Page 1

//Softwares licenciados: as vantagens e os riscos da ousadia

//Lançamentos que movimentam o mercado

A Revista da Tecnologia da Informação do Espírito Santo / Publicação Oficial do Sindinfo – ES

//Sindinfo:

novo gás para modernizar mercado

ANO 1 // Nº 2

Salto para a qualidade: ISO 29110 impulsiona o setor de TI

//Vitória da inovação Município perto de ter seu primeiro Parque Tecnológico TI-ES 2 Capas.indd 1

//Marcelo Pessoa

“Precisamos de profissionais, não de curiosos”

ENTREVISTA 24/03/2014 18:10:24


Resultado para o Sebrae é tudo. Uma gestão eficiente gera bons resultados. E resultado é transformar conhecimento em lucro para sua empresa. O Sebrae está aqui para ajudar na gestão do seu negócio. Conheça nossos cursos, palestras e consultorias para lucrar e vender mais. Conte com os especialistas do Sebrae.

E pra você, o que é resultado? Acesse www.resultados.com.br e continue lucrando em 2014. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / www.sebrae.com.br

Anuncio_SEBRAE_Revista TI_20,5x27cm.indd 1 TI-ES 2 Capas.indd 2

12/03/14 17:02 24/03/2014 18:10:55


TI-ES 2_Sumario.indd 5

19/03/2014 17:22:38


8//A senha é... ISO 29100 empresas capixabas ganham a certificação inédita e dão um salto na qualidade

26

22

//Nova diretoria do Sindinfo mãos à obra já!

//Empresas

apostam na ousadia e investem em softwares licenciados para crescer

48

//Caso de sucesso: Mogai 6

TI ES//NOVEMBRO 2013

TI-ES 2_Sumario.indd 6

24/03/2014 17:52:02


18

14 //Entrevista /Marcelo Pessoa:

Os benefícios para quem aposta na Norma sob medida para o mercado de TI

// Vitória nossa: setor de TI mais perto de ganhar parque tecnológico na capital

34

//Gadgets que

movimentam mercado hi-tech

17 Artigo // Gilberto Sudré Dispositivos portáteis ameaçam segurança corporativa

41

Artigo // Vinícius C. Barbosa Janela de oportunidades para crescer

38

//SOS “sem-teto”: 75% das

organizações de TI não têm sede própria

20

//Apps que

são uma mão na roda para você: do táxi ao dispositivo antitrote

30 // Sindinfo: Planejamento Estratégico 2014 36 // Cursos Senai 37 // Sindinfo: por que me associei 44 // Infonews: Edital para Financiamento 46 // Lançamentos 49 // Associados TI ES//NOVEMBRO 2013

TI-ES 2_Sumario.indd 7

7

24/03/2014 17:52:32


// EDITORIAL

ISO 29110, o salto da qualidade

N

ão importa se a ferramenta é software ou hardware. O “passaporte” que dá direito ao conteúdo dos tablets, smartphones, PCs, e-mails, redes sociais ou programas corporativos, na maioria das vezes, exige um código de acesso para proteger os dados ali armazenados, resultado de anos e anos de pesquisas. Mas, e a chave que abre a passagem para a qualidade no trabalho de gerenciamento operacional e técnico das empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação? Sim, ela também existe e não é nenhum enigma indecifrável. Trata-se de uma “senha” formada por três letras seguidas de cinco algarismos: ISO 29110. Se sua organização ainda não conhece as vantagens oferecidas por essa Norma que já é realidade no Espírito Santo, fique atento à reportagem especial que produzimos nesta segunda edição da TI-ES. De forma pioneira, nove empresas capixabas obtiveram a certificação, cujo processo conta com auditores qualificados que avaliam o desenvolvimento de softwares dos empreendimentos, sobretudo os de pequeno e médio porte. O ineditismo da adesão à ISO 29110 também ganha destaque em uma entrevista que você também confere a seguir. O engenheiro Marcelo Pessoa relembra esse fato recente e histórico e comemora o sucesso de empreitada. Professor doutor pela USP, ele integra a Fundação Vanzolini, uma das mais respeitadas instituições de certificação no país que conduziu as nove empresas rumo ao salto da qualidade. “O mercado de TI é bom no Brasil e no mundo todo. Só que precisamos de profissionais competentes, não de curiosos”, comenta ele, em um trecho da entrevista. Todo esse empenho visa à conquista do mercado, cada vez mais exigente e ampliado. E por isso, TI-ES aborda, em outra matéria, os softwares licenciados, aqueles produzidos por quem teve uma boa ideia e levou fé nela, antes mesmo de surgirem os clientes. No Estado, há empresas tecnológicas que apostam em nichos mais específicos e “vendem seu peixe” como ninguém nessa grande e promissora rede. Conheça essa nova janela que se abre. Destacamos, ainda, nas páginas a seguir, uma ótima notícia: o sonho cada vez mais próximo de termos o nosso Parque Tecnológico, pois a Prefeitura de Vitória conseguiu captar R$ 40 milhões para a construção desse complexo. E ainda: o passo a passo para obter financiamento em projetos inovadores, os debates do III Encati, os lançamentos em aplicativos e gadgets, a posse da nova diretoria do Sindinfo, o Planejamento Estratégico da entidade, suas metas para 2014 e muito mais. Esperamos que curta e compartilhe este conteúdo, com acesso livre e sempre a seu serviço. Boa leitura!

A Revista da Tecnologia da Informação do Espírito Santo

Presidente: Luciano Raizer Moura Vice-presidente: Benízio Lázaro Diretor Secretário-Geral: Franco Machado Diretor 1º Tesoureiro: Pedro Arpini Diretor 2º Tesoureiro: Emílio Augusto Barbosa Suplentes: Roubledo Demiam Gasoni, Franco de Barbi Cazelli e José Antônio Bonna Conselho Fiscal - Efetivos: Carlos Augusto Ferreira de Almeida Marco Antônio Malini Lamêgo José Luiz Coco Suplentes: José Fernando Etienne Dessaune Domingos Sávio de Almeida Pinto Evandro Polese Alves Delegados Representantes Junto à Findes: Efetivos: Luciano Raizer Moura e Benízio Lázaro Suplentes: Pedro Arpini e Franco Machado Diretor Regional de Colatina: Daniel Rossi de Jesus Diretor Regional de Cachoeiro de Itapemirim: Roubledo Demiam Gasoni Diretor Regional de Linhares: Franco de Barbi Cazelli Executiva: Ilma Aurora Moreira Contato: Avenida Nossa Senhora da Penha, nº 2053, Ed. Findes, 3º andar, Santa Lúcia, Vitória/ES CEP: 29.056-913 Tel.: (27) 99841-9371 secretaria@sindinfo.com.br www.sindinfo.com.br Produção Editorial

Editor-Executivo: Mário Fernando Souza Coordenação de Produção: Cláudia Luzes Apoio de Produção: Dayanne Lopes Textos: Andréa Nunes, Andreia Pegoretti, Gustavo Costa, Rafael Moura e Sânnie Rocha Revisão: Andréia Pegoretti Edição de Arte: Fábio Barbosa e Tiago Oliveira

Luciano Raizer Presidente do Sindicato das Empresas de Informática no Espírito Santo

6

TI ES // FEV/MAR 2014

TI-ES 2_Editorial_Luciano Raizer.indd 6

Fotografia: Jackson Gonçalves, Renato Cabrini fotos cedidas e arquivos Next Editorial Colaboraram nesta edição: Gilberto Sudré e Vinícius C. Barbosa Contato: Avenida Paulino Müller, 795 Jucutuquara – Vitória/ES CEP 29040-715 Telefax: (27) 2123-6500 redacao@nexteditorial.com.br www.nexteditorial.com.br

24/03/2014 12:40:20


TI-ES 2_Editorial_Luciano Raizer.indd 7

24/03/2014 12:40:21


// GESTテグ

Empresas capixabas de TI sテ」o as primeiras certificadas em Norma pioneira no cenテ。rio internacional

ISO 29110 8

TI ES // FEV/MAR 2014

TI-ES 2_Certificado 29110.indd 8

25/03/2014 16:39:39


C

riada para ampliar a qualidade de produção do setor de desenvolvimento de softwares de pequenas empresas, a ISO 29110 já é uma realidade no Espírito Santo. Nove empresas locais se certificaram de forma pioneira, na Norma. Atento às necessidades do setor de TI, o Sindicato das Empresas de Informática no Estado do Espírito Santo (Sindinfo) criou o primeiro grupo no Brasil a buscar essa certificação e firmou parcerias. A Fundação Vanzolini foi o órgão certificador da medida, que teve ainda a metodologia do Instituto Euvaldo Lodi (IEL-ES) e recursos do Sebrae-ES. A 29110 se coloca para as empresas, departamentos ou projetos com até 25 pessoas como uma opção direcionada às demandas de Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC). Os guias que a formam fazem parte de um framework de referência para a implantação de engenharia em organizações e práticas de gestão. O processo de certificação conta com a participação de auditores qualificados, responsáveis por avaliar o desenvolvimento de softwares da organização e que verificam a compreensão da organização quanto aos requisitos da Norma. “É avaliado nos procedimentos internos da organização se o nível de implementação do Processo de Gerenciamento de Projetos e do Processo de Implementação dos Softwares está aderente aos requisitos da NBR ISO/IEC 29110”, explicou Airton Gonzalez, gerente da Qualidade da Fundação Vanzolini. O presidente do Sindinfo, Luciano Raizer Moura, falou sobre o que motivou essa busca pelo salto da qualidade. “Os modelos que existem para a certificação foram desenvolvidos pensando em grandes empresas. É o caso do CMMI. Já o MPSBR (Melhoria de Processos do Software Brasileiro) é um modelo muito interessante, que foi pensado inicialmente para ser implementado em pequenas empresas,

mas como houve uma definição de estar alinhado com o CMMI, acabou sendo algo mais complexo. Então, a 29110 se tornou uma Norma muito simples, com dois grandes processos: o primeiro é o de gerenciamento de projetos de desenvolvimento de software; e no segundo temos a implementação de software, que seria a parte técnica da construção do software. Houve uma identificação muito grande por parte das empresas com relação a essa Norma. E isso tem motivo: ela vai direto ao ponto. As empresas têm problemas com relação a organizar o gerenciamento dos seus projetos, e a Norma dá o caminho. As empresas têm problemas em conseguir fazer a implementação do software de uma maneira padronizada, e a Norma também dá o caminho”, disse. Segundo o gestor do Projeto de Fortalecimento do Polo de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) do Sebrae-ES, Alisson Lepaus, a parceria que resultou no suporte financeiro surgiu por meio de reuniões entre empresas que participam da iniciativa comandada por ele e o Sindinfo.

“A adoção da norma traz benefício adicional para as empresas: a visão crítica no que se refere a ponteciais parceiros”, afirma João Alberto da Silva, diretor comercial da Tempro Software

Empresas certificadas na ISO 29110 BL Tecnologia

MD Tecnologia

Tempro Software

DBM Sistemas

Pentago Consultoria

Trevit Sistemas

Innet Soluções

Raizer Moura Tecnologia

Único Comunicação Virtual SINDINFO ES

TI-ES 2_Certificado 29110.indd 9

9

25/03/2014 16:43:19


BL Tecnologia

MD Tecnologia

Trevit Sistemas

Entrega dos certificados ISO 29110 durante o III Encati, pelo professor/doutor Marcelo Pessoa, da Fundação Vanzolini

10

DBM Sistemas

Pentago Consultoria

Innet Soluções

Raizer Moura Tecnologia

Tempro Software

Único Comunicação Virtual

“O apoio financeiro é feito através do Programa Sebraetec, que subsidia em 80% a implantação da Norma e a auditoria de certificação. São regras específicas para micro e pequenas empresas desenvolvedoras de software, que tendem a preparar as empresas capixabas, através da organização de seus processos, para melhor atuação no mercado, proporcionando qualidade em seus produtos e serviços”, falou ele. O presidente do Conselho Curador da Fundação Vanzolini, Marcelo Pessoa, destacou o trabalho que foi feito aqui da equipe do Sindinfo e lembrou que a certificação representou um avanço internacional para as empresas do setor. “A equipe soube orientar na implementação de caminhos para se construir um processo aderente à Norma. Além disso, as empresas conseguiram ter uma grande identificação e consideraram a implementação importante para elas. Embora a Norma tenha sido publicada na ISO, o mesmo não tinha acontecido com o método para se fazer a certificação. Então, no mundo, não existe uma empresa certificada na 29110. Foi uma proposta do Brasil, acabamos nos

adiantando no assunto. Essas empresas do Estado são pioneiras, as primeiras a receber o certificado de conformidade. O Sindinfo é muito pró-ativo, com diversas iniciativas. O sindicato estava inclusive atrás de uma Norma capixaba para as empresas de software, já que não existia nada no mercado. Mas aí, o Luciano tomou conhecimento da 29110 e, como ele me conhecia, identificou que estávamos envolvidos no desenvolvimento dessa Norma. Então, ele nos convidou para essa parceria, fazendo a implantação e depois a certificação”, disse. Segundo Pessoa, o sucesso da 29110 no Espírito Santo será divulgado nas reuniões da ISO. “Como participamos na ABNT do grupo de trabalho dessa Norma, e na ISO também com o grupo de trabalho em nível mundial, essa parceria acabou sendo muito importante. Estávamos buscando empresas que gostariam de implementar a regra para levarmos o relato de experiências. Então, vamos apresentar esse relatório na reunião da ISO”, enfatizou. Benefícios para as empresas Responsável pelo desenvolvimento da metodologia da norma, o IEL partiu de um diagnóstico inicial, sendo seguido por seminários coletivos e visitas de consultoria após cada seminário. Agora, após a certificação, a entidade terá o feedback através de um estudo, que será conhecido em breve. “É uma pesquisa com as nove empresas certificadas na ISO 29110,

TI ES // FEV/MAR 2014

TI-ES 2_Certificado 29110.indd 10

25/03/2014 19:26:09


// ISO 29110 avaliando a satisfação com a implementação e a certificação, bem como as vantagens percebidas, as dificuldades encontradas antes e depois da certificação e as lições aprendidas”, disse Cassiano Orsi Hemerly, analista técnico do IEL-ES. Para ele, os benefícios vão do desenvolvimento à entrega dos softwares. “Melhora a maturidade para o desenvolvimento dos softwares, visto que todos os processos para o gerenciamento do projeto e para a implementação do software foram seguidos, conforme descreve a ISO 29110, garantindo que todos os processos, todas as atividades e todas as saídas requeridas para o produto foram atendidas”, frisou. Para Ivan de Vargas Lopes Jr., diretor-executivo de Negócios da Pentago, a chegada desse novo padrão atendeu de fato a uma necessidade das empresas de tecnologia. “Temos convivido há muito tempo com as dificuldades em manter a gestão da qualidade de nossos produtos e serviços de TI em conformidade com um sistema de gestão baseado na ISO 9001, que apesar de promover melhorias significativas para os nossos processos, necessita de adaptações. Com a ISO 29110, essa realidade foi melhorada e impulsionada, pois deixamos de nos preocupar com adaptações aos nossos processos para atender a requisitos e passamos a melhorar aderência dos nossos processos a uma Norma que caminha no mesmo sentido. As diversidades e as complexidades dos serviços de desenvolvimento

• Norma aprovada em 2012 pela Organização

Internacional de Normas Técnicas, que é a ISO, para apoiar a organização dos processos de desenvolvimento de software em empresas de pequeno porte.

• Trata da organização dos processos: gerenciamento de projetos e implementação de software • Permite a certificação internacional de empresas, com base em norma ISO • Os guias que formam a ISO 29110 fazem parte de um framework de referência para a implantação de engenharia em organizações e práticas de gestão. • O processo de certificação conta com a participação de auditores qualificados, responsáveis por avaliar o desenvolvimento de softwares da organização e que verificam a compreensão da organização quanto aos requisitos da Norma. • A ISO 29110 tem a Fundação Vanzolini como órgão certificador, além de contar com a metodologia do Instituto Euvaldo Lodi (IEL-ES) e recursos do Sebrae-ES.

