Page 1


2

JUAN DOMINGUES MIRIAM


SET . OUT 2015

1


MIRIAM Este foi o título que o artista encontrou para homenagear todas as obras expostas nesta exposição, como uma homenagem a todas as personagens por ele retratadas. Contudo, Miriam pode ser considerado uma variante de Maria, oriundo do hebraico Myriam, que significa “senhora soberana”, a mãe de todas as mães. Juan Domingues nasceu em Puerto Cabello na Venezuela em 1981. Vive e trabalha em Cantanhede, Coimbra. Destacam-se, entre as suas obras, a pintura e o desenho de grande formato, onde a gestualidade, a conjugação cromática e os resíduos de tinta ganham força e densidade entre as delimitações do suporte físico. Parece que o desenho lhe corre nas veias. É mesmo incapaz de estar muito tempo sem desenhar, é um exercício que pratica diariamente. É impossível mesmo, não agarrar a esferográfica, entre a sopa e o almoço, e mesmo na toalha de papel, rabisca as suas ideias, que lhe ocorrem momentaneamente. Ou então faz um esboço do amigo que está à sua frente, captando os traços principais e fundamentais do seu rosto, para mais tarde no estúdio, passa-los para uma tela a óleo, de preferência de grandes dimensões, as suas técnicas de eleição. Estudou na ARCA - EUAC Escola Universitária das Artes de Coimbra, concluindo o último ano do curso de Licenciatura em Pintura em 2007 e desde então tem vindo a expor publicamente, tanto a nível nacional como internacional, destacando-se com duas menções honrosas nos prémios Aveiro Jovem Criador e Prémio D. Fernando II em Sintra, tal como pela Artreview magazine e Showcase Londres, encontrando-se também representado pela Drawing Dreams Foundation de Berkley, California. Atualmente é representado pela Galeria Nuno Sacramento Arte Contemporânea sediada em Ílhavo - Aveiro. Juan Domingues desde tenra idade que começou a rabiscar em diversos suportes que lhe vinham parar às mãos, quase como uma função natural que tenha nascido com ele. Esta faceta do artista é bem característica da sua capacidade inata para conseguir captar o momento, num desenho com expressão realista e movimento gestual, que não consegue deixar ninguém indiferente perante tanta perfeição. Essas expressões, mais tarde e naturalmente, começaram a ser a esferográfica como que uma habilidade de adolescente. Este, tira apontamentos de tudo o que lhe desperta curiosidade ou lhe diz alguma coisa plasticamente. Um dos seus maiores prazeres era, nessa altura, estudar autores de pintura clássica e também anatomia. Já na escola onde aprendeu as primeiras letras surgiam os primeiros desenhos e a partir do liceu começaram a surgir as primeiras pinturas. Este hábito ficou tão enraizado que ainda hoje desenha primeiro o seu modelo e só depois é que vem a pintura a óleo.

2

JUAN DOMINGUES MIRIAM

JOSÉ SACRAMENTO NUNO SACRAMENTO Curiosos são também os seus cadernos repletos de desenhos, a que humildemente chama de estudos. Podemos assim ver magníficas obras a esferográfica, retratando personagens da nossa cultura como os retratos de José Saramago e outros, raparigas jovens autênticos modelos fotográficos, nus muito expressivos, touros bravos, alguns em posições de lide, personagens de velhos e velhas com traços rígidos e duros, da velhice marcada por anos de trabalho e sofrimento, ao lado de crianças brincando. Tudo desenha e retrata nos seus inúmeros cadernos de apontamentos, hábito que adquiriu quando estudante de arte e que ainda hoje mantém. O seu tema preferido é o rosto humano vindo logo a seguir o retrato. Apaixonou-se pela filosofia da teoria do rosto, inspirado nas obras de Emmanuel Levinas. Adora pintar modelos ao vivo mas, como diz, torna-se mais fácil e confortável trabalhar a partir de fotografias, que considera uma ferramenta indispensável do qual usa e abusa no seu trabalho diário. Porém, é ele próprio que adora fotografar os seus modelos procurando em cada angulo o pormenor a pintar. Os seus inspiradores principais, entre outros, são Mark Rodko, Lucien Freud, Jenny Saville e Francis Bacon. Sobretudo Freud e Bacon dos quais já viu, muitas vezes, as suas obras ao vivo. Além destes autores, o artista português que mais o inspira é José Malhoa, de quem já se inspirou em algumas das suas obras. É o caso da última versão da obra “O Fado, depois de Malhoa“ recentemente exposta no Museu do Vinho Bairrada em Anadia. Viajante por natureza tem visitado diversos museus por toda a Europa e ultimamente um dos seus maiores sonhos é visitar Cuba, com a intensão de reciclar a sua aprendizagem e expor as suas obras naquela Ilha do Caribe. Se para alguns artistas o desenho é um ponto de partida, um apontamento ou anotações para passar a ideia a outras manifestações consideradas de maior valor, para Juan Domingues, é uma forma de criação cuja carga expressiva se inunda de uma espiritualidade e uma poesia muito pessoais. Assim o confirma esta exposição, MIRIAM que agora é dada a ver na Galeria Nuno Sacramento até finais de Outubro. Ílhavo, 31 de agosto de 2015


