Issuu on Google+

Número 14 abril de 2012

“ Não

aprender

pensamentos,

mas aprender a pensar “ António Sérgio

Outros pontos de interesse ● Projeto Manuais Escolares ● Badminton ● Semana da Leitura ● Associação de Pais e Encarregados de Educação


2

NEWSAS

EDITORIAL Índice Sarau de Natal

3

Méritos e Afetos

3

Dia do Software Livre

4

Na Cisco System Portugal

4

Dia do Secretariado

5

Dia Internacional das pessoas com deficiência

6

Dia da Língua Gestual Portuguesa

7

Educação para a saúde

7

Natureza e importância das Organizações não Gover-

8

namentais

É tempo de mudança na escola, na comunidade e na língua que falamos e escrevemos. O Dr. António Teixeira aposentou-se, estando a decorrer o processo para a eleição de um novo diretor; a Associação de Pais e Encarregados de Educação tem uma nova direção; a comunidade educativa aprende a adaptar-se às dificuldades inerentes à contenção de despesas e à redução de verbas para a Educação. Assim, as atividades circunscrevem-se mais ao espaço da escola, excetuando o desporto escolar, a participação em concursos que implicam deslocações ou a realização de algumas visitas de estudo. Os intercâmbios culturais com países da Europa continuam a realizar-se, proporcionando experiências inesquecíveis, tanto a nível cultural como emocional. Mas na ESAS também existem culturas e línguas diversas, que, de forma subtil, levam à aceitação da diferença e ao desejo de partilha. E tudo passa pela língua portuguesa—o melhor elo de ligação entre todos—porque, na sua essência, apesar das mudanças, ela continua a ser a mesma.

Educação+ Financeira

9

Nascido para triunfar

10

Arrebita Porto

11

Infertilidade e suas causas

11

Cosmologia

12

Crise, para quem?

12

Vidas

13

As folhas

13

Na Dinamarca

14

Poemas

15

 Coordenação : Maria José Flores

Matpaper

16

 Revisão: Manuel António Silva e Maria José Flores

Semana da Leitura

16

Badminton

17

Língua e multiculturalidade

18

Projeto de troca/dádiva de manuais

19

Uma pessoa, um produto

19

Associação de Pais e Encarregados de Educação

20

Cidadania na Semana da Leitura

20

Maria José Flores

 Composição gráfica e edição: José Fernando Machado Escola: Secundária António Sérgio Diretora da CAP: Margarida Reis Endereço: Av. Nuno Álvares C. Postal: 4400-233, V. N. Gaia Telefone: 223757180 Fax: 223757058 E-mail: esas.gaia@antoniosergio.pt E-mail do jornal: newsanewsas@gmail.com e newsas@antoniosergio.pt


Perspetivas

Número 14

3

Méritos e Afetos…

Sarau de Natal No dia 16 de dezembro de 2011, realizou-se na antiga biblioteca da Escola Secundária António Sérgio o Sarau de Natal. Organizado pelos docentes responsáveis pelo funcionamento da biblioteca e por professores de Português, o Sarau estendeu-se por toda a tarde, dando assim a possibilidade de participar a todos os alunos da escola, tanto do Ensino Diurno, como do Ensino Noturno. Entre a leitura de memórias, textos e poemas, foram também interpretadas algumas músicas, que abordavam as mais diversas perspetivas. É de realçar, no entanto, que houve uma grande incidência em assuntos como a pobreza e a fome, sempre discutidos e lembrados por todos na altura do Natal. Além de representar uma oportunidade de partilhar textos escritos pelos próprios alunos ou por outros autores, esta atividade foi também uma forma de reunir boa parte da comunidade escolar, incluindo antigos professores. Tendo em conta a adesão que esta iniciativa, já realizada em anos anteriores, tem gerado, é do interesse geral que continue a ser realizada, motivando os alunos a expor temas do seu interesse. Ana Catarina, João Nuno, José Pedro, Pedro Meireles, 11º A

No passado dia 27 de janeiro, no âmbito das comemorações da Semana de António Sérgio, patrono da ESAS, realizou-se, no ginásio da escola, uma sessão de entrega de prémios e diplomas a alunos que se distinguiram em vários domínios, tendo sido aproveitada a oportunidade para homenagear o diretor cessante, António Teixeira, que se aposentou no final de dezembro. A sessão iniciou-se com uma intervenção da presidente da comissão administrativa provisória (CAP), professora Margarida Reis, a qual procedeu à entrega dos diplomas relativos ao quadro de excelência 2010/11. Os diplomas de mérito por comportamento exemplar de alunos do ensino básico foram distribuídos pelo anterior presidente da Associação de Pais e Encarregados de Educação, Francisco Ferreira, e pelo atual, Pedro Gouveia. Os representantes da Junta de Freguesia de Mafamude, Fernando Vieira, presidente, e Lígia Louro, entregaram os prémios relativos às XXIX Olimpíadas da Matemática 2010/11 e às VII Olimpíadas do Ambiente 2011/12; a professora Helena Pereira os prémios do VI concurso nacional de leitura 2011/12 e a professora Manuela Pinto os diplomas de assiduidade total 2010/11 dos alunos do 9ºD. Em seguida foi projetado um vídeo alusivo à história da escola, da fundação à atualidade, destacandose aspetos como as recentes obras de renovação, as atividades desenvolvidas e a sequência de dirigentes que presidiram ao órgão de direção executiva. A sessão prosseguiu com danças de alunos e de professoras, canções, declamações de poemas e adaptações de músicas da juventude do professor António Teixeira, ao qual foram oferecidas lembranças simbólicas, num registo de reconhecimento e de partilha de afetos, com a participação de alunos, encarregados de educação, funcionários não docentes, professores, diretores de várias escolas de V.N. de Gaia, autarcas e de Rui Canedo, em representação da Câmara Municipal. No final, tomou a palavra o professor António Teixeira, que realizou uma intervenção emocionada, em que se cruzaram múltiplas recordações e sentimentos. Manuel António Silva, professor


