Issuu on Google+

Barreiras fĂ­sicas e imaginĂĄveis


Barreiras fĂ­sicas e imaginĂĄveis


Apresentação Muitas vezes o mobiliário urbando, sendo esse o objeto de estudo, se tranforma em barreira. Determinadamente fragmentado deixa que seus fragmentos espalhados pelas cidades contemporâneas exerçam sobre os caminhos formas e papéis de barreiras muitas vezes físicas e tantas outras imaginárias. Quando passamos por eles vamos desviando, com o pensamento ou com nossos corpos de todos os obstáculos que se intrometem tantas vezes entre nossos pés, nossos olhos, nossas árvores. Evitando contatos, separando e quantificando, protegendo algo de alguém, vamos ignorando tantas barreiras pelos caminhos que construímos tantas vezes quando passamos por algum caminho já tantas vezes utilizado. Por isso, exatamente, houve essa escolha para que se trabalhasse exclusivamente com barreiras - tanto físicas quanto imaginárias - de nossos caminhos cotidianos. É impressionante como trabalhamos, estudamos, aprendemos, namoramos, comemos, enfim, vivemos envoltos de tantas formas que se tranformam a todo instante em algo que nos impede de fazer outro algo, de conhecer alguém, de conhecermos nós mesmos, ou nossa cidade, ou nossa história. A partir dessas constatações, envolvidos nessa busca minuciosa pelo que nos barra tanto pensamento como olhar ou os próprios caminhos de nossos pés, procuramos decifrar do que são feitas e como se colocaram onde estão tantas barreiras que encontramos em nosso dia-a-dia. Aqui está o resultado de nossa coleta e nossa vivência dentro da cidade e como enxergamos como ela funciona dentro e fora de nós para nos privar de vivências.


Mapa de Belo Horizonte


Mapa de Lagoa Santa


Índice-guia

1. Grelha arvoeira 2. Gradil de árvore 3. Gradil do Parque Municipal 4. Placa “Não pise na grama.” 5. Placa contra cães nos jardins 6. Fita zebrada 7. Bolas de concreto 8. Arco do Viaduto Santa Tereza 9. Corrente para isolamento de área 10. Corrente para isolamento de área 11. Corrente para isolamento de área 12.. Semáforo Praça da Liberdade 13. Semáforo para bicicleta 14.. Gradil Praça da Liberdade 15. Alambrado 16.. Gradil da Rodoviária LS 17. Gradil do PAMA-LS 18. Iate Clube de Lagoa Santa 19. Placa da Aeronáutica 20. totem do Parque Estadual do Sumidouro

16 18 20 22 24 26 28 30 32 34 36 38 40 42 44 46 48 50 52 54


Grelha arvoeira

Estes são chamados de anéis delimitadores ou estruturadores antigos, que ficam nas covas das árvores e têm o objetivo de protegê-la e de nivelar o canteiro da árvore em relação ao piso ao seu redor, facilitando o escoamento de água. Esse elemento foi escolhido como uma barreira imaginária, para quem caminha próximo à esse elemento, e ao mesmo tempo física, em volta da árvore; é algo sutil no espaço da cidade, mas cria uma homogeneidade na paisagem. As vezes encontramos árvores que se revoltam contra essas prisões e tentam delas fugir, como esse caso. Local: Canteiro entre Praça da Liberdade e Palácio da Liberdade - Bairro dos Funcionários - Belo Horizonte/MG Autor: desconhecido Fabricante: FuMINAS Origem: São Paulo - SP Data: 1968 Custo: R$488,80 Material: ferro fundido Técnicas utilizadas: Corpo em ferro fundido, moldura de instalação em perfil de aço galvanizado, acabamento pintado na cor cinza grafite.

