Issuu on Google+

ANO 15 – Nº 2372 – SÃO PAULO, 01 A 07 DE JUNHO DE 2012 – R$ 2,50 www.nippak.com.br

acenbo

3º Japan Matsuri acontece neste fim de semana com foco na cultura A Acenbo (Associação sidente da Acenbo, SussuCultural e Esportiva Nipo- mu Araki, o principal obje-Brasileira de Osasco) rea- tivo do festival é preservar liza neste fim de semana (2 e divulgar a cultura japonee 3 de junho), em sua sede sa entre as novas gerações esportiva, a terceira edição e também entre os não desdo Japan Matsuri – Fes- cendentes. “Acredito que tival da Cultura Japonesa estamos cumprindo nosso de Osasco. Considerado o papel. Tanto que 70% do maior evento da comuni- público que comparece ao dade nikkei da região Oeste Japan Matsuri é formado de São Paulo, o festival por não nikkeis”, explica integra a programação do Araki, acrescentando que a cinquentenário da cidade preocupação dos organizade Osasco e espera receber dores é oferecer ao público um público estimado em um leque variado de atra20 mil pessoas. Para o pre- ções. ——————————––———————————|  Pág. 05

arquivo pessoal

Chateada, Jessica Yamada ainda sonha com Londres tender” os critérios. “Na verdade, não parei para pensar se a convocação da Gui Lin foi justa ou injusta. Só não entendi a decisão da Confederação porque quem participou de todo o ciclo olímpico, quem parEm entrevista ao Jornal ticipou do Pan e dos MunNippak, Jéssica Yamada, diais enquanto ela estava de 22 anos, disse “não en- lesionada fui eu” ——————————––———————————|  Pág. 06 A polêmica decisão da Comissão Técnica da Seleção Brasileira de Tênis de Mesa de levar a chinesa naturalizada brasileira, Gui Lin para os Jogos Olímpicos de Londres deixou Jéssica Yamada – que também estava no páreo – bastante chateada.

OKINAWA – A comuni- da Associação Okinawa estiveram presentes repre- o convite foi nominal e dade okinawana que reside Kenjin do Brasil (AOKB), sentantes das comunidades intransferível”, disse Yonano Brasil esteve represen- Shinji Yonamine. A ceri- okinawanas da Argentina, mine, que antes de desemtada nas comemorações mônia oficial foi realizada Bolívia, Canadá, Filipinas, barcar na ilha passou antes dos 40 anos da devolução no dia 15 de junho, no Havai, Los Angeles, Mé- por Paris, onde manteve da ilha de Okinawa para o Centro de Convenções de xico e Peru. “Foi um en- contato com membros da Japão através do presidente Okinawa. Além do Brasil, contro formal. Tanto que comunidade de lá. ——————————––————–——————————––—————————————––—————————| Pág. 03


JORNAL NIPPAK

2

AGENDA CULTURAL CONCERTO Concertos Matinais BANDA SINFÔNICA DO ESTADO DE SÃO PAULO Onde: Sala São Paulo (Praça Júlio Prestes 16, Estação Luz) Dia 10/06/2011 Horário: 11h Ingressos: Entrada Gratuita (ingressos disponíveis na bilheteria da Sala São Paulo a partir da segunda-feira anterior ao concerto). A partir de cinco ingressos será cobrado o valor de R$2,00 (cada ingresso). Informações: 11/3223-3966 CORAL CONCERTO DE OUTONO – CORAL FEMININO BUNKYO O Coral Feminino é composto por 38 participantes que se reúnem semanalmente para os ensaios, sob a orientação do maestro Teruo Yoshida, e apresenta-se em eventos solenes e comemorativos da entidade. Onde: Pequeno Auditório da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social (Rua São Joaquim 381, Liberdade). Dia 17/06/2012 Horário: domingo, às 16h Ingressos: Entrada Gratuita. Informações: 11/3208-1755 ESPETÁCULO DISNEY ON ICE 100 ANOS DE MAGIA Mais de 60 personagens e 18 histórias clássicas. Classificação: Livre (acompanhados dos pais ou responsáveis legais) ou a partir de 12 anos (desacompanhados) Onde: Ginásio do Ibirapuera (Rua Manoel da Nóbrega 1361, São Paulo). De 14 a 24/06/2012 Ingressos: de R$50,00 a R$1400,00 Informações e vendas de ingressos: www.ticketsforfun.com.br QUYREY, UMA AVENTURA NA SELVA Novo espetáculo do Circo dos Sonhos redefine as fronteiras da criatividade de imaginação em um show de circo para toda a fa-

mília. Classificação: Livre Duração: 90 minutos (com 02 atos) Onde: Circo dos Sonhos (Av. Nicolas Bôer 120, ao lado do Viaduto Pompéia) Dias 02, 03, 09, 10, 16, 17, 23, 24 e 30/06/2012 Horário: sábados, domingos e feriados 15h, 17h e 19h30. Ingresso: R$40,00 a R$300,00 Informações: 11/2076-0087 ou 2076-0001 e www.circodossonhos.com A FAMILIA ADDAMS Musical com alguns efeitos especiais o espetáculo conta a historia de Wandinha a filha casal que arruma um namorado de família tradicional. Elenco: Marisa Orth, Daniel Boa­ventura, Sara Sarres (alternante de Marisa Orth) Classificação: livre Duração: 150 minutos Onde: Teatro Abril (Avenida Bri­gadeiro Luís Antônio 411) Em Cartaz por tempo indeterminado Dias e horários: (Sex, Qui, Sáb e Dom) Quinta e sexta, 21h; sáb., 17h e 21h; dom., 16h e 20h. Ingressos: de R$ 70,00 a R$ 250,00 www.ticketsforfun.com.br Informações: 11/4003-5588 http://www.afamiliaaddams. com.br EXPOSIÇÃO E TAMBÉM O ELEVADOR, O VULCÃO E O JANTAR Mostra que reúne um conjunto de 20 trabalhos recentes de ANA PRATA, Curadoria de Paulo Miyada e Diego Matos. Onde: Instituto Tomie Ohtake (Rua Coropés 88, Pinheiros) De 09/05 a 24/06/2012 Horário: de 3ª a domingo das 11h às 20h Ingresso: Entrada Gratuita Informações: 11/2245-1900 ou www.institutotomieohtake.org. br EXPOSIÇÃO “JOIAS DO DESERTO” Uma seleção do acervo etnográfico da historiadora Thereza Collor. Com essa mostra, o

EDITORA JORNALÍSTICA UNIÃO NIKKEI LTDA. CNPJ 02.403.960/0001-28

Rua da Glória, 332 - Liberdade CEP 01510-000 - São Paulo - SP Tel. (11) 3208-3977 Fax (11) 3208-5521 Publicidade: Tel. (11) 3208-3977 Fax (11) 3341-6476 comercial@nippak.com.br cristiane@nippak.com.br

público terá a oportunidade de conhecer uma das mais raras coleções de todo o mundo – entre as reservas particulares e de museus – de jóias, vestimentas e acessórios de povos orientais, africanos e asiáticos. Concepção: Thereza Collor Curadora convidada: Ana Cristina Carvalho Onde: Galeria de Arte do SESI-SP – Centro Cultural FIESP – Ruth Cardoso (Av. Paulista 1313, Metrô Trianon-Masp) Até 10/06/2012 Horário: 2ª das 11h às 20h, 3ª a sábado, das 10h às 20h, e domingo, das 10h às 19h Agendamento de grupos: 11/3146-7396, das 10h às 13h e das 14h às 17h. Ingresso: Entrada Gratuita Informações: 11/3146-7405 e 11/3146-7406 CINEMA CINEMA BUNKYO Todas as quartas-feiras, a Comissão de Biblioteca e Filmes do Bunkyo apresenta uma sessão de filmes japoneses. Os filmes são exibidos em idioma japonês, sem legenda. Além disso, uma vez ao mês, realizam o “Free Market” (Frima), uma feira de produtos diversos, com artesanato, obentô (alimentos), brinquedos, livros e outros. Onde: Grande Auditório do Bunkyo (Rua São Joaquim 381, Liberdade) Dia 06/06/2012 Horário: Frima das 10h às 15h no Hall do Grande Auditório e a Sessão de Cinema às 13h Ingresso: Sócios entrada franca e não-sócios pagam R$5,00 Informações: 11/3208-1755 EVENTO 3º JAPAN MATSURI – Festival da Cultura Japonesa de Osasco O evento terá Oficinas Culturais de Ikebana, Cerimônia do Chá, Mangá, Pipa, Shodô, Espaço Criança, Origami e Kirigami. E Shows com Joe Hirata, Banda Nota Promissória e Viva Itália Show Musical. Onde: Acenbo (Rua Acenbo 100, Jd Umuarama) Dias 02 e 03/06/2012 Horário: a partir das 10h Informações: 11/3684-0904 e acenbo@japanmatsuri.com.br

JORNAL NIPPAK

Diretor-Presidente: Raul Takaki Diretor Responsável: Daniel Takaki Jornalista Responsável: Takao Miyagui (MTb. 15.167) Redator Chefe: Aldo Shiguti Redação: Luci J. Yizima Colaboradores: Erika Tamura, Jorge Nagao, Kuniei Kaneko, Shigueyuki Yoshikuni, Célia Kataoka, Paulo Maeda, Cristiane Kisihara e Osmar Maeda (Zona Norte) Periodicidade: semanal Assinatura semestral: R$ 60,00 jornaldonikkey@yahoo.com.br

KARAOKÊ DANCE TOKUSHIMA Onde: Tokushima Kaikan (R Antonio Maria Laerte 275, Metro Tucuruvi) Dia 02/06/2012 Horário: 9h às 17h Informações: 11/4748-5896 Sra Inaba KARAOKÊ DANCE TOKUSHIMA ESPECIAL Onde: Tokushima Kaikan (R Antonio Maria Laerte 275, Metro Tucuruvi) Dia 03/06/2012 Horário: 9h às 17h Informações: 11/4748-5896 Sra Inaba AOBA-MATSURI Feira de verduras frescas e comidas típicas. Onde: Miyagui Kenjin Kai (Rua Fagundes 152, Liberdade) Dia 03/06/2012 Horário: 7h às 16h (almoço das 11h às 15h) Informações: 11/3209-3265 XXII FESTIVAL DO YAKISSOBA Onde: Assoc. Centro Social Tochigi do Brasil (Rua Capitão Cavalcanti 56, Vila Mariana) Dia 03/06/2012 Horário: 11h30 às 15h Informações: 11/5579-4166 Ingresso: R$12,00 (antecipado) e R$14,00 (no dia do evento) 6º PRÊMIO INTERNACIONAL DE MANGÁ Período de inscrição: Até 15/06/2012 Realização: Ministério das Relações Exteriores do Japão e Comitê Executivo do 6º Prêmio Internacional de Mangá

São Paulo, 01 a 07 de junho de 2012 Mais informações e Inscrições: Embaixada ou Consulados Gerais do Japão http://fjsp.org. br/agenda/6premio_manga/ INSCRIÇÕES SELEÇÃO – Inscrição e entrega das obras para 6ª GRANDE EXPOSIÇÃO DE ARTE BUNKYO 2012 De 16 a 19/07/2012 (2ª a 5ª), das 10h às 17h Taxa de inscrição: R$170,00 por artista Onde: Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social (Rua São Joaquim 381, Liberdade) Arte Craft: 1º andar, sala 14 / Artes Plásticas: 1º andar, sala 15 Informações: 11/3208-1755, com Aurora ou bunkamatsuri@ bunkyo.org.br Resultados da seleção: dia 30/07/2012 no site: www.bunkyo.org.br CURSO NIKKEY CULTURAL CURSOS Karaokê: aulas com o prof. e maestro Hideo Hirose (2ª, 3ª, 4ª, 6ª e sábado) e a profa. Tsuguiko Hongo (5ª). Dança Social: Prof. Murae domingo (de manhã), Prof. Hayashi (2ª das 15h às 20h), Prof. Tahira (6ª das 13h às 16h30), Profa. Luciana Mayumi - Aulas de Tango (2ª e 4ª das 20h30 às 23h), Profa. Massako Nishida (4ª das 9h às 16h), Prof. Willian (sábado à tarde), Profa. Sato Tazuko (sábado de manhã) e Profa. Yukie Miike (3ª, 5ª e domingo, diversos horários). Aulas de Violão, Guitarra e