4

NEWSAS

Dia do Software Livre A Escola Secundária António Sérgio (ESAS) ciente da importância da utilização do software livre, promoveu no dia 26 de Janeiro a primeira edição do dia do software livre. Neste dia, a comunidade escolar teve oportunidade de utilizar, analisar e comparar as potencialidades de diversas ferramentas de software livre, face ao software proprietário, permitindo estimular a sua utilização na escola. O primeiro passo foi dado com a instalação exclusiva do LINUX nos computadores das salas A.2.00 e A.1.00, pela equipa do DoctorPC da ESAS - Projeto de Reparação e Manutenção de Sistemas Informáticos. As atividades do dia do software livre foram desenvolvidas nas referidas salas com as seguintes temáticas: Sistemas Operativos e Segurança (Sala A.1.00) e Aplicações e Jogos (A.2.00). As turmas que participaram nesta atividade trocavam de sala de acordo com o tema a descobrir. É de salientar a excelente participação dos alunos das turmas do 8º e 9º ano de escolaridade, orientados pelos professores e alunos dos cursos de educação e formação, de Instalação e Operação de Sistemas Informáticos (IOSI) e Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos (TGPSI). Alunos do 9º IOSI

Tecnologias

Na Cisco Systems Portugal No dia 1 de Março, as turmas do Curso Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos e o Curso de Educação e Formação de Instalação e Operação de Sistemas Informáticos deslocaram-se ao parque tecnológico em Lisboa – Oeiras, Lagoas Park, para visitar a CISCO Systems Portugal, que é uma empresa líder mundial em soluções de rede.

Os alunos tiveram a oportunidade de contactar com as últimas tecnologias de rede e ver os laboratórios de testes e soluções de transporte de dados, voz e vídeo. Para além disso, ficaram a conhecer a história da empresa, tomaram contacto com o seu modo de trabalho e as oportunidades que ela apresenta, nomeadamente as Academias CISCO. No mesmo dia os alunos participaram numa visita guiada ao Palácio Nacional de Sintra, residência Real e palco de excelência de mais de oito séculos de história, fazendo parte do conjunto patrimonial inscrito em 1995 na lista do Património Mundial da UNESCO. Alunos do 9º IOSI


Número 14

Cursos Profissionais

5

Dia do Secretariado Valeram a pena estes três anos. O sucesso do curso e em especial do 12º K advém da entrega de todos os seus alunos. Não quisemos deixar nada ao acaso. Dividimos tarefas, partilhámos opiniões, empenhámo-nos e motivámo-nos dia após dia, conforme iam crescendo as atividades a realizar e a data do evento a chegar. Queremos agradecer sobretudo a todos os professores que nos acompanharam ao longo destes três anos. Em cada um deles nos foi proposto este desafio – comemorar o Dia do Secretariado. No primeiro ano, a barreira foi difícil, pois éramos os únicos a trabalhar para este projeto e estávamos imaturos, principalmente com parcos conhecimentos. No segundo, sentíamos uma ponta de desilusão por não vermos a continuidade do curso, contudo enfrentámos com garra a solicitação, já que, em contrapartida, os nossos conhecimentos eram maiores. Finalmente chegou de novo este dia e, sem dúvida, algo tinha de ser melhor. A nossa principal preocupação era mostrar aos nossos colegas (novo curso – 10º K) que, com empenho e dedicação, é possível transformar tarefas rotineiras em atividades atrativas, ou mesmo divertidas. E foi, de facto, o que aconteceu. Tivemos o auditório quase cheio, houve enorme interação com o público, e de todos os presentes ouvimos mensagens de reconhecimento e louvor pelo nosso trabalho. Sabemos que dignificámos a função do Profissional de Secretariado. Bruno Santos, 12º K

No passado dia 9 de fevereiro, o Conselho Profissional de Secretariado foi convidado pelo curso profissional de Técnico de Secretariado da Escola Secundária António Sérgio para participar no evento "Jornada do Secretariado". Este evento comemorou o Dia da Secretária, como habitualmente o fazem todos os anos. Foi uma tarde muito bem passada. A presidente do CPS apresentou um workshop sobre os requisitos para se "ser secretário". Em seguida, os alunos apresentaram algumas entrevistas acerca da sua futura profissão. Motivaram, ainda, a audiência a participar em jogos didáticos. Dramatizaram situações rotineiras na vida de um bom e mau profissional de secretariado e, por último, apresentaram algumas fotos, em forma de vídeo, do seu percurso escolar. O evento terminou com um agradável convívio, com lanche também preparado pelos alunos. Newsletter do CPS (Adaptado)


6

NEWSAS

Necessidades Educativas Especiais

Dia Internacional das Pessoas com Deficiência No passado dia 3 de dezembro comemorou-se o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, data instituída pelas Nações Unidas em 1998. Para assinalar a data, no dia 6 do mesmo mês, os professores de Educação Especial promoveram o workshop “A Educação Sexual no Jovem com Necessidades Educativas Especiais”, orientado pela Dr.ª Joana Amaral, Médica Obstetra e Ginecologista do Hospital de São João, no Porto. Na atividade participaram os alunos com necessidades educativas especiais, nos domínios cognitivo-motor e auditivo, e alguns alunos da EB 2/3 Teixeira Lopes, acompanhados por dois professores de Educação Especial. Participaram, ainda, outros alunos das turmas envolvidas. A sessão durou cerca de noventa minutos, tendo havido uma grande interação entre a Dr.ª Joana Amaral e a assistência. A médica informou os alunos e prestou úteis esclarecimentos no âmbito da sexualidade. Explicou o funcionamento de vários métodos contracetivos com recurso a diversos modelos anatómicos. Os alunos puderam manusear vários materiais, ficando, assim, com uma noção mais precisa e concreta do tema abordado. No final, os participantes colocaram questões em sistema de anonimato, que permitiu a desinibição, e obtiveram respostas a todas elas. Foram ainda distribuídos folhetos informativos, bem como preservativos masculinos e femininos. As respostas a algumas dúvidas dos alunos surdos foram traduzidas pela Intérprete de Língua Gestual Portuguesa, Patrícia Cancela, responsável pela tradução durante toda a sessão. A médica mostrou-se disposta a colaborar em futuras ações de formação, tendo fornecido o seu e-mail pessoal e informado os alunos da sua disponibilidade, inclusivamente presencial, no Hospital de S. João, no Porto. A psicóloga da escola, Dr.ª Mizi, disponibilizou-se igualmente para o atendimento dos alunos. A atividade desenvolvida foi bastante enriquecedora e os objetivos foram plenamente alcançados. Marisa Rocha e Tiago Mendes, professores de Educação Especial

