da pressão barométrica pode resultar em mudança comportamental dos peixes, tornando ou ativos ou fazendo com que deixem de atacar as iscas. O ideal é sempre mudar os pontos de pesca para não pressionar em demasiado estes locais. Na hora de navegar coloque suas varas nos locais apropriados para isso. Assim vai conservar suas carretilhas sem riscos e não corre o risco de quebrar suas varas. E barco sempre limpo e organizado reduz as chances de acidentes com anzóis ou garatéias que podem ser doloridas. Pontos de pesca Isto é o diferencial na Amazônia, vários aspectos denunciam excelentes trechos, como galhadas, praias, pedras, ilhas e nas bocas dos rios. Para este último, é achar o leito que desemboca no rio maior e, é grande a chance de sempre ter ataques, preferencialmente nas iscas de meia água. Onde você daria uma volta inteira em volta de uma ilha formada smente de areia, pinchando como louco e, claro tendo variados ataques

seja na isca de hélice como nos plugs de superfície? Só aqui, pela abundância de peixes e inusitados locais onde se concentram para caçar. Importãncia então para o óculos com lentes polarizadas que é fundamental para o pescador enxergar os peixes embaixo dágua e avaliar melhor a situação. Embora os guias quase sempre, com seus olhos muito bem acostumados a região, localizem primeiro os cardumes e, avisem de antemão onde lançar a isca. Outra característica de grandes tucunarés, normalmente em casal, são borbulhas em quantidade na superfície, que significam quase certeza de um belo espécime se a isca passar no caminho deles. Isto nos remete a evidenciar a importância de um bom guia que além de conhecer muito bem o local, tem larga experiência e sabe do comportamento dos peixes. Só assim para ter dias de muitas ações e capturas. Adrenalina total!!! Então trate muito bem este profissional que é quem vai te colocar frente a frente com os brutos!!! O pescador retorna can­ sado, com o braço doendo mas tem a noite toda para se refazer e, claro lembrar dos estouros dos tucunarés na isca, que só quem viu, sabe como é!!! Com a ajuda dos parceiros montamos a seguinte tralha utilizada na expedição: Alkalis (www.alkalis. com.br ) - conjunto (Yume) vara e carretilha Waters compatível até 17lb - linha Triumph Dyneema 50lb Piscicultura Chang (www. pisciculturachang.com.br) - 1 carretilha Tokushima - líder line fluorocarbon Duel HD Carbon

Moro Deconto (www.morodeconto.com.br) -1 vara 17lb e outra de 25lb -iscas artificiais utilizadas pelo Nippak Pesca Completaram a tralha, carretilhas: Scorpion 1501 e Calcutta 50; 2 varas reservas de 17 e 25lb. Quem leva: PESCAVENTURA Turismo de Pesca Esportiva, oferece essa opção de acampamento para os rios Acari e Sucunduri Tel. (11) 3816-1110 www.pescaventura.com.br Rios Acari e Sucunduri Informe-se com a operadora sobre as datas e vagas disponíveis. Cada rio tem sua particularidade e a temporada começa com acampamento no rio Acari que, depois é desmontado e montado no Sucunduri. Ótima pescarias!!! Apoio MTK Fishing Adventure Outdoor www.mtkbrasil.com.br Produtos Petersen http://pescabrasil.net/boias.html Moro e Deconto www.morodeconto.com.br Piscicultura Chang www.pisciculturachang.com.br Alkalis www.alkalis.com.br NIPPAK PESCA

Mauro Yoshiaki Novalo Texto: Mauro Yoshiaki Novalo Revisão: Aldo Shiguti Publicidade nippak@nippak.com.br Tel. (11) 3208-4863


JORNAL NIPPAK

10

São Paulo, 20 a 26 de setembro de 2012

sudoku

1ª Copa Jornal Nikkey abre inscrições; ‘pai do Sudoku’ virá ao Brasil para ministrar palestra

O

divulgação

Sudoku, quebra-cabeça mais popular do mundo, baseado na colocação lógica de números, será o desafio da 1ª Copa Jornal Nikkey de Sudoku 2012, no próximo dia 29 de setembro, em São Paulo. “Nosso objetivo é divulgar o Sudoku como um jogo simples, que não requer nenhum instrumento especial além da própria mente”, afirma Yoshifumi Horie, um dos coordenadores do evento, “não somente como um lazer, como também um programa alternativo para o desenvolvimento do raciocínio dos alunos”. Nesse sentido, ressalta Raul Takaki, diretor do jornal Nikkey Shimbun, “é relevante a visita do criador do Sudoku, há cerca de 30 anos, o japonês Maki Kaji, presidente da Nikoli Co., que virá especialmente para participar do evento e proferir palestra”.

