Page 1

5ª Edição – Abril 2017

2-3

HISTÓRICO

4-12

NOTÍCIAS

13-15

SOLIDARIEDADE

16-17 OPINIÃO 18

CULTURA

19

RECEITA

Editora: Diana Bernardo Design: Anne-Claire Pickard newsletteracademiabacalhau@gmail.com


Histórico Academia do Bacalhau de Valência, Venezuela

A 2 de junho de 2003, na cidade de Valência, no estado venezuelano de Carabobo, realizou-se a primeira tertúlia da Academia do Bacalhau daquela localidade, realizada no Restaurante Club Campestre Manongo. A iniciativa de organização desta tertúlia foi dos compadres José António Pereira da Maia, Pedro Matias, João Paulo da Veracruz, João Pedro, David Malta e Mário

Academia do Bacalhau de Valência, Venezuela

Simões Papel. O primeiro evento da Academia do Bacalhau de Valência contou com a presença do presidente da tertúlia de Maracay, cidade que fica a cerca de 50kms de distância. Vários compadres de Maracay deslocaram-se também a Valência para este primeiro jantar. No total, o evento contou com a presença de 115 pessoas. Muitos dos agora compadres contribuíram para a realização deste primeiro jantar, oferecendo produtos alimentares – naturalmente, não faltou o bacalhau.

“O evento de oficialização só viria a acontecer a 2 de outubro de 2005, no Grande Salão Carabobo do Hotel Intercontinental de Tacarigua, em Valência” Após os primeiros tempos de existência, a Academia do Bacalhau de Valência prosseguiu para o processo de oficialização. Esta foi uma iniciativa do compadre Brás de Jesus dos Santos, que, no Congres-

2

so de 2004, no Estoril, apresentou a Academia de Valência e conseguiu a sua aprovação apenas com um ano de existência. O evento de oficialização só viria a acontecer a 2 de outubro de


Histórico

Academia do Bacalhau da Costa do Estoril

Caros compadres e comadres,

2005, no Grande Salão Carabobo do Hotel Intercontinental de Tacarigua, em Valência, perante cerca de 200 convidados, entre os quais se contavam compadres e comadres de Academias venezuelanas mas também de outros países. Diversas personalidades marcaram presença na oficialização, nomeadamente o então presidente da Academia-Mãe, o Cônsul Geral de Portugal naquela região, Rui Monteiro, o Alcaide da cidade de Valência, Francisco Cabrera Santos, e o presidente honorário das Academias do Bacalhau, Durval Marques.

Lembramos que é URGENTE encontrar financiamento para o projeto da newsletter das Academias do Bacalhau. O primeiro passo será cumprir com os pagamentos de cada tertúlia à Academia-Mãe. No congresso de Estremoz foi debatido o assunto, com muitos compadres a argumentar que não cumprem com os pagamentos porque não vêm aplicação práticas dessas verbas. Pois aqui está um projeto a precisar urgentemente desses mesmos pagamentos, correndo-se o risco de ter que se por fim ao mesmo se não se encontrar forma de financiamento. O segundo passo será tentar encontrar empresas que estejam interessadas em fazer publicidade nesta publicação. Se souberem de potenciais interessados, agradecia que fizessem uma primeira abordagem com eles e me enviassem os contatos para que eu possa dar seguimento (newsletteracademiabacalhau@gmail.com).

Na oficialização, Giorgio Pagan, presidente da Academia-Mãe, entregou a bandeira e o badalo ao presidente da Academia de Valência, Brás de Jesus dos Santos. Com a oficialização, esta passou a ser 45ª Academia do Bacalhau no mundo. Após o ato oficial de oficialização, a festa prosseguiu com a atuação de grupos musicais, nomeadamente o Grupo Musical Aries, o Rancho Folclórico Saudades da Casa Portuguesa Venezuelana, o Grupo Carayaca de Empresas Polar e um trio de violinistas.