Na área das Necessidades Educativas Especiais, a nossa escola aderiu ao projeto Pontes de comunicação cultural e artística entre duas realidades: o surdo e o ouvinte.” É um projeto destinado ao desenvolvimento inclusivo de crianças e jovens surdos. Com ele pretende-se criar oportunidades de expressão através da integração e igualdade na sociedade, assistindo e intervindo, em conjunto com artistas e instituições, nas mais diversas áreas artísticas e culturais, tais como artes plásticas, dança, música, fotografia, poesia e teatro, entre outras.


Número 14

Necessidades Educativas Especiais

7

Dia da Língua Gestual Portuguesa No dia 15 de novembro, Dia da Língua Gestual Portuguesa, a Escola Secundária António Sérgio assinalou a efeméride com uma formação em LGP dinamizada pela comunidade surda e aberta a toda a comunidade educativa. A Língua Gestual Portuguesa é a língua materna da comunidade surda, tendo sido reconhecida como língua oficial da República Portuguesa em 1997, a par da Língua Portuguesa e do Mirandês. A formação realizada permitiu proporcionar à comunidade escolar um importante contato com a LGP, pois esta permite não só a comunicação entre pessoas surdas, mas também de pessoas ouvintes com pessoas surdas e vice-versa, sendo que essa interação se reveste de especial importância no ambiente escolar, letivo ou informal. Na ação participaram seis turmas que integram surdos, das sete que existem na escola, e uma turma de ouvintes : 9ºB; 10º N e G; 11º G e 11º M e 12º F e G. A formação esteve a cargo dos alunos José Pedro e João Paulo, da turma 11º G, orientados pela professora de Educação Especial. A formação foi traduzida pela Intérprete de LGP, Patrícia Cancela. O balanço da atividade foi muito positivo, pelo que a comunidade surda da ESAS dinamizará oportunamente outras ações relacionadas com a Língua Gestual Portuguesa. Marisa Rocha, professora NEE

Educação para a Saúde O projeto de educação para a saúde (PES) procura funcionar como um projeto transversal e multidisciplinar, operacionalizando-se em articulação com outras estruturas da Escola e da Comunidade. No decorrer do ano letivo, colabora com o gabinete de apoio ao aluno, que funciona às segundas e sextas-feiras e que conta com o apoio de duas enfermeiras. Em parceria com o Centro de Saúde de Soares dos Reis, e com a colaboração da Dr.ª Angélica Gouveia, foram dinamizadas sessões de esclarecimento sobre afetos e corpo em crescimento, para os sétimos anos, e sobre consumo de substâncias psicoativas, para os oitavos anos. O PES apoia também a implementação da educação sexual em meio escolar. Na área da alimentação, está em curso uma parceria com o projeto DOLCETA, projeto europeu que pretende desenvolver cidadãos informados e formados na área da alimentação saudável e da sustentabilidade. Está ainda em curso a formação do clube da saúde que, em sintonia com o PES, dinamizará atividades para a comunidade escolar. Estas atividades serão promovidas pelos alunos envolvidos no clube. Helena Santos, Lígia Mendes e Manuela Monteiro, professoras


8

Direitos Humanos

NEWSAS

Natureza e Importância das Organizações não Governamentais ONG é uma sigla que ouvimos e lemos frequentemente nos diversos meios de comunicação social. Amnistia Internacional, Assistência Médica Internacional, Oikos, Quercus, Cruz Vermelha, Banco Alimentar, Abraço, Fundação do Gil, ONU, UNESCO, UNICEF, Greenpeace… são uma pequeníssima amostra da imensidade de organizações criadas para atuarem dentro do chamado terceiro sector. Ao longo dos tempos, a sociedade tem procurado complementar o trabalho que as instituições públicas desenvolvem de modo insuficiente. Sendo organizações sem fins lucrativos e recorrendo muito ao trabalho de voluntariado, as ONG desempenham um trabalho fundamental em muitas áreas geográficas e sociais em que o Estado, ou não está presente, ou está muito longe da meta de satisfação da qualidade de vida da população. Todavia, tal não significa que se trata de um poder paralelo ao do Estado. Muitas vezes, as ONG estabelecem parcerias com as instituições legais produzindo um trabalho complementar com a finalidade de satisfazer as necessidades básicas das populações. Meio ambiente, desenvolvimento sustentável, ensino, formação profissional, saúde, combate à pobreza ou assistência médica são exemplos da panóplia de funções afetas ao trabalho das ONG, que obtêm recursos financeiros, quer dos próprios governos, quer de empresas privadas, quer, ainda, da população em geral. Recolha de donativos, venda de produtos, organização de espetáculos são meios de obter o contributo dos cidadãos anónimos, sensíveis ao trabalho oferecido pelas ONG. Num mundo marcado por tensões políticas, económicas, sociais e culturais, num mundo em que tanto se fala de Direitos Humanos, que , contudo, não são respeitados, num mundo em que os recursos são cada vez mais escassos, num mundo que sobrevive num sistema fechado único, a Terra, que não tem para onde se expandir, é crucial manter-se aceso o papel das ONG, sendo fulcral, desde muito cedo, atrair o contributo dos jovens para o trabalho voluntário ao serviço dos outros. São muitos os casos de estudantes portugueses que disponibilizam parte das suas férias para partilharem a sua alegria e as suas competências com aqueles que, de outro modo, teriam uma vida pior. Ser cidadão pleno é ser também solidário. É dar para receber. É sentir-se ator num palco difícil de gerir, mas não impossível de melhorar. Nunca a peça será perfeita, mas a vivência de cada ator e de cada elemento do público beneficiarão com a interação que forem capazes de tecer e manter. Um pequeno gesto pode parecer pouco para quem o faz. Para quem o recebe tem, muitas vezes, o efeito de um tsunami. Idalina Leite, professora


