Page 1

r ve o mo Vi Tej Tel o lli e in tt Co

RIBATEJO Dezembro 2019 • Ano V • Nº51

Comissão e OCDE apresentam recomendações para ajudar os países e as regiões da UE a realizar a transição industrial P. 24

Matérias-primas: Comissão lança novo portal em linha para melhorar o aprovisionamento responsável pelas empresas P. 26

Economia portuguesa vai continuar a convergir com a média da União Europeia

RIBATEJO

P. 15

RIBATEJO


2

RIBATEJO

DEZEMBRO 2019

www.nersant.pt


ÍNDICE

RIBATEJO Dezembro 2019 • Ano V • Nº51

18

40

22

38

48

50

Desenvolvimento Regional

Viver o Tejo

05 Notícias

30 José Ângelo Cottinelli Telmo, arquiteto e cineasta

12 Poder Local

Empreendedorismo e Inovação

15 Atualidade Nacional

32 Notícias

18 O Toucinho: Restaurante de Almeirim investe na modernização de equipamentos

38 Ikimobile produz em Coruche primeiro brinquedo tecnológico 100% nacional

20 Intermarché investe 6 milhões de euros na nova marca exclusiva

40 Projeto para a produção de adubos com farinha de insetos gera investimento de 15 milhões em Santarém

22 Agrozel investe 2 milhões de euros na produção de nozes

42 Zone Soft é mentora de programa de aceleração da Startup Lisboa

Informação e Apoio

Internacionalização

24 Comissão e OCDE apresentam recomendações para ajudar os países e as regiões da UE a realizar a transição industrial

44 Notícias 48 Hidro Ibérica tem novo site para facilitar a proximidade com o cliente nacional e internacional

26 Matérias-primas: Comissão lança novo portal em linha para melhorar o aprovisionamento responsável pelas empresas

50 Digital Manager Guru: uma empresa com ambição global

28 Regime Fiscal de Apoio ao Investimento: uma oportunidade para pagar menos investindo mais

www.nersant.pt

54 Acordo comercial UE-Singapura já em vigor

DEZEMBRO 2019

RIBATEJO

3


EDITORIAL

EDITORIAL

RIBATEJO

N

a edição de dezembro da Ribatejo Invest trazemos até si inúmeros motivos de interesse, que certamente serão do seu agrado. E quase sem darmos por isso, o ano está a terminar. Estamos de novo em plena época festiva, o que nos conduz, mesmo involuntariamente, a um exercício de reflexão e introspeção. Num acerto de contas entre o que nos propusemos fazer ao longo do ano e o que realmente conseguimos alcançar, é geralmente nesta altura que surge a necessidade de reavaliar decisões, redefinir objetivos ou procurar novos desafios. Na Ribatejo Invest, continuámos o caminho que há quatro anos definimos: partilhar o que de melhor e mais relevante acontece na região, e no país, nas áreas da economia, gestão, inovação, tecnologia, finanças, entre outras. Prosseguimos com o nosso propósito de olhar para tecido empresarial ribatejano de uma forma positiva, procurando o que de melhor existe, promovendo as boas práticas e os bons exemplos. Divulgámos novos projetos empresariais, mas também trouxemos histórias, que nos devem orgulhar, de empresas consolidadas na região e que estão a desenvolver novos projetos de investimento, inovação e internacionalização que a todos devem orgulhar e inspirar.

FICHA TÉCNICA Diretora: Maria Salomé Rafael Conselho Redatorial: Cláudia Monteiro Sandra Pereira ribatejo.invest@nersant.pt

4

RIBATEJO

Publicidade: Maria João Rodrigues maria.joao@nersant.pt Propriedade: NERSANT, AE. Várzea de Mesiões - Apartado 177 2354-909 Torres Novas Tel.: 249 839 500 | Fax: 249 839 509 www.nersant.pt

2019 foi um ano importante para a NERSANT, que celebrou os seus 30 anos de existência. Esse momento serviu para recordar e homenagear todos aqueles que estiveram na sua génese e que ajudaram a transformar a NERSANT na maior associação empresarial regional do país, grandeza medida não só pelos resultados quantitativos, mas sobretudo, pelo contributo imensurável que tem dado em prol das empresas e do desenvolvimento socioeconómico da região. 2020 surge-nos pela frente com alguns desafios, expetativas e preocupações. A instabilidade política e nos mercados internacionais, o Brexit, o abrandamento do crescimento da economia, a preparação do novo Quadro Comunitário de Apoio e das novas estratégias regionais, são assuntos de que nos vamos ocupar, certamente, nos próximos meses. Por agora, e porque este é o tempo da família, da solidariedade e da partilha, saibamos fazer uma pausa na correria do dia-a-dia, esquecer momentaneamente as preocupações, e dediquemos o nosso tempo a todos aqueles que nos são próximos.

Maria Salomé Rafael Presidente da Direção da NERSANT

Periodicidade: Mensal Tiragem: 500 exemplares

DEZEMBRO 2019

Isento de registo na ERC ao abrigo do decreto regulamentar 8/99 de 9/6 artigo 12.º, n.º 1 a)

www.nersant.pt


DESENVOLVIMENTO REGIONAL

DR

Nobre Vegalia lança novos produtos vegetarianos A Nobre, com sede em Rio Maior, acaba de lançar novos produtos na sua gama Nobre Vegalia, uma linha pensada para flexitarianos e vegetarianos. Os novos hambúrgueres, disponíveis em três variedades – Espinafres, Beringela e Pimentos Assados – e os nuggets vegetarianos juntam-se, assim, aos já bem-sucedidos fatiados e salsichas vegetarianas produzidas na unidade fabril da empresa em Rio Maior. “Com 0% carne e 100% sabor”, os novos hambúrgueres e nuggets vegetarianos contêm alto teor em proteína e gorduras insaturadas e são isentos de glúten e lactose. “Com o lançamento destas novas variedades Nobre Vegalia, pretendemos, mais uma vez, ir ao encontro das necessidades e exigências dos consumi-

dores que procuram opções equilibradas, mas que não dispensam o sabor. Os novos hambúrgueres e nuggets apresentam-se como uma solução saborosa e muito prática, uma vez que se preparam em cerca de seis minutos e são ideais para complementar uma dieta variada e nutritiva“, explica Cátia Costa, senior marketing manager da Nobre. A gama Nobre Vegalia, disponível desde 2018, é composta por fatiados elaborados à base de clara de ovo, sem glúten, lactose, soja ou corantes, por salsichas vegetarianas, sem corantes, conservantes, glúten e lactose, e agora pelos novos hambúrgueres e nuggets. Todos os produtos Nobre Vegalia são certificados com o selo V-Label da União Vegetariana Europeia.

Filstone mostra novidades na Concreta – Feira de Construção, Reabilitação, Arquitetura e Design A Filstone participou, com stand próprio, na Concreta – Feira de Construção, Reabilitação, Arquitetura e Design, que decorreu entre 21 e 24 de novembro na Exponor – Feira Internacional do Porto. Durante quatro dias, os visitantes ficaram a conhecer

www.nersant.pt

a Filstone Design, uma nova aposta da empresa baseada em soluções com uso da pedra em ambientes interiores ou exteriores. Além disso, a empresa disponibilizou aos visitantes desta feira uma mesa interativa com a aplicação Next 360

DEZEMBRO 2019

para que pudessem combinar os produtos Filstone em ambientes reais em 360º. De referir que a Filstone é uma empresa dedicada à exploração de pedreiras e calcários portugueses com sede em Fátima, concelho de Ourém.

RIBATEJO

5


DESENVOLVIMENTO REGIONAL

Teambuilding da Garval no Almourol

Gravymedal produz prémios de mérito INATEL 2019 Os prémios de Mérito INATEL 2019 foram desenhados pelo Núcleo de Design Gráfico e Multimédia da Fundação Inatel e produzidos pela empresa do Cartaxo Gravymedal. Os troféus foram atribuídos na Gala Social INATEl, que consagram pessoas e organizações que, diariamente e de múltiplas formas, trabalham nos domínios da Cultura, do Desporto, do Turismo da Sustentabilidade e Economia Social. A Gala Social INATEL é o encontro através do qual a Fundação INATEL releva a importância do trabalho desenvolvido em Portugal, no campo das políticas sociais. Num ambiente de comemoração, reúnem-se os principais intervenientes em iniciativas promovidas pela INATEL e por outras entidades que fazem parte do seu universo, bem como pessoas e organizações da Administração Pública e da Sociedade Civil que assumem um papel preponderante no campo da cooperação e do desenvolvimento sustentável.

6

RIBATEJO

Pelo 5.º ano consecutivo, a Garval realizou mais um dia de teambuilding, a 12 de outubro. Este ano, para além da administração e colaboradores, foram também convidadas as respetivas famílias. A manhã foi passada entre canoas e barcos junto ao Castelo de Almourol. A atividade terminou com almoço e convívio no Centro Náutico de Constância. A Garval é uma das quatro Sociedades de Garantia Mútua (SGM) existentes no país, participada pelo Estado Português através do IAPMEI e do IFT, bem como pelos principais grupos bancários nacio-

nais (BPI, Novo Banco, Millenium BCP, CGD, Montepio, CCCAM), atuando junto das PME através da prestação de garantias que apoiem as empresas portuguesas nas suas necessidades de acesso ao financiamento das suas atividades. A Garval - Sociedade de Garantia Mútua é um sistema mutualista de apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas (PME), que se traduz fundamentalmente na prestação de garantias financeiras para facilitar a obtenção de crédito em condições adequadas aos investimentos e ciclos de atividade dessas empresas. Situa-se em Santarém.

Olitrem apresenta novos produtos na Moldplás 2019 A Olitrem, empresa de Tremês, Santarém até agora dedicada à área da refrigeração, apresentou pela primeira vez a sua nova área de Extrusão e Termoformação de plásticos, num stand próprio na Moldplás 2019 realizada na Exposalão na Batalha. “Apostamos em áreas diferentes, mas complementares, à nossa principal ati-

DEZEMBRO 2019

vidade, investindo na transformação de matérias plásticas (HIPS) como forma de suprimir necessidades internas e também dar resposta às necessidades do mercado. Produzimos extrusão de placas de HIPS e termoformagem de componentes HIPS, segundo especificação do cliente”, refere a nota da empresa.

www.nersant.pt


DR

Prazo para venda das Fundições do Rossio foi adiado O dia 16 de dezembro é a nova data limite para entrega de propostas pelos interessados em comprar as ações representativas da totalidade do capital social da FRASAM – Fundições do Rossio de Abrantes, com a condição de que “em simultâneo fique assegurado o subsequente processo de capitalização que garanta o cumprimento do Plano de Insolvência”, conforme se lê no anúncio publicado na imprensa. Carlos Cintra Torres, o administrador da insolvência, decidiu prorrogar o prazo uma vez que até ao dia 31 de outubro não surgiram interessados. As propostas serão abertas no dia 19 de dezembro, pelas 11 horas, no escritório do administrador de insolvência, em Paço de Arcos. Até lá, os interessados na empresa podem visitá-la bastando para tal agendar com o administrador. A Comissão de Credores dá prioridade à venda total das ações, pela melhor oferta, ou, em alternativa e como prevê o Plano de Insolvência,

www.nersant.pt

são aceites propostas para cessão dos estabelecimentos da FRASAM situados no Rossio ao Sul do Tejo, em que “a cessionária deverá pagar uma mensalidade equivalente a 7% do futuro volume de negócios, podendo fixar um valor mínimo e um valor máximo”, refere o mesmo anúncio. A proposta vencedora, com a adjudicação, tem de pagar 10% de sinal com a assinatura do Contrato de Promessa de Compra e Venda e o remanescente será pago na data do Contrato Definitivo. A venda das ações ou a cessão da atividade da empresa representam mais uma tentativa para salvar uma unidade fabril centenária que atualmente garante cerca de 80 postos de trabalho. Depois de dois planos de revitalização falhados, foi decretada a insolvência da FRASAM no final de 2018, a que se seguiram algumas tentativas de procura de interessados na empresa, até agora sem sucesso.

DEZEMBRO 2019

Os cerca de 300 credores da FRASAM reclamam créditos a rondar os 11 milhões de euros. As instituições bancárias estão entre os principais credores, mas da lista fazem parte também fornecedores e trabalhadores. Situada no Rossio ao Sul do Tejo, a empresa iniciou atividade no ano 1900 com uma pequena fundição de ferro cinzento e máquinas agrícolas, gerida pelo empresário João José Soares Mendes. Em 2002 foi adquirida maioritariamente pelo grupo empresarial Fimove Investimentos. Com 119 anos de atividade, a FRASAM é uma das fundições mais antigas da Europa, sendo o seu trabalho reconhecido em Portugal, assim como nos países para onde exporta como Holanda, Espanha, Alemanha, França, Suíça, Bélgica, Suécia, Inglaterra, Colômbia, Cuba, Venezuela, Marrocos, Moçambique, entre outros. Dedica-se à fundição de ferro fundido e fabrico de máquinas para indústrias alimentares.

RIBATEJO

7


DESENVOLVIMENTO REGIONAL

Agroribatejo homenageia colaborador pelos 50 anos de serviço

Samogreen abre filial norte em Albergaria-a-Velha A Samogreen inaugurou a sua filial norte, localizada na Zona Industrial de Albergaria-a-Velha, Aveiro. Com sede e instalações fabris em Samora Correia, a Samogreen dedica-se ao setor das energias renováveis, desde painéis solares fotovoltaicos, eólicas, solar térmico, ar condicionado, iluminação led, segurança e vídeo vigilância, entre outras.

Manuel da Silva Picado é colaborador há 50 anos da empresa Agro Ribatejo, sediada em Santarém. O colaborador foi homenageado, no dia 11 de novembro, pelos sócios gerentes e restantes colaboradores pelos seus 50 anos ao serviço da empresa. José Júlio Eloy e Gonçalo Eloy des-

tacaram as qualidades humanas e profissionais do amigo e colaborador, enaltecendo e distinguindo-o pelos 50 anos de dedicação e fidelidade à casa. De referir que a Agroribatejo é uma empresa dedicada à comercialização de máquinas, peças e acessórios para o setor agrícola e industrial.

Vieira Graça e Cia. Lda. abre filial em Viseu A empresa Vieira Graça e Companhia Lda. abriu no dia 11 de novembro uma nova filial em Viseu. A nova loja “Jorbi Bike Store” está situada na Rua da N. Srª de Fátima, no centro de Viseu, onde poderá encontrar a nova coleção de bicicletas Jorbi, assim como todos os produtos comercializados pela empresa e ainda assistência técnica e uma oficina especializada. Com este novo espaço, a Vieira Graça passa a ter cinco lojas oficiais. Com sede e instalações fabris em Alferrarede, Abrantes, a Vieira Graça Comp. Lda é uma empresa ligada ao ramo da bicicleta, sendo fabricante da marca JORBI, e importador de diversas marcas de renome internacional.