Baixo: Prof. Eder (sábado das 9h às 18h) Aulas de Japonês: (básico, intermediário e avançado) Profas. Keiko, 2ª e Isabel Kayoko, diversos horários. Obs: aulas de Português para estrangeiro com Profa. Isabel Kayoko. Aulas de Inglês: (básico, intermediário e avançado) Prof.Anderson (sábado), Profa. Priscila (diversos horários). Aulas de Informática: Prof. Vic­ tor Kawata (diversos horários) Aulas de teclado: Profa. Neide (diversos horários) Tênis de Mesa: Prof. Mario Nakao - Técnico da Butterflay (diversos horários). Onde: Nikkey Cultural (Praça Almeida Jr. 86 A, Liberdade) Informações: 11/3774-7456, 11/3774-7457 e 11/3774-4430 com Meily (das 9h às 17h e sábado das 9h às 14h) AULAS DE DANÇA Professores Sergio e Rosa Taira. Onde: Assoc. Shizuoka Kenjin (Rua Vergueiro 193, Liberdade) As 2ª e 3ªfeiras Horário: 13h às 17h Informações: 11/5588-3085 e 11/7174-8676 AULAS DE DANÇA Onde: Soc. Bras. de Cult. Japonesa – Bunkyo (Rua São Joaquim 381, Liberdade) As 5ª feiras Horário: 17h às 19h Informações: 11/5588-3085 e 11/7174-8676 Informações e divulgação de eventos com Cristiane Kisihara e-mail cris_kisihara@hotmail. com ou Tel.11/3208-3977 e sidneyduplohiro@hotmail.com


São Paulo, 01 a 07 de junho de 2012

JORNAL NIPPAK

3

comunidade

COLUNA DA ERIKA TAMURA

AOKB participa dos 40 anos da devolução de Okinawa ao Japão

A

comunidade okinawana que reside no Brasil esteve representada nas comemorações dos 40 anos da devolução da ilha de Okinawa para o Japão através do presidente da Associação Okinawa Kenjin do Brasil (AOKB), Shinji Yonamine. A cerimônia oficial foi realizada no dia 15 de junho, no Centro de Convenções de Okinawa. Além do Brasil, estiveram presentes representantes das comunidades okinawanas da Argentina, Bolívia, Canadá, Filipinas, Havai, Los Angeles, México e Peru. “Foi um encontro formal. Tanto que o convite foi nominal e intransferível”, disse Yonamine, que antes de desembarcar na ilha passou antes por Paris, onde manteve contato com membros da comunidade de lá, entre eles a presidente da associação, Yoko Oshiro. “A comunidade okinawana na França deve ter uns 20 representantes e lá, como no resto da Europa, eles são referências, como professores de karatê ou artistas”, explicou Yonamine, que chegou em Okinawa a tempo de participar da limpeza do monumento instalado no jardim do Palácio do Governo de Okinawa., doado pela comunidade okinawana do Brasil em 1972 para comemorar a devolução de Okinawa ao Japão. “Foi um momento marcante porque, na época, fortaleceu o espírito uchinachu e que foi resgatado agora através do Brasil”, disse Yonamine, lembrando que a Zaihaku Okinawa Kenjinkai (Associacao dos Provincianos de Okinawa no Brasil) então presidida por Mosei Yabiku enviou uma mensagem gravada em uma placa de pedras.

O selo comemorativo dos 40 anos da devolução

arquivo pessoal

Shinji Yonamine durante recepção com o governador de Okinawa, Hirokazu Nakaima

EUA, conta, deve continuar provocando discussões por muito tempo. As tropas americanas não sairão de lá porque eles a consideram um ponto estratégico. Mas é um tema que compromete muito pois fortalece os grandes empreendimentos em detrimento da população local. A praia, por exemplo, é restrita aos turistas”, esclarece Yonamine, acrescentando que a unificação afetou o processo de integração com o Japão. Hirokazu Nakaima com os participantes da cerimônia

Segundo Yonamine, foi um dos poucos eventos “espontâneos” em Okinawa para marcar a data. “Okinawa, em si, não festejou. Quase não se via movimento nesse sentido. Foi uma solenidade mais a nível governamental. Participaram da cerimônia realizada no Centro de Convenções os principais mandatários japoneses, como o primeiro-minismonumento doado pelo Brasil quando do tro Yoshihiko O início da anexação de Okinawa ao Japão Noda”, disse o presidente da AOKB, que foi sos têm contribuído para recebido em audiência pelo uma série de eventos, sejam governador de Okinawa, Hi- eles estruturais ou sociais”, afirmou Yonamine que desrokazu Nakaima. Segundo Yonamine, Noda tacou, no entanto, a necessireafirmou o compromisso do dade do governo japonês de governo japonês em renovar dar mais atenção aos problea ajuda para Okinawa por mas de Okinawa. A base militar dos mais 10 anos. “Esses recur-

Raízes – “Okinawa tem se engajado com o foco de fortalecer o dialeto oficial do Japão, mas acabam esquecendo suas raízes. As próprias autoridades okinawanas já não falam mais o dialeto e ficam admirados quando nos ouvem falar”, explica, acrescentando que a tendência é o Japão fazer o caminho inverso, ou seja, uma volta às raízes. “E quando Okinawa descobrir que estava certa ao preservar suas tradições, já terá assimilado a integração e terá que redescobrir suas origens”, conta Yonamine. “Hoje, o Japão vive num sistema verticalizado onde a maior preocupação é o isolamento, isto é, as dificuldades de relacionamento. Os japoneses tiveram uma experiência no ano passado, com a tragédia de 11 de março. Foi um baque porque o governo mentiu e as empresas também traíram a confiança já que muitos ficaram desempregados. O isolamento, talvez, faça com que as relações familiares voltem, algo que para os okinawanos é muito importante já que para os okinawanos a família é a base de sustentação”, observa Yonamine. (Aldo Shiguti)

COMBATE AO CRIME ORGANIZADO

Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara aprova proposta de Keiko Ota O Projeto de Lei (PL) 2.839/2011, que estabelece prioridade de julgamento de processos relacionados a crimes hediondos, foi aprovado por unanimidade pela Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados. A proposta, de autoria da deputada federal Keiko Ota (PSB-SP), já contava com parecer favorável do relator, o deputado Efraim Filho (DEM-PB), antes de ser avaliado pelos demais integrantes da comissão.

divulgação

A deputada federal Keiko Ota: “Proposta legítima”

Agora, o PL 2.839/2011 segue para análise da Comissão de Constituição e Justiça. Uma vez aprovado, passa a ter condições de ser levado a votação no plenário da Câmara. “Tenho expectativa de que este projeto de lei deve obter parecer favorável na última comissão. Trata-se de uma proposta legítima que visa alterar o Código Penal, de modo a combatermos a onda de crimes hediondos que, infelizmente, ainda existem hoje em dia”, afirma Keiko Ota.

Katehomu – A visita do professor Na escola japonesa, logo que se inicia o ano letivo, o professor dos alunos visita a casa de cada aluno. Um por um. E essa semana foi a vez do professor da minha filha visitar a minha casa. É uma visita rápida de meia hora, tudo agendado antecipadamente, com roteiro programado. O professor vem e fala sobre o comportamento da criança dentro da escola, elogios e críticas são colocados na mesa. Em contrapartida, os pais também podem falar tudo o que pensam, é a hora de tirar todas as dúvidas e testar o professor. Independente do conteúdo do encontro, acho válido é essa iniciativa das escolas japonesas. É uma forma de tentar aproximar os pais dos alunos com seus professores e com a própria escola, e o maior beneficiário de tudo isso com certeza é a criança. No Brasil, tenho amigos que são professores, e eles relatam que a maior dificuldade é fazer uma aliança entre pais e professores num objetivo comum, que é a educação da criança. Esse estreitamento na relação entre pais e professores, pode significar o primeiro passo para uma boa comunicação no relacionamento que irá contribuir para a base de uma educação qualificada. Muitos brasileiros que possui filhos que frequentam a escola japonesa, não compreendem o idioma japonês, para isso as escolas onde há uma grande concentração de brasileiros, disponibilizam de intérpretes para acompanhar os professores nas visi-

tas as casas. É só solicitar na escola. Acho muito difícil implantar o modelo japonês de educação no Brasil, pois é muita disciplina, mas a essência, a ideia poderia pelo menos ser cogitada, porque realmente a criança será um adulto com noção de cidadania e respeito ao próximo como palavras prioritárias. Ontem, na visita do professor em casa conversamos sobre o desempenho da minha filha, mas também tocamos no assunto cultural, e todas as diferenças que envolvem tanto um país como o outro. Servi café brasileiro com pão de queijo, não preciso nem dizer que o professor adorou, e ainda repetiu o pão e o café! E são esses valores que foram se perdendo e vejo que aqui no Japão se valoriza muito: o interesse dos pais pelo estudo dos filhos e o interesse do professor pelo cotidiano doméstico da criança. São detalhes que na vida da criança faz toda a diferença, e isso não pode ser passado despercebidamente, temos que envolver as crianças com esses diferenciais para quem sabe, no futuro termos uma valorização da educação dentro dos principais requisitos para o desenvolvimento e bem estar social da humanidade. *Erika Tamura nasceu em Araçatuba (SP) e há 14 anos reside no Japão, onde trabalha com desenvolvimento de criação. E-mail: erikasumida@hotmail.com

CIDADES/MONTES CLAROS

MG anuncia parceria com Japão para avaliar tremores divulgação

Especialista da UnB tranquiliza população de Montes Claros

O município de Montes Claros (MG) deve ganhar uma estação sismográfica fixa para monitoramento de tremores de terra. A novidade foi anunciada durante coletiva de imprensa realizada pela Prefeitura, no último dia 25, pelo secretário-executivo da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Minas Gerais (CEDEC-MG), tenente-coronel PM, Fabiano Villas Boas. Segundo o comandante, o aparelho já está sendo adquirido através de uma licitação internacional promovida pelo Governo de Minas. No município, a manutenção e uso do sismógrafo contarão com parceria da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes). “Vai ser instalado e funcionar ainda neste ano. Enquanto isso, possíveis tremores serão cobertos pelos sismógrafos que estão vindo da UnB”, disse. O militar também anunciou parceria com estudiosos da Universidade de Nagoya para uma visita técnica em

Montes Claros: “Especialistas do Japão estão vindo para a cidade. Vai haver convênio de cooperação técnica”. Fabiano lembrou do empenho de equipe conjunta para atendimento da população durante os últimos sismos registrados na cidade, o maior deles de 4.5 graus na Escala Richter, no dia 19 de maio. “De imediato, criamos posto de comando formado por representantes do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, COMDEC e CEDEC. Notamos durante as vistorias danos somente em imóveis onde não existem estrutura mínima com vigas”, relatou. Por fim, ressaltou ainda que outras ações devem ser estruturadas ao longo do tempo para que, quando acontecerem outros abalos, a população esteja preparada. “As pessoas se assustaram muito. O momento é transmitirmos tranquilidade”, concluiu. (da Prefeitura de Montes Claros)


JORNAL NIPPAK

4

São Paulo, 01 a 07 de junho de 2012

RELAÇÕES BILATERIAIS

COLUNA DA MEIRY KAMIA

Pimentel quer mais investimentos japoneses em infraestrutura

Síndrome de Burnout – O estresse do trabalho

O

ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, reuniu-se no último dia 29 em Tóquio, no Japão, com autoridades governamentais e empresariais em busca de investimentos para projetos brasileiros nas áreas de infraestrutura e de tecnologia. Ele citou oportunidades de negócios principalmente em portos, aeroportos, rodovias e na indústria naval, de acordo com a assessoria do ministério. Foi o primeiro dia de contatos na viagem de uma semana que o ministro Pimentel empreende ao Japão, a Coreia do Sul e ao Catar. De acordo com o comunicado do ministério, Pimentel convidou as empresas japonesas a participarem do projeto de trem-bala que o governo pretende implantar na ligação Rio de Janeiro-São Paulo-Campinas, e pediu a participação japonesa no “esforço” de desenvolvimento da indústria naval brasileira.

reprodução

Segundo Pimentel, nos próximos seis a oito anos, o Brasil necessitará de aproximadamente 500 embarcações, entre navios de apoio e sondas de perfuração flutuante para exploração de petróleo na camada de pré-sal, e “o Japão dispõe de tecnologia que poderia nos ser muito útil”. Pimentel disse que o ministro japonês dos Transportes, O ministro Fernando Pimentel. Takashi Maeda, manifestou no Brasil e falou do objetivo interesse de seu país partici- governamental de atrair mais par dos projetos. indústrias, além de “abrir caEm palestra no Keidan- minho” para que as empreren – congênere da Confede- sas estrangeiras já instaladas ração Nacional da Indústria, no país ampliem seus invesque reúne os pesos-pesados timentos. do empresariado japonês – Ainda conforme o minisPimentel destacou as muitas tro, o objetivo brasileiro é leoportunidades de negócios var novas empresas para o