ÍNDOLE “No rosto, apresenta-se o ente por excelência” (Lévinas). Tendo como base o rosto como expressão do sentido humano em Lévinas, a expressividade do rosto centra-se como base de objeto pictórico, na conjugação da personagem/objeto, o fruídor e o eu como centro, alma gestualmente conjugada entre as bases e delimitações existenciais. “É como um e vários espelhos, reflexos, onde tudo se conjuga” O reflexo do objeto de composição em contraste com a perceção sócio-cultural, Estética, aquando do Belo como fator de reflexão existencial, conjuga e contrasta com o espelho e reflexo do fruídor (de quem vê, observa), centralizando o Eu como criador, espelho de espelhos e reflexo de reflexos.

NA GALERIA, ÍLHAVO, 2015

JUAN DOMINGUES Citando Dostoievski: “Somos todos culpados de tudo e de todos perante todos, e eu mais do que os outros”. Serei sempre responsável, no que dita a Obra, no resultado do objeto artístico, fruto da minha criação e percepção Estética. É dos reflexos, como imagem de espelhos que as minhas Obras resultam, tomando estes como resultado existencial da minha formação social e cultural. Sou fruto do que me rodeia e de quem me rodeia e expresso-me assim, onde a Alma da minha criação é o resultado final de mim mesmo na limitação do Eu. Coímbra, agosto 2015

