Issuu on Google+

Director: Joaquim Santos • Propriedade: INFORLETRA - Edição e Publicação de Jornais, Lda. Autorização nº DE01622007MPC

Mensário Informativo da Freguesia de Colmeias Rua Central, nº 3606 - Eira Velha 2420-205 Colmeias Telefone/Fax: 244 721 747 geral@noticiasdecolmeias.com www.noticiasdecolmeias.com

Edição nº 100 de 6 Abril de 2008 • Ano VIII • 1,50 Euros

Edição 100: os testemunhos

Quisemos ouvir algumas vozes de personalidades e da população em geral sobre o que foi o jornal durante estes mais de oito anos de actividade. página 5 a 9

Peregrinação: Colmeias em Fátima

Sobe a orientação do nosso Pároco, Rev. Pe. João Feliciano, a nossa Paróquia peregrinou para o Santuário de Fátima. Página 13

Em Colmeias: Assembleia Municipal

Colmeias acolheu um acontecimento inédito na sua história política. O corpo da Assembleia Municipal de Leiria reuniu na sede da Junta de Freguesia de Colmeias pela primeira vez, trazendo à terra uma amostra democrática de descentralização. Página 15

Entrevista: Paulo Coelho

Natural de Moçambique, Paulo Coelho tem 34 anos e há catorze anos que vive em Leiria. Casado e pai de uma filha com 7 anos, é director de programas da Central FM. Página 10 e 11

o ã ç i ed


2 notíciasdecolmeias | 6 de Abril de 2008

www.noticiasdecolmeias.com

Joaquim Santos joaquimsantos@noticiasdecolmeias.com

Número 100 da história

S

urgimos com um novo design gráfico que esperamos seja do agrado dos milhares de leitores do NOTÍCIAS DE COLMEIAS

que desejavam recolher informações sobre a nossa terra, entre outras personalidades que conheceram a fundo o nosso projecto jornalístico em Colmeias. Ao longo deste tempo conhecemos dificuldades mas também materializámos sonhos, trabalhámos e fizemos história, formámos e informámos. Muitos dos colaboradores deste periódico tornaram-se mais Homens desde que escolheram o mensário de Colmeias como um dos pólos aglutinadores das suas colaborações cívicas. Esse facto honra-nos veemente e é inegável. Encontraram no jornal a forma de poderem colaborar como jornalistas mas também encontraram aqui algumas das saídas

profissionais e ampliadas experiências da vida social. Neste momento marcante da história do mensário Colmeense surgimos com um novo design gráfico que esperamos seja do agrado dos milhares de leitores do NOTÍCIAS DE COLMEIAS. Com mais esta meta cumprida, apraz-me registar que apresentámos muita história de Colmeias mas também nos inserimos nela. Ou seja, narramos a história de uma comunidade de muitos séculos mas também nos incluímos em muitos dos importantes momentos, orgulhosamente registados nestes mais de oito anos de jornalismo. Um obrigado a todos…

Ilustrações Vítor Ferreira

Internet www.noticiasdecolmeias.com

Fotolitos Renner Infografia - Leiria

Fotografia Aires Portela

Email geral@noticiasdecolmeias.com

Impressão Quilate - Albergaria dos Doze

Design Gráfico pauloadriano.com | criacionario.pt

Apoio Informático Gilberto Santos

Edição Electrónica Paulo Mendes

Redacção e Administração Rua Central, nº 3606 Eira Velha - 2420-205 Colmeias tel. / fax 244 721 747

Propriedade/Editor Inforletra - Rua das Bouças, 12 Valongo - 2420-225 Colmeias

Nº de Registo Pessoa Colectiva: 504 655 191

Detentores de mais de 10% de capital Joaquim Manuel Alves dos Santos, Cristina Isabel Oliveira A. Santos

Depósito Legal: 144032/99

DR

O mensário informativo NOTÍCIAS DE COLMEIAS assinala neste mês de Abril a edição nº 100. Embora tenha havido o jornal número zero que nos remete a centésima edição para o nº 99, não quisemos deixar em claro este número tão significativo que aparece na capa do nosso periódico: 100. Este marco histórico do jornal de Colmeias retrata oito anos e quatro meses de um serviço da comunicação social no concelho de Leiria, cumpridos com muitas histórias durante todo o seu percurso. Muitas pessoas passaram por esta casa. Leitores, alunos de vários estabelecimentos de ensino, empresários, personalidades públicas, peregrinos, cidadãos

ficha técnica Director: Joaquim Santos (Carteira Profissional nº 7731) Apoio Editorial Clara Silva Redacção Patrícia Pascoal José Carlos Cecília Cardoso Sandra Duarte Revisão Alice Dionísio, Teresa Morgado

Departamento Comercial Patrícia Santos

Nº de Registo Título: 123431 Tiragem: 1.550 exemplares


3

notíciasdecolmeias | 6 de Abril de 2008

Em jeito de explicação para o novo grafismo do Notícias da Colmeias...

A imagem comunica quem somos A afirmação recorrente de que uma imagem vale por mil palavras, significa muito mais do que aquilo que geralmente lhe atribuímos. Hoje, mais do que nunca, a imagem é um factor decisivo nas escolhas pessoais. As nossas decisões são, na maior parte das vezes, fundamentadas, mesmo que inconscientemente, na aparência que têm os nossos interlocutores, sejam eles objectos ou pessoas: temos tendência para aprovar ou reprovar uma pessoa “à primeira vista”. No primeiro contacto com qualquer objecto, o processo de aprovação/reprovação situa-se ao nível do sentido da visão. Gostamos das “coisas belas” e das “pessoas bonitas”. Rudolf Arnheim, na sua obra Visual Thinking, chega a afirmar que não parece existir nenhum processo de pensar que, pelo menos no início, não dependa da percepção; a percepção visual é pensamento visual. Nas relações comerciais, esta premissa tem bastante importância. O que nos leva a optar por determinada marca é, em primeiro lugar, a imagem que temos dela ou que alguém nos fez passar. Não é de estranhar, portanto, que se dê tanta importância à chamada “logomarca” ou “logótipo”. Um logótipo, uma vez assumido como a imagem identificadora de um grupo, autonomiza-se e passa a existir materialmente como se fosse, também ele, portador de um corpo. Assim encorpado e incorporado, o logótipo existirá, a partir daí, como um ser, nomeado, é certo, mas com uma existência relativamente autónoma. No estudo de um logótipo, a execução de esquissos fornece objectos de observação que, em sucessivas etapas representam ideias que criam realidades e que permitem pensar visualmente. Dos esquissos nascem sentidos pos-

síveis, ligações virtuais, onde imagem e pensamento se confundem. Os primeiros pensamentos visuais procuraram estabelecer relações entre o olhar e o ver, entre o pensar, o sentir e o fazer. Uma marca estabelece laços emotivos. As pessoas apaixonam-se pelas marcas, confiam nelas. Boas marcas constroem grandes empresas. A identidade da marca é a sua expressão visual e verbal. Ela representa, sintetiza e sustenta um empreendimento ou um produto. É a forma mais curta e rápida de comunicação disponível. Começa pelo

nome, e depois transforma-se numa poderosa ferramenta de comunicação, em aplicações multidisciplinares. A identidade da marca aumenta o reconhecimento e deve ser uma expressão autêntica da organização, da sua visão, objectivos, valores e personalidade. O desenho e as mensagens devem reflectir o que a empresa é e o que ela se quer tornar.

Um jornal com marca Ao aceitarmos redesenhar o Notícias de Colmeias (NC) na sua centésima edição, constatámos estar diante de um produto já com uma marca implantada na região com provas dadas em diversos níveis. Seria, portanto, uma tarefa dificultada pelo risco de poder deitar por terra o que a imagem anterior tinha construído. Nesse sentido, o nosso trabalho haveria de passar por uma actua-

lização do NC às linhas mais modernas a fim de não criar o desgaste que é provocado pelas variações das tendências.

Redesenhar o logótipo A primeira fase foi a reconstrução do logótipo. Aproveitámos as linhas do anterior, limámos as arestas e arredondámos os motivos. A simbologia permaneceu por transmitir de forma imediata a óbvia ligação à localidade a que se refere: Colmeias. Feito o desenho, “aquecemos” um pouco a cor, optando por uma cor quente e moderna.

O “lettering” da marca submeteuse à mesma lógica de mudança: poucas arestas, simplicidade suave e, simultaneamente, robustez a marcar uma presença forte e assertiva.

Letras no sítio certo Se desenhar um logótipo é um processo autónomo que requer uma dose de criatividade à qual não pode faltar o bom gosto que depende de muitos factores e circunstâncias do momento, já o criar o desenho/aspecto de todo um jornal carece de uma muito bem ponderada conjugação de factores. Aqui, a escolha da letra tem um peso muito importante. Do nosso ponto de vista, o mais importante, já que tem de ser simultaneamente “agradável à vista” e, portanto, actual, e leiturável (termo criado da palavra inglesa readability, que resumi-

damente significa facilidade de leitura). Ou seja, deve facilitar ao leitor a sua tarefa: ler. Explicando mais tecnicamente: a leiturabilidade refere-se ao aspecto geral de como o tipo de letra é composto numa coluna de texto. Tem em conta factores como o corpo, a entrelinha, a largura da linha, etc. A leiturabilidade é, no fundo, uma espécie de legibilidade. Enquanto a legibilidade propriamente dita, diz respeito a cada letra em particular, a leiturabilidade, por outro lado, refere-se a um grupo de letras, sendo, por assim dizer, a legibilidade do texto corrido.

Para o NC escolhemos utilizar dois tipos de letra: um serifado e outro não serifado. O critério de uso dos dois tipos escolhidos - e que o leitor pode confirmar percorrendo as páginas que se seguem - tem a ver com os próprios conteúdos. Salvo excepções, o texto não serifado será usado em conteúdos informativos, ao passo que as serifas serão uma constante de textos opinativos. Outro aspecto que achamos importante num jornal são as zonas brancas, isto é, aqueles espaços que não contém nem gráficos/imagens, nem conteúdo de texto. Embora possam parecer espaço desperdiçado, elas são bastante importantes por diversas razões: ajudam o leitor a descansar e a direccionar o seu olhar no sentido da lógica textual e confere ao jornal a leveza necessária para ajudar a criar empatia com o leitor. Boa leitura!