“Dentro do sistema certificado pela ISO 29110, tivemos uma melhoria de produtividade de em média 10% ao mês” - Ivan de Vargas Lopes Jr., diretor -executivo de Negócios da Pentago

de softwares tratadas na 29110 foram brilhantemente organizadas em requisitos de forma simples, completa e abrangentes. Foi possível deixar de fazer adaptações nos processos que pareciam estar distante da realidade prática e passar a fazer melhorias efetivas em processos que tratam as características e particularidades impostas no desenvolvimento de software”, falou. Segundo Lopes, a Pentago hoje deixou os processos de suporte e de controle dentro do escopo da ISO 9001, e os processos principais da unidade de Desenvolvimento de Software dentro do que a preconiza. “Com isso, aproveitamos o melhor das duas Normas, e os nossos processos ganharam maior produtividade. Nos três primeiros meses de operação, dentro do sistema certificado pela ISO 29110, tivemos uma melhoria de produtividade de em média 10% ao mês”, disse. Para João Alberto da Silva, diretor comercial da Tempro Software, certificações trazem custos (tempo e investimentos) e benefícios, mas no caso da ISO 29110, as vantagens superam em muito os gastos. “E a adoção da Norma traz um benefício

SINDINFO ES

TI-ES 2_Certificado 29110.indd 11

11

25/03/2014 16:49:23


// Parcerias

• A Fundação Vanzolini, uma das entidades mais conceituadas do país, foi responsável pela certificação da Norma às empresas.

• O Sebrae forneceu apoio financeiro através do Programa Sebraetec, que subsidou em 80% a implantação da Norma e auditoria de certificação.

• O IEL foi responsável pelo desenvolvimento da metodologia da Norma, partindo de um diagnóstico inicial, sendo seguido por seminários coletivos e visitas de consultoria.

adicional para as empresas: a visão crítica no que se refere a potenciais parceiros. Tomemos a Tempro como exemplo: neste momento, estamos avaliando parceiros estratégicos para a alavancagem de novos projetos no mercado de mármores e granitos, onde já atuamos. Empresas já aderentes à Norma estarão em vantagem quando comparadas àquelas que possuem processos internos pouco estruturados. Com o tempo, no entanto, estas últimas acabarão por também buscar a melhoria dos seus processos internos”, destacou ele. Silva lembra que a certificação demandou um nível adequado de recursos, tempo e pessoal. “O principal mercado da Tempro é o da saúde suplementar, composto principalmente por operadoras de planos de saúde e prestadores de serviços. E para nos mantermos na liderança em um mercado tão competitivo, temos de atuar com uma equipe que seja tão enxuta quanto o possível. Se o processo da certificação da Norma ISO 29110 tivesse sido oneroso em demasia para a empresa em termos de pessoal, sequer o teríamos iniciado. Mas, ao contrário, acreditamos que ele ocupou o número adequado de recursos, durou o tempo necessário e teve o nível correto de objetividade. Esperamos que, com processos de desenvolvimento mais claros e documentados, possamos disponibilizar produtos e serviços cada vez mais melhores aos nossos clientes”, falou. 12

A confiabilidade é apontada por Franco de Barbi Cazelli, gestor de Projetos da Innet, como outra vantagem de se certificar. “São muitos os benefícios obtidos pela ISO 29110, ela tem referência internacional, válida no Brasil e no mundo. Acreditamos que a ‘ISO’ é mais conhecida popularmente do que outras Normas e por isso transmite maior confiabilidade para nossos clientes. A certificação é realizada pela Fundação Vanzolini, uma das entidades mais conceituadas do país. A ABNT reconhece a regra, algo que outras não possuem. Além disso, temos aumento da produção devido ao controle sistemático e softwares com maior qualidade e muitos outros. A ISO certifica as empresas capixabas para desenvolverem softwares de qualidade, dando tranquilidade para o cliente e reduzindo suas dúvidas quanto ao serviço prestado ou produto a ser adquirido”, enfatizou. Para Franco, a Innet cresceu com o processo de certificação, melhorou o trabalho de desenvolvimento de software, e os outros setores, consequentemente, aprimoram-se também devido a isso. “Hoje, a empresa está incorporando outros serviços, como desenvolvimento de websites e novos softwares por encomenda, e avaliando qualquer demanda de serviço de TI, devido à melhoria obtida através do processo de certificação. A expectativa é que dobraremos o faturamento devido a esses novos projetos”, analisou ele.

O que vem a seguir Se o ano que passou foi de pioneirismo, o de 2014 será de consolidação. O Sindinfo espera levar a ISO 29110 para empresas de todo o Espírito Santo. “O sindicato planeja apoiar a criação de quatro núcleos. Além da unidade de Vitória, teremos também em Colatina, Linhares e Cachoeiro de Itapemirim. Cada uma delas deverá ter entre cinco e 10 empresas”, disse Luciano Raizer. As empresas interessadas podem entrar em contato com o IEL-ES, através do telefone (27) 3334-5746, que será agendada uma apresentação do programa. “Temos algo grande e queremos que todas as empresas do nosso setor sejam alcançadas e beneficiadas pela 29110”, finalizou o presidente do Sindinfo.

TI ES // FEV/MAR 2014

TI-ES 2_Certificado 29110.indd 12

25/03/2014 16:52:18


TI-ES 2_Certificado 29110.indd 13

24/03/2014 15:34:17


// ENTREVISTA

Marcelo Pessoa

“A ideia é fazer com que as empresas de software pensem qualidade. O caminho é a melhoria contínua”

D

e forma pioneira no cenário internacional, empresas capixabas se certificaram pela norma internacional ISO 29110. Esse fato histórico foi marcado pela realização de auditorias pela Fundação Vanzolini, uma das mais respeitadas organizações de certificação do país. Na fundação, o estudo sobre a Norma foi conduzido por Marcelo Schneck de Paula Pessoa. Engenheiro eletrônico, mestre, doutor e livre docente, pela Escola Politécnica da USP – EPUSP, Pessoa é professor do Departamento de Engenharia de Produção dessa instituição desde 1987. Tem atuado na área de sistemas de operação, computação, eletrônica, telecomunicações e automação há 40 anos. Trabalhou em empresas como Cosipa, Siderbrás, Centro de Pesquisas da Telebrás e é sócio-gerente da Antares Eletrônica. Membro da Comissão de Estudos do Processo do Ciclo de Vida de Software da ABNT, participa da elaboração de normas nacionais

“O mercado de TI é bom no Brasil e no mundo todo. Só que precisamos de profissionais competentes, não de curiosos’ 14

e internacionais da área de software, tendo representado o Brasil em reuniões internacionais da ISO. Foi diretor-presidente da Fundação Carlos Alberto Vanzolini no período 2002-2005 e depois membro do Conselho Curador da entidade, exercendo desde 2010 o posto de presidente. Seja atuando no desenvolvimento de pesquisas sobre sistemas tecnológicos avançados ou novos produtos e serviços e para a reestruturação de processos produtivos, o professor, que deu uma grande contribuição à Norma disponibilizada às empresas do Estado, é um entusiasta de computação, eletrônica, telecomunicações e automação. Em que momento se interessou pela engenharia? Meu pai é engenheiro civil e tinha escritório em casa. Assim, desde criança convivi com a prática da engenharia. No entanto não achava graça nas coisas da engenharia civil e ficava instigado com a eletrônica, que achava impossível entender; tudo era muito hermético. Por essa razão, desde meus 13 ou 14 anos queria ser engenheiro eletrônico. Sempre fui apaixonado por automação também. De modo geral, como o senhor vê o mercado de TI no Brasil? O mercado de TI é bom no Brasil e no mundo todo. Só que precisamos de profissionais competentes, não de curiosos.

TI ES // FEV/MAR 2014

TI-ES 2_Entervista Marcelo Pessoa.indd 14

19/03/2014 15:39:28


A computação também é hermética e exige uma boa base de conhecimento para que possamos atuar de forma competente. Entendo que seja um bom mercado porque sempre há coisas novas para fazer; é necessário sempre “passar a limpo” as coisas antigas utilizando novas tecnologias. O problema maior é que, para sermos um país visto como avançado tecnologicamente, é necessária uma coordenação entre Governo, universidades e empresas, pois uma andorinha não faz verão, ou seja, é necessária uma grande massa de profissionais e de empresas para termos produtos e serviços ofertados e, com isso, empregos e reconhecimento. Qual é a importância para o país de contar com um setor de TI forte? Os países que dominam tecnologias são avançados e podem evoluir melhor aplicando em todos os setores. Temos excelência em algumas áreas, como automação bancária e na agricultura, mas somos fracos em diversos setores, como na indústria microeletrônica e na indústria de consumo. Quando eu era criança, tinha colegas cujos pais eram fabricantes de rádio e TV. Hoje, isso acabou. Pensando sistemicamente, o que faz um país ter divisas é a exportação. Isso para poder ter recursos para importar o que não temos. Creio que seria melhor exportar produtos de alta tecnologia (como já faz a Embraer) em vez de exportar itens commodity como café e soja (sem nenhum demérito para esses produtos).

qualificação igual a qualquer engenheiro. Basta conversar com essa pessoa para verificar que ela não sabe falar corretamente, não sabe escrever, que dizer de exercer a profissão da engenharia? É uma farsa. A Coreia do Sul fez um trabalho de longo prazo e é um país com um elevado número de engenheiros e está dando um “banho” no mundo! São profissionais competentes, desenvolvem tecnologia e enriquecem o país. O Brasil, no caminho que está, não vai chegar a lugar nenhum. Como o senhor vê o crédito disponível para as empresas de TI? O que precisa melhorar no acesso a essas linhas de crédito? O crédito em geral é ruim, pois os juros são muito altos. Grandes empresas podem contar com o BNDES, mas pequenas empresas têm dificuldade. Embora esteja havendo um movimento nesse sentido, como o cartão BNDES, o crédito ainda é difícil. Particularmente para as empresas de TI. Eu tenho dificuldades para chegar em um banco ou uma agência de fomento para pegar um empréstimo para desenvolver um produto. O Sebrae tem linhas para determinadas atividades, como implantar ISO 9001 e fazer consultoria para melhoria da empresa, mas são coisas impostas, ou seja, não posso escolher um consultor, mas somente utilizar os deles. O Sebrae tem linhas para realizar testes e ensaios de laboratórios, mas somente dos laboratórios que eles têm convênio. Coisas mais especializadas que necessitam de laboratórios de alta tecnologia não atendem à pequena empresa.

No seu ponto de vista, quais são os maiores gargalos do setor? Falta de mão de obra competente: a educação é um problema sério. Também entendo que temos universidades excelentes que não se integram com as empresas. As empresas trazem tecnologia de fora, mas não buscam conhecimento nas universidades. Esse é um problema cultural, pois a própria lei da inovação, que teria a contribuir com essa integração, tem sido muito tímida. Falando mais especificamente sobre a questão da mão de obra: como aumentar a qualidade dos profissionais? O Ministério da Educação está fechando faculdades por falta de qualidade. Isso porque o Governo é lento para tomar medidas drásticas como essa. As escolas são ruins, fingem que ensinam, e os alunos fingem que aprendem e recebem um diploma. O mercado, entretanto, não é ingênuo e sabe muito bem selecionar quem é bom ou não. Infelizmente as empresas perguntam para o profissional onde ele estudou! Isso está teoricamente errado. Se o profissional possui um diploma, ele deveria ter uma qualificação mínima. E não tem. Há várias iniciativas em andamento: bolsas, cotas, etc. Isso é muito polêmico pois por razões políticas oferecem-se bolsas para pessoas entrarem nas faculdades sem nenhuma qualificação. Eu conheço um caso de uma faxineira - pessoa muito esforçada por sinal - que hoje trabalha na produção em uma empresa, entrou na faculdade, está fazendo Engenharia e em breve terá um Crea com SINDINFO ES

TI-ES 2_Entervista Marcelo Pessoa.indd 15

15

19/03/2014 15:39:37


// ENTREVISTA

Há algumas iniciativas do Governo para as empresas obterem bolsas e pagarem profissionais por um certo período. O objetivo é contratar doutores que tenham grande conhecimento e possam desenvolver novos produtos com alta tecnologia para as empresas. O processo não é fácil e faltam doutores. Onde observa as maiores oportunidades para as empresas de TI? E o que é preciso para aproveitar essas oportunidades? As oportunidades são muitas. Basta olhar qualquer revista de tecnologia. A dificuldade é exatamente a empresa saber fazer a escolha certa e fazer um plano para desenvolver o produto ou serviço e definir como abordar o mercado. Como surgiu a parceria entre a Fundação Vanzolini e o Sindinfo? É um longo relacionamento com o Espírito Santo! Na década de 90 fizemos um curso de especialização para os empresários através do IEL. Com o Sindinfo, temos um relacionamento mais recente através de atividades mais técnicas, como a realização de palestras e orientação das empresas. Agora, com a Norma 29110, entendo que teremos um relacionamento mais próximo. Por meio da ISO/IEC 29110, as pequenas empresas desenvolvedoras de software ganham em competitividade, técnicas de gestão e credibilidade. Como avalia a identificação dessas empresas com a Norma? A ideia é fazer com que as empresas de software pensem qualidade. O caminho é a melhoria contínua.

“As empresas trazem tecnologia de fora, mas não buscam conhecimento nas universidades. Esse é um problema cultural” Para cada empresa, há a necessidade de uma reflexão para identificar qual deverá ser sua escolha para a melhoria da qualidade. Que normas devo adotar? ISO 9001? ISO 20000? Há uma infinidade delas. É preciso pensar sempre na adoção para melhorar a qualidade, melhorar o atendimento ao cliente e crescer. Os modelos que existem de certificação foram pensados para grandes empresas. A 29110, por outro lado, acabou se tornando uma Norma simples, com dois grandes processos: de gerenciamento de projetos e de implementação de software, que é a parte técnica de construção do software. Houve uma identificação muito grande por parte das empresas com a norma. O índice de sucesso foi muito alto. Já participei de vários grupos de implantação de modelos, como ISO 9001 e o CMMI, e posso dizer que o índice de sucesso não alcançou o que foi atingido aqui, que podemos dizer que foi praticamente de 100%. Qual é a importância, para o crescimento e consolidação do setor de TI no país, contar com parcerias com entidades governamentais? O Governo é muito grande, é muito importante e pode contribuir muito para a evolução das empresas de TI. Infelizmente são muitos governos com muitas faces. Há uma face de incentivo através dos agentes financeiros. Há uma face de tecnologia como os centros de pesquisa e universidades. Há uma face de mercado, pois o Governo é o maior comprador de TI. Isso sem falar das diversas personalidades em cada uma das faces. O segredo está em organizar tudo isso para o crescimento das empresas privadas e por consequência do país. Não sei a fórmula mágica para isso. Há iniciativas boas e ruins. Qual é o destaque percebido nas empresas nos últimos anos e qual é o desafio para os próximos? Observar que temos um amadurecimento de algumas indústrias que já são mais consolidadas, como a nossa indústria automobilística e aeronáutica. Precisamos amadurecer o setor de TI no mesmo caminho.

16

TI ES // FEV/MAR 2014

TI-ES 2_Entervista Marcelo Pessoa.indd 16

19/03/2014 15:39:39


// ARTIGO

Dispositivos portáteis ameaçam a segurança corporativa S

Gilberto Sudré Consultor em Segurança da Informação e perito em Computação Forense

martphones, tablets e leitores de e-books estão cada vez mais presentes em nosso dia a dia. Inocentes gadgets que, quando mal utilizados por colaboradores, podem se tornar uma ameaça à segurança corporativa. Uma pesquisa recente da consultoria ISP revela que quase três quartos dos colaboradores irá utilizar algum tipo de dispositivo móvel, conectado aos seus computadores dentro da empresa. O pior é que 40% desse grupo fará isso sem a autorização do departamento de TI. Em geral, isso acontece porque em muitas empresas o limite entre o que é um recurso para o uso no trabalho e o que não é está difuso. Assim, na ausência de regras, temos que contar com o bom senso de cada um. O problema é que, quando o assunto é segurança, isso pode não ser uma decisão prudente. Todos esses equipamentos podem ser vetores para a introdução ou propagação de vírus e worms, assim como um canal pelo qual informações sensíveis sejam roubadas. A situação fica ainda mais complicada se considerarmos que 85% dos empregados têm acesso a algum tipo de informação importante sobre a empresa na qual trabalham, e 60% deles afirmam que não existem regras para acesso ou cópia de dados confidenciais. Como tratar essa questão? A resposta a essa pergunta tem quatro palavras: regras, capacitação, ferramentas e gestão.

