Page 1

ANO 15 – Nº 2383 – SÃO PAULO, 16 A 22 DE AGOSTO DE 2012 – R$ 2,50 www.nippak.com.br

‘Corações Sujos’ estreia nesta sexta em seis capitais brasileiras divulgação

1º Tosa Matsuri espera mais de 10 mil pessoas em SP O Departamento de Jovens da Associação Cultural dos Provincianos de Kochi realiza neste fim de semana (18 e 19), no Parque Dr. Fernando Costa – também conhecido como Parque da Água Branca – a 1ª edição do Tosa (pronuncia-se “tôssa”) Matsuri. A expec-

tativa é receber um público estimado em mais de 10 mil pessoas nos dois dias de evento. De acordo com um dos idealizadores do evento, Augusto Takeda, presidente do Seinen de Kochi, o evento foi inspirado no Tosa no Okyaku, realizado anualmente em Kochi.

————————––——–—–—————————| Pág. 03

12º Melodias Imortais acontece neste domingo

Estreia nesta sexta (17) do interior paulista, o filme Brasil pós-Segunda Guerra tolerância, racismo, preconnas cidades de São Paulo, “Corações Sujos”, uma pro- para contar como a derrota ceito, orgulho e terrorismo Brasília, Recife, Curitiba, dução de época, dirigido por do Japão repercutiu na co- imperam na história, Belo Horizonte, Rio de Ja- Vicente Amorim, uma adap- lônia de imigrantes, a maior interpretados em japonês neiro, Santos, Maringá, Lon- tação do livro de Fernando fora do Japão, reprimida por um elenco na sua maiodrina e em algumas cidades Morais. A obra volta até o pelo governo. Lágrimas, in- ria de lá. ———————————————————––————––———————————––——–—–—————————|  Pág. 04

Os jornais Nikkey Shim- no Kokoro no Uta). Dubun e Nippak realizam no rante o evento, promovido neste domingo (dia 19), a também pela Comissão partir das 10h, no Grande Organizadora do show, 56 Auditório do Bunkyo (So- cantores renomados e camciedade Brasileira de Cul- peões em competições de tura Japonesa e de Assis- karaokê, interpretarão as tência Social), a 12ª edição mais diversas canções da do show Melodias Imortais era Shôwa, com o acom- Canções que tocam na panhamento da Orquestra alma japonesa (Niponjin The Friends. ————————––——–—–—————————| Pág. 08


JORNAL NIPPAK

2

AGENDA CULTURAL EXPOSIÇÃO ON KAWARA, ARTE E VIDA CONTEMPORÂNEA No próximo dia 28/08/2012, sábado, às 15h, no auditório do MAM – Museu de Arte Moderna, a palestra ministrada por Pedro França enfoca a obra do artista plástico On Kawara. Onde: MAM/SP – Museu da Arte Moderna (Parque do Ibirapuera – portão 3) Visitação: junho de 2012 a junho de 2013 Horário: terça a domingo e feriados, das 10h às 18h Ingresso: R$ 5,50 (domingo gratuito) Associados do MAM, crianças até 10 anos e adultos acima de 65 anos não pagam. Informações: 11/5085-1300 CINEMA CINEMA BUNKYO Todas as quartas-feiras, a Comissão de Biblioteca e Filmes do Bunkyo apresenta uma sessão de filmes japoneses. Os filmes são exibidos em idioma japonês, sem legenda. Além disso, uma vez ao mês, realizam o “Free Market” (Frima), uma feira de produtos diversos, com artesanato, obentô (alimentos), brinquedos, livros e outros. Onde: Grande Auditório do Bunkyo (Rua São Joaquim 381, Liberdade) Dia 22/08/2012 Horário: Frima das 10h às 15h no Hall do Grande Auditório e a Sessão de Cinema às 13h Ingresso: Sócios entrada franca e não-sócios pagam R$5,00 Informações: 11/3208-1755 TEATRO FLORES DO REINO DA CORTESIA – Ryukyu no Hana – Kumi Odori no Sekai (teatro clássico), das 13h às 15h. SENTIMENTOS DE OKINAWA – Okinawa no Nasake – Uchina Shibai (teatro popular), das 17h às 19h. Classificação: Livre Onde: Associação Okinawa Kenjin do Brasil (Rua Tomás de Lima 72, Liberdade) Dia 26/08/2012 Ingresso antecipado: R$30,00 (cada apresentação) Informações: 11/7829-5759 Iterbantur e 11/9273-2357 Harumi Goya EVENTO KARAOKÊ DANCE TOKUSHIMA Onde: Tokushima Kaikan (R Antonio Maria Laerte 275, Metro Tucuruvi) Dia 18/08/2012 Horário: 9h às 17h Informações: 11/4748-5896 Sra Inaba 38º BAZAR BENEFICENTE DA ASSISTÊNCIA SOCIAL DOM JOSÉ GASPAR - IKOI NO SONO O evento trará muitas atrações como Taiko: ShinkyoDaiko e Kien Daiko juntos, Sakura Fubuki, Mika Yotien e a campeã brasileira de Taiko de 2012, o grupo Tenryu Wadaiko de São Miguel Paulista que estará representando o taiko brasileiro no 13o. Concurso Junior de Taiko no Japão em março do ano que vem. E os shows com Banda Tontonmi, Edson Saito e banda, Juliane Okabe, Karen Ito, Bruno Maesaka, Mariko Nakahira, a dupla Ricardo e Eduar-

do, danças, Yosakoi Soran, Stand-up com Celso Jr. e Marcos Aguena, Guaru Caipira, Aikido, Karaoke, Musicoterapia da Kibo no Iê, Dança Senior e Radio Taissô. Praça de Alimentação, Sacolão Saúde e mais de 50 bazaristas com os mais variados produtos. Onde: Ikoi no Sono (Rua Jardim de Repouso São Francisco 881, Guarulhos) Dias 18 e 19/08/2012 Horário: no sábado, das 11h às 17h e no domingo, das 9h às 17h Transporte gratuito saindo da Rua da Gloria 326, Liberdade - Sábado: a partir das 10h até o meio-dia e Domingo: a partir das 8h até às 11h. TOSA MATSURI – FESTIVAL DE CULTURA BRASIL-JAPÃO Banda Animadness, Banda Uchiná, Banda X-Rated, G.I.Joe, Banda Hadar, Street Dance, Artesanato e Bazares, Cia Talismã e Black Snack Blues. Onde: Parque da Água Branca (Av. Francisco Matarazzo 455, Água Branca) Dias 18 e 19/08/2012 Horário: 9h às 19h Ingresso: Entrada Gratuita Informações: 11/5584-7890 ou www.tosamatsuri.com.br KARAOKÊ-DANCE NIKKEY CULTURAL Pioneiro nessa atividade cujo objetivo é de proporcionar um ambiente familiar onde os freqüentadores cantam suas músicas preferidas e dançam ritmos como o chá chá chá , rumba, forro, samba e country, Todos os Domingos e no 2º e último Domingo do mês realizamos bailes com música ao vivo com a participação do vocalista e tecladista Issamu Music Show, das 18h às 22h. Onde: Nikkey Cultural (Praça Almeida Jr. 86 A, Liberdade) Dia 19/08/2012 Horário: 8h às 18h (incluso: café da manhã, missoshiru, almoço às 12h30, refrigerantes, àgua, chá e café.). Ingresso: R$24,00 Informações: 11/3774-7456 / 37747457/3774-7443 e www.nikkeycultural.com.br UNDOUKAI 2012 DO NIKKEI CURITIBA/PR Várias provas divertidas, como cabo de guerra, bola ao cesto, caça ao tesouro, procura da noiva e da sogra, entre outras - para todas as idades. Onde: Nikkei Curitiba (Rua Pe Julio Saavedra 598, Uberaba, CURITIBA/PR) Dia 19/08/2012 Horário: 09H30 Informações: 41/3277-4123 SHOW DE HORIUCHI TAKAO Um dos maiores cantores da música popular japonesa pela primeira vez ao Brasil. O Show terá cerca de uma hora e meia de duração, onde o público será surpreendido do início ao fim. Onde: HSBC Brasil www.hsbcbrasil.com.br (R.Bragança Paulista 1281, Chácara Santo Antônio) Dias 25 e 26/08/2012 Horário: 20h Ingressos: Standard (R$ 230,00), Silver (R$ 260,00) e Gold (R$ 290,00) Informações: 11/5646-2120 Canal de venda: Ingresso Rápido, Bilheteria do HSBC e Yamato Music (R.da Glória 279, 5ºandar, Liberdade)

EM CARTAZ HIGASHI HONGANJI – AGORA, A VIDA VIVE VOCÊ Comemorações: 750anos do passamento de Shinran Shonin, 60 anos da Fundação da Missão Sul Americana e Nomeação do Rev. Choyu Otani – Mestre das Missões. Onde: Grande Auditório da Soc. Bras. de Cult. Japonesa (Rua São Joaquim 381, Liberdade) Dia 25/08/2012 das 14h às 18h – Fórum sobre Humanismo – Entrada Gratuita. Dia 26/08/2012 das 10h às 20h – Oficio Musical e Tarde Cultural – R$70,00 (almoço e confraternização) Informação e Inscrição: kantokubu@hotmail.co.jp 7º FESTIVAL DIA DA CULTURA COREANA Eventos, K-Pop, Coral, B-Boy, Rekum, Tae Kown Do, Samul no Ri, Danças Tradicionais, Violino, Caligrafia Coreana, Cerimônia, Comida Típica Coreana e Dobradura. Onde: Praça Lubavitch, Bom Retiro Dias 25 e 26/08/2012 Horário: 11h às 19h Ingresso: Entrada Gratuita HOMENAGEM ÀS PERSONALIDADES DAS COMUNIDADES ESTRANGEIRAS DE 2012 Nicolay Chocianowicz - Comunidade Russa; Rui Fernão Mota e Costa - Comunidade Portuguesa; Pe.Mário Geremia C.S. - Comunidade Peruana; Patrícia Maria Villaverde Melgarejo - Comunidade Paraguaia; Antônio Peticov - Comunidade Moldovoa; Prof.Dr.Walter Maigon Pontuschka - Comunidade Letoniana; Rabino Henry Sobel Comunidade Judaica; MIDORY KIMURA FIGUTI - Comunidade Japonesa; Natalina Berto - Comunidade Italiana; Constantino Lambros Katsonis - Comunidade Grega; Casto Veieitez Fernandez - Comunidade Espanhola; Anahid Debelian Kahn - Comunidade Armênia; Zilda Camasmie Taleb - Comunidade Árabe; Ursula Dormien - Comunidade Alemã. Dia 28/08/2012 Horário: às 19h Onde: Auditório André Franco Montoro da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Av. Pedro Álvares Cabral, 201 São Paulo) Informações: CONSCRE 11/3886-6284 32ª FESTA DAS FLORES E MORANGOS DE ATIBAIA/SP De 31/08 a 23/09/2012 Horário: 9h às 18h Onde: Parque Municipal Edmundo Zanoni (Av. Horácio Neto 1030, Atibaia) Informações: 0800 555 979 e 11/4412-9581 ou www.festadasfloresdeatibaia.com.br BAILE ÉRIKA KAWAHASHI Música ao vivo Animação: Profa, tecladista, cantora e jurada Érika Kawahashi. Baile Com Personal Dancers Da Academia Dançando Na Lua e sorteio de brindes e de jóia. Onde: Associação AICHI (Rua Santa Luzia 74, Metrô Liberdade) Dia 01/09/2012 Horário: 18h30 às 23h (refeição à parte) Informações: 11/2578-3829, 11/5589-7789 e erika.kawahashi@ yahoo.com.br

CURSOS CURSO AULAS DE DANÇA Professores Sergio e Rosa Taira. Onde: Assoc. Shizuoka Kenjin (R. Vergueiro, 193 - Liberdade) As 2ª e 3ªfeiras Horário: 13h às 17h Informações: 11/5588-3085 e 11/7174-8676 AULAS DE DANÇA Prof. Marcos Kina Onde: Soc. Bras. de Cult. Japonesa – Bunkyo (Rua São Joaquim 381, Liberdade) As 5ª feiras Horário: 11h às 12h30 NIKKEY CULTURAL Karaokê: aulas com o prof. e maestro Hideo Hirose (2ª, 3ª, 4ª,

6ª e sábado) e a profa. Tsuguiko Hongo (5ª). Dança Social: Prof. Murae domingo (de manhã), Prof. Hayashi (2ª das 15h às 20h), Prof. Tahira (6ª das 13h às 16h30), Profa. Luciana Mayumi - Aulas de Tango (2ª e 4ª das 20h30 às 23h), Profa. Massako Nishida (4ª das 9h às 16h), Prof. Willian (sábado à tarde), Profa. Sato Tazuko (sábado de manhã) e Profa. Yukie Miike (3ª, 5ª e domingo, diversos horários). Aulas de Violão, Guitarra e Baixo: Prof. Eder (sábado das 9h às 18h) Aulas de Japonês: (básico, intermediário e avançado) Profas. Keiko, 2ª e Isabel Kayoko, diversos horários. Obs: aulas de Português para

estrangeiro com Profa. Isabel Kayoko. Aulas de Inglês: (básico, intermediário e avançado) Prof. Anderson (sábado), Profa. Priscila (diversos horários). Aulas de Informática: Prof. Vic­ tor Kawata (diversos horários) Aulas de teclado: Profa. Neide (diversos horários) Tênis de Mesa: Prof. Mario Nakao - Técnico da Butterflay (diversos horários). Onde: Nikkey Cultural (Praça Almeida Jr. 86 A, Liberdade) Informações: 11/3774-7456, 11/3774-7457 e 11/3774-4430 com Meily (das 9h às 17h e sábado das 9h às 14h)