Os interessados poderão disputar as modalidades: Individual ou Equipes (no máximo 4 pessoas), com inscrições antecipadas pelo email: sudokunikkey@gmail.com. A 1ª Copa está sendo organizada pelo jornal Nikkey Shimbun, com o apoio da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social (Bunkyo), Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil (Kenren), Associação Miyagi do Brasil e Editora Kojiro. 1ª Copa Jornal Nikkey de Sudoku 2012 Quando: 29 de setembro de 2012, sábado, às 10h Onde: Associação Miyagi do Brasil (Rua Fagundes, 152 - Liberdade - São Paulo - SP) Inscrições: envie nome e idade para o e-mail sudokunikkey@gmail.com Entrada franca colabore doando 1Kg de alimento não perecível

O que é Sudoku O mais famoso jogo de lógica do mundo foi batizado por seu criador, Maki Kaji, como Sudoku, que é a redução de sua regra básica: “Suuji wa dokushin no kagiru”, ou seja, o número deve ficar sozinho – su (número) e doku (sozinho). Assim, o jogo con-

reprodução

siste em completar as linhas verticais e horizontais, sem se esquecer de observar a divisão em blocos, preenchendo as casas vazias do diagrama com números de 1 a 9 de forma que eles não se repitam na mesma coluna, nem na linha e nem dentro do bloco. Aparentemente simples,

este é um quebra-cabeça cuja linha de raciocínio pode ser complexa até se alcançar a solução. E, portanto, é recomendado por alguns educadores como o exercício ideal para o desenvolvimento do pensamento lógico para crianças, ou mesmo como uma atividade para idosos.

Quem é Maki Kaji, o pai do Sudoku No colegial, Maki Kaji chegou a figurar entre os oito melhores no Campeonato Nacional de Tênis, desistiu do curso de Literatura Japonesa da Universidade de Keio. Trabalhou nas mais variadas áreas: moldador, tradutor de produtos farmacêuticos, mensageiro de músicos e, também, em gráficas e editoras. A chance para se transformar no presidente da Nikoli, a maior empresa japonesa de quebra-cabeças, aconteceu em 1979, ocasião em que um amigo em viagem ao exterior lhe enviou de presente a revista Dell. Entre diversos quebra-cabeças na publicação, havia o chamado Number´s Place, que lhe chamou a atenção. Assim, a evolução e adaptação desse jogo foi que resultou no Sudoku, hoje conhecido mundialmente, fundamentado no fato de que “os números são solteiros”, “os números devem ser únicos”, isto é, os números devem ocorrer apenas uma vez. Em 1980, Maki fundou a empresa Nikoli que, além de publicar livros específicos sobre lógica e quebra-cabeças, é a grande fornecedora de jogos veiculados em jornais e revistas do mundo

divulgação

Maki Kaji, o criador do Sudoku

inteiro. Hoje, conta com mais de 250 tipos de quebra-cabeças e mais de 150 revistas publicadas. Apesar da fama mundial, Maki Kaji não abandonou os velhos prazeres: gosta de passar horas pescando, jogando golfe, e é um profundo apreciador de jogos, especialmente, turfe. Gosta tanto que batizou sua empresa com o nome de um grande cavalo de corrida da Irlanda, chamado Nikoli. Com a sua mente visionária, sonha formar uma rede mundial de jogos através de plataformas de multimídia como videogames, celulares e jogos online através do site www.nikoli. co.jp.

