Page 1

Este livro pertence a


Patrocinador + Sobre a Algiz

3

Produção

Realização


mo

u e

s

V

Ê c o

t

s o d o

So u

So

é


s

L uc o

os

A

Louco.

L

u

q

. a c

u o

i.


u

m Chá de Loucos é um passeio pelo universo do País das Maravilhas. É a conexão do real e do imaginário. O que é sonho e o que é realidade? Por dentro da obra de Lewis Carroll, a complexidade combinada com as ilusões gera um universo totalmente paralelo com diversas sensações. O Chapeleiro realmente é maluco? Ou o Coelho não está atrasado?

Para gerar um mundo conhecido por tantos, mas ao mesmo tempo desconhecido, é preciso encontrar as respostas da imaginação. Por dentro de tantos ilustradores, desde o original até os atuais, cada concept causa uma nova percepção e interpretação. A multiplicidade de escalas e de personagens transforma o ambiente em um espaço de sentidos.

, e s e s s E r p A pois

“A Mad Tea-Party“ is a tour in the world of Wonderland. It is the connection between the real and the imaginary. What are dreams and what is reality? Inside the work of Lewis Carroll, complexity combined with illusions creates a parallel universe filled with different sensations. Is the Hatter really mad? The rabbit isn’t late?

To create a world known by many, but at the same time unknown, we need to find the answers of the imagination. Inside many illustrators, since the original to the present, every concept art induces new perceptions and interpretations. The multiplicity of scales and characters turns the museum environment into a space of senses.

o

Geared towards all audiences, the exhibition focuses on the concept of the use of human senses: touch, smell, sight and hearing, suiting the experiences transmitted in the book to the real world. Each room suggests a new perception and, thereby, the public will be able to actually experience Wonderland.


Voltada para todos os públicos, a exposição ressalva o conceito da utilização dos sentidos humanos – tato, olfato, visão e audição – adaptando as experiências transmitidas na obra para o real. Cada sala sugere uma nova percepção e com isso, o público estará apto para, de fato, entrar no País das Maravilhas.

c

á h

come ç

ou

!

Witnessing this world implies to sail through the mysteries created. To encounter the characters and wonder about their existence. To cause uncertainty about the time, life and mind. To know that the human being is prepared to understand the utopias and abstractions. To establish connections with the past, present and future. And above all, to understand the essence of the story and speculate about what is a children’s book.

Presenciar este mundo significa navegar pelos mistérios criados. Encontrar os personagens e se perguntar sobre a existência deles. Ocasionar incertezas sobre o tempo, a vida e a mente. Saber que o ser humano está preparado para entender as utopias e abstrações. Estabelecer conexões com o passado, presente e futuro. E principalmente, compreender a essência da história e refletir sobre o que é um livro infantil. Durante 151 anos, Alice no País das Maravilhas e Através do Espelho esteve presente nas estantes, televisões e teatros ao redor do mundo. Encantando não só crianças, mas também adultos, este clássico tornou-se inspiração para muitos autores e cenógrafos. Com base nisto, entre tantos caminhos e enigmas, a exposição busca transmitir cada conceito através dos personagens e adaptações.

During 151 years, Alice in Wonderland and Through the Looking-Glass was present on shelves, TVs and theaters around the world. It delights not only children, but also adults. This classic has become inspiration to many writers and set designers. Based on this, among many paths and puzzles, the exhibition seeks to convey each concept through the characters and adaptation


É

AL H

DA

C


A

A

AN

RI

A

M 12


A

No livro, Alice nos é apresentada aos lice no país das Maravilhas – ou Alsete anos, idade considerada hisice’s Adventure’s in Wonderland, original toricamente pelo senso comum em inglês – é, substancialmente, a história da como a da razão. Crianças nespequena Alice, que desaparece sozinha após cair sa faixa etária já possuem um na toca do coelho e vive excêntricas aventuras “esboço” de seu caráter e personnum país subterrâneo. Hoje em dia, já conalidade. A jornada de Alice elucida a templada como personagem-referênbusca pelo alargamento da consciência e cia, Alice personifica a inampliação do conceito que têm das coisas, do fância e a curiosidade mundo e de si mesma. recorrente nessa fase da vida.

