Page 158

e gravatas coloridas de energia, seus vários tons de cabelo de prata. Lyle Kelleher limpou a garganta, e Kara olhou em volta com um pouco de alívio. Dante não estava lá. "Temos um anúncio hoje que é feliz e triste", disse Kelleher. Ele apontou para um dos os advogados que estava sentado na grande mesa. "Julie Dillard está nos deixando, no próximo mês, eu estou com medo. Mas ela deixa-nos por uma boa razão. Julie vai se mudar para Washington, DC. Ela tem sido uma trabalhadora, e tem foi um prazer tê-la conosco desde que se formou a faculdade de direito, primeiro como assistente jurídico, então, como praticando advocacia. Gostaríamos de agradecer a você, Julie, por tudo o que você deu a esta empresa, e para lhe desejar bem em seus empreendimentos. " Todos aplaudiram e Julie, uma morena, acenou com a "Julie, você está indo para a prática em DC?" Alguém perguntou.

cabeça

e

sorriu.

"Na verdade, eu estou indo lá para me casar. E. . . Vou abrir uma loja de antiguidades, algo que eu tenho sonhado por anos. Eu já encontrei o meu espaço na loja. " Havia outra salva de palmas. "Nem todos ficam tão entusiasmados com a perspectiva de ela desistir da prática nobre da lei", Charles Landers protestou, seus olhos azuis brilhando com indignação fingida. Coração de Kara cresceu. Ela estava feliz por Julie, ela realmente era. Mas ela também estava cheio de inveja. Julie estava indo para encontrar a sua felicidade: o casamento, o seu próprio negócio. Ela estava perseguindo seus sonhos. Ela estava ousando. Naquele momento, Dante entrou na sala lotada. Kara chamou sua atenção. Ela não queria. Mas quanto sempre, ela foi imediatamente atraído para ele. Ele começou a sorrir, parou. E ela ficou chocada com o quanto doía, simplesmente estar no mesmo quarto com ele. Que ele não podia nem sorrir para ela. Que ela era fisicamente incapaz de sorrir para ele. Rubi deu-lhe o pulso de um aperto rápido, e ela era grata por isso pequeno show de apoio. O resto do breve encontro foi em um borrão como Kara tentou não olhar para ele. Mas ela sabia que ele era lá. Senti-lo em seus ossos. Dante. Basta manter a respiração. Passar por isso. Finalmente tudo acabou, e todos baralhados fora da porta. Infelizmente, um dos outros advogados necessitou Ruby para alguma coisa, então Kara estava sozinha, rezando Dante saía da sala antes que ela tivesse para enfrentá-lo. Ela viu quando ele saiu pela porta, e ficou aliviada. Ela seguiu seus colegas de trabalho para o corredor, onde todos se separaram, indo para seus próprios escritórios. Ela tinha acabado de fazer a porta de seu escritório, quandoDante apareceu ao lado dela. "Kara, podemos conversar?" Ela sentiu como se tivesse sido otário perfurado. Mesmo ouvindo a voz dele foi demais para ela. Ela não podia suportar o calor de seu corpo ao lado dela, o cheiro dele. "Eu prefiro não", ela respondeu com força.

2 no limiar do desejo