Número 14

Cidadania

Educação Financeira Na semana de 12 a 16 de dezembro, a Escola Secundária António Sérgio recebeu a exposição itinerante Educação+ Financeira, sobre literacia financeira, iniciativa da Universidade de Aveiro, através do Projeto Matemática Ensino (PmatE) e da Caixa Geral de Depósitos. Este projeto tem o objetivo de sensibilizar, estimular e mobilizar as pessoas para as questões de educação financeira. Neste caso, o público-alvo foram alunos do 8º ao 12º ano. De notar que todos passaram pela exposição, incluindo cursos profissionais, CEF e CNO, bem como os alunos do ensino recorrente noturno. A educação financeira pretende dotar os indivíduos de conhecimentos que ajudem a evitar as situações de sobreendividamento, operações fraudulentas ou burlas, promovendo, assim, o exercício pleno dos seus direitos de cidadãos consumidores. Basicamente, o projeto Educação+ Financeira é uma exposição interativa, composta por três módulos com jogos de computador e conteúdos adaptados aos diferentes níveis de ensino, que pretendem estimular a curiosidade dos mais novos e familiarizá-los com os conceitos financeiros básicos e com as questões financeiras que a todos se colocam no dia a dia. Os módulos serviram para suscitar nos alunos curiosidade e para aprofundar os seus conhecimentos de modo a promover comportamentos responsáveis. A promoção da literacia financeira é importante em qualquer contexto económico, mas a grave situação de crise que vivemos atualmente veio reforçar a sua importância. Assim, dado que as circunstâncias pessoais e económicas se alteram, todos os cidadãos têm necessidade de atualizar os seus conhecimentos e capacidades para poderem responder, com êxito, a novas situações. No nosso caso, adolescentes ou jovens, é importante começar desde já a desenvolver este tipo de capacidades, evitando entrar na vida ativa desprovidos dos conhecimentos financeiros necessários para uma boa gestão das nossas finanças. Estudantes, professores, funcionários, pais, esta mensagem dirige-se a todos. Os alunos e o corpo docente tiveram uma boa oportunidade de aprofundar os seus conhecimentos sobre este tema podendo vir a assumir uma atitude mais consciente e mais responsável. O feedback por parte dos alunos-alvo desta iniciativa foi bastante positivo devido, essencialmente, ao fantástico trabalho desenvolvido pelos dois parceiros - PmatE e Caixa Geral de Depósitos. Mariana Carvalho e Telma Grabulho, 12ºD

9


10

NEWSAS

Palestras

Nascido para triunfar — Programação Neurolinguística No dia 1 de março, no Auditório, assistimos a uma palestra sobre Programação Neurolinguística (PNL), no âmbito da disciplina de Psicologia B. O orador convidado foi o Dr. Adelino Cunha, que nos veio explicar em que consiste e demonstrar o seu interesse. Começou por informar acerca do percurso que o levou da área da sua formação académica, Matemática Aplicada, até ao estudo da PNL e à escolha de uma área profissional com ela relacionada. Neste contexto, referiu a importância que teve para o seu futuro a leitura, ainda enquanto estudante liceal, do livro “Como fazer amigos e influenciar pessoas”, de Dale Carnegie. De seguida, explicou que ela é a forma como o ser humano se programa e é programado pelos outros, diariamente, através da linguagem, e fez o historial do seu aparecimento e dos seus impulsionadores. Mostrou que a PNL se aplica a diversos contextos da nossa vida, nomeadamente na melhoria de desempenhos profissionais e académicos e na cura de fobias. Esclareceu que ela contribui para a alteração de crenças e de formas de olhar para a realidade a partir da linguagem e, visto que falamos com nós próprios pelo menos catorze horas por dia, salientou que são muito importantes as coisas que nos dizemos mentalmente, mas também as que os outros nos dizem dia após dia. Referiu, ainda, que a PNL começou por estudar as pessoas que tinham sucesso em diferentes campos — pessoal, profissional, desportivo, entre outros —- tendo-se verificado que os indivíduos com maior sucesso tinham estabelecido objetivos ao longo da sua vida, cumprindo-os escrupulosamente e acreditando sempre no seu próprio potencial. Deste modo, ficámos a perceber que, para ter sucesso, é necessário definir objetivos e acreditar que os podemos alcançar. No final, num ambiente propício, os alunos colocaram questões.

Tópicos que despertaram interesse nos elementos do grupo

As pessoas de sucesso têm sempre um objetivo. A expectativa deve ser baixa e a crença deve manter-se elevada. O cérebro humano procura fugir da dor e encontrar o prazer. O ser humano nunca é um ser fracassado. As pessoas devem acreditar sempre no seu potencial. Ter sempre pensamentos positivos. Nada é impossível: basta querer e acreditar.

Andressa, Bárbara, Jéssica e José Filipe, 12º C Ana Cláudia, Dora, José Couto, Liliana, Marisa, Rui, Sílvia e Vânia, 12º M


Número 14

Palestras

11

Arrebita Porto O abandono do Central Business District (CBD), isto é, da área central das cidades — a baixa— é um problema urbano bem presente em várias cidades europeias e, portanto, também nas portuguesas, nas quais podemos incluir o Porto, a Cidade Invicta. Esta situação precisa de ser combatida e isso só acontece com políticas de dinamização que partam do estado central ou, então, de pessoas com iniciativa, como é o caso do arquiteto José Paixão.