Nem sempre o bom senso de cada um é a decisão prudente quando falamos de segurança A criação de um estatuto e um código de conduta estabelece um parâmetro para todos os colaboradores e define o que pode acontecer caso atitudes “estranhas” ocorram. Depois da regra criada, um fator importante, e que não pode ser esquecido, é a capacitação dos colaboradores quanto aos procedimentos para tratamento das informações, os riscos e vulnerabilidades existentes. As ferramentas são úteis para ajudar no controle do acesso e no uso dos recursos dentro da corporação, mas elas não podem fazer muita coisa quando utilizadas de forma isolada. Por último, a gestão de segurança, em relação aos dispositivos móveis, deve acompanhar se os procedimentos estão adequados, se as ferramentas estão sendo utilizadas e se os colaboradores estão realmente capacitados a lidar com as situações. Atualmente usamos cada vez mais desses “penduricalhos eletrônicos”. Para o administrador de segurança, fazer de conta que eles não existem não é mais uma opção. SINDINFO ES

TI-ES 2_Artigo_Gilberto Sudré.indd 17

17

24/03/2014 12:59:57


// INFONEWS

Sonho do parque tecnológico a um passo da realidade O empreendimento está previsto para ter suas obras iniciadas em agosto. Até 2018, estará em pleno funcionamento

O

Estado finalmente está a um passo de ganhar um parque tecnológico. A prefeitura da capital, por meio da Companhia de Desenvolvimento do Vitória (CDV), conseguiu captar R$ 40 milhões para a construção do empreendimento no município, que será instalado em Goiabeiras. Dos recursos, R$ 30 milhões são financiados pelo Governo do Estado, via Secretaria de Ciência e Tecnologia (Sectti), e os outros R$ 10 milhões foram liberados pelo Governo Federal. Agora que a verba já está em mãos, a perspectiva da CDV é de lançar o edital para a construção do Centro de Inovação – o cérebro do parque tecnológico – até julho deste ano, para o início das obras em agosto, com previsão de dois anos de duração.

18

Paralelamente, a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e o Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes) vão instalar seus laboratórios em 2015. O Centro deve começar a funcionar em 2016 e entrar em plena operação até 2018. O parque será composto de uma área de aproximadamente 300 mil metros quadrados, e a primeira obra será um prédio com 25 mil metros quadrados, que vai abrigar o Centro de Inovação – reunindo a CDV, a Sectti, laboratórios da Ufes e do Ifes, incubadoras e aceleradoras de empresas e órgãos de fomento. O Centro de Inovação será o cérebro do parque tecnológico. “Estamos criando um universo que tem a proposta de juntar a cadeia do setor privado com o Governo, todos atuando dentro do parque para

TI ES // FEV/MAR 2014

TI-ES 2_ParqueTecnologico.indd 18

24/03/2014 13:01:23


Potencial estimado de empregos diretos gerados pelo parque Porte do empreendimento

A primeira obra, prevista para começar em agosto, será um prédio com 25 mil metros quadrados onde vai funcionar o Centro de Inovação, o cérebro do Parque Tecnológico

Nº de Potencial de empregos empreendimentos diretos gerados

Âncoras

12

3.600

Empresas de médio porte

23

3.400

Micro e pequenas empresas, instaladas no parque e entorno

450

9.000

TOTAIS

500

16.000

potencializar a geração de empregos, o desenvolvimento tecnológico e a inovação para a indústria. É uma cadeia de inovação dentro do parque composta de laboratórios, empresas e Governo”, ressaltou o diretor-presidente da CDV, André Gomyde. Segundo ele, a CDV também está em negociação com a Petrobras para viabilizar uma extensão do centro de pesquisa da estatal no parque tecnológico. Além disso, também haverá espaço para empresas consolidadas de diversos setores que queiram se instalar no complexo, como da cadeia da indústria do petróleo, segmento metalmecânico, empresas de software, entre outras. “Existe uma governança do parque que é composta por seis instituições: Ufes, Ifes, Petrobras, Findes, Governo do Estado, pela Secretaria de Ciência e Tecnologia, e Prefeitura de Vitória, pela CDV. Essa governança é quem vai definir para qual área é sua vocação e que tipo de empresa poderá se instalar”, explicou o presidente da CDV. Porém, 110 mil metros quadrados do total do parque são uma área privada, que será de livre

Outros polos de inovação previstos para a Grande Vitória A criação dos polos de inovação faz parte do Programa Inova Empresa do Governo Federal, que viabiliza a instalação de empresas e empreendedores que tenham projetos inovadores, com aplicação de alta tecnologia e conhecimento de ponta. //Vila Velha: O projeto é destinado à área de biotecnologia e química fina para aplicações em fármacos e faz parte do Programa de Desenvolvimento Sustentável do Espírito Santo (Proedes) do Governo Estadual. //Serra: Um deles é com foco em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), voltado para as áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), eletrônica e metalmecânica. O outro será no Ifes, destinado à área de petróleo e gás. //Centro de Pesquisas, Inovação e Desenvolvimento Do Espírito Santo - CPID: Será construído em Jardim América, Cariacica, com foco em Engenharia Ambiental, Tecnologia de Equipamentos, Tecnologia Industrial Básica (TIB) e Tecnologia da Informação (TI).

negociação. “É um terreno da família Dadalto que será para negociação de livre mercado. Pelo que temos conversado, eles têm interesse em construir prédios e galpões e alugar para quem queira se instalar ali. O parque será todo em Goiabeiras, atrás da faculdade Multivix. Será uma área da União, outra da família Dadalto e uma terceira, uma área de expansão, que a prefeitura ainda não decidiu se vai desapropriar ou negociar”, disse Gomyde. Outra forma de incentivar o desenvolvimento científico, tecnológico e econômico no Estado será o Business Center, uma área dentro do Centro de Inovação, de dois andares, com escritórios que vão ficar à disposição de empresas que queiram usá-los temporariamente, para estudo de mercado, por exemplo, mediante pagamento de aluguel. “O Ministério da Ciência e Tecnologia liberou os R$ 9 milhões do convênio e a Prefeitura de Vitória depositou a contrapartida de R$ 1 milhão. Com esses recursos, iniciaremos a construção do primeiro módulo do Centro de Inovação do Parque”, disse o diretor-superintendente de Tecnologia e Inovação da CDV, Anselmo Frizera.

Parque da Serra Também está prevista a construção de um parque tecnológico na Serra, encabeçado por um grupo de empresários formado pelo Sindicato das Empresas de Informática do Estado do Espírito Santo (Sindinfo) e a Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia de Informação do Espírito Santo. O projeto está orçado em R$ 30 milhões, o financiamento já foi aprovado pela Sectti e será via Bandes. A previsão é que as obras comecem ainda este ano, após o acerto de questões burocráticas para a liberação da verba e a definição de onde será o terreno onde o complexo será instalado. “O financiamento não será para um parque específico. O Governo vai financiar empresas que queiram se instalar em parques tecnológicos, sejam eles onde for, e com isso os empresários poderão se juntar e montar o polo de inovação da Serra”, ressaltou o diretor do Sindinfo Franco Machado. SINDINFO ES

TI-ES 2_ParqueTecnologico.indd 19

19

24/03/2014 13:01:26


// Apps Idioma: Inglês SO: Android

As ligações indesejadas, como trotes e golpes, podem ter um fim com o uso do Line Whoscall, disponível, por enquanto, somente para smartphones da plataforma Android. Ele é capaz de identificar ligações de números desconhecidos antes que o usuário atenda o celular. Além disso, também bloqueia chamadas e mensagens de texto indesejadas. Munido de um banco de dados com mais de 600 milhões de números telefônicos, o app procura se o contato identificado corresponde a algum que está armazenado do serviço. A Line garante que todos os números são obtidos a partir de fontes públicas e buscas refinadas na internet. O usuário não fica restrito somente às configurações pré-definidas pelo programa. Ele, por meio do software, pode criar sua própria lista de bloqueios. Basta digitar o número, todos os números internacionais, todos os números privados ou não nos contatos, entre outros. Há a opção de bloquear chamadas e mensagens de texto, somente ligação, apenas mensagens de texto ou excluir o número da lista quando preferir.

Gerenciador de dispositivos Android Semelhante ao aplicativo Find My Phone, que pode ser instalado em iPhones e iPads, o app Gerenciador de dispositivos Android é voltado para encontrar smartphones que possuem sistema operacional do Google. O programa é lançamento do próprio Google e mostra a posição do smartphone em um mapa que indica quando ele foi usado da última vez. O usuário pode se conectar ao aplicativo por meio de um smartphone de um amigo ou pelo computador, após fazer login via Gmail, por exemplo. Assim, é possível fazer uma chamada para localizá-lo e configurar bloqueio e limpeza do smartphone, podendo realizar, remotamente, a retirada de dados que possam prejudicar o dono do celular. Antes de o Google apresentar a novidade, era necessário usar aplicativos de terceiros, como Prey ou Lockout.

Foto: Google.com

Free

20

Idioma: Inglês SO: Android

Foto: Google.com

Line Whoscall

Foto: Divulgação

Free

Free Upflix

Idioma: Inglês SO: iOS e Android

Diante da programação vasta do Netflix e da dificuldade em muitas vezes encontrar o filme ou programa de TV desejado, um grupo de desenvolvedores brasileiros resolveu criar o aplicativo Upflix - para aparelhos dotados de iOS, como iPod, iPhone e iPad, e de Android -, que facilita e muito a busca pelos conteúdos da operadora que transmite suas obras por meio da internet. O programa, que é gratuito e sem vínculo com o Netflix, mantém a pessoa atualizada sobre todas as novidades do catálogo e notícias referentes ao serviço de streaming de filmes e séries. Além disso, com ele, é possível conferir as sinopses, conhecer a ficha técnica e assistir aos trailers, uma função que não existe no aplicativo oficial do Netflix (disponível para Windows Phone, Android, iOS, entre outros). Ao clicar sobre um dos títulos listados pelo programa, é possível também adicioná-lo à lista pessoal no serviço para assisti-los mais tarde ou conhecer mais sobre a história da produção.

TI ES // FEV/MAR 2014

TI-ES 2_Coluna APP.indd 20

19/03/2014 15:33:09


Foto: Divulgação

Easy Taxi Pay A população de Vitória, Vila Velha, Serra e Cariacica já pode contar com os serviços do aplicativo Easy Taxi Pay, gratuito e disponível para diferentes sistemas operacionais móveis. Sua utilização é simples e oferece mais segurança ao passageiro e ao taxista, já que diminui o uso do dinheiro em papel e não exige a apresentação do cartão no ato do pagamento. Ao solicitar o táxi, o cliente deve pedir o modo de pagamento e cadastrar seu cartão crédito. No final da corrida, o taxista digita o valor em seu celular e, em apenas um clique, o usuário aprova o pagamento já no seu aparelho. Por enquanto, o serviço de pagamento móvel está disponível apenas para as plataformas Android e iOS. Além de facilitar

WinUSBMaker O WinUSB Maker é um aplicativo que permite transferir o sistema operacional Windows para qualquer dispositivo removível, como pendrives, celulares, tablets, leitores de MP3 e outros gadgets que tenham capacidade para armazená-lo. Com ele, você não precisará mais de discos óticos (CD/DVD) para instalar o sistema operacional. Em poucos passos, que são bem ensinados pelo programa, o usuário consegue transferir o sistema operacional para o dispositivo. Com isso, facilita a instalação do Windows em computadores que não possuem leitor de CD/DVD. Não é necessário instalar o programa no computador do usuário.

Free na maneira de pagar, o app também agiliza o pedido de serviço para uma corrida junto ao taxista. Tudo é feito de maneira intuitiva e com poucos cliques.

Idioma: Português SO: Android, iOS, Windows Phone e Blackberry

Idioma: Inglês Plataforma: Windows

Free

Foto: Google.com

SINDINFO ES

TI-ES 2_Coluna APP.indd 21

21

19/03/2014 15:33:12


// SOFTWARE

Mercado em ascensão O desenvolvimento de softwares licenciados é um caminho trilhado por empresários ousados e criativos que buscam maior retorno a médio e longo prazos

E

m tempos de redes sociais, aplicativos para celular se multiplicando aos milhares, e-commerce em alta e empresas informatizando cada vez mais os seus processos internos e de relacionamento com o público, um mercado em ascensão que promete remunerar muito bem que souber agarrar as melhores oportunidades é o de softwares licenciados. Exemplos não faltam. São aqueles produzidos por quem teve uma boa ideia e acreditou nela, antes mesmo de surgirem os clientes, que posteriormente adquiriram uma licença para uso ou tiveram acesso gratuito, sendo que a geração de lucro veio depois do sucesso, por venda de anúncios ou algum outro modelo de rentabilidade. Os produtos da Microsoft, como o Windows, estão entre os exemplos mais bem-sucedidos do mundo, mas nem todos são tão famosos nem tão abrangentes. No Estado, há empresas que trabalham com softwares licenciados voltados para nichos mais específicos de mercado. A Innet Soluções possui produtos focados em gerenciamento de empresas, sobretudo no ramo de confecções, somando cinco

22

TI ES // FEV/MAR 2014

TI-ES 2_Softwares Licenciados.indd 22

24/03/2014 14:31:53


produtos ao todo. São eles: Gerente Fiscal, Gerente Serviços, Gerente Finanças, Gerente Controle e Gerente Recursos Humanos. O objetivo é auxiliar no controle completo das empresas, reduzindo gastos, aumentando a produtividade e dando informações decisivas para a empresa. “Optamos por trabalhar com softwares licenciados como forma de dar mais vantagens aos clientes que necessitam de soluções para as suas empresas”, ressaltou o gestor de projetos da Innet e bacharel em Sistemas de Informação, Franco de Barbi Cazelli. Entre os clientes que a Innet atende estão a Hot Line Jeans, Grupo Orion, Água Viva, Aero Verde Aviação Agrícola e Linhares On-Line. Para garantir serviço de excelência, a empresa possui a NBR ISO/IEC 29110: Engenharia de Software, concedido pela Fundação Vanzolini. Outra empresa que foca nos produtos licenciados é a Projeta Sistemas, que trabalha com o Autobahn, um software direcionado para gestão de locadoras de veículos, e o PDI, um teste de atenção e concentração baseado em estudos neurocientíficos para evitar acidentes de trabalho – desenvolvido em parceria com doutores em neurociência, com o apoio de pesquisadores de universidades renomadas, entre elas a Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) e Universidade Federal Fluminense (UFF). “No início, também desenvolvíamos softwares sob demanda, mas identificamos que no nosso caso seria melhor investir para consolidar os produtos que possuíamos, mais rentáveis no médio SINDINFO ES

TI-ES 2_Softwares Licenciados.indd 23

23

24/03/2014 14:32:01


// Entenda

O que é: São softwares produzidos a partir de uma

ideia, bancados pelo desenvolvedor, lançado no mercado para comercialização sob aquisição de licença. Normalmente quem visa obter retorno financeiro faz produtos voltados para nichos específicos, com a finalidade de comercializar para empresas, mas as inúmeras possibilidades de sites, redes sociais e aplicativos que surgem o tempo todo na web também podem ser citadas como exemplo.

// Vantagens

Custo: Como o produto não é desenvolvido a partir

de uma demanda específica de uma empresa e será financiado por várias que adquirirem a licença, o custo fica diluído e a possibilidade de lucro é sem limites, só aumenta de acordo com o crescimento das vendas, já que, por ser mais barato, também é vantajoso para o cliente.

Praticidade: Em vez de o desenvolvedor criar vários sistemas personalizados para vários clientes diferentes, ele pode criar apenas um, com várias possibilidades de configuração, para personalizar de acordo com a preferência de cada um que resolver utilizar. Entendimento: É mais fácil manter o bom

entendimento com o cliente quando o produto é oferecido pronto. Sob demanda, existe sempre a possibilidade de um explicar uma coisa, outro entender outra e, no fim, o trabalho ficar inviável ou demorar além do previsto para ser entregue. Nesse caso, não há problemas de prazo ou de dificuldade de comunicação, pois o cliente pode testar o material pronto.

// Desvantagens

Perigo: O negócio é de risco, e o empresário

precisa primeiro bancar o produto do próprio bolso para só depois de pronto conseguir obter lucro. Isso demanda fluxo de caixa e margem para possíveis fracassos, já que a ideia pode não emplacar.