8

RIBATEJO

DEZEMBRO 2019

www.nersant.pt


DR

Nutrigreen em leilão Os bens da Nutrigreen foram a leilão no dia 25 de outubro, mas apenas foi vendido um lote que rendeu 520 mil euros, ficando muito aquém dos valores esperados pelos credores. A Nutrigreen, empresa localizada junto às portagens da A23 no concelho de Torres Novas, foi a leilão no dia 25, numa venda promovida pela leiloeira Avalibérica, na sequência dos processos de insolvência das empresas Nutrigreen, S.A. e Nutrigreen II Salads, S.A., que correm no Tribunal Judicial de Santarém. Neste leilão, onde compareceram mais cinco dezenas de interessados, foi arrematado apenas um lote de equipamentos no valor de 520 mil euros. O lote mais valioso, com um valor base de um milhão e 900 mil euros, incluía dois pavilhões industriais (das empresas Nutrigreen e Nutrigreen II, Salads) e um terreno rústico, não teve licitações e irá ser colocado à venda na plataforma online da Avalibérica. As instalações da empresa são visíveis para

quem circula no nó da A23 com a A1 na zona da Zibreira, sendo, por isso, uma localização privilegiada. Resultado de um investimento de 22 milhões de euros, a Nutrigreen foi criada em 2007 por Carlos Carvalhinha com o apoio de um fundo de investimento do Banco Espírito Santo. Era uma empresa de referência, distinguida pela inovação na agroindústria de fruta e legumes, chegando a empregar 140 trabalhadores. Venceu vários prémios internacionais de inovação de que são exemplos a barra de fruta criada em 2012 ou o puré de fruta. Mas o que mais vendia eram os sumos naturais e as saladas embaladas, que produzia para grandes “players” nacionais como Continente ou Pingo Doce. As dificuldades de tesouraria começaram a surgir há cerca de quatro anos, o que obrigou a empresa a acionar, em dezembro de 2015, um processo de revitalização. Mas a situação agravou-se e culminou com um processo de insolvência em outubro de 2017.

Agrotemplário comemora 8.º aniversário A marca Agrotemplário comemorou no dia 11 de novembro o seu 8.º aniversário, reforçando o “compromisso com os clientes de lhes proporcionar a cada dia que passa, um serviço personalizado e cada vez mais especializado, de acordo com as exigências legais, os desafios climáticos e as necessidades agro-ambientais”. Experiência, conhecimento e inovação são os valores propugnados pela AgroTemplário, numa filosofia há muito assumida de “juntos, protegermos e melhorarmos o que a natureza dá!” De referir que a Agrotemplário é uma microempresa sediada em Tomar dedicada à consultoria agrícola e ao comércio de fatores de produção.

Rações Zêzere com melhor mês em outubro A empresa Rações Zêzere registou em outubro o melhor mês em produção e em vendas. Um marco histórico para a empresa que assinalou este sucesso com um agradecimento “ao empenho de todos os nossos colaboradores, aos clientes que cada vez mais confiam na qualidade dos produtos Rações Zêzere e aos fornece-

www.nersant.pt

dores que nos ajudam a atingir esses índices de qualidade”. A empresa, com sede em Ferreira do

DEZEMBRO 2019

Zêzere, fabrica e comercializa cereais, misturas e alimentos compostos para animais de criação.

RIBATEJO

9


DESENVOLVIMENTO REGIONAL

Nova loja “Aromas & Sabores a granel” em Alferrarede O novo espaço comercial “Aromas & Sabores a granel” abriu no dia 20 de outubro, em Alferrarede. Na inauguração estiveram presentes o presidente da Câmara Manuel Valamatos e o presidente da União de Freguesias de Abrantes e Alferrarede, Bruno Tomás, entre outros. “Aromas & Sabores a granel” localiza-se na Rua Dr. David Serras Pereira, junto à Igreja de Nossa Senhora do Rosário, em Alferrarede, mesmo ao lado da loja “Abrancereais”, com gestão do mesmo empresário, Carlos Santos. É uma mercearia onde encontra frutos secos, sementes, chás, especiarias, farinhas a granel... e outros produtos indispensáveis no dia a dia.

RioGráfica apresenta modelos de calendários A RioGráfica, tipografia com sede em Rio Maior, criou um conjunto de modelos de calendários de secretária, para que as empresas possam promover-se durante todo o ano junto dos seus clientes. De acordo com a RioGráfica, os calendários de secretária são “uma

excelente opção para promover a sua empresa durante todo o ano junto dos seus clientes”. A empresa decidiu, assim, desenhar alguns modelos de calendários, que podem agora ser personalizados de acordo com a imagem gráfica e comunicação das empresas clientes.

Doces D’Aldeia com novos catálogos Depois da nova fábrica inaugurada em setembro na zona industrial de Rio Maior, a empresa Socival, responsável pela marca Doces D’Aldeia, apresentou uma nova imagem, e agora surgiram os novos catálogos em suporte físico e digital. A Doces d’Aldeia é uma empresa familiar nascida em fevereiro de 1996, dedicada ao fabrico e comércio de pastelaria regional, conventual, sobremesas em taça, bolo, semi-frios, tartes, tortas e doçaria de tipo tradicional.

10

RIBATEJO

DEZEMBRO 2019

www.nersant.pt


DR

Vibeiras com obra de 1 milhão de euros no Polis Litoral Ria Formosa 3.º Troféu de Karting MOMSteel Interempresas João Lucas, pela MakingOpportunity, venceu no dia 26 de outubro a 3.ª prova do 3.º Troféu de Karting MOMSteel Interempresas. Paulo Figueiredo da YUDO e Carlos Silva da Arentia ficaram em 2.º e em 3.º lugar, respetivamente. Mais do que a competição, esta prova valeu pela boa disposição e espírito de camaradagem que juntou parceiros e amigos no

kartódromo dos Milagres. Sediada em Abrantes, a MOMSteel iniciou a sua atividade em 2001 no setor das estruturas metálicas e alcançou, através da excelência dos seus serviços e produtos, uma posição de referência na conceção e execução de soluções metálicas para a construção sustentável de edifícios.

A Vibeiras tem a seu cargo a empreitada de intervenção e requalificação da Ilha da Culatra, no âmbito do programa Polis Litoral Ria Formosa. Com um prazo de execução de 8 meses e com um valor de mais de 1M€, a obra visa a reestruturação e requalificação do núcleo edificado, através da implementação de medidas que garantam a manutenção e reposição das condições naturais do ecossistema. A empresa com sede em Torres Novas dedica-se a projetos e obras de arquitetura paisagista.

Sinnabis quer produzir canábis medicinal em Santarém A empresa Sinnabis - Plantas Orgânicas Lda., com sede na Zona Industrial de Santarém, está a lançar um projeto de cultivo orgânico de cannabis medicinal, nas variedades indica, sativa e ruderalis, através da extração dos princípios ativos úteis para a indústria farmacêutica: THC, CBD e Terpenos. O ponto de partida do projeto foi a apresentação da proposta à Câmara Municipal de Santarém que aprovou, no dia 4 de novembro, por unanimidade, a concessão de um atestado de inexistência de restrições ao cultivo da planta da canábis, em Cabeça Gorda, na União de Freguesias de Tremês e Azoia de Cima. O atestado agora aprovado pela Câmara de Santarém é o ponto de partida do processo de autorização da plantação, que terá agora de obter todos os licenciamentos previstos pela lei. Segundo o processo levado à reunião do executivo municipal, o projeto prevê um desenvolvimento durante cinco anos, numa área de cerca de 3.7 hectares, até atingir a sua atividade plena. Segundo os promotores, a cannabis medicinal

www.nersant.pt

produzida “visa servir os mercados farmacêuticos português, suíço, canadiano, outros mercados legalizados, bem como quaisquer entidades autorizadas a tratar a cannabis medicinal e os seus princípios ativos, de acordo com a Convenção de Genebra”. Durante o primeiro ano e após a primeira colheita está prevista iniciar a instalação no local de estufas, que ser-

DEZEMBRO 2019

virá nos anos seguintes para a criação própria das plantas a cultivar. No final do quinto ano, a empresa prevê produzir 24 mil plantas, criando 30 postos de trabalho para operários sazonais, 5 a tempo inteiro e 8 a tempo parcial. Após o ano 5 com uma produção estável e contínua, prevê-se o início da atividade industrial a definir detalhadamente em novo projeto de ampliação.

RIBATEJO

11


DESENVOLVIMENTO REGIONAL

PODER LOCAL

Portugal 2020: Lezíria do Tejo mantém maior taxa de execução do país A Lezíria do Tejo continua a apresentar a maior taxa de execução do País para o Programa Portugal 2020, segundo dados reportados pela Agência para o Desenvolvimento e Coesão, relativos ao terceiro trimestre de 2019, comunicou a CIMLT - Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo, no seu portal. Na referida data, a taxa de execução na Lezíria do Tejo era de 34%, o que se traduz numa quantia de 20 416 000€ (valor da despesa validada). Esta taxa de execução continua a refletir o compromisso assumido pela CIMLT no Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial da Lezíria do Tejo, em termos de investimentos, metas e resultados a alcançar para a região até 2020. Para se alcançar esta taxa de execução na Lezíria do Tejo, em muito

contribuíram investimentos em áreas como a desmaterialização de processos e a implementação de serviços online nos 11 Municípios associados da CIMLT, a requalificação de infraestruturas de ensino básico e secundário da região e os investimentos levados a cabo na melhoria da eficiência energética nas infraestruturas públicas, estando já implementadas luminárias LED em 60% do território da Lezíria do Tejo. Este último investimento resulta numa poupança global anual na ordem dos 2,2 milhões de euros em

energia elétrica da iluminação pública dos Municípios da Lezíria do Tejo e uma poupança de 18 GWh, evitando a emissão de 8.460 ton CO2eq para o ambiente. Também o Plano Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar na Lezíria do Tejo (PiiCiE LT) tem sido um dos investimentos de maior relevância da região, tendo o projeto permitido desenvolver ações concertadas e integradas de combate ao insucesso escolar e prevenção do abandono escolar no ensino básico e secundário dos Municípios da Lezíria do Tejo, num total de 19 agrupamentos escolares. De lembrar que no âmbito do Portugal 2020 foi estabelecido o Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial da Lezíria do Tejo, para a concretização dos investimentos territoriais integrados, contribuindo para a prossecução dos objetivos e prioridades de investimento identificados no Acordo de Parceria estabelecido no âmbito dos FEEI (Fundos Europeus Estruturais e de Investimento), tendo um papel fundamental na recuperação económica e estrutural do País e da Região.

PUB.

12

RIBATEJO

DEZEMBRO 2019

www.nersant.pt


DR

Município de Santarém apoia unidade de processamento de nozes em Alcanhões… No âmbito do Programa “Via Expresso Investidor”, a Câmara Municipal de Santarém aprovou no dia 4 de novembro, um benefício à empresa “Trilho Saloio”, que está a desenvolver plantações de olival e de nogueiras, na Quinta das Chantas, na freguesia de Alcanhões. Este investimento permitirá a criação de cerca de 25 postos de trabalho, e pretende integrar e valorizar a fileira das nozes, com a construção de uma unidade para secar, partir e embalar as nozes. Segundo o promotor, será uma das maiores unidades de processamento de nozes do País.

… E empresa de hortícolas biológicos hidropónicos No âmbito do Programa “Via Expresso Investidor”, a Câmara de Santarém aprovou um benefício à empresa Santa Farm Technology, Lda., para o cultivo indoor de hortaliças hidropónicas. Este investimento, que vai criar 25 postos de trabalho, resulta de um movimento global que repensa a agricultura

através da tecnologia como forma de otimizar a produção de alimentos nos centros urbanos. Esta unidade de produção de produtos hortícolas utiliza um sistema de hidroponia, robotizado e variáveis ambientais controladas por computador e iluminação artificial por lâmpadas leds.

Santarém baixa taxa de derrama para empresas com volume de negócios superior a 150.000€ O Executivo Municipal aprovou dia 18 de novembro, em Reunião de Câmara, a aplicação das taxas de derrama para 2020, fixando-as em 1,3% para todas as empresas independentemente do volume de negócios. De acordo com a Lei das Finanças Locais (Lei nº 51/2018) os municípios podem deliberar lançar uma derrama até ao limite máximo de 1,5% sobre o lucro tributável sujeito e não isento de imposto sobre o rendimento das pessoas coletivas (IRC). Neste sentido, a Câmara de Santarém decidiu diminuir para 1,3%, face à taxa praticada em 2019 (1,5%), este imposto para empresas com volume de negócios superior a 150.000€ e manter 1,3% para empresas com volume de negócios inferior ou igual a 150.000€. O concelho tem registadas um total de 1.403 empresas, a que correspon-

www.nersant.pt

de um lucro tributável superior a 79 milhões de euros, sendo 603 as que apresentam um volume de negócios

DEZEMBRO 2019

anual inferior ou igual a 150.000 euros (a que corresponde um lucro tributável de 8 milhões de euros).

RIBATEJO

13


DESENVOLVIMENTO REGIONAL

Município de Torres Novas tem os melhores resultados económicos do Médio Tejo De acordo com o Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses 2018, Torres Novas ocupa o 49.º lugar a nível nacional e o 1.º do Médio Tejo dos municípios com melhores resultados económicos. Segundo o mesmo estudo, Torres Novas é também o município do Médio Tejo com maior diminuição do passivo exigível e o 41.º a nível nacional. No que se refere aos municípios com maior diferença “positiva” entre o saldo de investimentos financeiros e o saldo

de ativos financeiros, Torres Novas ocupa o 21.º lugar geral, sendo o segundo ao nível do Médio Tejo (apenas superado por Alcanena). Torres Novas está também nos 50 primeiros municípios com maior diferença «positiva» entre amortizações de empréstimos e novos empréstimos, estando na 31.ª posição. O Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses 2018 foi apresentado, no dia 30 de outubro de 2019, no decorrer do debate “Desafios e consequências da

descentralização para o governo local”. Trata-se de uma publicação da responsabilidade do Centro de Investigação em Contabilidade e Fiscalidade do IPCA e do Centro de Investigação em Ciência Política da Universidade do Minho, coordenado pela professora Maria José Fernandes. O estudo, que já vai na sua 15ª edição, é uma referência na monitorização da eficiência do uso dos recursos públicos na administração local.