empresas

Panasonic inaugura fábrica de linha branca em Extrema com tecnologia de ponta e sustentabilidade A Panasonic do Brasil inaugurou oficialmente na quarta-feira (12), a primeira fábrica exclusiva de linha branca (geladeiras e lavadoras), na cidade de Extrema, Sul de Minas Gerais. Com investimentos de R$ 200 milhões, a planta industrial tem uma área de 170 mil metros quadrados e vai gerar cerca de 400 empregos diretos. O primeiro produto a ser fabricado em Extrema é o refrigerador NR-BB51P (com capacidade de 423 litros), atualmente com produção de 200 refrigeradores por dia, com tecnologias que reduzem o consumo de energia, e que estará nas lojas a partir de outubro. No próximo ano, a Panasonic deve iniciar a produção de máquinas de lavar. A nova fábrica tem capacidade para produzir 500 mil refrigeradores ao ano. O diretor geral da Panasonic Corporation para a América Latina, Hidetsugu Uji, em entrevista ao Jornal Nippak destacou a importância da planta da fábrica em Extrema foi construída dentro do conceito Eco Ideas. “Escolhemos a cidade de Extrema por estar em ponto estratégico em todas as direções, facilita a logística para todo o país. O objetivo é minimizar os impactos da produção no meio ambiente. Graças à tecnologia de ponta, será possível, por exemplo, reduzir a emissão de gás carbono (CO²), no processo do reuso da água da chuva no processo produtivo e reciclar quase 100% do material utilizado na produção”, diz. “Em 2018, quando o

luci judice yizima

Autoridades e diretores da Panasonic participam da cerimônia da quebra do barril de saquê

conglomerado completará o seu primeiro centenário, temos a meta de nos tornar a empresa número 1 em inovação verde da indústria de eletrônicos”, enfatiza o diretor. A finalidade da companhia é atingir 10% de participação no mercado nacional de refrigeradores e lavadoras, por isso a nova fábrica poderá expandir sua capacidade produtiva após o início da operação. “Vai depender da demanda do mercado, estamos otimistas com o crescimento da classe C nos últimos anos. Mas já temos capacidade para produzir 500 mil refrigeradores”, diz Hirotaka Murakami, presidente da Panasonic do Brasil. Para o prefeito de Extrema, doutor Luiz Carlos Bergamin (PSDB) comenta dos benefícios que a Panasonic trouxe para o município. “A empresa veio agregar formação e educação ambiental para a comunidade, além de gerar empregos com muita qualidade”, comenta. “É uma empresa que fomenta a sustentabilidade com investimentos nas escolas públicas municipais.

Presidente da Panasonic no Brasil, Hirotaka Murakami fala sobre a nova fábrica e Eco Ideas

Inserindo um novo conceito e diferente de preservação do meio ambiente”, finaliza. O governador Antonio Anastasia declara em seu pronunciamento durante a inauguração, que a fábrica da multinacional japonesa reflete o grande esforço do Governo de Minas em agregar valor a produtos tradicionais como o minério de ferro e o aço. “Hoje, temos o minério de ferro transformado em aço e usado na linha branca, como também acontece na indús-

Executivos da Panasonic na coletiva com a imprensa

tria automobilística, na região metropolitana de Belo Horizonte, na fabricação de helicópteros, em Itajubá, em locomotivas, em Sete Lagoas, e em outras tantas indústrias”, afirma. “Esse é o grande esforço do nosso governo, permitir que Minas Gerais tenha uma economia cada vez mais competitiva, agregando valor aos produtos. Esta fábrica da Panasonic em Extrema reflete, como nenhuma outra, o nosso grande esforço, porque aqui temos tecnologia, empregos de qualidade, a cadeia produtiva completa ”, define o governador. O governador mineiro destacou a escolha na data de inauguração da Panasonic é um dia festivo para Minas Gerais, porque 12 de setembro é aniversário de nascimento do presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira (1902-1976). “JK foi um homem à frente de seu tempo, porque conseguiu realizar, em cinco anos, um processo vigoroso de industrialização e interiorização do desenvolvimento no Brasil. Tenho cer-

