Page 1

Apresentação A revista Rastros chega a seu sexto número dando continuidade à divulgação de idéias sobre o campo da Comunicação. Com a perspectiva de contribuir para o debate acadêmico, a presente edição inclui em suas páginas cinco artigos enviados por colaboradores, um artigo de autor convidado, uma entrevista, duas resenhas e, inaugurando uma nova seção, um artigo de iniciação científica. Sintoma da multiplicidade de abordagens que compõem as áreas de investigação do campo comunicacional, os textos contemplam os variados interesses e objetos de pesquisa dos autores que colaboram com essa edição, balizados pelas linhas de pesquisa do NECOM – Núcleo de Estudos em Comunicação. Marcia Perencin Tondato apresenta um levantamento da temática Responsabilidade Social nos Projetos Experimentais do curso de Relações Públicas da Universidade Metodista de São Paulo, salientando o papel da academia na consolidação de um novo espaço de atuação dos futuros profissionais: o Terceiro Setor. Frederico de Mello Tavares discute os resultados de sua dissertação de mestrado defendida junto ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social da Universidade Federal de Minas Gerais, na qual investiga as representações fotojornalísticas da cidade de Belo Horizonte nos cadernos de Cidade dos principais jornais da capital mineira. “Que cidade é essa?”, interroga-se o pesquisador, movido pela curiosidade de visualizar, pelas lentes dos fotógrafos, as imagens que (des)constroem Belo Horizonte nas páginas dos jornais. Pedro Russi Duarte, doutorando do Programa de de Pós-Graduação em Comunicação Social da UNISINOS, elabora reflexões epistemológicas em torno do lugar do pesquisador envolvido com a questão da migração uruguaia no Brasil. Sendo ele próprio um migrante vindo do Uruguai, sua argumentação busca o enfrentamento de questões que lhe dizem respeito não apenas como pesquisador, mas como sujeito que vivencia as mesmas experiências daqueles a quem pesquisa. Rejane de Oliveira, também doutoranda da UNISINOS, igualmente desenvolve trabalho sobre migrantes, desta vez argentinos, e se questiona sobre o papel da mídia como articuladora de reconfigurações e negociações identitiárias. Maria Érica de Oliveira Lima, doutoranda da UMESP, e Jorge Pedro Sousa, professor e pesquisador da Universidade Fernando Pessoa, de Portugal, debatem o modo como periódicos do Brasil e de Portugal realizaram a cobertura da invasão a uma escola na Ossétia do Norte, na Rússia, no dia 1º de setembro de 2004. Por meio de análise quantitava do discurso, os autores apontam para a alteração dos processos rotineiros de produção da notícia gerada pelo trauma do acontecimento, o que conduziu à ampliação do leque de fontes consultadas durante a cobertura jornalística. Samuel Lima e Nilson Lage, autores convidados, discutem a aplicação da Teoria dos Jogos ao


estudo do crime organizado, que se constitui em pauta recorrente do jornalismo investigativo. O artigo de iniciação científica aqui incluído, de Carlos Henrique da Silva, bacharel em Comunicação Social, analisa as relações entre o som e a imagem na publicidade, centrando-se na categoria do tempo de edição, que garante o aspecto espetacular dos anúncios, e do tempo musical, caracterizado pelo uso do compasso simples, que facilita a compreensão da música. Na seção Entrevista, Silnei Soares e Pedro Russi conversam com a professora Lúcia Schneider Hart sobre o lugar da pesquisa nos processos de aprendizagem, a relação entre educação e comunicação social e a função do riso na academia. Para encerrar, Leonel Camasão e Djulia Justen, bolsistas do NECOM, resenham livros de Boaventura Sousa Santos e Jorge Duarte e Antônio Barros, respectivamente. Desejamos aos leitores um excelente diálogo com os autores presentes nesta edição da revista. Silnei Scharten Soares Pesquisador do NECOM

Rastros 06.01  

Apresentaçao