Torres Novas mantém taxas de IMI, IRS, Derrama e TMDP A Câmara de Torres Novas aprovou, por maioria, a manutenção da taxa de Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) em 0,38%. A majoração para o triplo da taxa aplicável aos prédios em ruínas, bem como a redução do IMI para famílias com dependentes, foram aprovadas por unanimidade. Por decisão unânime, no que respeita à participação variável no Imposto sobre o Rendimento de Pessoas (IRS) – a receber em 2021 – mantém-se nos 5%, a Derrama mantém-se

14

RIBATEJO

Município de Salvaterra de Magos com taxa de derrama reduzida na taxa de 1,5% a aplicar em 2020, bem como a derrama reduzida de 0,01% a aplicar aos sujeitos passivos com volume de negócios que não ultrapasse os 150 mil euros e a Taxa Municipal de Direitos de Passagem (TMDP) mantém-se nos 0,25%.

DEZEMBRO 2019

A autarquia fixou em 0.35 a taxa de IMI para 2020, quase 25% abaixo do limite legal, e uma derrama de taxação 0 para as micro e pequenas empresas e de 1% para as empresas com volume de negócios superior a 150.000 euros, uma redução de 33% em relação ao limite definido por lei.

www.nersant.pt


ATUALIDADE NACIONAL

Garantia Mútua reduz custo do crédito e aumenta a taxa de investimento O último estudo sobre o Impacto da Garantia Mútua na Economia Portuguesa, no período de 2011-2016, divulgado recentemente, conclui que as empresas utilizadoras de Garantia Mútua conseguiram aumentar a sua taxa de investimento, tendo um acesso mais facilitado ao crédito bancário, reduzindo efetivamente o custo da dívida que suportaram com a utilização deste sistema para obter crédito. Entre 2011 e 2016, a Garantia Mútua permitiu às empresas, que a ela recorreram, o acesso a 7,8 mil milhões de euros de dívida financeira adicional e com isso as empresas aumentaram significativamente a sua probabilidade de sobrevivência. Em termos globais, nestes anos, a Garantia Mútua poupou 186 milhões

DR

de euros em encargos financeiros aos seus utilizadores. Um efeito que é mais forte para as empresas mais pequenas e para as empresas com maior proporção de ativos tangíveis no balanço, mas é independente da sua idade. Desenvolvido pelo Centro de Estudos de Gestão e Economia Aplicada da Católica Porto Business School, o Estudo apresentado pela Sociedade Portuguesa de Garantia Mútua (SPGM), por altura dos 25 anos do sistema, conclui ainda que a banca beneficia, igualmente, com este instrumento financeiro, sendo possível demonstrar que nas crises mais recentes a banca viu o seu negócio crescer sustentado pela Garantia Mútua. Com o crédito bancário assegurado com o recurso à Garantia Mútua

as empresas reforçaram a capacidade exportadora, estimando-se que, no período em análise, a Garantia Mútua terá estimulado exportações adicionais superiores a 800 milhões de euros. Um impacto que foi mais significativo nas indústrias transformadoras (83%), onde atingiu 665 milhões de euros, e menos impactante na construção e nas “outras” atividades. Pela primeira vez, o estudo analisou o impacto da Garantia Mútua no emprego e revela que foram criados em média 14 mil novos postos de trabalho nas empresas que recorrem a este instrumento facilitador do acesso ao crédito bancário. Relativamente ao contributo da Garantia Mútua para a economia portuguesa, ao nível do Produto Interno Bruto (PIB) e do emprego, os resultados apontam para que a Garantia Mútua tenha assegurado, nos últimos anos, entre 0,5 e 0,75% da produção e emprego em Portugal. Já o Valor Acrescentado Bruto (VAB) português beneficiou de um aumento de 5,1 mil milhões de euros, motivado pela Garantia Mútua.

Portugal vai ter um défice de 0,1% em 2019 e défice zero em 2020, enquanto a estimativa para o crescimento económico para o próximo ano é de 1,8%. Pedro Siza Vieira sublinhou que as estimativas da OCDE estão alinhadas com as previsões orçamentais do Governo português ao nível da consolidação do défice e da redução da dívida, “mas também manifestam que as reformas estruturais que estão a ser realizadas

vão permitir continuar a ter ganhos de competitividade nas exportações”. “É isso que nos vai permitir continuar a crescer acima da média da União Europeia. Aquilo que temos como objetivo, que é aproximar o nosso nível de vida e a nossa economia dos níveis europeus, vai continuar a prolongar-se. E essa ambição de convergência numa década é aquela que é importante para nós”, disse.

Economia portuguesa vai continuar a convergir com a média da União Europeia O Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, afirmou que as previsões da OCDE “confirmam que a economia [portuguesa] vai continuar a crescer mais do que a média da União Europeia”, prolongando um ritmo de convergência que vai atingir o quarto ano consecutivo. Em Viana do Castelo, no 31.º Congresso Nacional de Hotelaria e Turismo, Pedro Siza Vieira realçou ainda a importância de a Europa e toda a economia mundial estarem também a crescer, acrescentando que “a ambição de convergência numa década” é o que é verdadeiramente importante para Portugal. De acordo com as previsões divulgadas pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE),

www.nersant.pt

DEZEMBRO 2019

RIBATEJO

15


DESENVOLVIMENTO REGIONAL

Portugal deve alterar critérios de criação de serviços no Interior A Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, afirmou que Portugal deve promover a alteração dos “tradicionais critérios que levam à criação de tribunais, que levam à ampliação de centros de saúde e escolas” porque “não há desenvolvimento do Interior enquanto forem estes os critérios a presidir às decisões políticas”. Na Guarda, na sessão comemorativa do Dia da Cidade, a Ministra sublinhou que enquanto estes critérios não forem mudados, “os territórios do Interior vão sair sempre a perder”. Ana Abrunhosa referiu que a alteração dos critérios “é a primeira grande mudança que tem de ser feita”, sob pena de Portugal se tornar um país abandonado, levantando depois futuros problemas como a resposta aos incêndios. A Ministra declarou que se o critério da população continuar a presidir à escolha do local dos serviços, “estes territórios estão sempre condenados e, portanto,

vão estar sempre a perder população”. “Nunca vamos conseguir contrariar este círculo vicioso”, acrescentou. Medidas transversais como a redução das portagens nas autoestradas e

dos impostos para as famílias e para as empresas são importantes, mas Ana Abrunhosa frisou ainda que o Interior é muito diverso e exige um olhar atento às suas especificidades.

Ministro do Planeamento define relação entre Crescimento e Especialização Inteligente O Ministro do Planeamento, Nelson de Souza, apresentou as orientações estratégicas do Governo que vão guiar a aplicação do princípio da Especialização Inteligente nos futuros critérios de apoio a projetos da programação europeia. Durante a inter venção, num seminário promovido pela Agência de Desenvolvimento e Coesão, o Ministro sublinhou que “no próximo quadro comunitário 20212027, pelo menos 45% do FEDER vai ser afeto à implementação das Estratégias de Especialização Inteligente”. A estratégia RIS3, um instrumento de suporte e de planeamento da mudança estrutural suportada no conhecimento e na inovação, é cada vez mais relevante, “sobretudo no berço do seu impulso inicial, isto é, no âmbito da política de coesão promovida

16

RIBATEJO

pela União Europeia”. Nelson de Souza destacou que a estratégia deve ter em atenção orientações fundamentais como a necessidade de alargar o círculo de abrangência do processo de inovação, a abordagem aos perigos de um possível retorno às prioridades setoriais, a complementação dos Sistemas de Inovação, e a adoção de um sistema de governação muito participado pelos próprios atores da mudança pretendida. O Ministro acrescentou que a melhoria das práticas implementadas e as orientações estratégicas derivadas da Estratégia 2030 “darão origem às RIS 3 revisitadas que servirão de referencial para a aplicação do essencial dos esforços do País em matéria de contributo da política de inovação e do conhecimento para o crescimento económico de Portugal”.

DEZEMBRO 2019

www.nersant.pt


DR

Crescimento da produtividade será essencial para a economia portuguesa O Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, afirmou que “a sustentação do futuro do crescimento de Portugal vai passar pelo processo de crescimento da produtividade”. Em Lisboa, no terceiro congresso dos Gestores Portugueses, o Ministro destacou que a requalificação dos recursos humanos, a inovação, a incorporação de novas tecnologias no sistema produtivo e o investimento serão essenciais nesta dinâmica. “A transformação digital é um dos fatores de crescimento de produtividade das empresas e da economia como um todo e, neste sentido, é a única condição que nos promete também sustentar um processo de crescimento dos rendimentos do trabalho e de crescimento dos salários”, acrescentou. Pedro Siza Vieira salientou a necessidade de mobilizar os recursos necessários para financiar o processo de transformação digital das empresas e da economia, referindo que os incentivos ao autofinanciamento das empresas tem sido uma prioridade do Governo, sobretudo através do “sistemático alargamento da dedução dos lucros retidos e reinvestidos”. O Ministro destacou ainda a necessidade de aumentar a eficácia do apoio ao sistema bancário como instrumento fundamental no “esforço de mobilização da economia, seja na transição digital, na eficiência energética ou na descarbonização”.

IMPORTÂNCIA DOS RECURSOS HUMANOS “As pessoas são o recurso mais crítico para o futuro da nossa economia”, realçou o Ministro, acrescentando que há cada vez menos nascimentos em Portugal e que continuam a sair muitos portugueses para o estrangeiro. Neste sentido, “os recursos humanos com as qualificações adequadas são um recurso muito escasso e crítico para o sucesso das empresas portuguesas e para a sustentabilidade da economia portuguesa”. Pedro Siza Vieira realçou que é fundamental continuar a apostar no sistema

www.nersant.pt

educativo, reduzindo o abandono escolar e aumentando o índice de população com 20 que frequenta o ensino superior e o de pessoas entre os 30 e os 34 anos com formação superior. “Somos o país que mais progrediu, mas continuamos atrás. Temos de continuar a investir muito na formação e temos de continuar a investir na formação profissional, particularmente para responder às necessidades do mercado de trabalho”, acrescentou.

CAPTAÇÃO E RETENÇÃO DE TALENTO O Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital sublinhou também a importância de “criar condições para reter em Portugal o talento que cria”, evitando que saia quem não encontra em Portugal “uma solução profissional compatível com as suas qualificações e aptidões”. “Uma economia que não consegue

DEZEMBRO 2019

captar os recursos está obviamente a abdicar e a prescindir de um recurso absolutamente crítico para a sustentabilidade do nosso futuro”, disse. Pedro Siza Vieira afirmou que “não é possível continuar a competir com baixos custos e baixos salários”, referindo que o único modelo de crescimento compatível com Portugal passa pela capacidade de abraçar o desafio da digitalização com recursos humanos com as qualificações adequadas. “Temos de tratar melhor os nossos trabalhadores. Temos de pagar melhor, temos de dar outras perspetivas de carreira, outro tipo de reconhecimento, temos de ir ao encontro das aspirações das novas gerações”, referiu, acrescentando que é preciso criar condições ainda mais exigentes e de melhoria e apoio ao crescimento da produtividade das empresas para garantir também o crescimento da economia.

RIBATEJO

17


DESENVOLVIMENTO REGIONAL

O Toucinho

Restaurante de Almeirim investe na modernização de equipamentos

De portas abertas há 57 anos, o restaurante “O Toucinho” é um dos mais antigos e tradicionais restaurantes de Almeirim. Apostando numa decoração tipicamente ribatejana e alusiva à festa brava, foi o primeiro restaurante de Almeirim a servir a famosa Sopa da Pedra. A qualidade dos produtos e uma aposta constante na melhoria das instalações e serviços prestados ao cliente são o segredo do sucesso deste negócio, que faturou no último ano 1 milhão de euros. Recentemente, o restaurante investiu em equipamentos e melhorou o espaço através do SI2E – Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego.

18

RIBATEJO

L

ocalizado no centro de Almeirim, bem perto da Praça de Toiros, “O Toucinho” é hoje um ícone da restauração em Almeirim. João Simões é o dono e o rosto deste restaurante familiar, onde começou a trabalhar como empregado de mesa há 38 anos. O empresário contou à Ribatejo Invest como tudo começou: “Eu já namorava a minha mulher, filha do proprietário. Um dia faltou um empregado e eu acabei por ficar aqui a ajudar, como empregado de mesa. Casámos passados três anos e, dois anos depois, o meu sogro acabou por nos dar o restaurante, que não era nosso, era um trespasse”. Desde então, o empreendedorismo e ambição de João Simões tem vindo a marcar a diferença para o negócio. Comprou o restaurante que estava ao lado do seu e tem vindo a ampliar e a modernizar “O Toucinho”, um negócio de família que já vai na terceira geração e que

DEZEMBRO 2019

quer deixar aos filhos, que já trabalham consigo. Como em todos os negócios, houve momentos mais difíceis, como aquele que foi gerado pelo aumento do IVA, mas hoje João Simões admite que o negócio está a correr bem, com um aumento da faturação e do número de clientes. “As pessoas têm mais dinheiro para gastar. Tem-se notado mais clientes, tem sido muito bom”, admite. Tão bom que, no último ano, o restaurante faturou mais de 1 milhão de euros. “Para um restaurante é muito, mas representa muito trabalho. É preciso muito trabalho e muita dedicação”, confessa. Um dos segredos do sucesso d’ “O Toucinho” reside na qualidade do produto oferecido. “Primamos pela qualidade: a maneira como fazemos a Sopa da Pedra, o nosso pão – as caralhotas – tudo é feito à frente das pessoas”, explica. “A carne vou eu comprar aos mercados e talhos de Almeirim, é cortada e pesada à minha frente e depois nós trans-

www.nersant.pt


DR

formamos tudo aqui em casa. O corte é feito pela minha mulher e pelos meus filhos, a minha nora já ajuda e a minha sogra ainda ajuda. Tudo o que fazemos, somos nós que transformamos. É uma coisa muito familiar e penso que essa é a diferença. Estamos sempre cá a receber as pessoas, está sempre alguém da família aqui presente no restaurante”. Sempre com a casa cheia, aos clientes não faltam opções. Para além da famosa Sopa da Pedra e da tradicional bifana no pão, a ementa incluiu ainda os cogumelos fritos frescos, os lombinhos na vara, as costeletas de borrego, “que é o nosso prato mais vendido” ou o borrego no forno, “que está temperado durante 2 dias e depois está 5 horas no forno e que será um dos nossos melhores pratos”, explica João Simões. O restaurante, com capacidade para 270 pessoas, está sempre cheio e, muitas vezes, com fila de espera ao fim-de-semana. Existe ainda uma sala habitualmente destinada a almoços e jantares de grupo com capacidade para 60 pessoas. O restaurante emprega 22 pessoas, às quais se juntam mais seis pessoas ao

www.nersant.pt

fim-de-semana, que reforçam a equipa. “Ao sábado e ao domingo, temos o nosso bar que é a Bodega – uma cópia de um restaurante-bar de Espanha – que fica aqui mesmo em frente e que serve de sala de espera. Ali servimos presunto pata negra, pão, queijo e também saem de lá as bifanas. Ao sábado e ao domingo, se estivermos aqui cheios, as pessoas podem comer as bifanas ali mesmo na Bodega, pois aquele espaço foi criado há 20 e tal anos como um complemento ao restaurante”.

