Page 1

ANO 15 – Nº 2367 – SÃO PAULO, 27 DE ABRIL A 03 DE MAIO DE 2012 – R$ 2,50 www.nippak.com.br

Por Paulistão 2013, UPK e Abcel entram em ‘rota de colisão’ Eleita no dia 7 de abril, a nova diretoria da UPK (União Paulista de Karaokê) toma posse na próxima quarta-feira (2 de maio), com um sério problema a ser resolvido. Trata-se do imbróglio causado pela realização do 19º Concurso de Karaokê do Estado de São Paulo, o Paulistão, que, conforme garantiu o presidente reeleito da entidade, Toshio Yamao, em entrevista publicada na edição passada do Jornal Nippak, terá a cidade de Campinas

como sede. O anúncio, da forma como ocorreu, por meio de comunicados, provocou indignação no presidente da Abcel (Associação Beneficente, Cultural e Esportiva de Lins), Akio Matsuura, que até então se achava no direito de receber o principal evento anual da UPK. Em nota assinada por Akio Matsuura e divulgada à imprensa, a Abcel alega que “fomos surpreendidos, estarrecidos até, pela notícia de que não iríamos sediar mais o Paulistão”.

aldo shiguti

——————————––———————————|  Pág. 04

Junji Abe consegue recursos para eventos culturais da comunidade Em atendimento a solici- São Paulo, Sorocaba e Aratações do deputado federal çatuba. O Festival Kohaku Junji Abe (PSD-SP), o go- Uta Gassen, a 4ª Festa Japoverno estadual autorizou nesa de Sorocaba e a 3ª Jaa liberação de R$ 240 mil pan Fest serão contemplapara a realização de três tra- dos com recursos a serem dicionais festejos da comu- repassados pela Secretaria nidade nipo-brasileira em de Estado da Cultura. ——————————––———————————|  Pág. 05

SINCAESP – Em sessão ao Sincaesp. A homenagem Carregadores Autônomos, o presidente do Sincasolene realizada na noite foi proposta pelo vereador José Pinheiro de Souza; e esp, José Robson Coringa desta segunda-feira (23), suplente Victor Kobayashi um dos fundadores do Sin- Bezerra, “receber a Salva no Plenário 1º de Maio no (PSD). Na ocasião, o Sin- caesp, Sadao Nagata, da de Prata é extremamente Palácio Anchieta, a Câmara caesp homenageou o em- Associação Embu-Hino; importante pois significa Municipal de São Paulo presário Mário Benassi; o que ajudaram a construir a estar mais próximo desta concedeu a Salva de Prata presidente do Sindicato dos história do sindicato. Para Casa”. ——————————––————————–————––—————————————––———————————| Pág. 03


JORNAL NIPPAK

2

AGENDA CULTURAL CONCERTO Concertos Matinais ORQUESTRA SINFÔNICA DE SANTO ANDRÉ Onde: Sala São Paulo (Praça Júlio Prestes 16, Estação Luz) Dia 29/04/2011 Horário: 11h Ingressos: Entrada Gratuita (ingressos disponíveis na bilheteria da Sala São Paulo a partir da segunda-feira anterior ao concerto). A partir de cinco ingressos será cobrado o valor de R$2,00 (cada ingresso). Informações: 11/3223-3966 (Devido a grande procura reco­ mendamos que verifique se há disponibilidade de ingressos) ESPETÁCULO QUYREY, UMA AVENTURA NA SELVA Novo espetáculo do Circo dos Sonhos redefine as fronteiras da criatividade de imaginação em um show de circo para toda a família. Classificação: Livre Duração: 90 minutos (02 atos) Onde: Circo dos Sonhos (Av. Nicolas Bôer 120, ao lado do Viaduto Pompéia) Dias 06, 07, 08, 14, 15, 21, 22, 28 e 29/04/2012 Horário: 17h e 19h30. Ingresso: R$20,00 a R$300,00 Informações: 11/2076-0087 ou 2076-0514 www.circodossonhos.com A FAMILIA ADDAMS Musical com alguns efeitos especiais o espetáculo conta a historia de Wandinha a filha casal que arruma um namorado de família tradicional. Direção: Cênica de Jerry Zaks e Musical de Mary-Mitchell Campbell Elenco: Marisa Orth, Daniel Boaventura, Sara Sarres (alternante de Marisa Orth) Classificação: livre Duração: 150 minutos Onde: Teatro Abril (Avenida Brigadeiro Luís Antônio 411) Em Cartaz por tempo indeterminado Dias e horários: (Sex, Qui, Sáb e Dom) Quinta e sexta, 21h; sábado, 17h e 21h; domingo, 16h e 20h. Ingressos: de R$ 70,00 a R$ 250,00 www.ticketsforfun.com.br Informações: 11/4003-5588 http://www.afamiliaaddams.com.br HAIR A história traz cenas curtas sobre uma comunidade de hippies nova yorkinos, que pregavam a liberdade, a paz, a esperança, o amor ao próximo e a tolerância entre as diferenças, ideais que marcaram a cultura das décadas de 60 e 70. Onde: Teatro Frei Caneca (Rua Frei Caneca 569, Shopping Frei Caneca, 6º andar) Até 29/04/2012 Horário: Quinta, 21h; sexta, 21h30; sábado, 18h e 21h30; domingo, 18h. Ingresso: R$130,00 (quinta e sexta) e R$160,00 (sábado e domingo). Informações: 11/3472-2226, 11/2229-2230 www.ingressorapido.com.br

Afonso, Adrianne Gallinari, Cris Bierrenbach, Felipe Barbosa, Futoshi Yoshizawa, Kako, Lia Chaia, Mazu, Roberto Okinaka, Rosana Ricalde, Sandra Cinto e Takashi Fukushima. Onde: Galeria Deco (Rua dos Franceses 153, Bela Vista) Quando: Até 29/04/2012 Horário: Diariamente das 10h às 19h Informações: 11/3289-7067 TEIMOSIA DA IMAGINAÇÃO Exposição traz a obra e o pensamento dos mestres Antonio de Dedé, Aurelino, Francisco Graciano, Getúlio Damado, Izabel Mendes, Jadir João Egídio, José Bezerra, Manoel Galdino, Nilson Pimenta e Véio. O projeto, organizado pelo Instituto do Imaginário do Povo Brasileiro, inclui ainda o lançamento de um livro e dez documentários que serão exibidos durante a mostra. Onde: Instituto Tomie Ohtake (Rua Coropés 88, Pinheiros) Até 13/05/2012 Horário: de 3ª a domingo das 11h às 20h Ingresso: Entrada Gratuita Informações: 11/2245-1900 ou www.institutotomieohtake.org.br EXPOSIÇÃO “JOIAS DO DESERTO” Uma seleção do acervo etnográfico da historiadora Thereza Collor. Com essa mostra, o público terá a oportunidade de conhecer uma das mais raras coleções de todo o mundo – entre as reservas particulares e de museus – de jóias, vestimentas e acessórios de povos orientais, africanos e asiáticos. Concepção: Thereza Collor Curadora convidada: Ana Cristina Carvalho Onde: Galeria de Arte do SESI-SP – Centro Cultural FIESP – Ruth Cardoso (Av. Paulista 1313, Metrô Trianon-Masp) Até 10/06/2012 Horário: 2ª das 11h às 20h, 3ª a sábado, das 10h às 20h, e domingo, das 10h às 19h Agendamento de grupos: 11/31467396, das 10h às 13h e das 14h às 17h. Ingresso: Entrada Gratuita Informações: 11/3146-7405 e 11/3146-7406 EXPOSIÇÃO INSPIRAÇÃO BRASIL A mostra reúne fotos dos últimos desfiles do estilista mineiro Victor Dzenk através das lentes do fotógrafo e editor de moda Paulo Fernando de Oliveira. O renomado estilista vem se destacando no cenário da moda nacional por suas criações inspiradas em temas brasileiros. Onde: Estação Paraíso (Plataforma de embarque sentido Tucuruvi) Até 04/05/2012 Horário: das 11h às 20h Informações: 11/3291-7800 e www.metro.sp.gov.br/cultura/acaocultural/programacao/programacao_cultural.asp

31ª EXPOSIÇÃO BRASILEIRA DE NISHIKIGOI Onde: Parque Dr. Fernando Costa (Av. Francisco Matarazzo 445, Água Branca) Dias 05 e 06/05/2012 Horário: sábado das 10h às 18h e domingo das 9h às 16h

AÇÃO CULTURAL NO METRO vitrine de ikebana - ESTAÇÃO liberdade Exposição de Ikebana. Realização da Associação de Ikebana do Brasil e Metrô de São Paulo. Onde: Estação do Metrô Liberdade Até 30/04/2012 Patrocínio: Yakult Informações: 11/3291-7800 e www.metro.sp.gov.br/cultura/acaocultural/programacao/programacao_cultural.asp

ENCONTROS: TOMIE OHTAKE & NOBUO MITSUNASHI OLHARES OBLÍQUOS Artistas Participantes: Albano

OKINAWA, TERRA DA CORTESIA NO FESTIVAL NIKKEY MATSURI – ESTAÇÃO JD SÃO PAULO Realização: Nikkey Matsuri –

EXPOSIÇÃO

EDITORA JORNALÍSTICA UNIÃO NIKKEI LTDA. CNPJ 02.403.960/0001-28

Rua da Glória, 332 - Liberdade CEP 01510-000 - São Paulo - SP Tel. (11) 3208-3977 Fax (11) 3208-5521 Publicidade: Tel. (11) 3208-3977 Fax (11) 3341-6476 comercial@nippak.com.br cristiane@nippak.com.br

www.nikkeymatsuri.nw.org.br e Assoc.Okinawa Kenjin do Brasil www.okinawa.com.br Até 30/04/2012 Informações: 11/3291-7800 e www.metro.sp.gov.br/cultura/acaocultural/programacao/programacao_cultural.asp a partitura do jardim – estação são bento Curador: Oscar D´Ambrósio Artista: Marli Takeda www.marlitakeda.blogspot.com Até 30/04/2012 Informações: 11/3291-7800 e www.metro.sp.gov.br/cultura/acaocultural/programacao/programacao_cultural.asp pinturas chinesas tradicionais - ESTAÇÃO clínicas Artista: fongshlu@gmail.com Até 30/04/2012 Informações: 11/3291-7800 e www.metro.sp.gov.br/cultura/acaocultural/programacao/programacao_cultural.asp RENASCIMENTO DO JAPÃO: UM ANO APÓS A TRAGÉDIA – ESTAÇÃO BRÁS Colaboração: Fuji Film Apoio: Fundação Japão Realização: Consulado Geral do Japão em São Paulo www.sp.br.emb-japao.go.jp Até 30/04/2012 Informações: 11/3291-7800 e www.metro.sp.gov.br/cultura/acaocultural/programacao/programacao_cultural.asp DESINFORMAÇÃO FUNCIONAL – Desenhos em português – MARCO MAGGI A exposição reúne 12 trabalhos que ilustram uma singular poética a favor do tempo, da dúvida e do devaneio. Onde: Instituto Tomie Ohtake (Rua Coropés 88, Pinheiros) Até 13/05/2012 Horário: de 3ª a domingo das 11h às 20h Ingresso: Entrada Gratuita Informações: 11/2245-1900 ou www.institutotomieohtake.org.br TEATRO DOZE HOMENS E UMA SENTENÇA Uma das dez melhores peças em cartaz na cidade durante quase todo o ano de 2011, o espetáculo volta em nova temporada. Onde: Tucarena (Rua Monte Alegre 1024, Perdizes/Pompéia) Até 29/04/2012. Horário: sextas e sábados, às 21h e aos domingos, às 19h30 Ingresso: de R$ 50,00 a R$ 60,00 Informações: 11/3670-8455 / 11/3670-8462 www.teatrotuca.com.br EXCURSÃO TAYO ONSEN - CALDAS NOVAS/ GO Saída no dia 14/05/2012 às 20h e retorno no dia 18/05/2012 às 21h. Haverá Karaoke Dance nas noites dos dias 15, 16 e 17/05/2012. Reservas e maiores informações com Emilia Iritsu Tel.11/3751-9910, Meily Tel.11/3774-7456 11/3774-7457 ou Jose Iritsu Tel.11/9857-3845. “10º DANCE COMIGO” NOS ANOS DOURADOS DO COSTÃO DO SANTINHO/FLORIANÓPOLIS De 31/05/2012 a 03/06/2012 Show de profissionais de Dança de Salão; Show Nacional do ERASMO CARLOS; Apresentação do Cantor NOBUHIRO HIRATA; Baile do PRETO E BRANCO e Diversas atrações. Pacotes Rodoviário e Aéreo Inscrições e informações: Beth Tel.11/3209-2609, Cel./9904-2237 e e-mail: bethpromoter@gmail.com ou Rosa Tel.11/5051-3776 e e-mail: reservas@tochatour.com.br

JORNAL NIPPAK

Diretor-Presidente: Raul Takaki Diretor Responsável: Daniel Takaki Jornalista Responsável: Takao Miyagui (MTb. 15.167) Redator Chefe: Aldo Shiguti Redação: Luci J. Yizima Colaboradores: Erika Tamura, Jorge Nagao, Kuniei Kaneko, Shigueyuki Yoshikuni, Célia Kataoka, Paulo Maeda, Cristiane Kisihara e Osmar Maeda (Zona Norte) Periodicidade: semanal Assinatura semestral: R$ 60,00 jornaldonikkey@yahoo.com.br

PALESTRA Palestra: OHENRO Dia 28/04/2012 Horário: das 15h às 17h Onde: Assoc.da Província de Kagawa no Brasil (Rua Itaipu 422, Mirandópolis) Palestrante: Hirohumi Matsuoka - Diretor da NPO (NPO Shikoku Henro Pilgrim and the Hospitality Network) Ingresso: Entrada Gratuita Informações: http://www.omotenashi88.net/en/index.html e http://www.tourismshikoku.org/ features/o-henro/ Para participar solicitamos confirmação através dos telefones: 11/5587-5303 ou 11/2276-0281com Fátima ou Carlos, ou através do e-mail: contato@kagawa.com.br BAZAR E KARAOKÊ Associação Beneficente Feminina “Esperança” A Associação Beneficente Feminina “Esperança” realizará no próximo dia 6 de maio, no salão do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), o seu tradicional Bazar Beneficente. Paralelamente ao bazar, haverá o 22º Festival de Karaokê Feminino com início às 8 horas, no Grande Auditório do Bunkyo. O quê: Bazar Beneficente da Associação Beneficente Feminina Esperança Quando: Dia 6 de maio. 22º Festival de Karaokê, início às 8 horas Informações pelo tel.: 11/3208-3249 undokai UNDOKAI 2012 – Itapecerica da Serra/SP Diversas atividades esportivas e a presença da cantora Karen Ito. Onde: Assoc.Cult.e Esp.de Itap.da Serra (Rua Hikari Kurachi 756, Potuverá) Dia 29/04/2012 Horário: 9h Informações: 11/4667-1525 Karaokê dance KARAOKÊ DANCE IMIRIM Onde: Kaikan do Imirim (Rua Carolina Roque 274, Imirim) Dia 28/04/2012 Horário: 18h às 23h Ingresso: R$15,00 KARAOKÊ-DANCE NIKKEY CULTURAL

