Page 256

possibilitassem a matrícula de seus filhos juntos à suas famílias, sem precisar ocorrer uma mudança de território, ou total desvinculação com o campo, para esses terem acesso à educação formal de qualidade. A primeira experiência no Brasil aconteceu em 1969, no Espírito Santo, que a concebeu em escolas de caráter profissional. Atualmente, os Centros de Formação por Alternância (CEFFAs) a partir das Escolas Famílias Agrícolas, Casas Familiares Rurais e Escolas Comunitárias Rurais já possuem 250 experiências dessa dinâmica de ensino, sendo também utilizada nas LEdoC (ANTUNES-ROCHA; MARTINS, 2011). Desse modo, a alternância se configura nos discentes alternarem Tempo Universidade (TU) ou Escola e Tempo Comunidade (TC), mas não apenas na perspectiva de um alternar simplesmente física, esse movimento de inserção no espaço educativo e na realidade comunitária ocorrem com base nos princípios: “a vida ensina mais do que a escola; que se aprende também na família, a partir da experiência do trabalho, da participação na comunidade, nas lutas, nas organizações, nos movimentos sociais” (ANTUNES-ROCHA; MARTINS, 2011, p.216). Essa metodologia, além de não tirar os sujeitos do campo dos seus espaços de vida, também indica a experiência como processo fundamental para a aprendizagem e na produção de saberes, onde os discentes iniciam um processo de formação como ator principal, a partir da realidade concreta dos coletivos. Destarte, o processo de ensino e aprendizagem acontecem em uma dinâmica de movimento em diferentes espaços, com a finalidade de integrar os saberes de cada tempo de forma dinâmica (o TU e TC). Nessa perspectiva analítica e prática, na alternância, a realização das atividades é entendida não como complementar, mas de interação permanente entre as atividades formativas e o trabalho formador no processo educativo, em que os sujeitos e os sistemas constituem-se em movimento dinâmica de formação e não uma mera transmissão de conhecimento (ANTUNES-ROCHA; MARTINS, 2011, p.217).

248

Profile for Carlos Lucena

Princípios de movimento de educação do campo: análise dos projetos político-pedagógicos das LEDCs do  

Princípios de movimento de educação do campo: análise dos projetos político-pedagógicos das LEDCs do