RENOVAÇÃO COM APOIO SI2E O Restaurante “O Toucinho” foi umas das empresas que, com o apoio da NERSANT, viram ser aprovada uma candidatura ao SI2E - Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego. “Nós fomos a uma reunião na Câmara de Almeirim onde a NERSANT apresentou este projeto. Como precisava de fazer algumas melhorias, aproveitei a oportunidade. Investimos sobretudo em equipamentos: uma arca congeladora boa, comprámos energia solar, empedrámos o chão com calçada à portuguesa,

DEZEMBRO 2019

comprámos novos fogões e fritadeiras”, revela João Simões, confessando que foi a primeira vez na vida que recebeu um incentivo deste género, e que foi muito positivo. “Se não fosse a NERSANT não teria conhecimento do SI2E. A associação tem um papel informativo muito importante”, destacou. Para o futuro, João Simões tem mais projetos em carteira, como a aplicação de calçada à portuguesa em todo o restaurante, “para ficar tudo igual”. “Esses incentivos foram bons, mas há sempre mais alguma coisa que precisamos fazer”. O desejo deste empresário é poder deixar o restaurante aos filhos, livre de encargos bancários. “Quero deixar isto aos meus filhos sem dívidas. Já é tudo nosso, quero deixar tudo em condições e poder dar-lhes o restaurante sem dívidas aos bancos e com o dobro do património que tínhamos. Já falta pouco”. De recordar apenas que o restaurante “O Toucinho” fecha semanalmente à quinta-feira e, durante o ano, fecha apenas 15 dias em junho e uma semana em agosto. 

RIBATEJO

19


DESENVOLVIMENTO REGIONAL

Intermarché investe 6 milhões de euros na nova marca exclusiva As lojas Intermarché lançaram a nova marca exclusiva “PorSi”, que representa um investimento de 6 milhões de euros. A campanha da nova marca estreou em novembro com publicidade na TV, rádio, outdoor e digital.

A

experiência de quase três décadas em Portugal serviu de base para a criação desta nova marca própria. Martinho Lopes, administrador do Intermarché afirma que “o principal objetivo foi criar uma marca diferenciadora, para o dia a dia dos consumidores. PorSi inscreve a garantia do melhor preço na oferta de produtos do Intermarché em Portugal, algo que até hoje estava disperso por diferentes marcas. A nova marca será maioritariamente produzida em Portugal. Para já 50% terá origem nacional, mas brevemente o número de referências da marca vão aumentar e

20

RIBATEJO

70% da produção terá origem no nosso país. Produtos sustentáveis e únicos no mercado vão fazer parte da oferta de PorSi. A opção de um nome ao invés da chancela da empresa está relacionada com os valores da insígnia e com o facto de querermos que esta espelhe a nossa missão: confiança, proximidade e qualidade ao melhor preço.” Até ao fim de 2019 serão 1.000 produ-

DEZEMBRO 2019

tos com referências alteradas para a nova marca, número que irá aumentar para 2.000 referências em 2020 e 3.000 no ano seguinte. O Intermarché é a primeira insígnia do grupo Os Mosqueteiros, que existe há mais de 40 anos por toda a Europa. Estabelecido em Portugal há 28 anos, o Intermarché conta hoje com 245 pontos de venda, espalhados por mais de 180 concelhos, nos 18 distritos do país. O Grupo tem a sua maior base logística instalada em Alcanena, junto à A1. Esta base logística foi inaugurada em 1994, tem 421 funcionários, ocupa uma área de 34.800 metros quadrados, e serve 127 pontos de venda, tendo distribuído 20, 9 milhões de encomendas no ano passado. 

www.nersant.pt


SOBRE A WINSIG A Winsig é uma empresa especializada no fornecimento de soluções integradas com o software de gestão ERP PHC, com mais de 60 consultores certificados e uma elevada capacidade de criação de soluções customizadas e fortes competências no cu setor da indústria.

CENTROS DE OPERAÇÃO

ALGUMAS REFERÊNCIAS

Argélia

marketing19@winsig.pt (+351) 218 299 150 www.winsig.pt www.nersant.pt

DEZEMBRO 2019

RIBATEJO

21


DESENVOLVIMENTO REGIONAL

Empresa aposta em novas culturas

investe 2 milhões de euros na produção de nozes A empresa de Ferreira de Zêzere, Agrozel, S.A. está a apostar numa nova área de negócio. No total, foram cerca de 2 milhões de euros investidos na área da produção de frutos secos, em particular na cultura da nogueira. A Ribatejo Invest conversou com Jorge Fernandes, administrador da empresa, sobre este novo investimento.

22

RIBATEJO

DEZEMBRO 2019

www.nersant.pt


DR

P

orquê apostar neste novo produto? Sobretudo na última década, é evidente a alteração do perfil do consumidor, mais sensível à prática de um estilo de vida saudável e muito atento à qualidade superior dos produtos produzidos em Portugal. Assim, na ótica da valorização e recetividade do produto nacional, e assente em estudos de mercado de viabilidade financeira, a Agrozel, S.A. decidiu avançar para a produção de frutos secos, sobretudo a noz, cujos benefícios do seu consumo são do domínio público. Desde quando estão a trabalhar esta área? Desde 2014, ano em que se iniciou a preparação das explorações com as infraestruturas necessárias à produção, e consequentemente, a plantação progressiva de nogueiras. Que investimento significou para a Agrozel apostar neste novo segmento? Ao longo dos últimos cinco

www.nersant.pt

anos foram investidos cerca de 2 milhões de euros na cultura de Nogueiras, investimento este realizado de forma faseada, na preparação do solo, nas infraestruturas de apoio, na plantação de árvores e manutenção da exploração, e em todos os trabalhos inerentes à produção. A Agrozel está a trabalhar outros novos produtos. O que motivou a empresa a fazê-lo? Sim, o investimento não foi feito exclusivamente em nozes, mas também em outros produtos agrícolas que a Agrozel considera enquadrados nas tendências de consumo, nomeadamente castanha, cereja e azeitona destinada à produção de azeite. São produtos de grande qualidade, com grande aceitação junto do público em geral, sobretudo por serem sabores bem portugueses presentes à nossa mesa desde sempre, e perfeitamente alinhados com as preocupações de alimentação saudável vividas, nos tempos que correm, pela maioria dos consumidores.

DEZEMBRO 2019

A empresa tem neste momento projetos de investimento em curso ou em projeto? Nenhum dos projetos de investimento em curso se pode considerar concluído, porque são dinâmicos e evoluem de acordo com a procura de um determinado produto. Por serem culturas muito recentes encontram-se ainda em desenvolvimento. Pode dizer-se que cada uma das explorações com diferentes tipos de cultura é uma exploração com potencial de crescimento, pelo que a intenção da Agrozel não é – neste momento – diversificar as culturas além das implementadas, mas sim mantê-las e ampliá-las. 

Atualmente, a forte aposta na floresta e na agricultura, fazem da Agrozel S.A. uma empresa produtora de azeite e de frutos frescos e secos, tendo aos dias de hoje uma extensa produção própria em pomares, sobretudo em cinco espécies: Nogueiras, Olival, Castanheiros, Cerejeiras e Marmeleiros.

RIBATEJO

23


INFORMAÇÃO&APOIO

Comissão e OCDE

apresentam recomendações para ajudar os países e as regiões da UE a realizar a transição industrial A Comissão e a Organização de Cooperação e de Desenvolvimento Económicos (OCDE) apresentaram dia 14 de novembro um relatório sobre uma iniciativa lançada em 2017 para ajudar 12 regiões e EstadosMembros da UE a realizar a transição industrial e colher os benefícios de uma economia globalizada.

E

quipas de peritos da OCDE e da Comissão trabalharam com as regiões e os dois Estados-Membros para identificar o que impedia a criação de emprego e o crescimento nestas zonas. O objetivo consistia em reforçar as suas estratégias de desenvolvimento a longo prazo com base em domínios de excelência competitiva — os seus ativos de “especialização inteligente”. Estas estratégias abrangem a justiça social, a modernização económica e as ambições climáticas. Com base nesta experiência, o relatório apresenta um conjunto de instrumentos para as autoridades nacionais e regionais, fornecendo soluções concretas para eliminar os obstáculos à transição industrial de acordo com cinco grandes prioridades. Johannes Hahn, comissário responsável pela Política de Vizinhança, Negociações de Alargamento e Política Regional, afirmou: “A prosperidade e o bem-estar a nível da UE começam nas nossas regiões. Durante dois anos, as equipas de peritos da Comissão e da OCDE trabalharam em conjunto com os intervenientes nacionais e locais, no sentido de os ajudar a abraçar a inovação, a descarbonização e a digitalização, e a desenvolver as competências necessárias para os postos de trabalho do futuro. Estes são os quatro pontos cardeais de uma transição que

24

RIBATEJO

cria uma oportunidade justa para todos.” Eis as cinco prioridades principais identificadas pela Comissão, bem como exemplos dos desafios políticos conexos e as respostas apresentadas no relatório:

1) PREPARAR OS POSTOS DE TRABALHO PARA O FUTURO Desafio: escassez de trabalhadores qualificados para os setores económicos emergentes. Respostas políticas: antecipar as necessidades de competências para a transição industrial; reforçar a capacidade de resposta das empresas às suas necessidades de recursos humanos; envolver as partes interessadas locais no planeamento e na conceção de iniciativas regionais em matéria de competências.

2) ALARGAR E DIFUNDIR A INOVAÇÃO Desafio: falta de capacidade de inovação nas pequenas e médias empresas. Respostas políticas: acelerar a transformação digital; expandir as redes de inovação empresarial e apoiar os agrupamentos de empresas; reforçar as ligações entre o meio académico e as esferas empresariais locais.

3) PROMOVER O ESPÍRITO EMPRESARIAL E A PARTICIPAÇÃO DO SETOR PRIVADO

DEZEMBRO 2019

Desafio: acesso limitado às competências e redes de empreendedorismo para as empresas em fase de arranque e em expansão. Respostas políticas: apoiar os empresários mediante a prestação de informações, formação, orientação e acompanhamento, reforçar as redes empresariais, aumentar a participação das empresas em fase de arranque e das PME na investigação colaborativa.

4) TRANSITAR PARA UMA ECONOMIA COM IMPACTO NEUTRO EM TERMOS DE CLIMA Desafio: conciliar a dimensão de longo prazo de uma transição com impacto neutro em termos de clima com uma ação económica a curto prazo. Respostas políticas: promover as

www.nersant.pt


I&A

transições energéticas locais através de regimes de apoio financeiro; integrar a transição para uma economia neutra em termos de clima nas estratégias de desenvolvimento regional mais amplas.

Coesão para 2021-2027, ao abrigo do qual estão disponíveis mais de 90 mil milhões de EUR para financiar a investigação, a inovação, a digitalização e o apoio às pequenas e médias empresas.

5) PROMOVER O CRESCIMENTO INCLUSIVO

CONTEXTO

Desafio: disparidades geográficas e ligações territoriais. Respostas políticas: incentivar a cooperação territorial através de parcerias entre zonas rurais e zonas urbanas; assegurar a conectividade digital e os serviços digitais nas regiões periféricas. O presente relatório e as suas recomendações serão tidos em conta na preparação do futuro programa da Política de

www.nersant.pt

A globalização trouxe enormes benefícios às economias menos desenvolvidas do mundo, bem como muitas oportunidades para os europeus; mas enquanto os benefícios se repercutem amplamente, os custos repartem-se muitas vezes de forma desigual. Muitas regiões europeias deparam-se com a perda de postos de trabalho decorrente do declínio das indústrias tradicionais. Para dar resposta ao desafio da modernização da economia, a Europa tem de capacitar as suas regiões e ajudá-las a

DEZEMBRO 2019

criar valor. Tal significa apostar na inovação, na digitalização, na descarbonização e no desenvolvimento das competências das pessoas. Em julho de 2017, a Comissão apresentou uma comunicação sobre como “Reforçar a inovação nas regiões da UE” e lançou duas iniciativas: uma sobre transição industrial, cujos resultados finais são hoje apresentados, e outra sobre a criação de uma parceria inter-regional para a inovação. As regiões e os Estados-Membros participantes foram selecionados para trabalhar em parceria com equipas de peritos da Comissão e da OCDE, a fim de reforçar a sua capacidade de inovação, eliminar os obstáculos ao investimento, dotar os trabalhadores das competências adequadas e preparar as mudanças industriais e societais. 

RIBATEJO

25


INFORMAÇÃO&APOIO

Matérias-primas: Comissão lança novo portal em linha para melhorar o aprovisionamento responsável pelas empresas

A

Comissão Europeia lançou dia 20 de novembro o portal eletrónico Due Diligence Ready!, que dará às empresas orientações para verificarem as fontes dos metais e minerais que entram nas suas cadeias de aprovisionamento, ou seja, para exercerem o chamado “dever de diligência”. Este novo portal ajudará as empresas a garantir que a sua utilização das matérias-primas respeita os direitos humanos e, ao mesmo tempo, a melhorar a transparência e a responsabilização nas respetivas cadeias de valor. A comissária Elzbieta Bienkowska, responsável pelos pelouros do mercado interno, da indústria, do empreendedorismo e das PME, declarou: “A procura no mercado de matérias-primas de origem responsável tem vindo a aumentar. Estas matérias-primas são essenciais para os novos setores económicos e para tecnologias limpas como

26

RIBATEJO

as baterias de alta potência, pelo que as empresas devem garantir que todas as etapas da cadeia de valor são realizadas de uma forma transparente, responsável e sustentável. Congratulo-me com a criação do portal Due Diligence Ready! que ajudará as empresas a tomarem as suas decisões com maior conhecimento de causa.” O portal Due Diligence Ready! ajudará as empresas a: • Exercer da melhor forma o seu dever de diligência no que respeita ao aprovisionamento de minerais: o portal proporcionará às empresas informações e materiais de formação para exercerem o seu dever de diligência. O instrumento foi especialmente concebido para as pequenas e médias empresas, mas todas as empresas em cujas cadeias de aprovisionamento existam minerais e metais são incentivadas a utilizá-lo. • Facilitar o cumprimento do

DEZEMBRO 2019

regulamento da UE relativo ao aprovisionamento responsável de minerais (o chamado “regulamento relativo aos minerais provenientes de zonas de conflito”): o portal facultará orientações sobre o aprovisionamento responsável de metais e minerais, em especial o estanho, o tântalo, o tungsténio e o ouro. Estes metais e minerais são utilizados para fabricar produtos do dia a dia, como os telemóveis, os automóveis e os artigos de joalharia. O portal auxiliará as empresas a cumprirem o regulamento da UE relativo ao aprovisionamento responsável de minerais, que define os requisitos de exercício do dever de diligência pelos importadores destes metais e minerais na UE. • Responder à procura crescente de minerais de origem responsável no mercado: graças a uma maior transparência em toda a cadeia de valor, o portal Due Dilligence Ready!

www.nersant.pt


I&A

ajudará as empresas a responder à crescente tomada de consciência e à procura cada vez maior de produtos e serviços sustentáveis, e contribuirá para uma evolução positiva no setor dos metais e minerais.