Um Gavião de Penacho, Diana Bernardo

3


NOTÍCIAS

Namíbia

Faleceu o compadre João Vieira

Faleceu recentemente João Vieira, compadre da Academia do Bacalhau da Namíbia. João Vieira era um veterano das Academias do Bacalhau, tendo estado presente em diversos congressos e na abertura de diferentes Academias. A Academia do Bacalhau da Namíbia deixa os mais sentidos pêsames à família de João Vieira e deseja “paz à alma” do compadre. Devido ao falecimento do compadre, a Academia do Bacalhau da Namíbia decidiu adiar o almoço que tinha programado para o dia 8 de abril. A data do próximo encontro ainda não está definida mas deverá ser no fim do mês de maio. Neste próximo almoço realizar-se-ão eleições para os corpos sociais desta Academia e serão abordados outros temas de interesse para esta tertúlia.

“A Academia do Bacalhau da Namíbia deixa os mais sentidos pêsames à família de João Vieira” 4


NOTÍCIAS

Pretória, África do Sul

Academia ultrapassou em abril o sucesso do convívio anterior

Texto: Michael Gillbee / Fotos: Carlos da Silva

Por Jornal O Século

Ultrapassou a centena de presenças, o convívio mensal organizado pela Academia do Bacalhau de Pretória, realizado na tarde de terça-feira, 11 de abril, no restaurante da ACPP, entre os quais a presidente do conselho de administração do Grupo Século, comendadora Paula Caetano, o diretor do jornal “O Século de Joanesburgo”, Varela Afonso, os comendadores Gilberto Martins, Joe Quintal e José Nascimento, os presidentes da Casa Social da Madeira, Samuel da Silva; a dos “Lusíadas”, Paula de Castro, e o da Casa do Benfica, Lino Faria. A abrir o convívio usou da palavra o presidente desta Academia do Bacalhau, comendador Mário Ferreira, para a todos saudar e agradecer a presença de cada um ali naquela tarde, deixando ao critério de quem o desejasse, a oferta de qualquer donativo no convívio, em que segundo as regras das Academias do Bacalhau, não se

“O comendador Gilberto Martins mostrou-se surpreendido pelo número de pessoas que ali conviviam”

deve falar de política, religião ou desporto. Para o cargo de carrasco do evento foi nomeado o compadre Américo Pimental. Ao dar a palavra a quem ali desejasse intervir, usou em primeiro lugar de curto improviso o indus-

5

trial José Gonçalves, que participou com um donativo destinado a ajudar a cobrir as despesas do evento, juntando-se ao contributo dos patrocinadores da refeição, Chris Metelerkamp e Theuns Van Schalkurk.


NOTÍCIAS

Pretória, África do Sul

De seguida foi dada a palavra ao comendador Gilberto Martins, que se mostrou surpreendido pelo número de pessoas que ali conviviam, sem a aderência das quais não seriam possíveis as obras que se verificam numa coletividade que, como acentuou, conhece desde muito jovem Antes do leilão ali feito por Mário Ferreira do whisky oferecido com essa finalidade, foram entregues os diplomas aos novos membros desta Academia ali presentes, Chris Kyritsis, Albertino Marques, Paulo Ferreira, Cláudio Araújo, José Cortizo (Pepe), e Aníbal de Freitas. Ao dar por encerrado o convívio com o respetivo Gavião de Penacho. Mário Ferreira ofereceu três garrafas de whisky colocadas pelas mesas, à disposição dos compadres e amigos que ali conviviam.

6


NOTÍCIAS

Paris, França

ABP esgota Le Lisbonne

Foi um Le Lisbonne com lotação completa que acolheu o jantar de abril da Academia do Bacalhau de Paris na sexta-feira, dia 7. Cem convivas – compadres, comadres e convidados – uniram-se em torno de uma mesa que proporcionou uma viagem gastronómica por refinados paladares portugueses, com pastéis de bacalhau, salada de polvo, bacalhau grelhado, carne de porco à alentejana e uma degustação de queijos oferecida pelo compadre Luís Filipe Reis. A noite contou com a presença do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, compadre de pleno direto da Academia do Porto. Os compadres Paulo Pisco e António Albuquerque Moniz acompanharam o Secretário de Estado que, tendo chegado ao evento já na reta final, não se livrou de uma multa pela chegada tardia, aplicada pelo “carrasco” Luís Gonçalves, mostrando que no seio das Academias não se fazem distinções entre convivas. A convidada da noite foi Maria Leonor Ribeiro Tavares, atleta na modalidade de salto com vara. Apesar de ter sido inúmeras vezes solicitada pela França para a representar, optou sempre por