Arrebita Porto

No dia 9 de fevereiro, a nossa escola recebeu José Paixão, um jovem arquiteto formado em Londres e vencedor da primeira edição do FAZ — Ideias de Origem Portuguesa, criado pelas fundações Gulbenkian e Talento. “Arrebita Porto” é um projeto inovador, que visa o repovoamento e a dinamização da cidade através da reabilitação de prédios antigos a custo zero. Funciona tendo em conta uma rede de parcerias, tais como faculdades de engenharia e de arquitetura estrangeiras, cujos alunos vêm aplicar os seus conhecimentos em troca de experiência no terreno; empresas de materiais de construção, que fornecem os materiais necessários e, em contrapartida, veem o seu nome ligado a causas sociais e têm benefícios fiscais; serviços necessários à subsistência das pessoas envolvidas, ou seja, fundamentalmente no âmbito da habitação e da alimentação. Em todas as parcerias, o sistema é sempre o mesmo: com base em trocas e contrapartidas de serviços, sem dispêndio de dinheiro, e em que todas as partes ganham. Débora van der Kellen, 11º M

Infertilidade e suas causas No dia 4 de janeiro, a nossa escola recebeu a Dr.ª Ilda Pires, embriologista no Hospital Santos Silva, para o esclarecimento de um assunto cada vez mais atual: Infertilidade e suas causas. A palestra decorreu num ambiente de grande interesse e curiosidade. Foi salientada a importância de se tomar uma atitude consciente perante a vida. Uma mensagem mais dirigida aos jovens consistiu em dissuadir da experimentação do tabagismo, do consumo de drogas e da vida sexual desprotegida, porque são fatores que podem comprometer seriamente a capacidade reprodutiva. Foi referida, no término da apresentação, a importância de aceitar o problema com calma e naturalidade, pois pode ser resolvido com percentagens de sucesso consideráveis, no que diz respeito às técnicas de tratamento. Matilde Sanches, 12º A


12

NEWSAS

Olhares...

Cosmologia

Crise,

No dia 25 de janeiro, inserida na Semana do Patrono, decorreu uma sessão sobre cosmologia, tendo o palestrante, Eng.º Fernandino Sousa, apresentado uma perspetiva histórica desta ciência e terminado dizendo que o próprio universo não tem uma única história, nem sequer uma existência independente. Entretanto, fez-se uma viagem pelo mundo da Física. Mas o que é a cosmologia? A cosmologia é uma ciência que tenta responder às grandes questões da humanidade — Porque existimos? Donde viemos? — estudando a origem, a estrutura e a evolução do Universo. Na antiguidade, esta ciência baseava-se na religião. Os diferentes povos tinham diferentes histórias explicativas da origem do Universo, consoante a religião que professavam, no entanto, em todas elas, a Terra era considerada o centro do Universo. Quando estudiosos como Nicolau Copérnico e Galileu Galilei propuseram o modelo heliocêntrico, as ideias religiosas e científicas colidiram. A estes investigadores seguiram-se Newton e Einstein, que contribuíram para o avanço da cosmologia através dos seus estudos. Atualmente, associada a outras ciências, como a informática e a eletrónica, a cosmologia continua a evoluir. Rita Branco, 11º A

para quem?

Nos últimos tempos, há uma palavra que se destaca de todas as outras, porque é a que mais se tem ouvido. Essa palavra é crise. Mas o uso recente e excessivo desta palavra não indicará apenas uma sobrevalorização? A crise económica que Portugal enfrenta é grave e as pessoas já começaram a fazer cortes em determinadas áreas. Na alimentação optam por marcas brancas; no vestuário preferem roupas baratas; o calçado já não é de marca; e até nos medicamentos, essenciais, escolhem genéricos, mesmo que não sejam os mais adequados. Mas os restaurantes de luxo e os hotéis com muitas estrelas continuam a estar esgotados. A única explicação possível é que, com os aumentos dos impostos e das portagens, parte da população ficou mais rica, ao contrário de tantos milhares que estão cada vez mais pobres. Assim, face às inúmeras consequências que se verificam, tais como o aumento dos preços, o desemprego e a desagregação social, é preciso tomar boas medidas para deixarmos de ouvir a tal palavra. Ana Raquel, 11º C


Número 14

Olhares...

13

Vidas Pego na caneta e não paro de escrever. Sinto uma necessidade louca de transmitir pensamentos que me levam à descoberta de sentimentos, que se vão exteriorizando dando-me liberdade de reflexão sobre tudo, sobre o nada... sobre a vida. Segura de que a vida passa a três passos e sinto-a fugir ano após ano. Não havendo prazo, não havendo data marcada. Ficará a saudade de quem por mim lembrará todos os meus feitos. Abrir-se-á uma janela de lembranças boas. Movimentos de seres que vivem por causas. Sentimentos fugazes... Saudades lembradas, amores perdidos, mas sobretudo nascimentos de vidas que nos tornaram seres mortais, seres capazes de Amar e Ser Amados. Há sempre alguém que nos faz falta... Saudade… E... a Vida corre…corre... corre...e ainda estou viva. Viva, a viver a VIDA com sabor de VIVER.

