Issuu on Google+

Junho 2004 edição 16

Resultado dos Leilões Oficiais Pág. 43

A carne brasileira conquista o mundo Pág. 70

INFORMATIVO DA ASSOCIAÇÃO DOS CRIADORES DE NELORE DO BRASIL www.nelore.org.br

nelore@nelore.org.br

Campanha Nelore Natural ganha reforço com ídolos do esporte Pág. 22

Circuito Boi Verde Em seis etapas, Circuito Boi Verde já avaliou mais de 2.000 animais Pág. 8

Eventos Agrishow, Expozebu e Feicorte Pág.12


EXPEDIENTE

NOSSO NEGÓCIO

ASSOCIAÇÃO DOS CRIADORES DE NELORE DO BRASIL - ACNB Presidente: Carlos Viacava

Índice

MAPA e a classificação de carcaças

1º Vice-Presidente: Alice M. B. Prado Ferreira 2º Vice-Presidente: Eduardo Biagi 3º Vice-Presidente: Jaime Santos Miranda

5

MAPA e a classificação de carcaças

6

ACNB conclui sistema de classificação dos pontos-de- venda

8

Circuito Boi Verde já avaliou mais de 2.000 animais

4º Vice-Presidente: Jonas Barcellos Corrêa Filho 5ºº Vice-Presidente: Djalma Bezerra Diretor-Secretário Geral: Aprígio Lopes Xavier Diretor-Secretário: Evaldo Rino Ribeiro Diretor-Secretário: José Carlos Prata Cunha Diretor-Tesoureiro: Luiz Carlos Marino Diretor-Tesoureiro: Dario Guarita Gerente Executivo: Eduardo Krisztán Pedroso

17 Estande da ACNB será um dos maiores da Feicorte

Planejamento: André Luis Locateli Departamento Técnico: Carlos Grossklaus Departamento Financeiro: Eduardo M. Lavagnolli Assessoria de Imprensa: ContatoCom (15) 224-1000 Rua Riachuelo, 231/ 1º andar CEP 01007-906 - São Paulo - SP Telefax: (11) 3107-0972

22 Campanha Nelore Natural ganha reforço com ídolos do esporte 29 Ações pelo Brasil mostram a cozinha Nelore Natural

e-mail: nelore@nelore.org.br - www.nelore.org.br EXPEDIENTE

36 ACNB participa da elaboração do manual do novilho precoce

INFORMATIVO NELORE

38 ABIEC responde ao The Economist Produção: ContatoCom – informativo@nelore.org.br Edição: Miro Negrini

43 Resultado dos leilões oficiais

Redação: Denise Rocha, Rodrigo Gabrioti

57 Sergipe terá associação de criadores

e Rodrigo Grando Revisão: Flávia Padovan Diagramação: Olga Hernandez Pichitele

58 APCN realiza a Expoinel Paulista 2004 59 Resultados parciais do Ranking 2003/2004

Coordenação: Eduardo Krisztán Pedroso

66 RM, uma marca de quem só pensa em crescer Conselho Editorial: Alice Ferreira, Carlos Viacava, Eduardo Krizstán Pedroso, Evaldo Rino Ribeiro, Luiz Carlos Marino e Pedro Eduardo de Felício Arte: Z+ Comunicação

4 Nelore

68 Renda-se ao sabor da picanha recheada 70 A carne brasileira conquista o mundo

nunciada oficialmente pelo ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Roberto Rodrigues, no início de maio, durante a Expozebu 2004, em Uberaba (MG), a criação do Sistema Brasileiro de Classificação de Carcaças de Bovinos (SBCCB) é um significativo passo para a consolidação de um mecanismo efetivo de identificação, avaliação e valorização da matéria-prima entregue aos frigoríficos.

A

A Instrução Normativa anunciada pelo Ministro Rodrigues institui a obrigatoriedade, em todo o território nacional, a partir de 1º- de janeiro de 2005, da classificação dos bovinos abatidos nos estabelecimentos sob Serviço de Inspeção Federal, tendo como base: sexo e maturidade do animal, peso e acabamento da carcaça. No prazo de 60 dias, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento por meio do DIPOA/SDA regulamentará o Sistema Nacional de Classificação de Bovinos, estabelecendo as normas operacionais, de auditoria e os prazos para sua implantação nos estabelecimentos industriais nacionais e de países terceiros. Até 31 de dezembro deste ano, a adesão dos frigoríficos ao Sistema é voluntária. A partir de 2005, os estabelecimentos serão obrigados a adotá-lo. De acordo com o ministro Rodrigues, a implementação do sistema de classificação de carcaças não

compulsório desde seu início não compromete o sucesso da iniciativa, ao contrário, argumenta, "vai dar ao Ministério tempo hábil para evitar improvisações e permitir os ajustes que eventualmente tiverem de ser efetuados". A aferição da qualidade dos animais e das respectivas carcaças será feita, durante o processo de abate, por profissional habilitado e credenciado pelo MAPA, às expensas do setor privado, mediante a observação dos parâmetros de sexo (macho ou fêmea), categorias (macho inteiro, macho castrado, novilha ou vaca de descarte), maturidade (dente de leite, dois dentes, quatro dentes, seis dentes ou oito dentes), peso da carcaça, acabamento da carcaça (magra, gordura escassa, gordura mediana, gordura uniforme e gordura excessiva). Sem dúvida, com o Sistema Brasileiro de Classificação de Carcaças de Bovinos, a cadeia produtiva da carne bovina passa a ter uma ferramenta que dá segurança para atender aos diferentes tipos de mercado. Para tornarse efetiva e adequada às condições de produção da pecuária brasileira, os padrões que definirão bonificações e deságios deverão ser balizados, de forma equânime e ponderada, pelas entidades representativas do setor produtivo.

Nelore 5


PQNN

ACNB conclui sistema de classificação dos pontos-de-venda ACNB

A partir das pontuações atribuídas ao estabelecimento, será formatada a classificação dos PV's que permitirá, entre outras avaliações, conferir o grau de comprometimento com o Programa de Qualidade Nelore Natural.

Sistema de Classificação dos pontos-de-venda levará em conta o comprometimento do estabelecimento com a Nelore Natural

para abaixo de 20 pontos. As informações serão colocadas num gráfico e as notas e pontuações serão "casadas". "Com esse procedimento, podemos verificar perfeitamente a situação do PV em relação ao comprometimento com a proposta do PQNN e as condições de manipulação da carne", afirma Andrea Cláudia Parrila, técnica da equipe de relacionamentos da ACNB. A partir desta classificação, será elaborado um guia indicador de PV’s da carne Nelore Natural, com melhor posicionamento, que poderá ser divulgado em revistas de interesse geral, internet, etc, bem como distribuído em eventos e atividades da ACNB. Paralelamente, o guia servirá como incentivo aos PVs para melhorar o grau de comprometimento junto ao PQNN.

pós dois meses de elaboração, os técnicos da ACNB concluíram o Sistema de Classificação dos pontos-de-venda da carne Nelore Natural. A próxima fase é de simulação analógica do modelo utilizando os dados referentes aos PV's visitados, que até o fechamento desta edição já passaram de 90. Somente depois das simulações, o sistema será colocado em prática. A classificação dos PV's será realizada após as visitas dos técnicos ao estabelecimento, quando serão atribuídos pontos e "pesos" para cada item no cumprimento das normas previstas no manual de qualidade do varejo do PQNN e no comprometimento. Os pontos-devenda serão identificados em classes de "A" a "E", segundo a seguinte pontuação: "A" acima de 80 pontos; "B" entre 60 a 79 pontos; "C" de 40 a 59 pontos; "D" entre 20 a 39 pontos e "E" 6 Nelore

ACNB

A

Guia de PV’s indicará os melhores lugares para compra e consumo


CIRCUITO BOI VERDE

CIRCUITO BOI VERDE

Em seis etapas, Circuito Boi Verde já avaliou mais de 2.000 animais

produzir carne de qualidade para atender os mercados consumidores mais exigentes". O Circuito Boi Verde é uma realização da ACNB e conta com o apoio das associações e núcleos regionais de criadores de Nelore e dos frigoríficos. A Associação Brasileira do Novilho Precoce (ABNP) reconhece oficialmente o Circuito, que tem a Tortuga Cia. Zootécnica Agrária como patrocinadora.

Destaque para a primeira etapa internacional do Circuito, realizada no Paraguai. O objetivo é mapear o desempenho dos animais Nelore naquele País. Fotos do abate em Paranavaí/PR

Crédito: ACNB

CONFIRA OS VENCEDORES DAS ETAPAS REALIZADAS ATÉ MAIO

s etapas do Circuito Boi Verde de Julgamento de Carcaças previstas para este primeiro semestre estão na reta final. Até o fechamento desta edição, seis etapas já haviam sido concluídas, com a avaliação de animais em Ribas do Rio Pardo (MS), Campo Grande (MS), Senador Canedo (GO), Paranavaí (PR), Assumpção (Paraguai) - (leia texto na página 10) - e Tangará da Serra (MT). Ainda faltam computar os dados das etapas de Promissão (SP) e Ituiutaba (MG), sétima e oitava etapas, respectivamente. Em três meses de atividades e seis etapas realizadas, o Circuito con-

A

8 Nelore

quistou números bastante significativos. Foram inscritos 2.351 animais de 50 pecuaristas. Segundo Celso Freitas, gerente de marketing da Tortuga (empresa que apoia o Circuito Boi Verde), a competição traz benefícios para o próprio pecuarista, pois as informações geradas nos abates retornam como subsídios para o direcionamento de seu sistema de produção e acrescenta: "Essa mensuração de desempenho desperta para a importância de se adotar genética, nutrição e manejos de ponta. Só assim será possível

1ª etapa - Ribas do Rio Pardo (MS) Julgamento "In Vivo" Campeão - André Ribeiro Bartocci Reservado campeão - José Roberto Fontolan

4ª etapa - Paranavaí (PR) Julgamento "In Vivo" Campeão - Wanderllei Ferreira Reservado campeão - Líbera Bertuol

Julgamento Lote de Carcaças Campeão - André Ribeiro Bartocci Reservado campeão - Regina Fátima Corrêa

Julgamento Lote de Carcaças Campeão - Aparecido Zafanelli Reservado campeão - Edmundo Ribeiro

Julgamento Carcaça Resfriada Campeão - Elizabeth Peron Coelho Reservado campeão - André Ribeiro Bartocci

Julgamento Carcaça Resfriada Campeão - Rogério Lorenzetti Reservado campeão - Edmundo Ribeiro

2ª etapa - Campo Grande (MS) Julgamento "In Vivo" Campeão - João Ednilson Favoreto Reservado campeão - Alfredo Perez Almeidinha

5ª etapa - Assumpção (Paraguai) Julgamento "In Vivo" Campeão - Agropecuária Ganadera Piripucu Reservado campeão - Agropecuária Goya

Julgamento Lote de Carcaças Campeão - João Ednilson Favoreto Reservado campeão - Antônio Russo Neto

Julgamento Lote de Carcaças Campeão - Agropecuária Ganadera Piripucu Reservado campeão - Fazenda Cerro Verde

Julgamento Carcaça Resfriada Campeão - Adhemar Rinaldi Reservado campeão - João Antônio Barsante

Julgamento Carcaça Resfriada Campeão - Fazenda Cerro Verde Reservado campeão - Fazenda Cerro Verde

3ª etapa - Senador Canedo (GO) Julgamento "In Vivo" Campeão - Tanner Rezende Reservado campeão - Carmelita Rezende

6ª etapa - Tangará da Serra (MT) Julgamento "In Vivo" Campeão - Cervantes Corral Reservado campeão - Roberto Nakamura

Julgamento Lote de Carcaças Campeão - Carmelita Rezende Reservado campeão - Taler Machado

Julgamento Lote de Carcaças Campeão - Roberto Nakamura Reservado campeão - Agropecuária Pequi

Julgamento Carcaça Resfriada Campeão - Domingos Savio Reservado campeão - Tanner Rezende

Julgamento Carcaça Resfriada Campeão - Roberto Nakamura Reservado campeão - Roberto Nakamura Nelore 9


ARTIGO

Controle estratégico de parasitoses

CIRCUITO BOI VERDE

ACNB

Etapa do Paraguai avaliou 370 animais

Etapa realizada em Assumpção foi o primeiro passo da efetivação da proposta de difusão tecnológica entre ACNB e APCN

quinta etapa do Circuito Boi Verde de Julgamento de Carcaças foi realizada, no final de abril, no frigorífico Frigomerc, localizado na cidade de Assumpção, no Paraguai. Esta é a primeira etapa internacional do Boi Verde. O objetivo é mapear o desempenho dos animais Nelore produzidos naquele País e propagar os conceitos de produção de carne de qualidade.

A

Os resultados comprovaram, mais uma vez, a qualidade da raça Nelore. A etapa paraguaia avaliou 370 animais de seis pecuaristas. Todos os animais se enquadraram nos padrões de raça exigidos. Quanto à idade, 77% das carcaças apresentaram até quatro dentes incisivos permanentes. Com relação ao peso, 88% dos animais pesaram de 16 a 20@.

10 Nelore

Os campeões desta etapa foram a Agropecuária Ganadera Piripucu, de propriedade de Ricardo Serrati, que conquistou as premiações das categorias "In Vivo" e Lote de Carcaças. Já a Fazenda Cerro Verde foi a campeã na categoria Carcaça Resfriada. Letícia de Zoppa, técnica do Circuito Boi Verde, coordenou o julgamento no Paraguai. Segundo ela, a etapa marca o primeiro passo da efetivação da proposta de difusão tecnológica entre a ACNB e a Associação Paraguaia dos Criadores de Nelore (APCN). "Os pecuaristas ficaram muito animados para iniciar um trabalho de valorização da raça semelhante ao desenvolvido pela ACNB no Brasil. O entusiasmo foi grande", finaliza.

A busca por resultados na pecuária de corte tem se intensificado muito nos últimos anos, tendo como foco o aumento da produção, com qualidade da carne produzida. Considerando que a idade de abate é um dos principais componentes da qualidade da carcaça, toda e qualquer atitude que propicie um bom desenvolvimento, explorando as capacidades zootécnicas dos animais, estará propiciando também a redução da idade de abate e dessa maneira, aumentando a qualidade. Dentre todas as perdas no processo de produção de carne a pasto, os parasitos, sejam eles vermes, moscas, carrapatos, bernes entre outros, são os maiores inimigos do capital do pecuarista. Pensando nesses prejuízos diversos, estudos têm sido delineados em todas as regiões do Brasil, no intuito de reduzir esses danos e estabelecer os programas integrados de controle e combate desses parasitos, otimizando a produção e reduzindo a idade de abate, com uma carcaça bem desenvolvida e com cobertura de gordura adequada. Além desses fatores, a redução da idade de abate aumenta o giro do capital, maior desfrute e retorno econômico do sistema de produção. A sobrevivência dos vermes (sejam eles nematóides, trematódeos ou cestódeos) e dos ectoparasitos (carrapatos, moscas e bernes) é dependente de condições intrínsecas aos animais parasitados (idade, raça, tipo de exploração), aos próprios parasitos (capacidade de parasitismo, ciclo de vida, resistência às condições adversas, entre outros) e ao meio ambiente (temperatura, umidade, tipo de solo, pastagem). Com a seca, que atinge a maioria dos estados brasileiros, em coincidência com a queda das temperaturas (inverno), a sobrevivência desses parasitos fica diminuída nessa época do ano. Dessa maneira, a carga parasitária ambiental fica reduzida nessa época, sendo o organismo animal a única chance de sobrevivência parasitária. Quando pensamos em vermes, é nessa época também que os prejuízos à economia animal ficam exacerbadas devido a somatória de efeitos negativos sobre o animal, ou seja, a reduzida condição nutricional, o estresse térmico aliados a espoliação causada por esses parasitos. Já na época das águas, que coincide com as temperaturas mais altas do ano, o desenvolvimento

e sobrevivência desses organismos aumenta, crescendo assim as chances de infecção nos animais. É nessa época que os ectoparasitos causam os maiores prejuízos à economia animal. Sendo assim, as medidas de controle devem ser tomadas no intuito de reduzir esses prejuízos, atacando os parasitos na época correta, ou seja quando eles estão mais vulneráveis às medidas de tratamento, como aplicações de vermífugos, banhos carrapaticidas, aplicações de produtos pour-on, entre outros. Pensando em vermes deveríamos atacar os vermes no animal, quando a sua sobrevivência no meio estiver reduzida, ou seja, no trimestre mais seco do ano, que conforme colocado anteriormente, em mais de 70% do país seriam nos meses de maio a setembro (três aplicações em maio, julho e setembro). Em estudos realizados no Brasil central, pela EMBRAPA, a utilização de vermifigos nessas épocas incrementaram o peso em 20 quilos durante a seca e na estação das águas seguinte um outro ganho adicional de 22 quilos, quando comparados com animais não tratados, o que justifica economicamente os tratamentos. O ideal no controle de ectoparasitos também seria atacá-los quando a sua sobrevivência no ambiente é baixa, prevenindo sua multiplicação no início das águas/verão, ou seja, fazer pelo menos três aplicações no início das águas com intervalos entre 14 a 21 dias e após essa aplicação transferir os animais para pastagens livres. Em estudos controlados, um animal parasitado por 200 moscasdos-chifres teve seu ganho de peso diário reduzido em 90 e 40 g para animais de engorda e crescimento respectivamente, quando comparado com animais mantido nas mesmas condições, porém com controle adequado da mesma. Dessa maneira, os meses que seguem são de grande importância para o controle dos prejuízos, escolhendo os princípios ativos adequados, consultando sempre um técnico que possa ajudá-lo no programa de combate melhor para cada região. A Tortuga e seus técnicos, supervisores e representantes podem auxiliá-lo nessa escolha. José Ricardo Garla de Maio Médico Veterinário Tortuga Cia Zootécnica Agrária Nelore 11


EVENTOS

EVENTOS

Estande da ACNB é destaque na Agrishow 2004 Rodrigo Grando

A Associação recebeu centenas de visitantes, entre eles o delegado federal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Francisco Jardim, que provou a carne Nelore Natural e parabenizou o trabalho desenvolvido pela ACNB.

