Issuu on Google+

ENTRE O DESPERTAR E O DESVELAR: CAMINHOS PARA A CONSTRUÇÃO DO FAZER PSICOPEDAGÓGICO Carvalho, N. D.1 - 1FANESE - Pós-graduação\psicopedagogia

http://all-free-download.com/free-vector/borboletas.html

1. O INÍCIO DE UMA CAMINHADA A CHAVE E de repente O resumo de tudo é uma chave. A chave de uma porta que não abre Para o interior desabitado No solo que inexiste Mas a chave existe. ....................................................... A porta principal, esta é que abre Sem fechadura e gesto. Abre para o imenso. Vai-me empurrando e revelando O que não sei de mim e está nos outros ...................................................... E aperto-a e de aperta-la, Ela se entranha em mim. Corre nas veias É dentro em nós que as coisas são , Ferro em brasa – O ferro de uma chave. Carlos Drummond de Andrade


Foi assim que tudo começou; a chave do poema de Carlos Drummond de Andrade, o início do módulo de Fundamentos da Psicopedagogia na primeira turma do curso de pós-graduação em Psicopedagogia da FANESE em Coronel João Sá /Bahia, contatos que se resumiram em dois encontros que denominei de : O ENCANTO DA PSICOPEDAGOGIA [3]. O Encanto da Psicopedagogia Psicopedagogia, que nome é esse? O que traz essa palavra que encanta e revela coisas que muitas vezes são desconhecidas de cada um que por ela se deixa envolver? Vejam quanta beleza ela nos trouxe, ela foi muita mais que uma chave ou porta, ela inclusive motiva o nosso desejo de buscar, de encontrar mais chaves e de abrir mais portas. Ela é caminho, horizonte, ensino-aprendizagem, ela é uma via de mão dupla, ela me proporcionou conhecer pessoas ímpares e deslumbrantes como cada um que aqui nessa sala de aula encontrei. Venho através desta não comunicar notas, conceitos ou observações sobre o processo de aprendizagem de cada um, venho me fazer presente para falar do meu processo de aprendizagem, venho não de corpo presente, mas de pura emoção passar um pouco do que senti e ainda sinto quando penso, falo e lembro de tudo que vivi no dois módulos que construímos juntos através de profundas e longas aprendizagens que ainda se constituem com algo que será cultivado por muito tempo, pois enquanto houver vida haverá laços que nos unem. Antes de agradecer a vocês por tudo que vivenciamos durante esse saboroso tempo, tenho que agradecer a DEUS por permitir que eu trilhasse o caminho que me trouxe a Coronel João Sá. Obrigada Senhor, obrigada Turma ( ouçam cada um o nome próprio). As oficinas que compartilhamos juntos no último encontro só me fez ter a certeza que o processo de ensinoaprendizagem é gratificante e estruturante para uma vida saudável e fértil para caminhos que nos levam ao crescimento. Com vocês o TANGRAM ganhou vida e criou asas para voar longe, onde a palavrachave é desenvolvimento, a partir de vocês o par educativo revelou, desvelou sentidos jamais escritos por VISCA em seu livro que traz toda a fundamentação desse material. Nós compartilhamos aprendizagens individuais e ensino-aprendizagens em grupo e mais uma vez digo: Para mim foi muito mais que letras, conceitos e fundamentos, foi a psicopedagogia como realmente ela é. (...) Um Grande beijo. Néclea Dantas de Carvalho Após o segundo módulo tive a certeza de que a chave foi lançada as portas diversas e variadas e que a cada um caberia abrir ao seu tempo e a seu modo, pois são essas portas que os farão seguir caminhos diferenciados , caminhos com trajetórias singulares, impares e desveladoras. O trabalho que comecei a realizar enquanto professora do curso de pós-graduação me levou a buscar respostas para o meu processo de aprendizagem, foi um movimento de ressignificar o que intitulei em uma das oficinas ministradas no 2 módulo: Aprender e Ensinar uma via de mão dupla; pois sempre acreditei no que Alicia Fernandez( 1991 ) [4] diz: “Para aprender, necessitam-se dois personagens( ensinante e aprendente) e um vínculo que se estabelece entre ambos.” (p. 47 ) e a turma de futuros