teza que se estivesse vivo iria aplaudir essa fábrica da Panasonic”, garantiu Anastásia. Como manda a tradição japonesa para encerrar a solenidade japonesa foi realizado a abertura do Kagami Wari (abrir o espelho), que é realizada nas festividades tradicionais japonesas com o objetivo de atrair sorte, prosperidade, felicidade e sucesso. Os convidados, entre eles o governador Anastásia, vice-governador Alberto Pinto Coelho, pelo presidente da Panasonic do Brasil, Hirotaka Murakami, e pelo vice-presidente da empresa, Ichiu Shinohara, a secretária de Estado de Desenvolvimento, Dorothea Werneck, e o presidente do Indi, José Frederico Alvares, receberam kizuchi e quebraram a tampa do Taru, cheio de saquê, para um brinde. Sustentabilidade As fábricas verdes parecem fazer sucesso no Brasil, muitas empresas estão investindo em processos ecologicamente corretos com a certeza de que o retorno virá, e será rápido. Além da economia durante a

produção (em Extrema, por exemplo, o consumo de água será 30% menor e a economia de energia será de 20%), a sustentabilidade conquista consumidores. Segundo Renata Assis, gerente de marca da Panasonic, 49% dos consumidores consideram importante haver preocupação ecológica nas empresas e 72% acreditam que o meio-ambiente é mais importante do que a economia. O principal produto da unidade será o refrigerador NR-BB51P, o primeiro da companhia a ser totalmente produzido no Brasil. “A tecnologia é japonesa, mas o projeto foi feito com base no consumidor brasileiro”, diz Epof. Ele já estará à venda no próximo mês e custará de R$ 2.899 a R$3.099. No mercado brasileiro, a Panasonic participa com produtos de maior valor agregado. Sobre a Panasonic - Esta é a terceira fábrica da empresa no Brasil, que já opera em Manaus (AM) - linha marrom (TVs, câmeras fotográficas, filmadoras) e micro-ondas - e em São José dos Campos (SP) - pilhas e baterias. A filial pertence à Panasonic Corporation, atual nome do grupo japonês Matsushita Electric Industrial Co. Ltda, líder mundial nas áreas de desenvolvimento e fabricação de produtos eletrônicos. Este conglomerado teve início em 1918, com Konosuke Matsushita. A Panasonic é líder mundial na fabricação de eletrônicos, no ano passado suas vendas líquidas somaram 7,8 bilhões de ienes. (Luci Judice Yizima)


JORNAL NIPPAK

São Paulo, 20 a 26 de setembro de 2012

11

BEISEBOL/JÚNIOR

TÊNIS DE MESA

Nippon Blue Jays conquista título da 2ª Taça dos Campeões

A

categoria júnior do Nippon Blue Jays conquistou o título da 2ª edição da Taça de Clubes Campeões de Beisebol “João Nakaie” 2012 - Troféu Global Service. Na final, a equipe derrotou por 6 a 5 a fortíssima equipe de Marília na penalidade. O jogo foi marcado por muita emoção, rivalidade e técnica, conduzida por Fábio Takara técnico campeão, juntamente com Daniel Missaki, eleito o Melhor Jogador e Arremessador do Campeonato, e Felipe Shindomi, que recebeu o troféu de Melhor Empurrador de Carreiras. A competição foi realizada nos dias 15 e 16, no Centro de Treinamento da Yakult/ Confederação Brasileira de Beisebol e Softbol (CBBS), em Ibiúna (SP), e contou com a participação de dez equipes: Gecebs, Ibiúna, Indaiatuba, Marília, Maringá, Mogi das Cruzes, Nikkei Curitiba, Nippon Blue Jays, Presidente Prudente e Pereira Barretos. Confira a classificação: 1) Nippon Blue Jays, 2) Marília, 3) Gecebs, 4) Nikkei Curiti-

divulgação

Equipe do Nippon Blue Jays, campeã da 2ª edição da Taça de Clubes Campeões - João Nakaie

ba, 5) Ibiúna, 6) Presidente Prudente, 7) Mogi das Cruzes, 8) Maringá, 9) Indaiatuba, 10) Pereira Barreto Premiação Individual Melhor Rebatedor: Giovani Barbari (Gecebs - .750) 2º Melhor Rebatedor: Ar-

tur Ferreira (Nikkei Curitiba - .625) Melhor Empurrador de Carreiras: Felipe Shindomi (Nippon Blue Jays - 8 carr.) Rei do Home Run: Luan Oliveira da Silva (Indaiatuba - 1 HR) Melhor Arremessador: Daniel Missaki (Nippon Blue Jays)