José Sacramento, Juan Domingues & Nuno Sacramento

3


LAURA

4

Óleo sobre tela, 120x120cm, 2015

JUAN DOMINGUES MIRIAM


ALEXANDRA

6

Óleo sobre tela, 120x140cm, 2015

JUAN DOMINGUES MIRIAM


ADRIANA

8

Óleo sobre tela, 120x120cm, 2015

JUAN DOMINGUES MIRIAM


MIRIAM

10

Óleo sobre tela, 120x140cm, 2015

JUAN DOMINGUES MIRIAM


ELISABETH

12

Óleo sobre tela, 140x140cm, 2014

JUAN DOMINGUES MIRIAM


STEPHANIE

14

Óleo sobre tel, 120x120cm, 2015

JUAN DOMINGUES MIRIAM


ELISABETH

16

Óleo sobre tela, 140x140cm, 2014

JUAN DOMINGUES MIRIAM


POÊME

18

Técnica mista sobre tela, 150x200cm, 2014

JUAN DOMINGUES MIRIAM


EDEN

20

Óleo sobre tela, 120x120cm, 2015

JUAN DOMINGUES MIRIAM


RITA

22

Óleo sobre tela, 120x100cm, 2013

JUAN DOMINGUES MIRIAM


JOHANNA

24

Óleo sobre tela, 140x140cm, 2015

JUAN DOMINGUES MIRIAM


IN BETWEEN

26

Óleo sobre tela, 115x145cm, 2014

JUAN DOMINGUES MIRIAM


ESTUDOS A CARVテグ


TOMÁS

30

Carvão sobre papel, 46x38cm, 2015

JUAN DOMINGUES MIRIAM


ADRIANA

Carv達o sobre papel, 46x38cm, 2015

31


EDEN

32

Carv達o sobre papel, 46x38cm, 2015

JUAN DOMINGUES MIRIAM


ELISABETH

Carv達o sobre papel, 46x38cm, 2015

33


EDEN

34

Carv達o sobre papel, 38x46cm, 2014

JUAN DOMINGUES MIRIAM


EDEN

Carv達o sobre papel, 51x47cm, 2015

35


RAFAEL

36

Carv達o sobre papel, 68x50cm, 2015

JUAN DOMINGUES MIRIAM


ADRIANA

Carv達o sobre papel, 62x46cm, 2015

37


MÓNICA

38

Carvão sobre papel, 120x120cm, 2013

JUAN DOMINGUES MIRIAM


ESTUDO ANATÓMICO

Carvão sobre papel, 65x50cm, 2015

39


SKETCHBOOK

40

Técnica mista sobre papel, 2015

JUAN DOMINGUES MIRIAM


41


JUAN DOMINGUES

PUERTO CABELLO VENEZUELA, 1981

ESTUDOS

REPRESENTAÇÕES E COLEÇÕES

2007 Licenciatura em Pintura, Escola Universitária das Artes de Coimbra.

Embaixada de Cuba em Portugal. Drawing Dreams Foundation, Califórnia. Coleção Norlinda e José Lima.

EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS 2015 “Miriam”, Nuno Sacramento Arte Contemporânea, Ílhavo. 2014 “Between Mirrors”, Galeria Metamorfose, Porto. 2013 “Alpha”, Galeria We Art, Aveiro. 2012 “Hífen”, Museu da Pedra, Cantanhede. 2011 “Pintura e Desenho”, Casa da Cultura de Cantanhede. 2007 “La Femme Déshabillée”, CITAC/AAC, Coimbra.

EXPOSIÇÕES COLETIVAS 2015 “I Bienal de Gaia”, Vila Nova de Gaia. 2015 “Coletiva de Verão”, Nuno Sacramento Arte Contemporânea, Ílhavo. 2015 “Inovação & Criatividade” We Art, Porto Business School. 2014 “Pintura Portuguesa Contemporânea”, The Peach Gallery, Toronto. 2014 “Vinho & Fado”, Museu do Vinho, Anadia. 2014 “Arte & Negócios”, We Art, Porto Business School e AIDA. 2014 “Arte & Negócios”, Porto Business School, Matosinhos. 2014 “Está na Cara”, Casa Municipal da Cultura, Coimbra. 2014 “Capital Europeia da Cultura”, Guimarães. 2013 “Jardins sem Limite”, Galeria Quinta Nova da Assunção, Sintra. 2013 “Jovem Criador”, Aveiro. 2013 “XI Prémio de Pintura e Escultura D. Fernando II”, Q. Nova da Assunção, Sintra. 2010 “Prémio Jovem de Artes Plásticas”, CAE, Figueira da Foz. 2010 “Pintar (n)a Cidade”, Municipal da Cultura, Cantanhede. 2009 Casa Museu da Trindade, Lisboa. 2007 “XIV Bienal Intern. de Arte de V.N. Cerveira”, Galeria Projeto, V.N. Cerveira. 2006 “XI Semana Cultural da Universidade de Coimbra”, ARCA-EUAC, Coimbra.

42

JUAN DOMINGUES MIRIAM


CURADORIA Nuno Sacramento MONTAGEM Lília Figueiras TEXTO José Sacramento & Nuno Sacramento Juan Domingues FOTOGRAFIA Nhdesign www.nhdesign.pt DESIGN Nhdesign www.nhdesign.pt IMPRESSÃO Greca Artes Gráficas TIRAGEM 500 exemplares PATROCINADOR Special GNO, Global Network Organization LOCAL Nuno Sacramento Arte Contemporânea Ílhavo, Portugal DATA Setembro 2015


Juan Domingues  

Miriam

Juan Domingues  

Miriam

Advertisement