17


Gradil de árvore

O mobiliário urbano escolhido é um elemento obrigatório na legislação de Belo Horizonte, são chamados de anéis delimitadores ou estruturadores, que ficam nas covas das árvores e têm o objetivo de protegê-la e de nivelar o canteiro da árvore em relação ao piso ao seu redor, facilitando o escoamento de água. Esse elemento foi escolhido como uma barreira imaginária, para quem caminha próximo à esse elemento, e ao mesmo tempo física, em volta da árvore; é algo sutil no espaço da cidade, mas cria uma homogeneidade na paisagem. Local: Praça Diogo de Vasconcelos - Savassi - Belo Horizonte/MG Autor: desconhecido Fabricante: desconhecido Origem: desconhecida Data: desconhecida Custo: US $1,100 - 1,500 / Tonelada (preço encontrado em distribuidora internacional) Material: ferro fundido

19


Gradil do Parque Municipal

O Parque Municipal Américo Renné Giannetti foi construído ao mesmo tempo da construção da capital, no final do século XIX e início do século XX. O parque foi cercado em 1920 pela primeira vez por gradis de ferro, que foram alguns anos depois retirados, e só em 1977 ele foi definitivamente cercado devido aos índices de violência. O que instiga é o fato do cercamento de uma área pública, de um controle do espaço através dessa barreira física. Local: Avenida Afonso Pena, 1377 - Centro - Belo Horizonte/MG Fabricante: desconhecido Origem: desconhecida Data do gradil: 1977 Data do parque: 1897 Custo: desconhecido Material: ferro Área cercada: cerca de 180 mil m²

21


Placa “não pise na grama.”

Placas que impedem-nos de fazer algo tão primordial sempre se mostraram como um obstáculo para nossas vivências sociais. É mais irônico quando as mesmas estão afixadas em locais cujo o nome contém a palavra “liberdade”, uma forma de mostrar que nas mãos de quem detém o poder até onde a liberdade deveria ser respeitada pode-se proibir um dos mais primordiais atos humanos, como o de andar sobre a grama. Local: Praça da Liberdade – Belo Horizonte Autor: Vale Fabricante: AfixGraf Soluções Gráficas Origem: São Paulo - SP Data de fabricação: 2012 Custo: R$280,00 Materiais: Aço 24 Técnicas utilizadas: Pedestal fabricado em aço 1,5mm com 2 polegadas, possui base soldada. Base fabricada em chapa de aço 18 com 4 furos. Impressão digital. Cores: Verde e amarelo.

23


Placa contra cães nos jardins

Hoje vivemos em um mundo onde os lugares devidos a animais são muitas vezes jaulas, gaiolas, apartamentos, casas e asfaltos. Essa peça de mobiliário urbano vem demonstrar esse valor de forma clara: em uma praça onde há grama e jardins não se deve deixar que os animais aproveitem do espaço, mas que sejam confinados ao concreto, ao asfalto e a tudo que não seja o verde natural ou colorido das plantas e da natureza. Local: Praça da Liberdade – Belo Horizonte Autor: Vale Fabricante: AfixGraf Soluções Gráficas Origem: São Paulo - SP Data de fabricação: 2012 Custo: R$350,00 Materiais: Aço 24 Técnicas utilizadas: Pedestal fabricado em aço 1,5mm com 2 polegadas, possui base soldada. Base fabricada em chapa de aço 18 com 4 furos. Impressão digital. Cores: Verde e amarelo.

25


Fita zebrada

A Praça da Liberdade sempre foi uma das praças com mais vida ativa de Belo Horizonte, sendo provavelmente a única na área centro-savassi que se comporta dessa forma. Com tantos eventos realizados na Praça da Liberdade muitas vezes é estabelecida a necessidade de utilização da fita zebrada (amarela e preta) que demarca os lugares onde o público não deve ciente ou acidentalmente atingir. Local: Praça da Liberdade – Belo Horizonte - MG Autor: 3M Fabricante: 3M Origem: Sumaré - SP Data de fabricação: 2009 Custo: R$27,99/200m Materiais: Polietileno Técnicas utilizadas: Filme constituído de Polietileno linear de baixa densidade com impressão diagonal nas cores amarela e preta sucessivamente.