Informações e divulgação de eventos com Cristiane Kisihara cris_kisihara@hotmail.com – Tel. 11/3208-3977

EDITORA JORNALÍSTICA UNIÃO NIKKEI LTDA. CNPJ 02.403.960/0001-28

Rua da Glória, 332 - Liberdade CEP 01510-000 - São Paulo - SP Tel. (11) 3208-3977 Fax (11) 3341-6476 Publicidade: Tel. (11) 3208-3977 Fax (11) 3341-6476 comercial@nippak.com.br cristiane@nippak.com.br

São Paulo, 16 a 22 de agosto de 2012

JORNAL NIPPAK

Diretor-Presidente: Raul Takaki Diretor Responsável: Daniel Takaki Jornalista Responsável: Takao Miyagui (MTb. 15.167) Redator Chefe: Aldo Shiguti Redação: Luci J. Yizima Colaboradores: Erika Tamura, Jorge Nagao, Kuniei Kaneko, Shigueyuki Yoshikuni, Célia Kataoka, Paulo Maeda, Cristiane Kisihara e Osmar Maeda (Zona Norte) Periodicidade: semanal Assinatura semestral: R$ 60,00 jornaldonikkey@yahoo.com.br

CONCERTO ORQUESTRA SINFÔNICA DA USP Ligia Amadio regente Antonio Del Claro violoncelo Onde: Sala São Paulo (Praça Júlio Prestes 16, Estação Luz) Dia 19/08/2012 Horário: 17h Ingressos: R$12,00 a R$60,00 Vendas Ingresso Rápido: Tel. 4003.1212 ou pelo site: www.ingressorapido.com.br EVENTO 22ª BIENAL INTERNACIONAL DO LIVRO DE SÃO PAULO Onde: Pavilhão de Exposições do Anhembi (Av. Olavo Fontoura, 1.209, Santana). Horário de visitação: das 10h às 22h (até 18 de agosto); das 10h às 20h, com entrada até as 18h (dia 19 de agosto). De 09 a 19/08/2012 Ingressos: R$12,00 (com meia-entrada) Onde comprar: no local ou nas lojas Fnac Pinheiros (Praça dos Omagua, 34, Pinheiros). Professores, profissionais da ca­ deia produtiva do livro, biblio­ tecários, estudantes inscritos pe­ lo sistema de visitação escolar programada, maiores de 60 anos e crianças com até 12 anos não pagam. BAILE ALLEGRO Presença de Personal Dancer Sistema Ficha Haverá Jantar: Buffet Oriental do Fernando Sorteio de 1 Relógio Masculino e 1 Frigideira da Kimpira Nabe em homenagem ao “Dia dos Pais” Animação: Banda COCO MAMBO (JB) Onde: Salão Social do Mie Ken (Av. Lins de Vasconcelos 3352, Vila Mariana) Dia 18/08/2012 Horário: 19h às 24h Reservas com Beth: 11/32092609 ou 11/9904-2237 e e-mail: bethpromometr@gmail.com AOBA-MATSURI

Feira de verduras frescas e comidas típicas. Onde: Miyagui Kenjin Kai (Rua Fagundes 152, Liberdade) Dia 18/08/2012 Horário: 7h às 16h (almoço das 11h às 15h) Informações: 11/3209-3265 SHOW BENEFICENTE MELODIAS IMORTAIS Onde: Grande Auditório do Bunkyo (Rua São Joaquim 381, Liberdade) Dia 19/08/2012 Horário: 10h Informações: 11/3208-3977 JANTAR DANÇANTE SANTO AMARO Onde: ACENSA (Rua Vigário Taques Bittencourt 211, Santo Amaro) Dia 25/08/2012 Horário: Início 18h Informações: 11/9723-9171 Fujita 1º UNDOKAI DO DIADEMA TENRI GAKUEN RIKUJÔ-BU Onde: Centro Esportivo e Cultural do Taboão (Rua Nestor Santos Lima 18, Jd. Jamaica, Taboão da Serra) Dia 26/08/2012 Horário: 9h às 17h Informações: 11/5845-2458 JANTAR DANÇANTE SANTO AMARO Onde: ACENSA (Rua Vigário Taques Bittencourt 211, Santo Amaro) Dia 25/08/2012 Horário: Início 18h Informações: 11/9723-9171 Fujita EXPOSIÇÃO EXPOSIÇÃO TOURS DE CÉSIO Fotógrafo Mexicano Jan Smith Ramos Onde: Galeria Eduardo Fernandes (Rua Harmonia 145, Vila Madalena) Visitação: 20/07 a 18/08/2012 Horário: De 3ª à 6ª, das 10h às 19h e sábado, das 10h às 18h Ingressos: Entrada Gratuita

Informações: (11) 3812-3894 www.garleriaef.com JASPER JOHNS – PARES TRIOS ÁLBUNS Artista precursor da arte pop, ao lado de Robert Rauschenberg (apresentado no Instituto em 2009), também de quem foi inicialmente vizinho e amigo, Jasper Johns é protagonista e testemunha viva de um período da arte do século XX que, após o expressionismo abstrato, provocou as rupturas que até hoje pautam o pensamento contemporâneo. Onde: Instituto Tomie Ohtake (Rua Coropés 88, Pinheiros) De 20/06 a 26/08/2012 Horário: de 3ª a domingo das 11h às 20h Ingresso: Entrada Gratuita Informações: 11/2245-1900 www.institutotomieohtake.org.br TAKASHI FUKUSHIMA – LUZ E SOMBRA Onde: AC Galeria de Arte (Rua José Maria Lisboa 1008) Dia 10/08 a 06/09/2012 Horário: 10h às 18h, de segunda a sexta e das 10h às 14h aos sábados. Informações: 11/3063-3707 www.acgaleria.com EXCURSÃO RESORT DE ARAÇATUBA Saída dia 21/09/2012 às 23h (sexta-feira) da Praça Almeida Junior 86, Liberdade. Retorno no domingo dia 23/09/2012 após almoço. A convite da diretoria do Nipo de Araçatuba para participar do grande baile e integração que acontecerá no dia 22/09/2012 com a participação de vários amigos da colonia japonesa de Birigui, Bastos, Andradina, Marília, São José do Rio Preto, Catanduva e Lins, uma integração anual onde os convidados cantam e dançam. Reservas e informações com Emilia Iritsu 11/3751-9910, Meily 11/3774-7456, 11/37747457 e 11/3774-7443 ou José Iritsu 11/99857-3845.


JORNAL NIPPAK

São Paulo, 16 a 22 de agosto de 2012

3

comunidade

COLUNA DA ERIKA TAMURA

Sawachi ryori, onagadori, Banda Uchiná... É o 1º Tosa Matsuri

O

Departamento de Jovens da Associação Cultural dos Provincianos de Kochi realiza neste fim de semana (18 e 19), no Parque Dr. Fernando Costa – também conhecido como Parque da Água Branca – a 1ª edição do Tosa (pronuncia-se “tôssa”) Matsuri. A expectativa é receber um público estimado em mais de 10 mil pessoas nos dois dias de evento. De acordo com um dos idealizadores do evento, Augusto Takeda, presidente do Seinen de Kochi, o evento foi inspirado no Tosa no Okyaku, realizado anualmente na cidade de Kochi, província de Kochi. “Nosso objetivo é atrair os jovens e mostrar a cultura, culinária e tradições não só da província de Kochi e do Japão como também do Brasil”, explica Takeda, lembrando que Tosa é o antigo nome da província de Kochi. “A ideia era descobrirmos um novo catalizador e adaptarmos para a nossa realidade. Ou seja, hoje, a forma dos jovens se relacionarem mudou. Daí a necessidade de realizarmos um evento aberto e gratuito”, conta Takeda, acrescentando que, antes mesmo da realização do evento, o Seinen já conseguiu um feito histórico dentro da própria associação. “A realização do Tosa Matsuri só será possível graças à visão dos atuais diretores, que entenderam a necessidade de abrirmos a participação para os descendentes e também para os não descendentes. Hoje, o perfil do país é multicultural”, explica Takeda Segundo o presidente do Kenjinkai, Arnaldo Katayama, a diretoria não só aprovou a iniciativa como também fez sugestões para enriquecer o evento. A ideia da diretoria é pegar carona no Tosa Matsuri para “levantar o nome do Kenjinkai”. “O objetivo é atrair as novas gerações, descendentes ou não da província, e desta forma preservarmos o espírito da terra natal de nossos avós”, conta Arnaldo, afirmando que as atrações programadas são reflexos da diversidade dos freqüentadores da associação. “Hoje, não são só os filhos de provincianos que freqüentam o kenjinkai”, diz o presidente, afirmando que este é o primeiro grande evento da associação e por isso os mais velhos estão incentivando”. “Estamos apoiando para que outras associações de províncias façam o mesmo. A ideia é despertar uma curiosidade nos jovens para que haja entrosamento com suas respectivas províncias”, conta Arnaldo, explicando que uma das dificuldades foi a falta de materiais para divulgar a província. “Este ano estamos fazendo com aquilo que temos à disposição no nosso acervo, ou seja, pôsteres e alguns objetos. Mas quem for ao Parque da Água Branca certamente terá um panorama da província”, diz Arnaldo, antecipando que a intenção é tornar o Tosa Matsuri um evento fixo no calendário de atividades da associação. Atrações – Para essa primeira edição, estão confirmadas as presenças da banda Gaijin Sentai (vencedora do projeto do Estado de São Paulo Cena Musical Independente), o grupo de taikô Ryukyu Koku Matsuri Daiko; a banda Animadness (cujo repertó-

divulgação

O Grupo Kitsume divulga a arte e a cultura japonesa através do Yosakoi Soran

Diogo Miyahara canta músicas temas de seriados japoneses

O SW Family reúne cerca de 30 integrantes entre 13 e 28 anos

rio inclui sucessos dos animesongs, j-rock, games e rock internacional); o cantor Diogo Miyahara; a Banda Uchiná (que mescla músicas japonesas, folclóricas de okinawa, Japan pop, nacionais e internacionais); a equipe G.I. Joe, o Grupo Just, os integrantes do Teatro Hokage, o Grupo Uta no Tomo, os dançarinos da SW Family, o Grupo Kitsume, o Grupo Freedom, a Banda Hadar,

NS Crew, Anonymous Crew, Boss Crew, Deejay Rodrigo Ribeiro (The Face) e o Grupo Talismã. Onagadori – Nos dois dias, o público também poderá participar de workshops, como o de caricatura com o Japan Sunset, Campeonatos de Nitendo Wii e de Yu-Gi-Oh e conferir curiosidades como onagadori – galo ornamental de Kochi-ken, com cauda

PROGRAMAÇÃO DO 1º TOSA MATSURI SÁBADO 9H – Radio Taissô 9H40 –Apresentação dos Bombeiros 10H30 – Kim Oshiro (samba, forró e sertanejo) 11H – Dança do Ventre Cia Talismã 12H – Diogo Miyahara (Anime Songs) 13H – X Rated (J-Rock) 13H30 – Abertura (Cerimonial) 14H – Taikô & Yosakoi - Kitsume 15H – Black Snack Blues 16H – Gaijin Sentai (Anime Songs) 17H – Taiko Kitsume 17H20 – Yosakoi Kitsume 18H – Street Dance 19H – Banda Hadar DOMINGO 10H – Liang Gung 10H30 – Taikô Sakura Fubuki 11H – Kim Oshiro (Samba, forró e sertanejo) 12H – Aikido – Edgar Bull 12H30 – Taikô Sakura Fubuki 13H – Anonymous Crew (Shibu e Street Dance) 14H – Cremasco Karatê Shotokan Valinhos 15H – Banda Animadness (Anime Songs) 15h45 – Grupo Hokage – Teatro Japonês 16H – Taikô Okinawa 16H45 – Grupo Hokage – Teatro Japonês 17H00 – Banda Hadar (Pop Rock) 17H30 – Black Snick Blues 18H – Banda Uchiná e Grupo Utanotomo *Programação sujeita à alteração

de mais de 10 metro (no Japão, eles existem de verdade, aqui, eles serão apresentados na versão empalhada), sawachiryori (que mistura outras iguarias como sushi, ovo e peixe), vídeos de yosakoi matsuri. Na Praça de Alimentação, a cargo do Departamento de Senhoras da Associação Kochi, haverá pratos típicos como o katsuo-no-tataki (sashimi levemente grelhado), tosa udon (sopa especial de macarrão), sugata-zushi (sushi no formato de peixe) e outros que já caíram no paladar dos brasileiros, como yakissoba e temaki, além de lanches de pernil, espetinhos, comida italiana e baiana, frutas com chocolate, churros e bebidas artesanais. (Aldo Shiguti) 1º Tosa Matsuri – Festival de Cultura Brasil-Japão Quando: Dias 18 e 19, das 9 às 20 horas. Abertura oficial: sá­ bado (18), às 13h30 Onde: Parque Dr Fernan­ do Costa – Parque da Água Branca (Av. Francisco Mata­ razzo 455, Água Branca) Entrada franca Mais informações sobre o evento no site: www.tosamatsuri.com.br