– Precisão Pecuária Ltda. Durante toda feira, uma picape L200 Sport, da montadora japonesa, esteve exposta à disposição dos visitantes. Os interessados na compra eram encaminhados para os estandes comerciais das revendas da região presentes na Agrishow. Com práticas dinâmicas (inéditas no estande da ACNB), os pecuaristas puderam conferir o funcionamento do Sistema Dominar de rastreabilidade e gerenciamento da propriedade, gerando dezenas de cadastros para a empresa (leia mais na reportagem “Tecnologia no campo com o Sistema Dominar”, na seção Acontece do Informativo Nelore). Interessado pelo trabalho desenvolvido pela ACNB, de fomento da raça e de marketing da carne, o Delegado Federal de Agricultura no Estado de São Paulo, Francisco Ferreira Jardim, foi uma das muitas visitas ilustres durante a Agrishow. Na oportunidade, o gerente executivo da Associação, Eduardo Pedroso, explicou à autoridade brasileira a operacionalidade do Programa de Qualidade Nelore Natural (PQNN) e as novas ações de marketing em curso, como o sistema de classificação de pontos-de-venda e a campanha que será lançada na TV, com atletas nacionais de prestígio. “Fiquei impressionado pelo trabalho da ACNB, que está de parabéns”, disse Jardim.

DEMONSTRAÇÕES

Estande da ACNB na Agrishow, que este ano contou com a participação da Mitsubishi e do Sistema Dominar

om um estande montado em um novo espaço, a ACNB participou da 11ª edição da Agrishow Ribeirão Preto, o maior evento de agronegócios da América Latina. Durante a feira, o estande recebeu mais de 1.000 visitantes/dia que foram conferir de perto os resultados obtidos pela Associação nestes últimos meses, assim como as ações dos parceiros da ACNB, além de saborear a deliciosa carne Nelore Natural e adquirir os produtos da Grife Nelore.

C

12 Nelore

Segundo o responsável pela Grife, Clóvis Mafra, as vendas durante o evento foram muito boas: "Aproveitamos esta edição para o lançamento da bota feminina. O movimento durante a feira foi muito grande e as vendas superaram nossas expectativas, aumentando cerca de 15% em relação à edição de 2003", disse. Duas novas parcerias estrearam este ano no estande da ACNB: a Mitsubishi Motors e a Dominar

A técnica do Ranking da ACNB, Daniella Sanches Rapello, realizou demonstrações sobre as características do Nelore para os visitantes, utilizando como exemplares da raça, todos os animais trazidos ao estande na Agrishow. Segundo Michel Caro, um dos integrantes do Grupo Nelore Zan e participante do Progenel (Sérsia Brasil), a presença na Agrishow foi positiva: "Durante a feira, fizemos cerca de 100 contatos para negociação com potenciais fazendas".

oportunidade de bons negócios. "Pessoas que conheceram o trabalho desenvolvido pela Bacuri na Agrishow, se interessaram e visitaram nossa fazenda, adquirindo os tourinhos que produzimos", afirma. A fazenda Brumado também ficou satisfeita com a participação de seus animais na Agrishow e já reservou presença na edição de 2005. A Sérsia Brasil colheu bons resultados na feira, comercializando cerca de 10 mil doses de sêmen. Adriano Rúbio, diretor superintendente da Sérsia, ratificou a parceria Sérsia Brasil/ACNB para 2005: "Eventos como a Agrishow, um dos mais importantes do setor, reforçam ainda mais o comprometimento da nossa parceria no melhoramento e fortalecimento da raça Nelore". A ACNB contou ainda com a colaboração dos parceiros Serrana Nutrição Animal, Vallée e Associação Nacional dos Criadores e Pesquisadores responsáveis pelo PMGRN – Nelore Brasil.

FEIRA MOVIMENTOU R$ 1,25 BILHÃO

Em seis dias de Agrishow, 154 mil visitantes estiveram presentes no recinto do evento conferindo as novidades tecnológicas para o campo e fazendo bons negócios. A 11ª edição da feira teve faturamento de R$ 1,25 bilhão, com crescimento de 4,17% em relação às vendas fechadas em 2003. O presidente do Sistema Agrishow, Sérgio Magalhães, comemora os resultados e lembra que neste ano foram realizadas a Agrishow

Outra parceira da ACNB na Agrishow foi a Fazenda Bacuri (SP), que expôs seus animais pelo segundo ano. Para Gabriel Luiz Peixoto da Silva, um dos proprietários da fazenda, a participação no estande da Associação trouxe a

Comigo e a de Rondonópolis que movimentou R$ 1,38 bilhão contra R$ 650 milhões do ano passado.

Nelore 13


EVENTOS

Divulgação

Leilões Nelore movimentam R$ 70,5 milhões na Expozebu 2004

Expozebu 2004 inscreveu 2.646 animais para os julgamentos

presença marcante da raça Nelore na Expozebu 70 anos é expressa pelos números impressionantes da feira realizada entre 29 de abril e 10 de maio, que teve movimento global de R$ 123 milhões, um salto de 25,5% sobre o faturamento de 2003. Deste total, R$ 83,3 milhões foram obtidos pelos negócios fechados em leilões, total 24,64% maior que a edição do ano passado. Sozinho, o Nelore respondeu por R$ 70.526.910,00 de vendas com 1.175 lotes comercializados. Dos 50 leilões oficializados da Expozebu - 11 a mais do que em 2003 – 32 eram de Nelore. Os remates deste ano comercializaram mais de 21 mil animais em contrapartida aos 18 mil animais vendidos em 2003. Foram inscritos na feira 2.646 animais.

A

14 Nelore

O Elo da Raça foi o remate mais valorizado da Expozebu 2004, ao faturar R$ 10.927.000,00, com média de R$ 341,5 mil, e superando a marca histórica de R$ 8.645.000,00. A recordista de preço também saiu no “Elo”: João Carlos Di Gênio (Grupo Objetivo - SP) e Agropecuária Santa Bárbara (RJ) adquiriram a fêmea Nelore Marilin Montana TE por R$ 1,47 milhão. A ACNB também esteve presente no Salão Internacional, que recebeu cerca de 650 pessoas, entre pecuaristas e empresários de 39 países, dos quais destacaram-se delegações dos Estados Unidos, China e África do Sul. Centenas de pessoas visitaram o estande da ACNB, montado ao lado da pista de julgamento, em


EVENTOS

EVENTOS

parceria com a Vallée, Serrana, Dominar, Marfrig, Grife Nelore e PMGRN – Nelore Brasil. Segundo Luciano Borges de Resende, gerente técnico de área da Vallée, em Minas Gerais, “a participação da empresa em conjunto com a Nelore trouxe boa divulgação para os produtos e muitos pecuaristas foram cadastrados”. Clóvis Mafra, responsável pela Grife Nelore, explicou que trará

novidades para a Expoinel 2004, resultado das vendas em Uberaba que tiveram um aumento de 40% em relação à edição de 2003. Durante todos os dias da Expozebu, os visitantes do estande da ACNB puderam conhecer o Programa de Qualidade Nelore Natural e provar o produto nas degustações.

Feicorte 2004: ACNB terá superestande em parceria com a Mitsubishi Neloristas deverão expor cerca de 600 animais entre padrão e mocho. Três leilões oficiais estão na lista de remates da Feira, que promete reunir 20 raças.

EXPOINEL 2004 oi lançada, durante a Expozebu 2004, a 33ª edição da Exposição Internacional do Nelore (Expoinel), maior evento do mundo em animais de uma única raça, que comemorará os 50 anos de atividades da ACNB. A Expoinel 2004 acontecerá entre 22 de setembro e 3 de outubro no Parque Fernando Costa, em Uberaba (MG). O evento terá, entre outras atrações, a segunda edição da Gincanel – organizada em parceria com o SIC (Serviço de Informação da Carne) e apresentará crescimento no número de leilões inscritos e oficializados (até o fechamento desta edição estavam confirmados 22 leilões). As áreas para locação de estandes já estão sendo comercializadas. Quem se interessar, pode ligar para (11) 3107 - 0972 (com Patrícia Franco) ou (34) 3336 - 3160.

Estande ficou bastante movimentado durante os 12 dias da Exposição

Vinícius Fonseca/ACNB

Miro Negrini

F

Para esta edição da Feicorte, a ACNB dividirá um estande de 350 metros quadrados com a Mitsubishi Motors

2º- LEILÃO INTEGRAÇÃO FATURA MAIS DE R$ 450 MIL 2ª edição do Leilão Integração, organizado pela ACNB e realizado durante a Expozebu 70 anos, obteve faturamento de R$ 450.100,00 com média de R$ 12.503,00 com a comercialização de 36 fêmeas entre bezerras, novilhas e vacas Mocho e Padrão. A qualidade apresentada pelos animais foi garantida pela seleção feita por 5 assessorias pecuárias contratadas: Avanti, Ipê Ouro, Pedigree, Quality Genética e Sap. O lote de maior cotação foi Funjab da Santa Fé, uma fêmea Nelore PO com 64 meses, vendido de Levy Mário Celestino (maior vendedor do leilão) a João Cruz Barochelo por R$ 36.400,00. Helder Henrique Galera foi o maior comprador do remate, investindo R$ 69.300,00.

om estande de 350 metros quadrados, um dos maiores da Feicorte 2004, a ACNB prepara-se para receber, entre 15 e 19 de junho, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo (SP), mais de 5.000 convidados e reserva uma surpresa para quem for conhecer de perto as qualidades e sabores dos pratos feitos com a carne Nelore Natural, com degustações exclusivas preparadas por pontos-de-venda de destaque.

C

16 Nelore

Rodrigo Grando

A

O 2º Leilão Integração, realizado durante a Expozebu, comercializou 36 fêmeas Nelore Mocho e Nelore Padrão

O espaço, totalmente redesenhado pela Comunicacion Gráfica, será dividido com a Mitsubishi Motors, parceira desde a NeloreFest 2003. Na área, além da exposição dos carros da marca, será montada a loja da Grife Nelore, bem como diversos ambientes. Um totem irá diferenciar o "Cantinho da Imprensa", espaço

batizado pela Associação para recepcionar os jornalistas e fontes para entrevistas. A 10ª Feira Internacional da Cadeia Produtiva da Carne foi escolhida pela ACNB para o lançamento de um curso inédito com as "feras" da carne: "Qualidade da Carne Bovina: do Pré - abate à Grelha". Com oito horas de duração, o curso acontece em 17 de maio, enfocando os principais aspectos para um correto julgamento de carcaças (veja no box "Qualidade da Carne Bovina: do Pré abate à Grelha") e será ministrado pelos professores da FEA/Unicamp, Pedro Eduardo de Felício e Bento da Costa Carvalho Jr., Vasco Picchi (AgriTrace) e pelo zootecnista Eduardo Krisztán Pedroso (técnico da ACNB e especialista em qualidade de alimentos pela FEA/Unicamp). Nelore 17


EVENTOS

Vinícius Fonseca/ACNB

EVENTOS

Estande da ACNB na Feicorte 2003. Para este ano, os visitantes terão novidades

vice-presidente da ACNB, Alice Ferreira, será mais uma vez a presidente de honra da Feicorte, representando a raça Nelore. "A Feicorte é um evento de destaque internacional, no qual a pecuária é retratada de maneira séria e profissional. Participam da feira pessoas que fazem um trabalho responsável, que buscam a melhoria da pecuária brasileira", declara. "A parte comercial e de divulgação está cada vez maior, isso é mais uma prova de que estamos no caminho certo e de que a Feicorte este ano será novamente um sucesso", complementa.

A

LEILÕES OFICIALIZADOS este ano, três leilões promovidos durante a Feira foram oficializados pela ACNB: 3º Leilão 3-B Embriões, 2º Leilão Sampa Show e Leilão Prenhezes de Elite, todos sob o comando do martelo da Remate Leilões (informações: (11) 3872 - 5777). Anote na agenda:

N

• 3º Leilão 3-B Embriões: Em 15 de junho, às 20h, no Hotel Unique, em São Paulo. Promovido pelo Grupo 3-B (Luiz Carlos Marino, Carlos Viacava, João Aguiar Alvarez, Sylvio Tuma Salomão, Companhia Comercial OMB e Agropastoril GB Ltda.). O remate ofertará 32 lotes de embriões de fêmeas Nelore Mocho, selecionados pela Quality Assessoria Pecuária. • 2º Leilão Sampa Show: Em 18 de junho, às 20 horas, no Centro de Exposições Imigrantes. Organizado por Luciano Campacci, Amauri Gouveia, Agropastoril GB e Varrela Agropecuária. O pregão ofertará 35 fêmeas Nelore Mocho.

André Ferreira, presidente do Clube do Mocho

Clube do Mocho da ACNB está coordenando o 2º Encontro Nacional dos Criadores de Nelore Mocho e espera contar com a participação de 450 animais em exposição e durante os dois campeonatos adicionais: a segunda edição do "Bezerro do Criador" e, pela primeira vez, o "Bezerra do Tratador".

O

18 Nelore

A programação começa no dia 16, às 10h, com um painel de discussões sobre os avanços da pecuária e do Nelore. Em seguida, às 10h30, começa o 1º Campeonato Bezerra do Tratador. O almoço de Confraternização está previsto para às 12h30. Já às 14h começam os julgamentos do Nelore Mocho. Às 18h é a vez do Campeonato Bezerro do Criador. No dia 17 seguem os julgamentos do Nelore Mocho durante a feira. “Queremos fortalecer ainda mais o Nelore e o 2º Encontro é uma excelente oportunidade dos criadores conhecerem um pouco mais do Nelore Mocho, suas vantagens, desempenho nas pistas e rentabilidade nos leilões”, afirma o pecuarista e presidente do Clube, André Gonçalves Ferreira. A competição "Bezerro do Criador" será realizada nos mesmos moldes do ano passado. Os próprios criadores vão escolher através do voto o animal que mais se aproxima do padrão ideal de seleção. Cada criador inscrito terá direito a três fichas de votação. Ele deverá utilizar uma e convidar outros dois criadores a votar. Será permitido apenas um voto por pessoa. Vence o animal que tiver maior pontuação. Em caso de empate, o animal mais novo terá preferência. No torneio da “Bezerra do Tratador”, serão os próprios tratadores que farão a escolha.

• Leilão Prenhezes de Elite: Marcado para 14 de junho, no Buffet Torres, em São Paulo, a partir das 20 horas. Alice Ferreira ofertará 35 lotes de prenhezes sexadas de fêmeas. A SAP responde pela assessoria técnica.

CONTEÚDO DO CURSO: 1. Princípios de Operação de Abatedouros: - Pré - abate - Abate - Inspeção Sanitária 2. Rigor Mortis em condições normais e alteradas 3. Resfriamento de Carcaças e Temperaturas Shorthening 4. Atributos de Qualidade da Carne Resfriada 5. Classificação e Tipificação de Carcaças 6. Critérios para Julgamento de Carcaças em Concursos 7. Prática de Desossa de Traseiro 8. Degustação da carne Inscrições: ACNB - 0800 7701217 ou (11) 3107-0972 Vagas limitadas: 30 vagas Taxa de inscrição: R$ 500,00 Realização: ACNB - Associação dos Criadores de Nelore do Brasil - Feicorte Patrocínio: Tortuga Companhia Zootécnica e Agrária Apoio: ABNP e Frigorífico Marfrig

Gestão e marketing são discutidos no ENCOPEC 2004 O Divulgação

Divulgação

2º- Encontro Nacional dos Criadores de Nelore Mocho

QUALIDADE DA CARNE BOVINA: DO PRÉ - ABATE À GRELHA

Eduardo Pedroso durante a Encopec. Contribuições privadas e dos leilões oficializados garantem a divulgação do selo "Boi de Capim. Carne Saudável"

17º- Encontro de Tecnologias para a Pecuária de Corte (Encopec), realizado pelo Sindicato Rural de Campo Grande (MS), em 6 de abril, reuniu mais de 200 pessoas para discutir sobre "A Carne marca Nelore Natural - Estratégias e Conquistas" e “Gestão da Produção de Carne em Sistemas de Pastejo de Diferentes Níveis Tecnológicos”. Os temas foram apresentados por Eduardo Pedroso, gerente executivo da ACNB e coordenador do PQNN, Adilson de Paula Aguiar, professor de Zootecnia e especialista em solos e meio ambiente e Enio Marques, diretor executivo da Associação Brasileira de Frigoríficos. Pedroso enfatizou o PQNN como estratégia para a valorização dos produtos com qualidade e afirmou que atualmente o estado do Mato Grosso do Sul é o carro chefe do Programa.