São Paulo, 27 de abril a 03 de maio de 2012 Pioneiro nessa atividade cujo objetivo é de proporcionar um ambiente familiar onde os freqüentadores cantam suas músicas preferidas e dançam ritmos como o cha cha cha, rumba, forro, samba e country. Todo 2º e último Domingo do mês realizamos bailes com música ao vivo com a participação do vocalista e tecladista Issamu Music Show, das 18h às 22h. Onde: Nikkey Cultural (Praça Almeida Jr. 86 A, Liberdade) Informações: 11/3774-7456 / 37747457 / 3774-7443 www.nikkeycultural.com.br baile BAILE ÉRIKA KAWAHASHI Música ao vivo Animação: Profa, tecladista, cantora e jurada Érika Kawahashi. BAILE com PERSONAL DANCERS da ACADEMIA DANÇANDO NA LUA e sorteio de brindes e de jóia. Onde: Associação AICHI (Rua Santa Luzia 74, Metrô Liberdade) Dia 19/05/2012. Horário: 18h30 às 23h (refeição à parte) Informações: 11/2578-3829, 11/5589-7789 erika.kawahashi@yahoo.com.br IV NOITE DO HAVAÍ Onde: Hall Social do Bunkyo (Rua São Joaquim 381, Liberdade) Dia 12/05/2012 Horário: 19h às 23h30 Ingresso: R$25,00 (antecipado) e R$30,00 (na porta) Traje característico e/ou esporte fino Estacionamento (terceirizado): File Park - Rua Galvão Bueno, 540 (R$ 10,00 com apresentação deste convite) CURSO AULAS DE DANÇA Professores Sergio e Rosa Taira. Onde: Assoc. Shizuoka Kenjin (Rua Vergueiro 193, Liberdade) As 2ª e 3ªfeiras Horário: 13h às 17h Informações: 11/5588-3085 e 11/7174-8676 CURSO DE DESENVOLVIMENTO PESSOAL ATRAVÉS DO TEATRO O curso é baseado no método da diretora americana Viola Spolin com muitos jogos teatrais e improvisações, para melhorar a comunicação, expressão vocal e corporal e aumentar a criatividade, com Ricardo Oshiro e Henrique Kimura. Onde: Assoc.Assist.e Cult.Iwate

Kenjinkai do Brasil (Rua Thomaz Gonzaga 95, Liberdade) Até 28/04/2012 Horário: Sábados das 13h ás 16h 12 encontros (descanso no sábado de carnaval) Informações e Inscrições: http://www.transformatores.com.br/ Investimento: R$150,00/Mês Super Promoção R$75,00 No 1º Mês Para Todos! AULAS DE DANÇA Onde: Soc. Bras. de Cult. Japonesa – Bunkyo (Rua São Joaquim 381, Liberdade) As 5ª feiras Horário: 17h às 19h Informações: 11/5588-3085 e 11/7174-8676 NIKKEY CULTURAL - CURSOS Karaokê: aulas com o prof. e maestro Hideo Hirose (2ª, 3ª, 4ª, 6ª e sábado) e a profa. Tsuguiko Hongo (5ª). Dança Social: Prof. Murae domingo (de manhã), Prof. Hayashi (2ª das 15h às 20h), Prof. Tahira (6ª das 13h às 16h30), Profa. Luciana Mayumi - Aulas de Tango (2ª e 4ª das 20h30 às 23h), Profa. Massako Nishida (4ª das 9h às 16h), Prof. Willian (sábado à tarde), Profa. Sato Tazuko (sábado de manhã) e Profa. Yukie Miike (3ª, 5ª e domingo, diversos horários). Aulas de Violão, Guitarra e Baixo: Prof. Eder (sábado das 9h às 18h) Aulas de Japonês: (básico, intermediário e avançado) Profas. Keiko, 2ª e Isabel Kayoko, diversos horários. Obs: aulas de Português para estrangeiro com Profa. Isabel Kayoko. Aulas de Inglês: (básico, intermediário e avançado) Prof.Anderson (sábado), Profa. Priscila (diversos horários). Aulas de Informática: Prof. Victor Kawata (diversos horários) Aulas de teclado: Profa. Neide (diversos horários) Tênis de Mesa: Prof. Mario Nakao - Técnico da Butterflay (diversos horários). Onde: Nikkey Cultural (Praça Almeida Jr. 86 A, Liberdade) Informações: 11/3774-7456, 11/3774-7457 e 11/37747-4430 com Meily (das 9h às 17h e sábado das 9h às 14h) Informações e divulgação de eventos com Cristiane Kisihara e-mail cris_kisihara@hotmail.com ou Tel.11/3208-3977 e sidneyduplohiro@hotmail.com


JORNAL NIPPAK

São Paulo, 27 de abril a 03 de maio de 2012

3

abastecimento

COLUNA DA ERIKA TAMURA

Sincaesp é homenageado na Câmara Municipal de São Paulo

E

m sessão solene realizada na noite desta segunda-feira (23), no Plenário 1º de Maio no Palácio Anchieta, a Câmara Municipal de São Paulo concedeu a Salva de Prata ao Sincaesp (Sindicato dos Permissionários em Centrais de Abastecimento de Alimentos do Estado de São Paulo). A homenagem foi proposta pelo vereador suplente Victor Kobayashi (PSD). A mesa foi composta pelo deputado suplente Walter Ihoshi (PSD-SP); vereador Cláudio Prado (PDT) – que passou a presidência para o proponente –; por Cleiton Gentili, coordenador do Codeagro (Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios) – órgão vinculado à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo; pelo presidente do Sincaesp, José Robson Coringa Bezerra; e por Celso Tadashi Itiki e Osvaldo Koga, respectivamente, vice-presidente e diretor esportivo e social do Sincaesp. Também estiveram presentes o presidente do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), Kihatiro Kita; e o presidente do Conseg Liberdade (Conselho Comunitário de Segurança da Liberdade) e do Instituto Ícaro, Akio Ogawa. Na ocasião, o Sincaesp homenageou o empresário Mário Benassi; o presidente do Sindicato dos Carregadores Autônomos, José Pinheiro de Souza; e um dos fundadores do Sincaesp, Sadao Nagata, da Associação Embu-Hino; que ajudaram a construir a história do sindicato. Antes da série de discursos, foi feito um minuto de silêncio em respeito à memória de Alice Koga, mãe de Osvaldo Koga. Coube ao vice-presidente do sindicato, Celso Tadashi, a missão de contar a história do Sincaesp. Ele lembrou que o início do sindicato remonta a década de 50, quando ainda chamava-se Associação das Entidades Agrícolas do Estado de São Paulo (Agresp). Na década de 70, passou a denominar-se Associação dos Usuários de Centrais de Abastecimento do Estado de São Paulo (Assuesp) e somente em 1988 passou à condição de sindicato. Atuação – Nesses anos, permissionários e atacadistas em todas as Centrais de Abastecimento do Estado de São Paulo, foram o foco da entidade seja para dinamizar o setor

Walter Ihoshi: “Desafios”

aldo shiguti

Victor Kobayashi entrega a placa ao presidente do Sincaesp ladeado por Gentili, Tadashi, Ihoshi e Koga

ficou Kobayashi, lembrando que a homenagem foi proposta durante seu curto mandato mandato de um mês na Câmara Municipal de São Paulo. “Não poderia deixar de homenagear este importante sindicato que defende os trabalhadores, os permissionários e o abastecimento em São Paulo, a ponta final da cadeia alimentar”.

Sadao Nagata, Mario Benassi e José Pinheiro foram homenageados

varejista ou para a implantação de novos varejões. Entre suas atribuições, o Sincaesp participou da criação da Portaria 127 sobre padronização de embalagens e desde a formação do Mercosul, tem participado na discussão de projetos para padronização e a classificação de diversos produtos através da regularização do SGT - 3 “Regulamentos Técnicos” - Grupo AD - Hoc de Frutas e Hortaliças Frescas. Além disso, participa do SGT - 8 Política Agrícola - Ações Políticas para Implantação de Normas para o Mercosul e do Programa Paulista de Classificação e Padronização de Hortifrutis. O coordenador do Codeagro aproveitou o “clima de festa” para “abrir as portas” da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo para o setor. Constatou “sinergia” e “possibilidade de atuação em parceria”, mas destacou também que “existem muitos desafios pela frente, como as questões do agrotóxico, financiamento

e logística”. No final de sua fala, Gentili pediu “união” para superar os obstáculos. Desafios – O deputado federal Walter Ihoshi observou que “a história do Sincaesp se confunde com a luta dos agricultores da região metropolitana de hortifruti que se dedicaram ao abastecimento”. Reafirmou que os desafios “são grandes porque São Paulo é uma cidade que não para de crescer e é preciso resolver questões de logística e de padronização”. “O Sincaesp ainda tem um papel fundamental na sociedade”, ressaltou Ihoshi, Segundo Victor Kobayashi, o Sincaesp é o principal sindicato que defende os direitos e deveres dos permissionários, visando garantir o abastecimento da cidade de São Paulo. “Por isso, prestamos homenagem a essa entidade, pelos trabalhos realizados visando sempre uma melhor qualidade de trabalho aos permissionários junto ao Ceagesp”, justi-

Coringa: “Dificuldades”

Desabafo – Em entrevista ao Jornal Nippak, José Robson Coringa Bezerra destacou a importância da homenagem. “Receber esta Salva de Prata é extremamente importante para o setor que representa o abastecimento pois significa estar mais próximo desta Casa. O Sincaesp convive com dificuldades desde que nasceu, na Cantareira, e continua convivendo com elas na Vila Leopoldina. As dificuldades aperecem quando a cidade começa a se organizar e aí começam a surgir também as incompatibilidades, as insatisfações. Nesses momentos são necessários diálogos e estar sempre em parceria com o poder público, seja ele municipal, estadual ou federal. É preciso reconhecer a importância de quem produz, transporta, vende e faz a logística. É preciso reconhecer a importância de quem tem sensibilidade para enfrentar as intempéries da natureza e, mesmo assim, faz este meio de campo para que os produtos perecíveis cheguem até o consumidor”, explicou Coringa, acrescentando que o Sincaesp responde por 60% do abastecimento em São Paulo. (Aldo Shiguti)

Kobayashi: “Reconhecimento”

Vôlei Futuro Eu sempre fui apaixonada por vôlei, desde garota. Deve ser herança genética, visto que minha mãe é torcedora fanática desde a geração anterior à geração de prata. Semana passada vivi momentos intensos com a semifinal e final da liga nacional de vôlei masculino. O time da minha cidade Araçatuba, estava lá no páreo, é o vôlei Futuro de Araçatuba para o Brasil. São vários sentimentos misturados que até hoje não sei explicar, uma mistura de saudades, paixão, orgulho, todas as sensações juntas. E parece que tudo isso beira o extremismo quando moramos longe. Eu aqui do Japão tentando viver todas as emoções que os araçatubenses estavam passando na cidade ao ver o time de vôlei masculino despontando para a busca de um título inédito para a cidade. Na semifinal, onde o jogo foi realizado no Maracanãzinho no Rio de Janeiro, acompanhei o jogo pela internet, torcendo e vibrando a cada ponto. No outro jogo que fora disputado em Araçatuba, eu vi as imagens do jogo pela internet, abaixei o volume e escutei a transmissão pela rádio Cultura AM de Araçatuba. A narração de Marco Serelepe me deixou muito emocionada, o sentimento que ele passa via rádio me transportou para dentro do ginásio Plácido Rocha e me senti uma torcedora fisicamente presente em Araçatuba. Para mim que moro há 14 anos no Japão, o significado de tudo isso (Vôlei Futuro, Rádio Cultura, torcida, barulho do ginásio) tem valores com dimensões infinitas, que o dinheiro não compra, que as palavras não descrevem, que a boca não diz, apenas sente-se! Não há outra explicação para o que eu senti naquele momento. O narrador Marco Serelepe, conseguiu a façanha de encurtar as distâncias entre Brasil e Japão, conseguiu fazer com que eu me sentisse em Araçatuba novamente, confesso que tinha momentos que chorei de saudades, de emoção, não sei. O Vôlei Futuro infelizmente não sagrou-se campeão, mas à essa altura do campeonato, quem se importa? Para mim, esse time já foi campeão há muito tempo e em vários quesitos. E tenho certeza que na cabeça de cada torcedor araçatubense também

corre a mesma linha de pensamento. Porque pensem bem, um time do interior de São Paulo, chegar onde chegou é realmente louvável, não que times do interior não tenha tal capacidade, muito pelo contrário, mas o que vi foi um certo protecionismo com os times da capital, uma prova disso são os próprios narradores da rede de televisão, e seus comentaristas que faziam questão de desmerecer o time de Araçatuba e não perdoavam nenhum detalhe em que pudessem subestimar o vôlei Futuro. Achei uma tremenda falta de respeito e profissionalismo. Mas enfim, o time de Araçatuba mostrou que o nível não é de brincadeira, e estrutura para ser campeão o time tem. Não posso deixar de destacar a garra dos jogadores, que mesmo quando o placar era desfavorável acreditaram até o fim. Jogadores que lutaram bravamente e hoje são campeões nos corações dos torcedores. Esses jogadores que jogam com raça são aqueles que caem na graça da torcida e tem a sua imediata identificação com ela, não é mesmo Lorena? Não só o Lorena, mas todos os jogadores, temos que ressaltar o trabalho de toda uma equipe. E a torcida hein, que torcida maravilhosa! Lotou todos os jogos, enfrentou filas, percalços para poder acompanhar esse time, e levaram 35 ônibus para São Bernardo, incrível! Eu, mesmo de longe acompanho todos os passos do Vôlei Futuro, não somente os jogos, mas os projetos em si, que são projetos que a mídia não divulga, mas fazem toda a diferença na vida de cada cidadão araçatubense. Sou torcedora, sou araçatubense, mas acima de tudo sou apaixonada por esse time. E acredito muito no futuro desse projeto social/esportivo. Se depender de mim, o Vôlei Futuro será muito bem divulgado aqui no Japão. Independente de ser campeão ou não, o título é só a consequência de um trabalho, mas o time que tem essa torcida, está muito bem assessorado, diria até que é um time plenamente feliz! *Erika Tamura é natural de Araçatuba (SP) e há 14 anos reside no Japão, onde trabalha com desenvolvimento de criação. E-mail: erikasumida@hotmail.com


JORNAL NIPPAK

4

São Paulo, 27 de abril a 03 de maio de 2012

COMUNIDADE/KARAOKÊ

Para o presidente da Abcel, ‘mal-estar’ poderia ter sido evitado com diálogo

E

leita no dia 7 de abril, a nova diretoria da UPK (União Paulista de Karaokê) toma posse na próxima quarta-feira (2 de maio), com um sério problema a ser resolvido. Trata-se do imbróglio causado pela realização do 19º Concurso de Karaokê do Estado de São Paulo, o Paulistão, que, conforme garantiu o presidente reeleito da entidade, Toshio Yamao, em entrevista publicada na edição passada do Jornal Nippak, terá a cidade de Campinas como sede. O anúncio, da forma como ocorreu, por meio de comunicados, provocou indignação no presidente da Abcel (Associação Beneficente, Cultural e Esportiva de Lins), Akio Matsuura, que até então se achava no direito de receber o principal evento anual da UPK. Em nota assinada por Akio Matsuura e divulgada à imprensa, a Abcel alega que “fomos surpreendidos, estar-

arquivo

Akio Matsuura: “Se havia alguma possibilidade de mudança, deviam ter nos avisado”

recidos até, pela notícia de que não iríamos sediar mais o Paulistão”. E prossegue: “Conforme esclarece a própria UPK, só havia dois candidatos – Bauru e Lins – na primeira escolha, ocorrida logo após o certame em Suzano. Dada a desistência da primeira, por direito, coube

a vaga a Lins. Mantivemos, na ocasião, contato com o dirigente da UPK que esclareceu-nos a respeito da parceria, com o CEO do Blue Tree Park Lins, dona Chieko Aoki ainda na capital sob a cessão do espaço para o evento, e também com o deputado Hélio Nishimoto, e todos não ti-

nham dúvida do local do Paulistão”. Matsuura finaliza afirmando que, “sorrateiramente, mas uma reunião extraordinária em Campinas, no dia 7 de abril, após dois meses, aceitando inclusive novos candidatos intempestivamente sem nos comunicar, foi realizada

Leia a nota de esclarecimento divulgada pela Abcel O Paulistão em Lins Fomos surpreendidos, estarrecidos até, pela notícia de que não iríamos sediar mais o Paulistão. Conforme esclarece a própria UPK, só havia dois candidatos – Bauru e Lins – na primeira escolha, ocorrida logo após o certame em Suzano. Dada a desistência da

primeira, por direito, coube a vaga a Lins. Mantivemos, na ocasião, contato com o dirigente da UPK que esclareceu-nos a respeito da parceria, com o CEO do Blue Tree Park Lins, dona Chieco Aoki ainda na capaital sob a cessão do espaço para o evento, e também com o deputado Hélio Nishimoto, e todos não tinham dúvida do local do Paulistão.