4 notíciasdecolmeias | 6 de Abril de 2008

www.noticiasdecolmeias.com

Nº 100 das memórias Da ideia à prática e depois a consolidação de um projecto jornalístico em Colmeias. Podemos resumir que os três passos referidos atrás estão cumpridos. O nº 100 do jornal Colmeense aí está, a provar que cresceu, consolidou os propósitos que se submeteu, atingindo os seus objectivos. O mensário NOTÍCIAS DE COLMEIAS durante estes mais de oito anos de actividade jornalística ininterrupta, foi mais que um jornal. Ao longo destas edições foram feitas exposições culturais com várias temáticas, realizaram-se espectáculos, promoveramse sensibilizações ambientais e educacionais junto de alunos, estabeleceram-se protocolos com estabelecimentos de ensino, editaram-se livros, houve participação com bastante êxito em concursos de jornalismo de âmbito nacional, ensinou-se jornalismo aos colaboradores e alguns estagiários e garantiu-se o acesso à informação na freguesia de Colmeias e além fronteiras. Na primeira linha do NOTÍCIAS DE COLMEIAS esteve sempre a informação. Investigámos junto de muitos emissores e narrámos histórias de outrora e também da actualidade. As descobertas jornalísticas foram muitas. Um número expressivo de leitores é coleccionador de todas as edições do mensário de Colmeias e são eles próprios que quando visitam a sede do jornal afirmam que quando desfolham todos os números, contemplam uma panóplia de informação que se perpetuará na história local. Não fosse o mensário de Colmeias e grande parte

da informação produzida nestes últimos oito anos seria irremediavelmente perdida. Quisemos ouvir algumas vozes de personalidades e da população em geral sobre o que foi o jornal durante estes mais de oito anos de actividade. Apresentamos a seguir, de consciência tranquila, algumas opiniões que expressam o sentimento sobre o NOTÍCIAS DE COLMEIAS.

Cem números! Sem desfalecimentos! O “Notícias das Colmeias” é uma construção notável, de muito querer, de muito esforço e de muita vontade de informar os que estão na terra e de chegar aos que estão fora! É obra! Chegar ao patamar que já chegou, com o reconhecimento da qualidade e do extraordinário número de exemplares por tiragem, é muito! Mas assim, vale a pena! Estão de parabéns os Colmeenses porque sem eles o jornal não existiria. Porque é, antes do mais,

feito para eles porque são eles que o querem. Está de parabéns a equipa de trabalho e em especial o director, porque vêem na continuidade, neste longo tempo de publicação, o reconhecimento do seu trabalho. Estamos todos de parabéns, porque sabemos mais e melhor das Colmeias, do que foi ontem, do que é hoje e do que será amanhã. Também assim se faz História!

Acácio Sousa Director do Arquivo Distrital de Leiria

DR

Um número com simbolismo especial


5

notíciasdecolmeias | 6 de Abril de 2008

100 edições de um mensário

O poder da informação em Colmeias O jornal “Notícias de Colmeias” comemora, neste mês de Abril, cem edições de existência! E, por analogia, tal como acontece com qualquer outra coisa, o número cem, conduz a uma meditação, a um balanço, acerca do caminho percorrido. O regozijo que esta data invoca, faz com que focalizemos a nossa atenção na conquista dos degraus, até aqui, alcançados; mas, também, numa série de considerações, as quais julgo, fundamentais, para uma melhor contextualização desta efeméride. Vivemos hoje, sem sombra de dúvida, numa sociedade dominada pelo poder da informação. Este facto prende-se, sobretudo, com o enorme desenvolvimento tecnológico, produzido pelo século XX, aliado a uma nova cultura de saberes. A centralidade que a informação conquistou, influi directamente sobre o comportamento humano, quer seja a nível social, político, económico ou cultural.

lações interpessoais. Associada a esta democratização, existe uma acentuada melhoria da qualidade de vida. Pois, com base numa informação mais abrangente, e através dos diversos meios ao seu dispor, os cidadãos podem denunciar injustiças e reivindicar medidas que levem à resolução de diferentes problemas sociais. É certo que, com a transformação que a passagem de átomos para bits trouxe, as tecnologias da informação e da comunicação geraram uma multiplicidade de novas ofertas — privilegiando a interactividade e, por conseguinte, remetendo para o global —, muitas vezes, em detrimento de meios seculares. No entanto, é perfeitamente possível conciliar a modernidade dos meios agora disponíveis, com hábitos há muito enraizados na sociedade. Neste contexto, a imprensa escrita, nomeadamente a produção de jornais em formato de papel (actualmente, a par com a sua digitalização na Internet), continua a ter um lugar de destaque junto das comunidades e dos cidadãos em geral. Reflecte um universo

ro lugar, do modo totalizante e largamente divulgado, conferido aos sinais e às regras da escrita e da comunicação. É isso que, independentemente do estatuto social e cognitivo de qualquer cidadão, faz um jornal ser tão acessível. Todavia, o conceito de universal, no que respeita aos jornais, passa, igualmente, pela sua implementação a nível local, regional e nacional — difundidos, com maior ou menor sucesso — à escala mundial. Numa altura em que se exigem reflexões éticas — sobre a ciência e a técnica, a padronização das relações humanas, a perda de identidade, associada aos valores étnicos, patrimoniais, históricos, culturais e religiosos — os jornais, particularmente os regionais, desempenham uma função essencial, na promoção e na afirmação de muitos dos usos e costumes, das localidades onde se inserem. O mensário “Notícias de Colmeias” não é excepção. Desde há cerca de oito anos que, fazendo uso da palavra livre e democrática, são várias as pessoas a, nas suas páginas, poderem expressar-se, relativamente aos mais variados assuntos. Fruto do desejo voluntarioso do Joa-

para uma série de características secundárias (mas, não menos indispensáveis). Mensalmente, os leitores são confrontados com artigos que explanam acerca das carências e das valias da sua região. Tomam conhecimento de assuntos relacionados com áreas tão distintas como são a política, a saúde, a economia, a justiça e a cultura, nas suas variadas expressões: a etnografia, o folclore, exposições temáticas, concertos, música, dança e a divulgação de obras literárias. Durante as cem edições do “Notícias de Colmeias”, o compromisso com a isenção e com a verdade (frequentemente paradigmática) levou, por vezes, ao confronto de ideias, gerando alguma emotividade. Houve alguma discordância e contrariedades. Em contrapartida, também se colheram simpatias e se cimentaram amizades. Brotaram ondas de solidariedade. Correram lágrimas. Despertaram-se sorrisos. Descobriram-se ou redescobriram-se os locais, as histórias e as pessoas. O sagrado e profano deram as mãos na religião e na fé. A História, as lendas, o artesanato e as tradições ganharam vida. O suor dos rostos trouxe o orgulho no trabalho e nos hábitos

Indício da, cada vez mais ampla, democratização da sociedade — com o respeito pelas liberdades individuais e a crescente intervenção dos cidadãos na tomada de decisões, envolvendo uma notável mudança nos actos de cidadania — está a própria democratização da informação — na forma dos inúmeros canais capazes de veicular essa mesma informação e, também, nos seus conteúdos. Tal pluralidade de conceitos, ideias e recursos, traduz-se numa maior interconectividade entre os cidadãos e as instituições, num menor sincronismo dos hábitos implantados e, ainda, numa decrescente formalidade nas re-

de práticas ancestrais ligadas à leitura, à escrita e à informação, enquanto força transformadora das nações e das massas. Não se pode olvidar a importância que, ao longo dos anos, a imprensa escrita tem tido: na política (na defesa os ideais democráticos), na justiça, saúde e educação (no esclarecimento dos cidadãos), na economia (com peso no sector económico) e na cultura (através de vários escritores e intelectuais). É, por isso, um elemento socialmente relevante, tanto nas nações tecnologicamente evoluídas, quanto nas nações periféricas. Essa universalidade advém, em primei-

quim Santos, e do prestimoso apoio de todos aqueles que com ele têm colaborado, este mensário renasceu com o intuito de possibilitar, não só aos residentes na freguesia de Colmeias, mas, também àqueles que se encontram espalhados por outros continentes, o encontro com as suas raízes. É, por isso, que a centésima edição do “Notícias de Colmeias” leva a uma breve reflexão acerca do seu percurso e dos seus objectivos fundamentais. A prestação de um serviço de utilidade pública, com rigor e imparcialidade, na informação às populações e o seu enriquecimento cultural, são a base sustentável

de Colmeias. A voz das gentes saiu do anonimato e chegou a diversos sítios de Portugal e do estrangeiro. Este mensário tem sido, portanto, um veículo de promoção, por excelência. Enquanto jornais como este continuarem a sua cruzada em prol da verdade, da informação, da difusão de valores e de pessoas, jamais o espectro da globalização, suplantará a identidade cultural própria de cada povo. Que o “Notícias de Colmeias” possa continuar a ser um preciso testemunho do presente e do passado, a marcar os trilhos do futuro!

Lurdes Breda Escritora


6 notíciasdecolmeias | 6 de Abril de 2008

www.noticiasdecolmeias.com

centésima testemunhos Mensagem do Vereador da Cultura da Câmara Municipal de Leiria para a 100ª edição do “Notícias de Colmeias” Vítor Lourenço Vereador da Cultura

Colmeias possui uma identidade local própria que se impõe pelas inúmeras iniciativas de índole cultural e recreativa que tem organizado, representando o mensário “Notícias de Colmeias” um importante contributo para a divulgação e afirmação desta comunidade. O “Notícias de Colmeias” tem apostado num jornalismo de investigação, que tem vindo a revelar-se um projecto sólido, fruto de muito trabalho e empenho de uma equipa jovem e dinâmica que demonstra apego às suas raízes, enaltecendo esta freguesia. Ao longo das 99 edições, este órgão de comunicação da imprensa regional leiriense retratou um conjunto de importantes iniciativas, com destaque para as exposições “Descobrir Colmeias”, “Religião e Colmeias”, “Reencontro com a História”, “Era Jurássica” e “Economia Local”, entre outras, para além de inúmeros suplementos sobre diversas temáticas, que contaram como o apoio da Câmara Municipal de Leiria. Este conjunto de realizações constitui um incentivo para uma estratégia de desenvolvimento de Colmeias, potenciando a auto-estima, o orgulho na sua História e a capacidade no presente para desbravar o futuro.

Manuel Vindeirinho Eira Velha

Embora tenha vivido fora da freguesia de Colmeias porque estive em França durante 40 anos e regressei há pouco tempo, considero que o NOTÍCIAS DE COLMEIAS é um jornal importante para a freguesia. Esta edição 100 é um sinal de crescimento, maturidade e de que os Colmeenses o devem olhar com respeito. Um jornal que divulga a informação da actualidade mas também a história. E tudo o que faz parte da antiguidade é importante.