Brasil e abrir caminho para que aquelas que já estão instaladas no país ampliem seus investimentos. Do presidente da Keidanren, Hiromasa Yonekura, Pimentel ouviu que o interesse pelo Brasil é crescente. Uma demonstração desse interesse foi a presença de aproximadamente 700 empresários japoneses no seminário “Investindo no Brasil”, promovido na ultima segunda-feira pela Embaixada do Brasil em Tóquio e pelo jornal econômico Nikkei. Mitsubishi – Pimentel também se reuniu nesta terça-feira com o presidente da Mitsubishi Corporation, Ken Kobayashi, para discutir novas áreas de interesse da multinacional japonesa no Brasil. Presente nos setores automotivo e de comércio internacional, a empresa pretende investir em engenharia naval e monitoramento de risco de desastres naturais. (Agência Brasil)

bahia

Estaleiro Enseada do Paraguaçu começa a sair do papel Cento e setenta operários já trabalham na construção do Estaleiro Enseada do Paraguaçu (EEP), no município de Maragogipe, Recôncavo baiano. A obra está na fase inicial, com a realização dos serviços de supressão da vegetação, resgate da fauna e flora e terraplanagem. É o maior investimento da iniciativa privada na Bahia e na área da indústria naval com execução iniciada no Brasil, sob o comando de um consórcio formado pelas empresas Odebrecht, OAS, UTC e Kawasaki. A conclusão dos trabalhos está prevista para 2014,

divulgaçã

Operários já trabalham na construção do Estaleiro Enseada do Paraguaçu que tem participação da Kawasaki

e até lá serão investidos R$ 2 bilhões na construção e contratação de mais de três

mil operários. Quando o EEP estiver pronto, o estado ganhará mais um ponto

Empresários japoneses conhecem oportunidades de investimentos na BA As oportunidades de investimentos, negócios e parcerias com a Bahia nos segmentos de infraestrutura, logística, mineração e transportes foram apresentadas pelo secretário estadual do Planejamento, José Sergio Gabrielli, em Tóquio, no Japão, durante um evento promovido pela Câmara de Comércio Brasil-Japão, realizado nesta semana, com a

participação de mais de 200 empresários. Uma das expectativas do titular da Seplan é ampliar a participação de empresas japonesas no estado. Segundo dados da Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil, a Bahia é o quinto estado brasileiro em volume de recursos investidos por empresas japonesas no país, entre os anos de 2004 e feve-

reiro de 2012, totalizando R$ 1,15 bilhão. Prêmio – Durante o evento, José Sergio Gabrielli recebeu o prêmio CCBJ Awards 2011, que o reconhece como executivo que mais se destacou nas relações comerciais e empresariais entre o Brasil e o Japão no ano passado. (Secretaria de Comunicação Social)

de produção de navios e plataformas de exploração de petróleo, reaquecendo a economia do Recôncavo e recolocando a Bahia no mapa da indústria naval brasileira. O governo do Estado apoia o empreendimento com obras de infraestrutura rodoviária, além de auxílio na obtenção do financiamento, que é do governo federal, por meio do Fundo de Marinha Mercante. Ainda como parte dos esforços para resgatar a indústria naval, foi criada em 2009 a Secretaria Extraordinária da Indústria Naval e Portuária (Seinp), que centraliza as ações do estado voltadas à viabilização de empreendimentos na área. Encomendas – De acordo com o secretário da Indústria Naval, Carlos Costa, o novo estaleiro baiano terá tecnologia e capacidade para atender aos mercados nacional e internacional. “O empreendimento terá condição de oferecer em tempo hábil equipamentos de ponta para todos os mercados. As empresas vão trabalhar com toda a tecnologia e atenderão não só encomendas de embarcações para a indústria naval civil, mas também para a indústria militar”. Antes mesmo de começar a operar, o estaleiro já recebeu a encomenda de seis sondas de exploração de petróleo. As unidades fazem parte de um contrato com a Sete Brasil, empresa fornecedora da Petrobras. A estimativa dos empresários é de um faturamento anual de R$ 600 milhões. (Secretaria de Comunicação do Governo da Bahia)

Durante a consulta, Celina, que atua como gerente da área de TI de uma instituição financeira, não sabia dizer exatamente quando os sintomas começaram porque fora algo progressivo, há meses sofria constantemente de dores de cabeça, insônia, sensação de exaustão e problemas gastrointestinais. Aliado a isso, o estado emocional de Celina com relação ao trabalho também não era dos melhores, sentia-se irritada, pressionada pelo trabalho, tinha problemas com a chefia, trabalhava com prazos impossíveis de serem cumpridos, com uma equipe e um sistema falhos, o que a deixava com uma constante sensação de falta de eficácia e falta de esperança no trabalho, por mais que se empenhasse, tinha a sensação de que nunca iria alcançar as metas estipuladas a ela. Com o tempo, foi adoecendo com mais facilidade, e as gripes, que antes eram facilmente controladas com analgésicos, agora a derrubavam na cama, e, nos últimos tempos, problemas cardíacos começaram a surgir obrigando-a a faltar no serviço e buscar ajuda médica. Mais tarde, conversando com seu médico, percebeu que seus problemas de saúde foram ocasionados pela exposição crônica a agentes estressores no trabalho, e foi assim que Celina conheceu a Síndrome de Burnout. A Síndrome de Burnout é um estresse relacionado ao trabalho que resulta da luta prolongada do paciente contra agentes estressores no trabalho, e está sendo cada vez mais estudada por conta de sua correlação com o baixo rendimento e comprometimento com a empresa, absenteísmo (falta no trabalho), aumento de acidentes no trabalho, intenção de deixar o emprego e alta rotatividade. Os sintomas físicos do Burnout podem incluir dores de cabeça, transtornos gastrointestinais, tensão muscular, hipertensão, episódios de resfriado/gripe, distúrbios do sono, problemas cardíacos, dor lombar, ansiedade e depressão. Na área de serviços, o Burnout é composto por três elementos principais: • Exaustão emocional: caracterizada pela falta de energia e sensação de esgotamento dos recursos emocionais. •  Despersonalização: marcada pelo tratamento dos clientes como se fossem objetos e não pessoas. •  Realização profissional: caracterizada pela tendência de avaliar a si mesmo de forma negativa. Pesquisas apontam que a questão emocional é de grande importância na vivência do estresse. A pesquisa de Sheena Johson e cols (2005) mostrou que algumas profissões como policiais, professores, enfermeiros e até mesmo Call Center, podem ser mais vulneráveis ao estresse por serem profissões que exigem: 1) interação direta ou por telefone com clientes; 2) as emoções mostradas nesses empregos têm por

objetivo influenciar as atitudes e comportamentos de outras pessoas; e 3) a demonstração dessas emoções devem seguir regras. Em outras palavras, todos eles devem manter a calma, serem cordiais e mostrarem autocontrole. Outros estudos apontam para o fato de que essa dissonância emocional, que é sentir uma coisa e ter que demonstrar outra, pode resultar em sensações de hipocrisia, levando à baixa auto-estima e até mesmo à depressão. Entretanto, os estudos também apontam que a propensão ao estresse não é igual para todas as pessoas. Algumas serão mais e outras menos atingidas, e outras não sofrerão estresse. O que diferencia são os traços de personalidade e os recursos internos que as pessoas possuem para lidarem com as adversidades do trabalho, esses recursos serão mais eficientes quanto maior for o conhecimento de si mesmo. Portanto, a boa notícia é que boa parte da solução também pode estar ao seu alcance, ou seja, você pode amenizar o impacto negativo dos problemas relacionados ao trabalho sobre sua qualidade de vida física e psíquica. É claro que não há fórmula certa contra o estresse, justamente por ser um conjunto de variáveis externas (relacionados ao ambiente) e internas (relacionado às questões psíquicas) que nos torna mais ou menos vulneráveis ao estresse. Mas é possível adotar algumas medidas que auxiliam na manutenção da saúde contra o estresse, seguem algumas dicas: • Pratique exercícios: o estresse lesa menos pessoas fisicamente ativas. Procure fazer algo que sinta prazer: caminhadas leves, natação, ginástica localizada, yoga, etc. • Tenha um hobby: caso o seu trabalho não lhe proporcione prazer, mas você se sente impossibilitado de sair imediatamente por questões financeiras, uma saída é desenvolver um hobby. É preciso encontrar prazer de alguma forma no trabalho, o hobby seria uma espécie de segundo trabalho, onde a pessoa pode focar a atenção sem tantas interrupções, em ambiente mais controlado e encontrar prazer no próprio processo do trabalho. Já vi vários casos em que o hobby se tornou profissão. Pense nisso! • Procure pensar positivo: tenha consciência de que preocupação demais não solucionará o problema. Criatividade só vem quando a mente está tranqüila. Conheça a si mesmo: só assim você descobrirá as melhores formas de lidar com as adversidades da vida e superar os desafios de forma mais positiva e sadia. Lembre-se que todos nós temos problemas, o que diferencia é a forma de lidar com os eles. MEIRY KAMIA - Palestrante, Psicóloga, Mestre em Administração de Empresas e Consultora Organizacional. Site: www.meirykamia.com; e-mail: contato@meirykamia.com


São Paulo, 01 a 07 de junho de 2012

JORNAL NIPPAK

5

CIDADES/OSASCO

3ª edição do Japan Matsuri espera receber mais de 20 mil visitantes neste fim de semana

A

Acenbo (Associação Cultural e Esportiva Nipo-Brasileira de Osasco) realiza neste fim de semana (2 e 3 de junho), em sua sede esportiva, a terceira edição do Japan Matsuri – Festival da Cultura Japonesa de Osasco. Considerado o maior evento da comunidade nikkei da região Oeste de São Paulo, o festival integra a programação do cinquentenário da cidade de Osasco e espera receber um público estimado em 20 mil pessoas. Neste ano, a equipe responsável pela infraestrutura do Japan Matsuri inovou na disposição das tendas. Para proteger o público de um eventual mal tempo, haverá duas grandes tendas que abrigarão a praça de alimentação, as barracas de gastronomia, o palco e o bazar. Para o presidente da Acenbo, Sussumu Araki, o principal objetivo do festival é preservar e divulgar a cultura japonesa entre as novas gerações e também entre os não descendentes. “Acredito que estamos cumprindo nosso papel. Tanto que 70% do público que comparece ao Japan Matsuri é formado por não nikkeis”, disse Araki em entrevista ao Jornal Nippak. Segundo ele, a preocupação dos organizadores é oferecer ao público um leque variado de atrações. “Nossa proposta é realmente manter a cultura japonesa”, destaca o presidente, lembrando que todas as 15 candidatas do Concurso Miss Nikkei Osasco 2012 desfilarão com trajes, incluindo o yukata, cedidos pelo empresário japonês e grande colaborador da Acenbo, Mitsuo Akatsuka. Entre as atrações de palco, estão confirmadas as apresen-

divulgação

Público poderá participar das oficinas de shodo durante os dois dias

guesa, lanches e doces. Também estarão presentes alguns itens típicos de festas juninas como pipoca, cocada, derivados de milho, vinho quente e quentão. Objetivo do Japan Matsuri é preservar e divulgar a cultura japonesa também entre os não descendentes

barracas, com artesanato e produtos nacionais e importados. Na área gastronômica, uma praça de alimentação oferecerá opções para todos os gostos. Além de pratos japoneses como yakissoba, udon, sashimi, gomokugohan, gyoza, tenpurá e okomiyaki, haverá barracas com comida alemã, comida portu-

Demonstração de artes marciais também faz parte do evento

tações de Joe Hirata; Banda Nota Promissória; Melissa Kunioyoshi, do programa do Raul Gil; Oriental Magic Show; Teatro Kagura, de Hiroshima Kenjikai; Awa Odori, do Grupo Represa; Kasa Odori, de Tottori Kenjikai; Alexandre Hayafuji; Mario Tibana; Hiro e Eid; grupo Amigos do Choro; e, para alegrar a colônia italiana de Osasco, a Banda Viva Italia.

Durante os dois dias haverá workshops de cerimônia do chá; exposição sobre a influência da comunidade japonesa na história de Osasco; oficinas de ikebana, origami, kirigami, shodo, tako (pipa) e mangá; atividades para crianças; apresentações de taiko, artes marciais e show pirotécnico. Haverá um grande bazar composto por mais de 40

Estacionamentos – Para maior conforto e comodidade dos visitantes, a Acenbo possui uma área de 30 mil m² e um estacionamento com capacidade para 600 carros. Além do estacionamento da associação, que será pago, o visitante também contará com dois estacionamentos gratuitos: o bolsão da Rua Giusepe Ferrari, 25 (próximo

ao local do evento) e o bolsão da Prefeitura de Osasco, localizado na Rua Narciso Sturlini. Um ônibus circular gratuito fará o trajeto entre o bolsão da Prefeitura e a sede da Acenbo. (Aldo Shiguti) 3º Japan Matsuri Quando: Dias 2 e 3 de junho. A partir das 10h Onde: Rua Acenbo (travessa da Av. Martin Luther King), 100 - Jardim Umuarama, Osasco

Entrada: R$ 5,00 Tel.: 11/3684-0904 Site: www.japanmatsuri.com.br

Jaqueline Tominaga é a representante da Acenbo no 3º Japan Matsuri Realizado no dia 12 de maio, no auditório Centenário da Imigração Japonesa no Brasil, o concurso Miss Nikkei Osasco 2012 escolheu a miss e das princesas que representarão a beleza e a simpatia das nikkeis da região de Osasco, durante a realização do 3º Japan Matsuri. O concurso contou com a participação de 15 candidatas que foram avaliadas

por uma comissão composta por sete jurados, seguindo critérios que levaram em conta não apenas a beleza, mas também a desenvoltura, a elegância e a simpatia da candidata. Todas desfilaram de trajes de gala e yukata e responderam a perguntas sorteadas no momento de sua apresentação. Jaqueline Midori Tominaga Gouveia, conquistou o título e representará a Acenbo

no 3º Japan Matsuri, o Festival de Cultura Japonesa de Osasco, e em todos os eventos futuros que serão realizados durante o período de seu reinado. Rackel Chikako Yamamoto, Sabrina Nishioka e Alessandra Yuri Kochi são as três princesas que auxiliarão a miss em suas atividades. Alana Sayuri Hashimoto levou o prêmio de Miss Simpatia.