CONTEXTO Os recursos minerais têm um grande potencial para a nossa economia, em especial para domínios de atividade estratégicos como as baterias, a computação de alto desempenho ou a microeletrónica. No entanto, quando são extraídos em zonas de conflito ou de alto risco, os recursos minerais podem contribuir para perpetuar

www.nersant.pt

confrontos violentos e violações dos direitos humanos. Este facto suscitou preocupação junto de clientes, fornecedores, reguladores, investidores, organizações não governamentais e cidadãos, que cada vez mais exigem às empresas - incluindo as pequenas e médias empresas - que provem que os minerais e os metais que entram nas suas cadeias de aprovisionamento não contribuíram para atividades nocivas para as pessoas. Para dar resposta a estes problemas, a UE adotou, em maio de 2017, o regulamento relativo ao aprovisionamento responsável de minerais, por vezes também referido como regulamento

DEZEMBRO 2019

relativo aos minerais provenientes de zonas de conflito. As novas regras irão garantir que os minerais utilizados pelas indústrias europeias são obtidos de forma responsável, impedindo que as receitas vão parar às mãos de grupos rebeldes, a zonas de conflito e ao terrorismo. O regulamento apoia ainda o desenvolvimento de comunidades e empresas locais. As regras abrangerão até 95 % das importações a partir de 1 de janeiro de 2021. Até lá, a Comissão e os Estados-Membros envidarão esforços no sentido de criar as estruturas necessárias para assegurar a sua aplicação a nível da UE. 

RIBATEJO

27


INFORMAÇÃO&APOIO

Regime Fiscal de Apoio ao Investimento uma oportunidade para pagar menos investindo mais CATARINA GONÇALVES

Corporate and International Tax Partner PWC Portugal

CATARINA PEREIRA GOMES

Corporate and International Tax Senior Consultant PWC Portugal

O

Código Fiscal do Investimento consagra um importante benefício fiscal que tem como objetivo promover o investimento e a criação de postos de trabalho: o Regime Fiscal de Apoio ao Investimento (RFAI). Por isso, para quem estiver a calcular a sua estimativa de imposto para o exercício de 2019, a leitura deste artigo poderá ser muito útil, uma vez que a utilização deste benefício se traduz numa significativa redução do Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Coletivas (IRC). Na verdade, em 2018, o RFAI traduziu-se no benefício mais utilizado pelas empresas portuguesas, representando cerca de 165 milhões de euros de deduções à coleta de IRC. O RFAI é um auxílio com finalidade regional, estando por esta razão limitado a regiões consideradas como sendo desfavorecidas no contexto europeu. Em Portugal continental, as regiões elegíveis são o Norte, Centro, Alentejo,

28

RIBATEJO

Algarve, Península de Setúbal e algumas zonas da Grande Lisboa. As Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira também estão abrangidas pelo RFAI. Este benefício é somente aplicável a determinados setores de atividade - a indústria extrativa ou transformadora, turismo, restauração, atividades e serviços informáticos, atividades de I&D, tecnologias da informação e produção de audiovisual e multimédia. Além disso, a aplicabilidade deste benefício está dependente da realização de um investimento inicial relevante que proporcione a criação de, pelo menos, um posto de trabalho. Entende-se por investimento relevante a aquisição de imobilizado corpóreo novo e imobilizado incorpóreo, desde que seja afeto à exploração da empresa. Encontram-se excluídos os investimentos em terrenos (salvo se afeto à indústria extrativa), edifícios e construções (salvo se forem instalações fabris ou afetos a atividades turísticas ou administrativas), viaturas, mobiliário ou artigos de conforto (exceto hotelaria) e equipamentos sociais. O benefício fiscal do RFAI corresponde a uma dedução à coleta, e até à concorrência de 50% da mesma, de 25% do investimento relevante para investimentos até € 15.000.000, e de 10% quanto ao remanescente. No caso de uma empresa em início de atividade, o RFAI poderá concorrer até 100% da coleta. A dedução é efetuada na liquidação referente ao período de tributação a que respeita o investimento, mas no caso de insuficiência de coleta, o montante não deduzido poderá ser reportado por

DEZEMBRO 2019

10 exercícios. Poderá ainda ser concedida uma isenção de IMI, por um período de 10 anos, relativamente aos prédios utilizados no âmbito dos investimentos relevantes, bem como de IMT e Imposto do Selo, relativamente às aquisições de prédios que constituam investimento relevante nos termos do RFAI. Tanto a isenção e IMI como de IMT dependem do reconhecimento, pela competente assembleia municipal, do interesse do investimento para a região. O RFAI não é cumulável com outros benefícios fiscais relativamente às mesmas aplicações relevantes, com exceção do benefício da Dedução por Lucros Retidos e Reinvestidos (DLRR). Todavia, será cumulável com incentivos financeiros, desde que cumpridos os limites máximos aplicáveis aos auxílios com finalidade regional. Por exemplo, o limite máximo de auxílio previsto para a região do Alentejo é de 25%, o qual é majorado (i) em 10 pontos percentuais para as médias empresas e (ii) em 20 pontos percentuais para as micro e pequenas empresas. Entende-se, por isso, a importância que um incentivo como este poderá representar junto das empresas, correspondendo, em termos práticos, numa comparticipação do Estado que pode ir até 25% do investimento realizado. Desempenhando os investimentos um papel importante para o crescimento económico, da competitividade e do bem-estar social, o RFAI é sem dúvida um regime de verdadeiro apoio às empresas, perspetivando-se que se mantenha substancialmente inalterado com o Orçamento do Estado para 2020. 

www.nersant.pt


www.nersant.pt

DEZEMBRO 2019

RIBATEJO

29


VIVER O TEJO

José Ângelo

Cottinelli Telmo, arquiteto e cineasta

“COTTINELLI TELMO ACREDITAVA QUE A ARQUITETURA NÃO SE BASEAVA NUMA ÚNICA DISCIPLINA, MAS SIM NA UNIFICAÇÃO DE VÁRIAS DISCIPLINAS ARTÍSTICAS.”

A

13 de novembro de 1897 nasce José Ângelo Cottinelli Telmo. Uma figura multifacetada que se destaca na cultura portuguesa da primeira metade do século XX, surpreendendo pelo vasto número de iniciativas em que se envolve. A sua obra abarcou uma enorme diversidade de áreas: arquitetura, cinema, escrita, poesia, desenho, música e banda desenhada. Realizou capas e ilustrações, fez obras de banda desenhada, compôs músicas e chegou a dirigir a orquestra na festa de estudantes de Belas Artes (Teatro S. Carlos, 1918). Estudou Arquitetura na Escola de Belas Artes de Lisboa, curso que completou em 1920. Cottinelli Telmo acreditava que a arquitetura não se baseava numa única disciplina, mas sim na unificação de várias disciplinas artísticas. No decorrer do curso colaborou com a Lusitânia-Film na produção dos filmes Malmequer e Mal de Espanha de Leitão de Barros, realizados em 1918. Construiu em 1932, com A.P.

30

RIBATEJO

Richard o estúdio d\a Tobis, no bairro do Lumiar em Lisboa. Aí realizou “A Canção de Lisboa”, o primeiro filme sonoro inteiramente produzido em Portugal, e tornou-se um verdadeiro modelo do humor cinematográfico português. Mas são as suas obras arquitetónicas que o tornam verdadeiramente conhecido. Faz os seus primeiros projetos: Pavilhão de Honra de Portugal (Exposição Internacional, Rio de Janeiro, 1922); Escola e Bairro Camões, Entroncamento (1923-25) e mais tarde, em 1929, o Pavilhão Português da Exposição de Sevilha. Posteriormente projetou a fábrica da Standard Elétrica, na Junqueira, em Lisboa e mais tarde a cidade universitária de Coimbra. Em 1940 é Arquiteto-chefe da Exposição do Mundo Português, sendo dele o plano da Praça do Império e da sua Fonte Monumental e o Monumento dos Descobrimentos, assim como a Porta da Fundação.

As casas têm um pequeno jardim ou quintal e as ruas arborizadas e pertenciam inicialmente a engenheiros e pessoal qualificado da Companhia dos Caminhos de Ferro. As casas estão concentradas em quatro ruas muito arborizadas, que encruzavam com uma rua principal outrora de acesso restrito. O bairro funcionava como um condomínio fechado. Há quem se recorde de haver um funcionário da CP na entrada que só permitia o acesso a quem tivesse cartão válido. As casas que ainda estão habitadas revelam ainda o gosto pela Casa Jardim do arquiteto. Ao lado, próximo da estrada, está a Escola Camões, um edifício grande, com um enorme jardim e no interior é ainda possível ver a decoração com azulejos. A Escola foi colégio para formação técnica dos trabalhadores dos caminhos-de-ferro e também para os jovens do Entroncamento. 

ESCOLA E BAIRRO CAMÕES, ENTRONCAMENTO (1923-26)

FONTE:

O Bairro Camões é um dos quatro bairros ferroviários no Entroncamento desenhado por Cottinelli (e Luís Cunha). Com uma arquitetura modernista e com um valor patrimonial relevante foi o primeiro exemplo da “cidade jardim” adaptado a Portugal.

DEZEMBRO 2019

HTTPS://WHOTRIPS.COM/2019/05/31/ NOVA-VIDA-PARA-O-BAIRRO-FERROVIARIO-CAMOES/ HTTP://WWW.ARQNET.PT/PORTAL/ BIOGRAFIAS/COTTINELLI.HTML HTTPS://PT.WIKIPEDIA.ORG/WIKI/ COTTINELLI_TELMO

www.nersant.pt


VT

www.nersant.pt

DEZEMBRO 2019

RIBATEJO

31


EMPREENDEDORISMO&INOVAÇÃO

Investimento de 100 milhões na área de energias renováveis no Cartaxo e Santarém Um investimento de mais de 100 milhões de euros num parque de energia solar vai nascer no Cartaxo e em Santarém, anunciou Pedro Magalhães Ribeiro, Presidente da Câmara Municipal do Cartaxo. O autarca reuniu no final do mês de outubro com o CEO da Energi-innovation, Francisco Ribeiro, e com o Vice-Presidente da Gesto Energy Consulting, Nuno Nóbrega. “Estamos a trabalhar no licenciamento urbanístico para viabilizar este investimento, na zona adjacente ao Valleypark, que também irá abranger, na sua extensão, os concelhos do Cartaxo e de Santarém”, comunicou Pedro Ribeiro na sua página de facebook. Ainda de acordo com o Presidente da Câmara Municipal do Cartaxo, “o valor para este investimento será acima dos 100 milhões de euros e prevê a empresa

promotora que o mesmo seja concretizado entre 2020 e 2021”. Neste momento, acrescentou ainda, “a Energi-innovation já tem as licenças de produção de energia

da Direção Geral de Energia e Geologia”. De referir que a Energi-innovation é uma empresa multinacional na área das energias renováveis.

Santarém: investimento de 1 milhão de euros em nova central fotovoltaica no CNEMA

A instalação de uma nova central fotovoltaica no parque de estacionamento do CNEMA - Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas, em Santarém, vai representar um investimento de cerca de 1 milhão de euros. A Sotecnisol Power & Water anunciou a celebração de um contrato com o CNEMA para o fornecimento, instalação e colocação em serviço de um sistema fotovoltaico em Carparque de

32

RIBATEJO

816 kWp, que permitirá disponibilizar estacionamento coberto para cerca de 360 viaturas. De acordo com a empresa, “esta obra representa um marco bastante importante da sua atividade, uma vez que é uma das maiores instalações fotovoltaicas em Carparque feitas em Portugal e numa instituição tão prestigiada como o CNEMA”. A instalação da nova central fotovoltai-

DEZEMBRO 2019

ca no estacionamento do CNEMA – investimento que ronda 1 milhão de euros – vai ter uma potência instalada de 816,2 quilowatt-pico (kWp), com 2.698 painéis solares instalados numa área de 7.000 metros quadrados. A capacidade anual de produção deverá rondar os 1.260.000 quilowatt-hora (kWh), o que, segundo a Sotecnisol Power & Water, equivale ao consumo médio de eletricidade de cerca de 380 habitações.

www.nersant.pt


E&I

Indaver Portugal renovou Sistema de Gestão Ambiental A Indaver Portugal acaba de comunicar a renovação do seu Sistema de Gestão Ambiental. A renovação confirma assim o objetivo da empresa de continuar na demanda da melhoria contínua do seu desempenho ambiental. No seu portal, a empresa afirma que “está empenhada em minimizar os danos ambientais e em maximizar a valorização energética e de materiais de cada aspeto da sua gestão operacional”. No dia a dia, continua, “isso implica garantir a máxima segurança das pessoas e do ambiente e obter uma recuperação máxima de energia e de materiais através de soluções financeiramente acessíveis. Desta forma, estamos a criar o melhor valor possível para o cliente e para a sociedade”. A aposta num Sistema de Gestão Ambiental é, por isso, um caminho natural para a Indaver Portugal, que acabou de anunciar a renovação deste sistema, quem confirma a preocupa-

ção da empresa com o seu desempenho ambiental. De referir que a Indaver Portugal, que detém um pólo em Abrantes, é líder na gestão de resíduos para a indústria e entidades públicas. A empresa fornece serviços integra-

dos a indústrias, com o seu modelo de Gestão Global de Resíduos personalizado, uma solução global sustentável para (grandes) indústrias. A Indaver Portugal faculta também serviços personalizados a entidades públicas - Public Waste PartnershipS.

Associação Eco Parque do Relvão coordena visita do Instituto Politécnico de Tomar à Extruplas Um grupo de alunos e professores do IPT - Instituto Politécnico de Tomar foi conhecer o processo de reciclagem de

www.nersant.pt

plásticos mistos no âmbito do projeto “Sinalética do Eco Parque de Relvão”. A AEPR – Associação Eco Parque do

DEZEMBRO 2019

Relvão” (Carregueira, concelho da Chamusca), coordenou esta visita técnica à unidade do Seixal da sua empresa associada Extruplas. A sua Diretora-Geral, Sandra Castro, acompanhou a visita e desvendou o processo de fabrico de mobiliário urbano. Foram apresentadas as caraterísticas destes produtos feitos em plástico 100% reciclado a este grupo do 2.º ano do curso de Design e Tecnologia das Artes Gráficas do IPT. Estes materiais que antes eram destinados aos aterros são agora valorizados através da sua reciclagem, com uma recuperação total do plástico e minimizando o recurso a outros produtos naturais tais como a madeira. Concluiu-se assim um conjunto de visitas técnicas para conhecer esta matéria-prima, o seu processo de transformação e os produtos finais, num consórcio constituído para recriação da sinalética existente com base nos princípios de Economia Circular.