Nelore 19


PARCERIAS

PARCERIAS

Pastagens perfeitas, bovinos de qualidade

Divulgação

Natural- PQNN, o manual “Boas Práticas na Produção de Bovinos de Corte”, elaborado em 2002 pela Embrapa Gado de Corte, é uma ferramenta de aplicação simples e eficaz. Apontando os principais aspectos que integram o sistema de produção de bovinos, o documento da Embrapa/CNPGC, elaborado pelos engenheiros agrônomos, Kepler Euclides Filho, Eduardo Simões Corrêa e Valéria Pacheco Euclides, oferece dicas e recomendações úteis para formação e recuperação ou renovação das pastagens e seu manejo correto. A partir desta edição, o Informativo Nelore publica em quatro partes a série “Boas Práticas Embrapa/CNPGC” – a primeira sobre pastagens -, de acordo com o termo de intenções firmado entre ACNB e Embrapa Gado de Corte. Vamos às dicas:

Formação e recuperação/renovação • Observar a legislação ambiental sempre que houver necessidade de eliminação da vegetação nativa; Entre os itens do manual está a correta utilização de práticas adequadas de conservação do solo

ara o sucesso da ação mercadológica do “boi de capim” é indiscutível que pecuaristas, de olho em qualidade, utilizem as práticas mais indicadas para a sustentabilidade de suas pastagens. Mais do que isso, esta questão é importante para o próprio sucesso do pecuarista na atividade. Danos ambientais e pasto ruim são os prejuízos causados pela formação incorreta e o manejo impróprio dos pastos. Reconhecido oficialmente pela ACNB, como material complementar ao Manual de Qualidade do Pecuarista do Programa de Qualidade Nelore

P

20 Nelore

• Manter árvores ou pequenos bosques para produzir sombra para os animais e assegurar a biodiversidade; • Utilizar práticas adequadas de conservação do solo; • Escolher a espécie forrageira, considerandose a sua adaptação ao ambiente, sua resistência/tolerância às pragas, às diferenças existentes na propriedade, a diversificação da pastagem e os objetivos do empreendimento; • Usar corretivos e fertilizantes de acordo com a análise físico-química do solo, com as exigências das forrageiras escolhidas e o nível de produtividade desejado;

• Preparar adequadamente o solo de acordo com suas características físicas e topográficas, levando-se em consideração as técnicas conservacionistas; • Adquirir sementes certificadas na quantidade tecnicamente recomendada; • Fazer uso da consorciação de gramíneas-leguminosas; • Realizar o plantio levando em consideração as recomendações técnicas;

• Assegurar reserva de forragem para o período seco; • Realizar, periodicamente, reposições de nutrientes nas pastagens de acordo com as análises do solo; • Não utilizar o fogo como prática de manejo de pastagem; • Realizar, periodicamente, limpeza nas pastagens, eliminando plantas invasoras indesejáveis;

• Quando fizer uso de controle químico de invasoras, utilizar Kepler Euclides Filho, um dos autores equipamentos de proteção, do manual. pessoal devidamente capacitado e seguir rigorosamente as Manejo recomendações do fabricante, evitando a contaminação dos recursos hídricos; • Fazer uso de pastejo rotacionado ou alternado, possibilitando períodos de descanso para as • Assegurar que os agrotóxicos e suas forrageiras; embalagens não contaminem o solo e os cursos d’água. Adotar as recomendações •Adequar a taxa de lotação à capacidade de legais para a aplicação, o manuseio e o suporte das pastagens, evitando-se o super e descarte das embalagens, inclusive a tríplice o subpastejo e, conseqüentemente, a lavagem. exposição do solo (erosão) e a falta de forragem para os animais; • Usar a integração lavourapecuária sempre que possível.

VOCÊ ESTÁ LENDO ESTE ANÚNCIO. VIU COMO ANUNCIAR NO INFORMATIVO NELORE FUNCIONA? INFORMAÇÕES: Tel.: (11) 3107-0972 - nelore@nelore.org.br - www.nelore.org.br Edições bimestrais com mais de 10.000 exemplares.


CAPA

CAPA

Campanha Nelore Natural ganha reforço com ídolos do esporte

Veiculações em revistas de culinária e femininas como Claudia, Criativa, Contigo, Corpo a Corpo, Gula e Prazeres da Mesa também integram o plano de ação. A meta da campanha é fixar a marca Nelore Natural na cabeça do consumidor, posicionando-a como sinônimo de uma vida saudável. A abertura de novos pontos-de-venda e de varejo é uma consequência esperada para este trabalho de comunicação direta. sabendo que existem nesta área alguns treinadores que primam pelos carboidratos. “Ele é carnívoro convicto. Não foi o cachê para o anúncio ou comercial que fez o Fernando mudar de paladar. Sua alimentação é rica em proteínas, pois trata-se de um atleta de explosão, que disputa provas rápidas”, reforça Alessandra Martins, assessora do atleta.

XUXA NA TV

o começo deste ano, Fernando Scherer, o Xuxa, tentou seguir uma dieta rica em carboidratos e pobre em proteínas e seu desempenho na natação caiu consideravelmente. Percebendo isso, o medalhista brasileiro voltou à dieta anterior com proteínas, incluindo a carne vermelha rica em ferro e zinco, e imediatamente observou melhoria no seu rendimento durante os treinos. Resultado: a estrela do atleta voltou a brilhar e Xuxa

N

22 Nelore

conquistou mais uma vez duas medalhas de ouro no troféu Brasil, nos 50 metros livre e no nado borboleta, em competição oficial realizada no mês passado. Não foi apenas esta experiência que levou o esportista ao consumo frequente da carne vermelha. O cubano William Moralez, técnico do nadador, também defende a inclusão de proteínas na alimentação dos atletas, mesmo

A escolha de Fernando Scherer como garotopropaganda da atual campanha da carne Nelore Natural explica bem a imagem que a Z+, agência da ACNB, pretende passar para o consumidor brasileiro: da carne saudável, indicada para todas as idades e adequada para uma vida mais sadia como a dos esportistas. A Z+ prevê a contratação de outros atletas, aproveitando também o momento, já que em agosto, começa a disputa dos Jogos Olímpicos, em Atenas, na Grécia.

Antes do início das Olímpiadas, estréia na televisão o novo comercial da carne Nelore Natural, com exibição prevista, em princípio, na praça SP1 (Capital e Grande São Paulo). Fernando Scherer gravou as cenas antes de sua viagem para o Centro de Treinamento de Sierra Nevada, na Espanha, local de preparação do atleta para os jogos olímpicos. “Gostei demais de gravar o comercial. O ambiente ficou muito agradável, principalmente pelo aroma delicioso da carne Nelore Natural, que estava sendo preparada naquele momento. A carne está aprovada”. Palavra de atleta.

Numa primeira etapa, a campanha da carne Nelore Natural 2004 foi apresentada com o nadador - primeiro esportista a participar da ação nas publicações especializadas em pecuária, em anúncios de página dupla. Mas a publicidade do produto não ficará apenas nas mídias dirigidas. Nelore 23


CAPA

CAPA

Gravado em dois dias em um estúdio de 400 m2, na Chácara Santo Antonio, bairro da capital paulista, o comercial foi produzido pela Última Filmes e é assinado pelo diretor de fotografia Ronaldo Moreira, um talento da arte cinematográfica com 35 anos de profissão. Todo o comercial foi rodado em filme fotográfico 35mm material que garante “latitude” ideal (sensibilidade a cores e sombras) para transportar emoção, cheiro e sabor. Para reproduzir a sensação da carne suculenta sob ação do fogo, foram consumidos 600 metros de filme 35mm (deste total apenas 13,7 metros são realmente aproveitados em um comercial de 30 segundos), concluindo-se 17 cenas com 80 tomadas (gravação e corte). Para se ter uma idéia do trabalho que dá, conforme o grau de dificuldade, cada tomada pode durar de 2 a 10 horas. Todas as traquitanas do comercial foram idealizadas com exclusividade (fundo de forno,

girador de prato etc), para dar maior realismo à cena. Em nenhum momento foi utilizado efeito especial por computação gráfica.

para o comercial. Toda esta etapa era acompanhada pela Cook Estudio, empresa paulista de assessoria culinária.

Com orçamento enxuto, o filme foi estruturado em 15 dias, desde a apresentação do roteiro até a finalização do trabalho. Para a produção do comercial foram disponibilizadas mais de 50 peças de carne (entre picanha e alcatra) e locados dezenas de utensílios de cozinha entre pratos, travessas, talheres, frigideira, grelha etc. Até a churrasqueira foi produzida especialmente

Reconhecido pelo mercado publicitário, Ronaldo Moreira foi escolhido para a direção deste comercial exatamente por sua experiência em lidar com produtos de difícil e complexa exibição. É preciso ser um esteta que entende de equipamento de cinema e sabe compor para o filme um acontecimento emocional, com todo cuidado para não passar do “ponto”. Simples assim.

24 Nelore

Nelore 25


ACONTECE

Tecnologia no campo com o Sistema Dominar

Segundo Márcio Bruno Carneiro, coordenador da Dominar, o sistema apresenta total segurança e facilidade de utilização, já que na fazenda é dispensável o conhecimento profundo em informática.

Rodrigo Grando

ACONTECE

O Sistema Dominar conta com um módulo gerador de relatórios imediatos, que permitem o acompanhamento parcial e atualizado do trabalho em toda a produtividade grupal ou individual. As diferentes atividades possíveis de coleta de dados no Sistema Dominar são divididas em grandes grupos: Identificação & Estoque, Avaliações, Medições & Pesagens, Atividades Sanitárias, Atividades Alimentares, Atividades Reprodutivas, Atividades de Estresse, Problemas & Perdas.

Com o Sistema Dominar, o pecuarista pode trabalhar em qualquer ponto configurado da fazenda, pois recebe um case anti-choque que contém notebook, antena receptora de GPS, bastão leitor sem fio, cartões configuráveis de trabalho, alto-falante, manuais e acessórios. O equipamento funciona com qualquer voltagem: 220, 110 ou 12 volts. A implantação do Sistema é simples: os animais recebem o brinco de registro que contém um chip. A partir das informações coletadas, qualquer atividade praticada com o rebanho é lançada automaticamente em uma ficha cadastral disponibilizada ao cliente no Sistema. Definida a atividade, basta ler o brinco eletrônico do animal, posicionando o bastão próximo a ele. Essas etapas excluem a digitação, evitando a possibilidade de erro no cadastro das informações.

Ações pelo Brasil mostram a cozinha Nelore Natural D Apresentação do Sistema Dominar durante a Agrishow 2004. Sistema permite acompanhar toda a criação do animal

ensado por pecuaristas e para pecuaristas, uma nova ferramenta que permite o controle total do rebanho em um sistema informatizado foi exibida durante a Agrishow 2004, em Ribeirão Preto (SP). Trata-se do Sistema Dominar de gerenciamento e rastreamento bovino apresentado com exclusividade no estande da ACNB, fruto de uma nova parceria da Associação com a Dominar – Pecuária de Precisão Ltda.

P

Com a utilização desse Sistema, o pecuarista armazena e controla todas as informações do rebanho, como alimentação, controle de vacinação, movimentações de piquetes e outros

28 Nelore

dados importantes que são certificáveis pelo Sistema Brasileiro de Certificação de Bovinos e Bubalinos (SISBOV). O módulo de gerenciamento bovino é uma versão especial do software multibovinos, que permite ao criador a definição de parâmetros, emitindo relatórios específicos para análise e tomada de decisões. Além disso, ocorre a comunicação direta nos padrões definidos por associações de criadores, programas de pesquisas e programas de melhoramento genético do país. Mais do que um sistema de rastreabilidade, é um software de gestão da propriedade.

esde abril, o curso “Cozinha Nelore Natural” está sendo desenvolvido em algumas lojas do SAM’S CLUB, do Grupo Wal Mart. Os cursos com duração de uma semana, realizados gratuitamente, são divididos em um dia para a aula de culinária e os demais para degustação da carne Nelore Natural. No curso, os consumidores são orientados sobre formas de preparo, conservação da carne e aspectos considerados importantes para comprar a carne bovina. Na degustação, os clientes poderão provar a qualidade da carne Nelore Natural em diferentes cortes. Depois de Santo André (SP), onde o curso foi realizado no final de abril, o chefe de cozinha da ACNB, Paulo Caldeira Ramos, iniciou nova etapa, em maio, promovendo cursos em São Caetano do Sul (SP), na capital paulista (nos bairros do Bom Retiro e Santo Amaro) e em Osasco (SP). Em junho, serão realizados cursos em Niterói (de 1 a 6), Rio de Janeiro, no SAM’S CLUB da Linha Amarela (de 7 a 12), Contagem/MG (de 14 a 19) e em

Curitiba/PR, em duas datas: de 21 a 26, no Atuba, e de 28 de junho a 3 de julho, na unidade Barigüi. Para o melhor aproveitamento dos cursos, os pontos-de-venda direcionam as aulas para os cortes que têm interesse em trabalhar, sempre buscando o esclarecimento do consumidor sobre a carne Nelore Natural. O gerente de produtos do SAM’S CLUB, Marco Luz, aprova totalmente as aulas da Cozinha Nelore Natural. “As aulas têm sido muito boas. Os nossos clientes estão se interessando bastante pelo curso. Pretendemos fazer um novo ciclo com um formato diferente, trazendo novidades aos participantes”, afirma. O curso Nelore Natural tem atraído uma média de 80 a 100 participantes por edição. “Quem participa da aula, gosta do que aprende. O consumidor é carente de informação. Ele quer saber as técnicas de congelamento e descongelamento, o melhor corte e assim por diante”, define Ramos.

Nelore 29


ACONTECE

L. Adofo/ABCZ

SIC trouxe o “Túnel da Carne” para a Expozebu

Mais de 6.000 crianças passaram pelo Túnel da Carne na Expozebu

Serviço de Informação da Carne (SIC) marcou sua presença em Uberaba (MG), durante a Expozebu 70 anos, com destaque para o trabalho na área de ação educativa dentro do projeto Zebu na Escola, iniciativa da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ), Faculdades Associadas de Uberaba (FAZU) e Museu do Zebu. Segundo a vice-presidente executiva do SIC, Carolina Torto Paes Barreto, 6.250 crianças da rede de ensino de Uberaba participaram da atividade.

O

O projeto apresentou às crianças as cadeias produtivas da carne e do leite e a importância destes alimentos na nutrição infantil. Um túnel de 36 metros ilustrou toda a cadeia produtiva da 30 Nelore

carne bovina, desde o processo realizado na fazenda, passando pela indústria e varejo, até a chegada do produto ao consumidor final. A montagem do “Túnel da Carne” teve o patrocínio da Tortuga, Belgo Mineira, Hipermercado Andorinha e ABCZ. Para a Feicorte 2004, Carolina Barreto destaca a organização da cozinha interativa “Prazeres da Mesa com Carnes”, uma parceria entre o SIC, revista Prazeres da Mesa e Cozinhas Toddeschini. Explorando os 216 m2 do estande, o SIC pretende levar o consumidor final para a Feicorte. “Vamos mostrar todo o setor produtivo da carne,


ACONTECE

ACONTECE

que está bem preparado e apto para produzir carne de qualidade”, destaca Carolina. Durante os quatro dias da feira, os participantes poderão ter aulas de culinária, ministradas por grandes chefes da capital

paulista. Além disso, quem passar pelo estande do SIC poderá degustar uma boa carne, vinhos de qualidade e até mesmo charutos. O intuito do SIC é reunir culinaristas, alunos de faculdades de Nutrição, Hotelaria, Gastronomia e todos os interessados em conhecer os segredos da carne.

MAPA define novas regras para rastreabilidade E m vigor há dois meses, a Instrução Normativa nº 21 do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), trouxe novas regras e procedimentos necessários para a Rastreabilidade Bovina, para as quais o pecuarista deverá estar muito atento. Exemplo é a adoção, nos rebanhos, de um modelo de brinco padrão, sem a possibilidade de escolha de modelos e numeração de manejo. A identificação será feita por 15 dígitos. O número de manejo será a seqüência final do número do Sistema de Identificação de Bovinos e Bubalinos (SISBOV), do nono ao décimo quarto algarismo, totalizando seis dígitos.

