Page 36

citude, a toda afeição” (FANON, 1968, p.272). Quijano (2005) dentro de suas reflexões vai pontuar historicamente as forças colonialistas e capitalistas europeias, que a partir da consolidação de um novo padrão de poder e dominação, exercido pelos processos de inferiorização étnico-raciais e controle das relações de produção, recursos, força de trabalho com base no capital e no mercado mundial (aspectos relacionados, já que a inferioridade étnico-racial – e construção de uma supremacia branca europeia- ditava o lugar de trabalhador negro/índio explorado para gerar capital para a consolidação do capitalismo mundial). Dentro dessa reflexão, Santos (2007, p. 51) aponta que “colonialismo é capitalismo, e é muito importante que recordemos isso”. A partir desse movimento, e da consolidação desse padrão de poder etnocêntrico (eucentrado) sobre o mundo, centralmente sobre a América e a África (a partir da exploração desses povos e da inferiorização de suas identidades), se constrói um padrão cognitivo, ou seja, onde o conhecimento do não-europeu (o negro e índio) se torna passado, primitivo, irracional e inferior. Assim, sobretudo no século XVII, a Europa consegue se consolidar enquanto centro do mundo, abafando a emersão da América e com base na exploração de mão de obra escrava e na exploração de continentes colonizados, constituindo-se como centro da civilização e do conhecimento, consolidando o eurocentrismo. Sendo o eurocentrismo uma perspectiva de um conhecimento produzido na Europa Ocidental, dentro de um “processo de modernidade, produziu uma perspectiva de conhecimento e um modo de produzir conhecimento que demonstram o caráter do padrão mundial de poder: colonial/moderno, capitalista e eurocentrado” (QUIJANO, 2005, p.126), que coloca a Europa como o lugar onde se produziu os movimentos de modernidade, os modernos da humanidade, colocando-se como os principais protagonistas da história do mundo. O mais intrigante disso tudo é que eles “foram

28

Profile for Carlos Lucena

Princípios de movimento de educação do campo: análise dos projetos político-pedagógicos das LEDCs do  

Princípios de movimento de educação do campo: análise dos projetos político-pedagógicos das LEDCs do