Arremessador Destaque: João Ayres (Marília) Melhor Defensor Interno: Hugo Prevedel (Marília) Melhor Defensor Externo: Eric Omokawa (Marília) Melhor Jogador do Campeonato: Daniel Missaki (Nippon) Técnico Campeão: Fabio Takara (Nippon)

SOFTBOL

Brasília Nipo é campeã do 17º Torneio Taiyo A equipe Brasília Nipo sagrou-se campeã do 17º Torneio Taiyo de Softbol. A competição foi realizada de 13 a 16, no Taiyo Thermas Hotel, em Caldas Novas (GO), com a participação de dez equipes: Capão Bonito, Uberlândia, Paracatu, Taiyo, São Gotardo, Carmo do Paraíba, Brasília Nipo, Brasília Nikkey, Barreiras e LEM – Luis Eduardo Magalhães. Os árbitros Nelson Yajima, Fernando Matsumori, Mario Yoshida, Carlos

Oba,Fernando Silva, Jaime Barbosa, Ademar Kobashi e Kaneyoshi Hiramoto, além das anotadoras Maria Sunto e Irene Okuma, foram convidadas pelos organizadores para atuar na partida. Classificação Final Campeão Ouro: Brasília Nipo, Vice: São Gotardo; 3º) LEM; 4º) Uberlândia Campeão Prata: Taiyo; Vice: Brasília Nikkey; 3º ) Paracatú; 4º) Carmo do Parabaíba Campeão Bronze: Barreiras; Vice: Capão Bonito

divulgação

“O poder existe naquele que acredita em sua existência”

Brasília Nipo: campeão da Chave Ouro

divulgação

Equipe de Osasco recebe o troféu de vice-campeã das mãos de Mário Kinoshita, presidente da AAV.

enquanto no feminino, Maria Julia Ueno Galo, da equipe de Adamantina, quebrou o recorde nos 50m, categoria “F”. Em 2012, o destaque ficou por conta de duas equipes. A São Judas Tadeu, que inscreveu duas equipes, num total de 107 atletas, sagrou-se campeã geral da competição com 430 pontos. A segunda colocação ficou com a equipe Bela Vista-Osasco, que conquistou a segunda colocação com 311 pontos. Outro destaque foi a participação da equipe de Mogi das Cruzes. O presidente da Anma, Yuudo Yassunaga, lembra que, liderada por Massashi Shibuya – que também é o vice-presidente da Anma – e conduzida pelos mais jovens, Mogi é considerada “exemplo maior de su-

arquivo pessoal

Eduardo Tomoike, Bicampeão Sul-americano Sub-11 e Campeão Latino-Americano Sub 11 no Individual

missão Organizadora Intercolonial e da Liga Nipo- Brasileira, que são exemplos de respeito, disciplina, valorização do atleta e honestidade. Relação entre “sempai” e “kohai”, sempre respeitando os mais velhos, buscar ser justo e correto, ter gratidão, reconhecimento e ser prestativo, sempre trabalhando em equipe, são alguns dos princípios que difundimos aos alunos na modalidade. Já na parte técnica a tendência mundial e o estilo clássico, devido a facilidade nos golpes de backhand (lado esquerdo do destro), velocidade na troca de lados de “forehand” para “backhand” e a utilização de golpes como “chiquita”, “backhand topspin” que só os atletas neste estilo conseguem executar. Porém no Brasil ainda predominam o estilo caneta na iniciação sem orientação e no momento do lazer entre amigos que brincam de pingue-pongue. *Engenheiro Marcos Yamada, consultor especialista em tênis de mesa