O pedido de numeração para confecção dos brincos será feito pelo NIRF (número de inscrição do imóvel rural na Secretaria da Receita Federal) da fazenda e CPF/CNPJ do produtor. A validade da numeração é de 180 dias e todos os brincos que estiverem prontos, terão que ser utilizados e entrar no banco de dados até este prazo para não haver o cancelamento de registro por parte do Ministério. A partir de 1º de julho, será obrigatória a Dupla Identificação.

Sérgio Moreira, zootecnista da SBC Certificadora, considera positivo o uso da Dupla Identificação

A adoção da Dupla Identificação é outra novidade e será necessária para animais que serão registrados no SISBOV a partir de 01/07/2004. O processo poderá ser feito sempre com brinco padrão na orelha direita e boton ou tatuagem na orelha esquerda, marcação a fogo na perna direita traseira ou identificador eletrônico.

O Documento de Identificação Animal (DIA) também terá um modelo único, indicando a data em que expira o período mínimo de acompanhamento para abate. A impressão será feita na certificadora e postado ao cliente. O DIA poderá ser impresso cinco dias após o registro do SISBOV. Durante o período de quarentena, o certificado ficará de posse do proprietário. “Em caso de leilões, por exemplo, o proprietário do animal terá que apresentar o DIA para efetuar o trânsito do lote”, comenta Moreira.

Número de identificação do animal

Unidade federativa de origem

Dígito verificador País de nascimento do animal

Código de barras

Número de manejo do SISBOV

A SBC, por exemplo, oferece ao pecuarista um livro no qual devem constar anotações e controles sobre as movimentações. “Isso é muito bom. Há uma melhora no controle interno da propriedade. Tudo que entra e sai da Fazenda é controlado. Além disso, a rastreabilidade permite um produto diferenciado, já exigido pelo mercado externo e, que em breve, será exigido também pelo mercado interno”, acredita Moreira.

Tanto a brincagem quanto o preenchimento da ficha de identificação deverá ser feita pelo pecuarista, que também precisa se preparar para a obrigatoriedade de inscrição prévia no SISBOV dos animais que participarão de leilões e exposições. A medida entra em vigor a partir de 1º de agosto para os animais PO e em 1º de novembro para os de corte, exceção feita aos bezerros com menos de 90 dias.

CALENDÁRIO PARA A CERTIFICAÇÃO

Data

Exigência

31/05/2004

Período de quarentena (90 dias)

10/06/2004

Envio das planilhas para cadastramento dos animais com elemento identificador, confeccionado antes de 12/04/2004

De acordo com o zootecnista Sérgio Moreira, da SBC Certificadora, o uso da Dupla Identificação será positiva. “Em caso de perda do brinco, a recuperação da certificação fica mais difícil. Por isso, a norma vai ajudar para isso. Perdendo um, tem outro”, afirma.

32 Nelore

O pecuarista é obrigado a informar sua Certificadora de todas as movimentações dos animais cadastrados, com um prazo máximo de 72 horas, ocorrências diversas, manejo sanitário e nutricional destes animais.

01/07/2004

Identificação Dupla nos animais para cadastramento no SISBOV

30/11/2004

Período de quarentena (180 dias)

31/05/2005

Período de quarentena (365 dias)

Nelore 33


“COMPRE

NOS LEILÕ V O C Ê L E VA Q U A L I D A D L EILÕES O FICIAIS Tel.: 16 3301 4488

R

Tel.: 34 3359 0354

Tel.: 19 34811871

Tel.: 11 3684 2698

04/06/2004 LEILÃO ELITE JAVA 2004 & CONVIDADOS CLÁSSICOS DO NELORE Tel.: 11 5051 8515 JAVA EMPRESA AGRÍCOLA S/A. LINS - SP 06/06/2004 53° LEILÃO ELITE DE PASTO NELORE LEMGRUBER FAZENDA MUNDO NOVO UBERABA - MG 09/06/2004 LEILÃO BARREIRO RICO E CONVIDADOS FAZENDA BARREIRO RICO UBERABA - MG 10/06/2004 LEILÃO FAZENDA VALÔNIA JOÃO AGUIAR ALVAREZ LINS - SP

11/06/2004 4º LEILÃO FAZENDA CARACOL FAZENDA CARACOL Tel.: 94 424 0266 REDENÇÃO - PA 12/06/2004 11º LEILÃO BALUARTE BALUARTE AGROPECUÁRIA LTDA. Tel.: 37 3222 6566 LAGOA DOS PATOS - MG

Tel.: 18 271 1529

Tel.: 14 3766 1233

Tel.: 67 521 2347

13/06/2004 1º LEILÃO CV - FAZENDA SANT'ANNA CARLOS VIACAVA RANCHARIA - SP 14/06/2004 LEILÃO PRENHEZES DE ELITE QUILOMBO EMPREENDIMENTOS, SYLVIO PROPHETA, JONAS BARCELLOS SÃO PAULO - SP 15/06/2004 LEILÃO MATRIZES CS CLÁUDIO FERNANDO GARCIA DE SOUZA TRÊS LAGOAS - MS

Tel.: 67 521 2347

15/06/2004 LEILÃO 3-B EMBRIÕES GRUPO 3 B SÃO PAULO - SP

03/07/2004 1º LEILÃO GRANDES MATRIZES Tel.: 18 3608 9550 POLO NELORISTA DE ARAÇATUBA ARAÇATUBA - SP

16/06/2004 LEILÃO TOUROS CS CLÁUDIO FERNANDO GARCIA DE SOUZA TRÊS LAGOAS - MS

03/07/2004 LEILÃO TOUROS TOP 10% POLO NELORISTA DE ARAÇATUBA Tel.: 18 3608 9550 ARAÇATUBA - SP

18/06/2004 LEILÃO SAMPA SHOW NELORE MOCHO LUCIANO CAMPACCI, AGROANDORINHA, Tel.: 11 3362 2077 GERALDO BORDON, VARRELA PECUÁRIA SÃO PAULO - SP

Tel.: 67 295 5252

19/06/2004 9° LEILÃO NELORE 3 IRMÃOS GASPAR DA CUNHA MIRANDA SÃO GABRIEL DO OESTE - MS

19/06/2004 LEILÃO DA SABIÁ FAZENDA DO SABIÁ, JOSÉ LUIZ NIEMEYER, Tel.: 31 3281 5255 JONAS BARCELLOS CAPITÓLIO - MG 25/06/2004 12º LEILÃO FORTALEZA VR JOSÉ CARLOS PRATA CUNHA, TORRES HOMEM Tel.: 18 3623 8943 R. DA CUNHA VALPARAISO - SP

04/07/2004 LEILÃO INDIAN BABY Tel.: 18 3608 9550 POLO NELORISTA DE ARAÇATUBA ARAÇATUBA - SP 05/07/2004 LEILÃO SEMENTES DA RAÇA POLO NELORISTA DE ARAÇATUBA Tel.: 18 3608 9550 ARAÇATUBA - SP 06/07/2004 LEILÃO SELEÇÕES DO FUTURO Tel.: 18 3608 9550 POLO NELORISTA DE ARAÇATUBA ARAÇATUBA - SP

Tel.: 99 263 0004

30/06/2004 LEILÃO VIRTUAL DE PRENHEZES NELORE ZAN Tel.: 65 642 6396 Tel.: 18 3557 1257 SÃO PAULO - SP

Tel.: 69 321 4176

JUNHO ,

02/07/2004 1° LEILÃO PECUÁRIA MARTENDAL E CONVIDADOS ALEXANDRE MARTENDAL E ALOÍSIO MARTENDAL VILHENA - RO

03/07/2004 29º LEILÃO BRUMADO Tel.: 17 3329 1188 FAZENDA BRUMADO BARRETOS - SP

Tel.: 11 5524 1431

08/07/2004 LEILÃO NELORE ELITE IMPERATRIZ PECUÁRIA IMPERATRIZ PECUÁRIA IMPERATRIZ - MA 08/07/2004 LEILÃO CAMARGO GRUPO CAMARGO CUIABÁ - MT

ES OFICIAIS NELORE. E E VA L O R I Z A A R A Ç A .” JULHO E AGOSTO DE

Tel.: 65 642 6396

12/07/2004

31/07/2004

14/08/2004

LEILÃO CAMARGO

2° LEILÃO PESO PROVADO QUILOMBO

18º LEILÃO DO ADIR

GRUPO CAMARGO

QUILOMBO EMPREEND. E PARTICIPAÇÕES LTDA.

ADIR DO CARMO LEONEL RIBEIRÃO PRETO - SP

15/07/2004

05/08/2004

21/08/2004

26ª NOITE DO NELORE COLONIAL

LEILÃO NELORE TRÊS MENINAS

LEILÃO NELORE DO VALE

LUCIA MARQUES PAVAN E DORA PAVAN SALVADORI Tel.: 43 534 1515

Tel.: 14 32345663

EVALDO RINO RIBEIRO

LONDRINA - PR

BAURU - SP

17/07/2004

06/08/2004

21/08/2004

6º LEILÃO CV NELORE MOCHO

LEILÃO FILHAS DE RAINHAS

CARLOS VIACAVA

ORESTES PRATA TIBERY JUNIOR

JANAÚBA - MG

Tel.: 67 521 2200

9º LEILÃO PROMISSÃO Tel.: 91 210 9500

DJALMA BEZERRA

TRÊS LAGOAS - MS

IPIXUNA - PA

18/07/2004

07/08/2004

22/08/2004

2º LEILÃO MOCHO IF

LEILÃO SELEÇÃO OT

LEILÃO BANDEIRANTES - MATRIZES POI

ORESTES PRATA TIBERY JUNIOR

FAZENDA BANDEIRANTES, JOSÉ ALBERTONI

PAULÍNIA - SP

ARGEU FOGLIATTO Tel.: 65 326 1419

Tel.: 16 637 3698

CAMPO GRANDE - MS

CUIABÁ - MT

Tel.: 67 521 2200

TRÊS LAGOAS - MS

Tel.: 62 597 5050

E NELSON ALBERTONI GOIÂNIA - GO

19/07/2004

08/08/2004

LEILÃO PRODUÇÃO NELORE ZAN -

LEILÃO GRANDES MARCAS

Tel.: 18 3557 1257 MATRIZES E MACHOS ARAÇATUBA - SP

7º LEILÃO

25/08/2004 7º LEILÃO QUALIDADE TOTAL CV

Tel.: 67 9221 0232 ANTONIO SACCHI AQUIDAUANA - MS

Tel.: 18 271 1529

& QUILOMBO CARLOS VIACAVA

Tel.: 34 3312 0030

PRESIDENTE VENCESLAU - SP

24/07/2004

09/08/2004

LEILÃO TOUROS DE UBERABA

3º LEILÃO ESTÃNCIA SANTA ALZIRA

RANCHO DA MATINHA UBERABA - MG

Tel.: 67 9983 2573

JANETE SOUZA MORAES

28/08/2004

CAMPO GRANDE - MS

24º LEILÃO ANUAL CARPA CARPA SERRANA

Tel.: 17 3421 9937

Tel.: 16 3987 9003

24/07/2004

13/08/2004

LEILÃO J. GALERA

LEILÃO EMBRYO SHOW

AGROPECUÁRIA J. GALERA LTDA.

EDUARDO BIAGI, ADIR DO CARMO LEONEL,

LINS - SP

Tel.: 16 3987 9003

4 º- L E I L Ã O

FA Z E N D A

CAMPINA

Tel.: 18 271 1529

PARA

OFICIALIZAR SEU LEILÃO , LIGUE :

0800 77 012 17

ACNB - Associação dos Criadores de Nelore do Brasil Central de Atendimento 0800-125454

SERRANA - SP 29/08/2004 4º LEILÃO CV FAZENDA CAMPINA

FAZENDA PAULICÉIA RIBEIRÃO PRETO - SP

10/07/2004 LEILÃO GRUPO NOROESTE GRUPO NELORE MOCHO NOROESTE ARAÇATUBA - SP

10/07/2004 LEILÃO PRENHEZES ESTÂNCIA SANTA ALZIRA Tel.: 67 9983 2573 JANETE SOUZA MORAES CAMPO GRANDE - MS

Tel.: 19 3934 0112

CUIABÁ - MT

Tel.: 38 3821 1214 COLONIAL AGROPECUÁRIA LTDA.

Tel.: 43 3373 7077

2004

www.nelore.org.br

nelore@nelore.org.br

CARLOS VIACAVA PRESIDENTE VENCESLAU - SP

z+


ACONTECE

ACONTECE

Nelore Brasil lança Sumário on line 2004

Divulgação

O PMGRN – Nelore Brasil gera benefícios não só aos criadores de animais puros, mas também àqueles que possuem animais Livro Aberto (LA) e Cara Limpa (CA), “pois estarão comprando e utilizando animais submetidos a avaliações abrangentes que demonstram com clareza e segurança sua qualidade genética. Para este ano foram avaliados 646.417 animais, de 279 fazendas participantes, uma base atual de 2,12 milhões de pesagens e medidas de perímetro escrotal”, afirma Lydio Cosac de Faria, da ACNP.

presentada pela Associação Nacional de Criadores e Pesquisadores (ANCP), em abril, a versão on-line do décimo segundo Sumário do Programa de Melhoramento Genético da Raça Nelore – Nelore Brasil é uma excelente ferramenta de consulta para o criador/produtor, com mecanismo de busca rápida pelo nome, Série/RGD do touro e emissão de listagem de animais pelo critério de escolha do criador.

A

As características avaliadas que compõe o Sumário2004, geraram DEPs para idade ao primeiro parto (IPP) , neste ano expressas em dias, período de gestação (PG), peso adulto (PA) e produtividade acumulada (PAC). O Sumário apresenta as DEPs para peso aos 120 (P120), 365 (P365) e 450 (P450) dias de idade, perímetros escrotais aos 365 (PE365) e 450 (PE450), área de olho de lombo (AOL), espessura de gordura subcutânea entre a 12ª. e a 13ª. costelas (EG), espessura de gordura subcutânea medida na garupa (EGP8) e probabilidade de permanência no rebanho (stayability).

ACNB participa da elaboração do Manual do Novilho Precoce Manual de Boas Práticas de Produção do Novilho Precoce será lançado pela ABNP na Feicorte m reunião realizada durante a Agrishow 2004, a Associação Brasileira do Novilho Precoce (ABNP) anunciou o lançamento do “Manual de Boas Práticas de Produção do Novilho Precoce”, destaque da entidade para o evento. Na ocasião, Constantino Ajimasto, presidente da ABNP, solicitou a contribuição das Associações de Raça para o ajuste do texto final

E

36 Nelore

da publicação que será lançada durante a Feicorte, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo/SP. Com base no texto preliminar distribuído pela ABNP, a Associação dos Criadores de Nelore do Brasil propôs alguns ajustes de conceito e inclusão de procedimentos e aspectos técnicos para garantir a operacionalidade e eficácia do Manual NP.

No item “Genética”, a ACNB ressalta o sentido de que não existe melhor raça para o novilho precoce. Existe melhor raça ou composição de raças para determinado ambiente. “Raças ou composição de raças potencialmente mais produtivas, em geral, são também mais exigentes. As particularidades edafo-climáticas da região e o nível de controle gerencial existente na propriedade determinam a melhor opção. Atentar para a escolha de reprodutores geneticamente superiores”, argumentou Eduardo Pedroso, gerente executivo da ACNB. “Precisamos desmistificar que Novilho Precoce é, necessariamente, sinônimo de Cruzamento Industrial. No meu entender, NP é um animal jovem de qualidade que apresenta uma carcaça apta a atender as exigências de mercado”. Tecnicamente é possível produzir NP a partir de raças puras européias britânicas, raças européias continentais, raças zebuínas ou cruzamentos entre raças (europeu x europeu; europeu x zebu; zebu x zebu). “Tudo vai depender da viabilidade econômica de cada opção, para a região e o sistema de produção em questão”. Pedroso deixou claro que a definição de Novilho Precoce deve ser baseada nessas considerações, em particular quando a questão for liberação de crédito para fomento. “Muitos bancos só liberam financiamento se o projeto contemplar a prática de cruzamento industrial. O que é injustificado”. A ACNB propôs ainda a adoção de 3 medidas em relação aos cuidados básicos para garantir a qualidade do couro. Na tabela sobre itens de controle, a sugestão foi incluir um método de abertura do couro na esfola: o couro é comercializado por área e dependendo do método de abertura do couro, têm-se maior ou menor superfície aproveitável. O uso de Boas Práticas de Esfola pelos frigoríficos também ajudaria a reduzir a incidência de raias e furos na pele. As raias e furos da esfola são vilões da desvalorização do couro que geralmente não são lembrados. A adoção de Boas Práticas de Transporte do Couro Cru, que está diretamente relacionado à qualidade do couro processado, completa a proposta.