CIDADES/CURITIBA

CIDADES/ARAÇATUBA

Tereza Hatue de Rezende recebe cidadania honorária

Apae recebe micro-ônibus do governo japonês

Em sessão solene realizada no último dia 18 na Câmara Municipal de Curitiba, a professora, escritora, pesquisadora e historiadora Tereza Hatue de Rezende foi homenageada com o título de Cidadã Honorária de Curitiba. Segundo o autor da homenagem, vereador Jorge Yamawaki (PSDB), “esse título é o mais importante das homenagens”. “É concedido a personalidades de destaque que contribuem de forma engrandecedora, não somente para o âmbito no qual convivem, mas de modo abrangente à coletividade”, justificou Yamawaki. Yamawaki falou sobre o currículo da professora, que nasceu em Itaí (SP), é graduada em Filosofia, Ciências e Letras e também em Biologia Cultural. Especializada em Literatura Brasileira pela USP, é, ainda, professora de Línguas, Literatura Portuguesa, Arte e Estética, escritora e palestrante. Ao longo de sua carreira, Tereza desenvolveu inúmeros projetos e proferiu palestras em cursos de graduação, escolas, hospitais, asilos. Lecionou no colégio estadual Vicente Rio, de Londrina; foi vice-diretora do Centro de Letras e Ciências Humanas e chefe dos colegiados de Ciências e Artes da Universidade Estadual de Londrina (UEL). Chefiou o primeiro intercâmbio Brasil-Japão sob a chancela do Ministério da Educação; trabalhou na Secretaria de Estado

Anderson Tozato

A professora Tereza Hatue de Rezende e o vereador Jorge Yamawaki com o título de cidadã honorária de Curitiba

Tereza Hatue de Rezende disse que compartilha o título com familiares e, em especial, com o marido, o jornalista Claret de Rezende

da Cultura; chefiou o gabinete da vice-governadoria do Paraná; exerceu cargos de assessoria e de chefia na presidência da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP), entre outros. Homenagens – Em reconhecimento aos seus trabalhos, a

professora também recebeu muitos títulos e homenagens. Destacam-se, entre eles, o Troféu “Mulher Influente”, concedido pelo jornal MG Turismo, de Belo Horizonte; diplomas de honra ao mérito, concedidos pela Associação Brasileira de Escritores de São Paulo, pelo Consulado

do Senegal e pela Assembleia Legislativa do Paraná; menção de louvor na Câmara de Vereadores de São Paulo e diploma da Bussiness Professional Women (BPW), no Dia Internacional da Mulher. Destacou-se em atividades literárias, escrevendo muitos artigos para publicação em jornais e editoras, além de livros. Para finalizar, Jorge Yamawaki ressaltou que a conduta das boas ações em prol da humanidade faz o homem avançar rumo à sabedoria e que a celebração da noite era um exemplo de cidadania. Agradecimento – Em seu agradecimento, a professora lembrou que o homem é feito de barro e comentou sobre o barro de que foi feita. Falou da saga da família, do tino literário da mãe, dos livros recebidos de seu pai. Recordou dos tempos escolares e das pessoas que a ensinaram a forjar seu lado político. Disse que se sentia muito honrada com o título, que deveria ser divido com a família e as equipes de trabalho. Citou Mahatma Gandhi e os sete pecados capitais responsáveis pelas injustiças sociais, que são: riqueza sem trabalho, prazeres sem escrúpulos, conhecimento sem sabedoria, comércio sem moral, política sem idealismo, religião sem sacrifício e ciência sem humanismo. Concluiu afirmando que continua combatendo um bom combate e conservando a fé. (do site da Câmara Municipal de Curitiba)

divulgação

Fachada da Apae de Araçatuba fundada em 1970

A Apae (Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais) de Araçatuba realizou no úlimo dia 30, cerimônia de entrega do micro-ônibuatravés do “Projeto de Aquisição de Micro-ônibus para Transporte Escolar da Escola de Educação Especial de Araçatuba”. A cerimônia contou com a presença do cônsul geral do Japão em São Paulo, Kazuaki Obe, e da presidente da Apae

de Araçatuba, Cléia Dalva Souza Parreira. A Apae de Araçatuba foi fundada em 1970 e atende atualmente cerca de 550 pessoas com deficiência intelectual e múltipla. A cooperação, de aproximadamente R$ 197 mil, possibilitou a aquisição de um micro-ônibus adaptado permitindo um transporte seguro e adequado às pessoas com deficiência.


JORNAL NIPPAK

6

São Paulo, 01 a 07 de junho de 2012

­­

SUKIyAKI DO BEM

Ceramista Hideko Honma promove 6ª edição no Tivoli Mofarrej

I

dealizado pela ceramista Hideko Honma, a 6ª edição do Sukiyaki do Bem acontece neste sábado (2 de junho), no Tivoli Mofarrej, no bairro dos Jardins, com a participação de dez grandes chefs. O evento contará com uma exposição de cerâmicas confeccionadas pelos alunos do Ateliê Hideko Honma. O convidado poderá escolher uma obra e levá-la para casa sem custo adicional. Também a cerâmica que será servido o sukiyaki, ao final do jantar será higienizada para que o convidado possa levá-la. O evento beneficente destinará a verba liquida arrecadada nesta edição para as entidades Assistência Social Dom José Gaspar – Ikoi-no-Sono e o Hospital Santa Cruz. A ceramista Hideko Honma explica que a produção de artes do evento ficará por conta da artista Kiyoko Tsukamoto. “Esse ano vamos trabalhar com um cenário das quatro estações no estilo japonês”, destaca. “O diferencial das edições passadas serão o cenário, o furoshiki (tecido estampado com kanji das quatro estações feito no Japão) para embrulhar as ceramicas, o espaço que conseguimos no Tivoli Hotels & Resorts, mais próximo da área central para que todos possam prestigiar”, explica. “A participação especial dos grandes chefs Ser-

luci júdice yizima

O presidente do Ikoi-no-Sono, Reimei Yoshioka, com a idealizadora do evento, Hideko Honma

gi Arola, Adriano Kanashiro, Amanda Lopes, Shin Koike, Rodrigo Martins, Carlos Ribeiro, Carlos Gallo, Jun Sakamoto, Janaina Rueda. Também tem a participação dos sommeliers Benedito Filho e Jô Barros”, afirma a ceramista. “Nós teremos dois chefs participando pela primeira vez, Carlos Ribeiro e Janaina Rueda que farão os docinhos que serão servidos com café após o jantar. O Rodrigo Martins fará a entrada, as duplas Sergi Arola e Jun Sakamoto, Shin Koike e Adriano Kanashiro farão o sukiyaki, cada dupla com suas especialidades. Aman-

da Lopes fará a sobremesa”, completa. União – Segundo Hideko Honma, o projeto une arte, cultura e gastronomia. “Várias mãos se unem e trabalham para que essa festa aconteça: são amigos, minhas alunas, profissionais de vários segmentos. Não faço isso sozinha. Com esse espírito de solidariedade, até agora reunimos mais de 100 artistas, entre chefs e pessoas que participam da produção, e mais de 2000 convidados nas outras cinco edições”, conclui Hideko. Durante o jantar o convidado poderá prestigiar os

cantores Wesley Jon (mineiro que morou muitos anos no Japão), as japonesas Karen Ito e Mariko Nakahiro com repertório em japonês. (Luci Júdice Yizima) Sukiaki do Bem 2012 Onde: Tivoli Mofarrej – Al. Santos, 1437 – Cerqueira Cé­ sar – São Paulo Estacionamento: R$ 17,00 por 3 horas (com carimbo do evento) Convites: R$ 350,00 por pessoa à venda no Atelier Hideko Honma (rua Pintassilgo, 429 – Moema – Tel. 5042 4459) e na Associação Dom Jose Gaspar Ikoi no Sono (rua São Joaquim, 381 – sala 42 – Liberdade – Tel.: 3209 0215)

MERCADO DE TRABALHO

Fundação Japão São Paulo abre vaga para funcionário temporário A Fundação Japão está com inscrições abertas pa­ra vaga de funcionário(a) tem­ porário(a), para serviço de escritório em geral (organização de documento) e serviço de recepcionista. As inscrições devem ser feitas até 6 de junho. A carga horária é de 8 horas diárias (das 9 às 18 horas – 1 hora de almoço. O salário é de R$ 1.600,00 por mês, mais benefícios (auxílio transporte e refeição) Os candidatos devem ter, no máximo, 35 anos, ensino médio completo; ter nacionalidade brasileira ou japonesa com visto permanente; fluência na língua portuguesa e japonesa (acima do nível 2 do Exame de Proficiência em

divulgação/FJSP

Escritório da Fundação Japão em São Paulo

Língua Japonesa). A seleção de currículos

será realizada com base nos currículos recebidos, e so-

mente os candidatos selecionados nesta etapa serão convocados para a entrevista e prova discursiva, que serão realizadas no dia 11 de junho. Somente os candidatos selecionados na primeira etapa receberão o comunicado sobre o local e horário da entrevista e aplicação da prova. O candidato aprovado receberá o comunicado no dia da entrevista O formulário pode ser obtido no site da Fundação Japão. O currículo, em japonês e português, deve ser enviado para a Fundação Japão em São Paulo, via email: (kajiwara@fjsp.org.br) ou pelo correio: Fundação Japão a/c:  Funcionário Tempo­ rário Av. Paulista, 37 – 2º andar CEP 01311-902 - São Paulo-SP Recomenda-se anotar um número de telefone de contato disponível durante o dia e a possível data para início do trabalho, sem falta. Mais informações pelo tel.: 11/3141-0110 - info@ fjsp.org.br

COLUNA DO JORGE NAGAO

Direito Era uma vez um rapaz direito que conheceu, na rua Direita, uma moça direita. O olho direito e o esquerdo dele se cruzaram com o esquerdo e o direito dela. Ele se entusiasmou, foi atrás dela e postou-se à sua direita. - E aí, beleza?- ele mal conseguiu falar direito. Ela era realmente uma beleza. Tinha os olhos de ressaca, como os de Capitu. Ele também tinha olhos de ressaca por conta dos chopps do dia anterior quando tomou tudo o que tinha direito. Ela, enigmática, apenas sorriu. Era hora do almoço, então ao moço veio a idéia de convidar a moça para almoçar. Entre uma garfada e outra, seus olhares iam da direita pra esquerda. Analisavam-se para ver se tinha futuro aquele encontro inusitado no lado direito da Rua Direita. Trocaram os telefones e se despediram com um beijo respeitoso, porém emocionado na face. No dia seguinte, almoçaram juntos novamente. Ele roubou o primeiro beijo, implorou pelo segundo, pediu o terceiro e aceitou os demais como um bom conquistador barato. O namoro decolou como um foguete do Hamas com juras de que não se separariam jamais. Formaram-se em Direito, descobriram que ambos eram de Direita e se entenderam direitinhos. Noivaram, casaram, enfim, fizeram tudo direito. Tempos depois, não sei direito quando, talvez na crise dos 3 anos, ele achou-se no direito de ter aventuras com outras moças direitas. Como estava enganando direitinho, ele foi fundo, traindo a torto e a direito. Entretanto,

como o mundo não é direito, mas é pequeno, alguém sussurrou no ouvido direito dela que seu marido não estava agindo direito com ela. Decepcionada, ela foi atrás do seu direito de se separar. Arrependido, ele admitiu que não tinha o direito de pular a cerca e jurou, de joelho direito no chão e a mão direita pro alto, que a partir daquele momento comportar-se-ia direito. Impressionada com a mesóclise, ela perdoou-o caindo naquele “comportar-me-ei” direitinho. Como pau que nasce torto não se endireita, na crise dos sete anos, lá foi o cafa, o canalha, em novas e emocionantes aventuras como se tivesse direito adquirido. O que ele não contava é que Deus escreve direito por linhas tortas. Um dia ele não acordou com o pé direito. Nosso herói chegou em casa todo estropiado, com o olho direito roxo. Reagira a um assalto, justificou ele. Na verdade, ao paquerar acintosamente a mulher de um boxeador, foi contemplado com violentos socos de direita no rosto, perdendo dentes à esquerda e à direita. Traumatizado, finalmente, endireitou-se. A partir daí, o casal viveu com toda a felicidade a que tinham direito. A você, leitor, que não está gostando desta história porque simplesmente acha que estou brincando o tempo todo com a palavra direito e afins, eu, cinicamente, lhe DIREI:-TÔ! *Jorge Nagao é colunista do site Primeiro Programa (www.primeiroprograma. com.br). E-mail: jlcnagao@uol. com.br

SAÚDE

Unifesp recruta voluntários A Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), reconhecida pelo desenvolvimento de pesquisas e estudos científicos, oferece vagas para voluntários nas seguintes áreas: Exercício físico e enxaquecas – O Programa da Pós-Graduação em Neurologia e Neurociências da Unifesp recruta voluntários, de ambos os sexos, com idade entre 18 e 65 anos, para participarem de pesquisa sobre efeito do exercício físico na enxaqueca. Os candidatos não devem tomar medicação para o coração (Propranolol, Atenolol, Carvedilol, Verapamil), nem praticar atividade física regularmente. Serão realizados, gratuitamente, exames cardiológicos e exame de sangue. Para informações e agendamento de consulta, entre em contato pelos tels: (11) 55764778/9465-1187; ou pelos e-mails: dr.reinaldo@ig.com. br/araoliva@gmail.com.