Concorrência: O mercado está cheio de profissionais com boas ideias desenvolvendo produtos, sonhando ganhar muito dinheiro e com o apoio de gigantes da tecnologia. Para alcançar o sucesso, é preciso buscar sempre um diferencial. Produção: Por conta do alto risco que envolve o negócio, muitas vezes o desenvolvedor se vê obrigado a criar e produzir várias soluções até, finalmente, emplacar uma no mercado. Futuro: O mercado de softwares licenciados está

em franca ascensão e possui ilimitadas possibilidades para ganhar dinheiro. Para aqueles que têm boas ideias, formação sólida e trabalho eficiente, é um caminho que vale a pena investir.

24

“Os softwares auxiliam no controle completo das empresas, reduzindo gastos, aumentando produtividade e dando informações decisivas para a empresa” Franco de Barbi Cazelli, Gestor de Projetos da Innet

e longo prazo”, avaliou o dono da Projeta Sistemas, Pedro Henrique Mannato Coutinho. Já a Raizer Moura Consultoria e Tecnologia oferece o software ISO é Fácil, indicado para simplificar a organização do sistema de gestão da Qualidade, envolvendo todos os processos em um único software. O objetivo é mostrar que adaptar a empresa para obter a certificação ISO 9001 pode ser mais simples com a ajuda do programa. Outro produto oferecido é o Service, para gerenciamento e controle de empresas, principalmente no ramo de serviços. O foco é realizar as principais atividades relacionadas às rotinas operacionais, administrativas e financeiras, de maneira mais simples e organizada. O software auxilia no cadastramento de clientes, registro de pedidos, elaboração de propostas e orçamentos, acompanhamento da execução de serviços contratados, controle de compras, de fornecedores, de estoque e de pessoal, além da parte financeira, incluindo pagamentos, recebimentos e fluxo de caixa. A Raizer Moura também está desenvolvendo um terceiro software licenciado que em breve será mais uma alternativa para facilitar o gerenciamento de empresas, o Programa Gestor. “A principal vantagem desse modelo de negócio é que você não precisa ficar um, dois anos desenvolvendo algo intangível idealizado pelo cliente. Você consegue mostrar o produto para o cliente e então ele gosta ou não gosta. Não tem o desgaste da interação com o cliente durante o processo de desenvolvimento. Outra vantagem é que você dilui o custo conforme uma expectativa de vendas”, explicou o proprietário da Raizer Moura e presidente do Sindinfo, Luciano Raizer.

TI ES // FEV/MAR 2014

TI-ES 2_Softwares Licenciados.indd 24

24/03/2014 14:32:04


// Produtos

INNET Gerente Fiscal: toda

parte fiscal das empresas.

Gerente Serviços:

Emissão de Ordens de Serviço com cálculos de custo, eficiência e etc.

Gerente Finanças: todo controle financeiro das empresas. Gerente Controle:

Sistema ERP (Gestão para empresas de confecção)

Gerente Recursos Humanos: Controle de

ISO É FÁCIL

Criado para simplificar toda a organização do Sistema de Gestão da Qualidade. De modo fácil e auto explicativo, são executadas e totalmente controlados os processos como Documentação, Auditorias Internas, Ação Corretiva, Treinamento e Análise Crítica. Assim permite ao usuário o pleno domínio do Sistema da Qualidade.

AUTOBAHN

Sistema Premiado para Gestão de Locadoras de Automóveis. Conecta todas as filiais e controla as atividades de frota, manutenção, comercial, estoque, compras e financeiro de forma integrada, fornecendo relatórios gerenciais abrangentes e ferramentas estratégicas de marketing.

Funcionários, Folha de pagamento, Relatórios de custos e E-Social.

E-commerce Um ramo de negócio com amplas possibilidades é o e-commerce. Não são apenas grandes empresas que possuem lojas virtuais, como Submarino e Americanas. O mercado está cheio de comerciantes de menor porte que pretendem abrir uma loja virtual para expor seus produtos e, na grande maioria dos casos, não têm conhecimentos específicos e aprofundados em informática. Nesse caso, os desenvolvedores podem criar soluções que atendam aos que não têm condições ou interesse de contratar uma empresa para produzir um site personalizado.

“Temos relatos de clientes em que os próprios auditores da ISO 9001 consideraram a utilização do nosso software Autobahn como um ponto positivo para obtenção do certificado”, avaliou o dono da Projeta Sistemas, Pedro Henrique Mannato Coutinho

Por exemplo, um modelo que possa ser adaptado de acordo com diferentes configurações, que o cliente possa tanto usar para implantar seu próprio site como também um domínio onde os pequenos comerciantes possam cadastrar suas lojas virtuais e comercializar seus produtos. Um e-commerce muito conhecido é o Mercado Livre, mas há diversas outras opções que seguem proposta diferenciada, mas também cadastram lojas virtuais, como o Elo 7 (www.elo7.com.br). “Existem empresas de tecnologia que vendem o software, com a base de dados para fazer as transações, cadastrar pedidos, cadastrar produtos e outras demandas do e-commerce, e o cliente pode mudar as configurações para deixar a loja do jeito que prefere. É um conceito muito inteligente e interessante que tem a ver com gestão de produção”, ressaltou Raizer.

Aplicativos Ainda dentro do ambiente virtual, outro caminho que pode ser promissor na comercialização de softwares licenciados é o de aplicativos para internet, celulares e tablets. Nesse caso, a maioria dos casos envolve modelos diferenciados que consistem em apps gratuitos que primeiro fazem sucesso por sua funcionalidade e, então, se tornam rentáveis por meio de anúncios ou comercialização de serviços diferenciados. “‘Software as a service’ é uma tendência muito forte internacionalmente. Há vários aplicativos na internet que têm esse conceito. Você usa um software num provedor de acesso que lhe permite fazer certas funções, usando gratuitamente ou pagando pelo direito de uso”, afirmou Luciano Raizer. Porém, uma desvantagem grande para quem pretende investir no desenvolvimento de aplicativos e soluções para o público usuário de web, celulares, tablets e outros gadgets é o fato de muitas vezes precisar disputar com gigantes, o que exige sempre a busca pela inovação para aumentar as chances de dar certo. “Não vale a pena, por exemplo, investir no desenvolvimento de um serviço de buscador, senão você vai competir com o Google. Mas você pode criar algo completamente diferente e conseguir sucesso com isso”, exemplificou Luciano. SINDINFO ES

TI-ES 2_Softwares Licenciados.indd 25

25

24/03/2014 14:32:07


// SINDINFOS

Nova diretoria do Sindinfo é empossada

Diretoria reunida e preparada para os próximos desafios

Crescimento, investimentos em estrutura e consolidação do setor são metas entre 2013 e 2016

O

dia 21 de novembro de 2013 foi de solenidade na sede da Federação das Indústrias dos Espírito Santo (Findes), em Vitória. O sindicato das empresas de informática do Estado (Sindinfo) empossou a sua nova diretoria para o triênio 2013-2016. Troca de lugares também na presidência, com o até então vice-presidente do sindicato, Luciano Raizer Moura, assumindo o comando da entidade, tendo o antigo presidente, Benízio Lázaro, como seu vice. Além disso, a ocasião marcou o lançamento oficial da primeira edição da revista TI Espírito Santo, publicação do sindicato que visa a aproximar os profissionais e empresários que atuam nessa área no Estado. Marcaram presença no evento, entre outros, o presidente da Findes, Marcos Guerra; o vice-presidente da Federações, Manoel Pimenta; o diretor da Findes para Assuntos do Ideies, Egídio Malanquini; o diretor técnico do Sebrae-ES, Benildo Denadai;

26

a superintendente do Sesi-ES, Solange Siqueira; o presidente da Associação das Empresas de Tecnologia da Informação do Espírito Santo, Marcelo Siqueira; o presidente da Federação Nacional de Empresas de Informática (Fenainfo), Márcio Girão; o diretor de Inovação do Ifes, Tadeu Pissinati; e o presidente do Conselho Curador da Fundação Vanzolini, Marcelo Pessoa. Em seu pronunciamento, Marcos Guerra aproveitou para lembrar o trabalho feito por Benízio Lázaro à frente do Sindinfo, além de confirmar o apoio da Findes ao sindicato nessa renovação. “Eu sei que não é fácil presidir um sindicato. A gente precisa deixar muitas vezes os nossos afazeres. E você fez um excelente trabalho. O Sindinfo promoveu, de forma sempre presente e atuante, o crescimento do número de associados. Também interiorizou o sindicato. Essa interiorização tem sido uma das bandeiras da Findes. E quando falo interiorizar,

TI ES // FEV/MAR 2014

TI-ES 2_Nova Diretoria do Sindinfo.indd 26

25/03/2014 17:03:10


Revista TI-ES foi lançada durante o evento

Benízio Lázaro, Luciano Raizer Moura e o diretorexecutivo da Next Editorial, Mário Fernando Souza: setor de TI ganha publicação

Autoridades e empresários prestigiaram a posse da nova diretoria

eu não falo apenas para os 78 municípios do Estado. Eu falo de interiorizar a Serra dentro da própria Serra, Vila Velha dentro de Vila Velha. É um trabalho de tirar as pessoas da sombra. Ir até o empresário, ir até o funcionário. Seja para formação, cultura, segurança do trabalho, enfim. Trouxemos empresários novos para dentro dessa Casa com isso, novas demandas, que foram traduzidas em retorno para os sindicatos, para os setores e para a indústria capixaba. A Federação está à disposição, podem contar conosco”, destacou. Em seguida, Benízio Lázaro falou sobre sua trajetória no sindicato, que foi de 2004 a 2013, e de todo o apoio que teve para desenvolver o setor de informática no Estado . “Este momento é de agradecimento. Quero agradecer a todo o setor, que esteve sempre junto, crescendo conosco. Me convidaram para que eu viesse para o sindicato, contribuir com sua organização. E aqui fiquei por nove anos. Obrigado a toda a equipe do CAS. Quando assumi, prometi que faria mudanças. E as fiz. Hoje temos 16 grandes ações. E podem ter certeza

Brasil de olho no Espírito Santo Presente à solenidade, o presidente da Federação Nacional de Empresas de Informática (Fenainfo), Márcio Girão, comentou o cenário de TI no Estado e a parceria com o Sindinfo. “O mercado de tecnologia de informação no Espírito Santo ocupa hoje uma parcela significativa, o Brasil é o sétimo país do mundo em mercado de TI, só que nossas empresas não ocupam esse espaço. Nossa luta é pela união de todos os setores envolvidos, para que a gente ocupe de fato esse lugar no mundo, como empresas brasileiras, atuando no setor de informática. O Sindinfo sempre esteve presente nas ações da Fenainfo, e continuaremos juntos. A Fenainfo atua em uma missão de união de sindicatos patronais na defesa dos interesses das empresas brasileiras de TI. A certificação das empresas na Norma 29.110 foi uma surpresa muito agradável. O Espírito Santo sai na frente, com as primeiras nove certificadas no mundo. Nós apoiamos e aplaudimos a iniciativa e a conquista”, disse ele.

SINDINFO ES

TI-ES 2_Nova Diretoria do Sindinfo.indd 27

27

24/03/2014 14:41:18


Sindinfo no Conselho da Findes

“O Sindinfo promoveu o crescimento do número de associados. Também interiorizou o sindicato. Essa interiorização tem sido uma das bandeiras da Findes” – Marcos Guerra, presidente da Findes

de que não fiz sozinho. Tive uma diretoria que me ajudou muito. Tive a parceria do IEL, do Sebrae. Obrigado a todos vocês”, disse. Ele citou também a importância da turma certificada na ISO 29110. “No ano passado, recebemos uma pessoa ilustre, o professor Marcelo Pessoa, que muito nos honrou e veio trazer uma novidade: a Norma ISO 29110. E compramos a ideia. Hoje, nós certificamos nove empresas. São as primeiras certificadas nessa norma. Ou seja, o Espírito Santo está na vanguarda, à frente do mundo. Muito obrigado ao Marcelo e à Fundação Vanzolini”, frisou.

Novo presidente fala sobre o setor de TI Após o discurso do ex-presidente, aconteceu a leitura do Termo de Transmissão de Cargo, com a ata de posse da diretoria, Conselhos Fiscais e delegados representantes do Sindinfo junto à Findes. A nova diretoria permanece no cargo no triênio 2013-2016. Luciano Raizer assinou o termo e foi empossado novo presidente do sindicato. Os eleitos firmaram compromisso de respeitar a constituição das leis vigentes e o estatuto sociais da entidade. Com a palavra, Raizer agradeceu o apoio da Findes, a confiança nele depositada e a atuação do sindicato. “Existe o sonho de um grande polo de tecnologia no Espírito Santo. É uma visão maior das mais de 680 empresas do setor e, em especial, das 82 associadas, que participam mais diretamente das ações do sindicato. E o Sindinfo foi repensado 28

A diretoria do Sindinfo também foi empossada, no dia 28 de novembro, no Conselho da Findes. Luciano Raizer Moura, Benízio Lázaro, Franco Machado e Pedro Arpini serão representantes do setor nos encontros da Federação. “Atuaremos sempre em defesa da indústria capixaba e de todos os interesse do setor de TI no Estado. Estaremos presentes nas tomadas de decisões, nos projetos e funcionalidades que passam pelo Conselho da Findes”, lembrou Benízio Lázaro.

pelo Benízio. Gostaria de agradecê-lo. Esse sindicato passou de fato a existir, não só do ponto de vista legal, mas passou a existir para servir os associados, por meio de muitas ações, iniciadas e desenvolvidas anos atrás. Benízio fez uma unificação de todos os membros da diretoria, em um planejamento estratégico que a gente passou a sonhar com um setor forte”, disse. Raizer lembrou outros destaques da entidade. “O sindicato também passou a servir através de eventos. Tivemos o 3º Encontro Capixaba da Indústria de TI, fruto dessa ação de repensar estrategicamente. Foi um encontro voltado para os interesses do empresário. Realizamos o Café com TI,

“Passamos a oferecer serviços, não só os convênios que reduzem custos das nossas empresas, mas também a ajudar na modernização da gestão” Luciano Raizer Moura, presidente do Sindinfo

TI ES // FEV/MAR 2014

TI-ES 2_Nova Diretoria do Sindinfo.indd 28

25/03/2014 17:03:17


Diretoria do Sindinfo (2013 -2016) //Presidente: Luciano Raizer Moura

//Vice-presidente: Benízio Lázaro

as missões empresariais e também os workshops técnicos. Passamos a oferecer serviços, não só os tradicionais, como os convênios com várias organizações e que reduzem custos das nossas empresas, mas também a ajudar na modernização da gestão. E a certificação de nove das nossas empresas, que depois de um amplo trabalho de desenvolvimento, passaram a ser reconhecidas por uma norma internacional. Estamos fazendo história aqui”, destacou ele. O presidente abordou desafios que o setor de TI terá nos próximos anos. “De cada quatro empresas de TI no Espírito Santo, três não tem sede própria.

//Diretor-secretário: Franco Machado

“Quando assumi, prometi que faria mudanças. E as fiz. Hoje temos 16 grandes ações” Benízio Lázaro, ex-presidente e atual vice-presidente do Sindinfo

//Diretor-primeiro //Diretor-segundo tesoureiro: Pedro Arpini tesoureiro: Emílio Augusto Barbosa

Isso dá 75% das empresas, de acordo com nossas pesquisas. A intenção é que nós possamos agremiar essas organizações em um parque tecnológico é de grande importância para criar uma sinergia de ações e conhecimentos. Com isso, poderemos gerar produtos inovadores. Não podemos esperar mais por isso. Já existe um grupo de empresas formado, interagindo com algumas prefeituras, para que esse parque saia do papel. E é importante lembrar que o parque é empresarial, não institucional”, falou.