psicopedagogos, antes de mais nada é uma turma formada por ensinantes e aprendentes que a todo instante se questionavam sobre o que é a psicopedagogia e sobre como atuar, onde e por quê? Foram infinitos questionamentos que nos levaram a pensar o quanto é valioso esse vínculo que Alicia Fernandes diz se estabelecer entre os pares, pois é nele que se dá a aprendizagem como uma via de mão dupla onde ambos experimentam o prazer de se deliciar com o saber, e além de tudo um saber psiocpedagógico. 2. ENTRE O CONHECER E O REALIZAR: FIOS QUE TECEM O PROCESSO DE APRENDIZAGEM “ O conhecimeto é conhecimento do outro, quer dizer, pô-lo no lugar do professor ( que podem ser os paisou outras instâncias que vão ensinar) E conhecê-los como tal. Não aprendemos de qualquer um, aprendemos daquele a quem outorgamos confiança e direito de ensinar”( FERNÁNDEZ,1991,p.52 ) [5] As oficinas realizadas foram promotoras da ação vincular para a construção do conhecimento , vivenciadas e compartilhadas por todos que compõem a turma de psicopedagogia de Coronel João Sá. OFICINA: APRENDER E ENSINAR UMA VIA DE MÃO DUPLA . A oficina teve como objetivo oferecer diversos matérias para que os participantes pudessem construir a cena do par educativo[6]. Durante essa oficina foram produzidos trabalhos que falavam de suas próprias histórias de aprendizagem ,falou-se muito do papel da mulher enquanto professora e mãe, discutiu-se sobre os modelos de aprendizagem dando ênfase a importância da família nas histórias de vida e a construção de um aprendizado saudável pautado na funcionalidade e no lúdico. Foram diversas histórias que se encontraram em histórias intituladas: “A PSICOPEDAGOGIA E A CONSTRUÇÃO DA DIVERSIDADE” “ESCOLA DOS ABSUSDOS PRESTES A MUDAR” - “Sala de aula não é brincadeira” - “A professora em casa não tem tempo para brincar” “ESCOLA DE CORTE E COSTURA” - “A minha mãe é costureira, mas eu não sei costurar” “A ESCOLA DOS NOSSOS SONHOS” “APRENDER SEMPRE”


“APRENDIZAGEM LIVRE” “COMPARTILHANDO CONHECIMENTOS” “ETERNO APRENDIZAGEM” “A ESCOLA DO FUTURO” “A IMPORTÂNCIA DA ATRIBUIÇÃO DE PAPEIS” OFICINA: TANGRAM: A BELEZA DA VIDA A PARTIR DE UM QUEBRA – CABEÇA A oficina iniciou com a história do tangram que teve como objetivo trabalhar as várias fases do quebracabeça a partir de estratégias lúdicas onde se desse a impressão de um passeio de barco pelas belezas da natureza. -Fases que cada grupo experimentou: 

Desafio de construir as figuras;

Exploração do material;

Montagem do quadrado mágico;

Montagem de outras figuras a partir de modelos oferecidos;

Criar uma figura qualquer;

Escolher uma figura e montar a história;

Apresentação da montagem e da história Dentre as histórias que foram criadas surgiram árvore de natal, figura humana, barcos, animais, palhaço, velas , utensílios domésticos .No decorrer do processo de construção alguns desafios foram aparecendo e entre eles os mais frequentes foram:

Desafio de construir as figuras;

Desafio de construir a história;

Desafio de posicionar as figuras no lado colorido;

Dificuldade de escutar;

Dificuldade de trabalhar em silêncio. Várias histórias foram criadas , muitas idéias e sonhos foram projetados em cada linha e um desses sonhos falava de um barquinho no meio do oceanos, assim como nós, na imensidão do saber: Um barquinho no meio do oceano