Dor no pescoço e pilates – A Disciplina de Reumatologia recruta voluntários, de ambos os sexos, com dor no pescoço há mais de três meses, para participarem de um estudo sobre o método Pilates de exercício físico. Os voluntários devem ter entre 18 e 65 anos, com disponibilidade de participar duas vezes por semana dos encontros. Serão excluídos candidatos que tenham fibromialgia ou outras doenças musculares, deficiência visual ou auditiva, que possam atrapalhar os exercícios, e também os que fazem uso contínuo de remédio, como antidepressivos ou anticoncepcional, com tratamento iniciado há menos de três meses. Para os praticantes de atividades físicas, recomenda-se que participem apenas os que iniciaram atividade regular há, no mínimo, três meses. Inscrições: (11) 30834798 / 9227-6537, falar com Luciana Araújo


JORNAL NIPPAK

São Paulo, 01 a 07 de junho de 2012

7

CONCURSO DE CONTOS

Comissão de Atividades Literárias do Bunkyo abre inscrições

A

Comissão de Atividades Literárias – Seção de Língua Portuguesa do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), está com inscrições abertas para o 1º Concurso Bunkyo de Contos”. Trata-se de uma iniciativa inédita da entidade cujo objetivo é incentivar a criação literária e, ao mesmo tempo, “resgatar a rica experiência humana propiciada pela migração de pessoas, no passado e no presente, entre o Brasil e o Japão”. Não à toa, “Encontro entre as Culturas Brasileira e Japonesa” foi o tema escolhido pela Comissão, presidida por Francisco Handa e que tem entre seus membros Tuyoci Ohara (do Conselho Superior de Apoio e Orientação do Bunkyo), Mirian Lie Hatanaka (jornalista) e Leiko Gotoda (tradutora), entre outros. “O tema é bastante amplo e permite contar ‘estórias’ reais ou imaginárias das experiências tanto de imigrantes japoneses e seus descendentes, como sua educação e mentalidade, como daqueles de outra origem e cultura no seu contato com a cultura japonesa, cujos destinos se cruzam no Brasil, ou até mesmo no exterior, produzindo sentimentos e dramas”, explica Handa, lem-

aldo shiguti

Oração para os ratos

Tuyoci Ohara, Leiko Gotoda, Mirian Hatanaka e Francisco Handa

brando que, “por serem obras de ficção, é permitido reinventar a história da imigração japonesa ou se inspirar no movimento dekassegui”. Para Handa, o hábito de escrever contos ainda não é muito cultivado entre os nikkeis. Segundo ele, no entanto, a tendência é que essa situação mude. “Num primeiro momento, até pela dificuldade do idioma. Mas há também aqueles que não gostam de escrever sobre si mesmo. Aos poucos, porém acho que os descendentes estão conse-

guindo tirar esse peso de cima e acabam se libertando dessas amarras”, conta, reforçando a ideia de que o concurso é aberto a todos. “Qualquer um pode participar, desde que inscreva obras em português”, afirma. “Quanto maior o número de participantes, melhor”, assegura Mirian. Regulamento – De acordo com o regulamento – bem como a ficha de inscrição encontram-se disponíveis no site do Bunkyo (www.bunkyo. bunkyonet.org.br) – os contos

devem ser inéditos e escritos em português, sendo que cada autor pode participar com até três contos. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até o dia 30 de setembro de 2012. Os autores dos três melhores contos receberão prêmio em dinheiro e diploma, em cerimônia especial. Mais informações podem ser obtidas pessoalmente na Secretaria do Bunkyo (Rua São Joaquim, 381 – Liberdade) ou pelo tel.: 11/32081755 (com Ana Aoki). (Aldo Shiguti)

LITERATURA

Novos estudos demonstram a múltipla presença japonesa no Brasil O Brasil possui a maior população nipônica fora do território japonês no mundo. Quem são esses japoneses e nipo-brasileiros que vivem aqui? Indo além do tratamento bibliográfico tradicional sobre imigração, que trata de identidades e etnicidade, os artigos reunidos em Japonesidades multiplicadas: novos estudos sobre a presença japonesa no Brasil, lançamento da EdUFSCar, trabalha com a perspectiva de perceber uma constelação de japonesidades em movimento e em transformação. Organizada pelo antropólogo Igor José de Renó Machado, a obra compila sete artigos que buscam dar conta da diversidade da presença japonesa no Brasil, unindo abordagens inovadoras e críticas sobre os estudos étnicos da América Latina. O conjunto de artigos reunidos no livro mostra que existem diferenças entre tornar-se japonês pela prática do kendo ou pela participa-

Capa do livro

ção na Associação Japonesa; ser japonês à brasileira, como os otakus e cosplays, ou brasileiro à japonesa, como se tornou o sobá em Campo Grande. Evidencia ainda as dissonâncias, como o ser gay na família japonesa e mostra que há múltiplos nikkeis, como na comemoração do centenário da imigração. Os artigos abordam temas tradicionais, como associa-

tivismo, culinária, arte marcial, e outros atuais, como a homossexualidade, o J-pop e a mídia, para desvendar as formas de “ser nipo-brasileiro” como também a de “estar nipo-brasileiro”. Desafiando os estudos tradicionais, esses novos estudos étnicos confrontam questões de pesquisa que enfatizam a identidade nacional, sem negar a possibilidade de uma identidade diaspórica. Buscam não idealizar os nipodescendentes como membros de grupos fechados, mas consideram que a etnicidade é um fenômeno em transformação, dentro de um mosaico identitário mais amplo. Como resultado, os capítulos de Japonesidades multiplicadas ajudam a articular novas abordagens que podem ser aplicadas amplamente aos estudos de etnicidade. Sobre o organizador - Igor José de Renó Machado é mineiro de Poços de Caldas, mas criado em Itajubá. Pos-

sui graduação em Ciências Sociais (1994), mestrado em Antropologia Social (1997) e doutorado em Ciências Sociais (2003), obtidos na Universidade Estadual de Campinas. Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal de São Carlos e pesquisador do Centro de Estudos de Migração Internacional. Leciona e orienta no PPGAS/UFSCar, é bolsista de produtividade CNPq. Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em Antropologia Urbana, atuando principalmente nos seguintes temas: imigração brasileira, estereótipos, identidade e imigração brasileira em Portugal. Título: Japonesidades

multiplicadas:

novos estudos sobre a presença

Brasil Organizador: Igor José de Renó Machado Número de páginas: 190 Formato: 14 x 21 cm Preço: R$ 28,00 ISBN: 978-85-7600-247-5 japonesa no

COLUNA DO SILVIO SANO

Eu era tão feliz e não sabia “Quando criança, acha­ va que padre não pecava, professor sabia de tudo, médico curava qualquer doença, polícial não roubava, correio cuidava apenas de correspondências, padaria fazia apenas pão, barbeiro apenas barba e cabelo, etc., etc. Até que um dia eu cresci.” Assim foi o primeiro prágrafo de uma crônica que escrevi há muitos anos e faz parte de uma antologia (Confrontos & Conflitos) que publiquei em 2006. Hoje, devido a outro momento que passamos, apesar de não muito diferente do que escrevi semanas atrás

quando tratei da Comissão da Verdade, acho que posso acrescentar àquela frase mais um item logo após o “... polícia não roubava,...” já que se trata de item que também merece ênfase: “juiz era justo”. Isso, devido ao atual bafafá de uma possível interpelação do ex-presidente Lula ao ministro do STF Gilmar Mendes no processo do mensalão. Não estou afirmando que o ministro não seja justo e nem que os demais do Superior Tribunal não os sejam, mas apenas que trouxe à discussão esse fato. Quem não se lembra de Lalau, o juiz presidente do TRT-SP? Ele foi jul-

gado, condenado e provado que não era... justo! Aliás, não apenas injusto... O assunto veio à baila, lógico, devido a essa interpelação porque se for verdade o ex-presidente é que os acha injustos... senão não o faria. E se não for verdade, o ministro, então, é que seria mentiroso... injusto? De qualquer forma, nós, cidadãos, agora adultos e, portanto, cientes de que aquela minha frase acima, infelizmente, trata-se apenas uma impressão infantil, temos, pois, de ficar atentos com o transcorrer dessa história que acaba de se aflorar e, para o bem da nação, cobrarmos para que se ponha a limpo... O título do artigo foi

tirado da música de um compositor brasileiro, já falecido, Ataulpho Alves. Desde que aprendi a letra, até hoje, nunca mais a esqueci mesmo após o... “Até que um dia eu cresci”. Mas, que fique claro: não sou saudosista. As coisas do passado devem se constituir apenas em elementos que reforçam os alicerces de nossa formação a fim de que possamos suportar até certos efeitos abaladores como esses. Né, não? *Silvio Sano é arquiteto e escritor. E-mail: silviossam@ gmail.com

Era um velho templo naquela cidade do interior. Quando chegava a noite, o vento carregava a terra vermelha que impregnava as paredes, carcomidas pelo tempo. Há muito, a café deixou de fazer a economia local. Depois da geada, pouco sobrou das antigas fazendas, além das ruínas das casas em que moravam os colonos. Nada mais havia do que desolação. O próprio templo, construído nos tempos áureos, ainda abrigava um ancião, de cabeça calva, rosto limpo e seu manto negro, remendos aqui e acolá. Chamava-se Shinnyu Kimura, solteiro, chegado a estes rincões na leva migrante do final da década de trinta. Vargas no poder, inaugurara a fase da ditadura popular e paternalista. Ainda que não tivesse mais trabalho local, o monge Shinnyu permaneceu, desta vez apenas na função religiosa, pois tinha obtido o título através de um mestre, o primeiro desta tradição, instalado na capital. Era disto que gostava. Acordava cedo, entregava-se ao primeiro zazen do dia, ainda com o sol encoberto pelo céu estrelado, que ele podia ver através da abertura da janela. Tratava-se da meditação ou uma anti-meditação do Budismo Zen. Pouco havia para fazer. Mas ele entregava-se às atividades comuns de um monge regular: varria diariamente as cercanias, recolhendo as folhas caídas, galhos e papeis jogados pelos vizinhos. Não se importava em limpar. Este era o seu ofício. Preparava o próprio almoço, nada muito especial, um pouco de arroz branco, verduras, raízes e uma sopa de massa de soja. Muitas vezes, ele encon­ trava um pássaro morto. Próximo, ele juntava as palmas e orava baixinho. Tinha aprendido que todos os seres vivos mereciam respeito, para ele era também o corpo e a mente de Buda. Quando fazia isso, sentia-se bem, como tivesse realizado um feito louvável. Ninguém se importaria com isso, menos ele. Não que se sentisse alguém especial. Nada disso: poderiam rir dele, caçoar, fazer chacotas. “Lá vem o monge japonês com suas manias estranhas”, ouviu diversas vezes. Para ele,

admoestações sem importância. Havia outros que tinham grande estima por ele. Não procuravam entendê-lo, apenas apreciavam sua dedicação e sinceridade no trato com as pessoas e coisas à sua volta. Cuidado, que chegava ao ponto do exagero. Não para ele. Encontrou desta vez, ao lado do tanque, uma enorme ratazana, ainda com o corpo quente. Esticada, acabara de morrer. Ficou penalizado, como das outras vezes. Repetiu o procedimento. Tirou dos bolsos um rosário de sementes colhidos no campo, um alongamento de cento e oito contas. Por alguns minutos orou. Colocou o animalzinho num saco plástico e conduziu até os fundos do templo, o cemitério dos animais. Muitos tinham sido enterrados lá. Queimou incenso e fez uma dedicatória pós-morte. Naquele local havia sepultado outros animais como gatos, cães, pombos, morcegos, rãs e outros de menor porte como besouros e baratas. Em seu altar, havia uma pequena plaqueta com uma inscrição relativa aos “três mundos”. Para ele, este era o entendimento. Tinha lido em algum lugar um ensinamento de Confúcio. O sábio chinês dizia de que todos os seres vivos deviam descansar em paz. Qualquer coisa que fosse, tratado com deferência. Ainda se lembrava daqueles dizeres: um inseto que seja, morto, faça um túmulo para ele, colocando sobre o local uma pedra. Não se tratava, de fato, de um exagero, apenas uma forma de se relacionar com o mundo. Algumas pedras sobrepostas, como fosse uma escultura, tratava-se de uma stupa (monumento) em que servia de símbolo que lembrava os mortos. Havia neste ponto três: para os seres animais, os seres vegetais e seres inanimados. De uma janela de um prédio vizinho, os olhos curiosos de uma criança apenas observava sem incômodo algum. - Venha para dentro, você está com a lição atrasada – ouviu-se. Naquele dia, tinha aprendido mais do que os livros didáticos poderiam ensinar. Mais um dia tinha se passado.