27


Bolas de concreto

Bolas espalhadas pela cidade. Sentar, pular de uma até a outra, andar sobre elas, pular de cima de alguma, pinta-las, não importa o que se faz com essas bolas, mas elas estão sempre espalhadas pela cidade como barreiras ao olhar e aos caminhos de cada um. Situadas na entrada do caminho para o anexo da Biblioteca Pública elas funcionam como barreiras físicas para carros e pessoas, mas também imaginárias quando se pensa que a partir daquela barreira pode-se encontrar livros, conhecimento. Muitas vezes há esse tipo de barreira imaginária ao conhecimento: embora possa-se transpor essa barreira física feita de concreto muitas vezes não se pode transpor o preconceito e o medo da imaginária. O conhecimento acaba sendo experimentado por poucos e qualquer forma de barreira irá ajudar nesse quesito. Inclusive as físicas, teoricamente inofensivas. Local: Entrada da Biblioteca Pública (anexo) - Praça da Liberdade - Belo Horizonte/MG Autor: desonhecido Fabricante: desonhecido Origem: desonhecido Data de fabricação: desonhecido Custo: desonhecido Materiais: concreto, vergalhão 5/8” (para fixa-lo no chão) Técnicas utilizadas: molagem em forma de ferro fundido

29


Arco do Viaduto Santa Tereza

O viaduto tem, pela sua forma, pelo seu simbolismo e por muitos outros motivos uma grande importância na cultura e no espaço da cidade. Ao mesmo tempo que vemos uma ocupação intensa recentemente, vemos também que há um descaso com o patrimônio e a preservação. Podemos entender o viaduto de forma escultural, cultural, transitória, etc. Mas o arco define e limita uma certa espacialidade e até mesmo desafia o usuário à ocupação; cria uma barreira imaginária, que é quebrada segundo às regras da legislação da cidade a partir do momento em que o arco torna-se lugar de apropriação. Local: Viaduto Santa Tereza, ligando os bairros do Centro ao de Santa Tereza e Floresta pela saída da rua da Bahia até a Assis Chateaubreand. Autor do projeto: Emílio Baumgart, engenheiro Data: 1929 Material: Concreto Armado Dimensão: 14m de altura Tombado pelo: IEPHA na década de 90 (Conjunto Arquitetênico da Praça da estação) Quem já se arriscou subindo o viaduto: Fernando Sabino, Carlos Drummond Andrade, entre outros de nossos amigos.

31


Corrente para isolamento de área

Desde que Márcio Lacerda, como prefeito de Belo Horizonte, proíbe a entrada de cidadãos comuns às dependências do prédio da prefeitura de Belo Horizonte é colocada essa corrente para isolamento de área nas margens que divisam a prefeitura e sua calçada (que felizmente continua pública para a passagem de todo e qualquer cidadão). A partir desse momento encontra-se essa barreira física do que supostamente é público à população geral. Local: Prefeitura de Belo Horizonte - Avenida Afonso Pena, 1212, Centro, Belo Horizonte-MG Autor: Paganini & Cia Ltda. Fabricante: Paganini & Cia Ltda. Origem: São Paulo - SP Data de fabricação: desconhecida Custo: R$ 20,43/m Materiais: Aço Técnicas utilizadas: Forjada em Aço liga (Alloy Steel) Grau 8 - Norma EN 818-2. Acabamento oxidado preto.