Hakodate Estamos em pleno feriado de Finados no Japão, eu e a maioria dos brasileiros vamos folgar 10 dias. Aproveitei o feriado para viajar, mas fugi do agito óbvio de praia e piscinas e decidi conhecer o norte do Japão. Mais precisamente Hokkaido. Fui de carro ate Aomori, peguei um navio com destino à Hakodate na província de Hokaido, uma viagem longa e cansativa, mas essa foi a melhor oportunidade que encontrei para visitar o norte do Japão, pois daqui para frente a tendência é que se esfrie cada vez mais, e o mês de dezembro torna-se impossível devido às neves e à baixa temperatura. Hakodate vive economicamente da pesca maritima e do turismo, por ser uma cidade litorânea e próxima ao mar da Rússia, o local é propício para a pesca do salmão. E isso fica visível andando pelas ruas da cidade. Visitei a montanha Hakodate, e do ponto mais alto da cidade tive o privilégio de ter uma vista belíssima, com toda a cidade aos pés e a certeza de estar em uma ilha mesmo, pois é possível vislumbrar todo o mar em volta. O acesso aos pontos turísticos da cidade se dá utilizando o bondinho, que também é uma atração à parte. Voltando do monte Hakodate, fui a um onsen, ou seja, aqueles banhos comunitários conhecido como ofurô. Confesso que me sinto estranha ali dentro, um hotel lindo, luxuoso, com ambiente separado para homens e mulheres. As japonesas que sempre são tão recatadas, andam super à vontade sem roupas, dentro do onsen, no ambiente feminino, ninguém tem vergonha de nada, no mínimo estranho. Estou escrevendo esse artigo de dentro do navio que me leva de Hakodate, em Hokaido de volta à Aomori, outra província do norte do Japão, e onde deixei meu carro estacionado. Já estive uma vez em

Aomori, e escrevi um artigo contando sobre as peculiaridades da cidade. O que me chamou muita atenção aqui em Hakodate é que a maioria das casas possuem uma barreira na porta de entrada, acredito que seja por causa da neve, pois durante o inverno aqui neva muito e a entada das casas ficam obstruídas com o acúmulo de neve. Conversei com alguns moradores da cidade, eles se assustam quando eu digo que sou brasileira, pois dizem que a minha aparência é de japonesa, e ficam curiosos porque sei o idioma e sou estrangeira. Enfim, um povo muito hospitaleiro, uma cultura rica, com peculiariedades próprias. Mas o mais interessante é esse fácil acesso à internet, essa comodidade tecnólogica faz do Japão um país único e especial, além da educação do povo, o respeito, vemos claramente a cultura tracional japonesa aliada à modernidade, e os dois caminhando lado a lado, sem maiores conflitos. Essa característica eu percebo não só em Hokkaido, mas em qualquer lugar do Japão, onde o respeito se fazem presente no cotidiano da população. Gostei muito de Hakodate, em todos os lugares que fui, sempre fui muito bem atendida, todos muito atenciosos, e hoje posso dizer seguramente que viajo tranquila pelo Japão, sem nenhuma grande barreira, e isso faz de mim um ser humano melhor, pois cultura e sabedoria, são as únicas coisas que carregamos conosco para sempre e isso ninguém nos tira, podem me roubar tudo, até mesmo os meus sonhos, mas o que eu já vivenciei e o que aprendi, isso sim posso dizer que é só meu. *Erika Tamura nasceu em Araçatuba (SP) e há 14 anos reside no Japão, onde trabalha com desenvolvimento de criação. E-mail: erikasumida@hotmail.com

DIPLOMACIA

Novo cônsul do Brasil em Tóquio quer agilizar concessão de vistos de negócios O ministro Marco Farani já elegeu sua primeira missão em solo japonês, tão logo assuma o cargo de cônsul geral do Brasil em Tóquio, no próximo dia 28. Diretor geral da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), órgão do Ministério das Relações Exteriores, disse que sua prioridade será agilizar a concessão de vistos de negócios para os japoneses que pretendem visitar o Brasil. “A função de um Consulado é o de facilitar o máximo a emissão de vistos”, explicou Farani, que já serviu na Embaixada do Brasil em Tóquio de 1991 a 94. O diplomata, que visitou a redação do Jornal Nippak na última sexta-

Luci Judice Yizima

Marco Farani com o deputado federal Luiz Nishimori

-feira (10) em companhia do deputado federal Luiz Nishimori (PSDB-PR), disse que “está aberto para conhecer o drama da comunidade brasileira que vive no Japão”. “Drama, no sentido de história”, explicou o Farani, que esteve no Japão pela última vez em dezembro do ano passado, quando participou de uma reunião como diretor da ABC com representantes da Jica (Japan International Cooperation Agency). “Reencontrei um Japão

em situação melhor, mais sereno, mais maduro internacionalmente e com os brasileiros mais bem adaptados à realidade do país”, destacou Farani, que durante almoço de confraternização na Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil se colocou à disposição de empresários japoneses e brasileiros que participaram do almoço de confraternização da Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil. (Aldo Shiguti)


JORNAL NIPPAK

4

São Paulo, 16 a 22 de agosto de 2012

cinema

“Corações Sujos” estréia em seis capitais brasileiras nesta sexta-feira

E

divulgação

A atriz mirim Celine Fukumoto foi uma revelação, segundo Amorim...

luci judice yizima

Lágrimas, intolerância, racismo, preconceito e orgulho imperam em “Corações Sujos”

Escritor Fernando Morais e produtor Michel Tikhomiroff

no Japão ninguém sabia dessa história, do que se passou aqui no pós-guerra”, conclui Amorim. Para o escritor e jornalista Fernando Morais, o diretor Vicente Amorim enriqueceu a história do livro com uma dramática história de amor. “O querido Jorge Amado já

dizia que a transposição da obra literária para o cinema, toda adaptação é uma violência contra o livro. Se o autor não quer aporrinhação não vá ao cinema”, lembra. “Mas no meu caso, eu discordo do saudoso Jorge, o Vincente não só foi fiel à obra literária, como acrescentou e

luci judice yizima

luci judice yizima

stréia nesta sexta (17) nas cidades de São Paulo, Brasília, Recife, Curitiba, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Santos, Maringá, Londrina e em algumas cidades do interior paulista, o filme “Corações Sujos”, uma produção de época, dirigido por Vicente Amorim, uma adaptação do livro de Fernando Morais. A obra volta até o Brasil pós-Segunda Guerra para contar como a derrota do Japão repercutiu na colônia de imigrantes brasileira, a maior fora do Japão, reprimida pelo governo. Lágrimas, intolerância, racismo, preconceito, orgulho e terrorismo imperam na história, interpretados em japonês por um elenco na sua maioria de lá. O diretor Vicente Amorim explica como surgiu a idéia de adaptar o livro do jornalista Fernando Morais. “Quando li o livro do Fernando fiquei fascinado pela história. É um território pouco explorado no cinema nacional”, admite. “Como a trama é violenta, resolvi mesclar intolerância, racismo, patriotismo envolvendo uma linda e dramática história de amor”, diz. Amorim destaca a colaboração dos atores japoneses Tsuyoshi Ihara (Takahashi), Takako Tokiwa (Miyuki), Kimiko Yo (Naomi), Shun Sugata (Sassaki), Issamu Yazaki (Aoki), e o mestre das artes cênicas no Japão,Eiji Okuda. “Trabalhar com todo o elenco foi muito gratificante. Eles são focados, disciplinados, mesmo com a barreira do idioma eles tiveram uma desenvoltura fabulosa. Adorei a atuação das feras brasileiras, Edu Moscovis (Sub-Delegado), Ken Kaneko (Matsuda), André Frateschi (Cabo Garcia), a atriz mirim Celine Fukumoto foi uma revelação, pois nunca tinha atuado”, comenta. “Estou ansioso para ver a reação do público brasileiro e nipo-brasileiro, pois

O ator Eduardo Moscovis

Diretor Vicente Amorin na coletiva de imprensa

enriqueceu com um drama amoroso. Pois no livro a história não tem mulher, é inteiramente machista. Usou a dramaturgia com liberdade, usou uma figura feminina central que narra à história com sutileza e doçura. Se me perguntarem se ele mutilou o filme, Eu diria que não. Ele manteve a violência que tinha no livro, aliás, muita violência. Porém a figura feminina deu um impacto muito positivo, gostei muito”, finaliza o escritor. O ator Eduardo Moscovis que vive o Sub-Delegado, esbanja simpatia, não poupa elogios ao elenco japonês. “Trabalhar com os orientais foi muito gratificante. Os caros têm uma postura clássica, caricata de um oriental, e ao mesmo tempo com uma disponibilidade, uma vontade, uma simpatia”, enaltece. E completa, “um clima de trabalho muito respeitoso, mas não cerimonioso, eles faziam com que o set fosse organizado, emocionado, concentrado, mas gostoso, bom de trabalhar. Não foi um set rígido, set tenso, muito pelo contrário, para mim foi uma experiência muito prazerosa”. O longa-metragem de modo geral, marca uma guerra particular, que Vicente Amorim se sai muito bem, constrói momentos interessantes. Com um elenco repleto de astros do cinema japonês esbanjam talentos. Destaque

... que elogiou também todo o elenco: “Foi muito gratificante”

para a atriz Takako Tokiwa, que vive a Miyuki, uma personagem que se comunica basicamente pelo olhar. O coronel Watanabe compartilha a mesma vivacidade, embora bem mais intensa, cheio de gestos e muita expressão, o excêntrico Eiji Okuda. O filme já estreou no Japão na semana passada, com salas lotadas no primeiro final de semana, onde recebeu entusiasmados elogios da crítica da imprensa local. A direção do filme espera a mesma receptividade do público no Brasil. Vale conferir. Sinopse – “Corações Sujos” é um filme sobre intolerância, fundamentalismo, racismo e amor, baseado no best-seller de Fernando Morais e passado no interior de São Paulo logo depois da Segunda Guerra Mundial. Ele conta a história do imigrante japonês Takahashi, dono de uma pequena loja de fotografia, casado com Miyuki, uma professora primária. Inspirado em fatos reais, Corações Sujos nos mostra a transformação de Takahashi de homem comum em assassino, enquanto sua mulher luta contra

o destino, tentando em vão salvar seu amor em meio ao caos e à violência. No Brasil, logo depois da guerra, a imensa população de imigrantes japoneses (a maior fora do Japão) era segregada e reprimida pelo Estado. Para estes imigrantes, oprimidos numa terra estranha, a ideia de derrota na guerra era muito dolorosa. Muitas organizações, alimentadas pela ignorância imposta a eles pelo governo brasileiro, nasceram dedicadas a divulgar a “verdade” da vitória do Japão na guerra e a reprimir e assassinar os “derrotistas” – os “corações sujos”. Takahashi reluta, mas acaba se tornando membro de um destes grupos. A escolha feita por ele, em nome do Espírito Japonês, o transforma também num matador. E Miyuki, sua mulher, nos conta como sua história de amor se perdeu em meio à guerra fratricida - de japoneses contra japoneses - que aconteceu em pleno interior do Brasil. “Corações Sujos” Estreia: 17 de agosto Classificação: 14 anos


São Paulo, 16 a 22 de agosto de 2012

JORNAL NIPPAK

5

perfil

Roberto Suga se rende ao charme dos carros clássicos e desfila na apoteose do samba

C

olecionador e apaixonado por carros antigos, o nikkei Roberto Suga cuida dos “velhos companheiros” com muito carinho, como se fossem filhos. E mais: o colecionador, de 48 anos, não mede esforços, nem dinheiro, para deixar os veículos novinhos em folha. Administrador de empresas, Suga reúne em sua garagem dez clássicos preciosos: Rolls Royce 1969; Volkswagen Kombi 1970 (foi reformada e pertenceu ao seu pai); Cadillac Fleetwood 1974 (pertenceu a Embaixada do Japão no Brasil); Mercedes Benz 300 SEL de 1971 (pertenceu ao Consulado do Japão em São Paulo); Alfa Romeu GTV 1974, Lincoln Continental Town Car 1965, Porsche 911 de 1975; Lamburghini Urraco 1976 (520 unidades produzidas, no Brasil possui 4, sendo esta

Luci Judice Yizima

Roberto com a mãe, dona Toyuko Suga, na garagem de sua residência

O primo, Henry, dirige o carro enquanto Roberto Suga faz a locução

a primeira importada pelo Benefício de Importação de Veículos Clássicos há mais

de 30 anos); Pontiac Firebird 1974, Mercedes Benz Station Wagon 300D 1980.