A história, concebida na Inglaterra Vitoriana, é quase uma antítese da própria época – crianças eram apontadas como seres sem opinião própria ou qualquer poder de decisão, enquanto Alice tem pensamentos bastante complexos, embora ainda próprios da idade, e diversas vezes, no decorrer do livro, surpreende até mesmo o leitor mais atento.


Alice’s Adventures in Wonderland is, substantially the story of the little Alice, who disappears alone after falling down the rabbit hole and lives eccentric adventures in an underground land. Nowadays, Alice is the wildly known character, reminded as the one who personifies childhood and recurring curiosity at this stage of life. The story, created in the Victorian era, is almost an antithesis of it’s own time: children were identified as being without own opinion or any power of decision, while Alice has quite complex thoughts, even though they’re still inherent of her age range, and several times during the book development, it surprises even the most mindful reader.

F

In the book, Alice is presented as a seven-year-old girl. This age is historically considered by common sense as the “age of reason”. Children at this age already have a “sketch” of their ethos and personality. Alice’s journey elucidates the search for the enlargement of consciousness and expansion of the concept she has of things, the world and hersel


C

o c u


C

u

c o


O

tou

primeiro personagem que de fato é do País das Maravilhas a aparecer na história, e um dos mais importantes, o Coelho serve inicialmente como chamariz para Alice, que desvia atenção da história “sem diálogos nem figuras” e o segue para o desconhecido. Animal de incrível agilidade, ele acaba se tornando uma espécie de guia, dado que Alice sempre se encontra com ele ao longo do caminho.

es

Sempre atrasado, ele e o seu relógio aparecem na história como que para simbolizar o tempo, rígido e exigente, e podem ser uma crítica social dirigida às transformações no trabalho ocorridas com a Revolução Industrial, que exigia rotina, disciplina e submissão aos considerados superiores, características peculiares do Coelho, assim como dos trabalhadores de fábricas.

u s ,


!” o

sad

m

ui

to

At

ra

The fi rst character that is, de facto, from Wonderland to appear in the story and one of the most important, the Rabbit initially serves as a decoy to Alice, which diverts attention from the story that “had no pictures or conversations” and proceeds to the unknown. An incredible agility animal, it ends up becoming fairly a guide, as Alice always meets him along the way. Always late, he and his clock appear in the story as if to symbolize the time, unbending and demanding, and this might be a social criticism about the changes at work that took place with the Industrial Revolution, which required routine, discipline and submission to superiors, peculiar characteristics of the Rabbit, as well as the factory worker

e

u D

s,

eu

“A

h m

D e u

hm

A


Mmor et

a

fo


A l

ose zu


A

imagem da lagarta sempre esteve associada a transformações – ao metamorfosear-se em borboleta, por exemplo – e a Lagarta criada por Carroll não se aflige com essa possibilidade, tratando-a com normalidade, ao contrário de Alice, que parece profundamente perturbada. Ela confronta Alice, e acaba provando-se uma fonte de sabedoria, indicando que talvez não devamos temer tanto mudanças.

“ sido E da e tão mt oda e se n

Além disso, ela e Alice se deparam com a mesma situação: naquele momento, as duas possuem a mesma altura – sete centímetros e meio. Apesar de estarem em uma situação similar, Alice inicialmente desgosta da Lagarta, pois de todos os personagens, é a que mais faz Alice se perguntar sobre seu lugar no mundo, de forma fatigante e rude, fazendo o papel de uma “consciência externa”. Não dá respostas diretas à personagem principal, e acaba não sendo de grande ajuda, na jornada propriamente dita.