As folhas

As folhas em branco assustam-me quando não sei o que dizer. É uma desconfortável sensação de impotência que me põe o cérebro às voltas e me faz começar o texto uma, duas e três vezes. Mas, na verdade, não tem que ser assim. Muitas vezes o problema é pensar de mais, não de menos. A Ana Leitão, assistente operacional vida é curta, demasiado curta, e perdemos mais tempo a ponderar do que aquilo que devíamos. Apercebi-me disto enquanto perdia o olhar na paisagem oferecida pela janela do comboio que me levava de Santiago de Compostela a Madrid. Era um sonho dentro de outro sonho, e os únicos momentos que perdi a pensar foram para responder a uma simples pergunta – quero ou não quero isto? Pensar é não compreender, e o mundo não se fez para pensarmos nele, como disse o sábio Alberto Caeiro. Por isso, escrevam, avancem, lutem, sem olhar para trás. São raras as vezes em que o nosso instinto nos atraiçoa, são muitas as oportunidades que perdemos por ficarmos presos a dúvidas que não são mais do que receios infundados. Há comboios que só passam uma vez na vida e não os podemos deixar fugir, mesmo quando têm destino incerto. Ana Magalhães, ex-aluna


14

NEWSAS

Na Europa

De 12 a 19 de fevereiro, no âmbito de uma parceria entre a ESAS e o Grupo de Ação e Intercâmbio Artístico e Cultural, cinco alunas do 11ºH, acompanhadas pelos professores Susana Melo e Paulo Sá, participaram, na Dinamarca, num intercâmbio na área da arte circense, financiado pelo programa Juventude em Ação, da União Europeia. Após uma semana repleta de novas sensações e de aprendizagens, eis alguns dos seus testemunhos: “Foi uma viagem que recordarei com certeza no futuro, pois fiz amizades inesquecíveis. Apesar de não saber inglês, consegui desenvencilhar--me… Gostaria certamente de repetir esta experiência.” Ariana Pinto

“Gostei muito do dia da preparação e da realização do espetáculo final. Todos estávamos nervosos, mas felizmente a exibição correu extremamente bem... Foi uma ótima experiência para mim. Conhecemos vários países, várias culturas, várias línguas... Amei esta semana.” Mariana Lima

“Foi uma experiência fantástica, enriquecedora e maravilhosa. Embora a comunicação fosse um pouco complicada, a nível do Inglês, todos fizeram um esforço enorme para nos compreender e interagir connosco. Além disso, também tivemos dois professores maravilhosos, que nos ajudaram em diversas coisas. Vou ter saudades, porque tudo foi excelente: as brincadeiras, as pessoas, os conhecimentos que adquirimos… A semana foi cansativa, porque tivemos de trabalhar para os workshops, o que exigia algum esforço. Foram dias extenuantes, mas valeu a pena. Adorei…” Joana Reis

“Chegámos no dia 12 e reparámos que tudo estava coberto de neve. A Dinamarca é repleta de espaços verdes com casas de formatos engraçados. Ficámos numa pousada. Estavam presentes oito países: Dinamarca, Finlândia, Estónia, Letónia, Polónia, Islândia, Roménia e Itália. Falei e convivi mais com o grupo da Itália, porque a língua e os costumes assemelham-se aos dos portugueses. Tivemos quatro workshops: Joggling, Music, Visual Art e Dance. Eu participei no de música, que foi engraçado.” Sónia Silva

“Cheguei exausta, mas radiante com a neve, pois não faz parte do nosso quotidiano… Durante esta semana, conheci novas culturas e vivi experiências novas. Nunca pensei gostar tanto de circo, o que me surpreendeu bastante… A nível pessoal, foi muito importante e enriquecedor. O que retenho principalmente é a oportunidade de conviver de perto com todo o tipo de pessoas e culturas, com a vantagem de estarmos todos ali com o mesmo objetivo.” Sara Santos


Número 14

Expressões

15

O Tempo Tempo, ó tempo, Quando espero por ti, Fico com o coração a vibrar. Tempo, ó tempo, Começas a escassear Podes ser um tormento Já me começas a deslumbrar! Sinto esta dor No meu coração a palpitar. A vida? E a Morte? Porquê morrer? Porquê nascer? Afinal, qual é a razão de viver? Será que já sabemos? Será que não? Existirá alguma razão Para eu viver e tu não? Será que vives, E eu não tenho conhecimento? Ou isto não passa de um mero julgamento?

Descoberta de fractais

Objetos multiplicados Até ao infinito Dão imagens maravilhosas Dignas de um perito Matemática em função Para fractais em revolução Dá para os filmes de ficção Que agradam à multidão Pedro Meireles, 11º A

Primavera

Alexandre Alves e Pedro Reis, 9ºD

Sou Uma árvore despida De folhas da vida Sempre à espera De mais Primaveras Os pássaros Esses Fazem-me companhia Só eles Me escutam E com carinho Vão limpando As minhas lágrimas Juntam-se em bandos Para me aquecerem E nesses momentos Vejo que não estou só Tenho sempre amigos Nos momentos certos....

Sol mais quente Dias maiores Acordamos com o som Da música dos pássaros… Parecemos adolescentes! A alegria faz-nos sorrir O coração bate mais, Com outra satisfação. Até as amizades Parecem mais bonitas.... E o mar? Esse fica mais azul As gaivotas Esvoaçam sobre as ondas Como amantes A beijarem o amado Sentir o sol da Primavera Faz-me sentir mais jovem Mais alegre Com mais vontade De amar a Natureza Emília Costa, assistente operacional


16

NEWSAS

Atividades

MatPaper 2012 Motivar os alunos para a Matemática através de atividades lúdicas! Foi esta a ideia do MatPaper, realizado no dia 23 de janeiro, na Semana do Patrono. O MatPaper consistiu num conjunto de atividades subordinadas ao tema “O Pentatlo dos Jogos Olímpicos de 2012”. Os alunos seguiam um percurso dentro do recinto escolar, participando em cinco provas - Esgrima, Hipismo, Natação, Corrida e Tiro — nas quais respondiam a perguntas relacionadas com Matemática. Participaram no MatPaper 30 equipas, cada uma com quatro alunos do 3.º Ciclo do Ensino Básico, apoiados nas várias provas por professores de Matemática e pelos alunos do 11º N. As Medalhas Olímpicas desta edição do MatPaper foram atribuídas da seguinte forma: Ouro: Os sabichões – 8. º A Prata: Os Olímpicos – 8.º C Bronze: 13420 - 9.º C Parabéns aos vencedores e também a todos os participantes! Felismina Leandro, Mercedes Pinto e Rute Alonso, professoras