Paulistano, Suga revelou à reportagem do Jornal Nippak como surgiu

Sambódromo reúne exposição de carros antigos todas as terças Em São Paulo, o Sambódromo do Anhembi abre alas para Auto Show Colletion. São cerca de 500 veículos em exposição e 5 mil visitantes toda terça-feira. O Auto Show Colletion possui uma área para exposição de veículos antigos, tuning, esportivos nacionais, área para compra e venda e mercado de peças para restauração. Além da exposição semanal o evento conta com uma programação especial de desfiles temáticos. Pelo Auto Show do Anhembi passam cerca de 294 mil carros por ano, um

Luci Judice Yizima

importante canal de distribuição, que gera um grande volume de negócios e incre­ menta todo o setor – e inclui a venda de carros zero quilometro. Afinal, quem vai à feira vender usado tem o sonho de comprar um carro zero ou trocar um usado mais atual. Auto Show Colletion Sambódromo – Av. Olavo Fontoura, Potão 23 Quando: Toda terça, das 19h às 23h Informações: www.autoshow.com.br

Henry Tachibana,Fernando Batistinha e Roberto Suga

sua paixão pelos carros antigos. “Desde pequeno, sempre gostei de carros, por influência da minha mãe, Toyuko Suga que também tem grande admiração pelas raridades. Que por sua vez teve influência dos seus avós, que sempre a levava em feiras e exposições de carros antigos”, lembra. “Quem coleciona carros clássicos, quer trazer as recordações do passado”. Quando perguntado sobre o investimento de um colecionador, ele afirma que, “não existe valor financeiro e sim sentimental. É difícil descrever o sentimento de um colecionador”. Suga adquiriu seu primeiro clássico, o Pontiac Firebird de 1974, daí não parou mais. “Para encontrar essas preciosidades, eu vou às feiras e exposições de automóveis antigos, através de indicação de amigos ou garimpo muito pela internet”, comenta. “A indústria automobilística inova a cada dia em tecnologia. Hoje você tem a tecnolo-

gia em todas as marcas. Com isso, as marcas perderam a sua personalidade, perderam a sua identidade”, lamenta. Sem tantos detalhes, mas com forte apelo saudosista, Roberto fala que sua coleção é só para exposição, não aluga para filmagens ou casamento. “A minha coleção é de uso exclusivo para exposições e para passeio. Os meus carros participam das mais importantes exposições como o Encontro Nacional Brazil Classics em Araxá (MG), Encontro Paulista de Autos Antigos em Aguas de Lindóia. Ao todo participo mais ou menos de 20 exposições por ano”, finaliza Roberto Suga. O colecionador que também faz a locução na feira, fala com propriedade das beldades. Mas no seu cotidiano Suga admite dirigir Toyota ou Honda. Considera-se um cidadão comum, gosta de praticar esportes como, corrida de rua, golfe, tênis, natação e pretende praticar kendô. (Luci Judice Yizima)

JUBILEU DE OURO

PREVENÇÃO DE DESASTRES

Concerto neste sábado comemora 50 anos da chegada do maestro Akihisa Kitagawa ao Brasil

Jica e Abjica promovem Workshop Internacional

Um show para comemorar e também para agradecer. Neste sábado (18), o Espaço de Eventos Hakka, em São Paulo, será palco de um evento que promete ser inesquecível para quem acompanha a trajetória do maestro, cantor, músico e professor Akihisa Kitagawa. Nesse dia, o Instituto NAK do Brasil (INB) estará realizando o Concerto Comemorativo do Jubileu de Ouro da chegada de Kitagawa ao Brasil. O evento, cujos ingressos já estão todos esgotados, celebrará também o 75º aniversário de vida do maestro (comemorado no dia 2 de agosto), os 15 anos da NAK no Brasil e também 15 anos de matrimônio com Júlia Kitagawa. Kitagawa promete surpreender a platéia. Por isso, revela apenas um esboço do que será o espetáculo, que inclui 21 músicas. “Interpretarei Ave Maria, Fica Comigo Esta Noite e uma composição minha intitulada ‘Arigatô, Brasil’, além de músicas brasileiras, italianas, francesas, americanas e japonesas”, antecipa o maestro, que será acompanhado pelos músicos da Orquestra do Instituto NAK do Brasil e contará com as participações especiais de um coral formado pelos alunos da professora Tereza Kato e da professora de dança clássica japonesa Fujima Yoshioh. Patrimônio – Por esses 50 anos de trabalho nesses setores, Kitagawa receberá, também no dia 18, mais uma homenagem, passando

Luci Judice Yizima

Julia Kitagawa e Akihisa Kitagawa: 15 anos de casamento

a ser considerado “Patrimônio Histórico Imaterial”, uma honraria concedida pelo Instituto de Patrimônio Histórico de São Paulo (IPH), que aceitou também o pedido feito em março pela Associação Brasileira de Cultura e Arte para que o “Concerto Comemorativo do Jubileu de Ouro” fosse considerado de interesse nacional e apto a receber o apoio cultural. O show relembrará sua trajetória desde que saiu do Japão com a missão de buscar seu pai, Setsuya, de quem se separou muito cedo. O pai veio em 1938 para trabalhar numa firma de importação e exportação. Sua intenção era trazer Kitagawa, suas três irmãs e sua mãe, mas um epi-

sódio acabaria mudando sua vida. “Estava tudo pronto para que embarcássemos quando um decreto proibiu a saída de crianças e mulheres em função da Segunda Guerra Sino-Japonesa. Depois, veio a Segunda Guerra . Na época, meu pai foi preso por suspeita de espionagem e só saiu após o fim da guerra”, conta Kitagawa, que fez Faculdade de Música em Osaka. “Tinha uma boa voz, mas a música também era uma forma de me acalmar”, conta o maestro, que aprendeu também artes marciais. “Tive, então, que optar entre seguir a carreira artística no Japão ou vir para o Brasil”, lembra o professor, que

fez a segunda opção pois também tinha vontade de estudar música latina. A pão e água – “Uma semana depois que desembarquei já comecei a trabalhar numa rádio como locutor”, explica, acrescentando que apresentou os shows das cantoras Matsuo Kazuko e Misora Hibari, em 1970, e trabalhou como secretário do então deputado federal Yukishigue Tamura. “Passei por muitos momentos difíceis, a pão e água. Mas também recebi ajuda de muitos amigos”, diz Kitagawa, que não esquece de mencionar sua primeira esposa, Luiza, com quem casou em 1974 e teve a filha Beatriz, faleceu aos 48 anos de idade – sete anos depois, casou com Júlia, sua atual esposa. Em 1988, seguindo os conselhos de Tsuyoshi Mizumoto, primeiro presidente da Associação dos Lojistas da Liberdade (atual ACAL), decidiu se tornar um “professor de karaokê”. A carreira musical começou, definitivamente, quando foi convidado a dar aulas na Sociedade Beneficente Feminina Esperança. “Sou muito agradecido por tudo que aconteceu comigo”, diz Kitagawa. (Aldo Shiguti) Concerto Comemorativo do Jubileu de Ouro da Chegada do Músico e Maestro Akihisa Kitagawa ao Brasil Quando: Dia 18 (sábado), a par­ tir das 20 horas Onde: Espaço de Eventos Hak­ ka – Salão Diamante (Rua São Joaquim, 460, Liberdade – SP) Ingressos esgotados.

No dia 16 de agosto, a Jica (Agência de Cooperação Internacional do Japão) e a Abjica (Associação dos Bolsistas Jica) promovem o Workshop Internacional “Educação em Prevenção de Desastres Naturais”, no Auditório do Conselho Regional de Química (CRQ IV), em Pinheiros (zona Oeste de São Paulo), com entrada gratuita. A iniciativa faz parte da orientação do governo japonês para compartilhar as experiências adquiridas no trágico terremoto seguido de tsunami ocorrido na região Leste do Japão, em 11 de março do ano passado. Nessa ocorrência constatou-se a eficiência da educação, especialmente das crianças, na prevenção de desastres naturais, comprovando que não se deve confiar apenas na eficiência da infraestrutura, mas também no preparo individual para enfrentar esses desastres. O evento também terá as palestras do prof. Koichi Shima (Universidade de Gunma, Japão), do coronel PM Benedito Roberto Meira (Secretário Chefe da Casa Militar e Coordenador Estadual da Defesa Civil) e do prof. Carlos Nobre (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação). A mesa-redonda terá coordenação do pesquisador Agostinho Tadashi Ogura , do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT). Programação 9h - 9h30 - Palestra: “Tendências e ações da Defesa Civil no Estado de São Paulo”

Benedito Roberto Meira Secretário Chefe da Casa Militar e Coordenador Estadual da Defesa Civil 9h30 - 12h - Palestras: “O milagre de Kamaishi” Aprendendo com as crianças que se salvaram do gigantesco tsunami de 11/3/2011 na região leste do Japão. Prof. Toshitaka Katada, da Universidade de Gunma, Japão. “Novas estratégias de resgate das enchentes no Japão” - Ferramentas de comunicação para apressar a retirada das áreas de risco. Prof. Koichi Shima, da Universidade de Gunma, Japão. 13h - 13h30 - Palestra: “Prevenção de desastres naturais no Brasil: O papel de monitoramento e alerta”. Prof. Carlos Nobre, do Min. da Ciência, Tecnologia e Inovação 13h30 - 15h - Mesa Redonda: Coordenação Agostinho Ogura, do IPT 15h - 15h30 - Conclusões e Encerramento Workshop Internacional “Educação em Prevenção de Desastres Naturais” Data: 16/08/2012 (quinta-feira) Local: Auditório do Conselho Regional de Química (CRQ IV), R. Oscar Freire, 2039 - São Paulo (metrô Sumaré). Estacionamento no local: R$ 20. Entrada franca - vagas limita­ das (Tradução simultânea japo­ nês-português) Inscrição através do e-mail: sctc@if.sp.gov.br


JORNAL NIPPAK

6

­­

CIDADES/LONDRINA

Horiuchi Takao inicia turnê brasileira em Londrina

C

onsiderado um ícone da música romântica no Japão, Horiuchi Takao promete emocionar três gerações de fãs no Brasil em sua primeira apresentação no país. O cantor realizará quatro shows, onde interpretará seus maiores sucessos, além de apresentar seus mais recentes lançamentos no Japão. A turnê brasileira terá início na cidade paranaense de Londrina, no dia 22 de agosto, no Centro de Eventos, que possui capacidade para 1.500 pessoas. Na sequência, o show segue para Marília (interior de São Paulo), no dia 24 de agosto, no Espaço T! para 1.600 convidados. Os fãs da capital paulista recebem o cantor nos dias 25 e 26 de agosto no palco do HSBC Brasil, com capacidade para 2.150 pessoas por show. O espetáculo de padrão internacional será garantido por uma equipe de 20 pessoas, entre músicos, produtores, técnicos e engenheiros de som, além da produção brasileira que contará com mais de uma centena de profissionais. Horiuchi Takao nasceu em Osaka, Japão, no dia 27 de outubro de 1949. Mais jovem de três irmãos, gostava de cantar desde a infância e sua avó, além de sempre elogiar a voz do neto, profetizava que ele Show em Londrina (PR) Quando: Dia 22 de agosto (quarta-feira), às 20h (aber­

São Paulo, 16 a 22 de agosto de 2012

DIVULGAÇÃO

O repertório de Horiuchi Takao é bastante conhecido no Brasil

um dia poderia se tornar um grande cantor profissional. Começou a ter contato com música ocidental na adolescência, quando ouvia do

rádio do quarto de sua irmã o som dos Beatles. O seu irmão mais velho trazia para casa discos dos Beatles emprestados de ami-

tura da casa:

Tel.: (14) 3312-4140 www.espacotmarilia.com.br Capacidade: 1600 lugares Preço de ingresso: inteira R$ 220,00 meia-entrada R$ 110,00 Canal de venda: Ticket Brasil Postos autorizados: Nikkey Clube Marília (143433-4187), Lojas Omy: Ma­ rilia Shopping (R. dos Tucuna­ rés 500 - loja 23/41 - Marília), Galeria Atenas (R. Nove de Julho 1001 - loja 24 - Marília); R. Nove de Julho, 1227 - Ma­ rília; Praça Rui Barbosa, 63 Garça; Pruden Shopping (Av. Manoel Goulart, 2400 - loja 155 - Presidente Prudente); R. Rio Branco, 8-14 - Bauru Censura: 14 anos (desacom­ panhados). Menores de 14 anos

18h) Onde: Centro de Eventos de Londrina Rod. Mabio Gonçalves Palha­ no, 3333 Tel.: (43) 3334-4400 www.centrodeeventos.com.br Capacidade: 1500 lugares Preço de ingresso: inteira R$ 220,00 meia-entrada R$ 110,00 Censura: 14 anos (desacom­ panhados). Menores de 14 anos somente acompanhados dos pais ou responsáveis.

Duração: 1h30

Aproximadamente

Show em Marília (SP) Quando: Dia 24 de agosto (sex­ ta-feira), às 20h (abertura da casa: 18h) Onde: Espaço T! Rod. João Ribeiro de Barros, Km 437-438 – Bauru-Marília

somente acompanhados dos pais ou responsáveis.

Duração: 1h30

Aproximadamente

gos. Com essa influência começou a aprender a tocar guitarra. Na época da faculdade, começou a integrar bandas amadoras. Nesta fase, conheceu Tanimura Shinji, que já trilhava a carreira artística profissional. Começava aí uma parceria de muito sucesso. Vocação – Em 1971, ao completar 22 anos e cursando o 4º ano da faculdade, recebeu um convite de Tanimura Shinji para tornar-se cantor profissional. Apesar das dúvidas sobre se conseguiria se manter com uma carreira artística, reconheceu que cantar era sua maior vocação e tomou a decisão que mudaria completamente sua vida. Juntos formaram o grupo Alice que, entre vários hits, produziu o sucesso “Tookude kitekiwo kikinagara”. Dono de uma voz inconfundível, Horiuchi Takao é também compositor de grande parte de seus hits. Seu repertório é bastante conhecido no Brasil, principalmente pelos freqüentadores de karaokê. Entre os sucessos mais tocados estão “Gaki no koro no youni”, “Sanga”, “Itoshiki hibi”, “Joodanjane”, “Koi uta tsuzuri” e “Kageboushi”. Show em São Paulo (SP) Quando: Dias 25 de agosto, às 20h; e dia 26 de agosto, às 20h (abertura da casa: 18h) Onde: HSBC Brasil – R. Brag ­ ança Paulista, 1281 Chácara Sto. Antônio – Tel.: (11) 5646-2120 - www.hsbc­ brasil.com.br Capacidade: 2150 lugares Preço de ingresso: Standard (inteira: R$ 230 / meia R$ 115), Silver (inteira: R$ 260 / meia R$ 130) e Gold (inteira: R$ 290 / meia: R$ 145) Canal de venda: Ingresso Rápido, Bilheteria do HSBC e Yamato Music (R. da Glória, 279 – 5º and. - Liberdade) Censura: 14 anos (desacom­ panhados). Menores de 14 anos somente acompanhados dos pais ou responsáveis.

Duração: Aproximadamente 1h30 Mais informações pelo telefone: 11/3203-2253.