Sorrateiramente, mas uma reunião extraordinária em Campinas, no dia 7 de abril, após dois meses, aceitando inclusive novos candidatos intempestivamente sem nos comunicar, foi realizada a tal assembleia. Mesmo depois de decidido a nova sede, solicita-nos relação de hoteis de Lins, isto em 11 de abril, e só então comunica-nos de

que não iríamos sediar mais o Paulistão. Aqui ficam os nossos esclarecimentos e os nossos protestos. E iremos submeter à Diretoria o nosso desligamento da tal entidade. Akio Matsuura Presidente da Associação Beneficente, Cultural e Esportiva de Lins

a tal assembleia. Mesmo depois de decidido a nova sede, solicita-nos relação de hoteis de Lins, isto em 11 de abril, e só então comunica-nos de que não iríamos sediar mais o Paulistão”. Manobra – Procurado pela reportagem do Jornal Nippak, Akio Matsuura confirmou sua versão. Disse que foi informado, pelo próprio presidente da UPK, que Lins sediaria o Paulistão em 2013. “Deve ter ocorrido alguma manobra política para levar o Paulistão para Campinas já que a Liga de lá é muito forte”, acusou Matsuura, lembrando que, em julho de 2011, Lins sediou, “com sucesso”, o 26º Concurso Brasileiro da Canção Japonesa, evento organizado pela Abrac (Associação Brasileira de Canção), “cuja estrutura é totalmente diferente da UPK”. Matsuura explicou que, após o 18º Paulistão, realizado em fevereiro, na cidade de Suzano, não tocou mais no assunto com Yamao por achar que estava tudo certo. “Se houve uma alteração, ele teria que nos ligar informando a mudança. Recebemos apenas um e-mail em abril comunicando que Lins não seria mais a sede”, conta Matsuura, para quem “Bauru entrou no páreo apenas para desistir”. O presidente da Abcel acredita que Lins foi descartada em função dos custos de hospedagem, considerados caros pela UPK. “A pe-

dido da UPK, enviamos uma relação de hotéis alternativos antes mesmo de sabermos que Campinas já havia sido escolhida. Foi uma falta de consideração”, criticou Matsuura. Além de lamentar o ocorrido, Akio Matsuura disse que deve se reunir com o Departamento de Karaokê da Abcel talvez nesta semana para tomar uma decisão. “Não queremos tomar nenhuma atitude precipitada, que possa prejudicar quem gosta de karaokê. Ao contrário, nossa intenção é justamente o de trabalhar ainda mais para fortalecermos a Liga Noroeste, da qual Lins faz parte. A ideia é trazermos outros eventos de grande porte para Lins e assim divulgarmos ainda mais essa tradição. Estamos tristes, sim, por não sediarmos o Paulistão de 2013. Só gostaríamos de saber o que de fato aconteceu para a entidade ter voltado atrás. Foi esquisito, pois, se havia uma possibilidade de mudança, deveriam ter informado. É um problema que poderia ter sido evitado”, alega Matsuura. O outro lado – Procurado pela reportagem do Jornal Nippak, o presidente da UPK, Toshio Yamao concedeu entrevista, por telefone, na noite desta terça-feira (24). No dia seguinte, no entanto, enviou e-mail à redação para que suas declarações não fossem publicadas. (Aldo Shiguti)

combate ao crack

Projeto leva palestra de conscientização para associações nikkeis Os dados são alarmantes. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas no Brasil existem hoje cerca de 6 milhões de usuários de crack. Estudos da Secretaria Nacional Antidrogas (Senad), somente 30% dos viciados submetidos a tratamento obtém a cura. Outros 30% mantém o uso e o restante evoluem para o óbito devido as diversas complicações. Do grupo de usuários de crack, 85% estão relacionados à violência. Até 2014, o Ministério da Saúde deve investir, em todo o país, R$ 2 bilhões na implantação e ampliação dos serviços aos usuários da droga, incluindo a criação de mais de 13,5 mil novos leitos. Para a capital paulista, o recurso em 2012 é de aproximadamente R$ 6,4 milhões. Além disso, há mais R$ 23,7 milhões destinados ao teto financeiro de média e alta complexidade visando aumentar o financiamento de CAPS, investimento 68% a mais do que foi destinado em 2011. Na capital, o recurso permitirá o custeio de 150 leitos - em três anos, a quantidade deve ultrapassar 1,6 mil. Além disso, haverá o custeio de 16 consultórios de rua. Recentemente, o Ministério da Saúde também anunciou a ampliação em mais R$ 62 milhões os recursos extras destinados a melhorias e à reestruturação dos 46 hospitais universitários federais do país. Os recursos fazem parte do Programa de Expansão e Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (REHUF) e devem ser empregados na aquisição de equipamentos, reformas e

aldo shiguti

O diretor técnico do Hospital Santa Mônica, Milton Osaki: “Ainda existem muitas dúvidas”

na ampliação do atendimento à população. Convite – Números que, para o diretor técnico do Hospital Santa Mônica, Milton Osaki (ex-Santa Cruz e HC), encorajaram e estimularam a necessidade de enfrentar o problema de frente e de mostrar que a epidemia não escolhe cor nem classe social. Para isso, Osaki desenvolveu o Projeto Consciência, que, como o próprio nome sugere, tem o objetivo de mobilizar a comunidade através da conscientização sobre os malefícios da droga. “Trata-se de uma ação social integrada a outras ações sociais. Através desta conscientização, será possível almejar um enfrentamento do crescente número de doenças e

advindas do uso de drogas”, explica Osaki, lembrando que o projeto vem de encontro com a proposta do Santa Mônica, que desde 2010 tem se dedicado ao atendimento de internações psiquiátricas, sobretudo ligados à dependência química. “A necessidade de se criar

um projeto nesse sentido surgiu através de discussões com os diretores da instituição, que decidiram se engajar no assunto, até porque parece fácil ficar tratando os dependentes. Mas a ideia é chamar a atenção principalmente para o crack, que consideramos a pior das drogas”, esclarece Osaki. O projeto consiste em apresentar palestras de cerca de 60 minutos em associações comunitárias por médicos psiquiatras do Santa Mônica onde são abordados os efeitos sobre a saúde do uso de drogas. Além do crack, são abordados a maconha, cocaína, o álcool e o fumo. Segundo Osaki, que estende o convite também para as associações e entidades nipo-brasileiras, nas palestras os médicos psiquiatras orientam como os pais devem discutir com os filhos a prevenção do envolvimento com drogas. “O perigo está mais próximo do que imaginamos. O crack é algo que não pega de uma só vez, vai afundado o indivíduo aos poucos”, alerta Osaki, acrescentando que hoje o Santa Mônica conta com 120 leitos para tratamento de dependentes químicos, sendo que 80

estão ocupados por viciados em geral. “O tratamento de dependente químico exige certos protocolos, como o isolamento da própria família. Localizado em uma região estratégica, em Itapecerica da Serra, o Hospital Santa Mônica possui uma ala especializada e conta com uma equipe médica que inclui mais de 150 colaboradores diretos, incluindo um consultor em dependência química, que nada mais é do que um ex-viciado, médicos psiquiátricos e um médico clínico 24 horas por dia”, explica, acrescentando que, por mais paradoxal do que possa parecer, a intenção do projeto é fazer com que o hospital não tenha nenhum paciente. “A dependência química

é uma das doenças que mais cresce no país. Tanto que o DORT (Distúrbio Osteo-muscular Relacionado ao Trabalho) e LER (Lesões por Esforços Repetitivos) deixaram de ser as doenças campeãs absolutas de afastamento do trabalho para dar lugar à dependência química”, justifica Osaki, afirmando que “ainda existem muitas dúvidas e perguntas para serem esclarecidas”. Afinal, diz Osaki, a informação ainda é o melhor remédio. Serviço – Associações comunitárias e entidades nipo-brasileiras que desejarem a realização de palestras gratuitas sobre os malefícios da dependência química podem telefonar para: 11/4667-1455. (Aldo Shiguti)

HIPNOTERAPIA CONDICIONATIVA Técnica de Liberação Emocional Para tratamento de problemas como depressão, estresse, ansiedade, dores emocionais (desilusão amorosa), etc. Mais informações: Beto Uehara Tel. (11) 3151-2946 / 8702-6758 ueharabeto@gmail.com

VENDE-SE LOJA ESPACO DAS ESSENCIAS LTDA-ME Preco inicial de oferta: R$ 150.000,00 Rua Padre João, 257 - Penha (11) 4508-2774 / (11) 2642-8035 (11) 9980-4860 (Rosa Yoshimura) e-mail: rosa.k.yoshimura@gmail.com


São Paulo, 27 de abril a 03 de maio de 2012

JORNAL NIPPAK

SÃO PAULO

CIDADES/OSASCO

Associação Brasileira realiza exposição de carpas na Capital

D

epois de mais de cinco anos ausente, a Exposição Brasileira de Nishikigoi retorna à capital paulista nos dias 5 e 6 de maio, no Parque da Água Branca, na zona Oeste de São Paulo. Realizado pela Associação Brasileira de Nishikigoi, a 31ª edição reunirá entre 30 e 40 expositores. Um dia antes da abertura acontece um Concurso Nacional com a presença de juízes da Zen Nippon Airinkai, da qual a ABN é filiada. Trata-se de em evento fechado para os associados no qual são avaliados tamanho, variedade, estampa e cor, tal qual um concurso de beleza. Quando a exposição abrir suas portas para o público, os vencedores já serão conhecidos. Ao trazer a exposição de volta para a Capital, explica o atual presidente da ABN, Looney Sadaharu Onishi, a entidade pretende divulgar a criação de carpas, também conhecida pelos colecionadores como “jóias que nadam”, “joias vivas” ou “peixe nacional do Japão”. “É fácil criar e sua manuten-

divulgação

ção não requer grandes cuidados”, disse Onishi, que tomou gosto pela criação com o pai, Sadao Onishi, que também comandou a associação. Segundo Onishi, uma car­ pa pode atingir um metro, sendo que no Brasil os grandes exemplares costumam medir, em média, 80 centímetros. “Com uma ração, um filtro para manter a água sempre cristalina e um tanque com aproximadamente 2 mil litros de água é possível ter sua própria criação”, conta Looney, lembrando que os visitantes que compareceram à exposição poderão esclarecer suas dúvidas com especialistas da ABN. (Aldo Shiguti)

Chamadas de “joias que nadam”, carpas tem até concurso

Junji Abe consegue recursos para eventos culturais da comunidade de São Paulo, Sorocaba e Araçatuba divulgação

A Festa Japonesa de Sorocaba é uma das contempladas

Segundo o deputado, “a destinação de recursos é importante para custear parte da infraestrutura necessária aos eventos, realizados por entidades sociais sem fins lucrativos, que dependem de patrocínios e contribuições da sociedade”. Os eventos a serem beneficiados com re-

Acenbo promove o 48° Undokai em Osasco divulgação

Neste ano, o undokai será realizado no dia 6 de maio, a partir das 8h30, na sede esportiva da Acenbo

O undokai é uma tradicional gincana poliesportiva que reúne as famílias da comunidade nikkei para confraternizarem e participarem de atividades esportivas. No Japão, é realizado entre os meses de setembro e novembro, du31ª Exposição Brasileira rante o outono do hemisfério de Nishikigoi norte. No Brasil, muitas assoQuando: Dias 5 e 6 de maio ciações nikkeis preservam a Abertura: Sábado, das 10 às 18 tradição japonesa e realizam horas. Domingo, das 9 às 16 hoo undokai no período entre ras maio e agosto. Onde: Parque Dr. Fernando A Acenbo (Associação Costa (Av Francisco Matara- Cultural e Esportiva Nipozzo, 445 – Água Branca) -Brasileira de Osasco) orgaEntrada franca niza seu undokai desde 1964, Informações pelo tel.: com o propósito de integrar 11/7710-1853 as famílias da comunidade nikkei de Osasco. Nessa 48° edição, a gincana será realizada no dia 6 de maio, a partir das 8h30, na sede esportiva da Acenbo, localizada no

CIDADES/SÃO PAULO/SOROCABA/ARAÇATUBA

Em atendimento a solicitações do deputado federal Junji Abe (PSD-SP), o governo estadual autorizou a liberação de R$ 240 mil para a realização de três tradicionais festejos da comunidade nipo-brasileira em São Paulo, Sorocaba e Araçatuba. O Festival Kohaku Uta Gassen, a 4ª Festa Japonesa de Sorocaba e a 3ª Japan Fest serão contemplados com recursos a serem repassados pela Secretaria de Estado da Cultura. Junji explicou que a busca de recursos para os eventos culturais complementa os trabalhos em execução junto ao Estado e à União. “Priorizamos o atendimento aos setores essenciais como saúde, educação, infraestrutura e desenvolvimento agrário, mas não poderíamos nos esquecer das manifestações culturais que fazem parte da história do povo”, pontuou.