Classificação de Carcaça No item “Tipificação de Carcaça”, ou mais correto dizer “Classificação de Carcaça a Quente”, também foram sugeridas alterações. Para Pedroso, o naufrágio de todos os programas de Novilho Precoce existentes no país, nos últimos anos, se deve basicamente ao fato do peso mínimo de carcaça quente ser muito baixo e de se tolerar a gordura escore 2 ou escassa. “Nenhuma iniciativa em prol da qualidade irá sobreviver na prática se os requisitos mercadológicos vigentes não forem respeitados”. “No mercado da carne, carcaça de 15@ é preço de vaca e pronto. Boi leve não atinge os padrões de exportação e muito menos do mercado interno. Gosto de lembrar sempre do cálculo do açougueiro: o preço que se pode pagar por arroba é igual ao preço do traseiro vezes sete, mais o preço do dianteiro vezes seis, mais o preço da ponta-de-agulha (costelas) vezes dois. Regra simples e que norteia o mercado da carne a séculos, na prática”. A conta do açougueiro nada mais é do que a conta proporcional aos quartos traseiro, dianteiro e PA (costelas) na carcaça. Uma carcaça retilínia (maioria das carcaças de animais de corte no Brasil), com cobertura de gordura 3, apresenta uma proporção média de 48% de traseiro; 38% de dianteiro e 14% de PA. É possível chegar aos mesmos cálculos do açougueiro multiplicando: [(R$ traseiro x 0,48 + R$ dianteiro x 0,38 + R$ PA(costelas) x 0,14) x 15] = equivalente R$/ @. “Pode parecer loucura mas a regra é o seguinte: o mercado da carne in natura absorve, em média, uma proporção de 2,5 traseiros : 1 dianteiro : 1 PA (2,5:1:1). Isto significa dizer que o excedente do dianteiro e da PA vai para indústria (Corned Beef, Cooked Frozen Beef, Charque, Jerked Beef etc)”, exemplifica Pedroso. O critério de compra da indústria que baliza o mercado, segundo o técnico da ACNB, é o seguinte:

Nelore 37


ACONTECE

• Dianteiro com peso abaixo de 45 kg tem preço de vaca; • Ponta de Agulha com peso abaixo de 16 kg também tem preço de vaca; • Se for observado o peso de traseiro de maior versatilidade de aproveitamento pela indústria frigorífica – para se produzir cortes padrão exportação ou para mercados exigentes no Brasil – têm-se como referência um ideal de 62-65 kg. Sendo no mínimo de 57 kg conformação retilínia acima e gordura 3 acima. Outro exemplo: padrão churrascaria – alcatra completa, picanha, fraldão – traseiro de 65 kg,

conformação retilínio acima; com cobertura de gordura 3 acima. PA padrão churrascaria tem de ter 19 kg acima, proveniente de carcaça com acabamento 3 acima. Na opinião de Pedroso, para que as sugestões da ABNP tenham alguma chance de serem adotadas pelos frigoríficos e incentivadas por eles, o peso mínimo do NP não pode ser menor que 16 @. “Vamos lembrar que a carcaça nota 10 é a de 17,5 @. Este é o mercado real e não vai mudar. A dificuldade está sempre ligada à venda casada entre os cortes e quartos – traseiro, dianteiro e costela”, sentencia.

ABIEC responde ao The Economist a escolha do Brasil entre o crescimento econômico e a preservação da Amazônia, que segundo a matéria, está sendo colocada em risco. A revista enfatiza que a floresta Amazônica é vítima da erosão e que o local tem servido principalmente para marketing doméstico. A destruição também estaria associada às demandas de consumidores da Europa e Ásia. A reportagem cita o relatório do Centro Internacional de Pesquisa em Silvilcultura (CIFOR), para o qual a onda de exportação de carne é um dos principais fatores do desflorestamento da Amazônia. O texto menciona ainda o uso de terras para reflorestamento, área ilegalmente ocupada, para pastagens de rebanhos.

eportagem de uma página publicada em abril, dia 17, pela revista inglesa The Economist, sob o título “O preço do sucesso”, reproduz a sutileza de argumentos dos nossos concorrentes, maniqueísmo comercial que associa

R

Em resposta ao editor de The Economist, o presidente do Conselho da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes Industrializadas (ABIEC), Marcos Vinicius Pratini de Moraes, descreveu, de maneira apropriada, a realidade que cerca a questão polêmica desmatamento x ocupação ordenada. A seguir a íntegra da carta enviada ao veículo britânico:

38 Nelore Nelore 39


ACONTECE

M. V. Pratini de Moraes Presidente do Conselho ABIEC (Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes Industrializadas)

40 Nelore

ACNB terá taxa de fomento de registro da ABCZ

ABCZ

“A proteção da floresta equatorial Amazônica é uma prioridade e uma questão de grande importância para o Governo e sociedade brasileiros. A utilização racional deste vasto ecossistema exige, seguramente, rígido controle e monitoramento cuidadoso tanto por nossas agências nacionais, quanto por parceiros mundiais preocupados com estas questões. Porém, é importante diferenciar a expressão “Amazônia Legal”, que é basicamente um conceito administrativo, de qualquer definição específica da floresta equatorial Amazônica. A “Amazônia Legal” engloba a floresta Amazônica e também inclui enormes áreas de cerrado e pastagens naturais. É nestes locais que ocorrem atividades agrícolas, dentro da região denominada “Amazônia Legal” e que de maneira alguma afetam a integridade ou conservação da floresta equatorial. Já a sugestão que a produção brasileira de carne bovina e exportações estejam de alguma maneira relacionadas com o desflorestamento simplesmente não faz sentido. A carne brasileira provém de propriedades ao sul, sudeste e centro-oeste do país. Atividades pecuárias na região da Amazônia são insignificantes ou apenas marginais e nada do que é produzido é destinado aos mercados internacionais. Como a bacia Amazônica ainda não foi declarada livre da febre aftosa, nenhuma carne produzida na região pode ser destinada à exportação. É simples assim. O que explica nossa presença, em franca expansão, em mercados internacionais altamente protegidos, é o fato de havermos buscado políticas fortes e sustentadas para o aumento de produtividade, melhoria de qualidade genética de nossos rebanhos, melhoria de qualidade de nossas pastagens e para atingir a erradicação da febre aftosa com vacinação. Por causa de procedimentos rígidos de controle e pelo fato da alimentação de nosso gado ser baseada em pastagens naturais estamos livres das consequências desastrosas da BSE (ou doença da vaca louca). Permita-me adicionar que o Brasil – além dos 220 milhões de hectares de áreas de pastejo agora em uso - ainda dispõe de quase 100 milhões de hectares de áreas não exploradas de pastagens fora da região Amazônica. Portanto podemos realizar projetos grandiosos de expansão sem, de maneira alguma, colocar em risco a floresta Amazônica. Vamos nos manter unidos para proteger a floresta equatorial Amazônica. Ela precisa de nossa proteção. A sugestão de que o vigor e o sucesso de nossas exportações de carne bovina derivem de qualquer maneira da destruição do ambiente Amazônico leva a conclusões errôneas e nos faz temer que nossos competidores possam estar buscando beneficiar-se destas confabulações para ocultar o dinamismo de nossa indústria de carne bovina.

ACONTECE

José Olavo Borges Mendes, presidente da ABCZ. Objetivo do porcentual é proporcionar recursos para que as entidades possam promover as respectivas raças

o início de maio a diretoria da ABCZ aprovou o projeto que beneficiará as associações promocionais das raças zebuínas, com registro no MAPA e escritório na entidade em Uberaba (MG). A proposta foi apresentada pelo vicepresidente Paulo Ferolla. A medida vigora a partir de junho. O repasse será mensal e sempre referente ao mês anterior. O primeiro acontecerá a partir de agosto. O objetivo é proporcionar recursos para que as entidades possam promover as respectivas raças.

N

“Todo mundo ganha: a imagem das raças zebuínas, as associações, a pecuária brasileira, fortalecida com esta iniciativa, e, conseqüentemente, a ABCZ”, define o gerente executivo da ACNB, Eduardo Pedroso. As entidades receberão 5% do valor arrecadado com os serviços de Registro de Nascimento e Registro Definitivo para animais PO e LA. O valor total estimado do repasse é de R$ 623 mil, para 2004. Deste valor, 60% será dividido em partes iguais entre as associações, os 40% restantes serão repassados, proporcionalmente com a arrecadação originada por cada raça. Serão beneficiadas com a medida, a Associação dos Criadores de Guzerá do Brasil (ACGB), Associação dos Criadores de Brahman do Brasil (ACBB), Associação Brasileira dos Criadores de Gir (ASSOGIR), Associação dos Criadores de Nelore do Brasil (ACNB), Associação Brasileira dos Criadores de Tabapuã (ABCT) e a Associação Nacional de Indubrasil (ANCI). A partir deste ano, as entidades deverão até 30 de dezembro apresentar a prestação de contas, informando quais foram as ações implementadas com a aplicação da verba. A ABCZ poderá, caso entenda que os recursos não estão sendo devidamente aplicados, cancelar o repasse por tempo indeterminado.

Adeus a José Welington A

Associação dos Criadores de Nelore do Mato Grosso (ACNMT) perdeu seu atual presidente José Welington Gomes de Lima. Ele faleceu no último dia 14 de maio próximo a Tangará da Serra (MT) em decorrência de um acidente aéreo. No avião estavam, além de José Wellington, sua esposa e o piloto, que faleceram também.

José Wellington estava no cargo de presidente da ACNMT há um ano e meio. Seu mandato iria até outubro desse ano. Ele fazia parte da diretoria da Associação desde sua criação, em julho de 1994. "José Wellington vai fazer falta pelo ótimo trabalho que desenvolvia na Associação do Mato Grosso. Toda a família Nelorista do estado está ressentida com a sua morte", afirma Gilberto Porcel, diretor de promoções da ACNMT.

Nelore 41


ACONTECE

LEILÕES

Reunião da ABNP na Agrishow discute produção de carne bovina de qualidade

Divulgação

entidade e a ampliação dos núcleos regionais do novilho precoce por todo o Brasil com o objetivo de fortalecer a entidade e a pecuária moderna. Eduardo Pedroso, gerente executivo da ACNB, esteve presente representando a raça Nelore.

Constantino Ajimasto, presidente da ABNP

urante a Agrishow 2004, em Ribeirão Preto (SP), a Associação Brasileira do Novilho Precoce (ABNP) promoveu uma reunião no estande do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) para definir o Manual de Boas Práticas de Produção do Novilho Precoce, a criação de um banco de dados para dimensionar a produção de novilho precoce e de carne de qualidade no Brasil, o novo estatuto da

D

42 Nelore

A ABNP apresentou a proposta do setor produtivo para o plano agrícola e pecuário 2004/2005 que foi aprovada pelo MAPA. Um dos ítens é o Programa Nacional de Incentivo à Produção de Novilho Precoce que prevê o financiamento de investimentos destinados à produção de novilho precoce, ao amparo de recursos do crédito rural, com alocação de recursos para o programa da ordem de R$ 100 milhões. Os ítens financiáveis são: adaptação/construção de benfeitorias e instalações para manejo do rebanho, tais como: cercas, currais (práticas de bem-estar animal), bebedouros, genética (aquisição de reprodutores, matrizes, sêmen, embriões, equipamentos de inseminação artificial, etc); construção/reforma de infra-estrutura para confinamento de acabamento (divisões de estábulos, edificações, etc). O financiamento é limitado a R$ 200 mil por produtor/ano, com amortização de 5 anos e até 2 anos de carência e taxa de juros de 8,75% ao ano. A proposta desta safra visa a produção de carne bovina de qualidade para abastecimento do mercado interno e para as exportações.

Resultado dos leilões oficiais 2º Nelore Sertãozinho R$ 410.460,00 foi o faturamento do 2º Leilão Nelore Sertãozinho. O pregão aconteceu em 22 de março, em Campo Grande (MS). Foram ofertados 250 animais, entre machos e fêmeas PO e LA, com média geral de R$ 1.641,84. Roque Fachini Filho foi o maior comprador do pregão investindo R$ 64.000,00. A batida do martelo ficou por conta da Leiloboi.

West Mocho O Leilão West Mocho, realizado no dia 26 de março, em Campo Grande (MS), faturou R$ 213.780,00, com média de R$ 5.214,15. Foram comercializados 22 machos PO e 19 fêmeas PO. O lote de maior cotação foi vendido por Carlos Viacava para Janete Souza Moraes por R$ 16.100,00. Fausta Ferreira Cunha foi quem mais comprou: R$ 57.120,00. Cirene Ribeiro Costa Vanni foi quem mais vendeu: R$ 104.440,00. A Correa da Costa Leilões foi responsável pela batida do martelo.

1º Nelore Fashion O 1º Leilão Nelore Fashion, realizado em 26 de março, em Campo Grande (MS) faturou R$ 179.480,00. 56 fêmeas Nelore PO foram vendidas com média de R$ 6.410,00.

2º Elite 4 Amigos de Rondônia & Convidados Realizado em 27 de março, em Porto Velho (RO), o 2º Leilão Elite 4 Amigos de Rondônia & Convidados rendeu R $ 492.800,00. 32 lotes foram vendidos com média de R$ 15.400,00. A Atual e a Bingool Leilões organizaram o pregão.

1º Nelore Vip R$ 1.497.300,00 foi o faturamento do 1º Leilão Nelore Vip, que aconteceu no dia 28 de março, em Campo Grande (MS). Foram ofertadas 42 fêmeas, com média de R$ 35.650,00. O lote de maior cotação foi vendido de Ulisses Azuil de Almeida Serra Netto para o condomínio José Eustáquio Elias, Promedh e Tarcísio José de Oliveira, por R$ 170.800,00. O maior comprador foi Marcos Paolucci com R$ 156.800,00. O maior vendedor foi Ulisses Azuil de Almeida Serra Netto com R$ 320.600,00. O martelo ficou com a Programa Leilões.

22º LS Nelore à Campo O 22º Leilão LS Nelore à Campo, realizado no dia 30 de março, em Campo G r a n d e ( M S ) f a t u ro u R $ 399.800,00. Foram comercializados 244 animais, entre machos e fêmeas, com média de R$ 1.638,00. A leiloeira foi a Leiloboi.

Nelore 43


LEILÕES

8º Leilão Melhoradores Realizado em 31 de março, em Campo Grande (MS), o 8º Leilão Melhoradores, rendeu R$ 432.882,00. Foram comercializados 64 lotes de Nelore PO. Os machos tiveram média de R$ 3.889,34 e as fêmeas, R$ R$ 6.393,00. A Leilosat comandou o pregão.

1º Leilão Andorinha & Fazenda Marino Virtual O 1º Leilão Andorinha e Fazenda Marino Virtual, realizado no dia 2 de abril, faturou R$ 377.580,00. Foram comercializadas 62 fêmeas PO com média de R$ 6.090,00. O lote de maior cotação foi vendido de Amauri Gouveia para João Cariello de Moraes Filho por R$ 11.900,00. Quem mais comprou foi Dalila Botelho de Moraes Toledo com R$ 96.040,00. Luiz Carlos Marino foi o maior vendedor com R$ 117.320,00. A Remate foi a leiloeira.

15º Top do Mocho O 15º Leilão Top do Mocho, realizado em 5 de abril, em Campo Grande (MS), rendeu R$ 390.040,00. Foram comercializados 84 lotes de machos e fêmeas. Reinaldo Batista Padovan foi o maior vendedor com R$ 189.140,00. João Batista de Andrade foi quem mais comprou com R$ 57.820,00. A leiloeira foi a Leiloboi.

46 Nelore

LEILÕES

5º Peso do Mocho da Terra Roxa O faturamento do 5º Leilão Peso do Mocho da Terra Roxa, realizado em Londrina (PR), no dia 8 de abril, foi de R$ 228.760,00. Foram comercializados 32 machos e 31 fêmeas com média geral de R$ 3.631,11. O lote de maior cotação foi vendido por R$ 7.700,00, de Benedito Pinto Dias para João Batista Doria Ramos, que também foi o maior comprador com R$ 37.520,00. A Agropecuária Terra Roxa, anfitriã do remate, foi quem mais vendeu: R$ 59.360,00. A Programa Leilões comandou a batida do martelo.

2º Elite Espinho Preto Realizado no dia 11 de abril, em Londrina (PR), o 2º Leilão Espinho Preto rendeu R$ 1.286.600,00. Foram comercializados 37 animais com média de R$ 35.466.66. O lote mais valorizado foi vendido da Agropecuária Espinho Preto para a Agropecuária Dasanas SF por R$ 148.400,00. A Espinho Preto foi quem mais vendeu com R$ 513.800,00. A batida do martelo ficou com a Programa Leilões.