COLUNA DO JORGE NAGAO

Corações Sujos Vem aí “Corações Sujos”, o filme, dirigido por Vicente Amorim, baseado na obra homônima de Fernando Morais. Polêmica, a película certamente provocará discussões em nikkeis e brasileiros de todas as gerações. Receio que o filme ignore o contexto, o inferno por que passaram os imigrantes pioneiros na ditadura Vargas. Na segunda guerra mundial, o Brasil ficou com os Aliados contra o Eixo Berlim-Roma-Tóquio. Como consequência, os imigrantes alemães, italianos e japoneses passaram a sofrer seguidas retaliações. Escolas para crianças japonesas foram fechadas, bandeiras não podiam ser hasteadas, jornais como o Nippak Shimbun saíram de circulação, além de confisco nas contas bancárias entre otras cositas más y péssimas. Como normalmente os filmes privilegiam as ações mais impactantes, espero que o diretor que importou os mais renomados atores nipônicos, retrate com fidelidade essa guerra de japoneses contra japoneses, no interior de São Paulo. No primeiro dia de 1946, quatro meses após a rendição nipônica, o imperador Hiroíto fez outro pronunciamento histórico: ao contrário do que os japoneses acreditavam desde tempos imemoriais, ele não era uma divindade, era humano como todos os seus patrícios. Essa declaração era uma das exigências dos Aliados para que ele permanecesse no trono. No Brasil, a voz do imperador foi captada numa casa de Tupã-SP, retransmitida pela rádio Record, com tradução simultânea, conta Fernando Morais em seu imperdível livro. O gaijin foi à casa do desafeto Shigueo Koketsu que dava uma animada festa e provocou os japoneses dizendo que o imperador não era deus e que o Japão perdera a guerra, versão contestada pela comunidade, pois, em 2600 anos, o país das cerejeiras jamais perdera uma guerra. Ao ver hasteada uma bandeira do Japão, ainda considerado um crime contra a Segurança Nacional, o lavrador denunciou o fato à polícia de Tupã. Meia dúzia de praças fo-

ram ao local para apreender a bandeira. Quando alguém apelou para não tocar na sagrada bandeira, o cabo Edmundo limpou suas botas com aquela seda que não poderia ser tão sordidamente desonrada. Nascia ali a Shindo Renmei, a Liga do Caminho dos Súditos, com o propósito de vingar os traidores da pátria japonesa. Sete integrantes da organização- que estão na capa do livro- se armaram e foram à caça do cabo Edmundo que milagrosamente conseguiu escapulir. Em seguida, passaram a perseguir os derrotistas, os corações sujos que acreditavam que o Japão haviam perdido a guerra. Esta nova guerra matou oficialmente 23 imigrantes, feriu 150 e durou um ano e um mês. Para as novas gerações, essa guerra fratricida aparenta ser absurda e incompreensível, porém, para os mais velhos, aqueles que compraram o paraíso e sofreram com aquele inferno, tudo era possível. Se hoje os jovens nikkeis levam uma vida normal, devem isso às sucessivas gerações que passaram por tantas e más (não poucas e boas). Os decasseguis que fizeram o caminho de volta, revivem o drama do choque da cultura, do clima hostil e do idioma difícil de ser domado, porém têm a opção de voltar ou não, o que foi negado aos nossos tataravós. O filme, forte e contundente, provocará muitas reflexões sobre a nossa história. Que este longa-metragem contribua para que se intensifique a integração nipo-brasileira, exemplarmente ilustrada pelo boxeador Yamaguchi Falcão, medalha de bronze em Londres, que não é nikkei, uma homenagem do seu pai ao amigo Yamaguchi. WW (veja reportagem do Jornal da Gazeta: http://www.youtube.com/ watch?v=0V16IiQ1ETc ) *Jorge Nagao é colunista do site Primeiro Programa (www.primeiroprograma. com.br). E-mail: jlcnagao@uol. com.br

retrospectiva/perspectiva

travessias em conflito

Câmara de Comércio faz Simpósio na próxima terça

Núcleo Hana realiza leitura dramatizada de Banzai Brasil

A Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil realiza na próxima terça-feira (21), no Tivoli São Paulo Mofarrej, em São Paulo, Simpósio dos Presidentes dos Departamentos Setoriais com o tema “Retrospectiva do Primeiro Semestre e Perspectivas para o Segundo Semestre de 2012”. O evento contará com a participação do Chefe do Departamento de Assuntos Políticos da Embaixada do Japão, secretário Yoshitaka Kinoshita, que abordará o tema “Governo Dilma Rousseff e perspectivas futuras da política brasileira”. Após a palestra, a programação terá prosseguimento com o tradicional relato dos presidentes dos Departamentos Setoriais sobre as atividades desenvolvidas pelos respectivos departamentos, os resultados do primeiro semestre e as expectativas para o segundo semestre do ano de 2012. Na ocasião, serão debatidos assuntos inerentes ao desempenho das empresas

filiadas por cada setor, e, segundo os organizadores, será um momento de reflexão proporcionado pela entidade aos seus associados. O encontro, que já é uma tradição no calendário de eventos da Câmara, será aberto ao público em geral e terá entrada franca. O Simpósio será realizado idioma em japonês com tradução simultânea para o português. No encerramento, será oferecido um coquetel (adesão, no valor de R$ 60,00 por pessoa, será cobrada à parte). Simpósio “Retrospectiva do Primeiro Semestre e Perspec­ tiva para o Segundo Semestre de 2012 Quando: Dia 21 (terça-feira), das 13h às 18h Local: Tivoli São Paulo Mo­ farrej (Alameda Santos, 1437 - São Paulo - Tel.: 3146-5900). Confirmação de presença no Simpósio: na Câmara, até 17/ agosto (6ª), com Chisato pelo telefone: 11/3178-6233 ou e­ -mail secretaria@camaradoja­ pao.org.br

divulgação

O Núcleo Hana realiza, no dia 22 de agosto, a leitura dramatizada de Banzai Brasil, de Carlos Queiroz Telles (19361993). Escrita em 1990, a peça narra a história de uma família de imigrantes japoneses que, inesperadamente, recebe a notícia que um almirante reformado virá morar consigo. Trata-se de Kazuo, que depois de servir a marinha japonesa durante a Segunda Ensaio do Núcleo Hana: leitura faz parte do Projeto “Travessias” Guerra Mundial, só lhe restou a família de sua cunhada Ki- em sua cadeira de balanço. tudo é insinuado”. A leitura dramatizada é mico, que reside num municí- A peça retrata o dia-a-dia de pio próximo à cidade de São uma família nikkei, que se parte do projeto Travessias Paulo. Um almirante que, envereda no mundo dos sen- em Conflito - O lado B da em terra, só se sente seguro timentos onde “nada é dito, imigração japonesa no Brasil. O projeto consiste em: ciclo de palestras, filmes e debates; leituras dramatizadas e apresentação de peças teatrais com foco nas questões e conflitos vividos pelos imigrantes japoneses e seus descendentes no país. Outros olhares e perspectivas sobre a experiência dos nikkeis no Brasil e dos dekasseguis no Japão apresentados por pesquisadores, cineastas, dramaturgos e pelo testemunho dos protagonistas

dessas histórias. Acompanhe a programação e outras informações sobre o projeto no blog: http:// travessiasemconflito.com.br. Direção de Alice K. Elenco: Henrique Kimura, Ricardo Oshiro, Rogério Nagai, Ulisses Sakurai, Ligya Yamaguti, Cristina Sano, Celine Miyuki e Paulo Cesar Campos. Data: 22 de agosto de 2012 Horário: 20h - Entrada franca (retirar senha uma hora antes) Local: Centro Cultural Hiro­ shima do Brasil Rua Tamandaré, nº 800, Liber­ dade – São Paulo – SP (próximo à estação São Joaquim do Me­ trô) - Tel: (11) 3207-5476 - (Es­ tacionamento no local) Realização: Núcleo HANA de Pesquisa e Criação Teatral - Cooperativa Paulista de Teatro Programa Municipal de Fo­ mento ao Teatro para a Cidade de São Paulo Secretaria de Cultura da Ci­ dade de São Paulo - Prefeitura de São Paulo


JORNAL NIPPAK

São Paulo, 16 a 22 de agosto de 2012

7

CULTURA

O

HAICAI BRASILEIRO

Jornal Nippak publica aqui os haicais enviados pelos leitores. Haicai é um tipo de poema que se originou no Japão. Seu maior expoente é Matsuo Bashô (16441694). O haicai caracteriza-se por descrever, de forma breve

e objetiva, aspectos da natureza (inclusive a humana) ligados à passagem das estações. Hoje, no mundo inteiro, pessoas de todas as idades e formações escrevem haicais em suas línguas, atestando a universalidade dessa forma de expressão.

TEMAS DE AGOSTO Dia curto – Capim-gordura – Cachecol Cachecol lilás Já desbotado, sem cor lembrança da avó. Akiko Koike Jundiaí, SP

De cachecol estiloso E um paletó espancado Anda o mendigo Elisa Campos São Paulo, SP

Vento cortante – Pra não gelar o nariz cachecol de lã. Mario Isao Otsuka São Paulo, SP

Os pássaros voam – No meio do capim-gordura o vulto do gato Alvaro Posselt Curitiba, PR

Cachecol puído encobre enrugado rosto Vento cortante. Irene M. Fuke São Paulo, SP

Ah, capim-gordura! À tardinha eu chamo as reses sem nenhum retorno Neide Rocha Portugal Bandeirantes, PR

Neste dia curto sombras invadem a casa – Acendo a luz mais cedo Benedita Azevedo Magé, RJ

Ao entardecer Dia curto proveitoso Mostra o fraco sol. Izumi Fujiki São Paulo, SP

Luzes se acendem – Apressa-se o jornaleiro no dia curto! Regina Alonso Santos, SP

Dia de limpeza – Dentro de um saco plástico Eis um cachecol! Benedita Azevedo Magé, RJ

Velho cachecol Ainda tem serventia – Enfeitar o cão! Izumi Fujiki São Paulo, SP

Tudo está seco e o cara quer fumar o capim-gordura! Rodrigo Vieira Ribeiro Ipatinga, MG

Em dia curto Sigo minha sombra fria Ao cair da tarde Carlos Viegas Brasília, DF

Na altura das bocas viçoso capim-gordura – O gado nem muge. Madô Martins Santos, SP

Ao sabor do vento Movimentam os campos De capim-gordura. Yone São Paulo, SP

Outro netinho – Como as plantas que florescem Nos dias mais curtos Celso Pestana Rio de Janeiro, RJ

Estrada rural – Pendurados no barranco o capim gordura. Mario Isao Otsuka São Paulo, SP

Mais um mês se vai Quanto tempo ainda me resta? Ah, dias tão curtos... Zekan Fernandes São Paulo, SP

Temas de outubro (postar até 10 de setembro) Bicho-da-seda – Salgueiro – Piquenique

Envie seus haicais (no máximo três de cada tema sugerido) digitados ou em letra legível, com nome (mesmo quando preferir o uso de pseudônimo), endereço e RG. Cada pessoa pode participar com apenas uma identidade. A seleção dos trabalhos é feita pelos haicaístas Edson Kenji Iura e Francisco Handa.

Envie suas cartas para: Haicai Brasileiro A/C Jornal Nippak Rua da Glória, 332 CEP 01510-000 São Paulo-SP E-mail: jornaldonikkey@yahoo.com.br Cc. ashiguti@uol.com.br

Temas de novembro (postar até 10 de outubro) Gato enamorado – Buganvília – Finados

Bicho-da-seda (tema de outubro) Interessante notar que o bicho-da-seda é um animal domesticado ao longo de mais de quatro mil anos, que não consegue sobreviver na natureza. Alimenta-se exclusivamente de folhas de amoreira e morre após tecer o casulo, pois este é cozido

para separar seu fio. Suas mariposas são incapazes de voar. Durante a Antiguidade, o entusiasmo romano pela seda chinesa motivou o desenvolvimento da Rota da Seda, rede de transportes que muito contribuiu para o intercâmbio cultural e tecnológico

entre oriente e ocidente. Atualmente, China, Índia e Brasil (Paraná) são os maiores criadores de bicho-da-seda, mas o aperfeiçoamento das fibras artificiais vem restringindo cada vez mais o seu mercado. A criação de milhares, talvez milhões de

Edson Kenji Iura lagartas reunidas, provoca impressões inéditas, como neste haicai: Está chovendo? Não. Bichos-da-seda comendo As folhas, tão ávidos... (Goga Masuda)

LITERATURA

Nikkeis lançam livros na 22ª da Bienal Internacional do Livro que prossegue até este domingo em São Paulo São Paulo recebe a 22ª Bienal Internacional do Livro, de 09 a 19 de agosto de 2012, que acontece no Pavilhão de Exposições Anhembi, zona Norte de capital. A Fundação Japão, em parceria com a PACE (Publishers Association for Cultural Exchange) está com espaço e será apresentada uma variada quantidade de livros de diversas editoras japonesas, tanto em língua japonesa como em inglês, além de publicações em português sobre o Japão. O tema desta edição da Bienal do Livro é “Livros transformam o mundo, livros transformam pessoas” e conta com uma programação cultural abrangente. O evento mescla literatura com diversão, negócios, gastronomia e cultura. Alguns escritores japoneses e descendentes estarão presentes para lançamentos de suas obras, a novidade é a pedagoga Thereza Toshiko Kato que lança livro inédito

divulgação

Fundação Japão também está presente na Bienal Internacional com diversos títulos de editoras japonesas

sobre “Soroban – Ábaco Japonês – Trajetória no Brasil” pelo Grupo Editorial Scortecci, no dia 18 de agosto, na Rua M das 16h30 às 19h. A obra é dedicada aos estudantes e iniciantes de Soroban que querem redescobrir fatos para o seu enriquecimento pessoal e ao leitor em geral que gostaria de ampliar os

seus conhecimentos. O chef Shin Koike e Jo Takahashi que estarão recebendo amigos e interessados em “Cozinhando com Palavras” hoje (14), às 20h num espaço totalmente dedicado ao setor de livros gastronômicos. Na ocasião, os dois estarão falando um pouco sobre o livro “A