RIBATEJO

33


EMPREENDEDORISMO&INOVAÇÃO

petMaxi e Zêzerovo renovam certificado de segurança alimentar As empresas de Ferreira do Zêzere petMaxi e Zêzerovo voltaram a atingir o nível mais elevado – Hight Level – no âmbito da certificação de segurança alimentar IFS Food. “Mais uma vez atingimos o nível mais elevado de certificação de segurança alimentar IFS que uma empresa pode ter (High Level), o que muito nos orgulha”, referiu a petMaxi na sua página de linkedin, acrescentando que “estes elevados padrões de qualidade só são possíveis graças ao excelente trabalho desenvolvido por toda a equipa petMaxi que coloca sempre o cliente em primeiro lugar”. Quanto à Zêzerovo, a empresa referiu na sua página de facebook estar, desde sempre, comprometida com a melhoria contínua, tendo agradecido “uma vez mais a dedicação e empenho de todos os colaboradores”. O International Featured Standard (IFS) Food é um referencial reconhecido mundialmente para certificar a

segurança, qualidade de produtos e processos alimentares, permitindo melhorar a imagem de uma marca,

reforçar a confiança do consumidor e abrir portas para novas oportunidades de mercado.

Brita Filstone certificada com marcação CE A brita produzida na Filstone – Comércio de Rochas, S.A., foi certificada com a marcação CE, um indicador-chave que determina que um produto está sob a legislação da União Europeia, ou seja, que está em conformidade e pronto a ser comercializado no mercado europeu. De acordo coma empresa, “este tipo de agregado beneficia das características excecionais da Serra de Aire e Candeeiros, onde o componente principal do calcário, o carbonato de cálcio, ronda os 97%”. Em breve, anunciou ainda a empresa de Fátima, a Filstone irá alargar a oferta de produtos, com a disponibilização de britas de diversas granulometrias para outras áreas de atividade industrial.

34

RIBATEJO

DEZEMBRO 2019

www.nersant.pt


Contabilidade Digital Sem papéis Vantagens - Online - Disponível 24H/dia - Em qualquer lugar - Em qualquer dispositivo móvel - Análise Gráfica | Indicadores Personalizados - Ecológica: Sem papéis

1º Mês Grátis

UM SERVIÇO: CONTACTE-NOS: comercial@mymanagement.pt www.nersant.pt

DEZEMBRO 2019

244 859 464 RIBATEJO

Leiria35| Lisboa


36

RIBATEJO

DEZEMBRO 2019

www.nersant.pt


E&I Liderado pelo NERE, “Business +2.0” conta com a parceria da NERSANT, NERBE/AEBAL e NERPOR

NERSANT integra projeto para promoção do empreendedorismo no Alentejo

A NERSANT - Associação Empresarial da Região de Santarém, é uma das associações empresariais regionais parceiras do projeto financiado pela União Europeia “Business +2.0”, que visa a criação e dinamização de processos colaborativos de apoio ao empreendedorismo e o desenvolvimento de iniciativas para detetar, estimular e potenciar a geração de ideias inovadoras, capacitação de iniciativas empresariais e criação de novas empresas na região do Alentejo. Liderado pelo NERE - Núcleo Empresarial da Região de Évora, o projeto tem, assim, como objetivo central a promoção do espírito empresarial através da dinamização do empreendedorismo qualificado e criativo, com vista à concretiza-

www.nersant.pt

ção de novas empresas assentes nos Domínios de Especialização da RIS3 Alentejo. Para isso, o “Business +2.0” conta no seu plano de ações com a realização de diversas atividades, nomeadamente Ateliers de Criatividade, onde se possam identificar ideias e oportunidades de mercado para empreender, ciclos de empreendedorismo para a identificação de novas oportunidades e novas ideias de produtos / serviços e a realização de concursos de ideias de negócio que fixem na região do Alentejo projetos empreendedores. São também atividades do projeto a realização de um roadshow de promoção das ideias inovadoras e criativas, a realização de um programa de aceleração - programa de apoio

DEZEMBRO 2019

ao desenvolvimento das ideias de negócio - para startups com menos de 3 anos, e a composição a difusão de um E-Book de Boas Práticas de Empreendedorismo. Está também previsto concretizar a plataforma Business +2.0, bem como realizar uma conferência internacional. De referir que o “Business +2.0” é liderado pelo NERE, em parceria com a NERSANT - Associação Empresarial da Região de Santarém, NERBE/ AEBAL - Associação Empresarial do Baixo Alentejo e NERPOR - Núcleo Empresarial da Região de Portalegre. Importa referir que se trata de um projeto cofinanciado pelo Alentejo 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do FEDER - Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

RIBATEJO

37


EMPREENDEDORISMO&INOVAÇÃO

Tablet para crianças comercializado pela Science4You

Ikimobile produz em Coruche primeiro brinquedo tecnológico 100% nacional A Ikimobile, com fábrica em Coruche, está a produzir para a Science4You, o primeiro brinquedo tecnológico 100% nacional. Trata-se do Tab4you 6, um tablet de utilização fácil desenhado exclusivamente para crianças e que permite explorar diferentes utilizações, tais como a realização de trabalhos escolares, jogar ou ver vídeos nos tempos livres ou pesquisar experiências divertidas, potenciando-se, assim, a criatividade e a diversão de aprender.

38

RIBATEJO

DEZEMBRO 2019

P

ara lançar este produto, a Science4you fez um evento de lançamento na FNAC do Centro Comercial A l e g ro A l f r a g i d e n o d i a 7 d e novembro, com o intuito de promover e fazer chegar a novidade a todas as casas. Para além da presença de muitas caras conhecidas do público português – e dos seus filhos – e da comunicação social, o evento contou com a presença dos promotores deste da iniciativa, Tito Cardoso, CEO da Ikimobile e Miguel Pina Martins, CEO da Science4You, que apresentaram o produto, fruto da parceria entre as duas empresas que representam. O Tab4you 6, explicaram no evento, vem completamente preparado para o seu público, as crianças: com uma capa protetora que serve de suporte em diferentes posições e com uma pega

www.nersant.pt


E&I

ideal para facilitar o seu transporte, Android 9, um processador QuadCore o produto é incrivelmente resistente de 1.5 GHz, um ecrã HD de 7 polegadas, duas câmaras, uma traseira e a quedas. uma frontal, ambas com 2MP, que “Esta proteção torna o Tab4you 6 servirão para grande diversão dos robusto, antichoque e, portanto, um pequenos cientistas. descanso para os pais. E por falar em Em termos de segurança, também memória, conta com o vidro deste equiO Tab4you 6 pamento é feito de 1 GB de RAM, 8 GB de um material difeROM e com capacidade é o primeiro rente, garantindo até 64 GB de armazetablet português namento externo atramaior segurança, direcionado vés de um cartão SD. e ainda que não se Antes de chegar às estilhaça sendo ainexclusivamente para da mais seguro para lojas, o Tab4you 6 foi crianças a partir dos quem o manuseia. testado “por quem per6 anos. Desenhado a cebe da brincadeira”. Assim, adotámos a “O colégio Co.Cas de hashtag #estepodepensar nos pequenos cair, representando Alhandra, parceiro de cientistas, inclui a resistência deste longa data da Scienuma capa protetora ce4you, abriu-nos as tablet, embora não com a pega ideal portas e passámos o torne indestrutível!”, foi referido no u m a t a rd e i n c r í v e l para facilitar o seu evento. com alguns alunos transporte e que o O Tab4You 6 vem para nos dizerem o torna ultra mega equipado com o que achavam desta Sistema Operativo novidade. Fizemos resistente.

www.nersant.pt

DEZEMBRO 2019

algumas perguntas sobre informática, introduzimos os primeiros passos sobre utilização de tablets, conversámos sobre Internet e navegação segura, explicámos todas as funcionalidades, como podem e devem utilizar o Tab4you 6 em prol das atividades escolares e depois deixámo-los navegar e brincar”, fez saber a Science4You. Neste momento, o Tab4you 6 está já à venda pelo preço de 119,99€. 

A Ikimobile é a primeira marca portuguesa de telemóveis, tablets e gadgets. A empresa inaugurou em Coruche, em 2018, uma unidade fabril onde está a produzir, entre outros produtos, o novo tablet Tab4you 6, da Science4You.

RIBATEJO

39


EMPREENDEDORISMO&INOVAÇÃO

EntoGreen encerrou EntoValor

Projeto para a produção de adubos com farinha de insetos gera investimento de 15 milhões em Santarém A EntoGreen promoveu dia 22 de novembro, na Estação Zootécnica Nacional, no Vale de Santarém, um evento de balanço e encerramento do projeto EntoValor que, ao longo de 40 meses, se dedicou à investigação do papel dos insetos na economia circular aplicada ao setor agroalimentar. Como resultado do projeto, foi anunciada a construção de uma unidade fabril – um investimento na ordem dos 15 milhões de euros – para a produção de adubos a partir de subprodutos vegetais e de farinha para alimentação animal, em Santarém. “

O

s trabalhos desenvolvidos no decorrer do EntoValor contribuíram para a transição para uma economia circular no setor agroalimentar que passa pela conversão de subprodutos vegetais, em matérias-primas secundárias, nomeadamente em novas fontes nutricionais para rações para animais e em fertilizantes orgânicos para os solos. Estes subprodutos são materiais de base biológica podendo apresentar vantagens ligadas à sua renovabilidade, biodigestão ou possibilidade de conversão”, começou por contextualizar a EntoGreen, promotora do projeto. “O motor desta conversão são os insetos, particularmente as larvas da Mosca Soldado Negro, Hermetia illucens (Black Soldier Fly – BSF). As larvas de BSF serão a peça chave necessária para fechar o ciclo produtivo dos produtos agroalimentares, permitindo devolver os nutrientes, que de outra forma se perde-

40

RIBATEJO

riam, aos animais e aos solos. Estas larvas, depois de atingirem uma fase larvar avançada, são separadas e desidratadas, constituindo uma fonte nutricional a incluir em alimentos compostos para animais. Os resíduos biodegradados por estas larvas serão posteriormente usados como fertilizantes orgânicos”, concluiu a empresa. “O projeto EntoValor surgiu da carência de conhecimentos técnicos e científicos desenvolvidos, que permitissem a sua aplicação à escala industrial. Com este projeto foi possível o estabelecimento destes conhecimentos, através da realização de testes no terreno, da instalação de uma unidade piloto e de protótipos que possibilitem a valorização destes resíduos à escala industrial de uma forma eficiente”, particularizou a empresa de Santarém. A unidade piloto criada pela EntoGreen no Vale de Santarém, permitiu assim comprovar a potenciais investi-

DEZEMBRO 2019

dores que o projeto é viável do ponto de vista industrial e fácil de operacionalizar. Validada a “aplicação à escala industrial”, a EntoGreen anunciou, no evento final referente ao projeto EntoValor, o investimento de 15 milhões de euros numa nova unidade industrial para a produção de adubos a partir de subprodutos vegetais e de farinha para alimentação animal, em Santarém. “Este projeto distingue-se, por se tratar de um dos primeiros a ser implementado no território nacional a esta escala. A unidade fabril que a EntoGreen pretende construir com o know-how gerado no âmbito do projeto, será, portanto, uma das primeiras a serem

www.nersant.pt


E&I

implementadas no mundo, contribuindo desta forma, para o desenvolvimento económico da região e criando um setor produtivo e inovador no nosso país”, anunciou a empresa. A fábrica, que está já em fase avançada de negociações com um grupo empresarial português permitirá, assim, dar escala a uma produção que, no âmbito da investigação, foi realizada em protótipos, com “resultados muito interessantes”, tanto no uso do fertilizante orgânico obtido pela ação dos insetos, como na transformação destes em farinha para alimentação de aves. O investimento na nova unidade fabril, comunicou ainda a empresa EntoGreen, vai permitir a

www.nersant.pt

criação de 50 novos postos de trabalho e deverá entrar em laboração no final de 2021. De referir que o EntoValor é um projeto em co-promoção liderado pela EntoGreen e com a colaboração de mais quatro parceiros. São eles o INIAV - Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, a AgroMais Plus, a Rações Zêzere e a Consulai. O projeto contou com o apoio do COMPETE 2020 no âmbito do Sistemas de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico em copromoção, envolvendo um investimento elegível de 728 mil euros o que resultou num incentivo FEDER de 492 mil euros. 

DEZEMBRO 2019

A EntoGreen pretende contribuir para o desenvolvimento de uma alimentação sustentável, centrando-se no desenvolvimento de tecnologias de base biológica que possibilitem reutilizar os desperdícios nutricionais que ocorrem no setor agroalimentar, reintroduzindo-os na cadeia alimentar. Esta ambição nasceu da fusão das preocupações e soluções apresentadas por dois empreendedores, Daniel Murta e Rui Nunes.

RIBATEJO

41


EMPREENDEDORISMO&INOVAÇÃO

42

RIBATEJO

DEZEMBRO 2019

www.nersant.pt


E&I

From Start to Table

Zone Soft é mentora de programa de aceleração da Startup Lisboa

A Zone Soft, empresa do Entroncamento dedicada ao desenvolvimento produtos de software para a área de restauração e bebidas, comércio em geral e mobilidade, encontra-se a apoiar a iniciativa From Start to Table, um programa de aceleração da Startup Lisboa para negócios ligados ao ecossistema da restauração e que tem como objetivo descobrir startups que tragam disrupção ao setor através da tecnologia, inovação e experiência do cliente.

A

o abrigo desta parceria, Pedro Sousa, da Zone Soft, foi convidado para ser mentor da segunda edição deste programa de aceleração, que está neste momento a decorrer na Startup Lisboa. “A Zone Soft já tem um histórico de investimento em novos projetos, como o freebee, levoo, comproo, entre outros, sendo que, adicionalmente, apoia startups de elevado potencial, como a VinciTables, que participou na primeira edição do From Start to Table e cuja plataforma já está integrada com o software de faturação ZS REST da Zone Soft”, refere a empresa em comunicado, publicado no seu portal. Neste sentido, e também com o objetivo de revelar novas soluções ao mercado, a Zone Soft decidiu aprofundar a sua aproximação à iniciativa From Start to Table e reforçar a sua proposta de valor através de parcerias estratégicas e empresariais. O interesse reside essencialmente em conhecer projetos que melhorem a experiência de consumo na restauração, já que hoje assiste-se a uma elevada proliferação de soluções tecnológicas, mas que por vezes esquecem o consumidor como elemento fundamental da equação. “Acreditamos que identificar atempadamente projetos que consigam equilibrar as necessidades do comerciante, a experiência do consumidor, e os custos finais da solução, são uma mais-valia para os parceiros que

www.nersant.pt

DEZEMBRO 2019

lideram negócios complexos e em constante evolução pois, terão sempre inovações para propor aos seus clientes”, comunicou ainda a empresa. Com mais de 55 colaboradores e uma rede de distribuidores a nível nacional, o Grupo Zone Soft é tido como um dos mais inovadores nas áreas onde atua, com clientes tão variados como a Delta Cafés, Aviludo, Grupo Capricciosa, Science4You, Eurest, Dote, Noori, Nata Lisboa, Cascais Kitchen, Mar Shopping, Kinda Food, Alegro, UBBO e Arcádia, entre outros. 