Acreditar em si mesmo

São Judas “B” sagra-se campeã da 17ª Conima

A Anma - Associação Nikkei Mirim de Atletismo realizou no dia 9 de setembro, na pista de atletismo do Conjunto Desportivo Constâncio Vaz Guimarães, 17ª edição da Conima – Competição Nikkei Mirim de Atletismo. A competição contou com a participação de cerca de 560 atletas inscritos com idade da categoria mirim (de 05 a 14 anos), considerado o “berço da Anma”, entidade criada exclusivamente para fins de incentivar as entidades nipo- brasileiras a manterem o atletismo prestigiando e apoiando os atletas nikkeis. Entre os destaques individuais da competição, o atleta da equipe São Judas Tadeu Matheus Kawano Ito superou o recorde anterior no arremesso de peso 3 kg, na categoria Extra Masculino,

Uma das perguntas que mais escuto em todos os Mundiais que estive presente (16 Torneios desde 1991) é porque somente no Brasil ainda encontramos atletas caneteiros (empunhadura asiática, como segurar uma caneta, baseado no uso dos “hashis”)? Se na própria equipe japonesa atual masculina e feminina, já não há mais nenhum neste estilo, ou seja, todos são clássicos (empunhadura como o aperto de mão, tênis de campo). O melhor brasileiro ranqueado na Federação Internacional, Cazuo Matsumoto é caneteiro, porém, 96% no Mundial são clássicos. Outros que serviram a seleção em Mundiais e foram famosos no estilo caneta: Hugo Hoyama, Claudio Kano, Biriba, Ivan Severo, Betinho, Carlos Kawai, Silnei Yuta, Manuel Medina, Edu Barone, Ricardo Inokuchi (depois mudou), Aristides Nascimento, Fumihiro Takahashi, Gilmar Aleixo, Carlos Rufino, Luis Mauro, Washington Spolidoro, Nelson Ogassawara, Dagoberto Midosi, Hugo Hanashiro, Acacio Cunha, Tsai Tung Chen, Monica Dotti, Suely Yamada, Rosana Puppo, Emiko Takadatsu, Sandra Noda, Elizabeth Noda, Elizabeth Mukuno, Paula Tiberio, Rosangela Guariglia, Eugenia Taira, Valesca Maranhao. Ja na nova geracao da selecao brasileira, apenas dois ainda se mantem caneta, Jeff Yamada e Eduardo Tomoike, os demais sao classicos. Isso demonstra a importância dos japoneses na divulgação da modalidade no país, liderados pelo saudoso Haruo Mitida, que além dos ensinamentos técnicos, mantiveram um pouco da cultura nos eventos organizados pela Co-

COLUNA AKIRA SAITO

ATLETISMO

Campeã: São Judas Tadeu B (entregue por Yudo Yassunaga, presidente da Anma)

A influência japonesa no tênis de mesa brasileiro

Shinichi Yassunaga entrega o troféu de terceira colocada para o Bunkyo de Mogi das Cruzes

peração e reconstrução baseada no que há de mais sábio, que é o respeito aos mais velhos e confiança nos mais jovens”. “Com muita harmonia, nesta edição da Conima, com 56 atletas, a equipe obteve a terceira colocação na classificação geral com 288 pontos, superando grandes equipes”, destacou Yassunaga, acrescentando que “2012 está sendo um ano magnífico e iluminado para a Anma”. “Neste ano, a entidade atingiu a marca histórica de 30 competições realizadas, tendo comemorado o feito em março, realizando a 14ª Cajina (Competição Adulto Juvenil Infantil Nikkei de Atletismo), que é para atletas acima de 14 anos”, explicou. “E designada pela sua parceira de competições AAV – Associação Até a Vista - que

é a mais antiga e conceituada entidade no Brasil, criada exclusivamente para incentivar o Atletismo nikkei - e com apoio total das principais lideranças de atletismo no Brasil, a Anma realizou as duas mais importantes competições de atletismo nikkei no Brasil em 2012, que foi a 55ª Competição Infanto-Juvenil de Atletismo, em maio, e a realização da 76ª Competição Intercolonial de Atletismo, em julho”, comentou Yassunaga, que é natural de Promissão, na região noroeste do estado, e faz parte da equipe Bela Vista Osasco, juntamente com Massashi Shibuya, natural de Mirandópolis, também da região noroeste do estado. Yassunaga e Shibuya são os dois únicos membros atuantes desde a fundação da Anma até hoje na diretoria da entidade.