Fátima Sismeiro Presidente da Junta de Freguesia de Colmeias

Por ocasião da publicação do nº 100 do Notícias de Colmeias é-me solicitada uma palavra acerca deste mensário da freguesia. Ao Notícias de Colmeias cabe a função de manter acesa a discussão pública sobre os eventos e factos que ocorrem na freguesia. Tem também vindo a dedicar um espaço à cultura e, pontualmente, à espiritualidade religiosa, bem como alguns artigos de opinião. Infelizmente, a opinião pública, hoje, forma-se no afastamento do cidadão do “fórum” do pensamento acerca dos assuntos públicos, ficando reduzido à situação de mero espectador, à situação de simples consumidor a quem são fornecidas e administradas opiniões e que pode, quando muito, escolher uma de entre as muitas que lhe são oferecidas (Zippellius) – ficando o ouvinte ou o leitor de forma modesta e cómoda limitado à adesão a uma das orientações expostas. Um bom jornal deve procurar elevar os seus destinatários ao digno papel de interlocutor, não o deixando ficar no de simples consumidor nem o convertendo em objecto de influências mais chegadas às suas tendências

e emoções. Como Colmeense e Presidente de Junta, penso que o Notícias de Colmeias tem vindo a fazer um importante esforço nesse sentido. Uma sã opinião pública, é importante para quem exerce cargos públicos – permite-lhe sentir o pulsar dos cidadãos, pedindo-se a todos, que saibam cultivar um atento discernimento de modo a amadurecer uma sadia capacidade de crítica o Notícias de que se deve estribar Colmeias é sempre no conhetambém um cimento e no exercitar do espírito crímensário tico que, em verdaacarinhado deira democracia, pelas gentes nada tem que ver de Colmeias, com o “dizer mal maxime, por sim” do opinar sem conhecer, do as que se caluniar, tudo semencontram pre sob o falso prelonge da sua texto do tão aclaterra. mado “direito de crítica”, assim o desvirtuando e subvertendo de modo grosseiro. Mas o Notícias de Colmeias é também um mensário acarinhado pelas gentes de Colmeias, maxime, as que

se encontram longe da sua terra. Por banda da Junta de Freguesia, aliando a informação útil dos Colmeeses ao apoio a este importante órgão de informação da “nossa aldeia”, optou-se pela publicação regular e onerosa de informação existente, que de outro modo, ficaria desconhecida dos cidadãos, no que o presente mensário tem um importante contributo. O seu desenvolvimento ao serviço do bem da comunidade é uma responsabilidade de todos e de cada um. Os laços que possa ter com a economia, a política, a cultura, a religião devem ser geridos de forma a salvaguardar a dignidade da pessoa, o primado da família e a relação correcta entre os vários sujeitos. Que o jornal contribua também para a formação apropriada dos jovens no uso responsável e crítico das tecnologias. Fomente o diálogo e não alimente injustiças e conflitos, tendo sempre presente que os direitos dos outros criam limites intrínsecos à expressão das opiniões pessoais, criando-se uma opinião pública informada e capaz de discernimento. Tal é o sentido e a vocação do nosso “Notícias”.

Destaque e envie este cupão, juntamente com o cheque de pagamento NOME MORADA CONTACTO

Tornar-se assinante ou... renovar a sua assinatura

PORTUGAL 17.50 Euros

EUROPA 30.00 Euros

RESTO DO MUNDO 45.00 Euros


7

notíciasdecolmeias | 6 de Abril de 2008

O Grupo Lagoa felicita o NOTÍCIAS DE COLMEIAS pelo serviço de comunicação social de grande valor para a comunidade Colmeense. O mensário centenário no número das suas publicações ganhou respeito e admiração no panorama do distrito de Leiria. A toda a equipa, ao seu Director, felicitamos pelos inúmeros êxitos e defesa dos valores da terra que o acolheu: Colmeias.

Foto: Miguel Saavedra

Roussa - Pombal


8 notíciasdecolmeias | 6 de Abril de 2008

www.noticiasdecolmeias.com

ce n tésima Um abraço alargado Mensagem da Srª Presidente da Câmara Municipal de Leiria para a 100ª edição do “Notícias de Colmeias” Na sociedade global, uma das grandes tendências na área dos media é o crescimento da importância da imprensa local, enquanto veículo de desenvolvimento de uma determinada região, nas suas diversas vertentes. Nesta sociedade da informação, torna-se imperioso que os media sejam regidos por princípios éticos com destaque para o rigor e para a imparcialidade. Neste âmbito, o mensário “Notícias de Colmeias”, ao longo das suas 99 edições, partilhou com os seus lei-

Artur Santos Parabéns, à coragem e persistência... É com estas palavras, que eu quero engrandecer, todas as pessoas que têm conseguido, edição após edição, alcançar o magnifico nº100. É de exaltar, a coragem para continuar, quando muitos nos criticam de forma negativa, esquecendo-se de enaltecer, a positiva... É de louvar, a persistência de continuar, quando a nossa mente nos diz para parar... Parabéns Joaquim e à tua equipa,

tores histórias, reportagens e acontecimentos culturais, participando na afirmação da comunidade onde se insere, ao mesmo tempo que tem vindo a contribuir para a criação de uma identidade local própria. Felicito o “Notícias de Colmeias” pela sua centésima edição e faço votos para que continue a ser um projecto sólido, fruto do trabalho e do empenho de uma equipa dedicada e profissional. A Presidente da Câmara

Isabel Damasceno Campos

pelo que têm feito pela nossa Freguesia, estando certo de que, com estas 100 edições, levaste muito mais longe, a nossa riquíssima história, as nossas tradições, a nossa cultura, o nosso desporto, as nossas alegrias e tristezas, e muitas coisas mais... Endereço aqui pessoalmente, o desejo de que continues a fazer muitas mais edições centenárias, e cada vez mais, tenhas a coragem de falar de tudo o de bom e de menos bom, que esta Freguesia possa ter. É esta a coragem, que faz com que determinados rumos e ciclos se modifiquem, levando-nos ao enriquecimento da obra e do homem... Bem hajas!...

balho com estas características. Como mentor de uma luta semelhante, conheço O 100 é um número bem as dificuldades e os redondo, próprio para faobstáculos que lhe estão zer balanços, olhar o pasassociados, o esforço nesado, medir o futuro. Mas cessário para cumprir mentambém próprio para fazer salmente a sua missão, que festa. Tudo e todos os que nem sempre é compreendiMas estão da e acarinhada como esmarcam a história e o seu tempo têm direito a uma de parabéns, peramos. E se regista sucescomemoração. É o caso do sobretudo, os so, como é o caso, deve-se Notícias de Colmeias. à entrega de quem a dirige, seus leitores e os muitas vezes com prejuízo Não é ainda um centecolmeenses em pessoal e uma grande dose nário, mas 100 edições ininterruptas significam já muito geral, porque de “amor à camisola”. na vida de um jornal men- puderam contar, Mas estão de parabéns, sal. Muito de trabalho duro, sobretudo, os seus leitores ao longo destas tempo investido, recursos e os colmeenses em geral, 100 publicações, porque puderam contar, consumidos e, sobretudo, com o retrato ao longo destas 100 publide dedicação persistente à causa da informação local, noticioso da cações, com o retrato noda promoção cultural e da sua vida social, ticioso da sua vida social, investigação histórica e sodesportiva e cultural, com desportiva e um contributo inestimável cial de uma comunidade. cultural, com para a divulgação da sua Tudo isto se encerra no proum contributo riqueza histórica e cultujecto que, há quase 9 anos, o Notícias de Colmeias abra- inestimável para ral, aquém e além fronteiçou e desde então tem assua divulgação ras, e com milhares de pámido com evidente notorieginas de diversificada leituda sua riqueza ra. Será esse o melhor condade. histórica e tributo de um jornal para o Estão de parabéns aqueles que lhe têm dado corpo, cultural desenvolvimento de uma redactores, cronistas, colapopulação, em informaboradores, anunciantes e, ção, divertimento e formade modo especial o seu função. dador e director, o jornalista Joaquim Ao Notícias de Colmeias, num Santos, que é um dos exemplos de abraço alargado a todos estes interveempreendedorismo e de capacidade nientes, deixo o voto de que não lhe de trabalho que caracterizam obrigafaltem as forças e a vontade para as toriamente quem se dedica a um trapróximas 100 edições. Luís Miguel Ferraz

Director do Jornal da Golpilheira

Cláudio Jesus Administrador-delegado da SIMLIS

Pedro Faria Presidente da NERLEI

Na era da informação digital a comunicação social escrita continua a ter um papel importante na difusão alargada e democrática da informação. Neste contexto, a imprensa regional, e dentro desta a local, assumem um papel primordial, já que muitas vezes são o único meio de comunicação a que parte da população tem acesso e também o único que veicula determinado tipo de informações que, por dizerem respeito a um pequeno número de

pessoas e a um espaço geográfico reduzido, não têm lugar nos meios de comunicação social nacionais. A valor da imprensa local está na proximidade das populações, na divulgação do que é diferenciador das localidades, no dar a conhecer pessoas e entidades que desenvolvem trabalhos muito meritórios em prol da sociedade e do País, no dar voz às contestações e reivindicações de populações que de outra forma cairiam no esquecimento. O Notícias de Colmeias tem sido nos últimos oito anos e nos 100 números, que nesta edição assinala, um exemplo daquilo que considero dever ser o papel da imprensa local. Assim continue por muitos anos e edições.

Não me é possível falar do Jornal NOTÍCIAS DE COLMEIAS sem começar por me referir ao seu Director – Joaquim Santos. Se esta é a 100ª Edição da sua existência enquanto jornal regional, muito se deve (para não dizer quase tudo…) ao labor, empenho, saber e enorme capacidade de trabalho do meu amigo Joaquim Santos. Na verdade, desde a idealização do projecto NOTÍCIAS DE COLMEIAS, passando pela sua materialização prática, até à construção da grande maioria dos trabalhos jornalísticos que foram sendo produ-

zidos mensalmente (alguns mesmo dignos de jornalismo de investigação) ao longo dos últimos 99 meses tudo passou pelas mãos e cabeça do seu Director. O maior reconhecimento que lhe posso fazer é o de estar grato por existir, pelo projecto e também pela forma como os leitores, não só de Colmeias, como também de muitas outras freguesias vizinhas, reconhecem a qualidade do trabalho desenvolvido até à data. Por tudo isso, longa vida ao NOTÍCIAS DE COLMEIAS e os meus sinceros parabéns ao seu Director e demais colaboradores.