Caterpillars have always been associated with transformations, when metamorphosing into a butterfly for example, and the Caterpillar created by Carroll does not distresses with this possibility, treating it as normal, unlike Alice, who seems deeply troubled. She confronts Alice, and ends up proving to be a source of wisdom, indicating that perhaps we should not fear change so much.

Ela jam ais o co tinh nte staa a su a vi ntiu da que esta va per den d oa pAc iên

Furthermore, she and Alice are faced with the same situation: at that moment, the two have the same height, three inches. Despite being in a similar situation, Alice initially is displeased with the caterpillar, as she is a character that makes Alice wonder about her place in the world, but in a stressful and rude manner, almost playing the role of an “external conscience.” She does not give direct answers to the main character, and ends up not being of great help in the journe


o r F esta h s e h C l

de


a e r i

h


O

gato de Cheshire é um enigma encarnado – mesmo que seu corpo esteja e não esteja ao mesmo tempo. Ele representa em suas falas a divisão entre a ética e a ciência, e é o único personagem ilógico do livro explicando sua Esse loucura de maneira que haja lógica e sentido – perpercebemos que podemos alcançar um sensonagem é tido em declarações ilógicas, desde que essencial para seja bem definido. a história, pois de certa forma orienta Alice em certas regras locais e é o responsável por guiá-la até a casa da lebre de março, onde ocorre o chá. Ele aparece sempre sorrindo, o que se originou da exNão está no manuscrito original, Alice’s pressão da época “sorrir como um gato de Cheshire”, que tem origem anterior ao livro e desconhecida. Adventures Under Ground, sendo incorpExistem várias teorias para tal, mas as mais fa- orado posteriormente. mosas são: um pintor de tabuletas de Cheshire pintou leões sorrindo nas tabuletas de hospedarias da região; há os queijos de Cheshire que eram moldados como um gato sorrindo e comidos começando pelo rabo.


Cheshire Cat is He always appears smiling, and this was originated by the exan incarnated pression of epoch “grin like a Cheshire cat” which was origenigma – even inated before the book and it’s origins are unknown. when his body is and There are several theories for this, but the most fais not at the same time. mous are: a painter of Cheshire tablets painted His speech represents the smiling lions in tablets of hostels in the redivision between ethics and gion; The Cheshire cheese was shaped science, and is the only illogical like a cat smiling and eaten from character of the book explaining the tail. his madness so that there is logic and sense: we realize that we can achieve a meaning in illogical statements, as long as it is well defined. This character is essential to the story because somehow it teaches Alice in certain local rules and is responsible for guiding her to the house of the March Hare, where the tea party happens. He’s not in the original manuscript, Alice’s Adventures Under Ground, being subsequently incorporate


C

asa da

L

e


ar รง

o

M

ebre

de


C

arroll se inspirou nas expressões previamente existentes da lingua inglesa: “Louco como um chapeleiro” e “Louco como uma Lebre de Março” para criar os personagens que figuram entre os mais ilustres. A etimologia de ambas as sentenças são bem conhecidas. Chapeleiros costumavam desenvolver uma doença por conta do uso de mercúrio na fabricação de chapéus, que podia ocasionar delírios. A outra provém da chegada da primavera na Europa, período em que ocorre o acasalamento das lebres.

Alice encontra os participantes de uma festa do chá eterna, o Chapeleiro, a Lebre de Março e o Caxinguelê. É explicado posteriormente que a razão da festa ser eterna é por conta de certa vez o Chapeleiro ter ofendido o Tempo, e por consequência ficou preso na mesma hora do dia para sempre – na hora do chá. O autor caricaturalmente retrata a rudeza e a falta de modos dos componentes do chá, que são divertidas apesar de tudo, e as contrasta com as maneiras vitorianas. A lebre de Março e o Chapeleiro também possuem uma aparição no segundo livro, onde são os dois mensageiros do rei, chamados de e Haight e Hatta, “um para vir e um para ir”.