“A convidada da noite foi Maria Leonor Ribeiro Tavares, atleta na modalidade de salto com vara”

registo nacional máximo absoluto que pertence agora à companheira de equipa Marta Onofre. A atleta convidou os presentes a experimentarem consigo a modalidade de salto com vara, convite a que Fernando Lopes sugeriu que a ABP Júnior respondesse em massa. Foram

envergar as cores portuguesas. Em 2012 teve a sua primeira participação em Jogos Olímpicos, em Londres. Conseguiu assegurar a qualificação para os Jogos Olímpicos de 2016 no meeting de Franconville, em França, com a marca de 4,50m, igualando o seu recorde pessoal e ficando a um centímetro do

7

ainda abordadas as possibilidades de uma parceria entre a atleta e a ABP e de Maria Leonor se tornar comadre de pleno direito. A presença de Maria Leonor Ribeiro Tavares é o reflexo da vontade da nova direção da ABP, que tomou posse em fevereiro, de levar aos eventos convidados emblemáticos de diferentes áreas que possam fomentar a discussão de diferentes assuntos e enriquecer as tertúlias. O jantar foi ocasião para quatro compadres e comadres se juntarem, oficialmente, à família da Academia do Bacalhau de Paris: Alberto Maia foi apadrinhado por António Fernandes, Francelina Jorge e Odete de Jesus por Clotilde Lopes, e Diamantino Jorge por Mário Jorge. Aquando da criação da ABP, foi feito um quadro para assinalar o nascimento da tertúlia. Nesta noite foi anunciado aos presentes que a obra passará a estar exposta no Consulado Geral de Portugal em Paris, depois do Cônsul


NOTÍCIAS “A noite contou com a presença do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro”

Geral, Compadre António Albuquerque Moniz, ter acedido ao pedido. O presidente da Academia leu uma mensagem aos seus antecessores, que dizia “Luís, David, António e Carlos, como presidente atual da Academia do Bacalhau Paris, peço que todos os presidentes passados da Academia venham comigo entregar em conjunto este símbolo tão importante da nossa Academia. Poderíamos assim brincar com o facto de os cinco presidentes equivalerem, talvez, aos cinco dedos de uma mão. Ainda que cada um de nós seja diferente, também uma mão é composta por cinco dedos todos diferentes, mas todos unidos, o que lhe permite ser mais forte”. Para fechar o jantar, Fernando Lopes lançou uma nova iniciativa: um quadro a atestar que a ABP realizou uma das suas tertúlias no restaurante. Esta iniciativa será replicada nos restaurantes que acolherem os eventos da Academia e serve para mostrar o agrado

Paris, França

das comadres e compadres em terem partilhado um bom momento naquele espaço. A proprietária do Le Lisbonne ficou muito comovida com a distinção. A comissão de eventos propôs uma viagem ao Douro nos dias 8 e 9 de agosto. A aceitação foi muito forte e as inscrições encontram-se disponíveis através do email contact@bacalhau. fr. No jantar foi ainda feita uma tômbola onde os dois primeiros prémios foram um ingresso para esta viagem. Os vencedores foram os compadres Pedro Morgado e Lina Trovão. O próximo jantar da ABP terá lugar no dia 12 de maio, no Salão do Imobiliário de Portugal em Paris, a decorrer no Parque de Exposições da Porta de Versalhes, de 12 a 14 daquele mês. As inscrições para o evento já estão abertas.

8


NOTÍCIAS Perth celebrou sexto aniversário

Por Alberto Ribeiro, Academia de Perth A Academia do Bacalhau de Perth, Austrália, realizou um jantar comemorativo da passagem do sexto aniversá-