Lançamento da Revista TI-ES O evento foi encerrado com a apresentação da revista TI-ES, parceria do Sindinfo com a Next Editorial. Foram chamados ao palco Luciano Raizer, Benízio Lazaro e o diretor-executivo da Next Editorial, Mário Fernando Souza. Com o objetivo de promover as empresas e os profissionais da área de TI, a publicação, bimestral, tem temas relacionados com a realidade capixaba e as tendências internacionais quando o assunto é tecnologia da informação. “Este é mais um produto do nosso sindicato, do nosso setor. É mais uma parceria. Agradeço à Next, que trabalhará com a gente, em uma revista que será enviada para todas as empresas associadas. Trata-se de mais uma oportunidade para que as nossas empresas possam mostrar os seus produtos, o seu trabalho e qualidade. O Espírito Santo tem bons profissionais, gestores e empresas e precisávamos mostrá-los, para o país e para o mundo”, finalizou. SINDINFO ES

TI-ES 2_Nova Diretoria do Sindinfo.indd 29

29

24/03/2014 14:41:27


// SINDINFOS

Planejamento Estratégico traça metas para 2014 P

ara conseguir manter a meta de ter o Estado do Espírito Santo como um polo de tecnologia do Brasil, o Sindinfo tem trabalhado juntamente com seus associados estudando o que é necessário para melhorar cada vez mais o setor. Dessa forma, realizou nos dias 7, 8 e 9 de fevereiro, na Pousada dos Pinhos, em Pedra Azul, com a nova diretoria, o Planejamento Estratégico 2014 delineando todas as diretrizes a serem desenvolvidas durante o ano pelo sindicato. O plano foi definido através de uma pesquisa realizada pelo sistema Sipos, construído pela empresa Polaris, associada do Sindinfo, que preparou um esquema com todas as necessidades e questionamentos pertinentes ao segmento.

Durante evento de apresentação da diretoria em Pedra Azul, foi mostrada pesquisa feita com associados para traçar o Planejamento Estratégico de 2014

Planejamento Estratégico //Janeiro – Pesquisa realizada com todos os associados através do Sipos //Fevereiro – Apresentação da pesquisa e preparação do planejamento estratégico //Março a novembro – Execução do planejamento estratégico //Novembro – Apresentação dos resultados do planejamento estratégico durante o Encontro Capixaba da Indústria de Tecnologia (Encati)

30

TI ES // FEVEREIRO FEV/MAR 2014 2014

TI-ES 2_Planejamento Estratégico_alterado.indd 30

24/03/2014 14:52:19


Sistema desenvolvido por associada garante sucesso de planejamento

Mapa Estratégico Missão: “Fortalecer o setor de informática do ES pela união e valorização das empresas”

O planejamento estratégico realizado pelo Sindinfo contou com a parceria da Polaris Informática, que cedeu a metodologia e a utilização do Sistema de Pesquisa de Opiniões (Sipos). O Sipos foi utilizado para efetuar uma pesquisa com os associados e tinha o objetivo de conhecer suas necessidades em relação aos serviços prestados por Sesi, Senai, IEL, Findes e Sebrae e pelo próprio sindicato.

Visão: Até 2020 tornar o ES reconhecido nacionalmente como destacado polo de informática

Pela pesquisa foi possível identificar que as empresas precisam contratar mais, qualificar e fazer capacitação técnica. Foram levantadas ainda quais as missões e as feiras nacionais e internacionais que seriam de interesse de cada empresa associada.

Financeira

As informações foram tabuladas, analisadas, e assim, o planejamento fluiu naturalmente para as ações que os próprios associados identificaram e priorizaram. “O Sipos apresenta um extraordinário potencial no fomento às atividades estatísticas, onde a pesquisa de opinião é imprescindível. Diferentes processos avaliativos podem ser criados para atender às mais diversas necessidades e são uma poderosa ferramenta de apoio na coleta de informações, apuração e geração dos resultados”, explicou Domingos Sávio de Almeida Pinto, diretor comercial da Polaris. O sistema pode ser aplicado em todos os mercados, por exemplo, instituições de ensino: perfil do ingressante, avaliação institucional pelo discente e docente; comércio e serviço: avaliação de satisfação dos clientes, fornecedores, comunidade, avaliação da saúde do empregado, pesquisa de clima; congressos, seminários e eventos: avaliação de eventos e congressos; instituições de saúde: pesquisa de satisfação, evasão, adesão e atendimento; institutos de pesquisa: pesquisas diversas; Governo, e ONGs: levantamento situação atual, pesquisa de clima, satisfação de atendimento e avaliação de treinamento.

A mostra foi feita com base em perguntas elaboradas sobre os serviços, eventos, qualificações e metas do sindicato. Os participantes do evento se reuniram, discutiram as análises feitas pela pesquisa e, a partir daí, foram definidas as estratégias que devem ser realizadas no decorrer de 2014. “Desde a nossa posse, em novembro, que tenho dito que estamos fazendo do Espírito Santo um polo de tecnologia. Para isso precisamos da união dos empresários em ações ousadas, e esse planejamento estratégico é

Ampliar os resultados financeiros

Imagem e Mercado Aumentar o número de afiliados e associados

Articular pelo setor junto às entidades setoriais e governamentais

Processos Melhorar os instrumentos de marketing e comunicação

Levantar informações do setor

Pessoas Promover a capacitação dos empresários associados

Promover a formação de mão de obra do setor

Ampliar a estrutura física e de pessoal do sindicato

“O planejamento estratégico feito de forma particular e dedicada possibilita uma ampliação da visão dos diversos aspectos que influenciam a atuação do sindicato, porque é suportado por uma pesquisa com os associados” – Emílio Augusto Barbosa, 2º tesoureiro do Sindinfo SINDINFO ES

TI-ES 2_Planejamento Estratégico_alterado.indd 31

31

24/03/2014 14:53:12


“Desde a nossa posse, em novembro, que tenho dito que estamos fazendo do Espírito Santo um polo de tecnologia. Para isso precisamos da união dos empresários em ações ousadas, e esse planejamento estratégico é uma dessas ações” Luciano Raizer Moura, Presidente do Sindinfo

1 2 3 4 5 6

Franco Machado Mogai Tecnologia de Informação Ltda. Benízio Lázaro BL Tecnologia em Informática Ltda. Franco de Barbi Cazelli Innet Soluções Ltda. Ilma Aurora Moreira Executiva do Sindinfo

Luciano Raizer Moura Raizer Moura Tecnologia Ltda. Evandro Polese Alves Vixteam Consultorias e Sistemas Ltda.

11

7 8 9 10 11

uma dessas ações”, explicou o presidente do Sindinfo, Luciano Raizer Moura. O planejamento será realizado todos os anos, levando em consideração a pesquisa, que será feita sempre em janeiro. Em fevereiro ocorre preparação, e de março a novembro a execução. Ao final, haverá apresentação dos resultados, durante o Encontro Capixaba das Indústrias de Tecnologia da Informação (Encati). “O planejamento estratégico feito de forma particular e dedicada possibilita uma ampliação da visão dos diversos aspectos que influenciam a atuação do sindicato, porque é suportado por uma pesquisa com os associados, algo que permitiu que fizéssemos uma análise de ambiente mais fidedigna e precisa, e não apenas por feeling dos diretores”, ressaltou o segundo tesoureiro do Sindinfo, Emílio Augusto Barbosa. Durante o evento, todos os diretores estavam presentes e foram apresentados aos associados.

Domingos Sávio de Almeida Pinto Polaris Informática Ltda. Daniel Rossi de Jesus Coldata Informática Ltda.

Planejamento Estratégico foi preparado através de pesquisa feita pelo sistema Sipos, da associada Polaris

Alisson Bruno Lepaus Sebrae-ES Roubledo Demiam Gasoni MR Consultoria e Sistemas Ltda.

Emílio Augusto Barbosa Infosis Consultoria e Sistemas Ltda.

10

Os diretores foram apresentados durante o evento que traçou as estratégias do sindicato para 2014

9 8

7

1 2

32

3 4

5

6

TI ES // FEVEREIRO FEV/MAR 2014 2014

TI-ES 2_Planejamento Estratégico_alterado.indd 32

24/03/2014 14:53:26


Diretoria 2013 - 2016 Luciano Raizer Moura – Presidente do Sindinfo Diretoria Luciano Raizer Moura Moura Benízio Lázaro Franco Machado Pedro Arpini Emílio Augusto Barbosa

Presidente Vice-presidente Secretário-geral 1º tesoureiro 2º tesoureiro

Suplentes da Diretoria Roubledo Demiam Gasoni, Franco de Barbi Cazelli, José Antônio Bonna

Conselho Fiscal - Efetivo Carlos Augusto Ferreira de Almeida, Marco Antônio Malini Lamêgo, José Luiz Coco

“Os diretores do interior, que não estão sempre conosco, puderam estar juntos para falarmos sobre os anseios dos associados de lá, e os diretores novos, como eu, também puderam ter uma oportunidade de conhecer melhor a todos”, acrescentou Emílio.

Visão do presidente “Estamos fazendo do Espírito Santo um grande polo de tecnologia. Para isso acontecer, são necessários união dos empresários, ações ousadas e muito trabalho”, avalia Luciano Raizer. Essa foi a razão para a criação de um Planejamento Estratégico através de uma pesquisa detalhada os associados por meio de um sistema criado pela Polaris que direciona as estratégias para 2014. “Avaliamos as conquistas relevantes que tivemos até aqui, para que também contribuíssem na construção desse plano. Tenho a destacar como importantes conquistas a ISO 29110, que certificou nove empresas ano passado e tende a certificar outras no Estado”, reforçou o presidente do Sindinfo. O próprio Planejamento Estratégico é uma nova ferramenta para direcionar ações a partir de agora. “É um plano de trabalho ousado, que passará a ser uma dinâmica anual baseada na pesquisa sempre feita em janeiro, apresentação do plano em fevereiro, execução do plano de março a novembro até o Encontro Capixaba da Indústria de Tecnologia (Encati), quando apresentaremos o que conseguimos cumprir do planejamento feito no início do ano”. Conheça a primeira pesquisa e participe todos os anos do nosso planejamento para que possamos fazer o setor de Tecnologia da Informação do Espírito Santo cada vez melhor.

Conselho Fiscal - Suplente José Fernando Etienne Dessaune, Domingos Sávio de Almeida Pinto, Evandro Polese Alves

Delegados Representantes junto à Findes Luciano Raizer Moura Benízio Lázaro Franco Machado Pedro Arpini

Efetivo Efetivo Suplente Suplente

Representantes nas Regionais junto à Findes Roubledo Demian Gasoni Franco de Barbi Cazelli Daniel Rossi de Jesus Ilma Aurora Moreira Alisson Bruno Lepaus

Regional Sul Cachoeiro de Itapemirim Regional Norte Linhares Regional Noroeste Colatina Executiva do Sindinfo Analista de Unidade de Atendimento Coletivo à Indústria Representante do Sebrae-ES

SINDINFO ES

TI-ES 2_Planejamento Estratégico_alterado.indd 33

33

24/03/2014 14:53:39


// Gadgets

Tablet em sintonia com o celular

Foto: LG

A sul-coreana LG iniciou a venda do tablet LG G Pad 8.3 no país. Trata-se de um tablet com 8,3 polegadas que oferece tela Full HD+ de resolução de 1.920 por 1.200 pixels – uma qualidade de imagem ainda maior do que uma tela Full HD padrão, e também IPS (a mesma tecnologia das Smart TVs, ultrabooks e monitores). De formato fino elegante, o aparelho conta com a funcionalidade KnockOn, que liga e desliga o tablet com dois toques na tela. Outro atrativo é a função Qpair, que permite parear o tablet com um smartphone da fabricante e atender chamadas, responder mensagens, entre outros. O preço sugerido do aparelho é de R$ 1.099,00.

A Positivo desenvolveu novos computadores sob medida para o mercado corporativo. Um deles é o Master U2500, ideal para economizar energia e espaço por conta do formato tudo em um. Ele apresenta tela de 21,5 polegadas com tecnologia LED, resolução Full HD e design fino, com espessura de 2,6 cm. Inclui conexão Wi-Fi, webcam e alto-falantes integrados e pode ser instalado na parede ou no móvel, usando um suporte adequado. Com 4GB de memória RAM, disco rígido de 500GB e conexões USB 3.0, sai a partir de R$ 1.900. Outra novidade da empresa brasileira é o desktop Master D365, com gabinete que pode ser usado nas posições vertical e horizontal. O modelo tem sistema de travas para fazer manutenções e upgrades com rapidez, sem necessidade de uso de ferramentas. Com 4GB de memória RAM – tem a possibilidade de expansão para até 16GB –, disco rígido de 500GB, além de portas USB 3.0 frontais e traseiras, o aparelho sai a partir de R$ 1.500.

Fo tos :C

Fotos: Positivo

Computador para escritório

Som potente e TV no celular

34

Fotos: Sony

A novidade da Sony para este primeiro semestre é um smartphone que tem som mais potente e opção de TV digital exclusivamente para o Brasil. Trata-se do Xperia E1. Em todas as suas versões, o aparelho conta com alto-falantes de 100dB, cujo áudio de qualidade não é atrapalhado por escapamento de moto. Um produto exclusivo que será lançado somente no país é o Dual Sim com TV Digital. O celular estará habilitado para receber dois chips – podendo ser configurados de forma independente com toques personalizados, além de comutação simples entre as linhas antes de enviar mensagens de texto ou efetuar chamadas – e contará com a funcionalidade de televisão no gadget cuja tela é de quatro polegadas e sensível ao toque. TI ES // FEV/MAR 2014

TI-ES 2_Coluna_Gadgets.indd 34

19/03/2014 15:34:26


Câmera para vigiar bebês

Fotos: DFreire Comunicação

Uma câmera pequena e repleta de funcionalidades para vigiar bebês é a novidade da D-Link. A Wi-Fi Baby Camera conta com cinco canções de ninar, grava em alta definição, filma no escuro, detecta movimentos e som, e ainda alerta quando há mudanças de temperatura e pressão no ambiente. Um aplicativo, conhecido como mydlink Baby Mobile, auxilia no controle do monitoramento. O aparelho possibilita ao usuário a utilização remota via smartphone ou tablet por meio do aplicativo do sistema. Além disso, tem tecnologia de visão noturna automática com LEDs infravermelhos e um espaço para cartão SD para gravação de vídeo. Ainda sem preço definido, o gadget chega ao Brasil no segundo trimestre deste ano.

Lentes para smartphones

Nova geração de ultrabook turbinado A Sony apresentou a nova geração do ultrabook Pro 13, que ganhou processador Intel Core i7, de quarta geração. O computador chega à velocidade 3GHZ com o turbo boost, e sua bateria funciona até 6,5 horas sem estar conectada à tomada. O aparelho tem ainda memória RAM de 8GB e capacidade de armazenamento de 128GB. O modelo possui tela de 13,3 polegadas MultiTouch Full HD com tecnologia Triluminos – Outro atrativo do produto é o design palmrest, que permite maior conforto durante a digitação. O portátil pesa pouco mais de 1 kg e chega ao mercado nas cores prata e preta pelo preço de R$ 6.999.

Fotos: Sony

Fo tos :C as eL og ic

Fotos: Kodak

Para auxiliar nas fotografias com smartphones, a Kodak lançou uma linha de lentes sem fio que se acoplam a aparelhos com sistema Android, do Google, e iOs, da Apple. Batizada como Pixpro Smart Lens, trata-se de um acessório simples de usar que converte o seu celular em uma câmera com zoom. O gadget também oferece outros recursos, como a capacidade de se conectar a redes sem fio e um sistema de controle usando um aplicativo gratuito. O aparelho vem ainda equipado com uma entrada padrão para cartões microSD e configurações intuitivas, que incluem uma função de modo de espera para capturar o momento desejado, mesmo quando estiver fora de casa. Com capacidade de filmar vídeos em alta definição, a lente chega ao mercado do país ainda neste ano.