Muitas pessoas estão em suas vidas como peças coadjuvantes e sentem que o passar do tempo lhes traz um grande vazio de realização. Nesta atual sociedade, parece que a opinião dos que lhe cercam exercem grande influência em como você deve ser, ter e viver. Hoje, parece que todos, sem exceção, têm a obrigação de buscar ser rico ou pelo menos ostentar isso. Nada contra a busca pelos bens materiais, desde que isso seja realmente uma vontade sua e não uma forma de pensar, porque todos pensam assim. É preciso acreditar mais em si mesmo e crer que se é capaz. Muitos dos grandes ídolos da história acreditaram em si mesmos, antes das outras pessoas, que em muitas vezes na verdade desacreditavam de suas capacidades. O que torna uma coisa que parece impossível em possível é a sua capacidade de acreditar e a sua vontade de realizar. Neste mundo de caos, com tanta violência, desrespeito, falta de educação e degradação de valores, precisamos acreditar que podemos nos tornar melhores e não nos tornar parte desta degradação atual. Precisamos acreditar que podemos mudar este quadro, que podemos ser ouvidos, que podemos cobrar mais justi-

ça, que temos força e que se nos unirmos em prol de algo em que todos acreditam, podemos sim conseguir o que queremos. Acredite em você mesmo e não deixe que ninguém lhe diga que não é capaz ou que, o que deseja não é possível. Todos são capazes e nada é mais fácil para ninguém. Claro que isso exigirá mais de você e não poderá colocar a culpa de seus fracassos em ninguém, mas isso o ajudará a se fortalecer e a levantar toda vez que cair. Muitos dizem que não existe uma receita para felicidade, acredito nisso também, afinal de contas o que é bom para um nem sempre é bom para outro, conceito básico do respeito mútuo. Mas acredito também que parte desta felicidade está em quanto você acreditou em si mesmo no percurso desta grande aventura que é a vida, o quanto você caiu e acreditou que podia levantar, o quanto naquele instante de profunda tristeza, solitário, abraçando o vazio, enquanto sua lágrima escorria, disse a você mesmo que sairia daquela situação e que amanhã seria outro dia. Todos nós temos direito a um lugar ao sol, mas precisamos acreditar com todas as forças nisso e lutar por isso. Vamos transformar o mundo em um lugar melhor!!!!! GANBARIMASHOU!!!!!

*Akira Saito, professor e praticante de Budo há 32 anos, morou no Japão de maio de 1990 a setembro de 1996, onde treinou karate sob a tutela do Hanshi Konomoto Takashi – 9º dan, graduando-se até o 3º Dan e tornando-se instrutor da matriz na cidade de Sagara-cho e das filiais das cidades de Hamamatsu-shi e Hamakita-cho até o retorno ao Brasil. Atualmente tem a graduação de 5 Dan e recebeu o título de Renshi-Shihan da matriz no Japão. E-mail: akira.karate@gmail.com www.karatedogojukai.com.br www.saitobrothers.com www.artesdojapao.com.br www.akirasaito.blogspot.com


12

Beleza – A Feira Internacional de Beleza Profissional “Beauty Fair”, na sua 8ª edição, levou mais de 130 mil pessoas a conhecer as novas tendências de beleza para a próxima estação em quatro dias de feira, na Expo Center Norte, zona Norte de São Paulo. A feira foi divida em quatro setores: cabelo, estética, varejo e negócios. Na cerimônia de abertura estavam presentes prefeito Gilberto Kassab, cônsul geral do Japão em São Paulo, Masahiko Kobayashi, o deputado federal Walter Ihoshi, Keiko Ota (deputada federal), o vereador Minami, vereador Victor Kobayashi, Dennis Hankins (cônsul geral dos EUA), Dr. Kiyoshi Harada e Dra. Felicia Harada, Beto Trícoli (deputado estadual), Napoleão Casado (Secretário de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos de Alagoas), Herculano Castilho (prefeito de Itu), Kihatiro Kita (presidente do Bunkyo), Willian Woo (presidente da Anabel), Anabel Sabatine (prefeita de Jandira), Jooji Hato (deputado estadual), Helio Nishimoto (deputado Estadual), José Bernardo Denig (prefeito de Atibaia), entre outros. (Luci Judice Yizima)