Perth, Austrália

rio da sua fundação a 25 de março. O evento realizou-se no salão principal do Clube Português em Fremantle e contou com 109 pessoas entre compadres, comadres e seus amigos, numa festa cheia de alegria, música e fado. O cantor Tony Latino deslocou-se do outro lado do país para abrilhantar a noite da Academia em Perth. Atuou

acompanhado pelo seu amigo Leonardo Teixeira, que também presenteou os convivas com a magnifica interpretação de um fado. Como não podia deixar de ser, a ementa servida contemplou um prato do ‘fiel amigo’ bacalhau, excelentemente confecionado pelas cozinheiras do Clube Português de Fremantle. Saliente-se aqui a disponibilidade do Clube Português da Austrália Ocidental, Inc., que em harmonia se associou ao evento, cedendo as instalações e servindo o jantar. Durante o evento, a direção informou os compadres e comadres, que em dezembro último foi entregue um cheque de $1500 dólares australianos à organização Telethon Kids, para ajudar crianças necessitadas. Esta é uma instituição que se dedica à investigação médica, focando-se na prevenção de doenças pediátricas, com um foco específico nas doenças aborígenes. A Telethon Kids é situada em Perth, a cidade que é casa também da única Academia do Bacalhau no continente da Oceania.

“Em dezembro último foi entregue um cheque de $1500 dólares australianos à organização Telethon Kids” 9


NOTÍCIAS Academia aprova apoio ao Centro de Saúde Por Academia do Porto Santo

Mantendo a sua atividade, a Academia do Bacalhau do Porto Santo realizou o seu habitual jantar mensal no restaurante Café da Marina. Mais de duas dezenas de participantes, entre compadres e convidados, reuniram-se num convívio muito salutar, onde saborearam um apetitoso e bem elaborado Bacalhau à Lagareiro. Durante o jantar foi apresentada, pelo presidente da direção, uma proposta no sentido da Academia distribuir algumas das verbas do seu fundo de solidariedade, desta feita direcionadas para beneficiar todos os porto-santenses, o que foi aprovado, por maioria, pelos compadres presentes. Depois da Academia já ter apoiado muitas pessoas com carências, distribuindo alimentos, medicamentos e outros, desta feita

“Foi tomada a decisão de apoiar o Centro de Saúde do Porto Santo com algum equipamento”

Porto Santo, Portugal

foi tomada a decisão de apoiar o Centro de Saúde do Porto Santo com algum equipamento, que tanta falta faz, dado que os dinheiros públicos nem sempre chegam para tudo. Assim, fica a certeza de que, com este apoio, estamos também a beneficiar todos os porto-santenses e utentes do Centro de Saúde, única unidade de saúde na pequena Ilha do Porto Santo. Com esta aprovação, a direção ficou mandatada para adquirir os equipamentos necessários, entre eles uma placa de transferência profissional, aparelhos de medição da tensão arterial, oxímetros e cadeira de rodas, que serão depois entregues em cerimónia oficial. Tal como é habitual, foi também feita a votação para a eleição do Restaurante “Rei do Bacalhau 2017”, tendo o Café da Marina, face ao bom desempenho, obtido uma boa pontuação, o que o fez ascender ao segundo lugar da classificação, o que mereceu um Gavião de Penacho entoado por todos os compadres com a presença do staff do Restaurante. Com mais um Gavião de Penacho, foi encerrado um bom convívio, e marcados os seguintes para 27 de abril, no restaurante Gazela e 25 de maio, no restaurante Casa da Avó.

10


NOTÍCIAS

São Miguel, Portugal

Diretor de jornal faz discurso sobre bacalhau

No dia 5 de abril, a Academia do Bacalhau de São Miguel, nos Açores, realizou mais um jantar mensal. O convidado especial da noite foi o diretor-adjunto do “Correio dos Açores”, Santos Narciso, que aproveitou para fazer um discurso sobre o “fiel amigo”, evocando aspetos históricos e gastronómicos do bacalhau, muitas vezes em contextos específicos açorianos. A longa intervenção terminou com a evocação dos versos de Ary dos Santos, imortalizados por vozes como Paulo de Carvalho e Carlos do Carmo, no Fadinho do Bacalhau: Dantes era o mais fiel Dos amigos deste povo Até com espinhas na pele Marchava com couves, com alho e com ovo Agora subiu de posto Está pela hora da morte Quem quiser saber-lhe o gosto Vai pagar com juros e tem muita sorte Ai! Que saudades do meu bacalhau Das pataniscas, das postas na brasa Com cebolinhas e com colorau