9

notíciasdecolmeias | 6 de Abril de 2008

testemunhos Carlos Fernandes Chefe de redacção do “Jornal das Cortes”

34 anos volvidos sobre a Revolu��ão de Abril, o país atingiu um dos seus mais baixos índices de desencanto perante o presente e o futuro. Com um milhão de desempregados (há muitos mais do que os 800 mil oficiais!) e uma economia de rastos, com a saúde, a justiça e o ensino de pantanas, o cidadão comum pergunta-se cada vez mais se vale a pena lutar, sobretudo porque tem consciência de que o poder, nos seus mais diversos níveis, foi assaltado por arrivistas e incompetentes cujo principal objectivo é encher-se, a si e aos compadres, esbulhando o contribuinte com impostos sobre impostos e retirando-lhe cada vez mais serviços essenciais. Perante este cenário negro, sente-se a nível local uma demissão cada vez maior pelo exercício da cidadania, desde a intervenção nos mais elementares actos da vida quotidiana à participação nos mais complexos como integrar autarquias, associações e empresas. Mas é justamente este um dos objectivos dos que actualmente dispõem do poder: desmotivar o cidadão, isolá-lo, fragilizá-lo e, finalmente, aniquilá-lo. Quanto mais apatia houver por parte dos cidadãos, mais os po-

deres instituídos insinuam as suas garras! É aqui que a imprensa regional tem um papel absolutamente insubstituível: desmascarando as artimanhas dos poderes, denunciando as injustiças, alertando para as incompetências, informando sobre deveres, direitos e garantias, congregando vontades para a prossecução de objectivos, enfim, estimulando a cidadania, a participação, a intervenção e chamando os cidadãos a serem senhores da sua terra, do seu destino e do seu futuro. Contra ventos e marés, e em especial contra o impulso indomável do poder central para acabar com as vozes livres dos jornais regionais, o “Notícias de Colmeias” (e outros mensários da região e do país), com o seu director, Joaquim Santos, e a sua equipa, tem-se esforçado por continuar vivo e actuante no seio da comunidade Colmeense, dando exemplo de persistência e, sobretudo, não fazendo o jogo tão ardilosamente instilado pelo poder que é calar-nos, vencidos pela desilusão e pelo desencanto. As 100 edições deste mensário, publicadas nos últimos oito anos, aí estão para o provar, como exemplo e estímulo para os seus leitores e cidadãos em geral, como exemplo e estímulo para os seus congéneres da região e do país. Ad multos annos, “Notícias de Colmeias”!

GRUPO MARTTOS

DR

O exemplo e o estímulo de 100 edições

CANOCALOR

Aquecimento Central, Lda. climatização ar condicionado canalizações aspiração central energia solar instalações de redes de gás com técnico credenciado

Telefone 244 722 581 • Telemóvel 917 570 466/7 Valongo • 2420-225 Colmeias • Leiria


10 notíciasdecolmeias | 6 de Abril de 2008

gentes e saberes

www.noticiasdecolmeias.com

Paulo Coelho

Director de programas da Central FM

Clara Silva clarasilva@noticiasdecolmeias.com

Natural de Moçambique, Paulo Coelho completa 35 anos em Abril e há catorze anos que vive em Leiria. Casado e pai de uma filha com 7 anos, é director de programas da Central FM há quase uma década. A ascendência deste comunicador fixa-se em Alcanede, concelho de Santarém, mas os seus primeiros tempos de vida conduzem-nos até África, de onde veio como tantos outros após a Revolução de 25 de Abril de 1974. As recordações são ténues porque regressou com dois anos, mas as suficientes para ainda hoje, Paulo Coelho alimentar uma curiosidade especial: voltar a pisar solo moçambicano. Viveu uma infância feliz em Alcanede, onde pôde desfrutar de zonas

aprazíveis, situadas bem perto do Castelo de Alcanede, localidade que ainda hoje elege para se refugiar no descanso e visitar os seus pais sempre que a sua disponibilidade o permite. Foi em Alcanede que iniciou os estudos, primeiro a escola primária e depois a tele-escola, indo seguidamente viver para Santarém, cidade onde os seus pais entretanto trabalhavam e também viviam e que Paulo Coelho acabou por adoptar até aos 18 anos de idade. Enquanto frequentou o ensino secundário, paralelamente jogou futebol até ao escalão de juniores, tendo somado alguns feitos muito interessantes neste percurso, de onde se contam várias convocatórias à selecção distrital de Santarém e ainda duas à Selecção Nacional! Mas uma lesão algo teimosa de tratar e algumas decisões de um treinador que não foram aceites fizeram com que Paulo Coelho se arredasse definitivamente do mundo do futebol. Persiste, contudo, o sentimento de que se tal se passasse nos dias de hoje, poderia o desfecho não ser exactamente o mesmo. Mas se o futebol era uma paixão na vida deste comunicador e se é verdade que para esquecer um amor, nada melhor que encontrar um outro amor, tal não podia ser mais acertado no caso de Paulo Coelho! Esse “namoro” com a Rádio foi iniciado em casa, em Alcanede, numa altura em que proliferavam as rádios piratas, em 1985/1986. Recorda que um amigo seu, Jorge Gaspar, não sossegou enquanto não fez uma espécie de emissor e construiu uma mesa de mistura, que não era mais do que uma garrafa de água oxigenada com dois ou três botões ligada a um gira-discos… e funcionava! Essa rádio foi baptizada com o nome Rádio Castelo e só dava mesmo em Alcanede. A emissão só ocorria quando alguém estava presente, ou seja, nas férias de Verão e aos fins-de-semana. O seu conteúdo baseava-se essencialmente em música e algumas galhofadas para atrair namoradas! Interromper músicas, falar pelo nariz, discos riscados, agulhas a precisar da reforma, cassetes com a fita a en-


11

DR

notíciasdecolmeias | 6 de Abril de 2008

rolar… tudo podia acontecer. Há vinte anos era assim! Tempos que ainda hoje parecem mágicos e que deixam muitas saudades a Paulo Coelho, que se confronta diariamente com a enorme diferença provocada por uma evolução sem igual ocorrida nos últimos anos, mudança que faz com que hoje em dia, tudo se processe de maneira diferente no mundo radiofónico e com um grau de complexidade elevado. Depois dessa fase animada, Paulo Coelho esteve alguns anos sem fazer rádio, embora sempre que podia, gostava de se fazer passar por locutor. Ligava a rádio, baixava o volume e lá falava ele para o seu auditório, que mais não era que os seus pais e alguns amigos pacientes! A brincar a brincar, lá foram os mais próximos convencendo Paulo Coelho de que tinha vocação para a arte de comunicar. A colaboração do seu irmão na RDP Santarém também foi um empurrão importante, dado que lhe proporcionou maior contacto com um estúdio profissional e com uma equipa de colaboradores profissionais. Foi nesse espaço que gravou os seus programas experimentais, a publicidade, as notícias. Uma vez mais, pouco a pouco, a brincar a brincar, Paulo Coelho se foi co-

meçando a mover cada vez melhor na área, adquirindo experiências que se revelaram de extrema importância para a sua carreira profissional. Este profissional da comunicação não concorda que se diga que as novas tecnologias vieram tornar a rádio e o locutor mais impessoais para com o ouvinte. É verdade que o computador dá uma grande ajuda, mas ele apenas executa as ordens que se lhe derem. Afirma que consegue controlar perfeitamente uma emissão de quatro

Rua S. Luís, Lote 11 Esc. B Vale Mocho 2410-276 Leiria Tel./Fax 244 821 724 distorcao.projectos@gmail.com

horas por dia como antigamente, estando lá em directo, independentemente se as pessoas gostam ou não. Adianta ainda que felizmente trabalha numa rádio que lhe dá essa oportunidade, de ser ele próprio a comandar as operações no momento. Como diz “na Central FM as máquinas são os computadores… não são os locutores”. Paulo Coelho enaltece a liderança da Central FM. Sob a batuta de Emília

Pinto, esta “rádio não precisa de provar mais nada a ninguém e não é só pelas galas, é pela linha que mantém há vinte e cinco anos, não passa por altos e baixos como outras estações”. Num país com mais de 300 rádios, Paulo Coelho sente-se na Central FM como peixe na água, com a liberdade necessária para desempenhar o seu trabalho com afinco e dedicação. Paulo Coelho, ou um comunicador apaixonado!

PROJECTOS CONSTRUÇÃO


12 notíciasdecolmeias | 6 de Abril de 2008

www.noticiasdecolmeias.com

cartas

ao director

Exmo. Sr. Director do Jornal Noticias de Colmeias:

dar onde fosse possível e as minhas capacidades me concedessem. Esclareço no entanto que, não estou na disposição de andar com guerrilhas politicas e querelas pessoais com ninguém. A minha única pretensão, essa sempre foi, ajudar a fazer algo de melhor por esta freguesia, com a união de esforços de todos em especial, daqueles a quem o direito lhe assiste. Pois enganei-me, são essas as pessoas que me têm criado as maiores das dificuldades e entraves, tendo sido sempre, os que menos podem, e, os mais humildes, a disponibilizar a sua ajuda. Não compreendo tal situação. Já por natureza, difícil de executar e gerir determina-

Após ponderar, não consegui conter-me e invoco o direito de resposta, ao esclarecimento dado pela Srª. Presidente da Junta, Dr.ª Fátima Sismeiro, no dia 2 de Março de 2008, a um pequeno excerto da minha entrevista. Na sequência, peço-lhe o favor que publique o seguinte: Que conhecimento tem, a Sr.ª Presidente da Junta sobre o documento em questão, para se pronunciar que este se encontrava “ferido de ilegalidade”? Por que a razão, a Sr.ª Presidente da Junta, tendo esse conhecimento, nunca acedeu agendar uma reunião, que por diversas vezes lhe foi solicitada, durante um período de dois anos, através de faxes e cartas registadas, as quais devem também constar no “arquivo da secretaria”? Sendo a Sr.ª Presidente da Junta, formada em Direito, contra o meu modesto 7ºano unificado, por que motivo nunca verificou na acta, que a cedência do respectivo espaço, foi aprovado na assembleia extraordinária do dia 15 de Fevereiro de 2003? E, diga-se, foi agendada de propósito para esse fim, estando só por decidir, daí a ilegalidade, um número a atribuir ao espaço, designado por campo de jogos de S. Miguel, para assim se poder registar a favor desta instituição. Foi por esta razão, que o anterior Presidente da Junta Sr.º Luís Pinto, me informou,

estando este esclarecimento transcrito no documento que lhe enviei e que a Sr.ª Presidente da Junta, teve a amabilidade de transcrever parte, para a sua nota de esclarecimento “expressis verbis” “de haver a necessidade de, haver um loteamento para se proceder à cedência do espaço por nós solicitado”. Já agora, pretendo esclarecer que, também no mesmo documento que lhe enviei, se encontra escrito o seguinte e que passo a transcrever na íntegra: “Com todo o respeito pelas instituições desta Freguesia, verifiquei que foi feita a cedência de um espaço para a construção no mesmo número de artigo onde se situa o campo de Jogos, no entanto sobre a nossa situação nada feito”. Quero com isto dizer, nesta freguesia existem dois pesos e duas medidas, que quem sofre com as consequências, são sempre os interesses comuns, derivado a interesses pessoais ou partidários, que são colocados em primazia aos direitos públicos. Saiba mais uma vez a Sr.ª Presidente da Junta de Freguesia de Colmeias, que a única coisa que eu pretendia para esta Freguesia, por sinal onde resido e sempre residi, era aju-

das obras, depois, ainda ter que suplicar e mendigar, junto das pessoas que deveriam simplificar. Saiba a Sr.ª Presidente, que não tenho nada a perder, ao contrário desta Freguesia e que, garantidamente saio a ganhar, inclusive a minha família, as minhas empresas e os meus amigos. Não tenho que provar nada a ninguém, ao contrário, possivelmente de V.Exa. e de muitos outros como a Senhora, que proliferam nesta Freguesia. Tenho a minha vida própria, conquistei-a com muita dignidade, suor e trabalho... Para mim, chega... Cidadão desta Freguesia Artur Santos

José Manuel da Conceição Solipa 14.08.1949 - 12.04.2007

Missas 1º Aniversário A família participa a celebração da missa de 1º aniversário do seu falecimento, no dia 12 de Abril, pelas 18h00, na igreja paroquial de Colmeias, agradecendo a presença de todos os que se queiram associar. No dia 18 de Abril, os amigos da empresa Rações Veríssimo, vão recordar José Solipa, com missa na igreja paroquial de Colmeias, pelas 20h30.