12º Peso da Terra Roxa O 12º Leilão Peso da Terra Roxa, que aconteceu no dia 13 de abril, em Londrina (PR), arrecadou R$ 284.900,00. A oferta foi de 66 machos PO, com média de R$ 4.316,66. O lote de maior cotação foi vendido de Marcelo Procópio Grisi para Moreira Salles

Agropecuária por R$ 12.600,00. O maior comprador foi Luiz Ernesto Bley com R$ 49.560,00. Com R$ 87.220,00, a Agropecuária Terra Roxa foi quem mais vendeu. A batida do martelo ficou com a Programa Leilões.

13º Top Nelorextra R$ 432.600,00 foi o rendimento do 13º Leilão Top Nelorextra, realizado no dia 15 de abril, em Londrina (PR) pela Programa Leilões. 36 fêmeas foram ofertadas com média de R$ 12.016,66. Marcelo Procópio Grisi vendeu o lote de maior cotação para Paulo Roberto Meneghel por R$ 42.000,00. Amauri Gouveia foi o maior comprador com R$ 51.800,00. Marcelo Procópio Grisi foi o maior vendedor com R$ 108.500,00. N

E

9º Ventres VR O 9º Leilão Ventres VR, realizado em 16 de abril, em Londrina, rendeu R$ 2.121.000,00. A oferta foi de 36 embriões com média de R$ 58.916,66. O lote mais valorizado foi vendido por R$ 162.400,00 de Torres Homem Rodrigues da Cunha para José Francisco Diamantino e Vânia Hungaro. O maior comprador do remate foi Benedito Mutran Filho com R$ 226.800,00 e o maior vendedor, Torres Homem, com R$ 579.600,00. A Programa comandou a batida do martelo.

Cachoeira Fest 2004 R$ 2.286.200,00 foi o faturamento do Leilão Cachoeira Fest 2004, realizado no dia 17 de abril, em Sertanópolis (PR). 31 fêmeas foram vendidas com média de R$ 73.748,38. O lote de maior cotação foi vendido de Márcio de Rezende Andrade para Brasif Administração e Participações por R$ 420.000,00. A Agropecuária Fazenda Cachoeira foi quem mais vendeu com R$ 761.600,00. A Brasif quem mais comprou: R$ 551.600,00. A Programa Leilões foi quem comandou a batida do martelo.

Prenhezes da Central Umburana O Leilão Prenhezes da Central Umburana, realizado em 20 de abril, em Brasília (DF), faturou R$ 817.600,00. Foram comercializados 33 embriões com média de R$ 24.775,75. O lote de maior cotação foi vendido de Agropecuária Palma para Demétrius Martins Mesquita por R $ 91.000,00. Sendo que a Agropecuária Palma foi quem mais vendeu com R $ 186.200,00 e Demétrius Martins Mesquita quem mais comprou com R$ 162.400,00. A Programa foi a leiloeira.

Ventres Campeões de Barretos O faturamento do Leilão Ventres Campeões de Barretos, realizado no dia 22 de abril, em Barretos (SP), foi de R $ 1.093.400,00. Foram vendidos 32 Nelore 47


LEILÕES

embriões com média de R$ 34.168,75. O lote de maior cotação foi vendido de Rubens de Andrade Carvalho para a Fazenda Oriente por R$ 137.200,00. Osmar Pereira da S i l v a f o i o maior comprador com R$ 226.800,00. O maior vendedor foi Rubens de Andrade Carvalho com R$ 173.600,00. A Remate comandou a batida do martelo.

2º Berço do Nelore O 2º Leilão Berço do Nelore, realizado no dia 23 de abril, em Campo Grande (MS), rendeu R$ 438.900,00. Foram comercializadas 34 fêmeas com média de R$ 12.908,82. O lote de maior cotação foi vendido de Li Teixeira de Rezende para Cecílio Alves Martins por R$ 23.100,00. O maior comprador foi Hélio Marinho de Oliveira Filho com R$ 99.400,00. O maior vendedor foi Firmasa Tecnologia Agropecuária com R$ 116.200,00. A Programa comandou a batida do martelo.

1º Nelore Sudoeste Paulista Embriões O 1º Leilão Nelore Sudoeste Paulista Embriões, realizado no dia 23 de abril, em Itapetininga (SP), rendeu R$ 936.600,00. A oferta foi de 34 embriões com média de R$ 27.547,05. Jorge Sayed Picciani vendeu o lote mais valorizado para Amauri Gouveia e Manoel Messias Vitor de Andrade por R$ 112.000,00. O maior comprador foi Emiliano Abraão Sampaio Novais com R$ 88.200,00. José Antônio Furtado foi quem mais vendeu com R$ 140.700,00. A Remate Leilões foi a leiloeira. 48 Nelore

19º Paredão Fêmeas R$ 653.100,00 foi o faturamento do 19º Leilão Paredão Fêmeas, realizado em 23 de abril, em Oriente (SP). 36 animais foram comercializados com média de R$ 18.141,66. Nelson Rafael Pineda Rodrigues vendeu o lote mais valorizado para a maior compradora d o remate, Márcia Igel Joppert por R$ 72.800,00. O maior vendedor foi Nelson Pineda Rodigues com R$ 357.350,00. A leiloeira foi a Central Leilões.

4º Sudoeste Paulista Realizado em 24 de abril, em Itapetininga (SP), o 4º Leilão Sudoeste Paulista faturou R$ 1.114.400,00. Foram comercializadas 36 fêmeas com média de R$ 30.955,55. O lote de maior cotação foi vendido de Ana Cristina Faccini L e i s F e s t a p a r a J o ã o R o s a p o r R $ 210.000,00. O maior comprador do pregão foi Hélio de Albuquerque Aragão com R$ 88.200,00. O maior vendedor foi José Antônio Furtado com R$ 130.432,00. A leiloeira foi a Remate.

19º Paredão Machos O 19º Leilão Paredão Machos, realizado no dia 24, em Oriente (SP) rendeu R$ 550.620,00. 97 animais foram comercializados com média de R$ 5.878,49. O lote de maior cotação foi vendido de Julika Carolin Wirth Zarb para Agropecuária Manacá por R$ 36.400,00. Walter de Biasi foi o maior comprador com R$ 121.380,00.


LEILÕES

O maior vendedor foi Nelson Rafael Pineda Rodrigues com R$ 280.280,00. A batida do martelo ficou com a Central Leilões.

1º Nelore do Xingu Realizado no dia 29 de abril, em Uberaba (MG), o 1º Leilão Nelore do Xingu faturou R$ 502.600,00. Foram comercializados 34 lotes com média de R$ 14.782,35. A Estância Bahia Leilões comandou o martelo.

2º Fazendas Reunidas B & Danklin O 2º Leilão Fazendas Reunidas B & Danklin, realizado no dia 29 de abril, em Uberaba (MG), rendeu R $ 812.000,00. A oferta foi de 32 fêmeas com média de R$ 25.375,00. O lote mais valorizado foi vendido de Jesus Avelino da Silva para Jorge Paulo da Silva e Novamata Agropecuária por R$ 112.000,00. Sidney Gonçalves Nogueira foi o maior comprador do remate com R$ 98.000,00. O maior vendedor foi Jesus Avelino da Silva com R$ 254.800,00. A Remate foi a leiloeira.

1º Nelore do Xingu – Matrizes Realizado em Uberaba (MG), no dia 30 de abril, o 1º Nelore do Xingu – Matrizes rendeu R$ 548.100,00. 45 fêmeas foram comercializadas com média de R$ 12.180,00. A leiloeira foi a Estância Bahia Leilões. 50 Nelore

LEILÕES

2º Integração R$ 450.100,00 foi o rendimento do 2º Leilão Integração, realizado em 1º de maio, em Uberaba (MG). Foram comercializados 36 fêmeas com média de R$ 12.502,77. O lote mais valorizado foi vendido de Levy Mário Celestino, maior vendedor, para João Cruz Barochelo por R$ 36.400,00. Helder Henrique Galera foi quem mais comprou com R$ 69.300,00. A leiloeira foi a Remate Leilões.

15º Naviraí O 15º Leilão Naviraí, realizado no dia 2 de maio, em Uberaba (MG), rendeu R$ 3.679.200,00. Foram ofertadas 25 fêmeas com média de R$ 147.168,00. O lote de maior cotação foi vendido de Helder Henrique Galera para o maior comprador do remate, Antônio Gomes Lemos, por R$ 588.000,00. O maior vendedor foi Helder Henrique Galera com R$ 681.800,00. A Programa comandou o martelo.

3º Poty VR Realizado dia 2 de maio, em Uberaba (MG), o 3º Leilão Poty VR arrecadou R$ 2.594.200,00. A oferta foi de 44 fêmeas com média de R $ 58.959,09. O lote de maior cotação foi vendido de José Francisco Diamantino para o condomínio Benedito Mutran Filho, Henri Slezinger, Agropecuária Manacá, Brasif Administração e Participações por R$ 421.400,00. O maior comprador foi Marcelo Ribeiro Mendonça com

R $ 226.800,00. O maior vendedor foi To r r e s L i n c o l n P r a t a C u n h a c o m R $ 904.400,00. A Remate foi a leiloeira.

Matinha Special O Leilão Matinha Special, realizado no dia 3 de maio, em Uberaba (MG), rendeu R$ 1.211.000,00. A oferta foi de 28 fêmeas com média de R$ 43.250,00. A Agropecuária Rio Aratau vendeu o lote de maior cotação para Yinvestpar Agropecuária por R$ 140.000,00. Quem mais v e n d e u f o i a Ta n g a r á Pecuária com R$ 344.400,00. A Planalto Participações foi quem mais comprou com R$ 147.000,00. A Leilopec comandou o martelo.

Elo de Raça Realizado em 4 de maio, em Uberaba (MG), o Leilão Elo de Raça rendeu R$ 10.927.000,00. Foram comercializados 32 fêmeas com média de R$ 341.468,75. O lote de maior cotação foi vendido da Brasif Participações para João Carlos Di Genio e Agropecuária Santa Barbara por R$ 1.470.000,00, recorde de preço da 70ª Expozebu. O maior vendedor foi a Brasif com R$ 2.625.000,00. João Carlos Di Genio foi quem mais comprou com R$ 2.967.902,00. A Programa comandou o martelo.

Classe A O Leilão Classe A, realizado no dia 4 de maio, em Uberaba (MG),

faturou R$ 3.754.800,00, comercializando 28 fêmeas. A média foi de R$ 134.100,00. O lote de maior cotação foi vendido de Agropecuária Rio Aratau para João Cruz Barochelo, Fazenda Nova Modelo Santa Edwiges, Serafim Meneghel, Cássio Anselmo Lucente, Hermínio Marques Moleiro por R$ 630.000,00. O maior comprador foi Yinvestpar Agropecuária e Benedito Mutran Filho, com R$ 427.700,00. Quem mais vendeu foi a Agropecuária Rio Aratau com R$ 863.800,00. A Remate foi a leiloeira.

Maxi Mocho Embriões R$ 434.000,00 foi o rendimento do Leilão Maxi Mocho, realizado em 4 de maio, em Uberaba (MG). Foram ofertados 32 lotes com média de R$ 13.562,50. O lote de maior cotação foi vendido de Djalma Bezerra para Antônio Paulo Abate por R$ 36.400,00. Argeu Fogliatto foi o maior comprador com R $ 61.600,00. Quem mais vendeu foi Djalma Bezerra com R$ 68.600,00. A Remate foi a leiloeira.

34º Leilão VR O 34º Leilão VR, realizado em 5 de maio, em Uberaba (MG), rendeu R$ 2.882.600,00. 29 animais foram comerciali-zados com média de R$ 99.400,00. O lote de maior cotação foi vendido de Roberto José Fae, Francisco Luiz Bendilatti e Paulo Roberto Meneghel para a Agropecuária Espinho Preto, Agropecuária Santa Inês e Gabriel de Barros Moretzshon por R$ 350.000,00. O maior comprador foi Sylvio Propheta de Nelore 51


LEILÕES

EXPOINEL

Oliveira com R$ 303.800,00. O maior vendedor foi Vicente Rodrigues da Cunha com R$ 410.200,00. A Programa foi a leiloeira.

3º Mega Baby R$ 947.800,00 foi o rendimento do 3º Leilão Mega Baby, realizado no dia 5 de maio, em Uberaba (MG). A oferta foi de 33 fêmeas com média de R$ 28.721,21. O lote de maior cotação foi vendido da Companhia Comercial OMB para Serafim Meneghel e Quilombo Empreendimentos por R$ 93.800,00. O maior comprador foi Serafim Meneghel com R$ 137.900,00. O maior vendedor foi a Companhia Comercial OMB com R$ 121.800,00. A Remate comandou o martelo.

16º Japaranduba Realizado em Uberaba (MG), no dia 6 de maio, o 16º Leilão Japaranduba arrecadou R$ 1.256.500,00. 37 fêmeas foram comercializados com média de R$ 33.959,45. O lote de maior cotação foi vendido por R$ 156.800,00 de Japaranduba Fazendas Reunidas para o maior comprador do pregão, Sebastião Ferreira Agroindústria. A Japaranduba foi quem mais vendeu com R$ 304.500,00. A Remate foi a leiloeira.

20º Noite dos Campeões O 20º Leilão Noite dos Campeões, realizado em Uberaba (MG), rendeu R$ 7.009.800,00. Foram 52 Nelore

comercializadas 31 fêmeas com média de R$ 226.122,58. O lote de maior cotação foi vendido por R$ 574.000,00 de Aguinaldo Gomes Ramos e Ivan D’Apremont Lima para Pedro Augusto Ribeiro Novis e A. O. Emprendimentos. O maior comprador do remate foi a A g r o p e c u á r i a O l i v a l Te n ó r i o c o m R $ 660.800,00. A Fazenda do Sabiá foi quem mais vendeu com R $ 1.225.000,00. A Remate foi a leiloeira.

2º Maximocho R$ 1.414.000,00 foi o rendimento do 2º Leilão Maximocho, realizado em Uberaba (MG), no dia 7 de maio. 35 fêmeas e 1 macho foram vendidos com média geral de R $ 39.277,77. O lote de maior cotação foi vendido de Varrela Pecuária para Djalma B e z e r r a e D a n i e l d o s S a n t o s M o re i r a p o r R $ 156.800,00. A Remate comandou o martelo.

2º Nelore MAAB & Convidados O 2º Leilão Nelore MAAB & Convidados, realizado no dia 7 de maio, em Uberaba ( M G ) , t e v e faturamento global de R$ 1.093.680,00 – dos quais R$ 834.400,00 na venda de 30 lotes de fêmeas PO e POI e média geral de R$ 27.813,00. O remate ofereceu também 7 mulas, 8 jumentos pêga e 3 jumentas por R$ 259.280,00. Marcos de Rezende Andrade vendeu o lote de maior cotação por R$ 58.800,00, para Sérgio Casali Prandini. Marco Antônio Andrade Barbosa foi o maior vendedor com


LEILÕES

Nelore do Milênio O Leilão Nelore do Milênio, realizado no dia 9 de maio, em Uberaba (MG), rendeu R$ 891.800,00. Foram comercializados 34 animais, com média de R$ 26.790,90. O lote de maior cotação foi vendido de Fazenda Nova Modelo Santa Edwiges para Yinvestpar Agropecuária por R$ 77.000,00. O maior comprador do remate foi Yinvestpar Agropecuária com R $ 147.000,00. O maior vendedor foi Aprígio Lopes Xavier com R$ 338.100,00. A leiloeira foi a Remate.

1º Leilão Nelore Elite Dispec do Brasil e Convidados Realizado em Maringá (PR), no dia 12 de maio, o 1º Leilão Nelore Dispec do Brasil e Convidados 56 Nelore

JM Touros Com faturamento de R$ 690.480,00, o Leilão JM Touros foi realizado no dia 15 de maio, em Garça (SP). Foram ofertados 74 machos com média de R$ 9.330,81. Jayme Santos Miranda vendeu o lote mais valorizado para Vicente Rodrigues da Cunha por R$ 22.400,00. O maior comprador do remate foi Jorge I s m a e l d e B i a s i F i l h o c o m R$ 140.700,00. Jayme Santos Miranda f o i quem mais vendeu: R$ 429.660,00. A Programa Leilões foi a leiloeira.

Sergipe terá associação de criadores entidade será o pecuarista Max Santana, da Fazenda Frutuoso, localizada em Canhoba (SE).

Divulgação

5º Ventres de Ouro Realizado em 8 de maio, em Uberaba (MG), o 5º Leilão Ventres de Ouro rendeu R$ 1.017.800,00. Foram comercializados 31 animais com média de R$ 32.832,25. Marcelo Procópio Grisi vendeu o lote mais valorizado para Jonas Barcellos Correa Filho por R $ 98.000,00. O maior vendedor do pregão foi Torres Homem Rodrigues da Cunha com R$ 197.400,00. A Programa foi a leiloeira.

faturou R$ 616.000,00. 33 fêmeas foram vendidas com média de R$ 18.666,66. Denzo Komagome e Eliseo José Pasquali Filho venderam o lote mais valorizado para Jamil Buchalla Filho e Cláudio Mansur Salomão por R$ 44.800,00. Paulo Sérgio Menezes Garcia foi quem mais comprou com R$ 51.100,00. O maior vendedor foi Eliseo José Pasquali Filho com R$ 200.200,00. A Programa Leilões comandou o martelo.