Com feijão-frade à moda da casa Ai! Pastelinhos onde é que eles estão? Meia-desfeita quando é que eu a faço? E até aquilo que se faz à mão Sem bacalhau, nunca mais faço! Quando fores à mercearia Não compres por lebre gato Se é abrótea é porcaria Enrola no tacho e não sai barato O que é preciso é a malta Exigir de muitos modos Que se acabe com a falta E haja bacalhau com todos, para todos

11


NOTÍCIAS Tertúlia em Figueira de Castelo Rodrigo

Por jornal “Mundo Português” A 24 de março, realizámos mais um encontro de comadres e compadres da Academia do Bacalhau de Lisboa num jantar solidário. Tivemos como nossos convidados a sra. dra. Maria Luís Albuquerque (ex-Ministra das Finanças e deputada à Assembleia da República) e o Sr. Dr. Camilo Lourenço (economista e jornalista), entre outros convidados de comadres e compadres. É sempre bom recebermos na nossa ABL figuras públicas, que habitualmente acompanhamos apenas através dos órgãos de comunicação social, para conhecerem a nossa Academia e perceberem a dimensão das Academias do Bacalhau

“Recebemos o representante da Associação do Síndrome de Dravet, a quem também demos um contributo”

Lisboa, Portugal

como associações de cariz solidário e de amizade; isto para além da possibilidade de se estabelecer um contacto mais pessoal. Como vem sendo habitual, num ambiente de amizade, também recebemos o representante da Associação do Síndrome de Dravet, a quem também demos um contributo para ajuda a uma causa deveras grandiosa de protecção de crianças que são vítimas desta terrível “doença nova”. Os compadres e comadres disponibilizaram-se a contribuir, em nome da ABL, para que se possa apoiar o bom desenvolvimento de tão elevado trabalho solidário. Anunciámos a transferência do nosso próximo evento de solidariedade e amizade para Angra do Heroísmo (Ilha Terceira – Açores) para apoiarmos aquela Academia-Irmã que está a organizar o próximo congresso das Academias do Bacalhau no próximo mês de outubro. Assim, um grupo de vinte compadres e comadres da ABL irá participar nesta jornada de amizade a que chamámos “Um Abraço à ABIT”. No final, como começa a ser tradicional, tivemos um momento musical para que compadres e comadres pudessem animar um pouco

12

os seus estados de alma. Uma nota especial de agradecimento e carinho aos compadres e comadres que cada vez mais se empenham no desenvolvimento da nossa ABL, contribuindo de um modo anónimo, com grande altruísmo e sempre com um sorriso, nas acções que nos vamos propondo desenvolver. Por fim, até já Academia do Bacalhau da Ilha Terceira. Estamos juntos! Gavião de Penacho!


SOLIDARIEDADE Associação Dravet Portugal: a luta por um síndrome sem cura

“Não existem coincidências” – é assim que Nuno Figueiredo, vice-presidente da Associação Dravet Portugal olha para aquilo por que passou. O seu filho, portador do síndrome de Dravet, foi aceite no Jardim de Infância Obra das Crianças da Lapa, quando é extremamente difícil para qualquer instituição escolar acolher crianças afetadas por esta doença. O síndrome de Dravet é uma condição rara, de origem genética, que se manifesta como uma epilepsia grave, progressiva e incapacitante. A idade de aparecimento da doença situa-se entre os quatro e os doze meses de vida, sendo que o maior impacto é causado pelas frequentes e devastadoras crises convulsivas que, variando de indivíduo para indivíduo, podem ocorrer entre uma por mês a... 500 por dia! Podem ter a duração de um minuto, quinze minutos ou mais de uma hora, podendo o doente entrar em coma, ou não ser possível de todo controlar a crise.