FARMÁCIA VALENTE Horário de Atendimento: 9h00 - 13h00 e 14h00 - 20h00 Direcção e Propriedade: Dr. Rui Paulo Galo Vareda Telefone 244-722354 Rua da Plastiguel Eira Velha 2410-805 Colmeias

Marcenaria do Lis, Lda. Rua do Gamoal, 100 • Estrada da Bouça 2420-206 Colmeias - Leiria Telefone • Fax 244 721 507

importação - exportação venda a grosso e retalho Chãs Regueira de Pontes Leiria Tel. 244 840 736 Telm. 917 850 103 Fax 244 861 930

P O L I C LÍNICA DA M EMÓRIA CLÍNICA GERAL: Dr. Nuno Campos DERMATOLOGIA: Dr. Carlos Marques OFTALMOLOGIA: Drª MAria de Lurdes Oliveira ESTOMATOLOGIA, IMPLANTES e TRATAMENTOS ORTODÔNCIOS: Dr. Orlando Martins Drª. Sandra Cabral Dr. Cristina Pinto Gomes GINECOLOGIA/OBSTETRICIA: Dr. Gonçalo Ramos

NEUROLOGIA: Dr.Alfredo Sá ORTOPEDIA: Dr. Rui Gameiro OTORRINO: Dr. Luís Filipe UROLOGIA: Dr. João Crisóstomo MEDICINA DESPORTIVA: Dr. Nuno Campos PROTESES DENTÁRIAS: Dr. Jorge Correia PSICOLOGIA CLÍNICA: Drª Patrícia Gaspar ACUPUNTURA: Drª Lourença Vieira NUTRIÇÃO E DIETÉTICA: Drª Ana Marcelino ANÁLISES CLÍNICAS

Av. 11 de Julho, 650 B - 2420-227 MEMÓRIA Para Informações ou Marcação de Consultas telefone 236 931 392


13

notíciasdecolmeias | 6 de Abril de 2008

Na 77ª. Peregrinação Diocesana Celso Santos

DR

COLMEIAS PEREGRINOU PARA FÁTIMA Sob a orientação do nosso Pároco, Rev. Pe. João Feliciano, a nossa Paróquia peregrinou para o Santuário de Fátima. Esta peregrinação aconteceu no passado Domingo 09/03/2008 e, para alguns colmeenses ela começou às três horas da madrugada desse Domingo. De facto, um grupo de valentes, na companhia do nosso Pároco, partiu a essa hora, a pé, do fundo da escadaria da Igreja Matriz, rumando à Cova da Iria, e lá chegaram com algumas chuvadas pelo caminho. Foi um lindo testemunho do nosso Pároco, fazendo-nos ver que a melhor peregrinação é caminhar, e se possível a pé, para quem pode, naturalmente. Já lá vão então setenta e sete anos que a nossa Diocese, de Leiria-Fátima, se faz peregrina do Altar do Mundo. E deste já tão longo tempo de peregrinações, à terra dos pastorinhos, os colmeenses se têm feito, sem interrupção, a esse caminho. (No passado eram grandes os ranchos que partiam desta Paróquia, a pé, ao encontro de Nossa Senhora de Fátima, nos dias de hoje, já são poucos os que vão a pé). Chegados ao Santuário, toda a mul-

tidão se concentrou junto à Igreja da Santíssima Trindade, também lá se encontravam bastantes colmeenses, seguiu-se a entrada nessa espectacular Igreja, onde o Nosso Bispo, D. António Marto, fez uma lindíssima e sentida explicação da Transfiguração de Nosso Senhor Jesus Cristo, no Monte Tabor, fazendo-nos sentir que só transfigurados podemos entender o Ressuscitado. Depois todos os peregrinos se encaminharam para a Capelinha das Aparições, onde foi rezado o Rosário. Com todas as Bandeiras enfileiradas, representando todas a comunidades paroquiais da Diocese de Leiria-Fátima, iniciou-se a procissão na direcção do Altar do recinto, continuavam-se a ver bastantes rostos de colmeenses, de todos os lugares da Paróquia. Na procissão iam as bandeiras representando os três centros de Culto das Colmeias: Bandeira da Eira Velha, de um lado a Imagem de São Miguel, do outro a Imagem do Sagrado Coração de Jesus. Esta foi transportada por, António Lagoa, Amália e Idalina. A bandeira da Igreja Velha, que de um lado tem a imagem de Nossa Senhora da Piedade e do outro, a imagem do Sagrado Cora-

ção de Maria, foi transportada por José Luís, Virgílio Pimenta e Adelino Sobreiro. A bandeira do Barracão, que de um lado tem a imagem de São João Baptista, e do outro, a imagem de Nossa Senhora de Fátima, foi transportada por Casimiro Sequeira, Valdemar Mendes e Arminda Freire. Depois iniciou-se a Eucaristia, decorrendo a mesma com grande atitude espiritual por parte de todo o povo presente. Da homilia do nosso Bispo ressalta esta frase: “despertai para a Vida, minhas queridas comunidades paroquiais, despertai para o Amor… só assim podereis viver uma vida espiritual de qualidade”. Eram 15 horas quando começou a Oratória das Aparições, na Basílica da Santíssima Trindade, com milhares de assistentes; um coro com centenas de cantores acompanhados por uma excelente orquestra, autêntica representação das Aparições de Fátima. No fim, D. António Marto deu a palavra final, dizendo: “terminamos a nossa peregrinação como se costuma dizer, com a cereja em cima do bolo”. Foi de verdade um momento sublime que encantou todos os que lá fizeram questão de estar a essa hora.

Serviço de Imuno-Hemoterapia dos Hospitais da Universidade de Coimbra

Uma equipa dos Hospitais da Universidade de Coimbra (H.U.C.), esteve no dia 10 de Março, durante toda a manhã, na Escola Básica Integrada de Colmeias a conversar com os 69 alunos do 9.º ano de escolaridade sobre a importância do sangue, aquele elemento insubstituível, que ninguém conseguiu ainda fabricar e sem o qual ninguém pode viver! Foram relembradas as funções de cada constituinte sanguíneo, quem pode e quem não pode dar sangue e medula óssea, como se faz e em que consiste uma transfusão. Tudo com um importante objectivo: sensibilizar es-

DR

A importância do sangue na escola de Colmeias tes jovens de 14 e 15 anos para a importância da doação voluntária de sangue e de medula. Depois de muitas curiosidades satisfeitas e de uns tantos conhecimentos já discutidos nas aulas de Ciências Naturais mais consolidados, aconteceu o mais divertido: a parte prática . Quem quis pôde manusear os kits de recolha de sangue , que estes técnicos de saúde trouxeram consigo, e a grande maioria dos alunos presentes fizeram o teste para saberem/ confirmarem o seu grupo sanguíneo . Ainda foram alertados para as incompatibilidades (e cuidados a ter) quando da mistura de tipos de

sangue diferentes e, em particular, nas mulheres grávidas , com sangue do tipo Rh- e/ou 0, quando o pai da criança é, respectivamente, Rh+ e /ou A ou B. Este foi o sexto debate do “Ciclo de Debates sobre Educação para a Saúde” que tem vindo a ser promovido desde o início deste ano lectivo , para a comunidade escolar desta escola do ensino básico, sendo mais um meio de promoção de hábitos de vida saudáveis e de uma geração de cidadãos melhor informados; fomentando ainda a articulação entre a escola, a comunidade extra-escolar e certas realidades profissionais.


14 notíciasdecolmeias | 6 de Abril de 2008

www.noticiasdecolmeias.com

Sede Rua Nª Senhora das Dores, 71-A, loja D Apartado 3083 2410-656 Boa Vista LRA Telefone: 244 723 440/469 Fax: 244 723 688 ms-seguros@mail.telepac.pt Delegação Rua Principal, 141 2400-852 Bidoeira de Cima Telefone: 244 721 233 FAx: 244 724 018

www.ms-seguros.pt

Av. Dr. Francisco Sá Carneiro, 394 - 4º C • 2415-376 Leiria Tel 244 814 926 • Fax 244 828 270 • Tlm 966 088 438


15

notíciasdecolmeias | 6 de Abril de 2008

Primeira Assembleia Municipal em Colmeias

Joaquim Santos No dia 28 de Fevereiro de 2008, Colmeias acolheu um acontecimento inédito na sua história política. O corpo da Assembleia Municipal de Leiria reuniu na sede da Junta de Freguesia de Colmeias pela primeira vez, trazendo à terra uma amostra democrática da descentralização. Fora do âmbito dos trabalhos desta Assembleia, estava preparada para a tarde daquele dia, uma visita dos deputados e Presidentes de Junta do concelho, aos principais pontos da extensa freguesia de Colmeias, identificando elementos chave da comunidade mas também os aspectos menos positivos de uma terra de séculos de história. Depois do passeio turístico e do lanche, o Colmeense Manuel de Jesus Antunes (Presidente da Assembleia Municipal), de forma emocionada, deu início à sessão de trabalhos da reunião ordinária que contemplou cinco pontos para discussão e aprovação. Manuel Antunes alterou a ordem de trabalhos com a concordância dos deputados e restantes membros da Assembleia, passando para primeiro lugar o ponto nº 5 “contratoprograma e de gestão entre o Município de Leiria e a Leirisport, EM para apreciação, discussão e votação, em virtude do médico cardiologista Manuel Antune ter de se ausentar para uma intervenção cirúrgica de carácter urgente. Este ponto surge porque a Câmara Municipal de Leiria sentiu a necessidade de ajustar os procedimentos relativos ao contrato-programa e de gestão com a Leirisport. Antes da deliberação deste ponto, sobre a Leirisport teceram-se inúmeros comentários numa reunião ordinária que tocou em pontos delicados e sensíveis da vida política concelhia. Luís Pinto do PS, referiu que “fazia sentido repensarmos politicamente o futuro dessa empresa municipal”. Vitorino Pereira do Bloco de Esquerda, colo-

