Page 1

DEZEMBRO2011 CAPA MARIANA Cテ,ERES

#6


A nervos é uma revista de música portuguesa, nova, velha ou extinta. Sem compromisso de novidade, até porque só sai uma vez por mês.

www.nervos.org

FICHA TÉCNICA TEXTOS RAQUEL SILVA FOTOGRAFIA LENHA DESIGN [JOÃO SILVA] RAQUEL SILVA

CAPA MARIANA CÁCERES www.behance.net/marianacaceres www.flickr.com/photos/geniousbeat

APOIOS

#6

DEZEMBRO2011 periodicidade mensal


CONTEÚDOS

PARTILHAR É GOSTAR Estivemos ausentes durante um mês, e doeu-nos muito no coração esta paragem. Voltamos agora com uma edição ainda pouco recuperada das nossas deficiências, mas contamos voltar a todo o vapor em 2012! A edição de Dezembro, e porque estamos no Natal, fala-vos de partilha e amizade - os splits. Aquela tão bela ideia que algumas bandas (em quantidade insuficiente) têm, de partilhar um disco ou um projecto com outra banda. A partilha é bonita. E esta edição dá outro significado à Árvore da Vida. Em 2012, voltamos a partilhar. Nervos

ÁRVORE DA VIDA SUNFLARE THROES + THE SHINE RIDING PÂNICO


ÁRVORE DA VIDA

Porque há pessoal com mais que uma banda

Quem perde um concerto

(Objects, Lace Bows),

publicitárias à volta de

dos Sunflare, perde mais

é, indiscutivelmente, a

Young Love, muito menos

que isso. Perde uma

definição de “não querer

são activos nas redes

experiência.

saber”.

sociais.

A banda que reúne

Fala-se pouco deles, porque

Só sabe deles, quem quer

Guilherme Canhão (Lobster,

eles não fazem questão

saber, quem os apanha por

Tigrala), Raphael Soares

de ser falados. Não tocam

acaso, e agora, vocês, que

(Disarm You, The Sound of

em grandes festivais, não

a bem dizer se incluem na

Typewriters) e Rui Nogueiro

têm mega campanhas

última categora.

SUNFLARE


É provavel que depois disto os vão ouvir e dizer mal, que é barulho, ou não perceber. Mas ainda mais provável, é que eles se estejam a cagar para isso.


Já toda a gente sabe o quão

promessas do que mexe no

Que não vos falte mais

estranha é esta ligação.

país.

nada, têm aqui o

Juntas, duas bandas criaram

Um quarteto contagiante,

vosso impulso.

um estilo. Os Throes (Marco

dois professores de dança

e Igor) e os The Shine (Diron

magistrais e guitarra, teclas

e André), optaram por ser

e bateria a cabo de um

simplesmente os Throes +

power-duo invejável.

The Shine, os fundadores do rockduro, numa noite já ida

Estão agora em vias de se

do Plano B.

lançar, com um vídeo já pronto, e com um nome já

Demorou a acontecer, mas

mais que falado e aprovado.

aos primeiros toques de “Wild Rainbows”, fez-se

Falta demasiada coragem

história.

a Portugal para misturar

São agora uma das

estilos, mas é esta a prova

grandes apostas e,

do sucesso e competência

simultaneamente,

dos músicos nacioanis.

THROES + THE SHINE


RIDING PÂ Um super-grupo pouco

Milhões de Festa), Chris

comum, diga-se.