5

cursos estaduais serão realizados no segundo semestre do ano. Em São Paulo, a Associação Cultural e Recreativa Grupo The Friends contará com R$ 60 mil para realizar o Festival Kohaku Uta Gassen que consiste na apresentação intérpretes da música

japonesa. A cargo da Ucens – União Cultural Esportiva Nipo-Brasileira de Sorocaba, está a organização da 4ª Festa Japonesa. O evento reúne mais de 15 mil visitantes em dois dias e terá contribuição financeira de R$ 100 mil do Estado. Tanto o evento de Sorocaba quanto a 3ª Japan Fest, promovida Associação Cultural Nipo-Brasileira de Araçatuba, visam preservar a cultura japonesa e difundir tradições orientais. Esta última será contemplada com o repasse de R$ 80 mil. Ambas despontam na preferência do público pela avantajada oferta de iguarias da culinária nipônica, além de múltiplas atividades artístico-culturais, com destaque para apresentação de danças folclóricas, artesanato e shows musicais, como os grupos de taikô – milenares tambores japoneses.

Jardim Umuarama. A programação está repleta de competições esportivas para pessoas de todas as idades, atividades lúdicas e apresentações de taiko e danças folclóricas. Os participantes também poderão aproveitar o baiten e compras no bazar. As atividades se desenvolverão ao longo de todo o dia e o público estimado para esse ano é de 3 mil pessoas, entre famílias associadas e convidados. A entrada é franca e não é necessário apresentar convites. 48° Undokai da ACENBO Data: 6 de maio Horário: a partir das 8h30 Local: Rua Acenbo, 100, Jardim Umuarama, Osasco Entrada franca

COLUNA DO YOSHIKUNI

Passaporte para o além Outro dia, jogando conversa fora numa rodinha – havia muitas pessoas ao redor – pós missa de 49 dias de um amigo em comum – perguntaram-me como conseguia publicar a necrologia de muitos patrícios, com fotos. Respondi que possuía uma coleção de fotos de personalidades mais conhecidas na comunidade e prováveis candidatos a viajarem sem passagem de volta. E a coleção estava diminuindo num ritmo não muito lento. E até fiz um prognóstico sombrio: nesses dois ou três anos todos teriam partido. E talvez nem haveria mais alguém para escrever necrologias... Passadas algumas semanas, apareceu um patrício não muito idoso, uns setenta

anos. Um tanto pálido. Via-se que não gozava de boa saúde. Queria fazer-me um pergunta e pediu-me responder com sinceridade. -Minha foto está na sua coleção? Claro que não- respondi-lhe. Aliás, nem o conheço. O senhor mora por aqui? Diante da negativa, agradeceu e despediu-se mais tranqüilo e até sorrindo. Após o visitante ter partido, fiquei matutando. Cheguei à conclusão que não possuía no meu arquivo nem uma foto minha digna de ser publicada num acontecimento tão importante ora em questão. Fiquei de falar, urgente, com a Norma ou com o Yassushi, meus fotógrafos preferidos. (Shigueyuki Yoshikuni)

CIDADES/RIO DE JANEIRO

Comunidade nikkei saúda o embaixador Akira Miwa O embaixador do Japão, Akira Miwa, foi recepcionado no último dia 17 pela comunidade do Estado do Rio de Janeiro na Associação Nikkei do Rio de Janeiro. Chegou conduzido pelo cônsul geral do Japão Masaru Watanabe. Apesar de estar no Brasil há 2 anos, o embaixador visitou o Rio pela primeira vez. Foi muito simpático durante o churrasco realizado pelas quatro entidades nipo-brasileiras: Renmei-Associação Cultural e Esportiva Nipo-Brasileira do Estado do Rio de Janeiro, Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Rio de Janeiro, Associação Nikkei do Rio de Janeiro e Instituto Cultural Brasil-Japão. Apresentados por Walter Yoshida, vice-presidente da Renmei, fizeram alocuções Hajime Tonoki, vice-presidente da Câmara Japonesa,

Entre outros assuntos, o embaixador Akira Miwa Autoridades Japonesas fala de “Rio +20”, “Rio 2016”.

Saudações: (esquerda) Koji Fukasawa, Minoru Matsuura, Yssamu Takao, embaixador Akira Miwa, Hajime Tonoki, Moacyr Barros Bastos e cônsul geral Masaru Watanabe.

Moacyr Barros Bastos, presidente do Instituto Cultural Brasil-Japão e o próprio Embaixador Akira Miwa. Minoru Matsuura, presidente da Rio Nikkei, convocou os brindes ao ilustre visitante. Além dos oradores, fizeram parte da

mesa: cônsul geral do Japão Masaru Watanabe, Yssamu Takao, vice-presidente do Instituto Cultural Brasil-Japão e Koji Fukasawa, vice-presidente da Renmei. (Texto e fotos de Teruko Okagawa Monteiro)

(Direita) Embaixador Akira Miwa cumprimenta (Direita) Tadashi Watanabe, diretor geral do OISCA aluno da Escola Japonesa/RJ, acompanhado do Internacional, e Minoru Matsuura. diretor Hiroshi Fujiuchi.


JORNAL NIPPAK

6

São Paulo, 27 de abril a 03 de maio de 2012

­­

literatura

Sergio Kobayashi lança livro com dicas de como chegar ao poder

S

e você pensa que para chegar ao poder é só defender ideais, erguer bandeiras de causas e visões, então leia as dicas do livro “Guia de Estilo para Candidatos ao Poder - E para Quem Já Chegou Lá” (Editora Senac São Paulo, 235 páginas), dos jornalistas Sergio Kobayashi, Luci Molina e da consultora de imagem e estilo pessoal Milla Mathias. No guia, os autores reforçam, com exemplos, a importância da linguagem corporal, e como a vestimenta e o comportamento são ferramentas essenciais da comunicação e, quando bem trabalhadas, tornam-se um extraordinário diferencial para políticos, candidatos e gestores de empresas. Especialistas de várias áreas também foram entrevistados especialmente para a obra, entre eles o personal hair stylist Celso Kamura, cerimonialista Carlos Takahashi e os consultores de imagem Claudio Vaz e Nazareth Amaral, alguns dos responsáveis pelas mudanças e aperfeiçoamento dos estilos dos presidentes Lula, Fernando Henrique, Dilma Rousseff, e do prefeito de São Paulo Gilberto Kassab. A obra tem introdução do professor e jornalista Heródoto Barbeiro. O destaque do livro são temas atuais e ainda pouco tratados em obras do gênero, como é o caso do uso da internet e das mídias sociais em campanhas. Os autores e profissionais de comunicação, entre eles, as jornalistas Mariana Arantes explica como os aspirantes e políticos na ativa devem falar no rádio, e Verônica Garcia apresenta como operar nas principais redes como twitter, facebook, orkut e como desenvolver e atualizar sites e blogs. Além de apresentar um glossário de termos, abreviações e siglas comuns do universo online. Destaca-se também o capitulo que esclarece como lidar com as mídias sociais e se portar numa entrevista com a imprensa. “O livro, embora, seja destinado aos candidatos a cargos públicos também é valioso para empresários e qualquer pessoa que queira se candidatar a uma posição que envolva gestão de pessoas”, finalizam os autores. Em entrevista ao Jornal Nippak, o nikkei Sergio Kobayashi revela como surgiu a ideia de escrever o primeiro título nacional unicamente dedicado ao tema. Confira a entrevista. Jornal Nippak - Quem teve a ideia de escrever o livro? Sergio Kobayashi - O livro nasceu de um projeto da consultora de estilo Milla Mathias, que já escrevia um livro sobre “Estilo para Candidatos”. Queria me entrevistar para abordar fatos de marketing político. Mas a partir das minhas respostas achou que poderia ampliar o escopo da obra e me convidou para ser co-autor. Pensei umas semanas e acabei me convencendo de que a ideia era muito boa. Convidei então a experiente jornalista Luci Molina para fazer o elo entre o estilo e a política. Acabamos produzindo um livro maravilhoso, com linguagem direta, simples e muito prático para os candidatos e até mesmo não candidatos. Tanto é que ousamos denominá-lo de guia ao invés de livro.

Luxci júdice yizima

Luci Molina, Sergio Kobayashi e Milla Mathias destacam a importância da linguagem corporal

JN - Vocês se inspiraram em alguém para escrever o livro? SK - Em hipótese alguma. O livro foi escrito a partir de pressupostos lógicos, conceitos já conhecidos e realizáveis. JN - Pelo que li, o livro é para políticos, mas também pode ser direcionado a qualquer cidadão. Você acredita que os aspirantes ao poder irão recorrer ao livro para ver as dicas? SK - Sim. Chegamos depois à conclusão que o guia pode ser utilizado por qualquer cidadão que aspire ascensão social ou profissional, independente de ser candidato a cargo eletivo. Afinal, estilo é para todos e não somente para políticos. JN - Qual é o seu estilo? SK - Do ponto de vista comportamental sou discreto. Aliás, discretíssimo. Na própria colônia nipo-brasileira muitos ficam surpresos com o meu excesso de discrição. Apesar de irmão de político famoso, tio de político em atividade eleitoral, ter sido Secretário Municipal, dirigente público sempre em evidência, nunca fui adepto a muita exposição. Questão de personalidade. Já no quesito indumentário sou mais pelo esportivo. Se bem que não posso fugir a formalidades, pois a profissão por muitas vezes exige o traje passeio, a camisa com barbatana e o sapato social. Aqui também, sempre com cores sóbrias e cortes discretos. A gravata, o tormento do país tropical, quando preciso usar, que seja então com mais apuro: gosto de cores e estilos mais modernos. JN - Com o uso e abuso das mídias sociais, você acredita que a comunicação dos aspirantes e políticos na ativa funciona? SK - Desde que bem feito, bem utilizado e bem estruturado, as mídias sociais para políticos agregam novas perspectivas de dividendos eleitorais. Mas precisam tomar muito cuidado, pois as redes sociais não podem ser portas para panaceias e demagogias, pois o público é mais seletivo, mais crítico. Um escorregão nas redes sociais pode ser o início de uma precoce aposentadoria política. JN - O livro fala muito em dicas sobre guarda-roupa ideal, etiqueta, discurso e comportamento. E a ética política? SK - Leves referências a respeito. Não era nosso propósito focar no discurso po-

lítico. Disso eu tratei em outro livro que lancei em 2004, chamado “As Boas Técnicas do Marketing Político”. JN - O seu irmão Paulo Kobayashi foi um exemplo de político a ser seguido, foi um excelente professor, amigo. E como irmão? SK - Melhor ainda. Era o irmão mais velho, responsável pela família e cumpriu exemplarmente o seu papel. Deixou na família mais que o sentimento da saudade. Deixou um espaço que não será ocupado por nenhum outro familiar. JN - O deputado federal Francisco Everardo Oliveira Silva, o Tiririca se elegeu com o seu jeito popular de ser? Você acredita que se ele seguisse a risca as dicas de vocês, ele teria o mesmo resultado? SK - Claro que o Tiririca só foi eleito porque encarnou o próprio personagem. Era o projeto do partido e não poderia ser diferente. Com certeza foi bem assessorado do ponto de vista do marketing, pois tivessem colocado o Tiririca com um terno Armani e um discurso redondinho, com certeza hoje ele seria tão somente um... Palhaço. O livro não recomenda cirurgias drásticas. Deixamos isso bem claro, ou seja, sempre se deve levar em conta os costumes e regionalidades. JN - Para finalizar, quem é Sergio Kobayashi? Qual o balanço da sua trajetória? SK - Costumo fazer dedicatórias nos meus livros dizendo que são relatos da “praxis” que transformei em teorias. E é a pura verdade. Não gosto de arrotar academicismos ou

firulas ideológicas. Quando falo ou escrevo alguma coisa é porque já pratiquei ou experimentei os fatos. Como faço campanhas eleitorais desde 1974 (primeira eleição do meu irmão Paulo), com certeza alguma experiência eu tenho. E espero que os leitores acreditem. Diferentemente dos nisseis da minha época de formação escolar, fiz jornalismo ao invés de cursos de biológicas ou exatas. Ou seja, na tal de humanidades me formei. Em seguida, com a tal da “praxis”, foquei em marketing eleitoral. E agora vivo disso. Ou seja, virei profissional de eleições. Estou feliz e realizado. Sobre os autores Sergio Kobayashi é jornalista e co-autor do livro Eleição: vença a sua! As boas técnicas do marketing político. Foi presidente da Imprensa Oficial de São Paulo e Secretário de Comunicação da Prefeitura. Desde 1984 dirigiu diversas campanhas eleitorais nacionais, estaduais e municipais. Luci Molina é jornalista e foi repórter especial de política e apresentadora no Grupo Bandeirantes de Rádio e TV. Trabalhou em várias campanhas eleitorais e em assessoria de imprensa dos governos estadual e municipal de São Paulo. É autora do livro Histórias e receitas de uma vida, com Lila Covas. Milla Mathias é advogada e autora do livro Quem disse que você não tem nada para vestir? Consultora de imagem e estilo pessoal, e palestrante e apresentadora de quadros de imagem e moda em diversos canais de rádio e TV. (Luci Júdice Yizima)

COLUNA DO JORGE NAGAO

Palavras, Requiescat In Pace -Filha, me passa o tamborete? - pediu o pai Alberto. -Tamborete? O que é isso, pai? - estranhou a menina. -É isso que está ao seu lado- explicou o pai, meio ressabiado/desconfiado. - Isso é um banquinho, pai. Tó!- entregou a filha, preocupada com o estranho linguajar do pai que, ultimamente, dizia palavras estranhas como marmota, laquê, furreca. Será que ele parou no tempo? Aí “caiu a ficha”, expressão da época em que se falava pelo orelhão usando fichas da Telesp que vinham embrulhadas num papel branco... é melhor parar. Para explicar essas coisas do século passado tem que ser uma Sherazade ou um storyteller/contador de histórias. É muita informação pra essa geração do tweeter e face que detesta as coisas “nos mínimos detalhes” como exigia a velhinha da Praça da Alegria/A Praça é Nossa. A molecada quer um papo direto/jogo rápido, tá ligado, mano/coroa? Alberto Villas, jornalista e escritor, começou a anotar: tamborete agora é banquinho. Na calçada, subitamente, vinha outras palavras como assistência que hoje é ambulância/resgate, teco/pedaço, urinol/penico. Ainda existe penico? Villas percebeu/sacou que quem se expressa com palavras defasadas/antigas dá bandeira/mancada e entrega a idade/é velho. Então, ele parou de dizer frases como “no meu tempo de grupo/escola primária, eu era um espoleta/hiperativo”. “No meu tempo do científico, fiquei de segunda época”, porque tinha que explicar que o ensino médio, em priscas eras/anos 60, quem queria ser professora fazia o Normal, quem gostava de Letras cursava o Clássico e o maluco que adorava/curtia Física e Biologia fazia o tal do Científico. Outra alternativa era passar no concurso do Banco do Brasil, que não era bolinho/fácil, aí não precisava estudar mais porque logo ficaria com o boi na sombra/tranquilo. Bons tempos, hein!, porque o BB cresceu e virou um Banco Brasileiro de Descontos/ Bradesco como temiam os antigos funcionários. BRADE, antes que vire, alertava o adesivo.