DR

Reunião “sui generis”

cou em causa a legitimidade da construção do estádio pela Construtora do Lena porque a mesma empresa teria ficado em 4º lugar no concurso. Domingos Carvalho do CDS-PP afirmou peremptoriamente que “transformar o empréstimo existente em longo prazo era mais que óbvio”. O deputado referiu-se a Paulo Rabaça, ex-vereador da Câmara Municipal de Leiria, questionando “as suas ligações à Construtora do Lena”. João Cunha do PSD, reflectindo essencialmente sobre a proposta do ponto 5 da ordem do dia, assumiu a sua posição favorável ao documento sujeito à votação porque “os instrumentos que aqui estão em causa para serem aprovados são os mais adequados para corresponder às necessidades da Leirisport”. O deputado José Manuel Silva sugeriu que no “âmbito desta Assembleia Municipal em Colmeias se crie uma comissão de acompanhamento e que a mesma avalie se justificará a existência da empresa Leirisport”- De seguida, colocou na reunião ordinária uma moção para a criação da dita comissão de acompanhamento da

Leirisport, sendo aprovada por maioria com 49 votos a favor e três abstenções. O sensível ponto 5 da reunião ordinária viria a ser aprovado por maioria, com 27 votos a favor, 23 abstenções e 2 contra. Depois da deliberação deste ponto 5, Manuel Antunes deixa a sessão e Fátima Sismeiro, Presidente da Junta de Freguesia de Colmeias, a anfitriã da Assembleia Municipal, passa a assumir o cargo da presidência daquele órgão legislativo do concelho de Leiria. A autarca ao assumir os destinos da reunião, considerou o facto da Assembleia Municipal se realizar pela primeira vem em Colmeias como “um gesto nobre da democracia”. Os restantes quatro pontos agendados foram conduzidos pela autarca Colmeense que garantiu a ordem e a forma como se realizaram todos os procedimentos naquele órgão deliberativo. O Colmeense Artur Santos questionou Isabel Damasceno (Presidente da Câmara Municipal de Leiria), sobre o saneamento básico tão necessário para a freguesia, a necessidade de obras na estrada que liga a Bouça ao Crasto e do

problema que Colmeias sofre por não ser beneficiada dos dividendos da expressiva exploração de inertes. A urgente revisão do PDM é outra medida urgente “porque nas Colmeias não se pode construir além das três fracções, o que tem penalizado a freguesia”, foi outra consideração que Artur Santos apontou como problema para a sua comunidade. A Assembleia de Freguesia teve de terminar por falta de quórum após algumas intervenções de deputados municipais e presidentes de junta, num momento de uma moção sobre uma carta anónima provocatória, apresentada para conhecimento dos presentes elementos da Assembleia, por João Cunha do PSD. A moção de repúdio àquela missiva anónima recebeu 14 votos a favor e 14 votos de abstenção, não existindo elementos suficientes na sala para prosseguir com a sessão. Fátima Sismeiro teve de dar por terminada uma Assembleia Municipal considerada de grande simbolismo para a comunidade Colmeense.


16 notíciasdecolmeias | 6 de Abril de 2008

telefones úteis

TELEFONES MUNICIPAIS Câmara Municipal de Leiria Bombeiros Municipais Leiria Bombeiros Voluntários Leiria Cruz Vermelha Portuguesa Protecção Civil Polícia de Segurança Pública Guarda Nacional Republicana Segurança Social - Leiria Hospital de Santo André Gabinete Médico Legal Centro Hosp. S. Francisco Biblioteca Municipal Leiria Brisa Auto Estradas Leiria Teatro Miguel Franco Teatro José Lúcio da Silva Castelo de Leiria TV CABO PT - Portugal Telecom EDP SMAS - Água e Saneamento Correios de Portugal CP - Comboios de Portugal Rodoviária do Tejo SIMLIS VALORLIS Direcção Estradas de Leiria Direcção Geral de Impostos Direcção Geral de Viação Direcção Regional Agricultura Direcção Recursos Florestais Serv. Estrangeiros e Fronteiras Escola Superior Educação Escola Superior Tec. e Gestão Escola Superior de Saúde ISLA - Instituto Superior Secundária Afonso L. Vieira Secundária Dom. Sequeira Secundária F. Rodrigues Lobo Escola Profissional de Leiria Estádio Municipal de Leiria Piscinas Municipais de Leiria LEIRISPORT Tribunal Administrativo Fiscal Tribunal do Círculo da Comarca Tribunal do Trabalho Estabelecimento Prisional IAPMEI Leiria Centro Formalidades Empresas NERLEI Assoc. Empresarial Instituto de Emprego Instituto Português Juventude

consultório

Oksana Synenka

Médica Medicina Geral e Familiar Interna Centro de Saúde Dr. Gorjão Henriques (Extensão de Colmeias)

244 721 747 244 722 608 244 722 182 244 720 200 244 722 375 244 722 354 244 720 460 244 722 967 244 721 127 244 721 514 917 553 433 244 839 500 244 832 122 244 881 120 244 823 725 244 860 400 244 859 859 244 830 150 244 890 700 244 817 000 244 817 056 244 819 300 244 820 850 244 800 300 244 860 480 244 823 600 244 813 982 808 200 400 244 500 500 800 505 505 244 817 300 244 830 483 808 208 208 244 811 507 244 849 100 244 575 540 244 820 670 244 859 300 244 800 460 244 800 580 244 832 001 244 831 610 244 829 400 244 820 300 244 813 388 244 820 650 244 880 000 244 848 250 244 890 260 244 848 610 244 843 000 244 860 760 244 848 420 244 870 600 244 848 800 244 870 520 244 824 278 244 817 900 244 870 440 244 890 200 244 849 500 244 813 421

NACIONAIS E DE INTERESSE PÚBLICO SOS Número Nacional Socorro 112 117 SOS Incêndios 144 Linha Emergência Social Linha Vida SOS Drogas 1414 Intoxicações 808 250 143 213 130 000 Banco de Portugal Busca e Salvamento Marítimo 214 401 919 808 201 139 SOS Grávida SOS Criança 800 202 651 Criança Maltratada 213 433 333 800 206 656 Recados da Criança Linha do Cidadão Idoso 800 203 531 707 200 077 Assoc. Apoio à Vítima Alcólicos Anónimos 217 162 969 Assoc. Narcóticos Anónimos 800 202 013 Sexualidade em Linha 808 222 003 SOS SIDA 800 201 040 800 225 115 ABRAÇO SOS Voz Amiga 800 202 669 Provedor da Justilça 808 200 084

Para ter um sorriso bonito (I) A boca e os dentes foram sempre zonas de grande inte­resse para o Homem, devido à sua importância na comu­nicação, alimentação e fun­ção estética. Manter um sorriso saudável e harmonioso é uma boa maneira de gostar mais de sua aparência e de ter segurança para enfrentar a vida. Ale disso, uma boca bem cuidada reflete na saúde de todo o corpo. Uma má mastigação ou mesmo uma mordida errada podem ocasionar desde dores de cabeça até problemas cardíacos. Vamos agora conhecer um pouco sobre os nossos dentes, suas principais doenças e ori­gem, as suas consequências e por fim a melhor maneira de mantermos sãos os nossos dentes, ao longo de toda a nos­sa vida.E começamos pela história… A primeira escova de dentes foi usada na China, em 1498, mas suas cerdas eram feitas com pêlos de porco. Mais tarde, estes foram substituídos por pêlos de cavalo.A escova de dentes mais antiga da Europa, que data de 300 anos atrás, é feita de osso e foi descoberta durante escavações arqueológicas em um antigo hospital municipal de Minden, na Alemanha. Os 19 buracos destinados a inserir os pêlos de porco que funcionavam como cerdas são visíveis ainda hoje. Em 1938, a DuPont desenvolveu as cerdas de náilon, usadas hoje em dia.

Qual a origem das princi­pais doenças orais? O inimi­go principal dos nossos dentes é a placa bacteriana. A placa bac­teriana é uma massa esbran­quiçada, que se forma diaria­mente, colonizada por bac­térias, fortemente aderente à superfície dos dentes e gen­givas. A placa acumula-se em maior quantidade no sulco gengival (espaço entre o den­te e a gengiva).

O que é a cárie dentária? É uma doença infecciosa que se manifesta após a erupção do dente e que origina DR

TELEFONES DE COLMEIAS Jornal Notícias de Colmeias Junta Freguesia de Colmeias Paróquia de Colmeias Escola EBI 123 de Colmeias Centro Saúde de Colmeias Farmácia Valente Colmeias Caixa Agrícola de Colmeias Caixa G. Depósitos Colmeias Ass. Hum. Amigos Colmeias Ass. Cult. Desp. Igreja Velha Clube Desp. Rec. Cult. Abelha

www.noticiasdecolmeias.com

o amoleci­mento progressivo das estru­turas dentárias levando à for­mação de cavidade. Para que se inicie uma cárie, as bacté­rias da placa bacteriana pro­duzem ácidos que vão des­truir o esmalte dentário. Estes ácidos são o resultado da fer­mentação dos alimentos ricos em açucares, também chama­ dos hidratos de carbono (por exemplo os doces).

Quais os sintomas que prenunciam o aparecimento de uma cárie dentária? Numa fase muito precoce do desenvolvimento de cárie não existe qualquer tipo de estímulo doloroso, daí a importância da consulta dentária regular para o estabelecimento do diagnóstico precoce.Surgem alterações de cor, primeiramente traços esbranquiçados indicativos do início da desmineralização, seguidos de alterações da transparência do esmalte e da dentina. Por fim pode surgir o escurecimento das lesões. Contudo, nem todas as manchas escuras de um dente são significado de lesão activa da doença cárie.Com a progressiva afectação dos tecidos poderá sentir uma dor aguda, evoluindo para dor permanente e de grande intensidade. Esta dor pode abranger todo um lado da boca ou concentrar-se numa determinada zona. Uma cárie não tratada poderá evoluir para uma destruição do dente que obrigue à sua extracção. Uma lesão de cárie pode originar problemas noutros órgãos e sistemas do nosso corpo.