chicohanda@yahoo.com.br


JORNAL NIPPAK

8

São Paulo, 01 a 07 de junho de 2012

COMUNIDADE BRASILEIRA NO JAPÃO

Artista plástica BRANCA EMY TANAKA divulga seus trabalhos pelo mundo

N

a interiorana Takahama, província de Aichi, reside uma artista plástica brasileira com obras espalhadas por vários países. Branca Emy Tanaka, 65 anos, é filha do pintor Shigeto Tanaka, já falecido, de grande contribuição para a arte no Brasil. Branca também é sobrinha-bisneta do filósofo e diplomata Inazo Nitobe, um dos japoneses mais influentes no mundo entre os séculos XIX e XX. Nitobe é considerado a ponte do Pacífico, pela intermediação das relações entre o Japão e os Estados Unidos. Segundo Branca, a arte traz muitos benefícios para os jovens, pois expõe a veia artística deles, ajudando no desenvolvimento artístico, como também intelectual e crítico. A artista, que também é professora, revela que as gerações atuais estão mais inteligentes, sendo que a arte possui importante papel nesta concepção. “As novas gerações estão me surpreendendo, tanto em qualidade quanto em capacidade. São mais ativas e mais espertas, portanto, com um talento maior em diversas áreas, onde a arte encontrará campo fértil para crescer.” Início precoce – Branca iniciou muito jovem no mundo

das artes. Influenciada pelo pai, logo cedo começou a demonstrar grande talento. “Eu cresci no meio das artes, meu pai vivia exclusivamente para pintar. Nunca atuei profissionalmente falando como artista, pois viver da arte no Brasil é muito difícil, mas lecionei arte durante toda minha vida”, recorda. Aos completar treze anos de idade, Branca foi levada pelo pai para estudar arte no Grupo Seibi, antigo prédio onde era a sede do jornal São Paulo Shimbum, onde teve aulas com o renomado professor e artista Yuji Tanaka. “Apesar da influência do meu pai, tínhamos brigas feias por conta do meu estilo, como também pela linguagem e estética que eu usava. Sempre gostei de pintar o ser humano, destacando para tanto os conflitos da alma. Já meu pai gostava de sentir o belo. Ele dizia que antes da interpretação temos de sentir o belo que está à nossa disposição, para que o façamos real”, explica. Branca possui um estilo de pintura mista, com o predomínio do impressionismo. “Sou eclética, gosto de todo tipo de arte. As pessoas do meio reconhecem facilmente uma obra minha”, define. As princi-

pais referências artísticas de Branca são da Escola Francesa, onde ela destaca como seus principais influenciadores, artistas como Van Gogh, Monet e Turner. “Um dos que eu mais aprecio também é o gênio renascentista Leonardo da Vinci, maravilhoso”. A artista plástica destacou que sua forma de pintar foi sendo modelada com o passar dos anos. “Artistas amadurecem, descobrem novos ‘mundos’ interiores. A realidade de cada momento influencia na forma de cada artista trabalhar, e comigo não é diferente”, explica. Segundo ainda definiu, a globalização fez surgir vários níveis de produção artística, principalmente entre os mais jovens, que segundo afirma, são verdadeiros fenômenos, influenciando ao mundo da arte. “Estão surgindo crianças com talento e técnicas apuradas, isso sem nunca terem frequentado uma escola de arte”, revela. Além do Brasil e do Japão, a artista já expos suas obras no México, Portugal, Espanha, Alemanha e Inglaterra dentre outros. “Tive a sorte de conhecer vários países e pessoas boas por onde passei. O que é fundamental para mantermos boas relações no ‘mundo’ das artes”, define.

Branca Emy Tanaka diz que as novas gerações têm muita criatividade e talento

Fotos: Daniel Gimenes/Divulgação

PRÊMIO

Press Awards Japão divulga os vencedores da edição de 2012

Foto: Divulgação

Sabrina Hellsh foi uma das ganhadoras do prêmio

Confira a relação dos vencedores do Press Awards Japão Fotografia

Destaque no Esporte Comunitário

Artes Visuais

Eventos Culturais & Comunitários

Alex Santos Linda K Destaque Literário

Silvia Kikuchi Show on Tour 2011

Adriana Calcanhoto

A

comissão de premiação do Press Awards Japão anunciou oficialmente a lista dos vencedores de 2012, após a votação feita pelo colégio eleitoral, composto por 45 representantes das mídias e entidades culturais e comunitárias brasileiras no Japão. Foram anunciados também os ganhadores dos Prêmios Especiais do Board, este ano conferidos ao Brazilian Day Japão, Yasutomo Suzuki (pre-

feito de Hamamatsu), professora Noêmia Hinata, músico Paulo Gomes (in memoriam), passista Isabel Silva Paula, jornalista Roberto Kovalick, apresentador Serginho Groissman e cantora Preta Gil. A cerimônia de premiação está programada para o dia 19 de julho, no Sogetsu Hall, em Tóquio. Além da entrega dos troféus “Newspaper Boy”, haverá quatro apresentações de artistas brasileiros radicados no Japão. A cerimônia é

exclusiva para convidados, mas o público em geral pode obter convites (dois por e-mail solicitante, gratuitos) através do site oficial (www. pressaward.com). Pelo segundo ano consecutivo, o Brazilian International Press Awards Japão será realizado paralelamente à segunda edição do Seminário Focus-Brazil Ásia 2012, que discutirá assuntos ligados à comunidade brasileira no Japão.

Cantores Brasileiros Radicados no Japão

Marquinhos Ramos

Cantoras Brasileiras Radicadas no Japão

Sabrina Hellsh

Duo, Trio & Bandas Brasileiros Radicados no Japão

Roberto Casanova & Mika

CD de Artista Brasileiro Lançado no Japão em 2011

“Mineral”- Minaswing

Artista Japonês que Promove a Cultura Brasileira

Barra Vento

Edvaldo Oshiro

Festival de Cinema do Brasil Instituições que Promovem a Cultura Brasileira

CCBJ – Câmara de Comércio Brasileira no Japão Instituições Japonesas que Apoiam a Comunidade Brasileira

JICA – Japan International Cooperation Agency Personalidades de Ação Comunitária

Edilson Kinjo

Instituições de Ação Comunitária

LAL – Linha de Apoio aos Latinos Promoção do Idioma Português

AEBJ – Associação das Escolas Brasileiras no Japão


JORNAL NIPPAK

São Paulo, 01 a 07 de junho de 2012

9

BÓIAS

Diferentes modelos podem facilitar e muito as pescarias, um fator a mais para considerar para o sucesso ou não. Diferentes modalidades e espécies de peixes traduzem em variadas formas de apresentação da isca e, estes artefatos podem fazer a diferença. Mauro Novalo

Curtas

U

Jumping Jigs Jumpings Jigs V-Fox Fabricados em material resistente e ótimo acabamento. Disponível em 5 modelos e diversas cores (inclusive glow) para trabalhar de acordo com a pescaria pretendida. Pesos variando de 20g a 450g atendem as mais variadas espécies de peixes. Procure nas melhores lojas de pesca. Informações no site www. pisciculturachang. com.br ou (11)2914 9491.

tilizadasquando se precisa posicionar a isca em determinada profundidade ou manter o anzol iscado longe do fundo. Outra função agregada em alguns modelos (com chumbo incorporado ou não) é a de facilitar o arremesso de iscas leves, sejam naturais ou artificiais.

Charutos:

Manutenção de carretilhas, molinetes e montagem de varas Rod maker, com ferramentaria própria para montar, customizar ou proceder a manutenção das suas varas, também especializado na limpeza e reparos de carretilhas e molinetes, o Massaru atende no celular (11)5338 1475.

A bóia denuncia visualmente a presença ou mordida do peixe, deslizando para um lado, balançando ou afundando. O momento correto da fisgada depende da habilidade e experiênciado pescador.

Rubinho de Almeida Prado na TV!

O material utilizado sua para fabricação varia muito, os mais comuns são de: madeira, cortiça, plástico e isopor. Características de alguns modelos

Feita de poliuretano e com formato acompanhando o seu nome. Cores fosforescentes facilitam sua visibilidade, podendo ser simples ou com chumbo embutido, para longos arremessos. Encaixa em diversos tipos de pescarias para quem usa molinete ou carretilha. Luminosas:

Lambaris:

A cada domingo, no Programa Pescaventura, uma nova aventuracom Rubinho de Almeida Prado!!! Domingo às 8:00h - para todo o Brasil - assista pela SKY canal 102 - TV Climatempo ou sintonize pela parabólica a Rede Agromix de Televisão site www.agromix.tv Para os moradores da cidade de São Paulo basta sintonizar no domingo às 9:30h na NET, canal 09 -TV Aberta SP ou então TVA digital no canal 186. Cidade

UF

Empresa

Nome Fantasia

Foz de Iguaçu

PR

NET - TV Comunitária de Foz de Iguaçu

TV COM FOZ

Canal 98

Foz de Iguaçu

PR

TVA - TV Comunitária de Foz de Iguaçu

TV COM FOZ

99

Joaçaba

SC

Transcabo TV

TV Cidade

21

Luzerna

SC

Transcabo TV

TV Cidade

21

Botucatu

SP

NET - Assoc dos Usuários Canal Com Botucatu TV Alpha

2

Jaú

SP

NET

TV Local Jaú

4

Leme

SP

TV SP

TV SP

68

Marília

SP

NET - TV Comunitária de Marília

idem

15

Confira na grade das emissoras da tabela, o dia e horário de exibição. Se preferir pode assistir no site www.oboto.com.br os programas já exibidos na TV. No youtube, procure o canal pescaventuratv Informações e comentáriosno email: pescaventuratv@pescaventura.com.br

Feita de isopor de duas cores com o formato de um pião. Apesar do nome pode ser usada para vários tipos de pescaria, pois sua numeração varia desde a pescaria de lambaris até peixes bem maiores. Sensíveis ou Palitos: Normalmente feita de materiais simples, para utilizar nas varinhas caipiras (de bambu) ou lisas telescópicas. Comuns de ver nas pescarias de barranco atrás dos peixes menores. NIPPAK PESCA

Roberto Shirata Texto: Mauro Yoshiaki Novalo Revisão: Aldo Shiguti Publicidade shirata@nippak.com.br Tel. (11) 3208-3977

Nos costões de praias é comum ver luzes cortando a escuridão da noite e caindo nágua, são os pescadores atrás dos peixes espadas. Utilizada nas pescarias noturnas, principalmente pelos iniciantes, devida a sua simplicidade. As confeccionadas em material plástico, vedada por uma tampa de borracha, que contém em seu interior um contato de metal, uma pilha e uma lâmpada estão em desuso. Atualmente bastões químicos luminosos (quando quebrados misturam solução que causam luminosidade por determinado tempo) encaixados em bóias comuns, proporcionam além da maior visibilidade, redução de custo (não precisam de pilhas) e, além de da praticidade não sofrem o efeito da maresia. Inteligentes: Para justificar o nome, avisam quando a massa ou isca acaba deitando na superfície da água.