Carroll was inspired by the pre-existing expressions of the English language: "Mad as a hatter" and "Mad as a March Hare" to the create characters that are one of the most distinguished of the story. The etymology of both sentences are well known. Hatters used to develop a disease due to the use of mercury in the manufacture of hats, which could induce delusions. The other sentence was originated by the arrival of spring in Europe, time of the year when the mating season of the Hares happens.

Alice meets the participants of an eternal tea party, the Hatter, the March Hare and the Dormouse. It is explained later that the reason of the perpetuation of the party is because once the Hatter has offended Time, and consequently got stuck in the same time of day forever, in the afternoon tea. The author sardonically depicts the rudeness and the lack of manners of the tea participants, which are fun despite of everything, and contrast it with the Victorian manners. The March Hare and the Hatter have also appeared in the second book, where they are the two messengers of the king, called Haigha and Hatta "one to come and to g


B sq

o

ue


u d e e

D

m


o

s Tweedles parecem o complemento exato um do outro, tal qual uma imagem refletida no espelho e o objeto de reflexão propriamente dito – exceto a costura em suas camisas, que indica seus respectivos nomes. Sendo assim, seus discursos também são contrários, todavia demonstram uma troca de afeto típica de crianças entre eles.

Eles recitam a poesia “A Morsa e o Carpinteiro” para Alice, e criticam, junto com Alice, os valores que oscilam entre o egoísmo e a hipocrisia praticados pelos personagens presentes na poesia: A Morsa e o Carpinteiro enganam as ostras para comê-las, no entanto a Morsa finge que tem pena delas, embora as tenha comido mesmo assim.

Contra

A Alice e Rainha Vermelha são tomadas por plantas. Especificamente, a Rainha é confundida com uma dália, por conta de sua coroa pontuda e sua cor avermelhada. Segundo Lírio-Tigre, líder das flores, a maioria dos jardins possui terra fofa, o que ocasiona no adormecimento das flores e na falta de comunicação delas com outros seres. A terra no país do espelho é dura, por isso as flores permanecem acordadas normalmente, embora elas iniciem um diálogo apenas com quem elas considerem dignas de conversar, e ainda apenas se o outro ser iniciar a conversa.


The Tweedles seem the exact complement each other, like a reflected image in the mirror and the reflection object itself; except the seam on their shirts which indicates that their names are not the same. Thus, his speeches are also opposed, however they demonstrate an exchange of affection, typical of children among them. They recite the poetry "The Walrus and the Carpenter" to Alice and criticize along with her the values ranging from selfishness and hypocrisy practiced by the characters present in the poetry: The Walrus and the Carpenter deceive oysters in order to eat them, however the Walrus pretends to have pity on them, although he has eaten them anyway.

ariwise

N

Alice and the Red Queen are mistaken by plants. Specifically, the Queen is mistaken by a dahlia, because of her spiky crown and reddish color. According to Tiger-Lily, the leader of flowers, most gardens have soft earth, which causes numbness on flowers and makes them not being able to talk to other wights. The land in the country mirror is hard, so the flowers remain awaken, although they only begin a dialogue with those they consider worthy to talk, and only if the other person starts the conversatio


P or

co

&


&

i m e n t A

P


A

os olhos de Alice, a Duquesa era uma pessoa muito feia e a espetava com seu queixo ‘desconfortavelmente pontudo’ ao aproximar-se, o que deixava a menina incomodada. Sua característica psicológica mais marcante é a de encontrar moral em tudo, possivelmente mais uma das várias críticas irônicas do autor à época. Especula-se também que a Duquesa foi inspirada na pintura caricatural “A Duquesa Feia” de Quentin Matsys, considerada o retrato da Duquesa Margaret da Caríntia e do Tirol – uma das mulheres mais feias da história.