JORNAL NIPPAK

São Paulo, 20 a 26 de setembro de 2012

Feira – Aconteceu de 10 a 13 de setembro, a 50ª edição da Equipotel   São Paulo, maior feira de hotelaria e gastronomia da América Latina, realizada no Pavilhão de Exposições do Anhembi, na capital paulista. A feira mostrou os principais lançamentos e tendências em equipamentos e serviços para hotéis, motéis, flats, restaurantes, bares, lanchonetes, fast food, casas noturnas, cozinhas industriais, hospitais e lavanderias. A Jetro (Japan External Trade Organization) organizou o Pavilhão do Japão, composto por 16 empresas japonesas. São produtoras de sake, do-

ces, condimentos e outros produtos relacionados à culinária japonesa, sediadas nas províncias de Akita, Yamagata, Aomori, Iwate, Fukushima, Shimane e Kyoto, entre outras. A cerimônia de abertura contou com a presença de várias autoridades e representantes de entidades do setor, entre eles estavam: Célia Leão (deputada estadual), Roberto Rotter (Presidente do FOHB – Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil), Alexandre Sampaio (Presidente da FBHA – Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação), Bruno Omori (Presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Estado de São Paulo), Toni Sando (Presidente executivo do São Paulo Convention & Visitors Bureau), Juan Pablo De Vera (Presidente da Reed Exhbitions Alcântara Machado), Armando Arruda Campos (Presidente da UBRAFE), Joaquim Saraiva (Presidente da Abrasel), Antônio Xavier (Presidente da Associação Brasileira de Compradores para Hotéis e Restaurantes), Alencar Burti (Presidente do SEBRAE-SP), Marcelo Rehder (Presidente da São Paulo Turismo), empresário Keiti Suzuki, entre outros. (Luci Júdice Yizima)

IKEBANAS

Exposição Perrier-Jouët Printemps Des Arts chega a exclusivamente a SP Nesta sexta-feira (21), início da primavera brasileira, a inédita exposição Perrier-Jouët: Printemps Des Arts desembarca em São Paulo com instalações artísticas inspiradas na milenar arte japonesa das ikebanas. Com entrada gratuita, a exposição será realizada no piso térreo do shopping Cidade Jardim até o dia 05 de outubro. O artista responsável pela exposição é o designer floral japonês Makoto Azuma. O destaque da exposição será a estrutura Florale Edition, uma combinação delicada e elegante feita em um único arabesco botânico. Cada flor utilizada na estrutura possui um significado es-

divulgação

Exposição será inaugurada nesta sexta no Shoppin Cidade Jardim

pecial na cultura oriental que vai desde nobreza, amor e cuidado, à efemeridade. Nomeado pela CNN como uma das 20 maiores personalidades para se acompanhar, Makoto Azuma aterriza no Brasil, pela primeira vez, para expor sua obra e presentear a capital paulistana na chegada da estação mais florida do ano. No total, serão nove instalações artísticas, produzidas com flores brasileiras naturais e vivas, escolhidas e compradas pessoalmente por Makoto nos mercados paulistanos. Nascido em 1976, no Japão, Azuma é hoje um dos mais relevantes artistas florais do mundo. Suas obras re-

ceberam elogios em suas exposições, eventos e apresentações em todo o planeta, tais como a Colette e a Cartier Foundation for Contemporary Art em Paris e no Fórum NRW em Dusseldorf. Perrier-Jouët: Printemps Des Arts Data: 21 de setembro a 05 outubro

de

Horário: Segunda a sábado – 10h às 22h Domingo – 12 às 22 horas Local: Shopping Cidade Jardim – Piso Térreo: Avenida Magalhães de Castro, 12.000 | Marginal Pinheiros, pista local, entre as pontes Cidade Jardim e Morumbi. Entrada Gratuita

JORNAL NIPPAK 20/09 a 26/09/2012  

news, jornal nippak

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you