From Start To Table é o programa de aceleração da Startup Lisboa para negócios ligados ao ecossistema da restauração que permite aos empreendedores participantes aceder a especialistas e investidores do ecossistema e trabalhar na prototipagem e validação do seu produto, ao longo das 8 semanas de duração da iniciativa. Encontram-se a participar na iniciativa empreendedores ligados às tecnologias da restauração, negócios com novos conceitos ao nível da restauração e / ou com produtos inovadores de food & beverage.

RIBATEJO

43


INTERNACIONALIZAÇÃO

Abrantes: Azeites Cabeço das Nogueiras e Gallo entre os 100 melhores do mundo O concurso Evooleum, realizado em Espanha, premeia todos os anos os melhores azeites virgens extra do mundo e Portugal encontra-se na lista com quatro azeites, dois deles oriundos do distrito de Santarém, mais concretamente Abrantes. São eles o “Cabeço das Nogueiras Premium” e o “Gallo – Colheita ao Luar”. O azeite “Cabeço das Nogueiras Premium”, produzido pela Sociedade Agrícola Ouro Vegetal (SAOV), foi mesmo o azeite português com a melhor pontuação. O “Gallo – Colheita ao Luar” é produzido pela empresa abrantina Victor Guedes. “Oliveira da Serra – Lagar do Marmelo” produzido em Ferreira do Alentejo e “Oliveira da Serra – Seleção Verde” foram as duas outras referências que fecham o lote dos quatro azeites portugueses premiados.

De referir que o guia dos melhores azeites para 2020 conta com um total de 100 azeites. Os espanhóis lideram a lista com 81 azeites de diferentes marcas. No

ranking, Portugal é o terceiro país que mais contribuiu com azeites para este guia, antecedido por Itália, que apresentou 12 referências.

realizado entre 30 de outubro e 2 de novembro, na Feira Internacional de Casablanca, em Marrocos. A empresa, situada em Seiça, Ourém, esteve presente com o objetivo de apresentar ao mercado as suas soluções para o tra-

tamento de águas. Dias 5 e 6 de novembro, a empresa esteve presente num certame idêntico, desta feita no Senegal. De referir que a Ecodepur, pertencente ao Grupo Henriques SGPS, atua em diferentes países da União Europeia, África e Médio Oriente.

Ecodepur em Marrocos

A Ecodepur, líder nacional na conceção e construção de sistemas de tratamento e reutilização de efluentes, marcou presença na Pollutec Maroc 2019, certame profissional internacional de equipamentos, tecnologias e serviços do meio ambiente,

44

RIBATEJO

DEZEMBRO 2019

www.nersant.pt


INT

Grupo Verdasca e Fametal na Batimat em Paris Quem também esteve num certame internacional, desta vez em França, foram as empresas de Ourém, Grupo Verdasca e Fametal, que marcaram presença na Batimat, em Paris. Realizado de 4 a 8 de novembro na capital francesa, o evento é atualmente a principal feira do setor da construção do mundo, realizando-se a cada dois anos. Na ocasião, as empresas do setor da construção civil aproveitaram para se apresentar ao mercado. O Grupo Verdasca atua no mercado português da construção civil desde 1987, assumindo atualmente um lugar cimeiro e consolidado no fornecimento de produtos de betão pré-fabricado e de betão pronto deste mercado. O Grupo iniciou a sua estratégia de internacionalização em 2010. Quanto à Fametal, dedica-se à conceção, construção, fabrico e montagem de estruturas metálicas. A empresa tem instalações em França e na Bélgica.

Hubel Verde na Fruit Attraction, em Madrid A empresa Hubel Verde, com instalações em Alpiarça, esteve pelo quarto ano consecutivo na Fruit Attraction, em Madrid, Espanha, para apresentar os seus serviços. A empresa é especializada na prestação de serviços e venda de produtos de engenharia e tecnologia agronómica, com o objetivo de aumentar a segurança e rentabilidade do negócio dos seus clientes. A Fruit Attraction é uma plataforma internacional especializada dedicada ao mercado de produtos frescos. O certame concentra-se na indústria de frutas e vegetais, contando com a participação de produtores e distribuidores espanhóis, da Europa e do resto do mundo.

www.nersant.pt

DEZEMBRO 2019

RIBATEJO

45


INTERNACIONALIZAÇÃO

Rações Zêzere recebeu delegação de Hong Kong A Rações Zêzere recebeu recentemente nas suas instalações, em Ferreira do Zêzere, uma delegação de Hong Kong numa “Missão de Habilitação de estabelecimentos para exportação de carne bovina para Hong Kong”. De acordo com a empresa, “fomos visitados pela DGAV (Direção Geral de Alimentação e Veterinária) e por essa delegação, como a empresa de rações selecionada para esse efeito, o que muito nos orgulha”. Deste modo, continuou a empresa, “esperamos que esta missão seja um sucesso e que possamos ajudar a abrir mais um mercado para os nossos exportadores de carne bovina, que bem merecem”. A empresa, de capital 100% português, fabrica e comercializa cereais, misturas e alimentos compostos para animais de criação.

Olitrem esteve na Host Milão 2019 A Olitrem, empresa de Tremês, Santarém dedicada à área da refrigeração, esteve recentemente na Host Milão 2019 - Feira Internacional da Indústria Hoteleira Profissional, realizada na cidade italiana de Milão. No certame, a empresa apresentou

46

RIBATEJO

as últimas novidades em refrigeração, tendo contado com a visita de clientes, fornecedores e amigos. A Host Milão é uma feira bienal, tendo a Olitrem manifestado na sua página da rede social facebook, “o regresso, daqui a dois anos”. De referir que a empresa

DEZEMBRO 2019

é especializada na produção, comercialização e assistência técnica de frio comercial e industrial, para a indústria hoteleira, restauração e bebidas, transportando consigo uma vasta experiência acumulada ao longo de muitos anos de atividade.

www.nersant.pt


INT

Portugal e China podem ser parceiros numa nova geração de infraestruturas de transporte O Ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, visitou a China Brand Show, um evento que visa aproximar as empresas chinesas das empresas portuguesas e estas às entidades públicas dos dois países. Na sessão de abertura da exposição, em Lisboa, o Ministro referiu-se aos desafios ambientais, à transição energética e às implicações para a indústrias automóvel, relembrando que “Portugal é um País com uma rede viária das mais desenvolvidas da Europa” porque “ao longo dos anos investiu-se bastante na indústria automóvel”, uma vez que “o cidadão português valoriza o automóvel como um instrumento da sua autonomia”. “Será um meio de transporte sempre central em qualquer estratégia

de mobilidade futura”, acrescentou. A propósito da cooperação entre Portugal e a China - que já tem 40 anos - Pedro Nuno Santos referiu que a mesma se traduziu na Parceria Estratégica Global entre os dois países, assinada em 2005, e que foi reforçada, há cerca de um ano, por ocasião da visita do Presidente Xi Jinping a Portugal. É “uma parceria que promove uma visão estratégica e de longo prazo assente nos princípios de respeito mútuo, do igual tratamento e do benefício recíproco”, acrescentou.

PROGRAMA NACIONAL DE INVESTIMENTOS O Ministro referiu também o Programa Nacional de Investimentos - um docu-

mento estruturante com as opções de investimento para a próxima década e sobre o qual o Governo está a trabalhar - onde estão definidos os três grandes objetivos para uma nova geração de infraestruturas de transporte em Portugal: “Reduzir significativamente os tempos de viagem ao longo da faixa atlântica, mudando a forma como as áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto se relacionam entre si”; “Reforçar a unidade do território, construindo e requalificando ligações ferroviárias em zonas de menor densidade populacional”; e “transformar o paradigma da mobilidade nas áreas metropolitanas” uma vez que “só uma mobilidade urbana coletiva onde a ferrovia seja estruturante da rede permitirá que as cidades devolvam o espaço público às pessoas”. Para Pedro Nuno Santos, esta é “uma oportunidade à qual as empresas chinesas já estão a responder, em particular para os metros de Lisboa e do Porto, e desejamos que assim o possam continuar a fazer”. O Governo está “naturalmente aberto à criação de parcerias tecnológicas e comerciais com empresas chinesas especializadas em componentes que sirvam setores congéneres como são o automóvel e o ferroviário”, estabelecendo “parcerias comerciais, fortalecendo sinergias entre setores industriais e, assim, reforçando os 40 anos de relações diplomáticas entre os dois países”, concluiu.

Hotel dos Templários distinguido com o Prémio “Portugal Luxury Cultural Hotel” A organização internacional World Luxury Hotel Awards, uma referência no que respeita à recomendação do serviço de excelência de hotéis de luxo, distinguiu o Hotel dos Templários com o prémio “Portugal Luxury Cultural Hotel”. De acordo com o hotel, situado na cidade templária de Tomar, “este prémio que muito nos prestigia é o culminar do reconhecimento do nosso serviço e dedicação de toda a nossa equipa”.

www.nersant.pt

DEZEMBRO 2019

RIBATEJO

47


INTERNACIONALIZAÇÃO

Hidro Ibérica

tem novo site para facilitar a proximidade com o cliente nacional e internacional Com foco principal na melhoria contínua da comunicação com os seus públicos-alvo, a Hidro Ibérica – Estudo e Montagem de Regas, lançou um novo website, redesenhado numa parceria com a Bomsite – Soluções para Internet.

A

Hidro Ibérica exerce a sua atividade de comercialização, montagem e assistência de sistemas de rega, desde 1988 em Portugal, e 1981 em Espanha. O seu forte posicionamento no mercado ibérico é representativo da sólida experiência em soluções para a agricultura, não só pela gama de produtos comercializados – pivots, gota-a-gota, regas de cobertura fixas e móveis, máquinas de rega a drenagem – mas sobretudo, na prestação de serviços de consultoria para as áreas da hidráulica e regadio, projeto, comercialização, montagem, assistência técnica pós-venda e implementação “chave-na-mão” em olival, amendoal e vinha. Com uma interface moderna e intuitiva, este novo website da Hidro Ibérica, está já online, refletindo e valorizando a sua nova imagem corporativa, objetivos e mudanças estratégicas de posicionamento, competitividade e integração nos mercados nacional e internacional. O layout user-friendly projetado inteiramente de raiz, reflete um design simples e elegante, com objetivo de permitir uma experiência de navegação simples e intuitiva, para uma comunicação eficaz e direta às soluções comerciais. “O nosso maior desafio foi desenvolvermos novos conteúdos relevantes, mas sucintos, no sentido de colocar à disposição dos nossos clientes e

48

RIBATEJO

potenciais, a informação necessária para conhecerem melhor o nosso trabalho e áreas de negócio. Os potenciais clientes internacionais irão poder encontrar brochuras de apresentação em diversas línguas, como espanhol, inglês e francês”, comentou o Diretor Geral da Hidro Iberica, Alexandre de Castilho. Considerando as novas exigências tecnológicas, o website foi construído sobre as mais recentes e promissoras abordagens de programação. Uma otimização responsive do layout e conteúdos face ao equipamento e dispositivos móveis utilizados, a incorporação do protocolo de segurança (SSL – Secure Socket Layer ou “https”) e, integração de técnicas de Search Engine Optimization (SEO), são ferramentas imprescindíveis para credibilizar o website diante das pesquisas dos potenciais clientes e obter um bom posicionamento nos motores de busca, no sentido de gerar negócio. “O website é atualmente a ferramenta fundamental de contacto com diferentes mercados e a forma mais eficaz de partilhar os nossos valores, a inovação e acompanhamento técnico que agregamos em cada projeto. É uma das nossas fortes apostas de crescimento para a Hidro Ibérica”, afirma o Diretor Geral, Alexandre de Castilho. De referir que a Hidro Ibérica está a ser acompanhada pela NERSANT no âmbito do SI2E – Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego. 

DEZEMBRO 2019

www.nersant.pt


INT

www.nersant.pt

DEZEMBRO 2019

RIBATEJO

49


INTERNACIONALIZAÇÃO

A equipa da Digital Manager Guru

São brasileiros, chegaram a Portugal em 2017 e mudaram-se para o Ribatejo em 2019, de onde gerem um negócio que conta já com mais de 250 milhões de euros transacionados no Brasil. André Lado Cruz e a sua esposa, Michelle Oliveira Cruz, vieram para Portugal “à aventura” e é a partir da Startup Santarém que ambicionam tornar a Digital Manager Guru numa verdadeira empresa global. A Ribatejo Invest quis conhecer de perto a vida deste negócio, posicionado na área dos produtos digitais.

50

RIBATEJO

A “

história da Digital Manager Paris. Aí, encontrámo-nos com um amigo Guru está cheia de felizes que reside em Portugal e que nos apresentou o hub tecnológico de Portugal no coincidências”, começou por momento e nos falou dos inúmeros incendizer André. “Eu e a minha tivos que o país estava a oferecer nesse esposa Michelle sempre quisemos morar fora do Brasil. O meu pai é sentido”. “Regressámos ao Brasil dia 30 cidadão americano, pelo que em 2015, no de novembro e no dia 20 de dezembro Natal, fizemos uma viagem aos Estados decidimos mudar. Em fevereiro de 2017 Unidos da América, onde ele reside. Foi vendemos tudo, morámos dois meses em nesta altura que decidimos que estava na casa da minha sogra, e em abril do mesmo hora de mudar de país”, contou, acrescenano, mudámo-nos para Portugal”, relata tando que deram entrada, em 2016, do André Lado Cruz, contando ainda que processo de obtenção até a casa que alugaram inicialmente, em Cascais, foi do Green Card, Cartão “Se o nosso conseguida através de uma de Residência Permaobjetivo é ser nente dos Estados Uniamiga da mãe que conheceu, uma empresa dos, e que tinha, na precisamente, “no almoço de altura, “mais de 8 anos global e se o que despedida antes de viajarem de fila de espera. Hoje, para Portugal”. “Tínhamos fazemos serve o processo já se arrasta passagem comprada e não para o mundo há 11 anos! Obviamente tínhamos lugar para morar. inteiro, não posso Do nada, apareceu uma amificámos frustrados com ga de infância da minha esta questão”, revelou. pensar só em mãe que pessoalmente não “No final de 2016, em 10.000 clientes. conhecia, e que foi casada novembro, viajámos Queremos fazer com o dono da casa que pela primeira vez para viemos a alugar em Cascais. a Europa, para visitar história.”