Acessórios para o verão A Case Logic lançou acessórios, como mochilas e pastas, para carregar computadores, tablets e demais gadgets para viagens durante o verão. Uma das novidades é a mochila BPCA-114 (foto). Feita em poliéster, ela possui um compartimento para notebook de 14 polegadas e outro para tablet. Um bolso escondido no painel traseiro permite guardar pequenos objetos em segurança. Possui alças reguláveis, além de grandes zíperes que podem ser facilmente fechados com cadeados e custa R$ 269. Já o case TNEO-110 foi produzido com tecido acolchoado sob medida para tablets e iPads de até 10 polegadas. Com design horizontal e alças acolchoadas, transporta o equipamento com total praticidade. Ainda possui um bolso frontal com zíper que organiza os acessórios e itens pessoais. Disponível na cor preta, sai a R$ 89. Outra novidade é o porta-câmera TBC-401, cujo interior é acolchoado, tem cinto localizado na extremidade, oferecendo uma forma alternativa e prática para carregar o equipamento (R$ 25,90). SINDINFO ES

TI-ES 2_Coluna_Gadgets.indd 35

35

19/03/2014 15:34:45


//CURSOS

Parceria Senai e Sindinfo rende mais cursos técnicos As turmas do primeiro semestre começaram o curso no início de fevereiro. No segundo semestre haverá mais turmas de técnico em redes e em informática

E

m parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), o Sindinfo tem conseguido atender a uma demanda dos associados de qualificação de mão de obra em busca de jovens talentos que podem ingressar na carreira de Tecnologia da Informação. São cursos técnicos, preparados com o direcionamento do sindicato, inclusive na definição da grade curricular, conforme o que tem sido exigido pelas empresas do setor. Três turmas foram iniciadas no início de fevereiro, e outras vão iniciar no segundo semestre, depois da Copa do Mundo, de técnico em rede e em informática. Os cursos têm duração de um ano e meio a dois anos. O Sindinfo ainda está articulando junto ao Senai um outro curso para programadores que deve ser divulgado em breve. “Temos buscado atender essa demanda crescente do nosso setor. Estamos negociando com o Senai tornar a unidade da Beira-Mar, em Vitória, em uma escola específica para o setor de TI. O Senai A diretora do Senai-ES, Solange Siqueira , e o gerente do Cetec/Senai de Vitória, Ewandro Petrocchi, em reunião com o Sindinfo

36

CURSOS PARA SEGUNDO SEMESTRE – 2014 Linhares Técnico em Informática – uma turma, de Ebep com 40 vagas. Serra - Civit A previsão é terem entrada de uma turma de técnico de redes vespertina (Ebep) e outra noturna (Pronatec) no segundo semestre. Vitória - Cetec A previsão é de entrada de duas turmas de técnico em redes no segundo semestre.

tem sido um grande parceiro e nos dado excelente suporte para resolver esse gargalo de falta de mão de obra qualificada”, explicou o presidente do Sindinfo, Luciano Raizer Moura. Os diretores do sindicato estiveram visitando a escola para saber como estão os cursos e a expectativa dos alunos para quando terminarem as aulas técnicas. Eles afirmam que a intenção é manter muitas turmas até que a demanda reprimida por mão de obra qualificada do setor de TI seja atendida. A diretora do Senai-ES, Solange Siqueira, acredita que a parceria com o Sindinfo é muito importante, o alinhamento com o setor foi feito desde o plano de curso até a possibilidade de estágio nas empresas filiadas. “O Senai-ES busca promover a educação profissional de forma articulada com a demanda apontada pelos segmentos industriais. O Sindinfo solicitou no fim de 2012 que o Senai formasse profissionais técnicos em Informática. A ação foi planejada no primeiro semestre de 2013 e as turmas iniciaram em julho de 2013. Sabemos que o mundo do trabalho exige profissionais que dominem o conteúdo técnico e que tenham capacidade crítica, habilidade para solucionar situações desafiadoras e que saibam trabalhar em equipe, por isso, a educação profissional promovida no Senai visa a habilitar pessoal para o exercício de sua profissão e para a sociedade. Assim, a formação atenderá à necessidade de mão de obra apontada pelo segmento de Tecnologia da Informação” ressaltou.

TI ES // FEV/MAR 2014

TI-ES 2_Cursos.indd 36

19/03/2014 15:37:08


//POR QUE ME ASSOCIEI?

COMO SE ASSOCIAR Os interessados devem procurar o sindicato pessoalmente para fazer a filiação. Caso queiram mais informações, os empresários podem procurar por telefone, e-mail ou site do sindicato e poderão saber todos os detalhes para se filiar.

“Decidi me filiar ao Sindinfo porque tenho uma empresa de representação iniciando e percebi que os benefícios oferecidos aos associados seriam importantes tanto para mim quanto para meus futuros empregados. O sindicato do Espírito Santo é bem diferente de todos os outros que já vi. Desde o atendimento até os benefícios oferecidos. Além disso, o Sindinfo tem feito campanhas de divulgação do meu escritório, o que tem ajudado a torná-lo mais conhecido.” Enisson L. N. Guimarães, Sol Representações Comerciais

“Sou associado desde novembro de 2013, e o motivo da minha filiação foi o fato de acreditar que os empresários precisam estar unidos para melhorar cada vez mais o setor. O sindicato está crescendo e tem buscado qualificação, financiamentos, entre outros benefícios para seus associados. A minha empresa apoia as iniciativas. Além disso, temos feito marketing de relacionamento, trocando informações que geram negócios e mais conhecimentos para nossas empresas.” Antonio Geraldo de Lima, Prime Formação Profissional

“Associei-me ao sindicato por conta de questões legais que são necessárias para a minha empresa. Sou associado desde janeiro de 2014. Mas tenho percebido ações bastante interessantes, que fortalecem o setor. Ainda não tive tempo de me aprofundar sobre tudo o que o sindicato oferece aos seus associados, mas percebo que tem sido feito um trabalho em prol de melhorar mais o mercado de informática para nós.”

“A participação de alguns programas de negócios beneficiados pela Findes, por iniciativa do Sindinfo, permitiu à DBM testemunhar as ações do sindicato e acreditar em sua filosofia e propostas de fomento ao mercado de tecnologia no Estado. A associação ao Sindinfo é uma forma de demonstrar nosso apoio a essas ações.” Guilherme De Bone, DBM Softwares de Gestão

Mario Franco Reis, Brasit Tecnologia em Informação

//Sindicato das Empresas de Informática do Espírito Santo (Sindinfo) Endereço: Av. Nossa Senhora da Penha, 2053 – Edifício Findes – Santa Lúcia – Vitória – ES Telefones: 27 3334-5691/ 99841-9371 // Fax: 27 3225-1833 // secretaria@sindinfo.com.br // www.sindinfo.com.br

SINDINFO ES

TI-ES 2_Pq me associei.indd 37

37

19/03/2014 14:10:27


// ESPECIAL

Pesquisa demonstra necessidade de espaço para instalação de empresas Diagnóstico realizado por Sindinfo, Sebrae-ES e Ideies mostra que 75% das empresas não têm espaço próprio, o que confirma a necessidade da criação do parque tecnológico

O

Estudo Setorial de Tecnologia do Espírito Santo realizado em 2013 pelo Sindinfo, em parceria com o Sebrae-ES e o Instituto de Desenvolvimento Educacional e Industrial do Espírito Santo (Ideies), com 195 empresas do setor capixaba diagnosticou diversos pontos importantes para serem trabalhados em 2014 e até nos próximos anos. Durante o III Encontro Capixaba da Indústria de Tecnologia da Informação (Encati) foram apresentados os resultados e discutidos os

38

diagnósticos da pesquisa para definir iniciativas a serem tomadas. As 195 empresas envolvidas são do setor de Tecnologia da Informação e Comunicação do Espírito Santo e fazem parte da Classificação de Atividades Econômicas (CNAE). Todas elas foram escolhidas aleatoriamente. Dessas, 38% atuam na área de serviços, 24% em comércio e 22,1% no desenvolvimento de softwares. Um dos pontos mais importantes demonstrados é a necessidade de um espaço para que as empresas

Os resultados da pesquisa foram apresentados aos participantes do III Encati em novembro de 2013

TI ES // FEV/MAR 2014

TI-ES 2_EspecialPesquisa.indd 38

24/03/2014 14:56:31


capixabas de Tecnologia da Informação possam se instalar, já que 75% delas não têm sede própria. “Há 23 anos discutimos sobre a criação de um parque tecnológico para a instalação das empresas de TI, e a pesquisa confirmou essa necessidade. Aproveitamos esse momento para falarmos sobre esse assunto e definirmos diretrizes para conseguir construir esse local”, explicou o presidente do Sindinfo, Luciano Raizer Moura. Dentre as sugestões dos entrevistados para o desenvolvimento do setor de tecnologia e informação destacam-se: a capacitação de pessoal (42,6%), investimento (28,7%) e a criação de polo tecnológico (6,4%). “Capacitação é uma necessidade sempre colocada como prioritária por parte dos nossos associados. Existe uma demanda reprimida de vagas e faltam profissionais para atender a essa demanda. Cada vez mais tentamos buscar mecanismos de qualificação de mão de obra para suprir as necessidades das empresas. Estamos apostando todas as nossas fichas no Senai e queremos tornar o Senai Beira-Mar no polo de qualificação do setor de TI”, acrescentou. O Ideies faz uma ressalva com relação a esse item. “Ao compararmos as sugestões para o desenvolvimento do setor com a pesquisa anterior, a capacitação de pessoal continua sendo o fator prioritário para a competitividade”, destaca o relatório da amostra.

Escolaridade dos profissionais - 2011 x 2013 35%

2011 2013

31% 26% 26%

28% 23% 11%

17% 2%

Superior

Nível técnico

Fonte: Pesquisa TI Foram consideradas 195 empresas

Ensino médio

Especialização

1%

Mestrado Doutorado

Saiba mais O Estudo Setorial de Tecnologia do Espírito Santo é realizado a cada dois anos. É uma pesquisa sobre o setor de Tecnologia da Informação pelo o Sindinfo em parceria com o Sebrae e o Ideies. O objetivo é traçar um cenário do setor de Tecnologia de Informação do Estado, identificando as necessidades e os desafios, e apoiar o empresariado na tomada de decisões estratégicas. O estudo de 2013 é o segundo feito até o momento. O primeiro foi realizado em 2011 e abrangeu os segmentos de hardware, software e serviços. O trabalho é elaborado pelo Sebrae-ES que, juntamente com o Sindinfo-ES prepara todo o planejamento, a estruturação do questionário e a realização da captação dos dados. O Ideies é responsável por compilar e analisar os dados levantados na pesquisa, preparando o documento para divulgação.

Dificuldades Os empresários do setor foram questionados sobre as causas que impediam seu crescimento e citaram como motivos: os riscos econômicos excessivos (37,9%), a falta de pessoal qualificado (27,7%) e a fraca resposta dos consumidores (11,8%). Em uma análise comparativa entre os resultados das pesquisas realizadas em 2011 e 2013, observou-se que a escolaridade do setor apresentou poucas variações no período. Os funcionários de nível superior se qualificaram mais, o que contribuiu na elevação do número das especializações. O levantamento demonstra que a gestão financeira está presente em 87% das empresas pesquisadas, assim como o planejamento estratégico, implantado em 47,2% dessas organizações. Ao comparar os resultados apresentados no Diagnóstico do Setor do ano de 2013 com o realizado em 2011, o Ideies percebeu que o maior mercado de atuação continua sendo o Espírito Santo. SINDINFO ES

TI-ES 2_EspecialPesquisa.indd 39

39

24/03/2014 14:56:31


Diagnóstico apresentado pelo Ideies ao final da pesquisa O Ideies apresentou em 2011 um Estudo Setorial de Tecnologia da Informação do Espírito Santo e apontou desafios para o segmento. Os desafios, para que o Brasil e o Estado encarem suas limitações competitivas, de acordo com plano diretor proposto pela Brasscom, são: • Reduzir o custo Brasil: Essa é a primeira das prioridades e, para tanto, acredita-se que sejam necessários os seguintes acordos e medidas:

pactuadas e eficazes envolvendo o Governo, as empresas, as associações e os sindicatos; • Estimular a inclusão digital: Os Governos vêm tomando medidas para baratear o acesso a equipamentos e à internet. Com mais integração e coordenação entre as instâncias do Governo e da sociedade, será possível ampliar a educação digital das pessoas de menor renda. A inclusão digital e a melhora da educação formal são indispensáveis para aumentar a competitividade de toda a economia.

a) Empresários, trabalhadores e Governo devem evitar a armadilha da indexação. A lógica da reposição da inflação • Melhorar a infraestrutura: Com as medidas criadas pelo Plano Nacional de Banda Larga (PNBL), espera-se popularizar passada, mais ganho real, que tem valido para os salários, o serviço de banda larga e fazer com que o país tire o máximo não se aplica aos contratos de TI, onde há uma competição de proveito dos benefícios sociais e econômicos da tecnologia. feroz e baixa elasticidade de preços. Como os serviços Entre as ações previstas no PNBL, estão a expansão da e o desenvolvimento de software podem ser feitos em infraestrutura, o compartilhamento das redes existentes, qualquer parte do mundo, a competição é global. a destinação de recursos e a criação de mecanismos de b) A desoneração dos encargos incidentes sobre a folha é financiamento, além da redução da carga tributária. considerada de extrema importância na área de TI, pois o custo • Investir em inovação: Esta é uma questão-chave para da mão de obra representa em torno de 70% das receitas das aumentar a produtividade e a competitividade das empresas. A desoneração será, sobretudo, uma medida de boa empresas. O aumento de investimentos em inovação regulação do mercado. Artifícios contratuais produzem uma permitirá ao país conquistar novos clientes e maior sofisticada informalidade no setor, da ordem de 50%, perdendo participação no mercado mundial, alcançando uma posição as empresas, o Governo e os próprios trabalhadores. de destaque entre as principais economias globais. • Formar e qualificar a mão de obra: Faltam recursos • Sistema S: é o nome pelo qual ficou convencionado de humanos na base da pirâmide do mercado de trabalho, se chamar ao conjunto de 11 contribuições de interesse de mas faltam também engenheiros de software, dada a baixa categorias profissionais, estabelecidas pela Constituição interação Universidade x Empresa. Os recursos para treinar brasileira. As entidades são: Senar, Senac, Sesc, e qualificar existem tanto nas pastas de C&T (Ciências e Sescoop, Senai, Sesi, Sest, Senat, DCP, Incra, Sebrae Tecnologia), MEC (Ministério da Educação) e MTE (Ministério e Fundo Aeroviário. do Trabalho e Emprego), como no Sistema S¹; faltam ações

Sugestões para o desenvolvimento do setor – 2013

42,6

Capacitação

28,7

Investimento

6,4

Criar polo Regulamentação

5,3

Organização

5,3 2,1

Divulgação Combate a pirataria

1,1

Desburocratização

1,1

Fonte: Pesquisa TI Foram consideradas 195 empresas respondentes Respostas múltiplas

40

As exportações dos produtos capixabas tiveram queda de 3% quando comparadas ao ano de 2011. As empresas, em 2013, deixaram de investir no planejamento estratégico. Em 2011, 61,7% da amostra utilizaram esse recurso, contra 47% no ano passado. Já a gestão da qualidade, esta não possui um grau significativo de adeptos, visto que 75,4%, totalizando 147 empresas, não a implementam. Quanto aos investimentos previstos para os próximos dois anos, o direcionamento das organizaçõess foi para as compras de máquinas e equipamentos (44,7%), contratação de pessoal (30,3%), treinamento de pessoal (28,9%) e compras de máquinas e ampliação da sede (21,1%).