Embalava um bebê na cozinha enquanto a cozinheira mexia um caldeirão de sopa, onde colocava muita pimenta, que se alastrava para o ambiente. Ao que tudo indica, essa cena remete-se às casas inglesas de classes mais baixas, onde era habitual que colocassem muita pimenta na comida para paliar o gosto de alimentos estragados.

A cozinheira, sem motivo aparente, começou a atirar utensílios da cozinha na Duquesa e no bebê – que já chorava por causa da pimenta – mas a Duquesa pouco se importava. Na primeira oportunidade, Alice consegue fugir com o bebê, mas ele acaba transfigurando-se em um porco. Além da característica do livro de evocar uma mente adormecida narrando esse despropósito, pode-se também fazer associação com a travessura que certa vez a condessa de Buckingham fez com o Rei Jaime I – articulou que ele assistisse ao batismo do que ele pensava ser um bebê, mas na realidade tratava-se de um porco.


The Duchess, a character with an inflexible and explosive temper, appears when Alice spies on two footmen in livery and curly hair, who dialogued on the invitation of Queen to the Duchess to play croquet. In Alice’s perception, the Duchess was a very ugly person and jabbed Alice with her ‘uncomfortably sharp’ chin as she approached, which made the girl peeved. The most remarkable psychological characteristic about the Duchess is that she would find moral in everything, possibly one of the several ironical critics of the autor to the time he was living. It is also speculated that the Duchess was inspired by the cartoonish painting “The Ugly Duchess” by Quentin Matsys, considered the portrait of the Duchess Margaret of Carinthia and Tyrol - one of the ugliest women in history. She pampered a baby in the kitchen while the chef stirred a cauldron of soup, which had a lot of pepper that was spreading to the place. Apparently, this scene refers to the English houses of the lower classes, where it was customary that they put a lot of pepper in the food to alleviate the taste of spoiled food. The cook, for no apparent reason, started throwing kitchen utensils at the Duchess and the baby, who was crying because of the pepper, but the Duchess cared little. At the first opportunity, Alice manages to escape with the baby, but he ends up turning into a pig. Besides the feature of evoking a sleeping mind narrating this nonsense, we can also associate this with the prank that the Buckingham countess once made to King James I – articulated that he attend the baptism of what he thought was a baby but in reality it was a pi


aLรก

P pA o C E D


รกcio

A

s


m e t r o C

s a

Uma possível crítica a Inglaterra Vitoriana, a Rainha de Copas assume o papel da própria Rainha Vitória que é caracterizada por Carroll não só como sem autoridade, mas também como possuidora de um julgamento duvidoso e simplista, como pode ser observado em sua visão de justiça – veredito antes da deliberação de fatos.

C

C o m aparição no primeiro livro, a Rainha de Copas, junto com o Rei, governa o país das maravilhas. A Rainha personifica a própria monarquia, irritadiça e autoritária, porém sem poder político de decisão real – suas ordens de decapitação nunca são realmente efetivadas – no entanto, os súditos a temem e respeitam.


Ca รงas be

S

With the appearance in the first book, the Queen of Hearts, along with the King reins Wonderland. The Queen personifies the monarchy itself, angry and authoritative but without real political power: her decapitation orders are never really effected. However, the subjects fear and respect her. A possible criticism of the Victorian Era, the Queen of Hearts takes on the role of Queen Victoria, who is characterized by Carroll not only as a monarch with no authority, but also as having a dubious and simplistic judgment, which can be seen in her vision of justice, verdict before the deliberation of fact