33


Corrente para isolamento de área

Para impedir que os carros entrem e saiam da rua que corta a Praça da Liberdade como no início colocou-se correntes impedindo a passagem. Elas viraram marco da Praça da Liberdade para acessibilidade. Local: Praça da Liberdade – Belo Horizonte Autor: Paganini & Cia Ltda. Fabricante: Paganini & Cia Ltda. Origem: São Paulo - SP Data de fabricação: 2009 Custo: R$ 70,83/m Materiais: Aço inoxidável Técnicas utilizadas: desconhecidas

35


Corrente para Isolamento de Área

O Museu de Artes de Ofícios está localizado na Praça Rui Barbosa, mais conhecida como Praça da Estação. Entre medidas que proíbem eventos na mesma e tantos protestos contra medidas como estas fica estabelecido que o Museu necessita de mais correntes, e é dessa forma que mesmo nas áreas antes abertas para o público temos restrição de acesso por meio dessas novas e chamativas correntes de contenção. Local: Museu de Artes e Ofícios - Praça Rui Barbosa, s/n, Centro – Belo Horizonte - MG Autor: Vonder Fabricante: Vonder Origem: Campo Grande MS Data de fabricação: 2005 Custo: R$34,29/10m Materiais: Polietileno de alta densidade Técnicas utilizadas: desconhecida

37


Semáforo Praça da Liberdade

O primeiro semáforo de Belo Horizonte representou, na época em que foi construído, uma barreira imaginária para a frota de carros que começou a crescer na cidade. De fato, ainda tem hoje a mesma função de “siga, fique atento e pare”, mas nem sempre é seguido, obviamente. Tem uma relevância muito grande na sua localização, em frente a passagem central da Praça da liberdade e de certa forma, articula como o veículo e a rede de trânsito se organiza no espaço urbano. Local: Cruzamento entre a rua Gonçalves Dias e avenida João Pinheiro Fabricante: desconhecido Origem: desconhecida Data: 1929 Material: Ferro, LED (instalado em 2012) Tombado pelo: IEPHA (Faz parte do Conjunto Arquitetônico e Paisagístico da Praça da Liberdade) Apelido na época da instalação: “pisca-pisca”

39


Semáforo para bicicleta

Os novos semáforos sempre foram, desde 1929, um sinal de barreira para a cidade de Belo Horizonte. A partir da primeira experimentação muitos detalhes dos mesmos foram sendo modificados e aperfeiçoados para serem mais condizentes às novas vidas que surgem diariamente na capital mineira. Os novos, por exemplo, trazem integrado a eles um novo alerta: aos usuários de bicicleta. Local: rua Professor Morais esquina com rua dos Inconfidentes Fabricante: CONTRANSIN – Controle de Trânsito e Sinalização Autor: desconhecido Material: grupo focal a LED (Ligth Emitting Diodo) Origem: Três Corações/ MG Custo: desconhecido

41


Gradil Palácio da Liberdade

Mais uma vez nos deparamos com outro espaço público completamente cercado, que já tem uma ideia de monumentalidade. O prédio inicialmente não era cercado e era sede administrativa e moradia dos governadores e suas famílias, a partir da década de 70 o serviço passou a ser no Palácio dos Despachos. O que pode parecer uma forte barreira física no cenário urbano pode ser também pensada como uma barreira imaginária em relação ao campo político e aos cidadãos, o que já é muitas vezes distante culturalmente. Local: Praça da Liberdade, s/nº - Bairro dos Funcionários - Belo Horizonte/MG Fabricante: desconhecido Origem: desconhecida Data: 1968 Material: ferro Tombado pelo: IEPHA em 1975 Referência estética: neoclássico

43


Alambrado

Como um dos principais pontos de encontro de Belo Horizonte o Coreto da Praça da Liberdade se constrói no imaginário dessa cidade. O problema de infra-estrutura agravesse com o passar dos anos e do tempo agindo sobre ele, fazendo que o mesmo passe meses desativado, cercado e protegido - muitos desses sem o menor sinal de mudança. Hoje cercado por telas como essa o espaço está no fim de suas reformas. Espera-se que seja devolvido ao público e ao papel que o imaginário de Belo Horizonte fez dele. Local: Praça da Liberdade – Belo Horizonte Autor: Gerdau Fabricante: Gerdau Origem: Contagem - MG Data de fabricação: 2009 Custo: R$125,00/10m Materiais: Aço e PVC Técnicas utilizadas: Arame de aço galvanizado revestido com PVC cinza