Doenças periodentais (doenças das gengivas). O que são? A doença das gengivas é uma inflamação das gengivas que pode evoluir, afectando o osso que rodeia e suporta os seus dentes. É causada pelas bactérias da película que se forma naturalmente em torno dos dentes e gengivas. Se não for removida através da escovagem e do uso do fio den-

tário, diariamente, forma-se cada vez mais placa bacteriana, torna-se dura ou mineralizada e as bactérias existentes infectam não só as suas gengivas e dentes, mas também eventualmente os tecidos que suportam os dentes. Isso pode levar à mobilidade dentária, perda dos dentes ou à necessidade de serem removidos pelo seu estomatologista ou médico dentista A doença das gengivas pode ocorrer em qualquer idade, mas é mais comum em adultos. Detectada no seu início, a doença gengival pode ser reversível. Visite o profissional de saúde oral se observar algum dos seguintes sinais ou sintomas: - Gengivas avermelhadas; - Gengivas inchadas; - Gengivas com hemorragia durante a escovagem, a mastigação ou uso do fio dentário; - Dentes que parecem mais compridos pela recessão das gengivas; - Gengivas que se separam dos dentes, criando bolsas; - Aparecimento de espaços entre os dentes ou alteração no encFormação de pus entre os dentes e as gengivas; - Mau hálito constante e mau sabor na boca.

O que é o tártaro? O tártaro, também chamado de cálculo, é a placa bacteriana que mineralizou e endureceu nos seus dentes. O tártaro inicia a sua formação junto da linha da gengiva e progride para baixo dela, provocando a inflamação dos tecidos gengivais. O tártaro pode não só ameaçar a saúde dos seus dentes e gengivas, mas também tornar-se um problema estético. Uma correcta escovagem e o uso de fio dentário são necessários para remover a placa bacteriana e impedir a formação de tártaro. A partir do momento em que o tártaro esteja formado, só um profissional dentário o poderá remover. O processo de remoção do tártaro é chamado destartarização.


17

notíciasdecolmeias | 6 de Abril de 2008

ciência tecnologia e ambiente

Fernando Martins geólogo / professor

As argilas, fonte de riqueza da zona de Colmeias (I)

Conceito de argila O termo argila é de facto usado com vários sentidos. Assim, para o ceramista, a argila é um material natural que, quando misturado com água em quantidade adequada, se converte numa pasta plástica. Para o geólogo, a argila é, simultaneamente, material natural abrangendo pedaços de rochas em que dominam partículas com diâmetro inferior a 0,002 mm, uma rocha - agregado de partículas minerais muito finas, não identificáveis à vista desarmada ou com a lupa de mão, sendo ainda o mineral ou mistura de minerais em que dominam os chamados minerais argilosos (que são silicatos hidratados em que podem participar iões tais como Alumínio, Ferro, Magnésio, Potássio e outros, que apresentam estrutura essencialmente filitosa e granulometria muito fina). Para o pedologista (cientista que estuda Solos), argila é a fracção do solo que compreende partículas de dimensão coloidal (com menos de 0,001 mm de diâmetro) e a mais activa de

um solo, responsável pela fixação reversível de catiões e aniões. Finalmente, para um leigo, argila ou barro é um material natural onde, quando húmido, a bota se enterra e agarra ou onde a bota escorrega. É importante referir ainda, pela sua validade actual, o conceito de argila divulgado por Beorgius Agrícola em 1546, que designa como corpo mineral que pode ser trabalhado pelas mãos quando humedecido e com o qual pode formar-se lama quando saturado água. Para esse cientista as “Terras”, que incluíam solos e argilas, eram distinguidas pelo tacto, porosidade, dureza, cor, gosto, cheiro e pelo modo de jazida, tabular ou não. Podemos então dizer que o termo argila tem vários significados. Desde tempos imemoráveis, a argila, sob a forma de lama ou sob a forma de tijolos de lama, misturada com outros materiais e seca ao sol, foi usada na construção de habitações e monumentos. Nalguns destes, com mais de 4.000 anos, perduram hoje ainda esses tijolos milenares. Convém referir que o uso de fornos para fabricação de tijolos de argila está reconhecido desde 8 a 7 milénios A.C. e que foram os Gregos os pioneiros do estudo das argilas pois eles diferenciaram vários tipos de “Terras”, as quais englobavam todos os depósitos naturais finamente granulares. Quer os Gregos quer os Romanos distinguiam já a argila comum ou lama possuidora de cor preta, cinzenta, castanha ou avermelhada da argila branca.

Moto Clube de Leiria organizou passeio

A argila é uma matéria-prima importante na agricultura, mecânica de solos e também em várias indústrias, tais como: cerâmica, papel, metalúrgica e petrolífera, como irão ver mais à frente.

Classificação das argilas As argilas apresentam uma grande variedade e complexidade, uma vez que também os minerais argilosos e não argilosos apresentam uma grande variação quantitativa e qualitativa, a variação da distribuição dimensional das partículas minerais que as formam e as suas características textuais. São tudo factores que dificultam a classifi-

DR

Vamos hoje iniciar um conjunto de textos sobre as riquezas minerais que existem no subsolo da região de Colmeias e zonas adjacentes, começando por estudar aquela que hoje em dia tem aqui mais relevância, o barro ou, mais correctamente, aquilo a que os homens de ciência apelidam de argila. Mas tarde avançaremos para o caso particular das argilas de Colmeias e áreas envolventes.

No domingo 24 de Fevereiro de 2008, a freguesia de Colmeias acolheu um passeio “moto-rali turístico” que durante dois dias promoveu a satisfação e adrenalina de várias centenas de condutores de motos. Pelas terras do Marquês de Pombal, Sicó e outras freguesias como Colmeias, este passeio teve o seu início no dia 23 de Fevereiro no Castelo de Pombal, seguindo-se a contemplação de artefactos rurais, ponte românica, Rabaçal, Penela, Santiago da Guarda, Ansião, Abiúl e novamente Pombal. No dia 24, saída da comitiva de Pombal, passando por Santiago de Li-

tém, Albergaria dos Doze, Memória e Colmeias. O Moto Clube de Leiria foi fundado em 28 de Março de 1991. Em Outubro de 1993 elegeu a sua primeira direcção, tendo-se tornado membro activo da Federação Nacional de Motociclismo nesse mesmo mês. Promover, incentivar e desenvolver o motociclismo no distrito de Leiria em todas as suas vertentes, com especial incidência na vertente mototurística, são os objectivos do Moto Clube de Leiria, para além do são convívio entre os seus sócios ou de outros associados de motoclubes de outras regiões do país.

DR

Colmeias recebe motards

cação das argilas. Apresentam-se, de seguida, duas das formas mais usuais de classificação de argilas, em que têm em conta o modo de formação e o uso industrial destas. Classificação genética É uma classificação lógica, sob o ponto de vista geológico. Tem em conta a relação entre os processos de formação das argilas e o seu modo de ocorrência. Podemos assim dividir as argilas em: - Argilas residuais ou primárias: quando ocorrem no local em que se formaram a partir da rocha mãe (magmática, metamórfica ou sedimentar). - Argilas de alteração: resultam da alteração de rochas vulcânicas, cinzas e material vítreo. - Argilas transportadas: argilas que ocorrem em locais mais ou menos distantes do local de formação a partir da rocha mãe. Incluem grande variedade de argilas e outros minerais de baixa granulometria. Classificação segundo o uso Na classificação segundo o uso é possível considerar dois grandes grupos: - Argilas comuns: utilizadas no fabrico de cerâmica grosseira e agregados expandidos. - Argilas nobres ou especiais: estas, por sua vez, podem ser subdivididas segundo a utilização em: a) argilas refractárias; b) argilas para cerâmica fina; c) argilas não cerâmicas (bentonites).


18 notíciasdecolmeias | 6 de Abril de 2008

www.noticiasdecolmeias.com

BREJOPLÁS

Indústria de Plásticos, Lda. Fabricante de filme e sacos em PEAD e PEBD Flexografia em PEAD e PEBD Termoformagem em P.P. e PET

Telefone 351 244 720 350 Fax 351 244 720 355 Rua do Brejo, 295 • Igreja Velha • 2420-220 Colmeias LRA Email: brejoplas@brejoplas.pt

Rua Caldas da Rainha - Loja A Nova Leiria


19

notíciasdecolmeias | 6 de Abril de 2008

visionário

Celso Santos

Notícias de Colmeias na 100ª edição E já lá vão oito anos de Notícias de Colmeias. É neste mês de Abril que passam as cem edições, sempre a informar com precisão e com verdade, tudo o que tem acontecido neste espaço geográfico em que habitamos, trabalhamos e têm lugar os nossos acontecimentos, espaço esse, que se chama Colmeias. É aqui que criamos e educamos os nossos filhos, é aqui que os vemos ser felizes ou infelizes, enfim, tudo faz parte da vida que é esta nossa condição humana, de carne e osso, visível e invisível. E de há oito anos para cá, temos vindo a privar da companhia deste nosso jornal, que pode ser comparado a um familiar, que nos visita mensalmente e nos dá a conhecer as forças e as fraquezas desta freguesia. Naturalmente que esta visita acontece só

nos lares que lhe abrem as portas. É de ficarmos honrados pela capacidade que este jornal tem mostrado ao longo deste tempo. Desde o já longínquo dia da sua apresentação, 5 de Dezembro de 1999, no Café Pinto, (propriedade do Senhor Luís Miliciano Pinto, que desde o inicio se mostrou um grande amigo deste jornal, infelizmente já falecido). Até agora tem acontecido história nesta freguesia de Colmeias, história que está devidamente registada nos arquivos deste jornal. Nesse já muito saudoso dia da apresentação, o nº. 0, com o título em primeira pagina que dizia: “Prenda De Natal Para Os Colmeenses”, respirava-se uma atmosfera de bairrismo em torno do jornal nascido, via-se grande interesse pela linda novida-

de e a maravilha que é ter um jornal na freguesia. É de facto uma grande riqueza. E ainda hoje ele continua a ser riqueza para quem o estima, para quem está sempre desejoso que chegue o principio de cada mês e, assim, o desfolhar com terna curiosidade. De quase tudo ele nos tem informado: da dimensão humana à cultural e desportiva, passando pela tradição e religião, sem esquecer a dimensão económica e patrimonial deste espaço físico e geográfico. E uma das grandes obras deste jornal foi o levantamento histórico, humano e patrimonial de todos nós. Gente com valor que se perdia no anonimato, se o jornal não tivesse ido lá buscar bem ao fundo do seu nevoeiro cerrado. Esses artistas apareceram… outras pessoas

que já passaram pela vida, falecidas, como que ressuscitaram do seu esquecimento fúnebre, aparecendo no jornal em grandes reportagens, enchendo de gozo os seus familiares e amigos, e fazendo-nos lembrar que a morte é apenas uma passagem de estado de vida. Por tudo isto e muito mais, o Jornal merecia bem mais, o nosso interesse em acolhe-lo, o nosso bairrismo em sermos seus assinantes e, assim, seus defensores em prol do seu desenvolvimento e longevidade. Boas notícias para todos. Ele traz as notícias verdadeiras Até às nossas casas interiores, Sejam elas as grandes brincadeiras Ou os acontecimentos superiores.