A partir do segundo ano verificam-se também transtornos incluídos dentro do espetro do autismo, ataxia e problemas de crescimento. Em Portugal, estima-se que existam cerca de 500 pessoas portadoras desta doença mas, dessas, 15% não chega à idade da adolescência. O filho de Nuno Figueiredo fez parte deste grupo. Na sequência do período difícil vivido pela família, o pai dirigiu-se à escola do filho para agradecer o que tinham feito por ele. Na reunião que teve com a direção do jardim de infância estava presente Vítor Vergamota que, “por coincidência”, é compadre da Academia do Bacalhau de Lisboa. Sensibilizado pela situação, o compadre propôs a Nuno Figueiredo que se deslocasse a um dos jantares mensais da Academia, de maneira a divulgar o trabalho da Associação Dravet Portugal, da qual Nuno Figueiredo é vice-presidente. A associação, constituída em julho de 2015, é composta por pais inconformados com o curso da doença rara que afeta os seus filhos. Mas não é simplesmente uma associação de pais – é uma as-

“Os compadres e comadres de Lisboa ficaram a conhecer a Associação Dravet Portugal” 13

sociação que luta por todos os filhos, seus ou não, que se vejam afetados pela doença. Nuno Figueiredo aceitou o convite do compadre Vergamota e, num dos primeiros jantares de 2017, os compadres e comadres de Lisboa ficaram a conhecer o síndrome de Dravet, as suas consequências na vida das pessoas que dele padecem, o porquê da


SOLIDARIEDADE

criação da Associação Dravet Portugal e quais as necessidades desta associação. A apresentação foi muito bem recebida pelos compadres de Lisboa, que se mostraram sensibilizados com a causa. De tal forma que destinaram o seu habitual contributo solidário do jantar à Associação Dravet Portugal. Nuno Figueiredo regressou na tertúlia seguinte e recebeu o importante dona-

tivo de 500€. “Se com 30€, conseguimos fazer chegar cartas a centros hospitalares a alertar para o síndrome de Dravet, imagine-se o que conseguiremos fazer com 500€. Faz toda a diferença”, assegura o vice-presidente da associa-

ção. Os fundos angariados terão agora um papel fundamental nas atividades da Dravet Portugal, que tenta operar em diversas frentes. Por um lado, com o projeto “Dravet Lusófono”, a associação pretende chegar a outros países de língua oficial

“Muitas vezes, os diagnósticos são mal feitos e difíceis de levar a cabo” 14

portuguesa (ou, eventualmente, a outros países onde residam portugueses) de maneira a sensibilizar para a doença e apoiar o diagnóstico. Há países em que não existe um único registo de portadores da doença – não porque não existam mas porque, muitas vezes, os diagnósticos são mal feitos e difíceis de levar a cabo. Esta é uma das batalhas maiores da associação, até porque um diagnóstico


SOLIDARIEDADE

tardio ou mal feito pode contribuir para a evolução das consequências nefastas do síndrome de Dravet. Os pacientes são, não raras vezes, diagnosticamos como se de epilepsia se tratasse e medicados de acordo com esse mesmo diagnóstico. Acontece que os medicamentos para a epilepsia são

somente em última instância, em situações de despiste. Além disso, nos casos em que são feitos, demora cerca de quatro meses até os pacientes terem os resultados – quatro meses fundamentais para definir o futuro das crianças portadoras do síndrome. Por outro lado, a Dravet Portugal tem ainda um outro grande objetivo, que é o de apoiar a investigação científica. O síndrome não tem cura mas há fármacos a ser desenvolvidos que podem melhorar muito as condições de vida dos pacientes. Existem também medicamentos noutros países que ainda não se encontram disponíveis em Portugal.

prejudiciais a quem sofre de síndrome de Dravet, pelo que um diagnóstico correto e precoce é fundamental para que se previnam atrasos psico-motores nos pacientes. Mas o que poderia ser simples, não o é. Como os exames de diagnóstico são caros, em Portugal são aplicados

15

Evidentemente, para levar a cabo todos estes projetos, a Dravet Portugal precisa de todo o apoio que consiga alcançar. Mas a Academia do Bacalhau de Lisboa não apoiou a associação apenas através de um donativo financeiro. Um dos compadres disponibilizou-se a por a Dravet Portugal em contato com o Ministério da Saúde, proporcionando assim uma oportunidade da associação expor os seus projetos e preocupações junto das entidades competentes. “A Academia do Bacalhau é uma associação de pessoas de bem, extraordinárias e sensíveis aos problemas dos outros”, garante Nuno Figueiredo, que, tendo ficado com uma excelente relação com os compadres de Lisboa – onde destaca Vítor Vergamota e o presidente Mário Nunes – acredita que as duas associações possam voltar a colaborar no futuro – se não através da tertúlia de Lisboa, talvez através das restantes, espalhadas pelo mundo. Se quiser apoiar a Associação Dravet Portugal pode tornar-se associado, fazer uma doação espontânea, tornar-se parceiro ou tornar-se voluntário. Entretanto, pode também visitar o site www.dravet.pt e a página de Facebook https://www.facebook.com/ dravetportugal.