xque e


e t a m M


A

A

Rainha Branca é uma das primeico n t i n ras personagens a apauação da recer no livro. Inicialmente, história de ela é incapaz de ver ou ouvir AlAlice foi inteice, porém no decorrer da história esse gralmente embaproblema é contornado e as duas se tornam sada na mecânica aliadas. A rainha é dócil e dá bons conselhos, além de um jogo de xadrez. de se lembrar facilmente do passado e conhecer o Em vista disso, fazia-se futuro, uma consequência de “viver às avessas”– necessário que houvesse já que reside através do espelho. Pode soluciooponentes em relação a Alnar problemas matemáticos facilmente, um ice, e a Rainha Vermelha é essa reflexo do próprio autor. simbolização. Carroll denotou as características previstas em jogadores de xadrez daquela época: calmos, formais, estritos e concentrados. A despeito de ser antagonista, possui um relacionamento cordial com a Rainha Branca e Alice, além de instruir a menina sobre o funcionamento das regras do jogo, mesmo que isso garanta a vitória do outro lado. Pressupõe-se que tenha sido modelada segundo a Srta. Prickett, governanta das irmãs Liddell.


The White Queen is one of the first characters to appear in the book. Initially, she is unable to see or hear Alice, but throughout the story this problem is bypassed and the two become allies. The Queen is docile and gives good advice, and besides, she remembers the past easily and knows the future, a consequence of "living backwards “, as she resides Through the Looking-Glass. She can solve math problems easily, and this is a reflection of the own author.

The second Alice book was fully based on a chess game mechanic. Thus, it was necessary that there were Alice’s opponent, and the Red Queen is this symbolization. Carroll denoted the features expected in chess players on that epoch: calm, formal, strict and concentrated.

Despite being an antagonist, she is cordial towards the White Queen and Alice, and instructs the girl about the rules of the game, even if it ensures the victory of the other side. It is assumed to have been inspired on Miss Prickett, governess of the Liddell sister


Ad

e


nd

o

s


c T

c o na

N

o h l e o a de

A queda de Alice na toca do coelho simboliza a passagem da realidade para o sonho. A sensação de queda livre descrita no livro nos fascina de tal forma que pode ser considerada uns dos mais memoráveis episódios do livro, e de todas as diferentes adaptações visuais. Em vista disso, o ambiente foi transformado de forma a capturar de súbito as emoções e sentidos, por meio da realidade virtual, que reforça a riqueza do momento e estimula muito atém da visão.

Alice falling down the rabbit hole symbolizes the transition from reality to dream. The sensation of free fall described in the book fascinate us so so much that it may be considered one of the most memorable episodes of the book and of all different visual adaptations. As a result, the hall has been transformed in order to suddenly capture emotions and the senses, through virtual reality, that enhances the richness of the moment and stimulates way beyond the vision.


m

ue "q

sa en

êp

!u ” o n

qu e

O que é sonho e o que é realidade? Os alicerces de Alice se baseiam nesse questionamento. Os dois se confundem, se misturam. A fascinação por contrastes e paradoxos que Carroll possuía inspirou a sala nebulosa, que nada mais é que o impacto causado pelos sonhos na vida real. O adormecer e o despertar de Alice, seja em uma tarde de verão na relva ou seja no inverno em sua casa – a realidade – são tão notáveis quanto suas bizarras aventuras.

c vo

sa

lo

u eb

N

What are dreams and what is reality? Alice's foundations are based on these questioning. Dreams and reality both mingle. Carroll’s fascination with contrasts and paradoxes inspired the nebulous room, which is nothing more than the impact caused by dreams in real life. The sleep and awakening of Alice, either on a summer afternoon lying on the grass either in winter by her home are as remarkable as her bizarre adventures.

o s

h


"

Mas os poços da fantasia acabam sempre por secar e o contador de histórias, cansado tentou escapar como podia: o resto amanhã... Já é amanhã.


Lewi

s

l l o r r a


C

harles Lutwidge Dodgson (27 de janeiro de 1832 - 14 de janeiro de 1898), mais conhecido por seu pseudônimo, Lewis Carroll, foi um romancista britânico, matemático e fotógrafo. Alguns de seus livros são “Alice no País das Maravilhas” e “Através do Espelho e o que Alice Encontrou por lá”, o poema "A Caça ao Turpente", o romance "Sílvia e Bruno" e “Alice – Canções de Ninar”, além de varias teses matemáticas.