Arremessos: Para lançar iscas leves e posicionar no local desejado. Extremamente leves ou com certo peso, fabricados em madeira, isopor ou plásticos levam a isca próximo dos peixes. Cevadeiras: Desenvolvidas para utilização nos pesque-pagues,tem a seguinte estrutura - bóia - compartimento de carga - um tubo que une os dois itens acima Funcionam da seguinte forma: -coloca-se a ração flutuante no compartimento de carga. No arremesso, a força centrífuga produzida pela rápida rotação, o mantém preso a bóia e a ração não cai. No contato com a superfície do lago, o compartimento afundapela força do peso do chumbo preso ao fundo, liberando a ração, cevando todo o seu redor, atraindo os peixes à superfície e posicionando-os próximos da isca que pode ser natural ou imitação de ração. Também funcionam como bóias de arremesso e estes precisam ter sempre a mesma intensidade, desde o início, para que a ração não escape. Para os iniciantes, um equipamento equilibrado e não lançar às grandes distâncias são as dicas. Além destas, algumas destinadas a pescarias de peixes específicas como: Carpas Desenhadas especialmente para atender estas espécies, trabalham com chumbo solto na linha para posicionar a isca no local previamente escolhido pelo pescador além de deixa-la na altura pretendida. Os adeptos desta pescaria costumam

utilizar 3 montagens de equipamentos iguais para melhores resultados. Robalos A diferença é o chumbo

incorporado para atender os lançamentos precisos e próximos ou embaixo de galhadas, posicionando o camarão vivo junto do peixe a espreita. Ótimas pescarias!!! Apoio: MTK Fishing Adventure Outdoor www.mtkbrasil.com.br Bem Bolado www.bemboladome.com.br Produtos Petersen www.pescabrasil.net/petersen.html TenkaraBR www.rodsbyjorge.com.br Moro e Deconto www.iscasartificiais.com.br Piscicultura Chang www.pisciculturachang.com.br


JORNAL NIPPAK

10

São Paulo, 01 a 07 de junho de 2012

MATERIAL DE CONSTRUÇÃO

EMPRESAS

Sasazaki desponta entre as dez principais indústrias

Sony comemora resultados e anuncia planos até 2014

A

Sony Brasil celebra um crescimento de 24% no acumulado de seus negócios no ano fiscal 2011 (abril de 2011 a março de 2012) sobre os 65% de crescimento alcançados em 2010. Se considerados os resultados dos últimos dois anos, a empresa praticamente dobrou de tamanho no país, consolidando o Brasil como um dos mercados mais importantes para a companhia no mundo, subindo do 17º posto em 2009 para 4ª principal subsidiária da marca internacionalmente em 2011, atrás apenas dos Estados Unidos, China e Japão. Até a Copa do Mundo de 2014, a expectativa é de investir um montante acima de R$ 500 milhões no país. “Ficamos muito satisfeitos em atingir esta marca histórica de crescimento em apenas dois anos. Só em 2011, a Sony Brasil cresceu duas vezes mais que o mercado de eletrônicos do país e acreditamos que, até a Copa do Mundo de 2014, conseguiremos duplicar nossos negócios em âmbito nacional novamente”, afirmou o presidente da empresa no país, Osamu Miura. De acordo com o executivo, a perspectiva da Sony Brasil é crescer 30% até o final do ano fiscal de 2012 (abril de 2012 a março de 2013). O biênio 2010/2011 ficará marcado na história da Sony Brasil como o maior crescimento da companhia desde a sua instalação no País, em 1972. A empresa apresentou um crescimento de 65% em seu faturamento no ano fiscal 2010 e 24% no ano fiscal 2011. Para atingir estes números, adotou uma estratégia com o intuito de oferecer produtos focados nas necessidades e desejos do consumidor brasileiro. Executivos da empresa realizaram visitas a mais de duas mil residências em todo o país recolhendo dados dos gostos e hábitos de famílias, principalmente da classe C. A HIPNOTERAPIA CONDICIONATIVA Técnica de Liberação Emocional Para tratamento de problemas como depressão, estresse, ansiedade, dores emocionais (desilusão amorosa), etc. Mais informações: Beto Uehara Tel. (11) 3151-2946 / 8702-6758 ueharabeto@gmail.com

DIVULGAÇÃO

reprodução

Resultado reitera a importância que a empresa dá a seus clientes

Para Osamu Miura, perspectiva é crescer 30% até o final do ano fiscal de 2012

Sony em números •  Presente no país desde 1972; •  Funcionários: mais de 3,5 mil; •  Escritórios em São Paulo e Rio de Janeiro; •  Fábrica instalada na Zona Franca de Manaus; •  Faturamento praticamente dobrou na operação local (2010/2011); •  São produzidos no Brasil TVs, câmeras digitais, filmadoras, home theaters, som automotivo, DVD players, Blu-ray players, aparelhos de áudio, notebooks e mídias. Sony ampliou sua linha de produtos fabricados no Brasil e ainda trouxe ao mercado uma série de novos produtos como o console portátil PS Vita, jogos para PlayStation 3 com dublagem em língua portuguesa, filmadoras com projetor integrado, a menor câmera com lentes intercambiáveis do mundo, a NEX-C3, cursos de fotografia online, entre outros. O ano fiscal de 2012 também começa com uma novidade muito importante para a empresa: o lançamento do Sony Tablet neste mês de maio. O equipamento possui um design inovador em formato de revista dobrada, que oferece mais conforto para as mãos, e o melhor em tecnologia para o exigente público brasileiro, com configuração de 32 GB, conexão Wi-fi e selo de certificação PlayStation. “Também traremos neste ano fiscal ao Brasil produtos ainda mais inovadores, como o Display Pessoal 3D, e a tecnologia Sony Link, que permite total conectividade entre os diversos equipamentos”, explica Carlos Paschoal, gerente geral de Marketing da companhia. Liderança – No segmento de câmeras compactas, a Sony já

é responsável atualmente por aproximadamente 50% do market share do segmento, enquanto responde por mais de 70% em filmadoras. O segmento de televisores também apresentou resultados muito positivos em 2011, atingindo um crescimento de 100%, ultrapassando a marca de um milhão de TVs vendidas. Para reforçar a oferta de conteúdo, neste mês de maio, chega oficialmente ao Brasil a Sony Entertainment Network (SEN), que reunirá os diferenciais da plataforma Bravia Internet Vídeo, uma loja de aplicativos Opera Store e, futuramente, aglutinará ainda a PlayStation Network, conteúdos de música e filmes online. Para celebrar o lançamento da SEN, estamos lançando no Brasil a rede de entretenimento de vídeo Crackle em toda a nossa linha de TVs.

lacionadas ao tema, participação em grandes eventos da Fifa, como a Copa das Confederações e Mundiais de Clubes, além de gravar o tema oficial com músicos brasileiras da Sony Music. O carro-chefe da empresa para a Copa será o 3D – uma tecnologia que deu seus primeiros passos em 2010 – e sua integração com os demais produtos da empresa. “A integração dos produtos eletrônicos com o 3D e os games permearão todas as atividades da Sony na Copa do Mundo. Teremos ações com torcedores, diversas promoções, experimentação diferenciada de produtos e muitas ações nas mídias sociais também focadas nessa tecnologia”, explica Carlos Paschoal.

Pesquisa realizada pelo Ibope Inteligência com lojistas de material de construção de todo o País e divulgada no início deste ano, apontou a Sasazaki como uma das dez principais indústrias do setor – as “Top 10”. Para a empresa, o resultado reitera a importância que a Sasazaki dá a seus clientes e consumidores, oferecendo produtos de qualidade e políticas comerciais condizentes com as necessidades do mercado. O levantamento foi realizado pelo sistema Computer Assisted Telephone Interviews (Cati) e foram entrevistados 1.409 revendedores de todos os Estados, que avaliaram o desempenho de seus fornecedores em cinco critérios: Qualidade, Preço, Atendimento ao Ponto de Venda, Orientação Técnica e Logística. Foram consideradas notas de 0 a 10 atribuídas por lojistas que possuem relação comercial com a Sasazaki. A pesquisa é a mesma que origina o Prêmio Anamaco, da Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção, e a compilação do “Top 10” foi realizada e publicada pela Revista Ana-

maco, reunindo as empresas que obtiveram as melhores médias em cada critério. As notas da Sasazaki variaram de 8,15 a 9,38. Considera-se, também, o número de lojistas, dentro da amostra, que trabalham diretamente com a empresa: Forte Presença e Presença Moderada. Destaque – Dentre as indústrias de diversos segmentos de atuação indicadas no levantamento, a Sasazaki recebeu sete indicações, considerando os quesitos pesquisados e o número de citações. Este foi o maior número de indicações conquistadas por uma marca na pesquisa. Das 50 empresas apontadas nos critérios avaliados, duas delas conquistaram sete indicações, sendo a Sasazaki uma delas. Nas revendas onde conta com forte presença, a empresa foi avaliada por 130 lojistas; entre os revendedores nos quais possui moderada presença, 81 varejistas concederam nota à empresa. A Sasazaki foi também uma das vencedoras do Prêmio Anamaco, sendo apontada como líder dos segmentos de Portas e Janelas de Aço e Portas e Janelas de Alumínio.

BAIRRO ORIENTAL

Iluminação do bairro da Liberdade está sendo revitalizada luci judica yizima

Quando se fala no bairro da Liberdade, logo se lembra das famosas luminárias que caracterizam o bairro mais oriental da capital paulista. A Prefeitura de São Paulo, através do Departamento de IluCopa do Mundo – Com minação Pública (Ilume) está um contrato estimado em revitalizando a iluminação do US$ 305 milhões, a Sony bairro. Estão sendo trocadas participará de forma ativa do as luminárias danificadas ou mais importante evento es- até mesmo onde tem o poste, portivo mundial, a Copa do mas falta a ganga ou o globo. Mundo do Brasil, em 2014. A A Ilume anunciou que a reempresa conta com uma pla- modelação da iluminação das taforma de ações exclusivas ruas deve ser concluída até o que inclui a possibilidade de mês de junho de 2012, quando lançar produtos em edições se intensificarão as comemoespeciais com temáticas re- rações dos 104 anos da imi- Lâmpadas atuais devem ser trocadas por lâmpadas de vapor gração dos japoneses no Bra- de vidro, foram substituídas sil. O investimento não foi in- desde 2008 por outras mais resistentes e que deverão ser formado. Segundo o diretor de divi- mantidas. Pelo novo projeto, são Ilume II, Araldo Castilho, as lâmpadas já existentes seserão substituídos 300 lumi- rão substituídas por lâmpadas nárias e 100 postes por ou- de vapor metálico. A revitalização das lumitros mais resistentes. “Serão trocados postes e cangas, nárias da Liberdade é parte visto que as existentes estão de um amplo projeto que vem impregnadas de muita sujeira sendo discutido junto à Prede difícil remoção ou danifi- feitura e que prevê a remodecadas. O trabalho de retirada lação no centro. A iniciativa dos postes e a recolocação dos partiu de uma discussão entre novos estão sendo realizados e setores da sociedade e o poder até o final do mês de junho se- público. A proposta, além de rão concluídas”, explica. “As apoio da administração muniunidades ornamentais da Li- cipal, conta com parceiros púberdade, dotadas de lâmpadas blicos, iniciativa privada e encom tecnologia de Vapor de tidades ligadas ao comércio e Sódio, serão substituídas por comunidade. O bairro da Liberdade hoje Vapor Metálico o que representa eficiência quanto ao é um dos pontos turísticos da consumo de energia e à possi- capital. No ano de 1974, foi bilidade de reprodução de co- concluída a primeira etapa da res, enfatizando, assim as ca- transformação da Liberdade racterísticas do bairro orien- em “Bairro Oriental”. Desde então, o bairro foi ganhando tal”, conclui. feições diferentes. Hoje se História - As primeiras lu- tornou um centro de referênminárias, conhecidas como cia cultural com a presença lanternas ‘suzuranto’, foram cada vez maior de outros instaladas em algumas vias do povos do oriente, como chinebairro da Liberdade na década ses, coreanos e libaneses. (Luci Júdice Yizima) de 70. As peças, que antes eram


JORNAL NIPPAK

São Paulo, 01 a 07 de junho de 2012

11

tênis de mesa

TÊNIS DE MESA/LIGA INTER EMPRESAS

Chateada, Jessica Yamada espera nova chance por Londres 2012 A polêmica decisão da Comissão Técnica da Seleção Brasileira de Tênis de Mesa de levar a chinesa naturalizada brasileira, Gui Lin para os Jogos Olímpicos de Londres deixou Jéssica Yamada – que também estava no páreo – bastante chateada. O Brasil participará do Torneio de Equipes como representante Latino-Americano e uma vaga estava em aberto – Lígia Silva e Caroline Kumahara já estão classificadas para o Individual. Segundo o site da CBTM, a indicação de Gui Lin faz parte de um planejamento “que visa resultados a longo prazo, por se tratar de uma atleta com apenas 18 anos de idade, que tem potencial e talento para continuar evoluindo até os Jogos Olímpicos de 2016, quando poderá estar entre as melhores 50 melhores do mundo, na visão dos especialistas”. Em entrevista ao Jornal Nippak, Jéssica Yamada, de 22 anos, disse “não entender” os critérios. “Na verdade, não parei para pensar se a convocação da Gui Lin foi justa ou injusta. Só não entendi a decisão da Confederação porque quem participou de todo o ciclo olímpico, quem participou do Pan e dos Mundiais enquanto ela estava lesionada fui eu” Campeã do torneio individual feminino do Campeonato Latino-Americano de Tênis de Mesa 2012, competição disputada em março no Rio de Janeiro, a mesa-tenis-

DIVULGAÇÃO

divulgação

Equipe inovou para conseguir bons resultados

Jessica Yamada: “Para fazer parte da seleção é preciso disputar a seletiva. E eu disputei””

ta disse que foi “muito duro e triste” receber a notícia de que não participaria dos Jogos Olímpicos de Londres. “Abdiquei cinco anos dos estudos em função do tênis de mesa”, lamentou Jéssica, afirmando que os resultados obtidos nos últimos anos a deixaram “bastante confiante”. “A medalha de ouro no Latino-Americano foi uma conquista importante para minha carreira. Recentemente, no Pro Tour da China, joguei contra a número 14 do mundo numa partida que levantou minha autoestima porque mostrou minha evolução”, disse a atleta, afirmando que “tanto eu quando a Gui Lin estamos no mesmo nível”.