Cor do Sabor: A Culinária Afetiva de Shin Koike” que está no prelo, e que será lançado neste segundo semestre, pela Editora Melhoramentos, de autoria de Jo Takahashi, com fotos de Tatewaki Nio e prefácio de Breno Lerner. Na ocasião, o chef Shin Koike irá recepcionar a todos, com uma degustação do cheese cake de tofu, um hit de seu cardápio no Restaurante Aizomê. Para participar, é preciso confirmar presença pelos telefones: (11) 3846-5141. (Luci Judice Yizima) 22ª Bienal Internacional do Livro Onde: Pavilhão de Exposições do Anhembi – Av. Olavo Fon­ toura, 1.209 – São Paulo – SP Horário: De 09 a 18 de agosto, das 10h às 22h dia 19 de agosto, das 10h às 20h, com entrada até às 18h Preço: Inteira R$ 12,00, Meia R$ 6,00 Informações: (11) 2226-0400

Pastel da Madalena Nada havia de melhor naquela feira-livre, sempre às quintas, do que ao final da compra dirigir-se à banca do Pastel da Madalena. Sempre cheia, havia algum mistério relacionado com o tempero, um pouco mais de sal, algum sal especial. Não se sabia. Pouco se sabia a respeito das qualidades que a Madalena colocava em seu pastel. Nem mesmo os empregados tinham desvendado o segredo. Claro, havia os concorrentes da Madalena, naquela mesma feira, cujo pastel também era bom. O que vai hoje, patrão – com sorriso escancarado. Pode ser o de sempre – retornava. Vai demorar alguns minutos. Não importava. Esperar pelo pastel feito na hora, naquela panela imensa com muito óleo a borbulhar fazia parte do ritual. Nada de pastel pronto, que esfriava e perdia a consistência nos balcões dos bares. Estes tempos foram outros na cidade de São Paulo, na década de 70, na Praça da República e na Avenida São João. Eram as pastelarias mantidas pelos chineses. Chegou a se dizer que o pastel de feira era sempre mais gostoso. Muitos eram realmente bons, mas, com um detalhe, o da Madalena era de fato o melhor. Num concurso em que inúmeros pasteis foram provados pelos entendidos na culinária, os gourmets, sempre eram os preparados pela Madalena que ganhava. Quando a repórter perguntou sobre o segredo, ela devolveu: Uma pitada de amor. Lembra muito as histórias de encantamento das mulheres apaixonadas, que a fim de conquistar o coração de seus homens recorriam a sortilégios ao mexer bastões longos num caudaloso caldeirão de ferro. Toda forma de suprimentos mágicos eram colocados, ervas daninhas, trevos, perna de sapo e penas de corvo. Havia também a poderosa mandragora, que em tempos passados fora manuseada como filtro do amor pelas senhoras dos castelos da antiga Inglaterra. Provavelmente a Madalena nunca tenha ouvido falar destas crendices da Saxônia, nem lido lido Macbeth e situado na cena das bruxas envolta do caldeirão. Nada disso teria muita importância. De qualquer forma, o pastel vendido por ela tinha um fator provável de persuasão pelo paladar, que agradava as papilas gustativas, criando um instante de êxtase em que toda separação entre os sentidos do corpo e o universo tornava-se nula. Não se tratava de um produto artesanal de difícil manuseio, pelo menos era o que se pensava. Cada pasteleiro, conforme o tempo em que dedicava-se ao ramo, é fator para o aperfeiçoamento e no acerto na colocação dos ingredientes apropriados. No início só existia o pastel de carne e de queijo, depois inventaram o de palmito. Só isso? Em pouco tempo, a variedade aumentou, proporcionalmente ao preço. Criaram um pastel de carne seca, assim agradaria o público

nordestino. Muitos dos ajudantes destas barracas eram oriundos do nordeste. Não apenas os nordestinos, mas outros, os descendentes de italianos, espanhóis, portugueses, alemães, árabes, japoneses e judeus também aprovaram. É nesse universo em que se mistura o cheiro de pimenta do reino, pimenta vermelha, temperos vários, vendidos pelo homem dos aromas; a salsinha, a cebolinha, pelo homem das ervas aromáticas; fumo de corda, de vários sabores e teores, do homem do fumo; das frutas maduras da estação, das demais bancas, que podemos apreciar o pastel. O pastel de feira. Alguns levam o pastel para casa, outros, quem sabe a maioria, adora comer no próprio local. Também o pastel da Madalena deve ser consumido no local. Talvez seja a fome na hora próxima ao almoço, com o cheiro do pastel aguçando o apetite. Lá está o pastel da Madalena. O melhor de todas as feiras da capital, assim atestaram os entendidos. Os desentendidos também resolveram aderir a esta degustação, que igualmente gostam de pastel. Não apenas os fregueses compram e comem lá mesmo o pastel, sempre abordam a própria autora deste sucesso. - Madalena, como você torna o pastel tão gostoso assim. Existe alguma coisa, conte-nos, que guardaremos segredo – provocou a filha da costureira. Era sempre a mesma pergunta, que ela aproveitava para se promover. Pouco mais de cinqüenta anos, alguns amores vividos, desde cedo no ramo do pastel, o segredo era apenas um detalhe que não poderia ser ensinado. Sem explicações para dar, Madalena aumentava ainda mais a suspeita de que haveria uma fórmula para melhorar o sabor. O segredo está nas mãos – disse ela. A própria preparava a massa, amassando-a nas mãos ainda de madrugada, quando o céu da vila em que morava, na zona norte, aparecia estrelado e a lua de outono, imensa, derramava seu mel por toda a cidade. Ela recolhia um pouco das estrelas, um pouco do mel e amassava a massa do pastel. Naquele momento, ela colocava o universo inteiro na massa e com as mãos amassava, mesclando a massa e os ingredientes que o mundo oferecia. Colocava uma pitada de amor, uma de esperança, uma de amizade, uma de enriquecimento espiritual, a sabedoria dos seres iluminados, dos pretos velhos, dos anjos guardiões, enquanto do fundo do coração uma canção era cantada com alegria. Mas nunca ela revelou que fosse esta a fórmula mágica. Se falasse, ninguém acreditaria. Ficou quieta ou dizia alguma outra coisa, qualquer coisa, que pudesse agradar. Diga-me qual é o segredo, Madalena? Um pouco da saliva de minha boca – disse, só para confundir. Era isso, era o que todos queriam ouvir.

chicohanda@yahoo.com.br


JORNAL NIPPAK

8

São Paulo, 16 a 22 de agosto de 2012

espetáculo

12ª edição de Melodias Imortais acontece neste domingo no Grande Auditório do Bunkyo

O

s jornais Nikkey Shimbun e Nippak realizam neste domingo (dia 19), a partir das 10h, no Grande Auditório do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), a 12ª edição do show Melodias Imortais - Canções que tocam na alma japonesa (Niponjin no Kokoro no Uta). Durante o evento, pro­ movido também pela Comissão Organizadora do show – formada por Midori Miti, Amélia Anzai, Massao Hara, Mizue Yamaguti e Lucia Ikawa –, 56 cantores renomados e campeões em competições de karaokê, interpretarão as mais diversas canções da era Shôwa, com o acompanhamento da Orquestra The Friends. As canções foram escolhidas pelos leitores do Nikkey Shimbun em uma enquete realizada entre março e junho deste ano. Este ano, um dos destaques será a apresentação da jovem revelação Messli Kuniyoshi, de apenas 9 anos de idade, que interpretará “Seto no Hanayome”, a mesma que a tornou nacionalmente conhecida no cenário musical ao participar do Programa Raul Gil (SBT). Melissa, que esteve recentemente no Japão onde desfilou seu talento, será a 38ª a se apresentar. “Ela já ensaiou bastante com a gente e está muito animada”, conta Lucia Ikawa, que apresentará o evento ao lado de Koji Michi. Além dela, o show contará com a presença de Takeshi Nishimura, com Kozure Ookami; Satiko Ono, com Kaerantya Yoka; Edson Mitida, com Ware Mo Ko; Mitsue Kina, com Kojo No Tsuki; Izabel Tsuruhama, com Kague O Shitaite; Edna Nishiya, com Shina No Yoru; Muneyoshi Hada, com Dareka Kokyo O Omowazaru; além de Kunihiro Tanahara Kunihiro, que conquistou o Grand Prix do

arquivo

Midori Miti, Lucia Ikawa e Amélia Anzai, da Comissão Organizadora

Show Niponjin No Kokoro No Uta (Por Ordem de Apresentação) Cantores começam a ensaiar em abril para que nada saia errado na hora do espetáculo

recadação é doada a uma entidade assistencial. Este ano, os recursos serão destinados às vítimas do terremoto e do tsunami de 11 de março do ano passado através da Associação Miyagui Kenjinkai do Brasil. Os ingressos estão à venda no Nikkey Shimbun e Jornal Nippak, na Secretaria do Bunkyo e na Livraria Sol. (Aldo Shiguti)

Espetáculo costuma lotar o Grande Auditório do Bunkyo

18º Concurso de Karaokê do Estado de São Paulo, o Paulistão, realizado na cidade de Suzano.Ele interpretará Sado No Koiuta. Durante o intervalo, haverá apresentações de danças folclóricas com Ikemoto Terutiyo-kai, Ueda Engueki Buyo Dan, e de taikô com Japanese Dance Company, além de uma participação especial dos alunos da professora Hiroka Sato, irmã dos atores do Grupo Hibiki Family. Ensaios – Os organizadores esperam receber um pú-

A apresentadora Lucia Ikawa

blico estimado entre 1200 e 1500 pessoas. Trata-se de um evento bastante aguardado não só pelo público como também pelos cantores, que começaram a ensaiar em abril para que o público possa ter cinco horas de pura emoção. Nesses 12 anos de apresentações ininterruptas, A Comissão Organizadora vem preservando a cultura japonesa através da música fazendo com que os oditians e obatians se lembrem de sua terra natal. Lucia Ikawa explica que, como o show tem caráter beneficente, todo ano parte da ar-

Melodias Imortais – Canções que tocam na alma japonesa (Nihonjin no Kokoro no Uta) Quando: 19 de agosto Horário: 10h, no Grande Au­ ditório do Bunkyo (Rua São Joaquim, 381 - Liberdade - São Paulo – SP) Convites: R$ 25,00 Informações: (11) 3208-3977 Pontos de venda dos ingressos: Secretaria do Bunkyo: Rua São Joaquim, 381 – Liberdade. Telefone: 11/3208-1755 Livraria Sol – Praça da Liber­ dade, 153 – Liberdade - Tel.: (11) 3208-6588 Jornal Nikkey Shimbun – Rua da Glória, 332 – Liberdade Tel.: (11) 3208-3977

Apresentadores Koji Michi e Lucia Etsuko Ikawa

Cantor Música 01 Kina Mitsue Kojo No Tsuki 02 Kuniyoshi Shinyu Senyu 03 Narimatsu Marcia Furusato 04 Horimi Norio Sendo Kouta 05 Sakamoto Mario Kimi Koishi 06 Tsuruhama Izabel Kague O Shitaite 07 Ikawa Akira Akagui No Komoriuta 08 Nagayama Lina Tokyo Rhapsody 09 Maesaka Bruno Jinsei No Namikimiti 10 Nishiya Edna Shina No Yoru 11 Hada Muneyoshi Dareka Kokyo O Omowazaru 12 Kamata Emiko Kohan No Yado 13 Kanegawa Kaori Ringo No Uta 14 Anzai Amelia Hoshi No Nagare Ni 15 Kinjo Mutsunori Ikoku No Oka 16 Tashima Alves Francisco Yunomati Ereji 17 Hirai Hiromi Ah Montenrupa No Yowa Fukete 18 Kurimoto Noriko Kimi No Nawa 19 Kawai Kazuko Gampeki No Haha 20 Hino Lucy Koko Ni Sati Ari 21 Watanabe Vivian Kaasan No Uta 22 Nishikawa Douglas Muhoumatsu No Isho 23 Uehara Tieko Nangokutosa O Ato Ni Shite 24 Miyamoto Carlos Kojo 25 Takahira Kazue Akashiya No Ame Ga Yamutoki 26 Yamaguti Mizue Dareyori Mo Kimi O Aisu 27 Takahashi Yumi Kitagami Yakyoku 28 Taira Karen Ueo Muite Arukou 29 Fujino Emi Shima No Blues 30 Osawa Yuka Ankotsubaki Wa Koi No Hana 31 Kitagawa Kazuyoshi Kaerokana 32 Ikeda Felipe Hoshikague No Walts 33 Okamoto Akemi 365ho No Maati 34 Kakinoki Yukie Isezakityo Blues 35 Takeda Seiti Minatomati Blues 36 Tanaka Mario Nagasaki Wa Kyomo Amedatta 37 Nishimura Takeshi Kozure Ookami 38 Kuniyoshi Melissa Seto No Hanayome 39 Takahata Shoji Furusato 40 Seguchi Ricardo Kitaguni No Haru 41 Tanigawa Sergio Aobajo Koi Uta 42 Mizutani Pedro Mitinoku Hitori Tabi 43 Nishimura Mari Kaette Koi Yo 44 Myai Yasuo Missoshiru No Uta 45 Shimada Débora Kanashimi Honsen Nihonkai 46 Nakazawa Koiti Bokyo Sakaba 47 Sassaki Sandra Naniwabushidayo Jinsei Wa 48 Amano Misako Yuki Tsubaki 49 Ohashi Sayuri Sennen No Koto 50 Tanahara Kunihiro Sado No Koiuta 51 Kato Taro Oirase 52 Miyamoto Sayuri Musume Ni 53 Kanashiro Kiyomi Urizun No Koro 54 Ono Satiko Kaerantya Yoka 55 Mitida Edson Ware Mo Ko 56 Hara Elaine Ayako No Okuni Jimandayo Gambarona Tohoku