Charles Lutwidge Dodgson (January 27, 1832 - January 14, 1898), better known by his pen name, Lewis Carroll, was a British novelist, mathematician and photographer. Some of his books are "Alice in Wonderland" and "Through the Looking Glass and what Alice found there", the poem "the hunting of the snark", the novel "Sylvie and Bruno" and “Nursery Alice", as well as many mathematical theories.

Lewis Carroll ( Charles Lu Auto-retrato, 1875


utwidge Dodgson)


Foto tirada por Le

15 de julho de 18


ewis Carroll da família Terry

865

A

história e as experiências do homem por trás dos livros são dignas de análise, pois há um grande obscurantismo no que diz respeito a sua moralidade, já que o autor, homem tímido que nunca foi casado, era conhecido por possuir predileção por meninas mais jovens e por fotografá-las nuas – hábito corriqueiro na época, que idealizava a inocência e pureza virginal das crianças. Sua criança predileta, Alice Liddell teve um papel central na criação dessa história, e o objetivo central desse anexo é desvendar e desconstruir qualquer imagem prévia e analisar profundamente suas condutas.

The story and experiences of the man behind the books are worthy of analysis, because there is a large obscurantism concerning his morality, since the author, a shy man who has never been married, was known to have a predilection for younger girls and to photograph them naked – habit of the epoch where they idealized innocence and virginal purity of children. His favorite child, Alice Liddell had a central role in the creation of this story, and the main objective of this annex is to unravel and deconstruct any prior image and make an analysis concerning his behavior.


Agradecimentos Agradecemos ao nosso orientador, André Luis Ferreira Beltrão, por nos orientar durante todo o processo de criação da exposição. Aos nossos professores Carlos Alexandre Xavier Salomon, Eduardo Ariel de Souza Teixeira, Andrea Hecksher Pacheco, Henrique Orlando Pires Alves, Eliana de Lemos Formiga e Marcello Roberto de Paula Rosauro de Almeida por nos ajudar na melhoria do trabalho, cada um atuando em sua área. Também agradecemos a nossa família por todo apoio e incentivo dado nesse momento de muito trabalho e esforço. Agradecemos a todos que acreditaram e nosso potencial em fazer um bom trabalho e que nos ajudou a chegar até aqui.


Ficha Técnica Curadoria: Algiz
 Orientação: André Luis Ferreira Beltrão Realização: Centro Cultural Banco do Brasil Idealização: Algiz Produção: Algiz Assessoria de Imprensa: Algiz Artistas: John Tenniel / Lewis Carroll / Blanche McManus / Peter Newell / Arthur Rackham / Willy Pogany / Zelda Fitzgerald / Mervin Peake / Tove Jansson / Salvador Dalí / Max Ernst / Peter Blake / Anthony Browne / Tony Ross / Lisbeth Zwerger / Yayoi Kusama / Vivienne Westwood / Annie Leibovitz / Colleen Atwood / Grace Coddington / Marc Jacobs Comunicação:Algiz Coordenação Geral: Produção: Algiz Produção Executiva: Algiz Expografia: Algiz Design Gráfico: Beatriz Rocha, Carolina Saddy, Fernanda Martins, Jessica Almeida, Lilian Neves Cenografia: P&G Cenografia Equipe de Montagem: P&G Cenografia Iluminação: Apema


Catálogo  

O catálogo da Exposição "Um Chá de Loucos" reúne o conjunto de ilustrações, cenários ambientados, elementos sensitivos (cheiros, texturas, c...

Catálogo  

O catálogo da Exposição "Um Chá de Loucos" reúne o conjunto de ilustrações, cenários ambientados, elementos sensitivos (cheiros, texturas, c...

Advertisement