A Semana da Leitura, que decorreu de 5 a 9 de março na Semana da ESAS, começou este ano com a presença Leitura de um grupo de ilustradores - Colectivo Rua. Este grupo tem características diferentes do que é habitual: estes ilustradores fazem também grafiti. Foi com uma apresentação clara e bem simpática que se apresentaram, fazendo em seguida um grafiti, aqui mesmo na nossa escola, com uma qualidade enorme. Os alunos e os professores que assistiram, quer à apresentação quer à feitura do painel, assim o acharam. Foi uma bela abertura desta Semana da Leitura, organizada pela Biblioteca da ESAS. Almerindo Pinho e Helena Pereira, professores


Desporto

Número 14

17

Badminton

O núcleo de Badminton do Desporto Escolar da ESAS está em GRANDE!!!!!!!!!!! A nossa escola é a sede da Associação Desportiva de Escolas de GAIMAR, constituída pelas escolas EB 2/3 Teixeira Lopes e Sophia de Mello Breyner, secundárias de Arcozelo, Canidelo e António Sérgio, e pelo Colégio de Gaia. Em torneios realizados na nossa escola, nos dias 21 de janeiro e 4 de fevereiro, e na escola Arquiteto Joaquim Oliveira Alves, em Arcozelo, no dia 11, num ambiente competitivo amigável, apuraram-se os seguintes resultados dos alunos da ESAS: Escalão Juvenil: 1º lugar — Joana Fernandes, 10º O; 1º lugar — Ricardo Moreira, 10º A; 4º lugar — Carlos Samuel, 10º B; 6º lugar — Diogo Carreiro, 10º A; 9º lugar — Ricardo Saraiva, 9º IOSI. Escalão Júnior: 3º lugar — Filipe Carvalho, 12º M; 5º lugar — Rui Saraiva, 12º B. Ainda na competição de equipas, no escalão juvenil masculino, alcançámos o 1º lugar. Representaremos agora a nossa ADE na competição entre as várias ADE do distrito do Porto. No início do terceiro período, iniciarão a competição os alunos dos escalões de iniciados e infantis. Os treinos são animados e sempre com muitos atletas a praticarem o melhor jogo, no melhor estilo e num ambiente de saudável convívio. Se estiveres interessado em experimentar ou frequentar os treinos de Badminton, dirige-te à zona dos ginásios da nossa escola e informa-te junto de um professor. PARABÉNS aos atletas da ESAS! Cristina Nóvoa, professora, e Matilde Vieira, 12ºA Algumas equipas da Associação Desportiva de Escolas GAIMAR

No âmbito do desporto escolar, com organização do CLDE PORTO, a nossa escola participou no quadro competitivo de futsal juniores masculinos. Na primeira fase, a ESAS efetuou dois encontros referentes a duas jornadas. Na primeira jornada, que se realizou no centro de reabilitação SANTO ANTONIO — CEDOFEITA, a escola perdeu os dois jogos em que participou: o primeiro com a equipa de Santo António e o segundo com a Escola Secundária dos Carvalhos. Convém saber que no escalão de juniores podem participar alunos nascidos entre 1989 e 1994, o que possibilita a inclusão de atletas com idade de seniores. Portanto, esta situação coloca a nossa escola em desvantagem, dado que joga com muitos alunos nascidos em 1995/6, o que equivale a dizer que alguns ainda são juvenis. Os alunos de Santo António aparentavam ter, na sua maioria, idade superior a vinte anos. O último encontro disputou-se cá, no dia 3 de março. Jorge Ramiro


18

NEWSAS

Testemunhos

Língua e multiculturalidade A nossa sociedade tem-se revelado cada vez mais multicultural devido aos movimentos migratórios dos últimos anos. Na ESAS estão inscritos muitos jovens de diferentes nacionalidades. Alguns deles quiseram partilhar com a comunidade escolar a sua experiência de mudança de país. Aqui ficam alguns dos seus textos. Márcia Natividade, professora

“Uma grande dificuldade para mim, em Portugal, foi a língua. Quando cheguei aqui, não sabia nada de Português, nem uma palavra; por isso, era muito difícil falar com as pessoas. Também tive alguma dificuldade em adaptar-me à maneira de vestir, ao clima e à comida. Na escola, há uma grande diferença, porque na Índia o ensino é mais difícil do que em Portugal. Lá, os professores, às vezes batem nos alunos para eles terem medo; mas aqui os professores não batem, o que é bom. Acho que nós precisamos de medo para estudar, mas não é preciso bater. Posso dizer que a adaptação foi difícil, mas que com a luta diária consegui. Hoje, gosto dos meus amigos e de viver em Portugal.” Harmandeep, 10ºD

“Estou em Portugal há um ano e meio e já falo Português. A vinda para cá foi estranha para mim e para as outras pessoas. A língua foi uma grande dificuldade, mas agora já percebo mais ou menos e não tenho muitas dificuldades.” Jasman Singh, 7ºB

“Eu vim para Portugal por causa dos meus pais. No início não queria ficar, só queria voltar para o meu país. O clima é muito diferente, porque na Guiné-Bissau é mais quente. Na escola tive algumas dificuldades de adaptação, porque todos falavam muito rápido e eu não compreendia. Eles também tinham dificuldade em perceber o que eu dizia por causa do meu sotaque.” Yasmina Bassanguê, 10ºE