EXPOSIÇÃO

‘A Sedução de Marilyn Monroe’ reúne obras de artistas nikkeis “A Sedução de Marilyn Monroe” é o título da exposição que o Museu Afro Brasil apresenta até novembro no Parque Ibirapuera, em São Paulo. Artistas contemporâneos, inspirados na sedução da estrela, recriam sua imagem. “A exposição da Marilyn não é para celebrar a morte, mas celebrar uma artista que, com sua beleza, sua pureza, seu ar de quase adolescente e de mulher vivida, de dores, realmente encanta. A gente quer transportar esse encantamento”, afirma o diretor-curador do museu, Emanoel Araújo. A exposição conta com fotografias históricas de Marilyn (inclusive as clicadas por Bert Stern), cartazes, objetos que marcam sua presença no imaginário popular, serigrafias de Andy Warhol (1928-1987) e obras inéditas dos artistas

divulgação

Obra de Futoshi Yoshizawa no Museu Afro Brasil

plásticos Antônio Miranda, Caíto, CesarePérgola, Claudio Tozzi, Fernando Ribeiro, Futoshi Yoshizawa, Glaucia Amaral, Helena Sardenberg, José de Guimarães, Leonardo Kossoy, NelsonLeirner,

Newton Mesquita e Roberto Okinaka, além de um trabalho do artista pernambucano Maurício Nogueira Lima (1930-1999). Um dos destaques é o vestido-instalação “Entre o

amor e o pânico”, da artista espanhola Maribel Domènech (com a gravação de “Happy Birthday, Mr. President”, cantada por Marilyn para John F. Kennedy, em 1962). Paralelamente, acontece a mostra “Hollywoodiana - Gráfica cinematográfica”, com cartazes de cinema. “Ela é um produto. Como disse a Marlene Dietrich, ela gostava de sersex symbol. Isto tinha um lado infantil e, ao mesmo tempo, de mulher. É isso que faz com que o mito de Marilyn permaneça. Não é a grande atriz, mas é exatamente a mulher que, com sua beleza e sua vontade de ser sexy, virou a grande sedutora do século XX”, acrescenta Araújo. Em Hollywood, Marilyn se firmou no “star system” com os filmes “Como agarrar um milionário” (1953), de

Jean Negulesco, “Os homens preferem as loiras” (1953), de Howard Hawks, “O pecado mora ao lado” (1955), de Billy Wilder, “Quanto mais quente melhor” (1959), outro de Wilder - o qual arrancou a interpretação frequentemente considerada como a melhor da atriz no cinema -, “Adorável pecadora” (1960), de George Cukor, “Os desajustados”

(1961), de John Huston, além de outras obras em que representou papéis menores. “A Sedução de Marilyn Monroe” Museu Afro Brasil Av. Pedro Álvares Cabral, s/n Parque Ibirapuera - Portão 10 São Paulo / SP - Brasil 04094 050 Fone: 11/3320 8900


S達o Paulo, 16 a 22 de agosto de 2012

JORNAL NIPPAK

9


JORNAL NIPPAK

10

São Paulo, 16 a 22 de agosto de 2012

Pesca de Praia

Esta modalidade é muito praticada num país com tantos quilômetros de praia à disposição. Mas como qualquer outra, tem também equipamento específico para melhores resultados. CURTAS

Mauro novalo

Conheça o Bait Brasil, um fórum que tem como objetivo difundir a pesca esportiva O Baitbrasil é um fórum de pescadores na internet, voltado principalmente para a prática da pesca com iscas artificiais e, divulgação dessa prática esportiva que cresce no Brasil, além da troca de informações e novas técnicas. Tem seção para a pesca em represas, rios e mares, pesque e pagues, para comprar e vender equipamentos de pesca, relatos das aventuras e uma área destinada para bate papo informal – onde “jogar conversa fora” é o principal objetivo. O Fórum conta com parcerias para viabilizar pescarias na Amazônia, Serra da Mesa e organizar pacotes para quem quer pescar grandes peixes de água salgada, partindo da Baixada Santista. Visite www.baitbrasil.com.br

Caiaque Barracuda Para quem está se aventurando nos esportes náuticos e aprecia o contato direto com a natureza. Especificações: caixa estanque com tampa, 2 suportes de varas, suporte de remo, porta copo, porta objetos com tampa estanque, passadores de nylon, alças de transporte, fitas de bagageiro, válvula de escoamento tipo tampão, remo duplo e encosto reclinável de encaixe rápido. Comprimento: 3,40 m Largura: 0,75 m Peso: 24 kg Capacidade: 145 kg Informações e contato: www.caiaquelontras.com.br

Manutenção de carretilhas, molinetes e montagem de varas Rod maker, com ferramentaria própria para montar, customizar ou proceder a manutenção das suas varas, também especializado na limpeza e reparos de carretilhas e molinetes, o Massaru atende no celular (11)5338 1475 e, atende principalmente na grande São Paulo.

Inicialmente, a linha a ser usada no rabicho deverá ser ligeiramente mais resistente que a linha mestre com aproximadamente 80 cm de comprimento. Faça uso de linhas transparentes (nunca coloridas) e de preferência as de fluoro­ carbono. Na ponta deverá ser presa a chumbada, através de um snap ou prendedor, na forma de uma pirâmide ou o que julgar conveniente. Podem ser de 2 ou 3 pernadas (linha que une o terminal ao anzol), conforme a vontade do pescador e, o comprimento destas podem sofrer variações conforme o fundo ou por exemplo se quiser simular que a isca esteja viva, uma linha fina bem mais comprida que o líder fornecerá movimentos para esse blefe.

C

ontinuando a falar sobre tralha vamos apresentar sugestão do que usar nestas pescarias e, para servir como referência na hora de montar a sua tralha. As varas para esta modalidade podem ser telescópicas ou em segmentos. No caso das longas varas para molinetes, em alguns modelos o passador próximo ao cabo acompanha o diâmetro do carretel do molinete e é dobrável para evitar quebras e facilitar na hora do transporte. Opção 1 Vara com faixa de 2,75 m e capacidade de arremesso para até 80 gramas -ponta fina ou de agulha; Vara deve ser leve porque o pescador irá ficar com ela na mão, para sentir a batida do peixe. Como estará pescando na espuma, isto é, a curta distância, os peixes são menores e rápidos na mordida. Carretilha ou molinete médio para pequeno; Como não precisa de muita linha, pois irá efetuar lançamentos curtos - no máximo 60 metros – um molinete / carretilha pequeno basta. Quanto menor, mais leve linha 0,18 mm; Como a finalidade é à pro­ cura dos peixes de menor porte que ficam na espuma das ondas, linha fina para alta sensibilidade e menos ação dos ventos e ondas líder até 0,35 mm.

competidores de torneios de pesca, onde peças capturadas se traduzem em pontos Opção 2

Necessidade do líder para o caso de um peixe de maior porte bater na isca; Líder com 3 vezes do comprimento da vara, para o pescador poder duelar com o peixe com segurança e, aguentar na hora do lançamento o peso do chumbo + iscas

Vara com faixa de 3,30 metros a 3,90 metros e capacidade de arremesso de chumbadas com até 130 gramas; Aqui o peixe visado é o que está a mais de 60m da praia, e para efetuar os lançamentos longos é necessária uma vara com maior potência. A escolha recai sobre varas longas que possam arremessar chumbadas mais pesadas - chumbada pesada é igual maior distância alcançada. Destaca-se também que vara longa propicia a linha ficar bem mais alta que as ondas, melhorando assim a sensibilidade no caso de batida do peixe.

Anzóis pequenos modelos Akita Kitsune - 6 ou 7 e Maruseigo - 6 a 8; Como o objetivo é o peixe de menor porte com boca menor, um anzol afiado e peque­ no é o recomendado;

O modelo de vara é denominado surf cast -: com comprimento que supera 3,90m, tendo como referência principal sua capacidade de arremesso ou casting weight aplicada em gramas

Akita Kitsune Combinam tamanho menor, resistência e são afiadís­ simos. Indicados para pescarias de praia direcionado para espumas das ondas ou de costões, onde se vai atrás dos peixes como pequenos pampos, marimbás, porquinhos, betara, etc. Utilizado normalmente com pedaços de camarão e pequenos moluscos, suas fisgas permitem a fis­ gada no simples contato com a boca do peixe. Muito requisitado pelos competidores em torneios de pesca.

Carretilha ou molinete médio para grande; Para alcançar distâncias maiores, precisará também de mais linha e assim a necessidade de aumentar o tamanho do molinete / carretilha.

- De pata (sem olho) Utilizado na pesca de praia e para a captura de peixes pequenos de água doce. São denominados chapinha ou pata e são identificados pela ausência da argola. Afia­ díssimos, e se corretamente atados ficam em pé, melho­ rando a apresentação da isca e aumentando a eficiência da fisgada. O nó desenvolvido para uso nestes foi adaptado para anzóis com olho, justamente para ficarem nesta po­ sição. Recomendado o uso para peixes como: lambaris, acarás, tilápias, piaparas e outros manhosos. Maiores são utilizados na captura de peixes de grande porte em pescarias de água salgada (pampos, betaras, pargos, sargos, garoupas) e os pequenos pelos

Linha base de espessura em torno de 0,20 mm; A linha para lances longos não pode ser muito grossa, então se aumenta somente um pouco o diâmetro para conseguir que a mesma saia com velocidade sem atrito com o ar. Na praia, a possibilidade de enrosco é zero assim não se tem a necessidade de utilizar linhas grossas. Líder até 0,55 mm; O líder é para proteger contra os peixes de maior porte que porventura entrem na pescaria e, também na hora do lançamento suportar o peso da chumbada + iscas. E na luta final tem­se uma linha suficientemente forte para agüentar o duelo. Anzóis médios modelo Maruseigo tamanhos entre 10 a 16; Aumenta-se o tamanho do anzol, para poder oferecer uma isca maior, mas com a ponta afiada. O modelo em questão apresenta uma robustez combinando com ponta altamente afiada, além de um

desenho especial que proporciona uma fisgada certeira. CHUMBADAS (para as duas opções) Para locais em que existam muitas pedras, utilizam-se pesos arredondados como: gota, pingo, bola, etc. Para locais sem enrosco como praias, utiliza-se chumbadas com linhas retas e que permitam neutralizar parcialmente a ação da água, neste caso o formato mais indicado é a pirâmide, triângulo, aranha e seus derivados. Normalmente na pesca de praia o mais utilizado é o modelo pirâmide, que agarra no fundo de areia devido ao seu formato, proporcionando boa ancoragem quando a maré está forte. Carambola é o mais aerodinâmico, proporcionando arremessos longos devido a sua capacidade de cortar o ar. Gota mais utilizada quando se tem fundo de pedra. Este modelo quando tracionado tem como tendência subir à superfície, não dando chance de acontecer o enrosco. Medalha – tem um furo no meio e ação igual ao de gota. Oliva – é a chumbada mais comum, com furo que vai de ponta a ponta, sendo colocado antes do anzol deixando a linha solta, proporcionando maior sensibilidade na mordida do peixe. Normalmente utilizada para isca viva. Já se tem modelos com ganchos que ficam fechados no lançamento. Depois do contato na areia é dar um puxão para a estes ganchos se armarem e enroscarem no fundo arenoso, travando a chumbada. RABICHO OU CHICOTE O chicote ou rabicho é constituído de um conjunto de terminais, que levará: os anzóis e chumbada unidas ao arranque por um girador. Estes terminais ficam na distância determinadas através de nós de correr, e entre eles coloca-se uma miçanga para evitar cortes.