45


Gradil da Rodoviária LS

“O prédio da rodoviária de Lagoa Santa foi construído na década de 80 e em 2009, foi reformado pela prefeitura da cidade” Com a reforma, o Terminal Rodoviário de Lagoa Santa foi cercado por gradis e portões, impedindo acesso a seu interior, a partir de um determinado horário. Local: Av Prefeito João Oaher, 757, Lagoa Santa - MG Autor: BMB Belgo Mineira Bekaert Fabricante: BMB Belgo Mineira Bekaert Origem: Vespasiano/MG Data de fabricação: 2010 Custo: R$327,56/m Materiais: Grade: Arames em Aço eletrosoldado e zinco. Poste: Poste fabricado em chapa de aço. Base: Concreto pré-moldado,FCK – 25 Mpa com fibras de aço Dramix RC65/60 BN/. Abraçadeiras de extremo e intermediária: chapas de aço galvanizado (espessura 1/8”). Complementos: parafuso com porca e arruela galvanizada. Grampo de travamento: fio de aço galvanizado bitola 6,04mm. Técnicas utilizadas: Grade: Galvanizado por imersão a quente, com camada de zinco mínima de 60g/m². Poste: galvanizado por imersão a quente sendzimir, com camada de zinco média de 100 g/m².

47


Gradil do PAMA-LS

“O Parque de Material Aeronáutico de Lagoa Santa (PAMA LS) é um estabelecimento industrial que presta serviços de fabricação, inspeção, manutenção e reparação de uma enorme frota de aeronaves da Força Aérea Brasileira, além de auxiliar no controle do espaço aéreo em Lagoa Santa e Confins. É aberto à visitação turística, que deve ser previamente agendada com seu departamento de Relações Públicas.” O parque é cercado por grades de ferro, em toda a sua extensão, além de possuir guaritas para controle de acesso. As grades nos impedem de ter acesso a informações de interesse comum. É uma barreira física de uma entidade do Governo Federal. Local: Av. Getúlio Vargas - Orla da Lagoa – Lagoa Santa/MG Autor: BMB Belgo Mineira Bekaert Fabricante: BMB Belgo Mineira Bekaert Origem: Vespasiano/MG Data de fabricação: 2012 Custo: R$471,32/m Materiais: Aço, zinco + Alumínio. Técnicas utilizadas: Grade: Galvanizado por imersão a quente, com camada de zinco mínima de 60g/m². Poste: Chapa de aço conforme norma NBR 7008 - Levemente oleado.

49


Iate Clube de Lagoa Santa

“O Iate Clube de Lagoa Santa, cuja construção data de 1940, era utilizado como local de ensaio para escolas de samba e acolhia seus sócios e familiares que se divertiam na piscina, quadras de areia, trampolim de madeira, rampas para lanchas e barcos, salas de jogos e um bom restaurante. Em 1990, teve seu espaço enclausurado e por muitos anos o local serviu de abrigo para mendigos, ponto de venda e consumo de drogas e de sanitário a céu aberto.” Após mais de 20 anos de abandono, tomado pelo mato e deteriorado pela má conservação, o prédio do Iate Clube teve sua reforma iniciada em 2010 e concluída 2011, por iniciativa da Secretaria de Cultura de Lagoa Santa. Porém, por não haver um projeto definido para seu uso, a construção foi totalmente lacrada, impossibilitando o acesso ao seu interior. Local: localizado na margem da lagoa no cruzamento da Av. Getúlio Vargas com Carlos Orleans (Av. Ipiranga). Autor: Engenheiro João Serápio Batista. Fabricante: Construtora de João Serápio Batista (primeira construtora de Lagoa Santa) – Prédio original / Horizontes Arquitetura e Urbanismo Ltda (licitação) – Reforma Origem: Lagoa Santa - MG Data de fabricação: 1940 – Prédio original / 2010 - Reforma Custo: R$ 148.987,70 Materiais: concreto, argamassa, madeira, barras de ferro Técnicas utilizadas: remoção parcial de revestimentos internos e externos e piso, demolição de concreto simples – com equipamento elétrico, recomposição do contrapiso, execução de contrapiso desempenado.