“Se ela estivesse em outro nível, muito acima que eu ou estivesse ranqueda entre as 100, eu aceitaria a decisão, mas não é o caso”, desabafa Jéssica, que ocupa atualmente a 247ª posição no ranking mundial, 11 posições à frente da chinesa naturalizada brasileira. Jéssica Yamada disse que, mesmo conversando com o coordenador técnico da Seleção Brasileira, Lincoln Yasuda, ficou sem entender a decisão da CBTM. “Para fazer parte de uma seleção é preciso participar da seletiva, e não foi o caso da Gui Lin. Eu participei enquanto ela estava se naturalizando. Respeito a decisão, mas continuo sem

entender”, conta, explicando que ainda tem uma chance de ser convocada para os Jogos Olímpicos de Londres. “O Lincoln disse que a Gui Lin está se recuperando de uma lesão e vai esperar até o Pró-Tour [de 14 a 17 de junho, em Santos] para avaliar a performance dela. Dependendo disso ele pode me convocar para o lugar dela”, revelou Jéssica, acrescentando que, “apesar de ser uma fase bastante difícil, estou encontrando força e motivação para continuar treinando”. “Estou recebendo muito apoio dos familiares e de amigos. Isso está ajudando muito”, disse Jéssica. (Aldo Shiguti)

atletismo

Equipe da Sudoeste conquista o título da 55ª Competição Infanto-Juvenil de Atletismo Com 781 pontos, a Equipe da Sudoeste sagrou-se campeã da 55ª Competição Infanto-Juvenil de Atletismo disputado no último dia 27, no Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa (COTP), em São Paulo. A segunda colocação ficou com a Equipe da Sul da Capital (777,5 pontos) e em terceiro, a da Noroeste (386 pontos). Já os destaques individuais ficaram por conta dos atletas Douglas M. Sugimoto (SC), no lançamento de disco “A”; Milton Y. Haikawa (NO), no salto em distância “B”; Gabriel K. Cunha (NO), no salto em distância “C”; Leonardo Yamanouchi (SO), nos 600 metros “D”; Beatriz C. Kaneko (SC), nos 100 metros rasos “A” Feminino; Karen M. Okuizumi (SO), nos 400 metros “B” Feminino; Kaori Miyamoto (SO), nos 100 metros rasos “C” Feminino; e Carolina Hirata (SO), nos 600 metros “D” Feminino, considerados os melhores da competição por categoria. Karen Okuizumi, 400 metros rasos, e Paula Hirakawa, no arremesso de disco, bateram os recordes da competição em suas respectivas provas. A competição reuniu atletas de 9 a 19 anos de idade das equipes Norte da Capital, Sul da Capital, Mogi das Cruzes, Alta Araraquarense, Sudoeste, Noroeste e Paulista. A Comissão Organizadora, presidida por Seiti Sacay, presidente da Associação Cultural e Esportiva Piratininga, contou com apoio do próprio Piratininga e da Associação Até a Vista, a mais antiga associação nipo- brasileira criada exclusivamente para incentivar o atletismo

Emoção e tecnologia marcam início da competição

divulgação

Seiti Sacay, Mário Kinoshita, Yudo Yassunaga, Shinichi Yassunaga e Alexandre Tachibana

Yudo Yassunaga entrega o troféu de campeão à equipe Sudoeste

praticado na comunidade e em plena atividade. Além da Até a Vista, presidida por Mario Kinoshita, o evento contou também com o apoio da Anma (Associação

Nikkei Mirim de Atletismo), outra entidade criada exclusivamente com o objetivo de incentivar as entidades nipo-brasileiras a manterem o atletismo. Presidida por Yudo

Mario Kinoshita com o terceiro colocado

Yassunaga, a Associação Até a Vista foi entidade realizadora da competição por ter sido responsável pela Comissão Técnica da Comissão. A Comissão Organizadora lembrou também da próxima competição que é a 76ª Competição Intercolonial de Atletismo a ser realizada nos dias 21 e 22 de Julho no Constâncio Vaz Guimarães - Ibirapuera em São Paulo e cujos melhores atletas do País nesta competição, irão compor a Seleção Brasileira de Atletismo Nikkei que participará da XX Confraternização Desportiva Internacional Nikkei a ser realizado no Perú em 2013. Presenças – A cerimônia de abertura contou com as presenças do presidente do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), Kihatiro Kita; do deputado federal suplente Walter Ihoshi (PSD-SP); do deputado estadual Jooji Hato (PMDB); do presidente do Instituto Paulo Kobayashi, Victor Kobayashi; de Tomio Katsuragawa (representando o vereador Aurelio Nomura); Yoshio Imaizumi (representando o deputado estadual Hélio Nishimoto) e Jorge Miyahara (assessor do deputado federal Junji Abe).

Seiti Sacay com a equipe vice-campeã

No final de semana passado (26 e 27 de maio), foram realizados os primeiros confrontos da Liga Inter Empresas de Equipes de Tênis de Mesa 2012. Algumas agremiações sofreram fortes desfalques (a campeã Hiro Ateme e a vice-campeã Unione Casa Verde, mais as equipes que ingressaram através do Qualify, mostraram que vieram para equilibrar a disputa pelo título de 2012. Encarado como um dos maiores eventos do ano por parte dos clubes participantes, uma das equipes estreantes inovou nas ferramentas utilizadas para conseguir bons resultados com tecnologia de última geração. No confronto entre N Grill Bunka SBC e Ajab, a dupla mista desta última recebeu instruções por vídeo conferencia, já que o técnico da equipe não pôde comparecer ao evento. Excelente inovação que mostra a importância da Liga Inter Empresas. Veja como foram todos os confrontos da primeira rodada da Liga Inter Empresas de Equipes de Tênis de Mesa. GRUPO A N Gril Bunka SBC 6 x 0 AJAB A forte equipe da N Grill Bunka SBC não sofreu nenhuma baixa em relação a 2011, assim manteve sua regularidade e eficiência tanto nos confrontos em casa como na condição de visitante. Desta vez, a vítima foi a estreante Ajab, que não conseguiu superar o nervosismo inicial e por pequenos deta-

lhes não conseguiu mudar a história da disputa. XIOM Itaquera 3 x 3 HIRO Ateme A campeã de 2012, HIRO Ateme, mesmo desfalcada, ainda continua sendo uma grande força. A juventude da equipe da zona leste se impôs nos primeiros confrontos, abrindo dois jogos de diferença, em empolgantes 3 a 1. Sem embargo, a HIRO Ateme provou várias vezes seu poder de recuperação, mesmo na condição de visitantes, e empatou o confronto. GRUPO B Represa 4 vs Nippon 2 Iniciando com um placar adverso de 0 a 2 (aliás, uma constante da equipe) a Represa se viu pressionada em não perder nenhum ponto até o final do confronto para garantir a vitória. A experiência dos jogadores e a animada torcida tornaram possível o milagre de vencer quatro jogos seguidos, sem antes colocar várias pitadas de emoção no último e derradeiro jogo. UCEG 2 x 4 UNIONE Casa Verde Mesmo fora de casa, a UNIONE Casa Verde conseguiu impor o seu poderio perante uma equipe que se mostra bastante forte. Mas aparentemente a UCEG precisará acalmar os seus ânimos, uma vez que um dos confrontos foi assinalado como perdido por indisciplina de um dos jogadores da UCEG.

(Leia os comentários na íntegra no site: www.nippak.com.br)

COLUNA AKIRA SAITO

Pequenos gestos “A Felicidade estará onde você sentir e não apenas naquilo que você não possui.....” Geralmente as pessoas se perguntam o que é preciso para ser feliz. Mas seguem o que as outras pessoas dizem a ela o que é felicidade. A grande maioria busca inexplicavelmente a felicidade exatamente onde não as possuem, naquilo que às vezes é inatingível. Com isso, acabam se tornando tristes e se convencendo de que a felicidade é algo para poucos. Felicidade é também um estado de espírito, é acordar de manhã e ao ver os raios do sol, agradecer com sinceridade a oportunidade de estar vivo e presenciar tal fenômeno. Assim acontece também com os dias que amanhecem frios, nublados ou chovendo. Pequenos gestos podem melhorar o seu dia, como um simples sorriso, um bom dia a alguém desconhecido ou simplesmente agradecer. Sei que todos tem mi-

lhares de motivos para se sentirem tristes, mas é preciso ter apenas um para ver o mundo de outra forma. Olhar o mundo não apenas pelas grandes perdas, mas sim pelas pequenas conquistas, pelos verdadeiros sentidos da vida, pelos verdadeiros valores. Ser Feliz é saber por que está vivo. É saber por quem se vive. É ser o que se quer ser. É saber por onde anda. É saber onde quer chegar. É ter consciência que o próximo segundo não nos pertence. É saber que a perfeição não existe e busca-la mesmo assim. É saber que irá cair, mas que sempre encontrará forças para levantar. Ser Feliz é sentir, é acreditar, é ter fé. Olhe em volta, queira bem o próximo, seja educado com as pessoas, dê valor à família e aos amigos. Lembre-se a Felicidade está nos pequenos gestos..... Para que o mundo se transforme em um lugar melhor!!!!! GANBARIMASHOU!!!!!

*Akira Saito, professor e praticante de Budo há 32 anos, morou no Japão de maio de 1990 a setembro de 1996, onde treinou karate sob a tutela do Hanshi Konomoto Takashi – 9º dan, graduando-se até o 3º Dan e tornando-se instrutor da matriz na cidade de Sagara-cho e das filiais das cidades de Hamamatsu-shi e Hamakita-cho até o retorno ao Brasil. Atualmente tem a graduação de 5 Dan e recebeu o título de Renshi-Shihan da matriz no Japão.


JORNAL NIPPAK

12

HOMENAGEM – Em sessão solene realizada no último dia 14, no Plenário 1º de Maio, a Câmara Municipal de São Paulo condecorou o empresário Hirofumi Ikesaki com a outorga da Medalha Anchieta e Diploma de Gratidão da Cidade de São Paulo, uma homenagem com iniciativa do vereador suplente Victor Kobayashi (PSD). Após a cerimônia, o homenageado recepcionou os convi-

dados no Restaurante da Câmara onde foi servido um jantar para mais de duzentas pessoas. Entre os convidados estava o cônsul adjunto Masahiko Kobayashi, Hiroyuki Minami (presidente da Câmara Municipal de São Bernardo), os deputados federal Walter Ihoshi e William Woo, Reimei Yoshioka (presidente do Ikoinosono), Roberto Nishio (presidente Instituto Brasil-Japão), o vereador Au-

Inauguração – Em 18 de maio, os empresários Johnne Campos, Marta Akiko Ogawa e Sidney Ribeiro de Araújo inauguraram a nova loja da Couros Line, na Rua Galvão Bueno, 203, montada com uma decoração moderna, a loja traz os últimos lançamentos e tendências de sapatos, botas, tênis, bolsas e acessórios. Foram conferir as novidades da nova loja os comerciantes Paulo Mizumoto acompanhado de sua esposa Cecíia Mizumoto, Marcos Fujiwara e sua esposa Lucia Fujiwara, a farmacêutica Shizue Higaki Arai, entre outros. Luci Judice Yizima

rélio Nomura, Akira Fukano (Diretor Geral da Fundação Japão), Teruko Araki Kamitsuji (Presidente da Comissão de Incremento Social do Bunkyo), Carlos José da Veiga (chefe de Gabinete da Subprefeitura Sé), José Alarico Rebouças (presidente da Associação comercial Distrital Centro), Alencar Burti (presidente da Associação Comercial de São Paulo). Luci Judice Yizima

São Paulo, 01 a 07 de junho de 2012

Cerimônia – O aniversário de 172 anos de Piedade e a 12ª edição da Festa do Kaki Fuyu mais uma vez foi sucesso de público. O presidente da Associação Cultural e Esportiva de Piedade (ACEP), Tetsuro Ishihara, 40 mil pessoas prestigiaram o evento realizado no Kaikan entres os dias 18, 19 e 20 de maio. A festa proporcionou ao público shows musicais, atrações culturais, praça de alimentação, tenda de artesanato, parque de diversões, exposição e comercialização de caqui e de produtos agrícolas.  Na cerimônia de abertura o prefeito Geremias Ribeiro Pinto elogiou a organização do evento. Também marcou presença o Cônsul Geral do Japão Tsuyoshi Narita, Akeo Ueha-

ra Yogui (Vice-presidente do Enkyo), Shiguero Orita (assessor e representante do deputado estadual Helio Nishimoto). Luci Judice Yizima

Desfile – O restaurante Hokkaido Snooker Sushi Bar, localizado no bairro de Moema, dos empresários nikkeis, Ricardo Shigueo Tanaka e Marcelo Koketsu Watanabe, promoveu na noite do dia 20 de maio, desfile da Baci Langerie, com homenagem a placa de prata ao artista plástico Madison Araújo pela pintura corporal de número 3000 na modelo Gisele Saran. Participaram do desfile as modelos Bruna Medeiros, Jana Oliver, Sara Giora, Sol Borges, Cacau Cavalcanty, Dezenas de pessoas vieram prestigiar o evento e puderam apreciar a Exposição Fotográfica de vários fotógrafos. Marcou presença no desfile os empresários Yoichi Mitsuoka e Fumie Shimada, Christian Agabiti, Agatha Stefany, Geuza Modesto, Sergio Rica-

do, Marta Moraes e Eliana Souza Lima. Luci Judice Yizima


Jornal Nippak - 01 a 07/06/2012