Voltando às ex-palavras, que sumiram do mapa, lembra quando o médico nos pedia uma abreugrafia/ raio X? Se você riu, então é um dos nossos. Naquele tempo, sua patota/turma tinha ojeriza/pavor de Física porque não entendia patavina/nada daquilo. Discretamente olhava-se de esguelha/de lado pra padaria/ bumbum daquela oxigenada/loira durante o footing/ caminhada na praça. Todos achavam que estavam na crista da onda/na moda mesmo quando estava borocoxô/desanimado porque quando se é broto/jovem tudo é divino e maravilhoso/ canção do Caetano Velhoso. Futebol era irradiado/ transmitido pelo rádio ou pelo televizinho, para quem tinha amizade com um vizinho rico. Goleiro era goal-keeper, zagueiro era beque, a famosa linha média era composta pelos alfes/alas direito e esquerdo mais o center half/volante, e, no ataque, os extremas-direita e esquerda, meias-direita e esquerda e o centre-four/ centroavante. Pobre andava de jardineira/busão e o cara cheio dos cobres/rico andava de carro de praça/taxi e pedia pro chofer/taxista andar chutado/rápido por que ele estava atrasado. Minha geração, brava gente brasileira, que nasceu nos anos dourados da Bossa Nova, cresceu nos anos rebeldes (“ou ficar a pátria livre ou morrer pelo Brasil”), que ousou militar/verbo até “raiar a liberdade no horizonte do Brasil” falou e disse (expressão da época) palavras que hoje parecem bizarras/estranhas, coisa de boko-moko/cafona, que se escafederam/desapareceram. O livro “Língua Morta”, de Alberto Villas, resgata com uma linguagem coloquial mais de 900 verbetes que ficaram na saudade. A leitura aleatória nos diverte e nos remete aos bons tempos. Assim voltamos a ser jovens pois revivemos aqueles velhos tempos, belos dias. Quando folhear o livro, duvido que você não se pergunte: - Caraca, eu dizia isso?! *Jorge Nagao é colunista do site Primeiro Programa (www.primeiroprograma. com.br). E-mail: jlcnagao@ uol.com.br

INTERCÂMBIO

Inscrições abertas para Bolsa de Estudos da Província de Aichi A Associação Aichi do Brasil está com inscrições abertas para as bolsas de estudos oferecidas pelo Governo de Aichi, com embarque em abril/2013. Os interessados devem encaminhar seu currículo e um descritivo sobre a área de interesse de estudo (em japonês e, também, português) para a secretaria da entidade até o dia 25 de maio. Pré-requisitos da inscrição: a) ser brasileiro, descendente de Aichi, com até 30 anos; b) ter nível universitário completo até dez/2012; c) saber o idioma japonês (caso possua, encaminhe cópia do certificado de proficiência japonesa). Benefícios da bolsa: passagem de ida-volta; auxílio

custo de vida; alojamento à baixo custo; tutor para ajudar e acompanhar a estada no Japão; 1 ano de pagamento integral da matrícula e mensalidade da faculdade (dentro da Província de Aichi) onde o bolsista estudará como aluno-pesquisador. Não há restrições na área de interesse, mas é desejável que ela esteja relacionada à formação universitária ou à experiência profissional dos candidatos. As entrevistas serão realizadas no dia 27 de maio de 2012, às 14h, na Associação Aichi do Brasil. Endereço para envio dos documentos: Associação Aichi do Brasil Rua Santa Luzia, 74 – Li-

berdade – 01513-030 – São Paulo – SP Informações: (11) 31048392 ou (11) 3241-2682 E-mail: aichibolsa@gmail.com Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaS-

cript para visualizá-lo. Inscrições: até 25 de maio de 2012 Entrevistas: 27 de maio de 2012, às 14h (do site do Bunkyo)


JORNAL NIPPAK

São Paulo, 27 de abril a 03 de maio de 2012

7

CULTURA

HAICAI BRASILEIRO

O

Jornal Nippak publica aqui os haicais enviados pelos leitores. Haicai é um tipo de poema que se originou no Japão. Seu maior expoente é Matsuo Bashô (16441694). O haicai caracteriza-se por descrever, de forma breve

e objetiva, aspectos da natureza (inclusive a humana) ligados à passagem das estações. Hoje, no mundo inteiro, pessoas de todas as idades e formações escrevem haicais em suas línguas, atestando a universalidade dessa forma de expressão.

TEMAS DE ABRIL Pica-pau – Goiaba – Espantalho Nem nome, nem rosto, espantalho todo branco. Noite de luar! Akiko Koike Jundiaí, SP

Um cheiro sutil Goiaba em maturação Da quitanda ao lado. Izumi Fujiki São Paulo, SP

Um furo na casca – O que faz aqui, amigo, na minha goiaba? Monica Martinez Granja Viana, SP

Goiabas maduras espalhadas pela grama – Cheiro forte no ar. Benedita Azevedo Magé, RJ

Velho espantalho Do seu olhar patético Crianças têm medo. Izumi Fujiki São Paulo, SP

Resto de espantalho esquecido lá na roça – êxodo rural Neide Rocha Portugal Bandeirantes, PR

Três por um real... Goiaba do japonês sem nenhum bichinho. Benedita Azevedo Magé, RJ

Poleiro de pássaros O espantalho apodrece De braços abertos João Toloi São Paulo, SP

Final de tarde – a sombra do espantalho corre mais depressa. Nelson Savioli Rio de Janeiro, RJ

Mãos negras areiam O velho tacho de cobre – Goiabas aos montes Carlos Viegas Brasília, DF

Guarda o milharal espantalho bem vestido Espólio do avô. Madô Martins Santos, SP

As mãos do mendigo disputam com os pardais goiabas no chão... Regina Alonso Santos, SP

Vulto negro No dourado milharal elegante espantalho. Danita Cotrim São Paulo, SP

Não come, não dorme, parado e sempre sozinho É o espantalho. Mario Isao Otsuka São Paulo, SP

ao sol sem função velho espantalho espreguiça e ninho no ombro. Yara Shimada Brotto Niterói, RJ

Procura penosa Larvas de insetos nos troncos Pica-pau faminto! Irene M. Fuke São Paulo, SP

Num canto esquecido, com a camisa sem palha, um velho espantalho. Monica Martinez Granja Viana, SP

Primeira mordida... Despertam incomodados Os bichos da goiaba. Zekan Fernandes São Paulo, SP

Temas de junho (postar até 10 de maio) Sol de inverno – Mandioca – Quermesse

Cada pessoa pode participar com apenas uma identidade. A seleção dos trabalhos é feita pelos haicaístas Edson Kenji Iura e Francisco Handa.

Envie suas cartas para: Haicai Brasileiro A/C Jornal Nippak Rua da Glória, 332 CEP 01510-000 São Paulo-SP E-mail: jornaldonikkey@yahoo.com.br Cc. ashiguti@uol.com.br

Temas de julho (postar até 10 de julho) Camélia – Lua fria – Colheita de cana

Sol de inverno (tema de junho) No inverno é máxima a declinação do sol, que atinge seu auge no dia do solstício, que no Hemisfério Sul ocorre em 20 ou 21 de junho. Isto significa noites mais longas, dias com menos horas de duração e

Envie seus haicais (no máximo três de cada tema sugerido) digitados ou em letra legível, com nome (mesmo quando preferir o uso de pseudônimo), endereço e RG.

menos insolação, o que geralmente resulta em mais frio. Fraco que é, o astro-rei não faz jus à fama abrasadora pela qual é normalmente conhecido, ainda que seja avidamente procurado por todos que desejam aquecer

o corpo, castigado pelas baixas temperaturas. Entretanto, basta uma nuvem no céu ou um vento mais forte para que o frio gélido volte a imperar, desanimando idosos e enfermos. O sol de inverno representa uma sensação de

Edson Kenji Iura debilidade e traz à lembrança um quê de saudade de tempos melhores. Para quê o rigor— Inútil é o sol de inverno no pilar de pedra. (Nempuku Sato)

LITERATURA

Best-seller que já vendeu mais de 1 milhão de exemplares nos EUA e Japão chega ao Brasil divulgação

A Editora Satry traz ao Brasil o best-seller japonês “Um caminho de flores – 75 histórias para mudar a sua vida”, de Kentetsu Takamori, que já vendeu mais de 1 milhão de exemplares no Japão e nos Estados Unidos. O lançamento aconteceu na quarta (25), na Saraiva MegaStore Shopping Pátio Paulista, em São Paulo. No evento, Hideki Shiina, repre- Capa do livro Um caminho de flores sentante do autor, fez uma palestra sobre o li- auditório da Casa de Cultura vro com tradução simultânea. Japonesa. Ontem (26), Shiina fez outra A base dos ensinamenapresentação na Universi- tos de Takamori é a filosodade de São Paulo (USP), no fia oriental. Professor de Bu-

dismo, ele vive com sua mulher e seu cachorro em uma pequena cidade no Japão e se dedica a transmitir os ensinamentos de Shinran (11731263), o fundador do Budismo Shin. Há mais de meio século, dá palestras por todo o mundo sobre os ensinamentos do Budismo, além de ser autor de diversos best-sellers sobre o assunto. Suas histórias já transformaram a vida de mais de 1 milhão de pessoas. Elas partem de um princípio simples: uma pausa para a reflexão é o primeiro passo para uma grande mudança. Segundo Takamori, basta refletir sobre a forma de pensar e agir para que um mundo novo de oportunidades se abra. No livro, ele apresenta contos breves e surpreendentes, que falam da importância da perseverança, do real significado da honra e de como é

preciso esforço para atingir o sucesso. “Quem segue em direção à luz floresce; quem corre em direção às trevas se destrói. Foi com o intuito de caminhar na direção da luz, ao lado das pessoas que terão acesso a este livro, que me esforcei por compilar estas histórias. Será para mim uma honra se puder contribuir trazendo um pouco de felicidade para o mundo”, disse Takamori.

A gata ouvinte Feliz, vestida com muito esmero, ficou ali esperando ser chamada. Em outras ocasiões, ela acharia um martírio aquela espera. Mas daquela vez, não. Quando ouviu o seu nome sendo chamado, ela até pensou que poderiam demorar um pouco mais. Lentamente, se levantou e foi caminhando. Sentia-se, leve, muito leve, como uma pluma. Apesar de seus quase cinquenta quilos. Naquela tarde, ela dançou sem se importar se estaria com os movimentos sincronizados ou não com o som dos instrumentos tocados ali no palco. Ela dançou como se sua dança e a música fossem a mesma coisa. Assim como os minutos de espera, também os minutos da dança passaram muito rápido. Por ela, ficaria dançando a tarde inteira. Terminada a apresentação, com os músicos dirigiu-se à plateia. Receberam aplausos, muitos aplausos. Entre os espectadores, nenhum rosto familiar. Nem a irmã que há horas, dizia estar a caminho. Já não se importa. Em outros tempos, ficaria aborrecida. Dirige-se ao camarim e enquanto tira o pesado quimono com seus adereços, recebe a mensagem da irmã. Chegou atrasada. Ela e suas amigas de dança se reúnem para tomar um lanche. A irmã as acompanha. Cinco mulheres de meia idade, as quatro que se apresentaram e a professora. A irmã, ali junto, as acompanha. E observa. No palco, nova agitação. É a hora do karaokê. As pessoas vão chegando. Sobem ao palco e

cantam. Ninguém parece se importar com aquilo. Lá embaixo, as pessoas nas mesas, comem, bebem e conversam. Vez ou outra, uma voz mais afinada se apresenta e as pessoas voltam seus olhares para o palco, logo retornam aos seus pratos e copos. Por alguns instantes, ficam todas observando o homem cantando. As mulheres mais velhas citam o nome de certo cantor, a voz e entonação são idênticas à dele. A irmã, surpresa, reconhece o homem que canta. É senhor fulano. Aposentou-se na época em que entrei na empresa onde trabalho atualmente. Há dezoito anos! E agora canta. Para contrapor, na se­ qüência, entra o casal gritante, ou melhor, a mulher gritante e o homem de voz rouca. A família aplaude. A mais velha fala para a irmã: olha aí, se você quiser também, não tem problema é só chegar e cantar. Elas riem. Ficam olhando e a mais velha diz: antes de meu marido levar embora o aparelho de karaokê, de vez em quando de tarde eu cantava. Era só começar e Maga vinha correndo para a sala. Ficava ali o tempo todo me ouvindo e olhando. Uma das amigas quer saber quem é Maga. Rindo, a outra diz: Maga era a filhinha caçula dela. Todas riem. A que perguntou parece não entender porque todas riem. A irmã fala: Maga era a Gata Maga, a gata querida da família. Mórreu! Rindo, elas começam a se preparar para a despedida. Já dançaram, comeram, beberam e deram boas risadas.

marisatake@yahoo.com.br


JORNAL NIPPAK

8

São Paulo, 27 de abril a 03 de maio de 2012

COMUNIDADE brasileira no japão

Andy Kobayashi representa o Brasil nas pistas japonesas de supermoto

E

le nasceu no Brasil, mas com apenas dois anos de idade emigrou com a família para o Japão. Anderson Kobayashi Chromeck, 21 anos, representa no Japão a garra característica dos pilotos de competição brasileiros. Apesar de ter estudado em escola japonesa e falar pouco o português, Andy leva o nome do Brasil nas competições japonesas de Supermoto (Super Motard). Este ano, ele disputará etapas do campeonato japonês e, apesar das limitações financeiras, pretende chamar a atenção de possíveis patrocinadores japoneses com grandes exibições. A categoria mescla piso de asfalto, derivado da motovelocidade e, piso de terra, derivado do motocross. A moto precisa de uma regulagem extremamente afinada para poder ser competitiva em tais condições desafiantes, o que exige muito empenho e concentração. Andy tem como exemplo o brasileiro Ayrton Senna, tricampeão mundial de Fórmula 1. “A dedicação do Ayrton ao trabalho e a forma extremamente profissional que ele conduziu a carreira me inspira de diversas formas, me identifico muito com ele”, destaca Andy. Como todo esporte a motor, a Supermoto possui custos elevados. Para um piloto se manter competitivo precisa investir dinheiro constantemente. Andy tira

Arquivo pessoal

Andy trabalha duro para tentar conquistar o sonho de viver só do esporte

Andy dá o melhor de si nas pistas, apesar da falta de patrocinador

a maior parte do orçamento do próprio bolso para poder competir. Ele faz dupla jornada em mais de um emprego para sustentar o sonho de se tornar profissional. O pai Alfredo Chromeck, 49, também ajuda muito a carreira do filho, faz muitas horas extras na fábrica onde trabalha e, dá todo e qualquer suporte que o filho venha a necessitar. “Como pai eu busco incentivar e fazer todo o possível para ele poder se desenvolver na carreira, deslanchar de vez, pois ele ama o que faz. Eu e minha esposa vemos que não é apenas

um modismo, ele é dedicado, trabalha e treina duro para obter bons resultados. Isso compensa qualquer esforço”, explica. Temporada difícil – O piloto, que já venceu etapas nas divisões semiprofissionais da Supermoto em 2010, teve uma temporada difícil em 2011, no qual alguns acidentes o fizeram ter de gastar parte do orçamento destinado à compra de peças novas. “Fica difícil competir com um equipamento limitado, você precisa se esforçar mais do que os outros competidores.

