Page 14

14 trabalhos diferentes também, mais conceituais, simples, sem tanta fantasia, por tanto, sem relação com esse movimento.

Ainda visualizando a Figura 10, encontramos o uso de perspectiva usado marcadamente por Bueno, também presente em obras de George Grosz (Figura 11). Grosz fazia muitos trabalhos de pintura e, ao mesmo tempo, possuía um toque de cartum. Essa mescla de paródia, crítica, anotação visual dos costumes de uma época com algo do cartum, e a experimentação das colagens são uma referência para mim. Gosto muito também das composições, do volume dos personagens. O ar carregado, o clima pesado dos desenhos – condizente com um período terrível da História – também me fascina. Entendo como uma manifestação crítica que faz mais sentido nos dias de hoje, por exemplo, do que o excesso de firulas sem sentido e propósito que temos visto por aí afora (BUENO, 2009).

Figura 11. Metropolis, 1916-1917. George Grosz. (Imagem cedida por Daniel Bueno).

Grosz adicionava às suas pinturas alguns recortes de papel como Bueno faz em suas composições. Usava muitos elementos, assim como Bueno utiliza em alguns de seus trabalhos. Notamos semelhanças nos “cortes” utilizados nas ilustrações e nas formas geométricas.

A OBRA DO ILUSTRADOR CONTEMPORÂNEO DANIEL BUENO RELACIONADA COM OBRAS DE ILUSTRADORES DO SÉCULO XX  

Este projeto investiga a obra de Daniel Bueno, arquiteto, quadrinista, designer gráfico e ilustrador contemporâneo brasileiro, membro e con...