OPINIÃO Perth: isolamento e distância Por Alberto Ribeiro

Descrever a cidade de Perth, onde nos encontramos, resume-se em duas palavras: isolamento e distância. Isolamento porque é a capital de estado mais isolada do mundo. Distância porque a cidade capital de estado mais próxima é Adelaide, que fica a mais de 2600 quilómetros por estrada, enquanto Sydney e Melbourne distam, respetivamente, 3900 e 2700 quilómetros em números redondos. No entanto, se quisermos viajar para uma das cidades estrangeiras mais próximas, ou seja, Singapura, temos de viajar mais ou menos 3900 quilómetros em linha reta - de avião, claro!

Para aqueles que querem viajar para usufruir do calor dos trópicos, a escolha recai quase sempre em Dempasar, na ilha de Bali, na Indonésia, onde por pouco dinheiro se podem passar umas

“(…) a não existência na cidade de Perth de restaurantes portugueses com quem esta Academia pudesse optar por estabelecer parcerias” 16

férias de sonho. Muita gente da comunidade portuguesa residente em Perth escolhe muitas vezes esse destino para descansar, mas a maioria prefere mesmo é gastar um pouco mais e viajar até Portugal, mesmo que seja só de dois ou de três em três anos. No que diz respeito à Academia do Bacalhau de Perth e aos encontros entre compadres e comadres, a realidade tem estado longe de ser o que seria de desejar. Primeiro porque, nos primeiros dois anos após a inauguração da Academia, os sócios fundadores – mercê das suas actividades profissionais - não tiveram disponibilidade de

tempo necessário para levar por diante e com assiduidade, as actividades que uma Academia exige, tal como adiante explicamos: o atual presidente, José Madeira, só há pouco tempo deixou de exercer as funções de Cônsul Honorário de Portugal em Perth, funções que o mantinham sempre muito ocupado. Por seu lado, o vice-presidente Eduardo Farate terminou há pouco tempo o seu PhD na Universidade de Curtin, onde se doutorou em Ciências de Assistência Social. E este compadre que vos escreve estas letras tem tido a sua atividade profissional centralizada em projectos mineiros como supervi-


OPINIÃO sor metalúrgico, atividade que o tem levado a estar deslocado da cidade de Perth por longos períodos de tempo. Neste momento, o compadre José Madeira já ‘passou a pasta’ de Cônsul, o compadre Eduardo já terminou os estudos e este vosso compadre já terminou os contratos mineiros longe da cidade. Uma outra situação que também impediu encontros mais regulares no início foi a não existência na cidade de Perth de restaurantes portugueses

“Nos últimos dois anos as coisas mudaram para melhor” com quem esta Academia pudesse optar por estabelecer parcerias que reunissem os sabores exclusivos da nossa gastronomia, pelo que a sua ausência dificultou a nossa escolha. Já por várias vezes foi feita a tentativa de estabelecer outras parcerias com restaurantes locais, mas os preços muito elevados impediram sempre que fossem estabelecidos compromissos duradouros. Temos que fazer aqui um aparte que nos apraz registar, pois tivemos o grato prazer de, em fevereiro de 2015, nos

17

associarmos a um novo restaurante de portugueses que proporcionou uma bela refeição aos 71 compadres e comadres presentes. Infelizmente, esse restaurante mudou de dono passado algum tempo. A Academia de Perth faria ainda, em 2016, uma derradeira tentativa, ao optar por um restaurante italiano onde levou 65 convivas, mas este foi de má memória, pois o preço exageradamente elevado não deixou margem para angariarmos o tal dólar destinado à caridade. Nos últimos dois anos as coisas mudaram para melhor: a Academia de Perth, em parceria com o Clube Português local, tem proporcionado excelentes jantares de convívio, nas instalações do Clube junto a Fremantle, onde residem a maioria dos compadres. Esta Academia conta presentemente com 78 membros efetivos inscritos, estando a passar por uma fase crescente de popularidade e aceitação. Presentemente, estamos a trabalhar no sentido de levar a efeito uma Assembleia Geral em maio, que visa, além de eleger novos corpos gerentes, atrair novos compadres e comadres para fortalecer ainda mais o grupo. Perth, 12 de abril de 2017