O piloto com o pai Alfredo, seu maior incentivador

Com pneus velhos, fica mais difícil fazer uma curva com precisão, a chance de sofrer um acidente acaba sendo maior desta maneira”, relata o piloto. O pai Alfredo também destaca esta maior dificuldade pela qual o filho, que vez ou outra recebe algum incentivo de amigos e até patrões, passa para conseguir juntar o orçamento necessário para competir. “Em várias corridas ele era o mais rápido da pista, mas os pilotos de fábrica, patrocinados por montadoras de motocicletas, acabam levando a melhor so-

bre ele. Mesmo assim o Andy consegue andar no meio deles e, vez ou outra consegue vencer uma prova”, enfatiza Alfredo. O pai de Andy ainda comenta que a busca por patrocínio ficou ainda mais difícil após a crise mundial de 2008 e 2009, pois segundo ele, parte dos empresários brasileiros no Japão acabou fechando seus negócios e, os que ainda conseguem se manter, passam por dificuldades financeiras, inviabilizando investimentos em marketing. Apesar de todos os con-

tras, Andy conta com o apoio irrestrito da família e permanece treinando, tanto na moto quanto fora dela, para no momento certo poder dar o melhor de si nas pistas. O brasileiro não bebe refrigerante e não consome álcool, faz uma alimentação balanceada e nos dias de corrida se alimenta apenas de barras de cereais. A preparação inclui também a parte física. Apesar de ter uma rotina de trabalho puxada, o piloto encontra tempo para uma corrida diária de meia hora a pé, para fortalecimento dos músculos.

BELEZA

Miss Nikkey 2012 começa a receber inscrições de candidatas O tradicional concurso de beleza da comunidade brasileira no Japão, o Miss Nikkey, começou a receber inscrições de candidatas. O evento, realizado há 11 anos, será em julho. Este ano serão seis categorias e as interessadas precisam preencher um cadastro diretamente no site (www. missnikkeyjapan.com). Além da categoria principal, a de Miss Nikkey, os garotos podem concorrer ao título do Mister Nikkey. O concurso também elege a Miss Nikkey Infantil, As Mais Belas Mães e a Miss Plus Size. Nesta primeira etapa de seleção, os interessados precisam completar o formulário, informar os dados pessoais e anexar fotos. A comissão organizadora do concurso fará a pré-seleção e entrará em contato com os selecionados para oficializar a inscrição. O tradicional evento de beleza já abriu portas para dezenas de jovens da comu-

nidade que desejam seguir a carreira de modelo. Daniela Nishikawa, a promotora do evento, explica que, além de divulgar a beleza da comunidade, o evento tem como objetivo a integração brasileira. “A intenção, desde o início, é abrir espaço artístico-cultural para os grupos, escolas e academias se apresentarem, além da oportunidade de novos negócios às empresas que fazem a exposição de produtos e serviços”, detalha. Assim como no ano passado, um dos destaques deste ano é a categoria Plus Size. O concurso também continuará homenageando as mamães, com candidatas ao título As Mais Belas Mães. No ano passado, as vencedoras das destas duas categorias tiveram a oportunidade de estrelar como modelos num ensaio fotográfico para a campanha de uma marca de produtos de beleza no Japão.

Arquivo pessoal

Miss Nikkey 2012 Inscrições até o início de junho pelo site (www.missnikkeyjapan.com) Os interessados devem preencher um formulário com dados pessoais e enviar fotos para a pré-inscrição. Informações pelo e-mail: (missnikkey2011@gmail.com) Arquivo pessoal

As vencedoras da categoria Miss Plus Size 2011, Chrissier Giacomin e Jaqueline Toma

A promoter Daniela Nishikawa com Guilherme Higuchi e Bianca Ando, o Mister Nikkey e a Miss Nikkey do ano passado


JORNAL NIPPAK

São Paulo, 27 de abril a 03 de maio de 2012

9

Anzóis – Parte II

Dimensionar o anzol a utilizar pode significar o sucesso da pescaria ou uma dificuldade a mais na hora de brigar com o peixe e sair na foto. Seguem a seguir, mais alguns tipos e modelos destes artefatos. Mauro Novalo

Curtas

Alicate Pega Peixe (FishGrip) O Boto

Capa de Chuva Com Manga e Forro MTK

PorR$ 37,50 O melhor custo benefício para sua pescaria.Corpo e Pinças em Aço Inoxidável.Cabo anti-derrapante. Alça super resistente com regulador de tamanho.Produto de alta qualidade. Pagamento em até 6 X sem juros no cartão de crédito. 10% de desconto para pagamento com boleto bancário. Preço com desconto R$ 33,75. Abril é o mês de aniversário do O Boto.com.br!!! Visite www.oboto.com. br e confira as ofertas!!!Se preferir, telefone (11)3804 2075. Confiança, qualidade e garantia!!! De pescador para pescador!!!

Confeccionada em tecido impermeabilizado, com tela para ventilação em malha 100% poliamida na cor branca posicionada na parte superior da frente e das costas, abaixo das palas e parte inferior das cava-mangas, formadas por duas partes superiores, bolsos frontais na altura da cintura com zíper e vista sobreposta, capuz com viseira de plástico cristal transparente com botões tendo a possibilidade de ser removido. Tamanhos: P/M/G/GG. Cores: Consultar Disponibilidade.Procure nas melhores casas do ramo! Informações www.mtkbrasil. com.br

Manutenção de varas, molinetes e carretilhas Precisa trocar um passador da vara, fazer uma manutenção no seu molinete ou carretilha? Fale com oMassaru no celular (11)5338 1475. Além da revisão geral, ele conta com máquinas e equipamentos para fabricar a peça defeituosa.

Haste curta . haste curta reforçado Curto e robusto é o ideal para o uso de iscas como pitangas, acerolas ou massas no formato de bolinhas. Recomendado para pesca de espécies com força na mordedura como pacus, tambaquis e etc ou com dentição similar. Conveniente utilizar de empates de aço e destinados para pescarias que com iscas naturais. . shinu Além de robusto tem gancho mais aberto o que faz sua cravada ser encaixada evitando os dentes. É um dos modelos mais comuns para pescarias dos chamados “redondos”. Maruseigo De vários tamanhos, usados onde seja necessário uma reposta rápida e eficiente para fisgadas. Adotados para pescarias no mar, rios, represas e pesque-pagues, na captura de espécies como pacús, bagres, tilápias, trutas, matrinxãs, betaras, robalos e badejos. Introduzidos pelo mercado asiático, combina resistência com um gancho dimensionado para uma fisgada rápida e eficiente além de serem extremamente afiados, com ponta voltada ligeiramente para esquerda. Akita Kitsune Combinam ta­ manho menor, resistência e são afiadíssimos. Indicados para pescarias de praia direcionado para espumas das ondas ou de costões, onde se vai atrás dos peixes como pequenos pampos, marimbás, porquinhos, betaras e etc. Utilizada normalmente com pedaços de camarão e pequenos moluscos, suas fisgas permitem a fisgada no simples contato com a boca do peixe. Muito requisitado pelos competidores em torneios de pesca. Circular/ Circle Hook: Inicialmente desenvolvidos para pesca comercial, o modelo foi adotado pelos praticantes do pesque solte, pela sua característica principal, onde depois do peixe engolir a isca, com a linha esticada, o formato do anzol faz com que este se desloque, acomodando-se e cravando na maioria das vezes no “canivete” - canto da boca. Com isso, o procedimento de retirada do anzol é facilitado, pois com o convencional a chance do anzol se fixar nos orgãos internos do peixe seriam grandes. Atualmente também sendo utilizadas em algumas iscas no atado de fly. Para fisgar, travar o equipamento e firmar a vara de forma que a tensão da linha aumente aos poucos, sem necessidade do tranco, tanto para fisgar como para confirmar. Uso recomendado nas pescarias de espera, que utilizem iscas naturais, principalmente as direcionadas para peixes de couro (pintados, jaús) de água doce e diversas espécies de água salgada (chernes, pargos, sargos etc).

para pesca de black basses tem os números de 1/0 a 5/0 como os mais utilizados. O ideal é não passar totalmente a ponta, escondendo-a na isca, que funcionará como protetor, evitando o seu enrosco em pedras, para a isca ser trabalhada rente ao fundo e deslizando nas galhadas. Na batida do peixe, a fisgada faz o anzol varar a isca e cravar na boca do espécime. Para pesca oceânica (pesca pesada) São forjados e não dobrados, possuem elevada resistência, com argolas do tipo agulha, soldadas ao corpo. Normalmente não tem cobertura de proteção e se construídos em aço carbono, este é polido ou escovado - para acelerar o processo de oxidação. Logo após o peixe ter sido dado como capturado, corta-se a linha com distância suficiente para que esta não se aloje dentro do exemplar - que poderia causar ferimentos. Poucos dias depois, o anzol se decompõe. Round Com gancho mais aberto que permite fisgadas profundas.

Sem farpa Adeptos do pesque solte, utilizam destes pela facilidade da retirada na hora de devolver o peixe para água. E em caso de acidente com o pescador, é rápido sua retirada diminuindo o trauma e a dor. Durante a pescaria, atenção para não afrouxar a linha, o que permitiria ao peixe ao saltar a chance de liberar o anzol. Ecologicamente corretos, são fabricados com material que abreviam sua vida útil (caso aconteça do peixe escapar com o anzol, este irá se deteriorar rapidamente sem prejuízos maiores, dependendo claro de onde estiver cravado) Assist Hook Conjunto de anzóis previa­ mente montados de forma a melhorar e aumentar a eficiência da fisgada, usadas nas iscas artificiais e ideais para jumping jigs - por permitir trabalho junto ao fundo rochoso - pois sua colocação na isca artificial difículta enroscar nas pedras no trabalho de fundo. Tamanhos e considerações –

Para isca viva - Wide gap

Sua constituição fina, leve, flexível e resistente, mantém a isca viva por mais tempo e com maior mobilidade. Ideais para iscar vivos: camarões, siris, pequenos peixes Eficientes na pesca de robalos e pescadas. Encontrados facilmente nas lojas, muda-se a numeração de acordo com o tamanho do peixe a ser encontrado no local e o seu desenho proporciona precisão nas fisgadas, sem estourar as frágeis bocas destas espécies. Atentar para atravessar a isca em área que não comprometam seus orgãos vitais. Ex: no camarão, fixar na cauda ou na parte superior da cabeça - perto do chifre . De pata (sem olho) Utilizado na pesca de praia e para a captura de peixes pequenos de água doce. São denominados chapinha ou pata e são identificados pela ausência da argola. Afiadíssimos, se corretamente atados ficam em pé, melhorando a apresentação da isca, aumentando a eficiência da fisgada. O nó desenvolvido para uso nestes foi adaptado para anzóis com olho, justamente para ficarem nesta posição. Recomendado seu uso para peixes como lambaris, acarás, tilápias, piaparas e outros manhosos. Maiores são utilizados na captura de peixes de grande porte em pescarias de água salgada (pampos, betaras, pargos, sargos, garoupas) e os pequenos pelos competidores de torneios de pesca, onde peças capturadas se traduzem em pontos.

É determinado pelo desenho e abertura do anzol, mas varia conforme modelo ou fabricante, esta variação aumenta quando se compara modelos americanos, europeus e asiáticos. Não existindo padrão, os asiáticos aumentam sua numeração conforme os anzóis são maiores, e os americanos e europeus adotaram que o tamanho do anzol é inversamente proporcional a numeração do mesmo, até o número 1. A partir deste, a razão é proporcional e a numeração é acrescida do /0. Assim o anzol 20 é menor que o 10 que é menor que e o 1/0 que é menor que o 4/0. Para saber a numeração adequada para a pescaria, bom ter em mente as espécies desejadas e conhecer detalhes sobre as mesmas, como por exemplo: posição da boca, tamanho e hábitos alimentares. Um anzol grande dificulta determinado peixe de acomodá-lo na boca e, dependendo da espécie, será complicado sua captura. -Anzóis pequenos podem causar muitos estragos no peixe, caso sejam engolidos. -A espessura está diretamente relacionada à resistência do anzol. Anzóis finos são ótimos para pesca de peixes com a boca frágil ou lábios grossos de

Kirby Direcionado para pescarias com iscas vivas Para isca plástica (minhoca artificial) Com uma parte da haste dobrada, corpo resistente e flexível para facilitar a fixação de iscas como minhocas e iscas de silicone (imitando rãs e pequenos insetos). Desenvolvidos

Curiosidades – Para evitar que algum anzol seja aberto nas pedras, vegetação submersa ou mesmo na boca do peixe, na curvatura - gancho - é utilizado de arame mais grosso ou utilizando de mesmo diâmetro, este é achatado na curvatura (anzóis forjados). Finalizado com tratamento químico para enrijecê-los. Grande número dos anzóis tem cobertura em níquel e são direcionadas para uso em água doce. Podem ser utilizados no mar mas o processo de corrosão é rápido. Cores diferentes tem a função de camuflagem, variando com as condições climáticas e dos locais, e estas cores nem sempre representam elementos da sua composição. Muitos dos construídos especialmente para pesca em água salgada - utilização profissional - tem cobertura de estanho (cádmio) ou são moldados com aço inoxidável, permitindo resistência maior aos efeitos da maresia. Apoio: MTK Fishing Adventure Outdoor www.mtkbrasil.com.br Bem Bolado www.bemboladome.com.br Produtos Petersen www.pescabrasil.net/petersen. html TenkaraBR www.rodsbyjorge.com.br Moro e Deconto www.iscasartificiais.com.br

DIA DAS MÃES

Café Kohii promove bazar no próximo dia 5

Octopus

Seu formato é o ideal para pesca com iscas tipo massa e naturais como: milho verde, folhas de capim. Para pescarias de piaus, piauçus, piaparsa e tilápisa Tamanhos maiores ideais para uso com iscas vivas na pesca do dourado e outros saltadores

peixes como Carpas. Penetram mais e proporcionam melhor fisgada, ferindo menos. -Peixes de grande porte ne­ cessitam de anzóis reforçados e em tamanhos maiores, recomen­ dável também o uso de empates dimensionados para as brigas que irão proporcionar -Fisga afiada é sinônimo de eficiência na captura, pela facilidade em penetrar na boca do peixe - A cor é considerado como um fator que pode interferir na quantidade dos ataques. Algumas espécies podem ser capturadas utilizando o anzol como atrativo. -Anzóis só devem ser expostos quando forem utilizados. Depois do uso devem ser guardados em separado, para não iniciar o processo de oxidação nos demais. Usados em água salgada tendem a deteriorar rapidamente. Limpeza com água e sabão neutro mais talco para estes, podem ajudar na prolongação da vida útil dos mesmos.

divulgação

O Kohii Café, localizado no Bairro Oriental, estará promovendo no próximo dia 5, sábado, das 11 às 17 horas, o 3º Kohii Bazar. A ideia é oferecer uma variedade de peças artesanais em patchwork, tricô, crochê, bordado, serigrafia, macramê, cerâmica, origami, papelaria, bijouteria e vestuário, para presentear as mamães com produtos originais, feitos com carinho por gente talentosa, comprometida com o bom gosto e a qualidade. Os expositores serão Amyy, Ana Sinhana, Ateliê Sandra