TI ES // FEV/MAR 2014

TI-ES 2_EspecialPesquisa.indd 40

24/03/2014 14:56:32


// ARTIGO

Janela de oportunidade É

Vinícius C. Barbosa Superintendente da TecVitória

entendimento pacificado que a indústria de software e serviços de TI é intensiva em conhecimento e que seus investimentos em pessoal representam um relevante montante na composição de custos. Peter Drucker já afirmava 30 anos atrás que o maior ativo de uma empresa é o seu pessoal. No caso das empresas de TIC, essa afirmativa é potencializada. As tecnologias utilizadas continuarão variando ao sabor dos mais recentes lançamentos das gigantes mundiais; já o conhecimento das pessoas envolvidas é ampliado a cada nova experiência e tecnologia vivenciada. O profissional que sobreviveu à ascensão e obsolescência de diversas tecnologias de processamento, armazenamento, programação, comunicação e interfaces homem-máquina e é estimulado a criar tem um potencial elevadíssimo para a inovação. Por outro lado, a larga maioria das empresas capixabas de TIC infelizmente não tem condições para manter esse profissional, talentoso e capacitado, em atividades criativas no detrimento à geração dos resultados do dia a dia, o que mitiga oportunidades. Convivemos desde a quebra do Lehman Brothers em 2008 com um ambiente de negócios muito complexo, envolvendo margens oprimidas e investimentos postergados, além das naturais dificuldades para a contratação e manutenção de pessoas realmente habilitadas a gerar retorno para as empresas. É nesse cenário que se nos apresenta um programa que propõe financiar de maneira não reembolsável o pessoal necessário para o desenvolvimento de produtos inovadores nas empresas, o Tecnova-ES. L a n ç a d o p e l a Fu n d a ç ã o d e A m p a r o à Pesquisa do ES em conjunto com a Finep,

Visando estimular a inovação na indústria de TIC, criou-se o programa de financiamento Tecnova - ES o edital disponibiliza R$ 13,5 milhões para até 40 empresas desenvolverem inovações. Os recursos, que são transferidos por subvenção econômica, representam um importante estímulo à inovação na indústria de TIC, uma vez que financiam prioritariamente pessoal celetista e serviços de terceiros, com valores que vão de R$ 180 mil a R$ 400 mil por empresa, exigindo contrapartida entre 5 % e 10% de acordo com o porte da empresa. Acompanhando o mercado, sabemos de antemão que um conjunto de empresas certamente aproveitará essa oportunidade para acelerar seu crescimento com a criação de novos produtos, modelos de negócio e processos. Esse grupo é representado por um pouco mais que uma dezena de empresas capixabas que já perceberam a importância desse tipo de financiamento e passaram a acompanhar o lançamento de editais, atendendo o que propõem os objetivos aderentes ao seu planejamento e capacidade de desenvolvimento. Já que para o desenvolvimento do Brasil que sonhamos a agregação de valor nos negócios é fundamental, tendemos a contar mais e mais com oportunidades dessas, desde que as empresas reajam aos estímulos. Caso você seja empresário de TIC e não tenha ainda se atentado a essa oportunidade, eu sugiro fortemente que procure informações o quanto antes, porque essa janela específica, exclusiva para empresas do Espírito Santo, fecha dia 14 de março. SINDINFO ES

TI-ES 2_Artigo_Vinicius Chagas.indd 41

41

19/03/2014 14:08:58


// SINDINFOS

Encati discute necessidades dos empresários do setor de TI

Evento realizado todos os anos abordou os desafios e demandas importantes dos empresários capixabas de TI em novembro

M

ais uma vez o Sindinfo discutiu os desafios e os interesses dos empresários do setor no III Encontro Capixaba da Indústria de Tecnologia da Informação (Encati), em novembro de 2013. O evento acontece todos os anos, sempre com demandas importantes voltadas para a gestão de empresas de tecnologia. “Nosso objetivo com o Encati é levantar discussões sobre os interesses dos empresários, não falamos sobre novas tecnologias ou técnicas, os painéis são direcionados para as necessidades

42

de gestão das empresas”, explicou o presidente do Sindinfo, Luciano Raizer Moura. O primeiro painel ,“Apresentação dos Resultados da Pesquisa do setor de TI do Espírito Santo”, abordou os dados do estudo setorial realizado pelo Instituto de Desenvolvimento Educacional e Industrial do Espírito Santo (Ideies), Sebrae-ES e Sindinfo. Como palestrante, foi convocado Antonio Fernando Dória Porto, gerente-executivo do Ideies e um dos responsáveis pela pesquisa, que apresentou os números obtidos pela amostra.

TI ES // FEV/MAR 2014

TI-ES 2_III Encati.indd 42

19/03/2014 15:40:50


Confira os assuntos do III Encati

//Apoio Financeiro para Inovação

//Certificação das Empresas de TI

Franco Machado Coordenador e diretor do Sindinfo.

Luciano Raizer Moura Coordenador e presidente do Sindinfo

Vinicius Chagas Barbosa

Marcelo Schneck de Paula Pessoa Atualmente é presidente do Conselho Curador da Fundação Vanzolini, professor de Engenharia de Produção na Escola Politécnica da USP, trabalhou em empresas como CPqD-Centro de Pesquisas da Telebras, Cosipa e Siderbrás. Engenheiro eletrônico Escola Politécnica da USP, tem mestrado e doutorado em Sistemas Eletrônicos, além de livre docência em Fábrica de Software. Realiza pesquisas na área de produção de software e gestão da TI.

Superintendente da TecVitória e do CTGraphics, diretor-executivo do Polo de Software de Vitória e Conselheiro de Administração da Sociedade Softex. Luiz Alberto de Souza Carvalho Diretor de Inovação - Findes, diretorpresidente da Tevix, conselheiro da Findes, presidente do Sindifer gestão 2010 a 2013, conselheiro do Copin - gestão 2012 a 2015. Graduado em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal do Espírito Santo e em Administração de Empresas pela UVV.

Por meio do levantamento, demonstrou-se que em 75% das empresas do Espírito Santo não têm sede própria, e os gestores discutiram a necessidade de um espaço específico para a instalação dessas firmas, entre outros assuntos. “Há 23 anos discutimos a necessidade de um parque tecnológico para a instalação das empresas de TI, e essa pesquisa confirmou essa necessidade. Aproveitamos esse momento para discutir o assunto e definirmos diretrizes para conseguir construir esse espaço”, acrescentou Raizer. No segundo painel, o tema foi “Apoio Financeiro para Inovação”, onde foram ressaltadas as dificuldades dos empresários do setor em conseguir financiamento para desenvolver tecnologias. “Atualmente o setor de TI só consegue financiamentos para aquisição de hardwares e suprimentos. Essa não é a nossa demanda. Para desenvolvermos um software, levamos de dois a três anos e precisamos de financiamento para manter mão de obra durante esse período, porque só recebemos algo pelo programa depois de pronto. Esse é um grande desafio que temos”, destacou Raizer. O terceiro painel foi, de certa forma, uma comemoração do Sindinfo, com a entrega dos certificados ISO 29110 a nove

// Apresentação dos resultados da pesquisa do setor de TI do Espírito Santo Antonio Fernando Doria Porto Gerente-executivo do Instituto de Desenvolvimento Educacional e Industrial do Espírito Santo (Ideies), engenheiro metalúrgico, mestre em Engenharia da Produção e Economia de Empresas.

empresas do setor, as primeiras do Brasil. A certificação foi realizada pelo Sebrae-ES e pelo Inmetro. Professor de Engenharia de Produção na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), Marcelo Schneck de Paula Pessoa, palestrante, detalhou todo o processo de certificação e a necessidade de as empresas se certificarem. “O professor se surpreendeu com o nível de organização das empresas capixabas. Provamos que tem muita gente competente no Estado”, afirmou. O evento foi fechado com uma palestra do presidente Federação Nacional das Empresas de Informática (Fenainfo), Márcio Ellery Girão Barroso, com o tema “Análise do Setor de TI no País e as Ações das Entidades Empresariais e do Governo Federal”. Participaram 80 pessoas de 37 empresas, número cada vez maior, segundo Luciano Raizer, já que o primeiro Encati, em novembro de 2011, contou com 20 pessoas, e o segundo Encati, em 2012, teve a presença de 40 pessoas. “Queremos contar cada vez mais com nossos empresários, que eles percebam cada vez mais que não são apenas analistas de sistemas, mas proprietários de empresas e precisam ter mais conhecimento de gestão”, finalizou. SINDINFO ES

TI-ES 2_III Encati.indd 43

43

25/03/2014 16:59:57


// INFONEWS

Fapes lança edital para financiar projetos de inovação Micro e pequenos empresários do Estado poderão colocar em prática boas ideias com alto risco de dar errado

Q

uem tem uma boa ideia na área da inovação, mas falta verba para arriscar e investir no projeto, tem agora a oportunidade de conseguir financiamento não reembolsável, ou seja, não é um empréstimo cujo valor precisa ser devolvido em algum momento. A Fundação de Amparo à Pesquisa do Espírito Santo (Fapes), em parceria com o Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, vai investir R$ 13 milhões para projetos desenvolvidos por microempresas e negócios de pequeno porte sediados no Espírito Santo. O incentivo é voltado para o desenvolvimento de produtos (bens ou serviços) e/ ou processos inovadores, novos ou aprimorados, destinados ao mercado local, nacional ou internacional. Para estimular as empresas a inscreverem projetos e auxiliar para que estes sejam elaborados de forma a aumentar as chances de obter sucesso, o Sindicato das Empresas de Informática do Estado do Espírito Santo (Sindinfo) está disponibilizando consultoria aos seus associados por meio de uma parceria com a Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes). “O edital é muito complexo, tem muitas exigências e é preciso atender a uma série de solicitações que serão

44

analisadas por pessoas que não conhecem as empresas. Então, com o apoio da Findes, nós disponibilizamos um curso para a elaboração de projetos e uma equipe de consultores do programa Inova Findes”, explicou o presidente do Sindinfo, Luciano Raizer. Os interessados precisam entrar em contato com a diretora-executiva do Sindinfo, Ilma Aurora, que vai fazer todos os encaminhamentos necessários para que o associado tenha o apoio para elaborar seus projetos de modo que aumentem as chances de serem selecionados. Ela fica no terceiro andar do prédio da Findes, que atende na avenida Nossa Senhora da Penha (Reta da Penha), 2053, em Santa Lúcia, Vitória. O sindicato localiza-se no Centro de Apoio aos Sindicatos, e os associados podem ir até lá das 8h30 às 17h30. O telefone é 3334-5691. “Além de apoiar a sensibilização, para a pequena indústria que tenha uma ideia inovadora, o programa InovaFindes disponibiliza um técnico que faz uma primeira triagem da proposta e identifica a viabilidade de transformá-la em projeto para submissão” , disse o gerente da Divisão de Inovação do Sistema Findes, Iomar Cunha Dos Santos. O prazo limite para entrega do projeto, segundo o edital, é dia 25 de março. Raizer orienta aos

TI ES // FEV/MAR 2014

TI-ES 2_Tecnova.indd 44

24/03/2014 18:12:28


Cronograma

associados que procurem o sindicato no máximo até a semana anterior, para que haja tempo de receber as orientações e elaborar o projeto em tempo hábil. A origem da verba é R$ 9 milhões do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT/Finep), e os outros R$ 4,5 milhões são do Governo do Estado do Espírito Santo, por meio da Fapes. O edital pode ser acessado no site www.fapes.es.gov.br. O apoio é de concessão de recursos de subvenção econômica, ou seja, não são reembolsáveis. Serão apoiados projetos de inovação no valor mínimo de R$ 180 mil e máximo de R$ 400 mil, com prazo de execução de 24 meses. As áreas contempladas são, nesta ordem de prioridade: tecnologia da informação e comunicação (TIC), energias alternativas, petróleo e gás, agroindústria, metal-mecânico, logística, biotecnologia e meio ambiente.

Prazo máximo de submissão das propostas

17h de 25/03/2014

Divulgação do resultado da habilitação das propostas

até 07/04/2014

Divulgação do resultado da habilitação

a partir de 25/04/2014

Divulgação do resultado da seleção das propostas

a partir de 06/05/2014

Divulgação do resultado da seleção Contratação das propostas

22/05/2014 a partir de junho de 2014

Submissão das propostas: Os documentos previstos no edital deverão ser impressos em uma via, sem encadernação, e protocolados na Fapes, no endereço: Av. Fernando Ferrari, 1080, Ed.América Centro Empresarial, Torre Norte, sala 702, Mata da Praia, Vitória, ES, CEP 29 066-380. Uma alternativa é encaminhar via Sedex, respeitando os prazos, pois será considerada a data de postagem. A proposta deverá ser apresentada em envelope lacrado, contendo a seguinte etiqueta:

Incentivo De acordo com o diretor-presidente da Fapes, Anilton Salles Garcia, o objetivo do Programa de Subvenção Econômica é aumentar a competitividade de empresas capixabas perante o mercado nacional e até internacional.

Edital FAPES / FINEP 0xx/2013 - TECNOVA-ES Razão Social da Empresa proponente: Av. Fernando Ferrari, 1080, Ed. América Centro Empresarial, Torre Norte, sala 702, Mata da Praia, Vitória, ES, CEP 29.066-380.

//Dicas • Tempo: o edital prevê prazo de 24 meses, portanto não adianta elaborar um projeto com tempo de execução maior ou menor. • Risco: a proposta é financiar projetos de inovação de alto risco. Portanto, é preciso deixar clara essa característica, caso contrário, o projeto é eliminado. • Contrapartida: uma forma de garantir que as empresas que tiveram projetos selecionados realmente sejam comprometidas é exigir a contrapartida financeira. Isso significa que 5% (microempresa) a 10% (pequena empresa) do valor do projeto deverá ser financiado pelo empresário. • Metas: é preciso apresentar metas plausíveis e justificar tudo o que for pedido no projeto. As empresas selecionadas receberão visitas como forma de garantir que o combinado está sendo cumprido corretamente. • Limites: Somente será avaliada uma proposta por empresa. No caso da mesma empresa submeter mais de um projeto, será considerado apenas o último. Caso sejam enviadas propostas idênticas de empresas distintas, ambas serão desclassificadas.

“As microempresas e empresas de pequeno porte normalmente têm baixíssima capacidade para investimentos. Quando surge algum processo de inovação envolvendo risco tecnológico muito alto, com grande chance de dar errado, muitas vezes o empreendedor, deixa de fazer, porque se der errado, ele quebra. A ideia da subvenção econômica é ajudar esse empreendedor com o Estado assumindo o risco”, explicou Anilton. Ele afirmou que a política não é uma exclusividade do Espírito Santo e sim uma prática realizada em vários países, uma vez que os riscos compensam os benefícios nos casos que alcançam o sucesso. “Está estatisticamente comprovado que nas inovações de alto risco tecnológico, o nível de sucesso é em torno de 30 a 40%, mas os que dão certo geram receita ao poder público muito superior ao que foi investido, por meio de impostos. Na realidade, o poder público está subsidiando a inovação, mas vai ter retorno no valor que investiu, em impostos. Todo mundo ganha”, completou. SINDINFO ES

TI-ES 2_Tecnova.indd 45

45

24/03/2014 18:12:31


// Lançamentos

Boa resolução debaixo d’água

Foto: CW Consult

Opção econômica de câmera fotográfica e resistente a choques, a novidade da Newlink é a máquina Summer. O produto pode ser usado à vontade em praias e piscinas, uma vez que é à prova d’água e pode ser manuseado mesmo se o usuário estiver, por exemplo, com as mãos sujas de areia ou protetor solar. A máquina faz fotos com resoluções de 16, 10, 5 e 3 megapixels. Essas resoluções se mantêm inclusive se as imagens forem captadas dentro da piscina ou do mar. O visor de LCD traseiro é de três polegadas e o frontal, de 1,8 polegada - o que permite os autorretratos, os “selfies”, que atualmente estão na moda nas redes sociais. O preço sugerido é de R$ 350.

Foto: Claro

Serão lançados, ainda neste semestre no Brasil, pela Kingston pendrives preparados para armazenar informações bastante sigilosas. Trata-se da linha DataTraveler Locker+ G3 (DTLPG3) USB 3.0, que chegará ao mercado com capacidade de 8, 16, 32 e 64GB. Os preços ainda não foram divulgados pela fabricante. Por conta do sistema de criptografia e de login do usuário, o gadget está preparado para guardar fotos, documentos pessoais e outros arquivos em segurança. Caso o pendrive caia em mãos erradas, ele é bloqueado e reformatado após 10 tentativas de acesso inválidas.

Nova linha de produtos para TVs A One For All lançou produtos que se adaptam a qualquer televisor, sendo universais. Uma de suas novidades é o Full Bass Headphone, que possui cabo reforçado, sons graves potentes e profundos. Tem o preço médio de R$ 80,00. Outro novo gadget é o seu controle remoto universal, capaz de enviar comandos para TV, satélite, cabo, conversor digital, DVD e home theater. Ele possui uma função, denominada de Combi Control, que controla, de uma só vez, a televisão e o conversor. Além disso, por conta de sua memória, também copia funções do controle original do aparelho. Custa R$ 55.

Press

As novas Smart TVs Samsung já dispõem do aplicativo Clarovideo, um serviço da operadora Claro, para acessá-lo. Esse sistema é semelhante ao realizado pelo Netflix, com transmissão via internet de programas de TV, além funcionar como locadora on-line de produções, com vídeos on demand, em qualidade HD, e sem intervalos comerciais. Para ter acesso à programação, o aparelho deve estar conectado à internet, pelo Wi-Fi ou cabo de rede, e o cliente necessita inserir seu login na aplicação Clarovideo. Todos os clientes Claro têm um mês grátis para conhecer e aproveitar a programação do serviço. Além dos novos modelos de Smart O conteúdo do Clarovideo também pode ser acessado em smartphones, tablets e PCs, com valor mensal de R$ 13,90, além de opções de contratação de filmes recém-lançados por R$ 6,90, cada. Entre as novidades na programação, estão os filmes “Meu Malvado Favorito 2” e “Universidade Monstros” e a renomada série “Breaking Bad”.