Estou em Portugal há três anos e meio. Morei na Ucrânia durante quinze anos e senti logo a enorme diferença entre estes dois países, a nível da economia, da política e das pessoas. Vim para cá sem saber uma única palavra portuguesa, o que me complicou a vida nos primeiros meses passados neste novo país. Sempre tive sorte com professores, colegas e conhecidos. Os professores tornaram-se pessoas próximas, a quem eu podia pedir ajuda e em quem podia confiar. Ensinaram-me a sua língua materna através de gestos, desenhos, imagens, dicionários e tradutores, fizeram-me ter uma postura crítica, ter a minha própria opinião, e ensinaram-me a defendê-la coerentemente na base da retórica. Ainda agora continuam a apoiar -me. Agradeço à minha primeira professora de PLNM que, numa das aulas, chegou a ensinarme o alfabeto português, agradeço a todos os professores que tinham a paciência de me explicar a matéria inúmeras vezes até eu compreender de que se tratava, agradeço a sua tolerância. Os meus colegas portugueses, que se iam tornando grandes amigos e que encontravam várias maneiras de comunicar comigo (porque no início nem Inglês dominava), não me deixavam sozinha. Os amigos influenciam-me e levam-me a mudar os meus interesses de acordo com a sua cultura. Uma vida sem dificuldades não teria sentido. Porém, o que suscitava mais frustração, nos primeiros tempos, era a incapacidade de perceber as piadas dos meus colegas de turma. Tudo o resto estava num plano secundário. Passado este tempo, sinto-me integrada na sociedade portuguesa e ... Alona Spasenko, 12º A


Número 14

Projetos

19

PROJETO DE TROCA/DÁDIVA DE MANUAIS ESCOLARES Com o objetivo de diminuir uma elevada percentagem de bens consumidos na produção de manuais escolares, reduzindo os danos ambientais e poupando uma grande quantidade de árvores, vai ser implementada uma campanha de “Troca ou dádiva de Manuais Escolares” que visa a utilização consecutiva de manuais em vários anos letivos. As grandes vantagens desta campanha são de carácter ecológico e económico, visando reduzir o número de manuais produzidos e permitir às famílias uma poupança significativa. A quantidade de manuais produzidos nos anos de adoção (de seis em seis anos) será drasticamente reduzida, daí resultando enormes benefícios. Esta campanha tem como destinatários todos os alunos que: mudem de ano e possam dar os seus manuais ou outros livros; mudem de ano e possam receber de outros os manuais ou livros de que necessitem no ano letivo seguinte. BREVEMENTE SERÃO DIVULGADAS MAIS NOTÍCIAS

António Barreira, professor

Uma Pessoa um Produto Dezembro chegou, rápido e sereno e, com ele, a magia de um tempo único – o Natal. Mesmo vivendo tempos difíceis, de dificuldades acrescidas, dezembro é sempre um mês de solidariedade, de partilha. Na comunidade escolar, para além de nos serem transmitidos conhecimentos e matérias, é também reforçado este sentido de humanismo: “ajudar hoje, porque poderemos precisar amanhã”. Imbuídas deste espírito, as professoras Manuela Pinto e Ângela Saraiva puseram mãos à obra, acreditaram que poderiam ser os motores organizadores de uma atividade solidária e passaram do sonho à realidade, desafiando a comunidade escolar para uma campanha à qual decidiram chamar “Uma Pessoa, Um Produto”. O objetivo essencial da campanha era cada aluno trazer um ou dois produtos para serem distribuídos posteriormente a colegas carenciados, minimizando um pouco a tristeza daqueles que tão pouco têm. O 9º D entusiasmou-se com o desafio e quando a ideia chegou aos encarregados de educação estes também se entusiasmaram, o que fez com que muitos dos alunos contribuíssem com mais do que um produto. Depois, outras turmas se juntaram à campanha e, numa cadeia solidária, os produtos chegaram e proporcionaram ajuda a muitos dos nossos colegas mais carenciados e, ainda, à Liga dos Amigos do Centro de Saúde Soares dos Reis. Não podemos esquecer a contribuição do 8º E, através dos seus alunos Ana, Telma, Elisa, André, Tatiana e Renato, que, no dia 16 de dezembro, ajudaram na organização e distribuição dos produtos. A atividade foi um sucesso, deixando orgulhosos os participantes, os organizadores e toda a comunidade escolar. Eva Marques, 9ºD


20

NEWSAS

Em novembro foi eleita a nova direção da Associação de Pais e Encarregados de Educação da ESAS (APESAS), que, desde então, tem procurado conhecer a realidade da escola. Recentemente, em comunicado distribuído em meados de fevereiro, e publicado no site institucional, a nova equipa manifestou a vontade de, em articulação com a Direção da escola, “encontrar os processos mais eficazes” para a melhoria do espaço onde os seus educandos aprendem e convivem todos os dias. De destacar, no referido documento, que a Associação pretende “assegurar o bom funcionamento da cantina; uma vigilância abrangente em toda a área interior da escola; uma segurança efetiva no exterior da escola e na sua envolvente, através de um apoio pensado e estudado com as forças policiais (Escola Segura); a criação de procedimentos que levem à deteção de todos os alunos que consumam qualquer tipo de estupefacientes; rigor da escola no combate a comportamentos impróprios dos alunos; exigência de respeito pelas hierarquias.” De salientar, ainda, a intenção de assegurar a higienização dos quartos de banho e dos balneários, alem do acompanhamento dos diversos serviços da escola, entre os quais a biblioteca, as oficinas e a reprografia. Qualquer contacto com a APESAS pode ser efetuado através do endereço: associacaopais@antoniosergio.pt

Cidadania na Semana da Leitura

Joaquim Jorge, fundador do Clube dos Pensadores, esteve na escola, no dia 8 de março, a convite da equipa da Biblioteca, para, no âmbito da Semana da Leitura, proferir uma palestra subordinada ao tema “Cidadania . No início da sessão, a professora Fátima Dias forneceu informações sobre o orador. Depois, o professor Almerindo Pinho projetou um vídeo da sua autoria, contendo registos de debates promovidos pelo referido clube. Após a palestra, realizou-se um debate com o envolvimento de professores e alunos, que exprimiram as suas ideias acerca da importância da participação cívica dos jovens na sociedade, praticando assim a cidadania. A actividade do Clube dos Pensadores pode ser acompanhada no seu blogue através do acesso ao seguinte endereço da WEB: http: //clubedospensadores.blogspot.pt/


Newsas14 maior