Iscas As melhores iscas são as capturadas no local da pescaria. Se a praia tiver corruptos (pequenos crustáceos que se enterram na areia), então é munido de uma bomba especialmente desenhada para elas, sair a caça. Outras iscas: minhoca de praia, moluscos e sem esquecer das lulas e camarões em pedaços. Para os grandes peixes: pedaços de pequenos peixes ou sardinhas inteiras. O momento de pegar a isca é na maré está baixa, quando observamos os buraquinhos na areia que a água do mar depois vai cobrir. Maré enchendo é a hora de começar a pescar. Para não perder a isca na hora do arremesso é aconselhável o uso do elastricot ou um pedaço de linha bem fina. Se a praia não é tombo, isto é, afunda lentamente o ideal é identificar os canais (es­ tão paralelos a praia) e, para perceber no visual, acompanhe uma formação de onda e onde esta morrer é onde está localizado um canal e onde boa parte dos peixes ficam. Então lance após onde viu um canal e, vá recolhendo até sentir na linha uma pressão maior, indicando correnteza mais forte, coloque a vara no apoiador, trave o equipamento e recolha o suficiente para deixar a linha esticada. Agora é só aguardar a batida do peixe. Proteção sempre é fundamental então leve também protetor solar, bonés ou chapéus, óculos escuros e os apoios de varas para facilitar sua vida na hora da reposição da isca e, para a pesca de espera. Ótimas pescarias! Apoio: MTK Fishing Adventure Outdoor www.mtkbrasil.com.br Bem Bolado www.bemboladome.com.br Produtos Petersen http://pescabrasil.net/boias.html TenkaraBR www.rodsbyjorge.com.br Moro e Deconto www.iscasartificiais.com.br Piscicultura Chang www.pisciculturachang.com.br NIPPAK PESCA

Roberto Shirata Texto: mauro Yoshiaki Novalo Revisão: Aldo Shiguti Publicidade shirata@nippak.com.br Tel. (11) 3208-3977


São Paulo, 16 a 22 de agosto de 2012

JORNAL NIPPAK

11

tênis de mesa 1

TÊNIS DE MESA 2

Liga e Itaquera Nikkey Clube realizam etapa histórica

Hugo Hoyama é sondado para ser técnico da equipe feminina

Q

Avó – Segundo ele, além de competitividade, outro motivo que o faz continuar jo-

Gaspar Nóbrega

Sesc Itaquera contou com uma megaestrutura: etapa histórica

Hugo Hoyama quer continuar proporcionando alegria para sua avó, Kanako Yoshimoto

gando é sua família. “Sempre me emociono ao ver o sorriso estampado no rosto de minha avó, dona Kanako Yoshimoto, de 89 anos. Enquanto puder proporcionar exata alegria para ela e meus familiares, continuarei jogando”, conta Hoyama, que contabiliza 10 medalhas de ouro em sete

edições de Jogos Pan-Americanos – é superado apenas pelo nadador Thiago Pereira, com 12 títulos. Londres – A atuação contra o chinês naturalizado polonês Wang Zengyi na estreia do Torneio Individual dos Jogos Olímpicos de

COB-Divulgação.tif

uem ficou surpreso depois dos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008, quando Hugo Hoyama anunciou sua aposentadoria, mas recuou e disputou as Olimpíadas de Londres, que o aguarde em 2016. Apesar de garantir que ainda não decidiu se continuará jo­ gando ou se vai pendurar a raquete em 2013, o mesa-tenista brinca com assunto. “Se em 2016 o Rio de Janeiro sediará os Jogos Olímpicos, em 2020 Tóquio, que é minha segunda casa, está na disputa com Madri e Istambul”, diz Hoyama, que retornou no último dia 10 de Londres. “E se 2016 está logo aí, para 2020 são mais quatros anos”, comenta o atleta, afirmando que “motivação não falta”. Mais sério, o atleta conta que, por enquanto, seu principal objetivo é continuar treinando e defendendo o Palmeiras/São Bernardo do Campo. “No ano que vem devo decidir se vou continuar representando a Seleção Brasileira ou se vou tentar mais um ciclo olímpico”, disse Hoyama, afirmando que não se sente incomodado quando questionam sobre sua aposentadoria. “É normal. Já me perguntavam quando tinha 35 anos, agora, com 43 então...”, diz o atleta, afirmando que “tenho os pés no chão”. “Vou continuar jogando enquanto tiver motivação e jogando em alto nível, isto é, quero conquistar minha vaga na mesa e não ser convidado. Sei que, hoje, tenho capacidade para isso”, destaca o mesa-tenista, que disputou sua sexta Olimpíada, igualando o número de participações do iatista Torben Grael e do cavaleiro Rodrigo Pessoa.

Hugo Hoyama decidirá se continuará mais um ciclo olímpico

BEISEBOL

Med-USP e São Paulo brigam pelo título do Paulista/2012 Neste domingo, dia 19, o Estádio Municipal de Beisebol Mie Nishi, no Bom Retiro, será sede da etapa final do 10º Campeonato Paulista de Beisebol Adulto. As equipes do São Paulo e Med-USP decidem o título da competição em jogo marcado para começar às 13h. Na partida preliminar, com início às 9h, Anhanguera e Atibaia, disputam o terceiro lugar. Após as partidas será realizada a cerimonia de encerramento com premiação para os classificados e melhores atletas da competição. Para chegar a final, o São Paulo venceu o Anhanguera por 5 a 4, dia 12, e no mesmo dia, Med-USP se qualificou vencendo o Atibaia, também pelo placar de 5 a 4. O time de beisebol universitário da Medicina da Universidade São Paulo, Med-USP, disputa uma final pela primeira vez. A fase de classificação

divulgação

flavio torres/fotomidia

Londres, quando perdeu por “doloridos” 4 a 3 – teve dois match points para fechar o jogo – também o fez pensar se deve ou não parar. “Joguei bem, perdi por detalhes. Para mim, aquela semana de preparação na França serviu para melhorar o ritmo, mas ainda faltou treinar um pouco mais com adversários do mesmo nível ou até mais forte que ele [Wang Zengyi]”, lamenta Hoyama, lembrando que, se passasse pelo polonês, enfrentaria outro chinês, mas naturalizado espanhol, He Zhi Wen. “Joguei uma vez contra ele, no Circuito Mundial Amazônico, realizado em Manaus, em setembro do ano passado, e ganhei. É difícil falar, mas dava para chegar entre os 48 melhores”, disse Hoyama, acrescentando que, em relação ao Torneio Por Equipes, “sabíamos que o jogo contra Hong Kong não seria fácil [a equipe brasileira, que contou ainda com Thiago Monteiro e Gustavo Tsuboi, foi eliminada na primeira rodada por 3 a 0]. “Olimpíada é Olimpíada. Se você está bem preparado, os adversários também estão”, destaca Hoyama, que foi sondado para ser técnico da Seleção Brasileira Feminina. “Realmente existiu essa conversa, mas por enquanto não existe nada de concreto, apenas sondagem. Conversei com meu técnico Jean René e acho que minha experiência pode ser útil. Existe sim, uma boa chance de, no ano que vem, dividir meu tempo entre jogador e a funão de técnico. Até porque gosto de treinar as meninas. Seria muito legal sim”, observou Hoyama com exclusividade ao Jornal Nippak. (Aldo Shiguti)

O tênis de mesa brasileiro viveu um momento histórico com a realização da 7ª etapa da Liga Nipo-Brasileira de Tênis de Mesa, realizada no Sesc Itaquera. Com uma megaestrutura de 60 mesas, todas de qualidade profissional, o Itaquera Nikkey Clube, anfitrião do evento, tornou este Torneio o maior de todos os realizados na América Latina, ficando atrás apenas de campeonatos mundiais envolvendo inúmeros países. A Liga-Nipo-Brasileira parabeniza toda a equipe do Itaquera Nikkey Clube: Presidente do Itaquera Nikkei Clube: Decio Suzuki Patrono do tenis de mesa de Itaquera: Masaru Morita Coordenador da Etapa: Ro­ naldo Massaki Morita Diretor de Departamento de Tenis de Mesa: Cesar Masaki Yamamoto Representando o Sr Paulo Cesar Maximo - Subprefeito de Itaquera: Americo Kikuta Vereador: Gilson Barreto Técnicos: Reinaldo Hideo Yamamoto e Francisco Arado Pedro de Toni/ Erika Dutra / Paulo Antunes e Jadiel Ferreira do Sesc Itaquera Confira os resultados finais Pré-Pré-Mirim Feminino: 1) Fabiana Yuka Shintate (Aceas Suzano), 2) Bruna Kimi Oyafusom (Casa Verde); Pré-Mirim Feminino: 1) Amy Sekimoto (Itaquera), 2) Leticia Silva (Itaquera); Mirim Feminino: 1) Jacque­ line Nagano (Itaquera), 2) Gabriela Barros (Bunka Sto André); Infantil Feminino: 1) Rafaella Hirayama (Itaquera), 2) Nathália Rodrigues (Uceg); Geral Feminino: 1) Natalia Torino (Itaquera), 2) Carolina Keiko Peixoto Iraha (Casa Verde); Pré-Ladies: 1) Olga Uehara (Casa Verde), 2) Joana dos Santos (Itaquera); Ladies: 1) Taeko Ogaki (Acebon), 2) Akemi Maeda (Represa); Pré-Pré-Mirim Masculino: 1) Henrique Kenji K. Noguti (Vale Ribeira / Arteme), 2) Guilherme Iraha (Casa Verde); Pré-Mi-

rim Masculino: 1) Rodrigo Araujo Severian Carvalho (ACEI-T3), 2) Naoki Okamoto (AJAB); Mirim Masculino “A”: 1) Marcos Inohue (Itaim Keiko), 2) Gabriel Grossi (Itaim Keiko); Mirim Masculino “B”: 1) Samuel Taniwaki (Itaim Keiko), 2) Gabriel Pinheiro C. da Silva (ACEI-T3); Infantil Maculino “A”: 1) Vinicius Portela (Ateme), 2) Felipe Delpieri (Itaquera); Infantil Masculino “B”: 1) Renan Gabriel de Oliveira (Poá), 2) Gustavo Oliveira (Uceg); Juvenil Masculino “A”: 1) Daniel Hoshi (Itaim Keiko), 2) Vitor Aoki (ACEI-T3); Juvenil Masculino “B”: 1) Renan Vittor M. G. de Araújo (Poá), 2) Willian Fukase (Cooper); Juventude: 1) Alfredo Neto (Ateme), 2) Leon Vinicius Oliveira (Saldanha da Gama); Adulto Masculino “A”: 1) Luiz Lisboa (Bunka Sto André), 2) Diogo Francisco N. Araújo (Nissei-Itupeva); Adulto Masculino “B”: 1) Diego Coca Bastos (Vale Ribeira / Arteme), 2) Henrique Kimura (Nissei-Itu­ peva); Pré-Senior “A”: 1) Rafael Voos (Itaim Keiko), 2) Fabian Noda (Nippon); Pré-Sênior “B”: 1) Claudio Tibana (Itaim Keiko), 2) Denis Itihara (Kenzen Vila Ré); Senhores “A”: 1) Celso Edamatsu (AJAB), 2) Milton Massayoshi Kaneko Vale Ribeira / Arteme); Senhores “B”: 1) Edson Pinto Mesquita (Piracaia), 2) Joao Gomes (Jandira); Veteranos “A”: 1) Renato Domenech (Acrepa), 2) Valmir Kazuhiro Kachiwazaki (Casa Verde); Veteranos “B”: 1) Oscar Yuji Otta (Sejel), 2) Gerson Takara (Cooper); Super Veteranos “A”: 1) Kenichi Hamada (Acebon), 2) Mauro Uwagoya (Kenzen Vila Ré); Super Veteranos “B”: 1) Yoshiro Katayama (Piracaia), 2) Claro Seirio Fussuma (Acebon); Elite: 1) Mauro Massaharu Thaira (Casa Verde), 2) Mario Higuchi (Represa); Troféu Eficiência – Medicinas USP: Troféu Eficiência – 1) Itaquera (2453), 2) Casa Verde (2277), 3) Itaim Keiko (1265)

COLUNA AKIRA SAITO

A sorte de cada um

Competição chega a sua reta final neste fim de semana

teve início no dia 6 de maio com 12 equipes divididas em dois grupos, no A: Nippon-Blue Jays A, UniSant’Anna, Uceg de Guarulhos, Anhanguera, Shida e São Paulo; e no B: Nippon-Blue Jays B, Ibiúna, Atibaia, Med-USP, Gecebs e Coopercotia. As quartas-de-final foram disputadas dia 5, no Anhanguera Nik-

kei Clube, em Santana do Parnaíba. Segundo o presidente da Federação Paulista de Beisebol e Softbol, Olívio Sawasato, “o time da Med-USP surpreendeu os adversários e chegou pela primeira vez na final do Paulista Adulto”. “Este fato terá grande repercussão no beisebol”, afirmou o dirigente.

“A sorte está dentro de cada um de nós, depende da forma que cada um a vê.....” Recentemente em uma entrevista, um grande empresário da colônia japonesa foi indagado sobre a que se devia o seu grande sucesso e ele imediatamente respondeu: “Sorte” – Como assim sorte? Devem ter pensado todos que participavam daquela coletiva, pois ele poderia ter enaltecido suas qualidades de esforço, de perseverança, de fatores conhecidos como sendo obrigatórios a qualquer um que deseje ter sucesso. Mas ele limitou-se a apenas explicar que era a sorte o fator determinante, pois nas palavras dele, “foi muita sorte ter nascido e vivido bem no Japão, depois ter tido sorte de me mudar para o Brasil e vivido bem e ter sorte de até hoje viver bem”.

Realmente às vezes esquecemo-nos de agradecer a sorte ou a benção, que nos acontece diariamente e talvez por ser um ato considerado comum, deixamos passar despercebidamente. Ter sorte não significa que as coisas acontecem sozinhas, mas é preciso tê-la para conseguirmos concretizar algo. Acordar de manhã, poder realizar suas funções e ver a oportunidade de mudar o hoje, já é vamos dizer assim, muita sorte. Vamos mudar a forma de pensamento, pensar de forma mais positiva, ao invés de ficar achando que a sorte é apenas para os “outros”, vamos acreditar que todos nós

temos muita sorte. O pensamento neste caso tem muito poder e se ficarmos pensando que não temos sorte ou que temos azar, esta energia negativa inevitavelmente se concretizará. Vamos todos mentalizar muita sorte, seja pela saúde, dinheiro, pela paz e harmonia, sucesso pessoal e profissional, o que desejar e também porque não, desejar a todas as outras pessoas que encontrarmos no nosso dia a dia, Muito Boa Sorte! Para quem sabe assim o mundo se transforme em um lugar melhor!!!!! GANBARIMASHOU!!!!!

*Akira Saito, professor e praticante de Budo há 32 anos, morou no Japão de maio de 1990 a setembro de 1996, onde treinou karate sob a tutela do Hanshi Konomoto Takashi – 9º dan, graduando-se até o 3º Dan e tornando-se instrutor da matriz na cidade de Sagara-cho e das filiais das cidades de Hamamatsu-shi e Hamakita-cho até o retorno ao Brasil. Atualmente tem a graduação de 5 Dan e recebeu o título de Renshi-Shihan da matriz no Japão. E-mail: akira.karate@gmail.com


12

JORNAL NIPPAK

S達o Paulo, 16 a 22 de agosto de 2012

JORNAL NIPPAK 16/08 a 22/08/2012  

JORNAL NIPPAK

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you