Pendrive seguro

Fotos : NB

Serviço on-line da Claro em aparelhos da Samsung

Fot o: Ro sa Arr ais

46 TI ES // FEV/MAR 2014

TI-ES 2_Lançamentos.indd 46

25/03/2014 17:06:48


ung Sams Foto:

Super-relógio inteligente

Foto: Sony

Chegou ao Brasil o super-relógio inteligente da Samsung, o Galaxy Gear. O aparelho funciona em conjunto com smartphones e tablets da linha Galaxy a partir da integração por meio de conexão Bluetooth 4.0. Ele tem tela sensível ao toque de 1,6 polegada. A partir dela, o usuário pode checar e-mails, fazer ligações telefônicas - o alto-falante embutido torna possível falar enquanto o usuário executa outras funções do dia a dia -, bem como anotações rápidas. Outro destaque do Galaxy Gear é a presença da câmera, que tem 1,9 megapixel e fica localizada na pulseira do relógio. Fecham as especificações do relógio os 4GB de armazenamento interno, o processador de 800 MHz, os 512 MB de memória RAM e a bateria de 315 mAh. Disponível a R$ 1.300, o relógio consegue ser pareado com os seguintes aparelhos: Galaxy Note 3, Galaxy Note 10.1, Galaxy S4, Galaxy S4 Active, Galaxy S3, Galaxy S4 Mini Duos, Galaxy S4 Mini 4G, Galaxy Mega 5.8 Duos, Galaxy Mega 6.3, Galaxy Note II e Galaxy S4 Zoom.

Tablet para desenho A Wacom lançou no país o seu novo tablet, o Intuos Pro. Trata-se de uma ferramenta com caneta e interface digital que facilita desde o desenho para arquitetura a complexas redes. O Intuos Pro oferece a capacidade necessária para produzir resultados profissionais trabalhando com aplicativos sensíveis à pressão. A caneta Intuos Pro Grip oferece 2.048 níveis de sensibilidade à pressão e reconhecimento de inclinação. Os gestos multitoque mais avançados permitem posicionar o trabalho e navegar de uma maneira mais intuitiva. Além disso, novas funções presentes auxiliam o usuário a reduzir sua dependência do teclado do PC ao configurar atalhos e modificadores diretamente do tablet. O Intuos Pro está disponível em três modelos: pequeno (R$ 1.150), médio (R$ 1.700) e grande (R$ 2.300). eting S Mark Foto: IM

Fotos e vídeos nas nuvens Usuários do país de smartphones Xperia, televisores, notebooks e tablets da Sony têm à disposição um novo serviço gratuito da fabricante japonesa. Trata-se do PlayMemories Online, uma plataforma que permite salvar fotografias e vídeos nas nuvens. E, para facilitar, não há limite para a quantidade de arquivos a serem armazenados no local. O PlayMemories Online previne a perda dos arquivos, já que os salva em nuvem, podendo ser recuperados a qualquer momento. Com o recurso All Sync, todas as fotos armazenadas em smartphone ou notebook são automaticamente enviadas para a rede em tamanho padrão (1.920 pixels, ou 2MP), além de comportar vídeos de até 5GB. Sem limites e custos, fotos idênticas existentes em dispositivos diferentes não são duplicadas e, com uma única configuração, todos os dispositivos são sincronizados. SINDINFO ES 47

TI-ES 2_Lançamentos.indd 47

19/03/2014 15:58:27


// CASE

Mogai

Reinvenção para o sucesso

A

um ano de completar a sua maioridade, a Mogai, com fo co em pro dutos de alta tecnologia para diversos setores, principalmente indústria pesada e logística em quaisquer modais, reinventou-se para se consolidar no mercado brasileiro como fornecedora de produtos inovadores de Tecnologia da Informação (TI) e automação. Liderada por Franco Machado, que tem como sócio, atualmente, Érico Montebeller, a empresa foi fundada dentro da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), por alunos do curso de Ciência da Computação. Os estudantes perceberam um nicho para oferecer serviços a grandes plantas industriais, mas com o diferencial de prezar mais pelo processo de qualidade. “A concorrência não tinha o conhecimento metodológico para gestão e criação de software. Nem o que víamos na faculdade. E muito deles nem tinham formação. Fomos a primeira empresa de TI a receber o certificado do Programa Integrado de Desenvolvimento e Qualificação de Fornecedores (Prodfor) - que confere aos fornecedores um atestado de grande qualidade. Antes, só havia empresas de metalmecânica, obras... Fomos pioneiros. Quem não tiver essa qualificação hoje em dia não avança”, destacou Machado. A Mogai iniciou os trabalhos com a realização de softwares sob medida - por demanda - para seus clientes, como Vale, EDP Escelsa, Garoto, ArcelorMittal, entre outras. Um dos produtos que alavancou o nome do empreendimento foi o Maquete Logística, uma complexa estrutura que gerencia a logística de uma indústria em tempo real. A criação 48

foi tão bem recebida, que acabou sendo instalada em plantas da Bahia, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, além do Estado. Ainda é um dos cartões de visita do estabelecimento. Embora siga na produção de programas sob demanda, o empreendimento, que tem cerca de 20 funcionários, muitos deles com pós-graduações de mestrado e doutorado, passou a ter o objetivo de comercializar tecnologias cada vez mais inovadoras para os setores de TI e automação. Provas dessa reinvenção da Mogai, que começou há dois anos, são produtos que auxiliam em medições e até mesmo em adernamento de navios. A partir do carro desenvolvido junto com a Ufes, que é capaz de andar sozinho, a equipe de Machado desenvolveu um sistema alicerçado em fotografia estéreo que consegue medir com precisão volumes de pilha. A inovação chamou a atenção empresas de todo o país, de siderúrgicas a mineradoras instaladas no Amazonas, dentro de terras indígenas. “É algo que não vimos concorrente. Temos contato de cerca de 200 empresas interessadas no produto”, destacou. Ainda no segmento de medição, há um produto que mensura a quantidade de placas de aço e auxilia no sequenciamento de produção da então commodity. Com isso, a novidade se tornou alvo de cobiça de empresários europeus do ramo da siderurgia. Após dois anos de reinvenção da empresa, Machado se entusiasma com o panorama para 2014. “Vamos trabalhar muito forte o fato de estarmos reinventando o desenvolvimento de produtos inovadores na área de TI e automação. É o ano da virada!”, resumiu, bastante contente.

TI ES // FEV/MAR 2014

TI-ES 2_Case_MOGAI.indd 48

24/03/2014 15:03:47


// ASSOCIADOS

Associada

Produtos / Serviços

Contato

Aequus Consultoria S/S Ltda

Consultoria em gestão empresarial

27 3235.7546

AEVO TI

Gestão de processos, business intelligence, portais, gestão de portfólio de projetos, GED e colaboração

27 3337.0137

Allaware Software Ltda

Software integrado de gestão empresarial

27 2123.0020

AOB Software Informática Ltda - ME

Software comercial NF-e, PAF-ECF, serviços customizados

27 3063.1055

AS Auditoria Sistemas e Representações Ltda

Sua empresa sob controle

27 3298.3366

AT3 TECNOLOGIA LTDA

Suporte técnico, manutenção e outros serviços em Tecnologia da Informação

27 3258.4661

Athenas 3000 Informática Ltda

Desenvolvimento e comercialização de software ERP

27 2104.6525

Atual Sistemas

Desenvolvedora de software e prestação de serviços

27 3727.8800

BL Tecnologia em Informática Ltda - ME

Desenvolvimento web e soluções corporativas em software

27 3343.0650

Bitável Tecnologia em Informática Ltda - ME

Soluções para planejamento e controle de projetos

27 3315.6492

Brasit Tecnologia em Informação LTDA

Sistemas de recuperação de crédito e Call Center

27 3041.7260

Coldata Informática Ltda

Venda e prestação de serviços em TI e ECF Daruma

27 3200.7922

Conesoft

Sistemas de automação comercial

27 3752.1271

CSI - Centro de Soluções em Informática

Soluções em Tecnologia da Informação

27 3204.5111

Databelli Automação Comercial Ltda

Sistema de automação comercial

27 3325.0586

Databelli Desenvolvimento de Sistemas Ltda - ME

Desenvolvimento e licenciamento de programas de computador e treinamento em desenvolvimento profissional e gerencial

27 3325.0586

DBM Sistemas Ltda

Tecnologia inteligente na gestão de empresas

27 2127.4900

Ebalmaq Comércio de Informática Ltda

Controle de acesso de relógio de ponto, catracas, venda e assistência técnica

27 3200.3937

E-brand Estratégias On Line Ltda

Marketing e comunicação com inovação

27 2104.0822

EBR Informática Ltda - ME

Rede metropolitana, interconexão , Data Center, Backup as a Service

27 2122.2122

EBR Internet Ltda

Serviço de internet e telefonia

27 2122.2122

SINDINFO ES

TI-ES 2_Coluna Associados.indd 49

49

24/03/2014 15:14:46


// ASSOCIADOS

Associada

Produtos / Serviços

Contato

EBR Telecomunicação Ltda - ME

Serviço de internet e telefonia

27 2122.2122

EcoSoft Consultoria e Softwares Ambientais Ltda

Desenvolvimento e fornecimento de soluções ambientais

27 3325.8516

E&L Produções de Software Ltda

Softwares integrados de modernização da gestão pública

27 3268.3123

Etaure Desenvolvimento de Sistemas Ltda - ME

Softwares sob medida para empresas

27 3062.2875

Exodus Tecnologia

Software de gestão financeira, fiscal e gerencial

27 3204.8404

Formalis Informática Ltda

Soluções inovadoras em Tecnologia da Informação

27 3062.8087

FRJ Informática Ltda (Qualidata)

Qualidata - Soluções em informática

27 3434.4400

Desenvolvimento de soluções em tecnologia para as áreas da mobilidade urbana, segurança pública e defesa nacional

27 3041.3333

Governança Brasil S/A Tecnologia e Gestão em Serviços

Desenvolvimento e licenciamento de programas de computador

27 3038.1900

GS Informática Comércio e Serviços Ltda

Soluções em Telecomunicações, Gestão de Contas Telefônicas, Locação e Venda de Equipamentos de telefonia e Rede e outros serviços em T.I.

27 3334.0300

Inflor Consultoria e Sistemas Ltda

Desenvolvimento de tecnologias para o agronegócio, geoprocessamento (GIS), implantação dos módulos SAP

27 2122-0888

INNET Soluções Ltda

Soluções para RH, financeiro, fiscal e produção de roupas

27 3371.7485

Integro Consultores Associados

Soluções de social bussines, cloud computing e desenvolvimento de sistemas em plataformas Microsoft e IBM

27 3325.4040

ISH Tecnologia

Segurança da informação e infraestrutura de TI

27 3334.8934

Infosis Consultoria em Sistemas Ltda

Desenvolvimento e implantação de sistemas corporativos e soluções integradas

27 3211.1445

Infotec Sistemas

Sistema de automação comercial

28 3515.2300

Jeveaux Soluções e Ensino Ltda

Adena - Plataforma de e-commerce profissional, um produto Giran

27 3026.0264

Jnnet Telecomunicações Ltda

Acesso à internet

27 3258.4661

José Luiz Coco

Desenvolvimento de web personalizado

27 3033.6302

Geocontrol Ltda

50

TI ES // FEV/MAR 2014

TI-ES 2_Coluna Associados.indd 50

24/03/2014 15:14:56


Associada

Produtos / Serviços

Contato

Linux Informática Ltda

Desenvolvimento e licenciamento de programas de computador

27 3205.4800

Mantis Tecnologia Ltda

Tecnologia Wi-Fi

27 3019.1166

Megawork Consultoria e Sistemas Ltda

Desenvolvimento e licenciamento de programas de computador e consultoria em Tecnologia da Informação

27 3315.2370

MD Sistemas de Computadores Ltda

Soluções de gestão empresarial (ERP)

27 2122.6300

Mindworks Informática Ltda

Infraestrutura e segurança em Tecnologia da Informação

27 3015.1812

Mogai Tecnologia da Informação Ltda

Software inteligente em logística e produção industrial

27 3337.1818

MR Consultoria e Sistemas Ltda

ERP - Dolphins - Soluções em sistema de informação para a gestão de processos empresariais

28 3526.7160

Multiconecta

Service Desk - Soluções e consultoria comercial para aquisição de infraestrutura

27 3205.3740

Nexa Tecnologia & Outsourcing Ltda

Soluções corporativas de TI e contact center

27 2104.8000

Pentago Consult Brasil Tecnologia e Negócios Ltda - EPP

Modelagem, desenho e automação de processos (BPMS), fábrica, NET/Java, BI e Serviços de gerenciamento de Aplicações baseado em disponibilidade (ITIL Based)

27 3325.6828

Polaris Informática Ltda

Pesquisa de opinião e clima, desenvolvimento de sistemas e portais

27 3227.2375

Prime - Centro de Formação Profissional Ltda

Treinamento em desenvolvimento profissional e gerencial

27 3066.9300

Projeta Sistemas de Informação Ltda

Software premiado - Gestão de locadoras de automóveis

27 3026.5959

Raizer Moura Tecnologia

Sistema de gestão da qualidade e sistema para gerenciamento operacional, administrativo e financeiro

27 3324.9005

RGB Sistemas Ltda - ME

Consultoria e desenvolvimento de sistemas

28 3546.1970

Seek

Desenvolvedora de software, gestão financeira, fiscal e gerencial

27 2101.1300

Sisnet Soluções em Tecnologia Ltda - ME

Sistemas de gestão financeira para pequenas empresas

27 2123.7718

SLE Consultoria e Desenvol. de Sistemas Ltda

BPO, BI e fabricação de software

27 3357.3450

SINDINFO ES

TI-ES 2_Coluna Associados.indd 51

51

24/03/2014 15:15:02


// ASSOCIADOS

Associada

Produtos / Serviços

Contato

Sol Representações Comerciais Ltda

Representante comercial

27 3329.0085

Sophia Informática Ltda

Consultoria e desenvolvimento de sistemas contábeis e administrativos

27 3246.5099

Spassu Tecnologia e Serviços Ltda

Suporte técnico, manutenção e outros serviços em Tecnologia da Informação

27 2123.4900

SPG Negócios de Informática e Telecomunicações Ltda

Consultoria/Fábrica software para múltiplas plataformas

27 2123.1987

Spirit Soluções em Informática Ltda

Virtualização, backup, clusters, MySQL e BGP

27 4062.9421

Tecnofoco Comércio e Serviços Ltda - ME

Redes com e sem fio, Segurança e monitoramento - BYOD

27 3224.6627

TecsystemTecnologia em Software Ltda - EPP

Desenvolvedora de software

28 3542.1429

Tectrilha Informática Ltda - ME

Desenvolvimento e licenciamento de programas de computador e Treinamento em informática

27 3345.0205

Telemaster

Desenvolvimento e licenciamento de programas de computador e reparação e manutenção de equipamentos de comunicação

27 3134-9292

Tempro Software Ltda

Softwares para saúde suplementar e indústria de rochas

27 3149.7000

Trevit Sistemas Ltda

Desenvolvedora de software

27 3185.5990

Totale Tecnologia da Informação Ltda

Softwares de gestão específicos para o setor de rochas

27 3026.8848

TOTVS ES

Venda, treinamento e implantação de software de gestão

27 3038.6305

Único - Agência Digital

Sites, sistemas web e marketing digital monitoramento de redes sociais, Google Adwords e e-mail marketing

27 3074.7233

VGA Serviços Ltda

Telecomunicações, Rede - Estrutura

27 3222.0828

VHT Sistemas & Tecnologia Ltda

Soluções em desenvolvimento de sistemas, infraestrutura de redes e telecomunicações, SEO, websites

27 98149.7838

Viprede Telecomunicações Ltda

Soluções em Rede Wan, internet, e serviços de Data Center, com atuação em todo o ES.

27 4009.4800

Vipphone Com. De Equi. de Telecom. Ltda - EPP

Especializada em Call Center, IPBX, gravação

27 4062 9565

Vixteam Consultoria & Sistemas S/A

Soluções em TI sob medida e fábrica de software certificada MPS.Br

27 3331.3100

XPD Soluções Web Ltda - ME

Aplicações web, aplicativos mobile, e-commerce, websites, infraestrutura na nuvem e Amazon web services

27 3026-3069

-

52

TI ES // FEV/MAR 2014

TI-ES 2_Coluna Associados.indd 52

24/03/2014 15:15:14


TI-ES 2 Capas.indd 3

24/03/2014 18:11:16


TI-ES 2 Capas.indd 4

24/03/2014 18:11:34


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.