Junta de Freguesia de Colmeias - Município de Leiria

RECENSEAMENTO ELEITORAL Encontram-se na Secretaria da Junta de Freguesia para consulta pública os cadernos de recenseamento eleitoral. A Presidente da Junta, Maria de Fátima S. Sismeiro


20 notĂ­ciasdecolmeias | 6 de Abril de 2008

www.noticiasdecolmeias.com

QUILATE


21

notíciasdecolmeias | 6 de Abril de 2008

à sombra da bananeira | 39

Manuel Bento dos Santos bentomanuel@sapo.pt

Centenário do Notícias de Colmeias Quaresma – Paixão – Reflexão

Duas notas

N

a nossa opinião não é um jornal de mexericos, de bisbilhotice, de maledicência. Achamo-lo um jornal que pode noticiar algo que se passa, sem comentários, deixando que cada leitor faça a sua própria análise. Isso parece-nos bem. NOTA 1: Centenário do Notícias de Colmeias Os leitores atentos notarão que este Notícias de Colmeias é o número 100. Quem está lembrado do seu nascimento, há-de saber que o número que o tornou centenário foi o anterior, o 99, por o primeiro jornal ter nascido com o número 0 (zero). Centenário é sempre centenário. Rodeado de festa, velas, cantares de parabéns, etc. etc. Deixemos isso e façamos uma, ainda que ligeira, análise em jeito de balanço, da sua vida ao longo de todos estes meses e anos. Na nossa opinião não é um jornal de mexericos, de bisbilhotice, de maledicência. Achamo-lo um jornal que pode noticiar algo que se passa, sem comentários, deixando que cada leitor faça a sua própria análise. Isso parece-nos bem. É um jornal que tem dado a conhecer, ou lembrar, coisas e pessoas do passado,

preocupando-se em presentear-nos também com a vida e as pessoas de hoje. Isso parece-nos bem. É um jornal que tem dado a conhecer ao exterior a própria freguesia. Os anseios, as alegrias. Isso parece-nos bem. Mas, acima de tudo, é de salientar o dinamismo que tem apresentado em artigos de ensinamentos de toda a ordem. Queremos endereçar os parabéns ao obreiro, Senhor Joaquim Santos, como director que é, a todos os colaboradores que o ajudaram e ainda a todos os leitores que mês após mês o vão procurando e lendo.

NOTA 2: Quaresma – Paixão – Reflexão Quando, a 28 de Fevereiro nos é pedido o envio da crónica para o jornal Notícias de Colmeias, do mês de Abril, ficámos um pouco pensativos. Escrever sobre o quê? Falta de assunto? Não. O momento que atravessamos, fins de Fevereiro, lembra-nos muitos sobre os quais desejaríamos escrever, dar a nossa opinião, lutar até por causas. De imediato lembrámo-nos do Ministério da Educação, pois todos os dias aparecem notícias de protestos e contestação por todas as cidades. Há queixas de arrogância a mais e muita intolerância. Mas se nos voltamos para a educação entre as pessoas, relativamente a relacionamentos, comportamentos, atitudes, tolerância, compreensão, respeito … Também estamos conversados, é o mesmo: arrogância a mais e muita intolerância. Sobre a luta que, neste momento, existe entre professores e Ministério da Educação, não devo opinar, pois esta questão éme demasiado querida para poder analisar, pelo menos por escrito. A Educação foi e é, por nós, vivida com muita paixão. O próprio Presidente da República já apelou à se-

renidade das partes. E referia-se a todos. Fiquemos então por aqui. Mas sobre a educação entre as pessoas, podemos dizer o que pensamos, pois é uma questão cívica. Lembrando-nos do tempo que vivemos agora, repetimos, fins do mês de Fevereiro, um pensamento nos chega: A Quaresma, A Paixão e tudo isto levou-nos à reflexão. Por este emaranhado de pensamentos perpassa muita confusão e sentimentos contraditórios. Quem tem razão, quem deixa de ter? Lembrando-nos de tantas e tantas

questiúnculas entre grupos, famílias, interesses particulares ou colectivos, lembrámo-nos do tempo da Quaresma, que é tempo de reflexão. Na época de hoje quem se lembra de gastar um pouquinho do seu tempo para reflectir, para pensar nos outros e não só em si? Aqui chegados, um cristão católico lembra-se da Via – Sacra e, de repente, lembrámo-nos de uma em que participámos no dia 22 de Fevereiro. Passo a citar parte de uma leitura na pág. 17 da “Via-Sacra dos Pés”: “ Senhor Jesus / quantas vezes eu não compreendo a marcha lenta dos outros. / Quantas vezes eu digo / que as coisas se deviam resolver mais depressa, / que não se pode avançar com tanta lentidão. Não reparo para as dificuldades de quem caminha penosamente / mas olho somente para os meus interesses e projectos. Dai-me a sabedoria de Cireneu / que soube olhar para os vossos pés feridos / que ele tinha aliviado, / para compreender as limitações do doente que trato, / da pessoa idosa que está ao meu encargo, do deficiente com quem convivo …” … Paremos por aqui pois esta leitura tem matéria suficiente para reflexão, durante muito tempo. Deixemos que o pensamento seja honesto e interroguemo-nos: Qual a razão ou razões para tantas incompreensões? Não há o diálogo para resolver as situações? Será que só temos olhos para nós e não ligamos aos outros? Será que não podemos olhar para o outro, ou para a ideia do outro e, não concordando, possamos pensar que talvez o outro possa ter razão? Aqui chegados cremos poder dizer: quem pensar que é mais inteligente que o outro, é pouco inteligente. Tudo o que fica dito é relativo a tudo e a todos. Não é só a isto ou àquilo, a este ou àquele. A compreensão, a tolerância e o respeito, são essenciais para que haja um bom relacionamento e uma boa educação.


22 notíciasdecolmeias | 6 de Abril de 2008

A construção de uma freguesia é feita através da comunidade que nela habita Felicitamos o Notícias de Colmeias pelas suas 100 edições São Ópticas com aposta no futuro

Nova loja

DR

O culminar dos seus 10 anos de actividade foi assinalado com um novo espaço São Ópticas, localizado no Edifício Beira-Rio, Rua. Anzebino da Cruz Saraiva, 19, em Leiria. A inauguração desta nova loja que garante ao cliente novos serviços e um reforço na oferta de produtos, realizouse no dia 1 de Março com a presença de muitos clientes e de representantes de algumas das maiores marcas de produtos oculares comercializadas em Portugal.

DR

Laura Esperança (Presidente da Junta de Freguesia de Leiria) e Conceição Cardoso (gerente da São Ópticas) na inauguração da loja 2

www.noticiasdecolmeias.com


23

SIMLIS desenvolve projectos sociais

DR

notíciasdecolmeias | 6 de Abril de 2008

“Mil Gotas, Rios de Sorrisos” No dia 26 de Fevereiro, no âmbito do projecto “Mil Gotas, Rios de Sorrisos”, a SIMLIS e a SPEM – Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla, delegação de Leiria, assinaram um protocolo de colaboração que compreendeu o apoio na aquisição de uma cadeira eléctrica para a instituição, assim como uma comparticipação pelo período de um ano no pagamento da renda da sede da SPEM na cidade do lis. Desde o ano de 2007 que a empresa de saneamento integrado dos Municípios do Lis desenvolve várias actividades enquadradas neste “Mil Gotas, Rios de Sorrisos”, entre as quais acções de voluntariado empresarial em feiras. Na cerimónia foi apresentado o sistema de telegestão na etar das Olhalvas. Com esta tecnologia, garante-se a melhoria contínua da eficiência de gestão de todo o sistema multimunicipal, per-

mitindo uma monitorização em tempo real de toda a estrutura de tratamento de águas residuais, com racionalização dos recursos disponíveis. Na etar das Olhalvas, concluído está o seu projecto de remodelação, com a completa desodorização de zonas de odores, minimizando os problemas das populações nos locais onde emanavam odores. Com esta desodorização e o “Centro de Despacho”, esta etar instalada nas imediações da cidade de Leiria, fica dotada com esta telegestão com garantias técnicas, de economia e de estatística de todo o sistema da estação de tratamento. Assim, é feito o tratamento dos dados provenientes das instalações remotas (unidades locais) e do restante rede, assegurando o acompanhamento de aspectos como energia eléctrica, controlar a qualidade dos efluentes em

pontos estratégicos, armazenar dados e detecção de anomalias no funcionamento. A SIMLIS EM 2007, no que diz respeito ao tratamento dos efluentes (esgotos) produzidos pela população de toda a área de abrangência (cerca de 370 000 habitantes equivalentes), tratou de um volume de caudal que ascendeu os 7,3 milhões de metros cúbicos. A situação económico-financeira da

AGÊNCIA FUNERÁRIA

Agência Funerária

NOGUEIRA & PINA, LDA.

de São Romão e Bombeiro

LEIRIA - R. Barão Viamonte, 24-A

Telefs.244832723 Telem. 917100914 - 919930511 AUTO FUNEBRE COM AR CONDICIONADO

de Carlos Fernandes e Carreira, Lda. Telefs. 244 832 069 ou 244 840 113 Fax 244 861 520 Telems. 969 072 834 ou 967 009 796

Rua Coronel Pereira Pascoal, 3 SÃO ROMÃO 2410-264 LEIRIA

SIMLIS foi determinada pelo investimento na construção, melhoria e exploração das infra-estruturas da SIMLIS. No total, o investimento realizado na construção das infra-estruturas do sistema, chegou aos 18,4 milhões de euros. O volume de negócios da empresa ascendeu os 3,5 milhões de euros, valor que corresponde essencialmente à recolha, tratamento e rejeição dos efluentes da área de abrangência da SIMLIS.

Funerária Jaime Escritório Rua Machado Santos, 33 2420-128 LEIRIA Telefone 244 828 450 Telemóvel 917 511 889 Residência BARREIROS Telefone 244 840 677 Fax 244 828 580 JUNCAL Telefone 244 470 610 Telemóvel 917 208 019


24 notĂ­ciasdecolmeias | 6 de Abril de 2008

www.noticiasdecolmeias.com


Edição 100