Huang, Claudia Tamaki, Flô di Pá, Kazari Handmade, Martha Mayko, Poti Cerâmicas, MuuLovers, Patch Design, Marta Hokama, Pororoca Brasil, Sonia & Renata Parizzoto, Serigrafia 100% Tiba, Tanoshii Patch e Papel Dobrado. Visite o site www.kohiibazar.wordpress.com e veja alguns produtos que estarão à venda. KOHII CAFÉ Rua da Glória, 326 – subsolo – Liberdade (próximo ao Metrô) Tel (11) 3203-0624 facebook.com/kohiicafe


JORNAL NIPPAK

10

investimentos

LITERATURA

AGC lança pedra fundamental de sua primeira fábrica no Brasil

A

AGC, líder mundial em fabricação de vidros, produtos químicos e materiais de alta tecnologia, realizou no último dia 18 cerimônia de lançamento da pedra fundamental da primeira fábrica da empresa no país sediada em Guaratinguetá, interior de São Paulo. O evento comemora o início das obras da novas instalações contando com presença do presidente & CEO da AGC, Kazuhiko Ishimura, para fazer as honras da casa neste novo momento da empresa no Brasil. Com previsão de inauguração para 2013, a fábrica terá sua linha de produção focada no desenvolvimento de vidro para construção civil e segmento automotivo. Em 2016, a instalação deverá contar com aproximadamente 500 funcionários nas operações, a maioria da cidade de Guartinguetá e Região. A previsão é que neste mesmo ano, a capacidade de produção deva atingir 220 mil toneladas de vidro para construção civil ao ano. A fábrica deve ainda, produzir vidro automotivo para mais de 500 mil carros por ano até 2016. O presidente & CEO da AGC, Kazuhiko Ishimura, que liderou a cerimônia de inauguração da pedra fundamental da empresa, realizou um discurso diante de uma platéia de mais de 300 pessoas, incluindo autoridades do Município e do Estado de São Paulo. “Hoje é um dia muito importante para o Grupo AGC, é o primeiro passo de uma longa e próspera jornada que será realizada junto ao povo brasileiro. Temos a grande convicção de trazer a AGC para crescer junto com o Brasil e com todos os brasileiros”, declarou Kazuhiko Ishimura, presidente & CEO do Grupo AGC. Ishimura também reforçou

São Paulo, 27 de abril a 03 de maio de 2012

asami kojima/nikkey shimbun

Cerimônia de lançamento foi comandada pelo presidente & CEO da AGC, Kazuhiko Ishimura

outros três pontos principais para a chegada da empresa no País, entre eles: 1) a importância do Brasil para o Grupo AGC, 2) os esforços do grupo para a sustentabilidade, e 3) A contribuição da AGC para a sociedade brasileira por meio de seus produtos e soluções. “Para nós, o estabelecimento da primeira fábrica na América do Sul é um grande sonho se tornando realidade. Estou muito feliz por ser capaz de dar o primeiro passo para este grande marco de parceria com este mercado tão atraente, que é o Brasil. Nós, do Grupo AGC, pretendemos ficar no Brasil por um longo período, e fornecer ao país produtos e

serviços da mais avançada tecnologia do mundo, agora fabricados no Brasil por brasileiros para os clientes brasileiros”, afirmou Kazuhiko Ishimura, presidente & CEO do Grupo AGC em discurso. Sociedade sustentável – Quanto aos esforços do grupo para a sustentabilidade, Ishimura afirmou que, “Nós nos esforçamos para ser uma empresa que contribui para a realização de uma sociedade sustentável”, e reforçou o fato de que a AGC vai fornecer produtos com propriedades de alta economia de energia, incorporando a tecnologia mais avançada para poupar energia no processo

de fabricação de vidro. Ishimura também abordou os planos do grupo para contribuir com a cidade de Guaratinguetá por meio de várias frentes, “A AGC Vidros do Brasil planeja contratar cerca de 500 funcionários da região de Guaratinguetá. A empresa pretende também contribuir para o desenvolvimento das gerações futuras da cidade por meio da formação dos jovens do Guaratinguetá”. “Nós, do Grupo AGC, estamos confiantes de que traremos aos nossos clientes brasileiros, as melhores soluções que incorporam as mais recentes tecnologias do mundo com base na alta qualidade e credibilidade que fazem o sucesso dos nossos negócios em todo o mundo”, concluiu Ishimura. A AGC Vidros do Brasil Ltda., subsidiária e parte do Grupo AGC, será a responsável pelos negócios da empresa no Brasil. Estas operações incluem as atividades da nova fábrica, que contam com a liderança de Davide Capellino, presidente & CEO da AGC Vidros do Brasil.

Ikeda aborda futebol “sob o ponto de vista de um leigo Acontece neste domingo (29), a partir das 10 horas, no Teatro CEU (Centro Educacional Unificado) Caminho do Mar, no Jabaquara (zona Sul de São Paulo), o lançamento do livro “Acende a luz amarela no trajeto da Copa 2014” – O futebol sob o ponto de vista de um leigo (Beco, 80 páginas, R$ 25,00), de Kiyoshi Ikeda. Trata-se do terceiro livro do autor, que já escreveu “Reciclagem Humana”, em que analisa questões que considera importante para o desenvolvimento humano, tanto social quanto biológico, e “Teoria de Regressão Biológica”, lançado pelo mesmo Grupo Editorial Beco dos Poetas e Escritores. Desta vez, Ikeda decidiu se aventurar por outros campos. Ou melhor, campo. A inspiração ocorreu após a final do Mundial de Clubes da Fifa, disputada no dia 118 de dezembro, em Yokohama, no Japão, palco do desfile do Barcelona sobre o Santos. Entusiasmado com o estilo do Barca e, ao mesmo tempo, preocupado com a proximidade da Copa do Mundo de 2014, o autor apresenta suges-

Nissan apresenta novo Altima

Capa do livro de Ikeda

tões para a Seleção não repetir um novo Maracanazo como, por exemplo, incluir jogos de futsal uma vez por semana, com a finalidade de aperfeiçoar os passes curtos e perfeitos como fazem os Barças. Na ocasião, o livro estará sendo vendido a R$ 25,00 e o digital, a R$ 15,00. Quando: Dia 29 de abril, a par10 horas Onde: Teatro do CEU Caminho do Mar - Av. Engenheiro Armando de Arruda Pereira, 5241 – Jabaquara Tels 11/3396-5544 / 3396-5540 tir das

INFORME PUBLICITÁRIO

Hatiro Shimomoto com o imperador do Japão

A maior honra na vida do ex-deputado estadual, Hatiro Shimomoto, foi ter sido homenageado pelo Governo de Wakayama. Além de ter sido recepcionado como uma autoridade e hóspede oficial dessa província, reservaram a ele e a esposa, a suíte imperial onde se hospedou o imperador Hiroito e a impeO Grupo AGC, com sede global localizada em Tóquio como ratriz Nagako, na cidade de Asahi Glass Co., Ltd., é líder na produção de vidro plano, Wakayama. automotivo e displays, assim como produtos químicos e ouNormalmente, os aposentros materiais de alta tecnologia e componentes para vários tos utilizados pelo imperasegmentos e indústrias. Contando com mais de um século dor não se destinam a outros de inovação no mercado, o Grupo AGC apresenta as techóspedes. nologias mais avançadas do mundo em vidro, flúor e cerâNo caso de Hatiro Shimomica. O grupo emprega cerca de 50 mil pessoas em todo o moto foi uma deferência esmundo e gera vendas anuais de mais de US$ 15 bilhões por pecial, pois quando deputado meio das suas operações em mais de 30 países. estadual pela Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, teve a honra de ciceronear o governador Ohashi, VEÍCULOS de Wakayama, durante sua estada no Brasil. O hotel fica junto ao mar e as melhores suítes estão no quinto andar – pela paisagem, jardins e árvores. Endivulgação A Nissan apresentou tretanto, no Japão é tradição no Salão de Nova York a no qual ninguém deve ficar quinta geração do sedã Altiacima do imperador e se tiver ma, uma das principais atraoutros hóspedes nos andares ções da marca no evento, que superiores ao 5º andar, seria terminou no último dia 15. O como se estivessem pisando Altima mais inovador de tosobre a sua cabeça. dos os tempos tem início de Por isso, a suíte do 8º vendas previsto para o seandar foi reformada para gundo semestre nos Estados hospedar o imperador ShoUnidos. wa (Hiroito), por tratar-se de Entre as novidades do uma grande histórica no JaNissan Altima 2013 estão pão, hospedar o imperador. o motor 2.5 DOHC de quaA suíte é bem espaçosa, tro cilindros e 182 cavalos, com sala de recepção bem que melhorou o consumo de ampla, o dormitório, também combustível, e um design exé amplo e bem decorado com terior renovado que ressalta cama king size. O banheiro é a percepção de produto prerevestido em madeira branca, mium além de oferecer exdesde o piso até o “ofurô”, incelente aerodinâmica. Há um clusive o pegador de água e o segundo propulsor na linha: o O Altima mais inovador de todos os tempos tem início de vendas previsto para o 2º semestre nos EUA assento também são confecV6 3.5, de 270 cavalos. Amcionados com a mesma ma“O novo Altima atinge as sentou no evento de Nova deira e o toucador em cristal. bos utilizam a transmissão no centro do painel de instrumentos mostra dados de expectativas do consumidor York o ‘Táxi do Futuro’ Ainda estavam expostos o Xtronic CVT. O redefinido sistema de navegação, mensagens de ao entregar estilo equilibrado, NV200, que será o veículo pente, o creme dental e oudesempenho e valor, caracte- oficial da frota da cidade tros objetos que foram usados suspensão independente nas texto e de áudio. Projetado com base na fi- rísticas que continuarão a fa- a partir de 2013, e o Nis- pelo casal imperial, porém, só quatro rodas conta com o Active Understeer Control, iné- losofia ‘Inovação para To- zê-lo um dos carros mais po- san Pathfinder Concept, uma é permito admirar, mas sequer dito no segmento, que deixa dos’ da Nissan, o totalmente pulares da América”, disse amostra da próxima geração tocar nesses objetos tamanho as respostas ao volante ainda novo Altima oferece de série o presidente e CEO da Nis- do utilitário esportivo mais o respeito e humildade. itens como sistema Blue- san, Carlos Ghosn, durante conhecido da marca. mais diretas. Durante a imersão no baOs novos Altima 2013 e nho “ofurô”, Hatiro ShiO interior requintado traz tooth para telefone celular a revelação do modelo à imcom materiais de alta qua- com leitura de mensagens de prensa. Fabricado nos Es- Pathfinder são os primeiros momoto e a esposa Tieko lidade que proporcionam texto integrada; GPS; alerta tados Unidos, o Nissan Al- de cinco novos modelos da juntaram as mãos em preces extremo conforto e prazer ao de necessidade de calibrar tima 2013 será oferecido Nissan a serem lançados nos e em lágrimas agradeceram volante, além de aparentar pneus e as próximas gera- em sete versões muito bem próximos 15 meses. O calen- aos seus pais e à comunidade classe superior com bancos ções de tecnologias de segu- equipadas para atender às dário de 2011 foi o sexto con- nikkei de São Paulo que o dianteiros inspirados no rança como aviso de objeto necessidades do consumidor secutivo de crescimento de elegeu deputado, permitindomarket share da Nissan nos -os desfrutar dessa honra. conceito de ‘gravidade zero’ no ponto cego do veículo norteamericano. Estados Unidos, com o Alda NASA e revestidos em (BSW), alerta de mudança Shimomoto teve várias couro. Um novo sistema de faixa (LDW) e detetor de Táxi do Futuro – Além do tima na segunda posição de outras oportunidades de estar novo Altima, a Nissan apre- carro mais vendido no país. avançado de informações objetos (MOD). com o imperador Hiroito. A

Sede fica em Tóquio

divulgação

primeira foi no festival anual de reflorestamento e plantio de árvores, em Wakayama. Como deputado, foi portador da bandeira brasileira, pela delegação da Associação Wakayama do Brasil, no palanque onde estavam as autoridades e o imperador se levantou para recepcionar o grupo brasileiro, permitindo-os ficarem bem próximo e os cumprimentou carinhosamente. Em sua estada no Brasil, teve também a oportunidade e honra de ser cumprimentado e conversar. Em outra ocasião, o Grupo da Seicho-no-Ie fez o gesto de boa viagem ao Hawai, no Aeroporto de Haneda, e numa outra vez, no Ano Novo no Palácio Imperial, fez questão de cumprimentar a todos. Em seu falecimento, Shimomoto não teve dúvida de que deveria homenageá-lo participando de seu funeral. Representando a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo na comitiva brasileira, juntamente com o presidente da República (acompanhado da primeira-dama), o embaixador e a embaixatriz, e o deputado Hatiro Shimomoto e esposa como membros oficiais da comitiva de representantes do Brasil pelo Itamaraty, teve o assento na ala oficial dos países convidados com o crachá do Ministério das Relações Exteriores do Japão. Em outras oportunidades, teve vários contatos diretor com o atual imperador Akihito e a imperatriz Michiko em São Paulo e em Tóquio, sendo recebido no Palácio Imperial para um chá da tarde. Inclusive, a convite do governo japonês, representou a comunidade nipo-brasileira na solenidade comemorativa do 10º Ano de Ascensão ao Trono Imperial do Imperador Akihito do Japão. Na solenidade da 46ª Convenção Internacional dos Imigrantes Residentes no Exterior (Kaigai Nikkeijin Taikai), realizado em Tóquio, sua esposa Tieko teve a honra de entregar um buquê de flores à princesa Kiko, esposa do príncipe Akishino, segundo filho do imperador Akihito. Até hoje Shimomoto troca correspondências com o Palácio Imperial do Japão


São Paulo, 27 de abril a 03 de maio de 2012

JORNAL NIPPAK

11

kobudô

TÊNIS DE MESA

Brasileiros intensificam preparação para os Jogos

Danilo Pedroso surpreende e conquista título Brasileiro

C

oordenador da Unidade de Campinas (SP), Danilo Pedroso, surpreendeu o favorito Victor Fugita, que buscava o bicampeonato, e sagrou-se campeão do Troféu Kobudô do 11º Torneio Brasileiro Individual de Kobudô, realizado no último dia 21, no Sesc Consolação, em São Paulo. Victor Fugita deixou ‘escorregar’ o troféu de suas mãos, nas quartas de final do 3º Kyu e acima, a categoria máxima do Kenjutsu Combate. Fugita, que acabou na terceira colocação no Troféu Kobudô, que aponta o “campeão dos campeões”, acabou derrotado pelo Breno de Freitas, do Rio de Janeiro, que viria a conquistar a segunda colocação na modalidade Kenjutsu. A competição reuniu cerca de 180 participantes de praticantes todas as Unidades do Instituto Niten – entidade realizadora do evento – espalhadas pelo país. Segundo o fundador e atual presidente do Niten, sensei Jorge Kishikawa, a disputa individual, bem como o torneio por equipes, é realizado apenas uma vez por ano porque “no Niten damos ênfase à formação do indivíduo através dos treinamentos”. “Consideramos a competição uma espécie de rito de passagem dos alunos no qual a disputa individual representa o duela enquanto o torneio por equipes simboliza a batalha que todos os guerreiros são obrigados a enfrentar. Ao mesmo tempo, essas competições estimulam a confraternização em que não só é permitida como também estimulamos extravasar a alegria”, explica Kishikawa, duas vezes pentacampeão brasileiro de kendô e criador do Método KIR (Ken Intensive Recuperation), que visa o desenvolvimento do potencial do ser humano através da espada samurai. Para Kishikawa, além

divulgação

Torneio Individual de Kobudo reuniu cerca de 180 atletas no Sesc Consolação, em São Paulo

ra. Ou seja, saem da zona de conforto para trabalhar a arte marcial, que evidencia a coragem, uma das principais virtudes dos samurais”, conta Kishikawa, que durante o Campeonato introduziu os participantes do Niten Virtude, projeto pioneiro desenvolvido pelo Instituto Niten em parceria com a Prefeitura Municipal de Guarulhos.