Nova associação terá como presidente o pecuarista Max Santana, da Fazenda Frutuoso

Estado do Sergipe ganhou, em 19 de abril, a Associação dos Criadores de Nelore (ACNS) que tem como objetivos a difusão da raça e a participação em exposições ranqueadas pela ACNB. O presidente da

O

De acordo com o presidente, a ACNS irá realizar trabalhos em conjunto com a Associação Baiana dos Criadores de Nelore. A primeira atividade da Associação Sergipana será a realização de uma Assembléia, na qual será nomeada oficialmente a Diretoria Executiva da entidade, bem como os procedimentos para os pecuaristas da região tornarem-se associados. Os criadores Carlos Adolfo Costa Prado, Laurinho Menezes, José Lauro Menezes, Raimundo Almeida Neto, João Fonseca, Chamusca Filho, Gontran Froes, José Figueiredo Barreto Filho, Salvador Barreto, Carlos Silveira Sobral, Carlos Cruz e Waltinho Carvalho também fazem parte da criação da ACNS.

Provas de ganho de peso no Espírito Santo pesagens (veja o quadro). Em atividade coletiva com a ABCZ, a seleção inicial dos animais é feita pela idade, obrigatoriamente entre 213 e 303 dias, ou seja, que tenham nascido entre 24/07/2003 e 22/10/2003. O período da prova é de 294 dias, sendo 70 dias para adaptação e 224 dias de prova efetiva com os 55 animais, que já estão na Fazenda Paraíso, do pecuarista Dalton Dias Heringer, em Vila Velha (ES). Além do ganho de peso, a PGP avaliará a área de olho do lombo (AOL) desses animais.

Divulgação

R $ 476.980,00. O maior comprador foi Demétrius Martins Mesquita com R $ 116.900,00. A Leilopec bateu o martelo.

INTEGRAÇÃO NACIONAL

Período da prova é de 294 dias, sendo 70 dias para adaptação e 224 dias de prova efetiva

3ª Prova de Ganho de Peso a Pasto Nelore do Espírito Santo acontece no período entre 22/05/2004 e 12/03/2005, com a primeira etapa já concluída, restando outras 5

A

A Associação Capixaba dos Criadores de Nelore (ACCN) organiza a prova e realiza por ocasião das pesagens, palestras, dias de campo e avaliações técnicas dos animais para os criadores. Ao final das avaliações, os animais serão classificados em Elite, Superior, Regular ou Inferior pelos critérios da ABCZ. Nelore 57


INTEGRAÇÃO NACIONAL

Nessa PGP podem participar criadores do Espírito Santo, Minas Gerais, Bahia e Rio de Janeiro, sem a necessidade de ser sócio da ACCN. O objetivo da Associação Capixaba é que os criadores participem dessa prova para que se possa identificar animais superiores para ganho de peso a pasto, bem como apresentar a qualidade genética do Nelore produzido na região.

RANKING

Confira o calendário das pesagens dos animais: Data

Atividade

31/07/2004

Pesagem inicial

25/09/2004

Pesagem Intermediária

20/11/2004

Pesagem Intermediária

15/01/2005

Pesagem Intermediária

12/03/2005

Pesagem Final

Para mais informações sobre as Provas de Ganho de Peso e outras atividades da ACCN, ligue para (27) 3711-7198 ou mande um e-mail: accn_es@hotmail.com

APCN realiza a Expoinel Paulista 2004 Divulgação

No evento, será lançado o site Nelore Paulista da APCN (www.nelorepaulista.com.br.) com informações de eventos, cursos, ranking paulista e notícias do Nelore no Estado de São Paulo. Mais informações pelo fone (14) 3236-4239.

Núcleos Regionais

Encontro foi a oportunidade para a troca de experiências e idéias

Associação Paulista dos Criadores de Nelore (APCN), em parceria com a Casa do Nelore de Araçatuba, promove de 2 a 12 de julho, a Expoinel Paulista 2004. A competição regional é obrigatória para o Ranking Nacional 2003/2004 e acontece durante a 45ª Exposição Agropecuária de Araçatuba. A Exposição Estadual é válida para o Ranking Nacional e Estadual 2003/2004. A expectativa da APCN é reunir mais de 1.000 exemplares da raça Nelore, entre Padrão e Mocho, com a presença de mais de 200 expositores.

A

Durante a feira, serão realizados cerca de 10 leilões da raça, organizados pelo Pólo Nelorista de Araçatuba e Grupo Nelore Mocho Noroeste.

58 Nelore

Em abril, a diretoria da APCN e os presidentes dos nove núcleos de Nelore, existentes no Estado, estiveram reunidos em Avaré (SP) no 1º Encontro dos Núcleos Regionais dos Criadores de Nelore de São Paulo, onde foram discutidas questões de interesse comum e cada núcleo teve a oportunidade de expor as dificuldades financeiras e estruturais. O intuito da APCN foi buscar a integração entre os núcleos, visando regionalizar os trabalhos da entidade paulista na promoção de exposições, cursos, palestras e dias de campo. Até o final de 2004, serão marcados encontros nas demais regiões do Estado. Atualmente existem os seguintes núcleos paulistas: Avaré e Região, Região de Botucatu, Regiões do Vale do Paraíba e Campineira, Mogiana, Região de São José do Rio Preto, Ara��atuba, Sudoeste Paulista, Presidente Prudente e Centro-Oeste Paulista.

Ranking 2003/2004 - Resultados parciais pecuarista Angelus Cruz Figueira manteve a liderança do 11º Ranking Nacional 2003/2004 nas categorias Melhor Criador e Expositor do Nelore Padrão. No Nelore Mocho, Antonio José Junqueira Vilela assumiu a ponta da classificação. Os resultados foram contabilizados até 21 de maio. A pontuação parcial refere-se às exposições de Novo Horizonte, Nova Andradina, Cascavel, Teixeira de Freitas, Recife, Cerqueira César, São José do Rio Preto, Cuiabá, Toledo, Goiânia, Maceió, Bauru, Guararapes, Avaré, Ponta Porã, Passos, Santo Antonio da Platina, Campo Grande, Londrina, Barretos e Uberaba.

O

• NELORE PADRÃO Melhor Expositor / Pontos Angelus Cruz Figueira / 8.113 Antonio Villela Couto / 6.736 Jonas Barcellos Correa Filho / 6.057 Melhor Criador / Pontos Angelus Cruz Figueira / 8.451 Jonas Barcellos Correa Filho / 4.054 Comapi Ltda / 4.041 Melhor Fêmea Jovem / Pontos Cristal da Sabiá / 623 Jibelotte FIV da Comapi / 621 Bionda TE da Santa Nilza / 601 Melhor Fêmea Adulta / Pontos Página FIV Mata Velha / 920 Madame TE de Kubera / 872 Asteca FORT VR TE / 743 Melhor Macho Jovem / Pontos Boticário da Santa Nilza / 599 Urso TE CTJ / 525 Jordão FIV da Comapi / 495 Melhor Macho Adulto / Pontos Boston TE da ZEB VR / 807 Bruno TE da Santa Nilza / 682 Lennon TE Kubera / 641 Melhor Matriz / Pontos Jen Açucena / 2.298 Libra da CB/ 2.266 Tajayama MJ Sabiá / 2.110

Melhor Reprodutor / Pontos Bitelo da SS / 23.969 Panagpur AL da Paulicéia / 23.375 Big Ben da Santa Nice / 19.198 • NELORE MOCHO Melhor Expositor / Pontos Antonio José Junqueira Vilela / 5.027 Amauri Gouveia / 4.749 Li Teixeira de Rezende / 3.476 Melhor criador / Pontos Antonio José Junqueira Vilela / 5.270 Amauri Gouveia / 4.337 Paulo César de Oliveira Lima e Outros / 4.175 Melhor Fêmea Jovem / Pontos Jaila AJJ / 829 Delicatta ZB / 473 Dhevoção VT / 400 Melhor Fêmea Adulta / Pontos Iansa JCM / 997 Cereny / 651 Hamada TE do IF / 598 Melhor Macho Jovem / Pontos Habil TE da Valônia / 503 Chopp TE VT / 424 Congado da Alibu / 422 Melhor Macho Adulto / Pontos Crifor / 997 Patrocínio de CV / 632 Licitante da FM / 448 Melhor Matriz / Pontos Ganhadora da Cantui / 2.084 Tailla MJ do SAB / 1.396 Elegância da SMA / 1.371 Melhor Reprodutor / Pontos Dali TE da Quilombo / 8.900 Cajado 2I / 5.858 Fiel da FM / 3.783

Nelore 59


RANKING

RANKING

Exposições: Resultados parciais Entre os meses de março e maio, foram realizadas 11 exposições que já estão computadas no Ranking Nacional 2003/2004. Os eventos aconteceram em Ponta Porã, Passos, João Pessoa, Vitória, Santo Antonio da Platina, Campo Grande, Londrina, Jales, Barretos, Anápolis e Uberaba. As exposições de Salvador, Umuarama, Paranavaí, Campos, Brasília, Maringá e Tangará da Serra ainda não enviaram suas planilhas. Confira abaixo os resultados das exposições. 30ª EXPORÃ - PONTA PORÃ (MS) • NELORE PADRÃO Grande Campeão: Dadivo Expositor: Jatobá Agric. Pecuária Indústria S/A. Reservado Grande Campeão: Famoso TE GC da SL Expositor: Geraldo Carvalho Grande Campeã: Jabarakito Expositor: Marcos de Rezende Andrade Reservada Grande Campeã: Mel da Santa Nice Expositor: Quilombo Empreendimentos e Participações Ltda. • NELORE MOCHO Grande Campeão: Penta TE da SD Expositor: Li Teixeira de Rezende Reservado Grande Campeão: Reflexo M da SD Expositor: Li Teixeira de Rezende Grande Campeã: Essência M da SD Expositor: Li Teixeira de Rezende Reservada Grande Campeã: Paciência M da SD Expositor: Li Teixeira de Rezende 41ª EXPASS – EXPOSIÇÃO AGROPECUÁRIA DE PASSOS (MG) • Nelore Padrão Grande Campeão: Hock TE BM da FC Expositor: Benedito Mutran Filho Reservado Grande Campeão: Daksa da Integral Expositor: Integral Pecuária Ltda. Grande Campeã: Cristal do Sabiá Expositor: Fazenda do Sabiá Reservada Grande Campeã: Mogiana de Kubera Expositor: Angelus Cruz Figueira • NELORE MOCHO Grande Campeão: Rolex Cambira Expositor: Cambira Agropecuária Ltda. Reservado Grande Campeão: Glamour TE da Triângulo 60 Nelore

Expositor: Waldomiro Correa Grande Campeã: Calunia TE NK DB Expositor: Djalma Bezerra Reservada Grande Campeã: Garuva TE das Antas Expositor: Arnold Wald Filho PARAÍBA AGRONEGÓCIOS 2004 – JOÃO PESSOA (PB) • NELORE PADRÃO Grande Campeão: INRITI da TERLEY Expositor: Sílvio Márcio di Lorenzo M. Santos Reservado Grande Campeão: Lester TE do Recanto Expositor: Agropecuária Olival Tenório Grande Campeã: Esporate da EGR Expositor: Edval Gomes do Rego Reservada Grande Campeã: Hera II TE da Comapi Expositor: Agropecuária Olival Tenório • NELORE MOCHO Grande Campeão: Lobato do Recanto Expositor: Agropecuária Olivel Tenório Reservado Grande Campeão: Bourbon J FIR 19 Expositor: José Firmino dos Anjos Grande Campeã: Ocarina RF do RAFA Expositor: Eldorado Agropecuária Ltda. Reservada Grande Campeã: Saudita TE Cambira Expositor: Carlos B. P. Lyra Neto EXPOSIÇÃO DE VITÓRIA (ES) • NELORE PADRÃO Grande Campeão: Varedo TE FC Expositor: Aprígio Lopes Xavier Reservado Grande Campeão: Navio da Ventânia Expositor: Luís Adílson Bon Grande Campeã: UrsuIa TE FC Expositor: Aprígio Lopes Xavier Reservada Grande Campeã: Recambiada JE Coxim Expositor: Fazenda Nova Modelo Santa Edwirges EXPOSIÇÃO E FEIRA AGROPECUÁRIA E INDUSTRIAL DO NORTE PIONEIRO - SANTO ANTONIO DA PLATINA (PR) • NELORE PADRÃO Grande Campeão: deal KA Expositor: Katayama Alimentos Ltda. Reservado Grande Campeão: Sedutor AP Expositor: Milton Luiz Pires e Outros Grande Campeã: Jibelotte FIV Comapi

Expositor: Comapi Ltda. Reservada Grande Campeã: Tassia AP Expositor: Milton Luiz Pires e Outros • NELORE MOCHO Grande Campeão: Caboclo de Graças Expositor: Carlos dos Santos Pecci Reservado Grande Campeão: Chopp TE VT Expositor: Amauri Gouveia Grande Campeã: Gioconda das Antas Expositor: Serafim Meneghel Reservada Grande Campeã: Delicatta ZB Expositor: Amauri Gouveia EXPOSIÇÃO AGROPECUÁRIA DE CAMPO GRANDE (MS) • NELORE PADRÃO Grande Campeão: Boston TE da ZEB VR Expositor: José Carlos Prata Cunha Reservado Grande Campeão: Famoso TEGC da SL Expositor: Geraldo S. Carvalho Júnior Grande Campeã: Asteca Fort VR TE Expositor: José Carlos Prata Cunha Reservada Grande Campeã: Jabara KITO Expositor: Marcos Rezende Andrade • NELORE MOCHO Grande Campeão: Patrocínio de CV Expositor: Carlos Viacava Reservado Grande Campeão: FAI KAN GC da SL Expositor: Geraldo S. Carvalho Júnior Grande Campeã: Paciência M da SD Expositor: Li Teixeira de Rezende Reservada Grande Campeã: Dhamarite TE da INDY GR Expositor: Paulo César de Oliveira Lima e Outros 44ª EXPO LONDRINA (PR) • NELORE PADRÃO Grande Campeão: VIME CS Expositor: UNIMAR Reservado Grande Campeão: CHANDOM OP TE Expositor: Agropecuária Fazenda Cachoeira 2C Ltda. Grande Campeã: Jaraguá FIV da Comapi Expositor: HRO Empreendimentos e Agropecuária Ltda. Reservada Grande Campeã: Asteca FORT VR TE Expositor: José Carlos Prata Cunha • NELORE MOCHO Grande Campeão: Lucitante da FM Expositor: Luiz Carlos Marino Reservado Grande Campeão: Divino TE do Varrela Expositor: Paulo César de Oliveira Lima e Outros

Grande Campeã: Jaila AJJ RG Expositor: Antonio José Junqueira Vilela Reservada Grande Campeã: Isanga AJJ Expositor: Antonio José Junqueira Vilela 35ª FACIP – JALES (SP) • NELORE PADRÃO Grande Campeão: Malcon da J. Galera Expositor: Agropecuária Irmãos Galera Ltda. Reservado Grande Campeão: Nullkar da J. Galera Expositor: Agropecuária J. Galera Ltda. Grande Campeã: Maharash II TE J. Galera Expositor: Agropecuária Irmãos Galera Reservada Grande Campeã: Kalini I TE da J. Galera Expositor: Helder Henrique Galera 1º BARRETOS PECSHOW – BARRETOS (SP) • NELORE PADRÃO Grande Campeão: Orodoes da Integral Expositor: Integral Pecuária Ltda. Reservado Grande Campeão: Hebreu da Baoba Expositor: Paulo Miguel de Mesquita Grande Campeã: Bravarathi TE Expositor: José Odemir Paggiari Reservada Grande Campeã: Gallita do Bony Expositor: Ronaldo Bonifácio da Silva • NELORE MOCHO Grande Campeão: Olimpo TE Boticão Expositor: Flávio Augusto Cotrim Ferreira Reservado Grande Campeão: Outono TE Boticão Expositor: Flávio Augusto Cotrim Ferreira Grande Campeã: Isanga AJJ TE Expositor: Antonio José Junqueira Vilela Reservada Grande Campeã: Jaila AJJ Expositor: Antonio José Junqueira Vilela EXPOSIÇÃO AGROPECUÁRIA DE ANÁPOLIS (GO) • NELORE PADRÃO Grande Campeão: Bajere TE da Guaíra Expositor: Agropecuária Bovita Reservado Grande Campeão: Toque TE Baronesa Expositor: Virgílio César de Castro Grande Campeã: Fenida TE São Domingos Expositor: Agropecuária Bovita Reservada Grande Campeã: Haurora da Comapi Expositor: Agropecuária Bovita

Nelore 61


RANKING

RANKING

EXPOZEBU 2004 - UBERABA (MG) • NELORE PADRÃO Grande Campeão: Jeru FIV Expositor: Rubens de Andrade Carvalho Reservado Grande Campeão: Hock TE BM da FC Expositor: Benedito Mutran Filho Grande Campeã: Cristal da Sabiá Expositor: Fazenda do Sabiá Reservada Grande Campeã: Madame TE de Kubera Expositor: Angelus Cruz Figueira

• NELORE MOCHO Grande Campeão: Crifor Expositor: Agropecuária Comercial Conquista Reservado Grande Campeão: Olimpo TE da Boticão Expositor: Flávio Augusto Cotrim Ferreira Grande Campeã: Jaila AJJ Expositor: Antonio José Junqueira Vilela Reservada Grande Campeã: Enganada do Varrela Expositor: Varrela Pecuária Ltda.