Common dos These Arms

Os Riding Pânico são, além

Are Snakes na bateria.

de uma banda de bruta envergadura, um exemplo

Têm para contar a história,

de multidisciplinariedade

um disco de tons post-rock,

em forma de pessoas: por

que tarde ou nunca deixará

um lado, temos um grupo

de ser incrível, Lady Cobra

de amigos, que se junta -

de seu nome.

agora - nos dias de Verão para tocar, e por outro,

Pessoas que nunca páram,

uma mais de meia dúvida

no entanto, apesar de o

de músicos de excelência,

calor do Verão parecer ser o

que se dividem entre este,

seu motor, os Riding Pânico

e outros projectos de igual

existem sem compromisso

qualidade.

ou uma preocupação em especial. É como um hobbie

Ao longo dos seus anos,

que toda a gente respeita.

os Riding Pânico viram

Uma das melhores bandas

passar por si membros dos

“part-time” que Portugal

Men Eater, If Lucy Fell, PAUS,

virá a conhecer.

e, mais recentemente (no


ÂNICO


black bombaim

lobster

i had plans

the notorious hi-fi killers

the sound of typewriters

legs dead and well

O split dos barcelenses Black Bombaim com os The Notorious Hi-Fi Killers, chega até nós num formato prático, mas ingrato: um CD, daqueles verdadeiros. O conteúdo é, no entanto, surpreendentemente (ou não) mais agradável que a sua fisionomia.

Os Lobster e os The Sound of Typewriters decidiram levar o conceito de split até outro nível. Depois deste vinyl cor-de-rosa ter sido lançado, os membros das duas bandas consumaram o seu amor e formaram os Sunflare (sem o Ricardo, no entanto), e continuam até hoje a mostrar que a junção de duas bandas pode concentrar tudo o que de bom há nelas.

Quando duas bandas se apaixonam, dizem eles, um bocado como nas relações de modo geral, acaba em união. A relação dos I Had Plans com os americanos Legs Dead and Well acabou num split, com músicas que, ainda que gravadas individualmente, se complementam na perfeição. Nota-se que andaram na mesma escola.

Era bom que pudessemos dizer que no lado A, os Black Bombaim gravaram “Alexandra”, e no lado B, os The Notorious Hi-Fi Killers gravaram “You’re Going to be Free”, mas contentamo-nos em que as duas tenham encaixado num único lado digital, cada uma com os seus mais-de10-minutos. Como, aliás, já nos devíamos ter vindo a habituar. Além do split, as duas bandas andaram por uma tour, quase de celebração deste lançamento, que acrescenta bastante ao puzzle que os Black Bombaim têm vindo a formar.

Neste split, de lado A e B simplesmente, os Lobster contribuem com a energética “Fossils”, e os The Sound of Typewriters contrastam com “Naomi Watts”, num registo mais pacífico. Dois duos, em que o elemento em comum é a bateria, suportada por duas cordas completamente distintas, mas tocadas com a mesma dedicação, que formam assim um todo. Apesar de as bandas terem disponibilizado o disco na internet, aconselhamos fortemente a que lhes peçam o formato físico. Até porque a capa é demais.

Também eles escolheram o vinyl como formato, um pequeno 7 polegadas que concentra todo o amor entre as duas bandas, com um oceano pelo meio. Os Legs Dead and Well mostram a sua parte no bandcamp. Quanto aos lisboetas, nem sequer procurámos. Queremos ter.

REOUVIR


eak

debut!

mr. miyagi

crushing sun

lobster

cold ones

Bipolar é só peso. Juntaram-se duas bandas de extremos, que partilham um extenso disco, com contribuições bastante semelhantes, mas com maneiras diferentes de as moldar, entre hardcore e metal.

É indiscutível que os Lobster têm queda para partilhar coisas com as outras bandas. Os DEBUT! (que entretanto já não existem), são apenas mais uns na sua panóplia de amores.

O nome que os Mr. Miyagi e os Cold Ones deram ao seu split não podia ser mais apropriado. Double Trouble não é um vinyl comum, é um 7 polegadas estranhamente bem preenchido - com nove faixas, cinco de Cold Ones e quatro de Mr. Miyagi.

Parece que só agora se começou a ouvi-los, duas bandas tão pesadas acima do Tejo, de onde normalmente só ouvimos falar de rock ‘n’ roll, que já existem há bastante tempo. Esta, chamemos-lhe, peça, não é para se ouvir em qualquer altura. É preciso bastante predesposição para berraria, mas afinal, que era deste mundo sem o amarelo.