Jorge Kishikawa entrega o troféu ao campeão Danilo Pedroso

da vitória de Danilo Pedroso, também merece registro a categoria iniciante, que teve entre 30 e 40 participantes. “Trata-se de uma catego-

ria em que a disputa ocorre sem vestimentas especiais. Isso significa que, dos 5 aos 70 anos, todos colocam a armadura e vão para guer-

Virtude – Pelo acordo, a Prefeitura fornece o espaço – no caso, o CEU (Centro Educacional Unificado) Pimentas – e o Niten entra com os equipamentos e coordenadores. As aulas acontecem uma vez por semana e reúne atualmente 20 alunos dos 13 aos 19 anos. “A única exigência que fazemos é um bom desempenho escolar”, conta Kishikawa, lembrando que o projeto já acontece há um ano e meio e a meta é ampliá-los para outros CEUs, incluindo da capital paulista. “O nosso objetivo é preparar os alunos para a vida”, afirma Kishikawa, cujo trabalho já rendeu uma data especial, o Dia do Samurai, comemorado sempre no dia 24 de abril – que coincide com seu aniversário – e instituído na capital paulista, Ribeirão Preto (SP), Piracicaba (SP), Campinas (SP), Curitiba (PR) e Florianópolis (SC). (Aldo Shiguti)

Confira os campeões e vices de cada categoria: Kenjutsu Infantil: 1) Camila (DF), 2) Take (Ana Rosa-SP); Kenjutsu Infanto-Juvenil: 1) Pedro (Ana Rosa-SP), 2) Emi (Ana Rosa-SP); Kenjutsu Feminino – 5º Kyu: 1) Laura (Ana Rosa-SP), 2) Bruna (Ana Rosa – SP); Kenjutsu Sênior: 1) Kadu (Brasília-DF), 2) Impieri (Rio de Janeiro-RJ); Kenjutsu Masculino – 3º Kyu e Acima: 1) Danilo (Campinas-SP), 2) Breno (Rio de Janeiro-RJ); Naginata Combate: 1) Massao (Sumaré-SP), 2) Fugita

(Ana Rosa-SP); Kusarigama (Duplas): 1) Uehara/Hiroshi (São Paulo), 2) Danilo/ Guilherme (Campinas-SP); Jitte (Duplas): 1) Massao/ Mitsuo (Sumaré-SP), 2) Danilo/Guilherme (Campinas-SP); Iaijutsu – 5º Kyu e Acima: 1) Fugita (Ana Rosa-SP), 2) Danilo (Campinas-SP); Jojutsu – 5º Kyu e Acima (Duplas): 1) Bispo/Fugita (Ana Rosa-SP), 2) Brandolin (Ribeirão Preto)/ Houlsch (Campinas); Kenjutsu Iniciantes (Sem Bogu): 1) João Pedro (Ana Rosa-SP),

2) Kazumi (Sorocaba-SP); Kenjutsu Masculino – 0 Kyu: 1) Terres (Porto Alegre-RS), 2) Guergolet (Sorocaba-SP); Kenjutsu Masculino – 7º Kyu: 1) Rodrigues (Goiânia-GO), 2) Gonçalves (Ana Rosa-SP); Kenjutsu Masculino – 6º Kyu: Erik (Brasília-DF), 2) José (Ana Rosa – SP); Kenjutsu Masculino – 5 e 4º Kyus: 1) Sanzio (Belo Horizonte-BH), 2) Venturelli (Vila Mariana-SP); Kenjutsu Feminino – 0-7º Kyu: 1) Viviane (Brasília-DF), 2) Márcia (Vila Mariana-SP); Kenjutsu

Feminino – 6º Kyu: 1) Karine (Ana Rosa-SP), 2) Menegjetti (Tatuapé-SP); Iaijutsu – 0-7º Kyu: 1) Araújo (São José dos Campos-SP), 2) Mitsuo (Sumaré-SP); Iaijutsu – 6º Kyu: 1) Gonçalves (Ana Rosa-SP), 2) Zambom (Sumaré-SP); Jojutsu – 0-7º Kyu (Duplas): 1) Vivian/ Job (Brasília-DF), 2) Takei/ Meloni (Salvador-BA); Jojutsu – 6º Kyu (Duplas); 1) Fonseca/Drawin (Belo Horizonte-MG), 2) Apoena (Ana Rosa-SP)/Marques (Sumaré-SP)

TV

Japan-TV traz ao Brasil o Japão em tempo real Há quase sessenta anos, quando a televisão chegou pela primeira vez no Brasil, ninguém acreditou que hoje haveria pelo menos uma TV colorida em quase toda casa. Há pouco menos de dois anos, quando foi feita a primeira transmissão de televisão digital, imaginamos também que ela demoraria a se popularizar. A novidade agora é você conectado em tempo real com o Japão, a façanha é apresentada pela empresa Japan-TV, especializada em TV digital, que através da transmissão via internet conecta 24 das principais redes de televisão do Japão ao Brasil. Para o diretor da JapanTV, Augusto Nam, a novidade traz a comunidade nipo-brasileira vinte canais ao vivo e quatro reprisados ou gravados devido ao fuso

luci júdice yizima

Transmissão via Internet conecta 24 das principais redes do Japão

horário de 12 horas. “A nossa empresa traz com qualidade de imagem e tecnologia de ponta, todo entretenimento que o Japão oferece em suas principais emissoras. Nós queremos proporcionar aos japoneses e seus descendentes no Brasil uma programa-

ção diversificada como Dorama, Animê, Tokusatsu, Filmes, Documentários, notícias do cotidiano japonês, entre outros”, declara o executivo. No bairro da Liberdade alguns estabelecimentos já faz uso do produto, como é o caso do Kohii Café do empre-

sário Jun Takaki. “O produto é interessante, tem qualidade na imagem, a maioria dos frequentadores do Kohii são japoneses, mesmo os brasileiros, chineses, coreanos que frequentam aqui, assistem a programação, ficam de olho na telinha”, diz. “O diferencial da Japan-TV para as TVs a cabo é que quando chove o sinal não cai, só se o acesso à internet falhar”, confirma Jun Takaki. Para adquirir a Japan-TV que abrange todo território nacional, o consumidor deverá ter conexão à internet, desembolsar R$ 600,00 pelo codificador (Set Top) aparelho necessário para a recepção do sinal, e R$ 100,00 pela mensalidade do serviço. A instalação é fácil. Para os interessados no produto o telefone de contato (11) 3337-2475. Luci Júdice Yizima

Com quatro atletas brasileiros já classificados para as Olimpíadas, sendo que os demais países só tem um, o Brasil ganhou o direito de levar duas equipes para representar a América Latina nas Olimpíadas. Masculino – 1º lugar: Liu Song (ARG), 2º) Lin Ju (DOM), 3º) Gustavo Tsuboi (BRA), 4º) Marcelo Aguirre (PAR), 5º) Hugo Hoyama (BRA) e 6º) Andy Pereira (CUB). Feminino – 1º lugar: Ligia Silva (BRA), 2º) Paula Medina (COL), 3º) Yadira Silva (MEX), 4º) Caroline Kumahara (BRA), 5º) Fabiola Ramos (VEN) e 6º) Berta Rodrigues (CHI). Em julho a comissão técnica brasileira decidirá entre os quatro atletas: Cazuo Matsumoto, Thiago Monteiro, Jéssica Yamada e Gui Lin (chinesa em processo de naturalização) para indicar nas vagas as quais o Brasil tem direito. Em Beijing 2008, Hugo Hoyama foi o indicado para completar a equipe masculina, junto com Thiago e Tsuboi, assim ele pode jogar somente em equipes, os demais em equipes e individuais. Estão sendo avaliados os desempenhos dos atletas no Latino-Americano, Mundial da Alemanha, Aberto da Espanha, Aberto do Chile e Copa Latina, para decidir quem vai. De 25 a 29 de abril, aqui em Santiago, os brasileiros dão o seu melhor em busca de resultados e preparação para Londres 2012. Thiago, que foi vice-campeão no Latino-Americano do RJ, foi melhor do que o

divulgação

Gui Lin: tratamento diferenciado

Cazuo. Já no Mundial da Alemanha, Cazuo com 7 vitórias e 1 derrota superou a performance de Thiago. Na Espanha ambos caíram na mesma fase. Jéssica foi campeã no Latino- Americana RJ e Gui Lin não jogou; no Mundial e aqui no Chile, Gui Lin, lesionada, não participou e fica no aguardo da nacionalização. A polêmica que está sendo muito comentada nos meios é da não participação da chinesa Gui Lin, no ciclo olímpico que começa nos Jogos Sul-americanos de Medellín (Colômbia) (2010), Jogos Pan-americanos Guadalajara (México), em 2011, e nunca tendo participado de uma seletiva nacional, pode ir direto para as Olimpíadas. O nível técnico dela é idêntico das demais, tanto que no último brasileiro de Fortaleza 2011, perdeu para Ligia Silva, fora as lesões constantes que a tem tirado das competições internacionais. *Marcos Yamada, especial para o Jornal Nippak, direto de Santiago

COLUNA AKIRA SAITO

A força do pensamento “Somos fruto do nosso pensamento, tudo aquilo que imaginamos de bom e também de ruim.....” Na atual sociedade, mui­ to se diz sobre ética, respeito, muito se critica e se dá opinião na vida de terceiros, mas pouco se faz em relação a si próprio, a auto avaliação e auto correção. O pensamento neste caso exerce grande força, mesmo que na maioria das vezes a própria pessoa não se dê conta. Geralmente, até mesmo pelo ritmo alucinante da nossa sociedade, as pessoas têm muito mais pensamentos negativos do que positivos, seja para com terceiros ou para com ela mesma. Com isso, inevitavelmente de que acordo com as leis naturais que regem o universo, as energias negativas estarão muito mais presentes e disponíveis do que as positivas. Isso, claro, não é bom e pode trazer inúmeros problemas à pessoa e que ela mesma desconheça suas causas. Para melhorar este quadro é preciso que as pessoas tenham mais pensamentos positivos, produtivos e que possa direta ou indiretamente ajudar também a outras pessoas. É muito mais proveitoso se a pessoa pensar em algo realmente bom, quando estiver diante de um problema, dar mais ênfase à solução e não tanto no problema em si. A atual sociedade faz com as pessoas pensem apenas em

si mesmas, que pensem que só elas possuem problemas, que as outras pessoas tem a obrigação de sempre entende-las, que os seus erros ou faltas tem sempre uma boa justificativa e com isso cria um aglomerado de pessoas egoístas e com síndrome de coitadas. É preciso que o pensamento seja mais produtivo e não tão destrutivo, um pensamento que faça com que as pessoas queiram não que se entendam seus fracassos, mas que as estimule rumo às suas conquistas, que as faça querer perseverar, que não aceitem a derrota e que busquem a vitória como objetivo final. Pensar que uma sociedade bem sucedida é formada de pessoas que sabem que o respeito deve ser mútuo e que levar vantagem significa prejudicar alguém e que em uma lógica progressiva, se todos levam vantagem, isso só acontece porque todos acabam sendo prejudicados de alguma forma. O que no final acaba sendo uma desvantagem na verdade para toda a sociedade. O pensamento produtivo e positivo pode transformar uma situação ruim em algo que possa realmente valer a pena e fazer diferença na vida da pessoa. Devemos utilizar esta arma poderosa que é o nosso pensamento a nosso favor, a favor da sociedade e a favor de um mundo melhor!!!!! GANBARIMASHOU!!!!!

*Akira Saito, professor e praticante de Budo há 32 anos, morou no Japão de maio de 1990 a setembro de 1996, onde treinou karate sob a tutela do Hanshi Konomoto Takashi - 9º dan, graduando-se até o 3º Dan e tornando-se instrutor da matriz na cidade de Sagara-cho e das filiais das cidades de Hamamatsu-shi e Hamakita-cho até o retorno ao Brasil. Contato www.karatedogojukai.com.br www.saitobrothers.com www.artesdojapao.com.br www.akirasaito.blogspot.com


JORNAL NIPPAK

12

Lançamento – Na noite do dia 11 de abril foi realizado coquetel de lançamento do livro “Bobby, o Cão Zen - Uma História de Afeto e Fidelidade” do autor Koji Fujita, no Kohii Café, Rua da Glória, 326 – Subsolo, na Liberdade, na área central de São Paulo. O evento contou com dezenas de convidados, entre eles o vereador Aurélio Nomura, George Hato representando o deputado estadual Jooji Hato, Meire Kamia, Nelson Nakamura, Nancy Ohata, entre outros. Luci Júdice Yizima Cerimônia - A Praça da Liberdade lotou de gente para assistir a cerimônia Budista celebrada por monges da Federação das Escolas Budistas do Brasil, da Associação dos Admiradores do Buda Xaquiamuni, da Aliança Feminina Budista do Brasil e da Associação Cultural e Assistencial da Liberdade – Acal, realizou a 46ª Edição Hana Matsuri – Festa das Flores e a comemoração aos 2636 anos de nascimento do Buda “Xaquiamuni”, no centro de São Paulo, no dia 14 de abril. As crianças estavam vestidas tipicamente a caráter conforme a ocasião, representando através de seus trajes, as deusas do céu e da terra, pois segundo a lenda, o nascimento do Buda estas dei-

dades vieram cortejá-lo, e o “elefante branco” que leva o Buda representa uma preciosidade única. Religiosos, autoridades e políticos marcaram presença no evento, entre

eles Cônsul Geral adjunto do Japão Masahiro Kobayashi, Coronel Yoshio Kiyono, Coronel Mario Endo, os vereadores Aurélio Nomura, Victor Kobayashi, Coronel Carlos do gabinete da Subprefeitura da Sé, Jorge Miyahara (assessor do deputado Junji Abi), entre outros. Luci Júdice Yizima

São Paulo, 27 de abril a 03 de maio de 2012

Jornal Nippak - 27 a 03/05/2012  

Jornal Nippak - 27 a 03/05/2012

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you