51


Placa da Aeronáutica

“Em 1º de setembro de 1935, com a presença do Presidente da República e altas autoridades civis e militares do País, foi lançada, no Município de Lagoa Santa, a pedra fundamental das instalações destinadas a abrigar o primeiro núcleo industrial para a construção de aviões e hidroaviões no Brasil. As propriedades da Força Aérea Brasileira se estendem por grande parte das áreas de Lagoa Santa. É comum encontrar grades, portões, guaritas e placas de sinalização de propriedade da Aeronáutica em toda a cidade.” A placa em questão, que pode ser encontrada em um terreno na beira da estrada, na entrada da cidade, indicando o local como propriedade da Força Aérea Brasileira, que é uma instituição do Governo Federal e impedindo o acesso das pessoas “não-autorizadas”. Local: BR-424 – Lagoa Santa Autor: Embrasin - Empresa Brasileira de Sinalização Ltda. Fabricante: Embrasin - Empresa Brasileira de Sinalização Ltda. Origem: Belo Horizonte - MG Data de fabricação: Original: 1935 Custo: R$ 144,00 Materiais: Rovin, Resina poliéster, Gelcoat com UV 600 gramas por m², filme. Técnicas utilizadas: Composto por 30% de rovin e 70% de resina poliéster, possui em sua parte externa uma camada de gelcoat com UV 600 gramas por m², a qual oferece ao produto alto brilho e proteção contra os raios ultravioletas e reagentes químicos. Em cima desta camada é aplicado um filme poliéster que proporciona segurança à superfície do laminado durante o transporte.

53


Totem do Parque Estadual do Sumidouro “O Parque Estadual do Sumidouro foi criado no dia 03 de Janeiro de 1980. Com área total de 2004,00 ha. e gerido pelo IEF (Instituto Estadual de Florestas), o Parque Estadual do Sumidouro é caracterizado como Unidade de Proteção Integral e seu objetivo principal é de promover a preservação ambiental e cultural, possibilitando atividades de pesquisa, conservação, educação ambiental e turismo.” Apesar de ser um parque do governo e, consequentemente, da população, as visitas acontecem somente junto aos guias e devem ser agendadas de terça a domingo de 9:00h às 16:30h e em horários diferentes destes, o parque permanece fechado para visitação. Tal informação pode ser encontrada neste totem, localizado na entrada do parque. Uma barreira imaginária, pois apesar de haver uma guarita, não há grades ou cancelas. Local: Rua Fernão Dias, 10 – Lapinha – Lagoa Santa/MG Autor: Towbar Sinalização de Segurança Fabricante: Towbar Sinalização de Segurança Origem: Santa Catarina Data de fabricação: 2010 Custo: R$870,00 Materiais: Alumínio composto 3mm com base em aço. Técnicas utilizadas: produzido em alumínio composto 3mm, estrutura em aço, seu layout é personalizável com impressão nos dois lados, fixação por parafusos em sua base. Técnicas utilizadas: Grade: Galvanizado por imersão a quente, com camada de zinco mínima de 60g/m². Poste: Chapa de aço conforme norma NBR 7008 - Levemente oleado.


Referências 3M Soluções API Convênios Brasutil Ceras & Cia Gerdau Embrasin Instituto Estadual de Florestas PAMA-LS Paganini Prefeitura de Belo Horizonte Prefeitura de Lagoa Santa Towbar


fim



Barreiras - físicas e imagináveis