Cultura The Gift lançaram novo álbum

Os The Gift lançaram um novo álbum. “Altar” teve estreia mundial a 7 de abril e conta com dez canções intemporais que, segundo os The Gift, foram “compostas durante dois anos, pensadas ao longo de três. Sonhadas ao longo de vinte e dois como banda. Resultam, entre si, como o retrato perfeito de uma banda que está constantemente a evoluir e a crescer artisticamente”. “Dançarmos a cantar. São sorrisos e abraços. A emoção do adeus. A emoção do não regresso. São divórcios

e amor por dar. E amor por receber. Altar é a história de vida que conseguimos gravar e traçar em todos nós. Não há um antes, não há um depois. Há o presente. No início foi o sonho. No final, mesmo no final conseguimos acordar, e o resultado está aqui”, diz a banda, referindo-se a este trabalho maduro, ponderado e reflexivo, que convida a celebrar a vida, vivendo-a. As dez canções – todas em inglês – foram produzidas pelo britânico Brian Eno, que pertenceu aos Roxy Music e, para além de uma longa carreira a solo, ainda gravou álbuns para Talking Heads, Coldplay ou U2, entre outros. Apesar das duas décadas de carreira dos The Gift tornarem difícil o deslumbramento dos seus membros com nomes sonantes, a verdade é que os artistas portugueses confessaram à agência Lusa, que Brian Eno foi alguém que compreendia a banda mesmo quando esta se “esquecia” com quem estava a trabalhar. “Às vezes tomávamos o pequeno-almoço juntos, ele presenteava-nos com a marmelada que fazia de manhã apanhando laranjas selvagens. E às tantas estávamos todos aos gritos a dizer barbaridades e até nos esquecíamos que estávamos ali com o Brian Eno”, revela Sónia Tavares, vocalista. Do álbum – que a banda conside-

18

ra o seu melhor de sempre - saíram já os dois primeiros singles, “Love without violins” e “Clinic hope”. Nas semanas que se seguiram ao lançamento do álbum, a banda alcobacense andou na estrada a promover o novo trabalho. Em maio, a banda pisará ainda alguns palcos

nacionais: dia 1 atua no Porto, dia 3 em Coimbra, dia 5 em Castelo Branco e dia 6 em Braga. Os The Gift dizem que o álbum é para ser trabalhado em palco até finais de 2018, em Portugal e no estrangeiro, e a ideia é “mostrar Altar a toda a gente”.

“As dez canções – todas em inglês – foram produzidas pelo britânico Brian Eno”


RECEITA Pastéis de Bacalhau

Preparação:

1

Coza as batatas inteiras e com pele depois de muito bem lavadas, durante 30 a 35 minutos. Coza o bacalhau noutro tacho durante 10 minutos. Retire as peles e espinhas ao bacalhau e desfie-o esfregando dentro de um saco limpo de pano. Depois das batatas cozidas, escorra-as e pele-as. Ponha-as num tacho em lume muito brando para secarem um pouco. Depois, esmague-as reduzindo-as a puré.

Ingredientes: • 300g de bacalhau

• 300g de batatas para cozer • 4 ovos

• 1 dl azeite

• 1 ramo salsa

• sal e pimenta q. b. • q.b. óleo

• 1 cebola picada

3

© Fonte: 1001receitas.com

Com o auxilio de 2 colheres embebidas em azeite molde os pastéis, fritando poucos de cada vez em óleo abundante e muito quente. Escorra-os em papel absorvente e sirva-os decorados com um raminho de salsa.

19

2

Entretanto, refogue a cebola em azeite. Misture-a com as batatas e o bacalhau desfiado até ficar uma massa homogénea. Depois acrescente a salsa e os ovos batidos amassando mais um pouco.

Newsletter 5 - Abril 2017  

Newsletter mensal das Academias do Bacalhau. Edição nº5, abril de 2017.