Eventualmente, também esta relação evoluiu. Cláudio Fernandes (dos DEBUT!) e Ricardo Martins (dos Lobster), ambos a assassinarem quase de vez as suas bandas, juntam-se e formam os Cangarra. Voltando ao disco, lançado pela também extinta Merzbau, conta com um tema de cada banda, pouco inéditos mas bastante surpreendentes ainda assim. “Nintendo” e “Wave Simulator” dos Lobster e “Sega” e “Quartz” dos DEBUT!, fazem deste um split bastante videogame-y e agradável ao ouvido. Nem todas as relações são perfeitas. Esta é.

Por outro lado, não é assim tão surpreendente que tenham conseguido encaixar tanta música em tão pouco espaço. A verdade é que ambas as bandas tocam rápido, se alguma música excede os 2 minutos, é por muito pouco. Acaba por ser o espelho de uma amizade com vários mares a separá-los, a partilha de uma maneira de ser (nenhuma das duas bandas está propriamente preocupada em ter o vinyl protegido por mais que uma folha dobrada) e de uns dias que, adivinhamos, terão sido bem passados, na tour ibérica.


HALLOWEEN SCREAM Na noite de Halloween, foram poucos os que foram até ao Hard Club no Porto, vestidos a rigor. Os Mr. Miyagi foram parte dessa minoria (a par dos Noidz, de certeza, mas não estávamos na sala ao lado para ver) e asseguraram que a noite fria do norte passaria despercebida. Depois de uma sala meia a assistir aos Vai-te Foder, Crepúsculo Maldito, Dokuga e Tinnitus, os vianenses juntaram o Porto na pequena sala do Hard Club para um concerto literalmente aterrorizante, com direito a cenário a condizer.


Dezembro 1 Dez Catacombe - Side B Bar, Benavente David Maranha, Pedro Sousa e Filipe Felizardo - Galeria Zé dos Bois, Lisboa

2 Dez Ivvvo - Musicbox, Lisboa Aspen, Throes+The Shine - Kastrus River Klub, Esposende

2-3 Dez Vodafone Mexefest - Avenida da Liberdade, Lisboa

Barreiro Rocks - Os Ferroviários, Barreiro

3 Dez Pega Monstro - Galeria Zé dos Bois, Lisboa Moe’s Implosion + O Bisonte - Blackbox, Caldas da Rainha Halloween - Musicbox, Lisboa

6 Dez Lobster - Plano B, Porto 7 Dez Lobster - Galeria Zé dos Bois, Lisboa Killimanjaro - Bar do Xano, Barcelos

Gesso - Bar Mali, Santo Tirso

9 Dez Gesso + Killimanjaro - A Filantrópica, Póvoa de Varzim 10 Dez Hardcore Benefit - Revolver Bar, Cacilhas Quero Ver o Tom Waits num bar d’alterne do Intendente! - Taberna das Almas, Lisboa Xmas Fest 2011 - ADAC, Pombal Old Jerusalem - Auditório de Espinho, Espinho Biarooz - AISCA, Viana do Castelo

13 Dez Hills Have Eyes - Santiago Alquimsita, Lisboa 14 Dez Asimov Folkways - 49 ZDB, Lisboa 15 Dez Noites da Rua #4 - Musicbox, Lisboa 17 Dez Norberto Lobo - Galeria Zé dos Bois, Lisboa A Book in the Shelf - Hey Joe!, Montijo

20 Dez Sensible Soccers - TBA, Lisboa 21 Dez Norberto Lobo - Centro Cultural de Belém, Lisboa 22 Dez Primitive Reason - TMN ao Vivo, Lisboa 23 Dez Biarooz - Bar Cultural d’a Filantrópica, Póvoa de Varzim Mau Amigo - AISCA, Viana do Castelo

AGENDA


2011

Nervos #6  

Dezembro 2011