22ª Exposição Agropecuária de Paraúna Local: Paraúna (GO) Início: 07/06/2004 Término: 13/06/2004 Informações: (62) 203-1314 27ª Exposição Agropecuária e Industrial de Três Lagoas Local: Três Lagoas (MS) Início: 11/06/2004 Término: 20/06/2004 Informações: (67) 342-1746

AGENDA – EXPOSIÇÕES RANQUEADAS – JUNHO/JULHO 2004 12ª EXPOSUL - Exposição Agropecuária de Chapadão do Sul Local: Chapadão do Sul (MS) Início: 02/06/2004 Término: 06/06/2004 Informações: (67) 342-1746 38ª FAPI - Ourinhos Local: Ourinhos (SP) Início: 03/06/2004 Término: 13/06/2004 Informações: (14) 3236-4239 16ª Exposição Agropecuária de Araguaína e 8ª Oficial Nelore Local: Araguaína (TO) Início: 03/06/2004 Término: 13/06/2004 Informações: (63) 411-5100 20º EXPONOP Local: Sinop (MT) Início: 04/06/2004 Término: 13/06/2004 Informações: (65) 624-0182 32ª Exposição Agropecuária de Gurupi Local: Gurupi (TO) Início: 04/06/2004 Término: 13/06/2004 Informações: (63) 316-1727

64 Nelore

Exposição Agropecuária e Industrial de Morrinhos Local: Morrinhos (GO) Início: 04/06/2004 Término: 13/06/2004 Informações: (62) 203-1314 37ª EXPOMARA Local: Maracaju (MS) Início: 05/06/2004 Término: 13/06/2004 Informações: (67) 342-1746 27ª Feira Regional de Santa Lúcia Local: Santa Lúcia (SP) Início: 05/06/2004 Término: 13/06/2004 Informações: (14) 3236-4239 Expovel 2004 Local: Porto Velho (RO) Início: 05/06/2004 Término: 13/06/2004 Informações: (69) 229-0352 2ª Expo Ranch Local: Rancharia (SP) Início: 05/06/2004 Término: 13/06/2004 Informações: (14) 3236-4239

5ª Exposição Estadual Agropecuária, Comercial e Industrial Local: Redenção (PA) Início: 12/06/2004 Término: 20/06/2004 Informações: (94) 424-1549 I ExpoNelore Local: Pará de Minas (SP) Início: 14/06/2004 Término: 20/06/2004 Informações: (31) 3261-5500 Feicorte 2004 Local: São Paulo (SP) Início: 15/06/2004 Término: 19/06/2004 Informações: (11) 3107-0972 18ª Exposição Agropecuária de Marabá Local: Marabá (PA) Início: 26/06/2004 Término: 04/07/2004 Informações: (94) 323-4646 30ª Exposição Agropecuária de Montes Claros Local: Montes Claros (MG) Início: 02/07/2004 Término: 11/07/2004 Informações: (31) 3371-4216 25ª EXPOJIPA Local: Ji-Paraná (RO) Início: 03/07/2004

Término: 11/07/2004 Informações: (69) 424-0124 Feira Agropecuária e Industrial de Dracena Local: Dracena (SP) Início: 03/07/2004 Término: 11/07/2004 Informações: (14) 3236-4239 31ª EACIC Local: São João da Boa Vista (SP) Início: 06/07/2004 Término: 12/07/2004 Informações: (14) 3236-4239 42ª EXPOPAR Local: Paranaíba (MS) Início: 07/07/2004 Término: 11/07/2004 Informações: (67) 668-1017 Festa Nacional do Carneiro no buraco e Feira Agropecuária Local: Campo Mourão (PR) Início: 09/07/2004 Término: 11/07/2004 Informações: (44) 562-1244 22ª Exposição Agropecuária de Rondon do Pará Local: Rondon do Pará (PA) Início: 11/07/2004 Término: 18/07/2004 Informações: (94) 326-1800 23ª Exposição Agropecuária Regional de Janaúba Local: Janaúba (MG) Início: 14/07/2004 Término: 18/07/2004 Informações: (31) 3371-4216 26ª Exposição Agropecuária Industrial e Comercial de Catalão Local: Catalão (GO) Início: 24/07/2004 Término: 01/08/2004 Informações: (62) 203-1314

Nelore 65


ASSOCIADOS

ASSOCIADOS

RM, uma marca de quem só pensa em crescer, mais e mais A vontade de aprender e a preferência pelo Nelore fazem desse novo associado um grande parceiro om um jeito simples, de quem nasce e vive no campo, Rodrigo Melhado, começou cedo no mundo da pecuária. Aos 14 anos, fazia os serviços de cocheira na Fazenda Arco Verde, em Presidente Venceslau (SP), de Ariel Gaiolli. A dedicação e a vontade de aprender fez com que não parasse por aí. Aprendeu a selecionar animais em leilões, a vender sêmen, e com Adilson Guima Abegão, ampliou seus conceitos sobre gado de corte, apartação, e muitos outros assuntos impor-tantes para quem vive na lida do boi.

C

na Fazenda Vó Júlia, de Alvino Francisco Abegão, em Caiuá, São Paulo. A parceria mais recente de Rodrigo foi com a Fazenda Areia Dourada (Campo Grande/MS), de Francisco José Mata Azenha. Ele terá direito a 50% da compra da bezerrada. Mas seu currículo é cheio de parcerias das quais se orgulha, como a apartação nas propriedades de Antônio Sacchi, em Aquidauana (MS) e Anástacio (MS), e de participantes do Circuito Boi Verde da ACNB.

ACNB

Rodrigo dá um “passeio” por outros negócios, como os Dono da marca RM, leilões. No remate da Rodrigo atualmente é Naviraí, em 2000, mediador de compra e intermediou a venda da venda de animais em fêmea “Criança da parceria com outros Dourada” de R$ 98 mil criadores. E não precisa para o Grupo Samelo. Já nem falar qual sua Rodrigo Melhado: certeza de bons resultados com o Nelore no Leilão Naviraí deste preferência, é o Nelore, ano, vendeu “Santista da claro. Prova disso é que Sofia” de R$ 259 mil para a Chácara Mata Velha na Expozebu deste ano tornou-se um associado e Fazenda Quilombo. Acreditando no trabalho da ACNB. da ACNB e na importância do Nelore, Rodrigo é um bom exemplo de que esforço dobrado e fé Hoje trabalha com gado PO e dá assistência no que faz trazem boa sorte. em algumas propriedades, como por exemplo,

66 Nelore

X X

NOVOS ASSOCIADOS – MARÇO E ABRIL

Delcinha Domingues Iglesias Manzano Propriedade: Fazendas Morumbi e Boa Esperança Local: Brasilândia (MS) e Três Lagoas (MS) Número de animais Nelore: 2.000 Tempo que é criador: 25 anos Telefone: (67) 546-1323 Tarlei Helvécio Alves Propriedade: Fazenda Caracol Local: Cumaru do Norte (PA) Número de animais Nelore: 4.500 Tempo que é criador: 7 anos Telefone: (94) 424-0266 E-mail: caracol@fazendacaracol.com.br Ildenteferson Ferreira Souto Propriedade: Fazendas Souto Local: Imperatriz (MA) e Santarém (PA) Número de animais Nelore: 16.000 Tempo que é criador: 39 anos Telefone: (99) 525-2820 E-mail: cnimad@ig.com.br Túlio Cesar de Oliveira Jr. Propriedade: Fazenda Japuíba

Local: Palmas (TO) Número de animais Nelore: 135 Tempo que é criador: 5 anos Telefone: (63) 215-8466 E-mail: tuliocef@hotmail.com Walter Castro Cunha Propriedade: Fazenda Santa Marta Local: Campos Floridos (MG) Número de animais Nelore: 5.000 Tempo que é criador: 60 anos Telefone: (34) 3332-9420 E-mail: agrocastro@mednet.com.br Cláudio Luis Correia de Freitas Propriedade: Fazendas Águia Dourada / J. Patrício Local: Porangatu (GO) / São Miguel do Araguaia (GO) Número de animais Nelore: 5.000 Tempo que é criador: 15 anos Telefone: (62) 3091-2600 Ismailde Gomes da Silva Propriedade: Fazenda Piracanjuba Local: Luziânia (GO)

Número de animais Nelore: 70 Tempo que é criador: 1 ano Telefone: (62) 224-9060 Miguel Azevedo Neto Propriedade: Fazenda Bons Amigos Local: Vetoca (MA) Número de animais Nelore: 2.500 Tempo que é criador: 15 anos Telefone: (91) 3711-2054 E-mail: mrveiculos@webcem.com.br Reinhardt Heydrich Jacinto da Silva Propriedade: Fazenda Vale dos Araras Local: São Félix do Araguaia (MT) Número de animais Nelore: 150 Tempo que é criador: 30 anos Telefone: (66) 468-3208 Valdo Nantes de Oliveira Propriedade: Fazenda Nossa Senhora Aparecida Local: Costa Marques (RO) Número de animais Nelore: 1.500 Tempo que é criador: 20 anos Telefone: (67) 361-8365

TAMBÉM FICARAM SÓCIOS DA ACNB Abner Caixeta Neto

Francisco Battestin Filho

Lúcio Clarete Rodrigues

Absair Inácio Ferreira

Gesse Sabino Leite

Luis Gomes Cabral

Acácio Cardoso

Gladys Barbosa Petereit

Marcos Helou

Alexandre Pellini

Hideraldo Caixeta de Paulo

Maria Isabel Perez Miori

Almir Pereira do Carmo

João Batista Haro de Almeida

Maria Rosangela França Nararete

Anderson Cariotto

João Carlos Aires Maranhão

Moacir Clarete Rodrigues

Antonio Bailão de Moraes

João Miguel da Silva

Natanael Cordeiro

Antonio Carlos Pires de Araujo

João Rodrigues Terra

Orlando Batista Vilela Filho

Aricel Comércio de Combustivel

José Alves Ferreira

Paulo Cesar Faria

Atílio Costa Araujo

José Carlos da Silva Porfirio

Pedro Américo Pires de Araújo

Bruno Abreu Leão

José de Oliveira Camargo

RGL Representações Ltda.

Carlos Otavio Assenco

José Dias da Silva

Rodrigo Alves Ferreira

Carvalho & Pinheiro

José Francisco Diamantino

Rodrigo de Paula Britto

Cesar Augusto Martinotto

José Humberto Coelho de Paula

Romildo Benzi

Cicero José Gomes

José Rodrigues Alves

Sérgio Francisco Longo

Deiferson Alves Quintanilha

Julio Cesar de O. Marques

Sheldo Luis Chicória

Eduardo Paiva Fagundes

Leo Caminhões e Auto

Sociedade Fomento Araguaia Ltda.

Egidio da Silva Abreu

Libero Fuchs

Teodoro Novick

Eros Carraro

Lincoln Wruck de Almeida

Thiago Coelho de Paula

Flávio Passos

Lúcio Alves Carvalho

Vetorial Siderurgia

Nelore 67


CULINÁRIA

Renda-se ao sabor da picanha recheada M

acia, suculenta e saborosa. Essa é a picanha. Eleita prato principal em churrascarias e churrascadas de final de semana, é tradicionalmente temperada apenas com sal grosso. Mas ela ganha sabor diferenciado nas mãos do empresário paulistano Carlos Gabriel, dono há cinco anos da Casa do Churrasqueiro.

não aconteceu por acaso. "Ela é muito bem aceita pelos consumidores. Muitos chegam ao estabelecimento dizendo que viram a propaganda da carne e querem provar. Eles saem satisfeitos aqui da Casa", ressalta Adriano, filho e sócio do empresário.

A casa é um mix de restaurante e loja. Serve deliciosos pratos preparados com a tenra carne Nelore Natural e oferece todo equipamento necessário para preparar um bom churrasco. A Casa do Churrasqueiro comercializa cerca de 5 toneladas de carne Nelore Natural, por mês. A escolha pelo produto

Carlos Gabriel também é autor do livro "O Sabor do Churrasco" (Editora Melhoramentos, 130 páginas). No livro, ele ensina como escolher as carnes, os cortes e os pontos de cozimento adequados para obter a maciez e a suculência desejadas. A receita que Gabriel nos trouxe ressalta o sabor da picanha com queijos, lingüiça ou legumes. Bom apetite!

Picanha recheada Ingredientes: 1 picanha Nelore Natural (sem pele) de aproximadamente 1,3 kg Recheio: Você pode escolher entre três opções para rechear a picanha. São elas: 250 g de queijos (provolone, gorgonzola e mussarela), 250 g de lingüiça toscana (sem pele) ou 250 g de legumes (cenoura, vagem e pimentão) Preparo: Com uma faca comprida, abra a parte de trás da picanha, tomando cuidado para não perfurar as bordas do produto, de forma que a picanha fique com o formato de um saco. Coloque o recheio escolhido dentro da picanha e a feche com um palito para que o recheio não vaze. Em seguida, polvilhe com sal grosso e enrole com papel celofane (próprio para assados) dando duas voltas. Coloque para assar na grelha em fogo alto a uma distância de 30 a 40cm do braseiro. Caso prefira, você pode assar a picanha no forno convencional, com temperatura máxima, durante 45 minutos.

68 Nelore


z+

PONTO DE VISTA

A carne brasileira conquista o mundo principalmente, cuidados especiais com as notícias infundadas disseminadas pelos nossos concorrentes.

Divulgação

Na semana passada, a União Européia sinalizou com a possibilidade de aumentar em 100 mil toneladas o volume de carne bovina que importa do Mercosul, sob a cota Hilton. As negociações ainda estão em fase de análise, mas os concorrentes, preocupados com a presença da carne brasileira em praticamente todos os países da Europa, criaram boatos e notícias maldosas contra o Brasil. A informação mais grave diz que o crescimento das exportações de carne brasileira está diretamente relacionada com o desmatamento - provocado pela pecuária - da Floresta Amazônica.

Criar a marca da carne brasileira é um dos objetivos da ABIEC

Brasil tor nou-se líder mundial na exportação de carne bovina em 2003. Ano passado, embarcamos 1,3 milhão de toneladas que geraram uma receita cambial de US$ 1,5 bilhão. Se as expectativas do setor se confirmarem, em 2004 o aumento das exportações deve girar em torno de 15%, consolidando assim, nossa liderança. Os números acima são reflexo da excelência que a cadeia produtiva da carne alcançou nos últimos cinco anos. Melhoramento genético, tecnologia de ponta nos frigoríficos, pesquisa avançada para melhorar a pastagem, são alguns ítens que contribuíram para a consolidação da carne brasileira no exterior, hoje presente em 104 países.

O

Para a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec) o próximo passo é criar a marca da carne brasileira nos mercados em que atuamos. Vamos deixar de vender commodities e passar a vender a excelência do nosso produto. Para isso é preciso muita estratégia promocional e,

70 Nelore

A notícia utiliza informações incompletas para confundir a opinião dos consumidores. A carne brasileira provém de propriedades das regiões Sul, Sudeste e Centro–Oeste do País. Atividades pecuárias na região da Amazônia são insignificantes ou apenas marginais e nada do que é produzido é destinado aos mercados internacionais. Como a bacia Amazônica ainda não foi declarada livre de febre aftosa, nenhuma carne produzida na região pode ser destinada à exportação. A notícia não se aprofunda em dados e, sem fundamento, serve apenas para ocultar o dinamismo de nossa indústria de carne bovina. Se forem confirmadas as expectativas de crescimento em torno de 15% nas exportações, em 2004, a carne brasileira terá conquistado, nos últimos três anos, uma fatia no mercado mundial equivalente a US$ 1 bilhão. Ocupamos o lugar de nossos concorrentes. Os exportadores sabem que o jogo no comércio mundial é, em muitos casos, desleal. Mas a excelência da cadeia produtiva da carne tem saído vencedora, mesmo quando os concorrentes lançam mão de golpes baixos, como no caso, citado acima, o suposto desmatamento da Floresta Amazônica. Marcus Vinicius Pratini de Moraes Presidente da Abiec Associação das Indústrias Exportadoras de Carnes.


NELORE - INFORMATIVO N.16