( M.S.; B.M.;C.P.;D.M..) Certo dia um menininho triste e solitário, escreveu num papel amarelo todos os seus sonhos de menino, ele sonhava em conhecer o mundo e desvendar seus mistérios, então após escrever o papelzinho amarelo os seus belos sonhos, construiu um barquinho,(...),e lançou seu barquinho na praia(...), o menino ficou na pequena ilha onde morava...E o barquinho se foi, o menino ficou a olhar, os olhos radiantes de emoção, a olhar o barquinho no meio do oceano, mas o menino ainda não sabia, ele já conhecia um dos maiores mistérios do mundo : O de lançar os sonhos no infinito da vida. (...). OFICINA: CAMINHOS A ultima oficina teve como objetivo promover um espaço de reflexão através de textos como: O caminho do bezerro e a frigideira[7], onde os participantes pudessem analisar a importância da caminhada Psicopedagógica, exercitando o olhar, a escuta, elaborando o seu entendimento a partir dos seus próprios caminhos. Nessa oficina, além dos textos utilizados, foram realizados dramatizações e debates acerca do trabalho desenvolvido. 3. IMAGENS DE UM APRENDIZADO O trabalho com a turma de Coronel João Sá foi desvelando imagens de um aprendizado cheio de interrogações que contrapunha com o desejo de acertar o fazer psicopedagógico, foi revelando imagens de realizações por estarem cursando a pós-graduação em Psicopedagogia. Foram imagens que marcaram o meu aprendizado e certamente me fizeram recordar certo dia que escrevia uma poesia intitulado APRENDIDAGEM. APRENDIZAGEM [8] (Néclea Dantas de Carvalho – 12/06/2002) Aprendizagem é amor Aprendizagem é paixão Aprendizagem é ressignificação Aprendizagem é emoção Aprendizagem é nebulosidade Aprendizagem é dedicação Aprendizagem é importante Aprendizagem é zelo Aprendizagem é amanhecer Aprendizagem é gesto Aprendizagem é evolução


Aprendizagem é movimento Aprendizagem é infinitamente vida e harmonia Deslumbramento e descoberta Frustração e coração Como defini-la em apenas uma palavra? Como senti-la sem emoção? Sem a força de uma paixão? Numa infinita sensação? Oh, coração como aprender os prazeres da profissão? Como Saber? Essa é a hora? Que hora maldita, que hora tão esperada O que fazer? Não se preocupe o caminho estar por dizer. [1] Trabalho realizado a partir dos módulos ministrados no curso de Pós-graduação em Psicopedagogia da FANESE/SE em Coronel João Sá /BA. A turma é composta de 35 alunos, profissionais que atuam como professores do ensino fundamental na rede municipal de Coronel João Sá/BA e Carira/SE, alguns são comerciantes local e um é funcionário dos Correios. Em sua grande maioria com formação base o magistério superior. [2] Professora do curso de Pós-graduação em Psicopedagogia das instituições: FANESE, Faculdade São Luis e Universidade Tiradentes. Psicopedagoga e professora da 1.Série do ensino fundamental da rede pública de ensino da Prefeitura Municipal Nossa Senhora do Socorro/SE. [3] Carta endereçada aos alunos do curso de Psicopedagogia, escrita após o término do módulo de Psicopedagogia Institucional ministrado pela professora Néclea Dantas de Carvalho. [4] Fernández, Alicia. Inteligência Aprisionada: Abordagem psicopedagógica clínica da criança e sua família.Porto Alegre. Artes Médicas,2001, p.47 [5] Ibidem, p. 52 [6] Foi solicitado que cada grupo construísse uma cena onde aparecesse a figura de ensinante e uma figura do aprendente. [7] Esses textos são parte do livro MILITÃO, A. & R. S.O.S. Dinâmica de grupo. RJ: Qulitymark ed. ,1999. [8] Poesia escrita no período de conclusão do estágio Clínico de Néclea Dantas de Carvalho durante o curso de Psicopedagogia sobre a orientação de Elisa Pitombo e Auredite Cardoso.


Entre o despertar e o desvelar