Page 129

O lugar era puramente ela, por algum motivo. Ele só parecia se encaixar, uma combinação do antigo e do novo, tradicional e moderna. Assim como o seu lugar, na verdade, mas combinadas de uma forma mais feminina. Pesadamente antiguidades esculpida nos velhos, pisos de madeira escura, um sofá, elegante e moderno, feito em branco e dispersa, com pelúcia, almofadas de brocado. A mesa de café era um baú velho coberto em vidro. Uma coleção de fotografias preto e branco nas paredes, principalmente peças de arquitetura dos edifícios antigos. Europeu, provavelmente. Mas ele estava distraindo-se. A partir do que estava acontecendo em sua cabeça. Seu corpo. Foi então que ele percebeu os dois quadros pendurados sobre um aparador antigo. Ele se moveu alguns passos em direção a eles. Ambos estavam naturezas-mortas, feitas nos óleos pesados que se lembrava dela usando na escola, mas a técnica obviamente tinham sido aprimorado desde então. Ele viu suas iniciais no canto inferior direito mão canto: "KC", feito em um script graciosa. Ele estendeu a mão, quase tocando um deles. "Jesus. Estas são suas. Eles são bons. Realmente grande. Você deve ser a pintora, Kara. " Ela suspirou, mas não disse nada. Ele se virou para olhar para ela, sentindo-se muito grande para a sala de estar aconchegante. Estranho, como se ele fosse um gigante que batia sobre tudo, quebrar tudo, se ele mudou muito rapidamente. "Kara. . . " Ela ficou ali, olhando para ele, com os braços cruzados sob os seios. Ele podia fazer o contorno de sua plenitude tenso, os mamilos, que tinha ido um pouco difícil no ar frio da noite. Ele não deve ser perceber essas coisas agora. Mas foi inevitável. Kara foi sexo puro para ele. Quando ela não estava sendo. . . tudo o resto. Ele engoliu em seco. Tentou obter o seu pensamento organizado. Diga alguma coisa, amigo. Não seja um idiota. Ele limpou a garganta. Sua cabeça foi agitada. Por onde começar? Kara falou antes que pudesse. "É por isso que você veio aqui? Para me dizer o que eu deveria estar fazendo, Dante? Você é muito bom nisso, eu admito. Mas é por isso que estamos aqui? " Ela soltou uma risada curta e latindo. "Você percebe que você nunca esteve aqui, dentro do meu apartamento?" Havia raiva em sua voz. Ele não a culpava. Ela passou com um encolher de ombros impotente que machucou a ver. "Você só. . . me deixa na porta como se eu fosse de uma noite barata. Por que é que, Dante? Será que ela lhe trazer muito perto, para a minha casa? Você não quer me conhecer tão bem? É. . . insultante. Ou talvez seja que sua rota de fuga é mais fácil se tudo acontece em seu lugar. Você pode decidir quando é hora de ir embora. Quando você teve o suficiente de mim. " "Esse é o problema, Kara." Ele deu um passo na direção dela, mas quando os ombros tensos, suas características endurecimento, ele parou onde estava. Ele disse calmamente: "Eu nunca me canso de você. E isso assusta a merda fora de mim. " Sua respiração estava pegando em seus pulmões. Doloroso, para dizer em voz alta. Para admitir a ninguém,

2 no limiar do desejo  
Advertisement