DEZEMBRO 2019

www.nersant.pt


INT

Digital Manager Guru:

uma empresa com ambição global Tudo foi-se encaixando”, disse André. Mas, “tinham já algum projeto empresarial pensado ou algum investimento estruturado para Portugal?”, quis saber a Ribatejo Invest, curiosa com a ousadia de André e Michelle. “Não. Viemos «na cara e na coragem» ”, que é como quem diz em português de Portugal, “viemos à aventura”, mas “querendo ficar e querendo fazer alguma coisa”. Depois de um período de “ócio criativo, em que tivemos de nos adaptar”, André Lado Cruz refere que escreveu “a primeira linha de código no dia 4 de maio de 2017, praticamente 1 mês após a chegada a Portugal”, retomando assim uma “experiência fracassada no mercado dos produtos digitais no Brasil, entre 2015 e 2016”. “Eu e a Michelle fizemos faculdade juntos, nas áreas da gestão e desenvolvimento. Sempre trabalhei em empresas, com indicadores, e sentia falta deste tipo de ferramenta para o mercado de vendas de produtos digitais. Na altura esse projeto não deu certo e ainda bem”, desabafou André, explicando o arranque da empresa Digital Manager Guru. “De facto, não viemos para Portugal com o obje-

www.nersant.pt

tivo de implementar essa “A Digital Manager veio dar volume à Digital ideia aqui. Portugal surgiu. Manager Guru”, fez saber Guru nasceu Parece que houve uma mão André. “Temos vindo a para ser global. mágica que «pegou a gente» crescer a uma velocidade do Brasil e nos colocou no muito maior por causa A empresa está olho do furação do merdesse dinheiro”, concluiu neste momento cado de startups, desse o empreendedor. a homologar mundo de tecnologia que De facto, foi o investio processo mento da Portugal Ventuestá a acontecer aqui em res, finalizado em fevereiPortugal”, concretizou. de vendas no ro de 2019, que colocou a O negócio, que nasceu mercado europeu.” Digital Manager Guru em em casa de André e Michelle, em Cascais, foi alvo de Santarém. “O acordo com investimento por parte de um “investidora Portugal Ventures implicava a saída do -anjo”, tendo passado posteriormente pelo negócio da região de Lisboa para territórios do interior, estando em cima da mesa processo de incubação da Startup Sintra, as hipóteses Évora ou Santarém. De Évoonde esteve nos últimos dois meses de 2017. ra já tinha ouvido falar, mas de Santarém O negócio entra em 2018 a crescer – “no não, pelo que estávamos inclinados para a início de 2018 começámos a fazer entrevistas” – crescimento esse que se manteve primeira hipótese. Foi então que o nosso ao longo de todo o ano. Em agosto, revelou contacto da Portugal Ventures nos indicou Santarém como uma melhor aposta”, André, outro passo importante foi dado pela contou. “Lembro de ter feito uma pesquisa empresa: a Digital Manager Guru enceta negociações com a Portugal Ventures, rápida na internet, e foi aí que percebi que sociedade de capital de risco que investe tinha duas faculdades, que a cidade ficava em startups com ambição global, invesa 80 km’s de Lisboa – muito mais perto timento que, “apesar de não ser decisivo, que Évora – e que tinha uma linha dire-

DEZEMBRO 2019

RIBATEJO

51


INTERNACIONALIZAÇÃO

ta de comboio. Como ainda não tínhamos automóvel, alugámos um carro na 2.ª feira seguinte e fomos ver. A gente «rodou» pela cidade e se apaixonou”, começou por dizer, acrescentando que, para além disso, “demorámos 1 hora e pouco de Cascais para cá. Fazia todo o sentido! Voltámos no sábado seguinte prontos a alugar um apartamento. Para ter ideia, moramos eu, a Michelle e dois gato s – Tom e Frajola – num T4 com 150 m2 e pagamos quase o mesmo valor do T1 de Cascais!”, disse. Nessa “pesquisa rápida” que fizeram sobre a cidade de Santarém, descobriram a Startup Santarém, que aproveitaram para conhecer nessa primeira visita à cidade. “Sabíamos o que queríamos. Era importante e estratégico para nós estar num espaço como o da Startup Santarém”, revelou André, acrescentando que, à data da visita, “não havia ainda sala disponível para a Digital Manager Guru, o que se verificou em fevereiro de 2019”. “Hoje somos 14 pessoas e seremos 20 já no início do próximo ano. Aliás, neste momento a Digital Manager Guru está em processo de expansão para uma outra sala, que terá capacidade total para 26 colaboradores”, revelou André Lado Cruz, orgulhoso do caminho percorrido pela empresa.

DIGITAL MANAGER GURU ESTÁ LIGADA AO MERCADO DOS PRODUTOS DIGITAIS Mas afinal, o que faz a Digital Manager Guru? André esclarece. “Se eu falar de comércio eletrónico, toda a gente enten-

52

RIBATEJO

de. Mas se eu falar em modelo de funcionamento Inglaterra vender pela internet, as para quem já tem um e-come Alemanha, merce. Neste caso, explica, pessoas associam logo a uma loja virtual, o que e logo de seguida, “agarramos a venda que n ã o é v e rd a d e . P a r a França e Espanha, passou pela nossa plataforvender pela internet, são os mercados ma, e colocamo-la dentro do e-commerce do cliente para não precisa de ter um prioritários da seguir o processo normal dele e-commerce”, explicou Digital Manager de fullfillment. Nestes casos, André. Assim, adiantou, não faz sentido ter dois sis“o que fizemos foi criar Guru. temas de entrega paralelos. um modelo muito simples para que as pessoas Respondemos, também, a possam vender pela internet sem necessinegócios menos pequenos”, concluiu, cerdade de ter uma loja virtual. Criámos uma to de que “quem não vende pela internet, plataforma de vendas e gestão online que estará morto em algum momento”. permite o acompanhamento, num mesmo A Digital Manager Guru apresenta ainda lugar, de indicadores de marketing, relaum modelo de negócios inovador. Ao concionamento, vendas e gestão”, concluiu, trário daquilo que é habitual neste tipo de exemplificando: “Imagine um pequeno arteatividade, a empresa não utiliza o modelo são que faz bijutaria e que usa as redes de revenue share, ou seja, em que é cobrada uma percentagem sobre as vendas da sociais para vender o seu produto. Ele pode empresa cliente, mas sim um modelo de enviar a foto do produto e prestar todas pricing, em que o cliente paga uma menas informações através de qualquer rede social. Quem está comprando, que mais precisa saber? Não viu a foto? Não sabe A Digital Manager Guru desenvoljá o que precisa saber? Para quê enviar as veu e comercializa uma plataforma pessoas para um site, que redireciona para de gestão e vendas online que não um carrinho, para concluir a venda? Não precisa de uma plataforma de e-comseria mais fácil enviar o cliente diretamente merce ou loja virtual associada. para o processo de pagamento? É isto que A empresa recebeu investimenfazemos. Facilitamos a vida, encurtando os to por parte da Portugal Ventures, passos”, ilustrou. sociedade de capital de risco que Trata-se, assim, de um modelo de negóinveste em startups com ambição cio a pensar no “pequeno comerciante, no global. pequeno empresário”. Mas, revela ainda André, também dispomos de um outro

DEZEMBRO 2019

www.nersant.pt


INT

Michelle e André Cruz

salidade baseada no seu volume de vendas. “Temos clientes que faturam 1.5 milhões de euros e pagam 250 euros por mês. É, por um lado, um modelo mais justo para o lojista ou empresário e, por outro, torna-se bastante interessante para nós. Com este modelo, a probabilidade de termos mais clientes é mais elevada, uma vez que o custo não é uma barreira à entrada”, relatou.

AMBIÇÃO GLOBAL É curioso pensarmos que André Lado Cruz e Michelle Oliveira Cruz deixaram o Brasil, e estão, neste momento, em Santarém a gerir uma empresa na área das tecnologias e produtos digitais que trabalha, quase exclusivamente, para… o mercado brasileiro. “Hoje, 90% do nosso mercado é brasileiro. Embora tenhamos alguns clientes portugueses, o que é facto é que esses clientes vendem o nosso produto para o Brasil”, fez saber André, acrescentando que, por conta disso, a empresa trabalha em horários adaptados para que possa responder favoravelmente a este mercado. No entanto, a ambição da Digital Manager Guru ultrapassa qualquer fronteira. “A Digital Manager Guru nasceu para ser global. A empresa está neste momento a homologar o processo de vendas no mercado europeu, o que lhe permitirá aceder aos tão desejados mercados de Inglaterra e Alemanha”, para onde desejam centralizar, em primeiro lugar, as vendas, contou André, referindo França e Espanha como outros mercados que estão no horizonte

www.nersant.pt

da empresa. “Só o mercado inglês é cinco vezes o tamanho do Brasil, em volume”, justificou o CEO da empresa. Em Portugal, referiu ainda, a entrada no mercado está a ser feita através da “área de canais”, ou seja, através de agências de comunicação. Atualmente, relatou André Lado Cruz, “temos perto de 150 clientes. De forma acumulada, são mais de 250 milhões de euros transacionados, são mais de 5 milhões de transações, são mais de 7 milhões de leads, são 130 milhões de cliques na nossa ferramenta. São números gigantescos e nem detemos 0,01% do mercado brasileiro ainda!”, descriminou André, acrescentando que as metas da empresa vão bem mais além do que os números apresentados. “Aquando do investimento da Portugal Ventures, simulámos com a sociedade - para ver as loucuras - uma meta de 10.000 clientes em todo o mundo. Isso seria algo quase 300 vezes maior do que somos hoje. Seria uma empresa com faturação de 6 milhões ao ano!”, disse André. Mas se o nosso estimado leitor considera que esta é uma meta “louca”, como aliás a definiu o próprio CEO da Digital Manager Guru, saiba que, atualmente, esta não é a meta da empresa. “Esse valor já triplicou”, comunicou André Lado Cruz. “Tenho conversado com algumas empresas brasileiras que atuam na mesma área e todas elas têm entre 18.000 a 20.000 clientes, só no Brasil. Se o nosso objetivo é ser uma empresa global e se o que fazemos serve para o mundo inteiro, não posso pensar só em 10.000

DEZEMBRO 2019

clientes. Queremos fazer história”, rematou o empresário. Para breve, está já em marcha uma nova “rodada de investimento” por parte da Portugal Ventures, que vai servir para “continuar a estratégia de expansão da empresa: mais colaboradores, mais tempo e mais presença nos quatro cantos do mundo!”, concluiu André Lado Cruz. No final da conversa – e em tom provocatório – , a Ribatejo Invest quis saber se André e Michelle Cruz ainda querem ir para os Estados Unidos da América. André responde, com um sorriso nos lábios, que quer “colocar Santarém no mapa” e mostra-se agradecido a Portugal pelas oportunidades que lhe deu. “Estou a uma hora do aeroporto e a 5 minutos do trabalho. Almoço em casa. Tenho internet de fibra de 1 GB dentro do meu apartamento e a bom preço. O mundo tornou-se mais pequeno. A internet encurtou as distâncias. Não temos necessidade de estar em grandes cidades. Não tenho o menor motivo para sair de Santarém e de Portugal. Temos tudo o que precisamos aqui”, declarou André Lado Cruz. 

A Digital Manager Guru esteve presente na última edição da Web Summit, uma das maiores conferências de tecnologia do mundo, realizada no início do passado mês de novembro.

RIBATEJO

53


INTERNACIONALIZAÇÃO

Acordo comercial UE-Singapura já em vigor

N

o contexto da entrada em vigor, dia 21 de novembro, do acordo comercial UE-Singapura, Cecilia Malmström, a Comissária responsável pelo Comércio, afirmou: “O acordo comercial UE-Singapura — que entra hoje em vigor — irá impulsionar o comércio em benefício das empresas, dos agricultores, dos trabalhadores e dos consumidores de ambas as partes. Permitirá também o acesso ao Sudeste Asiático, uma região em rápido crescimento. Numa época em que são postos em causa os princípios fundamentais do comércio mundial aberto e baseado em regras, precisamos agora, mais do que nunca, de acordos como este. O acordo entre a UE e Singapura é o 16.º acordo comercial que celebrámos desde 2014. Dispomos agora da maior rede comercial do mundo, incluindo 42 acordos comerciais com 73 parceiros.” Com a entrada em vigor do acordo, Singapura irá: • Eliminar todos os direitos aduaneiros ainda existentes sobre os produtos da UE. • Oferecer novas oportunidades aos prestadores de serviços da UE, nomeadamente em setores como as telecomunicações, os serviços ambientais, a engenharia, a informática e o transporte marítimo. Tornará também o ambiente empresarial

54

RIBATEJO

DEZEMBRO 2019

mais previsível. • Assegurar a proteção jurídica a 138 produtos alimentares europeus emblemáticos, conhecidos como indicações geográficas. Trata-se de um aspeto importante, tendo em conta que Singapura já é o terceiro maior destino desses produtos especializados europeus. • Eliminar obstáculos regulamentares ao comércio em alguns setores-chave como, por exemplo, reconhecendo os ensaios de segurança da UE relativos a automóveis e a muitos aparelhos eletrónicos ou aceitando as etiquetas que as empresas da UE utilizam para os produtos têxteis. Singapura é, de longe, o maior parceiro comercial da UE na região do Sudeste Asiático, com um comércio de mercadorias bilateral total de 53 mil milhões de EUR e outros 51 mil milhões de EUR no que se refere ao comércio de serviços. Ali se encontram estabelecidas mais de 10 000 empresas da UE, para as quais essa localização constitui uma plataforma para toda a região do Pacífico. É ainda de grande importância para o investimento europeu na Ásia, o que se confirma com o rápido crescimento dos investimentos entre a UE e Singapura, nos últimos anos: o volume combinado dos investimentos bilaterais atingiu 344 mil milhões de EUR em 2017. 

www.nersant.pt


Consultoria empresarial: Porque para atingir o sucesso tem de existir uma estratégia

Áreas temáticas Organização e Gestão Implementação de Sistemas de Gestão Internacionalização Capitalizar: otimização de recursos financeiros  Economia digital  Indústria 4.0  Gestão Estratégica    

Mais informações em:

www.nersant.pt

Programa financiado a 90%

Profile for NERSANT Associação Empresarial

Ribatejo Invest - Dezembro 2019  

Na edição de dezembro da Ribatejo Invest trazemos até si inúmeros motivos de interesse, que certamente serão do seu agrado. E quase sem darm...

Ribatejo Invest - Dezembro 2019  

Na edição de dezembro da Ribatejo Invest trazemos até si inúmeros motivos de interesse, que certamente serão do seu agrado. E quase sem darm...

Profile for nersant
Advertisement